HISTÓRIA DA
ODONTOLOGIA
NO BRASIL

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil

O início
A regulamentação da profissão
O ensino da Odontologia

A criação do Curso de Odontologia
Regulamentação federal
As Associações e os Conselhos de
Odontologia
Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil

O INÍCIO

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil O início

Época do descobrimento do Brasil
Pessoas que chegaram com as caravelas
Índios Pajé "arte de curar"

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil O início

Índios
Bons dentes
- Bem implantados, poucas cáries
- Acentuada abrasão mastigação de alimentos duros
Tribo Kuikuru (MT) ­ preenchimento de cavidades dentárias com resina jatobá aquecida
Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil O início

Índios
Relato de possível lavagem de
boca
"...deram-lhe aly de comer pam e pescado cosido, confeitos, fartees,
mel e figos passados; nom quizeram; nom quizeram comer d'aquillo
casy nada, e alguma cossa, se a provavam, lançavam-na logo fora.
Trouveram-lhes vinho por huã taça, pozeram-lhe asy a boca
tammalavês e nom gostaram d'elle nada, nem o quizeram mais;
trouveram-lhes agoa per humã albarada; tomaram d'ela senhos
bocados e nom beberam; somente lavaram as bocas e lançaram
fora".
Pero Vaz de Caminha

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil O início

Expedições
colonizadoras
Mestres de ofício
- Cirurgiões, sangradores e barbeiros

"curavam de cirurgia, sangravam e tiravam
dentes"
Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil O início

Barbeiro
Cortar e pentear
os cabelos

Barbear
Curativos
Operações
cirúrgicas pouco importantes
Extrações dentárias

Patrícia Ruiz Spyere

Sangrador
Sangrias
Extrações dentárias

História da Odontologia no Brasil O início

Barbeiro ou sangrador
Fortes, impiedosos, impassíveis e rápidos
Ignorantes, baixo conceito

Aprendiam atividade com
alguém mais experiente

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil O início

Odontologia somente extrações dentárias

Técnicas rudimentares, instrumental inadequado, falta
de higiene, sem anestesia
Recusa do médicos e cirurgiões risco de hemorragias e infecções (possibilidade de morte)
Barbeiros e sangradores agiam sem licença
Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil

A REGULAMENTAÇÃO
DA PROFISSÃO

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil A regulamentação da profissão

Carta Régia
(1629)

Regimento do Ofício de
Cirurgião-mor
(1631)

Primeiros documentos a normatizar o
exercício da arte dentária

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil A regulamentação da profissão

Carta Régia (1629)
Citou pela primeira vez os barbeiros
chegados no Brasil na época da criação das primeiras capitanias

Regimento do Ofício de Cirurgião-mor
(1631)
Cirurgião-mor expedir licenças e
fiscalizar
Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil A regulamentação da profissão

Requisitos para obtenção da licença
1. Comprovar que sangraram e exerceram atividade
de barbeiro por 2 anos

2. Banca examinadora
- Cirurgião-mor (Portugal) $ 600 Réis
- 2 barbeiros (Brasil Colônia) $ 300 Réis cada
*Multa de $ 2.000 Réis para quem tirasse dentes
sem licença*
Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil A regulamentação da profissão

Regimento ao Cirurgião-substituto de Minas Gerais
(1743)
Editado especificamente para o Brasil colônia
Representa os primórdios da legislação brasileira
ligada à Odontologia
Modificação na banca examinadora: cirurgião-mor,
suplente e 2 barbeiros $ oito oitavos de
ouro
Comprovação de 2 anos de atividade
*Tiradentes*
Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil A regulamentação da profissão

Joaquim José da Silva Xavier
(1746-1792)
Tiradentes - Mártir da Independência

Patrono da Odontologia
Aprendeu o ofício do padrinho (Sebstião
Ferreira Leitão) cirurgião, especialista
em extrair dentes e substituí-los por novos
Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil A regulamentação da profissão

Joaquim José da Silva Xavier (1746-1792)
Grande habilidade como operador
Esculpia coroas artificiais (osso de canela de boi
ou marfim) para substituir dentes ausentes
"...tirava com efeito dentes com a mais sutil ligeireza e
ornava a boca de novos dentes, feitos por ele mesmo, que
pareciam naturais".

