EVOLUÇÃO DA EXPORTAÇÃO E IMPORTAÇÃO NO BRASIL

Matheus Augusto O. F. Camargo Coelho¹, Friedhilde M. K. Manolescu²
1 ­ Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas ­ FCSA ­ Universidade do Vale do Paraíba. Av. Shishima
Hifumi 2911 ­ Urbanova, 12244-000 ­ São José dos Campos ­ SP. e-mail: [email protected]
2 ­ Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento ­ IP&D - Universidade do Vale do Paraíba. Av. Shishima
Hifumi, 2911 Urbanova - 12244-000 - São José dos Campos - SP - Brasil - e-mail: [email protected]
Resumo- A exportação e importação de bens são fatores importantes para o crescimento econômico de
um país, as exportações são somadas ao consumo, investimentos, gastos do governo, e a importações são
deduzidas na composição da demanda agregada do país. Quando há aumento de exportações significa que
o mercado interno foi atendido sobrando produção para ser consumido pelos estrangeiros, elevando assim
a renda nacional, o emprego e contribuindo para o ingresso de divisas estrangeiras. As importações apesar
de diminuir a renda nacional, pois estimula o emprego e a renda em outros países, permite o consumo
doméstico de produtos não produzidos internamente, quer seja por falta de insumos ou tecnologia
adequada.
Palavras-chave: Exportação, Importação, Balança Comercial, Economia Brasileira.
Área do Conhecimento: VII ­ Ciências Sociais Aplicadas.

Introdução
O comércio internacional é uma atividade que
representa a transação de bens entre povos
desde épocas remotas, onde ocorriam trocas de
mercadorias na forma de escambo, sem um valor
financeiro.
Ao longo do tempo, os povos/países foram
evoluindo, fazendo tratados de cambio comercial
através de palpites e influencias de setores
internos do governo, mas sem um estudo de
viabilidade econômica nem qualquer outro tipo de
apoio matemático nas decisões de troca.
A exportação e importação nada mais é que a
troca de mercadorias com um valor financeiro,
onde a exportação é a saída de bens e serviços
para os outros países e a importação consiste na
entrada de produtos e serviços do exterior no país,
por parte dos países que deles necessitam, e na
entrada de mercadorias estrangeiras no país.
A exportação e importação são fatores
importantes para o equilíbrio da economia de um
país, pois são variáveis que somadas ao consumo,
investimentos, gastos do governo, determinam o
Produto Interno Bruto de um país (PIB).
Exportação

aumentando seu leque, o que representa uma
maior segurança para seu crescimento.
Tabela 1: Evolução da Exportação Brasileira em
bilhões de dólares
BLOCOS
U.E
E.U.A
ALADI
Mercosul
Ásia
Oriente Médio
África

2000
14,8
13,4
12,9
7,7
6,3
1,4
1,3

%
2006
%
27
30,4
25
23
24,7
21
22
17,4
14
13
13,9
12
11
20,8
17
2
5,7
5
2
7,4
6

Fonte: MDIC / SECEX

Analisando a tabela 1 vemos que é notório o
crescimento de vendas de produtos para todos os
blocos econômicos. Vemos que a participação do
Oriente Médio e da África teve um aumento
significativo em porcentagem nos últimos 6 anos
subindo de 2% para 5% o Oriente Médio e de 2%
para 7% na África. Mas podemos destacar o
crescimento participativo da Ásia que em 2000 era
apenas o 5 bloco com participação de 6% nas
exportações brasileiras, e hoje se encontra como o
3 bloco que mais importa produtos brasileiros,
subindo para 20%.

