PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO
ESTADO DE SÃO PAULO

EDITAL NORMATIVO DO CONCURSO PÚBLICO N.º 01/2016
ASSISTENTE SOCIAL, PSICOLOGO E EDUCADOR SOCIAL
A PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social, no
uso de suas atribuições legais, em cumprimento ao que determina o artigo 37, inciso II, da Constituição Federal e demais
legislações pertinentes, FAZ SABER que realizará Concurso Público, regido pelo presente Edital para provimento de 55
(cinquenta e cinco) cargos discriminados no Capítulo 2 ­ DOS CARGOS, deste Edital.
1.

DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

1.1. A organização e realização do Concurso estão sob a responsabilidade da Fundação para o Vestibular da Universidade
Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho"- VUNESP.
1.2. O acompanhamento do Concurso Público está sob responsabilidade da Comissão, designada por meio da Portaria n.º 27.156,
de 13 de junho de 2016.
1.3. Os candidatos aprovados, dentro do número de vagas estabelecidas neste edital, serão investidos sob o regime jurídico da Lei
Complementar n.º 05, de 28 de dezembro de 1990 (Estatuto dos Servidores Públicos Municipais) e suas alterações, e submetidos
ao regime próprio de Previdência Social.
1.4. O Concurso terá prazo de validade de 1 (um) ano, podendo ser prorrogado por igual período, uma única vez, a critério da
Administração Municipal, a contar da data de publicação de sua homologação.
1.5. O presente Concurso tem a finalidade de prover cargos vagos e os que vagarem ou forem criados no período de validade do
Concurso e eventual prorrogação.
1.6. A jornada semanal de trabalho para os cargos é a prevista no quadro do subitem 2.1 e os horários de trabalho serão definidos
a critério da Prefeitura Municipal, em função da natureza do cargo, atividades, plantões, escalas, inclusive nos períodos noturnos
e em finais de semana, atendendo as necessidades da Administração e o interesse público.
1.6.1 A atuação dos profissionais se dará em unidades localizadas nos diversos bairros do município de São José do Rio Preto,
atendendo as necessidades da Administração e o interesse público.
1.7. As provas serão realizadas no município de São José do Rio Preto, estado de São Paulo, exceto no caso de indisponibilidade
de locais suficientes e/ou adequados, situação que ocasionará a realização em outras localidades.
1.8. A Prefeitura e a Fundação VUNESP não se responsabilizam por despesa de deslocamento, de estadia e/ou de alimentação
para a prestação das provas.
2.

DO CARGO

2.1. Seguem as informações sobre os cargos, o número total de vagas oferecidas, as vagas reservadas para pessoas com
deficiência, a jornada semanal de trabalho, os vencimentos iniciais e os requisitos para o ingresso.
QUADRO 1
TOTAL
CARGO

VAGAS DE

DE

AMPLA

VAGAS

CONCORRENCIA

VAGAS
RESERVADAS
PESSOAS COM
DEFICIÊNCIA

JORNADA
SEMANAL DE
TRABALHO

VENCIMENTOS

REQUISITOS

INICIAIS R$
Curso de nível superior completo
em Serviço Social reconhecido

Assistente Social

30

28

02

30h

4.339,01

pelo MEC e registro no Conselho
Regional de Serviço Social do
Estado de São Paulo
Curso de nível superior completo
em Psicologia reconhecido pelo

Psicólogo

10

09

01

40 horas

4.339,01

MEC e registro no Conselho
Regional de Psicologia do Estado
de São Paulo
Ensino médio completo,

Educador Social

15

14

01

40 horas

1.839,04

reconhecido por órgão
competente.

Avenida: ALBERTO ANDALÓ, 3030 - Telefone: (17) 3203-1100 - CEP 15015-000 - SÃO JOSÉ DO RIO PRETO- SP

1

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO
ESTADO DE SÃO PAULO

2.2. Os valores referentes aos vencimentos iniciais correspondem ao mês de maio de 2016.
2.3. As atribuições dos cargos estão descritas no Anexo I do presente Edital.
3.

DOS REQUISITOS PARA INVESTIDURA NO CARGO

3.1. São requisitos para a investidura no cargo, que serão averiguados para a posse:
3.1.1. ser aprovado neste Concurso Público;
3.1.2. ser brasileiro, nato ou naturalizado, ou, no caso de estrangeiro, gozar das prerrogativas previstas no artigo 12 da
Constituição Federal e demais disposições legais;
3.1.3. estar em pleno gozo dos direitos civis e políticos;
3.1.4. estar em dia com as obrigações eleitorais e militares (para os candidatos do sexo masculino);
3.1.5. possuir e comprovar os requisitos exigidos para o exercício do cargo, elencados no quadro 1 do Capítulo 2 deste Edital;
3.1.6. ter idade mínima de 18 (dezoito) anos e inferior a 75 (setenta e cinco) anos, na data da posse;
3.1.7. ser considerado apto física e mentalmente para o exercício das atribuições do cargo público (Anexo I), conforme exame
médico admissional;
3.1.8. não ter sido demitido do serviço público Federal, Estadual ou Municipal, em consequência de processo administrativo (por
justa causa ou a bem do serviço público);
3.1.9. não registrar antecedentes criminais, no âmbito Estadual e Federal nos locais em que teve domicílio, nos últimos 5 (cinco)
anos.
4.

DAS INSCRIÇÕES

4.1. A inscrição do candidato implicará o conhecimento das presentes instruções e a tácita aceitação das condições do Concurso,
tais como se acham estabelecidas no Edital e nas normas legais pertinentes, bem como em eventuais aditamentos e instruções
específicas para a realização do Concurso, acerca das quais não poderá alegar desconhecimento.
4.2. Objetivando evitar ônus desnecessário, o candidato deverá orientar-se no sentido de recolher o valor da taxa de inscrição
somente após tomar conhecimento de todos os requisitos exigidos para o Concurso.
4.3. As inscrições deverão ser realizadas somente pela INTERNET, no site da Fundação VUNESP (www.vunesp.com.br), no
período compreendido entre as 10 horas do dia 27 de junho de 2016 até às 16 horas do dia 28 de julho de 2016.
4.3.1. O período de inscrições poderá ser prorrogado, por necessidade técnica e/ou operacional, a critério da Prefeitura Municipal
de São Jose do Rio Preto em conjunto com a Fundação VUNESP.
4.3.2. A prorrogação das inscrições de que trata o subitem 4.3.1 será publicada no Diário Oficial do Município e, subsidiariamente,
nos sítios da Fundação Vunesp e da Prefeitura Municipal.
4.4. O valor da taxa de inscrição para participar do Concurso Público é o estabelecido no quadro adiante:
CARGOS

VALOR DA TAXA DE INSCRIÇÃO
R$

Educador Social

69,41

Assistente Social e Psicólogo

89,87

4.5. Para inscrever-se, o candidato deverá:
a)

acessar o site www.vunesp.com.br;

b)

localizar no site o link correlato ao Concurso Público;

c)

ler na íntegra o respectivo Edital de Abertura de Inscrições;

d)

preencher , total e corretamente , a ficha de inscrição;

e)

imprimir o boleto bancário;
Avenida: ALBERTO ANDALÓ, 3030 - Telefone: (17) 3203-1100 - CEP 15015-000 - SÃO JOSÉ DO RIO PRETO- SP

2

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO
ESTADO DE SÃO PAULO

f)

efetuar o correspondente pagamento da taxa de inscrição conforme o valor indicado no quadro do item 4.4. deste
Capítulo até o último dia do período das inscrições;

4.6. Após a conclusão do preenchimento da ficha de inscrição, o boleto bancário deverá ser impresso para pagamento em qualquer
banco do sistema de compensação bancária.
4.6.1. O pagamento do valor da inscrição poderá ser efetuado em dinheiro ou cheque em qualquer agência bancária.
4.6.1.1. O pagamento por meio de cheque somente será considerado quitado após a respectiva compensação.
4.6.1.2. Em caso de devolução do cheque, qualquer que seja o motivo, considerar-se-á automaticamente sem efeito a inscrição.
4.6.1.3. O pagamento por agendamento somente será aceito se comprovada a sua efetivação dentro do período das inscrições.
4.7. A inscrição somente será efetivada após o correspondente pagamento do valor da inscrição no período citado no item 4.3.
4.8. Em caso de feriado ou evento que acarrete o fechamento das agências bancárias em que se encontra o candidato, o boleto
deverá ser pago antecipadamente.
4.9. O candidato que se inscrever para mais de 1 (um) cargo , cujo o horário e data das provas coincidirem, será considerado
ausente naquele que não comparecer, sendo considerado eliminado do Concurso Público no respectivo cargo.
4.10. O candidato inscrito não deverá enviar cópia do documento de identidade à Prefeitura Municipal de São José do Rio Preto ou
à Fundação VUNESP (exceto os candidatos com deficiência).
4.11. As informações prestadas na ficha de inscrição serão de inteira responsabilidade do candidato, reservando a Prefeitura
Municipal de São José do Rio Preto e/ou a Fundação VUNESP o direito de excluir do Concurso Público aquele que não preencher
o respectivo documento de forma completa e correta, bem como fornecer dados inverídicos ou falsos.
4.12. O não cumprimento das exigências estabelecidas neste Edital, no prazo, modo e forma estabelecidos importará na não
efetivação da inscrição.
4.13. A Fundação VUNESP e a Prefeitura Municipal de São José do Rio Preto não se responsabilizam por solicitação da taxa de
inscrição, não recebida por motivo de ordem técnica dos computadores, falhas de comunicação, congestionamento das linhas de
comunicação, bem como outros fatores de ordem técnica que impossibilitem a transferência de dados.
4.14. Não serão aceitos pagamentos por depósito em caixa eletrônico, depósito em conta corrente, DOC, ordem de pagamento,
pelos Correios, fac-símile (fax), condicional e extemporânea ou por qualquer outro meio que não o especificado neste Edital.
4.15. Não haverá devolução do valor pago a título de inscrição, mesmo que efetuado a maior, seja qual for o motivo alegado
4.16. A devolução da importância paga somente ocorrerá se o Concurso não se realizar. A responsabilidade pela devolução recairá
sobre a Fundação VUNESP.
4.17. O candidato deficiente que necessitar de condição especial para realização das provas deverá informar tal fato no ato da
inscrição, em sua ficha de inscrição, obedecendo ao disposto no Capítulo 5 deste Edital.
4.18. O candidato não deficiente que necessitar de condição especial para realização das provas deverá solicitá-la, sob pena de
preclusão, até o término do prazo das inscrições, à Fundação VUNESP, por meio de Sedex ou Aviso de Recebimento (AR),
encaminhados à Rua Dona Germaine Burchard, 515, Água Branca/Perdizes, São Paulo - SP, CEP 05002-062, fazendo constar na
parte externa do envelope a referência "Solicitação - Concurso Prefeitura Municipal de São José do Rio Preto Edital n°
01/2016 ­ Vários cargos - PMRP 1601".
4.18.1. O candidato deverá encaminhar, junto à sua solicitação de condição especial para realização da prova, cópia do
documento de identidade e o Laudo Médico original atualizado ou sua cópia autenticada, que justifique o atendimento especial
solicitado, sob pena de indeferimento do requerimento.
4.18.2. O atendimento às condições solicitadas ficará sujeito à análise da viabilidade e da razoabilidade do pedido.
4.19. A candidata lactante que necessitar amamentar durante a realização das provas, poderá fazê-lo em sala reservada para
tanto, desde que o requeira, observando os procedimentos constantes a seguir:
4.19.1. deverá encaminhar sua solicitação, até o término do período das inscrições, por SEDEX ou Aviso de Recebimento (AR)
para a Fundação VUNESP, situada a Rua Dona Germaine Burchard, 515 ­ Perdizes, CEP 05002-062 ­ São Paulo/SP, indicando
no envelope "Ref. Condição para Amamentação ­ Concurso Público da Prefeitura Municipal de São José do Rio Preto ­
Edital n° 01/2016 ­ Vários cargos - PMRP 1601".
4.20. A pesquisa para acompanhar a situação da inscrição poderá ser feita no site da Fundação VUNESP (www.vunesp.com.br), na
página do Concurso Público, após 5 (cinco) dias úteis contados do encerramento do período de inscrições.
Avenida: ALBERTO ANDALÓ, 3030 - Telefone: (17) 3203-1100 - CEP 15015-000 - SÃO JOSÉ DO RIO PRETO- SP

3

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO
ESTADO DE SÃO PAULO

4.20.1. Caso seja detectada falha ou qualquer irregularidade, o candidato deverá entrar em contato com o Disque VUNESP da
Fundação VUNESP, pelo telefone (0XX11) 3874-6300, de segunda-feira a sábado, em dias úteis, das 8 horas às 20 horas, horário
de Brasília, para verificar o ocorrido.
4.20.2. Caso não seja identificado antes da realização da prova objetiva o motivo do nome do candidato não constar no Edital de
Convocação, o candidato poderá participar do Concurso mediante o devido preenchimento e assinatura, de formulário específico
(inclusão condicional), desde que proceda à entrega do original do comprovante de pagamento da taxa de inscrição, efetuado nos
moldes previstos neste Edital.
4.20.2.1. A inclusão de que trata o subitem anterior será realizada de forma condicional, sujeita à posterior verificação da
regularidade da referida inscrição.
4.20.2.2. Constatada eventual irregularidade da inscrição, a inclusão do candidato será automaticamente cancelada, sem direito à
reclamação, independentemente de qualquer formalidade, considerados nulos todos os atos dela decorrentes.
4.21. O candidato que tenha exercido a função de jurado a partir da vigência da Lei Federal nº 11.689/2008 poderá assinalar, na
ficha de inscrição, esta opção para fins de critério de desempate.
4.21.1. O candidato, para fazer jus ao previsto no item 4.21 deste Capítulo deverá ter exercido a função de jurado no período entre
a vigência da referida Lei e a data do término das inscrições.
4.21.2. Para fins de critério de desempate, o candidato deverá, no período das inscrições, encaminhar à Fundação VUNESP, por
SEDEX ou Carta Registrada com AR (Aviso de Recebimento), com a identificação do Concurso Público para o qual está inscrito,
documento emitido pelo Judiciário que comprove que exerceu a função de jurado.
4.21.3. O documento apresentado terá validade para este Concurso e não será devolvido.
4.21.4. O candidato que não atender ao item 4.21. e subitens deste Capítulo, não terá sua condição de jurado utilizada como
critério de desempate.
5.

