HISTÓRIA DO BRASIL III

1

PROF. LUIZ CARLOS RIBEIRO
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ
SETOR DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES
DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA
PROF. DR. LUIZ CARLOS RIBEIRO

Disciplina: História do Brasil III (HH062)
Créditos: 04
Carga Horária Semestral: 60 h/a
Carga Horária Semanal: 04 h/a
1º semestre - 2009

EMENTA
Estudo da sociedade brasileira no contexto da Primeira República ao Estado Novo, com ênfase
nas mudanças institucionais e na questão social.
OBJETIVOS
O campo histórico que compreende entre o final do século XIX e fim da II Guerra Mundial é
central para a compreensão da formação do Brasil Contemporâneo. Corresponde a períodos
de mudanças estruturais, como a consolidação do liberalismo e a mundialização do capital
(Segunda Revolução Industrial e Imperialismo) ­ entre 1870 e 1914 ­ e a crise do liberalismo e
construção de um pensamento e de regimes autoritários e totalitários (anos 1920/1940).
Na experiência brasileira é possível demarcar três blocos históricos: a República Liberal,
iniciada com o movimento pela abolição da escravatura e pela instalação da República; os
"anos vinte", pela explosão de movimentos sociais, intelectuais e artísticos e gestação de um
pensamento autoritário; e o autoritarismo da Era Vargas (1930-1945).
Pressionado pelo dinamismo internacional, predominou na cultura política brasileira dois
movimentos, não necessariamente opostos: atender às pressões externas ao mesmo tempo
em que rearranja e viabiliza a governabilidade interna. Essas tensões podem ser sintetizadas
no teorema do recalque/afirmação da identidade brasileira.
Assim, o objetivo é o de estudar como os diversos agentes (políticos, intelectuais, religiosos,
grupos ou classes sociais) pensaram e agiram sobre essas tensões.

PROGRAMA
O Brasil nos quadros da expansão capitalista do séc. XIX.
Da crise do Império ao movimento republicano.
Apogeu do café, a transição do trabalho escravo para o trabalho livre. O movimento
migratório.
Coronéis e Governadores. Os levantes regionais.
Crise da política cafeeira.
Movimentos sociais no campo: Canudos e Contestado.

HISTÓRIA DO BRASIL III

2

PROF. LUIZ CARLOS RIBEIRO

Industrialização e urbanização brasileira. Movimentos culturais: futebol e música brasileira.
Movimentos sociais urbanos: tenentismo, movimento operário.
Modernistas e autoritários no pensamento político brasileiro.
A conjuntura revolucionária de 30.

Os anos vinte: crise do liberalismo, ascensão do totalitarismo.
A "revolução de 30". Duas leituras possíveis: Boris Fausto e Edgard De Decca
O Estado Novo (1937-1945)
·

O pensamento autoritário

·

Classes sociais e autoritarismo

·

O Integralismo

·

Os comunistas

·

Música e literatura no autoritarismo.

