1

PRONOMES: EMPREGO, FORMAS DE
TRATAMENTO E COLOCAÇÃO
Pronome é a palavra variável em gênero, número e pessoa que substitui ou
acompanha o substantivo, indicando sua posição em relação às pessoas do discurso
ou situando-o no espaço e no tempo. Quando ele representa o substantivo, dizemos
que se trata do pronome substantivo. Ex.: Nós fomos aprovados no concurso. Quando
ele vem acompanhado do substantivo, restringindo a extensão de seu significado,
dizemos que se trata do pronome adjetivo. Ex.: Este apartamento é antigo.
Há seis espécies de pronomes, a saber:
1. PESSOAIS - indicam as pessoas do discurso.

Número

Pessoa

1a.
Singular 2a.
3a.
1a.
Plural
2a.
3a.

Pronomes
retos
eu
tu
ele, ela
nós
vós
eles, elas

Pronomes oblíquos
Tônicos
mim, comigo
ti, contigo
ele, ela, si, consigo
nós, conosco
vós, convosco
eles, elas, si, consigo

átonos
me
te
se, o, a, lhe
nos
vos
se, os, as, lhes

OBSERVAÇÕES:
A) Os pronomes do caso reto não podem ser usados como complementos verbais.
Ex.: Eu vi ele no prédio - forma errada; o correto é: Eu o vi no prédio.
B) Os pronomes oblíquos a(s), o(s), quando precedidos de verbos que terminam em R, -S, -Z, assumem a forma lo, la, los, las. Exs.: amar + a = amá-la; quis + o = qui-lo;
fiz + o = fi-lo.
C) Os pronomes oblíquos a(s), o(s), quando precedidos de verbos que terminam em M, -ÃO, ÕE, assumem a forma no, na, nos, nas. Exs.: entregam + os = entregamnos, dão + os = dão-nos.
D) Os pronomes oblíquos podem funcionar como sujeito no infinitivo, quando se usam
os verbos: deixar, fazer, mandar, ouvir, sentir e ver. Ex.: Mandaram-me sair (E não:
Mandaram eu sair).
Empregos das formas EU e TU x MIM e TI
Quando precedidos de preposição, utilizam-se as formas mim e ti. Ex.: Nada
mais há entre mim e ti.
EXCEÇÃO - quando as formas retas funcionarem como sujeito de um verbo no
infinitivo. Ex.: Deram a motocicleta para eu dirigir.
Emprego de CONOSCO / CONVOSCO / COM NÓS / COM VÓS
Utilizam-se as formas com nós / com vós antes de pronomes relativos (que),
numerais, palavras de reforço: todos, ambos, mesmos, próprios. Ex.: Marlene saiu
com nós dois; Fomos nós mesmos ao cinema.
Nos demais casos, utilizam-se as formas conosco / convosco. Exs.: Marlene
saiu conosco; Ela falou convosco.

2

Emprego dos pronomes SE, SI e CONSIGO - utilizados somente quando reflexivos.
Exs.: Rafael cortou-se; José é muito egoísta. Só pensa em si mesmo; O examinador
trouxe as provas consigo.
PRONOMES DE TRATAMENTO - Referem-se à segunda pessoa, mas exigem o
verbo na terceira pessoa.
Principais formas de tratamento:
Vossa Alteza - V.A. (VV.AA.) - príncipes, duques, arquiduques
Vossa Eminência - V. Em.a (V. Em.as) - cardeais
Vossa Excelência - V. Ex.a (V. Ex.as) - altas autoridades e oficiais das Forças
Armadas
Vossa Magnificência - V. Mag.a - (V. Mag.as) - reitores de universidades
Vossa Majestade - V.M. (VV. MM.) - reis, imperadores
Vossa Meritíssima (não se abrevia) - juízes de direito
Vossa Paternidade - V.P. (VV.PP.) - abades, superiores de conventos
Vossa Santidade - V.S. - papa
Vossa Reverendíssima - V. Revm.a (V.Revm.as) - sacerdotes e religiosos em geral
Vossa Excelência Reverendíssima ­ V. Ex.a Revm.a (V. Ex.as Revm.as) - bispos,
arcebispos
Vossa Senhoria - V.S.a (V. S.as) - tratamentos cerimoniosos
Você - v. (vv.) - familiares, pessoas íntimas
Senhor - Sr. (Srs.) - distanciamento respeitoso
OBSERVAÇÃO - Os pronomes de tratamento devem vir precedidos de Vossa,
quando nos dirigimos à pessoa representada pelo pronome e por Sua, quando
falamos sobre essa pessoa. Ex.: Vossa Excelência permite uma sugestão?; Sua
Excelência, não comparecerá à sessão plenária.
2. POSSESSIVOS - referem-se às pessoas do discurso: meu, minha, meus, minhas,
teu, tua, teus, tuas, nosso, nossa, nossos, nossas, vosso, vossa, vossos, vossas, seu,
sua, seus, suas.
3. DEMONSTRATIVOS - referem-se à posição dos seres em relação às pessoas do
discurso, situando-os no tempo, no espaço ou no próprio discurso.
1a pessoa - este(s), esta(s), isto
2a pessoa - esse(s), essa(s), isso
3a pessoa - aquele(a), aqueles(as), aquilo
EMPREGO
1a pessoa - indica proximidade de quem fala ou escreve. Ex.: Esta caneta é minha;
referem-se ao que ainda vai ser dito ou escrito. Ex.: Ainda relembro estas palavras: "é
pentacampeão".
2a pessoa - indica proximidade da pessoa a quem se fala ou se escreve. Ex.: Esse
relógio que tens atrasa muito; refere-se ao que já foi dito ou escrito. Ex.: O advérbio e
a preposição são palavras invariáveis - essas duas classes gramaticais não têm
flexão.
3a pessoa - referência a seres que se encontram longe do falante e do ouvinte. Ex.:
Aquele relógio que ele tem atrasa muito.

