81

8. PROPOSTA PEDAGÓGICA CURRICULAR DE GEOGRAFIA
ENSINO FUNDAMENTAL E ENSINO MÉDIO
8.1 APRESENTAÇÃO
A Geografia é entendida como uma ciência social que estuda o Espaço
Geográfico, devendo ser compreendida através das relações entre espaço-tempo,
poder, sociedade-natureza/ homem-natureza, relações estas, mediadas pelo
trabalho e pela técnica.
Desde os primórdios existe uma dependência muito forte entre o homem e a
natureza, o que justifica a preocupação em conhecer o espaço a sua volta para
depois dominá-lo.
O conhecimento geográfico tem seu início há séculos, quando o homem
busca representar com detalhes os espaços, devido aos interesses militares de
conquista e expansão e interesses mercantis (rotas marítimas, lugares, etc.).
Os saberes geográficos, nesse processo histórico, passaram a serem
evidenciados nas discussões filosóficas, econômicas e políticas, que
buscaram explicar questões referentes ao
espaço e a sociedade. Temas
como: comércio, formas de poder, organização do Estado,
produtividade
natural do solo, recursos minerais, crescimento populacional, formas de
representação de territórios, extensões territoriais eram preocupações dos
grandes impérios (DCES, 2006 p.16).

A Geografia na antiguidade foi fundamental na expansão marítima europeia,
utilizada como uma ferramenta para a descrição e representação dos lugares,
permitia que as metrópoles expandissem seus domínios sobre novos territórios para
exploração.
Conforme as Diretrizes Curriculares (2008), a Geografia na antiguidade
avançou na elaboração dos saberes geográficos ampliando os conhecimentos sobre
as relações sociedade natureza. Na Idade Média o pensamento geográfico foi
influenciado pela visão de mundo imposta pelo poder e pela organização
socioespacial.
Desta forma, resultou em estudos que subsidiaram o surgimento das escolas
nacionais de pensamento geográfico, entre elas a alemã e a francesa, que conforme
as DCEs(2008), afirma:

82

...o pensamento geográfico da escola alemã, teve como precursores
Humboldt(1769-1859) e Ritter(1779-1859), mas Ratzel (1844-1904) é
apontado como fundador da Geografia sistematizada, institucionalizada e
conciderada cientifica. A escola francesa de pensamento geográfico teve
como principal representante Vidal de La Blache (1845-1918)...(Diretrizes

Curriculares do Estado do Paraná, 2008, pg 248).
As expedições também contribuíram significativamente para o surgimento de
várias sociedades geográficas, espalhadas pelas metrópoles europeias e estas por
sua vez, subsidiaram o surgimento das escolas alemãs e francesas sobre o
pensamento geográfico. Esta sistematização do conhecimento geográfico marcou
presença nas universidades européias do século XIX, no Brasil isso acontece mais
tarde. (MORAES, 1987)
A partir da década de 1930, a Geografia no Brasil, obteve o status científico
com a criação do primeiro curso a nível universitário na USP - Universidade do
Estado de São Paulo e da Associação de Geógrafos Brasileiros ­ AGB. A
necessidade de dominar, conhecer e expandir os interesses do capital, leva à
criação do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística ­ IBGE, com o objetivo de
mensurar a construção do espaço brasileiro. (MORAES, 1987)
Podemos considerar que até o ano de 1970, os livros didáticos de Geografia,
traziam o conteúdo como descritivo, fragmentado, sem considerar a realidade, não
representando os problemas do mundo aos nossos educandos. (MORAES, 1987)
Com o advento da Geografia Crítica no final da década de 1970, registra-se
uma nova corrente nos estudos geográficos, oriunda da inspiração dialética ou
marxista, resultante das discussões metodológicas e ideológicas da Geografia,
provocadas principalmente pelo texto de Yves Lacoste, "A Geografia serve, antes de
tudo, para fazer a guerra", e pelo retorno ao Brasil de Milton Santos com seu
trabalho "Por uma Geografia Nova", publicado em 1978. Para Oliveira (1989), estas
obras formaram o material básico, a partir dos quais passou - se a repensar a
Geografia, e com ele a repensar o Brasil. Já nos anos de 1980, a Geografia ganha
novos horizontes, vai além da descrição e da análise superficial para a leitura crítica
dos fatos.
A contemporaneidade impulsiona a Geografia, na busca de uma análise do
conjunto das relações que atuam no processo de construção do Espaço Geográfico.
Assim na atualidade objetivamos uma Geografia que permita ao nosso educando,
uma visão de mundo e das forças que agem e configuram diferentes territórios,