DAS INSCRIÇÕES DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

5.1. Ante o que dispõe o Decreto Federal n° 3.298/1999, artigo 4°, incisos I a IV, Lei Complementar Estadual nº 683/92 e Lei
Complementar nº 451/14, que deu nova redação ao artigo 10º, alterando o § 2º e acrescentando o § 3º, a reserva de vagas para
candidatos com deficiência prevista no inciso VIII do artigo 37 da Constituição Federal dar-se-á como demonstra o Quadro 1
constante do item 2.1 deste Edital, ficando reservado o percentual de 5% (cinco por cento) das vagas para candidatos com
deficiência.
5.1.1. Não havendo candidato com deficiência aprovado, as vagas ficarão liberadas para os demais candidatos.
5.1.2. Considera-se candidato com deficiência aquele que se enquadra na definição do artigo 1º da Convenção sobre os Direitos
da Pessoa com Deficiência da Organização das Nações Unidas do Decreto nº 3.298/1999 e suas alterações e na Súmula 377 do
Superior Tribunal de Justiça - STJ.
5.1.3. Da aplicação do percentual de que trata o item 5.1 deste Edital resultar frações, essas serão arredondadas para o número
subsequente quando forem maiores ou iguais a 0,5 (cinco décimos).
5.1.4. O candidato que se declarar pessoa com deficiência concorrerá em igualdade de condições com os demais candidatos.
5.1.5. O candidato, antes de se inscrever, deverá verificar se as atribuições do cargo pretendido são compatíveis com sua
deficiência.
5.2. Para concorrer às vagas reservadas para pessoas com deficiência, o candidato deverá, no ato da inscrição, declarar ser
pessoa com deficiência, especificar a deficiência e indicar que deseja concorrer às referidas vagas.
5.3. O candidato deverá encaminhar os documentos listados a seguir, durante o período de inscrições, por SEDEX ou Aviso de
Recebimento (AR), à Fundação VUNESP, situada na Rua Dona Germaine Burchard, 515, Água Branca/Perdizes, São Paulo - SP,
CEP 05002-062, indicando na parte externa do envelope a referência "Laudo Médico - Concurso da Prefeitura Municipal de
São José do Rio Preto ­ Edital n° 01/2016 ­ Vários cargos - PMRP 1601".
a) laudo médico (cópia autenticada), emitido nos últimos 90 (noventa) dias, contados a partir do início das inscrições,
atestando a espécie e o grau ou nível da deficiência, com expressa referência ao código correspondente da Classificação
Internacional de Doenças (CID-10), inclusive para assegurar previsão de adaptação da(s) sua(s) prova(s), informando também o
Avenida: ALBERTO ANDALÓ, 3030 - Telefone: (17) 3203-1100 - CEP 15015-000 - SÃO JOSÉ DO RIO PRETO- SP

4

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO
ESTADO DE SÃO PAULO

seu documento de identidade, bem como constando a assinatura do médico responsável pela emissão do laudo e o carimbo
indicando o número do CRM e a especialidade médica;
b) solicitação, por escrito, de elaboração de prova especial em braile, ou ampliada, ou leitura, se necessário, em caso de
deficiente visual;
c) solicitação, por escrito, de atendimento de Intérprete de Língua Brasileira de Sinais, se necessário, em caso de deficiente
auditivo;
d) declaração, por escrito, da necessidade de utilização ou não de aparelho de audição no dia da(s) prova(s), no caso de
deficiente auditivo;
e) solicitação, por escrito, de tempo adicional para realização da(s) prova(s), se necessário, com justificativa acompanhada de
parecer emitido por especialista da área da deficiência;
f) solicitação, por escrito, de atendimento especial durante a realização da(s) prova(s), se necessário.
5.3.1. Aos deficientes visuais (cegos) que solicitarem, será oferecida prova especial em braile.
5.3.1.1. Os referidos candidatos deverão levar para esse fim, no dia da aplicação das provas, reglete e punção, podendo utilizar-se
de soroban.
5.3.2. Os candidatos com deficiência visual (baixa visão) que solicitarem prova especial ampliada terão os seus cadernos de
provas diagramados em fonte Arial.
5.3.3. Aos candidatos com deficiência visual (cegos ou baixa visão) que solicitarem prova especial por meio de utilização de
software leitor de tela, será oferecido equipamento (computador/notebook) com software NVDA para uso durante a realização de
sua prova.
5.4. O atendimento às condições solicitadas ficará sujeito à análise de viabilidade e razoabilidade do pedido.
5.5. Os candidatos que, dentro do período das inscrições, não atenderem aos dispositivos do item 5.3, não serão considerados
como pessoas com deficiência, seja qual for o motivo alegado, bem como não terão as condições especiais atendidas.
5.6. O laudo médico (cópia autenticada) terá validade somente para este certame e não será devolvido, assim como não será
fornecida cópia dessa documentação.
5.6.1. O candidato deverá manter consigo o original do laudo médico para apresentação no momento da perícia médica, se
habilitado em todas as fases do Concurso.
5.7. Os candidatos constantes da lista especial (candidatos com deficiência) serão convocados pela Prefeitura de São José do Rio
Preto, quando da admissão, para exame médico admissional, com finalidade de avaliação da compatibilidade entre as atribuições
da função e a deficiência declarada, sendo sua posse indeferida, caso o candidato apresente deficiência considerada incompatível
com as atribuições do cargo.
5.8. As pessoas com deficiência participarão do Concurso Público em igualdade de condições com os demais candidatos no que se
refere a conteúdo, avaliação, duração, data, horário e local de realização das provas.
5.9. Serão publicadas duas listagens:
5.9.1. lista especial dos candidatos com deficiência aprovados, em ordem classificatória;
5.9.2. lista geral em ordem classificatória com todos os aprovados.
5.10. Os candidatos com deficiência deverão submeter-se, quando convocados, a exame médico a ser realizado pela Fundação
VUNESP ou por sua ordem, que terá decisão terminativa sobre a qualificação do candidato como deficiente ou não, e o grau de
deficiência capacitante para o exercício da função, observada a legislação aplicável à matéria.
5.11. Havendo parecer médico oficial contrário à condição de deficiente, o nome do candidato será excluído da listagem
correspondente.
5.12. O laudo médico será proferido no prazo de 5 (cinco) dias contados da data do respectivo exame médico.
5.13. Quando a perícia concluir pela inaptidão do candidato, constituir-se-á, no prazo de 5 (cinco) dias, junta médica para nova
inspeção, da qual poderá participar profissional indicado pelo candidato.
5.14. A indicação do profissional pelo interessado deverá ser feita no prazo de 5 (cinco) dias, contados da ciência do laudo referido
no item 5.13.
5.15. A junta médica deverá apresentar conclusão no prazo de 5 (cinco) dias, contados da realização do exame médico e não
caberá qualquer recurso da decisão proferida pela Junta Médica.
Avenida: ALBERTO ANDALÓ, 3030 - Telefone: (17) 3203-1100 - CEP 15015-000 - SÃO JOSÉ DO RIO PRETO- SP

5

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO
ESTADO DE SÃO PAULO

5.16. O candidato que não for considerado deficiente, será excluído da lista especial e configurará apenas na lista geral.
5.17. A não observância pelo candidato de qualquer das disposições deste Capítulo implicará a perda do direito a ser contratado
para as vagas reservadas a deficientes.
5.18. Após o ingresso do candidato com deficiência, esta não poderá ser apresentada como motivo para justificar a concessão de
readaptação de função, bem como para a aposentadoria por invalidez.
5.19. Após o resultado final, as convocações para a posse dos candidatos da lista geral e da lista especial serão feitas de forma
proporcional.
6.

DAS FASES

6.1. O Concurso Público para o cargo de Educador Social será composto de 2 (duas) fases, sendo elas: prova objetiva e
avaliação psicológica.
6.2. O Concurso Público para os cargos de Assistente Social e Psicólogo será composto de 4 (quatro) fases, sendo elas: prova
objetiva, prova dissertativa, avaliação psicológica e prova de títulos, conforme detalhamento no quadro adiante:
QUADRO 2

Nº DE
CARGO

PROVAS/FASES

QUESTÕES

PESO

CARÁTER

01

Eliminatório

1ª Fase
- Prova Objetiva
Conhecimentos Gerais

Educador Social



Língua Portuguesa

15



Atualidades

05

e



Tecnologia da Informação e Comunicação

05

Classificatório

Conhecimentos Específicos


Conhecimentos Específicos

25

02

-

-

01

2ª Fase
- Avaliação Psicológica

Eliminatório

1ª Fase
- Prova Objetiva

Assistente Social
Psicólogo

Eliminatório

Conhecimentos Gerais


Língua Portuguesa

15



Atualidades

10



Técnologia da Informação e Comunicação

05

e
Classificatório

Conhecimentos Específicos


Conhecimentos Específico

30

02

2ª Fase
Eliminatório

- Prova Dissertativa


Estudo de Caso

01

e

-

Classificatório
3ª Fase


Avaliação Psicológica

-

-

Eliminatório

Prova de Títulos

-

-

Classificatório

4ª Fase


Avenida: ALBERTO ANDALÓ, 3030 - Telefone: (17) 3203-1100 - CEP 15015-000 - SÃO JOSÉ DO RIO PRETO- SP

6

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO
ESTADO DE SÃO PAULO

6.3. O detalhamento de cada fase e demais informações seguem nos itens específicos.
7.

DA PROVA OBJETIVA E DISSERTATIVA (para os cargos de Assistente Social e Psicólogo)

7.1. A prova objetiva será aplicada para todos os cargos, visa avaliar habilidades e conhecimentos teóricos necessários ao
desempenho pleno das atribuições dos cargos (Anexo I), tem caráter classificatório e eliminatório e será composta de questões de
múltipla escolha, com 05 (cinco) alternativas cada uma.
7.2. As provas versarão sobre o conteúdo programático que é parte integrante deste Edital (Anexo II).
7.3. A prova dissertativa, que consta de um estudo de caso, de caráter eliminatório e classificatório, visa avaliar o grau de
conhecimento teórico e prático do candidato, necessários ao desempenho do cargo.
7.4. A prova dissertativa será aplicada somente para os cargos de Assistente Social e Psicólogo e versará sobre os Conhecimentos
Específicos do respectivo cargo constantes do Anexo II deste Edital.
7.5. A Prova Objetiva para o cargo de Educador Social terá duração de 3 horas.
7.6. A Prova objetiva e Dissertativa para os cargos de Assistente Social e Psicólogo, serão aplicadas simultaneamente, e terão
duração de 4h30min.
8

DA APLICAÇÃO DA PROVA OBJETIVA E DISSERTATIVA

8.1. As provas serão realizadas na cidade de São José do Rio Preto, exceto no caso previsto no item 1.7 deste Edital.
8.2. A data prevista para realização das provas é 28 de agosto de 2016, podendo ser alterada ou confirmada conforme item 8.3
deste edital.
8.2.1.

Os horários previstos para realização da prova são, no período da tarde para os cargos de nível superior e no período da

manhã para o cargo de nível médio.
8.3.

A confirmação ou alteração da data prevista e as informações sobre local e horário das provas será divulgado com

antecedência mínima de 10 (dez) dias, por meio de publicação no Diário Oficial do Município e como subsídio consultar nos sítios
eletrônicos da Prefeitura de São José do Rio Preto (www.riopreto.sp.gov.br) e da Fundação VUNESP (www.vunesp.com.br), não
podendo o candidato alegar qualquer espécie de desconhecimento ou justificar sua ausência ou atraso.
8.3.1. Recomenda-se ao candidato que acesse diariamente os sítios eletrônicos mencionados a partir da 2ª quinzena de agosto.
8.4. Eventualmente, se, por qualquer que seja o motivo, o nome do candidato não constar no Edital de Convocação para a prova
objetiva/dissertativa, esse deverá entrar em contato com a Fundação VUNESP, por meio do telefone (0xx11) 3874-6300, de
segunda-feira a sábado, em dias úteis, das 8 horas às 20 horas, horário de Brasília, para verificar o ocorrido.
8.5. O candidato deverá comparecer ao local da(s) prova(s) com, no mínimo, 1 (uma) hora de antecedência do horário
estabelecido para o seu início, não sendo admitidos retardatários, sob pretexto algum, após o fechamento dos portões.
8.5.1.

Não haverá segunda chamada ou repetição da(s) prova(s), seja qual for o motivo alegado para justificar o atraso ou a

ausência do candidato.
8.6.

Será admitido no local da(s) prova(s) apenas o candidato que estiver trajado adequadamente e munido de caneta

esferográfica com corpo transparente, de tinta de cor azul ou preta, lápis preto e borracha e um dos seguintes documentos de
identificação, no original, com foto que permita sua identificação, expedido por órgão oficial:
a) Cédula de identidade (RG);
b) Carteira de Identidade expedida pelas Forças Armadas ou pelas Polícias Militares ou pelos Corpos de Bombeiros Militares;
c) Carteira Nacional de Habilitação expedida nos termos da Lei Federal nº 9.503/1997;
d) Passaporte;
e) Carteira de Órgão ou Conselho de Classe;
f) Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS);
g) Certificado Militar.

Avenida: ALBERTO ANDALÓ, 3030 - Telefone: (17) 3203-1100 - CEP 15015-000 - SÃO JOSÉ DO RIO PRETO- SP

7

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO
ESTADO DE SÃO PAULO

8.6.1. Comprovante de inscrição, no caso de o nome não constar do local da prova objetiva, no Edital de Convocação, publicado
no Diário Oficial do Munícipio e divulgados nos sitios eletrônicos da Prefeitura de São José do Rio Preto (www.riopreto.sp.gov.br) e
da Fundação VUNESP (www.vunesp.com.br), na respectiva página do Concurso.
8.6.2. Não serão aceitos, para efeito de identificação, documentos sem foto, tais como Boletim de Ocorrência, Protocolos de
requisição de documentos, Certidão de Nascimento ou Casamento, Título Eleitoral, Carteira Nacional de Habilitação emitida
anteriormente à Lei nº 9.503/1997, Carteira de Estudante, Crachás, dentre outros.
8.7.

Não será admitido no local da(s) prova(s) o candidato que se apresentar após o horário estabelecido no Edital de

Convocação. Os portões serão fechados impreterivelmente no horário estabelecido para a realização da(s) prova(s).
8.8.

O horário de início da(s) prova(s), propriamente dito,

será definido em cada sala de aplicação, após os devidos

esclarecimentos.
8.9.

Durante a realização da prova não será permitido o uso de máquinas calculadoras, pagers, telefones celulares, tablets,

relógios digitais ou quaisquer outros aparelhos eletrônicos e, ainda, boné, gorro, chapéu, óculos de sol ou outros materiais não
classificados como estritamente necessários à realização da prova.
8.9.1. O candidato, que estiver de posse de qualquer equipamento eletrônico, deverá antes do início da prova:
a) desligá-lo;
b) retirar sua bateria (se possível);
c) acondicioná-lo em embalagem específica fornecida pela Fundação VUNESP, devendo lacrar a embalagem e mantê-la lacrada,
embaixo da carteira, durante todo o tempo de realização da(s) prova(s);
d) colocar também, nessa embalagem, os eventuais pertecence pessoais( bonés, gorros

ou similares, relógio e protetor

auricular);
e) esse material deverá permanecer durante todo o período de permanência do candidato no local de provas, dentro dessa
embalagem, que deverá também permanecer lacrada, até a sáida do candidato do prédio de aplicação da(s) prova(s).
f) os aparelhos eletrônicos deverão permanecer desligados e lacrados, bem como com seus alarmes desabilitados, até a saída
do candidato do prédio de aplicação da(s) prova(s).
8.10.

É reservado à Fundação VUNESP, caso julgue necessário, o direito de utilizar detector de metais.O candidato que for

flagrado portando em seu bolso e/ou utilizando qualquer tipo de aparelho de comunicação, nas dependências do local onde estiver
realizando a prova, durante o processo de aplicação das provas, será eliminado do Concurso Público.
8.11. O candidato não poderá ausentar-se da sala durante a aplicação da prova sem o acompanhamento de um fiscal e,
tampouco, levar consigo quaisquer dos materiais fornecidos.
8.12. A candidata lactante que necessitar amamentar durante a realização das provas, poderá fazê-lo em sala reservada, desde
que o requeira à Fundação VUNESP, conforme previsto no item 4.19 e 4.19.1.
8.12.1. Em caso de necessidade de amamentação durante a prova, e tão somente nesse caso, a candidata deverá levar um
acompanhante maior de idade, devidamente comprovado, que ficará em lugar reservado para tal finalidade e será responsável
pela criança.
8.12.2. No momento da amamentação, a candidata será acompanhada por um fiscal, sem o material de aplicação das provas e
sem o acompanhante.
8.12.3. Não haverá compensação do tempo de amamentação na duração da prova da candidata.
8.12.4. Excetuada esta situação, não será permitida a permanência de qualquer acompanhante, inclusive de menor de idade nas
dependências do local de realização de prova.
8.13. Não será permitida a interferência e a participação de outras pessoas, durante a realização das provas, salvo em caso de
candidato que tenha solicitado condição especial para esse fim, de acordo com o Capítulo 5 deste Edital, ocasião em que o
candidato será acompanhado por um fiscal da Fundação VUNESP, devidamente treinado.
8.14. Não haverá prorrogação do tempo previsto para a aplicação das provas em virtude de afastamento, por qualquer motivo, do
candidato da sala de provas.
8.15. Os responsáveis pela aplicação das provas não emitirão esclarecimentos a respeito das questões formuladas, da
inteligência (do entendimento) de seu enunciado ou da forma de respondê-las.
Avenida: ALBERTO ANDALÓ, 3030 - Telefone: (17) 3203-1100 - CEP 15015-000 - SÃO JOSÉ DO RIO PRETO- SP

8

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO
ESTADO DE SÃO PAULO

8.16. No início da prova poderá ser colhida a impressão digital do candidato, sendo que na impossibilidade de o candidato
realizar o procedimento, deverá assinar , em campo predeterminado, por 3 (três) vezes.
8.17. A Fundação VUNESP, poderá utilizar detector de metal quando da aplicação da prova.
8.18. No ato da realização da prova objetiva serão entregues ao candidato:
a) a folha de respostas personalizada (contendo todos os dados cadastrais do candidato) e
b) o caderno de questões.
8.18.1. Não será permitida a substituição da folha de respostas personalizada por erro do candidato.
8.18.2. São de responsabilidade do candidato, inclusive no que diz respeito aos seus dados pessoais, a verificação e a conferência
do material entregue pela Fundação VUNESP.
8.19.