3

OBSERVAÇÕES:
A. Os pronomes o(s), a(s) serão demonstrativos quando puderem ser substituídos por
isto, isso, aquilo ou aquele. Exs.: Não se pode ignorar tudo o (aquilo) que foi
declarado; A (aquela) que responder com exatidão, ganhará o prêmio.
B. Quando houver a enumeração de dois elementos e, à frente, quiser retomá-los,
deve-se substituir o primeiro por aquele, aquela, aquilo e o último por este, esta, isto.
Exemplo: Machado de Assis e Carlos Drummond de Andrade foram dois expoentes da
literatura brasileira. Este na poesia; aquele, nos romances. (Este: Drummond; aquele:
Machado)
C. Tal, tais: serão pronomes demonstrativos quando estiverem substituindo outros
pronomes demonstrativos, como aquele, aquela e aquilo. Exemplo: Explique como tal
pessoa conseguiu ser aprovada no concurso. A palavra "tal" pode ser substituída por
"essa" ou "aquela".
D. Mesmo(a), mesmo(os), próprio(a), próprios(as): serão demonstrativos quando
equivalerem a "idêntico" ou "em pessoa": Ela mesma cuidou dos enfermos; Elas
próprias enfrentaram os marginais.
4. RELATIVOS - referem-se a um termo anterior, denominado antecedente. a) QUE usado em relação a coisas ou pessoas (Este é o livro que você está lendo; A pessoa
que lhe apresentei venceu o concurso de poesia); b) QUEM ­ refere-se apenas a
pessoas e aparece sempre preposicionado: Esta é a garota a quem ele amava; c)
CUJO ­ indica posse, vem entre dois substantivos, concorda em gênero e número
com o substantivo a que se refere, não admitindo a posposição do artigo (Este é o
escritor cuja obra li na íntegra); d) ONDE ­ equivale a em que ou no(a) qual,
empregado para indicar lugar (Onde você mora?); e) QUANTO ­ vem precedido de
um dos pronomes indefinidos: tudo, tanto(s), tanta(s), todo(s),toda(s). Tenho tudo
quanto desejo.; f) QUANDO ­ será pronome relativo quando o antecedente dá ideia de
tempo (A greve aconteceu em janeiro quando o governo aumentou os impostos).
5. INDEFINIDOS - referem-se à terceira pessoa do discurso de maneira imprecisa ou
genérica. Podem fazer referência a pessoas, coisas e lugares.
Pessoas: quem, alguém, ninguém, outrem.
Lugares: onde.
Coisas: qual, algo, tudo, nada, todo, algum, nenhum, certo, outro, muito, quanto,
pouco, qualquer, cada.
Observações:
Algum - após substantivo a que se refere, tem valor negativo: Político algum merece
confiança.
Cada - deve ser sempre seguido por um substantivo ou numeral: Eles marcaram 2
gols cada um.
Outrem - equivale a "qualquer pessoa".
Todo - usado sem artigo significará cada ou todos (Todos dia tomo café pela manhã.),
usado com artigo significará inteiro ­ Fiquei descansando o dia todo.
6. INTERROGATIVOS - que, quem, qual, quanto. Empregados em perguntas diretas
ou indiretas. Exs.: Quem está aí? Quero saber quem está lá fora.
OBSERVAÇÃO: Na língua culta, não se devem misturar os tratamentos tu e você,
como é comum na linguagem coloquial. Evitem-se frases como: Se você precisar, vou
te ajudar. Em seu lugar, deve-se usar a uniformidade de tratamento, ou seja, Se você
precisar, vou ajudá-lo ou Se precisares, vou te ajudar.