BIBLIOGRAFIA
ALMEIDA, Angela M. de A República de Weimar e a ascenção do nazismo. São Paulo : Brasiliense,
1982 (tudo é história, 58).
ANTONACCI, Maria Antonieta M. A vitória da razão (?). O IDORT e a sociedade paulista. São Paulo :
Marco Zero ; CNPq, 1992.
ANTONACCI, Maria Antonieta M. Institucionalizar ciência e tecnologia. Em torno da fundação do IDORT
(São Paulo, 1918/1931), in Revista Brasileira de História (Instituições) v. 7, n. 14, mar./ago. 1987,
p. 59-78.
ARAÚJO, Ricardo B. de. Totalitarismo e revolução: o integralismo de Plínio Salgado. Rio de Janeiro :
Zahar Editor, 1988.
ARENDT, Hannah. Origens do totalitarismo. São Paulo : Cia. das Letras, 1989.
ARIAS NETO. José Miguel. Primeira República: economia cafeeira, urbanização e industrialização. In:
FERREIRA, Jorge ; Lucília de A. N. DELGADO (Orgs.). O Brasil republicano. O tempo do
liberalismo excludente: da Proclamação da República à Revolução de 1930. Rio de Janeiro:
Civilização Brasileira, 2003, pp.191-230.
AUGRAS, Monique. O Brasil do Samba-enredo. Rio de Janeiro: Editora Fundação Getúlio Vargas,
1998.
ÁVILA, Affonso (Org.). O modernismo. São Paulo: Ed. Perspectiva : Secretaria da Cultura, Ciência e
Tecnologia do Estado de São Paulo, 1975.
BATALHA, Cláudio. Formação da classe operária e projetos de identidade coletiva. In: FERREIRA,
Jorge ; Lucília de A. N. DELGADO (Orgs.). O Brasil republicano. O tempo do liberalismo
excludente: da Proclamação da República à Revolução de 1930. Rio de Janeiro: Civilização
Brasileira, 2003, pp.161-190.
BEIRED, José Luís B. Intelectuais e autoritarismo no Brasil e na Argentina (1914-1945). In: Simpósio
Nacional de História (20:1999:Florianópolis) História: Fronteiras. São Paulo: Humnanitas / FFLCH /
USP: ANPUH, 1999, p. 531-543.
BELLUZZO, Ana Maria de Moraes (Org.). Modernidade: Vanguardas artísticas na América Latina. São
Paulo: Memorial : UNESP, 1990.
BENCHIMOL, Jaime. Reforma urbana e revolta da vacina na cidade do Rio de Janeiro. In: FERREIRA,
Jorge ; Lucília de A. N. DELGADO (Orgs.). O Brasil republicano. O tempo do liberalismo
excludente: da Proclamação da República à Revolução de 1930. Rio de Janeiro: Civilização
Brasileira, 2003, pp. 231-286.
BOAVENTURA, Maria Eugenia (Org.). 22 por 22: A Semana de Arte Moderna vista pelos seus
contemporâneos. São Paulo: EDUSP, 2000.
BRANDÃO, Angela. A fábrica de ilusão. O espetáculo das máquinas num parque de diversões e a
modernização de Curitiba (1905-1913). Curitiba: Prefeitura Municipal de Curitiba : Fundação Cultural
de Curitiba, 1994.