O preenchimento da folha de respostas personalizada e da folha de resposta definitiva (quando for o caso de prova

dissertativa), que serão os únicos documentos válidos para a correção das provas, será de inteira responsabilidade do candidato,
que deverá proceder em conformidade com as instruções fornecidas no momento da realização da(s) prova(s).
8.19.1. A folha de respostas personalizada deverá ser entregue ao final da prova, juntamente com o caderno de questões, ao
fiscal de sala, com a assinatura do candidato no campo próprio e com a transcrição das respostas com caneta esferográfica em
material transparente, com tinta de cor azul ou preta.
8.19.2. Não serão computadas questões não respondidas nem questões que contenham, ainda que legível, emenda ou rasura,
assim como questões com mais de uma resposta, mesmo que uma delas esteja correta.
8.19.3. Não poderá ser feita nenhuma marca fora do campo reservado às respostas ou à assinatura, pois qualquer marca poderá
ser lida pelas leitoras ópticas, prejudicando o desempenho do candidato.
8.20. O candidato somente poderá retirar-se do local de aplicação da prova depois de decorrido o prazo de 75% (setenta e cinco
por cento) do tempo de sua duração, não podendo levar o caderno de questões e a folha de respostas, podendo levar apenas o
rascunho de gabarito, localizado em sua carteira para futura conferência.
8.20.1. Deverão permanecer em cada uma das salas de prova os 3 (três) últimos candidatos, até que o último deles entregue sua
prova, assinando termo respectivo, os quais deverão sair juntos da sala.
8.21. Após o término do prazo previsto para a duração da prova, não será concedido tempo adicional para o candidato continuar
respondendo questão ou procedendo à transcrição para a folha de respostas.
8.22. O candidato que, eventualmente, necessitar alterar ou corrigir algum dado cadastral, deverá efetuar a correção em
formulário específico fornecido pela Fundação VUNESP, datar e assinar, e entregar ao fiscal da sala no dia da aplicação da prova
objetiva.
8.23. Um exemplar do caderno de questões da prova objetiva e da prova dissertativa(quando for o caso)

estará(ão)

disponível(is) no site da Fundação VUNESP (www.vunesp.com.br), no link "prova" e "gabarito" na respectiva página do Concurso,
a partir das 14 horas do 1º dia útil subsequente a aplicação da prova.
8.23.1 O gabarito estará disponibilizado no site da Fundação Vunesp, após publicação em Diário Oficial do Município.
8.24. A Fundação VUNESP e a Prefeitura do Munícipio de São José do Rio Preto não se responsabilizarão por danos, perda ou
extravio de documentos e/ou objetos ocorridos no prédio de realização da prova.
8.25. O candidato que queira fazer alguma reclamação ou sugestão deverá procurar a sala de coordenação no local em que
estiver prestando a prova.
8.26. Quando, após a prova, for constatado, por meio eletrônico, estatística, visual ou grafológico, ter o candidato utilizado de
processos ilícitos para sua realização, sua prova será anulada e, em consequência, será eliminado do Concurso.
8.27. Motivarão a eliminação do candidato, sem prejuízo das sanções penais cabíveis, a burla ou a tentativa de burla a quaisquer
das normas definidas neste Edital ou a outras relativas ao Concurso, aos comunicados, às instruções ao candidato ou às
instruções constantes da prova.
8.28. Será excluído do Concurso o candidato que, além das demais hipóteses previstas neste Edital:
a)

apresentar-se após o horário estabelecido para a realização das provas;

Avenida: ALBERTO ANDALÓ, 3030 - Telefone: (17) 3203-1100 - CEP 15015-000 - SÃO JOSÉ DO RIO PRETO- SP

9

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO
ESTADO DE SÃO PAULO

b)

apresentar-se à prova em outro local que não seja o previsto no Edital de Convocação;

c)

não comparecer às provas, de caráter eliminatório, seja qual for o motivo alegado;

d)

não apresentar documento de identificação conforme previsto neste Edital;

e)

ausentar-se da sala de realização da prova sem o acompanhamento de um fiscal;

f)

retirar-se do local de realização da prova antes de decorrido 75% do tempo estabelecido para a sua duração;

g)

for surpreendido, durante a realização da prova, em comunicação com outras pessoas, bem como utilizando livro,
anotação, impressos não permitidos ou máquina calculadora;

h)

estiver fazendo uso ou portando qualquer tipo de equipamento eletrônico, ou de comunicação, conforme disposto no item
8.9 deste Edital, durante o período de realização da prova;

i)

estiver fazendo uso de óculos de sol, boné, gorro ou chapéu;

j)

lançar mão de meios ilícitos para execução de prova;

k)

não devolver integralmente o material solicitado ao final da prova;

l)

ausentar-se da sala de provas levando material sem autorização;

m) estiver portando arma branca ou de fogo, ainda que possua o respectivo porte;
n)

perturbar, de qualquer modo, a ordem dos trabalhos;

o)

agir com incorreção ou descortesia para com qualquer membro da equipe encarregada pela aplicação das provas.

9 . DA PROVA DISSERTATIVA (para os cargos de Assistente Social e Psicólogo)

9.1. A prova dissertativa (estudo de caso) será realizada no mesmo período da prova objetiva devendo o candidato
administrar o tempo de realização das provas. O candidato receberá o caderno pré-identificado e deverá conferir seu
nome, número do documento e assinar no local reservado.
9.2. A prova deverá ser feita com caneta esferográfica de corpo transparente de tinta azul, preferencialmente, ou
preta, com grafia legível, a fim de não prejudicar o seu desempenho, quando da correção pela banca examinadora,
não sendo permitida a interferência e participação de outras pessoas, salvo caso em que o candidato tenha solicitado
condição especial para a realização da prova.
9.3. A prova deverá ser manuscrita, não podendo ser assinada, rubricada, ou conter em outro local que não o préestabelecido, qualquer palavra ou marca que a identifique, sob pena de ser anulada. Assim, a detecção de qualquer
marca apontada no espaço destinado ao texto definitivo acarretará a anulação da prova e a consequente eliminação
do candidato do concurso.
9.4. Durante a prova dissertativa (estudo de caso), não serão permitidas consultas nem oferecidas folhas adicionais para
rascunho. Ao final da prova, o candidato deverá entregar o caderno completo da prova dissertativa ao fiscal da sala.
9.5. Após o término do prazo previsto para a duração da prova, não será concedido tempo adicional para o candidato continuar
elaborando ou transcrevendo a resposta para o espaço destinado ao texto definitivo.
9.6. O candidato deverá observar, atentamente, os termos das instruções contidas na capa do caderno de prova, não podendo ser
alegada qualquer espécie de desconhecimento.
9.7. Em hipótese alguma, haverá substituição do caderno de prova por erro do candidato.
10. DO JULGAMENTO DA PROVA OBJETIVA
10.1 A prova objetiva para o cargo de Educador Social , de caráter eliminatório e classificatório, será avaliada na escala de 0
(zero) a 100 (cem) pontos.
10.2. A nota da prova objetiva para o cargo de Educador Social será obtida pela seguinte fórmula:
NP = (CGx1 + CEx2)x100/75
Onde:
NP = nota da prova
CG = número de acertos em Conhecimentos Gerais
CE = número de acertos em Conhecimentos Específicos
Avenida: ALBERTO ANDALÓ, 3030 - Telefone: (17) 3203-1100 - CEP 15015-000 - SÃO JOSÉ DO RIO PRETO- SP

10

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO
ESTADO DE SÃO PAULO

10.3. A prova objetiva para os cargos de Assistente Social e Psicólogo , de caráter eliminatório e classificatório, será avaliada na
escala de 0 (zero) a 100 (noventa) pontos.
10.4.

A nota da prova objetiva para os cargos de Assistente Social e Psicólogo será obtida pela seguinte fórmula:
NP = (CGx1 + CEx2)x100/90

Onde:
NP = nota da prova
CG = número de acertos em Conhecimentos Gerais
CE = número de acertos em Conhecimentos Específicos

10.5. Será considerado habilitado na prova objetiva o candidato que obtiver nota igual ou superior a 50 (cinquenta) pontos e não
zerar em Conhecimentos Gerais e Conhecimentos Específicos, conforme quadro 2 do capitulo 6.
10.6. Os candidatos, habilitados na prova objetiva/dissertativa (conforme o cargo) serão classificados, por cargo, em duas listas,
em ordem decrescente da nota da prova, sendo uma lista geral (para todos os candidatos) e outra especial (para os candidatos
com deficiência).

11. DO JULGAMENTO DA PROVA DISSERTATIVA (ESTUDO DE CASO)
11.1. A prova dissertativa será aplicada para os cargos de Assistente Social e Psicólogo.
11.2. Serão corrigidas as provas dissertativas dos candidatos mais bem classificados na prova objetiva, mais os empatados na
última classificação, nas seguintes proporções:
11.2.1. 450ª (quadrigentésima quinquagésima) colocação para o cargo de Assistente Social;
11.2.2. 200ª (ducentésima) colocação para o cargo de Psicólogo;
11.2.3. Os demais candidatos serão excluídos do Concurso.
11.2.4. Todos os candidatos que concorrem às vagas reservadas às pessoas com deficiência, habilitadas na prova objetiva, nos
termos do item 10.3, deste Edital, terão suas provas dissertativas corrigidas.
11.3. A prova dissertativa avaliará o conhecimento técnico, a capacidade teórico-prática do candidato em desenvolver a questão
apresentada com clareza, coerência e objetividade, a organização do texto, a técnica de redação, o domínio do léxico e a correção
gramatical.
11.4. A prova dissertativa será avaliada na escala de 0 (zero) a 20 (vinte) pontos.
11.5. Será atribuída nota 0 (zero) à prova que:
a) apresentar nome, rubrica, assinatura, sinal, marca ou informação não pertinente ao solicitado na questão que possa permitir a
identificação do candidato;
b) fugir ao tema proposto;
c) estiver em branco;
d) apresentar textos sob forma não articulada verbalmente ou for escrita em língua diferente da portuguesa;
e) for escrita com caneta de tinta de cor diferente de azul ou preta ou a lápis;
f) apresentar letra ilegível e/ou incompreensível;
g) apresentar o texto definitivo fora do espaço reservado para tal.
11.6. Será considerado como não-escrito o texto ou trecho de texto que:
a) estiver rasurado;
b) for ilegível ou incompreensível;
c) for escrito em língua diferente da portuguesa;
d) for escrito a lápis;
e) for escrito fora do espaço destinado ao texto definitivo.
11.7. Será considerado habilitado o candidato que obtiver nota igual ou superior a 10 (dez) pontos na prova dissertativa.

Avenida: ALBERTO ANDALÓ, 3030 - Telefone: (17) 3203-1100 - CEP 15015-000 - SÃO JOSÉ DO RIO PRETO- SP

11

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO
ESTADO DE SÃO PAULO

12.DA PRESTAÇÃO DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA
12.1. A avaliação psicológica será realizada na cidade de São José do Rio Preto.
12.2.

A confirmação da data e as informações sobre local e horário da prova será divulgado com antecedência mínima de 10

(dez) dias, por meio de publicação no Diário Oficial do Município e como subsídio consultar nos sítios eletrônicos da Prefeitura de
São José do Rio Preto (www.riopreto.sp.gov.br) e da Fundação VUNESP (www.vunesp.com.br), não podendo o candidato alegar
qualquer espécie de desconhecimento ou justificar sua ausência ou atraso.
12.3. O candidato deverá comparecer ao local da prova com, no mínimo, 1 (uma) hora de antecedência do horário estabelecido
para o seu início, não sendo admitidos retardatários, sob pretexto algum, após o fechamento dos portões.
12.3.1. Não haverá segunda chamada ou repetição da prova seja qual for o motivo alegado para justificar o atraso ou a ausência
do candidato.
12.4.

Será admitido no local da prova apenas o candidato que estiver trajado adequadamente e munido de caneta esferográfica

em material transparente, com tinta de cor azul ou preta, lápis preto e borracha e um dos seguintes documentos de identificação,
no original, com foto que permita sua identificação, expedido por órgão oficial:
a)

Cédula de identidade (RG);

b)

Carteira de Identidade expedida pelas Forças Armadas ou pelas Polícias Militares ou pelos Corpos de Bombeiros
Militares;

c)

Carteira Nacional de Habilitação expedida nos termos da Lei Federal nº 9.503/1997;

d)

Passaporte;

e)

Carteira de Órgão ou Conselho de Classe;

f)

Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS);

g)

Certificado Militar.

12.4.1. Não serão aceitos, para efeito de identificação, documentos sem foto, tais como Boletim de Ocorrência, Protocolos de
requisição de documentos, Certidão de Nascimento ou Casamento, Título Eleitoral, Carteira Nacional de Habilitação emitida
anteriormente à Lei nº 9.503/1997, Carteira de Estudante, Crachás, dentre outros.
12.5.

Não será admitido no local da prova o candidato que se apresentar após o horário estabelecido no Edital de Convocação.

Os portões serão fechados impreterivelmente no horário estabelecido para a realização da prova.
12.6. O horário de início da prova propriamente dito, será definido em cada sala de aplicação, após os devidos esclarecimentos.
12.7. Durante a realização da prova não será permitido o uso de máquinas calculadoras, pagers, telefones celulares, tablets,
relógios digitais ou quaisquer outros aparelhos eletrônicos e, ainda, boné, gorro, chapéu, óculos de sol ou outros materiais não
classificados como estritamente necessários à realização da prova.
12.7.1. O candidato, que estiver de posse de qualquer equipamento eletrônico, deverá antes do início da prova:
a) desligá-lo;
b) retirar sua bateria (se possível);
c) condicioná-lo em embalagem específica fornecida pela Fundação VUNESP, devendo lacrar a embalagem e mantê-la lacrada,
embaixo da carteira, durante todo o tempo de realização da(s) prova(s);
d) colocar também, nessa embalagem, os eventuais pertecence pessoais( bonés, gorros ou similares, relógio e protetorauricular);
e) esse material deverá permanecer durante todo o período de permanência do candidato no local de provas, dentro dessa
embalagem, que deverá também permanecer lacrada, até a sáida do candidato do prédio de aplicação da(s) prova(s).
f) os aparelhos eletrônicos deverão permanecer desligados e lacrados, bem como com seus alarmes desabilitados, até a saída
do candidato do prédio de aplicação da(s) prova(s).
12.8. É reservado à Fundação VUNESP, caso julgue necessário, o direito de utilizar detector de metais. Caso o candidato seja
flagrado pelo detector de metal portando qualquer tipo de aparelho eletrônico, será excluído do Concurso Público.
12.9. O candidato não poderá ausentar-se da sala durante a aplicação da prova sem o acompanhamento de um fiscal e,
tampouco, levar consigo quaisquer dos materiais fornecidos.
Avenida: ALBERTO ANDALÓ, 3030 - Telefone: (17) 3203-1100 - CEP 15015-000 - SÃO JOSÉ DO RIO PRETO- SP

12

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO
ESTADO DE SÃO PAULO

12.10. A candidata lactante que necessitar amamentar durante a realização das provas, poderá fazê-lo em sala reservada, desde
que o requeira à Fundação VUNESP, conforme previsto no item 4.19 e 4.19.1.
12.10.1. Em caso de necessidade de amamentação durante a prova, e tão somente nesse caso, a candidata deverá levar um
acompanhante maior de idade, devidamente comprovado, que ficará em lugar reservado para tal finalidade e será responsável
pela criança.
12.10.2. No momento da amamentação, a candidata será acompanhada por um fiscal, sem o material de aplicação das provas e
sem o acompanhante.
12.10.3. Não haverá compensação do tempo de amamentação na duração da prova da candidata.
12.10.4. Excetuada esta situação, não será permitida a permanência de qualquer acompanhante, inclusive de menor de idade nas
dependências do local de realização de prova.
12.11. Não haverá prorrogação do tempo previsto para a aplicação das provas em virtude de afastamento, por qualquer motivo, do
candidato da sala de provas.