4

COLOCAÇÃO PRONOMINAL
Os pronomes oblíquos átonos (me, te, se, o, lhe, nos, vos, se, os, as, lhes)
podem aparecer como complementos verbais em três posições: depois do verbo
(ênclise), antes do verbo (próclise) ou no meio do verbo (mesóclise).
ÊNCLISE - ocorre em: a) períodos iniciados por verbos. Ex.: Dê-me uma xícara de
café; b) no infinitivo impessoal. Ex.: Vera vai casar-se com Nestor; c) no imperativo
afirmativo. Ex.: Por favor, diga-nos por que fomos mal na prova; d) no gerúndio. Ex.:
Ele foi embora desejando-lhe boa sorte.
OBSERVAÇÕES
A) Se o gerúndio vier precedido de preposição, empregaremos a próclise. Ex.: Em se
tratando de trabalhar, ele é o último a cooperar.
B) A ênclise não ocorre com as formas dos futuros do indicativo e do particípio. Exs.:
Formas erradas - Faria-me um favor; Sérgio tem irritado-me. Corrigindo-se, teremos:
Far-me-ia um favor; Sérgio tem me irritado.
MESÓCLISE - ocorre apenas no futuro do presente ou no futuro do pretérito do
indicativo, desde que não haja palavra que exija a próclise. Ex.: Mandar-te-ei os livros
na próxima remessa.
PRÓCLISE - ocorre diante de palavras ou expressões negativas, pronomes relativos,
pronomes indefinidos, conjunções subordinativas, advérbios, orações exclamativas,
orações interrogativas. Exs.: Eles não o queriam por aqui; Quem me escreverá quando
eu for a Paris?; Nunca nos veremos outra vez.
CASOS OPTATIVOS
a) Sujeito expresso ­ O gato se lambia ou lambia-se.
b) conjunção coordenativa ­ Era rico, mas se queixava ou queixava-se.
c) infinitivo preposicionado Fiz de tudo para perdoar-lhe ou lhe perdoar.
COLOCAÇÃO DOS PRONOMES NAS LOCUÇÕES VERBAIS
1. NÃO HAVENDO PALAVRA ATRATIVA: a colocação é livre, desde que não
contrarie as normas gramaticais: O pai lhe devia dar apoio ou devia-lhe dar apoio ou
devia dar-lhe apoio.
2. HAVENDO PALAVRA ATRATIVA: pronome fica antes ou depois da locução, se
não contrariar as regras gramaticais. A equipe não lhe quis compreender ou A equipe
não quis compreender-lhe.

5

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO
1. Numere a 2ª coluna de acordo com a 1ª adequando o pronome de tratamento à
pessoa.
A) Vossa Senhoria
(
) governador
B) Vossa Excelência
(
) chefe de seção
C) Vossa Alteza
(
) reitores
D) Vossa Majestade
(
) marechal
E) Vossa Reverendíssima
(
) rei
F) Vossa Magnificência
(
) príncipe
G) Vossa Eminência
(
) sacerdote
(
) diretor
(
) cardeais
2. Complete com o pronome demonstrativo adequado.
a) .................... aliança não sai do meu dedo.
b) A placa continha .................... dizeres: "Não ultrapasse."
c) O jardim está abandonado. .................... não pode acontecer.
d) Olhe para .................... estrela. Não parece um planeta?
e) Lembre-se ..........................: "Quem estuda com afinco passa no concurso." (disto /
disso)
f) "Quem estuda com afinco passa no concurso." Lembre-se ......................... . (disto /
disso)
3. (FEI-SP) Reescreva a frase seguinte, confirmando ou corrigindo a colocação dos
pronomes:
Ana, amanhã farei-lhe uma visitinha e contarei-lhe tudo o que sei a respeito dele.
Me espere às 9 horas e não me faça esperar muito.

TESTES DE CONCURSOS
1. (IDR) Complete as frases abaixo com os pronomes eu ou mim.
I. Houve muitas discussões entre os alunos e ............... .
II. Jimmy pediu para ............... ensiná-lo a falar português.
III. Entre ............... e você não deve haver constrangimento.
IV. Falaram abertamente perante a assembleia e ............... .
A sequência correta obtida é
a) eu - eu - eu - mim
b) mim - eu - eu - mim

c) eu - eu - mim - mim
d) mim - eu - mim - mim

e) n.d.a.

2. (CESPE-UNB) Assinale a melhor resposta - O resultado das combinações: "põe +
o", "reténs + as", "deduz + a", é:
a) pões-lo, reténs-la, dedu-la
d) põe-no, retém-las, dedu-la
b) põe-no, retém-nas, dedu-la
e) põe-lo, retém-las, dedu-la
c) pões-lo, retém-las, deduz-la

