INMETRO
Publicação mensal editada pelo Centro de Informação e Difusão Tecnológica do INMETRO

Vol.17

Nº:7

Julho de 1998

História da metrologia no
Brasil é tema de livro inédito
Já está à venda o livro Medida, normalização e qualidade: aspectos da história da
Metrologia no Brasil (253 páginas, 10 mil exemplares),
lançado pelo INMETRO dia
26 de junho, na Biblioteca
Nacional, no Rio de Janeiro.
"De todos os eventos,
talvez o de maior emoção
seja este", declarou o presidente do INMETRO, Julio
Bueno. Durante a festa foi
prestada homenagem póstuma ao ex-presidente do
Instituto Moacyr Reis, responsável pela fusão dos organismos de metrologia,

qualidade e normalização.
Editado em conjunto pelo
INMETRO e pela Fundação
Getúlio Vargas, o livro é o resultado de 15 meses de pesquisa feita pelo historiador
José Luciano de Mattos Dias,
do Centro de Pesquisa e
Documentação em História
Contemporânea do Brasil
(CPDOC).
Na
ocasião,
José
Luciano agradeceu a oportunidade para realizar o trabalho. "Os parceiros do
INMETRO sempre mostraram entusiasmo e colaboraram para o trabalho", disse.

Tolerância de ruído em
brinquedos será reduzida
Pesquisadoras da Universidade do Vale do Itajaí,
de Itajaí (SC), estiveram no
INMETRO para avaliar a revisão da medição e avaliação de ruído da norma de
segurança de brinquedos
(NBR 11786). A revisão da
norma vai determinar níveis
de ruído mais baixos para
brinquedos. As especialistas em fonoaudiologia estiveram no Campus de
Xerém de 6 a 16 de julho.
Segundo o técnico da
DIAVI, Rodrigo Costa-Félix,
as fonoaudiológas catarinenses devem entregar o
relatório sobre suas avaliaçoes dentro de um mês.
"Elas fizeram ensaios com-

parativos entre o uso dos
dois tipos de ambientes previstos na norma: uma sala
comum que atende aos requisitos e uma câmara
semi-anecóica", disse Costa-Félix.
A revisão da regra faz
parte da iniciativa que pretende reduzir o nível de ruído emitido por brinquedos
e definir com mais detalhes
os métodos a serem empregados na medição. A longo
prazo, a intenção é, com
base em avaliações sobre
os malefícios do ruído em
crianças, adotar valores
que não impliquem risco à
saúde auditiva, ação prevista na própria norma.

Sistema métrico e poesia no Império

O Instituto vai destinar
cinco mil exemplares para
distribuição em escolas e
universidades, segundo Tomás Chlebnicek Gonzalez,
do CIDIT, responsável pelo
acompanhamento do trabalho de pesquisa para a produção do livro.
O livro revela fatos curiosos sobre a história da
metrologia no Brasil. Em
1855, por exemplo, o poeta
Gonçalves Dias assinou
manifesto a favor da implan-

tação do sistema métrico no
Brasil. E, se dependesse do
deputado gaúcho Candido
Batista, que apresentou
uma proposta de lei em
1830, o País poderia ter adotado o sistema decimal sete
anos antes da França.
O livro conta, também,
a história da formação da
Rede Nacional de Metrologia Legal, em que se
destaca a atuação de Cyro
Trigo, atual diretor do
IPEM-SP.

Certificação

Carne de novilho -- O INMETRO e o
Ministério da Agricultura e Abastecimento vão
estabelecer juntos os critérios para o
credenciamento da Associação Brasileira de
Novilhos Precoces, que ficará responsável pela
certificação dos animais. A decisão foi tomada em
reunião no dia 2 de julho.

Componentes de sistemas de
gás combustível -- O INMETRO está
iniciando o processo de certificação de componentes
do sistema de gás metano usados em veículos.
Segundo Marcos Aurélio Barradas e Ítalo Domenico
de Oliveto, responsáveis pelo processo, no momento
estão sendo estabelecidos os procedimentos e
critérios para a certificação, que será compulsória.
O processo vai atender à Resolução 25 do Contran
e deve ser finalizado até o dia 21 de setembro.
Outra etapa será a certificação de determinados
equipamentos de operação nos postos de
abastecimento de veículos movidos a gás metano
veicular. Atualmente, o Instituto vem desenvolvendo
atividades de aprovação de modelos de bombas de
combustível para o gás metano.

Sumário
Resenha Legal
Regulamentos Técnicos em Vigor
lllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllll
MS/SVS, MS/GM, MAA/GM
Regulamentos Técnicos em Consulta Pública
Mercosul, MS/SVS, MAA/SDA
llllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllll
Portarias INMETRO/Aprovação de Modelos
llllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllll
Alterações e revogações lllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllll
Índice de Assunto
lllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllll

03
04
04 e 05

05
05 e 06

Notificações da Organização Mundial do Comércio - OMC
lllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllll

06 a 08

Certificação
llllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllll
Meio Ambiente
llllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllll
Normalização
llllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllll
Qualidade
lllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllll
Saúde lllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllll

08 e 09
09
09 e 10
10
10

Notificações

Resumos

Normas ISO
Publicadas em junho de 1998

lllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllll

11 a16

Publica legislação de interesse do SINMETRO, relação de Normas ISO e Mercosul, notificações dos países signatários da Organização
Mundial do Comércio-OMC, resumos e referências bibliográficas de interesse para as instituições integrantes do SINMETRO e Resoluções do
Grupo Mercado Comum do Mercosul.
Ministério da Indústria,
do Comércio e do Turismo
Ministro
José Botafogo Gonçalves
Instituto Nacional de Metrologia,
Normalização e Qualidade Industrial INMETRO
Presidente
Julio Cesar Carmo Bueno

Centro de Informação e
Difusão Tecnológica - CIDIT
Chefe
Paulo Roberto Braga e Mello
Produção e distribuição
Serviço de Publicações do CIDIT
Diagramação
Margem Editora
Impressão
Serviço de Artes Gráficas do INMETRO

Tiragem
1 .000 exemplares
Cartas
Av. N. S. das Graças, 50
CEP: 25250-020, Xerém, D. de Caxias RJ - Telefax: (021)679-1409
Distribuição gratuita mediante solicitação ao
INMETRO/Serviço de Publicações o do CIDIT;
Av. N. S. das Graças 50; CEP:25250-020,
Xerém - Duque de Caxias - RJ,FAX (021)6791409, email: [email protected]

Resenha Legal
Nesta seção são publicados os mais recentes regulamentos técnicos em vigor e aqueles
submetidos à consulta pública, tanto do INMETRO como de outros órgãos, e também as portarias
de aprovação de modelos INMETRO/DIMEL. O texto completo do regulamento pode ser obtido
através de solicitação ao Centro de Informação Tecnológica (CIDIT) do INMETRO/Biblioteca Central
(BICEN), à Av. N. S. das Graças, 50, 25250-020, Xerém, Duque de Caxias, RJ, tel: (021)679-9293;
e-mail: [email protected], ou mediante acesso à base de dados de regulamentos técnicos
federais disponível na home page do INMETRO: http://www.inmetro.gov.br

REGULAMENTOS TÉCNICOS EM VIGOR
INMETRO
Filtros adicionais para óleo diesel
Portaria INMETRO nº 103, de 16 de
junho de 1998, publicada no DO de 22
de junho de 1998 - S.I. p. 036. Dispõe
sobre a concessão de prazo para que
os fabricantes dos modelos de filtros
adicionais para óleo diesel, tipo
prensa, para instalação em bombas
medidoras, apresentem, à Diretoria de
Metrologia Legal, laudo de um labora-