O Brasil tem aumentado significativamente
suas exportações, e consequentemente tem
diversificado a venda para compradores,

XI Encontro Latino Americano de Iniciação Científica e
VII Encontro Latino Americano de Pós-Graduação ­ Universidade do Vale do Paraíba

2504

Tabela 2: Produtos Exportados
ANO

semiman Manufat
Básicos ufaturado urado TOTAL

1980
1985
1990
1995
2000
2006

8,4
8,5
8,7
10,9
12,5
40,3

2,3
2,7
5,1
9,1
8,5
19,5

9,1
14,1
17,1
25,5
32,5
74,6

19,8
25,3
30,9
45,5
53,5
134,4

Fonte: MDIC / SECEX

A tabela 2 podemos acompanhar o crescimento
da produção. E vemos que o principal produto
mais rentável para o país é os manufaturados com
destaque para carros de passeio, aviões,
aparelhos transmissores e receptores e peças de
veículos. Já os produtos básicos mais exportados
são minério de ferro, óleo bruto de petróleo, soja
em grãos e carne bovina. Nos produtos
semimanufaturados são açúcar de cana, pasta
química de madeira, semimanufaturado de ferro e
aço e couro e pele.
O jornal a Folha de São Paulo, 17 Junho de
2007, diz que industrias sofisticada exportam
menos e perdem produtividade, isso porque a
economia brasileira sofre esclerose precoce (
Marcio Pochmann). Com base nos dados do IBGE
a indústria de baixo valor agregado viu sua
produtividade aumentar cerca de 18% entre 2000
e 2005. Já a evolução da produtividade dos
setores de alto valor agregado foi negativo em
17,6%.
Na tabela a seguir veremos os estados que
mais exportam.

Com o aumento das exportações o Brasil tem
aumentado suas importações sem causar rombo
na balança comercial, para investir em tecnologias
e novos produtos para que esse retorno seja ainda
maior.
Tabela 4: Importação Brasileira 2006
BLOCOS
U.E
E.U.A
ALADI
Mercosul
Ásia
Oriente Médio
África
total

MILHÕES US$
21,2
15,9
8,6
10,1
21,9
4,4
9,3
91,4

%
24,1
17,9
8,9
10,7
24,9
3,8
9,7
100

Fonte: MDIC / SECEX

Hoje em 2006 podemos ver que o Brasil tem
diversificado a compra de produtos do exterior. Na
tabela 4 vemos que o principal fornecedor é a
Ásia, devido aos seus baixos preços, por causa da
mão-de-obra barata e com isso tem ganhado o
mercado mundial. Em seguida temos a União
Européia com 24,1% dos gastos nacionais e E.U.A
com 14,9%.
Tabela 5: Produtos Importados
PRODUTOS
MILHÕES US$
Básicos
17,2
Semimanufaturados
4,3
Manufaturados
69,9
total
91,4
Fonte: MDIC / SECEX

Tabela 3: Estados que mais Exportam
ESTADOS
MILHÕES US$ PARTICIP %
São Paulo
3536,8
52,5
Rio de Janeiro
2190,3
32,5
Minas Gerais
166,7
2,7
Paraná
164,2
2,6
RioGrande do Sul
114,6
2,2
Outros
500,9
7,5
Total
6172,6
100

Os produtos que o Brasil mais importa são os
produtos manufaturados, por causa de novas
tecnologias para que se tenha um produto de
melhor qualidade e ganhe a concorrência do
mercado tão competitivo. Em seguida são os
produtos básicos com 17,2 milhões, para que se
tenha a matéria-prima para a transformação do
produto
e
por
ultimo
os
produtos
semimanufaturados.

Fonte: Banco Central

Como já era esperado o principal estado
exportador é São Paulo com 52,5% de toda
exportação do país, seguido pelo Rio de Janeiro
com 32,5% e os demais estados que estão abaixo
dos 3%, sendo as empresas que mais exportam
são a Petrobrás, Vale do Rio Doce, Embraer e
Volkswagen.