6

3. (VUNESP) Assinale a alternativa correta quanto à forma de tratamento.
a) O povo faminto pergunta ao príncipe: - Vossa Majestade, algum dia, passou
fome?
b) Os funcionários da seção escreveram ao diretor: "Pedimos a Vossa
Excelência permissão para trazer um aparelho de TV, nos dias de jogos da
seleção."
c) Os estudantes perguntaram à esposa do presidente: Você ainda dirige as
entidades filantrópicas?
d) Sua Excelência, o supervisor, tornou a viajar.
e) - Dirijo-me a Vossa Senhoria sempre com muito respeito - respondeu o
contador ao chefe de departamento.
4. (BRÁS CUBAS) "Alguém, antes que Pedro o fizesse, teve vontade de falar o que
foi dito." Os pronomes assinalados dispõem-se nesta ordem:
a) de tratamento, pessoal, oblíquo, demonstrativo
b) indefinido, relativo, pessoal, relativo
c) demonstrativo, relativo, pessoal, indefinido
d) indefinido, relativo, demonstrativo, relativo
e) indefinido, demonstrativo, demonstrativo, relativo
5. (VUNESP) Assinale a alternativa em que se mantém uniformidade de tratamento.
a) Repetiam em voz interior: recebe-me em tua bondade, pois eis-me aqui,
arrependido.
b) Entre a turba um deles vociferava: - Dizei-me onde estão os seguidores de
tuas palavras.
c) Em suas andanças, como pregador, avisava: - Não alargue em teu reino,
povo ímpio, a fúria do Senhor.
d) O andarilho, recebido pelo príncipe, ameaçou: - Não pense, Vossa Alteza,
que vosso reinado será eterno.
e) Dá-me forças com suas preces, bondoso mestre, pois restam-me poucos e
eu sucumbo.
6. (CESGRANRIO) Marque a opção incorreta quanto à colocação pronominal.
a) Seria-nos conveniente assinar o acordo hoje.
b) Nada se fez por ele.
c) Vocês podem dizer-me a verdade.
d) Amanhã, contar-lhe-ei as novidades.
e) Quando a viu vencer, desmaiou.
7. (FGV) Em "Mas porque na verdade não me queres mais", ocorreu caso de próclise
em função da presença de palavra de valor negativo. Assinale a alternativa que
apresente caso de colocação pronominal em desacordo com a norma culta.
a) Isso o deixa abatido.
b) Sem dúvida, desejar-se-iam dias melhores.
c) Nós nos colocáramos à disposição do grupo.
d) O importante é que o evento se deu de forma regular.
e) Haviam confirmado-me o horário da consulta.

7

ANÁLISE SINTÁTICA
TERMOS ESSENCIAIS DA ORAÇÃO
SUJEITO - é o ser de quem se informa alguma coisa. Pode ser:
A) Simples - apresenta apenas um núcleo. Ex.: José perdeu os documentos.
B) Composto - apresenta mais de um núcleo. Ex.: Anselmo e Vítor saíram cedo.
C) Oculto (Implícito, subentendido) - conhecido pela desinência verbal. Ex.: Vieste
tarde. (tu)
D) Indeterminado - Ocorre em dois casos:
I - verbo na terceira pessoa do plural, não havendo sujeito expresso na oração:
Falaram de você.
II - verbo na terceira pessoa do singular + índice de indeterminação do sujeito se. Ex.:
Precisa-se de operários.
E) Inexistente - Ocorre com os verbos:
I - estar, fazer, ir, haver, ser - com ideia de tempo. Ex.: Faz dias que não chove; Há
duas semanas ele partiu.
II - haver - significando existir. Ex.: Há muitos eleitores que não sabem em quem votar.
III - significando fenômenos naturais: amanhecer, anoitecer, chover, trovejar, nevar,
escurecer, etc. Ex.: Chove o ano todo no Pantanal.
IV - Com as construções verbais: Chega de...; Basta de...
PREDICADO - é o que se fala do sujeito. Quanto à predicação, os verbos podem ser:
intransitivos, transitivos e de ligação.
1. INTRANSITIVOS - têm sentido completo, não necessitando de complemento. Ex.: A
criança nasceu.
2. TRANSITIVOS - não têm sentido completo, necessitando de complementos. Podem
ser:
A) Diretos - sem preposição obrigatória. Antenor merece o prêmio.
B) Indiretos - com preposição obrigatória. Marlene gosta de numerologia.
C) Diretos e Indiretos - Apresentam dois complementos (com e sem preposição
obrigatórias). Sebastião pediu dinheiro emprestado a Ernesto.
3. DE LIGAÇÃO - exprimem estado ou mudança de estado. Ex.: O
apartamento é espaçoso.
TIPOS DE PREDICADO
A) VERBAL - o núcleo é um verbo. Ex.: Henrique chegou ontem.
B) NOMINAL - o núcleo é um nome. Ex.: Vera parece feliz.
C) VERBO-NOMINAL - o núcleo é um verbo e um nome ao mesmo tempo. Ex.:
Amália trabalhava entusiasmada no Tribunal.
PREDICATIVOS:
A) DO SUJEITO - é o elemento do predicado que se refere ao sujeito. A Terra é
redonda; O trem chegou atrasado.
B) DO OBJETO - é o elemento que informa algo a respeito do objeto. O juiz julgou a
ré inocente; Os adultos consideram as crianças sapecas.