MS/SVS, MS/GM, MAA/GM
Bebidas e vinagres, vinhos e
derivados da uva e do vinho
Portaria MAA/GM nº 283, de 18 de
junho de 1998, publicada no DO de
22 de junho de 1998 - S.I. p. 026-8.
Aprova as normas de requisitos,
critérios e procedimentos, para o
registro de estabelecimento, bebidas
e vinagres, inclusive vinhos e
derivados da uva e do vinho, e
expedição dos respectivos
certificados.
Chás - plantas destinadas à
preparação de infusões ou
decocções
Portaria MS/SVS nº 519, de 26 de
junho de 1998, publicada no DO de
29 de junho de 1998 - S.I. nº 121-E p.
007-9. Aprova o Regulamento
Técnico para Fixação de Identidade e
Qualidade de CHÁS - PLANTAS
DESTINADAS À PREPARAÇÃO DE
INFUSÕES OU DECOCÇÕES.
Revoga, em especial, a Portaria SVS/
MS nº 032/96 e o item Chás da
Resolução CNNPA nº 12/78, e dá
outras providências.

tório de ensaios, credenciado pela
Autarquia, atestando sua adequação
aos requisitos de segurança em
atmosferas explosivas, e dá outras
providências. - (Ref. Resoluções
CONMETRO nº 05/88 e 08/92; Portaria
INMETRO nº 121/96).

Prorrogação de prazo
Portaria INMETRO nº 78, de 20 de
maio de 1998, publicada no DO de 04
de junho de 1998 - S.I. p. 043. Dispõe

Composto de erva-mate
(*) Portaria MS/SVS nº 233, de 25 de
março de 1998, publicada no DO de
26 de março de 1998 - S.I. nº 58-E p.
006-7. Aprova o Regulamento
Técnico que Fixa a Identidade e
Qualidade para COMPOSTO DE
ERVA-MATE, e dá outras
providências. (*) REPUBLICADA, NO
DO DE 29 DE JUNHO DE 1998 - S.I.
nº 121-E P. 006-7, POR TER SAÍDO
COM INCORREÇÃO DO ORIGINAL.
Erva-mate
(*) Portaria MS/SVS nº 234, de 25 de
março de 1998, publicada no DO de
26 de março de 1998 - S.I. nº 58-E p.
006-7. Aprova o Regulamento
Técnico que Fixa a Identidade e
Qualidade para ERVA-MATE. Revoga
em especial, a Portaria nº 363, de 23
de julho de 1996, e dá outras
providências. (*) REPUBLICADA, NO
DO DE 29 DE JUNHO DE 1998 - S.I.
nº 121-E P. 007, POR TER SAÍDO
COM INCORREÇÃO DO ORIGINAL.
Medicamento
Portaria MS/GM nº 2.814, de 29 de
maio de 1998, publicada no DO de

sobre a prorrogação do prazo de vigência
das Portarias nº 087/97, 096/97 e 104/97,
e dá outras providências. - (Ref. Portaria
INMETRO nº 047, de 16.03.98).
Portaria INMETRO nº 102, de 16 de
junho de 1998, publicada no DO de 22
de junho de 1998 - S.I. p. 036. Dispõe
sobre a prorrogação do prazo de
vigência das Portarias INMETRO nº
141/97, 127/97 e 006/98, 029/98, e dá
outras providências.

01 de junho de 1998 - S.I. p. 013.
Estabelece procedimentos a serem
observados pelas empresas
produtoras, importadoras,
distribuidoras e do comércio
farmacêutico, objetivando a
comprovação, em caráter de
urgência, da identidade e qualidade
de medicamento, mantendo as
características de composição,
acondicionamento e embalagem dos
seus produtos, e dá outras
providências.

Radiodiagnóstico médico e
odontológico/Raios - X diagnósticos
Portaria MS/SVS nº 453, de 01 de
junho de 1998, publicada no DO de
02 de junho de 1998 - S.I. nº 103-E p.
007-16. Aprova o Regulamento
Técnico que estabelece as diretrizes
básicas de proteção radiológica em
radiodiagnóstico médico e
odontológico, dispõe sobre o uso dos
RAIOS-X diagnósticos em todo o
território nacional, e dá outras
providências.

REGULAMENTOS TÉCNICOS EM CONSULTA PÚBLICA
MERCOSUL
Produtos têxteis
Recomendação SGT-3/MERCOSUL
nº 8A, de 27 de março de 1998,
publicada no DO de 08 de junho de
1998 - S.I. p. 159. Publica, para
consulta pública, sumário de projeto
de Regulamento Técnico de
Etiquetagem de Produtos Têxteis. (Ref. Resolução CONMETRO nº 02/
96, Portaria INMETRO nº 154/96 e
Resolução GMC nº 152/96).
MS/SVS, MAA/SDA
Resíduos biológicos em leite
Portaria MAA/SDA nº 072, de 03 de
junho de 1998, publicada no DO de
08 de junho de 1998 - S.I. p. 131-36.
Submete à consulta pública, Projeto
de Portaria que dispõe sobre a
aprovação do Programa de Controle
de Resíduos Biológicos em Leite PCRBL, no interesse da saúde
humana e animal, e dá outras
providências.

Resíduos biológicos em mel
Portaria MAA/SDA nº 071, de 03 de
junho de 1998, publicada no DO de
08 de junho de 1998 - S.I. p. 126-31.
Submete à consulta pública, Projeto
de Portaria que dispõe sobre a
aprovação do Programa de Controle
de Resíduos Biológicos em Mel PCRBM, no interesse da saúde
humana e animal, e dá outras
providências.
Resíduos biológicos em pescado
Portaria MAA/SDA nº 073, de 03 de
junho de 1998, publicada no DO de
09 de junho de 1998 - S.I. p. 136-41.
Submete à consulta pública, Projeto
de Portaria que dispõe sobre a
aprovação do Programa de Controle
de Resíduos Biológicos em Pescado
- PCRBP, no interesse da saúde
humana e animal, e dá outras
providências.
Serviços de tratamento intensivo
Portaria MS/SVS nº 466, de 04 de
junho de 1998, publicada no DO de

05 de junho de 1998 - S.I. nº 106-E p.
009-18. Submete à consulta pública,
Proposta de Portaria que estabelece
o Regulamento Técnico para o
Funcionamento dos Serviços de
Tratamento Intensivo e sua
respectiva classificação de acordo
com o grau de complexidade,
capacidade de atendimento e grau
de risco inerente ao tipo de
atendimento prestado, e dá outras
providências. - (Ref. Resolução
CONMETRO nº 05/95).

Terapia de nutrição enteral
Portaria MS/SVS nº 484, de 15 de
junho de 1998, publicada no DO de
17 de junho de 1998 - S.I. nº 113-E p.
002-14. Submete à consulta pública,
Proposta de Regulamento Técnico
para fixar os requisitos mínimos
exigidos para Terapia de Nutrição
Enteral, e dá outras providências. (Ref. Portaria MS/SVS nº 517/97 e
Resolução CONMETRO nº 05/95).

