1

Programação

Dezembro
Janeiro 2018
2015

informações
Telefone: 11 3254-5600
Para saber mais sobre
o CPF Sesc e acompanhar a
programação, acesse o site:
sescsp.org.br/cpf
Inscrições a partir do dia 19/12,
às 14h, pelo site do CPF Sesc ou
nas Unidades do Sesc São Paulo.
Cancelamentos podem ser feitos em
até 48 horas antes da atividade, nas
Unidades do Sesc São Paulo, ou através
do e-mail [email protected]
sescsp.org.br

Funcionamento
Segunda a sexta, das 10h
às 22h. Sábados, das 9h30
às 18h30.
Importante
Para frequentar os espaços
do CPF Sesc é necessário
apresentar um documento
com foto na entrada do
prédio da FecomércioSP
para o cadastro na recepção.
As declarações podem ser solicitadas
por e-mail informando nome completo
do participante e da atividade para
[email protected]

Legenda de preços
Trabalhador do comércio
de bens, serviços e turismo
credenciado no Sesc e
seus dependentes.
Aposentado, pessoa
com mais de 60 anos, pessoa
com deficiência, estudante
e servidor da escola pública
com comprovante.

2

O Sesc ­ Serviço Social do Comércio é uma
instituição de caráter privado, sem fins lucrativos
e de âmbito nacional. Foi criado em 1946, por
iniciativa do empresariado do comércio de bens,
serviços e turismo, que o mantém e administra.
A ação do Sesc é fruto de um projeto cultural e
educativo que trouxe, desde sua criação, a marca
da inovação social. Ao longo dos anos, o Sesc
introduziu novos modelos de ação e sublinhou,
na década de 1980, a cultura como pressuposto
para a transformação social. A concretização desse
propósito se deu por uma atuação no campo da
cultura e suas diferentes manifestações, voltada a
diferentes públicos, faixas etárias e estratos sociais.
Ampliando o compromisso da instituição no campo
da cultura, e compreendendo a educação como uma
ação permanente, o Sesc implantou em agosto de
2012 o CPF Sesc, que se constitui como um espaço
articulado entre produção de conhecimento, formação
e difusão. Contribui, assim, para propiciar trânsitos
e trocas entre o saber fazer da instituição, os dados,
informações e pesquisas existentes, e as temáticas
permanentes, transversais e emergentes envolvendo
educação e cultura.
O CPF Sesc é composto por três núcleos: o Núcleo
de Pesquisas, que se dedica à produção de bases
de dados, diagnósticos e estudos em torno das ações
culturais e dos públicos. O Núcleo de Formação,
que promove encontros, palestras, oficinas e cursos.
O Núcleo de Difusão, que se volta para o lançamento
de trabalhos nacionais e internacionais que ofereçam
subsídios à formação de gestores e pesquisadores.

Foto capa
Atividade: Fotografia de paisagem natural e urbana
Foto: Mauricio Simonetti

3

Sumário

08 Em Debate: Paisagens culturais,
criação e destruição
Reflexões, experiências e práticas sobre o contemporâneo
Permacultura urbana: novas formas de habitar a paisagem
A ilustração científica e a configuração
da paisagem de São Paulo
Política da paisagem: estratégias, instrumentos e conflitos
Capitalismo e Colapso Ambiental
Rubens Matuck - paisagens de leste a oeste
Fotografia de paisagem natural e urbana
Desenho de observação do paisagismo urbano
As áreas verdes e outras áreas protegidas no contexto da metrópole
O Sertão na Canção: paisagens de Guimarães Rosa

18 AUTOGRAFIAS
Lançamento de livros e encontro com autores.
Uma história de amor improvável em meio à Guerra da Síria
Bolsa Família, questões de gênero e moralidades
Harmonização no Piano Popular
Brutos e políticos: a humanidade nas "Décadas da Ásia"
Bens culturais e Relações Internacionais

22 CONTEXTOS
Atividades relacionadas ao campo da cultura:
política pública de cultura, diversidade, identidade, economia da
cultura, economia criativa, dentre outras.
Práticas de Escrita Acadêmica
Pensadoras clássicas: feminismo e política nos séculos XVIII e XIX
Henrique Cazes: estudando o cavaquinho

4

Hilda Hilst: presente
Rotas literárias de São Paulo
O sobrenatural na cultura e nas artes japonesas
Sesc Verão: Oficina Caminhabilidade e Mobilidade Urbana
Sesc Verão: O caminhar contemplativo
Nelson Rodrigues e o teatro musical brasileiro
Como formar e gerir cineclubes
Introdução à dramaturgia
O livro de arte para crianças: história e reflexão
Música medieval: cultura e notação antiga
Aspectos do feminino em contos de Machado de Assis
Poder, Sexualidade e Performatividade de gênero
História do Fotojornalismo
O livro da vez: É isto um homem? de Primo Levi
Filmando com equipamentos portáteis
Direitos Humanos e diálogo intercultural na Turquia
A indústria fonográfica através de discos de 78 RPM (SP)
Da repressão ao reconhecimento precário: história do movimento LGBT
no Brasil
Uma outra história da música do século 20
Curadoria em Arte Contemporânea
Música e cuidado em saúde
Espelho das Montanhas
Arquiteturas que ensinam: Arquitetura escolar e educação
Alambique Maria Izabel: tradição e sustentabilidade
Heitor Villa-Lobos em três tempos falha no sistema

42 Em primeira pessoa
Conversa com profissionais sobre temas do campo da cultura.
Pedro Bandeira e a literatura infanto-juvenil
Pedro Luís e seus poliblocos
Carla Camurati

5

44 EXPERIÊNCIAS ESTÉTICAS
Apreciações de linguagens artísticas com reflexões teóricas,
proporcionando diálogos entre a obra de arte e o público.
BIO

45 PERSPECTIVAS
Abordagens sobre temas e questões do campo da cultura.
Tópicos de Arqueologia

46 PESQUISA EM FOCO
Apresentação de bases de dados, estudos, mapeamentos e
investigações relacionadas ao campo da cultura.
As dinâmicas do mercado das coproduções cinematográficas entre
Brasil e França
Quem discute educação na cobertura jornalística sobre avaliações?
A sobrevivência das imagens: Escultura e marcas gráficas na arte afro-brasileira
Identidades na contemporaneidade: performances e redes sociais

49 Encontros Sesc Memórias
Encontros sobre temas das áreas de arquivo e patrimônio, história
e memória.
Teorias da Memória e História Oral

50 Gestão Cultural
Cursos, pa lestras, seminários e laboratórios de qualificação para a
gestão no campo da cultura e das artes.
Produção Cultural para jovens: Inspirador 1.2
Gestão financeira de organizações culturais

6

Acessibilidade

Condições especiais de atendimento, como
tradução em Libras, devem ser informadas
por e-mail ou telefone, com até 48 horas de
antecedência do início da atividade.
[email protected]
11 3254-5600
7

Em Debate: Paisagens culturais,
criação e destruição
Reflexões, experiências e práticas sobre o contemporâneo

O conceito de paisagem cultural engloba aspectos materiais e
imateriais e as interações entre o ser humano e o meio-ambiente. Foi
adotado pela UNESCO a partir de 1992 e o Iphan, em 2009, chancelou
como instrumento de preservação por meio da Portaria nº 127. Define-se
como uma porção do território nacional, que representa a interação do
ser humano com o meio natural. Podem ser espaços naturais, ocupados
ou construídos, assim como os modos econômicos, culturais e sociais
de habitar esse espaço.
Nosso objetivo com essa temática é refletir sobre as paisagens
culturais, especialmente no Brasil, a partir da interação entre o ser
humano e o meio natural. Interação que se dá pela permanência de
atividades sociais e econômicas que contribuem para a preservação
de determinadas paisagens, pela criação de outras formas de habitar,
assim como pelas interferências humanas que destroem as paisagens.
As experiências artísticas que se relacionam com esta temática
extrapolam o universo de reflexão das paisagens culturais, mas, ao
mesmo tempo, contribuem com um processo mais amplo de relação,
percepção e proposição de novas paisagens.
Esse debate também é oportuno no mês em que a cidade de São Paulo
faz 464 anos, completando uma trajetória de quase 500 anos de muita
criação e muita destruição de paisagens.

