GEOGRAFIA
01. Na sua obra póstuma, Princípios da Geografia
Humana, V. de La Blache, falecido em 1918, afirmou
que a idéia de Meio supõe a coabitação de seres
diferentes em correlação. Esta afirmação:
0-0) não tem relação alguma com o que se conhece
como ambientalismo, em geografia.
1-1) mostra que a ecologia humana não está no
centro das preocupações do autor.
2-2) revela a idéia de conexão, já marcante no
pensamento de Alexandre Humboldt.
3-3) define
o
determinismo
econômico
da
abordagem lablachiana.
4-4) mostra que a abordagem lablachiana é uma
ecologia humana.
Resposta: FFVFV
Justificativa:
0-0) Falsa. Pois aí se expressa a visão ambientalista
de P.V. de La Blache.
1-1) Falsa. Pois a Geografia de La Blache é ecologia
humana.
2-2) Verdadeira. Pois uma idéia básica da ecologia é
a de conexão, idéia decisiva na construção do
pensamento de Alexandre Humboldt, autor de O
Cosmos.
3-3) Falsa. Pois a visão integrada do meio, de P. V. de
La Blache, não privilegiava o fator econômico;
apenas reconhecia sua importância.
4-4) Verdadeira. Ambientalismo e ecologia humana se
confundem. A visão de meio compósito, conexão,
é característica da ecologia.

02. O determinismo ambiental, muito influente no final do
século 19 e começos do século 20, atribuía enorme
peso a fatores, tais como o clima, a posição
geográfica, o relevo, as riquezas minerais, os solos
etc, como condicionantes das efetivas possibilidades
de desenvolvimento dos grupos humanos. A respeito
deste assunto, pode-se, em geral, dizer que:
0-0) a biotecnologia e as tecnologias agrícolas em
geral têm operado significativas alterações nas
plantas cultivadas e no próprio meio- ambiente
de cultivo, fato que contradiz exageros
deterministas.
1-1) os progressos tecnológicos conduzem à
situação na qual o meio físico-biológico, em
qualquer dos seus elementos, deixa de ter
influência sobre as condições de produção
agrícola; todos os geofatores (agentes) do
espaço produtivo rural tornam-se sociais e
formam uma totalidade controlada e tecnificada.
2-2) estima-se que cerca de ¼ de todo o café
armazenado nos EUA estava na região de
Nova Orleans, quando do evento do furacão
Katrina neste ano de 2005. Mas, como a
produção do grão do café pode ser
instantaneamente
elevada
aos
níveis
demandados, eventos assim não teriam
potencial de afetar o preço do grão nos
mercados.
3-3) a agropecuária brasileira é uma das mais bem
sucedidas e competitivas do mundo, em vários
setores, em função de uma combinação de
cultura empresarial empreendedora, alta
atualização tecnológica e vantajosas condições
ambientais.
4-4) os Recursos Naturais não são fixos e
determinados para sempre, independentemente
das reapreciações a que são submetidos ao
longo da história, reapreciações em função das
inovações tecnológicas, econômicas e culturais.
Resposta: VFFVV
Justificativa:
0-0) Verdadeira. Pois as tecnologias mencionadas
reduzem restrições ambientais.
1-1) Falsa. Pois mesmo a agricultura comercial com
maior aporte gerencial e tecnológico é afetada
por perdas derivadas de condições climáticas
(geadas, chuvas, umidade etc.), pragas (que têm
relação com o clima) etc. Não existe totalidade
perfeitamente
controlada
em
agricultura
comercial.
2-2) Falsa. Pois as plantas têm um ciclo biológico; o
café é cultura permanente que demora a crescer
e frutificar, e tem época de colheita.
3-3) Verdadeira. Pois o sucesso do agronegócio
brasileiro apóia-se neste tripé, que permitiu a
incorporação produtiva do cerrado.
4-4) Verdadeira. Pois recursos naturais dependem de
apreciação cultural.

