Relatório
de Gestão

2014

Relatório de Gestão 2014

JULIO CEZAR DURIGAN - REITOR
MARILZA VIEIRA CUNHA RUDGE - VICE-REITORA

Julio Cezar Durigan
Reitor
Marilza Vieira Cunha Rudge
Vice-reitora
Carlos Antonio Gamero
Pró-reitor de Administração
Laurence Duarte Colvara
Pró-reitor de Graduação
Eduardo Kokubun
Pró-reitor de Pós-Graduação
Mariângela Spotti Lopes Fujita
Pró-reitora de Extensão Universitária
Maria José Soares Mendes Giannini
Pró-reitora de Pesquisa
Maria Dalva Silva Pagotto
Secretária Geral
Roberval Daiton Vieira
Chefe de Gabinete
Oscar D'Ambrosio
Assessor-chefe da Assessoria de Comunicação e Imprensa
Edson Luiz França Senne
Assessor-chefe da Assessoria de Informática
Edson César dos Santos Cabral
Assessor-chefe da Assessoria Jurídica
Mario de Beni Arrigone
Assessor-chefe de Planejamento e Orçamento
José Celso Freire Júnior
Assessor-chefe de Relações Externas
Rogério Luiz Buccelli
Assessor Especial de Planejamento

CONSELHO CURADOR
Humberto Gennari Filho (FOA, Araçatuba)
Presidente
José Eduardo Corá (FCAV, Jaboticabal)
Vice-presidente
Antonio Nivaldo Hespanhol (FCT, Presidente Prudente)
Carlos Augusto Pavanelli (FO, São José dos Campos)
Humberto Gennari Filho (FOA, Araçatuba)
Ivan Esperança Rocha (FCL, Assis)
José Eduardo Corá (FCAV, Jaboticabal)
José Roberto Ernandes (IQ, Araraquara)
Luiz Malcolm Mano de Mello (FE, Ilha Solteira)
Marcos Fernando Pupo Nogueira (IA, São Paulo)
Marcos Valério Ribeiro (FE, Guaratinguetá)
Membros Titulares
Aleardo Manacero Júnior (IBILCE, São José do Rio Preto)
Gisele Manganelli Fernandes (IBILCE, São José do Rio Preto)
José Luiz Amaro (FM, Botucatu)
Lauro Henrique de Melo Chueiri (FE, Bauru)
Mário Roberto Hatayde (FCAV, Jaboticabal)
Marcelo Andrés Fossey (IBILCE, São José do Rio Preto)
Paulo Villela Santos Júnior (FO, São José dos Campos)
Roberto Deganutti (FAAC, Bauru)
Arnaldo Cortina (FCL, Araraquara)
Membros Suplentes

DIRETORIA EXECUTIVA
Sheila Zambello de Pinho (IB, Botucatu)
Diretora-Presidente
Tania Cristina Arantes Macedo de Azevedo (FE, Guaratinguetá)
Superintendente Acadêmica
Ricardo Samih Georges Abi Rached (FO, Araraquara)
Superintendente Administrativo
Carlos Augusto Araújo Valadão (FCAV, Jaboticabal)
Superintendente de Planejamento

Sumário

1. Apresentação

5

2. Pró-reitoria de Graduação - PROGRAD

9

3. Pró-reitoria de Pós-graduação - PROPG

25

4. Pró-reitoria de Pesquisa - PROPE

37

5. Pró-reitoria de Extensão Universitária - PROEX

51

6. Pró-reitoria de Administração - PRAD

67

7. Assessoria de Planejamento e Orçamento - APLO

83

8. Grupo de Obras e Equipamentos - GOE

89

9. Assessoria de Planejamento Estratégico - APE

95

10. Assessoria de Relações Externas - AREX

101

11. Assessoria de Informática - AI

111

12. Assessoria de Comunicação e Imprensa - ACI

119

13. Comissão de Contratação Docente - CCD

127

14. Comissão Permanente de Avaliação - CPA

137

15. Coordenadoria Geral de Bibliotecas - CGB

143

16. Agência Unesp de Inovação - AUIN

155

17. Núcleo de Ensino a Distância - NEaD

169

18. Fundação para o Vestibular da Unesp - VUNESP

179

19. Fundação para o Desenvolvimento da Unesp - FUNDUNESP

191

20. Fundação Editora da Unesp - FEU

195

1

Apresentação

A Unesp (Universidade Estadual Paulista ¨Julio de Mesquita Filho¨) é uma instituição pública com
administração transparente e voltada não somente à formação de pessoas, mas também à produção
e à divulgação do conhecimento.
Por esta razão, é imprescindível que suas ações, realizadas nas respectivas unidades universitárias
e na reitoria, sejam apresentadas anualmente para o conhecimento da sua comunidade, dos órgãos
públicos e da mídia.
O presente relatório, além de uma prestação de contas a quem financia a universidade, permite
visualizar as transformações proporcionadas pela Unesp à sociedade, assim como sua própria
evolução em 2014. Também indica quais áreas necessitam maiores investimentos, em função das
suas características e das exigências do mundo atual.
A importância do PDI (Plano de Desenvolvimento Institucional) fica evidente para estabelecer e
desenvolver projetos importantes e balizadores para a vida da universidade e para o sucesso do seu
trabalho na sociedade que a sustenta.
Este relatório ressalta o grande esforço da comunidade universitária na criação de novos cursos
de graduação e de pós-graduação, no desenvolvimento de infraestrutura e programas da área de
tecnologia da informação, na reposição de seus docentes e servidores técnico-administrativos, no
desenvolvimento de pesquisas com interface nas fronteiras do conhecimento mundial, na divulgação
eficaz do conhecimento produzido, no envolvimento com programas de internacionalização, na
garantia da infraestrutura de laboratórios e salas de aula, no investimento constante e necessário para
a permanência estudantil, nos programas de treinamento, saúde e segurança dos servidores técnicoadministrativos e no trabalho profícuo das nossas fundações.
A administração central, representada pelo seu Reitor e sua Vice-reitora, agradece o trabalho
permanente que toda comunidade unespiana desenvolve de maneira eficiente e abnegada e que
possibilitou a realização das atividades aqui relacionadas.

São Paulo, junho de 2015.

Prof. Dr. Julio Cezar Durigan
Reitor da Unesp
Profa. Dra. Marilza Vieira Cunha Rudge
Vice-reitora da Unesp

2

Pró-reitoria de
Graduação
PROGRAD

No 2014 a Pró-reitoria de Graduação desenvolveu suas principais atividades tendo como orientação
o planejamento estabelecido, para a Dimensão Ensino de Graduação, do Plano de Desenvolvimento
Institucional ­ PDI da Universidade.

1. AVALIAÇÃO DO ENSINO DE GRADUAÇÃO NA UNESP
As ações que visam ampliar e aperfeiçoar os processos de avaliação do ensino de graduação, são importantes ferramentas para a gestão do ensino. Uma comissão indicada pela Câmara Central de Graduação (CCG) tem atuado nos temas: avaliação de disciplinas, evasão e retenção, perfil de egressos,
perfil socioeconômico e cultural dos ingressantes, rendimento acadêmico dos estudantes do sistema
de reserva de vagas, avaliação externa e Enade. Os estudos visam a geração de indicadores para
avaliação dos estudantes antes do ingresso na Universidade, durante o curso e após a sua conclusão.
1.1. Avaliação de disciplinas
Quanto à avaliação de disciplinas, após aprovação pelos colegiados CCG e CEPE, o instrumento foi
submetido a avaliação externa feita por grupo de especialistas da USP. Pequenas alterações foram
incorporadas e sua aplicação como "piloto" foi feita em 2014 encontrando-se pronta para a aplicação
em 2015 toda a Universidade.
1.2. Evasão
Continuam sendo aplicados instrumentos para levantamento das causas da evasão nos cursos de
graduação, bem como aos estudantes que deixam de realizar suas matrículas na Unesp. Quanto à
desistência do vestibular apurou-se que são determinantes o prestígio do curso e a sua localização
geográfica. Já as causas que motivam a evasão são: equívoco na escolha do curso, distância da residência da família e prestígio do curso. Constata-se que aspectos pedagógicos se sobrepõem aos
relacionados à infraestrutura. Relatórios obtidos a partir do Sisgrad têm possibilitado quantificar a
evasão e a retenção. A retenção é definida como o percentual de estudantes que se formam após o
tempo mínimo estipulado para seu curso. A figura abaixo ilustra os dados gerais Universidade entre
2000 e 2008.
Evasão e Retenção Turmas 2000 - 2008
70
60
Evasão
Retenção

50
40
30
20
10
0

s
s
as
de
no odos
ras h/Lic lados
ica xata
tur
í
ida uman
c
atu
E
lóg
re
No s Per
Ba
nci
H
e
Bio
cha
c
Li
tro
Ba
Ou

ers

ral

Ge

iv
Un

Figura 1: dados gerais de evasão e retenção nos cursos de graduação para turmas de ingressantes entre 2000 e 2008.

1.3. Egressos - Programa Institucional de Egressos da Unesp
Em 2014, a Comissão que trata do Programa de Relacionamento com os Egressos da Unesp promoveu, sob a coordenação da Prograd, as seguintes atividades: Lançamento do Portal "Sempre Unesp"
(http://unesp.br/sempreunesp/) com link na página da Reitoria e de todas as unidades; Divulgação
na imprensa sobre o Portal "Sempre Unesp" e o Sistema de Egressos - Siseg, por meio de artigo assinado pelo Reitor-Prof. Dr. Julio Cezar Durigan; Elaboração de mecanismos de entrada e validação
dos egressos no Siseg por demanda espontânea (via Portal Sempre Unesp), com preenchimento do
cadastro; Articulações para promover benefícios e/ou incentivos para egressos da Unesp via Portal

Relatório Anual de Gestão 2014 | 11

e Cadastro; Criação do Podcast "Sempre Unesp" que realiza entrevistas com egressos da Unesp;
Solicitação de informações dos egressos da Unesp junto ao Ministério do Trabalho. Com o Siseg implantado, é possível produzir relatórios/planilhas a partir dos dados do Cadastro atualizado, bem como
aplicar pesquisas específicas por áreas ou cursos.
1.4. Perfil de Ingressantes
Têm sido elaborados relatórios que tratam do perfil socieconômico e cultural dos estudantes que
ingressam na Unesp, a partir dos questionários aplicados pela Vunesp, por ocasião da inscrição para
o vestibular. Uma série de cadernos para publicação desses relatórios estão sendo desenvolvidos. O
acompanhamento do rendimento acadêmico dos ingressantes pela reserva de vagas, está sendo feito
pela Coordenadoria de Permanência Estudantil. Quanto à avaliação do Enade, está-se trabalhando
junto aos conselhos de curso para a utilização dos dados gerados pelos relatórios do INEP visando ao
aperfeiçoamento da gestão dos cursos.

2. AMPLIAÇÃO E DIVERSIFICAÇÃO DO ACESSO À UNIVERSIDADE
2.1. Expansão de vagas e consolidação dos curso criados
Em 2014, deu-se prosseguimento ao processo de ampliação das vagas nos cursos de graduação. O
vestibular de 2014 teve a inclusão 200 vagas. Em 2014 foram contratados 35 docentes e 13 servidores
técnicos administrativos para atuar nos cursos criados neste ciclo de expansão. A Prograd tem atuado
na análise de pedidos de recursos para aquisição de equipamentos, contratação de servidores técnico-administrativos e material bibliográfico para, em conjunto com outros setores da Universidade,
garantir as condições para o desenvolvimento dos cursos criados.
2.2. Inclusão social: sistema de reserva de vagas
Desde 2013 a Unesp tem realizado grande esforço para promover a inclusão social, por meio do sistema de Reserva de Vagas da Escola Básica Pública (SRVEBP) em 2014, 25% das vagas de cada curso,
em cada período, foram reservadas para estudantes que fizeram o ensino médio em escolas públicas,
sendo 35% destes autodeclarados pretos, pardos e indígenas (PPIs).
O quadro 1 abaixo, mostra a distribuição das vagas dos vestibulares de início e meio de ano, de acordo com os sistemas de ingresso.
Quadro 1: Distribuição de vagas oferecidas no vestibular 2015 de acordo com os sistemas
Universal, egressos de escola pública e formados em escola públicas e PPIs.
Área/Vagas

Vagas (Sistema Universal)

Vagas (EP)

Vagas (EP e PPIs)

Ciências Biológicas

1628

355

202

Ciências Exatas

1840

397

233

Ciências Humanas

2199

506

260

Total

5667

1258

695

Total Geral

7620

2.3. Disciplina de libras
Objetiva-se oferecer a disciplina semipresencial de Libras, com carga horária de 60 horas para os cursos
de diferentes câmpus. A carga horária total se divide em: atividades realizadas no Ambiente Virtual de
Aprendizagem (AVA) Moodle da Unesp, totalizando 28 horas (para a realização dessas atividades os
discentes de cada turma contam com o acompanhamento e mediação pedagógica de um tutor on-line,
profissional ou discente de pós-graduação da Unesp com experiência em Educação a Distância, e que
passa por uma formação anterior ao início da disciplina); em três Encontros Presenciais, totalizando 12
horas, realizados no início, meio e final da disciplina, e ministrados pelos tutores on-line (cada tutor on-

12 | Relatório Anual de Gestão 2014

line se desloca presencialmente para o câmpus em que sua turma está alocada e realiza dois encontros
de 4 horas); e, finalmente, a realização de videoconferências, que são ministradas por uma intérprete
de Libras, para o trabalho com os aspectos práticos da disciplina, perfazendo um total de 20 horas. Ao
final, são propostas as provas presenciais, sendo uma Prova Principal e duas Provas (Recuperação e
Substitutiva), previamente agendadas pela equipe e aplicadas por um docente da Unesp, responsável
pela disciplina no câmpus de origem. Essa prova é composta de 5 perguntas, voltadas aos conteúdos
teóricos, uma vez que os conteúdos práticos são avaliados processualmente, mediante a postagem
de vídeos pelos discentes no AVA e pela interação via videoconferência. No segundo semestre de
2014, houve o oferecimento da disciplina em dez câmpus, conforme o quadro a seguir.
Quadro 2: Dados das Turmas da Disciplina de Libras - 2014.
Câmpus

Nº alunos
interessados

Nº alunos
matriculados

Nº alunos com
trancamento

Nº alunos
evadidos/
desistentes

Nº alunos
reprovados

Nº alunos que
não cursaram

Nº alunos
aprovados

1

ASSIS

35

21

2

3

0

2

14

2

BAURU

25

16

0

5

0

2

11

3

BOTUCATU

10

7

0

1

1

1

4

4

ILHA
SOLTEIRA

39

38

0

2

2

2

32

5

MARÍLIA

32

32

0

0

0

0

32

6

OURINHOS

30

25

0

2

3

8

11

7

PRESIDENTE
PRUDENTE

30

29

1

0

2

0

26

8

RIO CLARO

10

8

0

2

0

0

6

9

SÃO JOSÉ
DO RIO
PRETO

37

36

0

13

1

5

17

10 SÃO PAULO

21

9

0

2

0

1

6

Total Parcial

269

221

3

28

09

21

159

3. APOIO À MELHORIA DA INFRAESTRUTURA DO ENSINO DE GRADUAÇÃO
Em a Prograd constituiu esse Programa com o fim específico de aglutinar a infraestrutura dos cursos
de graduação, separadamente das outras ações de melhoria do ensino.
3.1. Programa de Melhoria do Ensino de Graduação (PMEG)
O programa, implantado em 2006, constitui-se na única fonte de recursos para investimentos nos
cursos de graduação da Unesp. Em 2014, foram destinados R$ 3.980.690,43,00 para o PMEG, sendo
R$ 2.990.367,35 distribuídos por cálculo de índice para cada uma das unidades (fórmula constituída
para o programa), e os restantes R$ 990.323,08 distribuídos por meio de edital, com apresentação
de projetos em inovação de ensino. Parte desse valor (R$ 2.613.288,24) foi oriundo do programa 24
do PDI (apoio à melhoria da infraestrutura do ensino de graduação, ação 1), e o restante oriundo da
Vunesp.

Relatório Anual de Gestão 2014 | 13

Verba repassada por projetos
Concorreram ao edital, 61 projetos originários dos diferentes cursos de graduação, e avaliados por
relatores ad hoc, incluindo docentes de outras universidades. Foram aprovados 14 projetos, no valor
máximo de R$ 80.000,00 cada (Figura 2).
Projetos recebidos e aprovados nas diferentes áreas de conhecimento,
dentro do edital 2014 do PMEG

25
20

Distribuição por áreas
Projetos aprovados
Projetos recebidos

15
10
5
0
Ciência
Biológicas Ciências
Exatas

Ciências
Humanas

Figura 2: Distribuição, pelas diferentes áreas do conhecimento, dos projetos recebidos
e aprovados em 2014, por meio do PMEG.

No quadro 3 são apresentados os números de 2014 referentes à avaliação de projetos do PMEG.
Quadro 3: PMEG em Números ­ distribuição de verbas por meio de avaliação de projetos.
Número de projetos recebidos (total)

Número de projetos por área de conhecimento

61
Ciências Biológicas

22

Ciências Exatas

20

Ciências Humanas

19

Número de projetos aprovados (total)

Número de projetos aprovados por área de conhecimento

14
Ciências Biológicas

05

Ciências Exatas

02

Ciências Humanas

07

Valor total distribuído

Valor total distribuído por área de conhecimento

R$ 990.323,08
Ciências Biológicas

R$ 350.469,66

Ciências Exatas

R$ 157.405,00

Ciências Humanas

R$ 482.448,42

A seguir apresenta-se o quadro 4, contendo o repasse de verbas realizado em 2014 para cada unidade, nas duas modalidades de cálculo.

14 | Relatório Anual de Gestão 2014

Quadro 4: Valores em Reais (R$) repassados às unidades universitárias da Unesp,
em 2014, por meio do PMEG.
Distribuição do PMEG em 2014
Valor total (R$)

3.980.690,43

Índice

Projetos

Total de repasse

131.565,93

63.014,00

194.579,93

52.521,87

0,00

52.521,87

56.527,53

0,00

56.527,53

58.988,00

80.000,00

138.988,00

93.491,91

80.000,00

173.491,91

57.120,51

0,00

57.120,51

149.416,03

79.999,97

229.416,00

93.901,64

65.708,00

159.609,64

139.955,11

80.000,00

219.955,11

71.300,00

0,00

71.300,00

66.764,00

0,00

66.764,00

88.508,01

0,00

88.508,01

52.600,05

0,00

52.600,05

126.322,03

0,00

126.322,03

56.666,24

0,00

56.666,24

134.847,59

0,00

134.847,59

205.304,95

0,00

205.304,95

201.578,70

48.039,23

249.617,93

120.931,39

76.000,00

196.931,39

228.152,20

77.405,00

305.557,20

116.221,60

0,00

116.221,60

107.666,42

0,00

107.666,42

160.716,94

159.836,45

320.553,39

35.157,69

0,00

35.157,69

93.833,06

20.904,00

114.737,06

35.721,00

0,00

35.721,00

32.806,96

0,00

32.806,96

34.486,05

79.416,43

113.902,48

42.367,00

0,00

42.367,00

26.351,69

0,00

26.351,69

40.329,25

0,00

40.329,25

52.460,00

80.000,00

132.460,00

25.786,00

0,00

25.786,00

2.990.367,35

990.323,08

3.980.690,43

Relatório Anual de Gestão 2014 | 15

3.2. Atualização do Manual da Graduação e Aperfeiçoamento do Sistema da Graduação SISGRAD
Com o crescente processo de informatização da UNESP, a Pró-reitoria de Graduação - Prograd detectou a necessidade de desenvolver novas ferramentas para melhoria da qualidade de serviços prestados à comunidade acadêmica. Neste contexto, o SISGRAD está sendo fundamental para alimentar
pesquisas acadêmicas e projetos institucionais, buscando o aperfeiçoamento dos Cursos de Graduação e auxiliando nas decisões estratégicas da Universidade. Assim, várias ações foram realizadas: reestruturação da ESU ­ Equipe de Suporte ao Usuário do SISGRAD, tendo vista que o objetivo principal
da equipe anterior era a implantação do sistema; Desenvolvimento do Sistema de Suporte ao Usuário
para recebimento, gerenciamento e encaminhamento das demandas, agilizando todo o processo;
Confecção de Relatórios de Conclusão, Evasão e Retenção; Coleta de dados de alunos Portadores de
Necessidades Educacionais Especiais; Adequação do SISGRAD para fornecimento de dados para o
Censo e ENADE; Início dos trabalhos para inserção das informações da VUNESP no banco de dados
do SISGRAD, visando o preenchimento de possíveis dados ausentes no banco; Aperfeiçoamento dos
Processos de Matrícula de Calouros e Veteranos; Melhorias nas funcionalidades de registro/controle
de Carga Horária Docente e controle/reserva de Salas de Aula; Aplicação do Projeto para Avaliação de
Disciplinas; Geração de dados para Projeto de Egressos.
Em 2014, a Assistência Técnica da Prograd prosseguiu realizando a análise dos processos relacionados aos cursos e procedimentos da graduação e atendendo às consultas e dúvidas encaminhadas
pelas unidades.
Pontualmente, a AT/Prograd orientou as reestruturações curriculares dos cursos de licenciatura da
Unesp para adequação às Deliberações do Conselho Estadual de Educação (Delib. CEE nº 111/2012,
126/2014 e 132/2015) (quadro 5):
Quadro 5: Atividades da Assistência Técnica da Prograd em 2014.
Registro de Informações - AT/Prograd
Assunto

Quantidade

Reestruturações e Alterações Curriculares

26

Dilações de Prazo de Integralização Curricular

15

Transferência de Disciplinas

2

Criação, Alteração e Desmembramento de Departamentos

3

Normas de Reingresso

2

Vestibular*

3

Criações de Curso de Graduação

2

Questões relacionadas à Matrícula de Alunos (suspensão de matrícula, matrícula fora de
prazo, etc.)

2

Calendário Escolar

1

Criação, Alteração e Desmembramento de Conselho de Curso

1

Alteração de Nomenclatura de Curso de Graduação

1

Outras

1

TOTAL

59

*contabilizadas aqui todas as Informações relacionadas ao processo do vestibular, incluindo as solicitações de alteração de
período de oferecimento do vestibular, entre outras.

A Pró-reitoria de Graduação - Prograd, por meio de sua Assistência Técnica, está finalizando mais um
processo de atualização do Manual de Instrução de Normas de Graduação. Sua última versão foi atualizada em 2006 e, assim como as anteriores, foi feita em uma versão para impressão. A nova versão
será interativa e quando for disponibilizada no site da Prograd, os usuários poderão acessar de uma
maneira mais dinâmica os textos de orientação como também a legislação pertinente aos assuntos.
Essa nova versão também permite uma atualização contínua, de modo que permite modificação na
legislação sempre que necessário.

