CONCURSO PÚBLICO DE INGRESSO PARA PROVIMENTO DE CARGOS VAGOS DE
PROFESSOR DE EDUCAÇÃO INFANTIL E ENSINO FUNDAMENTAL I
EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES
A Secretaria Municipal de Planejamento, Orçamento e Gestão ­ SEMPLA e a Secretaria Municipal de Educação ­
SME, da Prefeitura do Município de São Paulo ­ PMSP, nos termos da Lei 8.989, de 29 de outubro de 1979, Lei
11.229, de 26 de junho de 1992, Lei 11.434, de 12 de novembro de 1993, Lei 12.396, de 02 de julho de 1997, Lei
13.168, de 06 de julho de 2001, Lei 13.398, de 31 de julho de 2002, Lei 13.757, de 16 de janeiro de 2004, Lei
13.758, de 16 de janeiro de 2004 e Lei nº 14.660, de 26 de dezembro de 2007 Lei 14.715 de 8 de abril de 2008 ,
fazem saber que realizarão em local(is), data(s) e horário(s), a serem oportunamente divulgados, Concurso
Público de Ingresso para provimento, em caráter efetivo, de cargos vagos de Professor de Educação Infantil e
Ensino Fundamental I ­ QPE-11A da Classe dos Docentes da Carreira do Magistério Municipal, conforme
autorização do Excelentíssimo Senhor Prefeito do Município de São Paulo, no processo nº. 2014-0.007.486-6,
Concurso este que será regido pelas presentes Instruções Especiais e Anexos I, II, III, IV, V, VI, e VII, que
constituem parte integrante deste Edital para todos os efeitos.
INSTRUÇÕES ESPECIAIS
1 ­ DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES
1.1. O Concurso Público destina-se ao provimento de vagas, pelo Regime Estatutário, nos cargos atualmente
vagos, dentro do prazo de validade de 2 (dois) anos, prorrogável por mais 2 (dois) anos, a contar da data da
homologação do certame, a critério da Prefeitura do Município de São Paulo ­ PMSP.
1.1.1. Todo o processo de execução deste Concurso Público, com as informações pertinentes, estará disponível no
endereço eletrônico do IBFC (www.ibfc.org.br).
1.1.2. Todos os atos oficiais relativos ao Concurso Público serão publicados no Diário Oficial da Cidade de São
Paulo ­ DOC (www.docidadesp.imprensaoficial.com.br/) e no endereço eletrônico do IBFC (www.ibfc.org.br).
1.2. A escolaridade, o valor da taxa de inscrição, o código do cargo, o cargo, o número de cargos vagos, as vagas
para pessoas portadoras de deficiência, vagas para Negros, Negras ou Afrodescendentes a remuneração inicial do
cargo, a carga horária semanal e a Escolaridade/Pré-Requisitos (a serem comprovados no ato da posse) são os
estabelecidos na Tabela I, especificada abaixo.
TABELA I

Cargo

Professor de
Educação Infantil e
Ensino Fundamental I

Total
(1)

3.514

VALOR DA TAXA DE INSCRIÇÃO ­ R$55,00
Nº de Cargos Vagos
Remuneração Carga
inicial da
horária
Vagas para
Vagas para NNA (3)
carreira
semanal
DF (2)

176

703

R$ 1.631,04
e demais
vantagens

30
horas

Escolaridade/Pré-Requisitos
(a serem comprovados no ato da
posse)
- Habilitação Específica para o
Magistério, correspondente ao Ensino
Médio; ou
- Licenciatura Plena em Pedagogia; ou
- Curso Normal Superior

Legenda:
(1) Total de Cargos Vagos (incluindo-se a reserva para Pessoas Portadoras de Deficiência e NNA)
(2) Reserva de Cargos Vagos para Candidatos, se declararem pessoas portadoras de deficiência em
atendimento à Lei Municipal nº 13.398/2002.
(3) NNA - Reserva de Cargos Vagos para Candidatos Negros, Negras ou Afrodescendentes, em atendimento à
Lei Municipal nº 15.939/2013.
1.3. A síntese das atribuições do cargo de Professor de Educação Infantil e Ensino Fundamental I estão contidas
no Anexo I.
1.4. A remuneração mensal inicial do cargo é de R$ 1.631,04, tendo como referência o mês de maio de 2014,
sendo composta:
a) pelo vencimento do padrão QPE-11A, no valor de R$ 1.631,04 (Um mil seiscentos e trinta e um reais e quatro
centavos) e demais vantagens;
b) a jornada de trabalho será de 30 (trinta) horas aula semanais.
1.5. O candidato, ao ingressar no cargo, ficará sujeito ao estágio probatório no período de 3 (três) anos de efetivo
exercício, podendo ser exonerado, a qualquer momento nesse período, na conformidade do regulamento

específico.
1.6. A Prefeitura do Município de São Paulo - PMSP reserva-se o direito de proceder às nomeações em número
que atenda ao interesse e às necessidades do serviço, de acordo com a disponibilidade orçamentária.
1.7. Todas as etapas constantes neste Edital serão realizadas observando-se o horário oficial de Brasília/DF.
1.8. O concurso Público de que trata este Edital será de Provas e Títulos e será realizado em duas etapas:
a) Primeira Etapa: será constituída de Prova Objetiva de Múltipla Escolha e Prova Dissertativa, de caráter
eliminatório e classificatório;
b) Segunda Etapa: será constituída de Avaliação de Títulos, de caráter classificatório.
2 ­ DOS REQUISITOS BÁSICOS EXIGIDOS
2.1. Os requisitos básicos para o ingresso nos cargos são os especificados a seguir:
2.1.1. Cumprir na íntegra as determinações previstas no Edital de Abertura do Concurso Público;
2.1.2. Ter sido aprovado e classificado no presente Concurso Público;
2.1.3. Ter nacionalidade brasileira ou portuguesa, amparada pelo Estatuto da Igualdade entre Brasileiros e
Portugueses, conforme disposto nos termos do parágrafo 1º, artigo 12, da Constituição Federal, e do Decreto
Federal nº 72.436/72, e estrangeiro conforme disposto na Lei nº 13.404/02 e no Decreto nº 42.813/03;
2.1.4. Ter, na data da posse, idade igual ou superior a 18 (dezoito) anos;
2.1.5. Para os candidatos do sexo masculino, estar em dia com o Serviço Militar;
2.1.6. Estar quite com a Justiça Eleitoral;
2.1.7. Ter aptidão física e mental, e não apresentar deficiência que o incapacite para o exercício das funções do
cargo para o qual se inscreveu;
2.1.8. Atender os pré-requisitos do Decreto nº 53.177/12;
2.1.9. Encontrar-se em pleno exercício de seus direitos civis e políticos;
2.1.10. Possuir no ato da posse os documentos comprobatórios dos Capítulos 2 e 15 constantes do deste Edital.
2.2. O candidato que, na data da posse, não reunir os requisitos mencionados neste Capítulo perderá o direito à
investidura no cargo.
2.3. No ato da inscrição não serão solicitados comprovantes das exigências contidas neste Capítulo, devendo o
candidato, se aprovado, satisfazê-las no ato da posse.
3 ­ DAS INSCRIÇÕES
3.1. A inscrição do candidato implicará o conhecimento e a aceitação tácita das normas e condições do Concurso,
tais como se acham estabelecidas neste Edital, bem como em eventuais aditamentos, comunicados e instruções
específicas para a realização do certame, em relação às quais não poderá alegar desconhecimento.
3.1.1. Objetivando evitar ônus desnecessário, o candidato deverá orientar-se no sentido de recolher o valor de
inscrição somente após tomar conhecimento de todos os requisitos e condições exigidos para o Concurso.
3.1.2. São de exclusiva responsabilidade do candidato, sob as penas da lei, as informações fornecidas no ato da
inscrição efetuada via Internet e também em posto de inscrição (somente para os candidatos que se declararem
pessoas portadoras de deficiência).
3.1.3. As inscrições efetuadas em desacordo com as disposições deste Edital serão indeferidas.
3.2. As inscrições para este Concurso Público serão realizadas exclusivamente pela Internet, no endereço
eletrônico do IBFC (www.ibfc.org.br), no período das 0h00 do dia 03 de junho de 2014 às 23h59min do dia 19 de
junho de 2014, observado o horário de Brasília.
3.2.1. Para candidatos que se declararem pessoas portadoras de deficiência, as inscrições poderão ser efetuadas
também no Posto do IBFC em funcionamento nos horários das 10 às 16 horas exceto sábado, domingo e feriados,
no seguinte local: EE PRESIDENTE ROOSEVELT - Endereço - Rua São Joaquim, 320 - Liberdade - 01508.000/São
Paulo-SP (Próx. Metro São Joaquim)
3.2.2. O candidato deverá preencher o Formulário de Inscrição disponível no site do IBFC (www.ibfc.org.br),
sendo de fundamental importância que o candidato preencha de forma correta e completa, o número de seu
Registro Geral (RG), Cadastro de Pessoa Física (CPF) e o número do Registro Funcional (RF), com 7 dígitos, e o
número do VÍNCULO, com 2 (dois) dígitos (no caso de servidor ou ex-servidor da PMSP ­ Administração Direta),
para fins de nomeação.
3.2.2.1. O candidato servidor da Administração Direta da Prefeitura do Município de São Paulo ­ PMSP poderá
confirmar o número de seu Registro Funcional e o número do Vínculo constante no último holerite ou junto à
Unidade de Recursos Humanos à qual pertence.

3.2.2.2. Antes de efetuar a inscrição, o candidato ex-servidor da Administração Direta da Prefeitura do Município
de São Paulo ­ PMSP poderá obter ou confirmar o número de seu Registro Funcional e o número do Vínculo junto
à Seção Técnica de Atendimento do Departamento de Recursos Humanos ­ DERH, da Secretaria Municipal de
Planejamento Orçamento e Gestão ­ SEMPLA, das 10h00 às 16h00, situada na Galeria Prestes Maia - Piso Térreo,
s/nº - Centro.
3.2.2.3. Em conformidade com o Decreto nº 51.180, de 14 de janeiro de 2010, o candidato travesti ou transexual
poderá solicitar a inclusão e uso do "nome social" para tratamento, mediante o preenchimento de requerimento
disponível no site do IBFC (www.ibfc.org.br) no ato da inscrição.
3.2.2.3.1. Em obediência ao § 3º do Decreto nº 51.180/2010, quando da publicação no Diário Oficial da Cidade de
São Paulo ­ DOC, será considerado o nome civil das pessoas travestis e transexuais.
3.2.2.4. O candidato que exerceu efetivamente a função de jurado no período entre a data de publicação da Lei
nº. 11.689/08, poderá solicitar no ato da inscrição esta opção para critério de desempate, devendo encaminhar
obrigatoriamente:
a) Cópia do comprovante de inscrição ou isenção;
b) Certidão comprobatória que exerceu efetivamente a função de jurado.
3.2.2.4.1. Os documentos previstos no subitem 3.2.2.4 alíneas "a" e "b", deverão ser encaminhados em envelope
contendo a referência "Concurso Professor/PMSP - Jurados" via SEDEX ou correspondência com registro de Aviso
de Recebimento (AR), ou entregar pessoalmente ao IBFC, Rua Waldomiro Gabriel de Mello, 86 - Chácara Agrindus
- Taboão da Serra ­ SP ­ CEP: 06763-020, com data de postagem ou entrega até o dia 20 de junho de 2014.
3.2.2.5. Os candidatos que não atenderem aos dispositivos mencionados nos itens 3.2.2.4 e 3.2.2.4.1 não serão
considerados como jurados para critério de desempate.
3.2.3. O candidato deverá pagar a importância de R$ 55,00 (cinquenta e cinco reais), a título de ressarcimento de
custos com material e serviços prestados pelo IBFC.
3.2.4. Após a confirmação da inscrição, que ocorrerá ao término da operação, o candidato deverá imprimir o
boleto bancário para efetuar o pagamento da taxa de inscrição, até o dia do vencimento impresso no boleto, em
qualquer agência bancária.
3.2.5. O candidato que não efetuar o pagamento de sua inscrição, até a data de vencimento constante do seu
boleto, poderá utilizar a opção de imprimir a 2ª via do boleto até o dia subsequente ao término da inscrição. O
candidato que não efetuar o pagamento da inscrição até o dia imediatamente subsequente ao término da
inscrição, ficará impossibilitado de participar do concurso.
3.2.5.1. Encerrado o prazo de inscrição e esgotados todos os prazos permitidos para pagamento, impressos nos
boletos, mesmo tendo o candidato realizado o pagamento da inscrição, este ficará impossibilitado de participar
do concurso.
3.2.6. Não serão aceitas inscrições pagas por depósito em caixa eletrônico, via postal, fac-símile, transferência ou
depósito em conta corrente, DOC, ordem de pagamento, agendamento, fora do período estabelecido,
condicionais e/ou extemporâneas ou por quaisquer outras vias que não as especificadas neste Edital.
3.2.7. As inscrições somente serão acatadas após a comprovação do pagamento do valor da taxa de inscrição na
rede bancária.
3.2.8. Em caso de feriado ou evento que acarrete o fechamento de agências bancárias na localidade em que se
encontra o candidato, o boleto deverá ser pago no 1° (primeiro) dia útil subsequente.
3.2.9. Não será aceito o pedido de devolução do pagamento do valor da inscrição ainda que superior ou em
duplicidade.
3.2.10. A partir de 04 de julho de 2014, o candidato deverá conferir no endereço eletrônico do IBFC
(www.ibfc.org.br) se os dados da inscrição foram recebidos e o valor da inscrição foi pago. Em caso negativo, o
candidato deverá entrar em contato com o Serviço de Atendimento ao Candidato ­ SAC do IBFC (11) 4788.1430,
das 9h às 17 horas (horário de Brasília), exceto domingos e feriados, para verificar o ocorrido.
3.2.11. O candidato inscrito via Internet não deverá enviar cópia do documento de identidade, sendo de sua
exclusiva responsabilidade a informação dos dados cadastrais no ato de inscrição, sob as penas da lei.
3.2.12. O IBFC e a Prefeitura do Município de São Paulo ­ PMSP não se responsabilizam por solicitações de
inscrições via Internet não recebidas por motivo de ordem técnica dos computadores, falhas de comunicação,
congestionamento das linhas de comunicação, falta de energia elétrica, bem como outros fatores de ordem
técnica que impossibilitem a transferência de dados.
3.2.13. O descumprimento das instruções para inscrição, contidas neste Edital, implicará a não efetivação da
inscrição.
3.2.14. O candidato que não tiver acesso à Internet poderá efetivar sua inscrição por meio dos serviços públicos
com acesso a Internet.
3.2.14.1. Os endereços dos Infocentros do Programa Acessa São Paulo estão relacionados no site
www.acessasp.sp.gov.br.
3.3. Os horários de aplicação serão divulgados quando da publicação do Edital de Convocação para Provas por
meio do Diário Oficial da Cidade de São Paulo­DOC (www.docidadesp.imprensaoficial.com.br/)

3.4. Ao candidato será atribuída total responsabilidade pelo correto preenchimento do Formulário de Inscrição.
3.4.1. O candidato inscrito por terceiro assume total responsabilidade pelas informações prestadas por seu
representante, arcando com as consequências de eventuais erros no preenchimento do requerimento de
inscrição disponível pela via eletrônica.
3.4.2. As informações prestadas no Formulário de Inscrição serão de inteira responsabilidade do candidato,
reservando-se à Prefeitura do Município de São Paulo ­ PMSP e o IBFC o direito de excluir do Concurso Público
aquele que não preencher esse documento oficial de forma completa, correta e/ou fornecer dados inverídicos ou
falsos.
3.5. Não serão aceitas as solicitações de inscrição que não atenderem rigorosamente ao estabelecido neste Edital.
3.6. O deferimento da inscrição dependerá do correto e completo preenchimento do Formulário de Inscrição.
3.7. No ato da inscrição não serão solicitados comprovantes das exigências contidas no Capítulo 2 deste Edital, no
entanto, o candidato que não as satisfizer no ato da posse, mesmo que tenha sido aprovado, será
automaticamente eliminado do Concurso.
3.8. A qualquer tempo, poder-se-á anular a inscrição, prova ou nomeação do candidato desde que sejam
identificadas falsidades de declarações ou irregularidades nas provas ou documentos.
3.9. O candidato não portador de deficiência que necessitar de atendimento especial para realização das provas
deverá atender as especificações contidas no subitem 7.2.
3.10. A lactante que necessitar amamentar durante a realização das provas, poderá fazê-lo em sala reservada
para tanto, desde que o requeira, observando os procedimentos estabelecidos no subitem 7.1.
3.11. Ficam inscritos de ofício os profissionais docentes, titulares dos cargos criados pela Lei nº 8.694 de 31 de
março de 1978, estáveis e não estáveis.
3.11.1. A inscrição de ofício darse-á no concurso correspondente ao cargo a que se refere a Lei nº 8.694/1978.
3.11.2. O inscrito de ofício que não efetuar o pagamento da importância referente ao valor da referida inscrição,
conforme especificado item 3.2.3 dentro do prazo regulamentar, terá sua inscrição impedida não cabendo, neste
caso, interposição de recurso, o que implicará a sua eliminação do concurso.
3.12. As informações prestadas no formulário de inscrição on-line são de inteira responsabilidade do candidato,
ainda que feitas com o auxílio de terceiros, cabendo ao IBFC o direito de excluir do Concurso Público aquele que
preencher o formulário com dados incorretos, bem como aquele que prestar informações inverídicas, ainda que o
fato seja constatado posteriormente.
3.13. O Edital de Convocação, que constará a relação dos candidatos que realizarão as provas, será divulgado no
endereço eletrônico do IBFC (www.ibfc.org.br) e no Diário Oficial da Cidade de São Paulo ­ DOC
(www.docidadesp.imprensaoficial.com.br/) na data provável de 22 de Julho de 2014.
4 ­ DA SOLICITAÇÃO DE ISENÇÃO
4.1. Os candidatos amparados pelo Decreto Municipal nº 51.446, de 28 de abril de 2010, que comprove possuir
renda familiar "per capita" igual ou inferior ao menor piso salarial vigente no Estado de São Paulo, instituído pela
Lei Estadual nº 12.640, de 11 de julho de 2007, revalorizada pela Lei Estadual nº 14.945, de 14 de janeiro de 2013,
poderão requerer isenção do pagamento do valor de inscrição, exclusivamente, no período das 0h00 do dia 03 de
junho de 2014 às 23h59min do dia 05 de junho de 2014, observado o horário de Brasília.
4.1.1. O requerimento de isenção do pagamento do valor de inscrição estará disponível para preenchimento no
endereço eletrônico do IBFC (www.ibfc.org.br) no período constante do item 4.1 deste Edital.
4.2. Considera-se renda familiar a soma dos rendimentos brutos auferidos por todos os membros da família e
renda familiar "per capita" a divisão da renda familiar pelo total de indivíduos da família.
4.3. Terá o direito à isenção do pagamento do valor da inscrição o cidadão que cumulativamente:
4.3.1. Preencher o requerimento de isenção do pagamento do valor da inscrição; e
4.3.2. Comprovar ausência de condições financeiras para arcar com o valor da inscrição, que consistirá em
declaração firmada pelo candidato, sob as penas da lei, de que se enquadra nas exigências previstas no item 4.1
deste Capítulo.
4.4. Para requerer a isenção do pagamento do valor de inscrição, o candidato deverá encaminhar
obrigatoriamente:
a) Cópia do comprovante de solicitação de isenção realizado através do endereço eletrônico do IBFC
(www.ibfc.org.br);
b) Declaração de Comprovação de Renda Familiar (Anexo III) contendo todos os dados;
4.5. Os documentos previstos no subitem 4.4 alíneas "a" e "b", deverão ser encaminhados em envelope contendo
a referência "Concurso Professor/PMSP - Solicitação de Isenção" e ser encaminhado via SEDEX , ou entregar