8

Crédito: Jai - Casa Ecoativa

Permacultura urbana:
novas formas de habitar a paisagem

Dias 8 e 5/2, segundas, das 14h às 16h.
R$80,00; R$40,00 ; R$24,00

As cidades tornaram-se grandes adensamentos populacionais, mas na
época em que foram criadas não se pensou nas consequências deste
modelo para a vegetação, as águas, os solos e as relações humanas.
Esse curso tem o objetivo de refletir acerca de alternativas criadas para
diminuir o impacto das pessoas na cidade.
Neste percurso, além de discussões em grupo, visitaremos três
espaços: a "Morada da Floresta" localizada no Jardim Peri Peri na
zona Oeste de São Paulo; a "Casa do Alpendre" localizada no Jardim
Rolinópolis também na Zona Oeste e por fim a "Casa Ecoativa"
localizada no extremo sul de São Paulo no Distrito do Grajaú.
Almoço incluído em todas as visitas.
Com Estela Cunha Criscuolo, formada em geografia pela PUC-SP, hoje
graduanda em Pedagogia pelo Instituto Singularidades. Atua como
educadora em projetos socioambientais.
Com Morada da Floresta, desenvolvimento de projetos, soluções e
tecnologias socioambientais para a diminuição de resíduos no Brasil e
atividades voltadas à educação e conscientização ambiental.
Com Casa Ecoativa, projeto localizado dentro da APA - Bororé-Colônia
na Ilha do Bororé. A iniciativa foi criada por moradores do extremo sul
de São Paulo com a finalidade de promover agroecologia, bioconstrução
e atividades ulturais.
Com Casa do Alpendre, coletivo de pessoas que buscam por em
prática os princípios da permacultura urbana, agroecologia e economia
solidária nas suas relações de consumo e troca através da autogestão.

9

Crédito: Paulo Pretsi

A ilustração científica e a configuração
da paisagem de São Paulo

De 10/1 a 7/2, quartas, das 14h às 17h.
R$60,00; R$30,00 ; R$18,00

A ilustração científica (IC) costuma ser definida como a intersecção
entre a ciência e a arte, a qual deve ser correta cientificamente e
bonita artisticamente. Neste curso veremos a base da IC, assim
como exemplos de técnicas e aplicações. Em especial focaremos na
técnica de aquarela para a representação botânica, passando por uma
apresentação da configuração da paisagem da cidade de São Paulo. O
curso também abordará o estudo de luz, sombra, forma, proporção e
perspectiva do modelo biológico.
Com Paulo Presti, biólogo formado pela USP, espaço onde foi cofundador
do Núcleo de Ilustração Científica em 2012. Trabalha com ilustração
científica desde 2011 e é especialista em ilustrações com grafite,
pontilhismo, aquarela e lápis de cor. Desde 2014 vem ministrando
cursos sobre ilustração científica.

10

Crédito: Rafael Winter

Política da paisagem: estratégias,
instrumentos e conflitos

De 16 a 19/1, terça a sexta, das 14h às 17h.
R$60,00; R$30,00 ; R$18,00

O curso trata de recentes estratégias de captura do conceito de
paisagem em políticas públicas, tais como a tipologia de Paisagem
Cultural e a abordagem de Paisagem Urbana Histórica, ambas da
Unesco. Tradições de pensamento relacionadas à paisagem envolvidas,
possibilidade e limites dos instrumentos, suas relações com a natureza,
o urbano e diferentes grupos sociais, avanços e possíveis conflitos,
compõem a dinâmica daquilo que chamamos de Política da Paisagem.
Com Rafael Winter Ribeiro, geógrafo, doutor em Geografia pela UFRJ
e Université de Pau et des Pays de l'Adour. Professor do PPGG/UFRJ
e do Mestrado Profissional em Preservação do Patrimônio Cultural do
IPHAN. Membro do Icomos, atuou na candidatura do Rio de Janeiro a
Patrimônio Mundial da Unesco e seu plano de gestão.

11

Crédito: Capa do livro

Capitalismo e Colapso Ambiental

Dia 17/1, quarta, das 19h às 21h.
Grátis

Nesta obra, o autor apresenta sua tese sobre o colapso ambiental
e social que a expansão do capitalismo proporciona. Mudanças
climáticas, deterioração da biosfera, regressão da democracia com
a concentração do poder político e econômico nas mãos de grandes
corporações são algumas das expressões dessa trajetória que será
discutida neste encontro.
Com Luiz Marques, professor livre-docente do Departamento de
História do IFCH /Unicamp. Pela editora da Unicamp, publicou
"Giorgio Vasari", "Vida de Michelangelo (1568)", e "Capitalismo e
Colapso ambiental". Coordena a coleção "Palavra da Arte", dedicada
às fontes da historiografia artística, e participa com outros colegas
do coletivo Crisálida, Crises SocioAmbientais Labor Interdisciplinar
Debate & Atualização

12

Crédito: Acervo pessoal

Rubens Matuck - paisagens de leste a oeste

Dia 22/1, segunda, das 14h às 18h.
R$15,00; R$7,50 ; R$4,50

Rubens Matuck apresenta sua formação e experiências artísticas,
relacionando conceitos de paisagem com aspectos da história da arte,
assim como, com os processos e materiais utilizados em seu trabalho e
em viagens realizadas pelo Brasil e exterior. O artista demonstra alguns
procedimentos e técnicas de pintura e convida o público a experimentar
as mais utilizadas em suas obras.
Com Rubens Matuck, artista plástico e professor. Teve formação artística
com Aldemir Martins, Marcelo Grassman, Simon Mao, Tai Hsuan An,
Sansom Flexor, Renina Katz, Flavio Motta e Otavio Araujo. Dentre as
exposições realizadas no Brasil e no exterior destacam-se: "Amazônia
na Bienal de São Paulo" (2007) e a mostra "Tudo é Semente no Sesc
Interlagos" (2015), que reuniu 40 anos de sua produção artística.

13

Credito: Mauricio Simonetti

Fotografia de paisagem natural e urbana

De 23/1 a 6/2, terças, das 19h às 21h30.
Dia 3/2, sábado, das 14h às 16h30.
R$60,00; R$30,00 ; R$18,00

O curso apresenta os passos para a construção de uma reportagem
fotográfica sobre um lugar de interesse paisagístico relevante, seja rural
ou urbano, visando à organização do tempo e recursos mobilizados pelo
fotógrafo. É composto de quatro encontros, sendo dois encontros de
conteúdos teóricos, uma saída fotográfica que será realizada em 03/02
e um último encontro dedicado à teoria e prática de edição fotográfica.
23/01 - Preparação do trabalho e comportamento da luz.
30/01 - Composição, equipamento, fotografando na chuva .
03/02 - Produzindo uma reportagem fotográfica.
06/02 - Fluxo digital, metadados e edição.
Com Maurício Simonetti, fotojornalista e fotógrafo documental
independente. Iniciou sua carreira na Agência F4 e trabalhou para as
revistas Veja e Isto É. Ao longo de sua carreira dedicou-se a pesquisas
fotográficas do meio ambiente e paisagens urbanas.

14

Crédito: Lauro Monteiro

Desenho de observação
do paisagismo urbano

Dias 24 e 26/1, quarta e sexta, das 10h às 13h
Dias 24 e 26/1, quarta e sexta, das 10h às 13h.
Dias 25 e 27/1, quinta e sábado, das 10h às 14h.
R$60,00; R$30,00 ; R$18,00

Por meio do desenho de observação, esta atividade propõe abrir uma
discussão e reflexão, principalmente da relação dos espaços verdes com
a cidade, que na sua origem, são da Mata Atlântica, mas com o passar
do tempo, espécies invasoras foram se adaptando a estes espaços.
Serão apresentadas noções básicas de desenho de observação; luz
e sombra, perspectiva; representação gráfica de plantas e árvores e
técnicas do uso do grafite, de como colorir o desenho usando aquarela,
marcadores ou lápis de cor, os encontros serão em sala de aula e ao
ar livre, num passeio que vai da Praça 14 Bis ao Parque Trianon na
Avenida Paulista.
Com Lauro Monteiro, artista plástico e trabalha com várias técnicas,
como ilustração, colagem e pintura, tendo o desenho como base
fundamental de sua pesquisa artística, é gestor cultural e curador de
arte, tendo realizado, ao longo dos anos, exposições em diversos locais
do Brasil e principalmente em Portugal.

15

Crédito: Divulgação

As áreas verdes e outras áreas protegidas
no contexto da metrópole

De 30/1 a 2/2, terça a sexta, das 14h às 16h.
R$60,00; R$30,00 ; R$18,00

O curso apresentará o conceito e o histórico da criação de áreas verdes
protegidas no Brasil, especialmente na cidade de São Paulo. Mostrará
como estes espaços foram criados inspirados em modelos europeus e
quais seus impactos para o ordenamento territorial urbano.
Para ilustrar o conteúdo apresentado ocorrerá uma visita técnica
ao Parque Trianon na Avenida Paulista, verificando os desafios na
gestão de uma área verde protegida e como conciliar a preservação
das espécies nativas e convívio com as espécies exóticas, também
chamadas de plantas invasoras.
Com Erika Guimarães, mestre em Ciência pela USP e bióloga formada
pela UFMS. Atua há 20 anos em projetos de conservação da natureza
com foco em corredores de biodiversidade, criação e gestão de áreas
protegidas. Autora do livro BiodiverCidade - desafios e oportunidades na
gestão de áreas protegidas urbanas (IPE/Matrix), atualmente é gerente
de áreas protegidas da Fundação SOS Mata Atlântica.

