Historia Política
do Brasil
1960 ­ 64
Cronologia resumida dos principais fatos e das
organizações partidárias

Cartilha Nº 2
Consulta Popular

Expediente:

A cartilha nº 2 "Historia Política do Brasil ­ Cronologia resumida dos principais fatos e das organizações
partidárias ­ 1960 ­ 64", foi organizado por Maria de Almeida, e foi publicado originalmente no livro " A
Historia do Partido dos Trabalhadores ­ O sonho era possível" - , de Marta Harnecker, 1994, que conta a
historia do PT.

Diagramação: Consulta Popular
Rua Ministro Godoy, 1484
05015-900 São Paulo ­ SP
Telefax: (011) 263 ­ 9698
Correio eletrônico: [email protected]

2ª edição março de 1999

1960

21 abril


Inauguração de Brasília, nova capital de brasil.

Agosto


V Congresso do PCB. Agravam- se as disputas internas.

Outubro






Eleições presidenciais. Vitória da dupla, Janio Quadros (presidente) e João Goulart (vice). Janio é
eleito com maior votação ate então obtida por um político brasileiro: 5.636.623 votos.
Cria-se o Pacto de Unidade e Ação (PUA) reunindo mais de cem organizações sindicais.
Greve dos estudantes da Universidade da Bahia, que se estendeu por alguns meses, atingindo outros
estados.
Surge o Partido Comunista (POC).
Surgem organizações reacionárias como a Sociedade Brasileira para a Defesa da Tradição, Família e
Propriedade (TFP).

Governo de Janio Quadros
31 janeiro


Janio Quadros assume a Presidência da Republica.

Fevereiro
Surge a Organização Revolucionaria Marxista Política Operaria (Polop).
20-27 maio
A UNE organiza em Salvador o I Seminário Nacional de Reforma Universitária. Daí sucederam - se
greves em Pernambuco, Minas, Bahia, Paraíba e outros Estados.
11 agosto
O PCB, buscando a legalização, muda o nome para Partido Comunista Brasileiro e modifica seus
estatutos para adequá-los ao Código Eleitoral.
19 agosto


Janio condecora Ernesto "CHE" Guevara com a Ordem do Cruzeiro do Sul.

25 agosto



Janio renuncia em uma manobra para pressionar o Congresso.

27 agosto
Militares tentam se opor à posse do vice-presidente João Goulart, que se encontrava em missão
diplomática na China e havia elogiado o governo de Pequim.
Agosto-setembro
Gov. Brizola organiza a Campanha da Legalidade no RS, mobilizando o povo e instigando a defender
em armas a posse de João Goulart.

Governo de João Goulart
1961-64
7 setembro
Guerra civil é evitada mediante compromisso para Goulart assumir a Presidência. Mas antes se
aprova uma emenda constitucional que reduz seus poderes. Aprova-se o regime parlamentarista.
Tancredo Neves é indicado primeiro-ministro.
15 setembro
Francisco Julião, deputado socialista pernambucano, publica o documento Dez Mandamentos das
Ligas Camponesas para Libertar os Camponeses da Opressão do Latifúndio.
Outubro
Greve geral dos bancários em todo o país.
15 novembro
I Congresso Nacional de lavradores e Trabalhadores Agrícolas, em Belo Horizonte, aprova e
Declaração sobre a Reforma Agrária.
Fundação do Movimento de Educação de Base (MEB), ligado a CNBB sob o égide de dom Hélder
Câmara. Campanha de Alfabetização no Nordeste usando o método de Paulo Freire.

1962
Fevereiro
Fundação do PCdoB, como dissidência do PCB, em função de avaliação da URSS.
21 abril
Surge o Movimento Revolucionário Tiradentes (MRT), em Ouro Preto/MG.
Junho
Fundação da AP, Belo Horizonte/MG
Greve geral para impedir a imposição de Auro de Moura Andrade como primeiro-ministro no lugar
de San Thiago Danas, indicado por Goulart.
5 julho
Greve geral para pressionar o Congresso. Convocada pela CNTI e PUA, reivindicando a formação de
um ministério nacionalista e democrático.

Agosto
Criação do Comando Geral dos Trabalhadores (CGT). Reuniu 586 sindicatos.
Setembro
Greve de estudantes e das Ligas Camponesas para formar a antecipação do plebiscito que poria fim
as parlamentarismo.
3 setembro
Congresso Nacional aprova lei 131 sobre remessas de lucros do capital estrangeiro.
14 setembro
Segunda greve nacional pelo plebiscito.
Dezembro
IV Conferencia Nacional do PCB.
Criada a primeira Federação de Trabalhadores Rurais, em Pernambuco (Fetape).
Prédio da UNE, no Rio de Janeiro, é metralhado pelo grupo fascista MAC (Movimento
Anticomunista).

1963
Janeiro
Publicação do Plano Trienal elaborado por Celso Furtado.
6 janeiro
Realização do Plebiscito. Eleitores se manifestam por esmagadora maioria pelo regime
presidencialista.
Fevereiro
I Congresso da Ação Popular (AP), organização de orientação marxista-cristã.
12 setembro
Rebelião dos sargentos da Marinha e da Aeronáutica.
18 setembro
Greve nacional dos bancários.
6 outubro
Manifestação de 30 mil camponeses em favor da reforma agrária em Recife.
29 outubro
Greve geral em São Paulo. Participam cerca de 700 mil trabalhadores. Obtêm importantes conquistas
em suas reivindicações.
19 novembro
Greve de 200 mil cortadores de cana em Pernambuco e parte da Paraíba. Dura três dias e é vitoriosa.
20 dezembro
Fundação da Confederação Nacional de Trabalhadores na Agricultura (Contag).
Dezembro
Decreto-Lei estabelece o monopólio estatal sobre a importação de petróleo e seus derivados.
Reforma Agrária impulsionada por Goulart granjeia hostilidade da oligarquia e reanima a oposição
dos militares. Leonel Brizola e Miguel Arraes, governador de Pernambuco, reclamam u m governo
popular.

1964
17 janeiro



Goulart assina decreto de regulamentação da lei de remessas de lucros do capital estrangeiro.

13 março


O governo anuncia desejo de nacionalizar as refinarias e expropriar os latifúndios com mais de cem
hectares localizados a dez quilômetros das rodovias e via férreas federais.



Comício das reformas no Rio de Janeiro.

Março


Alerta nos EUA pela informação sobre os avanços do PCB no Brasil.

19 março


Marcha da Família com Deus pela Liberdade, em São Paulo e no Rio de Janeiro. No Rio, reuniu cerca
de meio milhão de pessoas protestando contra o governo Goulart.

20 março


A associação de Marinheiros e Fuzileiros Navais, numa quebra de disciplina, pede a exoneração do
ministro da Marinha. Lideres do movimento são presos.

25 março


Marinheiros e Fuzileiros Navais realizam no sindicato dos Metalúrgicos juntamente com a CGT,
apesar da proibição do ministro da Marinha. São detidos e imediatamente postos em liberdade.
Saem em manifestação.

31 março


O governador de Minas Gerais, Magalhães Pinto, lança manifesto público, rompendo com o
presidente. Outros comandantes militares e os governadores da Guanabara e São Paulo ­ Carlos
Lacerda e Ademar de Barros ­ unem-se ao movimento opositor.



Golpe militar com o apoio diplomático e estratégico de Washington.

