PROF. 3o ANO
GEOGRAFIA
PADRÃO VOL. II

Direção Executiva:
Fabio Benites
Gestão Editorial:
Maria Izadora Zarro
Diagramação, Ilustração
de capa e Projeto Gráfico:
Alan Gilles Mendes
Alex França
Dominique Coutinho
Erlon Pedro Pereira
Estevão Cavalcante
Paulo Henrique de Leão

Autores:
Biologia:
Filosofia:
Física:
Geografia:
História:

Leitura e Produção:
Língua Espanhola:
Língua Inglesa:
Língua Portuguesa:
Literatura:

Estagiários:
Amanda Silva
Fabio Rodrigues
Gustavo Macedo
Lucas Araújo

Matemática:
Química:
Sociologia:

Irium Editora Ltda
Rua Desembargador Izidro,
no114 - Tijuca - RJ
CEP: 20521-160
Fone: (21) 2560-1349
www.irium.com.br

Biologia:
Geografia:
História:
Língua Espanhola:
Química:

Leandro Maia
Gustavo Bertoche
Wilmington Collyer
Duarte Vieira
Montgomery Miranda /
Bernardo Padula
Leila Noronha /
Marcelo Beauclair
Mizael Souza
Jaqueline Halack
Leila Noronha /
Marcelo Beauclair
Leila Noronha /
Marcelo Beauclair
João Luiz / Gláucio Pitanga
Wendel Medeiros
Anne Nunes

Atualizações:
Cid Medeiros
Thiago Azeredo
Guilherme Braga
Karina Paim
Renata Galdino

É proibida a reprodução total ou parcial, por qualquer meio ou processo, inclusive quanto às características gráficas e/ou editoriais. A violação de direitos
autorais constitui crime (Código Penal, art. 184 e §§, e
Lei nº 6.895, de 17/12/1980), sujeitando-se a busca e
apreensão e indenizações diversas (Lei nº 9.610/98).

Apresentação:
Olá, querido aluno.
O material da Irium Educação foi elaborado por professores competentes e comprometidos com
uma proposta de educação exigente e plural.
Neste livro, você encontrará uma teoria na medida certa, focada nas informações mais importantes
hoje em dia, e muitos exercícios para fortalecer sua aprendizagem e preparação para os desafios futuros.
Vamos conhecer um pouco mais sobre este livro?
Todo capítulo inicia com uma capa, onde você encontrará uma imagem ilustrativa e os objetivos
de aprendizagem. Estes resumem o que queremos que você aprenda. Quando chegar no final do
capítulo, se você quiser saber se aprendeu o que é realmente importante, volte na capa e verifique se
alcançou cada um dos objetivos propostos.
Antes de entrarmos na teoria, em cada capítulo, você encontrará uma contextualização. Ela funciona para mostrar para você porque o assunto é importante e como você poderá usar esse conhecimento
no seu dia a dia.

No meio do caderno, quando estiver estudando, você encontrará inserções com informações relevantes e que "conversam" com portais da Irium Educação. É o caso do box Como pode cair no ENEM?,
que trazem temas conectados ao assunto do capítulo e propõem questões do ENEM ou com o estilo
da prova. Você poderá resolver os exercícios no seu caderno ou acessar o portal comopodecairnoenem.
com.br. Lá você também encontrará todas essas questões resolvidas em vídeo.
Outra inserção interessante, que visa oferecer mais conhecimento relevante, é o 4News. Nessa seção, será possível acessar notícias recentes que conectam o tema do capítulo com uma informação
importante para a sua formação e para os diversos vestibulares. Na apostila, essas informações estão
resumidas, mas poderá acessar esse conteúdo, produzido pela nossa equipe de professores, na íntegra, através do portal 4newsmagazine.com.br ou utilizando o QR code inserido no box.

Uma das principais marcas dos livros da Irium Educação são os exercícios, que primam pela quantidade e qualidade. Para ajudar os alunos a tirarem suas dúvidas, existem inúmeras questões com
soluções gravadas em vídeo. Elas aparecem com uma câmera e um código. Para acessar a solução,
utilize o código no campo de busca no espaço destinado (videoteca) no nosso site irium.com.br/videoteca
ou até mesmo no Youtube.
Para finalizar, que tal encontrar um conteúdo ideal para aquelas revisões na véspera de provas e
concursos? Essa é a proposta da seção Resumindo, na última página de cada capítulo. Aqui, você encontrará uma síntese com as principais informações do capítulo, como as fórmulas mais importantes,
que você não pode esquecer.
A equipe da Irium Educação acredita em uma formação exigente, completa e divertida. Esperamos que
este livro possa proporcionar isso a você.
#vamboraaprender

"A Educação é a arma mais poderosa
que você pode usar para mudar o mundo."
(Nelson Mandela)

Fabio Benites
Diretor-geral

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 2017

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
3º ANO ­ 2016 / 2017
GEOGRAFIA I
1o BIMESTRE
EM3GEO01: Indústria: dos primórdios até a crise de 1929
·
·
·
·
·

Entender a indústria processo capitalista;
Entender as alterações técnicas, nas estruturas produtiva;
Compreender relações políticas, econômicas e sociais no processo industrial;
Entender o que é o Taylorismo;
Compreender a relação entre o liberalismo e a crise de 1929.

EM3GEO02: Indústria: decadência do Fordismo e Terceira Revolução Industrial
·
·
·
·
·

Compreender a ações realizadas para sair da crise de 1929;
Entender a decadência do processo de decadência do modelo de produção do Fordismo;
Compreender o processo de um novo processo técnico, Pós-fordista;
Compreender o recorte temporal denominado Terceira Revolução Industrial;
Entender o novo Sistema Flexível de Produção e a Compressão Tempo-Espaço.

EM3GEO03: Globalização: a técnica e o processo de Globalização
·
·
·
·
·

Compreender o conceito de Globalização;
Entender os avanços técnicos nos meios de comunicações e transporte;
Compreender que há vantagens e desvantagens no processo de globalização;
Entender o papel de Multinacionais e Transnacionais no processo de globalização;
Entender o processo de integração territorial realizado pelo processo de globalização.

2o BIMESTRE
EM3GEO04: Indústria no Brasil: processo industrial e as conjunturas econômicas
·
·
·
·
·

Compreender o processo de industrialização brasileira;
Entender a relação de alguns governos brasileiros no processo de industrializa brasileira;
Compreender as conjunturas econômicas no Brasil ao longo da história;
Entender o Neoliberalismo no Brasil;
Compreender os desafios da economia brasileira no século XXI.

EM3GEO05: Urbanização: conceito e urbanização brasileira
·
·
·

Entender os conceitos referentes ao processo de urbanização;
Entender o processo de urbanização no mundo;
Compreender o processo de urbanização brasileiro;

1

·
·

Entender os principais desafios do meio urbano;
Compreender a evolução das principais cidades brasileiras.