Frei Raimundo Pennaforte
Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil A regulamentação da profissão

Joaquim José da Silva Xavier (1746-1792)

Objetos sequestrados na casa de Tiradentes ­ Pelicanos, fórceps e cinzel, em
madeira e metal - Museu Histórico nacional (Rio de Janeiro)
Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil A regulamentação da profissão

INSTRUMENTAIS
Chaves de Garengeot

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil A regulamentação da profissão

INSTRUMENTAIS
Pelicano

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil A regulamentação da profissão

PRÓTESES
Dentes esculpidos em osso ou marfim amarrados
com fios aos dentes remanescentes (fios e molas)

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil A regulamentação da profissão

Não se fazia tratamento de canais. As
restaurações eram de chumbo sobre as
polpas afetadas!!!!

Costumava-se amarrar o paciente

Não havia anestesia !!!!

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil A regulamentação da profissão

Esterilização precária chama de lamparina
Medicação pós-extração ervas medicinais

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil A regulamentação da profissão

Atendimento fora do consultório

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil A regulamentação da profissão

Ainda não
"dentista"!!!

era

presente

"Barbeiro: s.m. - o que faz barba;
(antigo) "sangrador", cirurgião pouco
instruído que sangrava, deitava
ventosas, sarjas, punha cáusticos e
fazia operações cirúrgicas pouco
importantes".
Novo Dicionário da Língua Portuguesa,
Eduardo de Faria, 1859
Patrícia Ruiz Spyere

o

termo

História da Odontologia no Brasil A regulamentação da profissão

Real Junta do Protomedicato (1782)
Extinguiu o cargo e cirurgião-mor

Ficou responsável pela concessão das cartas e
licenças
Formada por deputados, médicos e cirurgiões
aprovados
Fiscalização pela Câmara

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil A regulamentação da profissão

Ordem da Real Junta do Protomedicato aos comissários de Cirurgia das comarcas do
Reino sobre como procederem contra aqueles que exercitam a Cirurgia em qualquer
dos seus ramos sem exame, aprovação ou titulo que os habilitem a essa prática
(1802)
Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil A regulamentação da profissão

Plano de Exames da Real Junta do
Protomedicato (1800)
Aparece pela primeira vez o vocábulo
"Dentista"
Exame para avaliação de conhecimento parcial de anatomia, métodos operatórios e terapêuticos

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil A regulamentação da profissão

Chegada da família Real no Brasil (1808)
Brasil torna-se sede do Reino
Grande surto de progresso e desenvolvimento

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil A regulamentação da profissão

Criação da Escola de Cirugia na Bahia (1808)
José Correa Picanço Cirurgião-mor da Real Junta do
Protomedicato

- Cartas a 11 barbeiros
negros de baixa classe
social, forros e alguns
escravos
Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil A regulamentação da profissão

Presença dos negros na atividade não era bem
vista pelos portugueses arte de tirar dentes
atividade pouco importante

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil A regulamentação da profissão

Pouco conhecimento e inabilidade
dos
"tiradentes"

ocorriam
frequentes traumatismos"!!!

"ou casa, ou dente"

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil A regulamentação da profissão

Inúmeras queixas medidas para moralizar
Carta de Barbeiro
Não se poderia tirar dentes sem ser
examinado
Não se poderia sangrar sem ordem de
médico ou cirurgião aprovado
*A Carta de Sangrador era análoga
à Carta de Barbeiro*
Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil A regulamentação da profissão

Transferência da corte portuguesa para o Rio de
Janeiro (1808)
Cirurgião-mor Licenciou profissionais da Corte
e estendeu a fiscalização para todo o reino
Cartas semelhantes as
dos barbeiros baianos

Barbeiros eram escravos
ou forros com pouco conhecimento traumatismos e extrações de dentes próximos
Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil A regulamentação da profissão