03. O Relatório do Desenvolvimento Humano da
Organização das Nações Unidas (ONU), divulgado
neste ano de 2005, revela diferenças alarmantes de
IDH (Índice do Desenvolvimento Humano), entre os
vários países do mundo. Países africanos, em geral,
­ como o Níger (0,281), Moçambique (0,379), Nigéria
(0,453) ­ apresentam valores muito baixos, enquanto
países como Noruega (0,963), Austrália (0,955), EUA
(0,944) e Japão (0,943), por exemplo, apresentam
valores elevados de IDH. A respeito deste assunto,
pode-se afirmar que:
0-0) índices de IDH mais altos estão quase sempre
no Hemisfério Norte.
1-1) enormes reservas minerais, tais como o
petróleo,
asseguram
altos
índices
de
desenvolvimento humano para os países que
as contêm.
2-2) as potências atômicas todas apresentam os
mais elevados índices de IDH.
3-3) as diferenças contrastantes de IDH entre a
África, por exemplo, e a Europa, e a persistente
reprodução destas desigualdades, não têm
relações histórico-causais com as interações
espaciais ou geográficas que se desenvolveram
nos quadros do Colonialismo Europeu, uma vez
que os EUA, o Chile, o Uruguai e a Argentina,
por exemplo, são ex-colônias.
4-4) os mais elevados índices de desenvolvimento
humano correspondem a países cujas
geografias políticas caracterizam-se pelo
elevado controle do Estado, com líderes
vitalícios, pois isto evita a descontinuidade no
planejamento do desenvolvimento e das
melhorias sociais para toda a população.
Resposta: VFFFF
Justificativa:
0-0) Verdadeira. Pois, apenas dois países (Austrália e
N. Zelândia), entre os 20 que apresentam IDHs
mais altos, estão no Hemisfério Sul.
1-1) Falsa. Uma vez que Arábia Saudita, Rússia e
Venezuela, por exemplo, apenas apresentam
IDHs médios.
2-2) Falsa. Pois, à exceção dos Estados Unidos da
América, os dez países com maior IDH não são
potências atômicas.
3-3) Falsa. Pois as relações coloniais comportavam
um quadro muito diversificado de objetivos
econômicos, políticos, demográficos, culturais
etc., sendo de esperar diferentes conseqüências
sobre as áreas europeizadas pelo mesmo amplo
e diferenciado processo.
4-4) Falsa. Pois os índices mais altos estão
associados justamente aos países de economia
aberta e a sistemas políticos, liberais e
democráticos.

04. As cidades no mundo vêm apresentando, desde os
meados do século, e particularmente nas últimas
décadas, significativas mudanças na sua forma
(morfologia). Fatos que representam, influenciaram
ou estão associados a estas mudanças, são:

0-0) a disseminação do uso do transporte individual
automotivo, requerendo vias largas e amplas
áreas de estacionamento.
1-1) a presença das grandes estruturas do varejo,
denominadas Shopping Centers, que passaram
a competir com os tradicionais "centros" das
cidades que, em muitos casos, entraram em
decadência.
2-2) o desenvolvimento das vias de contorno
(perimetrais), na circulação urbana das médias
e grandes cidades, vias estas ligando os
subúrbios espalhados e revelando a crescente
importância de outros roteiros de deslocamento
dentro da cidade, para trabalho, compras,
serviços etc. que não aqueles deslocamentos
radiais da população em direção ao centro.
3-3) a formação dos corredores de serviços e
comércio, seja nas vias radiais seja nas de
contorno, como espécies de centros alongados,
que competem com o velho centro e
pressupõem uso amplo do transporte individual.
4-4) a criação de secções ou zonas funcionais nas
grandes cidades ­ fora do centro tradicional
mas beneficiadas por acesso - com
concentração de serviços, como saúde,
finanças, seguros, consultorias, imobiliárias,
escritórios de firmas em geral, transportadoras,
serviços etc.
Resposta: VVVVV
Justificativa:
0-0) , 1-1), 2-2), 3-3) e 4-4): Todas as sentenças são
corretas. As cinco sentenças apontam fatos ou
formas espaciais associadas à urbanização nas
últimas décadas.