Importação

Tabela 6: Estados que mais importam
ESTADOS
MILHÕES US$ PARTICIP %
Rio de Janeiro
3852,1
41,2
São Paulo
3769,8
40,3
Paraná
344,6
3,7
Minas Grais
310,2
3,3
Rio Grande do Sul
222,1
2,4
Outros
840,9
9,1
9339,7
100
Total
Fonte: Banco Central

XI Encontro Latino Americano de Iniciação Científica e
VII Encontro Latino Americano de Pós-Graduação ­ Universidade do Vale do Paraíba

2505

Os estados que mais importam produtos do
exterior são em primeiro lugar Rio de Janeiro, em
seguida São Paulo. Isso já era esperado porque
são os Estados que mais exportam, e para manter
o mercado e ganhar novos mercados é preciso
investir em novas tecnologias, mas às vezes não
compensa produzir essas tecnologias e sim
importar para diminuir os custo e manter os preços
mais baixos.
As empresas que mais importam são
Petrobrás, Embraer, Refap, Motorola. E os
produtos mais importados são:

Pode-se entender que o Brasil tem tido um
crescimento econômico nos últimos 6 anos, por
causa da influencia do crescimento mundial.
Vemos que o Brasil tem aumentado seu leque de
transações comerciais, isso é muito bom porque
se houver uma crise isso não o abala diretamente,
mas ainda é pouco e o deixa dependente ainda de
alguns blocos econômicos.

-

Básico: Petróleo Bruto, Gás natural,
Minério de cobre, Trigo.

Referências Bibliográficas

-

Semimanufaturado: Cobre, Cloreto de
potássio, borracha sintética e artificial,
minério de ferro e aço.

http://www.bndes.gov.br/exportacao/default.asp
acessado em 26/04/2007

-

Manufaturado: Circuito integrado e
microconjuntos elétricos, peças de
aparelhos
transmissores
e
receptores, peças de automóveis e
tratores, medicamentos.

Em 2006 o Brasil alcançou a cifra US$ 228.9
bilhões nas transações comerciais com o exterior,
resultando exportações de 137,5 e importações de
91,4 bilhões de US$ ampliando seu fluxo de
comercio, gerando mais renda, emprego e divisas
no País.

http://www.desenvolvimento.gov.br/sitio/secex/dep
PlaDesComExterior/indEstatisticas/balComercial.p
hp acessado em 06/05/2007

http://granatyr.vilabol.uol.com.br/exportacao.htm
acessado em 13/05/2007
http://www.aeb.org.br/Estatisticas_Comercio_Exter
ior_2006.pdf acessado em 18/06/2007
http://www.desenvolvimento.gov.br/arquivo/secex/
evoexpbrafaturamento/expagregado.xls acessado
em 18/06/2007

Figura 1
Balança Comercial em milhões de US$
160000
140000
120000
100000
80000
60000
40000
20000
0
-20000

http://www.ai.com.br/pessoal/indices/BALCOM.HT
M acessado em 01/05/2007

http://www.ipea.gov.br/sites/000/2/boletim_conjunt
ura/boletim76/bc76f_Conj_Externo.pdf acessado
em 06/05/2007

Balança Comercial

US$ milhões

Conclusão

Exportação
Importação

Castro, José A.; Moraes, M. V. Pratini.
Exportação Aspectos Práticos e Operacionais.
São Paulo: Aduneiras, 4ª Edição. 2002.

Saldo

1980

1985

1990

1995

2000

2006

Blanchard, Oliver. Macroeconomia. São Paulo:
Pearson, 3ª Edição. 2004.

Período

Fonte: Banco Central

Observando o gráfico acima se pode perceber
que ao longo de 2006, o setor externo da
economia brasileira logrou registrar o maior saldo
positivo de suas transações econômicas, fechando
a balança comercial em US$46115,00 milhões de
dólares. Esse crescimento tem acontecido devido
ao crescimento mundial e por esta causa que o
Brasil tem tido superávit na balança comercial

desde de 2000.

XI Encontro Latino Americano de Iniciação Científica e
VII Encontro Latino Americano de Pós-Graduação ­ Universidade do Vale do Paraíba

2506