13. DA APLICAÇÃO DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA
13.1. A avaliação psicológica, de caráter eliminatório, será aplicada para os candidatos aos cargos de Educador Social, Assistente
Social e Psicólogo.
13.2.

A avaliação psicológica é um processo técnico e científico e será realizada por meio de metodologias e técnicas

específicas, sendo empregado os procedimentos científicos destinados a aferir a compatibilidade das características psicológicas
do candidato com as atribuições do cargo, verificando se o avaliado apresenta características essenciais como, por exemplo:
funções cognitivas, habilidades específicas, de personalidade etc, necessárias para o desempenho das atribuições do cargo objeto
deste concurso, considerando o perfil psicológico contido do Anexo III, nos termos do artigo 1º da Resolução n.º 02/2016 do
Conselho Federal de Psicologia.
13.3. A avaliação psicológica será realizada por Banca Examinadora constituída por psicólogos regularmente inscritos em
Conselho Regional de Psicologia que utilizarão métodos e técnicas psicológicas aprovados pelo Conselho Federal de Psicologia,
em conformidade com a Resolução n.º 02/2016 do Conselho Federal de Psicologia.
13.4. Serão convocados para a avaliação psicológica todos os candidatos para os cargos de Assistente Social e Psicólogo,
aprovados nas provas objetiva e dissertativa (quando for o caso) , nos termos dos itens 10 e 11.
13.5.

Para o cargo de Educador Social, serão convocados os candidatos habilitados na prova objetiva, melhores classificados

até a 150ª (centésima quinquagésima);
13.5.1. Havendo empate, na determinação do último integrante do grupo de candidatos, serão convocados para a avaliação
psicológica todos os candidatos empatados nesta posição.
13.5.2. Todos os candidatos que concorrem às vagas reservadas a pessoas com deficiência, habilitados na prova objetiva e
prova dissertativa (quando for o caso) , serão convocados para a avaliação psicológica.
13.6. Os requisitos psicológicos para o bom desempenho das atribuições do cargo foram estabelecidos previamente, considerando
as responsabilidades do cargo, a descrição detalhada das atividades e tarefas, a identificação dos conhecimentos, habilidades e
características pessoais necessárias para o desempenho das atividades do cargo.
13.7. A avaliação psicológica compreenderá a aplicação individual ou coletiva de métodos e técnicas capazes de aferir, de forma
objetiva e padronizada, os requisitos psicológicos do candidato para o desempenho das atribuições inerentes ao cargo, Resolução
n.º 02/2016 do Conselho Federal de Psicologia - CFP.
13.8. O resultado da avaliação psicológica será obtido por meio da análise de todos os instrumentos psicológicos utilizados,
considerando os critérios estabelecidos, relacionados aos requisitos psicológicos ideais para o desempenho das atribuições
inerentes ao cargo e terá caráter eliminatório, resultando nos conceitos para os candidatos de "Apto" ou "Inapto", cujo significado
de cada conceito é:
13.9. APTO: significa que o candidato apresentou, na época da aplicação dos métodos e técnicas da avaliação psicológica, o perfil
psicológico (Anexo III deste Edital) compatível com a descrição das atribuições do cargo (Anexo I).

Avenida: ALBERTO ANDALÓ, 3030 - Telefone: (17) 3203-1100 - CEP 15015-000 - SÃO JOSÉ DO RIO PRETO- SP

13

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO
ESTADO DE SÃO PAULO

13.10.

INAPTO: significa que o candidato não apresentou, na época da aplicação dos métodos e técnicas da avaliação

psicológica, o perfil psicológico (Anexo III deste Edital) compatível com a descrição das atribuições do cargo (Anexo I).
13.11.

A divulgação dos resultados será feita por meio de relação nominal, constando os candidatos "Aptos" nos termos da

Resolução n.º 02/2016 do Conselho Federal de Psicologia e, somente o número de inscrição dos candidatos considerados
"Inaptos". A divulgação do resultado será por meio do Diário Oficial do Município de São José do Rio Preto e, subsidiariamente,
nos sites da Fundação Vunesp e da Prefeitura de São José do Rio Preto.
13.12.

A "inaptidão" na avaliação psicológica não significará, necessariamente, incapacidade intelectual ou existência de

transtornos de personalidade. Indicará, tão somente, que o candidato não atendeu, por ocasião dos exames, aos requisitos para o
desempenho das atribuições inerentes ao cargo.
13.13.

Nenhum candidato "inapto" será submetido à nova avaliação psicológica dentro do presente concurso público. Será

facultado a todo o candidato considerado "inapto" solicitar a realização do procedimento denominado entrevista devolutiva, para
conhecimento das razões de sua "inaptidão", mediante requerimento específico, por meio de página web que será disponibilizada
pelo site da Fundação Vunesp, dentro do prazo de 3 (três) dias úteis, após a publicação do resultado desta avaliação no Diário
Oficial do Município e, subsidiariamente, nos sites da Fundação Vunesp e da Prefeitura de São José do Rio Preto . A entrevista
devolutiva será exclusivamente de caráter informativo para esclarecimento do motivo da "inaptidão" do candidato ao propósito do
concurso público, não sendo, em hipótese alguma, considerada como recurso ou nova oportunidade de realização do teste.
13.14.

Atendendo aos ditames previstos no Código de Ética Profissional do Psicólogo, nas resoluções do Conselho Federal de

Psicologia e nas orientações do Conselho Regional de Psicologia-São Paulo, esse procedimento somente será divulgado ao
candidato, uma única vez, de forma pessoal e individual, dentro do prazo de 20 (vinte) dias úteis após o término do período de
solicitação da entrevista devolutiva, pelo profissional psicólogo responsável pela aplicação desta avaliação, na cidade de São José
do Rio Preto, em local e hora predeterminados, conforme o edital de convocação para o cumprimento desse procedimento que
será divulgado pelo Diário Oficial do Município e, subsidiariamente, nos sites da Fundação Vunesp e da Prefeitura de São José do
Rio Preto.
13.15.

Para o cumprimento do procedimento denominado entrevista devolutiva, o candidato deverá comparecer no local

determinado, com antecedência de, pelo menos 30 minutos do horário divulgado, conforme o edital de convocação, munido do
original de um dos documentos listados no item 12.4, letra "a" a "g". A realização do procedimento da entrevista devolutiva não
altera o status do resultado da avaliação psicológica.
13.16.

A entrevista devolutiva poderá ocorrer em dias úteis, finais de semana, ou feriados, conforme Edital de Convocação que

será disponibilizado por meio de publicação no Diário Oficial do Município e, subsidiariamente, nos sites da Fundação Vunesp e da
Prefeitura de São José do Rio Preto, página do concurso, antes do prazo para interposição do recurso administrativo, da
publicação do resultado da avaliação psicológica.
13.16.1. No momento da realização do procedimento da entrevista devolutiva, para o conhecimento das razões da "Inaptidão", o
candidato que desejar poderá comparecer acompanhado de um profissional psicólogo, necessariamente inscrito no Conselho
Regional de Psicologia. O candidato receberá uma cópia de seu laudo psicológico contendo o resultado da avaliação e serão
disponibilizadas, também, explicações sobre o processo. As informações técnicas somente serão abordadas com o psicólogo.
13.16.2. No momento da realização do procedimento da entrevista devolutiva, para o conhecimento das razões da "Inaptidão", o
candidato que desejar comparecer desacompanhado de um profissional psicólogo, receberá uma cópia de seu laudo psicológico
contendo o resultado da avaliação e serão disponibilizadas, também, explicações sobre o processo.
13.17.

Para todos os candidatos "Inaptos", solicitantes ou não da entrevista devolutiva, após o período de atendimento, caso seja

de seu interesse, poderá interpor recurso administrativo do resultado da avaliação psicológica, nos termos do capítulo 16 do
presente edital.
13.18.

Os candidatos não convocados para a avaliação psicológica, os ausentes e aqueles considerados "Inapto" estarão

eliminados do concurso e não terão classificação alguma.
13.19.

O perfil psicológico do cargo encontra-se no Anexo III deste edital e demais informações constarão de edital específico de

convocação para esta fase.

14. DA PROVA DE TÍTULOS
Avenida: ALBERTO ANDALÓ, 3030 - Telefone: (17) 3203-1100 - CEP 15015-000 - SÃO JOSÉ DO RIO PRETO- SP

14

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO
ESTADO DE SÃO PAULO

14.1.

A prova de títulos será aplicada para os cargos de Assistente Social e Psicólogo e visa valorizar a formação acadêmica

do candidato e será realizada no mesmo dia, em período oposto à avaliação psicológica.
14.1.1. A prova de títulos terá caráter exclusivamente classificatório.
14.2. Serão analisados apenas os títulos dos candidatos considerados APTOS na avaliação psicológica.
14.2.1. Não serão aceitos títulos entregues fora do local, data e horário estabelecidos no Edital de Convocação, nem a
complementação ou a substituição, a qualquer tempo, de títulos já entregues.
14.2.2. O candidato que não comparecer à prova de títulos será considerado ausente, porém, não será eliminado do Concurso.
14.2.3. Será permitida entrega de títulos por procuração, sendo que no ato da entrega, o procurador deverá apresentar
procuração, documento de identificação pessoal e cópia simples de documento de identidade do candidato.
14.2.3.1. A não apresentação dos documentos citados no item 14.2.3 inviabilizará o recebimento dos títulos do candidato, bem
ainda o não comparecimento do candidato ou de seu procurador em data, local e horário estabelecido em edital de convocação
específico.
14.2.4. A entrega e a comprovação dos títulos são de responsabilidade do candidato.
14.3. Serão avaliados os títulos de todos os candidatos considerados aptos na avaliação psicológica.
14.4. Somente serão avaliados os títulos obtidos até o último dia de inscrição.
14.5. A pontuação total da prova de títulos estará limitada ao valor máximo de 2 (dois) pontos.
14.6. A pontuação dos títulos estará limitada aos valores constantes na tabela de títulos do quadro do item 14.7, observando-se os
comprovantes, os valores unitário e máximo e a quantidade máxima de cada título.
14.7. Serão considerados títulos somente os constantes na presente tabela de títulos:
Títulos

Doutor na área do cargo pretendido.

Comprovantes

Quantidade

Valor

Máxima

Unitário

1

1

1

1

0,5

0,5

2

0,25

0,5

- Diploma devidamente registrado ou
- Certificado/declaração de conclusão de

Mestre na área do cargo

curso acompanhado do respectivo

pretendido.

histórico escolar.

Valor Máximo

Pós-graduação lato sensu
(Especialização) na área do cargo

- Certificado/declaração de conclusão de

pretendido, com carga horária

curso;

mínima de 360 (trezentas e

- e histórico escolar.

sessenta) horas.
14.8. Os documentos comprobatórios dos títulos deverão ser entregues em cópias reprográficas, autenticadas ou acompanhadas
da apresentação do original para serem vistadas pelo receptor, sendo que:
14.8.1. não serão aceitos protocolos de documentos ou fac-símile ou por e-mail;
14.8.2. não serão aceitos documentos impressos via internet que não atendam ao item 14.10. e seus subitens deste Capítulo;
14.8.3. não serão aceitos, para entrega e pontuação, documentos originais de diplomas;
14.8.4. poderão ser entregue, no original, certificados e declarações.
14.9. Todos os títulos deverão ser comprovados por documentos que contenham as informações necessárias ao perfeito
enquadramento e consequente valoração.
14.9.1. Quando o nome do candidato for diferente do constante nos documentos apresentados, deverá ser anexado comprovante
de alteração do nome.
14.9.2. Quando o documento não comprovar explicitamente que o título se enquadra na área exigida na Tabela de Títulos, o
candidato poderá entregar, também, de acordo com o item 14.10 e seus subitens, o histórico escolar, para o caso de entrega do
diploma, ou declaração da instituição que emitiu o documento, na qual declara a(s) área(s) de concentração e/ou programa(s) e/ou
linha(s) de pesquisa(s) do título.
14.10.

Os comprovantes deverão estar em papel timbrado da instituição, com nome, cargo/função e assinatura do responsável

e,
Avenida: ALBERTO ANDALÓ, 3030 - Telefone: (17) 3203-1100 - CEP 15015-000 - SÃO JOSÉ DO RIO PRETO- SP

15

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO
ESTADO DE SÃO PAULO

14.10.1. no caso de certificado/declaração de conclusão de curso de doutorado ou de mestrado, deverá constar a data da
homologação do respectivo título ou da respectiva ata de defesa;
14.10.2. no caso de certificado/declaração de conclusão de curso de pós-graduação lato sensu, deverão constar a carga horária
total e o período de realização do curso;
14.10.3 no histórico escolar, deverão constar o rol das disciplinas com as respectivas cargas horárias, notas ou conceitos obtidos
pelo aluno e o título do trabalho, conforme o caso (monografia, dissertação ou tese).
14.11.

Os títulos obtidos no exterior deverão ser revalidados por universidades oficiais que mantenham cursos congêneres,

credenciados nos órgãos competentes.
14.12.

Os títulos obtidos no exterior não passíveis de revalidação deverão ser traduzidos por tradutor oficial juramentado.

14.13.

Os documentos entregues para a prova de títulos não serão devolvidos.

14.14.

Comprovada, em qualquer tempo, a irregularidade ou ilegalidade na obtenção do título, o candidato terá anulada a

respectiva pontuação e, comprovada a sua culpa, esse será eliminado do Concurso.

15. DO CRITÉRIO DE DESEMPATE
15.1.

Em caso de igualdade da pontuação final, serão aplicados, os seguintes critérios de desempate, de acordo com os

conteúdos e provas aplicados especificamente para cada cargo, sucessivamente:
a)

idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos, no término das inscrições, nos termos da Lei Federal nº 10.741/2003, entre
si e frente aos demais, sendo que será dada preferência ao de idade mais elevada;

b)

maior pontuação nas questões de Conhecimentos Específicos;

c)

maior pontuação na prova dissertativa (apenas para os cargos de Assistente Social e Psicólogo);

d)

maior pontuação nas questões de Língua Portuguesa;

e)

maior pontuação nas questões de Tecnologia da Informação e Comunicação;

f)

maior pontuação nas questões de Atualidades;

g)

maior pontuação na prova de títulos (apenas para os cargos de Assistente Social e Psicólogo);

h)

mais idoso entre os candidatos com idade inferior a 60 (sessenta) anos, no término das inscrições;

i)

exercício efetivo de função de jurado nos termos da Lei nº 11.689/2008.

15.2.Persistindo, ainda, o empate, poderá haver sorteio na presença dos candidatos envolvidos.
15.3.