16

Crédito: Caddah

O Sertão na Canção: paisagens
de Guimarães Rosa

Dia 27/1, sábado, das 16h às 18h.
Grátis
Sinopse cantada do Romance "Grande Sertão: Veredas", com canções
originais de Jean e Paulo Garfunkel, permeadas por trechos da
narração da obra. Uma homenagem ao cinquentenário da morte de
João Guimarães Rosa (50 anos sem Guimarães). O Sertão na Canção é
uma viagem pelas paisagens de Guimarães Rosa através dos atalhos
da oralidade e da canção brasileira, traços essenciais de nossa
identidade cultural.
Com Joana e Jean Garfunkel, criadores do projeto Canto Livro une
música e literatura em diversos shows temáticos inspirados na
obra de autores consagrados, numa experiência viva que instiga e
sensibiliza o leitor.

17

AUTOGRAFIAS
Lançamento de livros e encontro com autores.

Crédito: Claudia Carvalho

Uma história de amor improvável em meio
à Guerra da Síria

Dia 26/01, sexta,

das 19h às 21h.
Grátis.

O livro "Lua de Mel em Kobane" conta a história de dois sírios que
estavam refugiados na Rússia e na Turquia, apaixonaram-se pela
internet e resolveram voltar para seu país. Quando Kobane, a cidade
onde eles iam morar, foi invadida pelo Estado Islâmico, eles resolveram
ficar para ajudar, e sobreviveram ao cerco. A autora Patrícia de Campos
Mello conta a história da guerra contra o Estado Islâmico na Síria,
através do olhar de um casal de refugiados.
Com Patrícia Campos Mello, repórter especial e colunista da Folha
de SP. Esteve em quase 50 países fazendo reportagens. É formada
em Jornalismo pela USP e tem mestrado em Business and Economic
Reporting pela Universidade de Nova York.

18

Crédito: Capa do livro

Bolsa Família, questões de gênero
e moralidades

Dia 13/1, sábado,

das 15h às 18h.
Grátis.

O tema da pobreza é bastante amplo, o que enseja múltiplas formas de
leitura, análises, interpretações, recortes e vieses teóricos diferentes.
Dentro da vasta discussão em torno deste tema, realizamos um recorte
específico sobre discursos, representações e práticas (sobretudo
morais e simbólicas) de "pobres" beneficiários e não beneficiários de
um programa brasileiro de transferência de renda - o Programa Bolsa
Família. Para tanto, realizamos um trabalho de campo sobre o cotidiano
de um grupo de "beneficiários" desse programa, em uma periferia do
estado do Rio de Janeiro.
Com Mani Tebet Marins, professora do Departamento de Ciências
Sociais da UFRRJ. Doutora em Sociologia pelo Programa de PósGraduação em Sociologia e Antropologia da UFRJ. Mestre em Sociologia
pelo Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia da
UFRJ. Trabalha principalmente com as seguintes áreas temáticas:
desigualdade, educação, gênero, relações raciais e políticas públicas.

19

Crédito: Capa do livro

Harmonização no Piano Popular

Dia 16/1, terça,


das 19h30 às 21h30.
Grátis.

Como podemos desenvolver a capacidade de harmonizar melodias ao
piano? A harmonização de melodias, o estudo sistemático de cadências
harmônicas e sua praticabilidade são fundamentos essenciais na
formação de qualquer músico. A palestra apresenta uma proposta
que busca tornar possível o estudo do piano e/ou teclado em diversas
situações, no formato piano em grupo para um número maior de alunos
e em diversos ambientes musicais, seja no ensino superior, em escolas
de música ou em cursos livres de música. Ao oportunizar aos alunos
este formato coletivo, o professor transforma a aula que é uma prática
instrumental em prática de conjunto instrumental.
Com Liliana Harb Bollos, pianista, doutora em Comunicação e Semiótica
pela PUC-SP e coordenadora do curso de PPG em música popular da
FACCAMP. É autora de Harmonização no Piano Popular (Laços, 2017).

Crédito: Capa do livro

Brutos e políticos: a humanidade
nas "Décadas da Ásia"

Dia 18/1, quinta,


das 19h30 às 21h30.
Grátis.

O livro trata da presença de categorias etnocêntricas nas descrições
de fenômenos culturais não ocidentais no contexto do Renascimento
Português. Se por um lado essas categorias permitem a percepção
da coexistência de diferentes civilizações, por outro instrumentalizam
formas de violência simbólica.
Com Rubens Leonardo Panegassi, graduado, mestre e doutor em
História pela USP. Professor de História Moderna e Contemporânea
da UFV. Autor de diversos artigos e do livro "O pão e o vinho da terra:
alimentação e meditação cultural nas crônicas quinhentistas sobre o
Novo Mundo", publicado pela Alameda Editorial em 2013.
20

Crédito: Capa do livro

Bens culturais e Relações Internacionais

Dia 29/1, segunda, das 19h30 às 21h30.
Grátis.

O livro discute os impactos do poder brando (a habilidade de
influenciar os outros a fazer o que você deseja pela atração ao invés
da coerção) no mundo globalizado e como o patrimônio cultural pode
ser instrumentalizado para servir distintos objetivos econômicos,
sociais e políticos.
Com Rodrigo Christofoletti, doutor em História Política e Bens Culturais
pela FGV/ CPDOC. Professor da disciplina Patrimônio Cultural do
Departamento de História da UFJF. É pesquisador do LAPA - Laboratório
de Patrimônios Culturais - UFJF.

21

Contextos
Atividades relacionadas ao campo da cultura:
política pública de cultura, diversidade, identidade,
economia da cultura, economia criativa, dentre outras.

Crédito: Pixabay

Práticas de Escrita Acadêmica

De 8 a 31/1, segundas e quartas, das 19h às 21h30.
R$80,00; R$40,00 ; R$24,00

O curso, de caráter teórico e prático, tem como objetivo oferecer aos
participantes condições para a leitura, a análise e a produção de
diferentes gêneros textuais/discursivos de forma que possam utilizá-los
na esfera acadêmica.
Com Raquel Wohnrath, doutora em Estudos Linguísticos pela UNESP,
onde lecionou a disciplina Prática de Leitura e Produção de Textos. É
revisora de textos literários e acadêmicos.

22

Crédito: Divulgação

Pensadoras clássicas: feminismo e política
nos séculos XVIII e XIX

De 9 a 13/1, terça a sábado, das 10h às 13h.
R$60,00; R$30,00 ; R$18,00

Através dos séculos, inúmeras mulheres produziram reflexões críticas
em relação ao contexto histórico que enfrentavam, discutindo conflitos
sociais e políticos, questões econômicas, ideologias, revoluções,
mudanças sociais e transformações globais. Frequentemente elas
conectaram esses temas à posição de subordinação das mulheres
dentro de estruturas de opressão de gênero. O objetivo desse curso
é apresentar cinco autoras clássicas essenciais para compreender as
conexões entre o desenvolvimento de reflexões feministas e correntes e
movimentos políticos como o abolicionismo, o anarquismo, o socialismo,
o liberalismo, a luta antirracista e anticolonial, entre outros, abrangendo
o período do século XVIII ao XIX.
Com Marcia Rangel, doutoranda e mestra em Ciência Política pelo IESPUERJ. Graduada em Ciências Sociais pelo IFCS-UFRJ.
Com Verônica Toste Daflon, doutora em Sociologia pelo IESP-Uerj e
mestra em Sociologia pelo IUPERJ.

23

Crédito: Wikipedia

Henrique Cazes: estudando o cavaquinho

De 9 a 11/1, terça a quinta,


das 14h às 18h.
R$50,00; R$25,00 ; R$15,00

Henrique Cazes é autor do mais utilizado livro didático do
instrumento, "Escola Moderna do Cavaquinho", que completa 30
anos desde o lançamento em 1988. Nesse curso ele resume em três
dias a essência de seu método. Partindo de um olhar atento sobre
postura e qualidade de som, o curso abrange a trajetória histórica
do cavaquinho e os avanços recentes da luteria na construção de
instrumentos de melhor qualidade.
Com Henrique Cazes, cavaquinista, com ativa carreira como solista
buscando ampliar os horizontes do cavaquinho.

Crédito: Divulgação

Hilda Hilst: presente

De 9 a 30/1, terças,


das 18h30 às 20h30.
R$50,00; R$25,00 ; R$15,00

Canônica e iconoclasta, Hilda Hilst, prosadora e poeta, deixou um
vasto legado composto ao longo de quatro décadas. Neste curso será
comentada sua prosa tardia, com foco em sua trilogia obscena, além de
"Rútilo Nada".
Com Flávio Aquistapace, mediador cultural e jornalista, graduado
em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Letras
pelo Mackenzie. Autor de "Digerindo Penas", publicado pela Editora
Patuá, 2012.