3o BIMESTRE
EM3GEO06: Energia: fontes naturais e outros recursos
·
·
·
·
·

Entender o que é Energia Renovável e não Renovável;
Compreende a disponibilidade energética em proporção global, regional e local;
Entender a distintas possibilidades energética;
Entender que há vantagens e desvantagens em cada fonte energética;
A relação de alguns países com algumas fontes energéticas.

EM3GEO07: Geologia e Geomorfologia: conceitos e relevo brasileiro
·
·
·
·
·

Entender os principais conceitos da Geologia e Geomorfologia;
Entender o processo Geológico e Geomorfológico ao longo do tempo;
Compreender os Agentes Internos e Externo;
Compreender a Formação e Conservação dos Solos;
Entender o Relevo Brasileiro.

4o BIMESTRE
EM3GEO08: Climatologia: conceitos e clima no Brasil e no mundo
·
·
·
·
·

Entender os principais conceitos sobre o Climatologia;
Compreender as técnicas para utilizadas na Climatologia;
Compreender a configuração do clima no mundo;
Compreender a configuração do clima no Brasil;
Entender os principais fenômenos climáticos.

EM3GEO09: Questões ambientais e Hidrografia
·
·
·
·
·

Compreender os principais conceitos relacionados ao Meio Ambiente;
Entender as novas concepções relacionadas ao Meio Ambiente;
Compreender os principais desafios das questões ambientais;
Compreender os principais conceitos relacionados a Hidrologia;
Entender e contextualizar a hidrologia no Brasil e no mundo.

2

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 2017

GEOGRAFIA II
1o BIMESTRE
EM3GEO10: Agricultura: conceitos e a agropecuária no mundo
·
·
·
·
·

Compreender os principais conceitos sobre o tema relacionado a Agropecuária;
Entender as relações entre o Espaço Rural e a dinâmica econômica na atualidade;
Compreender as questões das terras no Mundo;
Compreender a evolução técnica do campo no mundo;
Compreender as relações de produção no campo.

EM3GEO11: Agricultura: a agropecuária no Brasil
·
·
·
·
·

Entender a estrutura fundiária brasileira;
Compreender os principais sistemas agrícolas utilizados no Brasil;
Compreender a evolução técnica do campo brasileiro;
Compreender as relações de trabalho no campo e os conflitos existentes;
Compreender a relação do campo brasileiro com o processo de globalização.

EM3GEO12: Demografia: conceitos e população brasileira
·
·
·
·
·

Compreender os principais conceitos relacionado aos estudos demográficos;
Entender as principais teorias demográficas;
Entender os principais fluxos migratórios no Brasil e no mundo;
Compreender a estrutura etária da população;
Entender a conjuntura da população brasileira.

2o BIMESTRE
EM3GEO13: Formação territorial e a regionalização brasileira
·
·
·
·
·

Entender o processo de formação territorial brasileira;
Compreender a variedade cultural no território brasileiro;
Compreender o conceito de Região;
Compreender a processo de regionalização no Brasil;
Compreender a processo de regionalização do Rio de Janeiro.

EM3GEO14: Cartografia
·
·
·
·
·
·

Entender o processo de formação territorial brasileira;
Compreender os conceitos relacionados a cartografia;
Entender o que são projeções e categorias cartográficas;
Entender que há distintas perspectivas cartográficas;
Entender o que é Fuso horário e Escala;
Compreender o uso e as técnicas cartográficas no cotidiano.

EM3GEO15: América do Norte: EUA, Canadá e México
·
·
·
·
·

Entender a formação do território dos Estados Unidos;
Compreender conflitos históricos e contemporâneos;
Compreender o papel o papel dos EUA no mundo globalizado;
Entender a formação do Canadá e também do México;
Compreender relações políticas, econômicas e sociais dos dois países.

3

3o BIMESTRE
EM3GEO16: América Central e América do Sul
·
·
·
·
·

Entender a localização e grupo de países existentes;
Compreender a relação desses países em um mundo globalizado;
Compreender suas relações econômicas no mundo;
Compreender problemáticas sociais, econômicas e políticas;
Compreender as novas perspectivas de integração.

EM3GEO17: A Europa e a sua atual conjuntura
·
·
·
·
·

Entender a localização e grupo de países existentes;
Entender os principais aspectos históricos;
Compreender a relação desses países em um mundo globalizado;
Compreender suas relações econômicas no mundo;
Compreender problemáticas sociais, econômicas e políticas.

EM3GEO18: Oriente Médio
·
·
·
·
·

Entender a localização e grupo de países existentes;
Entender os principais aspectos históricos e culturais;
Compreender a conflituosa dos países desta região;
Compreender a relação desses países com o mundo;
Compreender problemáticas sociais, econômicas e políticas.

4o BIMESTRE
EM3GEO19: Ásia: Índia e China
·
·
·
·
·

Entender a localização e grupo de países existentes;
Compreender os países que se destacam neste continente;
Compreender os processos sociais, econômicos e política;
Entender alguns países que se destacam no cenário global;
Entender o papel Índia no processo de globalização.

EM3GEO20: Ásia: Japão e Tigres Asiáticos
·
·
·
·
·

Entender a relação do capitalismo e socialismo neste continente;
Compreender a relação conflituosa de alguns países;
Compreender o Japão e as suas conjunturas;
Entender o que são os tigres asiáticos e o seu papel no mundo globalizado;
Compreender o processo industrial e econômicos no processo de globalização.

EM3GEO21: África
·
·
·
·
·

Entender a localização e grupo de países existentes;
Entender os principais aspectos históricos e culturais;
Compreender a conflituosa dos países desta região;
Compreender a relação desses países com o mundo;
Compreender problemáticas sociais, econômicas e políticas.

4

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 2017

ORIENTADOR METODOLÓGICO PADRÃO
ENSINO MÉDIO 2017/2018
O material didático da Irium Educação foi reformulado para o biênio 2017/2018 com o
intuito de estar atualizado com as demandas educacionais dos principais concursos do país e
alinhado com os pilares educacionais elementares defendidos pela editora.
Além de conter um projeto pedagógico de vanguarda, o projeto gráfico é totalmente
inovador. O design de cada página foi projetado para ser agradável para a leitura e atrativo
visualmente, favorecendo a aprendizagem. Há uma identidade visual para cada disciplina e as
seções são marcadas com foco artístico e acadêmico.
Veja algumas páginas:

1

Didaticamente, há um projeto traçado que envolve fundamentos pedagógicos de
vanguarda. Além disso, o material impresso dialoga com sites e aplicativos, e vídeos dispostos
na videoteca do irium.com.br.
Confira os fundamentos pedagógicos do material e suas justificativas:
Fundamento 01:
Apresentar um conteúdo com ementa e nível de acordo com os Parâmetros Curriculares
Nacionais (PCNs), refletidos pelos principais concursos do país do referido segmento.
Descrição: O conteúdo de cada série segue as orientações dos PCNs e conteúdo programático
do exame nacional do Ensino Médio (ENEM). Existem duas linhas de material. O pacote
Otimizado aborda todo o conteúdo dividido em três anos, enquanto o Padrão encerra todo o
conteúdo nos dois primeiros anos, e o terceiro ano funciona como um pré-vestibular abordando
toda a ementa do ENEM e dos principais vestibulares do Brasil.
Fundamento 02:
Alinhar desde o princípio os objetivos pedagógicos de cada caderno (capítulo).
Descrição: Ainda na capa de cada caderno (capítulo), professores e alunos encontrarão os
objetivos a serem alcançados naquela unidade. Dessa forma, pretende-se que docentes e
discentes comecem "com o objetivo em mente", ou seja, que tenham clareza desde o início dos
objetivos.
Como funciona na prática? Logo na capa do caderno, sugerimos que o professor apresente os
objetivos pedagógicos do caderno, ou seja, o que o aluno deve assimilar e quais competências
ele deve desenvolver, quando o caderno estiver com a teoria lecionada e os exercícios
realizados.
Na capa do caderno de Hidrostática, ao lado, ao ler os objetivos
da unidade, junto com os alunos, o professor deixa claro que
visa ensinar, para compreensão dos alunos, compreender os
conceitos de pressão, massa específica e densidade de um
corpo, assim como o teorema de Stevin, de Arquimedes e o
princípio de Pascal.

2

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 2017

Fundamento 03:
Transcender o conteúdo tradicional, a partir do diálogo entre este e outros saberes, não
previstos na Base Nacional Comum, mas considerados relevantes para a formação do
jovem, segundo a visão da Irium Educação.
Descrição: Além do conteúdo tradicional, o material do Ensino Médio é focado em novos saberes
essenciais para a formação dos jovens hoje em dia. Saberes como Economia, Noções de
Nutrição, Geopolítica e Meio Ambiente são apresentados de forma dialógica com os conteúdos
tradicionais. De forma prática, em cada caderno há pelo menos uma inserção transdisciplinar
em formato de observação. Essas inserções surgem no material impresso em uma versão
reduzida e o artigo na íntegra pode ser acessado no site do projeto 4newsmagazine.com.br.
Como funciona na prática? As inserções são apresentadas em um quadro específico e o
conteúdo é exposto pela bandeira interdisciplinar 4NEWS MAGAZINE. Esta é uma revista de
atualidades que possui uma linguagem própria da adolescência, o que gera identificação com
os alunos. Com isso, terão a oportunidade de ler, entender e debater temas importantes do
Brasil e do mundo de uma forma mais interessante para a faixa etária que se encontram. Para
os professores, fica a sugestão de utilizar esses artigos transdisciplinares para apresentar
como o conteúdo presente "dialoga" com outros, estendendo a aprendizagem e mostrando
outras áreas do conhecimento com as quais alguns alunos, com certeza, irão se identificar.
Esse fundamento do material didático é uma grande oportunidade para fazer conexões entre
os saberes, valorizando cada um e ainda mais a sinergia entre eles. Além do artigo presente
na apostila, os educadores podem incentivar os discentes a acessar o conteúdo completo,
no site, possibilitando a navegação por outros artigos e, consequentemente, o acesso a mais
informações de qualidade. Veja no recorte abaixo, como a notícia sobre a influência da igreja
católica na geopolítica mundial foi utilizada para dialogar com o caderno de História do 3º ano
"Formação do Brasil colonial", enriquecendo ainda mais o conhecimento cultural do aluno.

3

Fundamento 04:
Sugerir contextos para apresentação dos conteúdos a fim de tornar o aprendizado mais
prático e concreto para o aluno.
Descrição: Um desafio para os educadores é não cair no "conteudismo" puro, distante da
aplicabilidade desses e da realidade dos alunos. Para isso não acontecer, o material traz
sugestões de contextualizações para o início do conteúdo, além de outras exemplificações
práticas ao longo da apresentação da teoria.
Como funciona na prática? Na segunda página de cada caderno, há uma charge, uma tirinha,
uma citação, um meme ou outra representação que o professor pode usar como "gancho" para
iniciar a sua aula de forma contextualizada, trazendo mais significado para o aprendizado
desde o início da aula. Repare que o texto abaixo (à esquerda) propõe uma reflexão sobre
o porquê alguns corpos flutuam e outros não. Essa provocação cabe perfeitamente para o
início da exposição, considerando que se pretende explicar o conceito de hidrostática, ou seja,
ciência que estuda os líquidos em equilíbrio estático. No outro exemplo (à direita), o autor inseriu
uma imagem para criticar a concentração fundiária no Brasil.

4

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 2017

Fundamento 05:
Promover uma linguagem mais dialógica e sedutora para o aluno, a fim de sensibilizá-lo
para a importância do conteúdo, facilitando o processo de aprendizagem.
Descrição: A forma como as informações são apresentadas é essencial para criar simpatia
ou rejeição por parte dos alunos. Pensando nisso, reformulamos a linguagem do material,
especialmente no início de cada caderno, na primeira impressão, para que ela fosse mais
atrativa para os jovens. Assim, o texto "conversa" com o leitor, favorecendo a apresentação do
conteúdo e evitando rejeições devido a forma como ele é apresentado.
Como funciona na prática? Os textos do material não possuem linguagem coloquial, eles
são técnicos. Porém, não são puramente técnicos no sentido tradicional. Eles buscam uma
aproximação do educando, como se o autor estivesse "conversando" com o leitor. Esse tipo de
construção favorece a compreensão, e os professores podem usar isso em exercícios como:
reescreva determinado texto com suas palavras, deixando claro o que você entendeu. Nos
textos tradicionais, normalmente, os alunos têm dificuldade de entenderem sozinhos. Veja os
textos abaixo como são convidativos.

5

Fundamento 06:
Articular conteúdo e exercícios de forma planejada, a fim de tirar o melhor proveito
desses últimos, funcionando como validação dos conceitos básicos trabalhados ou
espelhando a realidade dos mais diversos concursos.
Descrição: Há três seções de exercícios "tradicionais". Os Praticando possuem o aspecto de
validação da aprendizagem, os Aprofundando refletem a clássica abordagem dos concursos e
os Desafiando (somente na versão Padrão) são os mais difíceis, até mesmo para os principais
concursos do país. Existem também, em todas as seções, questões resolvidas em vídeo. Elas
estão sinalizadas com um ícone de uma câmera, que indica que há solução gravada, e podem
ser localizadas pelo código justaposto. Através desse código, o aluno-usuário deverá acessar
a área da Videoteca, localizada em irium.com.br.
Como funciona na prática? Os exercícios Praticando, por serem validações da aprendizagem,
permeiam a teoria, ou seja, teoria 1 praticando 1 teoria 2 praticando 2 ... Os
Aprofundando servem como mini simulados de concursos e são recomendados "para casa"
para serem corrigidos na aula seguinte. Os Desafiando, por serem os mais difíceis, podem
valer pontos extras em atividades a parte.
Fundamento 07:
Incentivar o aluno a estender sua aprendizagem além da sala de aula, seja com links para
sites e aplicativos ou através de atividades complementares de pesquisa e reflexão.
Descrição: O material possui também atividades não
ortodoxas. As questões "tradicionais" são testes para
verificar se o aluno consegue reproduzir aquilo que deveria
ser aprendido. Na seção Pesquisando, o material propõe
exercícios novos, que incentivam a pesquisa on-line e
off-line, reflexões sobre escolhas e comportamentos e
servem também, para possibilitar a atuação dos
responsáveis na educação formal do filho, pois podem
ajudá-los nas pesquisas e reflexões sugeridas pela
atividade. Para o terceiro ano, não há a sugestão da
atividade Pesquisando, mas uma seção denominada
Competências e Habilidades onde são informadas e
trabalhadas as cento e vinte habilidades da matriz de
referência do ENEM.