O candidato para fazer jus ao previsto na letra "i" ­ item 15.1 deste edital deverá comprovar ter exercido efetivamente a

função de jurado no período entre a data da publicação da referida Lei, em 09/06/2008 e a data de término das inscrições.
15.3.1. O documento emitido pelo Judiciário deverá ser encaminhado no original ou cópia autenticada em cartório á Fundação
VUNESP, sito à Rua Dona Germaine Burchard, 515 ­ Água Branca/Perdizes ­ CEP: 05002-062. O documento apresentado terá
validade somente para este concurso e não será devolvido.
15.4. Os candidatos classificados serão enumerados em 02 (duas) listas sendo uma geral (todos os candidatos aprovados), outra
especial (candidatos com deficiência aprovados), que serão publicadas no Diário Oficial do Município.
16. PONTUAÇÃO FINAL
16.1. A pontuação final será a nota da Prova Objetiva para o cargo de Educador Social, já aplicado os critérios de desempate
16.2. A pontuação final será a somatória das notas das provas objetiva, da prova dissertativa e da prova de títulos para os cargos
de Assistente Social e Psicólogo, já aplicado os critérios de desempate.

17. DOS RECURSOS
17.1. O prazo para interposição de recurso será de 2 (dois) dias úteis, contados da data da divulgação do evento ou do fato que
lhe deu origem.
17.2. Quando da publicação do resultado das provas, serão disponibilizados os espelhos da folha definitiva de respostas da
prova objetiva, e a prova dissertativa e a grade de correção.
17.3.

O candidato dentro do prazo estabelecido no item 17.1 deste Capítulo deverá utilizar o campo próprio para interposição

de recursos no endereço eletrônico www.vunesp.com.br, na página do Concurso Público, seguindo as instruções ali contidas.
Avenida: ALBERTO ANDALÓ, 3030 - Telefone: (17) 3203-1100 - CEP 15015-000 - SÃO JOSÉ DO RIO PRETO- SP

16

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO
ESTADO DE SÃO PAULO

17.3.1.O candidato que não interpuser recurso no prazo mencionado será responsável pelas consequências advindas de sua
omissão.
17.4. Admitir-se-á um único recurso para cada questão da prova, desde que devidamente fundamentado.
17.5.

Quando o recurso se referir ao gabarito da prova objetiva, deverá ser elaborado de forma individualizada, ou seja, 01 (um)

recurso para cada questão e a decisão será tomada mediante parecer técnico da Banca Examinadora.
17.6. O gabarito divulgado poderá ser alterado em função da análise dos recursos interpostos e, caso haja anulação ou alteração
do gabarito, as provas serão corrigidas de acordo com o gabarito oficial definitivo.
17.7. A pontuação relativa à(s) questão(ões) anulada(s) será(ão) atribuída(s) a todos os candidatos presentes na prova.
17.7.1. No caso de provimento do recurso interposto dentro das especificações, esse poderá, eventualmente, alterar a
nota/classificação inicial obtida pelo candidato para uma nota/classificação superior ou inferior, ou ainda poderá ocorrer a
desclassificação do candidato que não obtiver a nota mínima exigida para habilitação.
17.7.2. A decisão do deferimento ou indeferimento de recurso será publicada no Diário Oficial do Município e disponibilizada no site
www.vunesp.com.br.
17.8. O recurso interposto fora da forma e dos prazos estipulados neste Edital não será conhecido, bem como não será
conhecido aquele que não apresentar fundamentação e embasamento, ou aquele que não atender às instruções constantes do
"link" Recursos na página específica do Concurso Público.
17.9. Somente serão considerados os recursos interpostos para a fase a que se referem e no prazo estipulado, não sendo
aceitos, portanto, recursos interpostos em prazo destinado a evento diverso daquele em andamento.
17.10. A interposição de recurso não obsta o regular andamento do cronograma do Concurso Público.
17.11. No caso de recurso em pendência à época da realização de algumas das etapas do Concurso Público, o candidato poderá
participar condicionalmente da etapa seguinte.
17.12. Não será aceito e conhecido recurso interposto pelos Correios, por meio de fax, e-mail ou por qualquer outro meio além do
previsto neste Capítulo.
17.13. A Banca Examinadora constitui última instância para os recursos, sendo soberana em suas decisões, razão pela qual não
caberão recursos adicionais.
17.14. Não será aceito pedido de revisão de recurso e/ou recurso de recurso.

18. DA POSSE
18.1. Serão contratados os candidatos aprovados no Concurso Público, de acordo com a classificação final, dentro do número de
vagas estabelecidas neste edital.
18.2. A posse do candidato aprovado, ocupante de cargos, funções, empregos no âmbito do serviço público federal, estadual e
municipal, fica condicionada ao cumprimento da Emenda Constitucional n.º 20, de 15 de dezembro de 1998, que altera o parágrafo
10 do artigo 37 da Constituição Federal.
18.3. Para a posse, fica o candidato sujeito à aprovação em exame médico admissional que verifique a sua aptidão física e mental
para o exercício das atribuições do cargo.
18.4. O candidato aprovado deverá, apresentar comprovantes dos requisitos para a posse elencados no Capítulo 3, do presente
edital, mediante apresentação de documentos, além de outros documentos que a Administração Municipal julgar necessários.
18.5. Os atos referentes à contratação para preenchimento das vagas serão feitas por publicação no Diário Oficial do Município,
sendo de inteira responsabilidade do candidato interessado, o acompanhamento.
18.6. Em caso de não atendimento ao prazo de convocação ou a não comprovação de preenchimento dos requisitos previstos, não
será efetivada a posse.

19. DAS DISPOSIÇÕES FINAIS
19.1. O prazo de validade do Concurso Público é de 1 (um) ano a contar da data da publicação da homologação podendo, ser
prorrogado por igual período uma única vez, de acordo com o interesse da Administração Pública.

Avenida: ALBERTO ANDALÓ, 3030 - Telefone: (17) 3203-1100 - CEP 15015-000 - SÃO JOSÉ DO RIO PRETO- SP

17

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO
ESTADO DE SÃO PAULO

19.2. A aprovação do candidato neste Concurso não implicará a obrigatoriedade de sua admissão, cabendo à Administração
Municipal o direito de preencher somente o número de vagas estabelecido neste Edital, de acordo com as necessidades, interesse
público, disponibilidade financeira e obediência à Lei de Responsabilidade Fiscal.
19.3. A inscrição do candidato importará o conhecimento das presentes instruções e na aceitação das condições do Concurso
Público, tais como se acham estabelecidas neste Edital e nos demais a serem publicados.
19.4. A falsidade de afirmativas e/ou irregularidades de documentos, ainda que verificada(s) posteriormente, eliminarão o
candidato do Concurso Público, anulando-se todos os atos decorrentes da inscrição.
19.5.

Sem prejuízo das sanções criminais cabíveis, poderá ser anulada a inscrição ou a prova do candidato, se verificada

falsidade de declaração ou irregularidade na prestação das provas.
19.6. Não será fornecido ao candidato qualquer documento comprobatório de classificação no Concurso Público, valendo, para
esse fim, o resultado final homologado publicado no Diário Oficial do Município.
19.7. Os itens deste Edital poderão sofrer eventuais alterações, atualizações ou acréscimos, enquanto não consumada a
providência ou evento que lhes disser respeito, ou até a data da convocação dos candidatos para a prova, circunstância que será
mencionada em Edital a ser publicado.
19.8. No período entre a prestação das provas e a homologação do resultado final, o candidato obriga-se a manter atualizados
seus dados na Fundação Vunesp. Após a homologação do resultado, o candidato aprovado obriga-se a manter atualizados seus
dados pessoais na Prefeitura Municipal, enquanto perdurar a validade do Concurso Público, sendo que, a não atualização isenta a
Administração Municipal de qualquer responsabilidade pela não admissão devido à impossibilidade de encontrá-lo.
19.9. O resultado final do Concurso Público será homologado pelo responsável do certame, indicado pela Secretaria Municipal da
Assistência Social, e será publicado no Diário Oficial do Município.
19.10. Decorridos 90 (noventa) dias da homologação e não caracterizando óbice, é facultada a eliminação das provas e demais
registros escritos, mantendo-se porém, pelo prazo de validade do Concurso Público, os registros eletrônicos.
19.11. Todos os demais avisos e resultados do Concurso Público serão divulgados no site da Prefeitura: www.riopreto.sp.gov.br e
no da www.vunesp.com.br.
19.12. O candidato será considerado desistente e excluído do Concurso Público quando não comparecer as convocações nas
datas estabelecida, exceto da Prova de Títulos, prevista no Capítulo 14 deste Edital.
19.13. Toda menção a horário neste Edital e em outros atos deles decorrentes terá como referência o horário oficial de Brasília.
19.14. A legislação com entrada em vigor após a data da publicação deste Edital, bem como alterações posteriores, não serão
objetos de avaliação das provas deste Concurso Público.
19.15. Durante a realização das provas deste Concurso não será permitida a utilização de qualquer tipo de aparelho que realize a
gravação de imagem, de som, ou de imagem e som pelo candidato, pelos seus familiares ou por quaisquer outros estranhos ao
Concurso Público.
19.16. Salvo as exceções previstas no presente Edital, durante a realização de qualquer prova deste Concurso não será permitida
a permanência de acompanhantes nos locais de aplicação das provas, seja qual for o motivo alegado.
19.17. Os casos omissos serão resolvidos pela Comissão conjuntamente com a Fundação Vunesp.
I. Informações
Prefeitura do Município de São José do Rio Preto ­ 3º andar ­ CEP 15015-000
Av. Alberto Andaló, 3030 ­ Centro - São José do Rio Preto
Horário dias úteis: das 7h30min às 17 horas
Site: www.riopreto.sp.gov.br
Fundação VUNESP
Rua Dona Germaine Burchard, 515 ­ Água Branca ­ Perdizes ­ São Paulo - CEP 05002-062
Horário dias úteis - das 8às 12horas e das 13h30min às 16 horas
Disque VUNESP: fone (11) 3874-6300 - dias úteis - das 8 às 20horas
Site: www.vunesp.com.br

São José do Rio Preto, 17 de junho de 2016.
ELIANA CRISTINA LECHADO
Assessora - Secretaria Municipal de Assistência Social
Avenida: ALBERTO ANDALÓ, 3030 - Telefone: (17) 3203-1100 - CEP 15015-000 - SÃO JOSÉ DO RIO PRETO- SP

18

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO
ESTADO DE SÃO PAULO

ANEXO I - ATRIBUIÇÕES DO CARGO
DESCRIÇÃO DE FUNÇÕES ­ Cargo de Nível Médio

EDUCADOR SOCIAL
Descrição de atividades:
Desempenham funções de apoio ao provimento dos serviços, programas, projetos e benefícios, transferência de renda e ao
CadÚnico, diretamente relacionadas às finalidades do SUAS:
Desenvolver atividades socioeducativas e de convivência e socialização visando à atenção, defesa e garantia de direitos e
proteção aos indivíduos e famílias em situações de vulnerabilidade e, ou, risco social e pessoal, que contribuam com o
fortalecimento da função protetiva da família;


Desenvolver atividades instrumentais e registro para assegurar direitos, (re)construção da autonomia, autoestima, convívio e
participação social dos usuários, a partir de diferentes formas e metodologias, contemplando as dimensões individuais e
coletivas, levando em consideração o ciclo de vida e ações intergeracionais;



Assegurar a participação social dos usuários em todas as etapas do trabalho social;



Apoiar e desenvolver atividades de abordagem social** e busca ativa*;



Atuar na recepção dos usuários possibilitando ambiência acolhedora;



Apoiar na identificação e registro de necessidades e demandas dos usuários, assegurando a privacidade das informações;



Apoiar e participar no planejamento das ações;



Organizar, facilitar oficinas e desenvolver atividades individuais e coletivas de vivência nas unidades e, ou, na comunidade;



Acompanhar, orientar e monitorar os usuários na execução das atividades;



Apoiar na organização de eventos artísticos, lúdicos e culturais nas unidades e, ou, na comunidade;



Apoiar no processo de mobilização e campanhas intersetoriais nos territórios de vivência para a prevenção e o enfrentamento
de situações de risco social e, ou, pessoal, violação de direitos e divulgação das ações das Unidades socioassistenciais;



Apoiar na elaboração e distribuição de materiais de divulgação das ações;



Apoiar os demais membros da equipe de referência em todas etapas do processo de trabalho;



Apoiar na elaboração de registros das atividades desenvolvidas, subsidiando a equipe com insumos para a relação com os
órgãos de defesa de direitos e para o preenchimento do Plano de Acompanhamento Individual e, ou, familiar;



Apoiar na orientação, informação, encaminhamentos e acesso a serviços, programas, projetos, benefícios, transferência de
renda, ao mundo do trabalho por meio de articulação com políticas afetas ao trabalho e ao emprego, dentre outras políticas
públicas, contribuindo para o usufruto de direitos sociais;



Apoiar no acompanhamento dos encaminhamentos realizados;



Apoiar na articulação com a rede de serviços socioassistenciais e políticas públicas;



Participar das reuniões de equipe para o planejamento das atividades, avaliação de processos, fluxos de trabalho e resultado;



Desenvolver atividades que contribuam com a prevenção de rompimentos de vínculos familiares e comunitários, possibilitando
a superação de situações de fragilidade social vivenciadas;



Apoiar na identificação e acompanhamento das famílias em descumprimento de condicionalidades;



Informar, sensibilizar e encaminhar famílias e indivíduos sobre as possibilidades de acesso e participação em cursos de
formação e qualificação profissional, programas e projetos de inclusão produtiva e serviços de intermediação de mão de obra;



Acompanhar o ingresso, frequência e o desempenho dos usuários nos cursos por meio de registros periódicos;



Apoiar no desenvolvimento dos mapas de oportunidades e demandas. Execução de outras atividades correlatas à área sua de
atuação.
(*) Busca ativa: trata-se da procura intencional realizada através de visitas domiciliares e contatos com atores sociais
dos territórios, para identificar situações de vulnerabilidade e risco social contribuindo para a compreensão da realidade
social.
(**) Abordagem social: trata-se de um serviço ofertado as pessoas que utilizam as ruas como espaço de
moradia/sobrevivência, a fim de assegurar atendimento sob a perspectiva de fortalecimento de vínculos oportunizando a
construção de novos projetos de vida.

Avenida: ALBERTO ANDALÓ, 3030 - Telefone: (17) 3203-1100 - CEP 15015-000 - SÃO JOSÉ DO RIO PRETO- SP

19

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO
ESTADO DE SÃO PAULO

DESCRIÇÃO DE FUNÇÕES ­ Cargos de Nível Superior
ASSISTENTE SOCIAL
Descrição de atividades:
· Realizar pesquisas para identificação das demandas e reconhecimento das situações de vida da população que subsidiem a
formulação dos planos de Assistência Social;
· Formular e executar os programas, projetos, benefícios e serviços socioassistenciais;
· Elaborar, executar e avaliar os planos municipais de assistência social, buscando interlocução com as diversas áreas e políticas
públicas;
· Formular e defender a constituição de orçamento público necessário à implementação do Plano de Assistência Social;
· Favorecer a participação dos (as) usuários (as) no processo de elaboração e avaliação do orçamento público;
· Realizar estudos sistemáticos com a equipe dos CRAS, CREAS e CENTRO POP, na perspectiva de análise conjunta da
realidade e planejamento coletivo das ações, assegurando espaços de reunião e reflexão no âmbito das equipes
multiprofissionais;
· Contribuir para viabilizar a participação dos (as) usuários (as) no processo de elaboração e avaliação do plano de Assistência
Social;
· Estimular a organização coletiva e orientar (as) os usuários (as) e trabalhadores(as) da política de Assistência Social a constituir
entidades representativas;
· Instituir espaços coletivos de socialização de informação sobre os direitos socioassistenciais e sobre o dever do Estado de
garantir sua implementação;
· Realizar visitas, informações e pareceres sobre acesso e implementação da política de Assistência Social;
·Realizar estudos socioeconômicos para identificação de demandas e necessidades sociais;
· Organizar os procedimentos e realizar atendimentos individuais e/ou coletivos nos CRAS;
· Realizar estudo e estabelecer cadastro atualizado de entidades e rede de atendimento público e privado;
· Participar nos Conselhos de Direitos na condição de conselheiro (a);
· Atuar nos Conselhos de Assistência Social na condição de secretário (a) executivo (a);
· Organizar e coordenar seminários e eventos para debater e formular estratégias coletivas para materialização da política de
Assistência Social;
· Participar na organização, coordenação e realização de conferências municipais de Assistência Social e afins;
· Elaborar projetos coletivos e individuais de fortalecimento do protagonismo dos (as) usuários (as);
· Acionar os sistemas de garantia de direitos, com vistas a mediar seu acesso pelos (as) usuários (as);
· Supervisionar direta e sistematicamente os(as) estagiários(as) de Serviço Social.
Executar quaisquer outras atividades correlatas, bem ainda as atribuições dos técnicos de nível superior, previstas nas normativas
e orientações técnicas relativas ao SUAS e nas leis complementares municipais que tratam das atribuições do cargo.