8

TERMOS INTEGRANTES DA ORAÇÃO
1. COMPLEMENTOS VERBAIS
I - Objeto Direto - termo que completa o sentido de um verbo transitivo. Ex.: Entendi
as regras de acentuação.
II - Objeto Indireto - termo regido de preposição que completa o sentido de um verbo
transitivo. Ex.: Não acredito em você.
OBSERVAÇÕES:
A) Objeto direto preposicionado. É utilizado nos seguintes casos:
I - para evitar ambiguidade. Ex.: Ao ladrão matou o policial.
II - com substantivos próprios. Ex.: Ela ama a Deus; Ele venera a Tupã.
III - quando os pronomes pessoais mim, ti, si, nós, vós, ele(s), ela(s) funcionarem
como objeto direto. Ex.: Costumava desprezar a ti.
IV - expressões idiomáticas, como: sacar do revólver, pedir por socorro, chamar por
alguém, saber do caso, etc.
B) Objeto direto pleonástico - repetição de um termo na frase, para dar
ênfase. Ex.: Os doces, João Carlos comeu-os com prazer.
2. COMPLEMENTO NOMINAL - termo que completa o sentido transitivo de um nome
(substantivo, adjetivo ou advérbio). Ex.: Tenho lembrança de Raquel; Estava receosa
do concurso; Falei necessariamente das reformas.
3. AGENTE DA PASSIVA - é o complemento de um verbo na voz passiva. Vem
antecedido das preposições por ou de. Ex.: O imóvel foi comprado pela construtora; O
povoado estava cercado de água.
Observação: Denomina-se passiva analítica quando a apassivação ocorre com os
verbos ser, estar, ficar e pronominal ou sintética, com o pronome se. Exs.: Os
soldados foram homenageados por todos (analítica); Homenagearam-se os soldados
(sintética).
TERMOS ACESSÓRIOS DA ORAÇÃO
1. ADJUNTO ADNOMINAL - termo que modifica o sentido de um nome. Pode ser
adjetivo, pronome, numeral ou locução adjetiva. Ex.: Esmeralda comprou um colar de
diamantes.
2. ADJUNTO ADVERBIAL - termo que modifica o verbo. Pode ser advérbio ou
locução adverbial. Ex.: Oscar passeava com a filha.
3. APOSTO - termo que integra o substantivo, esclarecendo-lhe o sentido. Pode ser:
a) enumerativo: Tenho necessidade de duas coisas: dinheiro e saúde;
b) resumitivo: Armário, sofá, cadeira, mesa, tudo estava velho;
c) especificativo: A cidade de Paris é encantadora;
d) explicativo: Em outubro, décimo mês do ano, comemora-se o dia do
Professor;
e) distributivo: Machado de Assis e Manuel Bandeira foram dois grandes
escritores: este na poesia, aquele no romance.
4. VOCATIVO - não tem função sintática na oração, serve para colocar em evidência o
ser a quem nos dirigimos. Ex.: "Deus, ó Deus!, onde estás que não me respondes?"

9

DIFERENÇA ENTRE ADJUNTO ADNOMINAL E COMPLEMENTO NOMINAL
Há nomes que, por não terem sentido completo, exigem um termo para completá-los.
Esse termo é chamado complemento nominal e inicia-se sempre por preposição.
Exemplos: Impedimos a derrubada da mata.
derrubada: nome incompleto (substantivo)
Você é igual a ele.
igual: nome incompleto (adjetivo)

da mata: complemento nominal

a ele: complemento nominal

Todos tiveram medo do ladrão.
medo: nome incompleto (substantivo)

do ladrão: complemento nominal

Observação: O adjunto adnominal pode, às vezes, ser iniciado por preposição.
Exemplo: A casa de madeira caiu.
O complemento nominal sempre é iniciado por preposição. Isso pode gerar, em
certas frases, sérias dúvidas quanto à função do termo em estudo. Assim, quando um
termo estiver se referindo a um nome e estiver iniciado por preposição, ele será ou
adjunto adnominal ou complemento nominal. Para distinguir um do outro, é
conveniente usar, como critério auxiliar da análise, as orientações seguintes:
Principais diferenças entre o complemento nominal e o adjunto adnominal
1.ª diferença: O adjunto adnominal só se refere a substantivos (tanto concretos
como abstratos). O complemento nominal refere-se a substantivos (só abstratos), a
adjetivos e a advérbios.
2.ª diferença: O adjunto adnominal pratica a ação expressa pelo nome a que se
refere. O complemento nominal recebe a ação expressa pelo nome a que se refere.
Exemplos de aplicação dos critérios acima:
As ruas de terra serão asfaltadas.
ruas: nome (substantivo)
de terra é adjunto adnominal ou complemento nominal?
Note que de terra refere-se ao nome ruas, que é um substantivo concreto
(considerando a classe gramatical). Pelo 1.º critério, podemos concluir que de terra só
pode ser adjunto adnominal, pois o complemento nominal não se refere a
substantivo concreto.
A rua é paralela ao rio.
paralela: nome (adjetivo)
ao rio: complemento nominal ou adjunto adnominal?
O termo ao rio está se referindo a paralela, que é um adjetivo (considerando a classe
gramatical). Usando o 1.º critério, podemos concluir que ao rio só pode ser
complemento nominal, já que o adjunto adnominal nunca se refere a adjetivo.
As críticas ao diretor eram infundadas.
críticas: nome (substantivo) ao diretor: complemento nominal ou adjunto adnominal?
Observe que críticas expressa uma ação (ação de criticar). O termo ao diretor é que
recebe as críticas (o diretor é criticado). Usando o segundo critério, podemos concluir
que ao diretor é um complemento nominal.
As críticas do diretor eram infundadas.
críticas: nome (substantivo), agora, o termo do diretor é adjunto adnominal, pois
ele pratica a ação expressa pelo nome críticas.