24

Crédito: Peakp

Rotas literárias de São Paulo

Dias 11 e 12/1, quinta e sexta,

das 10h às 12h.
R$50,00; R$25,00 ; R$15,00

A pesquisa realizada pela autora teve como foco as rotas literárias
da cidade de São Paulo e neste minicurso promoverá olhares sobre
espaços e personagens literários da capital paulista, atravessados
pelo contexto literário e as relações com os espaços da cidade, com
evidencia para mecenas e autores modernistas. Será realizada saída
para uma das rotas literárias pesquisadas.
Com Goimar Dantas, escritora, jornalista e autora do livro Rotas
literárias de São Paulo (Editora Senac São Paulo/2014).

Crédito: Claúdio Augusto Ferreira

O sobrenatural na cultura
e nas artes japonesas

De 11/1 a 1/2, quintas,




das 19h30 às 21h30.
Exceto dia 25/1.
R$50,00; R$25,00 ; R$15,00

O curso apresentará as bases do sobrenatural japonês e a evolução
de suas representações nas mais variadas artes do Japão. Veremos
que fantasmas (yûrei) e monstros folclóricos (yôkai) há muito tempo
convivem com os japoneses em suas narrativas, pinturas, peças, filmes,
quadrinhos e animações.
Com Cláudio Augusto Ferreira, doutorando em Meios e Processos
Audiovisuais no Departamento de Cinema, Rádio e Televisão da Escola
de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo e mestre em
Letras, Literatura e Cultura Japonesa também pela USP (FFLCH/DLO).

25

Crédito: Divulgação

Sesc Verão

Oficina Caminhabilidade e Mobilidade Urbana
Dia 13/1, sábado, das 9h30 às 13h30.
Grátis

Discussões sobre a importância do caminhar para a mobilidade urbana e
os aspectos que tornam a cidade melhor para esse tipo de deslocamento.
Os participantes conhecerão o Índice Cidadão de Caminhabilidade,
ferramenta criada pela ONG SampaPé! Este índice permite avaliar de
maneira simples as condições do caminhar, fazendo sua aplicação em
seguida, durante uma caminhada pelas ruas do entorno do Sesc no Bairro
da Bela Vista.
Com Leticia Sabino, Mestre em Planejamento de Cidades e Desenho
Urbano pela UCL em Londres. Administradora de empresas pela FGV
- EAESP. Fundadora e Coordenadora Geral do SampaPé!. Membrofundadora da Cidadeapé.
Com Ana Carolina Nunes, Mestre em Políticas Públicas pela
UFABC. Comunicadora Social pela ECA-USP. Membro da Cidadeapé,
representante de Mobilidade a Pé no Conselho Municipal de Trânsito
e Transportes e secretária da Câmara Temática de Mobilidade a Pé e
Coordenadora do SampaPé!.

O caminhar contemplativo
Dia 19/1, sexta, das 15h às 17h.
Dia 20/1, sábado, das 10h às 13h.
Grátis

O diálogo entre o lugar urbano e o seu interlocutor, o caminhante,
acontece a todo momento, ainda que não declarado, pois um depende
do outro para existir e se expressar. Coexistência entre lugar e pessoa.
A partir deste diálogo o idealizador do coletivo "Desbravadores de
Sampa" contará suas experiências de caminhadas no Brasil e no
exterior, e qual o processo o levou a começou a interpretar o caminhar
e os lugares por onde é levado como ato artístico ou de assimilação de
objeto de arte.
No sábado dia 20 ocorrerá uma "Trilha Urbana" com o Coletivo
Desbravadores de Sampa, percorrendo o centro histórico da cidade de
São Paulo.
Com Hugo Peroni, programador visual formado pela UNESP, fotógrafo e
criador do Coletivo de Caminhadas Desbravadores de Sampa.
26

Crédito: Thiago Detofol

Nelson Rodrigues e o
teatro musical brasileiro

Dia 12/1, sexta,
das 19h30 às 21h30.
R$15,00; R$7,50 ; R$4,50
Claudio Lins canta músicas que fazem parte da história dos musicais
brasileiros e fala sobre o processo de composição das músicas
originais do espetáculo "O Beijo no Asfalto - o musical", demonstrando
como o momento é perfeito para o encontro entre Nelson Rodrigues e
o teatro musical.
Com Claudio Lins, ator, compositor e produtor.

Crédito: Ugeorge (Wikimedia Commons)

Como formar e gerir cineclubes

De 12/1 a 9/2, sextas,
das 14h30 às 17h30.
R$30,00; R$15,00 ; R$9,00
Entre os objetivos do curso estão: a formação de educadores, agentes
culturais, sociais e de saúde para apreenderem os significados e
amplitude que o cinema pode oferecer, no que tange ao trabalho
pedagógico dentro de suas ações; a ampliação de repertório cultural,
bem como preparar os participantes para o trabalho de mediação entre
cinema e temáticas por ele suscitadas; fomentar a criação de espaços
de exibição, segundo à perspectiva da Educomunicação, para que este
seja um lugar de convívio e reflexão, tanto para o público interno como
externo.
Com Mariza Pinto, licenciada em artes plásticas e cênicas, com
especialização em Linguagens da Arte. Foi professora da Secretaria do
Menor, nas Secretarias de Educação e Cultura, em Lisboa, Sintra e Porto
(Portugal), entre outros.
Com Patricia de Oliveira Ramos, educadora, atua em cursos
de formação em Cultura e Educação, bem como em projetos de
desenvolvimento social.

27

Credito: Fernando Stankuns

Introdução à dramaturgia

De 15 a 31/1,
segundas e quartas,


das 19h30 às 21h30.

R$60,00; R$30,00

; R$18,00

O curso propõe, por meio de exercícios de escrita dramatúrgica,
um estudo de conceitos. Para tanto considera correntes estéticas e
ideológicas desde Aristóteles até o teatro pós-dramático, estimulando
a noção de autoria por meio do desenvolvimento do imaginário e do
domínio técnico da linguagem.
Com Samir Yazbek, mestre em Letras, dramaturgo e diretor teatral.

Crédito: Kelli tungay

O livro de arte para crianças:
história e reflexão

De 15 a 18/1,
segunda a quinta,


das 14h30 às 17h30.

R$60,00; R$30,00

; R$18,00

Este curso pretende promover a reflexão e análise dos livros de arte
e de artistas para crianças e os diversos conceitos que norteiam
essas publicações, para que os participantes possam avaliar a efetiva
contribuição dos livros como objeto de mediação e criação no universo
das artes visuais.
Com Renata Sant'Anna, educadora, autora e curadora. Formada em
Artes Plásticas na FAAP e mestre em Artes pela ECA/USP. Autora de
livros de arte para o público infanto-juvenil e também professores.

28

Crédito: King Afonso (Wikimedia Commons)

Música medieval: cultura e notação antiga

De 16 a 19/1, terça a sexta,
das 14h às 16h.
R$50,00; R$25,00 ; R$15,00
O curso aborda a notação musical empregada na Europa entre 1280
e 1320, a codificação de Franco que representa um clareamento dos
sistemas notacionais de música anteriores, esta é a porta de entrada
para a Ars Nova que incorporou o estilo de escrita do século XIII ,
criando um sistema rítmico claro sobre o qual os séculos vindouros
iriam construir os seus novos códigos para escrever música.
Com Pedro Augusto Diniz, mestre pela Staatliche Hochschuleb für
Musik, Trossingen em "Teclas Históricas" e em "Música Medieval e
Renascentista" na classe de Kees Boeke e Claudia Caffagni.

Crédito: Belmiro de Almeida

Aspectos do feminino em contos
de Machado de Assis

De 16 a 30/1, terças e quintas,
das 10h às 13h. Exceto dia 25/1.
R$60,00; R$30,00 ; R$18,00
Andrea Zeppini analisa a obra de Machado de Assis e junto com o
público busca responder questões como: que visões sobre a mulher
são recriadas e problematizadas pelo escritor? Como esses modelos
se relacionam com o seu contexto histórico específico e com a tradição
literária? Em que medida as mulheres machadianas se adequam aos
padrões tradicionais sociais e literários, em que medida escapam? Ou
ainda, como suas personagens femininas expressam as contradições
da sociedade brasileira da época? E talvez, como essas personagens
conversam com nosso tempo?
Com Andrea Zeppini, pesquisadora nas áreas de teatro e literatura,
atriz, diretora, arte-educadora, contadora de histórias. Formada em
História pela FFLCH-USP, mestra em Letras na USP, doutora pela USP.