83

podendo interagir e interferir como cidadão ativo e atuante na busca de
transformações na sociedade, como afirma Oliveira (1989), É preciso fazer uma
Geografia comprometida com os interesses sociais.
A Geografia é uma ciência social que tem como objeto de estudo o Espaço
Geográfico e que deve ser compreendida através de seus conceitos básicos de
sociedade, natureza, território, região, paisagem e lugar.
Assim, a Geografia da pós-modernidade exige uma leitura do mundo, que
garanta aos alunos o entendimento de sua posição no conjunto das relações
sociedade/natureza, do como e porque, de suas ações coletivas ou individuais na
construção do Espaço Geográfico.
A Geografia enquanto disciplina escolar deve levar o aluno a entender a
estruturação e a organização do espaço, como as sociedades evoluíram
historicamente,

usufruíram

os

recursos

disponíveis,

transformaram-se

e

organizaram-se na base territorial, utilizando-se do trabalho e da evolução técnica a
partir de interesses e contradições.
Para entender estas contradições e as inter-relações que ocorrem no Espaço
Geográfico, a disciplina propõe um trabalho pedagógico, no qual os conteúdos
estarão embasados em quatro eixos estruturantes, divididos por série e por
trimestre, presentes do Ensino Fundamental ao Médio, que são: Dimensão
Econômica do Espaço Geográfico, Dimensão Política do Espaço Geográfico,
Dimensão Socioambiental do Espaço Geográfico e a Dimensão Cultural e
Demográfica do Espaço Geográfico, conforme sugere as DCE'S (2009).
A proposta curricular de Geografia visa atender a diversidade, assim, o
trabalho pedagógico partirá do senso comum, para o conhecimento sistematizado,
utilizando-se dos conteúdos específicos, de forma contextualizada para que haja
maior assimilação dos saberes.
Nosso compromisso com o ensino da ciência geográfica é de oportunizar aos
nossos educandos a capacidade de ler, analisar e interpretar o Espaço Geográfico,
para que possam ser agentes na busca de um mundo melhor.
Assim espera-se que ao concluir o Ensino Fundamental, o aluno tenha
noções dos conceitos geográficos sobre os continentes, os países e os elementos
físicos e humanos, objetos e ações que os compõem (DCE, 2006, p.44) e ao
concluir o Ensino Médio o aluno possa abordar os conteúdos específicos de maneira
a articular aspectos naturais, econômicos, sociais, políticos e culturais, nas diversas

84

escalas geográficas e nas relações urbano-rurais (DCE,2006 p. 44).

8.2 CONTEÚDOS BÁSICOS

8.2.1 ENSINO FUNDAMENTAL
6ºANO

Estruturantes

1º trimestre

-Dimensão

-As

econômica

2º trimestre
diversas -

do regionalizações

-Dimensão

Formação

transformação

A

formação, - As relações entre

do localização,

espaço geográfico espaço geográfico.
-

3º trimestre
campo e cidade na

exploração e utilização sociedade
e dos recursos naturais. capitalista.

das -

A

distribuição -

Política do Espaço paisagens naturais espacial
Geográfico

e culturais.