16 | Relatório Anual de Gestão 2014

4. APERFEIÇOAMENTO DO ENSINO DE GRADUAÇÃO
O programa, conduzido pela Prograd em 2014, possui 9 ações que visam a melhoria do ensino de
graduação, excetuando-se as relacionadas à infraestrutura.
4.1. Consolidação das licenciaturas e parcerias com escolas públicas
A Unesp é a universidade pública paulista que oferta o maior número de cursos voltados à formação
de professores para atuarem na educação básica, portanto, articular as ações nesse campo de formação profissional, com parcerias junto aos setores governamentais federais, estaduais e municipais é
de grande relevância. Também é importante a consolidação dos cursos de licenciatura, uma vez que a
atratividade para essa carreira tem sido desestimulada nas últimas décadas. Nesse sentido, a Prograd
tem promovido uma série de ações que a seguir serão descritas.
4.1.1. Programa Nacional de Formação de Profissionais do Magistério da Educação Básica - Parfor
No âmbito do Programa Nacional de Formação de Profissionais do Magistério da Educação Básica
- Parfor, foram ofertados cursos cujo ingresso se deu por meio de processo seletivo, destinados a
professores da rede pública de ensino que não possuem formação em Pedagogia. O curso foi desenvolvido em 5 cidades pólos (Araraquara, Bauru, Marília, Presidente Prudente e São José do Rio
Preto), com 200 vagas no total. Os matriculados efetivamente somaram 158 professores advindos de
34 municípios do interior do Estado de São Paulo. Foram atendidas cerca de 90 escolas com o benefício de aproximadamente 3200 alunos da educação básica. 111 estudantes concluíram o curso, que
envolveu 151 bolsistas:149 formadores, um coordenador geral e um coordenador de curso. O Parfor
captou R$ 644.479,83 via Capes, para custeio dos cursos nos cinco pólos da Universidade, e utilizou
R$ 472.423,38. O restante da verba foi devolvida para a Capes. As principais dificuldades apontadas
pelos coordenadores dos pólos foram: carga horária do curso, com aulas presenciais todas as noites,
incluindo os sábados pela manhã, dificultando conciliar trabalho, família e curso; falta de sensibilização dos professores da rede pública para a importância da formação continuada de professores; falta
de apoio e colaboração das Secretarias de Educação dos Municípios em relação aos seus professores
matriculados no curso, principalmente no que diz respeito à flexibilização da participação destes nas
atividades de trabalho pedagógico (ATP); ausência de ajuda financeira para alimentação, uma vez que
muitos professores trabalhavam no período da tarde e saiam da Universidade direto do trabalho; falta
de hábito de estudos por parte dos alunos, principalmente no que diz respeito às leituras e discussão
de textos. Isso se deveu, em grande parte, ao distanciamento dos docentes da escola. Houve abertura
de inscrições na Plataforma Freire no decorrer dos últimos anos, entretanto, a demanda foi aquém do
mínimo para a constituição de novas turmas.
4.1.2. Programa de Licenciaturas Internacionais - PLI
Em parceria com a Capes, a Unesp desenvolve projetos no âmbito do Programa de Licenciaturas Internacionais, desde 2010, compartilhando com a Universidade de Coimbra a formação de licenciandos
nas áreas de Letras, Matemática, Ciências Biológicas, Artes, Química e Física. Em 2014, os estudantes selecionados dos editais 016/2013 - Capes/Portugal (Coimbra, Minho e Porto), que contou com a
participação de 25 alunos dos cursos de Ciências Biológicas, Física, Letras, Matemática e Química,
e 017/2013 - Capes/França (Un. Pierre et Marie Curie e Sorbonne), que enviou 20 alunos dos cursos
de Ciências Biológicas, Física, Letras e Matemática, foram acompanhados pelos seus respectivos coordenadores, e a maioria permaneceu para a dupla diplomação, a ser finalizada em meados de 2015.
4.1.3. Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência - PIBID
O Pibid na Unesp, em 2014, consolida-se como um dos programas governamentais de maior captação de recursos, bem como o que envolve um dos maiores contingentes de estudantes e docentes.
Externamente, é o 7º maior em número de bolsistas do país, e o maior do Estado de São Paulo entre
as universidades públicas. A coordenação institucional do Pibid/Capes/Unesp tem assumido a coordenação do Pibid no Estado de São Paulo, articulando as ações das IES do Estado junto à Secretaria
Estadual de Educação e à própria Capes. O Programa está presente em todos os cursos de licenciatura da Universidade, formado por 57 subprojetos alocados em 18 unidades universitárias, envolvendo
5 coordenadores institucionais, 78 coordenadores de subprojetos e 152 professores colaboradores,
931 estudantes de cursos de licenciatura, 162 professores da educação básica e 146 escolas da rede
pública de ensino. Produziu 575 sequências didáticas; 156 projetos didáticos; 113 jogos educativos;
102 oficinas e minicursos; 98 guias de aulas; 34 bancos de imagens; 20 blogs e sites; 31 cadernos

Relatório Anual de Gestão 2014 | 17

ou livros didáticos; 11 kits de experimentação; 21 feiras de ciências; 3 roteiros de diagnósticos; e 42
outras produções didáticas, totalizando 1207 produtos didáticos. Também elaborou 385 artigos ou
demais textos; 73 produções artístico-culturais; 25 produções desportivas e lúdicas; e 13 produções
técnicas. O resultado geral é de 1703 produtos educacionais. Dessa forma, é possível inferir que houve
avanços derivados da parceria escola/universidade como: o fortalecimento da relação universidade/
escola pública, melhoria do ensino público, fortalecimento da formação inicial e continuada do professor, valorização da pesquisa e do projeto político-pedagógico na formação do professor, avanços
na pesquisa sobre metodologias de ensino, divulgação dos resultados dos subprojetos em eventos
científicos e a valorização dos cursos de licenciatura, a partir do Pibid.
4.1.4. Comissão das Licenciaturas
Esta comissão assessora da Prograd tem realizado diagnósticos dos cursos de licenciatura, eventos,
análise e produção de documentos sobre estágios supervisionados e as práticas como componentes
curriculares, a fim de subsidiar os conselhos de cursos nas unidades universitárias. A Comissão, em
sua composição para o período 2012-2014, reúne-se mensalmente e, nesse período, realizou discussões aprofundadas incluindo temas de interesse interno dos cursos, tal como o Estágio Supervisionado, bem como de interesse externo, como a Deliberação nº 111/2012 do CEE, que fixa diretrizes
curriculares complementares para a formação de docentes para a educação básica nos cursos de
Pedagogia, Licenciatura e Normal Superior. Em 2014, propôs: os procedimentos e estudos para elaboração de "Minuta de Resolução dos Estágios Supervisionados para os Cursos de Licenciatura", a
ser submetida à apreciação da CCG; integrou comissão da CCG para elaborar a Resolução Geral que
regulamenta os Estágios dos cursos de graduação na universidade, aprovada pela CCG e pelo CEPE
em 2014; elaboração do texto base com "Orientações Gerais para reestruturação dos cursos de licenciatura", que incorpora as diretrizes curriculares advindas das Deliberações nº 111/2012 e 126/2014, e
demais diretrizes, assim como destaca as recomendações para a realização dos estágios supervisionados. As perspectivas da Comissão para 2015, em relação aos cursos de licenciatura da Unesp, são:
acompanhamento das reestruturações curriculares em análise no CEE e nos Colegiados Centrais da
Universidade; discussão, nos Colegiados Centrais, da Minuta de Resolução dos Estágios nos cursos
de licenciatura; articulação dos programas governamentais (Pibid, Parfor, Pacto, PLI, Life), para contribuição aos PPP dos cursos de licenciatura; pesquisas e estudos sobre o perfil dos ingressantes dos
cursos de licenciatura, com especial atenção para a relaço candidato/vaga; ampliação do debate sobre a valorização dos cursos de licenciatura da Unesp na conjuntura institucional; oportunidade para
investir em metodologias diferenciadas para atender à reestruturaço curricular; acompanhamento e
debate sobre a proposta do CNE sobre as novas Diretrizes Curriculares Nacionais sobre a Formação
de Professores.
4.1.5. Laboratórios Interdisciplinares de Ensino - Articulando Teoria e Prática (LIFE)
Laboratório Interdisciplinar de Ciências e Matemática - Articulando Teoria e Prática por meio da instrumentação, relacionado aos cursos de licenciatura em Ciências Biológicas, Física e Matemática do
Câmpus de Ilha Solteira, e o Laboratório "O uso de tecnologias educacionais, metodologias ativas de
ensino e crenças pessoais de eficácia: da formação inicial à educação básica", envolvendo os cursos
de licenciatura em Física, Educação Física e Geografia do Câmpus de Rio Claro, aprovados e viabilizados pelo Edital 067/2013 - LIFE/Capes - "Laboratório Interdisciplinar de Pesquisa e de Formação
de Educadores" da Capes, com valor captado no total de R$ 407.430,00, para aquisição de material
permanente e custeio, que promoveu as seguintes ações: criação de espaços específicos dedicados
ao uso de tecnologias e à formação de professores, um no Instituto de Biociências - IB, outro no Instituto de Geociências e Ciências Exatas - IGCE, na cidade de Rio Claro, e outro mais na Faculdade
de Engenharia - FE, na cidade de Ilha Solteira; no caso do Laboratório de Prática de Ensino, Material
e Instrumentação Didática - LaPEMID, instalado no CEAPLA CECEMCA da Unesp, câmpus de Rio
Claro, obtenção de apoio no projeto de formação continuada da Unesp (CECEMCA), pelo MEC, no
período de 2005 a 2010, que se mostrou bastante construtivo. O CEAPLA CECEMCA possui interesses em comum, com o foco na formação de professores, tendo permitido partilhar suas instalações
e contar com a infraestrutura de informática (rede lógica) lá existente. O espaço do LaPEMID contará
com laboratório de informática e mídias,oficina de produção e desenvolvimento de material didático e
oficina de vídeo e digitalização de imagens). O CEAPLA CECEMCA permitirá ainda ao LaPEMID contar
com o partilhamento de sua infraestrutura (secretaria, almoxarifado, dois banheiros e um auditório);
no câmpus de Ilha Solteira, foi criado o Laboratório Interdisciplinar de Ciências e Matemática que pro-

18 | Relatório Anual de Gestão 2014

porcionará a formação de caráter interdisciplinar a estudantes dos cursos de licenciatura em Física,
Matemática e Ciências Biológicas, inicialmente por meio do oferecimento de disciplina optativa que
permitirá o aprendizado, a socialização e o desenvolvimento coletivo de práticas e metodologias. O
Laboratório Interdisciplinar de Ciências e Matemática do câmpus de Ilha Solteira, além de promover
ação direta nos cursos de licenciatura, por meio do oferecimento de disciplina de caráter interdisciplinar, também atenderá à demanda de formação continuada de professores quanto a conhecimentos
específicos de caráter teórico e experimental, visto que os equipamentos adquiridos, de ótima qualidade e abrangência, permitirão contemplar, dentro do tema "espectro eletromagnético", uma gama
considerável de assuntos pertinentes não só ao currículo da Educação Básica, mas em termos de
conhecimentos gerais, o que resultará em um ambiente de aprendizagem plural.
4.1.6. Programa Núcleos de Ensino
Em 2014, a Unesp investiu R$ 1.200.000,00 no Programa Núcleos de Ensino, que visa o desenvolvimento
de projetos nas escolas públicas das 14 cidades em que a Unesp oferece cursos de licenciatura. Os
recursos foram destinados, em grande parte, aos próprios projetos e uma pequena soma para sua
operacionalização. O quadro 6 mostra os dados de cada unidade participante do Programa no ano.
Quadro 6: Dados do Programa de Núcleos de Ensino em 2014.
Projetos
Recebidos

Projetos
Aprovados

Valores
Aprovados
(R$)

Bolsistas
Aprovados

FCL

15

14

109.495,80

22

IQ

0

0

-

0

FCL

15

15

94.013,10

18

FC

16

14

123.099,00

24

FE

1

0

-

0

IB

9

9

61.887,71

11

FCA

1

1

10.800,00

2

Franca

FHDSS

7

6

52.574,60

11

Guaratinguetá

FE

6

6

48.940,00

9

Ilha Solteira

FE

8

8

64.045,00

12

Jaboticabal

FCAV

4

4

25.076,00

5

Marília

FFC

17

17

145.138,65

28

Ourinhos

CE

9

8

61.508,60

12

Presidente Prudente FCT

25

23

198.616,48

38

Registro

CE

1

1

5.400,00

1

IB

9

8

66.217,75

13

IGCE

2

2

19.800,00

4

Rosana

CE

1

1

4.200,00

1

São José do Rio
Preto

IBILCE

11

10

92.537,50

18

São Paulo

IA

2

2

14.300,00

2

159

149

1.197.650,19

231

Núcleos de Ensino

Araraquara
Assis
Bauru

Botucatu

Rio Claro

Totais

Relatório Anual de Gestão 2014 | 19

4.1.7. Organização do II Congresso Nacional de Formação de Professores e XII Congresso Estadual
Paulista Sobre Formação de Educadores
Na edição de 2014, sob o tema "Por uma revolução no campo da formação de professores", os
eventos conjugados demarcaram amplitude nacional para a área da educação, especialmente no que
se refere à formação de professores para a atuação na educação básica e os espaços formativos
no interior das instituições de ensino superior. O evento constituiu-se como importante meio de
comunicação e divulgação das pesquisas feitas por docentes, discentes de graduação, discentes de
pós-graduação e professores de escolas municipais e estaduais da área da Educação de todas as
regiões do país. Teve por base políticas amplas e articuladas em todos os domínios do conhecimento,
com o objetivo de desenvolver a qualidade que deve ser contemplada na formação de educadores.
Os convidados autores, apresentaram o cenário e, ao mesmo tempo, enunciaram novas proposições.
O tema escolhido privilegiou o debate acerca das necessárias transformações que precisam ser
postas em prática para a superação das atuais condições de trabalho docente, tornando-se meio para
responder e auxiliar criticamente as políticas nacionais de formação de professores no Plano Nacional
de Educação e na implementação de um Sistema Nacional de Educação. Houve mesas-redondas,
conferências, simpósios e apresentações dos relatos de pesquisa e de experiência, além de pôsteres
de divulgação dos trabalhos desenvolvidos em diversos setores educacionais. O XII CEPFE contou
com mil e quinhentos e oitenta (1580) inscritos e um mil e trezentos (1300) participantes ativos, de
vinte e sete (27) Unidades Federativas do Brasil, ampliando a representatividade nacional. Destaca-se
a inscrição de 1249 trabalhos de relatos de pesquisa e experiência na forma oral e pôster, dos quais
foram selecionados 1032 trabalhos nas diversas modalidades.
4.2. Articulação de cursos de graduação
A articulação dos cursos está em sua fase final. No ano de 2014, encerrou-se a articulação dos cursos
de odontologia e foi retomada a dos cursos de agronomia. Os cursos de computação e o bacharelado
em sistemas de informação deram continuidade à articulação, que está em andamento. Os dois
últimos conjuntos dos cursos terão os trabalhos estendidos para 2015.
4.3. Aperfeiçoamento da prática pedagógica dos docentes
4.3.1. Formação pedagógica dos docentes
No ano de 2014 o Centro de Estudos e Práticas Pedagógicas ­ CENEPP realizou 50 atividades gerais
e locais totalizando mais de 400 horas de trabalho de formação, como mostra o quadro 7 abaixo.
Quadro 7: Atividades desenvolvidas pelo CENEPP em 2014.
Tema da atividade
Curso Introdução a Utilização das Tecnologias de informação e Comunicação no Ensino
Superior
Seminário sobre Formação de Professores das Universidades Estaduais Paulistas

Período de
realização

Carga
horária

Nº de
Participantes

22-10-2013 a
07-02-2014

40

3

28-01-2014

10

88

Oficina sobre Projeto Político Pedagógico em Engenharia Agrônomica e Engenharia de Pesca

12-02-2014

8

35

Oficina Projeto Político Pedagógico do Curso de Agronomia

18-02-2014

8

27

"Disciplina em bloco: uma experiência interdisciplinar que deu certo"

26-02-2014

4

15

Ciência, Artes e Revelação: Formação e Fronteiras do Conhecimento

13-03-2014

4

7

24 a 26-03-2014

12

78

04-04-2014

2

33

Seminários de Avaliação da Graduação em Estatística - 2014
Ciclo de Palestras - Inclusão Social na UNESP - Ações afirmativas na universidade pública:
discutindo o caso da UFSCar".
I Fórum de Articulação dos Cursos de Graduação em Química da UNESP

14 a 16-04-2014

20

92

Entardecer com a Docência: Ações Inovadoras no Ensino Superior - Experiências de docentes
do câmpus de Bauru

24-04-2014

2

23

A didática e as novas mídias: como educar nativos digitais

24-04-2014

3

13

Entardecer com a docência- Uma experiência de metodologia ativa: De la classe a la cuenta

07-05-2014

2

26

12 a 13-05-2014

12

523

13-05-2014

2

102

Dia da Graduação 2014 - Ibilce/Unesp: Graduação para que? Objetivos e perfil do egresso
Vigilância Sanitária e o Consultório Odontológico: orientações práticas
Dia da Graduação (Discentes): o papel do aluno no seu processo de aprendizagem

14-05-2014

4

521

Dia da Graduação: Valorização da prática docente e expansão do ensino superior

14-05-2014

2

110

14 a 22-05-2014

3

3

Panorama da Ead no Brasil: do marco regulatório às perspectivas na educação superior

20 | Relatório Anual de Gestão 2014

Valorização das Atividades na Graduação - Campus de Itapeva

15-05-2014

4

11

21 a 22-05-2014

10

32

Práticas educativas e a relação professor-aluno no Ensino Superior

10-06-2014

4

36

Pré-Fórum de Ensino do Câmpus Bauru: Ações pedagógicas inovadoras no ensino superior

11-06-2014

8

1

Oficina de Relações Interpessoais

18-06-2014

4

16

Reunião para preparação da Oficina de Relações Interpessoais

18-06-2014

2

3

Metodologias Ativas

01-07-2014

8

18

Tecnologias na Educação em Engenharia

29 a 30-07-2014

16

14

Metodologias Ativas no Ensino Superior

01-08-2014

3

7

I Encontro dos Coordenadores das Comissões Locais do CENEPP: ATUAÇÃO, DESAFIOS E
POSSIBILIDADES

Aprendizagem Baseada em Problemas: fundamentos e práticas na universidade

15-09-2014

2

18

22 a 30-09-2014

4

7

Didática e o Ensino Universitário

13-10-2014

2

38

IV Dia da Graduação

15-10-2014

8

32

VI Encontro dos Docentes do Câmpus de Bauru - VI ENDOC

15-10-2014

4

137

IV EnDoc - Encontro de Docentes do Câmpus de Araraquara

15-10-2014

4

64

Saúde e Sustentabilidade: A prática da Permacultura

II Dia da GraduAÇÃO Como queremos a graduação da para daqui 20 anos?

15-10-2014

8

96

Reunião aberta do Conselho Pleno do CENEPP

17-10-2014

8

48

27 a 15-12-2014

90

15

DIA DA GRADUAÇÃO -ODONTOLOGIA

05-11-2014

4

198

Oficina sobre Projeto Político-Pedagógico dos Cursos de AGRONOMIA, ENGENHARIA
AGRONOMICA, ENGENHARIA DE PESCA E ENGENHARIA FLORESTAL

06-11-2014

6

14

Desafios da Aula Invertida: mobilização da atenção por meio das TICs

07-11-2014

4

17

10 a 13-11-2014

30

50

Seminário Projeto Político ­ Pedagógico do Curso de Pedagogia da FCT/UNESP: REFLEXÃO
E (RE)CONSTRUÇÃO COLETIVA

XI Oficina de Estudos Pedagógicos Básica - Práticas Pedagógicas do Professor Universitário:
fundamentos, epistemologia e metodologia
Reunião de preparação da II Oficina de Relações Interpessoais

14-11-2014

2

8

II Oficina de Relações Interpessoais

14-11-2014

4

24

Interdisciplinaridade Curricular

27-11-2014

4

12

Discussão candidato/vaga do curso Engenharia Industrial Madeireira do Campus de Itapeva

28-11-2014

4

13

Trabalho Educativo Histórico-Crítico e o papel do docente do Ensino Superior no processo de
emancipação dos alunos

28-11-2014

3

30

Os desafios para articular ensino e pesquisa na graduação no Século XXI

01-12-2014

8

48

Fórum de Estudos sobre o Regime de Recuperação no Ensino de Graduação da Unesp

04 a 05-12-2014

15

60

Oficina : Interdisciplinaridade e os desafios no contexto da graduação

08-12-2014

3

25

Interdisciplinaridade e a experiência do PPGAgronegócios da UFGD

08-12-2014

2

20

Formação de professores, mídias e tecnologias

10-12-2014

4

26

II Workshop sobre Tecnologias e Metodologias Inovadoras para o Ensino Superior

15-12-2014

16

24

Nº de atividades

Carga
horária

Participações

50

436

2861

4.3.2. Inovação em metodologias do ensino de graduação
A Prograd, consciente da necessidade de atualização do docente em relação às inovações referentes
às metodologias de ensino que enriquecem a relação estudante/professor, e de atualizar os processos
de ensinar e aprender, criou, em 2014, o Programa de Graduação Inovadora. Tal programa estabeleceu
ações articuladas e múltiplas, com a finalidade de promover a inovação metodológica, e objetivos a
serem alcançados, cujas ações realizadas em 2014 são as que seguem.
· Cursos de capacitação de docentes da Unesp em Metodologias e Tecnologias Educacionais: 4
cursos de ensino a distância, organizado e formatado pelo NEAD, com recursos compartilhados
entre Prograd e ProPG, planejamento feito em 2014. Os cursos tiveram seu início prorrogado para
2015 (valor do investimento: R$ 369.755,00; fonte dos recursos: 50% PDI/Prograd e 50% PDI/
ProPG).
· Apoio à visita docente a cursos de excelência internacional no ensino de graduação: foi lançado
um edital para realização de visitas a instituições estrangeiras que ofereçam cursos de graduação

Relatório Anual de Gestão 2014 | 21

·

·

·

de excelência internacional, visando ao aperfeiçoamento e inovações metodológicas no ensino
de disciplinas ou grupos de disciplinas. Foram priorizadas propostas com ações articuladas e
envolvendo mais de um curso. Foram submetidos 20 projetos, dos quais 10 desses foram
atendidos. O valor individual de cada projeto foi de R$ 20.000,00 (valor do investimento: R$
200.000,00; fonte de recursos: 50% PDI/Prograd; 50% PDI/ProPG).
Aquisição de material e adequação de infraestrutura para possibilitar a implementação de
metodologias inovadoras: destinação de recursos do PMEG para a aplicação em projetos
apresentados para o atendimento de edital direcionado a propostas de Inovação em Metodologia
do Ensino Superior (ver PMEG).
Produção de material bibliográfico sobre Metodologias de Ensino Inovadoras no Ensino de
graduação: foi elaborada uma coletânea, na forma de e-book, com os resumos sobre Metodologias
Inovadoras apresentados no II Workshop sobre Metodologias de Ensino Superior para a Unesp do
século XXI, realizado em Águas de São Pedro, de 25 a 27 de novembro de 2013 (fonte de recursos:
PDI/Prograd). Esse e-book está disponível na página da Prograd no endereço: http://www.unesp.
br/portal#!/prograd/e-livros-prograd/
Valorização da prática docente: foi criada uma comissão na CCG para estudar e propor uma política
de valorização do ensino de graduação. A comissão concluiu o documento recentemente, e está
em fase de elaboração final do documento a ser apreciado pelos órgãos colegiados competentes
(fonte de recursos: PDI/Prograd).

4.4. Programa de Educação Tutorial (PET)
A Unesp possui, atualmente, 45 grupos PET, sendo 32 vinculados ao MEC (grupos PET/MEC/SESu) e
13 grupos PET-Unesp. A Prograd custeia o funcionamento dos grupos PET-Unesp, constituídos por um
tutor e oito bolsistas (corte de quatro bolsas em relação à 2013, frente ao ajuste financeiro realizado).
Dessa maneira, para os grupos PET-Unesp houve o repasse, para cada grupo, de R$ 1.800,00/mês,
referente às bolsas de tutores, e de R$ 400,00/discentes/mês, para o pagamento de bolsas para
estudantes. Houve, ainda, o repasse do valor correspondente à verba de custeio em duas etapas:
março (R$ 2.000,00) e outubro (R$ 3.200,00), para cada grupo. Além desse incentivo, a Prograd apoia
a participação dos petianos em eventos e, em 2014, disponibilizou verba para ajuda de custo de um
bolsista representante do Comitê Local de Avaliação e Acompanhamento (CLAA), para participação
no Evento Nacional de Educação Tutorial (XIX ENAPET), que foi realizado no período de 28 de julho
a 02 de agosto de 2014, em Santa Maria, no Rio Grande do Sul. Já no Encontro Regional (SudestePET), realizado no Rio de Janeiro, de 18 a 20 de abril de 2014, muitos grupos da Unesp participaram
utilizando a verba de custeio. Foi, ainda, utilizada verba desse programa para custear a participação
de docentes em reuniões do Comitê Local de Avaliação e Acompanhamento (CLAA). A aplicação das
verbas destinadas ao Programa 7 - Ação 6 (aperfeiçoar o Programa PET/MEC e consolidar o Programa
PET/Unesp), em 2014, foi de: R$ 280.800,00 (bolsas para 13 tutores); R$ 499.200,00 (bolsas para
104 estudantes); R$ 67.600,00 (custeio); R$ 2.462,35 (demais despesas). Os grupos PET/MEC/SESu
possuem verba originária do MEC para pagamento de tutores, bolsistas e custeio. Dos 45 grupos
da Unesp, 32 estão nessa categoria e recebem os recursos da seguinte maneira: bolsa de tutor (R$
2.200,00/mês), bolsa de discentes (R$ 400,00/mês), sendo 12 bolsistas/grupo e custeio (R$ 9.600,00/
grupo/ano). Portanto, o MEC repassou, no ano de 2014, o valor total de R$ 2.995.200,00 para a
manutenção dos grupos PET/MEC/Sesu. A Unesp mantém-se como a universidade brasileira que
possui o maior número de grupos PET. As atividades desenvolvidas por esses grupos são reconhecidas
como de excelência e de grande relevância para a graduação, pesquisa e extensão dos cursos.
4.5. Curso de redação científica
A escrita de textos científicos é fundamental no universo acadêmico afinal, é por meio deles que
a ciência é divulgada e perdurada, em um processo de materialização do pensamento reflexivo,
sistemático, controlado e crítico. Estando esse veículo de comunicação tão presente no cotidiano
universitário, a Pró-reitoria de Graduação, que tem como objetivos planejar, coordenar e controlar
as atividades de ensino de graduação, e também definir as políticas de ensino de graduação, e
de acompanhamento e funcionamento dos cursos, juntamente com professores da Universidade,
propuseram a disciplina "Produção de Textos Científicos", dividida em dois módulos. Com uma carga
horária de trinta horas, essa disciplina possui uma parte introdutória, desenvolvida em dez horas de
curso, e uma parte específica em que são estudados alguns gêneros acadêmicos durante as vinte
horas restantes. Dando continuidade às atividades iniciadas em 2012, com a participação de docentes
dos cursos de Letras da FCL/Assis e do IBILCE/São José do Rio, a disciplina foi ofertada em 12

22 | Relatório Anual de Gestão 2014

unidades, que receberam verba destinada ao pagamento de profissionais que ministraram as aulas. No
segundo semestre de 2014, que se prolongou até meados do primeiro semestre de 2015, para ajustar
o calendário por conta do período de greve, foi oferecido, em diversos câmpus da Unesp, o módulo
I. Além dos conteúdos previstos nesse cronograma, os professores responsáveis pela disciplina,
quando julgaram necessário, apresentaram atividades complementares, principalmente voltadas a
dúvidas linguísticas que os alunos apresentavam. De modo geral, conforme relataram os professores
responsáveis, grande parte dos alunos sentiu necessidade de apoio com questões linguísticas, o que
só reforça a necessidade de um profissional formado em Letras, e que tenha bom conhecimento na
área, para atuar como docente da disciplina. Por se tratar de uma disciplina prática, há a necessidade
também de que o docente lide bem com estratégias de escrita e reescrita de textos, mais uma vez, e
que tenha formação da área de linguagens.
As atividades foram realizadas nos seguintes câmpus da Unesp, totalizando doze turmas: 1) FCL-Assis;
2) FC-Bauru; 3) FE-Bauru; 4) FM-Botucatu; 5) FMVZ-Botucatu e FCA-Botucatu; 6) FCHS-Franca; 7)
FE-Ilha Solteira; 8) FCAV-Jaboticabal; 9) FCT-Presidente Prudente; 10) IBILCE-São José do Rio Preto;
11) Ourinhos; 12) Tupã. As aulas na Unidade de Marília estavam inicialmente programadas, entretanto,
o docente que ficaria responsável pela disciplina não confirmou uma data para o coordenador e,
infelizmente, não foi possível agendar o curso para esse módulo. A disciplina, mesmo tendo iniciado
tardiamente, foi muito bem recebida e elogiada. Bastante preocupante é o fato de muitos professores
citarem a dificuldade que os alunos estão tendo com questões de língua. Portanto, faz-se necessário
pensar em medidas que possam, de alguma forma, sanar essas dificuldades a fim de contribuir
para que a ciência divulgada por nossos alunos não seja prejudicada não pela pouca profundidade
analítica, mas, sim pelo pouco entendimento da língua materna. Semelhante ao que aconteceu nos
anos anteriores, os docentes de Letras do Ibilce ministraram oficina para os profissionais contratados
a fim de capacitá-los de acordo com o plano de ensino proposto. As disciplinas foram subsidiadas por
uma coleção de livros de linguística, adquirida pela Prograd, encaminhada às bibliotecas das unidades
no início de 2013.
4.6. Apoio a eventos relacionados à graduação
A Prograd oferece apoio às unidades universitárias e câmpus experimentais para a realização de
eventos relacionados ao ensino de graduação para tratar de temas como: avaliação da graduação,
política de inclusão social, projeto político pedagógico, perfil social do estudante. No ano de 2014
foram investidos R$ 41.000,00 nestes eventos.

