GEOGRAFIA

FUNDAMENTOS TEÓRICOS DA DISCIPLINA
As diretrizes curriculares da disciplina da geografia adotaram para objeto de estudo
da geografia, o espaço geográfico que é composto pelo lugar, paisagem, região, território,
natureza, sociedade, entre outros. O espaço geográfico é produzido e apropriado pela
sociedade, composto por objetos e ações inter-relacionados.
Cabe à geografia preparar o aluno para uma leitura crítica da produção social do
espaço e à escola subsidiar os alunos no enriquecimento e sistematização dos saberes
para que estes sejam sujeitos capazes de interpretar, com olhar crítico, o mundo que os
cerca. Ao professor cabe a postura investigativa e de pesquisa evitando visão receptiva e
reprodutiva do mundo, fornecendo aos alunos conhecimento específicos da geografia,
com os quais ele possa ler e interpretar criticamente o espaço, considerando as diversas
temáticas geográficas.
A relevância da geografia está no fato de que todos os acontecimentos do mundo
têm uma dimensão espacial, onde o espaço é a materialização dos tempos da vida social.
O papel do processo produtivo na construção do espaço deve possibilitar a
compreensão sócio-histórica das relações de produção capitalistas, para que reflita sobre
as questões ambientais, sociais, políticas, econômicas e culturais materializadas no
espaço geográfico.
Considerando que os alunos são agentes da construção do espaço, por isso, é
também papel da Geografia subsidiá-los para interferir conscientemente na realidade.
A Geopolítica deve possibilitar ao aluno a compreensão do espaço que ele está
inserido, a partir do entendimento da constituição e das relações estabelecidos entre os
territórios institucionais e aqueles territórios que a eles se sobrepõem como campos de
forças sociais e políticas. É necessário que os alunos compreendam as relações de
poder que os envolvem e determinam. Considerando

fundamental

para

os

estudos

geográficos no atual período histórico, atinge outros campos de conhecimento e assim
remete à necessidade de espacializá-los e especificar o olhar geográfico para o mesmo.
A concepção de meio ambiente não pode excluir a sociedade e sim compreender
que sociedade, economia, política e cultura fazem parte de processos relativos à
problemática ambiental contemporânea, sendo componente e sujeito dessa problemática.
É fundamental compreender a gênese da dinâmica da natureza , quanto a sua
transformação em função da ação humana e sua participação na constituição física do

espaço geográfico. Não se trata apenas de questões da natureza, mas ambiente pelos
aspectos sociais e econômicos passam a ser também questões da pobreza, da fome, do
preconceito e das diferenças culturais.
Permite a análise do Espaço Geográfico, sob a ótica das relações sociais e
culturais, bem como da constituição distribuição e mobilidade demográfica.
As manifestações culturais perpassam gerações, cria objetos geográficos e são
partes do espaço, registros importantes para a geografia. Deve contribuir para a
compreensão desse momento de intensa circulação de informações, mercadorias,
dinheiro, pessoas e modos de vida.
Preocupar-se com estudos da constituição demográfica das diferentes sociedades,
com as migrações que imprimem novas marcas territórios e produzem novas
territorialidade e com as relações político-econômicas que influenciam essa dinâmica.

OBJETIVOS GERAIS
·

Ler e interpretar criticamente o espaço;

·

Compreender o estudo do espaço histórico na formação das sociedades humanas;

·

Entender o funcionamento da natureza por meio da leitura do lugar, do território a

partir do espaço geográfico;
·

Perceber as relações econômicas, políticas, sociais que envolvem o mundo

globalizado;
·

Reconhecer na aparência das formas visíveis e concretas do espaço atual os

processos históricos, construídos em diferentes tempos, os processos contemporâneos
conjuntos de práticas dos diferentes agentes, que resultam em profundas mudanças na
organização e no conteúdo do espaço e aplicando no cotidiano os conceitos básicos da
Geografia.

CONTEÚDOS ESTRUTURANTES
O objetivo de estudo da Geografia para a educação básica é o espaço geográfico.
Para organização desse objeto de estudo foram organizados os conteúdos
estruturantes, que são os saberes e conhecimentos que identificam e organizam os
campos de estudos da Geografia.
Os conteúdos estruturantes relacionam-se entre si e nunca se separam.
A partir dos conteúdos estruturantes surgem os conteúdos específicos.

Os conteúdos Estruturantes são:
·

Dimensão econômica do espaço geográfico;

·

Dimensão política do espaço geográfico;

·

Dimensão socioambiental do espaço geográfico;

·

Dimensão cultural e demográfica do espaço geográfico.
Enfatizar a apropriação do meio natural pelo homem, criando uma rede de

transferência e circulação de mercadorias, pessoas, informações e capitais é o enfoque a
ser dado para os alunos do Ensino Fundamental. Considerando que esses alunos são
agentes da construção do espaço.
Para o Ensino Médio, o enfoque dos

conteúdos estruturantes pode ser

considerado como análise para entender como se constituir o espaço geográfico,
possibilitado a compreensão sócio-histórica das relações de produção capitalistas, para
refletir sobre as questões ambientais.