1º abril


Os golpistas recebem apoio do General Amaury Kruel, Comandante do II Exército.



Goulart viaja ao Rio Grande do Sul onde o governador Leonel Brizola tenta organizar a resistência.



O prédio da UNE é incendiado.



Deposto Miguel Arraes, governador de Pernambuco.



O líder comunista Gregório Bezerra é amarrado e arrastado por policiais pelas ruas de Recife.

2 abril


Marcha da Família com Deus pela Liberdade, liderada pelo ex-presidente Eurico Gaspar Dutra, no Rio
de Janeiro.



Congresso Nacional declara vaga a Presidência da República. Ranieri Mazzilli assume o governo e
convoca eleições indiretas para 11 de abril. A partir de então os presidentes passam a ser eleitos pelo
congresso.

4 abril


Goulart pede asilo político no Uruguai.

9 abril


Invasão da Universidade de Brasília (UnB), pela policia militar.

10 abril


Padre Francisco Laje Pessoa (Padre Laje), deputado pelo PTB, e coordenador do Conselho de
Sindicalização Rural, é preso e barbaramente torturado em Brasília, Belo Horizonte e Juiz de Fora
(MG)

11 abril


O Congresso Nacional (com dezenas de perseguidos e presos) aprova como presidente da República
o marechal Humberto de Alencar Castelo Branco, chefe do Estado-Maior do Exército e coordenador
da conspiração contra Goulart.

18 abril


Fechada a Radio de Olinda, emissora da Arquidiocese, de Pernambuco, quando transmitia programa
do MEB.

2 maio


Brasil rompe relações com Cuba.

29 maio


Conferencia Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) emite documento de apoio ao golpe.

Governo de Castelo Branco
1964-66
1º junho


Promulgada a lei que decreta a ilegalidade de quase todas as greves, conhecida pelos operários como
lei Antigreve.

13 junho


Cria-se o Serviço Nacional de Informação (SNI).

Junho


Governo Poe em prática política de austeridade econômica e estimula os investimentos norteamericanos.

27 outubro


Promulgada a lei Suplicy, que extinguia a UNE, as UEEs vedava aos estudantes a participação em
questões políticas e suprimia a liberdade organizativa.



A AP emite um documento que desmascara a campanha anticomunista e de apoio ao golpe militar
da ala conservadora do clero brasileiro.



Noticiado que em 1963 que a inflação alcançou recorde de 84%!

1965

13 janeiro


O FMI oferece crédito ao Brasil no valor de 125 milhões de dólares.

Assinado os acordos da Aliança para o Progresso entre os governos brasileiro e norteamericano.
22 abril
Atentado a bomba nas oficinas do jornal O Estado de São Paulo.
23 maio


Governo assina o acordo MEC-Usaid, para adaptação das universidades brasileiras ao
modelo norte-americano.

19 junho
Soldados brasileiros são enviados para apoiar a invasão da República Dominicana.
julho
XXVII Congresso da UNE, o último realizado abertamente.
julho
Anuncia-se no Rio Grande do Sul a formação das Forças Armadas de Libertação Nacional,
grupo guerrilheiro que será desbaratado antes do final do ano.
3 outubro
Candidatos de oposição triunfam espetacularmente nas eleições realizadas para
governadores de Estados.
18 outubro
Fechada a Universidade de Brasília, invadida pela segunda vez. Quinze professores são presos
e 210 demitem-se em solidariedade.
27 outubro
Militares reagem, editam o Ato Institucional nº2. Dissolvem os partidos políticos. Criam
apenas dois partidos: Arena, do governo e MDB, de "oposição".

1966
5 fevereiro
Ato Institucional nº 3. maio
Surge o Partido Comunista Revolucionário (PCR), dissidência do PCB.
25 junho

Bomba explode no aeroporto de Recife, onde desembarcaria o presidente Costa e Silva.
Atentado promovido por militantes da AP, sem autorização da direção. Este acontecimento
marca o início de uma série de ações violentas em oposição à ditadura militar.
Julho
Atentado a bomba contra a Associação Brasileira de Imprensa.
Marighela é eleito primeiro-secretário do comitê estadual do PCB de São Paulo.
23 setembro
Repressão aos estudantes universitários conhecida como Massacre de Praia
Vermelha, no Rio de Janeiro.
30 setembro
Condenado a seis anos de prisão o padre Alípio de Freitas. Padre Alípio já acumulava
inúmeros processos, anteriores a 64, por sua defesa intransigente da reforma agrária,
e participação nos movimentos camponeses.
Dezembro
Marighela renuncia à Comissão Executiva Nacional do PCB.

1967
24 janeiro
Congresso aprova nova Constituição autoritária e uma Lei de Imprensa que restringe ainda
mais as liberdades permitidas aos periódicos.

Governo de Costa e Silva
1967-69
10 março
Eleito para a Presidência da República, de forma indireta. O marechal Costa e Silva
por 295 votos, 45 abstenções e com 136 deputados do MDB ausentes. Toma posse
em 15 de março.
3 abril
São presos oito guerrilheiros do Movimento Nacional Revolucionário (MNR). Que estavam se
preparando para luta armada na Serra de Caparaó, entre Minas Geras e Espírito Santo.
Movimento ligado a Brizola.
Julho
Marighela viaja a Cuba para participar na Conferência de OLAS (Organização Latino
Americana de Solidariedade).
Setembro

Fundação da COLINA, cisão da Polop.
Novembro
VI Congresso do PCB. São oficialmente expulsos: Carlos Marighela, Mário Alves,
Câmara Ferreira, Apolônio de Carvalho, Jacob Gorender, Miguel Batista dos Santos e
Jover Telles.
Novembro
Surge o Movimento Intersindical Antiarrocho (MIA).
Surge a Ala Vermelha, dissidência do PCdoB, por defender a luta armada.
Presos os estudantes Jorge Gonzaga e Natanael José da Silva, o seminarista Carlos
Azevedo Rosa e o diácono francês Guy Michel Thibaut, membros da Juventude
Diocesana Católica (Judica), ligada ao bispo de Volta Redonda, dom Valdir Calheiros.

1968
Janeiro
I Encontro Nacional Operário, em Belo Horizonte, Minas Gerais.
28 março
Choque entre estudantes e a Polícia Militar do Rio de Janeiro, quando da invasão,
pela polícia, do restaurante Calabouço. Morre o estudante Edson Luís.
Março
Reação de indignação contra a morte de Edson Luís provoca passeatas em vários
Estados. No Rio 20 mil pessoas participam do cortejo fúnebre.
1e abril
O estudante Jorge Aprígio de Paula e o escriturário David de Souza Neiva são mortos;
200 pessoas são presas e 100 ficam feridas (Rio de Janeiro). No mesmo dia é morto
em Goiânia o estudante Ivo Vieira durante repressão a manifestações estudantis.
20 abril
Bomba explode no prédio do jornal O Estado de São Paulo, abril
Greve dos metalúrgicos de Contagem, Minas Gerais.
Fundação do PCBR ­ Partido Comunista Brasileiro Revolucionário, de lideranças
dissidentes do PCB.
Fundação do Partido Operário Comunista (POC) pela fusão da Polop com a
Dissidência Leninista do Rio Grande do Sul (dissidentes do PCB com influência no
movimento estudantil).
Junho