29

Crédito: Jaqueline Moraes Teixeira

Poder, Sexualidade e Performatividade
de gênero



De 16/1 a 6/2, terças e quintas, das 14h30 às 17h30. Exceto dia 25/1.
R$80,00; R$40,00 ; R$24,00

O curso tem como objetivo introduzir de maneira aprofundada
alguns conceitos chave das teorias de Michel Foucault e de Judith
Butler, com o intuito de compreender, a partir do percurso teórico
desses autores, formas de poder e de desigualdade que são
socialmente produzidas, e que acabam por tornarem-se referências na
configuração das políticas sociais.
Com Jacqueline Moraes Teixeira, doutoranda em Antropologia Social
na Universidade de São Paulo. Atualmente é pesquisadora do NAU-USP
(Laboratório do Núcleo de Antropologia Urbana) e do Cebrap (Centro
Brasileiro de Análise e Planejamento), onde desenvolve pesquisas sobre
religiões e relações de gênero.

30

Crédito: Juca Martins

História do Fotojornalismo

De 17/1 a 7/2, quartas, das 19h às 21h30.
R$60,00; R$30,00 ; R$18,00

O curso apresenta os fundamentos que nortearam a escola
fotojornalística nas revistas ilustradas, desde o início do fotojornalismo
em 1900, passando pela época de ouro da fotorreportagem, no meio
do século XX, até a ascensão da fotografia digital. Também serão
abordadas as revistas ilustradas no Brasil: Cruzeiro, Manchete e
Realidade. O curso finaliza com um balanço do impacto da redução das
publicações impressas e do crescimento da mídia eletrônica.
17/01 - Nascimento do Fotojornalismo
24/01 - A Idade de Ouro
31/01 - As Revistas Ilustradas Brasileiras
07/02 - Declínio do Fotojornalismo Impresso
Com Juca Martins, repórter fotográfico, trabalhou para revistas
brasileiras e estrangeiras, foi editor de arte do jornal Movimento e
sócio fundador da Agência F4. É fundador, editor e fotógrafo da agência
Olhar Imagem.

31

Crédito: George Segal

O livro da vez: É isto um homem? de Primo Levi

Dia 19/1, sexta,



das 10h30 às 12h30.
; R$4,50

R$15,00; R$7,50

O livro demarca o início conturbado de uma das obras mais importantes
do século XX. O autor inaugura a literatura de testemunho da Shoah
(holocausto). Pode a linguagem atravessar as experiências liminares?
Quais os limites da representação ante a desumanidade do homem?
Com Paulo Endo, psicanalista, professor do Instituto de Psicologia e
coordenador do Grupo de Pesquisa em Direitos Humanos, Democracia,
Política e Memória do IEA/USP.

Crédito: Katia Coelho

Filmando com equipamentos portáteis

Dias 16, 17, 18 e 19/01,

terça a sexta, das 10h às 13h.

Dia 20, sábado das
9h30 às 18h30.
R$80,00; R$40,00 ; R$24,00
O planejamento da iluminação nos filmes de ficção e documentários,
realizados com câmeras DSLR ou similares, sem iluminação artificial
ou com refletores portáteis. Como trabalhar a imagem com o mínimo
de luz artificial no ambiente em sua máxima qualidade.
Curso teórico e prático direcionado tanto aos estudantes de cinema
quanto para diretores de fotografia, diretores e produtores que
pretendem planejar melhor seus filmes de ficção de baixo orçamento
ou documentários.
Com Kátia Coelho, primeira mulher a dirigir a fotografia de um
longa-metragem no Brasil, recebeu mais de 30 prêmios em festivais
nacionais e internacionais. Com "Tônica Dominante" ganhou os
prêmios Kodak Vision Award-Woman in Film em Los Angeles e APCA,
Associação Paulista de Críticos de Arte. Dirigiu a fotografia de "A Via
Láctea", filme que representou o Brasil no Festival de Cannes e foi
professora de Cinematografia na USP durante 7 anos.

32

Crédito: Dan (CC By 2.0)

Direitos Humanos e diálogo intercultural
na Turquia

De 22/1 a 24/1, segunda a quarta, das 19h30 às 21h30.
R$50,00; R$25,00 ; R$15,00

Ciclo aborda as intrincadas relações entre as forças políticas e sociais
da Turquia contemporânea, ensejando uma reflexão sobre os possíveis
caminhos que o estratégico país euroasiático seguirá nos
próximos anos.
Com Peter Demant, historiador, doutor em História Moderna e
Contemporânea pela Universiteit van Amsterdam, Holanda, onde
lecionou até 1990; de 1990 ate 2000 foi pesquisador sênior na
Universidade Hebraica de Jerusalém, e diretor de projetos no Israel/
Palestine Center for Research and Information (IPCRI). Professor no
Departamento de História da USP, lecionando também no Instituto de
Relações Internacionais (IRI-USP).
Com Fábio Metzger, sociólogo, jornalista e professor. Mestre em
História Social e doutor em Ciência Política pela USP.
Com Yusuf Elemen, nascido em Van, região predominantemente curda
da Turquia. Concluiu o MBA em gestão de bens culturais na FGV-SP.
Mestrando em Ciências Políticas na PUC-SP. Professor Visitante na
FFLCH-USP e PUC-SP no departamento de Ciências Religiosas.

33

Crédito: Acervo palestrante

A indústria fonográfica através
de discos de 78 RPM (SP)

Dias 23 e 24/1, terça e quarta, das 14h30 às 17h30.
R$30,00; R$15,00 ; R$9,00

Em dois encontros será reconstituído o percurso da história do disco em
São Paulo através de suas gravadoras e artistas. Será realizada uma
roda de audição de discos originais em 78 rpm mecânicos e elétricos
a partir de acervo de colecionadores, constituindo um importante
documento sonoro para historiadores, pesquisadores e interessados em
música brasileira.
Com Bruno Sanches Baronetti, historiador, professor e pesquisador da
Cultura Popular Brasileira. Doutorando em História Social pela USP
é autor do livro Transformações na Avenida. História das escolas de
samba da cidade de São Paulo (1968-1996) pela ed. Liber Ars (2015).
Com Gilberto Inácio Gonçalves, pesquisador da Música Popular
Brasileira e colecionador de discos 78 rpm de música brasileira.

34

Crédito: Ben Tavener

Da repressão ao reconhecimento precário:
história do movimento LGBT no Brasil

De 24/1 a 2/2, quartas e sextas,

das 17h30 às 20h30.
R$60,00; R$30,00 ; R$18,00

O presente curso tem por objetivo analisar os principais momentos da
constituição do movimento LGBT no Brasil, desde os grupos pioneiros
que foram organizados ainda no final da década de 1970 até os dias
atuais, com a maior das paradas do orgulho LGBT do mundo.
Com Renan Quinalha, professor de Direito da UNIFESP. Advogado e
ativista de direitos humanos. Doutor em Relações Internacionais. Foi
assessor jurídico da Comissão da Verdade do Estado de São Paulo e
consultor da Comissão Nacional da Verdade para assuntos de gênero e
sexualidade.

Crédito: Wikimedia Commons

Uma outra história da música do século 20

De 24/1 a 21/3, quartas, das

10h30 às 12h30.
Exceto dia 14/2.
R$80,00; R$40,00 ; R$24,00

Costuma-se contar a história da música no século 20 a partir da
perspectiva das vanguardas. Isso gerou o recalque de outra história
da música desse século que ficou submersa. O presente curso visa
mostrar como se deu o desenvolvimento de compositores que não
ultrapassaram os limites do sistema tonal, que fizeram, pode-se dizer,
revoluções tranquilas.
Com João Marcos Coelho, jornalista, crítico do jornal "O Estado de
S. Paulo", autor de "No calor da hora - música & cultura nos anos de
chumbo" (2009, finalista do Jabuti) e editor de "Cem anos de música no
Brasil" (2015).

35

Crédito: Larissa Valerio

Curadoria em Arte Contemporânea

Dias 29 e 31/1, segunda e quarta, das 15h às 17h.
R$30,00; R$15,00 ; R$9,00

A produção artística contemporânea discute a problemática do espaço,
da autoria, da participação e das práticas efêmeras e processuais.
Entretanto, como a curadoria lida com essas questões? Este curso
apresenta os processos de criação da curadoria de exposições em
Artes Visuais: desde as primeiras ideias à sua organização em diversos
formatos de espaço expositivo. O curso também busca discutir
exemplos dos modos de ação desenvolvidos pelos curadores em relação
ao espaço expositivo, as proposições de texto, a produção de discurso
histórico e formatos alternativos e/ou experimentais de exposições.
Com Ananda Carvalho, curadora, crítica de arte, professora e Doutora
em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP. Desde 2009, desenvolve
pesquisas, curadorias de exposições e acompanhamento crítico de
projetos em arte contemporânea.