Relatório Anual de Gestão 2014 | 23

3

Pró-reitoria de
Pós-graduação
PROPG

1. APRESENTAÇÃO
Este relatório apresenta os resultados das ações planejadas e metas estabelecidas no Plano de
Desenvolvimento Institucional e demais atividades executadas pela Pró-Reitoria de Pós-graduação
(PROPG) durante o ano de 2014 cujos esforços foram concentrados para melhorar a qualidade dos
Programas de Pós-graduação e incentivar a educação continuada, como os Cursos de Especialização,
Residência e Aprimoramento.
Em 2014 a PROPG realizou ações para concretizar os resultados das discussões realizadas no
ano anterior e que tinham como propósito revisar as etapas para a melhoria da Pós-Graduação. A
regulamentação dos cursos lato sensu foi aperfeiçoada para: a) normatizar e implantar comissões a
oferta dos programas de residência médica e residência multiprofissional em saúde; b) reformular a
oferta dos cursos de especialização para um modelo modular e que possibilitem melhor incorporar a
experiência anterior de mercado profissional de alunos.
Quanto aos programas de mestrado e doutorado, que na avaliação trienal pela CAPES, mostraram
significativo avanço na UNESP, foram realizadas diversas reuniões para capitalizar esses avanços. A
iniciativa mais importante foi a realização de um workshop com o tema "Análise da Avaliação Trienal
CAPES" com a participação de membros da Câmara Central de Pós-graduação e membros da Unesp
que participaram das comissões de avaliação e com a presença do Diretor de Avaliação da CAPES,
Professor Dr Lívio Amaral. Constatou-se neste workshop que, a Unesp, agora com mais de 50 % dos
programas com conceitos "Muito Bom a Excelente", está num momento oportuno para estabelecer
políticas de consolidação desses programas, sem deixar de dar o apoio aos programas com conceito
regular e bom. Um reflexo dessa mudança no perfil da Pós-Graduação da UNESP é que, até 2013,
as demandas para apoio à mobilidade internacional de docentes de e para Universidades do exterior
cresceram, mas em proporção muito menor do que aquelas demandas para apoio à publicação de
artigos em periódicos internacionais.
Um outro fato marcante na atuação da PROPG em 2014 foram as implantações, pela CAPES, de
dois novos sistemas: a "Plataforma Sucupira" para tratar de assuntos acadêmicos, que incorporou
o antigo Coleta CAPES, e o "Sistema de Gestão de Convênios e Contrato de Repasses (SICONV)",
para a gestão dos recursos do "Programa de Apoio à Pós-Graduação (PROAP ­ CAPES)". Desde final
de 2013, a PROPG promoveu diversas reuniões presenciais e por videoconferência para preparar
a comunidade da UNESP para a correta utilização desses sistemas, articuladas com as Diretorias
Técnicas Acadêmicas e Administrativas, Seções Técnicas Acadêmicas, de Finanças e Compras,
Coordenações de Pós-Graduação, Pró-Reitoria de Administração, Assessoria de Planejamento e
Orçamento e Assessoria Jurídica.

2. ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO

No ano de 2014 a Unesp contou com 13.191 estudantes (55% do gênero feminino) dos quais 404 são
estrangeiros. Dos alunos matriculados na Pós-graduação stricto sensu, 6.490 freqüentaram os cursos
de mestrado acadêmico, 6.103 os cursos de doutorado e 598 os cursos de mestrado profissional.
No mesmo período foram realizadas 3.083 defesas, das quais 1.035 foram de teses de doutorado,
1.950 foram dissertação de mestrado acadêmico e 98 dissertações de mestrado profissional.
A PROPG tem como atribuição o acompanhamento e avaliação dos Programas stricto e lato definido
no PDI - Programa 10 (Avaliação da Pós-Graduação). Assim, no cumprimento dessa atribuição e
no âmbito de suas responsabilidades, a PROPG realizou a avaliação prévia dos dados inseridos na
plataforma "Sucupira CAPES" com a participação de cerca de 40 docentes da UNESP, experientes
na avaliação de relatórios. Esta atividade foi realizada on line e para que pudesse ser efetivada foram
desenvolvidas, no Sistema PROPG, ferramentas que permitiram aos avaliadores acessarem, de suas
Unidades, a base de dados dos Programas e emissão de pareceres, que foram acessados pelos
coordenadores dos Programas de Pós-Graduação para análise e incorporação das sugestões.

3. EXCELÊNCIA, INSERÇÃO NACIONAL E INTERNACIONALIZAÇÃO DOS PROGRAMAS
DE PÓS-GRADUAÇÃO

A UNESP conta com 136 Programas de Pós-graduação dos quais 02 cursos de mestrados acadêmicos,
03 cursos mestrados profissional e 03 cursos de doutorado foram aprovados em 2014.
A ampliação da inserção nacional da Pós-graduação da Unesp pode ser evidenciada na participação
em Programas de Pós-Graduação ofertados em redes nacionais e interinstitucionais, bem como pelos
projetos como Mestrado Interinstitucional - MINTER (3) e Doutorado Interinstitucional - DINTER (6
nacionais e 1 internacional) aprovados em 2014. Destaca-se também a participação da UNESP em
editais nacionais, como o Programa Nacional de Pós-Doutorado - PNPD Institucional MEC/CAPES

Relatório Anual de Gestão 2014 | 27

que neste ano foram implementadas 115 bolsas, resultando em valor total mensal R$ 471.500,00.
Em 2014, parte das atribuições da PROPG, especialmente as que envolveram execução orçamentária
do PDI/PROPG, foi realizada por editais. Com o objetivo de atingir a excelência no ensino de Pósgraduação (Programa 11, PDI/PROPG) e promover integração de docentes da UNESP em programas
de Pós-graduação (Programa 12, PDI/PROPG) ações foram elaboradas viabilizando a participação de
especialistas em disciplinas de tópicos especiais em ação conjunta com a participação em bancas
examinadoras junto aos Programas de Pós-graduação da UNESP. Neste edital (edital PROPG no
7/2014), foram atendidos 8 programas de pós-graduação.
Com a finalidade de ampliar e fortalecer o intercâmbio interno de docentes e de pós-graduandos e
incentivar a participação do corpo docente da Universidade em Programas de Pós-Graduação da
UNESP, esforços foram direcionados para a viabilizar a criação de novos programas de pós-graduação,
apoiar programas de pós-graduação interunidades (Programa 12 - Ação 5 e 19). Nesses sentido o
edital PROPG no 05/2014 viabilizou a mobilidade docente e discente (Gráfico 1) entre os Programas de
pós-graduação da UNESP (Programa 12 ­ Ação 23).
30
Docente
Discente

Número

25
20
15
10
5
0
uba quara
ra
Ara

çat

Ara

uru ucatu
t
Bo

Ba

l
a
nca lteira
laro
reto
aba Maríli dente
io C Rio P
u
So
otic
r
R
b
a
P
a
J
e
Ilh
do
ent
osé
sid
oJ
Pre


Fra

Campus

Gráfico 1: Número de professores e pós-graduandos que receberam auxílio mobilidade (Edital PROPG no 05/2014).

Foi também oferecido apoio a organizações de eventos científicos (Programa 11 - Ação 14 - edital
PROPG no10/2014). Todos estes editais receberam significativa solicitações da comunidade acadêmica
(Gráfico 2).

Número de Programas

7
6
5
4
3
2
1
0
a

uar

raq

Ara

is

Ass

uru

Ba

l
atu ranca caba arília dente Claro Preto Paulo caba
M Pru
F
ro
o
oti
Rio o Rio
b
So

a
J
te
éd
den
s
i
o
s
oJ
Pre


tuc

Bo

ã
Tup

Campus

Gráfico 2: Número de Programas de Pós-Graduação que receberam auxílio para realização de Eventos
(Edital PROPG no 10/2014).

Os investimentos para aumentar a produção acadêmica qualificada e sua divulgação (Programa 11 Ação 10) e o apoio a edição de textos científicos (Programa 11 - Ação 15) tiveram como objetivo apoiar
a edição e o lançamento de livros, selecionados pelos Conselhos dos Programas segundo critérios
de mérito estabelecidos em editais da PROPG e mediante a avaliação de pareceres por comissão de
especialistas. Dos títulos de livros digitais (Cultura Acadêmica) editados a partir de 2010; sendo que
62 livros foram lançados em 2014.

28 | Relatório Anual de Gestão 2014

A meta para o indicador 1 do Programa 11 era de que 70% dos docentes da UNESP estivessem
vinculado aos programas de Pós-Graduação em 2014. A UNESP tem atualmente 2.396 docentes
permanentes atuando nos Programas de Pós-graduação de um total de 3.488 docentes, com
aproximadamente 68,7% de inserção. O indicador 2 que corresponde ao cociente do número de
defesas de tese no ano, pelo número de docentes da Instituição estava estabelecido par um mínimo
de 0,23; atingiu em 2014 o valor de 0,30.
3.1. Internacionalização da Pós-Graduação da Unesp
Dentre as ações de internacionalização da Pós-Graduação implementadas em 2014 destacam-se
a ampliação e fortalecimento a mobilidade de docentes (Programa 14 do PDI/Internacionalização,
Ação 2). Para o cumprimento das metas propostas foram elaborados editais de incentivo a vinda
de professores ou pesquisadores estrangeiros qualificados e a saída de professores da UNESP para
estágios de curta duração em Universidades estrangeiras reconhecidas, com o intuito de criar uma
rede e grupos para desenvolver pesquisas na fronteira do conhecimento (editais PROPG no 03/2013
e no 04/2013).
Para o Edital 3 foram utilizados R$ 363.242,00 que possibilitou a vinda de 56 professores estrangeiros
para os Programas de Pós-Graduação. A origem dos professores visitantes e a porcentagem do
recurso destinada a cada Campus estão apresentados nos Gráficos 3 e 4.
14

Número de Professores

12
10
8
6
4
2
0
nha entina anadá
C
Arg

a
ile
ca
Ch amar spanh
E
Din

ma

Ale

s
a
A
ia
EU ilipina Franç ungr
H
F

a
o
ia
ia
Itál Méxic orueg ungr
H
N

a
o
ia
Itál Méxic orueg
N

Países

Gráfico 3: Países de origem os professores que visitaram a UNESP em 2014 (Edital 3).

16
14
Porcentagem

12
10
8
6
4
2
0
ra
ba
atu raqua
Ara

ç
Ara

is

Ass

l
nte Claro Preto mpos Paulo caba
uru ucatu ranca lteira caba
rília
t
Ma Prude
F
ro
So boti
Bo
Rio o Rio os Ca São
a
So
e
Ja
t
Ilh
d
d
n
e
é
é
d
s
s
i
o
s
o
o J ão J
Pre

S

Ba

ã
Tup

Campus

Gráfico 4: Porcentagem do recurso recebido por Campus em 2014 (Edital 3).

Para o Edital 4 foram utilizados R$ 629.440,00 que possibilitou a ida de 56 professores para realizarem
estágio de curta duração no exterior. O país de destino dos professores e a porcentagem do recurso
destinada a cada Campus estão apresentados nos Gráficos 5 e 6.

Relatório Anual de Gestão 2014 | 29

16
14

Número de professores

12
10
8
6
4
2
0
nha

a

stri

ma

Ale

Áu

ra
ha
ina
bia
Ch ngapu olôm span
E
C
Ci

á
nad
Ca

a
a
A
EU Franç oland
H

ia
gal nido heca uécia zuela
rtu
e
S
Po eino U ep. Tc
Ven
R
R

Itál

Países

Gráfico 5: Países que receberam professores da Unesp em 2014 (Edital 4).
18
16
Porcentagem

14
12
10
8
6
4
2
0

uba quara
ra
Ara

çat

Ara

uru ucatu ranca guetá lteira arília dente Claro Preto mpos Paulo caba
t
M Pru
F atin
ro
So
Bo
Rio o Rio os Ca São
So
ar
te
Ilha
Gu
é d sé d
den
s
i
o
s
o
o J ão J
Pre

S

Ba

ã
Tup

Campus

Gráfico 6: Porcentagem do recurso recebido por Campus em 2014 (Edital 4).

O intercâmbio de alunos e docentes aconteceu também na participação em eventos no Brasil e no
exterior. Com a verba PROAP/PROPG foi concedido auxilio a 20 docentes e 98 pós-graduandos para
a apresentação de trabalhos em eventos científicos.
O Programa de Estudante-Convênio de Pós-Graduação (PEC-PG) implementado pelas agências de
fomento (CAPES e CNPq) aprovou 7 bolsas de mestrado 8 bolsas de doutorado para estudantes de
diferentes países de origem realizarem seus estudos de Pós-Graduação no Brasil, distribuídos nos
diversos cursos da UNESP (Gráfico 7 e 8).

Número de estudantes

4
CAPES/Mestrado
CNPq/Doutorado

3

2

1

0

atu

tuc

Bo

l
a
etá
nca
laro
reto cab
aba
Fra atingu botic
io C Rio P Soro
R
r
a
a
J
do
Gu
osé
oJ

Campus

Gráfico 7: Campus que receberam estudantes do Programa PEC-PG 2014.

30 | Relatório Anual de Gestão 2014

Número de estudantes

5

4
3

2

1

0

ina

bia

Ch

lom

Co

ba

Cu

ia

Ind

e

iqu

mb

ça
Mo

ru

Pe

al

neg

Se

País de origem

Gráfico 8: Países de origem dos estudantes do Programa PEC-PG 2014.

A quota do Programa Doutorado-Sanduíche no Exterior (PDSE) em 2014 foi de 2.160 mensalidades,
das quais foram implementadas 1.575 (73%) que beneficiaram 147 estudantes bolsistas (Gráfico 9).
450

Utilizado
Saldo
Excedente

Número de parcelas

400
350
300
250
200
150
100
50
0

a ara sis uru atu nca etá
al ília
lo
te
to
ro os
ira
ub
As Ba otuc Fra tingu Solte oticab Mar ruden io Cla amp io Pre o Pau
çat aqu
B
R os C o R Sã
b
a
a
l
r
Ara Arar
a
I
a
te P
J
d
d
n
e
Gu
é
osé os
sid
o J São J
Pre


Campus

Gráfico 9: Saldo e Parcelas de bolsas PDSE utilizadas por Campus em 2014.

Os bolsistas realizaram seus estágios em países da América do Norte, Europa, América do Sul e
Oceania (Gráfico 10).
60

Número de alunos

50

40

30

20

10

0

a
a
a ia
a
a ia
a
a
á
a
o
o
A
ia
le
al
ia
ia
US anad panhortug UnidFranç strál marc Itál éxic Suéc manhÁustr olandGréc Irlandorueg Suíç Chi
M
C Es P ino
H
le
N
Au Dina
A
e
R
Países

Gráfico 10: Países que receberam os doutorados do Programa PNPD em 2014.

Relatório Anual de Gestão 2014 | 31

Ainda para o programa internacionalização da UNESP a PROPG deu continuidade ao Programa de
Apoio a estudantes de Doutorado do Exterior da Asociación Universitaria Iberoamericana de Postgrad
com a UNESP (PAEDEX/AUIP/UNESP). Este Programa ofereceu 10 bolsas para estudos de doutorado
nos Programas de Pós-graduação da UNESP com conceito 5, 6 e 7. As bolsas são destinadas a
docentes não brasileiros vinculados a Instituições de Educação Superior integradas a AUIP. No
Edital 2014 foram recebidas 79 candidaturas tendo sido selecionados 10 candidatos. O resultado
do processo seletivo contendo os nomes dos candidatos selecionados foi publicado em 30/04/2014
na página eletrônica da AUIP. Os alunos iniciaram suas atividades em 4 de agosto de 2014 e são
procedentes da Colômbia, Cuba, Honduras, Equador e Nicarágua.
O Programa de Alianças para a Educação e Capacitação da Organização dos Estados Americanos e
Grupo Coimbra de Universidades Brasileiras (PAEC/OEA/GCUB), teve o edital aberto em 2014, previa
a concessão de 03 (três) bolsas - 2 de mestrado e 1 de doutorado - para estudos nos Programas
de Pós-graduação com conceito 5, 6 e 7. A UNESP recebeu 197 candidaturas. O processo seletivo
foi realizado pelo Grupo Coimbra de Universidades Brasileiras destinados aos Programas de PósGraduação da UNESP em Biologia animal - DO (IBILCE/São José do Rio Preto), Ciência e Tecnologia
Animal - ME (FC/Bauru) e Odontologia - ME ( FO/Araraquara).
Para o Programa de Mobilidade de Estudantes de Pós-graduação da Associação de Universidades
Grupo Montevidéu (PEEPg/AUGM), ainda com foco na internacionalização do ensino superior, a PROPG
ofereceu quatro vagas para mobilidade de seus estudantes de mestrado e doutorado regularmente
matriculados nos cursos de mestrado e doutorado com conceitos 5, 6 e 7. Os pós-graduandos da
UNESP receberam a passagem de ida e volta, cabendo à instituição receptora arcar com as despesas
de alimentação e alojamento, conforme previsto na convocatória PEEPg/AUGM 2014.
A PROPG ofereceu ainda, para os alunos das instituições latino-americanas que participam da
Convocatória, quatro oportunidades de mobilidade em seus Programas de Pós-graduação com
conceito 5, 6 e 7, com período de permanência entre 15 e 120 dias, no período de agosto a novembro
de 2014, recebendo cada um o equivalente a uma bolsa de mestrado ou doutorado por mês, de
acordo os termos do PEEPg.
Foram enviadas 13 candidaturas de 9 estudantes da UNESP, porém apenas 2 foram selecionados para
mobilidade à Universidad Nacional del Litoral (Argentina) e Universidad de la Republica (URUGUAI),
estudantes da FCAV/Jaboticabal e do IQ/ Araraquara.
Para mobilidade à UNESP, foram recebidas 4 inscrições, mas 2 foram indeferidas por não terem sido
direcionadas à PPGs 5, 6 ou 7. Selecionamos estudantes da Universidad Nacional de la Plata e da
Universidad Nacional del Litoral, ambas da Argentina para os Programas de Pós-Graduação em Artes
- ME (IA/ São Paulo) e em Ciência e Tecnologia de Materiais - DO (FC/ Bauru).
Ainda dentro das atividades desenvolvidas pela PROPG foram aprovadas 9 de Convenções de
Cotutelas entre a UNESP e duas (2) Instituições da França, duas (2) de Portugal e uma (1) da Espanha.
Ainda em relação às atividades que envolvem instituições estrangeiras a UNESP recebeu 25 solicitações
de reconhecimento de títulos estrangeiros de mestrado e doutorado para fins de validade nacional
foram aprovados 23 títulos de Universidades da Europa e América do Norte, dos quais, 10 em nível de
mestrado e 13 em nível de doutorado (Tabela 1).
Tabela 1: País de origem dos títulos estrangeiros reconhecidos em 2014.
País

M

D

Alemanha

2

Cuba

1

USA

2

1

Espanha

2

2

Holanda

1

1

Itália
Paquistão

1
1

Portugal

2

Reino Unido

2

Sérvia
Total

32 | Relatório Anual de Gestão 2014

4
1

10

13

Em 2014, uma ação conjunta com a AREX permitiu o oferecimento de Conjunto de Disciplinas em
Inglês na UNESP (CDIs) - Edital nº 01/2013 (Ação 4 ­ PDI/Internacionalização). Com a finalidade de dar
oportunidades a alunos estrangeiros de participarem das atividades nos Programas de Pós-graduação
da UNESP, a PROPG promove o oferecimento de disciplinas em inglês (CDIs). Formatadas segundo
o padrão europeu ECTS (European Credit Transfer and Accumulation System) são constituídas em
quatro conjuntos: Linguística e Literatura; Energias Alternativas; Ciências Agrárias e Odontologia. Do
conjunto de 50 disciplinas em inglês e destinam-se a estudantes estrangeiros e brasileiros matriculados
em cursos de mestrado e doutorado, em 2014 foram ministradas 26 disciplinas das quais participaras
134 estudantes, dos quais 25 eram estrangeiros (Tabela 2).
Tabela 2: Disciplinas do Conjunto de Disciplinas em Inglês ministradas em 2014.
Disciplinas ministradas em inglês

Alunos

Biocatalysts for Biofuel Production

4

Biodiversity of Fungi

11

Bone Biology Applied to Dentistry

2

Brazilian Short Stories and Cinema: Modern and Contemporary Visions

5

Cariology

3

Design of Experiments and Robust Design Applied to Renewable and Alternative Energy

11

Ecophysiology of Bioenergy Crops

3

Electric Power Quality in Distributed Networks with Renewable Energy

1

Evolution of Plant Pathogens in Agriculture

5

Fuel Cells

4

Geotechnologies Applied to Energy

11

Introduction to Comparative Literature

5

Language Awareness and Implications for Teaching, Learning and Instructional Interaction

15

Language Policy

4

Literature and History

5

Measuring Sustainability in Agricultural Systems

7

Reading Brazil Through Literature

5

Renewable Energy Sources in Microgrids

5

Special Topics on Methods for Optimizing the Use of Pesticide Application Equipment

3

Spoken Language: Research Perspectives and Principles in Foreign Language Learning and Teaching

6

Stress and Immunity

7

Topics on Agriculture and Development

2

Translation Theory and Research Methods in Translation Studies

4

Utilization of Agriwastes Residues for the Production of Energy and New Materials

6

Total

134

Ainda com ação da internacionalização a PROPG, para ampliar a divulgação da pesquisa em periódicos
internacionais indexados de qualidade reconhecida esta Pró-reitoria atou junto a PROPE e lançou o
edital PROPE/PROPG no 19/2013 cujos resultados serão apresentados pela PROPE.