6

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 2017

Como funciona na prática? A seção Pesquisando é constituída de exercícios "fora da caixinha",
isto é, aqueles que exigem pesquisas e/ou reflexões. Há algumas utilizações pedagógicas
interessantes para essa seção. Exemplos: 1) O professor poderia pedir um caderno separado
para registro desses exercícios. Ao final ele teria um verdadeiro portfólio da produção dos
alunos ao longo de determinado tempo; 2) Os pais poderiam ser convidados a participar da
educação formal do filho, ajudando-o ou simplesmente perguntando sobre os temas abordados
nesses exercícios, pois são mais fáceis para esse intuito do que os exercícios tradicionais;
3) O aluno poderia exercitar sua oratória apresentando atividades propostas nessa seção; 4)
Alguns Pesquisando podem ser usados como temas para debates em sala, desenvolvendo as
habilidades de ouvir e compreender o outro, além, obviamente, da capacidade de argumentação.
A seção Competências e Habilidades, presente no material do terceiro ano, informa
qual(is) habilidade(s) está(ão) relacionada(s) àquele conteúdo, qualificando o educando nesse
conteúdo.
Fundamento 08:
Oferecer informações sintetizadas, a fim de atender momentos de revisão do conteúdo.
Descrição: No final de todo caderno, apresentamos uma seção denominada Resumindo,
onde é apresentada uma síntese do conteúdo do caderno. O intuito é possibilitar que o aluno
tenha um resumo bem construído para uma revisão rápida, quando necessária.

7

8

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 2017

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
ENSINO MÉDIO 2017
3º ano
GEOGRAFIA I
2o bimestre:
Aula 10
Tópico:
Indústria no Brasil: processo industrial e as conjunturas econômicas
Objetivos: Compreender o processo de industrialização brasileira; Entender a relação de alguns
governos brasileiros no processo de industrializa brasileira
Subtópicos: Indústria brasileira; Antes da era Vargas; A industrialização brasileira: dos arquipélagos
econômicos à era Vargas
Exercícios: x
Para casa: x

Aula 11
Tópico:
Indústria no Brasil: processo industrial e as conjunturas econômicas
Objetivos: Compreender as conjunturas econômicas no Brasil ao longo da história;
Subtópicos: O Brasil internacional - desenvolvimentita: de JK ao milagre económico; A crise do milagre:
a marcha forçada e a década perdida
Exercícios: x
Para casa: x

Aula 12
Tópico:
Indústria no Brasil: processo industrial e as conjunturas econômicas
Objetivos: Entender o Neoliberalismo no Brasil; Compreender os desafios da economia brasileira no
século XXI
Subtópicos: O Brasil neoliberal e os desafios para o século XXI;
Exercícios: Praticando 1 ao 20
Para casa: Aprofundando

Aula 13
Tópico:
Indústria no Brasil: processo industrial e as conjunturas econômicas
Objetivos: Conhecer o conceito de temperatura e as diversas escalas de medidas (Celsius, Fahrenheit
e Kelvin), e saber calcular as conversões de uma escala para outra
Subtópicos: Exercícios
Exercícios: Aprofundando
Para casa: Desafiando

9

Aula 14
Tópico:
Urbanização: conceito e urbanização brasileira
Objetivos: Definir o que é Calor e os seus meios de propagação; Entender as grandezas importantes
para o estudo da calorimetria (calor específico, capacidade térmica e calor latente); Compreender
a equação fundamental da calorimetria e saber utilizá-la em diferentes contextos; Saber calcular a
potência fornecida por uma fonte de calor;
Subtópicos: Geografia urbana: conceitos e processos;
Exercícios: x
Para casa: Praticando 5 ao 5

Aula 15
Tópico:
Urbanização: conceito e urbanização brasileira
Objetivos: Reconhecer um sistema termicamente isolado e compreender as condições do equilíbrio
térmico;
Subtópicos: A urbanização brasileira
Exercícios: x
Para casa: Praticando 6 ao 13

Aula 16
Tópico:
Urbanização: conceito e urbanização brasileira
Objetivos: Conseguir calcular a dilatação térmica (linear, superficial e volumétrica) sofrida por um
corpo sólido ou líquido
Subtópicos: O desafio metropolitano: problemas das grandes ciudades; A evolução urbana da cidade
do rio de janeiro
Exercícios: Praticando 14 ao 23
Para casa: Aprofundando

Aula 17
Tópico:
Urbanização: conceito e urbanização brasileira
Objetivos: x
Subtópicos: Exercícios
Exercícios: Aprofundando
Para casa: Desafiando

Aula 18
Tópico:
Revisão bimestral
Objetivos: x
Subtópicos: Revisão
Exercícios: Revisão
Para casa: Revisão

10

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 2017

GEOGRAFIA II
2o bimestre:
Aula 10
Tópico:
Formação territorial e a regionalização brasileira
Objetivos: Entender o processo de formação territorial brasileira; Compreender a variedade cultural
no território brasileiro; Compreender o conceito de Região; Compreender a processo de regionalização
no Brasil;
Subtópicos:Estado brasileiro: formação territorale variedade cultural; Regionalização brasileira;
Geografia regional do brasil: amazônia; A regionalização de milton santos;
Exercícios: x
Para casa: x

Aula 11
Tópico:
Formação territorial e a regionalização brasileira
Objetivos: Compreender a processo de regionalização do Rio de Janeiro
Subtópicos: A regionalização do estado do rio de janeiro; Características naturais; Regionalização do
estado
Exercícios: Praticando 1 ao 27
Para casa: Aprofundando e Desafiando

Aula 12
Tópico:
Formação territorial e a regionalização brasileira
Objetivos: x
Subtópicos: Exercícios
Exercícios: Aprofundando
Para casa: Desafiando

Aula 13
Tópico:
Cartografia
Objetivos: Entender o processo de formação territorial brasileira; Compreender os conceitos
relacionados a cartografia; Entender o que são projeções e categorias cartográficas; Entender que há
distintas perspectivas cartográficas; Entender o que é Fuso horário e Escala;
Subtópicos: Cartografia; A forma da terra; Escalas; Curva de níveis; Representações cartográficas;
Coordenadas geográficas (localização de pontos);
Exercícios: x
Para casa: x