pessoalmente ao IBFC, Rua Waldomiro Gabriel de Mello, 86 - Chácara Agrindus - Taboão da Serra ­ SP ­ CEP:
06763-020, com data de postagem ou entrega até o dia 06 de junho de 2014.
4.5.1. Encerrado o prazo de postagem e entrega dos documentos, não será permitida a complementação da
documentação.
4.5.2. A comprovação da tempestividade do requerimento de isenção do pagamento do valor de inscrição será
feita pelo registro da data de postagem e protocolo de entrega.
4.6. Não será concedida isenção de pagamento do valor de inscrição ao candidato que:
a) deixar de efetuar o requerimento pela Internet;
b) encaminhar documentos sem efetuar o requerimento pela Internet;
c) solicitar a isenção, sem apresentar cópia dos documentos previstos;
d) omitir informações e/ou torná-las inverídicas;
e) fraudar e/ou falsificar documento;
f) não observar o período de postagem ou entrega dos documentos.
4.7. A declaração falsa sujeitará o candidato às sanções previstas em lei, aplicando-se, ainda, o disposto no
parágrafo único do art. 10 do Decreto Federal n°. 83.936, de 6 de setembro de 1979.
4.7.1. A qualquer tempo poderão ser realizadas diligências relativas à situação declarada pelo candidato,
deferindo ou não seu pedido.
4.8. A partir do dia 11 de junho de 2014, o candidato deverá verificar no Diário Oficial da Cidade de São Paulo ­
DOC (www.docidadesp.imprensaoficial.com.br/) e no endereço eletrônico do IBFC (www.ibfc.org.br) os
resultados da análise dos requerimentos de isenção do pagamento da inscrição.
4.8.1. O candidato que tiver sua solicitação de isenção deferida terá sua inscrição efetivada automaticamente no
concurso.
4.8.2. O candidato que tiver seu requerimento de isenção de pagamento do valor da inscrição indeferido poderá
apresentar recurso de acordo com o item 14.1 alínea "a", após a publicação no Diário Oficial da Cidade de São
Paulo ­ DOC (www.docidadesp.imprensaoficial.com.br/) da relação das isenções indeferidas.
4.8.3. Após a análise dos recursos será divulgado no Diário Oficial da Cidade de São Paulo ­ DOC
(www.docidadesp.imprensaoficial.com.br/) e no site do IBFC (www.ibfc.org.br) a relação dos requerimentos
deferidos e indeferidos.
4.8.4. Os candidatos que tiverem seus pedidos de isenção do pagamento do valor de inscrição indeferidos e que
mantiverem interesse em participar do certame deverão efetuar sua inscrição, observando os procedimentos
previstos no capítulo 3 deste Edital.
4.9. Verificado, a qualquer tempo, o recebimento de inscrição que não atenda a todos os requisitos fixados, será
ela cancelada.
4.10. Não será aceita solicitação de isenção do pagamento de valor de inscrição via fac-símile (fax), via correio
eletrônico ou qualquer outra forma que não seja prevista neste Edital.
4.11. As informações prestadas no formulário de inscrição de isenção on-line são de inteira responsabilidade do
candidato, ainda que feitas com o auxílio de terceiros, cabendo ao IBFC o direito de excluir do Concurso Público
aquele que preencher o formulário com dados incorretos, bem como aquele que prestar informações inverídicas,
ainda que o fato seja constatado posteriormente.
5 ­ DA INSCRIÇÃO PARA PESSOAS PORTADORAS DE DEFICIÊNCIA ­ Lei Municipal nº 13.398/2002
5.1. O candidato que se declarar portador de deficiência deverá tomar conhecimento da síntese das atribuições
do cargo para o qual pretende se inscrever, constante do Anexo I deste Edital, da Lei Municipal nº 13.398/2002 e
Decreto nº 23.269/87. Julgando-se amparado pelas disposições legais, poderá concorrer, sob sua inteira
responsabilidade, aos cargos vagos reservados aos candidatos portadores de deficiência, nos termos do item 1.2
deste Edital, desde que atenda aos requisitos relacionados no item 2.1, podendo efetivar a sua inscrição
conforme as instruções do Capítulo 3 deste Edital.
5.1.1. O candidato deverá preencher CORRETA e COMPLETAMENTE o Formulário de Inscrição e declarar o(s)
tipo(s) de deficiência(s) de que é portador.
5.2. Uma vez deferidas as inscrições, fica proibida qualquer inclusão ou exclusão de candidato, na relação de
candidatos inscritos como portadores de deficiência.
5.3. O candidato inscrito como portador de deficiência participará do Concurso em igualdade de condições com
os demais candidatos, no que se refere ao conteúdo, avaliação, critérios de aprovação, horário, local de aplicação
das provas e à nota mínima exigida.
5.3.1. O atendimento às condições solicitadas ficará sujeito à análise de viabilidade e razoabilidade do pedido.
5.4. O candidato portador de deficiência para assegurar a concorrência às vagas reservadas, bem como o
atendimento diferenciado durante a prova, deverá encaminhar, até o dia 20 de junho de 2014, em envelope
contendo a referência "Concurso Professor/PMSP ­ Portadores de Deficiência", via SEDEX ou correspondência

com Aviso de Recebimento (AR), ao IBFC, localizado à Rua Waldomiro Gabriel de Mello, 86 - Chácara Agrindus Taboão da Serra ­ SP ­ CEP: 06763-020 ou entregar pessoalmente ou por meio de procurador no posto do IBFC,
em funcionamento das 10 às 16horas exceto sábado, domingo e feriados nos seguinte endereço : EE PRESIDENTE
ROOSEVELT - Endereço - Rua São Joaquim, 320 - Liberdade - 01508.000/São Paulo-SP (Próx. Metro São
Joaquim).
a) Laudo Médico (original ou cópia autenticada) expedido no prazo máximo de 1 (um) ano antes do término das
inscrições, atestando a espécie e o grau ou nível de deficiência, com expressa referência ao código
correspondente da Classificação Internacional de Doença ­ CID, bem como a provável causa da deficiência. O
Laudo Médico deverá conter o nome e o documento de identidade (RG) do candidato, a assinatura, carimbo e
CRM do profissional e deverá especificar que o candidato é Portador de Deficiência.
b) Cópia do comprovante de inscrição para identificação do candidato;
c) Requerimento de condições especiais (Anexo VI) devidamente preenchido e assinado, para assegurar previsão
de adaptação da sua prova, quando for os casos abaixo:
c1) O candidato portador de deficiência visual, além do envio da documentação indicada na alínea "a" deste
item, deverá solicitar, por escrito, até o término das inscrições, a confecção de prova especial em Braille ou
Ampliada, Software de Leitura de Tela ou a necessidade de leitura de sua prova, especificando o tipo de
deficiência.
c2) O candidato com deficiência auditiva, que necessitar do atendimento do Intérprete de Língua Brasileira de
Sinais, além do envio da documentação indicada na letra "a" deste item, deverá encaminhar solicitação por
escrito, até o término das inscrições.
c3) O candidato portador de deficiência que necessitar de tempo adicional para realização das provas, além do
envio da documentação indicada na alínea "a" deste item, deverá encaminhar solicitação, por escrito, até o
término das inscrições, com justificativa acompanhada de parecer emitido por especialista da área de sua
deficiência.
5.4.1. A Prefeitura do Município de São Paulo ­ PMSP e o IBFC não se responsabilizam pelo extravio dos
documentos enviados via Sedex ou Carta Registrada com Aviso de Recebimento (AR).
5.4.2. Aos deficientes visuais (cegos) que solicitarem prova especial em Braille, serão oferecidas provas nesse
sistema.
5.4.2.1. Os referidos candidatos deverão levar para esse fim, no dia da aplicação da prova, reglete e punção,
podendo, ainda, utilizar-se de soroban.
5.4.3. Aos deficientes visuais (baixa visão) que solicitarem prova especial ampliada serão oferecidas provas nesse
sistema.
5.4.3.1. Aos deficientes visuais (amblíopes) que solicitarem prova especial ampliada serão oferecidas provas neste
sistema, com tamanho de letra correspondente a corpo 24, desde que solicitadas.
5.4.4. Os candidatos com deficiência visual (cegos ou baixa visão), poderão solicitar atendimento especial através
de um dos recursos abaixo:
a) Jaws (leitor de Tela), ou;
b) Prova em Braille, ou;
c) Auxílio na transcrição ou fiscal ledor.
5.5. Os candidatos que, dentro do prazo do período das inscrições, não atenderem aos dispositivos mencionados
no item 5.4 e seus subitens não serão considerados como não portadores de deficiência e não terão a prova e/ou
condições especiais atendidas, seja qual for o motivo alegado.
5.5.1. No ato da inscrição o candidato portador de deficiência deverá declarar estar ciente das atribuições do
cargo para o qual pretende se inscrever.
5.6. O candidato ao se inscrever como portador de deficiência deverá declarar, quando da inscrição, se deseja
concorrer aos cargos vagos reservados aos portadores de deficiência.
5.7. O candidato portador de deficiência que não realizar a inscrição conforme instruções constantes deste
Capítulo não poderá alegar a referida condição em seu benefício e não poderá impetrar recurso em favor de sua
condição.
5.8. O candidato aprovado nos termos do Capítulo 12 e que atenda o Capítulo 15 deste Edital, inscrito nos termos
da Lei 13.398/2002, além das exigências pertinentes aos demais candidatos, sujeitar-se-á, por ocasião do
ingresso, a exame médico específico e à avaliação para verificação da compatibilidade da deficiência de que é
portador com as atribuições do cargo almejado.
5.8.1. O(s) local(is), data(s) e horário(s) para a realização do exame médico específico serão divulgados
oportunamente no Diário Oficial da Cidade de São Paulo ­ DOC, pelo Departamento de Saúde do Servidor ­ DESS.
5.9. Será eliminado da lista específica o candidato habilitado cuja deficiência assinalada no Formulário de
Inscrição não se fizer constatada, devendo o mesmo permanecer apenas na lista de classificação geral.

5.10. A não observância, pelo candidato, de qualquer das disposições deste Capítulo implicará a perda do direito a
ser nomeado para as vagas reservadas a portadores de deficiência.
5.11. O Laudo Médico apresentado terá validade somente para este Concurso Público e não será devolvido.
5.12. Após a investidura do candidato, a deficiência não poderá ser arguida para justificar a readaptação funcional
ou a concessão de aposentadoria.
5.13. A Prefeitura do Município de São Paulo ­ PMSP publicará, no Diário Oficial da Cidade de São Paulo ­ DOC
(www.docidadesp.imprensaoficial.com.br/), a relação de candidatos inscritos como portadores de deficiência.
5.14. Os resultados serão publicados por meio de três listas, a primeira contendo a relação de todos os candidatos
aprovados (lista geral), a segunda contendo a relação de candidatos aprovados, inscritos pela Lei nº 13.398/02
(lista específica) e a terceira lista contendo a pontuação dos candidatos aprovados, inscritos pela Lei Municipal
15.939/13 (lista específica).
6 - DA INSCRIÇÃO PARA NEGROS, NEGRAS OU AFRODESCEDENTES - Lei Municipal nº 15.939/2013.
6.1. Com escopo na Lei Municipal nº 15.939, de 23 de dezembro de 2013, regulamentada pelo Decreto Municipal
nº 54.949, de 21 de março de 2014, fica reservado aos candidatos negros, negras ou afrodescendentes, o
equivalente a 20% (vinte por cento) das vagas oferecidas neste concurso, no total de 703 (setecentos e três)
vagas para o cargo de Professor de Educação Infantil e Ensino Fundamental I, conforme discriminado na Tabela I.
6.2. É considerado negro, negra ou afrodescendente, o candidato que assim se declare, no momento da inscrição,
na forma do item 6.2.1 deste Edital.
6.2.1. Para assegurar a concorrência às vagas reservadas conforme item 6.1, o candidato deverá encaminhar, até
o dia 20 de junho de 2014, em envelope contendo a referência "Concurso Professor/PMSP ­ Reserva Lei n°.
15.939/2013", via SEDEX ou correspondência com Aviso de Recebimento (AR) ou entregar pessoalmente ao IBFC,
Rua Waldomiro Gabriel de Mello, 86 - Chácara Agrindus - Taboão da Serra ­ SP ­ CEP: 06763-020, os documentos
a seguir:
a) Cópia do comprovante de inscrição para identificação do candidato;
b) Declaração original (Anexo IV) devidamente preenchida e assinada, para assegurar a reserva da vaga.
6.3. A autodeclaração é facultativa, ficando o candidato submetido às regras gerais deste edital, caso não opte
pela reserva de vagas.
6.3.1. Constatada a falsidade da declaração, a que se refere este Capítulo, será o candidato eliminado do concurso
e, se houver sido nomeado, ficará sujeito à nulidade de sua nomeação e posse no cargo efetivo após
procedimento administrativo no qual lhe sejam assegurados o contraditório e a ampla defesa, sem prejuízo de
outras sanções cabíveis.
6.3.2. Os candidatos destinatários da reserva de vagas a negros, negras ou afrodescendentes concorrerão à
totalidade das vagas existentes.
6.4. A autodeclaração somente terá validade se efetuada no momento da inscrição.
6.4.1. O não cumprimento, pelo candidato, do disposto nos itens 6.2 e 6.2.1 deste Edital, acarretará sua
participação somente nas demais listas se for o caso.
6.5. O candidato inscrito nos termos deste Capítulo, participará deste Concurso em igualdade de condições com
os demais candidatos, no que se refere ao conteúdo, à avaliação, aos critérios de aprovação, ao(s) horário(s),
ao(s) local(is) de aplicação das provas e às notas mínimas exigidas.
6.6. Não havendo candidatos negros, negras ou afrodescendentes aprovados em número suficiente para ocupar
as vagas reservadas, as vagas remanescentes serão revertidas para a ampla concorrência e preenchidas pelos
demais candidatos aprovados, observada a ordem de classificação.
6.7. Os candidatos negros, negras ou afrodescendentes com deficiência poderão se inscrever concomitantemente
para as vagas reservadas nos termos deste decreto e para as vagas reservadas nos termos da Lei nº 13.398, de 31
de julho de 2002.
6.8. A publicação dos resultados finais e classificação do concurso, será realizada em 3 (três) listas:
6.8.1 A primeira lista é geral, destinada à pontuação e classificação de todos os candidatos, incluindo os que se
declararem pessoas portadoras de deficiência, negros, negras ou afrodescendentes no ato de inscrição;
6.8.2. A segunda lista será destinada, exclusivamente, à pontuação dos candidatos que concorram às vagas
reservadas a pessoas portadoras de deficiência e sua classificação entre si;
6.8.3. A terceira lista será destinada, exclusivamente, à pontuação dos candidatos que concorram às vagas
reservadas a negros, negras ou afrodescendentes e sua classificação entre si.
6.9. O candidato que concorrer ­ conforme sua opção no momento da inscrição ­ concomitantemente às vagas
reservadas aos portadores de deficiência e às vagas reservadas aos negros, negras ou afrodescendentes, que for
classificado neste Concurso, na lista especifica dos portadores de deficiência:
6.9.1. Que tiver constatada sua deficiência nos termos do Capítulo 5 deste Edital: será excluído da lista reservada
a negros, negras ou afrodescendentes;

6.9.2. Que não tiver comprovada sua deficiência: manterá seu direito de permanecer na lista reservada aos a
negros, negras ou afrodescendentes e na lista de classificação geral.
6.10. O candidato às vagas reservadas para negro, negra ou afrodescendente que, na listagem geral com a
pontuação de todos os candidatos, obtiver classificação dentro do número de vagas oferecidas para ampla
concorrência, será convocado para assumir essa vaga, independentemente de estar inscrito no concurso como
negro, negra ou afrodescendente.
6.11. Caso se verifique a situação descrita no item 6.10, assim como na ocorrência de desistência de vaga por
candidato negro, negra ou afrodescendente aprovado, a vaga reservada, à qual este candidato faria jus deverá ser
ocupada por outro candidato a vagas reservadas para negros, negras ou afrodescendentes, respeitada,
rigorosamente, a ordem da lista específica de classificação.
6.12. Não havendo candidatos aprovados para preencher vagas incluídas na reserva para negros, negras ou
afrodescendentes, estas serão revertidas para o cômputo geral de vagas oferecidas neste concurso, voltadas à
ampla concorrência, podendo ser preenchidas pelos demais candidatos aprovados, obedecida a ordem de
classificação.
7 ­ DAS LACTANTES OU CONDIÇÕES ESPECIAIS NO DIA DE APLICAÇÃO DAS PROVAS
7.1 Das lactantes:
7.1.1. A candidata que seja mãe lactante que necessitar amamentar durante a realização das provas, poderá fazêlo em sala reservada para tanto, desde que o requeira, observando os procedimentos constantes a seguir, para
adoção das providências necessárias.
7.1.2. A candidata que seja mãe lactante deverá preencher requerimento especificando esta condição, para a
adoção das providências necessárias no próprio formulário de inscrição.
7.1.3. Nos horários previstos para amamentação, a mãe poderá retirar-se, temporariamente, da sala/local em que
estarão sendo realizadas as provas, para atendimento ao seu bebê, em sala especial a ser reservada pela
Coordenação.
7.1.4. Não haverá compensação do tempo de amamentação em favor da candidata.
7.1.5. Para a amamentação o bebê deverá permanecer no ambiente a ser determinado pela Coordenação.
7.1.6. O bebê deverá estar acompanhado somente de um adulto responsável por sua guarda (familiar ou terceiro
indicado pela candidata), e a permanência temporária desse adulto, em local apropriado, será indicada pela
Coordenação do Concurso.
7.1.7. A candidata, durante o período de amamentação, será acompanhada de uma "fiscal" do IBFC, sem a
presença do responsável pela guarda da criança que garantirá que sua conduta esteja de acordo com os termos e
condições deste Edital.
7.1.8. A candidata nesta condição que não levar acompanhante, não realizará as provas.
7.2 Das outras condições:
7.2.1. O candidato que, por qualquer razão, passe a necessitar de condições especiais para a realização das
provas, deverá encaminhar, até o dia 20 de junho de 2014, via SEDEX ou correspondência com registro de Aviso
de Recebimento (AR), ao IBFC, situado à Rua Waldomiro Gabriel de Mello, 86, Chácara Agrindus, Taboão da Serra
­ SP ­ CEP: 06763-020 o requerimento de condição especial (ANEXO VI) devidamente preenchido e assinado.
7.2.2. Após o prazo de inscrição o candidato que ainda necessitar de atendimento especial, deverá entrar em
contato com o IBFC, com antecedência mínima de 3 (três) dias úteis da realização das Provas, através do telefone
(11) 4788.1430.
7.3. Os candidatos que não atenderem aos dispositivos mencionados no Capítulo 7 deste Edital, não terão a prova
e/ou condições especiais atendidas.
7.4. A solicitação de atendimento especial será atendida segundo os critérios de viabilidade e razoabilidade.
8 ­ DA PRESTAÇÃO DA PROVA OBJETIVA E DISSERTATIVA
8.1. A aplicação da Prova Objetiva e Dissertativa está prevista para o dia 27 de julho de 2014, na Cidade de São
Paulo ­ SP, no período da manhã.
8.1.1. As informações sobre data, horários, locais e salas das provas serão divulgados oportunamente por meio do
Edital de Convocação no Diário Oficial da Cidade - DOC (www.docidadesp.imprensaoficial.com.br/), no site do
IBFC (www.ibfc.org.br) a partir de 22 de julho de 2014.
8.1.2. A duração das Provas será de 4 horas, incluído o tempo para leitura das instruções e preenchimento das
folhas de respostas, sendo de responsabilidade do candidato a observância dos horários estabelecidos.