05. Sobre a Urbanização e a Industrialização no Brasil,
pode-se afirmar que:
0-0) a Região Norte do Brasil é uma região onde a
população rural é maior que a urbana, uma vez
que contém muita extração madeireira,
colonização familiar e formação de novas
explorações rurais, sendo a produção industrial
e os serviços, irrelevantes.
1-1) a política industrial de substituição de
importações, nos anos de 1950 e 1960, permitiu
que, mesmo diante da forte emigração no
campo e do crescimento populacional alto, o
país pudesse oferecer chances de emprego à
população brasileira.
2-2) o PIB industrial do Estado de São Paulo - e do
Brasil - concentra-se na região metropolitana
paulista; e estudos recentes não identificam
nenhuma reversão nesta tendência de
localização (região metropolitana de SP),
inclusive, no setor da indústria automobilística.
3-3) o processo geral da Urbanização no Brasil
apresenta pouquíssima relação causal com a
Industrialização no país, a julgar pelo
crescimento, nos últimos anos, da população
nas sedes dos pequenos municípios dominados
pelo emprego informal e mal remunerado.

4-4) entre as Macro-Regiões do Brasil, a Região
Sudeste, em torno de 1950, foi aquela em que
primeiro a população urbana ultrapassou a
população rural. Para o Brasil, no seu conjunto,
isto ocorreu nos anos de 1960.
Resposta: FVFFV
Justificativa:
0-0) Falsa. Pois há forte presença industrial global na
Zona Franca de Manaus, e os serviços públicos e
privados apresentam rápido crescimento nas
últimas décadas em toda a Macro-Região. A
população urbana, que desde os anos de 1940
se mantinha em equivalência com a população
rural, ultrapassa-a a partir dos anos de 1980.
1-1) Verdadeira. Pois a mortalidade havia declinado,
mas a natalidade não tanto, especialmente no
campo, e isto associado a um grande êxodo rural;
no entanto, a criação de numerosas firmas ­ e
seus efeitos indiretos sobre outras firmas dos
diferentes setores - dentro do processo de
industrialização
por
substituição,
permitiu
incorporação produtiva de amplas massas de
trabalhadores.
2-2) Falsa.
Pois

claro
processo
de
desconcentração em direção ao interior paulista,
e ao Sudeste em geral, principalmente no setor
automobilístico (RS, PR, RJ e mesmo Bahia, no
NE).
3-3) Falsa. Pois a associação entre os dois processos
gerais ­ nos anos de 1950 e 1960 - é clara.
4-4) Verdadeira. Pois revela o deslanche da
industrialização associada à urbanização, cujo
core ou centro propulsor foi São Paulo, na MacroRegião Sudeste.

06. O estudo das relações entre as Sociedades e os
Ambientes tem sido uma preocupação central na
Geografia. Em torno deste assunto, pode-se afirmar
que:
0-0) a Caatinga no Nordeste e as Florestas da
Amazônia, antes da colonização européia, não
apresentavam alterações culturais, uma vez
que `povos naturais' viviam um comunismo
primitivo de perfeito equilíbrio com a natureza e
compartilhando, sem conflitos, seus generosos
produtos, não afetando a distribuição das
plantas por coleta seletiva ou emprego do fogo.
1-1) a Industrialização, a Urbanização e o complexo
dos fenômenos espaciais que lhes são
associados produziram, sobre as condições
ambientais do planeta, o maior impacto
antrópico já registrado na história da
humanidade.
2-2) embora, no capítulo da sua soberania, um país
admita que a relação da sua População com o
seu Território é uma questão interna, não há
como desconhecer que temas, como o
aquecimento global, o controle nuclear, o
controle epidemiológico, a preservação dos
biomas e o manejo de águas, exigem uma
escala global de apreciação.