HISTÓRIA DO BRASIL III

3

PROF. LUIZ CARLOS RIBEIRO

BRESCIANI, Maria S. Martins. As voltas de um parafuso. Caderno de Pesquisa. São Paulo :
Brasiliense/AUPHIB, 1978. (Col. Tudo é História, 2).
BRESCIANI, Stella ; NAXARA, Márcia (Orgs). Memória e (res)sentimento. Indagações sobre uma
questão sensível. Campinas: Ed. Unicamp, 2001.
CANDIDO, Antonio. Literatura e Sociedade. Estudos de teoria e história literária. 5ª ed. São Paulo: Cia
Editora Nacional, 1976.
CAPELATO, Maria Helena. Os arautos do liberalismo. Imprensa paulista (1890-1945). São Paulo :
Brasiliense, 1988.
CAPELATO, Maria Helena. O Estado Novo: o que trouxe de novo? . In: FERREIRA, Jorge ; Lucília de A.
N. DELGADO (Orgs.). O Brasil republicano. O tempo do nacional-estatismo: do início da década
de 1930 ao apogeu do Estado Novo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003, pp. 107-144.
CARONE, Edgard. A República Velha. Instituições e classes sociais. São Paulo : DIFEL, 1975.
CARONE, Edgard. O P.C.B. (3 vol.). São Paulo: DIFEL, 1982.
CARVALHO, J. M. A formação das almas: o imaginário da república no Brasil. São Paulo : Cia. das
Letras, 1990.
CARVALHO, J. M. Os bestializados. Rio de Janeiro e a República que não foi. São Paulo: Cia das
Letras, 1987.
CAUFIELD, Sueann. Em defesa da honra. Moralidade, modernidade e nação no Rio de Janeiro (19181940). Campinas : Editora da Unicamp/Cecult, 2000.
CHALHOUB, Sidney ; PEREIRA, Leonardo (Orgs). A história contada. Capítulos de história social da
literatura no Brasil. Rio de janeiro: Nova Fronteira, 1998.
CHASIN, José. O Integralismo de Plínio Salgado. São Paulo : Ciências Humanas, 1978.
CHAUÍ, Marilena. Apontamentos para uma crítica da Ação Integralista Brasileira. In: Ideologia e
mobilização popular. São Paulo, CEDEC, 1978.
CHIAPPINI, Ligia ; BRESCIANI, Maria Stella (Orgs.) Literatura e cultura no Brasil. Identidades e
fronteiras.São paulo: Cortez, 2002.
D'ARAÚJO, Maria Celina. Estado, classe trabalhadora e políticas sociais. In: FERREIRA, Jorge ; Lucília
de A. N. DELGADO (Orgs.). O Brasil republicano. O tempo do nacional-estatismo: do início da
década de 1930 ao apogeu do Estado Novo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003, pp. 213240.
DE DECCA, Edgard S. 1930. O silêncio dos vencidos. São Paulo : Brasiliense, 1981.
DE DECCA, Edgard S. Industrialização e mudanças na esfera pública. In: Simpósio Nacional de História
(20:1999:Florianópolis) História: Fronteiras. São Paulo: Humnanitas / FFLCH / USP: ANPUH, 1999, p.
295-307.
DE LORENZO, Helena Carvalho ; COSTA, Wilma Peres da (Orgs.) A década de 1920 e as origens do
Brasil moderno. São Paulo: Editora da UNESP, 1997.
ENCICLOPÉDIA da Música Brasileira: popular, erudita e folclórica. (2ª ed.) São Paulo: Art Editora :
Publifolha, 1998.
FAORO, Raymundo. Os donos do poder. Formação do patronato político brasileiro. 4ª ed. Porto
Alegre: Globo, 1977, (2v.).
FAUSTO, Bóris (Dir.) História Geral da Civilização Brasileira. III - O Brasil Republicana. Vol. 3/4. São
Paulo : DIFEL, 1983.
FAUSTO, Boris (Dir.) História Geral da Civilização Brasileira. São Paulo: DIFEL (v. 8 e 9)
FAUSTO, Bóris. A revolução de 1930. Historiografia e história. São Paulo: Brasiliense, 1972.
FAUSTO, Bóris. A revolução de 1930. In: MOTA, Carlos Guilherme (Org.) Brasil em perspectiva. 9ª ed.
Rio ; São Paulo: DIFEL, 1977, p. 227-255.
FAUSTO, Boris. Crime e cotidiano. A criminalidade em São Paulo (1880-1924). São Paulo: Brasiliense.
1984.
FAUSTO, Boris. Trabalho urbano e conflito social (1890-1920). Rio de Janeiro: São Paulo: DIFEL,
1977.
FERREIRA, Jorge ; Lucília de A. N. DELGADO (Orgs.). O Brasil republicano. O tempo do nacionalestatismo: do início da década de 1930 ao apogeu do Estado Novo. Rio de Janeiro: Civilização
Brasileira, 2003.
FERREIRA, Jorge. Trabalhadores do Brasil. O imaginário popular. Rio de Janeiro : FGV, 1997.
FERREIRA, Marieta de M. ; SÁ PINTO, Surama. A crise dos anos 1920 e a Revolução de 1930. In:
FERREIRA, Jorge ; Lucília de A. N. DELGADO (Orgs.). O Brasil republicano. O tempo do
liberalismo excludente: da Proclamação da República à Revolução de 1930. Rio de Janeiro:
Civilização Brasileira, 2003, pp. 387-416..
FLORES. Elio Chaves. A consolidação da República: rebeliões de ordem e progresso. In: FERREIRA,
Jorge ; Lucília de A. N. DELGADO (Orgs.). O Brasil republicano. O tempo do liberalismo
excludente: da Proclamação da República à Revolução de 1930. Rio de Janeiro: Civilização
Brasileira, 2003, pp 45-88.
FORJAZ, Maria Cecília Spina. Tenentismo e política. Tenentismo e camadas médias urbanas na crise
da Primeira República. Rio de Janeiro : Paz e Terra, 1977.