Paralisações espontâneas e breves nas grandes fábricas automobilísticas de São
Bernardo.
22 junho
Comando da Organização "O" (VPR) invade o Corpo de Guarda do Hospital Militar no
Cambuci - SP.
26 junho
Realiza-se no Rio de Janeiro a Passeata dos Cem Mil, manifestação em protesto pelo
assassinato do estudante Edson Luís pela polícia.
Um comando da "O" (VPR) lança um carro-bomba com 50 kg de dinamite contra o edifício
de alojamento de oficiais no Quartel General do II Exército. Morre o soldado Mário Kojel
Filho.
17 julho
Preso na cidade de Botucatu o padre José Eduardo Augusti quando apoiava uma
manifestação de estudantes de medicina.
18 julho
O Comando de Caça aos Comunistas (CCC), Organização terrorista de extrema direita,
invade e depreda o teatro onde se apresentava a peça "Roda Viva", de Chico Buarque
de Holanda. Vários artistas são espancados.
22 julho
Atentado a bomba contra a sede da Associação Brasileira de Imprensa (ABI).
28 julho
Greve operária na Cobrasma em Osasco, São Paulo.
29 julho
Preso o padre operário Pierre-Joseph Wauthier,participante da greve de Osasco.
Expulso do país.
Agosto
A Universidade de Brasília é invadida pela terceira vez.
4 outubro
Jornalista Pery, Cotta do Correio da manha denuncia "Operação mata-estudante"
articulada por um destacamento do Pára - SAR.
12 outubro
Comando da "O" (VPR) elimina capitão norte-americano Rodney Chandler, suspeito
de ser agente da CIA.

12 outubro
Detidos mil delegados da UNE que tentavam realizar o XXX Congresso da organização
em Ibiúna, São Paulo.
19 dezembro
Comando da VPR adquire um importante carregamento de armas da loja Diana, em
São Paulo.
3 dezembro
O governo decreta o Ato Institucional nº 5. Dissolve o Congresso e o presidente
assume plenos poderes. A imprensa fica sob total censura.
15 dezembro
Presos os professores Bedé e Santini, ligados à pastoral de dom Valdir Calheiros, em
Volta Redonda (RJ).
Dezembro
Fechados os espaços institucionais, intensifica-se as ações armadas na cidade e no
campo como forma principal de luta contra a ditadura.
A diretoria da UNE, na clandestinidade, convoca greve nacional. Surge o grupo
comunista Primeiro de Maio por ruptura com o POR.
Dissidência do PCB, dirigido por Marighela, toma o nome de Ação de Libertação
Nacional (ALN).
Começam a surgir as Comunidades Eclesiais de Base (CEBs).

1969
26 janeiro
Fogem do quartel de Quintaúna o capitão Carlos Lamarca e sete outros
militares, levando farto material bélico.
Janeiro
Resolução do PCdoB "Guerra Popular: Caminho da Luta Armada no Brasil"
defende inicio da luta armada.
Fevereiro
Decretado o Ato Institucional nº 6, suspendendo as eleições parciais que se
realizariam naquele ano.
Março
Demissão do ministro do Interior como Reflexo das crescentes tensões dentro
do exército pela entrega de áreas de Mato Grosso e Amazônia.

2 maio
Presos sacerdotes, religiosas e militantes da Juventude Operária Católica
quando encenavam uma peça de teatro em Canoas, RS.
29 junho
Criação da Operação Bandeirante (OBAN), força unificada antiguerilheira,
subordinada ao II Exército e financiada pelos setores da burguesia paulista.
Um dos principais organismos da repressão militar.
19 julho
Surge a Vanguarda Armada-Palmares (VAR-Palmares) pela fusão de militantes
da VPR de Colina, um grupo de Minas, grupos do Rio Grande do Sul (parte da
União Operária e parte do movimento estudantil autodenominado
Brancaleone).
15 agosto
Doze guerrilheiros da ALN ocupam a estação transmissora da Radio Nacional,
em Pirapórinha, e passam um manifesto lido por Carlos Marighela
31 agosto
Vítima de trombose, Costa e Silva sai do governo. Um junta formada pelos
chefes das Forças Armadas assume a presidência interinamente, impedindo a
posse do vice-presidente, o civil Pedro Aleixo.
4 setembro
Como resposta a esse novo golpe de Estado é seqüestrado o embaixador
norte-americano Burke Elbrick. Ação realizada pela ANL e MR-8. Os
seqüestradores exigem a libertação de 15 presos políticos e a publicação, na
imprensa, de um manifesto contra a ditadura militar.
18 setembro
A Junta Militar assina a nova Lei de Segurança Nacional, inspirada na doutrina
de segurança nacional norte-americana.
19 setembro
Ato Institucional nº14 institui pena de morte para crimes ditos subversivos ou
de "guerra revolucionaria".
Setembro

Surge um novo Movimento Revolucionário Tiradentes (MRT) fundado pela
união dos grupos de Devanir e de Plínio Peterson provenientes da Ala
Vermelha (ALA)
Congresso do VAR-Palmares. Discussão em torno ao foco guerrilheiro gera
divergências. Um grupo liderado por Lamarca sai e faz ressurgir a VRP.
17 outubro
A Junta Militar promulga a Emenda Constitucional nº 1 que, implicitamente,
revoga a constituição de 67.
22 outubro
É convocado o Legislativo para referendar a eleição do general Médici à
Presidência.

Governo de Garrastazu Médici
1969 - 74
30 outubro
Assume a Presidência o general Emílio Garrastazu Mediei, ex-chefe do
Serviço Nacional de Informação (SNI).
Outubro
Preso novamente o padre José Eduardo Augusti quando ajudava os
preparativos do Congresso da UBES
2 novembro
Presos, no Rio, os dominicanos freis Fernando e Ivo, acusados de
ligação com Marighela.
4 novembro
Carlos Marighela é morto em São Paulo, numa emboscada.
29 novembro
Um jato da Varig, com 95 pessoas a bordo, é seqüestrado e levado para
Cuba.
Guerrilhas urbanas aparecem em alguns Estados.
Surge o Partido Revolucionário dos Trabalhadores (PRT).
Comando direitista assassina o sacerdote Antônio Henrique Pereira
Neto, colaborador de dom Hélder Câmara.

1970

19 janeiro
Outro avião é desviado para Cuba. O seqüestro é promovido por cinco membros da
VAR-Palmares.
12 janeiro
Golpe no PCBR. Morre, na tortura o secretário-geral Mário Alves. Prisão de Apotônio
de Carvalho e Jacob Gorender.
13 janeiro
Ratificação do decreto-lei estabelecendo censura prévia a livros e jornais.
Fevereiro
Surge a Fração Bolchevique Trotskista (FBT).
11 março
Seqüestro do cônsul do Japão em São Paulo, Nobuo Okushi, em troca de cinco presos
políticos, que são enviados ao México e banidos pelo governo militar.
18 abril
O Exército ocupa o Vale da Ribeira, em São Paulo, perseguindo membros da VPR que
conseguem fugir.
Abril
A antiga Polop renasce sob a denominação de Organização < Marxista LeninistaPolítica Operária (OCML-PO) Surge a Fração Bolchevique (FB) dentro da OCML-PO
maio
A Oban passa a denominar-se Departamento de Operações e Informações-Centro de
Operação e Defesa Interna (DOI-CODI).
21 maio
No presídio Tiradentes: um grupo de presos se declara decepcionados com a
militância revolucionária e proclamam seu apoio ao governo Mediei. A ditadura
militar inaugura o período de promoção aos "terroristas arrependidos".
11 junho
VPR e ALN seqüestram o embaixador da Alemanha Ocidental Ehrefried von Holleben.
5 novembro

Eleições para a Câmara de Deputados. A Arena faz maioria. Votos nulos e brancos (31
%) superam os do MDB (21 %) provocando crise no partido.
Novembro
O padre Natanael Campo e dois militantes da JOC de Volta Redonda são
arbitrariamente presos e, no trajeto para o quartel, sofrem atentado. São retirados
do hospital e levados ao quartel. Torturados violentamente.
7 dezembro
Giovanni Enrico Bucher, embaixador da Suíça no Brasil, é seqüestrado no Rio de
Janeiro.
12 dezembro
Eduardo Leite (o Bacuri), militante da VPR, é torturado e morto pelo DOPS, em São
Paulo.