Relatório Anual de Gestão 2014 | 33

4. CURSOS LATO SENSU
a. Especialização
A PROPG e a comissão assessora da Câmara Central de Pós-Graduação para análise de cursos de
especialização trabalhou no ano de 2014 na elaboração do Sistema Latu sensu para o acompanhamento
e gestão dos cursos de especialização.
Foram ofertados 19 edições de cursos de especialização em diferentes áreas do conhecimento (Tabela 3).
Tabela 3: Cursos de Especialização aprovados em 2014
ARAÇATUBA

Endodontia

26

12

ARARAQUARA

Implantodontia

9

5

ARARAQUARA

Endodontia

11

12

ARARAQUARA

Ortodontia

9

5

BAURU

Estratégias Competitivas: Comunicação, Inovação e Liderança

2

35

BAURU

Logística Empresarial

4

25

REGISTRO

Ciência e Tecnologia do Ambiente

1

25

RIO CLARO

Entomologia Urbana - Teoria e Prática

7

15

S. J. DOS CAMPOS

Dentística

1

8

S. J. DOS CAMPOS

Prótese Dentária

1

7

GUARATINGUETÁ

Gestão da Produção

14

60

SOROCABA/IPERÓ

Engenharia de Produção

3

25

P. PRUDENTE

Fisioterapia

7

9

PROPG/REDEFOR

Educação Especial - Deficiência Auditiva/Surdez

1

100

PROPG/REDEFOR

Educação Especial - Deficiência Física

1

100

PROPG/REDEFOR

Educação Especial - Deficiência Intelectual

1

100

PROPG/REDEFOR

Educação Especial - Deficiência Visual

1

100

PROPG/REDEFOR

Educação Especial - Transtorno Global do Desenvolvimento

1

100

SÃO PAULO

Arteterapia/Terapias Expressivas

4

40

b. Especialização EAD
Rede São Paulo de Formação Docente (Redefor)
A PROPG por meio do convênio SEESP ­ Unesp ­ Redefor, nº 9365/0400/2012, ofereceu em 2014 sete
cursos de especialização na área da Educação Especial e Inclusiva, sendo eles: Educação Especial
(EE) na perspectiva da Educação Inclusiva (EI), Deficiência Visual (DV), Deficiência Auditiva/Surdez
(DA/S), Deficiência Física (DF), Deficiência intelectual (DI), Transtornos Globais do Desenvolvimento
(TGD) e Altas Habilidades/Superdotação (AH/SD). Neste ano foram realizadas a matrícula dos 1.600
professores da rede estadual. Assim como as novas chamadas com o objetivo de completar as vagas
ofertadas, obedecendo às regras definidas pela EFAP.
As atividades desenvolvidas pelas equipes dos cursos de Educação Especial e de Educação Especial
na perspectiva da Educação Inclusiva incluiu o processo de Seleção dos Orientadores Educacionais
On-line, processo de contratação de 33 Tutores on-line Emergenciais, a recepção dos 12 Orientadores
Educacionais On-line e o processo de formação e seleção dos Tutores/Pesquisadores Presenciais
(TPs) para o início das atividades em março.

34 | Relatório Anual de Gestão 2014

5. GESTÃO DO FOMENTO DA PROPG

a. Recursos das Bolsas (Demanda Social da CAPES e outras.)
Os Programas de Pós-Graduação receberam 2.845 bolsas de estudo em 2014. Destas bolsas 1265
foram de doutorado e 1.450 de mestrado. Além das quotas dos Programas a Pró-reitoria distribuiu
47 bolsas de Doutorado e 83 de mestrado. Sendo o valor da bolsa de mestrado é de R$ 1500,00 e
da bolsa de Doutorado de R$ 2.400,00, o valor anual em bolsas CAPES foi de R$ 62.230.800,00. Os
Programas contou em 2014 com 403 bolsas de mestrado e 295 de Doutorado do CNPq e 370 bolsas
de mestrado e 454 de doutorado da Fapesp. Em 2014, apenas 33,1% dos pós-graduandos da Unesp
realizaram seus cursos com bolsas.
b. Recursos do Programa de Apoio à Pós-Graduação (PROAP ­ CAPES).
Os recursos do PROAP são gerenciados pela Pró-Reitoria de Pós-Graduação (PROPG). Em 2014, a
PROPG recebeu o montante de R$ 9.644.234,28 que foram distribuídos aos PPGs em conformidade
com a Portaria CAPES/2014. (Gráfico 13)
30

25

Porcentagem

20

15

10

5

0

)
)
)
(5)
(9) s (4)
(1)
(3)
(2)
(2)
(6)
(4) (11) pos
(6)
l (8
(10
(21
reto
uba quara Assi auru catu ranca guetá olteira icaba arília dente laro Cam Rio P Paulo ocaba
C
M
t
u
F
n
a
r
u
s
B
i
t
S
o
r
r
o
t
So

Bo
Rio sé do sé do
eP
Ara
ara
Jab
Ilha
o
o
ent
Gu
sid
o J São J
e
ã
r
S
P

at
raç

A

G

OP

PR

Campus (número de programas)

Gráfico 11: Distribuição da verba PROAP por Campus em 2014.

Os Programas de Pós-graduação que confirmam o status de excelência internacional passam a
integrar o Programa de Excelência Acadêmica (PROEX), adquirindo autonomia de gestão e aporte
diferenciado de recursos. Neste ano os Programas integraram e passaram a integrar o PROEX estão
descritos na tabela 28.
c. Pró-Equipamentos Institucional da CAPES
O Programa Pró-Equipamentos foi criado com o objetivo de suprir a necessidade de equipamentos
destinados à melhoria da estrutura de pesquisa científica e tecnológica dos Programas de Pósgraduação, em todas as áreas do conhecimento nas Instituições Públicas de Ensino Superior. Os
recursos financeiros do Pró-Equipamento são destinados a melhoria da infraestrutura de pesquisa
nos Programas de Pós-graduação e tem auxiliado na consolidação de laboratórios multiusuários. A
PROPG, responsável pela elaboração do projeto institucional a ser submetido ao edital da CAPES. Em
2014 foram obtidos R$ 3.299.634,86 cuja distribuição dos recursos por grande área de conhecimento
foi realizado por meio de edital e está apresentada no gráfico 14.

Relatório Anual de Gestão 2014 | 35

30

25

% do recurso

20

15

10

5

0
a
á
a
a
u
u
u
u
u
u
o
o
o
o
is
al
al
cat olteir Pret aquar Clar Baur tucat çatub ticab / Ass Paul tucat Baur Clar nguet tucat ticab
/
/
i
S
o
otu
o
o
o
r
io
io
io
/ B / Ilha . J. R / Ara B / R FC B / B / Ara/ Jabo FCL / Sã A / B FE E / R uarat Z / B / Jabo
M
I
I
A
A
V
I
F FE
S CF
V
V
FC
IGC FE / G FM ESP
F
E/
FM FCA
LC
UN
IBI
CA

Unidades

Gráfico 12: Programas de Pós-graduação contemplados com o Pró-equipamentos 2014 (Edital nº 027/2014/CAPES).

6. CONSIDERAÇÕES FINAIS
Os dados apresentados neste relatório de gestão apontam as diretrizes assumidas como metas pela
Pro-Reitoria de Pós-Graduação para apoiar os Programas da UNESP, na realização das atividades que
contribuam para a obtenção da excelência acadêmica.

36 | Relatório Anual de Gestão 2014

4

Pró-reitoria de
Pesquisa
PROPE

A Universidade no mundo contemporâneo agrega as responsabilidades inerentes a uma instituição
de ensino, comprometida com a formação de profissionais de nível superior, com a excelência na
pesquisa e reflexos na produção de novos conhecimentos e riquezas, e com a extensão e cultivo
do saber, desempenhando um papel fundamental para o equilíbrio e desenvolvimento social. Para
responder a estes desafios a Universidade do futuro precisa de forte engajamento internacional, alta
mobilidade de recursos, formação de recursos humanos qualificados, novas idéias, desenvolvimento e
transferência de tecnologias, inovação, infraestrutura de pesquisa, planejamento de desenvolvimento
institucional sólido e articulado e gestão contemporânea, privilegiando as atividades acadêmico/
científicas. A avaliação do seu papel por indicadores de excelência baseiam-se fundamentalmente no
impacto e relevância da pesquisa produzida, na qualidade de ensino, na titulação do corpo docente,
na formação de recursos humanos competitivos para enfrentar os desafios com foco nos grandes
problemas nacionais e internacionais, na inovação e transferência de conhecimento com abordagens
multi-, inter- e transdisciplinares de forma a responder aos anseios da sociedade e promover o
desenvolvimento com sustentabilidade e responsabilidade social, se configurando em um veículo
capaz de decodificar o conhecimento e retorná-lo à comunidade propiciando melhoramento da
qualidade de vida da população.
Dentro deste contexto, a fonte propulsora da pesquisa desenvolvida em nível mundial ainda é
a Universidade, que precisa responder a vários desafios englobados em uma agenda nacional de
pesquisa. O sucesso no desenvolvimento da pesquisa requer um sistema de gestão competente e
fomento empresarial e governamental, priorizando-se a busca por soluções não apenas focadas nos
problemas locais e regionais, mas também naqueles em nível nacional e internacional. Na atualidade,
a escassez de recursos mobiliza a comunidade para uma maior otimização do fomento, culminando
na necessidade de compartilhamento de laboratórios, equipamentos e idéias, maior diálogo com as
necessidades da sociedade, convergência entre as áreas, entre as Instituições e maior promoção do
impacto social gerado pelo desenvolvimento da Ciência. Todos estes parâmetros são constantemente
usados na avaliação do desempenho das Universidades pelos Rankings, que tem como proposta
apresentar um indicador de qualidade independente, capaz de atuar como referência de Universidades
de excelência em um contexto global.
O reconhecimento internacional da UNESP é realçado por diversos Rankings: na Academic Ranking
of World Universities (ARWU) a UNESP ocupa, entre as Universidades Internacionais, a posição
301o/400o e no Brasil está entre a 2O/5O posição. Comparando-se apenas as Universidades dos
países de economias emergentes (BRICS) a UNESP está entre as Top 100. O QS University Rankings
mensurou as universidades mundiais e a UNESP encontra-se na 421O/430O posição mundial, entre
os BRICS ocupa a posição 30O, na América Latina ocupa a 8o posição e no Brasil lidera o honroso 4o
lugar. Na análise comparativa a UNESP posiciona-se entre as melhores Universidades do mundo, cujos
dados corroboram com o potencial de seu crescimento, considerando-se que é uma universidade
descentralizada, heterogênea, multi-campi e bastante jovem. O Ranking da Nature Global Index
analisou artigos publicados em 68 periódicos com impacto mundial e a UNESP ficou em 3O lugar no
Brasil e em 6O na América Latina.
Um dos pilares de sustentação para este crescimento é a evolução exponencial das publicações
de artigos científicos em periódicos indexados em bases de dados internacionais e qualificação da
pesquisa desenvolvida pelos docentes/pesquisadores. A comparação da produção científica da
UNESP no período de 2009-2014, segundo a Base de Dados SCOPUS e WEB of SCIENCE (Figura
1), respectivamente aponta indicadores com crescimento de 41% no período (base SCOPUS) e 26%
(base Web of Science). Estes dados confirmam o aumento da contribuição da pesquisa desenvolvida
da UNESP para o país. Dos trabalhos publicados entre 2010-2014 na base de dados WEB of SCIENCE
observa-se que aproximadamente 75% dos artigos citados tem co-autoria internacional, ressaltandose a grande importância das parcerias de cooperação internacional para a visibilidade da pesquisa
produzida.

Relatório Anual de Gestão 2014 | 39

Artigos 2009 - 2014 - Scopus
4020

4564

4311

4372

2012

2013

2014

3567

3608

3686

2012

2013

2014

3562
3247

2009

2010

2011

Artigos 2009 - 2014 - Wo3

3237

3425

2929

2009

2010

2011

Figura 1: Evolução da publicação dos artigos publicados dos docentes/pesquisadores da UNESP na base de dados SCOPUS
E Web of Science no período de 2005-2014.

Esta produção é consubstanciada por 760 grupos de pesquisa cadastrados no CNPq e distribuídos em
oito áreas de conhecimento. Os indicadores mostram que a distribuição e consolidação destes grupos
entre as áreas do conhecimento é ainda bastante heterogênea. Deste modo, a PROPe tem dedicado
um olhar estratégico para a infraestrutura de pesquisa e definido políticas para implementação,
fortalecimento, integração e internacionalização dos grupos atuantes em áreas de temáticas de
fronteira.
Outro aspecto importante para a avaliação da evolução da pesquisa é a captação de recursos financeiros
em órgãos de fomento externos a UNESP. Os recursos advindos da FAPESP em infraestrutura de
pesquisa da UNESP em 2014 foi de R$ 152.253.073,91. A captação de recursos junto ao CNPq
também foi significativa, destacando a captação no Edital Universal do CNPq que em 2014 foi de R$
9.392.812,70.
A qualificação da pesquisa desenvolvida por docentes/pesquisadores da UNESP reflete-se no total
de 793 bolsistas de produtividade em pesquisa do CNPq, estratificados em 457 pesquisadores nível
II, 318 bolsistas nível I, 2 pesquisadores sênior e 16 pesquisadores de desenvolvimento tecnológico.
Em 2014 a PROPe deu continuidade ao trabalho de fortalecimento da pesquisa coordenando as
atividades de avaliação da produção científica, pelo levantamento e análise das principais bases de
dados internacionais. Esses dados permitem avaliar as atividades de pesquisa interdisciplinares e em
rede, resultantes de parcerias com pesquisadores de outras Universidades brasileiras e/ou do exterior.
Atividades relacionadas à adequação da infraestrutura também tiveram enfoque, o que permitiu a
organização e disponibilização de equipamentos mulitusuários para a utlização dos mesmos por
toda a comunidade científica da universidade. O estabelecimento de políticas para as Unidades
Complementares, os Biotérios e os Recursos genéticos, respectivamente, foi privilegiado e resultou
em um melhor funcionamento dessas importantes Unidades de apoio e desenvolvimento da pesquisa,
além de maior visibilidade e compartilhamento de suas instalações e infraestrutura. As Comissões
de Ética em Pesquisa foram reorganizadas e disponibilizadas na página web da PROPe para toda
comunidade científica. Outro aspecto fundamental para o avanço da ciência nas mais conceituadas

40 | Relatório Anual de Gestão 2014

universidades do mundo, é contar com pós-doutorandos do país e do exterior. Para tanto, os pósdoutorandos da universidade foram cadastrados e avaliados por assessores ad hoc, garantindo assim
o alicerce dos mesmos em projetos qualificados. A necessidade de pessoal Técnico de Nível Superior
também foi avaliada e a implementação já trouxe resultados expressivos na qualificação da pesquisa.
A criação e manutenção do repositório da UNESP, junto a outras atividades inerentes ao CRUESP,
além do cadastramento e permanente análise dos grupos de pesquisa junto ao CNPq complementam
as atividades da PROPe. No âmbito do CRUESP, deu-se continuidade aos projetos relacionados ao
BIOEN, ao Centro de Petróleo e Gás da Baixada Santista, o repositório e o observatório da educação.
A Pró-Reitoria de pesquisa gerenciou o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC/
PIBIT), outorgado pelo CNPq e contrapartida Institucional. Em 2014 foram contempladas 641 bolsas
PIBIC/CNPq e 500 bolsas PIBIC/Reitoria UNESP; 38 bolsas PIBITI, e 90 PIBIC/ENSINO MÉDIO/Júnior
outorgadas pelo CNPq. O programa é consolidado e estimula sobremaneira o trabalho científico junto
aos alunos de graduação e ensino médio. Os recursos para este Programa totalizaram R$ 5.476.800,00.
Os recursos disponibilizados pelo PDI na PROPe constitui fonte imprescindível para o desenvolvimento
dos Programas, definidos em função de diagnóstico e resultados, que desde 2009 vem avaliando,
reagrupando e implementando programas de apoio a pesquisa, visando incentivar, aumentar e
qualificar as produções científicas, tecnológicas e de inovação em todas as áreas de conhecimento,
os quais são apresentados a seguir:

PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL - PDI
A avaliação dos diagnósticos e resultados do avanço da pesquisa nos anos de 2009 a 2013 mostraram
que as atividades de pesquisa fomentadas pela PROPe foram frutíferas no período. Em 2014 foi dado
continuidade a muitas das ações já implementadas ou em consolidação, com vistas a qualificar a
pesquisa e inovação em todas as áreas do conhecimento, promover a cooperação científica efetiva
entre os pesquisadores, aumentar e qualificar a produção científica (artigos e/ou livros e capítulos de
livros), aumentar a captação de recursos, propiciar infraestrutura adequada para pesquisa e contribuir
para a internacionalização da pesquisa na UNESP.
Em 2014, todas as atividades da PROPe foram distribuídas dentro de quatro programas: 1) Programa
3 - Incentivo à Consolidação da Pesquisa, 2) Programa 4 - Infraestrutura de Pesquisa, 3)
Programa 22 - Apoio à Consolidação das Unidades Complementares da Unesp e 4) Programa
14 - Internacionalização da Pesquisa, inseridos no Plano de Desenvolvimento Institucional- PDI.
Os resultados finais das atividades desenvolvidas em cada Programa são apresentados a seguir,
detalhando-se o orçamento previsto, respectivo investimento na proposta e avaliação das ações.

PROGRAMA 3 - INCENTIVO E CONSOLIDAÇÃO DA PESQUISA NA UNESP
Este Programa tem por objetivo incentivar, aumentar e qualificar a produção científica, tecnológica
e de inovação em todas as áreas de conhecimento. Dentro deste contexto, priorizou-se melhorar
a qualificação da produção científica da UNESP implementando as seguintes metas: melhorar a
qualificação da pesquisa com a inserção de jovens talentos em grupos de pesquisa qualificados,
incentivar a permanência do recém-doutor no grupo de pesquisa onde desenvolveu doutorado, dar
contrapartida Institucional ao esforço despendido na submissão e aprovação de projetos científicos,
promover a interlocução entre os pesquisadores da UNESP visando fomentar ações conjuntas na
forma de grandes projetos em temas de fronteiras do conhecimento, contribuir para a capacitação
de técnicos de nível superior atuando em grandes grupos de pesquisa e propiciar Congressos de
Iniciação Científica para divulgar a pesquisa de estudantes de graduação.
O orçamento destinado a este programa foi R$ 2.850.766,00 para implementação de quatro ações,
cuja distribuição de recursos é mostrada na Figura 2. Os recursos destinados às metas de cada Ação
também são mostradas a seguir.

Relatório Anual de Gestão 2014 | 41

Incentivo à
Captação de Recursos
R$ 900.000,00

Congresso de Iniciação
Científica
CIC
R$ 650.000,00

Recém Doutor
R$ 694.000,00

Jovem Pesquisador
R$ 510.000,00

Fóruns Temáticos
R$ 80.000,00

Ação 1

Ação 2

Capacitação do
Corpo Técnico
Atuante na Pesquisa
R$ 16.766,00
Ação 3

Ação 4

Figura 2: Distribuição dos recursos PDI nas 4 ações do Programa 3 e respectivas metas em 2014.

1. AÇÃO 1
O objetivo desta ação é promover condições para o desenvolvimento da pesquisa acadêmicocientífica nas diversas áreas do conhecimento. As metas e formas de implementação da referida ação
são apresentadas a seguir:
a. Incentivo a Captação de Recursos - PICR
Esta meta objetivou contribuir com o desenvolvimento da pesquisa pelo oferecimento de contrapartida
Institucional aos docentes/pesquisadores que captaram recursos de órgãos de fomento. No ano de
2014, foram destinados ao Programa R$ 900.000,00, que atendeu a 471 solicitações, demonstrando
um forte potencial de captação de recursos/pesquisadores da UNESP frente a órgãos oficiais de
fomento.
b. Recém Doutor
Esta proposta visa o oferecimento de uma bolsa de pós-doutorado júnior de curta duração a recémdoutores que ao término do doutorado, encontram-se ainda em fase de redação e avaliação do projeto
de pesquisa de pós-doutorado a ser submetido para financiamento pelas agências de fomento, com
o intuito de ampliar a inserção de pós-doutores em laboratórios de pesquisa e fortalecer os grupos
de pesquisa da UNESP. A proposta tem bases consolidadas e o sucesso é demonstrado pela alta
demanda qualificada. Em 2014, financiou 59 bolsistas, com valor máximo de R$ 2.000,00/ mês, por
um período de seis meses. Na seleção foram priorizados os alunos oriundos de programas de PósGraduação da UNESP e inserção em grupos de pesquisa produtivos, cujos projetos estavam em fase
de análise junto a alguma agência de fomento na modalidade pós-doutorado. Em geral, após este
período a maioria dos alunos consegue financiamento de outros órgãos de fomento. No período foi
destinado R$ 694.000,00. As Unidades Universitárias contempladas foram: FM/Bo (6), FFC/Marília (2),
IB/Bo (10), FCA/Bo (5), IQ/Ar (13), FCAV/Jab (8), FC/Bauru (3), IB/RC (4), FC/Bauru (4), IBILCE/SJRP
(4), FO/Ar (3), CAUNESP (1), FCF/Ar (1), FCHS/Franca (1), FCL/Ar (1), FCL/Assis (1).
c. Jovem Pesquisador
A concessão de bolsas a jovens pesquisadores atuando em grupos de alta qualidade teve como
meta atrair e/ou manter jovens talentos capazes de implementar linhas de pesquisa inovadoras na
UNESP. Para isto, outorgou-se 22 bolsas no valor de R$ 3.000,00/mês a jovens pesquisadores que
tiveram bolsa de pesquisa de outros órgãos de fomento e projeto em áreas de fronteira. Á esta meta
foi destinado R$ 510.000,00, priorizando-se na avaliação profissionais que tiveram previamente bolsas
de outros órgãos de fomento. As Unidades Universitárias contempladas foram: FO/Ar (2), IQ/Ar (6),
FCL/Assis (1), FC/Bauru (1), FM/Bo (1), FMVZ/Bo (1), IB/Bo (1), FCAV/Jab (1), FFC/Marília (1), IB/RC
(1), CLP (1), FE/Guar (1), IBILCE/SJRP (1), IPBEN/Reitoria (1), IBTEC/Reitoria (1), IEAMar/Reitoria (1).

42 | Relatório Anual de Gestão 2014

A execução desta proposta incentivou o desenvolvimento da pesquisa em áreas estratégicas para
a Universidade, procurando incentivar a permanência de jovens pesquisadores e pós-doutorandos
altamente especializados em áreas de fronteira do conhecimento. Isto auxiliou sobremaneira a fixação
de jovens doutores e jovens pesquisadores em grupos de pesquisa consolidados, contribuindo para a
aceleração e qualificação da produção científica, refletida no aumento da produção de artigos e livros
publicados.

2. AÇÃO 2
O objetivo desta ação foi promover a interlocução efetiva e ações conjuntas entre os pesquisadores.
Para isto, implementou a seguinte proposta:
a. Fóruns Temáticos
A proposta desta meta foi promover fóruns de discussão e reuniões de trabalho com vistas a propor
projetos de pesquisa em rede, preparar livros e publicações conjuntas entre docentes/pesquisadores
atuantes em áreas interdisciplinares. No ano de 2014, a PROPe fomentou 81 reuniões e gastou R$
80.000,00 reais na proposta. Como resultado incentivou a integração entre os docentes/pesquisadores
com reflexos no aumento da proposição de projetos em redes interdisciplinares e publicações
qualificadas, tais como a aprovação de 24 projetos temáticos na FAPESP e submissão de 10 propostas
para o Edital INCT/CNPq/FAPESP.

3. AÇÃO 3
O objetivo desta ação foi aprimorar mecanismos de apoio técnico à pesquisa, consideradas as
especificidades das áreas. Para isto, implementou a seguinte proposta:
a. Capacitação do Corpo Técnico
A meta desta proposta foi dar alicerce ás atividades de pesquisas desenvolvidas pelo corpo técnico,
atuante em equipamentos de grande porte, com vista a contribuir para a constante atualização dos
seus conhecimentos na área e propiciar o pleno funcionamento dos equipamentos multiusuários. Para
isto outorgou 5 auxílios no ano de 2014, ao custo total de R$ 16.766,00. Estes recursos foram usados na
capacitação dos profissionais e no fortalecimento da pesquisa em diferentes áreas do saber. As seguintes
Unidades Universitárias foram contempladas: FFC/Marília (1), FM/Bo (1), FO/Araç (1), IB/RC (1), IQ/Ar (1).

4. AÇÃO 4
O objetivo desta ação foi contribuir para a divulgação e avaliação dos trabalhos de Pesquisa do IC da
UNESP. Para isto, implementou a seguinte proposta:
a. Congresso de Iniciação Científica
No ano de 2014, a PROPe realizou o XXVI Congresso de Iniciação Científica visando aprimorar e
fortalecer os programas de Iniciação Científica (IC) da UNESP. Em virtude do grande número de
alunos participantes do Evento (3309 alunos) realizou-se o Congresso em duas fases. Na primeira
fase realizada junto as Unidades, o Congresso atendeu a 1164 alunos das Ciências Humanas, 821
alunos das Ciências Exatas, 1524 das Ciências Biológicas e Ciências Agrárias. Estes eventos foram
patrocinados com auxílio PROPe que enviou recursos financeiros para as unidades sedes do XXV
CIC para custear as despesas de realização, hospedagem e alimentação dos participantes, material
gráfico, confecção de certificados e etc. A proposta é qualificada e envolve uma seleção de trabalhos
altamente competitiva para a segunda fase (seleção de 7:1 de alunos da primeira/segunda etapa
do congresso). Nesta etapa foram selecionados 450 alunos para participação da segunda fase do
Congresso Científico, realizado em Águas de Lindóia/SP em 26 a 28/11/2014. O orçamento destinado
a esta ação foi de R$ 650.000,00. O CIC da UNESP é um Congresso estruturado de forma a privilegiar
o mérito e a competência acadêmico/científica e apresenta alta competitividade e relevância para
a formação de recursos humanos na UNESP. No ano de 2014 foi realizada 1ª Olimpíada "Pensar
a Universidade do futuro: problemas e soluções", que demonstrou excelente participação dos
estudantes, com a inscrição de trabalhos relevantes para o tema e altamente qualificados. Na primeira
edição, foram premiados 16 (dezesseis) estudantes, sendo que aos 3 (três) primeiros colocados foram
outorgados com notebooks e, a todos, um certificado de honra ao mérito.