HISTÓRIA DO BRASIL III

4

PROF. LUIZ CARLOS RIBEIRO

FORTES Alexandre ; NEGRO, Antonio Luigi. Historiografia, trabalho e cidadania no Brasil. In:
FERREIRA, Jorge ; Lucília de A. N. DELGADO (Orgs.). O Brasil republicano. O tempo do nacionalestatismo: do início da década de 1930 ao apogeu do Estado Novo. Rio de Janeiro: Civilização
Brasileira, 2003, pp.181-212.
FRANCO, Maria Sylvia de C. O tempo das ilusões. In: Ideologia e mobilização popular. São Paulo,
CEDEC, 1978.
FURTADO, Celso. Formação econômica do Brasil. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura, 1959.
GOMES, Angela de Castro (Coord.) Regionalismo e centralização política. Partidos e Constituinte nos
anos 30. Rio de Janeiro : Nova Fronteira, 1980.
GOMES, Angela de Castro. História e historiadores. A política cultural do Estado Novo. Rio de
Janeiro : Ed. Fund. Getúlio Vargas, 1996.
GOMES, Angela de Castro. A invenção do trabalhismo. 2ª ed. Rio de Janeiro : Relume Dumará, 1994.
GUZZO DECCA, Maria A. A vida fora das fábricas. Cotidiano operário em São Paulo, 1920-1934. Rio
de Janeiro: Paz e terra, 1987.
HERMANN, Jacqueline. Religião e política no alvorecer da República: os movimentos de Juazeiro,
Canudos e Contestado. In: FERREIRA, Jorge ; Lucília de A. N. DELGADO (Orgs.). O Brasil
republicano. O tempo do liberalismo excludente: da Proclamação da República à Revolução de
1930. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003, pp.121-160.
HERSCHMANN, Micael ; PEREIRA, Carlos L. . A invenção do Brasil: Medidicna, Educação e
Engenharia nos anos 20-30. Rocco, 1994.
LAFER, Celso et. al. Esboço de figura. Homenagem a Antonio Candido. São Paulo: Duas Cidades,
1979.
LANNA JUNIOR, Mário Cléber M. Tenentisno e crises políticas na Primeira República. In: FERREIRA,
Jorge ; Lucília de A. N. DELGADO (Orgs.). O Brasil republicano. O tempo do liberalismo
excludente: da Proclamação da República à Revolução de 1930. Rio de Janeiro: Civilização
Brasileira, 2003, pp. 313-350.
LENHARO, Alcir. Sacralização da política. 2ª ed. Campinas : Papirus, 1986.
LENHARO, Alcir. Nazismo: o triunfo da vontade. São Paulo : Ática, 1990.
LEOPOLDI, Maria Antonieta P. Política e interesses na industrialização brasileira. As associações
industriais, a política econômica e o Estado. São Paulo: Paz e Terra, 2000.
LEOPOLDI, Maria Antonieta. A economia política do primeiro governo Vargas (1930-1945): a política
econômicxa em tempos de turbulência. In: FERREIRA, Jorge ; Lucília de A. N. DELGADO (Orgs.). O
Brasil republicano. O tempo do nacional-estatismo: do início da década de 1930 ao apogeu do
Estado Novo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003, pp. 241-286.
LINHARES, Maria Yedda (Org.) História Geral do Brasil. Rio de Janeiro: Campus, 1990.
LUSTOSA, Isabel. O texto e o traço: a imagem de nossos primeiros presidentes através do humor e da
caricatura. In: FERREIRA, Jorge ; Lucília de A. N. DELGADO (Orgs.). O Brasil republicano. O
tempo do liberalismo excludente: da Proclamação da República à Revolução de 1930. Rio de
Janeiro: Civilização Brasileira, 2003, pp. 287-312.
MAGALHÃES, Marionilde Brepohl de. Pangermanismo e nazismo. A trajetória alemã rumo ao Brasil.
Campinas: Editora Unicamp/FAPESP, 1998.
MAIO, Marcos Chor ; CYTRYNOWICZ, Roney. Ação Intregralista Brasileira: um movimento fascista no
Brasil (1932-1938). In: FERREIRA, Jorge ; Lucília de A. N. DELGADO (Orgs.). O Brasil
republicano. O tempo do nacional-estatismo: do início da década de 1930 ao apogeu do Estado
Novo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003, pp.39-62.
MARAM, Sheldon Leslie. Anarquistas, imigrantes e o movimento operário brasileiro (1890-1920).
Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979.
MARSON, Adalberto. A ideologia nacionalista em Alberto Torres. São Paulo: Duas Cidades, 1979.
MARTINS, Ana Luiza. Revistas em revista. Imprensa e práticas culturais em tempos de república, São
Paulo (1890-1922). São Paulo: Edusp ; Fapesp : Imprensa Oficial de São Paulo, 2001.
MORAES, João Quartim de. (Org.) História do marxismo no Brasil. (vol. II). Os influxos teóricos.
Campinas: Edit. da Unicamp, 1995.
MOTA, Carlos G. Ideologia da cultura brasileira (1933-1974). Pontos de partida para uma revisão
histórica. São Paulo : Ática, 1977.
MOTA, Carlos Guilherme (Org.) Brasil em perspectivas. Rio de Janeiro: DIFEL, 1977.
NADALIN, Sergio Odilon. Cidade, ciclos matrimoniais e etnicidde: imigrantes e descendentes de origem
germânica em Curitiba (1866-1939). História: Questões & Debates, n. 30, p. 205-226. Curitiba:
Editora da UFPR, 1999.
NEVES, Margarida de Souza. O Brasil na virada do século XIX para o século XX. In: FERREIRA, Jorge ;
Lucília de A. N. DELGADO (Orgs.). O Brasil republicano. O tempo do liberalismo excludente: da
Proclamação da República à Revolução de 1930. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003, pp. 1344.
NOVAIS, Fernando A. (Coord. Geral) História da vida privada no Brasil. Vol. 3. República: da Belle
époque à era do rádio. SEVCENKO, Nicolau (Org. do vol.). São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