11

Aula 14
Tópico:
Cartografia
Objetivos: Compreender o uso e as técnicas cartográficas no cotidiano
Subtópicos: Projeções cartográficas; Fuso horário
Exercícios: Praticando 1 ao 29
Para casa: Aprofundando

Aula 15
Tópico:
Cartografia
Objetivos: x
Subtópicos: Exercícios
Exercícios: Aprofundando
Para casa: Desafiando

Aula 16
Tópico:
América do Norte: EUA, Canadá e México
Objetivos: Entender a formação do território dos Estados Unidos; Compreender conflitos históricos
e contemporâneos; Compreender o papel o papel dos EUA no mundo globalizado
Subtópicos: EUA: Sua construção; EUA: nova política;
Exercícios: x
Para casa: Praticando 1 ao 8

Aula 17
Tópico:
América do Norte: EUA, Canadá e México
Objetivos: Entender a formação do Canadá e também do México; Compreender relações políticas,
econômicas e sociais dos dois países.
Subtópicos: Canadá: uma economia integrada com os EUA; México: um país entre duas realidades
Exercícios: Praticando 9 ao 29
Para casa: Aprofundando

Aula 18
Tópico:
América do Norte: EUA, Canadá e México
Objetivos: x
Subtópicos: Exercícios
Exercícios: Aprofundando
Para casa: Desafiando

12

INDÚSTRIA NO BRASIL: PROCESSO INDUSTRIAL E AS CONJUNTURAS ECONÔMICAS

ORIENTADOR METODOLÓGICO

· Entender a relação de alguns governos brasileiros no processo de industrializa brasileira;
· Compreender as conjunturas econômicas
no Brasil ao longo da história;
· Entender o Neoliberalismo no Brasil;
· Compreender os desafios da economia brasileira no século XXI.

Indústria no Brasil: processo
industrial e as conjunturas
econômicas
Objetivos de aprendizagem:
· Compreender o processo de industrialização brasileira;

Praticando:
1) A

18) A
19) B

2) A
20) D
3) B
Aprofundando:
21) Vinda da mão de obra; formação de centro
financeiro; concentração de capital.

4) D
5) D

22) a) Modelo urbano-industrial baseado em investimentos estrangeiros, cabendo ao Estado, a
implantação de infraestrutura.
b) Queda na qualidade de vida devido ao rápido
crescimento urbano com colapso nos serviços.

6) B
7) B
8) E

23) a) Indústria de base.
b) Na região Sudeste, pelo Governo Vargas, nacionalismo, necessidade de consumo, expansão
industrial.

9) A
10) A

24) D

11) C

25) E

12) D

26) E

13) E

27) E

14) B

28) C

15) E

29) E

16) D

30) D

1

EM3GEO04

17) A

INDÚSTRIA NO BRASIL: PROCESSO INDUSTRIAL E AS CONJUNTURAS ECONÔMICAS

31) a) Anos 50 ­ região do ABC Paulista.
b) Expansão e diversificação de atividades.

42) Ao longo da década de 1970, a sociedade
brasileira vivenciou os efeitos de ações dos governos militares, centradas na perspectiva de
promover o desenvolvimento nacional. Houve, nos termos da época, o milagre econômico,
então caracterizado pelas elevadas taxas de
crescimento do produto interno bruto e pela
contenção da inflação. O milagre econômico,
contudo, gerou efeitos variados sobre os diversos segmentos sociais do Brasil da época. Como
ilustram a propaganda e a charge, setores da
classe média ampliaram seu poder de consumo
de bens duráveis, como os automóveis; ao passo que, os grupos populares mantiveram condições precárias de trabalho e de vida. Assistiu-se
ao aumento da riqueza e, em paralelo, à maior
concentração de renda.
Entre as medidas do milagre econômico,
destacaram-se, igualmente:
· o favorecimento do grande capital;
· o controle cambial pelo poder do Estado;
· a facilitação do crédito destinado ao consumo de bens duráveis, além dos insumos para a
expansão desse setor produtivo, com destaque
para a indústria de automóveis e de eletrodomésticos;
· o controle da mão de obra por meio da
repressão ao movimento sindical e pela implementação de políticas de arrocho salarial.
Entre os efeitos do milagre econômico, relacionados à maior concentração de renda, identificam-se a perda da estabilidade de emprego
e o aumento das desigualdades sociais e regionais e da concentração da propriedade rural e
urbana.

32) B
33) A
34) D
35) E
36) A
37) A
38) A
39) D
40) A

EM3GEO04

Desafiando:
41) A denominação "década perdida" é utilizada
para caracterizar a grave estagnação econômica que os países latino-americanos sofreram
nos anos 1980. No Brasil, durante esse período,
foram marcantes o desemprego, os altos índices de inflação, a diminuição da capacidade de
consumo e o aumento do déficit público e da
dívida externa.
O discurso do recém-eleito presidente Fernando Henrique Cardoso no Congresso já demonstrava sua preocupação com a herança
que recebia da "década perdida", identificando
na manutenção de pressupostos econômicos
e políticos da chamada "Era Vargas" a principal
razão do atraso brasileiro. Durante seus dois
mandatos, FHC propôs uma série de medidas
visando ao rompimento com esse modelo, tais
como: mudanças na legislação previdenciária;
medidas promotoras de maior abertura à entrada
de empresas estrangeiras no mercado nacional;
programa de privatização de estatais, tais como a
Embraer e a Vale do Rio Doce, ou flexibilização de
monopólios estatais, tais como o da Petrobrás e o
das telecomunicações. Essas medidas buscavam
a diminuição da presença do Estado nas atividades produtivas e a valorização de seu caráter
regulador, indo ao encontro do ideal liberal do
Estado mínimo valorizado naquele momento.

2

O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO

ORIENTADOR METODOLÓGICO

· Entender o processo de urbanização no
mundo;
· Compreender o processo de urbanização
brasileiro;
· Entender os principais desafios do meio urbano;
· Compreender a evolução das principais cidades brasileiras.

O processo de urbanização
Objetivos de aprendizagem:
· Entender os conceitos referentes ao processo de urbanização;

Praticando:
1) Duas das características:
· concentração de atividades terciárias de
alto nível.
· abrigo de sedes de grandes empresas e órgãos públicos importantes.
· centralização das atividades financeiras.
· alto valor do solo urbano.
· tendência a intensa verticalização.
· presença de rede de telecomunicações
complexa e de alta qualidade.
· polarização de fluxos de transportes.
Duas das justificativas:
· abundância de áreas verdes e grandes espaços, associados à percepção de boa qualidade
de vida.
· facilidade de acesso através de autoestradas, em função da disseminação do transporte
individual.
· possibilidade de morar em imóveis com
maior área útil.
· busca por maior segurança nos espaços segregados.
· convívio com pessoas de perfil semelhante
nos condomínios fechados.

qualidade dos bairros reservados às camadas
de maior renda;
· a linha divisória entre o morro e o asfalto e
as muitas outras variantes dessa cisão, presentes nas cidades de diferentes tamanhos e diferentes perfis econômicos;
· a cidade dividida entre a porção legal, rica
e com infraestrutura, e a ilegal, pobre e precária, expressa as desigualdades de renda e é mais
um agente na reprodução dessa desigualdade
porque a população que está em situação desfavorável acaba tendo muito pouco acesso às
oportunidades de trabalho, cultura e lazer.