Abolição da Real Junta do Protomedicato
(1809)
Atribuições voltaram para o físico-mor e o
cirurgião-mor,
com
colaboração
de
seus
delegados e subdelegados
Físco-mor Manoel Vieira da Silva controle do
exercício da Medicina e da Farmácia
Cirurgião-mor José Corrêa Picanço controle
da cirurgia, no exercício das funções realizadas
pelos sangradores, dentista e parteiras
Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil A regulamentação da profissão

Mestre Domingos
Negro mestiço, barbeiro
Atendia clientes em casa
Dado a manobras intempestivas algumas vezes
extraía, também, o dente vizinho, mas cobrava apenas
um!!!!
Sugeria às crianças que
atirassem o dente extraído no
telhado, dizendo antes por três
vezes: "Mourão, toma teu dente
podre e e dá cá o meu são"
Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil A regulamentação da profissão

Primeira Carta de Dentista (1811)
Direito a apenas "tirar dentes" Não
fazia alusão a cirurgias ou próteses

Dentistas
tinham
conhecimentos
rudimentares, sem escolas, sem cursos.
Não era necessário saber ler para
conseguir a carta!!!!
Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil A regulamentação da profissão

Primeira Carta de Dentista mais evoluído (1820)
Eugênio Frederico Guertin
Faculdade de Odontologia de Paris
Permissão para extrair dentes, praticar todas as operações, fazer curativos, etc
Publicou "Avisos Tendentes à Conservação dos
Dentes e sua Substituição" Primeira
Odontologia no Brasil

obra

de

Instalava coroas metálicas, obturava dentes com ouro ou
chumbo, fazia limpeza e extraía dentes
Atingiu elevado conceito, atendia a nobreza
Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil A regulamentação da profissão

Tabela de Eugênio Frederico Guertin
Preços das operações feitas em casa do dentista (em réis):
De limpar os dentes - 2.400
De tirar fora 1 dente - 960
De chumbar 1 dente - 800
De limar 1 dente - 800
Dentes artificiais:
Cada um de cavalo marinho ou marfim - 4.000
Dente com esmalte - 8.000
Dente natural - 12.000
Dente incorruptível (porcelana) - 24.000
Licor para gengivas, o frasco - 500
Bálsamo para dor de dente - 400
Pós para limpar os dentes, a caixinha - 320
Na casa dos clientes:
Limpar os dentes - 6.000
Tirar fora, limar ou chumbar um dente - 2.000

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil A regulamentação da profissão

Primeira Carta de Dentista
após a independência (1824)
Gregório Raphael da Silva
Extinção dos cargos de físico-mor e cirurgião-mor
(1828)
Objetivo: descentralizar a concessão das licenças
Câmaras Municipais e Justiças Ordinárias
Faltavam profissionais capacitados a examinar os
candidatos
Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil A regulamentação da profissão

Raros trabalhos artísticos sobre Odontologia
"Boutique de Barbier" ­ Jean Baptiste Debret (1821)

Barbeiro, Cabellereiro,
Sangrador, Dentista e
Deitão Bixas"

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil A regulamentação da profissão

Chegada de dentistas franceses e
americanos Contribuiu para o desenvolvimento da profissão
Clintin Van Tuyl Primeiro a usar clorofórmio para
anestesia ­ casos excepcionais
"Guia dos Dentes Sãos" (1849)

Whittemore Dentista da Corte Imperial
"Uma porção de clorofórmio puro
para tirar dentes sem dor" (1850)
Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil A regulamentação da profissão

Junta de Higiene Pública (1850)
Ações saneadoras e regularização de profissionais formados em universidades estrangeiras

Dentistas deveriam apresentar as cartas de
licença à Junta (Decreto nº 828 -1851)

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil A regulamentação da profissão

Exame nas Faculdades de Medicina da BA ou RJ
para candidatos a dentista (Decreto nº 1.754 ­ 1856)
Parte prática ­ extração de dente de cadáver

Parte teórica:
1. Anatomia, Fisiologia, Patologia e Anomalias dos dentes
2. Gengivas e Arcadas alveolares
3. Higiene e terapêutica dos dentes
4. Instrumentos que compõem o arsenal cirúrgico do dentista
5. Meios de confeccionar as peças da prótese e ortopedia
dentária
Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil A regulamentação da profissão