1971
14 janeiro
70 presos políticos são trocados pelo embaixador Bucher. São banidos do território
brasileiro e remetidos ao Chile.
27 janeiro
Presos por agentes do Dops o padre italiano Giulio Vicini e a assistente social Iara
Spadini, acusados de estarem portando material subversivo. A constatação das
torturas sofridas foi determinante para uma postura decidida da Igreja na defesa dos
direitos humanos.
Janeiro
Exílio de Prestes.
21 março
Ação Popular se proclama partido, sob denominação de Popular Marxista-Leninista
(AP-MA).
Abril
Lamarca abandona a VPR e e se incorpora ao MR-8.
Maio
O PRT desaparece como organização, com a captura de um dos últimos dirigentes,
Altino Dantas Jr.
28 junho

Preso o padre Geraldo Oliveira Lima, vigário de Novo Oriente Ceará, quando
regressava de um Encontro de Evangelização.
15 setembro
Stuart Angel Jones, militante do MR-8, é torturado até a morte no Centro de
Informação e Segurança da Aeronáutica (Cisa).
17 setembro
Carlos Lamarca é morto na Bahia.
20 setembro
Condenado pela Auditoria militar, o padre Hélio Soares do Amaral, de Altinópolis, SP.
Cumpriu pena no presídio Tiradentes.
17 novembro
Decreto-lei autoriza o presidente da República a editar decretos secretos. No mesmo
dia Mediei decreta o primeiro deles.
O PCdoB começa os preparativos para a guerrilha na região do Araguaia.

1972
12 abril
Primeira campana do exército contra a guerrilha do Araguaia ( entre os Estados do
Pará, Maranhão e Goiás), promovida por um grupo guerrilheiro do PCdoB. Decidem
Internar-se na selva e resistir
2 junho
Presos e barbaramente torturados o padre Roberto e a freira Maria das Graças,
acusados de envolvimento com a guerrilha do Araguaia. A irmã Maria das Graças ficou
psicologicamente desequilibrada.
14 junho
Agentes do DOI-CODI cercam quatro dirigentes da ALN e os metralha.
13 julho
Luís José da Cunha, último coordenador da ALN, morre baleado por policiais.
Julho
O Exército se retira do Araguaia, desmoralizado, com baixas e sem conseguir derrotar
a guerrilha.
Setembro

O Exército reinicia as ações no Araguaia. Tenta conquistar a população. Não consegue
derrotar a guerrilha. Finalizada esta campanha, intensifica o trabalho de doutrinação
contra a guerrilha.
18 dezembro
Condenado com pena de reclusão o padre Carlos Gilberto Morais, de Bagé-RS.
Desmantelada a Comissão de Intendência e Logística da guerrilha do Araguaia, porém
continua a luta na região.
MDB obtém maioria de votos em 31 dos 100 maiores centros urbanos do país nas
eleições para prefeitos e vereadores.
Luiz Inácio da Silva, Lula, assume o cargo de Diretor do Departamento de Previdência
Social do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo e Diadema.
O PCB sofre sérios golpes no Comitê Central e Comitê Regional de São Paulo, com
muitos presos.
O padre Comblin, belga, é expulso do país.

1973
Janeiro
O Comitê Central da AP-ML decide pela incorporação ao PCdoB.
Fevereiro
Em Assunção os chanceleres do Paraguai e Brasil firmam o Tratado de Itaipu, pelo
quais ambos os governos se comprometem com a construção da hidrelétrica de
Itaipu. No Rio Paraná.
17 março
O estudante Alexandre Vannuchi Leme, da Universidade de São Paulo, é morto pela
polícia, sob acusação de pertencer à ALN.
28 maio
Condenado a 10 anos de prisão Francisco Jentel, padre da prelazia de São Félix do
Araguaia. Absolvido pelo STM em 74, gestões entre o governo brasileiro e Francês
combinam sua volta à França. Por ter sido absolvido, volta ao Brasil em dezembro de
75, e no dia 12, é preso e barbaramente torturado. Recambiado para a França morre
em conseqüência dos sofrimentos que lhes foram infligidos.
4 setembro
Ulysses Guimarães (presidente) e Alexandre Barbosa Lima Sobrinho (vice-presidente)
são lançados pelo MDB como candidatos da oposição à Presidência da República.
14 setembro

A Arena homologa a chapa composta pelos generais Ernesto Geisel (presidente) e
Adalberto Pereira dos Santos (vice-presidente) para a eleição indireta à Presidência.
Outubro
Terceira campanha contra a guerrilha do Araguaia. Destruída a comissão militar, a
guerrilha perde o apoio dos camponeses e um a um os guerrilheiros são localizados e
mortos. Morre em combate o comandante Maurício Grabois.
O Ministro de Justiça Alfredo Buzaid reorganiza o Colégio Eleitoral.
Inicia-se o Movimento do Custo de Vida (MCV) posteriormente denominado
Movimento Contra a Carestia.
Honestino Guimarães, presidente da UNE é preso e morto em circunstâncias não
esclarecidas, estando declarado como "desaparecido".

1974
15 janeiro
Eleito o general Ernesto Geisel presidente.
Fevereiro
Começa campanha pela anistia. Criação do Movimento de Mulheres pela Anistia, organizado
pela advogada Therezinha Zerbini.

Governo de Ernesto Geisel
1974-79
15 março
Assume a Presidência o general Geisel.
O governo Geisel liberaliza as regras eleitorais.
Abril
Termina a guerrilha do Araguaia com a morte de um dos membros do comando
Orlando Costa.
Agosto
Conferência Nacional da Ordem dos Advogados do Brasil aprova uma moção pela
Anistia aos presos políticos.
Novembro
Realizam-se eleições parlamentares.
MDB conquista maioria no Senado e quase a metade das vagas na Câmara Federal.
160 deputados federais.
Agravamento do processo de contradições entre o setor burguês estatal e o privado.

PCB sofre mais de uma escalada repressiva. O Comitê Central decide abandonar o
país. Os comunistas paulistas criam a Comissão Estadual de Reorganização, que logo
seria reconhecida pelo partido, como máximo órgão dirigente do partido no Estado.
Preso e barbaramente torturado o pastor evangélico norte-americano Fred Morris,
amigo de dom Hélder Câmara.
Começa a desmoronar o "milagre brasileiro".