8.1.3. A aplicação das provas na data prevista dependerá da disponibilidade de locais adequados à realização das
mesmas.
8.1.4. Havendo alteração da data prevista, as provas somente poderão ocorrer em domingos ou feriados.
8.1.5. É de exclusiva responsabilidade do candidato, tomar ciência do trajeto até o local de realização das provas,
a fim de evitar eventuais atrasos, sendo aconselhável ao candidato visitar o local de realização da prova com
antecedência.
8.2. O candidato receberá o Cartão Informativo por e-mail, no endereço eletrônico informado no ato da inscrição.
8.2.1. A comunicação feita por e-mail é meramente informativa. O candidato deverá acompanhar no Diário Oficial
da Cidade de São Paulo ­ DOC (www.docidadesp.imprensaoficial.com.br/) e no site do IBFC (www.ibfc.org.br), a
publicação do Edital de Convocação para Provas.
8.2.2. Não será enviado, via correio, cartão de convocação para as provas. A data, horários, locais e salas da
realização das Provas serão disponibilizados conforme o subitem 8.1.1.
8.2.3. O IBFC e a Prefeitura do Município de São Paulo não se responsabilizam por informações de endereço
incorretas, incompletas ou por falha na entrega de mensagens eletrônicas causada por endereço eletrônico
incorreto ou por problemas no provedor de acesso do candidato tais como: caixa de correio eletrônico cheia,
filtros anti-spam, eventuais truncamentos ou qualquer outro problema de ordem técnica, sendo aconselhável
sempre consultar o site do IBFC (www.ibfc.org.br) para verificar as informações que lhe são pertinentes.
8.2.4. Não serão encaminhados Cartões Informativos de candidatos cujo endereço eletrônico informado no
Formulário de Inscrição esteja incompleto ou incorreto.
8.3. O candidato que não receber o Cartão Informativo até o 3º (terceiro) dia que antecede a aplicação das provas
ou em havendo dúvidas quanto ao local, data e horários de realização das provas, deverá entrar em contato com
o Serviço de Atendimento ao Candidato ­ SAC do IBFC, pelo telefone (11) 4788-1430, das 9 horas às 17 horas
(horário de Brasília), exceto sábados, domingos e feriados ou consultar o site do IBFC (www.ibfc.org.br).
8.4. Ao candidato só será permitida a realização das provas na respectiva data, local e horários constantes no
Cartão Informativo, e publicado no Diário Oficial da Cidade de São Paulo ­ DOC
(www.docidadesp.imprensaoficial.com.br/) e no site do IBFC (www.ibfc.org.br).
8.5. Os eventuais erros de digitação verificados no Cartão Informativo do candidato, ou erros observados nos
documentos impressos, entregues ao candidato no dia da realização das provas, quanto a nome, número de
documento de identidade, número do Registro Funcional (RF) com 7 (sete) dígitos, número do Vínculo com 2
(dois) dígitos e data de nascimento, deverão ser corrigidos pelos candidatos somente no dia das respectivas
provas, com o fiscal de sala.
8.5.1. O candidato que não solicitar a correção dos dados deverá arcar exclusivamente com as consequências
advindas de sua omissão.
8.6. O candidato deverá comparecer ao local designado para a prova, constante do Ato de Convocação, com
antecedência mínima de 60 (sessenta) minutos do fechamento dos portões, munido de:
a) comprovante de pagamento de inscrição;
b) original de um dos documentos de identidade a seguir: carteira e/ou cédula de identidade expedida por
Secretaria de Segurança Pública, pelas Forças Armadas, pela Polícia Militar, pelo Ministério das Relações
Exteriores, Cédula de Identidade para Estrangeiros, Cédula de Identidade fornecida por Órgãos ou Conselhos de
Classe que, por força de Lei Federal valem como documento de identidade, como, por exemplo, OAB, CRM, CREA,
CRC, Passaporte, Carteira de Trabalho e Previdência Social, bem como Carteira Nacional de Habilitação (com
fotografia na forma da Lei Federal nº. 9.503/1997);
c) caneta esferográfica de tinta azul ou preta, lápis preto nº 2 e borracha.
8.6.1. Somente será admitido na sala de prova o candidato que apresentar um dos documentos discriminados no
subitem anterior em perfeitas condições, de modo a permitir, com clareza, a identificação do candidato.
Documentos violados e rasurados não serão aceitos.
8.6.2. Os documentos deverão estar em perfeitas condições, de forma a permitir, com clareza, a identificação do
candidato.
8.6.3. Caso o candidato esteja impossibilitado de apresentar, no dia de realização das provas, documento de
identidade original, por motivo de perda, roubo ou furto, deverá apresentar documento que ateste o registro da
ocorrência em órgão policial, expedido há, no máximo 30 (trinta) dias, sendo, então, submetido a identificação
especial, compreendendo coleta de dados, de assinaturas e de impressão digital em formulário próprio.
8.6.3.1. Não serão aceitos, por serem documentos destinados a outros fins, Protocolos, Certidão de Nascimento,
Título Eleitoral, Carteira Nacional de Habilitação emitida anteriormente à Lei Federal nº 9.503/97, Carteira de
Estudante, Crachás, Identidade Funcional de natureza pública ou privada, cópias dos documentos citados, ainda
que autenticadas, ou quaisquer outros documentos não constantes deste Edital.
8.6.4. A identificação especial será exigida, também, do candidato cujo documento de identificação gere dúvidas
quanto à fisionomia, à assinatura ou à condição de conservação do documento.
8.7. Não haverá segunda chamada ou repetição de prova.

8.7.1. O candidato não poderá alegar quaisquer desconhecimentos sobre a realização da prova como justificativa
de sua ausência.
8.7.2. O não comparecimento às provas, qualquer que seja o motivo, caracterizará desistência do candidato e
resultará em sua eliminação do Concurso Público.
8.8. Objetivando garantir a lisura e a idoneidade do Concurso Público ­ o que é de interesse público e, em
especial, dos próprios candidatos ­ bem como sua autenticidade, será solicitado aos candidatos, quando da
aplicação das provas, a autenticação digital das Folhas de Respostas personalizadas e assinatura, em campo
específico.
8.8.1. A autenticação digital (ou assinaturas) dos candidatos na Folha de Respostas visa a atender o disposto no
item 15.11 deste Edital.
8.9. Nas Provas, o candidato deverá assinalar as respostas na Folha de Respostas personalizada, que será o único
documento válido para a correção da prova. O preenchimento da Folha de Respostas será de inteira
responsabilidade do candidato, que deverá proceder em conformidade com as instruções específicas contidas na
capa do Caderno de Questões personalizado. Em hipótese alguma haverá substituição da Folha de Respostas por
erro do candidato.
8.9.1. O candidato deverá conferir os seus dados pessoais impressos na Folha de Respostas, em especial seu
nome, número de inscrição e número do documento de identidade.
8.9.2. Não deverá ser feita nenhuma marca fora do campo reservado às respostas ou à assinatura, pois qualquer
marca poderá ser lida pelas leitoras óticas, prejudicando o desempenho do candidato.
8.9.3. Os prejuízos advindos de marcações feitas incorretamente na Folha de Respostas serão de inteira
responsabilidade do candidato.
8.9.4. Não serão computadas questões não assinaladas ou que contenham mais de uma resposta, emenda ou
rasura, ainda que legível.
8.10. Durante a prova, não será permitido comunicação entre os candidatos, realizar anotação de informações
relativas às suas respostas (copiar gabarito) fora dos meios permitidos, consultas bibliográficas de qualquer
espécie, bem como usar no local de exame: armas, quaisquer aparelhos eletrônicos (agenda eletrônica, bip,
gravador, notebook, pager, palmtop, receptor, telefone celular, walkman, máquina fotográfica e controle de
alarme de carro), boné, gorro, chapéu e óculos de sol, bolsas ou sacolas. O descumprimento desta instrução
implicará na eliminação do candidato.
8.10.1. Telefone celular, rádio comunicador e aparelhos eletrônicos dos candidatos, enquanto na sala de prova,
deverão permanecer desligados, tendo sua bateria retirada, sendo acomodados em local a ser indicado pelos
fiscais de sala de prova, garantindo que nenhum som seja emitido, inclusive do despertador caso esteja ativado.
8.10.2. No caso dos telefones celulares, do tipo smartphone, em que não é possível a retirada da bateria, os
mesmos deverão ser desligados sendo acomodados em local a ser indicado pelos fiscais de sala de prova. Caso
tais aparelhos emitam qualquer som, o candidato será eliminado do concurso.
8.10.3. O candidato que, durante a realização da prova, for encontrado portando qualquer um dos objetos
especificados no subitem 8.10, incluindo os aparelhos eletrônicos citados, mesmo que desligados, será
automaticamente eliminado do Concurso Público.
8.10.4. O IBFC a Prefeitura do Município de São Paulo recomenda que o candidato leve apenas um dos
documentos especificados no item 8.6 alínea "b", caneta esferográfica de tinta azul ou preta, lápis preto nº 2 e
borracha para a realização da prova e não leve nenhum dos objetos citados no item 8.10.
8.10.5. O IBFC e a Prefeitura do Município de São Paulo não se responsabilizarão por perda ou extravio de
documentos, objetos ou equipamentos eletrônicos ocorridos no local de realização das provas, nem por danos
neles causados.
8.11. Durante a realização da prova, o candidato que quiser ir ao sanitário deverá solicitar ao fiscal da sala sua
saída e este designará um fiscal volante para acompanhá-lo no deslocamento, devendo o candidato manter-se
em silêncio durante todo o percurso, podendo, antes da entrada no sanitário e depois da utilização deste, ser
submetido à revista por meio de detector de metais.
8.11.1. Na situação descrita no item 8.11, se for detectado que o candidato estiver portando qualquer tipo de
equipamento eletrônico ou arma, mesmo acondicionado em embalagem cedida para guarda de pertences, em
desobediência ao item 8.10 e seus subitens, será eliminado automaticamente do Concurso Público.
8.12. Considerando a possibilidade de os candidatos serem submetidos à detecção de metais durante as provas,
aqueles que, por razões de saúde, porventura façam uso de marcapasso, pinos cirúrgicos ou outros instrumentos
metálicos, deverão comunicar previamente o IBFC acerca da situação, nos moldes do item 7.2. Estes candidatos
deverão ainda comparecer ao local de provas munidos dos exames e laudos que comprovem o uso de
equipamentos.
8.13. Motivarão a eliminação do candidato do Concurso Público, sem prejuízo das sanções penais cabíveis, a burla
ou a tentativa de burla a quaisquer das normas definidas neste Edital ou a outras relativas ao Concurso, aos

comunicados, às Instruções ao Candidato ou às Instruções constantes da prova, bem como o tratamento indevido
e descortês a qualquer pessoa envolvida na aplicação das provas.
8.14. Por medida de segurança os candidatos deverão deixar as orelhas totalmente descobertas, à observação
dos fiscais de sala, durante a realização das provas.
8.15. Somente será permitido ao candidato retirar-se definitivamente da sala de prova após transcorrido o tempo
de 2 (duas) horas de seu início, mediante a entrega obrigatória da sua Folha de Respostas e do seu Caderno de
Questões, ao fiscal de sala.
8.15.1. O candidato que, por qualquer motivo ou recusa, não permanecer em sala durante o período mínimo
estabelecido no subitem 8.15, terá o fato consignado em ata e será automaticamente eliminado do Concurso
Público.
8.16. Será excluído do Concurso Público o candidato que:
a) apresentar-se após o fechamento dos portões ou fora dos locais pré-determinados;
b) não apresentar o documento de identidade exigido no subitem 8.6, alínea "b" deste Edital;
c) não comparecer à prova, seja qual for o motivo alegado;
d) ausentar-se da sala de provas sem o acompanhamento do fiscal, ou antes do tempo mínimo de permanência
estabelecido no subitem 8.15 deste Edital;
e) for surpreendido em comunicação com outro candidato, ou terceiros, verbalmente, por escrito ou por
qualquer outro meio de comunicação, ou utilizando-se de livros, notas, impressos ou calculadoras;
f) for surpreendido usando boné, gorro, chapéu, óculos de sol ou fazendo uso de telefone celular, gravador,
receptor, pager, bip, notebook e/ou equipamento similar;
g) lançar mão de meios ilícitos para executar as provas;
h) não devolver o Caderno de Questões e a Folha de Respostas conforme o subitem 8.15 deste Edital;
i) perturbar, de qualquer modo, a ordem dos trabalhos e/ou agir com descortesia em relação a qualquer dos
examinadores, executores e seus auxiliares, ou autoridades presentes;
j) fizer anotação de informações relativas às suas respostas no comprovante de inscrição ou em qualquer outro
meio, que não o autorizado pelo IBFC no dia da aplicação das provas;
k) ausentar-se da sala de provas levando Folha de Respostas, Caderno de Questões ou outros materiais não
permitidos;
l) não cumprir as instruções contidas no Caderno de Questões e na Folha de Respostas;
m) utilizar ou tentar utilizar meios fraudulentos ou ilegais para obter aprovação própria ou de terceiros, em
qualquer fase do Concurso Público;
n) não permitir a coleta de sua assinatura;
o) não se submeter ao sistema de detecção de metal e digital;
p) que se negar ao cumprimento das normas previstas no Edital do concurso público;
q) descumprir as normas e os regulamentos durante a realização das provas.
8.17. Não será permitida a permanência de acompanhante no local de Provas, ressalvado o contido no subitem
7.1.6 nem de candidatos que já tenham terminado sua Prova. Ao terminarem as Provas, os candidatos deverão se
retirar imediatamente do local, não sendo possível nem mesmo a utilização dos banheiros.
8.18. No dia da realização das provas, na hipótese de o nome do candidato não constar nas listagens oficiais
relativas aos locais de prova estabelecidos no Edital de Convocação, o IBFC procederá a inclusão do candidato,
desde que apresente o comprovante de pagamento de inscrição, mediante preenchimento de formulário
específico.
8.18.1. A inclusão de que trata o item 8.18 será realizada de forma condicional e será analisada pelo IBFC, na fase
do Julgamento da Prova Objetiva, com o intuito de verificar a pertinência da referida inscrição.
8.18.2. Constatada a improcedência da inscrição, a mesma será automaticamente cancelada sem direito a
reclamação, independentemente de qualquer formalidade, considerados nulos todos os atos dela decorrentes.
8.19 A inviolabilidade do sigilo das provas será comprovada no momento do seu início, ao romper os envelopes
onde estarão acondicionados os cadernos de questões da respectiva sala.
8.19.1 O ato será acompanhado pelos candidatos presentes na sala sendo o fato registrado em Ata, com a
aposição da assinatura de um candidato da respectiva sala e dos fiscais responsáveis pela execução da prova.
8.20. Distribuídos os Cadernos de Questões aos candidatos e, na hipótese de serem verificadas falhas de
impressão, o Coordenador, antes do início da prova, diligenciará no sentido de:
a) substituir os Cadernos de Questões defeituosos;
b) proceder, em não havendo número suficiente de Cadernos para a devida substituição, a leitura dos itens onde
ocorreram falhas, usando, para tanto, um Caderno de Questões completo;
c) estabelecer, após o Coordenador consultar o Plantão do IBFC, prazo para compensação do tempo usado para
regularização do Caderno, se a ocorrência verificar-se após o início da prova.
8.21. Quando, após a prova, for constatado, por meio eletrônico, estatístico, visual, grafológico ou por
investigação policial, ter o candidato utilizado processos ilícitos, sua prova será anulada e o candidato será
automaticamente eliminado do Concurso.