PSICÓLOGO
Descrição de atividades:
Investigação, análise, avaliação, prevenção e atuação em processos psicossociais, e na promoção da qualidade de vida dos
usuários:
· Analisar o contexto em que atua profissionalmente em suas dimensões institucional e organizacional, explicitando a dinâmica
das interações entre os (as) seus (suas) agentes sociais;
· Identificar e analisar necessidades de natureza psicológica, diagnosticar, elaborar projetos, planejar e agir de forma coerente com
referenciais teóricos e características da população-alvo;
Elaborar, executar e avaliar os planos municipais de assistência social, buscando interlocução com as diversas áreas e políticas
públicas;
Avenida: ALBERTO ANDALÓ, 3030 - Telefone: (17) 3203-1100 - CEP 15015-000 - SÃO JOSÉ DO RIO PRETO- SP

20

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO
ESTADO DE SÃO PAULO

· Identificar, definir e formular questões de investigação científica no campo da psicologia, vinculando-as a decisões metodológicas
quanto à escolha, coleta e análise de dados em projetos de pesquisa;
· Escolher e utilizar instrumentos e procedimentos de coleta de dados em psicologia, tendo em vista a sua pertinência;
· Avaliar fenômenos humanos de ordem cognitiva, comportamental e afetiva, em diferentes contextos;
· Realizar diagnóstico psicossocial que viabilize a construção de projetos de intervenção
· Coordenar e manejar processos grupais, considerando as diferenças individuais e socioculturais dos seus membros;
· Atuar inter e multiprofissionalmente, sempre que a compreensão dos processos e fenômenos envolvidos assim o recomendar;
· Relacionar-se com o (a) outro (a) de modo a propiciar o desenvolvimento de vínculos interpessoais requeridos na sua atuação
profissional;
· Atuar profissionalmente, em diferentes níveis de ação, de caráter preventivo, considerando as características das situações e dos
problemas específicos com os quais se depara;
· Realizar orientação, no âmbito da proteção social especial;
· Realizar estudos sistemáticos com a equipe dos CRAS, CREAS e CENTRO POP, na perspectiva de análise conjunta da
realidade e planejamento coletivo das ações, assegurando espaços de reunião e reflexão no âmbito das equipes
multiprofissionais;
· Participar nos Conselhos de Direitos na condição de conselheiro (a);
Participar na organização, coordenação e realização de conferências municipais de Assistência Social e afins;
· Supervisionar direta e sistematicamente os(as) estagiários(as) de Psicologia;
· Elaborar relatos científicos, e outras comunicações profissionais, inclusive materiais de divulgação;
· Organizar e coordenar seminários e eventos para debater e formular estratégias coletivas para materialização da política de
Assistência Social;
Executar quaisquer outras atividades correlatas, bem ainda as atribuições dos técnicos de nível superior, previstas nas normativas
e orientações técnicas relativas ao SUAS e nas leis complementares municipais que tratam das atribuições do cargo.
ATRIBUIÇÕES COMUNS AOS CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR ­ ASSISTENTE SOCIAL E PSICÓLOGO, CONFORME
NORMATIVAS E ORIENTAÇÕES TÉCNICAS RELATIVAS AO SUAS

















Acolhida, escuta qualificada, encaminhamentos, acompanhamento especializado e oferta de informações e orientações;
Elaboração, junto com as famílias/indivíduos, do Plano de acompanhamento Individual e/ou Familiar, considerando as
especificidades e particularidades de cada um;
Realização de acompanhamento especializado, por meio de atendimentos familiar, individuais e em grupo;
Realização de atendimento particularizado e visitas domiciliares às famílias referenciadas aos CRAS e às famílias
acompanhadas pelo CREAS, quando necessário;
Realização de encaminhamentos monitorados para a rede socioassistencial, demais políticas públicas setoriais e órgãos de
defesa de direito;
Trabalho em equipe interdisciplinar;
Alimentação de sistemas de informação e registro das ações desenvolvidas;
Participação nas atividades de planejamento, monitoramento e avaliação dos processos de trabalho;
Participação de reuniões sistemáticas para planejamento das ações semanais a serem desenvolvidas, definição de fluxos,
instituição de rotina de atendimento e acolhimento dos usuários, organização dos encaminhamentos, fluxos de informações
com outros setores, procedimentos, estratégias de resposta às demandas e de fortalecimento das potencialidades do território;
Participação das atividades de capacitação e formação continuada da equipe, reuniões de equipe, estudos de casos, e demais
atividades correlatas;
Mediação de grupos;
Desenvolvimento de atividades coletivas e comunitárias no território;
Apoio técnico continuado aos profissionais responsáveis pelo(s) serviço(s) de convivência e fortalecimento de vínculos
desenvolvidos no território ou no CRAS;
Realização da busca ativa* e abordagem social**;
Desenvolvimento de projetos que visam prevenir aumento de incidência de situações de risco e
Articulação de rede.

(*) Busca ativa: trata-se da procura intencional realizada através de visitas domiciliares e contatos com atores sociais dos territórios,
para identificar situações de vulnerabilidade e risco social contribuindo para a compreensão da realidade social.
(**) Abordagem social: trata-se de um serviço ofertado as pessoas que utilizam as ruas como espaço de moradia/sobrevivência, a fim de
assegurar atendimento sob a perspectiva de fortalecimento de vínculos oportunizando a construção de novos projetos de vida.

Avenida: ALBERTO ANDALÓ, 3030 - Telefone: (17) 3203-1100 - CEP 15015-000 - SÃO JOSÉ DO RIO PRETO- SP

21

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO
ESTADO DE SÃO PAULO

ANEXO II - CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
LÍNGUA PORTUGUESA (para todos os cargos)
Leitura e interpretação de diversos tipos de textos (literários e não literários). Sinônimos e antônimos. Sentido próprio e figurado
das palavras. Pontuação. Classes de palavras: substantivo, adjetivo, numeral, artigo, pronome, verbo, advérbio, preposição e
conjunção: emprego e sentido que imprimem às relações que estabelecem. Concordância verbal e nominal. Regência verbal e
nominal. Colocação pronominal. Crase.

ATUALIDADES (para todos os cargos)
Questões relacionadas a fatos políticos, econômicos, sociais e culturais, nacionais e internacionais, ocorridos a partir do 1.º
semestre de 2016 divulgados na mídia local e/ou nacional.

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (TIC) (para todos os cargos)
MS-Windows 7: conceito de pastas, diretórios, arquivos e atalhos, área de trabalho, área de transferência, manipulação de
arquivos e pastas, uso dos menus, programas e aplicativos, interação com o conjunto de aplicativos MS-Office 2010. MS-Word
2010: estrutura básica dos documentos, edição e formatação de textos, cabeçalhos, parágrafos, fontes, colunas, marcadores
simbólicos e numéricos, tabelas, impressão, controle de quebras e numeração de páginas, legendas, índices, inserção de objetos,
campos predefinidos, caixas de texto. MS-Excel 2010: estrutura básica das planilhas, conceitos de células, linhas, colunas, pastas
e gráficos, elaboração de tabelas e gráficos, uso de fórmulas, funções e macros, impressão, inserção de objetos, campos
predefinidos, controle de quebras e numeração de páginas, obtenção de dados externos, classificação de dados. MS-PowerPoint
2010: estrutura básica das apresentações, conceitos de slides, anotações, régua, guias, cabeçalhos e rodapés, noções de edição
e formatação de apresentações, inserção de objetos, numeração de páginas, botões de ação, animação e transição entre slides.
Correio Eletrônico: uso de correio eletrônico, preparo e envio de mensagens, anexação de arquivos. Internet: Navegação
Internet, conceitos de URL, links, sites, busca e impressão de páginas.

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS
EDUCADOR SOCIAL

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS
Direitos socioassistenciais. Proteção Social de Assistência Social. Gestão de benefícios e Transferência de Renda.
Serviços socioassistenciais. Conhecimento de temáticas em família, criança, adolescente, idoso, população em
situação de rua, trabalho infantil, exploração sexual, violência e abuso sexual da criança e do adolescente, gênero,
raça, etnia e diversidade. Lei Orgânica de Assistência Social (LOAS). Sistema Único de Assistência Social ­ SUAS.
Norma Operacional Básica do SUAS ­ NOB/SUAS. Estatuto da Criança e do Adolescente. Estatuto do Idoso.
Diagnóstico Socioterritorial /Plano Municipal de Assistência Social de São José do Rio Preto.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
BRASIL Capacita SUAS Caderno 1 (2013). Assistência Social: Política de Direitos à Seguridade Social/ III.
DIREITOS SOCIOASSISTENCIAIS, P. 90 a 106. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Centro
de Estudos e Desenvolvimento de Projetos Especiais da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo ­ 1 ed. ­
Brasília:

MDS,

2013.

Disponível

em

http://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Cadernos/CapacitaSUAS_Caderno_1.pdf.
__________.Lei Nº 8742, de 07 de dezembro de 1993. Dispõe sobre a Organização da Assistência Social ­
LOAS e dá outras providências. Brasília, DF, 1993.
__________. Lei Nº 12.435, de 06 de julho de 2011. Regulamenta o Sistema Único de Assistência Social ­ SUAS
e altera alguns dispositivos da Lei Orgânica de Assistência Social - Lei nº 8742/1993. Brasília, DF: 2011.
Avenida: ALBERTO ANDALÓ, 3030 - Telefone: (17) 3203-1100 - CEP 15015-000 - SÃO JOSÉ DO RIO PRETO- SP

22

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO
ESTADO DE SÃO PAULO

__________. Lei Federal no. 8.069, de 13 de julho de 1990, com suas alterações. Estatuto da Criança e do
Adolescente (ECA).
_________. Lei 10.741 de 1 de outubro de 2003. Dispõe sobre o Estatuto do Idoso e dá outras providências.
__________ Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome - Secretaria Nacional de Assistência Social Departamento de Proteção Social Especial. Orientações Técnicas: Centro de Referência Especializado de
Assistência

Social

-

CREAS.

Brasília,

2011.

Disponível

em

http://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Cadernos/orientacoes_creas.pdf.
_________. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Programa Bolsa Família ­ O que é: Como
funciona; cadastro em dia; acesso a educação e saúde ­ Gestão do Programa: Fiscalização. Disponível em:
http://mds.gov.br/assuntos/bolsa-familia/o-que-e
http://mds.gov.br/assuntos/bolsa-familia/o-que-e/como-funciona
http://mds.gov.br/assuntos/bolsa-familia/o-que-e/cadastro-em-dia
http://mds.gov.br/assuntos/bolsa-familia/o-que-e/acesso-a-educacao-e-saude
http://mds.gov.br/assuntos/bolsa-familia/gestao-do-programa/fiscalizacao

_________. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Cadastro Único - O que é e para que Serve,
quem pode se cadastrar; como se cadastrar; cadastro em dia; programas que atendem aos inscritos.
Disponível em:
http://mds.gov.br/assuntos/cadastro-unico/o-que-e-e-para-que-serve
http://mds.gov.br/assuntos/cadastro-unico/o-que-e-e-para-que-serve/quem-pode-se-cadastrar
http://mds.gov.br/assuntos/cadastro-unico/o-que-e-e-para-que-serve/como-se-cadastrar
http://mds.gov.br/assuntos/cadastro-unico/o-que-e-e-para-que-serve/cadastro-em-dia
http://mds.gov.br/assuntos/cadastro-unico/o-que-e-e-para-que-serve/programas-e-beneficios
_________. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Benefício de Prestação Continuada ­ BPC.
Disponível em http://www.mds.gov.br/assuntos/assistencia-social/beneficios-assistenciais/bpc.
__________. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Resolução nº 33 do Conselho Nacional de
Assistência Social, de 12 de dezembro de 2012. Norma Operacional Básica do Sistema Único de Assistência
Social

-

NOB/SUAS.

Brasília,

DF:

2012.

Disponível

em

http://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Normativas/NOBSUAS2012.pdf.
__________. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Orientações Técnicas - Centro de
Referência

de

Assistência

Social

­

CRAS,

2009.

Disponível

em

http://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Cadernos/orientacoes_Cras.pdf.
__________. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Orientações Técnicas ­ Centro de
Referência Especializado em Assistência Social Para População em Situação de Rua - Centro Pop, 2011.
Disponível

em

http://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Cadernos/orientacoes_centro_pop.pdf.
_________. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Perguntas e Respostas do Serviço de
Abordagem

Social.

Disponível

em

Avenida: ALBERTO ANDALÓ, 3030 - Telefone: (17) 3203-1100 - CEP 15015-000 - SÃO JOSÉ DO RIO PRETO- SP

23

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO
ESTADO DE SÃO PAULO

http://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Cadernos/Perguntas_Servico_AbordagemSocial.pd
f.
SÃO JOSÉ DO RIO PRETO. Secretaria Municipal de Assistência Social de São José do Rio Preto - Plano Municipal
de

Assistência

­

Social

2014

a

2017.

São

José

do

Rio

Preto.

Disponível

em

http://www.riopreto.sp.gov.br/PortalGOV/do/subportais_Show?c=134363.

ASSISTENTE SOCIAL
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS
Questão Social/ Desigualdade Social. Vulnerabilidade e risco social. Direitos socioassistenciais. Assistência Social e
políticas sociais brasileiras. Proteção Social de Assistência Social. Território e Territorialização. Estratégias de
intervenção profissional nos campos de atuação com temáticas em família, criança, adolescente, idoso, população
em situação de rua, trabalho infantil, exploração sexual, violência e abuso sexual da criança e do adolescente,
gênero, raça, etnia e diversidade. Gestão de benefícios e Transferência de Renda. Legislação que regulamenta a
profissão de Assistente Social. Regulamentações do CFESS sobre o trabalho profissional. O Trabalho do Assistente
Social.

Lei Orgânica de Assistência Social (LOAS). Política Nacional de Assistência Social. Sistema Único de

Assistência Social ­ SUAS. Norma Operacional Básica do SUAS ­ NOB/SUAS. Tipificação Nacional dos Serviços
Socioassistenciais. Estatuto da Criança e do Adolescente. Estatuto do Idoso. Plano Nacional de Promoção, proteção
e

defesa

dos

direitos

de

crianças

e

adolescentes

à

convivência

familiar

e

comunitária.

SINASE.

Planejamento/Planos/Programas/Projetos. Diagnóstico Socioterritorial/Plano Municipal de Assistência Social de São
José do Rio Preto. Elaboração de estudo social, relatório, laudo e parecer.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
BAPTISTA, M.V. Planejamento social: intencionalidade e instrumentação. São Paulo: Veras, 2012.
BRASIL Capacita SUAS Caderno 1 (2013). Assistência Social: Política de Direitos à Seguridade Social/ III.
DIREITOS SOCIOASSISTENCIAIS, P. 90 a 106. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Centro
de Estudos e Desenvolvimento de Projetos Especiais da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo ­ 1 ed. ­
Brasília:

MDS,

2013.

Disponível

em

http://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Cadernos/CapacitaSUAS_Caderno_1.pdf.
________. Capacita SUAS Caderno 2 (2013). Proteção de Assistência Social: Segurança de acesso a Benefícios
e Serviços de Qualidade/ I. PROTEÇÃO SOCIAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL p. 24 a 46. Ministério do
Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Centro de Estudos e Desenvolvimento de Projetos Especiais da
Pontifícia

Universidade

Católica

de

São

Paulo

­

1

ed.