·

Dimensão econômica do espaço geográfico;

Se articula com os demais conteúdos estruturantes, pois a apropriação da natureza e sua
transformação em produtos para o consumo humano envolvem as sociedades em
relações geopolíticas, ambientais e culturais, fortemente direconadas por interesses
socioecômicos locais, regionais, nacionais e globais.

·

Dimensão política do espaço geográfico;

Engloba os interesses relativos aos territórios e as relações de poder, que os envolvem. É
o conteúdo estruturante originalmente constitutivo de um dos principais campos do
conhecimento da Geografia.

·

Dinâmica cultural e demográfica;

A análise do espaço

geográfico

acontece a partir desse conteúdo estruturante. Os

estudos da formação demográfica das diferentes sociedades e dos aspectos culturais
contribuem para compreender a intensa circulação de informações, mercadorias, dinheiro,
pessoas e modos de vida.
Deve acontecer a abordagem dos conteúdos envolvendo a temática de história e
cultura afro-brasileira e africana nas diferentes séries do Ensino Fundamental e Médio,
em qualquer conteúdo estruturante, de acordo com a Lei 10.639/03.

CONTEÚDOS BÁSICOS
6º ano
·

Formação e transformação das paisagens naturais e culturais;

·

Dinâmica da natureza e sua alteração pelo emprego de tecnologias de exploração e

produção;
·

A formação, localização e exploração dos recursos naturais;

·

A distribuição espacial das atividades produtivas, a transformação da paisagem, a

(re)organização do espaço geográfico;
·

As relações entre campo e a cidade na sociedade capitalista ;

·

A mobilidade populacional e as manifestações socioespaciais da diversidade cultural;

·

A evolução demográfica, a distribuição espacial da população e os indicadores

estatísticos;
·

As diversas regionalizações do espaço geográfico.
7º ano

·

Formação território brasileira;

·

A formação, mobilidade das fronteiras e a reconfiguração do território brasileiro;

·

A dinâmica da natureza e sua alteração pelo emprego de tecnologias de exploração e

produção;
·

As diversas regionalizações do espaço brasileiro;

·

A mobilidade populacional e as manifestação socioespaciais da diversidade cultural;

·

A evolução demográfica da população, sua distribuição espacial e indicadores

estatísticos;
·

Movimentos migratórios e suas motivações;

·

O espaço rural e a modernização da agricultura;

·
·

Os movimentos sociais, urbanos e rurais, e a apropriação do espaço;
O formação, o crescimento das cidades, a dinâmica dos espaços urbanos e a

urbanização;
·

A distribuição espacial das atividades produtivas, a (re)organização do espaço

geográfico;
·

A circulação de mão- de- obra, das mercadorias e das informações.
8º ano

·

As diversas regionalizações do espaço geográfico;

·

A formação, mobilidade das fronteiras e a reconfiguração dos territórios do continente

americano;
·
·
·
·

A nova ordem mundial, os territórios supranacionais e o papel do Estado;
O comércio em suas implicações socioespaciais;
A circulação de mão-de-obra, do capital, das mercadorias e informações;
A distribuição espacial das atividades produtivas, a (re)organização do espaço

geográfico;
·

As relações entre o campo e a cidade na sociedade capitalista;

·

O espaço rural e a modernização da agricultura ;

·

A evolução demográfica da população, sua distribuição espacial e os indicadores

estatísticos;
·

Os movimentos migratórios e suas motivações;

·

A mobilidade populacional e as manifestações socioespaciais da diversidade cultural;

·

A formação, a localização, exploração dos recursos naturais.
9º ano

·

As diversas regionalizações do espaço geográfico;

·

A nova ordem mundial, os territórios supranacionais e o papel do Estado;

·

A revolução tecnico-científico-informacional e os novos arranjos no espaço da

produção;
·

O comércio mundial e as implicações socioespaciais;

·

A formação, mobilidade das fronteiras e a reconfiguração territórios;

·

A evolução demográfica da população, sua distribuição espacial e os indicadores

estatísticos;
·

A mobilidade populacional e as manifestações sociespaciais da diversidade cultural;

·

Os movimentos migratórios mundiais e suas motivações;

·

A distribuição das atividades produtivas, a

transformação da paisagem e a

(re)organização do espaço geográfico;
·
·

A formação, localização, exploração dos recursos naturais;
A dinâmica da natureza e sua alteração pelo emprego de tecnologias de exploração e

produção;
·

O espaço em rede: produção, transporte e comunicações na atual configuração

territorial.