Relatório Anual de Gestão 2014 | 43

PROGRAMA 4 - INFRAESTRUTURA DE PESQUISA
A captação de recursos requer como contrapartida Institucional infraestrutura adequada e apoio de
recursos humanos capacitados para o desenvolvimento de projetos científicos. Com base nesse
cenário, a PROPe propôs no Programa 4, algumas ações com vistas a auxiliar recém contratados a
implantar novas linhas de pesquisa e consolidar suas potencialidades; melhorar a inserção de recém
contratados com projeto aprovado em agencias de fomento na formação de recursos humanos; dar
contrapartida institucional aos grupos de pesquisa qualificados coordenando projetos de fronteiras e
grande repercussão nacional; apoiar bons projetos de pesquisa para incentivar melhor produtividade
em pesquisa e engajamento de docentes na Pós-graduação e fortalecer as estruturas de apoio
ao docente/pesquisador com vistas a desonerá-lo de encargos burocráticos e dar-lhe tempo para
pesquisa. Pela análise dos Indicadores apresentados foi proposta da PROPe trabalhar para melhorar
o índice de captação de recursos em agências de fomento e aumentar os grupos de pesquisa
produtivos na UNESP. A este programa foi destinado um orçamento no valor de R$ 1.839.237,00 para
implementação de quatro ações, cuja distribuição de recursos é mostrada na Figura 3.
As principais ações e metas desenvolvidas no Programa 4 estão descritas a seguir:

1. AÇÃO 1
O objetivo desta ação foi estimular a instalação e manutenção de laboratórios multiusuários nas
diferentes áreas, bem como auxiliar a inserção de recém-contratados na atividade de formação de
recursos humanos. Para isto, implementou as seguintes propostas:
Primeiros Projetos
R$ 926.220,14

Jovens
Talentos
R$ 302.400,00

RENOVE
R$ 290.443,71

Apoio a
Projetos
Temáticos
R$ 303.234,00

Escritório de Pesquisa
R$ 16.936,15
Ação 1

Ação 2

Ação 3

Ação 4

Figura 3: Distribuição dos recursos PDI nas 4 ações e respectivas metas do Programa 4 em 2014.

a. Apoio a Projetos temáticos
Considerando que os projetos temáticos e multiusuários alicerçam pesquisas de alto nível, com
forte enfoque interdisciplinar desenvolvidas por grupos de pesquisa qualificados e demandam
contrapartida institucional, a meta desta proposta foi minimizar as deficiências do pessoal técnico
qualificado atuantes em projetos de grande porte coordenados por docentes da UNESP. Para isto
em 2014, outorgou 24 bolsas de apoio técnico no valor máximo de R$ 1.000/mês, durante 12 meses,
a projetos temáticos ou multiusuários em execução e coordenados por docentes/pesquisadores da
UNESP. O custo total da proposta foi de R$ 303.234,00 e atendeu grupos de pesquisa de 16 Unidades
da UNESP: FO/Ar (5); IB/RC (1); IB/Bo (2); FCF/Ar (2); IQ/Ar (4); IBILCE/SJRP (2), FC/Ba (1), FCA/Bot
(1), FE/IES (2), FCAV/Jab (1), FCL/ Assis (1), FCT/PP (1), IGCE/RC (1), CE / Sorocaba (1), CE/ CLP (1).
Este auxílio demonstra o empenho dos docentes em coordenar grandes projetos junto a FAPESP,
INFRA-FINEP e EMU-FAPESP.
b. Apoio a Jovens Talentos da UNESP
O objetivo desta proposta foi minimizar as dificuldades dos recém-contratados na implantação das

44 | Relatório Anual de Gestão 2014

linhas de pesquisa propostas em seus respectivos planos trienais e formação de recursos humanos.
Para isto, a PROPe outorgou 63 bolsas de IC, no valor máximo de R$ 400,00 por até 12 meses, para
jovens pesquisadores que comprovaram captação de recursos em órgãos de fomento. Os respectivos
docentes/pesquisadores contemplados estão distribuídos em 29 unidades da UNESP: FOA/Araç (2),
FCL/Ar (1), FO/Ar (6), IQ/Ar (1), FCL/Assis (1), FC/Bauru (2), FE/Bauru (1), FM/Bo (3), FMVZ/Bo (2), IB/
Bo (2), Dracena (1), FCHS/Franca (2), FE/Guar (3), FE/IS (6), Itapeva (1), FCAV/Jab (8), FFC/Marília (2),
FCT/PP (5), IB/RC (1), IGCE/RC (4), IBILCE/SJRP (4), ICT/SJC (2), Sorocaba (2), Tupã (1). O recurso
contribuiu para inserir os jovens pesquisadores nas atividades de formação de recursos humanos
auxiliando sua inserção na atividade de orientação de iniciação científica, minimizando as dificuldades
em concorrer em condições competitivas nos programas institucionais de Iniciação Científica, uma vez
que segundo normas do CNPq deve-se priorizar os docentes/pesquisadores com alta produtividade
científica e bolsista pesquisador do CNPq. O custo total desta meta foi de R$ 302.400,00.

2. AÇÃO 2
O objetivo desta ação foi garantir infraestrutura mínima de pesquisa para docentes e pesquisadores
recém-contratados. Para isto, implementou a seguinte proposta:
a. Primeiros Projetos
Esta proposta tem por meta incentivar jovens recém-contratados a consolidar suas competências e
potencialidades e contribuir para a implantação de novas linhas de pesquisa na UNESP, garantindolhes infraestrutura mínima de pesquisa. A proposta é bastante competitiva e no ano de 2014, outorgou
64 auxílios no valor máximo de R$ 10.000,00 destinado a fomentar a implantação de novas linhas de
pesquisa em áreas estratégicas. Em adição concedeu também uma bolsa de iniciação científica por
até 12 meses no valor de R$ 400,00. O custo total desta meta foi de R$ 926.220,14. Este recurso
incentivou os jovens doutores contratados para implantação de novas linhas de pesquisa, garantindolhes infraestrutura mínima de pesquisa e inserção na orientação de iniciação científica. A alta demanda
e a forte inserção dos mesmos em programas de Pós-Graduação mostram a importância de fornecer
um enxoval mínimo para atender os docentes-pesquisadores em inicio de carreira. As seguintes
Unidades Universitárias foram contempladas: FAAC/Bauru (4), FCAV/Jab (4), FC/Bauru (5), FCL/Ar
(2), FCL/Assis (3), FCT/PP (6), FCF/Ar (1), FE/Bauru (1), FE/Guar (5), FE/IS (6), FM/Bo (2), FMVZ/Bo (1),
FO/Araç (2), FO/Ar (1), IB/Bo (4), IB/RC (2), IBILCE/SJRP (3), IFT (1), IGCE/RC (2), IQ/Ar (3), Itapeva (1),
Registro (2), SJBV (1), S.Vicente (1), Sorocaba (1).

3. AÇÃO 3
O objetivo desta ação foi a capacitação de docentes/pesquisadores para a pesquisa. Para isto,
implementou a seguinte proposta:
a. Renove
A proposta denominada RENOVE tem por meta apoiar projetos de pesquisa de qualidade, de
Docentes/ Pesquisadores não credenciados como Docentes permanentes nos Programas de PósGraduação stricto sensu da UNESP, com vistas a qualificação e inserção de docentes em regime de
dedicação exclusiva nas atividades de pesquisa e fortalecimento da produção científica qualificada
da UNESP. Para isto, financiou 20 projetos em 2014, no valor máximo de R$ 10.000,00 e uma bolsa
de iniciação científica por até 12 meses no valor de R$ 400,00. O custo total da proposta foi de
R$ 290.443,71 e atendeu grupos de pesquisa das seguintes Unidades da UNESP: FAAC/Bauru (1),
FCAV/Jab (1), FCL/Assis (2), FCT/PP (3), FE/Guar (1), FE/IS (2), FFC/Marília (1), FMV/Araç (1), FMVZ/
Bo (1), FO/Araç (2), IB/Bo (2), IB/RC (1), IBILCE/SJRP (1), Registro (1). Os indicadores mostraram que
projetos de pesquisa com potencialidades foram apresentados em todas as áreas do conhecimento, e
a proposta auxiliou a re-inserção de vários docentes/pesquisadores nos programas de pós graduação.

4. AÇÃO 4
O objetivo desta ação foi criar, ampliar e fortalecer escritórios de apóio a pesquisa. Para isto,
implementou a seguinte proposta:
a. Escritório de Pesquisa
Em 2014 deu-se prosseguimento a meta de fortalecer os escritórios de apoio à pesquisa com vistas

Relatório Anual de Gestão 2014 | 45

a desonerar o docente de encargos mais burocráticos e ter mais tempo para o desenvolvimento da
pesquisa. Para isto trabalhou na capacitação técnico/administrativo dos funcionários envolvido nas
atividades inerentes destes escritórios, oferecendo oficinas de treinamento. O custo total desta ação
foi de R$ 16.936,15 e contribuiu para a infraestrutura dos escritórios de pesquisa em todas as Unidades
Universitárias e Experimentais.

PROGRAMA 21 - APOIO À CONSOLIDAÇÃO DAS UNIDADES COMPLEMENTARES DA
UNESP
A necessidade de fomentar a pesquisa em áreas de fronteira do conhecimento tem levado a UNESP a
implementar novos Centros de Pesquisa na forma de Unidades Complementares, visando aglutinar as
competências da UNESP em áreas estratégicas com vistas a criar ilhas de excelência em pesquisa a
curto prazo e atender ás exigências de crescimento do país. Dentro deste contexto, criou o PROGRAMA
21 para apoiar as atividades de pesquisa desenvolvidas pelas Unidades Complementares e Biotérios,
com o intuito de fortalecer a interação entre a UNESP, agências de fomento e outras instituições que
apóiem o desenvolvimento da pesquisa. As metas foram garantir infraestrutura mínima de pesquisa
para o funcionamento dos biotérios da UNESP, atendendo as exigências mínimas do CONCEA e
contribuir para a qualificação da pesquisa gerando transferência do conhecimento produzido nas
unidades complementares da UNESP. As principais ações estão descritas a seguir:

1. AÇÃO 1
O objetivo desta ação foi apoiar as atividades de pesquisa desenvolvidas pelas Unidades
Complementares. Para isto, implementou a seguinte proposta:
a. Apoio a Unidades Complementares
Em 2014, a PROPe apoiou o desenvolvimento de projetos de pesquisa multidisciplinares que tiveram
como meta melhorar a infraestrutura básica de pesquisa nas Unidades Complementares. Para isto,
outorgou 9 auxílios para pagamento de recurso financeiro no valor máximo de R$ 25.000,00 cada para
despesas com capital, visando auxiliar o desenvolvimento de pesquisa em Unidades Complementares
da UNESP. As seguintes Unidades Complementares e Auxiliares foram contempladas: CEVAP-Bot,
CERAT-Bot, CAUNESP-Jabot, UNIPRI-São Paulo, UNIPEX-Bot, BIOTEC-Bot, IFT-São Paulo, IEMARCLP, BIOEN-RC. O valor total da ação foi de R$ 220.000,00. Este recurso foi de grande relevância para
a qualificação da pesquisa, geração e transferência de conhecimento e melhoramento da infraestrutura
básica de pesquisa em determinadas Unidades Complementares da Unesp.
b. Biotérios
Em 2014, atendendo a uma demanda da comunidade científica por financiamento para grupos de
pesquisas de excelência que necessitam usar animais, a PROPe deu continuidade ao financiando de
melhorias das condições físicas para funcionamento mínimo dos biotérios em atividade na UNESP. Os
biotérios da UNESP alicerçam pesquisas de alto nível com forte enfoque interdisciplinar desenvolvidas
por grupos de pesquisa qualificados. Dentro deste contexto, foram outorgados 14 auxílios no valor
máximo de R$ 21.000,00 para apoiar a infraestrutura e custeio das atividades envolvidas em Biotérios,
e inseri-los dentro das normas mínimas exigidas pela legislação em vigor. O valor total dos recursos
aportados na ação foi de R$ 290.000,00 distribuídos entre nove Unidades da UNESP: (CAUNESP (1),
FCAV/Jab (5), FE/IS (1), FFC/Marília (1), FM/Bo (1), FMVZ/Bo (1), FO/Araç (2), IB/Bo (2).

PROGRAMA 14 - INTERNACIONALIZAÇÃO DA PESQUISA
Este programa teve como objetivo produzir conhecimento científico, humanístico e de inovação
tecnológica; ampliar, avaliar e qualificar a pesquisa para alcançar a excelência; fortalecer os grupos
de pesquisa e induzir a formação de novos grupos; contribuir com os desenvolvimentos regional,
nacional e internacional, sem prejuízo da pesquisa básica.
Este programa foi proposto por um consórcio entre PROPe, PROPG, AREX e PROGRAD. À PROPe
coube o gerenciamento dos recursos no valor de R$ 928.953,32, que contemplou quatro ações e 7
metas, cuja distribuição dos recursos é mostrada na Figura 4. Dentro deste contexto, apresentamos a
seguir as ações implementadas:

46 | Relatório Anual de Gestão 2014

1. AÇÃO 1
O objetivo desta ação foi ampliar e fortalecer a mobilidade discente. Para isto, implementou as
seguintes propostas:
a. Meta 1 - Premiação CIC
A proposta premiou os melhores alunos de cada uma das grandes áreas do conhecimento (Ciências
Exatas, Ciências Humanas, Ciências Biológicas e Ciências Agrárias) selecionados na segunda fase
do Congresso de Iniciação Científica de 2013. Aos três primeiros colocados de cada uma das áreas,
foram concedidos auxílios para pagamento de diárias, transporte e inscrição em evento científico
internacional. O custo total desta meta foi de R$ R$ 40.093,00. Esta meta contribuiu para fortalecer
a internacionalização e os aspectos interculturais dos estudantes de iniciação científica inserindo­os
num contexto acadêmico/científico contemporâneo e multicultural.
Editoração de Revistas
R$ 379.200,00

PROINTER
R$ 249.600,00
Mobilidade Alunos
Cooper. Internacional
R$ 66.407,00
Workshops
Internacionais
R$ 81.000,00
Premiação CIC

e-book
R$ 100.000,00

R$ 52.646,32

Ação 1

Ação 2

Ação 3

Figura 4. Distribuição dos recursos PDI nas ações do Programa 14 em 2014.

b. Meta 2. Mobilidade de Alunos integrados a grupos envolvendo Convênios de Cooperação
Internacional firmados pela UNESP
A proposta teve por objetivo financiar a mobilidade discente envolvendo alunos de mestrado em
projetos de cooperação internacional firmados entre a UNESP e Universidades parceiras de nível
acadêmico científico reconhecido internacionalmente. A meta foi consolidar as parceiras internacionais
firmadas previamente entre as Universidades. Em 2014, foram concedidos 4 auxílios/bolsas (R$
1.500,00/6 meses)/transporte para estágio no exterior de participantes de programas de cooperação
Internacional em vigência: Bélgica (acordo UNESP/Univesity of Leuven, 2), Itália ( acordo UNESP/
Universita Degli di Studi di Padova, 1) e Venezuela (Universidad Simón Bolivar, 1). O valor total desta
meta foi de R$ 66.407,00. Esta meta contribuiu para o fortalecimento dos convênios de cooperação
internacional através da mobilidade de estudantes de pós-graduação do exterior, tendo como
estratégia a possibilidade destes alunos serem inseridos em programas de doutorado na UNESP.

2. AÇÃO 2
O objetivo desta ação foi fomentar projetos de pesquisa interdisciplinares entre líderes de grupos
com produção científica qualificada e cooperação internacional. Para isto, implementou a seguinte
proposta:
a. Fronteiras
Esta meta foi criada em 2014 com o intuito de apoiar novas iniciativas de cooperação internacional e
mobilidade discente/docente/pesquisador entre a UNESP e Universidades de excelência do exterior,
com vistas a consolidar as parcerias internacionais, alavancar a pesquisa em áreas de Fronteira,
fomentar o intercâmbio científico e projetar novos grupos de pesquisa com liderança e reconhecimento

Relatório Anual de Gestão 2014 | 47

internacionais. Dentro deste contexto, 7 projetos foram selecionados. No entanto, em virtude da grande
abrangência da proposta que necessitou maior tempo para análise e limitação de gasto dos recursos
no ano fiscal de 2014, a PROPe divulgou o resultado do edital, porém a implementação da proposta
foi postergada para o PDI- 2015, e os recursos destinados a esta proposta foram remanejados para
2015. As Unidades Universitárias contempladas foram: FCAV/Jab (1), IB/RC (1), FC/Bauru (1), FAAC/
Bauru (1), FM/Bo (1), IQ/Ar (1).

3. AÇÃO 3
O objetivo desta ação foi promover a divulgação da pesquisa realizada na UNESP em veículos
internacionais. Para isto, implementou as seguintes propostas:
a. Ampliar a inserção internacional da produção científica - PROINTER
Esta meta teve por objetivo contribuir para a divulgação da pesquisa em periódicos internacionais
indexados de reconhecida qualidade, propiciando a correção de textos em língua estrangeira, bem
como pagamento de taxa correspondente a publicação de artigos em revistas de boa qualificação
que requerem pagamento para publicação. A proposta atendeu a 191 solicitações outorgando valor
máximo de R$ 3.000,00 para taxa de publicação e valor máximo de até R$ 1.200,00 para correção
do texto para língua inglesa. Esta meta foi gerenciada pelo consórcio PROPe/PROPG utilizando
critérios idênticos de divulgação via editais e análise conjunta de mérito. O custo total desta meta foi
de R$ 249.600,00. Esta proposta foi primordial para melhorar a qualificação dos trabalhos finalizados
antes de serem submetidos à publicação, corroborando para a diminuição do índice de rejeição das
submissões em periódicos de alta relevância nas diferentes áreas do saber.
b. Workshop, Reuniões Temáticas Internacionais e Missão Exploratória
A presente proposta buscou organizar Workshops com a presença de pesquisadores internacionais
de reconhecidos Institutos e Universidades de pesquisa, promover a reunião periódica de docentes/
pesquisadores para discussão e organização de propostas em temas de grande impacto em
áreas de fronteira e divulgar a pesquisa da UNESP junto a Universidades e Institutos de Pesquisa
Internacionais de forma a consolidar convênios de cooperação em vigência. Em 2014 financiou 5
reuniões internacionais ao custo total de R$ 81.000,00. Neste ano, a UNESP foi a responsável por
organizar o ENPROP, evento que reúne todos os pro-reitores de pós-graduação e pesquisa das IES
brasileiras, ligadas ao FOPROP (forum de pro-reitores) que congrega mais de 220 IES.

4. AÇÃO 4
O objetivo desta ação foi divulgar a UNESP internacionalmente. Para isto, atuou em duas propostas:
a. Disseminar as produções intelectuais da UNESP - EDITORAÇÃO DE REVISTAS
Esta meta teve por objetivo contribuir para a divulgação da pesquisa, consolidação das revistas
científicas da UNESP, bem como favorecer sua inserção em bases de dados reconhecidas. Como
forma de execução foi dado apoio financeiro à editoração de revistas selecionadas por análise de
mérito segundo avaliação de comissão especializada. Para isto, foram financiados 16 periódicos
selecionados pelo programa REVISTAS/selo PROPe com até R$ 3.000,00 reais para publicação de
cada volume (máximo de 04 volumes/ano). A cada revista apoiada também foi alocada uma bolsa de
apoio técnico no valor mensal de R$ 580,00/mês/revista, durante 12 meses para auxiliar e dinamizar
a editoração. A seguir destacamos as revistas apoiadas: IRRIGA, JVATtd-The Journal of Venomous
Animals and Toxins including Tropical Diseases Geociências, Bolema, Interface, Alfa, História, Trans/
Form/Ação, Motriz, Revista Ciência e Educação, Revista de Odontologia da UNESP, Revista Estudos
de Sociologia, Revista Patrimônio e Memória, Revista em Educação Ambiental, Geociências, CasaCadernos de Semiótica Aplicada. As Unidades contempladas foram: FCL/Ar (2), IB/RC (2), FM/Bo (1),
IGCE/RC (1), FC/Bauru (2), CEVAP (1), FAAC/Bauru (1), FCL/Assis (2), FFC/Marília (1), IBILCE/SJRP (1),
FCA/Bo (1), FO/Ar (1) Destas, 8 estão indexadas na base SCOPUS, 5 na Web of Science e 9 estão
indexadas no SCIELO.O custo total desta meta foi de R$ 379.200,00.
b. Divulgação da Pesquisa da UNESP- e-book.
O objetivo da proposta foi financiar e divulgar a pesquisa de vanguarda produzida por docentes/
pesquisadores da UNESP em temas de fronteira e de grande repercussão nacional e internacional na

48 | Relatório Anual de Gestão 2014

forma de e-book. Para isto, estimulou-se a compilação de resultados de pesquisa em áreas e temas
afins produzidos por docentes de diferentes Unidades da UNESP e patrocinou-se a divulgação dos
mesmos na forma de livros eletrônicos acessíveis ao publico em geral (e-book). Neste contexto, quatro
e-books foram publicados na coleção DESAFIOS CONTEMPORÂNEOS (1- Representações Culturais
da América Indígena, 2- Arte-ciência: Processos Criativos, 3- Desafios Contemporâneos da Educação,
4- Identidades do Brasil e Comunicação, Cultura e Linguagem. O custo desta implementação foi de
R$ 100.000,00.

CONSIDERAÇÕES FINAIS
Uma avaliação das atividades desenvolvidas demonstram que durante o ano de 2014 a Pró-reitoria de
Pesquisa cumpriu seu papel, pautando-se em dar continuidade a uma política de apoio aos docentes
e as Unidades para dotá-los de infraestrutura de pesquisa no tocante aos aspectos físicos e de
recursos humanos. Procurou-se ainda localizar e reconhecer as competências acadêmicas instaladas
na UNESP e organizar reuniões temáticas entre os docentes/pesquisadores para promover avanços
em temas envolvendo a fronteira do conhecimento e em consonância com a Agenda Nacional de
Pesquisa. Foram intensificadas as discussões acadêmicas e procurou-se também inserir uma nova
dimensão internacional e intercultural à formação de seus estudantes, preceitos indissociáveis num
processo de internacionalização e universalização da formação de recursos humanos. Atividades
como essas fortalecem a instituição e imprimem padrões acadêmicos/científicos internacionais que
se tornam elos transformadores nas atitudes e valores. Atualmente, inúmeras discussões sobre a
internacionalização do conhecimento estão sendo pautadas na comunidade científica, uma vez que a
Universidade, entidade geradora e transmissora de conhecimento, deve ter entre seus objetivos ampliar
suas fronteiras para a formação de seus futuros profissionais e qualificar o seu corpo de docentes/
pesquisadores. Nesse contexto, a PROPe entende que esta Universidade pode se configurar no grande
fórum para tais discussões e desempenhar um papel fundamental na geração do conhecimento, uma
vez que é detentora de saberes e aptidões.
A análise das ações desenvolvidas e dos indicadores de crescimento das atividades de pesquisa
indica que a UNESP desempenha seu papel frente os desafios do mundo globalizado e todas as ações
desenvolvidas dentro do Programa de Desenvolvimento Institucional cumprem as metas propostas de
posicioná-la entre as Universidades de excelência em ensino, pesquisa e extensão em nível mundial.
Resumo da Distribuição dos Recursos PDI Utilizados em 2014.
Programa 3 ­ Incentivo à Consolidação da Pesquisa
Orçamento

2.850.766,00

Executado

2.845.060,32

Percentual gasto

99.8%

Programa 4 ­ Infraestrutura de Pesquisa
Orçamento

1.839.237,00

Executado

1.839.237,00

Percentual Gasto

100%

Programa 14 ­ Internacionalização da Pesquisa
Orçamento

928.853,32

Executado

916.300,00

Percentual gasto

98.6%

Programa 22 - Apoio à Consolidação das Unidades Complementares da Unesp
Orçamento

510.000,00

Executado

510.000,00

Percentual gasto

100%
Total Geral

Orçamento

6.128.856,32

Executado

6.110.597,32

Percentual gasto

99.7%

Relatório Anual de Gestão 2014 | 49

5

Pró-reitoria de
Extensão Universitária
PROEX

A extensão universitária como atividade fim da universidade é realizada nas unidades universitárias
da UNESP com apoio da Pró-Reitoria de Extensão Universitária - PROEX para desenvolvimento de
ações de extensão através de projetos e atividades com bolsas e recursos dentro de Programas
Institucionais tais como os Programas Unesp de Apoio Institucional e Não Institucional ao Estudante,
o Programa Unesp de Atividades Artísticas e Culturais, o Programa Unesp de Cooperação Científica
e Tecnológica, o Programa Unesp de Educação Aberta, Continuada e a Distância, o Programa Unesp
de Integração Social e Comunitária, o Programa de Divulgação, Orientação e Informação Profissional
da Unesp e o Programa Unesp de Desenvolvimento Global.