­

Brasília:

MDS,

2013.

Disponível

em

http://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Cadernos/CapacitaSUAS_Caderno_2.pdf.
_________. Capacita SUAS Caderno 3 (2013). Vigilância Socioassistencial: Garantia do Caráter Público da
Política de Assistência Social / II. INFORMAÇÕES DOS TERRITÓRIOS DE VIVÊNCIA p. 63 a 85. Ministério do
Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Centro de Estudos e Desenvolvimento de Projetos Especiais da
Pontifícia

Universidade

Católica

de

São

Paulo

­

1

ed.

­

Brasília:

MDS,

2013.

Disponível

em

http://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Cadernos/CapacitaSUAS_Caderno_3.pdf.
__________.Lei Nº 8742, de 07 de dezembro de 1993. Dispõe sobre a Organização da Assistência Social ­
LOAS e dá outras providências. Brasília, DF, 1993.
Avenida: ALBERTO ANDALÓ, 3030 - Telefone: (17) 3203-1100 - CEP 15015-000 - SÃO JOSÉ DO RIO PRETO- SP

24

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO
ESTADO DE SÃO PAULO

__________. Lei Nº 12.435, de 06 de julho de 2011. Regulamenta o Sistema Único de Assistência Social ­ SUAS
e altera alguns dispositivos da Lei Orgânica de Assistência Social - Lei nº 8742/1993. Brasília, DF: 2011.
__________. Lei Federal no. 8.069, de 13 de julho de 1990, com suas alterações. Estatuto da Criança e do
Adolescente (ECA).

_________. Lei 10.741 de 1 de outubro de 2003. Dispõe sobre o Estatuto do Idoso e dá outras providências.
_________. Lei 8662 de 7 de junho de 1993. Código de Ética Profissional dos Assistentes Sociais.

_________. Lei Nº 12.594, DE 18 de janeiro de 2012. Institui o Sistema Nacional de Atendimento Socioeducatico
(SINASE).
__________. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Política Nacional de Assistência Social ­
PNAS e Norma Operacional Básica do Sistema Único de Assistência Social ­ NOB/SUAS. p. 31 a 59. Brasília,
2004. Disponível em http://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Normativas/PNAS2004.pdf.
__________ Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome - Secretaria Nacional de Assistência Social Departamento de Proteção Social Especial. Orientações Técnicas: Centro de Referência Especializado de
Assistência

Social

-

CREAS.

Brasília,

2011.

Disponível

em

http://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Cadernos/orientacoes_creas.pdf.
__________. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Orientações Técnicas - Centro de
Referência

de

Assistência

Social

­

CRAS,

2009.

Disponível

em

http://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Cadernos/orientacoes_Cras.pdf.
__________. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Orientações Técnicas ­ Centro de
Referência Especializado em Assistência Social Para População em Situação de Rua - Centro Pop, 2011.
Disponível

em

http://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Cadernos/orientacoes_centro_pop.pdf.
_________. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome . Plano Nacional de Promoção, Proteção e
defesa de direito de crianças Adolescentes à Convivência Familiar e Comunitária, 2004. Disponível em
http://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Cadernos/Plano_Defesa_CriancasAdolescentes%2
0.pdf.
_________. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Orientações Técnicas sobre PAIF ­ Volume
1 e 2. Disponível em:
http://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Cadernos/Orientacoes_PAIF_1.pdf
http://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Cadernos/Orientacoes_PAIF_2.pdf

_________.Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Perguntas e Respostas do Serviço de
Abordagem

Social.

Disponível

em

http://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Cadernos/Perguntas_Servico_AbordagemSocial.pd
f.
_________. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Programa Bolsa Família ­ O que é: Como
funciona; cadastro em dia; acesso a educação e saúde ­ Gestão do Programa: Fiscalização. Disponível em:
http://mds.gov.br/assuntos/bolsa-familia/o-que-e
Avenida: ALBERTO ANDALÓ, 3030 - Telefone: (17) 3203-1100 - CEP 15015-000 - SÃO JOSÉ DO RIO PRETO- SP

25

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO
ESTADO DE SÃO PAULO

http://mds.gov.br/assuntos/bolsa-familia/o-que-e/como-funciona
http://mds.gov.br/assuntos/bolsa-familia/o-que-e/cadastro-em-dia
http://mds.gov.br/assuntos/bolsa-familia/o-que-e/acesso-a-educacao-e-saude
http://mds.gov.br/assuntos/bolsa-familia/gestao-do-programa/fiscalizacao

_________. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Cadastro Único - O que é e para que Serve
quem pode se cadastrar; como se cadastrar; cadastro em dia; programas que atendem aos inscritos.
Disponível em:
http://mds.gov.br/assuntos/cadastro-unico/o-que-e-e-para-que-serve
http://mds.gov.br/assuntos/cadastro-unico/o-que-e-e-para-que-serve/quem-pode-se-cadastrar
http://mds.gov.br/assuntos/cadastro-unico/o-que-e-e-para-que-serve/como-se-cadastrar
http://mds.gov.br/assuntos/cadastro-unico/o-que-e-e-para-que-serve/cadastro-em-dia
http://mds.gov.br/assuntos/cadastro-unico/o-que-e-e-para-que-serve/programas-e-beneficios
_________. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Benefício de Prestação Continuada ­ BPC.
Disponível em http://www.mds.gov.br/assuntos/assistencia-social/beneficios-assistenciais/bpc.

__________. Resolução nº 33 do Conselho Nacional de Assistência Social, de 12 de dezembro de 2012. Norma
Operacional Básica do Sistema Único de Assistência Social ­ NOB/SUAS. Brasília, DF: 2012. Disponível em
http://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Normativas/NOBSUAS2012.pdf.

__________. Resolução nº 109, de 25 de novembro de 2009. Tipificação Nacional dos Serviços
Socioassistenciais.

Ministério

de

Desenvolvimento

Social.

Brasília,

DF,

2009.

Disponível

em

http://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Normativas/tipificacao.pdf.

COUTO. B.R.; YASBEK, M.C.; SILVA,M.O.S.;RAICHELIS,R. O Sistema Único de Assistência Social no Brasil:
uma realidade em movimento.São Paulo: Cortez, 2011.
IAMAMOTO M. V. O Brasil das desigualdades: "questão social", trabalho e relações sociais.
KOGA, Dirce. Medidas de Cidades ­ Entre territórios de vida e territórios vividos. São Paulo: Cortez, 2011.
MAGALHÃES, Selma Marques. Avaliação e Linguagem Relatórios, Laudos e Pareceres. Veras Editora, 2003.
Parâmetros para a atuação de Assistentes Sociais e Psicólogos na Política Nacional de Assistência Social.
CFEESS- Conselho Federal de Serviço Social/Conselho Federal de Psicologia, Brasília, 2007.
SÃO JOSÉ DO RIO PRETO. Secretaria Municipal de Assistência Social de São José do Rio Preto - Plano Municipal
de

Assistência

Social

­

2014

a

2017.

São

José

do

Rio

Preto.

Disponível

em

http://www.riopreto.sp.gov.br/PortalGOV/do/subportais_Show?c=134363.
SPOSATI, Aldaiza et al (orgs). Assistência na trajetória das políticas sociais brasileiras. 12 ed. São Paulo,
Cortez, 2014.
YASBEK, M.C. O Significado sócio-histórico da profissão. In. CFESS-ABEPSS, Serviço Social: direitos sociais e
competências profissionais. Brasília, 2009.

Avenida: ALBERTO ANDALÓ, 3030 - Telefone: (17) 3203-1100 - CEP 15015-000 - SÃO JOSÉ DO RIO PRETO- SP

26

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO
ESTADO DE SÃO PAULO

PSICÓLOGO
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS
Desigualdade social, exclusão social, vulnerabilidade, violência doméstica e risco social: as teorias psicológicas
atuais como embasamento e encaminhamento das questões sociais. Estratégias de intervenção profissional com
famílias, crianças, adolescentes, idosos, população em situação de rua, trabalho infantil, exploração sexual, violência
e abuso sexual da criança e do adolescente. Ética Profissional. Metodologia e estratégias em equipe multiprofissional.
Psicologia social comunitária. Psicólogo nas Políticas de Proteção Social. Psicologia Sócio-Histórica. Entrevistas e
Grupos. Tipificação Nacional dos Serviços Socioassistenciais . Norma Operacional Básica do SUAS ­ NOB/SUAS.
Lei Orgânica de Assistência Social (LOAS). Sistema Único de Assistência Social ­ SUAS. Plano Nacional de
Promoção, proteção e defesa dos direitos de crianças e adolescentes à convivência familiar e comunitária. Política
Nacional de Assistência Social. SINASE. Estatuto da Criança e do Adolescente. Estatuto do Idoso. Gestão de
benefícios e Transferência de Renda. Diagnóstico Socioterritorial\ Plano Municipal de Assistência Social.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
BRASIL Capacita SUAS Caderno 1 (2013). Assistência Social: Política de Direitos à Seguridade Social/ III.
DIREITOS SOCIOASSISTENCIAIS, P. 90 a 106. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Centro
de Estudos e Desenvolvimento de Projetos Especiais da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo ­ 1 ed. ­
Brasília:

MDS,

2013.

Disponível

em

http://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Cadernos/CapacitaSUAS_Caderno_1.pdf.

________. Capacita SUAS Caderno 2 (2013). Proteção de Assistência Social: Segurança de acesso a Benefícios
e Serviços de Qualidade/ I. PROTEÇÃO SOCIAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL p. 24 a 46. Ministério do
Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Centro de Estudos e Desenvolvimento de Projetos Especiais da
Pontifícia

Universidade

Católica

de

São

Paulo

­

1

ed.

­

Brasília:

MDS,

2013.

Disponível

em

http://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Cadernos/CapacitaSUAS_Caderno_2.pdf.
_________. Capacita SUAS Caderno 3 (2013). Vigilância Socioassistencial: Garantia do Caráter Público da
Política de Assistência Social / II. INFORMAÇÕES DOS TERRITÓRIOS DE VIVÊNCIA p. 63 a 85. Ministério do
Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Centro de Estudos e Desenvolvimento de Projetos Especiais da
Pontifícia

Universidade

Católica

de

São

Paulo

­

1

ed.

­

Brasília:

MDS,

2013.

Disponível

em

http://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Cadernos/CapacitaSUAS_Caderno_3.pdf.
__________.Lei Nº 8742, de 07 de dezembro de 1993. Dispõe sobre a Organização da Assistência Social ­
LOAS e dá outras providências. Brasília, DF, 1993.
__________. Lei Nº 12.435, de 06 de julho de 2011. Regulamenta o Sistema Único de Assistência Social ­ SUAS
e altera alguns dispositivos da Lei Orgânica de Assistência Social - Lei nº 8742/1993. Brasília, DF: 2011.
__________. Lei Federal no. 8.069, de 13 de julho de 1990, com suas alterações. Estatuto da Criança e do
Adolescente (ECA).
_________. Lei 10.741 de 1 de outubro de 2003. Dispõe sobre o Estatuto do Idoso e dá outras providências.
_________. Lei Nº 12.594, de 18 de janeiro de 2012. Institui o Sistema Nacional de Atendimento Socioeducatico
(SINASE)
Avenida: ALBERTO ANDALÓ, 3030 - Telefone: (17) 3203-1100 - CEP 15015-000 - SÃO JOSÉ DO RIO PRETO- SP

27

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO
ESTADO DE SÃO PAULO

__________. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Política Nacional de Assistência Social ­
PNAS e Norma Operacional Básica do Sistema Único de Assistência Social ­ NOB/SUAS. p. 31 a 59. Brasília,
2004. Disponível em http://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Normativas/PNAS2004.pdf.

__________ Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome - Secretaria Nacional de Assistência Social Departamento de Proteção Social Especial. Orientações Técnicas: Centro de Referência Especializado de
Assistência

Social

-

CREAS.

Brasília,

2011.

Disponível

em

http://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Cadernos/orientacoes_creas.pdf

__________. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Orientações Técnicas - Centro de
Referência

de

Assistência

Social

­

CRAS,

2009.

Disponível

em

http://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Cadernos/orientacoes_Cras.pdf.
__________. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Orientações Técnicas ­ Centro de
Referência Especializado em Assistência Social Para População em Situação de Rua - Centro Pop, 2011.
Disponível

em

http://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Cadernos/orientacoes_centro_pop.pdf.

_________. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome . Plano Nacional de Promoção, Proteção e
defesa de direito de crianças Adolescentes à Convivência Familiar e Comunitária, 2004. Disponível em
http://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Cadernos/Plano_Defesa_CriancasAdolescentes%2
0.pdf.
_________. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Orientações Técnicas sobre PAIF ­ Volume
1 e 2. Disponível em:
http://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Cadernos/Orientacoes_PAIF_1.pdf
http://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Cadernos/Orientacoes_PAIF_2.pdf
_________.Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Perguntas e Respostas do Serviço de
Abordagem

Social.

Disponível

em

http://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Cadernos/Perguntas_Servico_AbordagemSocial.pd
f.
_________. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Programa Bolsa Família ­ O que é: Como
funciona; cadastro em dia; acesso a educação e saúde ­ Gestão do Programa: Fiscalização. Disponível em:
http://mds.gov.br/assuntos/bolsa-familia/o-que-e
http://mds.gov.br/assuntos/bolsa-familia/o-que-e/como-funciona
http://mds.gov.br/assuntos/bolsa-familia/o-que-e/cadastro-em-dia
http://mds.gov.br/assuntos/bolsa-familia/o-que-e/acesso-a-educacao-e-saude
http://mds.gov.br/assuntos/bolsa-familia/gestao-do-programa/fiscalizacao
_________. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Cadastro Único - O que é e para que Serve
quem pode se cadastrar; como se cadastrar; cadastro em dia; programas que atendem aos inscritos.
Disponível em:
http://mds.gov.br/assuntos/cadastro-unico/o-que-e-e-para-que-serve
http://mds.gov.br/assuntos/cadastro-unico/o-que-e-e-para-que-serve/quem-pode-se-cadastrar
http://mds.gov.br/assuntos/cadastro-unico/o-que-e-e-para-que-serve/como-se-cadastrar
Avenida: ALBERTO ANDALÓ, 3030 - Telefone: (17) 3203-1100 - CEP 15015-000 - SÃO JOSÉ DO RIO PRETO- SP

28

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO
ESTADO DE SÃO PAULO

http://mds.gov.br/assuntos/cadastro-unico/o-que-e-e-para-que-serve/cadastro-em-dia
http://mds.gov.br/assuntos/cadastro-unico/o-que-e-e-para-que-serve/programas-e-beneficios
_________. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Benefício de Prestação Continuada ­ BPC.
Disponível em http://www.mds.gov.br/assuntos/assistencia-social/beneficios-assistenciais/bpc.
BLEGER, Jose. Temas de Psicologia: Entrevistas e Grupos. São Paulo: Martins Fontes, 2001.
BOCK, A.M.B. Psicologia Sócio-Histórica: Uma perspectiva Crítica em Psicologia. Cortez,2011.
BOTARELII, A. (2008) O Psicólogo nas Políticas de Proteção Social: uma análise dos sentidos e da práxis.
Tese de Doutorado, Psicologia Social, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.
CAMPOS, R.H.F. (1998). Introdução: a psicologia social comunitária. In:R.H.F.Campos (Org), Psicologia Social
Comunitária: da solidariedade à autonomia (PP. 9-33). Petrópolis, RJ: Vozes.
COUTO. B.R.; YASBEK, M.C.; SILVA, M.O.S.; RAICHELIS, R. O Sistema Único de Assistência Social no Brasil:
uma realidade em movimento. São Paulo: Cortez, 2011.
IAMAMOTO M. V. O Brasil das desigualdades: "questão social", trabalho e relações sociais.
Parâmetros para a atuação de Assistentes Sociais e Psicólogos na Política Nacional de Assistência Social.
CFESS- Conselho Federal de Serviço Social/Conselho Federal de Psicologia, Brasília, 2007.
__________. Resolução n.º 33 do Conselho Nacional de Assistência Social, de 12 de dezembro de 2012. Norma
Operacional

Básica

-

NOB/SUAS.