Primeira Revista Odontológica (1869)
Arte Dentária ­ João Borges Diniz

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil

O ENSINO DA
ODONTOLOGIA

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil O ensino da Odontologia

Criação de Cursos de Cirurgia Dentária
(1879) anexos às Faculdades de Medicina
Regulamento para exames nas Faculdades
de Medicina (1881)
Exames para habilitação dos CDs
Anatomia, histologia e higiene, em suas
aplicações à arte dentária
Operações e Próteses dentárias
Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil O ensino da Odontologia

Vicente Cândido Figueira de Sabóia
Assumiu a Faculdade de Medicina (1880)

Atualizou material e cientificamente o ensino
Instalou o Laboratórios com aparelhos e instrumentos dos
EUA Cirurgia e Prótese dentárias

Thomas Gomes dos Santos Filho
Aprovado em concurso para preparador (1883)

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil O ensino da Odontologia

Criação do Curso de Odontologia (1884)
Decreto nº 9.311
Odontologia curso em anexo às Faculdades
de Medicina (BA e RJ)

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil O ensino da Odontologia

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil O ensino da Odontologia

Reforma Sabóia
Vicente Cândido Figueira de Sabóia
e Thomas Gomes dos Santos Filho
Estatuto
Curso de Odontologia 3 séries

1ª série: Física, Química Mineral, Anatomia Descritiva e
Topografia da Cabeça
2ª série: Histologia Dentária, Fisiologia Dentária, Patologia
Dentária e Higiene da Boca
3ª série: Terapêutica Dentária, Cirurgia e Prótese Dentárias
Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil O ensino da Odontologia

Novas Escolas
Escola de Farmácia, Odontologia e Obstetrícia, na
Faculdade de Medicina de São Paulo (1900)
Escola de Farmácia e Odontologia de Juiz de Fora
(1904)

Faculdade de Farmácia e
Odontologia do Rio de
Janeiro (1912)
Faculdade de Farmácia e
Odontologia
do
Ceará
(1916)
Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil O ensino da Odontologia

Sala de Clínica da Escola de Farmácia e Odontologia de Juiz
de Fora em 1948
Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil O ensino da Odontologia

Obras
"Higiene da Boca - Considerações
Gerais sobre a Arte Dentária" Anderson Ferro (1895)
"Manual Odontológico" (1900) e História da Odontologia no Brasil desde a Era Colonial até Nossos
Dias" (1922) - Augusto Coelho e Souza O Pai
da Odontologia

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil O ensino da Odontologia

Faculdade de Odontologia
Curso de Odontologia (1884) Faculdade
de Odontologia em 1925, ainda anexa à
Faculdade de Medicina

Faculdade de Odontologia torna-se autônoma
em 1933
Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil

REGULAMENTAÇÃO
FEDERAL

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil Regulamentação federal

Decreto nº 15.003 (1921)
Exercício da Odontologia em todo o país
Profissionais habilitados por título conferido pelas
Faculdades de Medicina oficiais ou equiparadas
Graduados em escolas ou universidades estrangeiras que se habilitassem perante as faculdades
nacionais
Professores de universidades estrangeiras e que
requeressem licença junto ao Departamento
Nacional de Saúde Pública
Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil Regulamentação federal

Decreto nº 20.934 (1932)
Exercício das profissões da área da saúde
somente somente quem tivesse passado

pelo órgão formador
Decreto nº 21.073 (1932)
Regulava o exercício da Odontologia pelos dentistas
práticos
5 anos de prática, na capital do país

Aprovação em exames de habilitação
Licença do Departamento Nacional de Saúde
Pública

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil Regulamentação federal
Decreto nº 20.934 (1932)
Exercício das profissões da área da saúde
somente somente quem tivesse passado pelo
órgão formador
Decreto nº 21.073 (1932)
Exercício da Odontologia pelos dentistas práticos
5 anos de prática, na capital do país
Aprovação em exames de habilitação
Licença do Departamento Nacional de Saúde Pública
Decreto nº 23.540 (1933)
Data limite para a concessão de licença aos dentistas
práticos em exercício 30 de Junho de 1934
Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil Regulamentação federal

Lei nº 1.314 (1951)