2) B

9) a) São Paulo é a metrópole mundial brasileira
porque exerce controle sobre os principais sistemas de comunicação, além de oferecer bens
e serviços mais sofisticados e diversificados. É a
partir de São Paulo que as atividades econômicas
realizadas no território brasileiro são integradas à
economia internacional, visto que há uma concentração das sedes de grandes empresas na cidade.
b) Ocorre devido à expansão das redes telemáticas, em que um número crescente de usuários e
empresas negociam diretamente entre si, independentemente de distâncias físicas e do porte
das cidades na qual estão sediados.

7) Entre os fatores que alteram a hierarquia da
rede urbana no Brasil estão: as mudanças infraestruturais de transporte e telecomunicação;
a relocação geográfica dos investimentos; o surgimento de novos setores produtivos; a logística
e a gestão empresarial; desmetropolização e
o crescimento das cidades de porte médio; as
mudanças nos hábitos de vida; redirecionamento nos fluxos migratórios e a redistribuição da
população.

3) A
4) C
5) B
6) Pode-se apresentar os seguintes significados:
· as imensas diferenças entre as áreas centrais e as periféricas das regiões metropolitanas;
· a ocupação precária das invasões e loteamentos clandestinos em contraposição à alta

3

EM3GEO05

8) C

O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO

10) Megalópole é a junção espacial de duas ou
mais áreas metropolitanas. Entre os argumentos que defendem a ideia de que uma megalópole estaria em formação no eixo Campinas,
São Paulo e Santos encontram-se: o crescimento das regiões metropolitanas de Campinas
e Santos, assim como a de São Paulo, nas últimas décadas, e os intensos fluxos de pessoas,
mercadorias, capitais e informações existentes
entre esses centros. Além disso, essas regiões
metropolitanas estão muito mais próximas uma
das outras do que do Rio de Janeiro. Soma-se a
isso o que vem ocorrendo nas últimas décadas
com a cidade do Rio de Janeiro, que perdeu sua
importância como centro industrial e de serviços e como metrópole nacional.

20) C

11) D

27) D

12) A

28) B

13) B

29) a) Chegada de imigrantes estrangeiros; incipiente industrialização; economia cafeeira, vinculada à implantação de ferrovias, gerando atividades urbanas.
b) Embora marcada por um número considerável
de grandes cidades e metrópoles, a rede urbana
brasileira não é muito desenvolvida, comparada
com alguns países desenvolvidos; apresenta fortes disparidades regionais; não é muito densa no
geral (número de cidades por área); é marcada por
acentuadas descontinuidades espaciais ("vazios");
está havendo intensificação nas relações entre
centros urbanos (comunicações, transportes, trocas comerciais); há uma certa fraqueza hierárquica (nem sempre são encontrados os diferentes
níveis hierárquicos-metrópoles, centros regionais,
centros locais etc.); está havendo conurbação. Outras possibilidades: mais marcantemente adensadas nas áreas metropolitanas; cidades do interior
experimentam uma maior crescimento que as regiões metropolitanas.
c) Crescimento da violência, abandono dos espaços públicos ("áreas perigosas"), crescimento
do crime organizado, narcotráfico, aumento de
desemprego, péssimas condições de vida e de
moradia, subemprego, doenças ou problemas
de saúde pelas péssimas condições de vida, favelamento, precariedade de infraestrutura e de
condições sanitárias.

21) D

22) A
23) C
24) C
25) A
26) A

14) C
15) C
16) A
17) D
18) E

EM3GEO05

Aprofundando:
19) As características que conferem a determinadas cidades o papel de metrópole mundial
são: concentração de grande poder de decisão
econômica, política e cultural; presença das sedes de grupos empresariais com alcance global;
funcionamento de bolsas de valores que operam com empresas nacionais e de outros países
e cujo movimento tem consequências sobre o
mercado produtivo e financeiro mundial; recepção de imigrantes de diversas partes do mundo
conferindo-lhe uma face cosmopolita; sede de
grandes companhias do setor de comunicação
e agencias de notícias. Além disso, as metrópoles mundiais têm mais forte conexão entre si do
que com os espaços nacionais nos quais se situam.

30) C

4

O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO

31) B

· precariedade dos meios de transporte de
massa na cidade, desestimulando longos movimentos pendulares.
· condescendência das autoridades públicas
com a expansão das favelas em virtude do manancial de votos que esses espaços populares
representam.
· acompanhamento do crescimento demográfico metropolitano.

32) a) Processo de segregação urbana.
Insegurança da sociedade, produto de desigualdades socioeconômicas ou concentração de
renda.
b) Duas dentre as ações:
· priorizar os investimentos em infraestrutura nas áreas já favorecidas da cidade.
· negligenciar a implantação de uma política
habitacional eficaz voltada para a população de
baixa renda.
· possibilitar a territorialização das áreas
mais carentes pelo crime organizado em virtude
da reduzida atuação governamental.
· implementar política de segurança em caráter permanente apenas nas áreas mais ricas,
em contraste com uma atuação episódica nos
espaços populares.

37) a) Entre os custos impostos pelo sítio da cidade do Rio de Janeiro à circulação estão: 1 ­ os
constantes congestionamentos de tráfego produzidos pelo número reduzido de opções de
circulação em muitas partes da cidade, que
estão imprensadas entre mar e montanha ou
ocupam vales estreitos; 2 ­ a necessidade de
construção de túneis, vias elevadas e obras semelhantes, que são investimentos de alto custo; 3 ­ a prática, já antiga, de arrasamento de
morros e de aterro de áreas litorâneas para,
entre outros objetivos, facilitar a circulação
intraurbana.
b) Entre os principais riscos ambientais estão
aqueles associados aos efeitos da água de escoamento superficial. Devido às chuvas torrenciais de verão, o Rio de Janeiro está sujeito, nas
partes baixas da cidade, a enchentes causadas
pelo rápido escoamento da água por encostas
íngremes e cada vez mais impermeabilizadas por
construções e por asfalto. Nas encostas, por sua
vez, os problemas estão ligados a deslizamentos
de terras, que causam muitas vítimas e exigem investimentos de monta em sua contenção.