10

CLASSIFICAÇÃO DOS PERÍODOS
1. Simples - apenas uma oração. (Oração Absoluta)
2. Composto - mais de uma oração. Divide-se em:
A) por Coordenação - são independentes entre si. Classificam-se em:
Assindéticas - sem conjunção;
Sindéticas - com conjunção. Subdividem-se em:
I. ADITIVA - e, nem, mas também, não só. Ex.: Paula canta e dança.
II. ADVERSATIVA - mas, porém, contudo, entretanto, todavia. Ex.: Josué passou no
concurso, todavia não tomou posse.
III. ALTERNATIVA - ora... ora, já... já, ou... ou, quer... quer. Ex.: Helena ora estuda,
ora dorme.
IV. EXPLICATIVA - pois (antes do verbo), porque, que, porquanto. Ex.: Cumprimenteia, pois foi aprovada no concurso.
V. CONCLUSIVA - logo, portanto, pois (após o verbo), então. Ex.: Ela foi aprovada; é,
pois, inteligente.
B) por Subordinação - necessita de outra oração para completar o seu sentido. É
formada por oração principal + oração subordinada. Classificam-se em:
1. SUBSTANTIVAS - Exercem a função de substantivos. Podem ser:
I. Subjetivas - funcionam como sujeito da oração principal. Ex.: Seria bom que
revisássemos toda a matéria.
II. Objetivas diretas - funcionam como objeto direto do verbo. Ex.: Quero que você
revise toda a matéria.
III. Objetivas indiretas - funcionam como objeto indireto do verbo. Sua aprovação
dependerá de que revise toda a matéria.
IV. Completivas nominais - funcionam como complemento nominal. Ex.: Sou
favorável a que você revise toda a matéria.
V. Predicativas - funcionam como predicativo do sujeito. Ex.: O importante é que você
revise toda a matéria.
VI. Apositivas - funcionam como aposto. Ex.: Ele propôs: que revisasse toda a
matéria.
2. ADJETIVAS - Equivalem a um adjetivo. Formadas por pronomes relativos (que,
quem, qual, cujo, onde, quanto). Podem ser:
I. Restritivas - Restringem o sentido do termo que modificam. Não apresentam
vírgulas antes do pronome relativo. Ex.: Aquele que luta vence os obstáculos.
II. Explicativas - modificam um termo de sentido amplo e genérico. Apresentam
vírgulas entre o pronome relativo e seu antecedente. Ex.: O homem, que é criativo,
alcança sucesso.
3. ADVERBIAIS - Têm função de adjunto adverbial da oração principal. Podem ser:
I. Temporal - quando, antes que, até que, assim que, desde que. Ex.: Quando
Berenice estudar, será aprovada.
II. Causal - porque, pois que, uma vez que, visto que, como (= porque) Ex.: Berenice
chorou porque não foi aprovada.
III. Concessiva - ainda que, embora, conquanto, mesmo que, apesar de que. Ex.:
Embora estudasse muito, Berenice não foi aprovada.
IV. Comparativa - como, assim como, bem como, que (depois de mais, menos,
menor, melhor, pior) Ex.: Berenice estudou tanto quanto sua irmã.

11

V. Condicional - se, caso, contanto que, salvo, desde que. Ex.: Berenice seria
aprovada se estudasse.
VI. Conformativa - conforme, segundo, como (= conforme), consoante. Ex.: Conforme
comentei, Berenice foi aprovada.
VII. Consecutiva - tal... que, tanto... que, tamanho... que. Ex.: Berenice estudou tanto
que foi aprovada.
VIII. Final - para que, pois, uma vez que, visto que, porque (= para que). Ex.: Berenice
estudou a fim de ser aprovada.
IX. Proporcional - à medida que, à proporção que, quanto mais. Ex.: À medida que
estudava, Berenice tinha a certeza de ser aprovada.
4. REDUZIDAS - Não apresentam conectivos (conjunção ou pronome relativo) e os
verbos aparecem no gerúndio, no particípio ou no infinitivo. Exs.: Não estudando, será
reprovada no exame final. (Se não estudar, .....) - Oração Subordinada Adverbial
Condicional, reduzida de gerúndio; O êxito no concurso depende de teres confiança Oração Subordinada Objetiva Indireta, reduzida de infinitivo; Feito isso, obterá lucro Oração Subordinada Adverbial Temporal, reduzida de particípio.
OBSERVAÇÃO - Não há orações substantivas reduzidas de gerúndio e de
particípio, tampouco orações adjetivas reduzidas de particípio.