36

Crédito: Sergio Leal

Música e cuidado em saúde

Dia 30/1, terça, das 19h30 às 21h30.
R$30,00; R$15,00 ; R$9,00

A palestra aborda a estreita relação entre música e a saúde ao longo
da história humana. Para tanto o palestrante apresenta experiências
sensoriais e afetivas que demonstram o como a música pode ser
utilizada como uma ação adicional de cuidado em saúde.
Com Sergio Leal, graduado em composição e regência e em saúde
pública. É compositor de repertório erudito e professor de música.

37

Crédito: Divulgação

Espelho das Montanhas

De 29/1 a 6/2, segundas e terças, das 14h às 17h30.
R$60,00; R$30,00 ; R$18,00

Curso aborda a técnica composicional `Melodia das Montanhas' de
Heitor Villa-Lobos como uma ferramenta de auxílio no processo de
criação, destacando o seu caráter multidisciplinar entre as áreas das
artes plásticas, geografia e música. Busca-se estabelecer estudos
comparativos entre a produção villa-lobiana e de outros artistas e
compositores que fizeram uso de processos de criação semelhantes a
técnica desenvolvida por Villa-Lobos.
Com Elisa Bracher, artista plástica, diretora e fundadora do Instituto
Acaia. Dentre suas principais exposições individuais, figuram "Madeira
sobre Madeira" na Pinacoteca do Estado em 1999; "Ponto Final Sem
Pausas" no MAM - RJ em 2011; "Embrionário" e "Equilíbrio Amarrado"
obras permanentes instaladas nos jardins do Inhotim em 2017; Da série
"Ponto Final Sem Pausas" obra permanente instalado no Sesc 24 de
Maio em 2017.
Com Rodrigo Felicissimo, pós-doutorando em Musicologia na USP
e pesquisador visitante da Faculdade de Artes da Universidade de
Helsinque. Doutor em processos de criação musical e mestre em
Geografia Humana pela USP.

38

Crédito: Divulgação

Arquiteturas que ensinam:
Arquitetura escolar e educação

De 30/1 a 6/2, terças e sábados, das 14h às 17h.
R$60,00; R$30,00 ; R$18,00

O curso se organiza em torno de três encontros. No primeiro, a partir
de uma análise histórica da cultura escolar brasileira e do diálogo com
a bibliografia específica, será explorada a relação entre arquitetura
escolar e educação, entre o final do século XIX e os anos mais recentes,
particularmente em São Paulo. O segundo encontro se constituirá de
visita a edifícios escolares com o intuito de entender como alguns
patrimônios documentam, em sua materialidade, diferentes concepções
de educação e suas conjunturas históricas. No terceiro encontro, almejase retornar às discussões propostas inicialmente e às observações
realizadas, de modo a estabelecer conexões entre as duas atividades.
Com Diana Vidal, professora titular em História da Educação na
Faculdade de Educação e coordenadora do Núcleo Interdisciplinar de
Estudos e Pesquisas em História da Educação da USP.
Com Mauricio Dias Duarte, pesquisador com ênfase nos patrimônios
históricos da zona leste de São Paulo, historiador e membro do Grupo
Ururay- Patrimônio Cultural.
Com Monica Goulart, educadora, historiadora e pesquisadora. Membro
do Grupo Ururay - Patrimônio Cultural.
Com Patrícia Freire de Almeida, pesquisadora e agente cultural do
Movimento Cultural Penha, historiadora e integrante do Grupo Ururay Patrimônio Cultural.

39

Crédito: Niven Franci

Alambique Maria Izabel:
tradição e sustentabilidade

Dia 30/1, terça, das 19h30 às 21h30.
R$15,00; R$7,50 ; R$4,50

Palestra que destaca a produção artesanal da cachaça Maria Izabel,
da moenda ao engarrafamento. Serão apresentadas as etapas dessa
produção, tais como: a adubação verde, compostagem natural, o plantio
da cana de açúcar feito em curvas de nível o qual dispensa energia
elétrica e a fermentação que provêm de uma receita antiga da região de
Paraty - cidade ao sul do Estado do Rio de Janeiro. Essas etapas estão
conectadas com a natureza, como nos explica Maria Izabel: "...aqui no
sítio é uma produção orgânica, no sentido que funcionamos como um
organismo: nós cuidamos do sítio, o sítio cuida de nós - é uma troca, é
um organismo vivo".
Com Maria Izabel Gibrail Costa descendente de antigos fazendeiros
locais, produtores e exportadores de cachaça no século 19, nasceu
em Paraty (RJ) passou a maior parte de sua vida em conexão com a
natureza paratiense. Desde 1996, produz no Sítio Santo Antonio, a
cachaça que leva o seu nome.

40

Crédito: Acervo palestrante

Heitor Villa-Lobos em três tempos

De 31/1 a 2/2, quarta a sexta, das 18h às 21h.
R$30,00; R$15,00 ; R$9,00

Quem foi Villa-Lobos? Que tipo de ambiente permitiu que se produzisse
um músico de sua estatura? Que formação teve esse genial compositor?
E por que suas obras ganharam o mundo? Este curso apresenta
aspectos da vida e da criação musical de Heitor Villa-Lobos (1887-1959),
abordando alguns de seus mais importantes ciclos de obras: os Choros
e as Bachianas Brasileiras, os quartetos de cordas, as sinfonias, a obra
para violão e para piano.
Com Camila Fresca, doutora em musicologia pela ECA-USP. Jornalista e
pesquisadora, é colaboradora do site e da Revista Concerto.

41

Em primeira pessoa
Conversa com profissionais sobre temas do campo da cultura.

Crédito: Eduardo Santaliestra

Pedro Bandeira e a literatura
infanto-juvenil

Dia 11/1, quinta, das 19h30 às 21h.
R$15,00; R$7,50 ; R$4,50

Pedro Bandeira fala de sua carreira como escritor de mais de cem livros
infantis e juvenis, como "A droga da obediência", "O fantástico mistério
de Feiurinha" e "A marca de uma lágrima"; os prêmios literários e o
sucesso de público.
Com Pedro Bandeira, escritor.

42

Crédito: Ricardo Gomes

Pedro Luís e seus poliblocos



Dia 15/1, segunda,
das 19h30 às 21h
R$15,00; R$7,50 ; R$4,50
Pedro Luís fala com o público sobre o início de carreira na trupe
Asdrúbal Trouxe o Trombone, a formação da banda Pedro Luís e a
Parede e do Monobloco, a carreira solo, a composição de trilhas
sonoras, a direção musical de espetáculos, a experiência de produtor
musical, escritor e apresentador de TV.
Com Pedro Luís, cantor, compositor e produtor musical.

Crédito: Acervo pessoal

Carla Camurati

Dia 19/1, sexta,
das 19h30 às 21h
. R$15,00; R$7,50

; R$4,50

Carla Camurati fala sobre sua carreira como atriz nos anos 1980; o
lançamento de "Carlota Joaquina - A princesa do Brazil", marco da
Retomada; a direção de óperas; a criação do Festival Internacional
de Cinema Infantil (FICI); e a experiência como presidente do Theatro
Municipal do Rio de Janeiro.
Com Carla Camurati, atriz, diretora, produtora, roteirista, distribuidora e
gestora cultural.

43

EXPERIÊNCIAS ESTÉTICAS
Apreciações de linguagens artísticas com reflexões teóricas,
proporcionando diálogos entre a obra de arte e o público.

Crédito: Bruno Polidoro

BIO

Dia 20/1, sábado, das 15h às 18h.
Grátis.

Um falso documentário com uma narrativa fragmentada, mas muito
emocional, sobre a atribulada existência de um biólogo, que atravessa
a segunda metade do século XX e mergulha no século XXI com uma
sede imensa de conhecimento sobre a vida em nosso planeta. Ou até
fora dele.
Com Carlos Gerbase, diretor. Começou sua carreira no cinema em 1979,
na bitola super-8. Escreveu e dirigiu oito longas-metragens ficcionais,
além de dezenas de curtas, programas e séries de TV. É professor titular
na PUCRS, atuando na área da linguagem audiovisual.

44

PERSPECTIVAS

Abordagens sobre temas e questões do campo da cultura.

Crédito: Wikimedia Commons

Tópicos de Arqueologia

De 18 a 26/1, segunda, terça,


quinta e sexta, das 15h às 17h.