-Dimensão

-

atividades

Dinâmica

socioambiental do natureza

e

A

evolução

das demográfica,

a

produtivas distribuição

da e a (re)organização do espacial

da

sua espaço geográfico.

população

espaço geográfico alteração

pelo

indicadores

-Dimensão cultural emprego

de

estatísticos.

e demográfica do tecnologias

de

-A

espaço geográfico exploração

e

produção.

e

os

mobilidade

populacional e as
manifestações
socioespaciais
diversidade
cultural.

7º ANO

da

85

Estruturantes

1º trimestre

-Dimensão

-A

econômica

2º trimestre

formação, -

do mobilidade

manifestações -

das socioespaciais

espaço geográfico fronteiras
-Dimensão

As

e

reconfiguração

a diversidade

As

-A

cultural atividades

diversas demográfica

-Dimensão

regionalizações do população,

-Dimensão cultural natureza

e

e demográfica do alteração

a - A formação, o

da os

sua estatísticos.

a

dinâmica

dos

Movimentos espaços urbanos e
e

suas a urbanização.

de motivações.

exploração

-A

circulação

e - O espaço rural e a mão-de-obra,

produção.

das

indicadores cidades,

de migratórios

tecnologias

a

da espaço geográfico.

distribuição espacial e crescimento

pelo -

espaço geográfico emprego

das

evolução (re)organização do

-

dinâmica

distribuição

produtivas,

Geográfico

socioambiental do espaço geográfico.

A

da espacial

do brasileira

Política do Espaço território brasileiro.

espaço geográfico -A

3º trimestre

modernização

de
das

da mercadorias e das

agricultura.

informações.

8º ANO

Estruturantes

1º trimestre

-Dimensão

-

2º trimestre

As

diversas - A distribuição espacial -O espaço rural e

econômica do regionalizações

do das

espaço

espaço geográfico.

geográfico

-

-Dimensão

mobilidade

Política

A

3º trimestre
atividades a

produtivas,

a da agricultura.

formação, (re)organização

do fronteiras

do -

das espaço geográfico.
e

reconfiguração

dos implicações

Geográfico

territórios do continente socioespaciais.

-Dimensão

americano.

As

relações

entre o campo e

a - O comércio e suas a

Espaço

modernização

cidade

sociedade
capitalista.

- A circulação de mão- -

A

evolução

socioambiental - Formação, localização, de-obra, do capital, das demográfica
do

espaço exploração e utilização mercadorias

geográfico

dos recursos naturais.

informações.

na

e

das população,
distribuição

da
sua

86

-Dimensão
cultural

-

Nova

Ordem -

As

manifestações espacial

e Mundial, os territórios socioespaciais

demográfica
do

A

supranacionais

e

e

os

da indicadores

o diversidade cultural.

estatísticos.

espaço papel do Estado.

- Os movimentos

geográfico

migratórios

e

suas motivações.
9ºANO

Estruturantes
-Dimensão

1º trimestre
-As

2º trimestre

diversas -

econômica do regionalizações
espaço

técnico- -

espaço da produção.
-A
mobilidade

Espaço

reconfiguração

Geográfico

territórios.

-Dimensão

-A

espacial

e

a as
-A

Nova

distribuição

das manifestações

e

o paisagem

da diversidade
e

-Dimensão

- O espaço em rede: espaço geográfico.

(re)organização

e produção, transporte e -A

dinâmica

comunicações na atual natureza

espaço configuração territorial.

geográfico

os

Ordem atividades produtivas, a socioespaciais da

papel do Estado.

do

e

-As

geográfico

demográfica

sua

implicações estatísticos.

dos socioespaciais.

espaço supranacionais

cultural

da

das - O comércio mundial e indicadores

socioambiental Mundial, os territórios transformação
do

evolução

distribuição

formação,

do fronteiras

A

e os novos arranjos no população,

geográfico

Política

Ver.

do cientifica-informacional demográfica

espaço geográfico.