PORTARIAS INMETRO/APROVAÇÃO DE MODELOS
Bomba medidora de combustíveis
líquidos
Portaria INMETRO/DIMEL nº 35, de 08
de junho de 1998, publicada no DO
de 22 de junho de 1998 - S.I. p. 0367. Aprova, em caráter provisório, os
modelos G/2001-P, G/2201-P, G/
2003-P, G/2203-P, G/2007-P, G/2207P, G/2009-P e G/2209-P de bomba
medidora de combustíveis líquidos,
marca WAYNE.
Portaria INMETRO/DIMEL nº 36, de 08
de junho de 1998, publicada no DO
de 22 de junho de 1998 - S.I. p. 037.
Aprova, em caráter provisório, os
modelos G/2001-D, G/2201-D, G/
2003-D, G/2203-D, G/2007-P, G/2207D, G/2009-D e G/2209-D de bomba
medidora de combustíveis líquidos,
marca WAYNE.
Portaria INMETRO/DIMEL nº 37, de 08
de junho de 1998, publicada no DO
de 22 de junho de 1998 - S.I. p. 037.
Aprova, em caráter provisório, os
modelos G/3397-D, G/4397-D, G/
3399-D, G/4399-D, G/3390-D, G/
4390-D, G/3490-D e G/4490-D de

bomba medidora de combustíveis
líquidos, marca WAYNE.
Portaria INMETRO/DIMEL nº 38, de 08
de junho de 1998, publicada no DO
de 22 de junho de 1998 - S.I. p. 037.
Aprova, em caráter provisório, os
modelos G/3397-P, G/4397-P, G/
3399-P, G/4399-P, G/3390-P, G/4390P, G/3490-P e G/4490-P de bomba
medidora de combustíveis líquidos,
marca WAYNE.

Dispositivo indicador da balança de
funcionamento não automático
Portaria INMETRO/DIMEL nº 52, de 19
de junho de 1998, publicada no DO
de 29 de junho de 1998 - S.I. p. 070.
Aprova opcionalmente a modificação
do formato do dispositivo indicador
da balança de funcionamento não
automático, de equilíbrio automático,
eletrônica, digital, computadora de
preços, marca HOBART, modelo
SP600 aprovada pela Portaria
INMETRO/DIMEL nº 012/98.
Equipamento para bombeamento,
filtragem e medição de óleo diesel/

4
INMETRO Informação; V.17, (7); Julho/98

alteração
Portaria INMETRO/DIMEL nº 49, de 19
de junho de 1998, publicada no DO
de 29 de junho de 1998 - S.I. p. 070.
Modifica os subitens 1.2, 1.4 e 3.3 e
insere os subitens 1.6.1.4 e 3.3.1 na
Portaria INMETRO/DIMEL nº 026/92.
Equipamentos para filtragem
adicional de óleo diesel/alteração
Portaria INMETRO/DIMEL nº 50, de 19
de junho de 1998, publicada no DO
de 29 de junho de 1998 - S.I. p. 070.
Modifica os subitens 1.2, 1.4, 3.2 e
4.2 e insere o subitem 3.1.4 na
Portaria INMETRO/DIMEL nº 018/88.
Hidrômetro
Portaria INMETRO/DIMEL nº 43, de 12
de junho de 1998, publicada no DO
de 22 de junho de 1998 - S.I. p. 037.
Substitui os desenhos do hidrômetro
modelo MTY-A2 pelos desenhos
atualizados, na Portaria INMETRO/
DIMEL nº 186/96.
Portaria INMETRO/DIMEL nº 44, de 12
de junho de 1998, publicada no DO
de 22 de junho de 1998 - S.I. p. 037.

Substitui os desenhos do hidrômetro
modelo MTY-A1 pelos desenhos
atualizados, na Portaria INMETRO/
DIMEL nº 189/96.

Hidrômetro/alteração
Portaria INMETRO/DIMEL nº 45, de 12
de junho de 1998, publicada no DO
de 22 de junho de 1998 - S.I. p. 037.
Insere os subitens 1.2.1 e 5.3 e
altera o subitem 4.1 na Portaria
INMETRO/DIMEL nº 152/96.
Hidrômetro multijato, mecânico,
úmido
Portaria INMETRO/DIMEL nº 46, de 12
de junho de 1998, publicada no DO
de 22 de junho de 1998 - S.I. p. 037.
Aprova o hidrômetro multijato,
mecânico, úmido, ou opcionalmente,
com roletes imerso em meio próprio,
marca NANSEN, modelo MTC-5,
vazão nominal 2,5 m3/h, classe C,
DN 20, fabricado por NANSEN DO
NORDESTE S.A.
Mangueira para uso em bombas
medidoras de combustíveis líquidos
Portaria INMETRO/DIMEL nº 47, de 15
de junho de 1998, publicada no DO
de 22 de junho de 1998 - S.I. p. 037.
Aprova, ressalvados os aspectos
legais de importação, o modelo
VOLUKLER de mangueira para uso
em bombas medidoras de
combustíveis líquidos, marca
TRELLEBORG VOLUKLER.

Medidor de energia elétrica ativa de
indução
Portaria INMETRO/DIMEL nº 41, de 09
de junho de 1998, publicada no DO
de 29 de junho de 1998 - S.I. p. 070.
Aprova o modelo E892G2, de
medidor de energia elétrica ativa de
indução, monofásico marca
ISKRAEMECO.
Portaria INMETRO/DIMEL nº 42, de 09
de junho de 1998, publicada no DO
de 29 de junho de 1998 - S.I. p. 070.
Aprova o modelo E89G2, de medidor
de energia elétrica ativa de indução,
monofásico marca ISKRAEMECO.

Medidor de velocidade de veículos
automotivos
Portaria INMETRO/DIMEL nº 34, de 08
de junho de 1998, publicada no DO
de 22 de junho de 1998 - S.I. p. 036.
Autoriza, em caráter opcional, a
utilização de nova forma de
configuração de instalação,
possibilitando medição em dois
sentidos opostos, do modelo T2, de
medidor de velocidade de veículos
automotivos, marca PERKONS,
aprovado pela Portaria INMETRO/
DIMEL nº 041/96.
Medidores de velocidade de veículos
automotivos
Portaria INMETRO/DIMEL nº 32, de 08
de junho de 1998, publicada no DO
de 22 de junho de 1998 - S.I. p. 036.

Aprova, em caráter provisório, os
modelos KLS-1, KLS-2, KLS-3, KLS-4
e KLS-5 de medidores de velocidade
de veículos automotivos, marca
KOPP.
Portaria INMETRO/DIMEL nº 33, de 08
de junho de 1998, publicada no DO
de 22 de junho de 1998 - S.I. p. 036.
Aprova, em caráter provisório, os
modelos KPS-1, KPS-2, KPS-3 e
KPS-4, de medidores de velocidade
de veículos automotivos, marca
KOPP.

Peso
Portaria INMETRO/DIMEL nº 40, de 08
de junho de 1998, publicada no DO
de 22 de junho de 1998 - S.I. p. 037.
Aprova, o modelo R-20, de peso,
classe de exatidão M2 marca BLR.
Sistema de automação/alteração
Portaria INMETRO/DIMEL nº 39, de 08
de junho de 1998, publicada no DO
de 22 de junho de 1998 - S.I. p. 037.
Altera o subitem 1.1. da Portaria
INMETRO/DIMEL nº 069/95.
Taxímetro eletrônico digital
Portaria INMETRO/DIMEL nº 51, de 19
de junho de 1998, publicada no DO
de 29 de junho de 1998 - S.I. p. 070.
Aprova, em caráter provisório, o
modelo GREEN de taxímetro
eletrônico digital, marca ARIEL.

ALTERAÇÕES E REVOGAÇÕES
Portaria MS/SVS nº 032/96 Revogada pela Portaria MS/SVS nº
519/98.

Portaria MS/SVS nº 363/96 Revogada pela Portaria MS/SVS nº
234/98.

Item "CHÁS" da Resolução CNNPA
nº 12/78 - Revogado pela Portaria MS/
SVS nº 519/98.