3-3) as interferências produzidas pela pesquisa nos
organismos, dado a escala em que operam, são
irrelevantes para a questão ambiental; essa
questão refere-se a eventos amplos e
importantes,
tais
como
as
condições
atmosféricas, o vasto desmatamento, a
alteração no nível geral dos mares, a ameaça
nuclear etc.
4-4) as alterações que a humanidade tem provocado
na vegetação desencadearam uma série de
processos sobre o relevo do solo (estabilidade
de encostas), o clima (carga de CO2, albedo
etc.), o solo (ciclo de nutrientes, estrutura etc.),
a água (evapotranspiração, drenagem etc.) e a
fauna; o grande foco temático dos estudos
ambientais contemporâneos em Geografia
dirige-se a estes processos e resultados.
Resposta: FVVFV
Justificativa:
0-0) Falsa. Pois o uso do fogo era amplo e havia
coleta de plantas e animais, o que alterava a
distribuição dos mesmos. Os grupos competiam
por recursos com outros grupos, inclusive através
das guerras.
1-1) Verdadeira. Pois a extensão e a profundidade
das
alterações
causadas
pela
Industrialização/Urbanização não têm paralelo
nos eventos anteriores registrados na história da
humanidade.
2-2) Verdadeira. Uma vez que são fenômenos de
natureza planetária ­ em causas e efeitos.
3-3) Falsa. Ainda que, em geral, pesquisas genéticas
nas plantas, por exemplo, podem, como no caso
da soja/cerrado, desencadear amplas extensões
de cultivo sobre solos desmatados.
4-4) Verdadeira. Pois este é o foco contemporâneo
central das pesquisas em Geografia Física ou
Ambiental.

07. As zonas de beira-mar, nos ambientes tropicais e
subtropicais, se têm constituído em importantes
faixas da ocupação humana, desde os meados do
século 20, especialmente nas últimas décadas. O
processo é mais ou menos antigo ou intenso, de
acordo com o país ou a região. Esta tendência
territorial dos assentamentos humanos:
0-0) é no Brasil uma herança colonial; a expansão
portuguesa, sendo Portugal um país de franco
acesso à navegação, tinha no Brasil uma clara
orientação geográfica por ocupar restingas,
áreas de manguezais, tabuleiros costeiros ou
zonas de colinas à beira-mar, e não penetrar
pelo interior, ao longo dos vales, para
estabelecer agricultura e criação.
1-1) tem sido mais acentuada na proximidade das
grandes cidades, como espécie de extensão
delas e resultado das demandas das suas
populações por lazer e residência.
2-2) resulta
exclusivamente
das
vantajosas
propriedades físico-ambientais das praias e das
águas, e não de uma mudança na apreciação
cultural dos elementos da natureza, pelos
consumidores, no mercado imobiliário, e de
lazer.

3-3) forma, como no caso de Recife a Maceió, um
longo cordão litorâneo de assentamentos
urbanos ou destinações turísticas.
4-4) no caso do turismo hoteleiro, revela
semelhanças nas iniciativas entre secções
territoriais de passado colonial, tais como o
Caribe e o litoral do Nordeste do Brasil, na
busca de novas inserções econômicas no
modelo centro-periferia.
Resposta: FVFVV
Justificativa:
0-0) Falsa. Pois as áreas de grande interesse e
destinação demográfica coloniais eram os vales
dos rios e as zonas agricultáveis e de pastos,
levando ao afastamento da beira-mar. Além disto,
em eventos como invasões, ataques de piratas
etc., isto começava pela praia, sendo
considerada área perigosa.
1-1) Verdadeira, O que se evidencia pela forma muito
estirada ao longo da costa, no caso das cidades
à beira-mar.
2-2) Falsa. Pois as tais propriedades existiam desde o
período colonial e não criaram a demanda. A
demanda resulta de mudanças culturais e
econômicas.
3-3) Verdadeira. Pois, entre as duas cidades, ao longo
do litoral, há uma notável estruturação de
assentamentos turísticos, que representam uma
forma de urbanização.
4-4) Verdadeira. Pois se trata do desenvolvimento dos
serviços
turísticos
dentro
de
áreas
tradicionalmente rurais e de plantações, como
esforço para se criar novas alternativas de
investimento, renda e emprego; o modelo é
centro-periferia porque o ritmo dos investimentos
em infra-estruturas e equipamentos ­ e o
essencial da demanda por serviços turísticos ­
são externos à região, dependendo de
financiamentos de organismos internacionais e
com dominante presença de operadoras e
investidores de escala extra-regional de
operação.