1975
Outubro
Morre vítima das torturas o jornalista Vladimir Herzog, no DOI-CODI.
Luiz Inácio da Silva, Lula, é eleito presidente do Sindicato de Metalúrgicos de São
Bernardo.
O ABCD Jornal é lançado.
Surge em Goiânia, a Comissão Pastoral da Terra (CPT), organizada pelos bispos
progressistas da Amazônia, contrários ao regime militar, para acompanhar os
crescentes conflitos de terra.

1976
17 janeiro
Manuel Fiel Filho, jovem operário, morre nas dependências de DOI-CODI. Como
conseqüência, Geisel demite o general Eduardo D'Ávila Mello, comandante do II
Exército.
24 junho
Aprovação da Lei Falcão, que impõe restrições à campanha eleitoral no rádio e na TV.
19 julho
Explosão de uma bomba na sede do ABI; outra bomba, colocada na OAB, não chega a
explodir.
4 setembro
Uma bomba explode no Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (CEBRAP). A AAB
reivindica a autoria.
22 setembro
A AAA seqüestra, espanca e ameaça de morte o bispo de Nova Iguaçu (RJ), dom
Adriano Hipólito. No mesmo dia, a AAA explode uma bomba na residência do
empresário e jornalista Roberto Marinho, dono da TV Globo.
6 dezembro
- A AAA lança uma bomba contra a sede da editoria Civilização Brasileira, no Rio de
Janeiro.

6 dezembro
Morre, no Uruguai, o ex-presidente João Goulart.
O padre João Bosco Penido Burnier é assassinado por dois policiais militares, em
Ribeirão Bonito, prelazia de São Félix do Araguaia.
16 dezembro
Agentes do II Exército matam três dirigentes do PCdoB no bairro da Lapa, em São
Paulo.
Criação da Organização Socialista Internacionalista (OSI).
Congresso Nacional de Estudantes decide não reativar a UNE por causa da repressão.
Criação do Movimento de Emancipação do Proletariado (MEP).

1977
Fevereiro
Voto contrário do MDB ao projeto de Reforma Judicial.
Março
Assembléia das CEBs reúne setecentos delegados. 13 abril
O presidente Geisel decreta o recesso do Congresso, que rejeitara sua proposta de
reforma judiciária, e institui eleições indiretas para governadores de Estados.
13 abril
O governo imite uma série de decretos conhecido com o nome de "Pacote de Abril".
O Congresso é reaberto. As medidas se estendem até o dia 14.
julho
O governo impede a realização da 29ª reunião da Sociedade Brasileira para o
Progresso da Ciência (SBPC).
Agosto
Centenas de juristas, parlamentares a intelectuais subscrevem o documento Carta aos
Brasileiros, divulgada pelo jurista Goffredo Telles.
Agosto
Forma-se em São Paulo, pela primeira vez em dez anos, a primeira União Estadual de
Estudantes (UEE).
setembro
A Igreja realiza o Ato Solene de Solidariedade aos Injustiçados e
Oprimidos, que termina com mais de 50 prisões e agressões aos manifestantes.
22 setembro

A polícia invade a PUC-SP e fere gravemente dois estudantes.
29 setembro
A polícia impede a realização do III Encontro Nacional dos Estudantes no campus da
USP. A reunião é transferida para a PUC-SP.
Outubro
Início do Movimento pela Reposição Salarial.
11 novembro
O Supremo Tribunal Militar pede a apuração de denúncias de torturas apresentadas
pelos réus da Justiça Militar.
31 dezembro
O general Geisel indica o general João Batista de Oliveira Figueiredo seu sucessor.
Fundação do Em Tempo. São publicadas duas edições experimentais no final do ano.
O nº 1 sai em 23 de janeiro de 78.
Primeira manifestação púbica pela Anistia em Porto Alegre.
I Congresso de MR-8, referenda sua linha política iniciada em 1972. Autocritica-se por
seu militarismo e antisovietismo.
Manifestações antitortura na PVC do Rio de Janeiro lideradas pelo MEP.
Presos em Recife o padre Lawrence Rosebaugh e o pastor protestante Thomas
Capuano, norte-americanos, amigos de dom Hélder Câmara, que viviam como
mendigos.

1978
28 janeiro
Lançado o Movimento da Convergência Socialista.
Janeiro
Foi agregado à legislação trabalhista um artigo específico determinando a proibição
de centrais sindicais.
Fevereiro
Lula é reeleito Presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo e Diadema.
Criação do Comitê Brasileiro pela Anistia, no Rio de Janeiro.
2 maio
Metalúrgicos da Scania, em São Bernardo do Campo, paralisam suas atividades. As
greves se estendem a todo o Estado de São Paulo.

Julho
IV Congresso da Confederação de Trabalhadores da Indústria (CNTI).
Lula lança a idéia do PT durante a Conferência de Petroleiros da Bahia.
Agosto
A assembléia da CNBB aprova um chamado dos Bispos do Brasil, que pede a anistia.
27 agosto
Grande mobilização do Movimento pelo Custo de Vida com a entrega ao governo de
um abaixo-assinado exigindo a redução do custo de vida, com um milhão e trezentas
mil assinaturas. Há 20 mil participantes.
Formação da Convergência Socialista (CS).
São liberados da censura de imprensa o diário Tribuna de Imprensa (Rio de Janeiro) e
os semanários Movimento e O São Paulo (da Arquidiocese de São Paulo).
Lei proíbe greves em bancos e nos setores de transporte, comunicação, energia
elétrica, petróleo, gás e demais combustíveis, água e esgoto, carga e descarga,
hospitais. E ainda em ambulatórios, maternidades, farmácias e drogarias.
Lançado o periódico da Convergência Socialista.
Wagner Benevides toma posse como presidente do Sindicato dos Petroleiros de
Minas Gerais e convoca os trabalhadores para formar o PT.
10 outubro
Revogado o AI-5 e os demais atos institucionais aprovados anteriormente.
15 outubro
Eleito pelo colégio eleitoral manipulado, o general João Batista Figueiredo. Promove a
anistia. Esta não é irrestrita, mas favorece amplos setores da oposição que se
encontravam no exílio.
27 outubro
A família de Vladimir Herzog vence na Justiça a ação declaratória contra a União pela
morte do jornalista.
15 novembro
Arena obtém 15 milhões de votos para a Câmara e MDB, 14,8 milhões. PCB e PCdoB
elegem deputados no Rio de Janeiro e São Paulo sob a legenda do MDB.
27 novembro
Aprovada a nova lei de Segurança Nacional.
Novembro
Congresso pela Anistia, aprovando uma Carta de Princípios, em São Paulo.

7 dezembro
Fim da censura prévia a comerciais de rádio e TV.
11 dezembro
Lula propõe a um grupo de sindicalistas a criação de um Partido dos Trabalhadores
(PT).
29 dezembro
O presidente Geisel revoga o banimento de presos políticos trocados por
embaixadores seqüestrados.

1979
Janeiro
Em Lins realiza-se o IX Congresso de Metalúrgicos de São Paulo, que defende a tese
propondo a formação do PT.
Fevereiro
Primeira reunião conspirativa Pró-PT. Resolve-se elaborar uma Carta de Princípios.

Governo de João B. Figueiredo
1979-85
15 março
O general Figueiredo toma posse na Presidência da República.
14 março
Cerca de 80 mil metalúrgicos do ABC paulista entram em greve.
22 março
Grevistas do ABC rejeitam propostas de empresários e continuam a greve.
23 março
Governo intervém no sindicato dos metalúrgicos de S. Bernardo.
O governo intervém nos sindicatos.
Março
Lula não aparece nas assembléias.
Lula volta. Reunião na Assembléia Legislativa decide continuar a greve.
27 março
Lula aceita trégua de 45 dias. Metalúrgicos voltam ao trabalho.