Primeira
regulamentação
profissional da Odontologia

do

exercício

"Art. 1º. O exercício da profissão de odontologista no
território nacional só será permitido aos que se
acharem habilitados por título obtido em Escola de
Odontologia, oficialmente ou legalmente reconhecida,
devidamente registrado na Diretoria do Ensino
Superior e anotado, sucessivamente, no Serviço
Nacional de Fiscalização da Medicina e na repartição
sanitária estadual competente."
Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil Regulamentação federal

Lei nº 5.081 (1966)
Em vigor até os dias atuais

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil

AS ASSOCIAÇÕES E OS
CONSELHOS DE
ODONTOLOGIA

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil As Associações e os Conselhos de Odontologia

Conselhos Federal e Regionais
Lei nº 4.324 (1964)

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil As Associações e os Conselhos de Odontologia

Associação Brasileira de Odontologia
Instituto de Cirurgiões-Dentistas (1868)
Associação Brasileira de Odontologia (1942)

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil

INSTRUMENTOS
ANTIGOS

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil

INSTRUMENTOS USADOS POR
TIRADENTES
Pelicanos,
Fórceps e
Cinzel

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil

PELICANOS
Usados desde o século XVI
Precursores dos Fórceps

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil

PELICANO AJUSTÁVEL COM BRAÇO
PIVOTANTE (SÉC. XVIII)

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil

MODELOS DE PELICANOS

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil

PELICANOS

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil

PELICANO COM DIVERSOS COMPONENTES

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil

CHAVE DENTAL

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil

CHAVE DENTAL (SÉC. XIX)
Usada para extrações
dentárias
Associação do Pelicano
com a Alavanca

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil

CHAVE DENTAL COM TRAVAMENTO NA
PONTA

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil

CHAVE DENTAL COM ALAVANCA DE PRESSÃO
PARA TRAVAMENTO (SÉC. XVIII)

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil

CHAVE DENTAL

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil

PRECURSOR DO FÓRCEPS

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil

FÓCEPS ITALIANO (SÉC. XVIII)

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil

FÓRCEPS COM BROQUEIO (SÉC. XVII)
Broqueio rosqueável Não permitia seu fechamento além do limite Evitava fratura do dente

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil

FÓRCEPS (SÉC. XVIII)

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil

FÓRCEPS COM BROCA (1948)

Verruma: Finalidade
de fragmentar o
dente, facilitando a
extração

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil

FÓRCEPS (SÉC. XIX)

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil

INSTRUMENTOS ROTATÓRIOS ANTIGOS

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil

BROCA DENTAL MANUAL

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil

INSTRUMENTO ROTATÓRIO MOVIDO À CORDA

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil

INSTRUMENTOS ROTATÓRIOS MOVIDOS
A PEDAL (SÉC. XIX)

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil

CINZÉIS
CIRÚRGICOS

Patrícia Ruiz Spyere

ELEVADOR PÉ DE
CABRA

História da Odontologia no Brasil

ESPELHO ARTICULADO
COM CABO DE OSSO
(SÉC. XIX)

Patrícia Ruiz Spyere

ESPELHO EM MARFIM
E PRATA

História da Odontologia no Brasil

INSTRUMENTOS CLÍNICOS

Adaptados individualmente. Cabo de madre-pérola
Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil

INSTRUMENTOS CLÍNICOS

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil

ESPÉCULO ORAL

Dispositivo para manter a boca
aberta no ato operatório

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil

ABRIDOR DE BOCA

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil

TONGUE ECRASEUR

Dispositivo para remover
parte da língua com tumor

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil

PAQUÍMETRO

Patrícia Ruiz Spyere

ESPÁTULAS,
CINZÉIS

História da Odontologia no Brasil

SERINGA ANESTÉSICA

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil

SERRA PARA SEPARAR DENTES

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil

MANEQUIM ODONTOLÓGICO (1915)

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil A regulamentação da profissão

APARELHO ORTODÔNTICO

Patrícia Ruiz Spyere

História da Odontologia no Brasil A regulamentação da profissão

EQUIPAMENTOS

Patrícia Ruiz Spyere