METODOLOGIA
De acordo com as diretrizes curriculares para o ensino de geografia, os conteúdos
estruturantes devem ser abordados de forma crítica e dinâmica de maneira que a teoria,
prática e a realidade estejam interligados em coerência com os fundamentos teóricometodológicos.
Para o desenvolvimento do trabalho pedagógico de geografia, torna-se necessário
compreender o espaço geográfico e seus conceitos básicos e as relações sócioespeciais nas diferentes escalas (local, regional e global).
Esses conteúdos devem ser aplicados para o desenvolvimento do trabalho
pedagógico da disciplina para compreensão nas diferentes escalas geográficas.
No processo de construção

do conhecimento e análise de categorias serão

realizadas problematizações, análise de textos e imagens, mapas, músicas, manifestos,
vídeos, documentários, trabalhos de campo, entre outros.
Ainda poderão ser utilizadas análise e interpretação de tabelas e gráficos,
produção de esquemas, quadros comparativos, painéis, cartazes, levantamento de
informações e pesquisas em diversos fontes, como recursos para a confirmação da ação
pedagógica.
Os conteúdos específicos poderão ser desenvolvidos considerando os enfoques:
Dimensão Socioambiental, a Dinâmica Cultural e Demográfica, Dimensão Econômica da
Produção do /no espaço e a Geopolítica.
Atendendo as leis nº 10,639/03 e lei nº 11,645/08 que tratam respectivamente
sobre História Cultura Afro-brasileira e Cultura Indígena o trabalho será voltado em levar o
educando a compreender as contribuições que ambas as culturas trouxeram a formação
da cultura do povo brasileiro e a colaboração na atual organização espacial do território
brasileiro.
O tema

Meio

ambiente

estará

constantemente

presente

nas atividades

pedagógicas tanto devido a dimensão socioambiental quanto a localização geográfica do
colégio, que possibilita um enriquecimento no debate sobre as questões ambientais.
A Educação Tributária e Fiscal estará atrelada ao trabalho com os conteúdos
específicos da disciplina. Sendo também a metodologia usada para trabalhar com os
Programas Socioeducacionais (Enfrentamento à Violência na Escola, Prevenção ao uso
indevido de Drogas e Sexualidade, incluindo Gênero e Diversidade Sexual), tais
metodologias estarão plenamente descrita no Plano de Trabalho docente do professor.
Por outro lado, é importante destacar a aula de campo como prática metodológica
e a cartografia como recurso didático que assume abordagem diferenciada e concordante

com a perspectiva teórico-metodológica assumida pelo professor.

AVALIAÇÃO
A avaliação é parte do processo pedagógico e para tanto deve acompanhar a
aprendizagem do aluno e nortear o trabalho do professor. É fundamental que a avaliação
seja mais do que a definição de uma nota de um conceito. É necessário que seja contínua
e que priorize a qualidade e o processo de aprendizagem, além de diagnosticar falhas no
processo ensino aprendizagem para que a intervenção pedagógica aconteça.
A avaliação deverá ser realizada por meio de diversos recursos e instrumentos
visando a contemplação das diversas formas de expressão do aluno como a leitura e
interpretação de textos, fotos, imagens, gráficos, tabelas, mapas ,produção de maquetes,
murais, desenhos , textos , pesquisas em diversos fontes, apresentação de sentimentos
de seminários, relatórios de aulas de campo e outras atividades, além da participação e
avaliação formal oral e escrita. Os instrumentos serão selecionados de acordo com cada
conteúdo e objetivo de ensino. Sempre valorizando a construção de conceitos de
entendimento sócio espacial.
Acreditamos que através de todos esses instrumentos de avaliações estaremos
atendendo uma diversidade de aprendizados e orportunizando

a construção do

conhecimento visando desenvolver o aluno de forma ampla contribuindo assim para a sua
formação social, crítica, participava e responsável.
Durante o processo avaliativa, se detectada alguma deficiência na aprendizagem
deverá ser oportunizado ao aluno sempre que este demonstrar necessidade por não ter
compreendido e/ou assimilado aos conteúdos estudados, retomando inclusive avaliações
e notas.

BIBLIOGRAFIA
·

ANDRADE, M. C. De Geografia ciência da sociedade. São Paulo: Atlas,1987.

·

BARBOSA, J. L. A Geografia na sala de aula. São Paulo: Contexto,1992.

·

CHRISTOFOLETTI, A . (ORG.). Perspectivas da Geografia. São Paulo:

Difel,1992.
·

CORREA, R. L. Região e organização espacial. São Paulo: Àtica, 1986.

·

MENDONÇA, F. Geografia sócio-ambiental. In: Revista Terra livre, nº16.

·

AGB Nacional, 2001,p.113.

·

MORAES, A . C. R. Geografia ­ Pequena História Crítica. São Paulo:
Hucitec, 1987.

·

Geografia Crítica ­ A valorização do Espaço. São Paulo: Hucitec, 1984.

·

IDEOLOGIAS GEOGRAFICAS. São Paulo: Hucitec,1991

·

PARANÁ, Secretaria de Estado Da Educação. Departamento de Ensino

Fundamental. Diretrizes Curriculares para o Ensino Médio de Ensino de Geografia.
Curitiba: SEED/DEM,2006.
·

PEREIRA, R.M.F. Do A . Da Geografia que se ensina à gênese da geografia

moderna. Florianópolis. Editora UFSC, 1989.
·

SANTOS, M. Por uma outra globalização. Rio de Janeiro: Record, 2000. Por

uma geografia nova. São Paulo:Hucitec,1986.