-Dimensão

A

3º trimestre

e

a cultural.
do - Os movimentos
migratórios
da mundiais e suas
sua motivações.

alteração pelo emprego
de

tecnologias

de

exploração e produção.
ENSINO MÉDIO
1º ANO

87

Estruturantes
1º Bimestre
-Dimensão econômica do -A
formação

2º Bimestre
e As

espaço geográfico

transformação

- Dimensão

paisagens. A formação, espaço.

Política

do

de regionalizações

Espaço localização, exploração e -O

Geográfico

utilização

dos

-Dimensão

cultural

demográfica

do

espaço

recursos produção,

-Dimensão socioambiental naturais.
do espaço geográfico

diversas
do
em

rede:

transporte

comunicações

na

atual

- A dinâmica da natureza configuração territorial.
e e

sua

alteração

pelo -O

espaço

rural

e

espaço emprego de tecnologias modernização

geográfico

e

a
da

de exploração e produção. agricultura. - As diversas
-A

distribuição

espacial regionalizações

do

das atividades produtivas espaço.
e a (re)organização do espaço geográfico.

As

implicações

socioespaciais

do

processo

de

mundialização.

2º ANO
Estruturantes
1º Bimestre
2º Bimestre
-Dimensão econômica do - Formação, mobilidade -A
formação,
espaço geográfico

das

- Dimensão

reconfiguração

Política

do

fronteiras

e

-

urbanos e a urbanização

As

diversas recente.

-Dimensão socioambiental regionalizações
do espaço geográfico
-Dimensão

cultural

demográfica

do

geográfico

do -O

espaço.

espaço

rural

e

modernização

e Formação,

espaço exploração

a
da

localização, agricultura.
e

utilização - O espaço em rede:

dos recursos naturais.-O

a crescimento das cidades,
dos a dinâmica dos espaços

Espaço territórios.

Geográfico

o

comércio

e

produção,

transporte

as comunicações

na

atual

implicações

configuração territorial.

socioespaciais.

-

A

e

evolução

88

-As

relações

entre

o demográfica,a distribuição

campo e a cidade na espacial da população e
sociedade capitalista.
-Os

os

indicadores

movimentos estatísticos.

migratórios

e

suas -As

motivações.

implicações

socioespaciais

do

processo

de

mundialização.
3º ANO
Estruturantes
1º Bimestre
2º Bimestre
-Dimensão econômica do - Formação, mobilidade -A distribuição
espaço geográfico

das

-Dimensão

reconfiguração

Política

do

fronteiras

a das atividades produtivas
dos e a (re)organização do

Espaço territórios.

Geográfico

espaço geográfico.

- A Nova Ordem Mundial, - A Revolução técnico-

-Dimensão socioambiental os
do espaço geográfico
-Dimensão

cultural

demográfica

do

geográfico

e

espacial

territórios científica-informacional

supranacionais e o papel os
e do Estado.

espaço -As

novos

arranjos

e
no

espaço da produção.

implicações

sócio -o

comércio

e

as

espaciais do processo de implicações
mundialização.
-

As

socioespaciais.
diversas -O

regionalizações

do produção,

espaço.
-As

relações

entre

sociedade capitalista.
A

em

formação,

rede:

transporte

comunicações

na

e

atual

o configuração territorial.

campo e a cidade na -

espaço

A

evolução

demográfica,a distribuição
o espacial da população e

crescimento das cidades, os

indicadores

a dinâmica dos espaços estatísticos.
urbanos e a urbanização recente.