33) A
34) D
35) Dois dentre os processos:
· favelização.
· territorialização pelo tráfico.
· rodoviarismo/vias congestionadas.
· formação de subcentros espontâneos.
· formação de subcentros planejados (shopping centers).
· estratégias de autossegregação (condomínios fechados).
Dois dentre os elementos:
· transporte ferroviário.
· menor nível de verticalização.
· padrão irregular dos arruamentos.
· nível médio de renda inferior ao da Zona Sul.
· menor custo do solo urbano em relação às
áreas nobres da cidade.

38) A figura mostra como diversos períodos da história da cidade do Rio de Janeiro se justapõem
no Largo da Carioca. Convivem ali, por exemplo,
construções surgidas em diversos momentos
do século XX com a arquitetura colonial. Ainda
que a forma evoque o período de surgimento
das construções, as funções que elas desempenham são determinadas pelo momento atual.

36) Dois dos argumentos:
· proximidade de bairros com grande oferta
de emprego no setor de comércio e serviços que
exigem baixa qualificação.
· localização entre o mar e o Maciço da Tijuca,
, em área cuja topografia acidentada dificulta a
incorporação ao mercado imobiliário formal.

5

EM3GEO05

39) a) Dois dentre os fatores:
· problemas ligados à segurança no Centro.
· custo inferior do metro quadrado dos imóveis na Barra.
· maior oferta de vagas para estacionamento
na Barra.
· melhores perspectivas de valorização do
imóvel na Barra do que no Centro.

O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO

· aumento da acessibilidade à Barra da Tijuca,
após a construção da Linha Amarela.
· maior dificuldade de circulação no Centro em
função do congestionamento viário dessa parte
da cidade no horário comercial.
b) Duas dentre as ações:
· investir em segurança.
· reurbanizar logradouros públicos.
· melhorar o serviço de limpeza urbana.
· racionalizar os sistemas de transporte que
atendem à área Central.
· melhorar a integração do metrô com os sistemas de transporte individual ou coletivo nos
bairros.
· criar condições de estímulo para a habitação permanente na área Central, aumentando o
mercado consumidor local.
40) a) A visão predominante no senso comum
atribui aos espaços das favelas a concentração
da pobreza, da ilegalidade, da marginalidade, da
violência, do caos, da desordem social, do poder
e do controle do tráfico de drogas e de foco da
violência que hoje grassa na cidade. Essas características são generalizadas para todas as favelas e todos os seus moradores.
b) A outra visão é a de que a favela se constitui em um espaço de moradia possível para um
grupo social formado em sua maioria por famílias de trabalhadores que não têm condições de
obter uma casa própria ou de pagar aluguel e/
ou de trabalhadores que se sujeitam a morar
em condições mais precárias, mas em locais
mais próximos do trabalho, do que em áreas
muito distantes, onde o preço da moradia é
mais barato, mas a ineficiência dos transportes
e os gastos monetários e de tempo com esses
transportes pesam demais em seu orçamento e
em sua condição física.

EM3GEO05

Desafiando:
41) A

6

A FORMAÇÃO TERRITORAL E A REGIONALIZAÇÃO BRASILEIRA

ORIENTADOR METODOLÓGICO

· Compreender a variedade cultural no território brasileiro;
· Compreender o conceito de região;
· Compreender a processo de regionalização
no Brasil;
· Compreender a processo de regionalização
do Rio de Janeiro.

A formação territoral e a
regionalização brasileira
Objetivos de aprendizagem:
· Entender o processo de formação territorial brasileira;

Praticando:
1) a) Duas dentre as causas:
· transferência do Distrito Federal para Brasília
· fusão entre os estados da Guanabara e Rio
de Janeiro
· o governo federal priorizou seus investimentos em outros estados da federação
· longo período de declínio/estagnação das
atividades agropecuárias no interior do estado
· crescimento da violência na região metropolitana contribuindo para o êxodo de empresas
· maior dinamismo da metrópole paulista
que tem drenado funções urbanas de alto nível,
anteriormente localizadas na metrópole carioca
b) Duas dentre as dificuldades:
· excessiva concentração populacional na região metropolitana
· presença de poucas atividades dinâmicas
no interior do estado
· rede de transporte deficiente interligando o
interior com a região metropolitana

7) A partir do século XVI, com a formação do
sistema-mundo, diversas partes do globo passaram a ser interconectadas pelas grandes navegações. Teve início então um processo, que se
intensificou com o tempo, de troca de espécies
vegetais (e mesmo animais) entre regiões distantes. Isto ocorreu, sobretudo, no interior dos
impérios coloniais. No caso do império colonial
português, importantes transmigrações de espécies ocorreram entre a Índia portuguesa, a
África portuguesa e o Brasil.

2) a) O relevo mais elevado com o ar mais frio e
seco favorece as hortaliças e frutas.
b) Pequenas propriedades, trabalho familiar, cooperativismo.

9) D

8) a) Território extenso, clima tropical (plantation) evidência da presença de jazidas minerais.
b) Baseada na escravidão com os portugueses
comandando a economia (plantações, engenhos, benfeitorias) arregimentando escravos
entre os índios ou trazendo negros da África.
c) O litoral voltado para Portugal facilitava as
exportações. Aliás, esse foi o motivo pelo qual o
Brasil foi colonizado. Dificuldades em ocupar o
interior por restrições territoriais impostas pelo
tratado de Tordesilhas.

10) D
11) D

3) A

12) B

4) D

6) D

7

EM3GEO13

Aprofundando:
13) Como se trata de comércio varejista voltado prioritariamente para população de renda
média e alta, a distribuição dos shopping centers
reflete as disparidades regionais do país e a concentração, no Centro-Sul, das atividades econômicas que propiciam salários mais elevados e a

5) A

A FORMAÇÃO TERRITORAL E A REGIONALIZAÇÃO BRASILEIRA

formação de um mercado consumidor maior e
mais sofisticado. Eles distribuem-se pelos grandes centros urbanos, em sua maior parte as capitais e zonas metropolitanas da faixa litorânea;
interiorizam-se no Sudeste (especialmente no
estado de São Paulo), no Sul e no Centro-Oeste
(particularmente em Goiânia e Brasília). Além
disso, essa concentração reflete o padrão de
densidade da população, com exceção da região
Nordeste.

23) a) Entre os elementos associados à ocupação
da região Amazônica que ameaçam as Unidades
de Conservação temos: frentes madeireiras,
frentes de pecuária, frentes agrícolas, urbanização e assentamentos (frentes de povoamento),
estradas e atividades mineradoras.
b) A fiscalização das Unidades de Conservação é
mais difícil na Amazônia que em outras regiões
do país em função da extensão territorial da região e da dificuldade de circulação.

14) · Proximidade aos maiores mercados consumidores e aos fornecedores de insumos e serviços (bancos, empresas seguros, consultoria
etc.);
· Boa acessibilidade propiciada pela densidade
das redes logísticas ­ rodovias, ferrovias, portos,
aeroportos, telecomunicações;
· Disponibilidade de redes técnicas, energia,
água, esgoto, coleta de lixo e sociais ­ escolas
técnicas, centros de pesquisa, universidades etc;
· Disponibilidade de mão de obra qualificada;
· Ambiente institucional favorável aos negócios: incentivos fiscais, oferta de terrenos, investimentos em infraestrutura, parcerias, poder
público/iniciativa privada etc;
· Existência de amenidades que propiciam boa
qualidade de vida para os funcionários.