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO
1. Classifique as frases a seguir segundo o código:
a) sujeito simples
b) sujeito composto
d) sujeito inexistente
e) sujeito oculto
(
(
(
(
(
(
(
(

c) sujeito indeterminado

) Chovia canivete em toda a região.
) Faz seis meses que não chove no interior nordestino.
) Falaram muito de você.
) Almeida e Ângela conheceram-se há pouco tempo.
) Vivia-se muito bem em São José dos Campos.
) Continuaremos a análise do texto poético.
) Ouviram-se tiros na avenida.
) Precisa-se de professores de Espanhol.

2. Classifique os predicados de acordo com o seguinte código:
a) verbal
b) nominal
c) verbo-nominal
(
(
(
(
(
(

) De vez em quando Rafael vira bicho.
) Os estudantes receberam condecoração.
) Os candidatos saíram da prova extenuados.
) O coração fica do lado esquerdo do peito.
) O forasteiro chegou atrasado à cidade.
) A prova do Senado foi trabalhosa.

3. Dê a função sintática dos termos em destaque.
a) A descoberta do Brasil deve ser vista como uma descoberta dos portugueses?
b) O chute de Fábio saiu defeituoso.
c) Ansiávamos por chegar logo, porém tínhamos a esperança de que eles também
fossem.

12

d) Virgínia, quando chegaste?
e) Nosso céu foi invadido por estranhos objetos.
f) São inúmeras as pessoas que vivem demasiadamente em função do passado.
g) "O mistério é o encanto da vida." (Machado de Assis)

TESTES DE CONCURSOS
1. (VUNESP) "Amanhã faz um mês que a senhora está longe de casa." Da oração
destacada, na frase transcrita, é correto dizer:
a) trata-se de uma oração em que o sujeito está elíptico, e o verbo é de ligação
b) a oração tem por sujeito a palavra amanhã, e o verbo é transitivo direto
c) a oração tem por sujeito um mês, e o verbo é transitivo direto
d) trata-se de uma oração sem sujeito, e o verbo é transitivo direto
e) a oração tem sujeito indeterminado, e o verbo é de ligação
2. (CARLOS CHAGAS) "O juiz aplicará ao serventuário faltoso a penalidade cabível
pelo descumprimento de deveres funcionais." A função sintática das palavras
sublinhadas é, respectivamente:
a) complemento nominal e adjunto adverbial
b) objeto indireto e complemento nominal
c) objeto direto e objeto indireto
d) complemento nominal e objeto direto
e) objeto indireto e objeto direto
3. (QUADRIX) Leia a oração abaixo. Em seguida, analise as afirmações feitas sobre
ela e assinale a alternativa correta: "Em redor não havia comida".
I. O sujeito é indeterminado.
II. "Em redor" é adjunto adverbial de lugar.
III. Há dois adjuntos adverbiais na oração.
IV. "comida" é complemento direto do verbo haver.
Está(ão) correta(s):
a) Somente uma das afirmações
b) Somente duas das afirmações
c) Somente três da afirmações

d) Todas as afirmativas
e) Nenhuma das afirmações

4. (ESAF) Assinale a letra em que a função sintática indicada pelo termo do texto não
está correta:
Com franqueza, estava arrependido de ter vindo. Agora que ficava preso, ardia por
andar lá fora, e recapitulava o campo e o morro, pensava nos outros meninos vadios,
o Chico Telha, o Américo, o Carlos das Escadinhas, a fina flor do bairro e do gênero
humano. Para cúmulo de desespero, vi através das vidraças da escola, no claro azul
do céu, por cima do morro do Livramento, um papagaio de papel, alto e largo, preso
de uma corda imensa, que bojava no ar, uma cousa soberba. E eu na escola, sentado,
pernas unidas, com o livro de leitura e a gramática nos joelhos. (Machado de Assis)
a) com franqueza (l. 1) ...................................... adjunto adverbial
b) o campo e o morro (l. 2) ................................ objetos diretos
c) um papagaio de papel (l.5) ............................ sujeito
d) alto e largo (l. 5) ............................................. adjuntos adnominais
e) a fina flor do bairro (l. 3) ................................. aposto