HISTÓRIA DO BRASIL III

5

PROF. LUIZ CARLOS RIBEIRO

OLIVEIRA, Lúcia Lippi ; VELLOSO, Mônica Pimenta ; GOMES, Ângela Mª Castro. Estado Novo.
Ideologia e poder. Rio de Janeiro : Zahar, 1982.
OLIVEIRA, Lúcia Lippi. Sinais de modernidade na era Vargas: a vida literária, cinema e rádio. In:
FERREIRA, Jorge ; Lucília de A. N. DELGADO (Orgs.). O Brasil republicano. O tempo do nacionalestatismo: do início da década de 1930 ao apogeu do Estado Novo. Rio de Janeiro: Civilização
Brasileira, 2003, pp. 323-350.
PANDOLFI, Dulce. Os anos 1930: as incertezas do regime. In: FERREIRA, Jorge ; Lucília de A. N.
DELGADO (Orgs.). O Brasil republicano. O tempo do nacional-estatismo: do início da década de
1930 ao apogeu do Estado Novo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003, pp. 13-38.
PARANHOS, Adalberto. O roubo da fala. Origens da ideologia do trabalhismo no Brasil. São Paulo:
Boitempo Editorial, 1999.
PAULO, Heloísa H. de J. O DIP e a juventude. Ideologia e propaganda estatal (1939-1945), in Revista
Brasileira de História (Instituições) v. 7, n. 14, mar./ago. 1987, p. 99-113.
PÉCAUT, Daniel. Os intelectuais e a política no Brasil. Entre o povo e a nação. São Paulo : Ática,
1990.
PEREIRA, Leonardo Affonso de Miranda, Footballmania. Uma história do futebol no Rio de Janeiro
(1902-1938). Tese de Doutorado. Unicamp, 1998.
PEREIRA, Luís Fernando Lopes. Paranismo: o Paraná inventado. Cultura e imaginário no Paraná da I
República. Curitiba: Aos Quatro Ventos, 1997.
PESAVENTO, Sandra Jatahy. O imaginário da cidade. Visões literárias do urbano: Paris, Rio de
Janeiro, Porto Alegre. 2a ed. Porto Alegre: Ed. Universidade/UFRGS, 2002.
PESAVENTO, Sandra Jatahy. Uma outra cidade. O mundo dos excluídos no final do século XIX. São
paulo: Cia Editora nacional, 2001.
PIMENTEL, Luís ; VIEIRA, Luís F. Wilson Batista. Na corda bamba do samba. Rio de Janeiro: RelumeDumará, 1996.
PINHEIRO, Paulo S. ; HALL, Michael M. A classe operária no Brasil (1889-1930). V. I - O movimento
operário. São Paulo: Alfa Ômega, 1979
PINHEIRO, Paulo S. ; HALL, Michael M. A classe operária no Brasil (1889-1930). V. II - Condições de
vida e de trabalho, relações com os empresários e o Estado. São Paulo: Brasiliense, 1981.
PINHEIRO, Paulo Sérgio. Estratégias da ilusão. A revolução mundial e o Brasil (1922-1935). São
Paulo : Cia das Letras, 1991.