8.22. Não haverá, por qualquer motivo, prorrogação do tempo previsto para a aplicação das provas em razão de
afastamento do candidato da sala de prova.
8.22.1 Não haverá, por qualquer motivo, prorrogação do tempo previsto para a aplicação das provas, exceto o
previsto no item 5.4 alínea "c3".
8.23. Em hipótese nenhuma será realizada qualquer prova fora do local, data e horário determinados no Edital de
Convocação para realização das provas.
8.24. Por razões de ordem técnica, de segurança e de direitos autorais adquiridos, não serão fornecidos
exemplares dos Cadernos de Questões a candidatos ou a instituições de direito público ou privado, mesmo após o
encerramento do Concurso.
8.25. O Gabarito das Provas Objetivas será divulgado no endereço eletrônico do IBFC (www.ibfc.org.br), em até 3
(três) dias após sua aplicação.
8.25.1. O caderno de questões das Provas ficará disponível no site do IBFC (www.ibfc.org.br) no período para
interposição de recursos referentes ao Gabarito das Provas Objetivas.
8.26. O espelho das Folhas de Respostas da Prova Objetiva e Dissertativa do candidato ficará disponível no site do
IBFC (www.ibfc.org.br) no período para interposição de recursos referentes aos resultados/notas.
9 ­ DO JULGAMENTO DA PROVA OBJETIVA
9.1. A Prova Objetiva de Múltipla Escolha, de caráter eliminatório e classificatório será composta de 60 (sessenta)
questões distribuídas pelos conhecimentos, gerais e conhecimentos específicos sendo que cada questão conterá
5 (cinco) alternativas, com uma única resposta correta, sendo constituídas conforme o quadro a seguir:
PROVAS
Conhecimentos Gerais
Conhecimentos Específicos
Total

Nº DE QUESTÕES
30
30
60

9.2. Os conteúdos programáticos referentes à Prova Objetiva de Múltipla Escolha são os constantes do Anexo II
deste Edital.
9.3. A Prova Objetiva de Múltipla Escolha de todos os candidatos será corrigida por meio de leitura ótica.
9.4. As Provas Objetivas de Múltipla Escolha serão estatisticamente avaliadas, de acordo com o desempenho do
grupo a elas submetido.
9.4.1. Considera-se grupo o total de candidatos presentes às provas objetivas.
9.4.2. Na avaliação de cada prova, conhecimentos gerais e conhecimentos específicos será utilizado o escore
padronizado, com média igual a 50 (cinquenta) e desvio padrão igual a 10 (dez).
9.4.3. Esta padronização das notas de cada prova tem por finalidade avaliar o desempenho do candidato em
relação aos demais, permitindo que a posição relativa de cada candidato reflita sua classificação. Na avaliação das
provas do Concurso:
a) é contado o total de acertos de cada candidato em cada prova;
b) são calculadas a média aritmética e o desvio padrão dos acertos de todos os candidatos em cada prova;
c) é transformado o total de acertos de cada candidato em nota padronizada (NP). Para isso, calcula-se a
diferença entre o total de acertos (A) do candidato na prova e a média aritmética de acertos do grupo (X) na
prova, divide-se essa diferença pelo desvio padrão (S) do grupo da prova, multiplica-se o resultado por 10 (dez) e
soma-se 50 (cinquenta), de acordo com a fórmula:

NP = Nota Padronizada
A = Número de acertos do candidato
X = Média de acertos do grupo
S = Desvio padrão

9.5. Será considerado habilitado nas Provas Objetivas de Conhecimentos Gerais e de Conhecimentos Específicos o
candidato que obtiver nota padronizada igual ou superior a 50 (cinquenta) em cada uma das Provas e somatório
com nota igual ou superior a 100 (cem).
9.6. Os candidatos não habilitados nas Provas Objetivas serão excluídos do Concurso.
10 ­ DA PROVA DISSERTATIVA
10.1. A Prova Dissertativa de caráter eliminatório e classificatório será aplicada no mesmo dia da Prova Objetiva e
somente será avaliada a dos candidatos habilitados, na forma do Capítulo 9 deste Edital, ficando os demais
candidatos não convocados, reprovados e eliminados do concurso para todos os efeitos.
10.2. A Prova Dissertativa terá como valor máximo 30 (trinta) pontos, distribuídos em 3 (três) questões, sendo
que cada uma delas terá como valor máximo 10 (dez) pontos, e tratará dos conteúdos específicos constantes no
Anexo II deste Edital. O candidato deverá redigir, no mínimo 5 (cinco) e no máximo 10 (dez) linhas por questão e
serão observados os critérios de correção estabelecidos na tabela abaixo:
Critérios de correção
ESTRUTURA: o conteúdo apresentado pelo candidato deve ser um texto
predominantemente dissertativo-argumentativo, devendo constituir-se de um conjunto
articulado de idéias relacionadas ao tema proposto.
CONTEÚDO: análise das ideias fundamentais do texto observando a fidelidade ao tema
proposto; consistência e relevância argumentativa; progressão temática; e senso crítico
do candidato.
EXPRESSÃO: atenção máxima à contribuição ideativa do candidato, avaliando a sua
adequação vocabular ao tema.
CORREÇÃO FORMAL: Ortografia/Acentuação/Propriedade Vocabular/Morfossintaxe/
Pontuação/Elementos de Coesão.
TOTAL POR QUESTÃO DISSERTATIVA

Pontuação Máxima
3

3
3
1
10 pontos

10.3. Não será permitida nenhuma espécie de consulta nem a utilização de livros, códigos, manuais, impressos ou
quaisquer anotações.
10.4. A nota será prejudicada, proporcionalmente, caso ocorra abordagem tangencial, parcial ou diluída em meio
a divagações e/ou colagem de textos da prova.
10.5. A folha de texto para a Prova Dissertativa não permitirá qualquer identificação do candidato pela comissão
de correção, garantindo assim o sigilo do autor.
10.6. O candidato somente poderá apor sua assinatura em local especificamente indicado para tal finalidade, sob
a pena de anulação da sua Prova Dissertativa e consequente eliminação do concurso.
10.7. A administração do concurso fornecerá folha de rascunho no próprio caderno de provas para a Prova
Dissertativa.
10.8. A folha de rascunho do caderno de provas será de preenchimento facultativo e não será válida, em hipótese
alguma, para avaliação da Prova Dissertativa do candidato.
10.9. O texto definitivo será o único documento válido para a avaliação da Prova Dissertativa.
10.10. O espelho da folha da Prova Dissertativa do candidato será divulgado no endereço eletrônico do IBFC, na
mesma data da divulgação das notas, e apenas durante o prazo recursal, não sendo permitido ao candidato levar
o rascunho da sua prova.
10.11. Será atribuída nota ZERO à Prova Dissertativa que:
a) fugir à modalidade de texto solicitada e/ou ao tema proposto;
b) apresentar textos sob forma não articulada verbalmente (apenas com desenhos, números e palavras soltas ou
em versos) ou qualquer fragmento de texto escrito fora do local apropriado;
c) for assinada fora do local apropriado;
d) apresentar qualquer sinal que, de alguma forma, possibilite a identificação do candidato;
e) for escrita a lápis, em parte ou em sua totalidade;
f) estiver em branco;
g) apresentar letra ilegível e/ou incompreensível.
10.12. Estará eliminado o candidato que não perfizer o mínimo de 50% (cinquenta por cento) do total de pontos
atribuídos, ou seja, nota 15 (quinze) na Prova Dissertativa.

11 ­ DOS TÍTULOS
11.1. Serão convocados para envio dos títulos todos os candidatos com as inscrições deferidas conforme edital
que será divulgado juntamente com a convocação das provas objetivas.
11.1.1. Somente concorrerão à contagem de pontos por títulos os candidatos que forem aprovados na forma
prevista nos itens 9.5 e 10.12 deste Edital.
11.2. Serão considerados títulos os relacionados na Tabela a seguir, limitados ao valor máximo de 8 (oito) pontos,
observando-se o limite de 4 (quatro) pontos para o item "A", e de 4 (quatro) pontos para o somatório dos itens
"B" e "C", sendo desconsiderados os demais.
ESPECIFICAÇÕES DOS TÍTULOS

COMPROVANTES

A) Título de:
- Doutor em área relacionada à Educação,
obtido até 01/03/2014.
- Mestre em área relacionada à Educação
(desde que não seja pontuado o título de
Doutorado), obtido até 01/03/2014.
- Licenciatura Plena com data de coleção
de grau até 01/03/2014 (exceto Pedagogia
e Curso Normal Superior)

Diploma ou Certificado de Curso
Superior ou Documento Escolar de
Conclusão de Curso, com a respectiva
data de colação de grau expedido por
instituição de ensino reconhecida pelo
MEC.

VALOR
UNITÁRIO

QUANTIDADE
MÁXIMA

4,0

1

3,0

1

1,0

1

Não
haverá
necessidade
de
B) Tempo de exercício na Administração
comprovação.
Direta da Prefeitura do Município de São
0,10
Pontuação feita pela SME em conjunto
Paulo - PMSP em cargos e/ou funções
(Por mês)
com DERH/SEMPLA. (Nos termos do
docentes do magistério até 01/03/2014.
item 11.7 deste edital)
C) Tempo de exercício em Órgãos federais,
estaduais, municipais ou estabelecimentos
Carteira de Trabalho e Previdência
particulares devidamente autorizados em
0,10
Social ou Atestado de tempo de serviço
(Por mês)
cargos e/ou funções docentes do
expedido conforme modelo. (Anexo V).
magistério
até
01/03/2014,
não
concomitante com o item anterior.

VALOR
MÁXIMO

4,0

40 (meses)

4,0
40 (meses)

11.3. Os documentos comprobatórios de cursos realizados no exterior somente serão considerados quando
vertidos para a Língua Portuguesa por tradutor juramentado e devidamente revalidados por Universidades
oficiais credenciadas pelo Ministério da Educação - MEC.
11.4. Somente serão pontuados os cursos reconhecidos e comprovados por meio de Diploma ou Certificado de
Curso Superior ou Documento Escolar de Conclusão de Curso, com a respectiva data de colação de grau expedido
por instituição de ensino reconhecida pelo MEC.
11.5. Todos os documentos referentes à avaliação de títulos deverão ser apresentados em CÓPIAS frente e verso,
AUTENTICADAS em cartório, cuja autenticidade será objeto de comprovação mediante apresentação de original e
outros procedimentos julgados necessários, caso o candidato venha a ser aprovado, com exceção do Atestado
nos moldes do Anexo V, que deverá ser entregue no original.
11.5.1. Não serão consideradas, para efeito de pontuação, as cópias não autenticadas em cartório, bem como
documentos gerados por via eletrônica que não estejam acompanhados com o respectivo mecanismo de
autenticação.
11.5.2. Não serão aceitos protocolos dos documentos destinados à Avaliação de Títulos.
11.6. A entrega e comprovação dos títulos serão de exclusiva responsabilidade do candidato.
11.7. A apuração dos pontos referentes ao item "B", tempo de exercício na Administração Direta da PMSP, será
feita pela SME em conjunto com o DERH/SEMPLA, com base nos dados constantes nos sistemas informatizados,
para o candidato servidor ou ex-servidor que informar corretamente seu Registro Funcional ­ RF, com 7 (sete)
dígitos e o número do Vínculo, com 2 (dois) dígitos, na ficha de inscrição, estando vedada a entrega de
documentos comprobatórios do tempo de exercício a ser objeto de pontuação.
11.8. O Tempo de exercício previsto no item "C" em Órgãos federais, estaduais, municipais ou estabelecimentos
particulares devidamente autorizados, mesmo quando já averbado junto à PMSP, será pontuado pelo IBFC,
mediante apresentação de uma das opções abaixo:
a) cópia autenticada da Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS) - constando obrigatoriamente a folha de
identificação com número e série, a folha com a foto do portador, a folha com a qualificação civil, a folha de
contrato de trabalho e as folhas de alterações de salário que constem mudança de função - acrescida de

declaração do empregador que informe o período (com início e fim) e a discriminação do serviço realizado, com a
descrição das atividades desenvolvidas, se realizado na área privada;
b) atestado de tempo de exercício, expedido no original conforme Anexo V.
11.9. Não poderão ser, em hipótese alguma, objeto de pontuação:
11.9.1. tempo de exercício utilizado para fins de aposentadoria;
11.9.2. os períodos concomitantes.
11.10. As informações sobre local(is), data(s), horário(s) e demais especificações para encaminhamento dos
títulos referentes aos itens "A" e "C" serão divulgados no DOC.
11.11. Em nenhuma hipótese haverá devolução aos candidatos de documentos referentes aos títulos.
11.11.1 Os títulos encaminhados pelos candidatos para fins de pontuação serão inutilizados decorrido o prazo de
120 (cento e vinte) dias contados da data da homologação do resultado definitivo do Concurso.
11.12. Os candidatos convocados deverão, durante o período divulgado no Edital de Convocação, acessar o
endereço eletrônico do IBFC (www.ibfc.org.br), localizar o link denominado "Avaliação de Títulos", inserir seu
número de inscrição e data de nascimento, selecionar os campos correspondentes aos títulos e experiência que
possuem, preencher corretamente o formulário conforme instrução, enviar os dados e imprimir o formulário.
11.13. O formulário de "Avaliação de Títulos", devidamente assinado, e os "Documentos" que foram informados
através do site, deverão ser encaminhados via correio, na modalidade SEDEX, ao IBFC, Rua Waldomiro Gabriel de
Mello, 86 - Chácara Agrindus - Taboão da Serra ­ SP ­ CEP: 06763-020, indicando como referência no envelope
"TÍTULOS ­ PROFESSOR PMSP".
11.14. Caso o candidato não tenha qualquer título ou experiência válida para o cargo em que se inscreveu, terá
atribuída nota (zero) nesta etapa, que não possui caráter eliminatório, mas somente classificatório.
11.15. Os documentos deverão estar em perfeitas condições, de forma a permitir a avaliação com clareza.
11.16. Os pontos decorrentes da mesma titulação acadêmica não serão cumulativos, ou seja, será considerado
apenas o título referente à sua faixa de pontuação.
11.17. Quando o nome do candidato for diferente do constante dos documentos apresentados, deverá ser
anexado comprovante de alteração do nome (por exemplo: certidão de casamento).
11.18. Para efeito de cômputo de pontuação relativa ao tempo de exercício, somente será considerado tempo de
exercício do cargo/função em meses completos.
11.19. Não será aceito qualquer tipo de estágio, bolsa de estudo ou monitoria para pontuação do tempo de
exercício.
11.20. Os títulos que não preencherem devidamente as exigências de comprovação, contidas neste Edital, não
serão considerados.
11.21. Comprovada, em qualquer tempo, irregularidade ou ilegalidade na obtenção dos títulos e experiência
profissional apresentados, o candidato terá anulada a respectiva pontuação e, comprovada a culpa, o candidato
será excluído deste Concurso Público.
11.22. Não serão aceitos documentos que não atenderem aos prazos e às exigências deste Edital e/ou suas
complementações.
12 ­ DA CLASSIFICAÇÃO FINAL DOS CANDIDATOS
12.1. Os candidatos aprovados serão classificados por ordem decrescente da nota final, em listas de classificação.
12.2. A nota final deste Concurso Público será aferida pelo somatório dos pontos obtidos em todas as etapas.
12.3. Havendo igualdade na Classificação Definitiva, terá preferência após observância do Parágrafo Único do art.
27 da Lei Federal nº 10.741/2003 (Lei do Idoso), sucessivamente o candidato que:
a) obtiver maior nota na Prova Dissertativa;
b) obtiver maior nota na Prova Objetiva de Conhecimentos Específicos;
c) obtiver maior nota na Prova Objetiva de Conhecimentos Gerais;
d) tiver maior idade;
e) exerceu efetivamente a função de jurado no período entre a data de publicação da Lei nº. 11.689/08, conforme
item 3.2.2.4 e seus subitens.
12.4. O desempate será efetuado pelo IBFC, seguindo os critérios do item 12.3.
12.5. Os candidatos aprovados neste Concurso Público serão classificados em ordem decrescente de nota final.
12.6. A publicação do resultado final do concurso, será realizada em 3 (três) listas:
12.6.1. A primeira lista é geral, destinada à pontuação e classificação de todos os candidatos, incluindo os que se
declararem portadores de deficiência, negros, negras ou afrodescendentes no ato de inscrição;
12.6.2. A segunda lista será destinada, exclusivamente, à pontuação dos candidatos que concorram às vagas
reservadas aos portadores de deficiência e sua classificação entre si;
12.6.3. A terceira lista será destinada, exclusivamente, à pontuação dos candidatos que concorram às vagas
reservadas a negros, negras ou afrodescendentes e sua classificação entre si.

12.7. O resultado final deste Concurso Público será publicado na íntegra no site do IBFC (www.ibfc.org.br) e no
Diário Oficial da Cidade de São Paulo ­ DOC. (www.docidadesp.imprensaoficial.com.br/).
12.8. O candidato não aprovado será excluído do Concurso Público e não constará da lista de classificação final.
13 ­ DAS PUBLICAÇÕES NO DIÁRIO OFICIAL DA CIDADE DE SÃO PAULO ­ DOC
13.1. O DERH/SEMPLA fará publicar no Diário Oficial da Cidade de São Paulo
(www.docidadesp.imprensaoficial.com.br/), oportunamente:
a) inscrições deferidas e indeferidas, quanto à isenção do pagamento do valor da inscrição;
b) inscrições deferidas e indeferidas;
c) convocação dos candidatos que tiverem suas inscrições deferidas para prestação das provas;
d) divulgação dos gabaritos;
e) convocação para vista da Prova Dissertativa;
f) lista dos candidatos aprovados nas provas;
g) convocação dos candidatos para encaminhamento dos títulos;
h) pontuação dos títulos e classificação prévia;
i) resultado dos recursos;
j) comunicados que se fizerem necessários;
k) classificação definitiva.