SVS nº 233. pág.03

Filtros adicionais para óleo diesel ­
Portaria INMETRO nº 103. pág.03

ÍNDICE DE ASSUNTO
Bebidas e vinagres, vinhos e
derivados da uva e do vinho ­ Port.
MAA/GM nº 283. pág.03
Bomba medidora de combustíveis
líquidos ­ Port. INMETRO/DIMEL nº
035, 036, 037 e 038. pág.04

Dispositivo indicador da balança de
funcionamento não automático ­
Port. INMETRO/DIMEL nº 052.
pág.04

Hidrômetro ­ Port. INMETRO/DIMEL
nº 043 e 044. pág.04
Hidrômetro multijato, mecânico, úmido
­ Port. INMETRO/DIMEL nº 046. pág.05

Chás - plantas destinadas à preparação de infusões ou decocções ­ Port.
MS/SVS nº 519. pág.03

Equipamento para bombeamento,
filtragem adicional de óleo diesel/
alteração ­ Port. INMETRO/DIMEL nº
049. pág.04

Hidrômetros/alteração ­ Port.
INMETRO/DIMEL nº 045. pág.05

Composto de erva-mate ­ Port. MS/

Erva-mate ­ Port. MS/SVS nº 234.

Mangueira para uso em bombas
5

INMETRO Informação; V.17, (7); julho/98

medidoras de combustíveis líquidos
­ Port. INMETRO/DIMEL nº 047. pág.05
Medicamento ­ Port. MS/GM nº 2.814.
pág.03
Medidor de energia elétrica ativa de
indução ­ Port. INMETRO/DIMEL nº
041 e 042. pág.05
Medidor de velocidade de veículos
automotivos ­ Port. INMETRO/DIMEL
nº 034. pág.05
Medidores de velocidade de veículos
automotivos ­ Port. INMETRO/DIMEL
nº 032 e 033. pág.05

Peso ­ Port. INMETRO/DIMEL nº 040.
Produtos têxteis ­ Recomendação
SGT-3/MERCOSUL nº 8A. pág.05
Prorrogação de prazo ­ Portaria
INMETRO nº 78 e 102. pág.03
Radiodiagnóstico médico e
odontológico/Raios ­ X diagnósticos
­ Port. MS/SVS nº 453. pág.03
Resíduos biológicos em leite ­ Port.
MAA/DAS nº 072. pág.04

Resíduos biológicos em pescado ­
Port. MAA/DAS nº 073. pág.04
Serviço de tratamento intensivo ­
Port. MS/SVS nº 466. pág.04
Sistema de automação/alteração ­
Port. INMETRO/DIMEL nº 039. pág.05
Taxímetro eletrônico digital ­ Port.
INMETRO/DIMEL nº 051. pág.05
Terapia de nutrição enteral ­ Port.
MS/SVS nº 484. pág.04

Resíduos biológicos em mel ­ Port.
MAA/DAS nº 071. pág.04

Notificações da Organização Mundial do Comércio - OMC
Esta seção apresenta as mais recentes Notificações da OMC identificadas por país emissor,
assunto e número. INMETRO mantém um arquivo atualizado da TBT/Notificações emitidas pela
Organização Mundial do Comércio - OMC. Os textos completos dessas notificações poderão ser
obtidos através de contatos com o Enquiry Point Brasileiro no Acordo de Barreiras Técnicas ao
Comércio da OMC, no seguinte endereço: INMETRO/Centro de Informação e Difusão Tecnológica CIDIT: à Rua Santa Alexandrina, 416, 8º andar, 20261-232, Rio de Janeiro, RJ , tel: (021) 563-2851;
fax (021)502-0415; e-mail:[email protected]

NOTIFICAÇÕES
ALEMANHA
Equipamentos de segurança em
embarcações G/TBT/NOTIF. 98.240

em pigmentos usados na coloração
de materiais plásticos G/TBT/NOTIF.
98.183

Aditivos corantes em embalagens e
equipamentos celulósicos G/TBT/
NOTIF. 98.206

BRASIL
Pneus novos para motocicletas,
motonetas e ciclomotores G/TBT/
NOTIF. 98.131

Restos de medicamentos
veterinários G/TBT/NOTIF. 98.184

Aditivos para materiais plásticos G/
TBT/NOTIF. 98.207

Embalagens e equipamentos
celulósicos G/TBT/NOTIF. 98.185

Certificação de conformidade de
chupetas e mamadeiras G/TBT/
NOTIF. 98.235

Medidores de velocidade para
veículos a motor G/TBT/NOTIF.
98.132

Aditivos para materiais plásticos G/
TBT/NOTIF. 98.186

Produtos em forma de gel G/TBT/
NOTIF. 98.133

Alimentos de origem animal G/TBT/
NOTIF. 98.187

Embalagens descartáveis de
polietileno tereftalato (PET) G/TBT/
NOTIF. 98.210

Métodos de análise para álcool
etílico potável de origem agrícola G/
TBT/NOTIF. 98.203

Embalagens e equipamentos
celulósicos G/TBT/NOTIF. 98.181

Equipamento fixo para provisão,
armazenagem e distribuição de água
potável G/TBT/NOTIF. 98.204

Determinação da migração
específica de ácido teraftálico G/TBT/
NOTIF. 98.182
Determinação de aminas aromáticas

Embalagens e equipamentos de
polietileno fluorado em contato
com alimentos G/TBT/NOTIF.
98.205

6
INMETRO Informação; V.17, (7); Julho/98

BÉLGICA
Asbestos G/TBT/NOTIF. 98
Estéreos e fones de ouvido pessoais
G/TBT/NOTIF. 98.153
Modelo para marca de inspeção de
manteiga G/TBT/NOTIF. 98.154
Pesticidas Agrícolas G/TBT/NOTIF.
98.156
Leite e produtos do leite G/TBT/NOTIF.
98.214
Óleos comestíveis G/TBT/NOTIF.
98.215

Massas G/TBT/NOTIF. 98.216

treinamento profissional G/TBT/
NOTIF. 98.239

Redução de taxas para quantidades
de substâncias ativas Diuron and
Simazine usadas como alternativa de
Eco-taxas G/TBT/NOTIF. 98.220

ESPANHA
Equipamento de telecomunicações
G/TBT/NOTIF. 98.221

Condições específicas para
autorização de tráfego aéreo G/TBT/
NOTIF. 98.223

ESTADOS UNIDOS
Ônibus (over-the-road buses ­
OTRBs) G/TBT/NOTIF. 98.171

Fechaduras de segurança G/TBT/
NOTIF. 98.243

Importados e outras mercadorias
com marca registrada G/TBT/NOTIF.
98.172

CANADÁ
Etiqueta com informação de
equipamento terminal certificado G/
TBT/NOTIF. 98.200
Especificação de equipamento
terminal; sistemas de terminais G/
TBT/NOTIF. 98.201
Substâncias tóxicas G/TBT/NOTIF.
98.202

Carne produzida por maquinaria
avançada para separação de carne/
osso e sistemas de recuperação G/
TBT/NOTIF. 98.209
Veículos de passageiros com
múltiplas finalidades G/TBT/NOTIF.
98.217
Suplementos dietéticos G/TBT/NOTIF.
98.228

massa; instrumentos de medição e
medidores de kilowatt/hora G/TBT/
NOTIF. 98.225
Medidores de fluido e instalações
para medição de fluidos G/TBT/NOTIF.
98.226
Regras relativas ao uso de força e
aplicação de dispositivos que
restringem a liberdade de movimento
de pessoas em penitenciárias G/TBT/
NOTIF. 98.227
Material de propagação de
"pelargônio"; Grandes e pequenas
produções de frutas G/TBT/NOTIF.
98.236
Regras para certificação de "Araceae"
e "Alstroemeria"; Regras para
enxerto e transplante de mudas
propagadas por corte G/TBT/NOTIF.
98.237