PINTO, Maria Inez M. Borges. Cultura de massas e representações femininas na paulicéia dos anos 20.
In: Revista Brasileira de História. São Paulo: ANPUH ; Humanas Publicações, vol. 19, nº 38, 1999,
p. 139-163.
PRADO Jr., Caio. Evolução política do Brasil. São Paulo : Brasiliense, 1979.
REIS FILHO, Daniel Aarão et al.. História do Marxismo no Brasil. (Vol I) O impacto das revoluções.
Rio de janeiro : Paz e Terra, 1991.
REIS, José Carlos. As identidades do Brasil: de Varnhagen a FHC. Rio de Janeiro: FGV, 1999.
RESENDE, Maria Efigênia L. de. O progreso político na Primeira Repúblioca e o liberalismo oligárquico.
In: FERREIRA, Jorge ; Lucília de A. N. DELGADO (Orgs.). O Brasil republicano. O tempo do
liberalismo excludente: da Proclamação da República à Revolução de 1930. Rio de Janeiro:
Civilização Brasileira, 2003, pp.89-120.
REVISTA USP. Dossiê Canudos. São Paulo : USP, n. 20 dez.1993 jan.-fev. 1994.
REVISTA USP. Dossiê Futebol. São Paulo : USP, n. 22 jun.-ago. 1994.
RIBEIRO, Luiz Carlos. Memória, trabalho e resistência (Curitiba, 1890-1920). (Dissertação de
Mestrado) São Paulo: USP, 1985.
RISÉRIO, Antonio. Caymmi: Uma utopia de lugar. São Paulo: Perspectiva ; Salvador: COPENE, 1993.
RODRIGUES, Antonio E. Martins. João do Rio: a cidade e o poeta. O olhar de flaneur na belle époque
tropical. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2000.
SCHWARCZ, Lilia Moritz. O espetáculo das raças. Cientistas, instituições e questão racial no Brasil. 3ª
ed. São paulo: Cia das letras, 1993.
SCHWARTZ, Jorge. Vanguardas latino-americanas: Polêmicas, manifestos e textos críticos. São
Paulo: EDUSP : FAPESP, 1993.
SEIXAS, Jacy A. ; BRESCIANI, Maria Stella ; BREPOHL, Marion (Orgs.) Razão e paixão na política.
Brasília: Editora UnB, 2002.
SEVCENKO, Nicolau. Literatura como missão. Tensões sociais e criação cultural na Primeira
República. São Paulo: Brasiliense, 1983.
SEVCENKO, Nicolau. O orfeu extático na metrópole. São Paulo, sociedade e cultura nos frementes
anos 20. São Paulo: Cia. das Letras, 1992.
SEVERIANO, Jairo ; HOMEM DE MELLO, Suza. A Canção no tempo: 85 anos de músicas brasileiras.
Vol 1: 1901-1957) 3ª ed. São Paulo : Ed. 34, 1998.
SILVA, Sérgio ; SZMRECSÁNYI, Tamás. História econômica da Primeira República. 2a ed. São Paulo:
Hucitec/Associação Brasileira de Pesquisadores em História Econômica/Editora da USP/ Imprensa
Oficial, 2002.