Os

migratórios

movimentos
e

suas

89

-A circulação de mão-de- motivações.
obra,

do

mercadorias

capital,
e

das -

As

manifestações

das socioespaciais

informações.

da

diversidade cultural

8.3 ENCAMINHAMENTOS METODOLÓGICOS
Para que se garanta o êxito pedagógico no ensino da Geografia torna-se
necessário a utilização de diferentes estratégias, tais como: a problematização, a
contextualização e a instrumentalização dos conteúdos.
Ao apresentar os conteúdos, recomenda-se que o professor crie
situações problemas, instigando e provocando os alunos para a reflexão e a
discussão das temáticas. Neste sentido, contextualizar é mais do que relacionar o
conteúdo à realidade vivida do aluno, é, principalmente, situá-lo historicamente, nas
relações políticas, sociais, econômicas, culturais, em manifestações espaciais
concretas, nas diversas escalas geográficas, como afirmam as DCE'S,( 2009, p.76).
Na sequência sugere-se que o professor conduza o processo de ensinoaprendizagem, questionando, dialogando com as classes, possibilitando a interação
e a troca de conhecimentos, e por último propicie o aprofundamento científico, para
que os alunos possam formar conceitos mais complexos sobre o Espaço
Geográfico, ampliem suas capacidades de análise e atuem positivamente sobre o
mesmo, tornando-se cada vez mais capaz de atuar como sujeitos de seu espaçotempo.
Os conteúdos estruturantes são os eixos curriculares, que identificam o
campo de estudo da Geografia e os conteúdos específicos seus alicerces,
garantindo uma abordagem complexa do objeto de estudo da disciplina, o Espaço
Geográfico. Os conteúdos estruturantes serão o ponto de partida e de chegada para
a seleção e organização dos assuntos abordados em cada série/ano, porém, não
acontecerá uma separação nas abordagens, pois as dimensões econômica,
política, socioambiental, cultural e demográfica do espaço geográfico.
Os conteúdos específicos dentro das dimensões estruturantes perpassam
todo o ensino Fundamental e Médio e, estão interligados na construção conceitual e

90

no entendimento das Ciências Geográficas. É preciso destacar ainda, que os
conteúdos estruturantes estão em permanente relação uns com os outros e que
eles, nunca se separam. No PPC- Proposta Pedagógica Curricular, os conteúdos
específicos se organizam a partir de cada conteúdo estruturante, como estratégia de
ensino. É possível enfatizar a abordagem de um deles de forma linear, porém, a
articulação entre um ou mais eixos é fundamental para que o aluno compreenda os
conceitos geográficos e o objeto de estudo da Geografia.
Os conteúdos específicos devem ser trabalhados e garantidos no
trimestre, porém, a seqüência e a metodologia utilizada, vai depender do Plano
Docente do Professor responsável pela disciplina. Desta forma, os conteúdos devem
ser abordados de forma contextual e integrados de acordo com a dimensão que se
quer trabalhar e os objetivos pré-estabelecidos.
A Cartografia deverá ser contemplada em todas as séries, iniciando pelo
processo de alfabetização cartográfica, durante o Ensino Fundamental e evoluindo
para que, no final do Ensino Médio os alunos possam estar correlacionando duas
cartas temáticas simples,ou seja, mapas que apresentem temas específicos da
Geografia. O domínio da linguagem cartográfica possibilita a leitura, a análise e a
interpretação do Espaço Geográfico, bem como, a espacialização dos fenômenos e
sua decodificação. "Não existe Geografia sem Cartografia". Assim, como a
Geografia do Paraná, também não deve aparecer de forma isolada na proposta
curricular, deve ser trabalhada esta escala geográfica sempre que possível. O
importante não é o aluno receber dados/informações somente sobre o Paraná, mas
compreender que esta escala geográfica influencia e/ou é influenciada por outros
espaços, ou seja, trabalhando do local para o global.