1. PROGRAMA UNESP DE APOIO INSTITUCIONAL AO ESTUDANTE
1.1. Bolsa de Extensão Universitária ­ BEU
A Bolsa de Extensão Universitária - BEU, coordenada pela Pró-Reitoria de Extensão Universitária PROEX, é destinada a alunos de graduação da UNESP que atuam em Projetos de Extensão Universitária
da UNESP e obedece as normas estabelecidas pela Resolução UNESP nº 21, de 27/02/2014. No ano
de 2013 foram concedidas 2.389 bolsas e em 2014, 1598.
Além da BEU, a PROEX distribui Recursos para viabilizar a execução destes projetos, conforme
disponibilidade orçamentária. No ano de 2013 foi concedido um total de R$ 1.906.789,60 e em 2014,
R$ 376.402,78.

a. Por área temática
Bolsas de Extensão Universitária
Projetos de Extensão Universitária - PROEX

Número de bolsas

800
700

2013
2014

600
500
400
300
200
100

0
s
s
o
ia
te
ho
rias
ção ultura
úde ologia
ano ucaçã truído
ien
om
bal
Sa
grá rias unica
C
um
s
mb Econ
A
cn
Tra
d
n
A
á
H
e
s
E
o
T
n
m
a
i
s
e
io
Co
sC
nci ter
eito
Me lítica
Ciê e Ve
aço
Dir
Po
Esp
Área temática

Gráfico 1: Número de Bolsas de Extensão Universitária por área temática ­ projetos de extensão (2013-2014).

Recursos
Projetos de Extensão Universitária - PROEX

Valor (Reais)

600.000,00
2013
2014

500.000,00
400.000,00
300.000,00
200.000,00
100.000,00

o
ra
ho
ias
nos cação ruídos biente nomia
úde ologia
açã Cultu
rár ias
bal
Sa
ma
g
t
u
o
nic
A
r
Tra
Hu
ecn
Ed
ons eio Am e Ec
T
as eriná omu
s
i
C
o
c
a
C
s
t
n
eit
M
lític
Ciê e Ve
aço
Dir
Po
Esp
Área temática

Gráfico 2: Valor dos recursos por área temática - projetos de extensão (2013-2014).

Relatório Anual de Gestão 2014 | 53

Ar
a
Ar çat
aç ub
a a
A tub / F
A ra a C
Ar rar çat / F A
ar aq ub M
aq u a V
u ar /
Ar ara a / FO
ar / FC
Ar aqu FCL F
ar ar A
aq a R
u /
As ara FO
Ba sis / I
ur / Q
u FC
Ba / FA L
Bo
u A
tu Ba ru / C
c u
Bo atu ru FC
Bo tuc / C / FE
tu atu EVA
ca / P
Bo tu / FM
Dr tuc FM B
ac at V
G Fr en u / Z
ua an a IB
ra ca / C
Ilh ting / F .E
Ja
a u C .
S et H
bo
tic It olte á / S
ab ap ira FE
Ja a ev /
Li bo l / C a / FE
to tic A C
ra a U .E
l P ba N .
Pr
au l / ES
es
l F P
M ista CA
id
en O ar / V
te ur ília C.
Pr inh / F E.
ud os F
C
e
Ri Reg nte / C
o is / .E
C tr F .
la o C
ro / T
R / C
Ri io CE .E.
o C R
C lar AT
la o
Ro ro / I
sa / IG B
na C
S SJ / E
SJ JRPBV C.E
C / /C .
a IB .
S mp IL E.
So ão os CE
ro Pa / IC
ca ulo T
b
Tu a / / IA
pã C.
/ C E.
.E
.

Valor (Reais)
Ar
a
Ar çat
aç ub
a a
A tub / F
A ra a C
Ar rar çat / F A
ar aq ub M
aq u a V
u ar /
Ar ara a / FO
ar / FC
Ar aqu FCL F
ar ar A
aq a R
u /
As ara FO
Ba sis / I
ur / Q
u FC
Ba / FA L
Bo
u A
tu Ba ru / C
c u
Bo atu ru FC
Bo tuc / C / FE
tu atu EVA
ca / P
Bo tu / FM
Dr tuc FM B
ac at VZ
u
G Fra ena / I
ua n
B
ra ca / C
Ilh ting / F .E.
C
Ja
a ue H
S t S
bo
tic It olte á /
ab ap ira FE
Ja al ev /
Li bo / C a / FE
to tic A C
ra ab UN .E
lP a E .
a u l / SP
Pr
li F
es
M sta CAV
id
en O ar / C
te uri ília .E
Pr nh / F .
u os F
Re R den / C C
ito eg te .E
Ri ria istr / F .
o / o CT
C R /C
la EI .
ro T E
R / OR .
Ri io CE IA
o Cl RA
C ar T
la o
Ro ro / I
sa / IG B
n
S a C
S J / E
SJ JR BV C.E
C P/ /C .
am IB .E
Sã po ILC .
So o P s / E
ro au IC
ca lo T
b /
Tu a / IA
pã C.
/ C E.
.E
.

Número de Bolsas

b. Por unidade
Bolsas
Projetos de Extensão Universitária - PROEX

250

200

54 | Relatório Anual de Gestão 2014
2013
2014

150

100

50

0

Unidade Universitária

Gráfico 3: Número de Bolsas por Unidade Universitária - Projetos de Extensão Universitária (2013-2014).

Recursos
Projetos de Extensão Universitária - PROEX

140.000,00
160.000,00

2013
2014

120.000,00

100.000,00

60.000,00
80.000,00

20.000,00
40.000,00

Unidade Universitária

Gráfico 4: Recursos por Unidade Universitária - Projetos de Extensão Universitária (2013-2014).

1.2. Projetos de Extensão Universitária
Os Projetos de Extensão Universitária são ações contínuas e sistematizadas de caráter educativo,
cultural, ambiental, artístico, científico ou tecnológico, e que envolvam docentes ou pesquisadores,
graduandos (bolsistas ou voluntários) e, eventualmente, servidores técnico-administrativos ou
parceiros externos à Universidade, desenvolvidas junto a outros setores da sociedade, com prazo
mínimo de duração de 01 (um) ano.
No ano de 2013 foram executados 1.103 projetos e, em 2014, 956.
a. Por área temática
Projetos de Extensão Universitária - PROEX
Área Temática

Número de projetos

350
2013
2014

300
250
200
150
100
50

0
s
s
o
ia
te
ho
rias
ção ultura
úde ologia
ano ucaçã truído
ien
om
bal
Sa
grá rias unica
C
um
s
mb Econ
A
cn
Tra
d
n
A
á
H
e
s
E
o
T
n
m
a
i
s
e
io
sC
nci ter Co
eito
Me lítica
Ciê e Ve
aço
Dir
Po
Esp
Área temática

Gráfico 5: Número de projetos de extensão universitária por área temática (2013-2014).

b. Por unidade

Número de Projetos

Projetos de Extensão Universitária - PROEX
Unidades

2013
2014

Ar
a
Ar çat
aç ub
a a
Ar tub / F
Ar Ara aça a / CA
ar ra tu FM
aq qu ba V
u a /
Ar ara ra / FO
ar / F
Ar aqu FCLCF
ar ar A
aq a R
ua / F
ra O
Ba
/I
Q
ur
u
Ba / FA
Bo
u A
tu Ba ru C
ca u / F
tu ru C
B
Bo ot / C / FE
tu uca EVA
ca tu P
Bo tu / / F
Dr tuc FM M
ac a V
G Fr en tu / Z
ua an a IB
ra ca / C
Ilh ting / F .E
Ja
a u C .
bo
S e H
tic I olt tá / S
a ta ei F
Ja ba pe ra / E
Li bo l / C va FE
to tic A / C
ra a U .
l P ba N E.
au l / ES
Pr
li F P
es
M st C
id
en O ar a / AV
te uri ília C.E
Pr nh / F .
ud os F
en / C C
te .E
Ri Reg R / F .
o is e C
C tr ito T
la o r
ro / ia
C
Ri Rio / C .E
o C ER .
C la A
la ro T
Ro ro /
sa / I IB
n G
SJ a / CE
S
SJ JR BV C.E
C P/ /C .
am I .E
Sã po BIL .
So o s CE
ro Pa / IC
ca ulo T
b
Tu a / / IA
pã C.
/ C E.
.E
.

L

C

is

/F

s

As

Unidade Universitária

Gráfico 6: Número de projetos de extensão universitária por Unidade Universitária (2013-2014).

Relatório Anual de Gestão 2014 | 55

1.3. Auxílio Aprimoramento
O Auxílio Aprimoramento destina-se ao aluno de graduação, vinculado a Projetos de Extensão com
ou sem bolsa que, em instituições não pertencentes à UNESP, apresente trabalhos em eventos de
extensão ou científicos.
No ano de 2013 foram concedidos 556 auxílios (total de R$ 111.200,00) e, em 2014, 687 (total de R$
137.400,00).

Auxílio Aprimoramento

Ar


at
Ar uba
Ar aça / F
ar tu M
V
a b
Ar qua a /
ar ra FO
aq /
Ar u F
a a C
Ar raq ra F
ar u / F
aq ar O
ua a /
r
I
A a/ Q
Ba ssis FC
ur / L
u FC
/
Ba FA L
ur AC
Bo Ba u /
tu uru FC
Bo cat / F
Bo tuc u / E
tu at FC
ca u A
t /
Bo u / FM
F
Dr tuc MV
ac atu Z
e
F
G ra na / IB
ua nc /
ra a C.
t / E
Ilh ing FC .
a ue HS
So tá
Ja Ita ltei / F
b p r E
Li oti ev a /
to ca a FE
ra b / C
l P al
au / F .E.
lis C
Pr
es
M ta AV
id
a /
en Ou ríli C.
te rin a / E.
Pr ho FF
ud s / C
Re ent C.
gi e / E.
s
R tr FC
Ri io o / T
o C C.
C lar E
la o .
Ro ro / I
sa / IG B
na C
S / E
SJ JB C.E
V
R
SJ P / C .
C / IB .E
am I .
Sã po LCE
So o P s /
ro au ICT
ca lo
ba /
I
Tu / C A
pã .E
/C .
.E
.

Número de Auxílios

2013
2014

Unidade Universitária

Gráfico 7: Número de Auxílios Aprimoramento disponibilizados por unidade universitária (2013-2014).

1.4. Apoio a Eventos Acadêmicos, Científicos e Culturais
O Programa de Apoio a Eventos de Extensão Universitária no âmbito da UNESP, em parceria com
as comissões permanentes de Extensão Universitária, teve como objetivo fomentar a realização de
eventos de curta duração, de abrangência local, estadual e regional, promovidos pelas Unidades
Universitárias, Câmpus Experimentais e Unidades Complementares da UNESP.
O Programa foi realizado de acordo com o estabelecido no Edital nº 001/2014 - PROEX, selecionando
projetos de eventos de extensão universitária no âmbito da UNESP que cumpriam:
a) Divulgar a produção acadêmica, científica e cultural, incentivando a transmissão de conhecimentos
gerados na UNESP para a sociedade;
b) Articular as atividades locais de extensão universitária realizadas nas Unidades Universitárias,
Câmpus Experimentais e Unidades Complementares da UNESP com o conjunto da sociedade
nas quais elas estão inseridas; e
c) Promover e elevar a qualidade da extensão universitária na UNESP.
Foi destinado o valor global de R$ 355.843,75, para atender 164 projetos de eventos aprovados, dos
255 projetos de eventos inscritos.

2. PROGRAMA UNESP DE APOIO NÃO INSTITUCIONAL AO ESTUDANTE
2.1. Projeto Adote um aluno
Buscando alternativas para o suporte a alunos carentes economicamente na UNESP e, completando
13 anos, o Projeto sob a responsabilidade da PROEX ­ Pró-Reitoria de Extensão Universitária, realizou
87 visitas durante o período de janeiro/14 a dezembro/14.
As visitas compreendem a abordagem a pessoas jurídicas, dentre elas; Industrias, Comércio e Bancos,
indicadas em grande parte pelos Câmpus, inclusive pelas Unidades Diferenciadas que já possuem
Bolsas para renovação e Empresas novas que manifestaram interesse em aderir ao Projeto.
O Projeto está contemplando até dezembro de 2014, 175 alunos, compreendendo um total de R$
840.440,00 captados em bolsas para a manutenção dos Projetos: Projeto Atitude da empresa Sodexo
na FCAV ­ Jaboticabal e Botucatu, Bolsas ­ Santander Universidades, Dot Lib, Verocard cartões
alimentação, etc.

56 | Relatório Anual de Gestão 2014

Bolsas/Ano - Projeto Adote um Aluno

Ano Base

Gráfico 8: Número de Bolsas concedidas por ano, no projeto Adote um Aluno (2002-2014).

3. PROGRAMA UNESP DE ATIVIDADES ARTÍSTICAS E CULTURAIS
3.1. Comitê de Artes e Cultura - CAC
Compete ao Comitê de Arte e Cultura estabelecer políticas e diretrizes na sua área de competência,
assim como aprovar planos corporativos de alcance amplo e voltados aos aspectos acadêmicos,
gerenciais e administrativos, com atividades e investimentos em Artes e Cultura. Busca estabelecer um
conjunto articulado e fundamentado de formulações que possam ser a base para a tomada de decisões,
criação de programas, estabelecimento de projetos, definição de ações e de captação de recursos.
O CAC estabeleceu uma Política de Artes e Cultura e promoveu, na Reitoria da Unesp, em 2014, 17
exposições de artes plásticas com um público total aproximado de 8500 pessoas, além de itinerância
do material por três cidades (Araraquara, Bauru e Sorocaba). O projeto Memória Plástica disponibilizou
na Internet entrevistas, em áudio e vídeo, e material de 39 artistas em variadas modalidades, como
pintura e escultura. Foi instalado na Reitoria um ponto de BookCrossing que já distribuiu mais de
500 livros. Foi elaborado um sistema de empréstimo de filmes de arte brasileiros com 16 títulos e
estabelecida uma parceria de troca de materiais e desconto de assinaturas com a publicação Le
Monde Diplomatique Brasil. Foi criado o projeto Mapa Cultural Unesp, a ser desenvolvido em 2015.
3.2. Criação das Comissões de Artes e Cultura das Unidades Universitárias
Por indução da PROEX foram criados os Comitês de Arte e Cultura locais em 17 Unidades Universitárias,
sendo que as Unidades que ainda não criaram estão sendo demandadas a providenciarem sua
instituição, seguida da comunicação à PROEX, visando a primeira Reunião das CACs locais com a
CAC Central, buscando a padronização e otimização de esforços na consecução de seus objetivos.
3.3. Projetos de Extensão Universitária
Os projetos de extensão universitária devem ser entendidos como ações contínuas de caráter
educativo, cultural, artístico, científico e tecnológico, que envolvam docentes, pesquisadores,
discentes (bolsistas ou voluntários) e servidores técnico-administrativos, desenvolvidas junto a outros
setores da sociedade, com prazo mínimo de duração de 01 (um) ano, mediante ações sistematizadas.
Para credenciamento de Projetos de Extensão, por Docentes e Pesquisadores da UNESP, deve ser
utilizado o Edital específico para cadastramento pelo Sistema de Projetos de Extensão - SISPROEX.
3.5. Núcleo de Cerimonial
Tem a incumbência de dar suporte especializado às atividades da Reitoria onde estejam previstas ações
que envolvam organização de Cerimonial e Protocolo, visando organizar, coordenar e acompanhar
Cerimônias e atividades onde se faça necessária assessoria de aspectos mais formais, visando

Relatório Anual de Gestão 2014 | 57

contribuir para a preservação dos valores da Instituição, e de sua identidade histórica. Atua também
junto à Comissão de Revisão do Cerimonial da Unesp, visando atualizar e criar formas de intercâmbio
junto às Unidades Universitárias, visando padronizar e dar uniformidade nos procedimentos da área,
tendo em vista a visibilidade da Unesp nos meios onde se insere, tanto no âmbito interno quanto
externo. Está em desenvolvimento uma página onde os interessados poderão dialogar com a Comissão
de Revisão do Cerimonial da Unesp, com a possibilidade de tirar dúvidas e fazer sugestões quanto ao
desenvolvimento das atividades de Cerimonial.
3.6. Núcleo de Esportes - NEU
Criado através da Portaria Nº 166 de 11/04/2014, é composto por docentes que atuam onde a Unesp
têm atualmente seus cursos de Educação Física em três unidades - Bauru, Presidente Prudente e Rio
Claro -, ranqueados entre os mais importantes cursos da área no Brasil, além de um Técnico Desportivo
do Campus de Marília e um assessor da Pró-Reitoria de Extensão Universitária. O Núcleo de Esporte
da Unesp busca capitalizar essa excelência, seja na promoção e disseminação da prática da atividade
física entre sua comunidade, na fomentação de políticas de práticas saudáveis e orientadas de atividade
física, através dos Técnicos Desportivos lotados em suas Unidades Universitárias, e na atuação como
interlocutor junto às esferas políticas e administrativas da Educação Física e Esporte no Brasil. Uma das
realizações do NEU, ocorrida em novembro de 2014, foi o Seminário Mega-Events, Physical Education
and Sport in Schools, em parceria com a Universidade de Birminghan e o Ministério do Esporte, nas
instalações da Reitoria, com o objetivo de reunir especialistas e representantes nacionais buscando
otimizar meios e recursos financeiros para que a Educação Física e o Esporte Escolar possam ser
organizados e fomentados, de forma a serem utilizados como ferramenta formativa na escola. Em
2014, o Núcleo formulou um projeto de construção de Centros de Treinamento de Atletismo, aí incluída
a unidade de Bauru, buscando dar continuidade aos trabalhos de formação escolar em Atletismo,
trabalhando com atletas e para-atletas de Alto Rendimento, com a perspectiva de participação em
eventos esportivos de caráter nacional e internacional.
3.7. Orquestra Acadêmica da Unesp
Criada pela Resolução 173/2007, tem como pressuposto dar um ambiente prático e de apresentações
públicas para os acadêmicos que a compõem, e tem seu repertório baseado no resgate e na divulgação
de obras orquestrais brasileiras do passado que se encontram esquecidas, obras geralmente
manuscritas e mal preservadas. Ocupa-se também da execução de obras orquestrais brasileiras
contemporâneas, proporcionando a seus compositores a experiência de sua realização sonora. Tem
em sua Direção Artística o Professor Lutero Rodriguez, e é composta por 17 integrantes, incluindo
músicos e técnicos de apoio, recrutados dentre os alunos dos cursos de "Composição e Regência" e
"Instrumentos", do Instituto de Artes de São Paulo. A orquestra realizou 12 apresentações no ano de
2014, distribuídas em várias cidades do Estado de São Paulo, dentre estas um importante concerto
que encerrou as atividades do primeiro semestre e o evento de encerramento das atividades do ano,
em conjunto com o Coral universitário do Instituto de Artes.
A Orquestra Acadêmica da Unesp, assim, vem cumprindo sua missão de divulgar a produção da
Unesp em suas dimensões de Ensino, Pesquisa e Extensão Universitária de Excelência, bem como
permitindo que seus integrantes possam vivenciar na prática, através de sua atividades, as situações
de âmbito profissional que encontrarão no mercado de trabalho.

3.8. Projeto Coral da Unesp
Trata-se de uma atividade ligada à Pró-Reitoria de Extensão Universitária com o objetivo de promover
a integração e o aprimoramento artístico-cultural das comunidades do interior, litoral e capital do
Estado de São Paulo por meio do canto coral.
O Projeto foi idealizado e iniciado no final da década de 1970, pelo Professor Samuel Kerr, docente do
Instituto de Artes. Nos anos seguintes, o coral ocorria em alguns dos Câmpus da UNESP e na Reitoria
e era conduzido por alunos/bolsistas dos Cursos de Bacharelado em Música do Instituto de Artes/
Unesp, sob a coordenação do docente. Durante esse período, o Projeto Coral da Unesp teve grande
repercussão no interior do estado. O projeto foi interrompido por poucos anos mas, em 1998, a Unesp
abriu concurso público e contratou regentes que hoje atuam em 16 cidades mais a capital do estado.
Em 2014, foram realizadas aproximadamente 10 apresentações do Coral em cidades do interior de
São Paulo, com um público estimado de 1315 pessoas. O 26° Encontro Coral da Unesp ocorreu em

58 | Relatório Anual de Gestão 2014

São Paulo, em novembro, no Teatro Paulo Autran ­ SESC Pinheiros. A apresentação teve um repertório
popular e erudito, essencialmente vocal. Conhecendo a importância da música para representar temas
tão significativos, a Proex ofereceu à cidade de São Paulo um concerto natalino, unindo seus 16 coros
que atuam em todo o estado de SP. Misturando música popular brasileira, temas tradicionais e peças
eruditas, sacras e renascentistas, foi oferecido um repertório bastante diversificado para compartilhar
com os muitos amantes da música coral, com um público aproximado de 300 pessoas.
Com cerca de 200 cantores, o Coral da Unesp é um dos maiores grupos musicais do estado, servindo
como referência musical e cultural nas diversas cidades onde atua. É composto por cantores que não
têm vínculos com a Universidade, por alunos de graduação e de pós-graduação, por professores e
servidores técnico-administrativos.

3.9. Comitê de Atividades Museológicas
O Comitê de Atividades Museológicas (CAM) da UNESP foi criado em 6 de agosto de 2012, sendo
composto por professores de várias Unidades da UNESP e servidores técnico-administrativos da Proex.
Compete estabelecer políticas e diretrizes na área, aprovar planos corporativos de amplo alcance e
voltados aos aspectos acadêmicos, gerenciais, e administrativos, com atividades e investimentos em
museus e coleções.
Um objetivo fundamental da Política de Museus é o de mapear, diagnosticar e contribuir para a
definição de estratégias de valorização e salvaguarda dos acervos museológicos e coleções passíveis
de serem musealizadas na UNESP, oferecendo subsídios para o planejamento de um programa
eficaz de manutenção, levando em conta que muitas das unidades universitárias estão situadas em
municípios e/ou regiões com pouca oferta de estruturas adequadas a esse fim.
Foi elaborado um questionário roteiro, instrumento aberto, que visava à coleta de informações para
a elaboração de um novo e atualizado diagnóstico sobre as coleções da UNESP. Tais roteiros foram
enviados para as vice-diretorias de todos os câmpus da UNESP. Foram levantadas 29 unidades,
referentes às coleções expostas em museus ou em outros locais dentro ou fora da UNESP. Dessas 29
unidades, identificou-se 17 museus e 12 coleções com potencial para a montagem de museus.

Museus e Coleções da Unesp

Quantidade

No Coleções
No Museus

Unidade Universitária

Gráfico 9: Localização dos museus ou coleções com potencial de musealização na Unesp.
Número de museus/coleções da UNESP (levantados em 2014).

4. PROGRAMA UNESP DE COOPERAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA
4.1. Empresas Juniores
O Projeto Empresas Juniores favorece o empreendedorismo e a formação profissional diferenciada
visando inserir os alunos no mercado de trabalho. Reúne alunos e professores em projetos
específicos, para oferecer conhecimentos e serviços à comunidade. Está em sintonia com o potencial
de empreendedorismo paulista e brasileiro em busca de novos horizontes para o desenvolvimento
econômico nacional, com a geração de oportunidades nos mais diversos campos sociais e produtivos.

Relatório Anual de Gestão 2014 | 59

Empresas Juniores da Unesp

Ano

Gráfico 10: Número de Empresas Juniores na Unesp (2005-2014).

Em 2014, após várias reuniões com representantes das EJs, Núcleo das EJs da UNESP e Vice Diretores,
foi criada junto a CCEU - Câmara Central de Extensão Universitária, uma Comissão Assessora a essa
Câmara para acompanhamento e avaliação das empresas juniores na UNESP. A referida Comissão é
composta por 01 representante da PROEX, 01 representante da CCEU, 01 representante dos VicesDiretores, 01 representante docente orientador de EJ, 02 discentes (titulares e suplentes) indicação
pelo NEJUNESP.
4.2. Revista Ciência em Extensão
A RCE publicou uma edição especial comemorativa dos 10 anos de existência em
dezembro com um maior número de artigos e destacamos o editorial de autoria da
Profa. Dra. Mariângela Spotti Lopes Fujita e do criador da RCE, Prof. Dr. Benedito
Barraviera. A Avaliação CAPES/Qualis evidencia a crescente qualificação da RCE
que ampliou a quantidade de áreas consideradas e atingiu o estrato B2 na área de
Planejamento urbano e regional, e B3 nas áreas de Psicologia, Engenharias III e
principalmente na área Interdisciplinar que caracteriza a RCE.
O resumo estatístico (2014) do sistema da revista mostra que foram submetidos
110 artigos e foram publicadas 3 edições com 45 artigos inéditos. Neste ano se
inscreveram 329 pessoas entre autores e novos avaliadores e foram cadastrados
no sistema 308 novos leitores.
As estatísticas dos acessos no período de 01/01 a 31/12 de 2014 indica que a RCE
recebeu 55.550 visitas de 46.627 visitantes de 68 países, com análise de cobertura regional (Brasil
95% ­ 52.796 visitas de 841 cidades). A principal fonte de acesso é a partir da busca de palavraschave busca 45,2 % (25.104 usuários) e em buscas referenciadas 41,3% (22.918) e 12,4% por acesso
direto (6.896). Estes dados indicam que não só a comunidade acadêmica da UNESP se vale desse
espaço de publicação, mas as advindas de outros locais do país e do exterior e mostram a crescente
qualificação da Revista como divulgação das atividades extensionistas das Universidades Brasileiras.

