Boletim Pesquisa
04 de dezembro de 2017. Ano 7. Nº 325
Chamada de trabalhos para obra coletiva
A fazenda Santa Eufrásia e o turismo da escravidão
Este projeto editorial guarda relação com o termo de parceria firmado pelo Conselho Federal da Ordem
dos Advogados do Brasil e a Sociedade de Ensino Superior Estácio de Sá Ltda., visando a divulgação
pública de fatos relevantes sobre a história da escravidão negra no Brasil.
Tal iniciativa se articula com o que consta do Sistema Nacional de Avaliação do Ensino Superior
(SINAES), no contexto das questões étnico-raciais afro-brasileiras e com a importância de tais
conteúdos na formação dos alunos dos cursos do ensino superior.
O caso da fazenda Santa Eufrásia e o turismo da escravidão ganhou repercussão internacional e
oferece à universidade uma oportunidade para que docentes e discentes dos diferentes cursos do
ensino superior, presencial e à distância, nos graus de tecnologia, bacharelado e licenciatura, possam
desenvolver reflexões e ações institucionais focadas nas questões étnico-raciais, com ênfase no
estudo da história e cultura afro-brasileira e indígena, de modo a contribuir para a formação de
profissionais mais sensíveis e compromissados com o exercício profissional que compreenda e
respeite a diversidade étnico-racial brasileira.
A chamada de trabalhos para obra coletiva é voltada preferencialmente para nosso público interno, de
modo que possamos dar visibilidade à produção de professores e alunos da graduação e da pós lato e
stricto sensu, em cumprimento ao termo de parceria firmado, tendo em vista a divulgação pública de
fatos relevantes sobre a história da escravidão negra no Brasil.
Direito e questões étnico-raciais
Este projeto editorial, realizado em parceria com o Prof. Dr. André Augusto Pereira Brandão (PPGPSUFF), decorre de participação no grupo de trabalho Direito, racismo e desigualdades raciais, do VIII
Congresso da Associação Brasileira de Pesquisadores em Sociologia do Direito ­ ABraSD, realizado
em Porto Alegre (RS-Brasil) nos dias 08, 09 e 10 de novembro de 2017, ocasião em que prof. Carlos
Alberto Lima de Almeida representou o Programa de Pós Graduação em Direito.
O projeto decorre da necessidade de oferecer à sociedade maior visibilidade sobre as pesquisas e
projetos de extensão relacionados às questões étnico-raciais e da importância dessa temática para a
formação dos profissionais oriundos dos cursos de graduação, licenciatura e tecnológicos, bem como
das pós-graduações lato e stricto sensu.
EVENTO/NOTÍCIA

Crítica da mídia e histórias de vida: duas perspectivas na comunicação cidadã
Em 26 de outubro, foi realizada na Estácio Juiz de Fora a palestra "Crítica da mídia e histórias de vida:
duas perspectivas na comunicação cidadã". Esta palestra fez parte da programação da XII Conferência
Brasileira de Mídia Cidadã, promovida pela Cátedra Unesco/Umesp de Comunicação para o
Desenvolvimento Regional e pela Rede Brasileira de Mídia Cidadã. A palestra contou com a
participação de Toni André Scharlau Vieira (professor e pesquisador da Universidade Federal do
Paraná, em Curitiba), que falou sobre Midia Criticism em Moçambique; Bruno Fuser (professor e
pesquisador da Universidade Federal de Juiz de Fora), que falou sobre histórias de vida como método
de pesquisa e ação em comunicação para a cidadania. Para abrir o evento, contaram com
apresentação de jovens do Coletivo Vozes da Rua, declamando poesias do projeto Slam de Perifa.
VOCÊ SABIA?

É importante que todos os docentes mantenham seus dados e informações atualizados na Plataforma
Lattes para que a Estácio possa identificar as competências em seu corpo docente, oferecer
oportunidades de progressão de carreira, liderança acadêmica e concessão de recursos financeiros e
auxílios dentro e fora da instituição.
A Publicação de notícias no boletim está vinculada ao formulário eletrônico disponível no link goo.gl/7VE40d