Dispositivos de iluminação para
rádio frequência G/TBT/NOTIF. 98.229

ISRAEL
Válvulas de ligas de cobre para
instalação de água G/TBT/NOTIF.
98.189

CHILE
Postos de abastecimento de gás
natural comprimido (CNG) G/TBT/
NOTIF. 98.145

Sucos de frutas e vegetais G/TBT/
NOTIF. 98.238

Lentes oftálmicas G/TBT/NOTIF.
98.190

Equipamentos usados em veículos a
motor que utilizam gás natural comprimido (CNG) G/TBT/NOTIF. 98.146

FRANÇA
Código rodoviário relativo à
identificação de veículos a motor que
contribuem para diminuir a poluição
do ar G/TBT/NOTIF. 98.242

Gases medicinais G/TBT/NOTIF.
98.192

FINLÂNDIA
Equipamento terminal de alta
freqüência para conexão à rede
pública de telecomunicações G/TBT/
NOTIF. 98.164

Plugues e tomadas G/TBT/NOTIF.
98.194

HOLANDA
Iodização de sal e pão G/TBT/NOTIF.
98.165

Cabos para rádio frequência G/TBT/
NOTIF. 98.196

Transporte de mercadorias
perigosas G/TBT/NOTIF. 98.218

COMUNIDADE EUROPÉIA
Lâmpadas indicadoras de direção
para veículos a motor e seus
reboques G/TBT/NOTIF. 98.166
Faróis e fontes luminosas para
veículos a motor e seus reboques G/
TBT/NOTIF. 98.167
Lâmpadas dianteiras de nevoeiro
para veículos a motor G/TBT/NOTIF.
98.168
Lâmpadas traseiras de nevoeiro para
veículos a motor e seus reboques G/
TBT/NOTIF. 98.169
Lâmpadas de estacionamento para
veículos a motor G/TBT/NOTIF. 98.170
Produtos agrícolas e gêneros
alimentícios de produção orgânica,
em particular produção de
cogumelos G/TBT/NOTIF. 98.176
DINAMARCA
Embarcações Recreacionais usadas
no fretamento de barcos simples e

Materiais sintéticos com relação a
fabricação de caixões e outros
envoltórios para defuntos G/TBT/
NOTIF. 98.173
Produtos em que o cádmio é usado
como pigmento ou estabilizador ou é
aplicado como camada de superfície
para um produto ou para outros
produtos contendo cádmio G/TBT/
NOTIF. 98.174
Refrigerantes e água G/TBT/NOTIF.
98.175
Equipamentos de medição para
sistemas de medição direta de

Gases de hidrocarbono liquefeito G/
TBT/NOTIF. 98.193

Medidores de gás G/TBT/NOTIF.
98.195

Ataduras medicinais G/TBT/NOTIF.
98.197
Aspiradores de pó G/TBT/NOTIF.
98.198
JAMAICA
Rotulagem de Produtos Têxteis e
Similares G/TBT/NOTIF. 98.208
MÉXICO
Interface da rede pública para
equipamento terminal (NIRPET) G/
TBT/NOTIF. 98.156
Tintas e revestimentos G/TBT/NOTIF.
98.157
7

INMETRO Informação; V.17, (7); julho/98

Containeres para gás liqüefeito de
petróleo G/TBT/NOTIF. 98.158
Equipamento para processamento
de dados G/TBT/NOTIF. 98.178
Medicamentos em geral G/TBT/
NOTIF. 98.179
Produtos cerâmicos "Talavera" G/
TBT/NOTIF. 98.180
Tubos internos para pneus G/TBT/
NOTIF. 98.211
Instruções e garantias para aparelhos
eletrônicos, elétricos e eletrodomésticos G/TBT/NOTIF. 98.212
Alocação e fixação de números de
identificação em veículos G/TBT/
NOTIF. 98.213
REPÚBLICA DA CORÉIA
Aparelhos e fiação eletrodomésticos

G/TBT/NOTIF. 98.230
Carrinhos de bebês G/TBT/NOTIF.
98.231
REPÚBLICA DE SINGAPURA
Requisitos de rotulagem para produtos CPM "Chinese Proprietary
Medicine (CPM)" G/TBT/NOTIF. 98.177
SUÉCIA
Regulamentos sobre a manipulação
de peróxido de hidrogênio G/TBT/
NOTIF. 98.222
Produtos de construção / trabalhos
de construção G/TBT/NOTIF. 98.162

Distribuição de eletricidade G/TBT/
NOTIF. 98.241
SINGAPURA
Regulamentação sobre alimentos G/
TBT/NOTIF. 98.245
TAILÂNDIA
Detergente em pó para lavanderia G/
TBT/NOTIF. 98.219
Veículos pesados a diesel G/TBT/
NOTIF. 98.141
TURQUIA
Refrigeradores G/TBT/NOTIF. 98.232
Refrigeradores G/TBT/NOTIF. 98.233

Produtos de construção G/TBT/
NOTIF. 98.163

Refrigeradores G/TBT/NOTIF. 98.234

Instrumentos de medição usados
para medição de velocidade oficial
para veículos rodoviários G/TBT/
NOTIF. 98.199

Resumos
Cópias dos artigos resumidos nesta seção podem ser obtidos no CIDIT/Biblioteca Central (BICEN),
à Av. N. S. das Graças, 50, 25250-020, Xerém, Duque de Caxias, RJ, tel: (021)679-9293; e-mail:
[email protected]
Os artigos apresentados aqui não refletem, necessariamente, a opinião do Inmetro e são de responsabilidade
exclusiva de seus autores.

CERTIFICAÇÃO
DI 713 - Procedimento para o desenvolvimento de critérios de certificação
Este artigo fala sobre os procedimentos para o desenvolvimento de critérios de certificação.
O processo que se aplica para selecionar as categorias de produtos objeto da certificação e o consequente
desenvolvimento dos critérios aplicados é muito importante para os programas de rotulagem ecológica e
quase sempre fazem parte das atividades de organismos internacionais, tais como ISO/TC 207. A seguir, o
artigo traz tópicos que proporcionam perspectivas distintas dos procedimentos aplicados, como, por exemplo,
para as considerações relativas ao ciclo de vida de produto, a transparência de processo, a participação das
partes interessadas e a revisão periódica dos critérios.
PROCEDIMENTO para o desenvolvimento de critérios de certificação. Une, Gênova,
n.116, p.13-21, fev.1998.

DI 714 - Em busca da aceitação mundial do diploma
O programa ISO/IEC QSAR está sendo deixado de lado para favorecer um acordo entre os órgãos de
acreditação nacional coligados ao IAF (Fórum Internacional de Acreditação), que almejam atingir não só o
reconhecimento mundial da ISO 9000 como também o da ISO 14000 e, subsequentemente, a certificação do
produto. O artigo segue falando sobre essa decisão do gestor do QSAR (Reconhecimento de Auditoria do
Sistema de Qualidade), num encontro realizado em Genebra no ano passado, onde o Conselho ISO aceitou a
8
INMETRO Informação; V.17, (7); Julho/98

recomendação, mas lamentou a suspensão do programa.
EM busca da aceitação mundial do diploma. BQ-Qualidade, São Paulo, v.8, n.71, p.81-82, abr.1998.
DI 715 - Um padrão de dureza made in Brazil
Atualmente, não existem no país laboratórios capacitados para certificações de blocos de dureza. Isso significa
um obstáculo para a metrologia científica do país, uma vez que os padrões empregados não estão rastreados
a padrões nacionais do INMETRO. Este artigo fala sobre a técnica para a fabricação de padrões de dureza para
a indústria, cujo desenvolvimento encontra-se em fase final. Esse trabalho está sendo desenvolvido pelo
Instituto Tecnológico da PUC em conjunto com o INMETRO e com o apoio do Instituto G. Colonnetti e do
subprograma de Tecnologia Industrial Básica, do PADCT. O objetivo da parceria é o desenvolvimento e a
certificação de padrões e a criação de um sistema de referência nacional, harmonizado com a exatidão de
escalas internacionais.
DIRÓZ, Sílvia. Um padrão de dureza made in Brazil. BQ-Qualidade, São Paulo, v.8, n.71, p.54-55, abr.1998.