13

5. (IPAD) Identifique a frase em que não há um complemento nominal.
a) Os ataques ao Iraque foram criticados pelo governo da Rússia.
b) Jamais houve atraso no pagamento dos empregados pelo sindicato.
c) O julgamento de nazistas por tribunais internacionais constitui um pesadelo
contemporâneo.
d) Sua preferência por músicas dos "Beatles" merecia ser compartilhada.
e) O movimento do seu corpo acompanhava o som e o ritmo da melodia.
6. (CARLOS CHAGAS) Os termos destacados são, respectivamente:
I. "Decorreram sem novidade dias e dias uns após outros."
II. "Meyer aumentando cada vez mais a bela coleção entomológica."
III. "Esperava que por isso não nos quisessem mal."
a) objeto indireto, objeto direto, objeto direto
b) todos objetos diretos
c) todos objetos indiretos
d) objeto direto, objeto direto e objeto indireto
e) sujeito, objeto direto e objeto indireto
7. (CARLOS CHAGAS) Atente para estas duas frases:
I. O arqueiro precisa antes escolher o alvo.
II. O arqueiro determina antes a escolha do alvo.
É correto afirmar, em ralação a essas frases, que:
a) a palavra alvo tem idêntica função sintática em ambas
b) em uma delas ocorre o emprego da voz passiva
c) o alvo e a escolha do alvo são complementos verbais
d) ambos são períodos compostos
e) a palavra antes não exerce em ambas a mesma função sintática
8. (CESGRANRIO) Em "Os sururus em família têm por testemunha a Gioconda", as
expressões sublinhadas são, respectivamente,
a) complemento nominal e objeto direto
b) predicativo do objeto e objeto direto
c) objeto indireto e complemento nominal
d) objeto indireto e objeto indireto
e) complemento nominal e objeto direto preposicionado
9. (CESPE-UNB) "O resultado é que, quando não estão em sessão, os vereadores são
procurados para resolver o problema de um cidadão que não consegue fazer valer
junto ao governo um direito líquido e certo - como a internação num hospital, a
pavimentação de uma rua ou o acesso a uma linha de ônibus nas proximidades de
casa." Há
a) oito orações
c) seis orações
e) quatro orações
b) sete orações
d) cinco orações
10. (CESPE-UNB) Leia o texto a seguir para responder à questão "Mas quando
Carlota viu as horas, lembrou-se num sobressalto, que a fez levar a mão ao peito, de
que se esquecera de tomar o copo de leite." (Clarice Lispector). Marque a opção que
indica quantas orações há no texto.
a) 7
b) 5
c) 4
d) 6
e) 3

14

11. (FGV) Ficam hibernando à espera do momento eleitoral quando deveriam estar em
praça pública em busca de militantes e se expondo ao debate. A conjunção quando,
no período, tem valor
a) proporcional
c) consecutivo
e) concessivo
b) comparativo
d) temporal.
12. (FGV) No trecho "não impondo ônus adicionais às gerações futuras", o termo em
destaque exerce a função sintática de:
a) adjunto adverbial
c) complemento nominal
e) objeto indireto
b) adjunto adnominal
d) sujeito
13. (FGV) Partidos são fundamentais para a consolidação da democracia e o
permanente desenvolvimento da cidadania e devem existir ­ de verdade ­ em bases
cotidianas. Os termos destacados no período acima classificam-se, respectivamente,
como
a) adjunto adnominal e adjunto adnominal
b) complemento nominal e complemento nominal
c) adjunto adnominal e complemento nominal
d) complemento nominal e adjunto adnominal
e) objeto indireto e objeto indireto
14. (FGV) Também é certo, por outro lado, que, ao aumentarem a transparência do
processo de tomada de decisões, as empresas adquirem o respeito das pessoas e
comunidades que são impactadas por suas atividades e são gratificadas com o
reconhecimento e engajamento dos seus colaboradores e a preferência dos
consumidores, em consonância com o conceito de responsabilidade social, o qual, é
sempre bom lembrar, está se tornando cada vez mais fator de sucesso empresarial e
abrindo novas perspectivas para a construção de um mundo economicamente mais
próspero e socialmente mais justo. O período destacado é composto por
a) seis orações
c) nove orações
e) dez orações
b) oito orações
d) sete orações
15. (FGV) Assinale a alternativa em que haja função sintática idêntica ao termo em
destaque: Acompanha a expulsão uma interdição de entrada em todo o território
coberto pela diretiva, que pode durar cinco anos ou até se prolongar indefinidamente.
a) De ardilosa redação, a norma, a um só tempo, refere os direitos humanos e
institucionaliza sua violação sistemática.
b) Razão a mais para acreditar que cabe ao Sul, e particularmente ao plural
Brasil, a invenção de novos modelos
c) Um Estado pode prender e expulsar um menor desacompanhado.
d) Em vez de rumar para a integração política e consolidar seu protagonismo na
cena mundial, a Europa faz da integração um utensílio da exclusão.
e) Há espaços isolados denominados "centros de retenção".