10 Abril
O MEP lança seu jornal, O Companheiro.
Abril
Desenvolve-se por todo o país a discussão sobre a Carta de Princípios do PT.
19 maio
Lançamento da Carta de Princípios do PT.
Maio
Greves se estendem pela região de São Paulo.
15 maio
Revogada a intervenção do sindicato dos metalúrgicos do ABC.
27 maio
Grupo de líderes sindicais organiza comissão pró-PT em Porto Alegre.
29 maio
A UNE realiza seu XXXI Congresso, em Salvador.
Junho
Greves se estendem ao resto do país. Greve de 65 mil funcionários públicos em São
Paulo. Somam-se 250 mil funcionários do Estado. O mesmo ocorre em Porto Alegre.
No Rio de Janeiro, 65 mil professores entraram em greve. Em Belo Horizonte ocorre
importante greve dos trabalhadores da construção civil.
28 agosto
Figueiredo sanciona a Lei de Anistia.
30 setembro
Série de debates dá início ao lançamento do PT no Rio de Janeiro.
Outubro
O movimento grevista retoma impulso nos centros de vanguarda dos metalúrgicos de
São Pátio, Guarulhos e Osasco.
Existem organizações Pró-PT em 14 Estados.
13 outubro
Primeira reunião orgânica do PT no restaurante São Judas Tadeu. Elaboração da
Declaração Política. Lançamento do Movimento Pró-PT.
29 outubro

Metalúrgicos de São Paulo e Guarulhos entram em greve.
30 outubro
Assassinado o operário Santo Dias da Silva, por policiais militares durante um piquete
na fábrica Silvânia, em SP.
21-22 novembro
Reforma partidária termina com o sistema bi partidarista. A Arena e o MDB, são
dissolvidos e, para substituí-los surgem novos partidos: o Partido Democrático Social
(PDS), (sucessor da Arena); o Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB);
o Partido Democrático Trabalhista (PDT); o PT e o PTB.
20 dezembro
Explosão de uma bomba na Catedral, em Nova Iguaçu, na onda de atentados contra
dom Adriano Hipólito.
Dezembro





Congresso de fundação da Democracia Socialista (DS).
Comissão Mista sobre Anistia elabora informe minucioso sobre presos políticos.
Encontro Nacional de Metalúrgicos realizado em Poços de Caldas, Minas Gerais.
Formação da Causa Operária, filiada à Tendência IV Internacional (TQI), com
dissidentes da OSI.

1980
10 fevereiro
Fundação Legal do PT no Colégio Sion.
14 fevereiro
18a Assembléia Geral Extraordinária de Bispos do Brasil aprova o Documento da
Terra.
Fevereiro
Surge a Articulação Nacional dos Movimentos Populares e Sindicais (Anampos).
Abril
Novos movimentos grevistas no ABC e mais 15 cidades do interior paulista.
1º abril
Prestes publica sua Carta aos Comunistas tornando públicas suas divergências com o
PCB. Faz uma autocrítica de seu trabalho e do partido.
17 abril

Ministro do trabalho decreta a intervenção do Sindicato dos Metalúrgicos de São
Bernardo e Santo André.
19 abril
Detidos Lula e a direção do sindicato.
19 maio
São Bernardo: manifestação de 100.000 pessoas, com a cidade ocupada pela Polícia
Militar e tropas do Exército.
19 maio
Prestes é substituído de seu cargo como secretário-geral do PCB sem ser excluído do
Comitê Central.
Maio
Encontro Nacional dos Trabalhadores em Oposição à Estrutura Sindical. Em sua
organização participam: a Oposição Sindical Metalúrgica de São Paulo, o sindicato de
bancários e de Couros de São Paulo, os metalúrgicos de São Bernardo do Campo, etc.
19 junho
Reunião no Instituto Sedes Sapientiae aprova Programa e Estatuto do PT.
6 junho
O Papa João Paulo II inicia visita ao Brasil.
10 julho
^ Numa escalada de a:a_:acos terroristas contra órgãos de imprensa e partidos políticos, a
entrada da sede do PT é destruída a tiros.
27 agosto
Duas bombas enviadas a sede da OAB e ao gabinete do vereador Antônio Carlos (PMDB)
matam a Funcionaria Lyda Monteiro da Silva, da OAB, e fere seis pessoas, no Rio de Janeiro.
4 setembro
Adiadas para 1982 as eleições de novembro de 1980.
13 outubro
A UNE realiza, em Piracicaba (SP), seu XXXII Congresso.
15 outubro

Decretada a expulsão do padre italiano Vito Miracapillo, punido pela Lei dos
Estrangeiros, por ter se negado a celebrar uma missa em comemoração ao dia da
Independência (7 de setembro).
13 novembro
Emenda restabelece eleições diretas para governadores e acaba com os senadores
nomeados ("biônicos").
18 novembro
I Congresso Nacional do PDS. O senador José Sarney é confirmado na presidência do
partido.
Dezembro
Greve geral de trabalhadores da cana (250.000) na Zona da Mata, em Pernambuco.
Greve dos trabalhadores da FIAT duramente reprimida.
I Conferência Nacional da OSI. Autodissolve-se como organização bolchevique e se
declara parte integrante do PT.
O endurecimento do governo, conjuntamente com a recessão econômica de inícios
dos anos 80, faz que o movimento sindical praticamente abandona as greves em
grande escala.

1981
Janeiro
I Congresso de Ala Vermelha (ALA). Sua direção define como linha política a
aproximação com outras organizações comunistas.
25 fevereiro
Lula e demais sindicalistas da greve do ABC de 1980 são julgados e condenados pela
Justiça Militar.
19 abril
O PTB realiza o I Congresso Nacional. Ivete Vargas é eleita presidente do partido.
1- maio
Duas bombas explodem durante os festejos do 1º de maio no Centro de Convenções
Riocentro, no Rio de Janeiro, é um atentado preparado pelo DOI-CODI. Iniciava-se
uma escalada terrorista de extrema direita.
7 junho
O Partido Popular (PP) realiza seu I Congresso Nacional. Tancredo Neves é eleito seu
presidente.
Junho

O PT declara já possuir cerca de duzentos mil filiados e pode realizar encontros
municipais em dezoito Estados, conseguindo cumprir os requisitos legais em dez
deles.
12 julho
O PDT realiza sua Convenção Nacional e elege Leonel Brizola presidente do partido.
6 agosto
O general Golbery do Couto e Silva deixa o Gabinete Civil.
8 agosto
I Encontro Nacional do PT, onde se elege a 1ã Direção Nacional.
Agosto
Congresso de Unificação da DS com a Organização Revolucionária dos Trabalhadores
(composta por militantes da Liga Operária e da Convergência Socialista). Adotam o
nome de Organização Revolucionária Marxista-Democracia Socialista (ORM-DS).
21 agosto
Primeira Conferência da Conclat, apesar das divergências os delegados formam a
Comissão Nacional Pró-Central Única dos Trabalhadores (com maioria da Unidade
Sindical).
2 setembro
O Supremo Tribunal Militar anula a sentença contra Lula e os demais sindicalistas do
ABC e pede novo julgamento.
27 setembro
O PT realiza a Primeira Convenção Oficial realizada em Brasília.
19 outubro
A Justiça responsabiliza a União pela morte de Mário Alves.
12 novembro
XXXIII Congresso da UNE, em Cabo Frio (RJ).
20 dezembro
O PP é incorporado ao PMDB.
Ocorrência de "quebra-quebras" durante quatorze dias em Salvador.
Cerca de 400.000 estudantes participam em greve nacional.
11 janeiro
Lei cria o voto vinculado e proíbe as coligações partidárias.