MEIO AMBIENTE
DI 716 - Considerações sobre a certificação da gestão do Meio Ambiente
Os recursos tanto humanos como materiais para a implantação e certificação de um sistema de gestão do
meio ambiente são tangíveis. Se pode dizer que a profissionalização na gestão tem um custo que a empresa
tem que avaliar frente a uma quantificação dos benefícios esperados. Essa quantificação não é fácil porque
entre os fatores de cálculo, se encontram fatores intangíveis.
ANTA, Javier. Consideraciones sobre la certificación de la gestión medioambiental. Une, Gênova, n.115, p.2526, jan.1998.
DI 717 - Por que implementar o sistema ISO 14000
É indiscutível que a implementação da ISO 14001 reduz os impactos negativos da empresa sobre o meio
ambiente, enquanto melhora seu resultado final. É provável que a conformidade com a ISO 14001 irá se tornar
uma condição para a realização de negócios em muitas partes do mundo. Este artigo fala sobre o surgimento
da ISO 14000 e os benefícios da ISO 14001 mais significativos para empresas nacionais e internacionais.
BLOCK, Marilyn R., MARASH, Robert. Por que implementar o sistema ISO 14000.
BQ-Qualidade, São Paulo, v.8, n.71, p.72-74, abr.1998.

NORMALIZAÇÃO
DI 718 - Comércio e normas internacionais (I)
"A participação em um mercado mundial está restrita por uma grande quantidade de normas nacionais, de
exigências de certificações e de ensaios dos produtos de consumo que apresentam diferenças notáveis e que
se convertem em obstáculos ao comércio em muitos casos". Esta é essencialmente a reação dos fabricantes
de brinquedos, fornos de microondas, máquinas de cortar grama e capacetes para ciclistas, em resposta a um
estudo realizado em 1995 pelo Comité de Normas y Evaluación de la Conformidad da OCDE. As normas de
segurança dos produtos e a avaliação da conformidade estão adquirindo cada vez mais importância a medida
em que se intensifica a concorrência a nível mundial.
SCHWAMM, Henri. Comercio y normas internacionales (I). Une, Gênova, n.114, p.9-14, dez.1997.
DI 719 - ISO, ISO 9000 e ISO 14000
A família de normas ISO 9000 é o resultado do consenso internacional alcançado em matéria do bom
funcionamento das práticas de gestão. O objetivo principal dessas normas é o de oferecer às organizações
uma série de diretrizes onde se indica em que consiste, na prática, um sistema de qualidade. A família ISO
14000 aborda vários aspectos relacionados com a gestão do meio ambiente. Formam uma ferramenta de
gestão para permitir que uma organização de qualquer tipo e tamanho controle os efeitos no meio ambiente de
suas atividades, produtos e serviços. ISO 9000 e ISO 14000 constituem duas famílias de normas dentre as
mais de 11000 normas internacionais publicadas pela ISO desde 1947.
ISO, ISO 9000 e ISO 14000. Une, Gênova, n.114, p.15-19, dez.1997.
9
INMETRO Informação; V.17, (7); julho/98

DI 720 - Comércio e normas internacionais (II)
As normas internacionais são muito úteis para facilitar o comércio, pois reduzem de forma considerável as
ineficiências nas operações comerciais internacionais. A utilização de ordenadores nas transações entre
particulares, entre particulares e empresas - o que se conhece com o nome de comércio eletrônico - tem
permitido, em grande escala, facilitar o comércio internacional mediante a redução do volume de documentos
escritos empregados em uma operação comercial.
SCHWAMM, Henri. Comercio y normas internacionales (II). Une, Gênova, n.116, p.7-12, jan.1998.
DI 721 - Como ser mais sensíveis às necessidades do mercado
Os organismos nacionais de normalização desempenharam um importante papel durante muitos anos.
Devemos dar resposta às necessidades do mercado. Parece óbvio que há um lugar em que devemos chegar
mas, como comprovarmos que estamos fazendo o correto? Devemos ouvir as multinacionais? Ou, quem sabe,
a poderosa Comissão Européia? Ou deveríamos atender as alianças comerciais ou aos consumidores. E que
critérios deveríamos usar?
REPUSSARD, Jacques. Cõmo ser mãs sensibles a las necesidades del mercado. Une,
Gênova, n.115, p.20-23, jan.1998.

QUALIDADE
DI 722 - O peso da qualidade na montagem industrial
Este artigo discute a influência do gerenciamento da qualidade na elaboração da estratégia competitiva das
empresas de montagem industrial. Nesta direção é utilizada a formulação de Hill - "Critérios Qualificadores e
Ganhadores de Pedidos", assumindo a qualidade como um critério qualificador e o preço como ganhador de
pedidos. Esta análise se baseia principalmente na visão atual do gerenciamento da qualidade nessas empresas.
FERREIRA, Miguel Luiz Ribeiro, FERREIRA, José Joaquim do Amaral. O peso da
qualidade na montagem industrial. BQ-Qualidade, São Paulo, v.8, n.71, p.76-80, abr.1998.
DI 723 - O CB-25 quer ajudar a vender mais lá fora
Nesta entrevista, o superintendente do CB-25, Carlos Affonso de Aguiar Teixeira, fala sobre seus principais planos
para a superintendência. Entre esses projetos, Aguiar destacou a disposição de contribuir para o programa
governamental de estímulo às exportações. Fala, ainda, sobre a questão da certificação para as pequenas
empresas; como ele vê o Brasil em relação à qualidade, e o envolvimento do INMETRO nessa questão.
O CB-25 quer ajudar a vender mais lá fora. BQ-Qualidade, São Paulo, v.8, n.72, p.36-40, mai.1998.
DI 724 - Os primeiros passos rumo ao objetivo
Na Jornada para a Qualidade Total, as técnicas dos 5 S são a base para a empresa se tornar mais competitiva
e os funcionários mais motivados, pois todos ganham com esse trabalho. Assim como a implementação das
normas ISO 9000/QS 9000/ISO 14000 é um suporte para a Qualidade Total, a prática dos 5 S é um início para o
sistema de garantia da qualidade.
ALVES, Nelson Aparecido. Os primeiros passos rumo ao objetivo. BQ-Qualidade, São Paulo, v.8, n.72, p.66-67,
mai.1998.

SAÚDE
DI 725 - Uma parceria em busca de maior qualidade
O grande desafio deste final de século que se apresenta às instituições do segmento de saúde reside em aliar
a excelência de suas atividades técnico-operacionais a uma gestão moderna e profissional de seu negócio. O
artigo menciona uma série de benefícios que os hospitais obtiveram com a certificação de seus sistemas da
qualidade segundo as normas 9000.
FILHO, Edson Pinto da Silva, PEIXEIRO, Francisco Carlos. Uma parceria em busca de maior qualidade. BQQualidade, São Paulo, v.8, n.72, p.68-69, mai.1998.