60 | Relatório Anual de Gestão 2014

4.3. Convênios
Os convênios são uma importante fonte de captação de recursos externos à Universidade e de
financiamento de programas/projetos, principalmente para a extensão universitária. A Proex realiza o
acompanhamento de diversos convênios com instituições federais e estaduais envolvendo a extensão
universitária, atuando em sua gestão desde a sua proposta até a sua finalização.
Dentre as ações desenvolvidas pela Proex estão a instrução dos docentes envolvidos quanto ao cadastro das
propostas, assim como proporcionando uma maior aproximação entre as seções de finanças e de materiais das
unidades com o docente coordenador da proposta, assim como providenciando e dando encaminhamento aos
documentos necessários ao trâmite legal de formalização dos convênios junto à Reitoria.
Atualmente a Proex acompanha importantes convênios federais com o Ministério da Educação,
Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome e com o Ministério da Ciência, Tecnologia
e Inovação (podendo destacar entre estes os referentes ao ProExt e ao PNAIC). Também são
acompanhados importantes convênios estaduais, destacando a parceria com a Fundação para o
Desenvolvimento da Educação, referente aos museus da Unesp e as parcerias com a Unisol.

Captação Principais Convênios Federais
(Valor: R$)

Ano

Gráfico 11: Recursos captados através dos principais convênios federais geridos pela Proex.

4.4. Livros Digitais
O Programa de Publicações Digitais da Extensão Universitária é iniciativa conjunta da Pró-Reitoria
de Extensão Universitária e da Fundação Editora Unesp voltada à disseminação digital da produção
acadêmica na extensão universitária para a sociedade, desenvolvidas pelos docentes e pesquisadores
em conjunto com graduandos, pós-graduandos, pós-graduados, servidores técnicos administrativos
da Universidade Estadual Paulista e comunidade externa.
A edição foi concretizada em formato digital, nos moldes creative commons (licença para uso não
comercial, vedada a criação de obras derivadas ­ www.creativecommons.org.br) e foi disponibilizada
online na página do Selo Cultura Acadêmica da FEU (http://www.culturaacademica.com.br), com link
no portal da UNESP e em páginas de Unidades Acadêmicas desta Universidade.
Contudo, à margem do programa, como serviço adicional, disponibilizase, no site Cultura Acadêmica, a compra
de volumes em papel, produzidos sob demanda e enviados ao endereço especificado pelo interessado.
Em 2013, por meio do Edital nº 004/2013-PROEX, foram selecionadas 15 obras das 16 enviadas, de
10 Unidades Universitárias.
4.5. Centros Locais de Apoio à Extensão Universitária
Trata-se de um projeto caracterizado como uma ferramenta institucional capaz de servir como um
ponto de apoio e suporte básico para a organização e gerenciamento do relacionamento interno entre
a Proex e as unidades universitárias, assim como dinamizar o relacionamento externo com entidades
do setor público e privado orientados à divulgação, ao incentivo e à disseminação do desenvolvimento
multidimensional das atividades de extensão universitária realizadas na UNESP. O objetivo principal é
a ampliação da troca de conhecimentos e saberes sistematizados entre a Universidade e a Sociedade,
otimizando a efetividade da transferência de conhecimentos disponíveis no meio acadêmico à
Comunidade externa. Os trabalhos de implementação dos centros foram iniciados em 2013, sendo
já definidos os institutos e faculdades que participariam do projeto piloto, assim como definidos
pelos vice-diretores destas unidades os servidores que ficariam responsáveis pelos trabalhos nesses

Relatório Anual de Gestão 2014 | 61

centros. Foi realizado um treinamento acerca das ações que seriam desenvolvidas como apoio à
extensão universitária nas unidades.
Em 2014 foi criado em Presidente Prudente o primeiro dos centros locais, com o desenvolvimento
de uma página no site da Unidade, onde são divulgados editais, prêmios, desafios, cursos e onde
também há a possibilidade de consulta a projetos em extensão desenvolvidos na Unidade.

5. PROGRAMA UNESP DE EDUCAÇÃO ABERTA, CONTINUADA E A DISTÂNCIA
5.1. Cursos de Extensão
Foram cadastrados no Banco de Dados da PROEX, aproximadamente, 300 cursos de extensão, no
formato presencial e a distância, oferecidos nas Unidades Universitárias e credenciados na PROEX,
sendo: 15 de Aperfeiçoamento, 77 Temáticos e 138 de Difusão Cultural.
5.2. Central de Cursos de Inovação e Extensão Universitária da Unesp
Criação da Central de Cursos de Inovação e Extensão Universitária da UNESP como um espaço
de divulgação e execução dos cursos de extensão universitária realizados nos departamentos de
ensino, nos órgãos administrativos e acadêmicos científicos da UNESP, na FUNDUNESP e demais
Fundações vinculadas às Unidades Universitárias, bem como complementares e experimentais, e no
NEaD, visando a efetividade da transferência de conhecimentos disponíveis na Universidade para a
Comunidade. (Resolução UNESP nº 27, de 20 de março de 2014).
5.3. Projeto Centro de Línguas da Unesp
Trata-se de um projeto de implantação e consolidação de Centros de Línguas em Unidades
Universitárias que oferecem graduação em Letras (Faculdade de Ciências e Letras do Campus de
Assis, Faculdade de Ciências e Letras do Campus de Araraquara e Instituto de Biociências, Letras e
Ciências Exatas do Campus de São José do Rio Preto) ou que desenvolvem projetos de extensão de
aprendizagem de Línguas Estrangeiras (Faculdade de Medicina do Campus de Botucatu e Faculdade
de Filosofia e Ciências do Campus de Marília) com o objetivo de proporcionar à comunidade unespiana,
aos alunos da UNATI, do CAUM (curso pré-vestibular) e alunos dos terceiros anos do Ensino Médio
da Rede Pública, de forma democrática e gratuita, a oportunidade do contato com outras culturas
e a aprendizagem de línguas estrangeiras. O objetivo principal destes centros é oferecer o acesso
democrático às línguas, às culturas, à comunicação intercultural e ao intercâmbio com outros países,
por meio da oferta de cursos de línguas. Atualmente, são oferecidos nos centros os cursos de inglês,
espanhol, francês, japonês, italiano, alemão, mandarim, russo e também o curso de português para
falantes de outras línguas. Em 2014, foram atendidas mais de 1400 pessoas.

6. PROGRAMA UNESP DE INTEGRAÇÃO SOCIAL E COMUNITÁRIA
6.1. Projeto de Educação de Jovens e Adultos - PEJA
O objetivo educacional do PEJA é recuperar os anos de escolaridade fundamental de cada uma
das pessoas atendidas, para que possam ter uma participação social mais efetiva e redimensionar
sua vida. Nesse sentido, procura-se trabalhar a auto-estima, bem como a identidade pessoal,
social, profissional, política e espiritual dos participantes, em direção a uma melhor qualidade de
vida e permanente humanização, ensejando-lhes a continuidade de estudos em outros níveis de
escolaridade, estabelecendo uma política pública para a educação de jovens e adultos, buscando
parcerias comunitárias locais visando à contribuição de recursos para a formação de cidadãos leitores
críticos e participativos, bem como a de professores com visão de "Educadores Populares".

62 | Relatório Anual de Gestão 2014

Educadores/Educandos nas UUs - PEJA

Bolsistas/Educadores - BEU
Educandos Atendidos/2013
Educandos Atendidos/2014

Unidade

Gráfico 12: Número de Educadores e educandos nas Unidades Universitárias, referente ao ano de 2014 ­ Projeto de
Educação de Jovens e Adultos - PEJA.

6.2. UNATI
Inserida na problemática que o idoso enfrenta na sociedade, o Projeto Universidade Aberta Terceira 3ª
Idade ­ UNATI ­ UNESP tem como objetivo proporcionar condições para a integração social do idoso,
mediante o convívio no meio universitário.
As discussões do projeto começaram em 1993 com a implantação do Projeto Sênior e, em seguida,
ainda de forma progressiva, a criação da UNATI nas unidades universitárias da UNESP. O projeto
possibilita às pessoas que estão envelhecendo acesso à Universidade Pública na execução de sua
responsabilidade social usufruindo do espaço educacional e cultural para a ampliação de conhecimento
e a educação continuada. As ações proporcionam a convivência social, a troca de experiências de vida
entre os idosos das UNATIs com os alunos de Graduação e de Pós-Graduação dos diferentes cursos e
programas da UNESP, com os servidores docentes e técnico-administrativos da Universidade.
As atividades do Núcleo Central UNESP-UNATI estão respaldadas no ensino, na pesquisa e na extensão
universitária, e estão distribuídas nos 21 núcleos locais nas diferentes Unidades Universitárias da
UNESP, assumindo características específicas em cada uma delas. No ano de 2015 está planejado a
abertura do Projeto UNATI nos campus da Unesp nas cidades de Itapeva, Ourinhos, Registro e São
João da Boa Vista.
6.3. Projeto Núcleo Negro da Unesp para Pesquisa e Extensão - NUPE
O NUPE congrega professores, pesquisadores e alunos da UNESP envolvidos ou interessados em
desenvolver pesquisas acadêmicas e atividades de extensão universitária voltadas às questões do
negro e/ou que possam subsidiar o pensamento e a discussão dessa temática.
O objetivo fundamental do NUPE é facilitar o acesso dos pesquisadores à produção científica no
âmbito acadêmico e fora dele e internacionalizar na UNESP o estudo, a pesquisa e o debate sobre a
temática do negro, oferecendo subsídios para divulgar por meio de publicações, eventos a e Internet
os conhecimentos e os dados gerados ou disponíveis em decorrência do Projeto.
O NUPE em 2014, através do Coletivo Mãos Negras, apresentou trabalhos em Congresso, participou
da Semana da África, e participou da Semana da Consciência Negra na atividade do Conselho
Municipal da Igualdade Racial de Presidente Prudente (Comir). No momento estão trabalhando com
dança afro, juventude negra. No Campus de Assis foram realizadas Oficinas de História da África nas
Escolas Públicas que visam principalmente à conscientização de auto-estima com os jovens.
6.4. Projeto Núcleo Indígena da Unesp para Pesquisa e Extensão
O Projeto Núcleo Indígena da UNESP para Pesquisa e Extensão congrega professores, pesquisadores
e alunos da UNESP envolvidos ou interessados em desenvolver pesquisas acadêmicas e atividades
de extensão voltadas às questões indígenas e/ou que possam subsidiar o conhecimento e a discussão
dessa temática.
Um objetivo fundamental do Grupo de Atividades Indígenas é o de gerar conhecimento novo e relevante
sobre questões relativas aos povos indígenas no Brasil, oferecendo subsídios para elaboração e
implantação de políticas de inclusão das populações indígenas na universidade.

Relatório Anual de Gestão 2014 | 63

6.5. Cooperativas Populares da Unesp
As experiências da Unesp em Economia Solidária incluem o desenvolvimento de projetos de extensão
universitária, de organização de cooperativas e associações de trabalhadores com materiais recicláveis,
costura, artesanato, dentre outros.
No Guia de Extensão Universitária, o Projeto Cooperativas é apresentado no contexto do Programa
Unesp a Serviço da Comunidade, que inclui sete núcleos com o objetivo de "contribuir para o
desenvolvimento de empreendimentos coletivos, visando incubar grupos populares, possibilitandolhes conquistar autonomia de ação e autogestão de suas atividades de maneira voluntária, consciente
e independente, com geração de renda". (UNESP, 2012, p.127)
Pode-se verificar que as realidades e as experiências em cada Unidade Universitária são multifacetadas,
demonstrando as potencialidades de cada território e suas singularidades. Constata-se, também, que
a Unesp, em uma relação simbiótica com a comunidade, vem por meio da pesquisa-ensino-extensão
atuando de forma socialmente responsável e contribuindo significativamente com a Economia Solidária.
Considerando-se o movimento da Economia Solidária no Brasil e a participação da Unesp na Rede
Universitária de Incubadoras Tecnológicas de Cooperativas Populares, há necessidade de revisitar
esses e outros projetos e observar seus avanços para identificar subsídios à elaboração de uma
proposta de Programa Institucional da Unesp de fortalecimento e desenvolvimento de incubadoras na
perspectiva da Economia Solidária.
6.6. Projeto Rondon
O Projeto Rondon encontra-se em processo de consolidação, com uma procura cada vez maior pelas
unidades universitárias e pelos alunos. Mais que um projeto educacional e social, trata-se de uma
poderosa ferramenta de transformação social, na medida em que conscientiza jovens que terão nas
mãos o destino deste país e da importância do seu papel de protagonista na busca de uma sociedade
mais justa.
Os objetivos fundamentais do Projeto são o de contribuir para a formação do universitário, integrar
o universitário ao processo de desenvolvimento nacional, por meio de ações participativas sobre a
realidade do País, consolidar no universitário brasileiro o sentido de responsabilidade social, coletiva, em
prol da cidadania, do desenvolvimento e da defesa dos interesses nacionais, oferecendo subsídios para
o universitário a produção de projetos coletivos locais, em parceria com as comunidades assistidas.
A UNESP possui propostas aprovadas em todas as Operações lançadas até o momento.

7. PROGRAMA DE DIVULGAÇÃO, ORIENTAÇÃO E INFORMAÇÃO PROFISSIONAL DA
UNESP
7.1. Projeto Cursinhos Pré-Vestibular da Unesp
Tem como objetivo principal a inclusão social de jovens, em idade de formação escolar, em situação
de carência Sócio ­ Econômica, oriundos da rede pública de ensino, com vistas a aprovação em
concursos pré-vestibular, oferecendo-lhes melhor oportunidades profissionais futuras.
Tem como meta atingir uma população de aproximadamente 5000 alunos a partir de 2014, oriundos
de escolas públicas com condições sócio econômicas desfavoráveis, nas 26 unidades que mantém o
projeto, distribuídas em 22 municípios.
Com o número de vagas disponibilizadas, tivemos um total de 4860 alunos de destes 2167 alunos
foram aprovados nos mais diversos vestibulares do país, entre públicas e privadas, com um índice de
desempenho de 44,5%.
7.2. Feira de Profissões
Parceria entre a PROEX/PROGRAD/VUNESP/ACI e Unidades da UNESP busca divulgar os cursos e
profissões da UNESP; promover a aproximação com órgãos públicos municipais e demais instâncias
que atuam na área da educação; divulgar o vestibular da UNESP; e articular a comunidade, as escolas
da rede pública e privada.
Nesta empreitada as Unidades tem liberdade para definirem o formato e as parcerias necessárias a
cada Unidade. Recebem um conjunto de materiais de divulgação da VUNESP elaborado para esta
finalidade e customizados para cada profissão. É uma ação diferenciada que objetiva a divulgação
dos cursos da UNESP diferentemente da divulgação específica do Vestibular da UNESP realizada por
divulgadores da VUNESP.

64 | Relatório Anual de Gestão 2014

O desenvolvimento desta parceria para a divulgação dos cursos e profissões tem crescido desde 2013,
com um bom envolvimento das Unidades e da comunidade local, apresentando bons resultados, com
a participação de 25 unidades em 2014, com um público de 13000 visitantes.
A importância desta atividade envolvendo todas as cidades onde a UNESP se faz presente esta na
grande abrangência da divulgação de nossos cursos e da UNESP como um todo. Assim, as parcerias
locais e quaisquer outras ações afins são incentivadas e somadas a cada ano, quer ela se realize
dentro ou fora dos câmpus da UNESP, atingindo toda a comunidade local e região.

8. PROGRAMA UNESP DE DESENVOLVIMENTO GLOBAL
8.1. Movimento Saúde e Dia de Alerta sobre o uso excessivo de Álcool
Em 2014, as ações nesse sentido tomaram vulto expressivo com a parceria com o Projeto Rede Viva
Melhor. As campanhas da PROEX integradas no Movimento para Saúde mantêm sua identidade e
ação pontual, mas se pulverizam durante todo o ano nas atividades da Rede Viva Melhor na busca
da promoção de hábitos de vida saudáveis e ambientalmente sustentáveis, que integre comunidades
internas e dos entornos das unidades em atividades regulares e sistemáticas de divulgação do
conhecimento, desenvolvimento de atitudes e habilidades para o cuidado de si e para o uso sustentável
dos recursos do planeta.
Nesse sentido, o período para a realização do Movimento para Saúde para este ano ficou definido como
a 2ª quinzena de outubro, aproveitando as comemorações do dia do servidor, 28, ficando a critério de
cada unidade a data que melhor lhe convém, sendo que em alguns casos, o evento ocorrerá em setembro.
Na reitoria e em boa parte das Unidades a Campanha Movimento para Saúde acontece no dia 22.
8.2. Movimento para a Saúde ­ Incentivo à Prática Esportiva e Prova Pedestre e Caminhada da
Saúde
A partir de 2014, a Proex articula e promove junto as Unidades Universitárias uma ação conjunta para
implementar no mínimo 1 evento de incentivo à prática esportiva por ano, com atividades esportivas
como a Prova pedestre e Caminhada da Saúde, com o intuito de promover o Movimento para a Saúde
em articulação com a "Rede Viva Melhor" nas 34 Unidades Universitárias.
Foram realizadas, neste ano, cinco Etapas da Prova Pedestre e Caminhada da Saúde e uma Etapa
do Passeio Ciclístico de Mountain Bike. O evento alcançou e atingiu todos os objetivos propostos,
utilizando a modalidade da corrida e ciclismo visando despertar o interesse para pratica desportivas
de nossos alunos, professores, funcionários e comunidade da cidade e região.
Os câmpus que sediaram as etapas foram: Rio Claro (I° Passeio Ciclístico de Rio Claro), Jaboticabal
09/08/2014, Botucatu 31/08/2014, Ilha Solteira 28/09/2014, Bauru 05/10/2014, com a Prova Pedestre
e Caminhada para a Saúde, movimentando um total de 3.000 participantes diretamente, e mais de
10.000 pessoas na participação indireta.
Nestes eventos foram arrecadados um total de 2.521 litros de leite, que foram entregue às entidades
assistenciais das Cidades sede.

9. PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL
O Plano de Desenvolvimento Institucional da Proex em 2014 foi dividido em 4 grandes programas
conforme abaixo:
- PROGRAMA 08 - APRIMORAMENTO INSTITUCIONAL DAS ATIVIDADES DE EXTENSÃO.
- PROGRAMA 09 - IMPLEMENTAÇÃO DAS ATIVIDADES DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA JUNTO A
COMUNIDADE.
- PROGRAMA 09 - IMPLEMENTAÇÃO DAS ATIVIDADES DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA JUNTO A
COMUNIDADE.
- PROGRAMA 23 - DIVULGAÇÃO DE PATRIMONIO HISTÓRICO, CULTURAL.

10. ADIANTAMENTOS
A Proex tem a responsabilidade de manter adiantamentos através da Conta Banco do Brasil S/A ­
Agência ­ 3.055-4 ­ C/C 130433-X, para aquisições e serviços nos limites estabelecidos no Artigo 23,
Inciso II, alínea "a", da Lei nº 8.666/93.
Elemento: 3.3.90.30.90 - Outros Materiais de Consumo.
Elemento: 3.3.90.39.99 - Outros Serviços de Terceiros ­ Pessoa Jurídica.

Relatório Anual de Gestão 2014 | 65

6

Pró-reitoria de
Administração
PRAD

1. PRINCIPAIS AÇÕES DA PRAD
Seguindo sua política de criar condições facilitadoras ao desenvolvimento das atividades fins da
Universidade, em 2014, a PRAd continuou atuando no desenvolvimento e implementação de práticas
que proporcionem a descentralização e racionalização administrativa.
Dentro do Programa Permanente de Qualificação do Corpo Técnico e Administrativo, 2.664 servidores
receberam capacitação com recursos do PDI e outros 8.351 receberam treinamentos inseridos nos
programas locais das unidades. Contempladas com recursos do PDI, foram pagas uma média mensal
de 389 Bolsas de Complemento Educacional aos servidores de todas as unidades.
Nos programas de saúde e segurança do trabalho e sustentabilidade ambiental há que ser evidenciada
a expressiva redução nos índices de absenteísmos por licença de saúde dos trabalhadores da UNESP,
mantendo a marca histórica ao redor de 3% em 2014, muito abaixo da recomendação mundial, de 4
a 6%, evidenciando a mantença dos índices comparando-se a anos anteriores. Destaca-se também
a elevação em 50% nos índices do programa de prevenção de riscos ambientais, o patamar de
90% no adequado descarte de resíduos químicos. Resultado das readequações nos contratos com
concessionárias de energia elétrica, obteve-se redução de tarifas em seis campus, proporcionando
economia de R$ 133 mil no ano, além de investimentos por parte da concessionária fornecedora de
energia elétrica em um campus, gerando economia média de consumo de energia de 20%.
A Divisão Técnica Administrativa iniciou em 2014 o "Projeto de Desburocratização de Trâmite de
Processos". Os resultados alcançados foram muito satisfatórios, aumentando a autonomia dos
Supervisores de áreas e redução considerável no tempo para a conclusão das tarefas.
A Unidade Reitoria, através da Divisão de Contabilidade e Finanças, executou despesas de custeio
de mais de R$ 122 milhões em 2014, além de pagamento de aproximadamente R$ 10 milhões dos
precatórios da Justiça Comum e R$ 2 milhões em ações de pequeno valor. Destaca-se integração ao
Sistema Contábil, das liquidações das Despesas e das Notas de Empenho, dando maior agilidade aos
trabalhos contábeis.

2. UNESP SAÚDE/UNESP ODONTO
O constante aumento no número de vidas nos planos aponta que, apesar das dificuldades inerentes
do setor e problemas pontuais, existe por parte da comunidade confiança no trabalho desenvolvido.
Houve crescimento de 8,9% no número de vidas no UNESP-Saúde e de 9,8% no UNESP-Odonto.
A pesquisa de satisfação indicou que 77,2% dos usuários consideram o plano Bom, 17,3% Regular e
apenas 5,5% o consideram Ruim.
As principais ações esse ano foram voltadas para orientações e informações aos usuários e não
usuários, buscando informar os benefícios do plano e também os programas de qualidade de vida, por
serem fundamentais para qualquer pessoa e também pelo fato que merece atenção que é o aumento
significativo da sinistralidade. Isso se deve, dentre outros fatores, a ampliação do rol de procedimentos
exigidos pela ANS e também a maior utilização por parte dos usuários, significando um "adoecimento"
da massa, principalmente os titulares.
Dentre as ações, destaca-se a criação do "Unesp Saúde Informa", um e-mail mensal, em parceria com
o setor de comunicações da reitoria, enviado para todas as listas de e-mails e também a mala-direta,
enviada via correio a todos os servidores da Unesp, com informações e orientações importantes do
plano. No sentido de divulgar as informações e dar orientações aos usuários e servidores, diversas
formas de divulgação foram implementadas, tais como, jornais, cartazes, folders, e-mails e os sites
específicos de cada plano.

3. COORDENADORIA DE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHADOR E SUSTENTABILIDADE
AMBIENTAL - COSTSA/PRAD
3.1. Grupo de Saúde do Trabalhador e Perícia Médica
3.1.1. Resultados: Os trabalhos desenvolvidos na área da perícia médica conseguiram diminuir
o absenteísmo nos últimos anos, bem como manter os índices dentro dos padrões internacionais
conforme Figura 1. Houve melhoria da qualidade nas perícias médicas, na qualidade dos especialistas
e médicos peritos, na composição das juntas médicas, que levaram ao aumento das readaptações,
retornos ao trabalho sem readaptação e na aposentadoria dos servidores cujas patologias não
possibilitam mais condições de trabalho, conforme se verifica na Figura 2.

Relatório Anual de Gestão 2014 | 69

8,5%

4,2%
3,7%

2010

2011

2012

2,9%

3,0%

2013

2014

Figura 1: Índice de Absenteísmos por Licença Saúde dos Trabalhadores da UNESP.

Aposentadoria
Readaptação
Retorno ao Trabalho

Figura 2: Números de aposentadorias, readaptações e retorno ao trabalho.

3.1.2. Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional ­ PCMSO: Os exames médicos periódicos
apresentaram queda em seus índices em 2014, comparado a 2013, provavelmente devido ao período
de greve, como se constata na Figura 3.
Quantitativo Exames Médico Periódicos Realizados em 2014
10921

Total servidores
Periódicos realizados

6627
3981

3664

39%

2836

43%
1145

31%
Figura 3: Exames Médicos Ocupacionais 2014.