11 fevereiro
O PT teve seu registro provisório oficialmente concedido.
27 março
II Encontro Nacional do PT.
O PT lança seu primeiro jornal nacional - Jornal dos Trabalhadores.
16 abril
O Supremo Tribunal Militar declara-se incompetente para julgar Lula e outros dez
sindicalistas enquadrados na LSN. Os processos são prescritos no dia 11 de maio.
15 novembro
Eleições diretas para governadores, prefeitos, vereadores, deputados estaduais,
federais e senadores. O PT obtém seus primeiros cargos representativos. Alcançou
3,1% dos votos, em termos absolutos. Elegeram oito deputados federais, dois
estaduais. mais de cem vereadores e duas prefeituras: Diadema e Quitaria.
O PDS vence em doze estados e o PMDB em dez. Leonel Brizola é eleito governador
do Rio de Janeiro. Tancredo Neves de Minas Gerais.
IV Congresso do PCdoB.
III Congresso do MR-8. Parte de seus militantes ingressa no PCB.

1983
Março
Posse dos governadores eleitos.
4 abril
Começa uma onda de saques em Santo Amaro, São Paulo e se estende a outras
cidades do país, principalmente Rio de Janeiro.
17 maio
Início da greve dos funcionários públicos federais de São Paulo que durará 40 dias e
se espalhará por outras regiões do país.
2 junho
Surge a Articulação dos 113 e é lançado seu Manifesto.
21 junho
Encontro Nacional dos Sindicalistas do PT.
21 julho

O movimento sindical combativo faz sua primeira experiência de paralisação nacional. Mais
de 2,5 milhões de trabalhadores foram à greve geral.
26 agosto
Criada a Central Única dos Trabalhadores (CUT).
21 setembro
O Congresso Nacional rejeita por primeira vez desde 1968, um decreto-lei do
Executivo que modificava a legislação salarial e anulava algumas conquistas dos
trabalhadores.
Novembro
Dissidentes do PCB se agrupam em torno de Marco Aurélio de Nogueira e Armênio
Guedes e criam a revista Presença. Outros dissidentes se agrupam em torno de David
Capistrano Filho e lançam o periódico A Esquerda
27 novembro
Primeira manifestação pública do PT pela eleição direta reúne 10 mil pessoas, no
Pacaembu-SP.
30 novembro
Acordo PDS-PTB devolve a maioria ao governo na Câmara e no Senado
12 dezembro
Aprovada nova Lei de Segurança Nacional.
Decreto Lei 2.010 que reorganiza as Polícias Militares (PMs).
A Convergência Socialista muda seu nome para Alicerce da Juventude Socialista (AJS).

1984
21 janeiro
I Congresso do Partido Revolucionário Comunista (PRC), dissidentes do PCdoB.
25 janeiro
Inicia-se a Campanha pelas Diretas-Já que desencadearia mobilizações por todo o
país.
Janeiro
Fundação do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) em Cascavel-PR.
Março
A Justiça Militar de Manaus julgou um grupo de sindicalistas rurais e urbanos,
apoiando-se na Lei de Segurança Nacional, por haver incitado a uma suposta revolta
em julho de 1980. Os denunciados foram absolvidos.

6 abril
III Encontro Nacional do PT. 10 abril
Um milhão de cariocas pedem, nas ruas, o fim ditadura e eleições para presidente.
18 abril
Brasília e cidades vizinhas são postas em "estado de alerta" por 60 dias.
25 abril
Votação no Congresso Nacional da emenda de Dante Oliveira que restabeleceria as
eleições diretas para presidente. É derrotada.
Maio
Congresso da OSI busca aproximar-se à Articulação 113. Seu objetivo é transformar o
PT em um partido da IV Internacional. Aprova a mudança de nome para o de Fração
IV Internacional.
11 junho
O senador José Sarney renuncia à presidência do PDS.
12 julho
Greve geral convocada pela CUT, adquire conotação nacional.
23 julho
O PMDB e a Frente Liberal se unem para lançar Tancredo Neves como candidato à
Presidência da República.
24 agosto
I Congresso Nacional da CUT. São aprovados seus estatutos definitivos.
II Conferência Nacional do MEP. Aprova unidade orgânica com Ala Vermelha e a
OCDP.
15 janeiro
O Colégio Eleitoral escolhe Tancredo Neves como presidente da República com 480
votos.
Janeiro
I Congresso do MST, Curitiba-PR.

Governo José Sarney
2 abril

Djalma Bom, deputado federal do PT, apresenta uma proposta de lei pedindo a
revogação das leis de greve existentes.
21 abril
Morre Tancredo Neves. Sarney assume a Presidência.
17 maio
I Encontro Nacional Sindical do PT.
Maio
Fundação da União Democrática Ruralista (UDR) - organização de latifundiários que
se opôs à reforma agrária.
28 junho
Sarney convoca a Assembléia Nacional Constituinte.
Outubro
II Congresso do PRC. Decide integrar-se ao PT.
Fundação do Movimento Revolucionário (MCR), fruto da unificação orgânica do MEP,
de Ala Vermelha as OCDP .
15 novembro
Eleições para prefeitos e vereadores das capitais, municípios de segurança nacional e
estâncias hidrominerais. O PT obtém quase 1,5 milhões de votos e ganha a prefeitura
de Fortaleza, capital do Estado do Ceará com Maria Luiza Fonteneles (da tendência
PRC).
Nova onda de greves em grande escala.

1986
28 fevereiro
Começa a aplicação do Plano Cruzado: Plano de Estabilização Econômica.
23 março
Formação da CGT, apoiada pelo PCB, PCdoB e MR-8.
11 dezembro
É seqüestrado em São Paulo o empresário Abílio Diniz. Resgatado e detidos seus
captores na véspera do segundo turno eleitoral. A imprensa envolve o PT no episódio.
17 dezembro
Collor de Mello vence a eleição presidencial com 35 milhões de votos, enquanto Lula
obteve 31 milhões.

A campanha eleitoral de Lula para a Presidência do país é apoiada por uma coalizão
de partidos denominada Frente Brasil Popular que inclui o PT, PCdoB e PSB. Lula havia
deixado a presidência do PT para dedicar-se à campanha.

Governo de Fernando C. de Mello
Fevereiro
Lula defende a formação do "governo paralelo".
Morre no Rio de Janeiro Luiz Carlos Prestes.
15 março
Fernando Collor de Melo toma posse na Presidência de República.
16 março
A ministra da Economia anuncia o maior choque econômico da história do país: o
Plano Collor.
Maio
II Congresso Nacional do MST.
31 maio
VII Encontro Nacional do PT. Lula reassume a presidência do partido.
2 julho
Surge o Fórum de São Paulo, convocado pelo PT articulando as principais
organizações de esquerda da América Latina.
4 setembro
IV Congresso Nacional da CUT.
3 outubro
Eleições para governadores, deputados federais e estaduais, vereadores e um terço
do Senado. O PT passa de 16 a 35 deputados federais.
Eduardo Suplicy se converte no primeiro senador do PT, eleito pelo Estado de São
Paulo. Nas Assembléias Legislativas estaduais, o PT consegue 82 deputados, 43 a mais
que nas eleições anteriores, alcançado: representação parlamentar em 24 estados do
país.