Exceto dias 19 e 25/1.
R$60,00; R$30,00 ; R$18,00

Esse ciclo composto por quatro palestras apresenta alguns aspectos
da ciência arqueológica no Brasil a exemplo do trabalho que vem
sendo desenvolvido no Cais do Valongo, o uso de ferramentas
tecnológicas no aprimoramento de técnicas tradicionais como a
escavação e a investigação arqueológica de temas contemporâneos
como a ditadura militar.
18/01 - Título: O Sítio Arqueológico Cais do Valongo como
Patrimônio Mundial
Com Milton Guran, doutor em Antropologia, mestre em Comunicação
Social-UnB e fotógrafo. Membro do Comitê Científico Internacional do
Projeto Rota do Escravo da UNESCO, consultor do IPHAN.
Com Rosana Najjar, graduada em Arqueologia pela Universidade Estácio
de Sá, especialização Museu Nacional / UFRJ, mestrado e doutorado
em Arqueologia pela USP. Arqueóloga do IPHAN.
22/01 - Novas tecnologias a serviço da Arqueologia
Com Marcelo Knorich Zuffo, mestre e doutor em Engenharia Elétrica,
e livre-docente em Meios Eletrônicos Interativos. Professor da Escola
Politécnica da USP.
23/01 - Arqueologia das ditaduras militares na América do Sul
Com Andres Zarankin, professor do departamento de Antropologia e
Arqueologia da Universidade Federal de Minas Gerais.
26/01 - Por uma arqueologia brasileira
Com Pedro Paulo Funari, Professor Tilular do Departamento de História
da Unicamp.

45

PESQUISA EM FOCO

Apresentação de bases de dados, estudos, mapeamentos e
investigações relacionadas ao campo da cultura.

Crédito: Divulgação

As dinâmicas do mercado das coproduções
cinematográficas entre Brasil e França

Dia 8/1, segunda,

das 19h30 às 21h30.
R$15,00; R$7,50 ; R$4,50

Uma avaliação de até que ponto a coprodução cinematográfica entre
Brasil e França contribui para a abertura de novos mercados, se o
coprodutor francês influencia na distribuição do filme em seu país,
e se as políticas públicas brasileiras avançaram para além da mera
promoção e difusão dos filmes nos festivais, nas últimas décadas.
Com Belisa Figueiró, mestre em Imagem e Som pela UFSCar. Foi
produtora de informação e imagem do Programa Cinema do Brasil/
Apex-Brasil e editora-assistente da Revista de Cinema.

46

Crédito: Cristiano Medeiros Dalbem

Quem discute educação na cobertura
jornalística sobre avaliações?

Dia 10/1, quarta, das 19h às 21h.
R$15,00; R$7,50 ; R$4,50

Tomando como ponto de partida textos publicados pela Folha de S.Paulo
em 2010 sobre o Ideb e o Pisa, a pesquisa "Arranjos de vozes em textos
jornalísticos: quem discute educação na cobertura sobre avaliações
externas?" reflete sobre os arranjos textuais efetuados, e analisa as
vozes autorizadas pelo jornal a comentar os resultados de avaliações
externas. Neste encontro são apresentados os pontos principais que
emergiram da investigação.
Com Adriana Santos Batista, doutora e mestre em Filologia e Língua
Portuguesa pela USP. É professora assistente da Universidade do Estado
da Bahia, em Teixeira de Freitas.

47

Crédito: Vanessa Lambert

A sobrevivência das imagens: Escultura e
marcas gráficas na arte afro-brasileira

Dia 19/1, sexta, das 10h30 às 12h30.
R$15,00; R$7,50 ; R$4,50

Nesse encontro Vanessa Lambert apresenta o resultado de sua tese de
doutoramento voltada para o estudo de produções em arte moderna e
contemporânea negra. A tese investiga diálogos com a ancestralidade e
poiesis afro nas linguagens da gravura e escultura produzidas no Brasil.
A pesquisa toma como ponto de partida poéticas visuais e padrões
gráficos presentes em algumas expressões tradicionais africanas bi e
tridimensionais. A pesquisa teórica deu origem à série de gravuras que
compõe a instalação (work in progress) intitulada "A carne mais barata" e
ao "Livro tecido".
Com Vanessa Raquel Lambert, professora Assistente na área de Artes
Gráficas na Universidade Regional do Cariri (CE). Graduação, mestrado e
doutorado em Artes Visuais pela UNESP.

Crédito: Banksy

Identidades na contemporaneidade:
performances e redes sociais

Dia 30/1, terça,
das 19h30 às 21h30.
R$15,00; R$7,50 ; R$4,50

Palestra aborda as dinâmicas de construção de si mesmos que os
sujeitos fazem, trazendo à tona a dimensão da performance e as
possibilidades oferecidas pela cultura digital para que performatizemos
a nós mesmos através de plataformas como os sites de redes sociais.
Com Beatriz Polivanov, professora e chefe do Departamento de Estudos
Culturais e Mídia da Universidade Federal Fluminense, bem como
docente do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da instituição,
onde realizou pós-doutorado, doutorado e mestrado. Líder do Grupo de
Pesquisa MiDICom.
48

Encontros Sesc Memórias
Encontros sobre temas das áreas de arquivo
e patrimônio, história e memória.

Crédito: Jose Luis Cernadas Iglesias

Teorias da Memória e História Oral

Dias 13 e 20/1,
sábados, das 10h às 18h.
R$60,00; R$30,00 ; R$18,00

Neste curso pretende-se explicar os conceitos e método da história
oral, apresentando as teorias da memória: Henri Bergson (Metafísica),
Maurice Halbachs (Sociologia) e Iúri Lótman (Semiótica). Como também
apresentar os conhecimentos necessários para se desenvolver um
projeto de pesquisa tendo como método a história oral, as críticas ao
método e as respostas às críticas.
Com Marcos Antônio Gigante, mestre e Doutor em História pela Unesp
(Franca), atuando principalmente nos seguintes temas: memória e
história oral. Leciona no Centro Universitário Central Paulista (São
Carlos-SP).

49

Gestão Cultural
Cursos, palestras, seminários e laboratórios de qualificação
para a gestão no campo da cultura e das artes.

Crédito: Pixabay CCO Public Domain

Produção Cultural para jovens:
Inspirador 1.2

De 16 a 19/1, terça a sexta, das 14h às 17h.
R$60,00; R$30,00 ; R$18,00

O workshop faz um percurso a partir do Inspirador 1.2, um guia de
sustentabilidade em gestão cultural. São 48 dicas sistematizadas
a partir de cases internacionais, que desenvolvem as temáticas de
produção, logística, mobilidade, comunicação, reciclagem e relatoria.
As estratégias e ferramentas do ecossistema da produção cultural
são complementares e potencializam o impacto da ação. O workshop
contempla jovens produtores, gestores, artistas e outros agentes da
cultura a planejarem estrategicamente a produção cultural.
Com Jonaya de Castro, idealizadora do labExperimental.org e
orientadora de cultura de rede no curso de gestão do Itaú Cultural.
Integrante da Catedra Unesco de Cultura e Desenvolvimento. Co-autora
da publicação "Inspirador 1.2" do Instituto Goethe. Integrante dos
coletivos Condomínio Cultural e Bancada Ativista.

50

Crédito: Evelson de Freitas

Gestão financeira de
organizações culturais

Dia 19/1, sexta, das 14h às 18h30.
Dia 20/1, sábado, das 10h às 17h.
R$60,00; R$30,00 ; R$18,00

A proposta é utilizar um caso real para discutir os quadros de despesas
e receitas. Esta metodologia inspira o aluno a transpor o modelo
para a sua realidade, mesmo quando não possui conhecimentos de
contabilidade ou economia.
Com Francis Miszputen, mestre em Bens Culturais pelo CPDOC-FGV.
Administradora pela EAESP-FGV. Diretora de projetos do Instituto
Cidade Viva (RJ). É professora na Associação Brasileira de Gestão
Cultural e no IDE-FGV.

51

AGENDA | janeiro 2018
08/ SEGUNDA
14h às 16h Permacultura urbana:
novas formas de habitar a
paisagem

11/ QUINTA
10h às 13h Pensadoras clássicas:
feminismo e política nos séculos
XVIII e XIX
10h às 12h Rotas literárias de São
Paulo

19h às 21h30 Práticas de Escrita
Acadêmica

14h às 18h Henrique Cazes:
estudando o cavaquinho

19h30 às 21h30 As dinâmicas
do mercado das coproduções
cinematográficas entre Brasil e
França

19h30 às 21h30 O sobrenatural na
cultura e nas artes japonesas

09/ TERÇA

12/ SEXTA

10h às 13h Pensadoras clássicas:
feminismo e política nos séculos
XVIII e XIX
14h às 18h Henrique Cazes:
estudando o cavaquinho10h às
17h Planejamento Estratégico
Participativo
18h30 às 20h30 Hilda Hilst:
presente
10/ QUARTA
10h às 13h Literatura para 14h
às 17h Pensadoras clássicas:
feminismo e política nos séculos
XVIII e XIX
14h às 17h A ilustração científica
e a configuração da paisagem de
São Paulo*
14h às 18h Henrique Cazes:
estudando o cavaquinho
19h30 às 21h30 Práticas de
Escrita Acadêmica
19h às 21h Quem discute
educação na cobertura
jornalística sobre avaliações?