­

DOC

14 - DOS RECURSOS
14.1. Caberá recurso ao Secretário Municipal de Planejamento, Orçamento e Gestão:
a) do indeferimento do requerimento de isenção do pagamento do valor da inscrição, dentro de 01 (um) dia útil,
a contar do dia seguinte ao da data de sua publicação. No caso de recurso em pendência à época da realização
das provas, o candidato participará condicionalmente do Concurso;
b) do indeferimento e da omissão das inscrições, dentro de 02 (dois) dias úteis, a contar do dia seguinte ao da
data de sua publicação. No caso de recurso em pendência à época da realização das provas, o candidato
participará condicionalmente do Concurso;
c) da realização das provas, dentro de 01 (um) dia útil, a contar do dia seguinte ao da data de sua realização;
d) dos gabaritos/questões e das notas/resultados da Prova Objetiva e Dissertativa, dentro de 02 (dois) dias úteis,
a contar do dia seguinte ao da data das respectivas publicações;
e) da vista da Prova Dissertativa, dentro de 02 (dois) dias úteis, a contar do dia seguinte ao da data da respectiva
divulgação no site do IBFC (www.ibfc.org.br);
f) dos pontos atribuídos aos títulos e da classificação prévia, dentro de 02 (dois) dias úteis a contar do dia seguinte
ao da data da respectiva publicação;
14.2. O candidato deverá acessar o endereço eletrônico do IBFC (www.ibfc.org.br) e preencher o formulário
próprio disponibilizado para recurso, imprimir e enviar, conforme consta no subitem 14.3.
14.3. Os recursos deverão ser encaminhados ao IBFC diretamente, via SEDEX ou correspondência com registro de
aviso de recebimento (AR), ou entregar pessoalmente na Rua Waldomiro Gabriel de Mello, 86 - Chácara Agrindus
- Taboão da Serra ­ SP ­ 06763.020, com o título de "RECURSO ­ PROFESSOR/PMSP" (especificar a etapa).
14.4. Apenas serão analisados os recursos recebidos de acordo com os itens 14.2 e 14.3.
14.4.1. Não serão aceitos recursos interpostos por via postal, fac-símile (fax), telex, telegrama ou outro meio que
não seja o especificado neste Edital.
14.4.2. Os recursos interpostos que não se refiram especificamente aos eventos aprazados não serão apreciados.
14.4.3. Admitir-se-á um único recurso por candidato, para cada evento referido no item 14.1 e suas alíneas.
14.4.4. A interposição dos recursos não obsta o regular andamento do cronograma do Concurso Público.
14.4.5. Somente serão apreciados os recursos expressos em termos convenientes, que apontarem as
circunstâncias que os justifiquem e interpostos dentro do prazo.
14.5. Os recursos interpostos em desacordo com as especificações contidas neste Capítulo não serão avaliados.
14.6. O(s) ponto(s) relativo(s) à(s) questão(ões) eventualmente anulada(s) será(ão) atribuído(s) a todos os
candidatos presentes à prova, independentemente de formulação de recurso.
14.7. O gabarito divulgado poderá ser alterado, em função dos recursos impetrados, e as provas serão corrigidas
de acordo com o gabarito oficial definitivo.
14.8. Na ocorrência do disposto nos itens 14.6 e 14.7 e/ou em caso de provimento de recurso, poderá ocorrer à
classificação/desclassificação do candidato que obtiver, ou não, a nota mínima exigida para a prova.

14.9. A Banca Examinadora constitui a última instância para os recursos, sendo soberana em suas decisões, razão
pela qual não caberão recursos adicionais.
14.9.1. Em hipótese alguma será aceita revisão de recurso, recurso do recurso ou recurso de Gabarito Final
Definitivo.
14.10. Serão preliminarmente indeferidos os recursos:
a) cujo teor desrespeite a Banca Examinadora;
b) que estejam em desacordo com as especificações contidas neste Capítulo;
c) cuja fundamentação não corresponda à questão recursada;
d) sem fundamentação e/ou inconsistente, incoerente ou os intempestivos;
e) encaminhados por meio da Imprensa e/ou de "redes sociais on-line";
f) com argumentação idêntica a outros recursos;
g) contra terceiros;
h) em coletivo;
i) fora do prazo estabelecido.
14.11. As respostas de todos os recursos, quer procedentes ou improcedentes serão levadas ao conhecimento
de todos os candidatos inscritos no Concurso por meio do site do IBFC (www.ibfc.org.br)
15 ­ DA NOMEAÇÃO E DA POSSE
15.1. A nomeação obedecerá, rigorosamente, à classificação obtida pelo candidato, que será integrante da lista
de classificação definitiva a qual será publicada no Diário Oficial da Cidade de São Paulo ­ DOC
(www.docidadesp.imprensaoficial.com.br/).
15.2. Os candidatos serão avaliados por peritos do Departamento de Saúde do Servidor ­ DESS - da Secretaria
Municipal de Planejamento, Orçamento e Gestão ­ SEMPLA que emitirão Laudo Médico Pericial de "APTO" ou
"INAPTO", considerando os critérios técnicos e as diretrizes definidos no Comunicado 009/COGEP/2013, que trata
dos Protocolos Técnicos do Departamento de Saúde do Servidor ­ DESS, publicado no DOC de 27 de junho de
2013, do Capítulo 1 - PROTOCOLOS PARA EXAMES MÉDICO-PERICIAIS PARA INGRESSO constante do Anexo VII
deste Edital.
15.2.1. Os portadores de deficiência, comprovadas por laudo do DESS e que tenham se inscrito dentro da cota de
pessoas portadoras de deficiência, serão avaliados levando-se em consideração o tipo de deficiência e a
compatibilidade com o cargo.
15.2.1.1 O candidato inscrito com deficiência submeter-se-á, também, a exame médico específico e à avaliação
para verificação da compatibilidade da deficiência de que é portador com as atribuições do cargo.
15.2.1.2 No exame médico específico, não sendo configurada a deficiência declarada, o título de nomeação pela
lista específica será tornado insubsistente, voltando o candidato a figurar apenas na lista geral de candidatos
aprovados, observando-se a ordem de classificação desta.
15.2.1.3 Do resultado do exame médico específico caberá recurso, no prazo de até 3 (três) dias úteis contados do
dia seguinte ao da sua publicação, dirigido ao Diretor do Departamento de Saúde do Servidor ­DESS.
15.2.1.4 No exame médico específico sendo configurada a deficiência declarada, e remanescendo dúvidas, quanto
à compatibilidade das atividades inerentes ao cargo, poderá a comissão multidisciplinar específica determinar a
realização de avaliação prática, com as adaptações que se fizerem necessárias conforme a deficiência do
candidato.
15.2.1.5 Da decisão da comissão multidisciplinar específica, apenas na hipótese de não ter sido realizada a
avaliação prática, caberá recurso fundamentado e documentado dirigido ao titular da Secretaria responsável pela
realização do Concurso Público, no prazo de 3 (três) dias contados de sua publicação.
15.2.1.6 Será tornado sem efeito o título de nomeação do candidato cuja deficiência for considerada incompatível
com as atribuições do cargo.
15.2.2. Os médicos peritos solicitarão exames complementares nos casos em que considerarem necessário. O
prazo para entrega desses exames será de 15 dias.
15.3. Após a expedição do Laudo Médico Pericial considerado "APTO", os candidatos deverão entregar o(s)
documento(s) que comprovem o(s) pré-requisito(s) para o cargo, conforme especificado no item 2.1 deste Edital,
bem como apresentar os seguintes documentos:
15.3.1. Cédula de Identidade;
15.3.2. Carta de Igualdade de Direitos (se português);
15.3.3. Cédula de Identidade de Estrangeiro ou visto permanente;
15.3.4. Ter completado 18 (dezoito) anos até o ato da posse;.
15.3.5. Comprovante de PIS/ PASEP (para quem já foi inscrito);
15.3.6. Comprovante de inscrição no Cadastro de Pessoas Físicas ­ CPF;
15.3.7. Título de Eleitor e Comprovante da última eleição ou quitação eleitoral;

15.3.8 Comprovante de endereço residencial em nome do nomeado, no Município de São Paulo ou Grande São
Paulo ou solicitação de autorização para residir fora do município de São Paulo nos termos do Decreto 16.644, de
02 de maio de 1980.
15.3.9. Certificado de Reservista ou Certificado de Alistamento Militar constando Dispensa (para candidatos com
idade inferior a 46 anos, do sexo masculino);
15.3.10. Atestado de Antecedentes Criminais, a ser solicitado junto à Secretaria de Segurança Pública do Estado
de São Paulo, por intermédio de qualquer um de seus Órgãos;
15.3.11. Possuir, no ato da posse, Diploma ou Certificado de Conclusão de Curso Superior ou Documento Escolar
de Conclusão de Curso, com a respectiva data de colação de grau conforme exigido na Tabela I, do Capitulo 1
deste Edital, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação - MEC
15.3.12. Por ocasião da formalização da posse e verificação dos documentos comprobatórios do requisito a que
se refere o item 1.2 do Capítulo 1, serão observados os Comunicados números 1.342 e 1.343/2009 publicados no
DOC de 3/7/2009 c/c a Determinação publicada na mesma data no Oficio nº 163/2009.
15.3.13. Duas fotos 3x4;
15.4. Será analisado o acúmulo de cargos em consonância com o disposto nos incisos XVI e XVII do art. 37 da
Constituição Federal, na redação que lhes foi conferida pela Emenda Constitucional nº 19/98 (Reforma
Administrativa), bem como o acúmulo de proventos com vencimentos na conformidade do § 10 deste artigo,
acrescentado pela Emenda Constitucional nº 20/98 (Reforma Previdenciária), observando-se, também, o Decreto
Municipal nº 14.739/77.
15.5. No caso de ex-servidor da esfera Federal, Estadual ou Municipal, deverá ser apresentado documento que
comprove o motivo da demissão, dispensa ou exoneração.
15.6. Deverá atender aos pré-requisitos estabelecidos no artigo 11 da Lei nº 8.989, de 29 de outubro de 1979.
15.7. Deverá preencher declaração nos termos dos parágrafos 1º e 2º, inciso I, do artigo 3º, do Decreto n° 53.177,
de 4 de junho de 2012;
15.8. Deverá apresentar declaração de bens e valores nos termos dos artigos 1°, 2° e 3° do Decreto n° 53.929, de
21 de maio de 2013.
15.9. Todos os documentos especificados neste Capítulo deverão ser entregues em cópias reprográficas
autenticadas ou em cópias reprográficas acompanhadas dos originais para serem vistadas no ato da posse.
15.10. A não apresentação dos documentos na conformidade deste Edital impedirá a formalização do ato de
posse.
15.11. A Secretaria Municipal de Educação, no momento do recebimento dos documentos para a posse, afixará 1
(uma) foto 3x4 do candidato, no Cartão de Autenticação Digital ­ CAD e, na sequência, coletará assinatura do
candidato e procederá autenticação digital no Cartão.
15.12. Os candidatos aprovados para o cargo de Professor de Educação Infantil e Ensino Fundamental I
constantes das listas de classificação definitiva serão convocados segundo a conveniência da Administração e
observada a rigorosa ordem de classificação no referido Concurso.
15.13. A nomeação será comunicada via Correios, para o endereço informado pelo candidato, sendo considerado
desistente o candidato que não comparecer ao local indicado no prazo de 15 (quinze) dias corridos, contados da
data da publicação da nomeação no Diário Oficial da Cidade de São Paulo - DOC.
15.14. Em caso de alteração dos dados pessoais (nome, endereço, telefone para contato, etc.) constantes no
Formulário de Inscrição, o candidato deverá:
15.14.1. Efetuar a atualização dos dados pessoais no dia de aplicação das provas, conforme estabelecido no item
8.5 deste Edital.
15.14.2. Após a realização das provas até a homologação dos Resultados, as alterações cadastrais deverão ser
encaminhadas via Sedex ou Aviso de Recebimento (AR), ao IBFC localizado na Rua Waldomiro Gabriel de Mello,
86 - Chácara Agrindus - Taboão da Serra ­ SP ­ 06763.020, com o título de "ALTERAÇÃO CADASTRAL ­
PROFESSOR/PMSP" .
15.14.3. Após a homologação do resultado final do Concurso:
15.14.3.1. Os candidatos deverão comparecer pessoalmente junto à CONAE-2, da Secretaria Municipal de
Educação - SME na Av. Angélica 2606- Higienópolis, para atendimento ao disposto na Lei Municipal nº 11.606/94,
12.396/97 e lei 14.660/07 não lhe cabendo qualquer reclamação caso não seja possível a Prefeitura do Município
de São Paulo - PMSP - informá-lo da nomeação por falta da citada atualização.
15.14.4. É de responsabilidade do candidato manter seu endereço e telefone atualizados para viabilizar os
contatos necessários, sob pena de, quando for nomeado, perder o prazo para tomar posse, caso não seja
localizado.
15.14.5. O candidato aprovado deverá manter seu endereço atualizado até que se expire o prazo de validade do
Concurso.

16 ­ DAS DISPOSIÇÕES FINAIS
16.1. A inexatidão das afirmativas e/ou irregularidades nos documentos, mesmo que verificadas a qualquer
tempo, em especial por ocasião da posse, acarretarão a nulidade da inscrição com todas as suas decorrências,
sem prejuízo das demais medidas de ordem administrativa, civil e criminal.
16.1.1. Comprovada a inexatidão ou irregularidades descritas no item 16.1 deste Capítulo, o candidato estará
sujeito a responder por Falsidade Ideológica de acordo com o artigo 299 do Código Penal.
16.2. Todos os cálculos descritos neste Edital, relativos aos resultados das provas, serão realizados com duas casas
decimais, arredondando-se para cima sempre que a terceira casa decimal for maior ou igual a cinco.
16.3. Caberá a Secretária Municipal de Planejamento, Orçamento e Gestão a homologação dos resultados do
Concurso.
16.4. O prazo de validade deste Concurso será de 02 (dois) anos contados da data da homologação de seus
resultados, prorrogável uma única vez por igual período, a critério da Administração.
16.5. A aprovação e a classificação definitiva dos candidatos que extrapolarem o número de cargos vagos
ofertados neste Edital geram para o candidato apenas a expectativa de direito à nomeação.
16.6. Os itens deste Edital poderão sofrer eventuais alterações, atualizações ou acréscimos, enquanto não
consumada a providência ou evento que lhes disserem respeito ou até a data da convocação dos candidatos para
a prova correspondente, circunstância que será mencionada em edital ou aviso a ser publicado no Diário Oficial
da Cidade de São Paulo ­ DOC (www.docidadesp.imprensaoficial.com.br/).
16.7. O não atendimento pelo candidato das condições estabelecidas neste Edital implicará sua eliminação do
Concurso, a qualquer tempo.
16.8. É de inteira responsabilidade do candidato, acompanhar no Diário Oficial da Cidade de São Paulo, os Editais,
Comunicados, Convocações, inclusive para exames médicos e demais publicações referentes a este Concurso.
16.9. Correrão por conta exclusiva do candidato quaisquer despesas com documentação, interposição de recurso,
material, laudos médicos ou técnicos, atestados, deslocamentos, viagem, alimentação, estada e outras
decorrentes de sua participação no presente Concurso Público.
16.10. A PMSP e o IBFC não se responsabilizam por quaisquer cursos, textos, apostilas e outros materiais
impressos ou digitais referentes às matérias deste Concurso Público, ou por quaisquer informações que estejam
em desacordo com o disposto neste Edital.
16.11. As ocorrências não previstas neste Edital, os casos omissos e os casos duvidosos serão resolvidos, em
caráter irrecorrível, pela Prefeitura do Município de São Paulo, por meio dos órgãos competentes, as Secretarias
Municipais de Planejamento, Orçamento e Gestão e de Educação e pelo IBFC, no que a cada um couber, ouvida
sempre a Comissão Coordenadora de Planejamento e Execução do presente Concurso.
ANEXO I ­ DESCRIÇÃO SUMÁRIA
SÍNTESE DAS ATRIBUIÇÕES DO CARGO
I ­ participar da elaboração, implementação e avaliação do projeto político-pedagógico da unidade educacional,
visando a melhoria da qualidade da educação, em consonância com as diretrizes educacionais da Secretaria
Municipal de Educação;
II ­ elaborar o plano de ensino da turma e do componente curricular, observadas as metas e objetivos propostos
no projeto político-pedagógico e as diretrizes curriculares da Secretaria Municipal de Educação;
III ­ zelar pela aprendizagem e frequência dos alunos;
IV ­ considerar as informações obtidas na apuração do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica - IDEB e de
outros instrumentos avaliativos de aproveitamento escolar, bem como as metas de aprendizagem indicadas para
a unidade educacional na elaboração do plano de ensino;
V ­ planejar e ministrar aulas, registrando os objetivos, atividades e resultados do processo educativo, tendo em
vista a efetiva aprendizagem de todos os alunos;
VI ­ planejar e desenvolver, articuladamente com os demais profissionais, atividades pedagógicas compatíveis
com os vários espaços de ensino e de aprendizagem existentes na unidade educacional;
VII ­ articular as experiências dos alunos com o conhecimento sistematizado, valendo-se de princípios
metodológicos, procedimentos didáticos e instrumentos que possibilitem o pleno aproveitamento das atividades
desenvolvidas;
VIII ­ discutir com os alunos e com os pais ou responsáveis as propostas de trabalho da unidade educacional,
formas de acompanhamento da vida escolar e procedimentos adotados no processo de avaliação das crianças,
jovens e adultos;
IX ­ identificar, em conjunto com o Coordenador Pedagógico, alunos que apresentem necessidades de
atendimento diferenciado, comprometendo-se com as atividades de recuperação contínua e paralela;

X ­ adotar, em conjunto com o Coordenador Pedagógico, as medidas e encaminhamentos pertinentes ao
atendimento dos alunos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas
habilidades/superdotação;
XI ­ planejar e executar atividades de recuperação contínua, paralela e compensação de ausências, de forma a
assegurar oportunidades de aprendizagem aos alunos;
XII ­ adequar os procedimentos didáticos e pedagógicos que viabilizem a implementação da educação inclusiva e
da educação de jovens e adultos;
XIII ­ manter atualizado o registro das ações pedagógicas, tendo em vista a avaliação contínua do processo
educativo;
XIV ­ participar das atividades de formação continuada oferecidas para o seu aperfeiçoamento, bem como de
cursos que possam contribuir para o seu crescimento e atualização profissional;
XV ­ atuar na implementação dos programas e projetos da Secretaria Municipal de Educação, comprometendo-se
com suas diretrizes, bem como com o alcance das metas de aprendizagem;
XVI ­ participar das diferentes instâncias de tomada de decisão quanto à destinação de recursos materiais e
financeiros da unidade educacional;
XVII ­ participar da definição, implantação e implementação das normas de convívio da unidade educacional.
ANEXO II ­ CONTEÚDO PROGRAMÁTICO E BIBLIOGRAFIA
Documentos Institucionais Municipais
1- SÃO PAULO (SP). Secretaria Municipal de Educação. Diretoria de Orientação Técnica. Programa Mais
Educação São Paulo: subsídios para implantação/ Secretaria Municipal de Educação ­ São Paulo:
SME/DOT, 2014;
2- SÃO PAULO (SP). Secretaria Municipal de Educação. Diretoria de Orientação Técnica. Magistério/
Secretaria Municipal de Educação ­ São Paulo: SME/DOT, 2014.
3- SÃO PAULO (SP). Secretaria Municipal de Educação. Diretoria de Orientação Técnica. Orientação
Normativa nº01 de 02 de dezembro de 2013, "Avaliação na Educação Infantil: aprimorando os olhares".
Publicado no DOC DE 03 DE DEZEMBRO DE 2013, p. 103-105.
4- SÃO PAULO (SP). Secretaria Municipal de Educação. Diretoria de Orientação Técnica. Interfaces
Curriculares: Áreas do Conhecimento e Avaliação para a aprendizagem ­ 4º e 5º anos do ciclo Ido ensino
fundamental de 9 anos/ Secretaria Municipal de Educação ­ São Paulo: SME/DOT, 2013.
Publicações institucionais MEC
5- BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Parâmetros Nacionais de Qualidade para
a Educação Infantil. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2006;
6- BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Indicadores da Qualidade na Educação
Infantil. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2009;
7- BRASIL, Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Brinquedos e Brincadeiras nas Creches ­
Manual de Orientação Pedagógica. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2012;
8- BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Educação Infantil - Práticas promotoras
de igualdade. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria da Educação Básica, 2012;
9- BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Diretoria de Apoio à Gestão Educacional.
Pacto nacional pela alfabetização na idade certa: formação do professor alfabetizador: caderno de
apresentação. Secretaria de Educação Básica, Diretoria de Apoio à Gestão Educacional. Brasília: Ministério
da Educação, Secretaria da Educação Básica, 2012.
10- BRASIL. Ministério da Educação, Secretaria da Educação Básica. Elementos conceituais e metodológicos
para definição dos direitos de aprendizagem e desenvolvimento do ciclo de alfabetização (1.o, 2.o e 3.o
anos) do ensino fundamental. Brasília: Ministério da Educação Básica, 2012.
11- BRASIL. Ministério da Educação. SEESP. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da
Educação Inclusiva. Documento elaborado pelo Grupo de trabalho nomeado pela Portaria Ministerial nº
555, de 5 de junho de 2007, prorrogada pela Portaria nº 948, de 09 de outubro de 2007: Brasília,
Ministério da Educação Básica, Secretaria da Educação Especial, 2007.
12- BRASIL. Ministério da Educação. TV Escola - Índios no Brasil ­ Eps. 01 ­ Quem são eles?
Disponível: http://tvescola.mec.gov.br/index.php?option=com_zoo&view=item&item_id=4935
13- BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica.Indagações sobre currículo. Brasília:
Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2007.