10
INMETRO Informação; V.17, (7); Julho/98

Normas ISO - publicadas em junho de 1998
Nesta seção são listadas as Normas ISO PUBLICADAS NO "ISO BULLETIN". Para aquisiçãio das normas listadas
nesta seção, enviar solicitação à Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT. Av. Treze de Maio, 13 - 28º andar Rio de Janeiro - RJ.
TC 4

ROLAMENTOS DE ESFERAS

ISO 13012:1998

TC 8

CONSTRUÇÃO NAVAL E ESTRUTURAS MARÍTIMAS

ISO 8861:1998

TC 10

Rolling bearings, linear motion, recirculating ball, sleeve type Accessories

*Shipbuilding - Engine-room ventilation
in diesel-engined ships - Design requirements and basis of calculations

DESENHOS TÉCNICOS, DEFINIÇÃO DE PRODUTOS E DOCUMENTAÇÃO RELACIONADA

ISO 12756:1998

Drawing and writing instruments - Ball point pens and roller ball pens Vocabulary

ISO 12757-2:1998

Ball point pens and refiils - Part 2:
Documentary use (DOC)

ISO 14145-1:1998

Rol!er ball pens and refills - Part 1:
General use

ISO 14145-2:1998

Roller bali pens and refilis - Part 2:
Documentary use (DOC)

TC 17

AÇO

ISO 5954:1998

TC 20

Coid-reduced carbon steel sheet according to hardness requirements

VEÍCULOS ESPACIAIS E AVIÕES

ISO 13589:1998

Aerospace - Nuts, bihexagonal, seiflocking, with counterbore and MJ threads,
classifications: l 100 MPa (at ambient temperature)/425 `C, l 100 MPa (at ambient
temperature)/650 `C, l 210 MPa (at ambient temperature)/425 `C, l 210 MPa (at
ambient temperature)[730 -c, i 550 MPa (at ambient temperature) /235 `C, l 550 MPa
(at ambient temperature)/425 `C and l 550 MPa (at ambient temperature)/600 `C Dimensions

ISO 14190:1998

Aerospace - Airframe roiling bearings:
ball and sphericai rolier bearings Technical specification

ISO 14191:1998

Aerospace - Airframe spherical roiier
bearings, singie row, seif-afigning, diameter series 3 and 4 - Metric series

ISO 14192:1998

Aerospace - Airframe spherical roller
bearings, single row, self-aligning, shielded, intermediate duty - Metric series

ISO 14193:1998

Aerospace - Airframe spherical roller
bearings, single row, seif-aligning, sealed, extended inner ring intermediate duty lnch series

ISO 14195:1998

Aerospace - Airframe sphericaf roller
bearings, double row, self-aligning, sealed, torque tube design, light duty Inch series

ISO 14201:1998

Aerospace - Airframe ball bearings,
11
INMETRO Informação; V.17, (7); julho/98

double-row, self-aligning, diameter series 2 - Metric series
ISO 14202:1998

Aerospace - Airframe ball bearings,
single-row, rigid, diameter series O and 2 - Metric series

ISO 14203:1998

Aerospace - Airframe ball bearings,
single-row, rigid, diameter series 8 and 9 - Metric series

ISO 14204:1998

Aerospace - Airframe ball bearings,
double-row, rigid, diameter series O Metric series

ISO 14206:1998

Aerospace - Airframe ball bearings,
single-row, rigid, seaied, light duty lnch series

ISO 14207:1998

Aerospace - Airframe ball bearings,
single-row, rigid, precision, sealed, light duty - lnch series

ISO 14208:1998

Aerospace - Airframe ball bearings,
single-row, rigid, sealed, intermediate duty - Inch series

ISO 14209:1998

Aerospace - Airframe bati bearings,
single-row, rigid, precision, sealed, intermediate duty - Inch series

ISO 14210:1998

Aerospace - Airframe ball bearings,
single-row, rigid, sealed, torque tube design, light duty - lnch series

ISO 14211:1998

Aerospace - Airframe ball bearings,
single-row, rigid, precision, sealed, torque tube design, light duty - lnch series

ISO 14212:1998

Aerospace - Airframe ball bearings,
single-row, rigid, sealed, torque tube design, extra-light duty - lnch series

ISO 15395:1998

Space data and information transfer
systems - Standard formatted data
units - Controi authority data structures

ISO 15396:1998

Space data and information transfer
systems - Cross support referende
model - Space link extension services

TC 22

VEÍCULOS RODOVIÁRIOS

ISO 1919:1998

Road vehicies - M l 4 x 1,25 spark-plugs with flat seating and their cylinder head
housings

ISO 7638-1:1997/
Cor 1:1998

Road vehicles - Eiectrical connectors
for braking systems - Part 1:
Connectors for 24 V nominal supply voltage Technicai Corrigendum l

ISO 7638-2:1997/
Cor 1:1998

Road vehicles - Electrical connèctors
for braking systems - Part 2:
Connectors for 12 V nominal supply voltage Technical Corrigendum l

TC 23

TRATORES E MAQUINARIA PARA AGRICULTURA E REFLORESTAMENTO

ISO 14740:1998

TC 28

Forest machinery - Backpack power units for brush-cutters, grass-trimmers, polecutters and similar appliances Safety requirements and testing

PRODUTOS DE PETRÓLEO E LUBRIFICANTES

ISO 6293-2:1998

Petroleum products - Determination of
saponification number - Part 2: Potentiometric titration method

12
INMETRO Informação; V.17, (7); Julho/98

ISO 14935:1998

TC 29

Petroleum and related products Determination of wick flame persistence of fireresistant fluids

PEQUENAS FERRAMENTAS

ISO 6344-2:1998

Coated abrasives - Grain size analysis Part 2: Determination of grain size distribution of macrogrits Pl2 to P220

ISO 6751:1998

Tools for moulding - Ejector pins with cylindrical head

ISO 11529-2:1998

Milling cutters - Designation - Part 2:
Shank type and bore type milling cutters with indexable inserts

TC 30

MEDIÇÃO DO FLUXO EM CONDUTOS FECHADOS

ISO/TR 9464:1998

TC 35

*Guidelines for the use of ISO 5167-1: 1991

TINTAS E VERNIZES

ISO 8130-6:1992/

Coating powders - Part 6:
Amd 1:1998 Determination of gel time of thermosetting coating powders at a given
temperature Amendment l

ISO 8130-10:1998

Coati ng powders - Part i O: Determination of deposition efficiency

ISO 8130-12:1998

Coating powders - Part 12: Determination of compatibility

ISO 8502-9:1998

Preparation of steel substrates before application of paints and related products Tests for the assessment of surface cieanliness - Part 9: Fieid method for the
conductometric determination of water-soluble salts

TC 38

TÊXTEIS

ISO 8543:1998

TC 45

Textile fioor coverings - Methods for determination of mass

BORRACHA E SEUS PRODUTOS

ISO 1746:1998

*Rubber or plastics hoses and tubing Bending tests

ISO 4664:1998

*Rubber - Guide to the determination of dynamic properties

ISO 4674-2:1998

Rubber- or plastics-coated fabrics Determination of tear resistance Part 2: Ballistic pendulum method

ISO 8330:1998

*Rubber and plastics hoses and hose assemblies - Vocabulary

TC 61

PLÁSTICOS

ISO 4608:1998

TC 68

Plastics - Homopoiymer and copolymer resins of vinyl chloride for general use
Determination of plasticizer absorption at room temperature