08. Quanto à abordagem geográfica no estudo da
População Humana, entende-se que:

0-0) as Densidades Demográficas são medidas
matemáticas, de modo que os valores que elas
apresentam, após o cálculo da População
dividida pela Superfície ou Área em estudo,
autorizam o geógrafo a dizer que a Densidade é
alta, média ou baixa, sendo irrelevante, por
exemplo, o caráter cultural da população, a
maneira mais ou menos intensiva do uso do
território, o padrão tecnológico da sociedade, o
tipo de atividade econômica ou a destinação do
solo dominante e o objetivo do estudo da
densidade.
1-1) a Taxa Bruta de Mortalidade (TBM) é a relação
entre o Total de Óbitos ocorridos durante um
ano calendário e a População Total, numa
determinada área. Ela expressa o risco de
morte dos indivíduos, durante o ano para o qual
foi calculada e é afetada pelas condições do
Espaço Geográfico.

2-2) a População é considerada basicamente em si,
atribuindo-se
apenas
uma
importância
secundária às condições socioculturais e
econômico-ambientais, nas suas influências
sobre os padrões de migração, natalidade,
fecundidade etc., desta população.
3-3) zonas de ativas frentes pioneiras agrícolas e
madeireiras
tendem
a
apresentar
predominância da população masculina sobre a
população feminina.
4-4) as grandes diferenças na expectativa de vida,
ao nascer, que existem entre os brasileiros são
fortemente derivadas das diferenças regionais
no Brasil; as menores expectativas de vida
encontram-se no Nordeste e no Norte do país.
Resposta: FVFVV
Justificativa:
0-0) Falsa. Pois a consideração do nível da densidade
­ baixa, média ou alta - é relativa às realidades
efetivas do espaço geográfico em foco e aos
interesses e objetivos do observador.
1-1) Verdadeira. Uma vez que a Taxa de Mortalidade
é probabilística, e a mortalidade ­ e a taxa que a
mede ­ são afetadas por renda, nível
educacional, condições sanitárias, eventos (como
guerras), que são conteúdos do espaço
geográfico.
2-2) Falsa. Pois a preocupação central dos estudos de
geografia da população reside na identificação
das relações entre o espaço geográfico e as
variáveis populacionais.
3-3) Verdadeira. Uma vez que as tarefas aí
demandadas
são
caracteristicamente
desempenhadas por homens.
4-4) Verdadeira. Pois são as diferenças regionais
brasileiras de renda, nível educacional, oferta de
serviços de saúde e saneamento etc. que ajudam
a esclarecer as diferenças na expectativa de vida
ao longo do território brasileiro.

09. A Bacia do São Francisco possui uma área da ordem
de 639.000 km², na qual vivem milhões de pessoas.
A extensão desse importante rio é de 2.700km.
Atualmente, o São Francisco vem sendo objeto de
muita polêmica. Sobre esse assunto, é correto
afirmar que:
0-0) o São Francisco se desloca, em todo seu
percurso, de oeste para leste, atravessando
diferentes domínios morfoclimáticos.
1-1) o São Francisco é um rio notadamente de
planície, mas com regime fluvial do tipo semiárido.
2-2) o projeto de transposição do São Francisco
prevê a construção de dois canais: um na
direção norte, que abastecerá os Estados do
Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba e
Pernambuco, e outro, na direção leste.
3-3) o Alto São Francisco, que compreende o trecho
que vai de Paulo Afonso até a Foz, entre
Sergipe
e
Alagoas,
desenvolve-se,
predominantemente, em áreas de florestas e
cerrados.

