História do Rádio no Brasil
1922 - Realiza-se no dia 7 de setembro a primeira transmissão radiofônica oficial no
Brasil, como parte das comemorações do Centenário da Independência. A
Westinghouse Electric, junto com a Companhia Telefônica Brasileira, instala no alto do
Corcovado, no Rio de Janeiro, uma estação de 500 W, inaugurada com um discurso do
presidente Epitácio Pessoa . Seguem-se emissões de música lírica, conferências e
concertos, captados pelos 80 aparelhos de rádio distribuídos pela cidade. Após as
festividades, as transmissões são interrompidas.

Roquette Pinto em 1923
1923 - O governo brasileiro monta, na praia Vermelha, no Rio de Janeiro, uma estação
de rádio que transmitia, em condições precárias, programas literários, musicais e
informativos. Roquette Pinto e Henrique Morize criam a Rádio Sociedade do Rio de
Janeiro, que apresentava programas educativos e culturais. Influenciadas por ela, são
fundadas rádios amadoras em várias partes do país, como a Rádio Clube Paranaense, a
Rádio Clube de Pernambuco, a Rádio Sociedade Rio-Grandense, a Rádio do Maranhão,
a Rádio Sociedade Educadora Paulista e a Rádio Clube de Ribeirão Preto. Todas nascem
como clubes e sociedades e, como a legislação proibia a publicidade, são sustentadas
por seus associados. Curiosamente essas rádios tinham, na época, a mesma estrutura
hoje atribuída às rádios comunitárias. O rádio começou no Brasil, como
epreendimento da sociedade civil organizada.

1932 ­Waldo de Abreu cria os primeiros anúncios de rádio no Esplêndido Programa,
da Rádio Clube do Brasil do Rio de Janeiro. O governo Getúlio Vargas permite a
publicidade no rádio. Sustentadas pelo dinheiro dos anúncios, as emissoras passarão a
ser regidas por interesses comerciais (de seus anunciantes) e não mais de seus
associados que outrora a sustentavam. As rádios perdem o caráter de "associação".
Nesse mesmo ano Locutores paulistas usam o rádio como instrumento para conseguir
a adesão popular à Revolução Constitucionalista de 1932.
1935 - Inauguração da Rádio Jornal do Brasil, no Rio de Janeiro. Instituição do
programa oficial do governo de Getúlio Vargas , a Voz do Brasil, transmitido até hoje.
A Rádio Kosmos, de São Paulo, cria os primeiros programas de auditório, que
permitem a participação do público. Surgem os primeiros ídolos do rádio: Linda
Batista, Araci de Almeida, Francisco Alves, Carmen Miranda, Orlando Silva, Sílvio
Caldas , entre outros. A primeira a possuir uma equipe jornalística.

Silvio Caldas em 1937
1936 - Inauguração da Rádio Nacional, do Rio de Janeiro, a primeira grande emissora
brasileira, líder de audiência durante duas décadas.

Auditório da Rádio nacional
1937 - Assis Chateaubriand inauguara a Rádio Tupi de São Paulo. A cantora Linda
Batista é eleita a "Rainha do Rádio".

Assis Chateaubriand
1938 - Orson Welles aproveita a interpretação e a imaginação do rádio para narrar
uma realista invasão de marcianos colocando centenas de pessoas em pânico nos EUA.

Orson Welles
1941 - A Rádio Nacional lança o Repórter Esso primeiro radiojornal brasileiro, que ia ao
ar na voz de Heron Domingues . Em Busca da Felicidade, a primeira radionovela
brasileira, é transmitida pela Rádio Nacional do Rio de Janeiro.
1944 - Inauguração da Rádio Globo, do Rio de Janeiro.
1948 ­ Inicia-se a fase áurea dos programas de auditório, quando despontam cantoras
como Emilinha Borba e Marlene e sua histórica rivalidade.

Emilinha Borba na década de 40
1956 ­ Invenção do transmissor que permitiu a fabricação de rádios menores que iam
a qualquer lugar. O rádio se torna mais companheiro com essa mobilidade.
1959 ­ O rádio inicia a corrida para o jornalismo ao vivo dado o grande sucesso das
reportagens de rua, ao vivo, e das entrevistas fora dos estúdios.
1962 ­ Primeira transmissão Via Satélite
1966 ­ Surge o som estéreo.
1968 - Fim do Repórter Esso. O locutor Gontijo Theodoro ficou à frente do Repórter
Esso por 18 anos, 9 meses e 10 dias. Com sua voz possante e dicção perfeita, Gontijo
Theodoro , às 8 horas da noite, em ponto, dava o seu "Boa Noite" e passava a informar
só notícias confirmadas. Sua credibilidade era tanta, que houve um tempo em que se
dizia: "Se o Repórter Esso não deu, não aconteceu".
1970 - Surgimento das primeiras emissoras de freqüência modulada (FM) do país.

1975 - A Rádio Globo se consagra nas transmissões de partidas de futebol.
1977 - Inauguração da Rádio Cidade FM, no Rio de Janeiro, líder de audiência na
década de 80. Nomes como Eládio Sandoval, Fernando Mansur, Romilson Luís, Paulo
Martins, Sérgio Luís e Jaguar fazem escola em FM sob a coordenação de Carlos

Townsend .
Equipe Rádio Cidade FM 1977
1982 - A Rádio Fluminense FM, mais conhecida como "Maldita", criou uma nova
linguagem de locução nas FMs. Era a Rádio Rock!. Na época do primeiro Rock in Rio,
estava entre as cinco mais ouvidas regularmente.

1991 - Com o slogan " A rádio que toca notícia ", o Sistema Globo de Rádio inaugura a
Central Brasileira de Notícias (CBN-AM), com 24 horas de informações.

1996 - Lançamento da CBN-FM São Paulo, primeira rádio só de notícias em freqüência
modulada. O governo envia ao Congresso projeto de lei que prevê a regulamentação
do funcionamento das rádios comunitárias.
1997 - O percentual de domicílios brasileiros com aparelhos de rádio chega a 90,3%,
contra 84,9% em 1992, segundo o IBGE. Na Região Sul, o índice é de 94,8%; na
Sudeste, 94,3%; na Centro-Oeste, 87,2%; e na Nordeste, 83,3%.
2000 - Começam a ter destaque as rádios virtuais pela Internet. Entra em atividade a
RadioClick do Sistema Globo de Rádio.

2005 - No ano em que o rádio comemora 83 anos de transmissão analógica no Brasil,
as principais emissoras do país começam a testar a difusão digital de sua programação.
A tecnologia é testada por parte das emissoras dos grupos Eldorado, Bandeirantes,
Jovem Pan, RBS e Sistema Globo de Rádio.

Receptor portátil Digital