8.4 AVALIAÇÃO
Para a realização do processo avaliativo o professor deverá se organizar,
especialmente na elaboração do seu Plano de trabalho Docente, deixando claro os
critérios, à serem investigados e as possíveis formas de revisão de falhas
pedagógicas, de modo a não perder o foco do objeto da disciplina ­ o Espaço

91

Geográfico, suas diferentes escalas, seus conceitos e as suas inter-relações.
Segundo as DCE'S de Geografia, o professor tem atribuições importantes
no decorrer do dia a dia:
O professor deve observar, se os alunos formaram conceitos geográficos e
assimilaram as relações de poder, de espaço-tempo e de sociedade
-natureza indispensáveis na compreensão do espaço nas diferentes escalas
geográficas. Para isso, destacam-se como os principais critérios de
avaliação em Geografia a formação dos conceitos geográficos básicos e o
entendimento das relações socioespaciais para compreensão e intervenção
na realidade. O professor deve observar se os alunos formaram os
conceitos geográficos e assimilaram as relações Espaço Temporais e
Sociedade Natureza para compreender o espaço nas diversas escalas
geográficas. (DCE'S, 2009 p.86)

Assim, para a realização do processo avaliativo é preciso ter elaborado o
Plano de trabalho Docente, deixando claro os critérios, à serem investigados e as
possíveis formas de revisão de falhas pedagógicas, de modo a não perder o foco de
nosso objeto ­ o Espaço Geográfico, suas diferentes escalas, seus conceitos e as
suas inter-relações.
A avaliação será diagnóstica, contínua e priorizará a qualidade e o
processo de aprendizagem, ou seja, o desempenho do aluno ao longo do ano letivo.
O professor deverá usar instrumentos de avaliação que contemplem várias formas
de expressão dos alunos, tais como: leitura e interpretação de textos, fotos, imagens
gráficos, tabelas e mapas, pesquisas bibliográficas, relatórios de aulas de campo,
apresentação de seminários, construção e análise de maquetes e ainda, provas
escritas ou orais.
Deverá dar ênfase no processo de ensino, observando que os alunos
possuem ritmos diferenciados de aprendizagem, portanto, é necessário oportunizar
aos alunos com dificuldades a retomada dos conteúdos - Recuperação Paralela e
conforme o Projeto Político Pedagógico e o Regimento Escolar do colégio, esta
poderá ocorrer através de revisões do conteúdo e com metodologias diferenciadas,
trabalhos em grupo ou nova avaliação que pode ser: escrita ou oral, coletiva ou
individual.
Os critérios de avaliação e a recuperação paralela dos conteúdos serão
realizados em consonância com a organização curricular previamente definidos no
Plano de Trabalho Docente, e de forma que sejam assegurados a aprendizagem dos

92

alunos contemplando diferentes metodologias.
Os resultados das atividades avaliativas e da recuperação paralelas serão
analisadas durante o processo, observando e registrando os avanços e as
necessidades detectadas, estabelecendo novas ações pedagógicas.

8.5 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
CASTROGIOVANI, A. C.; CALLAI, H. C.; SCHAFFER, N. O.; KAERCHER, N. A.
Geografia em sala de aula. Editora UFRGS, 4ªedição, AGB- Seção Porto
Alegre,2003.
FRANCISCO BELTRÃO, Colégio Estadual Mário de Andrade - EFM. Projeto
Político Pedagógico. Francisco Beltrão, 2008.
FRANCISCO BELTRÃO. Colégio Estadual Mário de Andrade - EFM. Regimento
Escolar. Francisco Beltrão, 2007.
MORAES, A.C.R. Geografia: Pequena História Crítica. São Paulo: Hucitec, 1987.
OLIVEIRA, A.U. Para Onde vai o Ensino de Geografia? São Paulo: Contexto,
1989.
PARANÁ, Secretaria de Estado da Educação. Diretrizes Curriculares de
Geografia para o Ensino Fundamental. Curitiba: SEED, 2006.
PARANÁ, Secretaria de Estado da Educação. Diretrizes Curriculares de
Geografia para o Ensino Médio. Curitiba:SEED, 2009.
SANTOS, M. Por Uma Geografia Nova. São Paulo: Hucitec, 1986.