4-4) o declínio da navegação fluvial do São
Francisco
tem
como
origem:
causas
ambientais, falta de manutenção da hidrovia e
sucateamento da frota.
Resposta: FFVFV
Justificativa:
0-0) Falsa. A maior parte do percurso do São
Francisco se dá de Sul para Norte.
1-1) Falsa. O São Francisco é um rio tipicamente de
planalto.
2-2) Verdadeira. O polêmico projeto de transposição
do São Francisco prevê a criação de dois
importantes canais.
3-3) Falsa. O Alto São Francisco se estende de São
Roque de Minas até Pirapora.
4-4) Verdadeira. O declínio da navegação do São
Francisco decorre do aumento da erosão nas
margens, do assoreamento do leito, da falta de
manutenção da hidrovia e do sucateamento da
frota.

10. Observe atentamente a figura a seguir. Sobre a
morfoescultura desenvolvida no corpo líquido, é
correto dizer que:

Corpo líquido

Embasamento rochoso
0-0) se trata de uma feição de relevo, onde a erosão
prevalece sobre a deposição sedimentar.
1-1) a gênese dessa morfoescultura restringe-se a
ambientes lacustres de média extensão.
2-2) a morfoescultura representada é uma feição
deltaica, que resultou de uma acumulação
fluvial.
3-3) a deposição sedimentar é motivada pela rápida
redução da velocidade que as correntes fluviais
experimentam ao encontrar o corpo líquido.
4-4) no Brasil, em face das condições climáticas e
geomorfológicas costeiras dominantes, inexiste
esse tipo de morfoescultura.
Resposta: FFVVF
Justificativa:
0-0) Falsa. Nessa morfoescultura, a deposição
predomina sobre a erosão.
1-1) Falsa. Essa morfoescultura se origina em
ambientes lacustres e marinhos, também.
2-2) Verdadeira. O desenho representa um delta.
3-3) Verdadeira. Os rios, ao encontrarem o corpo
líquido, perdem velocidade e abandonam a carga
sedimentar transportada.
4-4) Falsa. No Brasil, existem vários deltas
holocênicos, como, por exemplo, o delta do
Parnaíba, do Paraíba do Sul, do São Francisco
etc.

11. As afirmativas a seguir abordam certos aspectos
relacionados às rochas encontradas na crosta
terrestre. Analise-as.
0-0) As rochas que afloram na superfície terrestre
não apresentam sempre o mesmo aspecto; isso
decorre da ação dos seguintes fatores: origem,
composição química, textura e estrutura das
rochas.
1-1) As rochas vulcânicas, ao contrário das
sedimentares, caracterizam-se pela abundância
de poros e de fósseis, pois se formam na
superfície da crosta terrestre.
2-2) O granito é a mais comum das rochas
intrusivas;
caracteriza-se
pela
textura
desorientada e granulação grossa. No Brasil, os
granitos surgem em terrenos dos Escudos précambrianos
3-3) As ocorrências de rochas basálticas, em várias
regiões brasileiras, testemunham fases de
vulcanismo, de diferentes idades, que se
verificaram no País, em face da complexa
dinâmica crustal.
4-4) As rochas sedimentares clásticas ou detríticas
são aquelas que resultam da precipitação de
determinados compostos químicos, como, por
exemplo, carbonatos, sílica e outros.
Resposta:VFVVF
Justificativa:
0-0) Verdadeira. As rochas se diferenciam sobretudo
por origem, textura, composição química e
estrutura.
1-1) Falsa. As rochas vulcânicas não apresentam
poros nem fósseis.
2-2) Verdadeira. O granito é uma das mais comuns
rochas intrusivas. Aparecem com freqüência nos
terrenos pré-cambrianos brasileiros e possuem
textura desorientada e granulação grossa.
3-3) Verdadeira As rochas vulcânicas encontradas no
Brasil testemunham fases de vulcanismo, de
diferentes idades, que aconteceram no País.
4-4) Falsa. A definição dada na alternativa refere-se
às rochas sedimentares químicas e não às
clásticas ou detríticas.