Legislação Federal e Normas
1- Constituição da República Federativa do Brasil ­ promulgada em 5 de outubro de 1988, Artigos 5º, 37 ao
41, 205 ao 214, 227 ao 229.
2- Lei Federal 9394/96, de 20/12/96 ­ Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional.
3- Lei Federal nº 8.069, de 13/07/1990 ­ Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente, Artigos 53 a 59
e 136 a 137.
4- Lei Federal nº 10.793, de 01/12/2003 ­ Altera a redação do art. 26, § 3º, e do art. 92 da Lei 9394/96, que
estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional.
5- Lei Federal nº 10.639/03 - Altera a Lei nº 9.9394 de 20 de dezembro de que estabelece as diretrizes e bases
da educação nacional, para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática
"História e Cultura Afro-Brasileira", e dá outras providências.
6- Lei Federal nº 11.114, de 16/05/05 ­ Altera os artigos 6º, 30, 32 e 87 da Lei 9394/96, com o objetivo de
tornar obrigatório o início do ensino fundamental aos seis anos de idade.
7- Lei Federal 11.274, de 06/05/06 - Altera a redação dos artigos. 29, 30, 32 e 87 da Lei nº 9394, de 20 de
dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, dispondo sobre a duração de
9(nove) anos para o ensino fundamental, com matrícula obrigatória a partir dos 6 (seis) anos de idade.
8- Lei Federal nº 11.645, de 10/03/08 ­ Altera a Lei 9.394/96, modificada pela Lei 10.639/03, que estabelece as
Diretrizes e Bases da Educação Nacional, para incluir no currículo oficial da rede de ensino a obrigatoriedade
da temática "História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena.
9- Lei Federal nº 12.976, de abril de 2013 - Altera a Lei nº 9394/96, de 20 de dezembro de 1996, que
estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para dispor sobre a formação dos profissionais da
educação e dar outras providências.
10- Parecer CNE/CEB 11/00 - Dispõe sobre as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação de Jovens e
Adultos.
11- Resolução CNE/CEB nº 02/01 ­ Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Especial na
Educação Básica
12- Parecer CNE/CP n.º 3/04 - Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações ÉtnicoRaciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana.
13- Parecer CNE/CEB nº 2/07, aprovado em 31 de janeiro de 2007 - Parecer quanto à abrangência das Diretrizes
Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura
Afro-Brasileira e Africana.
14- Resolução CNE/CP n.º 1, de 17 de junho de 2004 - Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação
das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana.
15- Decreto Nº 6.949/09 - Promulga a Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência e
seu Protocolo Facultativo, assinados em Nova York, em 30 de março de 2007.
16- Parecer CNE/CEB nº 20/09, aprovado em 11 de novembro de 2009 - Revisão das Diretrizes Curriculares
Nacionais para a Educação Infantil.
17- Resolução CNE/CEB nº 5/09 - Fixa as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil.
18- Nota Técnica ­ SEESP/GAB/Nº 11/10 - Orientações para a institucionalização da Oferta do Atendimento
Educacional Especializado ­ AEE em Salas de Recursos Multifuncionais, implantadas nas escolas regulares.
19- Decreto Nº 7.611/11. - Dispõe sobre a educação especial, o atendimento educacional especializado e dá
outras providências.
20- Resolução CNE/CEB nº 04/09 ­ Institui Diretrizes Operacionais para o Atendimento Educacional
Especializado na Educação Básica, Modalidade Educação Especial.
21- Resolução CNE/CEB 3/10 ­ Institui Diretrizes Operacionais para a Educação de Jovens e Adultos.
22- Resolução nº 4/10 - Define Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais para a Educação Básica.
23- Resolução nº 7/10 Fixa Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Fundamental De 9 (Nove) Anos.
24- Parecer nº 11/2010 que dispõe sobre as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Fundamental de 9
(nove) anos.
Legislação Municipal
1- Decreto Municipal nº 54.452/ 13 - Institui, na Secretaria Municipal de Educação, o Programa de
Reorganização Curricular e Administrativa, Ampliação e Fortalecimento da Rede Municipal de Ensino ­ Mais
Educação São Paulo.
2- Decreto Municipal nº 45.415/04 - Estabelecem diretrizes para a Política de Atendimento a Crianças,
Adolescentes, Jovens e Adultos com Necessidades Educacionais Especiais no Sistema Municipal de Ensino.
3- Decreto nº 54.454, de 10/10/13 ­ Fixa diretrizes gerais para a elaboração dos regimentos educacionais das
unidades integrantes da Rede Municipal de Ensino, bem como delega competência ao Secretário Municipal
de Educação para o estabelecimento das normas gerais e complementares que especifica.

4-

5-

6-

789101112-

13-

Portaria nº 5.930/13 - Regulamenta o Decreto nº 54.452, que institui o Programa de Reorganização Curricular
e Administrativa, Ampliação e Fortalecimento da Rede Municipal de Ensino de São Paulo- "Mais Educação São
Paulo". Publicado no DOC de 15/10/2013 pag.13.
Portaria nº 5.941, de 15/10/13 ­ Estabelece normas complementares ao Decreto nº 54.454, de 10/10/13,
que dispõe sobre diretrizes para elaboração do Regimento Educacional das Unidades da Rede Municipal de
Ensino e dá outras providências
Portaria 5718/04- SME - Dispõe sobre a regulamentação do Decreto 45.415, de 18/10/04, que estabelece
diretrizes para a Política de Atendimento a Crianças, Adolescentes, Jovens e Adultos com Necessidades
Educacionais Especiais no Sistema Municipal de Ensino, e dá outras providências.
Decreto Municipal Nº 51.778/10 - Institui a Política de Atendimento de Educação Especial, por meio do
Programa Inclui, no âmbito da Secretaria Municipal de Educação.
Decreto Municipal nº 52.785/11 - Cria as Escolas Municipais de Educação Bilíngue para Surdos (EMEBS) na
rede municipal de ensino.
Indicação CME nº 17/2013. Orientações para o Sistema Municipal de Ensino quanto à implementação da Lei
nº 12.796/13 na Educação Infantil.
Decreto nº 52.785 /11 - Cria as Escolas Municipais de Educação Bilíngue para Surdos (EMEBS) na rede
municipal de ensino.
Portaria Nº 5.707/11 ­ Regulamenta o Decreto 52.785 DE 10/10/11, que criou as escolas de educação
Bilíngue para surdos ­ EMEBS na Rede Municipal de Ensino e dá outras providências.
Portaria Nº 2.496/12 Regulamenta as salas de apoio e acompanhamento à inclusão ­ SAAIS, integrantes do
inciso II do artigo 2º - PROJETO APOIAR que compõe o Decreto nº 51.778, de 14/09/10, que institui a política
de atendimento de Educação Especial do Programa INCLUI, no âmbito da Secretaria Municipal de Educação
de São Paulo.
Portaria Nº 2.963/13 - Organiza o quadro de Auxiliares de Vida Escolar ­ AVEs e de Estagiários de Pedagogia,
em apoio a Educação Inclusiva, especifica suas funções e dá outras providências.

Livros e Artigos da Educação Infantil
1- ABRAMOWICZ, Anete. A pesquisa com crianças em infâncias e a Sociologia da Infância. Cap. 1 IN: FARIA Ana
Lúcia Goulart de; FINCO, Daniela (Orgs.). Sociologia da Infância no Brasil. Campinas, SP: Autores Associados,
2011 (Coleção Polêmicas do nosso tempo).
2- BARBOSA, Maria Carmen S. Por amor e por força: rotinas na educação infantil. Porto Alegre: Artmed, 2006.
(cap. 6, 7, 8, 9 e 10).
3- BARBOSA, Maria Carmen Silveira. Culturas escolares, culturas de infância e culturas familiares: as
socializações e a escolarização no entretecer destas culturas. Educ. Soc. [online]. 2007.
4- BARBOSA, Maria Carmem Silveira e HORN, Maria da Graça Souza. Projetos Pedagógicos na educação infantil.
Porto Alegre: Artmed, 2008.
5- DIDONET,
Vital.
A
Avaliação
na
e
da
Educação
Infantil.
Disponível
em:
http://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache:CSelY3YGeYJ:www.mpsp.mp.br/portal/page/portal/Educacao/Doutrina/Avalia%25C3%25A7%25C3%25A3o%2520na%
2520Educa%25C3%25A7%25C3%25A3o%2520Infantil%2520-%2520Vital%2520Didonet.doc+&cd=1&hl=ptBR&ct=clnk&gl=br
6- FARIA, Ana Lúcia Goulart (org.). O coletivo infantil em creches e pré-escolas: falares e saberes. São Paulo:
Cortez, 2007.
7- FINCO, Daniela e Oliveira, Fabiana de. A Sociologia da pequena infância e a diversidade de gênero e de raça
nas instituições de Educação Infantil. Cap. 3. IN: Faria Ana Lúcia Goulart de; FINCO, Daniela (Orgs.). Sociologia
da Infância no Brasil. Campinas, SP: Autores Associados, 2011 (Coleção Polêmicas do nosso tempo).
8- MELLO, Suely Amaral. O processo de aquisição da escrita na Educação Infantil: contribuições de Vygotsky.
Cap. 2. IN: FARIA, Ana Lúcia Goulart & MELLO, Sueli Amaral (orgs.).Linguagens infantis: outras formas de
leitura. Campinas, SP: Autores Associados, 2009. Coleção Polêmicas do Nosso Tempo.
9- NASCIMENTO, Maria Letícia. Algumas considerações sobre a infância e as políticas para Educação Infantil.
Educação &Linguagem. São Paulo, V.14 nº23/24,146 ­ 159, jan ­ dez ­ 2011.
10- RINALDI, Carla. Diálogos com Reggio Emília: Escutar, investigar e aprender. Tradução, Vânia Cury. São Paulo:
Paz e Terra, 2012. Cap 4.

Bibliografia ­ Ensino Fundamental
1- ALBUQUERQUE, Eliana B. C.; MORAIS, Artur G. Avaliação e alfabetização. In: MARCUSCHI, Beth; SUASSUNA,
Lívia (orgs.). Avaliação em língua portuguesa: contribuições para a prática pedagógica. Belo Horizonte: Autêntica,
2006. (Disponível em http://www.ufpe.br/ceel/e-books/Avaliacao_Livro.pdf)
2-BARBOSA, Ana Mae. Inquietações e mudanças no ensino da arte. São Paulo: Cortêz, 2002.
3.BORBA, Rute. Vamos combinar, arranjar e permutar: aprendendo Combinatória desde os anos iniciais de
escolarização. Anais... XI Encontro Nacional de Educação Matemática. Curitiba, 2013.
4.BORBA, Ângela M. O brincar como um modo de ser e estar no mundo. In Brasil. Ministério da Educação. Ensino
Fundamental de nove anos: inclusão para crianças de seis anos de idade. Brasília, 2006. p. 33-44. (Disponível em:
).
5.CEBOLA, G. (2002). Do número ao sentido do número. In: PONTE, J. P. e colaboradores (Orgs.). Atividades de
investigação na aprendizagem da matemática e na formação de professores. Lisboa: Secção de Educação e
Matemática da Sociedade Portuguesa de Ciências da Educação, p. 223-239, 2002.
6. CORSINO, Patrícia. As crianças de seis anos e as áreas do conhecimento. In: Org. BEAUCHAMP, Janete; PAGEL,
Denise; NASCIMENTO, Aricelia R. Ensino Fundamental de nove anos: orientações para a inclusão da criança de
seis
anos
de
idade.
Brasília:
MEC/SEB,
2007.
Disponível
em:
http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/ensfund/ensifund9anobasefinal.pdf
7.CUNHA, Suzana Rangel Vieira. As artes no universo Infantil. Porto Alegre: Mediação, 2012.
8.DOLZ, Joaquim, NOVERRAZ, Michèle e SCHNEUWLY, Bernard. Sequências didáticas para o oral e a escrita:
apresentação de um procedimento. In: SCHNEUWLY, Bernard, DOLZ, Joaquim. Gêneros orais e escritos na escola.
São Paulo: Mercado de Letras, 2004.
9.FERREIRA, Andrea; ROSA, Ester. O fazer cotidiano na sala de aula: a organização do trabalho pedagógico no
ensino da língua materna. Belo Horizonte: Autêntica, 2012.
10. FERREIRO, Emília; TEBEROSKY. Ana. Psicogênese da língua escrita. Porto Alegre: Artmed, 1986. Cap. 5 e 6.
11.FRADE, Isabel Cristina Alves da Silva. Formas de Organização do trabalho de Alfabetização e Letramento. In:
BRASIL, Ministério da Educação. Alfabetização e letramento na infância. Boletim 09/ Secretaria de Educação
Básica
­
Brasília:
MEC/SEB,
2005.(Disponívelem:http://www.tvbrasil.org.br/fotos/salto/series/150630AlfabetizacaoeLetramento.pdf).GOU
12.FREITAS, Luiz Carlos de. Ciclos, seriação e avaliação: confrontos de lógicas. São Paulo: Moderna, 2003. 96 p.
(Cotidiano Escolar).
13.KLEIMAN, Angela e MORAES, Sílvia. Leitura e interdisciplinaridade: tecendo redes nos projetos da escola.
Campinas, SP: Mercado de Letras, 1999.
14.LEAL, Telma Ferraz e BRANDÃO, Ana Carolina Perrusi (Orgs.). Produção de textos na escola reflexões e práticas
no ensino fundamental. Belo Horizonte: Autêntica,
2006. (Disponível em: http://www.ufpe.br/ceel/e-books/Producao_Livro.pdf)
15. LERNER, Délia. Ler e escrever na escola: o real, o possível e o necessário. Porto Alegre: Artmed, 2002. Cap.2 e
4.
16.LERNER, Delia. O sistema de numeração: um problema didático. In: PARRA, C.; SAIZ, C. (Org.). Didática da
Matemática: reflexões psicopedagógicas. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996.
17. MANDARINO, M. C. F. Que conteúdos da matemática escolar professores dos anos iniciais do ensino
fundamental priorizam? In: Guimarães, G. & Borba, R. (Orgs.), Reflexões sobre o ensino de matemática nos anos
iniciais de escolarização. São Paulo: Biblioteca do Educador Matemático, Sociedade Brasileira de Educação
Matemática., p. 29-48, 2009.
18. MARCUSCHI, Luiz Antônio. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Parábola, 2008.
Cap.1
19. MORAIS, Artur. Sistema de Escrita Alfabética. São Paulo: Melhoramentos, 2012.Cap.3
20. MOREIRA, Antônio Flávio Barbosa; CANDAU, Vera Maria. Indagações sobre currículo: currículo, conhecimento
e cultura. In BEAUCHAMP, Jeanete, PAGEL, Sandra Denise; NASCIMENTO, Aricélia Ribeiro. Indagações sobre o
Currículo. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2007. (Disponível em:
http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/Ensfund/indag3.pdf).
21.NEIRA , M.G; NUNES, M.L.F. Pedagogia da cultura corporal : críticas e alternativas. São Paulo : Phorte, 2006 .
22. PARRA, C. Cálculo mental na escola primária. In: PARRA, C.; SAIZ, C. (Org.). Didática da Matemática: reflexões
psicopedagógicas. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996.
23. PIRES, C.M.C. PIROLA, N. A. Experimentar, conjecturar, representar, relacionar, comunicar, argumentar,
validar. In: Secretaria de Estado de Educação ­ São Paulo (Estado). Programa de Educação Continuada ­ PEC-FORPROF. 2002.
24. PICOLLI, Luciana; CAMINI, Patricia. Práticas pedagógicas em alfabetização:espaço, tempo e corporeidade.
Porto Alegre: Edelbra, 2012.
25. PONTUSCHKA, Nídia Nacib; PAGANELLI Tomoko Iyda; CACETE Núria Hanglei. Para ensinar e aprender
geografia. 1ª ed. São Paulo: Cortez, 2007.