HISTÓRIA DO BRASIL III

6

PROF. LUIZ CARLOS RIBEIRO

SOARES, Mariza de Carvalho ; FERREIRA, Jorge. A história vai ao cinema. Rio de Janeiro: Record,
2001.
SOIBET, Rachel. O povo na rua: manifestações culturais como expressão de cidadania. In: FERREIRA,
Jorge ; Lucília de A. N. DELGADO (Orgs.). O Brasil republicano. O tempo do nacional-estatismo:
do início da década de 1930 ao apogeu do Estado Novo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003,
pp. 287-322.
SOLA, Lourdes. O golpe de 37 e o Estado Novo. in MOTA, Carlos Guilherme (Org.) Brasil em
perspectiva. 9ª ed. Rio ; São Paulo : DIFEL, 1977, p. 256-282.
SQUEFF, Enio ; WISNIK, José Miguel. O nacional e o popular na cultura brasileira. Música. São
Paulo: Brasiliense, 1982.
TINHORÃO, José Ramos. História social da Música Popular Brasileira. São Paulo: Ed. 34, 1998.
TINHORÃO. José Ramos. Cultura popular. Temas e questões. São Paulo: Ed 34, 2001.
TOTA, Antonio Pedro. O Estado Novo. 4ª ed. São Paulo : Brasiliense, 1994 (tudo é história - 114).
TRAVASSOS, Elizabeth. Modernismo e música brasileira. Rio de janeiro: Jorge Zahar Editor, 2000.
TRINDADE, Helgio. Integralismo: teoria e praxis. Política nos anos 30. In: FAUSTO, Boris (Dir.)
História Geral da Civilização Brasileira. 5ª ed. Rio de Janeiro : Ed. Bertrand do Brasil S.A., 1991,
p. 297-335 (III Brasil Republicano. 3. Sociedade e política - 1930-1964).
TRINDADE, Helgio. Integralismo: o fascismo brasileiro na década de trinta. São Paulo : DIFEL,
1979.
TRONCA, Ítalo. A revolução de 1930: a dominação oculta. São Paulo: Brasiliense, 1982 (tudo é
história - 42).
VELLOSO, Monica Pimenta. O modernismo e a questão nacional. In: FERREIRA, Jorge ; Lucília de A. N.
DELGADO (Orgs.). O Brasil republicano. O tempo do liberalismo excludente: da Proclamação da
República à Revolução de 1930. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003, pp. 351-387.
VELLOSO, Monica Pimenta. Os intelectuais e a política cultural do Estado Novo. In: FERREIRA, Jorge ;
Lucília de A. N. DELGADO (Orgs.). O Brasil republicano. O tempo do nacional-estatismo: do início
da década de 1930 ao apogeu do Estado Novo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003, pp. 145180.
VIANA, Luiz Werneck. Liberalismo e sindicato no Brasil. Rio de Janeiro : Paz e Terra, 1976.
VIANNA, Hermano. O mistério do samba. 4a ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2002.
VIANNA, Marly de Almeida G. O PCB, a ANL e as insurreições de novembro de 1935. In: FERREIRA,
Jorge ; Lucília de A. N. DELGADO (Orgs.). O Brasil republicano. O tempo do nacional-estatismo:
do início da década de 1930 ao apogeu do Estado Novo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003,
pp. 63-106.
VIOTTI DA COSTA, Emília. Da Monarquia à República: momentos decisivos. São Paulo: Grijaldo,
1977.
VIZENTINI, Paulo F. A crise dos anos 20. Editora da Univerisade/UFRGS: Porto Alegre, 1992.
WISNIK, José Miguel. O coro dos contrários. A música em torno da semana de 22. 2ª ed. São Paulo:
Duas Cidades, 1983.

Fevereiro 2010