12. Entre as conseqüências mais graves das várias
formas de contaminação da atmosfera terrestre, em
escala mundial, figuram as seguintes:
0-0) acidificação dos lagos.
1-1) destruição da cobertura vegetal em face dos
depósitos ácidos e do smog regional.
2-2) contaminação das cadeias alimentares vitais na
Terra por produtos químicos tóxicos.
3-3) reaquecimento climático, devido ao incremento
das conseqüências dos gases de efeito estufa.
4-4) diminuição da camada de ozônio.
Resposta:VVVVV
Justificativa:
Todas
as
alternativas
são
consideradas
conseqüências sérias das diversas maneiras de
contaminação da atmosfera do planeta.

13. Examine o mapa apresentado abaixo. As setas
indicam a direção geral dos ventos num certo
período do ano. Sobre esse assunto, analise as
afirmativas a seguir.

1

2

0-0) A área 1 notabiliza-se pelo estabelecimento
freqüente de um anticiclone.
1-1) Na área 1, os climas são desérticos porque o ar
é convergente e ascendente.
2-2) A área 2 corresponde ao sistema atmosférico
denominado
Zona
de
Convergência
Intertropical.
3-3) A posição ocupada pela área 2 indica que é
inverno no Hemisfério Sul.
4-4) O sistema atmosférico 1 nunca atinge a Europa,
em face das interferências do sistema
montanhoso conhecido como Grande Atlas.
Resposta: VFVFF
Justificativa:
0-0) Verdadeira. A área 1 é permanentemente
submetida a um centro anticiclônico.
1-1) Falsa. Na área 1, os climas são desérticos
porque o ar é subsidente e divergente.
2-2) Verdadeira. A área 2 indica a posição da Zona de
Convergência Intertropical ( ZCIT)
3-3) Falsa. A posição da ZCIT indica que é verão ou
outono no Hemisfério Sul. No inverno, a posição
média da ZCIT é mais ao norte do Equador
geográfico.
4-4) Falsa. O sistema atmosférico 1 (a massa Tépida
Saariana) atinge, sim, a Europa, provocando
ondas de calor.

14. As

afirmativas
a
seguir
caracterizam
geograficamente a Eurásia. Analise-as.
0-0) Da
posição
geográfica do
continente,
combinada com a distância dos oceanos e
mares, correntes marinhas e condições de
relevo, decorrem numerosas áreas climáticas
na Eurásia.
1-1) Tanto na Escandinávia como nos Alpes e
Pirineus, encontram-se formas de relevo típicas
da ação de geleiras, tais como vales em "U",
lagos e circos glaciais.

2-2) Durante séculos, os povos da Ásia viveram
isolados de outras civilizações. Os contatos
com os europeus eram muito raros e bastante
localizados.
3-3) A floresta boreal ocupa uma vasta área do
território asiático, sobretudo na China e
Bangladesh, em decorrência da elevada
umidade atmosférica e dos baixos índices de
evapotranspiração.
4-4) Juntamente com a instabilidade social e os
conflitos entre grupos étnicos, um outro fato
intensifica as contradições da sociedade
indiana, que é a existência do sistema de
castas.
Resposta: VVVFV
Justificativa:
0-0) Verdadeira. A diversidade de climas da Eurásia
decorre, entre outros, dos fatores mencionados
na afirmativa.
1-1) Verdadeira. Nas áreas mencionadas, existem
muitos indícios da ação das geleiras, que agiram
na área, sobretudo durante o Quaternário.
2-2) Verdadeira. Os contatos dos asiáticos, até o
século XV, com os europeus, por exemplo,
limitavam-se principalmente ao Oriente Médio.
3-3) Falsa. A floresta boreal não domina nas áreas
mencionadas e, sim, em faixas de latitudes bem
mais ao norte, principalmente na Sibéria.
4-4) Verdadeira. A existência do sistema de castas
revela as intensas contradições da sociedade da
Índia.