Brasília,

DF:

2012.

Disponível

em

http://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Normativas/NOBSUAS2012.pdf
__________. Resolução n.º 109, de 25 de novembro de 2009. Tipificação Nacional dos Serviços
Socioassistenciais.

Ministério

de

Desenvolvimento

Social.

Brasília,

DF,

2009.

Disponível

em

http://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Normativas/tipificacao.pdf.
__________. Resolução CFP n.º 010/05. Código de Ética Profissional do Psicólogo, 2014.
SÃO JOSÉ DO RIO PRETO. Secretaria Municipal de Assistência Social de São José do Rio Preto - Plano Municipal
de

Assistência

Social

­

2014

a

2017.

São

José

do

Rio

Preto.

Disponível

em

http://www.riopreto.sp.gov.br/PortalGOV/do/subportais_Show?c=134363.
SAWAIA, Bader (Org). As Artimanhas da Exclusão - Analise Psicossocial e Ética da Desigualdade Social.
Editora: VOZES,2001.

Avenida: ALBERTO ANDALÓ, 3030 - Telefone: (17) 3203-1100 - CEP 15015-000 - SÃO JOSÉ DO RIO PRETO- SP

29

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO
ESTADO DE SÃO PAULO

PERFIL PSICOLÓGICO ­ CARACTERÍSTICAS E DIMENSÕES - ASSISTENTE SOCIAL
REQUISITOS COGNITIVOS E COMPORTAMENTAIS DO CARGO
Comunicação

DIMENSÕES
Boa

Controle emocional

Adequado

Disposição para o trabalho

Adequada

Ética profissional

Boa

Flexibilidade

Adequada

Humanização

Adequada

Iniciativa e Decisão

Adequadas

Negociação

Adequada

Planejamento e Organização

Adequados

Relacionamento Interpessoal

Adequado

Responsabilidade e Comprometimento

Adequados

Sinais Fóbicos

Diminuídos

1) Comunicação ­ Boa
Facilidade para manipular os termos linguísticos na expressão do pensamento, por meio de verbalização clara, expressando-se com desembaraço,
demonstrando habilidade de expressar ideias com lógica e objetividade, sendo eficiente e eficaz na comunicação.
2) Controle emocional ­ Adequado
Capacidade de discriminar estados internos e de administrar a influência que estes têm sobre o pensamento, comportamento e atitudes, possibilitando
uma resposta assertiva em relação às exigências do ambiente.
3) Disposição para o trabalho ­ Adequada
Capacidade de lidar, de maneira produtiva, com tarefas sob sua responsabilidade, participando de maneira construtiva e suportando uma longa
exposição a agentes estressores, sem permitir que causem danos importantes ao organismo, mantendo um bom nível de energia interna durante toda
a jornada de trabalho e, ainda, a interação com o meio de maneira adequada, independente dos danos causados devido às situações conflitantes e
estressantes do trabalho. Energia, resistência, alto potencial para o trabalho, buscando excelência nas tarefas que realiza.
4) Ética profissional ­ Boa
Apresentar atitude de compromisso ético profissional, considerando os objetivos institucionais, coletivos e respeitar as normas e regulamentos na sua
atuação, bem como apresentar propostas de trabalho visando o bem comum para a melhoria da qualidade de vida dos usuários. Assim, demonstrar
preocupação das consequências de sua ação para o grupo como um todo e com a coletividade. Consequentemente, respeitar o código de Ética da
profissão de Assistente Social e o Código de Ética do Servidor Público.
5) Flexibilidade ­ Adequada
Capacidade de se adaptar a diferentes pessoas, situações e as mudanças no ambiente de trabalho, em especial para lidar com as diferenças
individuais. Assim, deve demonstrar aptidão para flexibilizar a sua conduta, estimando e discernindo, dentre as atitudes possíveis para atuação, aquela
que é mais eficiente para solucionar os problemas e exigências com os quais se depara, compreendendo de forma adequada a realidade que o cerca.
6) Humanização ­ Adequada
Capacidade de sensibilizar-se com a equipe de trabalho e usuários na realização das atividades atuando com empatia, respeito e ética mesmo em
situações conflitantes, buscando soluções que visem à promoção da qualidade de vida cognitiva, social e profissional.
7) Iniciativa e Decisão­ Adequadas
Capacidade de empreender uma ação por decisão própria diante das necessidades de tarefas ou situações. As atividades principais do cargo, entre
outras, envolvem administração de conflito e a resolução de problemas que requerem atitudes firmes, ágeis e que demonstrem segurança e domínio
da situação.
8) Negociação ­ Adequada
Capacidade na condução dos trabalhos para obter os recursos e condições necessários para o cumprimento dos objetivos traçados, bem como
habilidade para o envolvimento do próprio usuário com a preservação do seu estado físico e mental. Assim, integrar as diversas instâncias que
envolvem a situação na busca de soluções assertivas para cada situação, com discernimento, receptividade, harmonia e cordialidade no trato com as
pessoas.
9) Planejamento e Organização ­ Adequados
Capacidade de elaborar programa de trabalho, propor ações adequadas, prever recursos necessários, com vistas a atender aos objetivos da área, bem
como prever e utilizar os recursos humanos disponíveis. Além de propor alternativas que possibilitam a redução de custos, racionalização do tempo e
otimização dos recursos existentes.
10) Relacionamento Interpessoal ­ Adequado
Estabelecer um bom nível no trato com as pessoas que permita manter acessível ao diálogo e a perceber-se e reagir adequadamente às
necessidades, sentimentos aos outros, com empatia necessária frente às diferentes situações de maneira a gerir e motivar colegas e usuários,
buscando os melhores resultados, por meio de interação, gerando confiança e proporcionando um ambiente positivo e produtivo.
11) Responsabilidade e Comprometimento ­ Adequados
Apresentar competência para se comportar de maneira sensata e responsável, respondendo pelas consequências dos seus atos e corrigindo se
necessário, bem como respeitar as normas e regras sociais e institucionais. Assim, assumindo compromisso na realização das atribuições, observando
os prazos e buscando qualidade na realização dos trabalhos. Quando for o caso, atuar como agente de mudança.
12) Sinais Fóbicos ­ Diminuídos
A presença de sinais de medo patológico ou irracional com dificuldade para manter o autocontrole indica distanciamento do perfil em tela, pois para o
desenvolvimento de suas atividades é necessário ter atitudes equilibradas.
DIMENSÕES:
BOM ­ acima dos níveis medianos;
ADEQUADO ­ dentro dos níveis medianos;
DIMINUÍDO ­ abaixo dos níveis medianos;
Avenida: ALBERTO ANDALÓ, 3030 - Telefone: (17) 3203-1100 - CEP 15015-000 - SÃO JOSÉ DO RIO PRETO- SP

30

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO
ESTADO DE SÃO PAULO

PERFIL PSICOLÓGICO ­ CARACTERÍSTICAS E DIMENSÕES -PSICÓLOGO
REQUISITOS COGNITIVOS E COMPORTAMENTAIS DO CARGO
Comunicação

DIMENSÕES
Boa

Controle emocional

Adequado

Criatividade

Adequada

Dinamismo

Adequado

Ética Profissional

Boa

Flexibilidade

Adequada

Humanização

Adequada

Planejamento e Organização

Adequados

Proatividade

Adequada

Relacionamento Interpessoal

Adequado

Responsabilidade e Comprometimento

Adequados

Sinais Fóbicos

Diminuídos

1) Comunicação ­ Boa
Facilidade para manipular os termos linguísticos na expressão do pensamento, por meio de verbalização clara, expressando-se com desembaraço,
demonstrando habilidade de expressar ideias com lógica e objetividade, sendo eficiente e eficaz na comunicação.
2) Controle Emocional ­ Adequado
Capacidade de discriminar estados internos e de administrar a influência que estes têm sobre o pensamento, comportamento e atitudes, possibilitando
uma resposta assertiva em relação às exigências do ambiente.
3) Criatividade ­ Adequada
Capacidade para inovar, criar, desenvolver novas ideias e projetos, a partir dos recursos disponíveis que resultem em contribuições efetivas.
Habilidade para extrair conclusões e soluções da própria experiência anterior e da vivência interna, apresentando soluções novas de forma a buscar
alternativas mais efetiva de realizar ações e atingir objetivos. Assim, utilizando-se de suas condições intelectuais e emocionais para a resolução
adequada da situação.
4) Dinamismo ­ Adequado
É a reunião das forças que estimulam, movimentam ou animam e agilizam, facilitando o conhecimento sobre sua área de atuação, de sua equipe e dos
usuários de forma empreendedora e construtiva, alcançando assim excelência nas atividades sob sua responsabilidade.
5) Ética Profissional ­ Boa
Apresentar atitude de compromisso ético profissional, considerando os objetivos institucionais, coletivos e respeitar as normas e regulamentos na sua
atuação, bem como apresentar propostas de trabalho visando o bem comum para a melhoria da qualidade de vida dos usuários. Assim, demonstrar
cuidados com as consequências de sua ação para a coletividade. Consequentemente, respeitar o código de Ética da profissão de Psicólogo e o
Código de Ética do Servidor Público.
6) Flexibilidade ­ Adequada
Capacidade de se adaptar a diferentes pessoas, situações e as mudanças no ambiente de trabalho, em especial para lidar com as diferenças
individuais. Assim, deve demonstrar aptidão para flexibilizar a sua conduta, estimando, dentre as atitudes possíveis para atuação, aquela que é mais
eficiente para solucionar os problemas e exigências com os quais se depara, compreendendo de forma adequada a realidade que o cerca.
7) Humanização ­ Adequada
Capacidade de sensibilizar-se com a equipe de trabalho e usuários na realização das atividades atuando com empatia, respeito e ética mesmo em
situações conflitantes, buscando soluções que visem à promoção da qualidade de vida cognitiva e profissional.
8) Planejamento e Organização ­ Adequados
Capacidade de elaborar programa de trabalho, propor ações adequadas, prever recursos necessários, com vistas a atender aos objetivos da área, bem
como prever e utilizar os recursos humanos e materiais disponíveis e sugerir alternativas que possibilitem atingir os objetivos da área, reduzindo os
custos e racionalizando o tempo.
9) Proatividade ­ Adequada
É o comportamento de antecipação e responsabilização pelas próprias escolhas e ações frente às situações impostas pelo meio. As atividades
principais, entre outras, envolvem administração de conflito e a resolução de problema, que requerem atitudes firmes, ágeis e que demonstrem
segurança e domínio da situação.
10) Relacionamento Interpessoal ­ Adequado
Estabelecer um bom nível no trato com as pessoas que permita manter acessível ao diálogo e a perceber-se e reagir adequadamente às
necessidades, sentimentos aos outros, com empatia necessária frente às diferentes situações de maneira a gerir e motivar colegas e usuários,
buscando os melhores resultados, por meio de interação, gerando confiança e proporcionando um ambiente positivo e produtivo.
11)Responsabilidade e Comprometimento ­ Adequados
Apresentar competência para se comportar de maneira sensata e responsável, respondendo pelas consequências dos seus atos e corrigindo se
necessário, bem como respeitar as normas e regras sociais e institucionais. Assim, assumindo compromisso na realização das atribuições, observando
os prazos e buscando qualidade na realização dos trabalhos. Quando for o caso, atuar como agente de mudança.
12)Sinais Fóbicos ­ Diminuídos
A presença de sinais de medo patológico ou irracional com dificuldade para manter o autocontrole indica distanciamento do perfil em tela, pois para o
desenvolvimento de suas atividades é necessário ter atitudes equilibradas.
DIMENSÕES:
BOM ­ acima dos níveis medianos;
ADEQUADO ­ dentro dos níveis medianos;
DIMINUÍDO ­ abaixo dos níveis medianos;
Avenida: ALBERTO ANDALÓ, 3030 - Telefone: (17) 3203-1100 - CEP 15015-000 - SÃO JOSÉ DO RIO PRETO- SP

31

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO
ESTADO DE SÃO PAULO

PERFIL PSICOLÓGICO ­ CARACTERÍSTICAS E DIMENSÕES
EDUCADOR SOCIAL
REQUISITOS COGNITIVOS E COMPORTAMENTAIS DO
CARGO
Autocrítica
Ansiedade

DIMENSÕES
Adequada
Adequada

Atenção

Boa

Comunicação

Adequada

Controle Emocional

Bom

Flexibilidade de Conduta

Adequada

Organização

Adequada

Relacionamento Interpessoal
Sinais Fóbicos

Bom
Diminuídos

1) Autocrítica ­ Adequada
Apresentar autocrítica adequada que contribua com o seu desempenho e desenvolvimento profissional, bem como respeito às
normas, à hierarquia e às regras em vigor.
2) Ansiedade ­ Adequada
O nível de ansiedade deve manter-se sobre controle ou ser utilizado para estimular ações preventivas e/ou atitudes combativas, de
forma assertiva e com ponderação, em situações inesperadas e de conflitos. Assim é esperado que administre o seu nível de
ansiedade adequadamente no ambiente interno e externo de trabalho, para que não prejudique sua integridade física e mental, bem
como do usuário e equipe de trabalho. Desta forma mantendo o nível de impulsividade e precipitação adequados.
3) Atenção ­ Boa
Trata da capacidade e o esforço realizado para focalizar, selecionar, dividir e alternar, processando estímulos do meio ambiente em
detrimento de outros. Dessa forma, o indivíduo tornar-se capaz de utilizar seus recursos cognitivos para emitir respostas rápidas e
adequadas diante de estímulos que julgue importantes.
4) Comunicação ­ Adequada
Facilidade para manipular os termos linguísticos na expressão do pensamento, através da verbalização clara, expressando-se com
desembaraço, demonstrando habilidade de expressar ideias com lógica e objetividade, sendo eficiente e eficaz na comunicação.
5) Controle Emocional - Bom
Capacidade de conhecimento que temos dos nossos estados internos e da influência que estes têm sobre o nosso pensamento,
comportamento e atitudes, possibilitando uma atitude de condução assertiva frente às situações de pressões, demonstrando
discernimento e equilíbrio emocional.
6) Flexibilidade de Conduta ­ Adequada
Capacidade de se adaptar a diferentes pessoas, situações e às mudanças no ambiente de trabalho, em especial para lidar com as
diferenças individuais. Assim, deve demonstrar capacidade para flexibilizar sua conduta, estimando, dentre as atitudes possíveis para
atuação, àquela que é mais eficiente para solucionar os problemas e exigências com os quais se depara, compreendendo de forma
adequada a realidade que o cerca.
7) Organização - Adequada
Habilidade em utilizar métodos de trabalho de forma a aproveitar, racionalmente, o tempo, as condições e os recursos disponíveis,
com compromisso e responsabilidade na execução das atividades. Espera-se também que para o desenvolvimento das tarefas
rotineiras e básicas não seja necessário consultas e orientações frequentes.
8) Relacionamento Interpessoal ­ Bom
Estabelecer um bom nível no trato com as pessoas, que o permita manter acessível ao diálogo e aperceber-se e reagir
adequadamente às necessidades, sentimentos aos outros, com empatia necessária frente às diferentes situações. Assim é
fundamental a habilidade no relacionamento para o desenvolvimento do trabalho em equipe e usuários, buscando os melhores
resultados, por meio de interação, gerando confiança, proporcionando um ambiente positivo e produtivo.
9) Sinais Fóbicos ­ Diminuídos
A presença de sinais de medo patológico ou irracional com dificuldade para manter o autocontrole indica distanciamento do perfil em
tela, sendo necessária para o desenvolvimento de suas atividades ter atitudes equilibradas.
DIMENSÕES:
BOM ­ acima dos níveis medianos;
ADEQUADO ­ dentro dos níveis medianos;
DIMINUÍDO ­ abaixo dos níveis medianos;
Avenida: ALBERTO ANDALÓ, 3030 - Telefone: (17) 3203-1100 - CEP 15015-000 - SÃO JOSÉ DO RIO PRETO- SP

32