24) Entre os motivos dos conflitos, destacam-se:
1 ­ a disputa pela posse da terra entre índios,
fazendeiros e posseiros; 2 ­ o deslocamento forçado de ocupantes não indígenas em função da
demarcação; 3 ­ a invasão das terras indígenas
por garimpeiros e empresas madeireiras.
25) a) Dois dentre os objetivos:
· evitar a ação de contrabandistas
· combater a ação do narcotráfico
· preservar a soberania nacional na exploração dos recursos naturais da região
· evitar a atuação de grupos guerrilheiros dos
países vizinhos, em particular da Colômbia
b) Dois dentre os fatores:
· rede urbana incompleta
· redes de transporte precárias
· baixa densidade demográfica
· redes de comunicação insuficientes
· floresta pluvial que dificulta a locomoção

15) A região Centro-Oeste mostrou altas taxas
de crescimento urbano, caracterizado por fortes movimento migratórios em direção à fronteira agropecuária pioneira.

26) D

16) C

27) C

17) D

Desafiando:
28) B

18) A estrutura arcaica de funcionamento social e econômico dificulta o acesso do homem à
terra, excluindo milhares de pessoas de alguma
forma de inserção.

29) B

19) B

30) D

20) D
21) A

EM3GEO13

22) E

8

CARTOGRAFIA

ORIENTADOR METODOLÓGICO

· Entender o que são projeções e categorias
cartográficas;
· Entender que há distintas perspectivas cartográficas;
· Entender o que é Fuso horário e Escala;
· Compreender o uso e as técnicas cartográficas no cotidiano.

Cartografia
Objetivos de aprendizagem:
· Compreender os conceitos relacionados a
cartografia;

Praticando:
1) a) Sistema de linhas imaginárias (paralelos e
meridianos) que determinam a posição geográfica de pontos na superfície da Terra, os paralelos, linhas paralelas ao equador, determinam
a latitude (N, S); os meridianos, perpendiculares
ao Equador de polo a polo determinam a longitude (L, O).
b) Além da localização de pontos, as latitudes
determinam faixas climáticas da Terra e os meridianos determinam os fusos horários.

12) A
13) A
14) A
15) B
Aprofundando:
16) E

2) a) Liberdade refere-se ao esquema cartográfico da ONU que divide o globo em Norte rico e
Sul pobre.
b) Ao alterar as áreas e formas dos continentes,
as projeções podem aumentar a dimensão de
regiões de grande latitude, em que se encontram os países mais desenvolvidos.

17) B
18) C
19) E
20) C

3) D

6) C
7) A
8) C
9) B
10) A
11) E

9

EM3GEO14

Desafiando:
21) A
Eixo interdisciplinar: Sociedade, tempo e espaço
Item do programa: Espaço e tempo nas Ciências Humanas
Subitem do programa: Representações do
espaço, linguagem cartográfica e o sistema de
fusos horários
Objetivo: Discriminar representação cartográfica com maior grau de fidelidade morfológica e de equivalência.
Comentário da questão:
É impossível representar o globo terrestre
em um plano sem que haja deformações. A escolha de uma determinada projeção cartográfica é realizada para que ocorra a menor deformação possível na área que se quer representar

4) E

5) A

CARTOGRAFIA

EM3GEO14

ou para que um dos aspectos geométricos do
mapa seja preservado (área, ângulos, forma).
No caso dos planisférios, a dificuldade é ainda
maior, por se tratar do conjunto da superfície
terrestre. Dentre as projeções apresentadas, a
de Robinson é a que melhor conserva as formas
e as proporções de áreas dos continentes, o que
é visualmente reconhecível a partir da comparação daquilo que observamos ao contemplar
um globo terrestre. A projeção de Mercator deforma intensamente as áreas à medida que aumenta a latitude. A projeção de Gall-Peters possui o mérito de conservar a equivalência entre
as áreas continentais, mas gera consideráveis
alterações das formas desses espaços. A projeção de Eisenlohr também provoca deformações
de área e forma nas latitudes elevadas.
Projeção de Robinson

10

AMÉRICA DO NORTE: EUA, CANADÁ E MÉXICO

ORIENTADOR METODOLÓGICO

· Entender a formação do território dos Estados Unidos;
· Compreender conflitos históricos e contemporâneos;
· Entender as crises e o processo de recuperação econômica;
· Compreender o papel dos EUA no mundo
globalizado.

América do Norte: EUA,
Canadá e México
Objetivos de aprendizagem:
· Entender a breve história dos Estados Unidos da América;
Praticando:
1) D

6) E
7) E

2) B
8) D
3) C
9) A
4) C
10) B
5) a) Dentre as estratégias, podem ser citadas:
­ as ações e intervenções militares, diretas e
indiretas, em diversos países do mundo;
­ a ampliação da instalação militares em
diversas regiões consideradas como pontos
geoestratégicos;
­ a ampliação do comércio de armas para
países com governos aliados;
­ investimento no aperfeiçoamento da produção de armas;
­ a ampliação da Otan para o Leste europeu
desbalanceamento de forças entre as tradicionais potências europeias (Rússia, Alemanha...).
b) Dentre as ações, destacam-se:
­ as intervenções diretas no Afeganistão e no
Iraque;
­ a instalação de bases militares dentro ou
próximas aos países considerados como integrantes do "eixo do mal" (Irã, Coreia do Norte,
Cuba, Sudão e Síria);
­ as ações em vários países da América Latina voltadas ao combate ao tráfico de drogas
(Plano Colômbia, por exemplo);
­ as tentativas de intervenção dos Estados
Unidos, nos processos político-eleitorais de diversos países e regiões (Iraque, Venezuela, Autoridade Palestina,...) visando favorecer os representantes mais afinados com os seus interesses
político-econômicos
­ cadeias clandestinas em diversos países.

11) D
12) a) O destino manifesto foi usado como ideologia política para a expansão territorial.
b) Acordos, compras, conflitos armados etc.
13) D
14) D
15) D
Aprofundando:
16) Urbanização ­ desenvolvimento de atividades nos setores secundário e terciário, demanda
de mão de obra, mecanização do campo ­ liberação de mão de obra.
17) a) Trata-se do Canadá, cuja população fica
muito concentrada em suas porções sul e sudeste.
b) O mapa indica a província de Quebec de colonização e língua francesa.
18) B

11

EM3GEO15

19) E

AMÉRICA DO NORTE: EUA, CANADÁ E MÉXICO

20) D
21) A
22) C
23) B
24) A
25) B
26) C
27) D
28) D
29) B
30) E
Desafiando:
31) A

EM3GEO15

32) B

12