15. Sobre os regimes de chuvas e os climas do Nordeste
brasileiro, é correto afirmar que:
0-0) a região apresenta uma certa homogeneidade
nos regimes de chuvas e uma considerável
heterogeneidade no regime térmico.
1-1) a Frente Polar Atlântica, quando atinge o
Nordeste, particularmente o Sertão do Pajeú e
do São Francisco, no inverno, provoca pesados
aguaceiros convectivos.
2-2) em termos de expansão média, a Zona de
Convergência Intertropical recobre todo o
Maranhão e todo o Piauí, em cujas porções
meridionais concorre com os suprimentos da
massa Equatorial Continental, no verão.
3-3) os condicionamentos topográficos, no semiárido nordestino, regem diversos graus de
intensidade das secas em áreas vizinhas.
4-4) no Nordeste Oriental, as precipitações da Zona
de Convergência Intertropical se somam, no
outono, às chuvas provocadas por um sistema
atmosférico tropical, denominado Ondas de
Leste.
Resposta: FFVVV
Justificativa:
0-0) Falsa. O Nordeste apresenta uma notável
heterogeneidade pluviométrica e uma certa
homogeneidade no quadro térmico.
1-1) Falsa. A Frente Polar Atlântica raramente atinge
o Sertão do São Francisco e o Sertão do Pajeú.
Não provoca aguaceiros convectivos, mas,
aguaceiros frontais.
2-2) Verdadeira. A ZCIT atinge as áreas referidas e

concorre com as chuvas que são provocadas
pela EC, durante o verão.
3-3) Verdadeira. O relevo contribui para que, em
certas áreas, particularmente na depressão
sertaneja, as secas sejam mais intensas.
4-4) Verdadeira. Na parte oriental do Nordeste, as
chuvas de outono são provocadas pela ZCIT e
pelas Ondas de Leste.

16. Os solos constituem um fator geográfico de grande
importância. Sua fertilidade e suas características
particulares determinam os diversos tipos de
produtos alimentares que podem ser obtidos numa
determinada região. Sobre esse tema, é correto dizer
que:
0-0) a textura do solo refere-se ao tamanho das
partículas
que
o
compõem.
É
uma
característica importante porque determina em
grande parte a retenção de água.
1-1) o termo "perfil de solo" é empregado, em
Geografia, para designar apenas a disposição
das diferentes faixas de cores do solo.
2-2) os solos de "terra-roxa", que, no Brasil,
desempenharam um papel destacado no "ciclo
do café", resultam da alteração química de
rochas areníticas e calcárias.
3-3) a atividade química na formação do solo
aumenta com o acréscimo da temperatura
ambiental e se reduz com a diminuição desta.
4-4) nos climas secos, a evaporação excede a
precipitação e, devido à capilaridade, a água de
saturação do solo ascende e evapora, deixando
sais.
Resposta: VFFVV
Justificativa:
0-0) Verdadeira. A textura do solo corresponde ao
tamanho de suas partículas e determina a
retenção de água.
1-1) Falsa. O termo "perfil de solo" designa não
apenas as faixas de cores do solo, mas a
disposição deste em camadas ou horizontes de
diferentes texturas e consistências.
2-2) Falsa. Os solos chamados popularmente de
"terra-roxa"
desenvolvem-se
em
rochas
vulcânicas, como o basalto.
3-3) Verdadeira. A atividade química na formação do
solo é diretamente proporcional à temperatura do
ar do ambiente.
4-4) Verdadeira. A formação de crostas salinas nos
solos de ambientes secos se dá segundo a
explicação apresentada na afirmativa.