26. SAIZ, I. E. A direita... de quem? Localização espacial na educação infantil e nas séries iniciais. In: PANIZZA,
Mabel. Ensinar matemática na educação infantil e nas séries iniciais. São Paulo: Artmed, 2006. p. 143-167.
27. SANTOS, Carmi Ferraz e MENDONÇA, Márcia. Alfabetização e Letramento: conceitos e relações. Belo
Horizonte:
Autêntica,
2005.
(Disponível
em:http://www.ceelufpe.com.br/ebooks/Alfabetizacao_letramento_Livro.pdf).
28. SANTOS, Carmi Ferraz; MENDONÇA, Márcia; CAVALCANTE, Marianne C. B. O trabalho com gêneros por meio
de projetos. In: SANTOS, Carmi Ferraz; MENDONÇA, Márcia; CAVALCANTE, Marianne C. B. (Org). Diversidade
textual: os gêneros na sala de aula. Belo Horizonte: Autêntica, 2007. p. 115-132.. (Disponível em:
www.ceelufpe.com.br)
29. SILVA, Alexsandro, MORAIS, Artur Gomes de, MELO, Kátia Leal Reis de.(orgs) Ortografia na sala de aula. Belo
Horizonte: Autêntica, 2005. (Disponível em www.ufpe.br/ceel).
30. WOLFF, Jeferson Fernando de Souza. Avaliação de softwares educacionais: critérios para seleção de softwares
educacionais para ensino de matemática. Ciência e Conhecimento. São Gerônimo, v. 03, p.1-14, jun. 2008.
Educação de Jovens e Adultos
ARROYO, Miguel. Formar educadoras e educadores de jovens e adultos. In: SOARES, Leôncio (org.) Formação de
educadores de jovens e adultos. Belo Horizonte: Autêntica/SECAD-MEC/UNESCO, 2006.
CARVALHO, J.S.F. Reflexões sobre Educação, Formação e Esfera Pública. Porto Alegre: Penso, 2013.
DI PIERRO, M.C. A Alfabetização ea Educação de Jovens e Adultos no Município de São Paulo. In: Lamari, R. E.
(org.). Ciclo de Debates Pensando São Paulo: São Paulo, Câmara Municipal, Escola do Parlamento, Imprensa
Oficial, 2012, p. 177 -180.
FREIRE, Paulo. Educação e Mudança. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2001.
___________. Pedagogia da Autonomia. São Paulo: Paz e Terra, 1996.
___________. Pedagogia do Oprimido. São Paulo: Paz e Terra,
___________. Pedagogia da Esperança - Um Reencontro com a pedagogia do oprimido. São Paulo: Paz e Terra, 17
ed. 2011
Educação Especial
MANTOAN, M. T. Egler, PRIETO, R. Gavioli, ARANTES V. Amorim (Org.). Inclusão escolar: pontos e contrapontos.
1ed. São Paulo: Summus, 2006.
ANEXO III ­ DECLARAÇÃO DE COMPROVAÇÃO DE RENDA FAMILIAR
PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO PAULO
SME - SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO
Eu,______________________________________________________________________________________________,
Inscrição nº ___________________, CPF. nº____________________________________, Declaro para fins de isenção
do pagamento do valor da inscrição no Concurso Público da Prefeitura do Município de São Paulo ­SP, para o cargo de
Professor de Educação Infantil e Ensino Fundamental I que a composição de minha renda familiar corresponde ao
discriminado no quadro a seguir:
RENDA FAMILIAR (membros da família residente sob o mesmo teto, inclusive o próprio candidato)
NOME COMPLETO

GRAU DE
PARENTESCO

DATA DE
NASCIMENTO

CPF

REMUNERAÇÃO
MENSAL (R$)

Estou ciente que poderei ser responsabilizado criminalmente, caso as informações aqui prestadas não correspondam
à verdade.
Em ______/_______ / 2014.
________________________________________
Assinatura do candidato (a)
Obs.: A cópia do comprovante de isenção e a declaração de renda familiar deverão ser postados até o dia 06 de junho de 2014.

ANEXO IV - MODELO DE AUTODECLARAÇÃO DE PERTENCIMENTO RACIAL (ÉTNICO RACIAL)

Considerando a necessidade de cumprimento da Lei 15.939/2013, regulamentada pelo Decreto 54.949/2014 que
dispõe sobre Cotas Raciais nos Serviços Públicos do Município de São Paulo, declaro para o fim específico de
atender ao Capítulo 6 do Edital de Abertura de Inscrições do Concurso Público da Prefeitura do Município de São
Paulo ­ PMSP, para o cargo de Professor de Educação Infantil e Ensino Fundamental I, que sou negro, negra ou
afrodescendente, da cor preta ou parda, conforme as categorias estabelecidas pelo Instituto Brasileiro de
Geografia e Estatística - IBGE. Estou ciente de que se for detectada falsidade desta declaração, estarei sujeito (a)
às penalidades legais, inclusive de eliminação deste Concurso, em qualquer fase, e de anulação de minha
nomeação (caso tenha sido nomeado (a) e/ou empossado (a)) após procedimento administrativo regular, em que
sejam assegurados o contraditório e a ampla defesa.
São Paulo, ______/ _______/ _______ .
_______________________________
ASSINATURA DO CANDIDATO
Nº DO DOCUMENTO DE IDENTIDADE

ANEXO V ­ MODELO DE ATESTADO

TIMBRE / CARIMBO DA ESCOLA OU ENTIDADE EDUCACIONAL
Ato de Reconhecimento / Autorização: DO__ ___/___/____
(no caso de escola particular)

ATESTADO DE TEMPO DE SERVIÇO NA ÁREA DOCENTE
Atesto, sob as penas da Lei, para fins de pontuação por tempo de serviço, no Concurso Público de Ingresso para
provimento de cargos vagos de Professor de Educação Infantil e Ensino Fundamental I, da Prefeitura do
Município de São Paulo - PMSP, que o (a) Sr. (a) ___________________, R.G. nº___________, UF ______ nascido
(a) em __/__/__ exerceu nesta Escola / Entidade Educacional o cargo/função/emprego de ____________ no
período de __/__/___ a __/__/___ contando, até 01 de março 2014, com: ____meses de Tempo de Efetivo
Exercício.
______________
LOCAL/DATA

_______________________
ASSINATURA E CARIMBO DA
AUTORIDADE RESPONSÁVEL PELA
INSTITUIÇÃO DE ENSINO

______________
LOCAL/DATA

E

__________________________
ASSINATURA E CARIMBO
DO SUPERVISOR DE ENSINO OU
DIRIGENTE REGIONAL DE ENSINO OU
RESPONSÁVEL PELO SETOR DE RECURSOS
HUMANOS DO ÓRGÃO PÚBLICO
(RECONHECIMENTO DE FIRMA)

DECLARAÇÃO DO CANDIDATO

(parte integrante do Anexo V ­ Atestado de Tempo de Serviço na Área Docente)
Eu ____________________________, RG __________________, inscrito no Concurso Público de Ingresso para
provimento de cargos vagos de Professor de Educação Infantil e Ensino Fundamental I da Prefeitura do Município
de São Paulo - PMSP, sob nº de inscrição _________________, declaro sob as penas da Lei que o Tempo de
Serviço constante no presente Atestado não foi utilizado para fins de aposentadoria.
_____________,
LOCAL/DATA

_______________________________________
Assinatura do Candidato com firma reconhecida

ANEXO VI ­ MODELO DE REQUERIMENTO
SOLICITAÇÃO DE ATENDIMENTO ESPECIAL E/OU CONDIÇÕES ESPECIAIS PARA REALIZAÇÃO DAS PROVAS
I ­ Modelo de requerimento de condições especiais, conforme solicitado no subitem 5.4, alínea "c" e subitem 7.2
deste Edital.
REQUERIMENTO DE ATENDIMENTO ESPECIAL E/OU CONDIÇÕES ESPECIAIS PARA REALIZAÇÃO DAS
PROVAS DO CONCURSO PÚBLICO
PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO PAULO
SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO ­ SME
Eu,__________________________________________________________________________________________
Inscrição nº _________________, CPF. nº______________________________, venho requerer para o concurso
público da Prefeitura Municipal de São Paulo ­ Secretaria Municipal de Educação ­ SME para o cargo de
Professor de Educação Infantil e Ensino Fundamental I
(
(
(
(
(

) ­ Prova em Braile
) ­ Prova Ampliada
) ­ Prova com Ledor
) ­ Prova com Intérprete de Libras
) ­ Outros:___________________________________________________________________

Em ______/_______ / 2014

________________________________________
Assinatura do candidato (a)

Obs.: O laudo médico e a solicitação de Prova Especial e/ou condições especiais (se for o caso) deverão ser
postados até o dia 20 de junho de 2014.

ANEXO VII ­ COMUNICADO 009/COGEP/2013
(Diário Oficial da Cidade de 27 de junho de 2013)
PROTOCOLOS TÉCNICOS DO DEPARTAMENTO DE SAÚDE DO SERVIDOR ­ DESS
1) PROTOCOLOS PARA EXAMES MÉDICO-PERICIAIS PARA INGRESSO
Os protocolos técnicos a seguir referem-se às principais patologias geradoras de inaptidão nos exames médicos
de ingresso.

Considera-se que o objetivo do exame médico admissional de ingresso é avaliar, no momento do exame, a
capacidade física e mental do candidato para exercer as atividades para as quais está se propondo, tendo em
conta os riscos inerentes a cada cargo e o prognóstico de algumas patologias apresentadas pelos candidatos.
Os critérios foram estabelecidos levando-se em consideração a função que o candidato pretende exercer e os
dados epidemiológicos que apontaram patologias responsáveis por licenças prolongadas, readaptações e
aposentadoria precoce por invalidez.
Foram consultados peritos e especialistas em diversas áreas, além de documentos técnicos atuais para melhor
embasar estes protocolos.
Este protocolo tem como objetivo:
-Orientar os médicos nas atividades periciais.
-Estabelecer critérios únicos para todos os candidatos;
OBSERVAÇÃO: Os portadores de necessidades especiais, comprovadas por laudo do DESS e que tenham se
inscrito dentro da cota de deficientes, serão avaliados levando-se em consideração a deficiência.
EXAME MÉDICO PERICIAL GERAL
O candidato será considerado INAPTO, nos casos em que apresentar:
a) cicatrizes e/ou deformidades diversas que levem à limitação funcional para a função pleiteada;
b) tatuagens que afetem o decoro como agente público tais como as que apresentem símbolos e/ou inscrições
alusivos a Ideologias terroristas ou extremistas, contrárias às instituições democráticas ou que preguem a
violência e a criminalidade; discriminação ou preconceitos de raça, credo, sexo ou origem; idéias ou atos
libidinosos; idéias ou atos ofensivos às Instituições oficiais que esteja (m) aplicada (s) em extensa área do corpo
ou na face, que possa (m) vir a prejudicar os padrões de apresentação pessoal e de uso de uniformes exigidos na
função pleiteada;
c) cirurgias que reduzam a capacidade física e vital para a função pleiteada;
d) doenças clínicas incuráveis progressivas que tenham deixado seqüelas limitantes para função;
e) doenças infecto-contagiosas em atividade e com limitação ou risco para si no desempenho da função;
f) doenças contagiosas da pele; eritrodermia; púrpura; pênfigo: todas as formas; úlcera de estase, anêmica,
microangiopática, arteriosclerótica e neurotrófica; colagenose - lupus eritematoso sistêmico, dermatomiosite,
esclerodermia; micose profunda; hanseníase;
g) processo hemorroidário;
h) uropatia obstrutiva - estenose de uretra, litíase urinária recidivante, prostatite crônica; rim policístico;
insuficiência renal de qualquer grau; nefrite intersticial; glomerulonefrite; sífilis secundária latente ou terciária;
varicocele e/ou hidrocele em fase de indicação cirúrgica; orquite e epidemite crônica; criptorquidia;
i) o candidato ainda será considerado inapto, nos casos em que apresentar alteração em exame complementar
que represente qualquer condição incapacitante.
EXAME ORTOPÉDICO
O candidato será considerado INAPTO, nos casos em que apresentar as alterações seguintes incompatíveis com
a função em especial nas funções de risco (Operador de maquinas de grande porte, Guarda Civil Metropolitano,
Professor de Educação física):
a) perda de substância óssea com redução da capacidade motora;
b) instabilidades articulares tipo luxações recidivantes ou habituais e instabilidades ligamentares isoladas ou
generalizadas de qualquer etiologia;
c) desvio de eixo fisiológico do aparelho locomotor, como seqüelas de fraturas, cifoses superiores a 45 graus,
escoliose superior a 10 graus, espondilólise e espondilolistese de natureza congênita ou adquirida, deformidade
da cintura escapular, do cotovelo, punho ou mão e dos dedos; hérnia de disco da coluna vertebral;
d) desvios do tornozelo e articulações subtalar, desvios das articulações médio-társicas e do antepé;
e) pré-existência de cirurgia em plano articular;
f) obliqüidade pélvica com ou sem discrepâncias de complemento dos membros inferiores (maiores que 8mm),
Genu Varum ou Valgum (superiores a 5 graus);
g) alterações congênitas e seqüelas de osteocondrites;
h) doença infecciosa óssea e articular (osteomielite) ou seqüelas que levem à redução significativa de mobilidade
articular, da força muscular e com alteração de eixo que comprometa a força e a estabilidade das articulações;
alteração óssea que comprometa a força e a estabilidade dos membros superiores e inferiores; discopatia;
fratura viciosamente consolidada; pseudoartrose; doença inflamatória e degenerativa ósteo-articular; artropatia
gotosa; tumor ósseo e muscular; distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho ou lesões por esforços
repetitivos.

EXAME NEUROLÓGICO
O candidato será considerado inapto, nos casos em que apresentar as seguintes alterações incompatíveis com a
função em especial as funções de risco (Operador de maquinas de grande porte, Guarda Civil Metropolitano):
a) Alterações neurológicas, tipo seqüelas de paralisia totais ou parciais, atrofias e distrofias musculares, perdas
de sensibilidade e epilepsia;
b) infecção do sistema nervoso central; doença vascular do cérebro e da medula espinhal; síndrome póstraumatismo crânio-encefálico, distúrbio do desenvolvimento psicomotor; doença degenerativa e heredodegenerativa; distrofia muscular progressiva; doenças desmielinizantes.
EXAME PULMONAR
O candidato poderá ser considerado inapto nas funções de risco (Operador de maquinas de grande porte,
Guarda Civil Metropolitano, Professor de Educação física) nos casos em que apresentar:
Distúrbio da função ventilatória pulmonar de qualquer natureza: asma, enfisema pulmonar e etc, tuberculose
ativa pulmonar e em qualquer outro órgão, sarcoidose, pneumoconiose, pleuris prévio com encarceramento
pulmonar, pneumotórax. O RX de tórax , quando solicitado deverá ser normal.
EXAME CARDIOVASCULAR
O candidato será considerado inapto, nos casos em que apresentar:
a) doença coronariana, miocardiopatias, hipertensão arterial sistêmica (parâmetros abaixo), hipertensão
pulmonar;
b) cardiopatia congênita, ressalvada a CIA, a CIV e a PCA corrigidos cirurgicamente, e alterações da válvula
aórtica bicúspide, que não promovam repercussão hemodinâmica; valvulopatia adquirida, ressalvado o prolapso
de válvula mitral com ausência de repercussão funcional; pericardite; arritmia cardíaca;
c) Insuficiência venosa periférica ­ varizes (parâmetros abaixo); linfedema; fístula artério-venosa; angiodisplasia;
arteriopatia oclusiva crônica;
d) arteriosclerose obliterante, tromboangeíte obliterante, arterites; arteriopatia não oclusiva - aneurismas,
mesmo após correção cirúrgica; arteriopatia funcional - doença de Reynaud, acrocianose, distrofia simpáticoreflexa; síndrome do desfiladeiro torácico.
Hipertensão arterial sistêmica
1. O candidato que no momento do exame admissional apresentar Pressão Arterial (PA) até 150 x 100 mmHg
(inclusive), sem patologia associada, será considerado APTO independente da função. 2. O candidato que
apresentar PA superior a 150 x 100 mmHg, será classificado em uma das seguintes situações:
Função de risco e sem patologia associada ­ solicitar exames:
Exames normais - APTO.
Exames alterados - Encaminhar para cardiologista, que avaliará o tipo de alteração, podendo considerar APTO ou
INAPTO.
Função de risco e com patologia associada - INAPTO
Outras funções e sem patologia associada ­ APTO.
Outras funções e com patologia associada ­ SOLICITAR EXAMES
Exames normais - APTO
Exames alterados - Encaminhar para cardiologista, que avaliará o tipo de alteração, podendo considerar APTO ou
INAPTO.
1- O candidato que apresentar PA de 170 x 110 mmHg ou acima desta
medida, será classificado em uma das seguintes situações:
Função de risco, com ou sem patologia associada, será considerado INAPTO.
Outras funções, patologia associada - INAPTO.
Outras funções, sem patologia associada ­ Solicitar exames.
Exames normais - APTO
Exames alterados - Encaminhar para cardiologista, que avaliará o tipo de alteração, podendo considerar APTO ou
INAPTO.

OBSERVAÇÕES: São consideradas funções de risco relacionadas com alterações da pressão arterial: Guarda Civil
Metropolitano, Agente de Apoio (Motorista, Eletricista, Operador de Máquina de Grande Porte) e qualquer
atividade que possam colocar em risco a saúde em geral e a integridade física do candidato.
São consideradas patologias associadas à Hipertensão Arterial: Diabete Mellitus, Arritmias e Obesidade.
Os exames que serão solicitados são: Glicemia, RX de Tórax, ECG, Exame de Fundo de Olho (FO), Urina I,
Dosagem de Creatinina, Uréia, Colesterol e Triglicérides.
Os exames poderão ser realizados pela Prefeitura ou pelo convênio que o candidato possuir, poderão ser aceitos
eventualmente exames "particulares" com prévia comunicação e conseqüente concordância do Departamento.
Todos os candidatos hipertensos serão orientados para realizarem o devido tratamento.
Varizes de membros inferiores
O candidato que apresentar varizes primárias de Grau I ou II (veias com calibre até 0,5 mm), sem quadro agudo e
sem sinais de insuficiência venosa crônica, será considerado = APTO, independente da função que venha
exercer.
O candidato que apresentar varizes primárias de Grau III e Grau IV (veias de calibre superiores a 0,5 mm), sem
quadro agudo e sem sinais de insuficiência venosa:
Função de risco - INAPTO
Outras funções - APTO
Nos demais casos de varizes encaminhar para especialista, que avaliará dentro dos seguintes critérios:
O candidato que apresentar varizes primárias Graus I, II e III, com sinais de IVC, porém sem quadro agudo:
Função de risco - INAPTO
Outras funções - APTO a depender do quadro de IVC.
O candidato que apresentar veias de grosso calibre GRAU IV (acima de 0,7 mm), sem quadro agudo, porém com
sinais de Insuficiência Venosa Crônica, será considerado - INAPTO, Independente da função.
O candidato que apresentar varizes primárias com quadro agudo de insuficiência venosa será considerado
INAPTO independente da função.
OBSERVAÇÕES:
São consideradas funções de risco relacionadas com varizes: Professor, Guarda Civil Metropolitano, Professor de
Desenvolvimento Infantil, Vigia, Médico-Cirurgião, Sepultadores, Agente Escolar, Agente de Apoio (Motorista,
Auxiliares de Serviços Gerais) e outras que possam colocar em risco a saúde em geral e/ou a integridade física do
candidato.
São consideradas patologias associadas que dificultam o tratamento:
Traumas associados, obesidade, idade e diabete melittus. São considerados sinais de Insuficiência Venosa
Crônica, aqueles decorrentes de hipertensão venosa, com alterações teciduais, tais como: ulcerações, edemas,
erisipelas, dermatites, escleroses e varizes secundárias.
São considerados casos agudos os quadros que necessitam de afastamento do trabalho para tratamento clínico
imediato. Em todos os casos de aptidão os servidores serão encaminhados para tratamento.
OFTALMOLOGIA
TODOS OS Candidatos a funções de risco ou com 50 anos ou mais, serão submetidos diretamente a exame
oftalmológico.
Demais funções e com idade inferior a 50 anos, serão submetidos a exame de Acuidade visual, através de exame
Snellen.
Funções de risco: são consideradas funções de risco relacionadas com alterações oftalmológicas: Guarda Civil
Metropolitano, Agente de Apoio (Motorista, Eletricista, Operador de Máquina de Grande Porte) e qualquer
atividade que exija perfeita acuidade visual especialmente aquelas que possam colocar em risco o candidato.
OBS: Os deficientes físicos visuais serão classificados de acordo com a Portaria 053/SMA-G/2000. Agente de
Apoio (Motoristas e Operadores de Máquinas de Grande Porte). Utilizam-se os critérios para motorista do
DETRAN (CNH Profissional, categorias C e D).
Para ser considerado - APTO o candidato terá que apresentar acuidade visual igual ou acima de 0,8 em cada olho
em separado, com ou sem correção.
O candidato que apresentar acuidade visual menor que 0,8 em cada olho em separado, com ou sem correção,
será considerado - INAPTO.