52

19h30 às 21h Pedro Bandeira e a
literatura infanto-juvenil

10h às 13h Pensadoras clássicas:
feminismo e política nos séculos
XVIII e XIX
10h às 12h Rotas literárias de São
Paulo
14h às 21h30 Curso Sesc Gestão Cultural - 5 edição*
14h30 às 17h30 Como formar e
gerir cineclubes
19h30 às 21h30 Nelson Rodrigues
e o teatro musical brasileiro
13/ SÁBADO
09h30 às 13h30 Oficina
Caminhabilidade e Mobilidade
Urbana
10h às 17h30 Curso Sesc Gestão
Cultural 5 edição
10h às 13h Pensadoras clássicas:
feminismo e política nos séculos
XVIII e XIX
10h às 18h Teorias da Memória e
História Oral
15h às 18h Bolsa Família,
questões de gênero e moralidades

15/ SEGUNDA
10h às 16h Permacultura urbana:
novas formas de habitar a
paisagem
14h30 às 17h30 O livro de arte
para crianças: história e reflexão
19h às 21h30 Práticas de Escrita
Acadêmica
19h30 às 21h30 Introdução à
dramaturgia
19h30 às 21h Pedro Luís e seus
poliblocos

14h às 17h Política da paisagem:
estratégias, instrumentos e
conflitos
14h às 17h Produção Cultural para
jovens: Inspirador 1.2
14h30 às 17h30 O livro de arte
para crianças: história e reflexão
19h às 21h Capitalismo e Colapso
Ambiental
19h às 21h30 História do
Fotojornalismo*
19h às 21h30 Práticas de Escrita
Acadêmica

16/ TERÇA

19h30 às 21h30 Introdução à
dramaturgia

10h às 13h Aspectos do feminino
em contos de Machado de Assis

18/ QUINTA

10h às 13h Filmando com
equipamentos portáteis

10h às 13h Aspectos do feminino
em contos de Machado de Assis

14h às 16h Música medieval:
cultura e notação antiga

10h às 13h Filmando com
equipamentos portáteis

14h às 17h Política da paisagem:
estratégias, instrumentos e
conflitos

14h às 16h Música medieval:
cultura e notação antiga

14h às 17h Produção Cultural para
jovens: Inspirador 1.2

14h às 17h Política da paisagem:
estratégias, instrumentos e
conflitos

14h30 às 17h30 Poder,
Sexualidade e Performatividade
de gênero

14h às 17h Produção Cultural para
jovens: Inspirador 1.2

14h30 às 17h30 O livro de arte
para crianças: história e reflexão

14h30 às 17h30 Poder,
Sexualidade e Performatividade
de gênero

18h30 às 20h30 Hilda Hilst:
presente

14h30 às 17h30 O livro de arte
para crianças: história e reflexão

19h30 às 21h30 Harmonização no
Piano Popular

15h às 17h Tópicos de Arqueologia

17/ QUARTA

19h30 às 21h30 Brutos e políticos:
a humanidade nas "Décadas da
Ásia"

10h às 13h Filmando com
equipamentos portáteis

19h30 às 21h30 O sobrenatural na
cultura e nas artes japonesas

14h às 17h A ilustração científica
e a configuração da paisagem de
São Paulo*
14h às 16h Música medieval:
cultura e notação antiga

19/ SEXTA
10h às 13h Filmando com
equipamentos portáteis
10h30 às 12h30 A sobrevivência das
imagens: Escultura e marcas gráficas
na arte afro-brasileira
10h30 às 12h30 O livro da vez: É isto
um homem? de Primo Levi
14h às 21h30 Curso Sesc Gestão
Cultural ­ 5ª Edição*
14h às 18h30 Gestão financeira de
organizações culturais
14h às 16h Música medieval: cultura
e notação antiga
14h às 17h Política da paisagem:
estratégias, instrumentos e conflitos
14h às 17h Produção Cultural para
jovens: Inspirador 1.2

19h às 21h30 Práticas de Escrita
Acadêmica
19h30 às 21h30 Direitos Humanos e
diálogo intercultural na Turquia
19h30 às 21h30 Introdução à
dramaturgia
23/ terça
10h às 13h Aspectos do feminino em
contos de Machado de Assis
14h30 às 17h30 Poder, Sexualidade
e Performatividade de gênero
14h30 às 17h30 A indústria
fonográfica através de discos de 78
rpm (SP)
15h às 17h Tópicos de Arqueologia
18h30 às 20h30 Hilda Hilst: presente

14h30 às 17h30 Como formar e gerir
cineclubes

19h às 21h30 Fotografia de
paisagem natural e urbana.*

15h às 17h O caminhar
contemplativo

19h30 às 21h30 Direitos Humanos e
diálogo intercultural na Turquia

19h30 às 21h Carla Camurati
24/ quarta
20/ sábado
09h às 17h Curso Sesc de Gestão
Cultural - Vivência Corporal - Espaço
Nova dança 8
09h30 às 18h30 Filmando com
equipamentos portáteis
10h às 17h Gestão financeira de
organizações culturais
10h às 13h O caminhar
contemplativo
10h às 18h Teorias da Memória e
História Oral

14h às 17h Curso Sesc de Gestão
10h às 13h Desenho de observação
do paisagismo urbano.
10h30 às 12h30 Uma outra história
da música do século 20
14h às 17h A ilustração científica e
a configuração da paisagem de São
Paulo*
14h30 às 17h30 A indústria
fonográfica através de discos de 78
rpm (SP)

15h às 18h BIO

17h30 às 20h30 Da repressão ao
reconhecimento precário: história do
movimento LGBT no Brasil *

22/ segunda

19h às 21h30 História do
Fotojornalismo*

10h às 16h Permacultura urbana:
novas formas de habitar a paisagem

19h às 21h30 Práticas de Escrita
Acadêmica

14h às 18h Rubens Matuck paisagens de leste a oeste

19h30 às 21h30 Direitos Humanos e
diálogo intercultural na Turquia

15h às 17h Tópicos de Arqueologia

19h30 às 21h30 Introdução à
dramaturgia

54

25/ quinta
10h às 14h Desenho de observação
do paisagismo urbano
26/ sexta
10h às 13h Desenho de observação
do paisagismo urbano

14h às 16h As áreas verdes e outras
áreas protegidas no contexto da
metrópole**
14h às 17h30 Espelho das
Montanhas
14h30 às 17h30 Poder, Sexualidade
e Performatividade de gênero**
18h30 às 20h30 Hilda Hilst: presente

14h30 às 17h30 Como formar e gerir
cineclubes

19h às 21h30 Fotografia de
paisagem natural e urbana.**

15h às 17h Tópicos de Arqueologia

19h30 às 21h30 Alambique Maria
Izabel: tradição e sustentabilidade

17h30 às 20h30 Da repressão ao
reconhecimento precário: história do
movimento LGBT no Brasil**
19h às 21h Uma história de amor
improvável em meio à Guerra da
Síria
27/ sábado
10h às 14h Desenho de observação
do paisagismo urbano
16h às 18h O Sertão na Canção:
paisagens de Guimarães Rosa
29/ segunda

19h30 às 21h30 Identidades na
contemporaneidade: performances e
redes sociais
19h30 às 21h30 Música e cuidado
em saúde
31/ quarta
10h30 às 12h30 Uma outra história
da música do século 20
14h às 17h A ilustração científica e
a configuração da paisagem de São
Paulo**

10h às 16h Permacultura urbana:
novas formas de habitar a paisagem

14h às 16h As áreas verdes e outras
áreas protegidas no contexto da
metrópole**

14h às 17h30 Espelho das
Montanhas

15h às 17h Curadoria em Arte
Contemporânea

15h às 17h Curadoria em Arte
Contemporânea

17h30 às 20h30 Da repressão ao
reconhecimento precário: história do
movimento LGBT no Brasil**

19h às 21h30 Práticas de Escrita
Acadêmica
19h30 às 21h30 Bens culturais e
Relações Internacionais
19h30 às 21h30 Introdução à
dramaturgia
30/ terça
10h às 13h Aspectos do feminino em
contos de Machado de Assis
14h às 17h Arquiteturas que
ensinam: Arquitetura escolar e
educação**

18h às 21h Heitor Villa-Lobos em
três tempos**
19h às 21h30 História do
Fotojornalismo**
19h às 21h30 Práticas de Escrita
Acadêmica
19h30 às 21h30 Introdução à
dramaturgia
* Atividade iniciada em meses
anteriores
** Atividades que continuam no mês
de Fevereiro

55

Mala Direta
Básica
9912355090/DR/SPM

SESC

Centro de Pesquisa e Formação

Rua Dr. Plínio Barreto, 285, 4º andar
Bela Vista - São Paulo - SP
Tel.: (11) 3254-5600 ­ CEP: 01313-020
Trianon ­ Masp 700m
Anhangabaú 2000m
[email protected]
/cpfsesc

sescsp.org.br/cpf

56