1991
22 maio
A CUT e o sindicalismo combativo realizaram uma paralisação nacional, com
características de greve geral, parcialmente vitoriosa.

21 junho
Inaugurado em São Paulo o III Encontro Latino-americano pela Solidariedade, a
Soberania, a Autodeterminação e a Vida de Nossos Povos.
Setembro
Lançado o jornal do PT Brasil Agora.
Novembro
I Congresso do PT, em São Bernardo do Campo - SP.
Jacó Bittar, prefeito de Campinas e fundador do PT é desligado do partido.

1992
22 janeiro
O presidente Collor demite três de seus ministros (Magri, Margarida Procópio e Alceni
Guerra), por denúncias de corrupção.
8 fevereiro
Operários do porto de Santos entram em greve em protesto contra um projeto do
governo de desregulamentar a atividade portuária.
19 fevereiro
Ministro da Infra-Estrutura determina demissão dos portuários grevistas de Santos.
26 fevereiro
V Petroleiros entram em greve. Seis das dez refinarias da Petrobrás estão paradas.
19 março
Termina a greve dos portuários de Santos.
8 março
Cerca de 10 mil pessoas participam de manifestação de protesto promovida pelo
Movimento de Mulheres Agricultoras, CUT, CPT, MST e a secretaria agrária do PT.
18 março
Tribunal Superior do Trabalho julga abusiva a greve dos petroleiros e determina a
volta de 30% dos grevistas para evitar o colapso na produção de combustíveis, cf. Lei
de Greve.
21 março
Petroleiros suspender a greve e retornam ao trabalho.
22 março

II Congresso Nacional de Metalúrgicos. Fundada a Confederação Nacional de
Trabalhadores Metalúrgicos.
19 abril
Collor articula a renúncia coletiva do ministério.
30 abril
É votada no Congresso nova lei salarial.
11 maio
Começa greve de transporte em São Paulo. Dura nove dias.
17 maio
Assassinado em São Paulo o governador de Acre, Edmundo Pinto.
20 maio
Depois de lançar uma série de denúncias sobre o esquema de corrupção do
empresário PC Farias no governo federal, Pedro Collor, irmão do presidente, dá
entrevista a Veja, que toma inevitável a instauração de uma CPI do Congresso.
Maio
Produz-se uma onda de saques a supermercados nas regiões mais pobres do Rio de
Janeiro.
6 junho
Começa no Rio a Conferência da ONU sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento (ECO92).
15 junho
Realiza-se V Plenária da CUT, estende-se até o dia 17.
27 junho
São condenados seis camponeses acusados pela morte do soldado Valdeci Lopes, durante
manifestação do MST em agosto de 1990, Porto Alegre/P 5
Junho
Greve nacional de sete dias dos portuários, contra a privatização, paralisou
completamente os quinze principais portos do país.
7 julho
Manifestação popular diante do Congresso Nacional, promovido pelo Movimento
Democrático contra a Impunidade. Os manifestantes pedem o impedimento do chefe
do governo.

20 julho
Começa Terceira Jornada Nacional pela Reforma Agrária.
11 agosto
Centenas de milhares de estudantes saem às ruas em São Paulo e Rio, em
manifestações convocadas pela UNE para pedir o impeachment de Collor. Nas
semanas seguintes o movimento irá se espalhar por todo o país e reunir multidões
cada vez maiores.
16 agosto
As ruas de quase todas as capitais vestem-se de negro, em grandes manifestações
populares em resposta a Collor, que dias antes convocara o povo a usar roupas verdeamarelas em seu apoio.
26 agosto
A CPI do caso PC Farias encerra suas atividades aprovando por 16 votos a 5 um
relatório que pede o impeachment de Collor.
26 agosto
Os metalúrgicos do ABC fazem concentração em São Bernardo contra o presidente
Collor.
25 setembro
Greve nacional dos petroleiros.
29 setembro
A Câmara Federal aprova, com dezenas de votos a mais que necessários, a
autorização para que o Senado faça o julgamento Collor por crime de
responsabilidade. O povo festeja nas ruas.

Governo Itamar Franco
1992-94
2 outubro
O vice-presidente Itamar Franco toma posse.
A Polícia Militar de São Paulo reprime brutalmente uma rebelião as presos corriqueira
na penitenciária do Carandiru. 111 detentos são assassinados, a maior parte deles já
rendidos e trancafiados em suas celas.
3 outubro
Primeiro turno das eleições municipais. As forças de esquerda e dá centro-esquerda
beneficiam-se da mobilização popular pelo impeachment, e ampliam

substancialmente sua votação nas capitais. No interior, no entanto, onde o PMDB e o
PFL conseguem manter sua força tradicional, os progressistas alcançam resultados
pouco expressivos.
11 outubro
Acidente aéreo de helicóptero mata o deputado Ulysses Guimarães e o ex-ministro
Severo Gomes.
5 novembro
O presidente Itamar Franco envia ao Congresso proposta de reforma fiscal.
15 novembro
Segundo turno das eleições municipais. A esquerda obtém resultados importantes em
todas as regiões do país e conquista as prefeituras de Porto Alegre, Belo Horizonte,
Salvador, Natal, São Luís e Goiânia. Perde, porém, em São Paulo. O PT conquista 55
prefeituras.

1993
Fevereiro
Lula, na representação do governo paralelo, propõe ao governo de Itamar Franco a
"Política Nacional de Segurança Alimentar".
Fevereiro
V A ex-prefeita de São Paulo, Luiza Erundina assume a Secretaria de Administração do
governo Itamar Franco.
Fevereiro
VO PT decide suspender por um ano os direitos e deveres de filiada de Luiza Erundina.
14 março
O plebiscito interno realizado pelo PT, sobre o sistema do governo. De 100 mil
votantes (aproximadamente 15% do total de filiados no país) cerca de 70 mil
escolheram o presidencialismo.
21 abril

Realiza-se plebiscito nacional. Ganha o presidencialismo.
11 junho
VIII Encontro Nacional do PT.
11 agosto

Os estudantes realizam passeata contra a continuidade da aplicação do projeto
neoliberal.
18 agosto
Itamar Franco propõe ao Congresso Nacional uma revisão constitucional, a ser
realizada em outubro desse ano.
22 setembro
O Senado aprova nova lei eleitoral.
5 outubro
V Concentraram-se frente ao Congresso Nacional caravanas provenientes de todos os
Estados, convocadas pelo Movimento Cívico Nacional Contra a Revisão Eleitoral.
27 outubro
Encontro Nacional em Defesa das Estatais e do Patrimônio Público. Concluído no dia
28 em Brasília.
28 outubro
I Congresso Nacional de Movimentos Populares, em Belo Horizonte, funda a Central
dos Movimentos Populares (CMP).
23 novembro
Manifestação condena pacote econômico, privatizações e revisão constitucional.
A Justiça brasileira inabilita Fernando Collor a ser eleito para cargo público.
Novas denúncias de corrupção atingem parlamentares. Abre-se a investigação.