OBS: O candidato não poderá ingressar pela Lei do Deficiente Físico (Visual).
Agente de Apoio (Eletricista):
Para ser considerado - APTO o candidato terá que apresentar acuidade visual igual ou acima de 0,6 em cada olho
em separado, com ou sem correção.
O candidato que apresentar acuidade visual menor que 0,6 em cada olho em separado, com ou sem correção,
será considerado - INAPTO.
Guarda Civil Metropolitano: para ser considerado - APTO o candidato terá que apresentar acuidade visual igual
ou acima de 0,8 em cada olho em separado, com ou sem correção.
O candidato que apresentar acuidade visual menor que 0,8 em cada olho em separado, com ou sem correção,
será considerado - INAPTO.
OBS: o candidato não poderá ingressar pela Lei do Deficiente Físico (Visual) e não pode ser daltônico ou
amblíope.
Outras funções:
O candidato que apresentar acuidade visual igual ou acima de 0,6 no melhor olho, com ou sem correção, ao
exame de Snellen, será considerado APTO.
O candidato que apresentar acuidade visual igual ou menor que 0,6 no melhor olho, com ou sem correção, será
encaminhado para exame oftalmológico.
O candidato que tiver visão 0,3 e 0,6, e não apresentar suspeita de catarata, glaucoma, ceratocone, retinopatia
diabética ou outras patologias evolutivas, será considerado - APTO.
O candidato que tiver visão 0,3 e 0,6 e apresentar suspeita de catarata, glaucoma, ceratocone, retinopatia ou
outras patologias evolutivas, será solicitado relatório médico esclarecedor. Dependendo da confirmação
diagnóstica, do estágio evolutivo e do
prognóstico, será considerado - APTO ou INAPTO pelo oftalmologista.
O candidato que tiver visão menor ou igual a 0,3, no melhor olho, com correção, será considerado portador de
deficiência físico visual, dependendo do caráter evolutivo da patologia e da função a ser exercida.
O candidato à função de risco na PMSP portador ou referindo história de estrabismo corrigido cirurgicamente
deverá apresentar:
Agudeza visual em ambos os olhos, com ou sem correção, compatível com a função.
Teste óptico comprovando a existência de visão binocular e fusão.
EXAMES LABORATORIAIS.
Os exames visam comprovar o estado de saúde do candidato, subsidiar as hipóteses diagnósticas e a elaboração
do laudo médico pericial:
a) o médico perito do Departamento de Saúde do Servidor, durante a avaliação pré-admissional, poderá solicitar
exames complementares de apoio diagnóstico, nos casos em que considerar necessário;
b) os exames solicitados deverão ser providenciados por conta do candidato, podendo ser realizados na saúde
pública ou privada, e apresentados no prazo máximo de 15 dias da data da avaliação inicial e terão validade
máxima de 30 (trinta) dias corridos e deverão ser homologados pelo Departamento de Saúde do Servidor;
c) resultado médico de Apto ou Inapto para o cargo será definido pelo médico perito do DESS/SEMPLA baseado
nos itens acima, protocolos da Divisão de Perícias Médicas e do Núcleo do Ingresso do DESS e outras evidências
periciais pertinentes à conclusão final.
PORTADORES DE NEOPLASIAS
1- CONCEITUAÇÃO: É um grupo de doenças caracterizadas pelo desenvolvimento incontrolado de células
anormais que se disseminam a partir de um sítio anatômico primitivo. São consideradas Neoplasias Malignas as
relacionadas na Classificação Internacional de Doenças (CID-10).
2- AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA E ESTADIAMENTO: o diagnóstico e a extensão da neoplasia maligna podem ser
determinados pelos seguintes meios propedêuticos:
a) biópsia da lesão com estudo histopatológico;

b) exames citológicos;
c) exames ultrassonográficos;
d) exames endoscópicos;
e) exames de tomografia computadorizada;
f) exames de ressonância nuclear magnética;
g) exames cintilográficos;
h) pesquisa de marcadores tumorais específicos;
i) exames radiológicos.
3 ­ PROGNÓSTICO ­ é determinado pelo grau de malignidade da neoplasia influenciado pelos seguintes fatores:
a) grau de proliferação celular;
b) grau de diferenciação celular;
c) grau de invasão vascular e linfática;
d) estadiamento clínico e/ou cirúrgico;
e) resposta à terapêutica específica;
f) estatísticas de morbidade e mortalidade de cada tipo de neoplasia.
Para fins de ingresso no Serviço Público Municipal serão considerados portadores de Neoplasia Maligna todos os
candidatos durante os 05 (cinco) primeiros anos de acompanhamento clínico ou a partir da data do diagnóstico,
mesmo que a patologia seja/tenha sido suscetível de tratamento cirúrgico radioterápico ou quimioterápico,
mesmo que o estadiamento clínico indique bom prognóstico e mesmo que os exames complementares
realizados após o(s) ratamentos referidos não indiquem presença de doença ativa.
Casos não previstos acima terão a conclusão a critério médico pericial.
Serão considerados aptos, os candidatos que foram portadores de Neoplasia Maligna que, após cinco anos de
acompanhamento clínico e laboratorial, não apresentarem evidência de atividade de Neoplasia e/ou
Metástases.
PORTADORES DE TRANSTORNOS MENTAIS E COMPORTAMENTAIS
O candidato que no momento do exame admissional apresentar sinais e/ou sintomas de transtornos mentais
e/ou comportamentais, história clínica pregressa de internação ou tratamento psiquiátrico, uso de medicação
controlada e/ou antecedentes de licenças médicas psiquiátricas será encaminhado para especialista. A aptidão
ficará a critério do especialista que se baseará nas seguintes situações:
1 ­ Nos casos de presença de quadro psiquiátrico atual:
Quadro Atual Função de Risco Outras Funções
Psicopatologia grave/moderada Inapto para qualquer função
-Psicopatologia leve sem tratamento adequado:- Funções de risco- Inapto - Outras funções A critério do
especialista, com base em relatórios do médico assistente, evolução, grau de incapacidade, prognóstico da
patologia, etc.
Psicopatologia leve com tratamento adequado:- Função de risco- Inapto
- Outras funções A critério do especialista, com base em relatórios do médico assistente, evolução, grau de
incapacidade, prognóstico da patologia, etc.
2 ­ Nos casos de história psiquiátrica pregressa:
Antecedentes psiquiátricos Função de Risco Outras Funções
Antecedentes de quadro psiquiátrico leve :-Função de risco -a critério do especialista, com base em relatórios do
médico assistente, evolução, grau de incapacidade, número de recaídas/recidivas, prognóstico da patologia, etc.
-Outrass funções - Apto
Antecedentes de quadro psiquiátrico grave/moderado: -Função de risco - Inapto
-Outras funções -A critério do especialista, com base em relatórios do médico assistente, evolução, grau de
incapacidade, número de recaídas/recidivas, prognóstico da patologia, etc.

Pelos Critérios Epidemiológicos e Profissiográficos são considerados grupos ou funções de risco relacionados
com distúrbios mentais e comportamentais: Guarda Civil Metropolitano, Agente de Apoio (Motorista, Operador
de Máquina Pesada, Vigia), além de toda e
qualquer função que exija, para o bom desempenho, plena saúde mental. O candidato será orientado, em todos
os casos, sobre a necessidade do tratamento.
PORTADORES DE DIABETE MELLITUS
Todo candidato será submetido a exame de glicemia.
Será considerado normal o candidato que apresentar Glicemia em jejum entre 70 a 99 mg/dl.
Nos casos em que o candidato não estiver em jejum e o resultado for superior a 99 mg/dl, será repetido a
critério médico, novo exame em jejum.
Os candidatos serão classificados em uma das seguintes situações:
- valores de glicemia entre 70 a 126 mg/dl: APTO para qualquer função
- valores de glicemia entre 126 a 200 mg/dl: pedir exames para avaliar a função renal ­ Hemoglobina Glicada,
Uréia, Creatinina, Urina I e outros, a critério médico; poderá ser solicitada avaliação especializada.
Exames normais - APTO.
Exames alterados - Encaminhar para endocrinologista.
- Glicemia acima de 200 mg/dl = Encaminhar para endocrinologista
Será considerado APTO ou INAPTO, a depender do tipo e nível de alteração e da presença de fatores de risco
associados, devendo ser analisados os níveis de proteinúria, albuminúria e o clearence de creatinina. O
candidato que for insulino dependente, para função de risco será considerado - INAPTO
OBS.: A critério do especialista será solicitado exame de fundo de olho, ECG e pesquisa neurológica. Ao exame
de fundo de olho será considerado:
Retinopatia não proliferativa:
- leve e moderada - APTO para qualquer função
- avançada - funções de risco - INAPTO
- outras funções, sem fator de risco associado - APTO
Retinopatia proliferativa:
- Função de risco - INAPTO
- outras funções, sem fator de risco associado - APTO
- outras funções com fatores de risco associados - INAPTO
Maculopatia diabética - INAPTO independente da função Ao exame neurológico, o candidato portador de
Diabete Mellitus será classificado em uma das seguintes situações:
- Neuropatia sensitivo-motora e autonômica em grau moderado e grave = INAPTO, independente da função.
- Neuropatia sensitivo-motora e autonômica em grau leve = INAPTO para função de risco.
OBSERVAÇÕES:
Alterações cardiológicas poderão ter parecer de exame pericial com especialista.
São considerados fatores de risco associados à Diabete Mellitus: Obesidade, Hipertensão Arterial, Idade acima
de 50 anos e dislipidemias.
São consideradas funções de risco relacionadas à Diabete Mellitus:Guarda Civil Metropolitano, Sepultador,
Agente Escolar, Agente de Apoio (Motorista, Auxiliar de Serviços Gerais e Operadores de Máquinas Pesadas) e
qualquer atividade que possam colocar em risco a saúde em geral e a integridade física do candidato.
Todos os exames serão realizados pela Prefeitura e todos os candidatos diabéticos serão orientados para
realizarem o devido tratamento.
Complementação dos protocolos técnicos dos exames admissionais publicados como Comunicado 006/SGPG/2002 de 02/05/2002 no DOM de 03/05/2002, pág. 239.
PORTADORES DE DISTÚRBIOS DA VOZ
O candidato é inicialmente avaliado por médico perito, que ao detectar qualquer alteração na qualidade vocal
solicitará avaliação (triagem) fonoaudiológica.

Confirmado o distúrbio da voz o candidato será encaminhado para avaliação Otorrinolaringológica e
fonoaudiológica completa. O candidato será reavaliado num aspecto amplo visando a qualificação e a
quantificação das alterações encontradas em sua qualidade vocal. Em caso de necessidade será solicitado exame
complementar.
A aptidão ficará a critério da decisão conjunta do médico otorrinolaringologista e fonoaudiólogo, após discussão
da função pretendida e alteração encontrada. Todos os candidatos com distúrbios na voz serão orientados para
tratamento.
OBSERVAÇÕES:
São consideradas funções de risco aquelas em que há uso constante da voz: Professor, Coordenador Pedagógico
e Agente de Apoio (Telefonista). São exames complementares: Nasofibrolaringoscopia, audiometria e avaliação
acústica de voz.
PORTADORES DE ALTERAÇÕES AUDITIVAS
O candidato é inicialmente avaliado por médico perito. São considerados, em Otorrinolaringologia, os critérios
abaixo para avaliar candidatos a funções que exigem boa acuidade auditiva e que estejam expostos ao fator de
risco-ruído. As funções em questão são:
Guarda Civil Metropolitano, Agentes de Apoio (Motorista, Operador de Máquinas, Agente de Controle de
Zoonoses e Telefonista), Servidores do SAMU, Professores de Educação Física e outros.
1. Perdas auditivas condutivas ou mistas:
Otoesclerose - Inapto
Sequela de Otite Média ate 40 db - Apto conforme avaliação especializada em DESS.
Acima de 40 db - Inapto para qualquer função uni ou bilateral
2. Perdas auditivas neurossensoriais:
PAIR (perda auditiva induzida pelo ruído):
Merluzzi 1 uni ou bilateral, Merluzzi 2 unilateral - Apto
Merluzzi 2 bilateral, Merluzzi 3,4,5,6 ou bilateral - Inapto
Não PAIR:
Neurosensorial leve (até 40db), uni ou bilateral nas frequências de 500 a 3000 Hz. - APTO
Neurosensorial menor ou igual a 40db nas freqüências de 4000Hz, 6000Hz, 8000Hz ou isoladas, sendo normal de
500Hz a 2000Hz - APTO
Neurosensorial maior que 40 db nas freqüências de 500Hz a 8000Hz. - INAPTO
Anacusia unilateral, mesmo que haja normalidade contralateral - INAPTO
Doença de Meniére - INAPTO
Exames complementares que poderão ser solicitados: Audiometria tonal limiar/ vocal, Imitanciometria,
Audiometria de Respostas Elétricas de Tronco Cerebral (BERA), Emissões Oto-Acústicas e outros.
3. Deficiência Auditiva:
Legislação Federal do Decreto nº 5296 de 2 de dezembro de 2004 que regulamenta as Leis nº 10.048 de 8 de
novembro de 2000, que dá prioridade de atendimento às pessoas que especifica e nº 10.098 de 19 de dezembro
de 2000:
-deficiência auditiva: perda bilateral, parcial ou total, de quarenta e um decibéis (db) ou mais aferida por
audiograma nas freqüências de 500Hz, 1000Hz, 2000Hz e 3000Hz.
OBSERVAÇÕES:
Pelos Critérios Epidemiológicos e Profissiográficos são considerados grupos ou funções de risco relacionados
com distúrbios otorrinolaringológicos: Guarda Civil Metropolitano, Agentes de Apoio (Motorista, Operador de
Máquinas, Agente de Controle de Zoonoses e Telefonista), Servidores do SAMU, Professores de Educação Física,
além de toda e qualquer função que exija, para o bom desempenho, plena acuidade auditiva. O candidato será
orientado, em todos os casos, sobre a necessidade do tratamento.

ANEXO VIII ­ CRONOGRAMA DE ATIVIDADES DO CONCURSO PÚBLICO
(Datas previstas, sujeita à alteração)
DATAS
3/6/2014
3/6 a 19/6
4/6 a 6/6
11/6/2014
12/6/2014
17/6/2014
4/7/2014
7/7 e 8/7/2014
22/7/2014
22/7/2014
22/7/2014
22/7/2014
27/7/2014
28/7/2014
28 a 30/7/2014
29/7/2014
30 e 31/7/2014
26/8/2014
26/8/2014
26/8/2014
27 e 28/8/2014
11/9/2014
11/9/2014
17/9/2014
17/9/2014
18,19 e 22/9/2014
18,19 e 22/9/2014
11/10/2014
11/10/2014
11/10/2014
13 e 14/10/2014
29/10/2014

EVENTOS
Publicação do Edital de Abertura das inscrições
Período de Inscrições pela Internet
Recebimento da Documentação referente a isenção de taxa
Publicação do deferimento das solicitações de isenção de taxa
Período para interposição de Recurso quanto ao indeferimento da isenção de taxa
Publicação do deferimento das solicitações de isenção de taxa após recurso
Publicação das inscrições deferidas e indeferidas
Período para interposiçao de recurso contra indeferimento das inscrições
Publicação resultado dos recursos contra indeferimento das inscrições
Publicação do Edital de Convocação para as prova Objetiva e Dissertativa
Publicação do Edital de Convocação para a Prova de Títulos
Divulgação dos locais da Prova Objetiva e Dissertativa no site IBFC
Aplicação da Prova Objetiva e Dissertativa
Período para interposição de recurso quanto a aplicação da prova Objetiva e Dissertativa
Período para cadastramento de títulos no site
Publicação dos gabaritos provisórios
Período para interposição de recursos quanto aos gabaritos provisórios
Publicação dos Recursos da Aplicação da Prova Objetiva e Dissertativa
Publicação do resultado dos recursos dos gabaritos da Prova Objetiva
Publicação do resultado preliminar da Prova Objetiva
Período para interposição de recurso contra o resultado preliminar da Prova Objetiva
Publicação do resultado dos recursos contra o resultado preliminar da Prova Objetiva
Publicação do resultado final da Prova Objetiva
Publicação do resultado preliminar da Prova Dissertativa
Publicação do resultado preliminar da Prova de títulos
Período para interposição de recurso contra Prova Dissertativa
Período para interposição de recurso contra Prova de Títulos
Publicação do resultado final da Prova Dissertativa
Publicação do resultado final da Prova de Títulos
Publicação da classificação prévia
Período para interposição de recurso contra classificação prévia
Publicação do Resultado final do Concurso