SERVIÇOS BANCÁRIOS E FINANCEIROS

ISO 7982-1:1998

*Bank telecommunication - Funds
transfer messages - Part 1: Vocabulary and universal set of data segments and data
elements for electronic funds transfer messages

ISO 9992-2:1998

*Financial transaction cards - Messages
between the integrated circuit card and the card accepting Device - Part 2: Functions,
13
INMETRO Informação; V.17, (7); julho/98

messages (commands and responses), data elements and structures
TC 72

MAQUINARIA TÊXTIL E ACESSÓRIO

ISO 10782-1:1998

TC 84

SERINGAS PARA USO MÉDICO E AGULHAS PARA INJEÇÃO

ISO 11070:1998

TC 93

Definitions and attributes of data elements for control and monitoring of textile
processes - Part 1: Spinning, spinning preparatory and related processes

Sterile, singfe-use intravascular catheter introducers

AMIDO (INCLUINDO DERIVADOS E PRODUTOS SECUNDÁRIOS)

ISO 11215:1998

Modified starch - Determination of adipic acid content of acetylated distarch adipates
- Gas chromatographic method

TC 106 ODONTOLOGIA
ISO 10477:1992/

Dentistry - Polymer-based crown and
Amd 1:1998 bridge materiais Amendment l

TC 107 REVESTIMENTOS METÁLICOS E INORGÂNICOS
ISO 2742:1998

Vitreous and porcelain enamels Determination of resistance to boiiing citric acid

TC 108 VIBRAÇÃO MECÂNICA E CHOQUE
ISO 11342:1998

*Mechanical vibration - Methods and
criteria for the mechanical balancing of flexibie rotors

TC 113 DETERMINAÇÕES HIDROMÉTRICAS
ISO 1100-2:1998

*Measurement of liquid fiow in open
channels - Part 2: Determination of the stage-discharge reiation

ISO 1438-1:1980/

*Water flow measurement in open
Amd 1:1998 channels using weirs and Venturi
flumes - Part 1: Thin-piate weirs Amendment l

lSOlTR 11627:1998

*Measurement of liquid flow in open
channels - Computing stream flow using an unsteady flow model

TC 123 MANCAIS PLANOS
ISO 7902-2:1998

Hydrodynamic plain journal bearings
under steady-state conditions - Circular cylindrical bearings - Part 2: Functions used
in the calculation procedure

TC 127 EQUIPAMENTOS DE TERRAPLENAGEM
ISO 10265:1998

Earth-moving machinery - Crawier
machines - Performance requirements and test procedures for braking systems

TC 131 SISTEMAS DE POTÊNCIA DE FLUIDO
ISO 7789:1998

Hydrauiic fluid power - Two-, three- and four-port screw-in cartridge valves Civities

14
INMETRO Informação; V.17, (7); Julho/98

TC 147 QUALIDADE DA ÁGUA
ISO 11731:1998

Water quality - Detection and enumeration of Legionella

TC 172 ÓTICA E INSTRUMENTOS ÓTICOS
ISO 8598:1996/

*Optics and optical instruments Cor 1:1998 Focimeters Technical Corrigendum l

ISO 10940:1998

Ophthalmic instruments - Fundus cameras

ISO 10942:1998

Ophthalmic instruments - Direct ophthalmoscopes

ISO 10943:1998

Ophthalmic instruments - Indirect ophthalmoscopes

ISO 10944:1998

Ophthalmic instruments - Synoptophores

ISO 11884-1:1998

Optics and opticai instruments - Minimum requirements for stereomicroscopes
- Part 1: Stereomicroscopes for general use

TC 183 MINÉRIOS DE COBRE, CHUMBO E ZINCO E CONCENTRADOS
ISO 12743:1998

*Copper, lead and zinc sulfide concentrares - Sampling procedures for determination
of metal and moisture content

TC 184 SISTEMAS DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL E INTEGRAÇÃO
ISO 9283:1998

Manipulating industrial robots Performance criteria and related test methods

TC 188 EMBARCAÇÕES PEQUENAS
ISO 13592:1998

Small craft - Backfire fiame control for petrol engines

TC 190 QUALIDADE DO SOLO
ISO 11047:1998

Soil quality - Determination of cadmium, chromium, cobalt, copper, lead, manganese,
nickel and zinc Flame and electrothermal atomic absorption spectrometric methods

ISO 14255:1998

Soil quality - Determination of nitrate nitrogen, ammonium nitrogen and total soluble
nitrogen in air-dry soils using calcium chloride solution as extractant

TC 193 GÁS NATURAL
ISO 13686:1998

Natural gas - Quality designation

TC 199 SEGURANÇA E EQUIPAMENTO
ISO 14119:1998

Safety of machinery - lnterlocking devices associated with guards Principies for
design and selection

ISO 14123-1:1998

Safety of machinery - Reduction of risks to hdalth from hazardous substances
emitted by machinery Part 1: Principies and specifications for machinery
manufacturers

ISO 14123-2:1998

Safety of machinery - Reduction of risks to health from hazardous substances
emitted by machinery Part 2: Methodology leading to verification procedures

15
INMETRO Informação; V.17, (7); julho/98

TC 203 SISTEMA TÉCNICO DE ENERGIA
ISO 13600:1997/

*Technical energy systems - Basic
Cor 1:1998 concepts Technical Corrigendum l

TC 207 GERENCIAMENTO AMBIENTAL
ISO 14050:1998

JTC l

Environmental management - Vocabulary

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

ISO/IEC

*lnformation technology - 8-bit single8859-1:1998 byte coded graphic character sets Part 1: Latin alphabet No. l

ISO/IEC
ISP 10610-1:
1993/
Cor 1:1998

*lnformation technology - lnternational
Standardized Profile FODL l - Open
Document Format: Simple document
structure - Character content architecture only - Part 1: Document Application Profile
(DAP) Technical Corrigendum l

ISO/IEC
ISP 12062-1:
1998
Service Support

*lnformation technology - lnternational
Standardized Profiles AMH2n Message Handling Systems lnterpersonal Messaging - Part 1: IPM MHS

ISO/IEC
13818-1:1996/
Amd 1:1997**

lnformation technology - Generic
coding of moving pictures and
associated audio information: Systems Amendment 1: Procedure for "copyright identifier'

ISO/IEC
13818-1:1996/
Amd 2:1997**

lnformation technology - Generic
coding of moving pictures and
associated audio information: Systems Amendment 2: Registration procedure for
`format identifier"

ISO/IEC
13818-2:1996/1
Cor 1:1997**

lnformation technology - Generic
codíng of moving pictures and
associated audio information: Video Technical Corrigendum l

ISO/IEC
13818-2:1996/
Cor 2:1997**

lnformation technology - Generic
coding of moving pictures and
associated audio information: Video Technical Corrigendum 2

ISO/IEC
13818-2:1996/
Amd 1:1997**

lnformation technology - Generic
coding of moving pictures and
associated audio information: Video Amendment 1: Registration of Copyright Identifiers

ISO/IEC
13818-3:1998

*lnformation technology - Generic
coding of moving pictures and associated audio information - Part 3: Audio

IULTCS
ISO 15700:1998

*Leather - Tests for colour fastness Colour fastness to water spotting

ISO 15701:1998

*Leather - Tests for colour fastness Colour fastness to migration into plasticized
poly(vinyl chloride)

ISO 15702:1998

*Leather - Tests for colour fastness Colour fastness to machine washing

ISO 15703:1998

*Leather - Tests for coiour fastness Colour fastness to mild washing

16
INMETRO Informação; V.17, (7); Julho/98