70 | Relatório Anual de Gestão 2014

3.1.3. Congresso da Coordenadoria de Saúde e Segurança do Trabalhador e Sustentabilidade Ambiental
- I CONCOSTSA: Este evento teve por objetivo proporcionar um espaço coletivo e institucional voltado
para reflexões e debates entre pesquisadores, profissionais, estudantes de diferentes áreas do
conhecimento, sobre temas relativos a saúde, segurança do trabalhador e sustentabilidade ambiental,
propiciando o intercâmbio de experiências. Potencialmente uma oportunidade para reorganizarem
suas práxis e orientarem as decisões e as intervenções nos processos de transformação organizacional
em prol de melhor qualidade de vida.
O evento ocorreu de 25 a 28 de novembro de 2014 em Campos do Jordão, com 180 congressistas e
conferencistas nacionais e internacionais. Foram apresentados 60 trabalhos os quais foram publicados
na "Revista Laborativa" de Dezembro de 2014.
3.1.4. Intervenções da Psicologia em Saúde Ocupacional: Foram realizados 9 Cursos de Extensão, 2
workshops, 6 oficinas, 4 atividades grupais. A equipe de psicólogos regionais realizou em diferentes
unidades, 14 diagnósticos organizacionais, os quais proporcionarão intervenções efetivas da Psicologia
da Saúde Ocupacional em 2015, 116 sessões de atendimento de 74 servidores na Regional 5.
3.1.5. Ação UNESP: Com o objetivo de atuar na Promoção da Saúde e na Qualidade de Vida do
Trabalhador, a Ação UNESP contemplou em 2014 os Campus de Assis, Franca e Jaboticabal.
3.1.6. Projetos de Promoção da Saúde: Foram desenvolvidos 15 projetos por gestores (diretores/
supervisores) nas diferentes unidades universitárias.
3.1.7. Síndrome Metabólica: Foram realizadas nas unidades Universitárias ações para traçar o perfil
antropométrico de 33% dos servidores, sendo que 50% apresentavam índices alterados.
3.1.8. Campanha de Vacinação: Foram aplicadas 392 doses de vacina para proteção contra influenza
e hepatite B nos servidores da Reitoria.
3.1.9. Eventos em que a COSTSA foi representada: 3 Congressos Nacionais, 1 Seminário e 1 Encontro
das Faculdades Adamantinenses Integradas.
3.1.10. Publicações COSTSA: 1 Livro: "Readaptação Profissional: da Teoria à Prática", 2 Edições da
"Revista Laborativa" e Edição de 1 suplemento, 1 Artigo, 1 Editorial, 6 Capítulos de Livro, 3 Entrevistas,
1 Resumo expandido em Anais de Congresso e 7 Resumos publicados em Anais de Congresso.
3.2. Grupo de Segurança do Trabalhador e Sustentabilidade Ambiental ­ GSTSA
Durante o ano de 2014 foram re a l i z a d o s projetos que estavam em andamento no ano anterior e
iniciadas outras parcerias.
3.2.1. Projeto Composteira de Carcaças: Durante o ano de 2014 foi destinado recurso à Faculdade
de Medicina Veterinária de Araçatuba para aquisição de equipamentos (câmara fria e serra-fita) para
adequação do processo na Usina de Compostagem instalada nessa Unidade Universitária. Outras
parcerias foram firmadas entre o GSTSA e FCAV campus Jaboticabal e com a FCF campus de
Araraquara.
3.2.2. Obtenção de Alvará de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB): No ano de 2014 três AVCBs
foram emitidos: da Reitoria, do Instituto de Artes Campus de São Paulo e da Faculdade de Ciências
Humanas e Sociais campus de Franca, o investimento total de R$ 446.231,53, sendo R$ 379.131,18
na execução dos projetos do IA, R$ 16.500,55 no aditivo do projeto executivo do Campus III da FEIS
e R$ 50.599,80 na aquisição do projeto para o Campus II da FEIS.

Relatório Anual de Gestão 2014 | 71

3.2.3. Capacitação em Segurança - Gestão de Equipamento de Proteção Individual ­ EPI (Tabela 1).
Tabela 1: Participantes dos cursos de EPI.
TREINAMENTO/CURSO

Nº PARTICIPANTES

Capacitação em Gestão de EPI - 2 Turmas (Araraquara)

33

EPI - Fazendas - 03 Turmas

130

EPI - Hospital Veterinário - 02 Turmas

26

EPI - Reciclagem Supervisores - 04 Turmas

162

EPI - Conservação e Manutenção - 02 Turmas

33

EPI - Parques e Jardins - 02 Turmas

29

EPI - Zeladoria - 03 Turmas

57

NR10 - Segurança em Instalações Elétricas

95

TOTAL

565

3.2.4. Programa de Prevenção de Riscos Ambientais: Pôde ser observado evolução consistente com
50% das adequações apontadas neste Programa, em 2014 considerando-se os resultados obtidos
em 2011 com 16%, 2012 com 33,4% e 2013 com 43,3%.
3.2.5. Projeto de substituição de formaldeído por glicerina nos Laboratórios de Anatomia:
Faculdade de Odontologia e Medicina Veterinária de Araçatuba, Faculdade de Odontologia Araraquara,
Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira e Instituto de Ciências e Tecnologia de São José dos Campos.
3.2.6. Revisão da concessão de Adicional de Insalubridade: Até o momento foram revistos pouco mais
de 450 postos, o que representa apenas 4,1% do total, Ressalte-se que o prazo para a execução da
revisão encerra em junho de 2016.
3.2.7. Concessão de Adicional de Periculosidade: Em 2014, foram avaliados 86 postos de trabalho
e emitidos os respectivos laudos técnicos, sendo 38 destes para agentes de vigilância e 48 para
eletricistas, de acordo com NR-16 do Ministério do Trabalho e Emprego.
3.2.8. Gerenciamento de Produtos e Resíduos Químicos: No ano de 2014 foi oferecido o Curso de
Gestão de Resíduos na modalidade à distância, para 2 turmas com 120 participantes e foi publicado
um edital do Projeto Unesp Sustentável, sendo que dos 14 projetos apresentados 10 foram aprovados.
3.2.9. Programa UNESP de Racionalização de Energia ­ URE
a) Programa de Eficiência Energética: Em 2014, a concessionária ELEKTRO executou obras no
campus de Rio Claro, investindo a fundo perdido naquela Unidade aproximadamente R$ 500 mil, para
substituição de todo conjunto de iluminação, por luminárias, lâmpadas e reatores mais eficientes,
gerando 20% de economia média de consumo de energia. A busca da redução no consumo de energia
é efetuada por intermédio das seguintes ações:
Adequação contratual: Em 2014 foram realizadas adequações contratuais referentes aos contratos de
demandas de tarifa horo-sazonal nos Campus Experimentais de Itapeva, de Registro, de Rosana, do Litoral
Paulista, na Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá (Campus e Colégio), nos Institutos de Artes de São
Paulo e de Biociências, Letras e Ciências Exatas de São José do Rio Preto (Figura 4). A economia mínima
estimada para os novos contratos readequados em um ano é de aproximadamente R$ 133 mil.

72 | Relatório Anual de Gestão 2014

Contratos Readequados em 2014
1100
Demanda readequada
Demanda anterior
Reflexo econômico em Mil Reais

Demanda em kW

860

500

450

310
230
150
37,39

13,38

104
62
22,41
6,75 40

130 130
110 80
100 100
19,57
10,1
11,31
12,48

Figura 4: Contratos de demanda readequados em 2014.

Consumo de Energia: Em 2014 houve aumento de 9,4% no consumo total de energia em relação a 2013.
O custo médio da energia consumida pela UNESP foi de 0,3000 R$/kWh, bem próximo da média nacional,
de R$ 0,3059/kWh e aproximadamente igual à média da Região Sudeste, que foi de 0,2995 R$/kWh.
b) Programa de Melhoria do Gasto Público do Governo do Estado de São Paulo: Atendendo
ao Decreto Estadual 60.154 de 14/02/2014, a UNESP, nos 4 espaços públicos da cidade de São
Paulo, Reitoria, Praça da Sé, Barra Funda e Ipiranga, cumpriu metas de redução de consumo em 20%
gerando economia de R$ 32,2 mil, ou 10,67%, sobre o valor faturado com as contas de água.
3.2.10. Perfil Profissiográfico Previdenciário: Em 2014 foram elaborados 19 documentos de PPP, sendo
que 7 destes para servidores autárquicos e 12 para trabalhadores celetistas.
3.2.11. Revisão anual do Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA) das Unidades: Todas
as Unidades Universitárias da Unesp foram atendidas em relação ao PPRA e os documentos foram
encaminhados aos médicos coordenadores das regionais para elaboração do PCMSO e apresentados
aos gestores das Unidades Universitárias.

4. COORDENADORIA DE RECURSOS HUMANOS
4.1. Quadro de Servidores: Em 2014, em função do cenário econômico nacional, e, em particular do
contingenciamento estadual, houve a necessidade de contenção da massa salarial, sendo adotadas
algumas medidas, e dentre elas a de suspensão de contratações a partir do mês de maio. Dessa
forma, o quadro de pessoal de ativos (Figura 5) registrou decréscimo nos dois segmentos, sendo o de
servidores técnico-administrativos, de 7.241 para 7.071 e no quadro de servidores docentes menos
significativo, de 3.561 para 3.516, não computados, nesse caso, professores substitutos, docentes do
ensino médio, professores colaboradores e pesquisadores.

Relatório Anual de Gestão 2014 | 73

7241
Técnico Administrativo

7071
108
Docente Ensino Médio

122
11
Professor Colaborador

33
408
Professor Substituto

687
42
em 31/12/2013
em 31/12/2014

Pesquisador

43
3561
Docente

3516
Figura 5: Números de servidores ativos em 31/12/2013 e 31/12/2014, por segmento.

4.2. Contratações/Desligamentos: Da análise da movimentação de pessoal (Figura 6) verifica-se
a contratação de 204 técnico-administrativos e 120 docentes, além de 687 professores substitutos
não computados na Figura 5 (543 contratações e 144 prorrogações de contrato). Há de se considerar
ainda o elevado número de aposentadorias, sendo 248 de técnico administrativos e 117 docentes.
543

105

Demissões
Aposentadorias
Ativos falecidos
Contratações

379

248
204
39

4
144
117

30
21

9

Técnico
Administrativo

Docente

1

1

Pesquisador

2 9 1
Professor
Colaborador

14

1
Professor
Substituto

Prorrogação
Contrato
Professor
Substituto

2

Docente
Ensino
Médio

Figura 6: Análise da movimentação de pessoal, por segmento, no ano de 2014.

4.3. Perfil dos Recursos Humanos na Unesp: O perfil dos servidores da Unesp encontra-se

74 | Relatório Anual de Gestão 2014

demonstrado nas tabelas 2,3,4 e 5. Com relação ao tempo de serviço (tabela 2), verifica-se certo
equilíbrio entre os extremos e maior concentração na faixa média: aproximadamente 24,6% do quadro
possui menos de 5 anos na Unesp, 43,6 % possuem entre 5 e 25 anos e 31,8% mais de 25 anos de
tempo de serviço na Universidade. Não estão computados os professores substitutos.
Tabela 2: Quantitativo de servidores por tempo de serviço na Unesp.
Tempo de Serviço Unesp

Docente

Técnico administrativo

Total

Até 5 anos

1096

1551

2647

5 a 10

424

1024

1448

10 a 15

341

355

696

15 a 20

319

751

1070

20 a 25

433

1041

1474

25 a 30

672

1691

2363

30 a 35

229

362

591

35 a 40

144

279

423

Acima de 40

26

17

43

Total

3.684

7.071

10.755

Com relação à faixa etária (Tabela 3), verifica-se que aproximadamente 48,3% dos servidores tem
entre 30 e 50 anos e apenas 7,2% apresenta idade inferior a 30 anos. Já em termos salariais (Tabela 4),
aproximadamente 13,3% dos servidores recebem entre 2 e 4 salários mínimos, 33,1% recebem entre
4 e 8 salários mínimos, 29,8% entre 8 e 16 salários mínimos e 23,8% acima de 16 salários mínimos.
Não estão computados os professores substitutos.
Tabela 3: Quantitativo de servidores por faixa etária.
Docente

Faixa Etária

Fem.

Téc. adm.

Masc.

Fem.

Total

Masc.

Até 24 anos

3

2

39

70

114

25 a 29

36

58

251

319

664

30 a 34

118

208

351

390

1.067

35 a 39

205

209

306

316

1.036
1.173

40 a 44

214

201

367

391

45 a 49

264

301

700

657

1.922

50 a 54

265

447

759

753

2.224

55 a 59

248

404

393

599

1.644

60 a 64

107

246

127

188

668

Acima de 65

41

107

33

62

243

Total

1501

Total por categoria

2183

3.326

3.684

3.745

10.755

7.071

Tabela 4: Quantitativo de servidores por faixa salarial.
Faixa Salarial

Docente

Técnico administrativo

Total

Até 3.000,00

84

1.345

1.429

3.000,01 a 6.000,00

99

3.464

3.563

6.000,01 a 12.000,00

1359

1.846

3.205

Acima de 12.000,01

2142

416

2.558

Total

3.684

7.071

10.755

Relatório Anual de Gestão 2014 | 75

No que se refere à escolaridade (Tabela 5) observa-se que 54% dos servidores técnico-administrativos
possuem nível de escolaridade igual ou acima de nível superior e apenas 3,2% não concluíram o
ensino fundamental. As Bolsas de Complemento Educacional auxiliaram na elevação de escolaridade
de 146 servidores.
Tabela 5: Quantitativo de servidores técnico-administrativos por grau de escolaridade.
Escolaridade

Fem.

Masc.

Total

ANALFABETO

1

1

2

ENSINO FUNDAMENTAL INCOMPLETO

197

30

227

ENSINO FUNDAMENTAL COMPLETO

352

156

508

ENSINO MÉDIO COMPLETO

1575

944

2519

SUPERIOR COMPLETO

1272

1564

2836

ESPECIALIZAÇÃO (LATO SENSU)

238

463

701

MESTRADO (STRICTO SENSU)

69

110

179

DOUTORADO (STRICTO SENSU)

38

58

96

PÓS DOUTORADO

2

3

5

Total

3743

3328

7071

4.4. Benefícios: Na Figura 7 estão demonstrados os valores totais e média mensal despendidos com
o Vale Alimentação e Vale Transporte. O vale alimentação atende a todos os 10.689 servidores da
Universidade (docentes e técnico-administrativos) enquanto o vale transporte atende somente aos
servidores que possuem salários inferiores ao teto estabelecido de R$ 4.681,02.
76.018.175,72

Total
Média mensal

6.334.847,98

4.725.349,82
393.779,15

Vale Alimentação

Vale Transporte

Figura 7: Valores (R$) despendidos com vale alimentação e vale transporte em 2014.

4.4.1. Bolsa Complemento Educacional (BCE): Entre 2010 e 2014 foram distribuídas 2.541 bolsas,
sendo que somente em 2014, 146 servidores elevaram o nível de escolaridade com as obtenções de
títulos, ante a 64 em 2013. Em 2014, com recursos do PDI, foram pagas em média 389 Bolsas por mês
aos servidores técnico administrativos de todas as unidades (Figura 8), atingindo aproximadamente
5,5% do total de servidores da Universidade.

76 | Relatório Anual de Gestão 2014

Servidores beneficiados

433
411
392

386
379

JAN

FEV

MAR

389

387

394

389

386

374

ABR

MAI

JUN

373

JUL

AGO

SET

OUT

366

NOV

DEZ

MÉDIA

Figura 8: Números de Bolsas de Complemento Educacional pagas no ano de 2014.

4.5. Treinamento e Desenvolvimento: Em 2014, 11.015 servidores receberam treinamento (Figura
9) na Unesp, ou seja 1,52 treinamento por servidor, sendo 2.664 dentro do Programa Permanente
de Qualificação do Corpo Técnico e Administrativo, com recursos do PDI e 8.351 nos Programas
Locais da Unidade. Esses treinamentos foram destinados aos segmentos administrativos, técnicos/
operacionais e gestores de acordo com o nível de escolaridade dos servidores (Figuras 10 e 11).
Programa de Preparação para Aposentadoria - PPA

1493
595

EPI's
Graduação - etapa presencial - Comunicação e
Atendimento ao Público

289
217

Novo Sistema de Recursos Humanos
Gestão da Complexidade e Relacionamento

35

Redação Oficial - Turma Piloto (Presencial)

31

Fórum de Governança

2

IGLU - Instituto de Gestão e Liderança Universitária

1

Atualização de Motoristas

1

Figura 9: Programa Permanente de Treinamento do Corpo Técnico Administrativo no ano de 2014 com recursos PDI.

Programa Permanente do Corpo Técnico Administrativo 2014
Recursos PDI - Treinamento por Categoria

Programa Permanente do Corpo Técnico Administrativo 2014
Recursos PDI - Treinamento por Categoria

0,1%
Administrativo
Gestores
Técnico
Operacional

22%

Todos os níveis
Médio
Superior

0,1%

0,9%

99%

78%
Figura 10: Programa Permanente do Corpo Técnico Administrativo em 2014,
por segmento administrativo e nível de escolaridade - Recursos do PDI.

Relatório Anual de Gestão 2014 | 77

Programas Locais 2014
Treinamentos por categoria
Todos
Administrativo
Gestor
Técnico
operacional

Programas Locais 2014
Treinamentos por nível de escolaridade
Fundamental
Médio
Superior

18%

23%

39%

10%

61%
16%

33%
Figura 11: Programa Permanente do Corpo Técnico Administrativo em 2014, por segmento administrativo e nível de
escolaridade - Programas Locais.

2010

2011

25
20 - 24,9
15 - 19,9
10 - 14,9
5 - 9,9

32,37%

50,29%

60,80%
2012

1,67%

2,37%

15,59%

26,89%

2,41%
0,11%

19,84%

23,88%

9,00%
0,80%

11,30%
0,90%
2009

21,39%

30,60%

28,17%
12,33%
0,59%

24,73%

2008

62,22%

59,70%

59,70%

62,19%

4.6. Gestão do Desempenho: Como resultado do trabalho contínuo de conscientização sobre a
importância da avaliação de desempenho, repetiu-se em 2014 a tendência dos anos anteriores, de
melhor distribuição da pontuação atribuída aos servidores, indicando também evolução qualitativa da
gestão (Figura 12).

2013

Figura 12: Acompanhamento de Desenvolvimento Profissional - ADP - Comparativo de notas de 2008 a 2015
(fechamento em março de 2014).

4.7. Concurso Público e Mobilidade Funcional: Foram realizados concursos públicos para 19
funções técnico-administrativas, com a abertura de 50 vagas (Tabela 6).
Tabela 6: Concursos Públicos realizados em 2014.
Função

Total

Função

Total

Agente de Desenvolvimento Infantil

1

Auxiliar de Campo

1

Assistente Administrativo II

1

Bibliotecário

4

Assistente de Informática I

1

Cirurgião Dentista

1

Assistente de Informática II

1

Médico

2

Assistente de Suporte Acadêmico I

2

Médico Veterinário

2

Assistente de Suporte Acadêmico II

15

Motorista

3

Assistente de Suporte Acadêmico III

2

Operador de Máquinas

1

Assistente de Suporte Acadêmico IV

2

Psicólogo

3

Assistente Operacional II

4

Técnico de Enfermagem

2

Auxiliar Agropecuário

2
Total 50

78 | Relatório Anual de Gestão 2014

Da mesma forma foram realizados processos de mobilidade funcional, para 10 funções com 57 vagas
disponíveis (Tabela 7).
Tabela 7: Mobilidade Funcional em 2014.
Função

Total

Analista de Informática I

1

Analista de Informática II

1

Assistente Administrativo II

1

Assistente de Informática II

3

Assistente de Suporte Acadêmico II

34

Assistente de Suporte Acadêmico III

4

Assistente Operacional II

6

Assistente Técnico Administrativo I

4

Assistente Técnico Administrativo II

1

Técnico Agropecuário

2

Total

57

4.8. Deliberações do CADE com impacto na administração das Unidades: Comissão de Estruturas e
de Funções Administrativas- CEAFA, procede a revisão dos parâmetros dos subquadros das Unidades
Universitárias, Complementares e Experimentais da Unesp. Comissão para tratar da evolução das
contratações e aposentadorias na Unesp. Conclusão dos trabalhos da Comissão para tratar Projetos
de Consolidação dos Câmpus Experimentais. Criação do Grupo de Trabalho de Gestão Administrativa.
Realização de 27 transferências de servidores técnico-administrativos, além dos despachos referentes
às contratações de servidores técnico-administrativos.
4.9. Projetos de Otimização de Procedimentos: Foram criados 2 projetos pela CRH/PRAd e
executados pelas Assistentes Regionais com grupos de servidores das áreas envolvidas das Unidades.
4.10. Recursos Humanos: Em fase de conclusão, foram revisadas e simplificadas substancialmente
todas as rotinas da Área de RH, com a transformação da maioria delas para formato eletrônico,
resultando em desburocratização, ganhos de tempo e economia de papel.
4.11. Seções de Materiais: Projeto em andamento, iniciado com as áreas de RH da Universidade,
visando à otimização de procedimentos dos processos de trabalho. As rotinas foram agregadas ao
Sistema de Recursos Humanos, com isso foram reduzidos os números de assinaturas, de papéis e
de documentos gerados em aproximadamente em 25%, sendo redução de 352 assinaturas, 24% de
documentos e 20% de procedimentos.
4.12. Plano de Previdência Complementar - SP ­ PREVCOM: Vigoram no momento dois planos. O
Plano de Benefícios PREVCOM RP-Regime Próprio, destinado aos servidores estatutários admitidos
a partir de 21/01/2013, iniciou 2014 com 59 participantes e finalizou o ano com 75. O Plano RG-UNIS
é destinado aos servidores vinculados ao Regime Geral de Previdência Social, iniciou o ano com 151
e finalizou com 906 participantes.
4.13. Isonomia com a USP: Em 2014 teve continuidade a isonomia dos pisos salariais com a USP,
dentro dos limites possíveis à Unesp (Tabela 8). O procedimento ocorreu em duas etapas, a primeira em
outubro e a segunda em fevereiro de 2015. Foram concedidos 5% de elevação dos pisos salariais aos
servidores técnico-administrativos ativos que atenderam aos requisitos, e aos inativos que possuem a
paridade garantida pela Constituição.

Relatório Anual de Gestão 2014 | 79

Tabela 8: Projeto de busca pela Isonomia Salarial a partir de 01/10/2014,
incluindo dissídio de 2,57% de dezembro de 2014.
Escolaridade
Fundamental

Nível
de 16 para 17

Valores (R$)
de 1.581,29 para 1.703,06

Médio
Superior

de 24 para 25
de 38 para 39

de 2.336,28 para 2.516,19
de 4.625,68 para 4.981,90

Ganho salarial de 5% aos servidores ativos (e inativos com paridade)
9.691

Total de Beneficiados

4.14. Promoção por Desenvolvimento Profissional e Escolaridade Formal: Foram promovidos por
desenvolvimento profissional 1.938 servidores técnico-administrativos, 27,4 % do total (limite é de
33,33%), com aumento salarial de 5% para esses servidores. Ainda, em 2014, 655 servidores, ou 9,2%
do total foram promovidos por escolaridade formal (Tabela 9).
Tabela 9: Número de servidores promovidos por desenvolvimento profissional
e escolaridade formal em 2014.
Nível

Desenvolvimento Profissional

Escolaridade Formal

Fundamental

455

94

Médio

1.186

432

Superior

297

129

Total

1.938

655

5. DIVISÃO TÉCNICA ADMINISTRATIVA
A DTAd iniciou em 2014 o "Projeto de Desburocratização de Trâmite de Processos", nas áreas de sua
responsabilidade. Com a implantação desse projeto os processos deixaram de ser encaminhados para
o "Visto" da Divisão de Administração, visando maior fluidez ao trâmite processual e desburocratizar
alguns procedimentos. Os resultados alcançados foram muito satisfatórios, aumentando a autonomia
dos Supervisores de áreas, com redução considerável no tempo para conclusão das tarefas.
5.1. Assistência Técnica Administrativa
5.1.1. Ressarcimento de Diárias e Transporte: Em 2014 foram ressarcidos R$ 1.671.997,75 de diárias
e despesas de transporte. Após a implantação do Sistema Informatizado de Ressarcimento de Diárias
e Transporte, em 2014 foram realizados vários treinamentos, sendo sanados problemas apresentados
pelos usuários.
5.1.2. Comissão Processante Especial ­ CPE e Comissão Permanente Processante Para Acidente Com
Veículos Oficiais ­ CPPAVO: No exercício de 2014 houve entrada de 15 processos instaurados e 1
processo a ser instaurado.
5.2. Seção Técnica de Compras e Contratos
5.2.1. Área de Contratos: Gerenciou 220 contratos, que totalizam o montante de R$ 128 milhões, além
de realizar 1.120 pagamentos, que somados alcançam R$ 94 milhões. No tocante à prorrogação dos
contratos vigentes, as negociações geraram economia de R$ 355.522,67 ao erário da Universidade.
5.2.2. Área de Compras: Realizou 74 procedimentos licitatórios, resultando em aquisições/contratações
na ordem de R$ 34 milhões, de um valor estimado em R$ 49 milhões, resultando em economia superior
a R$ 15 milhões. A parte disto, tramitaram outros 223 processos entre inexigibilidades e dispensas de
licitação.
5.3. Área de Importação
Pode-se destacar, liberação alfandegária, prestação de contas e exportação, com 126 operações de
câmbio, totalizando US$ 6,007,599.40.
5.4. Diretoria de Serviço de Atividades Gerais
Contratações específicas para o funcionamento da estrutura administrativa, com R$ 385.200,00 em
Contratos de Vigilância, R$ 15.667,00 em Serviços e R$ 11.603,00 em Aquisições.

80 | Relatório Anual de Gestão 2014

5.4.1. Setor de Serviços Auxiliares: Fiscalização de 44 processos de serviços. Adoção de procedimentos
para redução do consumo de água, obtendo economia de R$ 34.936,95, 19,23% em relação a 2013.
Gerenciamento na manutenção dos elevadores com redução nas aquisições de peças de R$ 9.305,43,
28,33% em relação a 2013.
5.4.2. Setor de Manutenção e conservação: executou 60 atividades, como substituição de lâmpadas,
reatores e de materiais hidráulicos e 100 serviços de alvenaria, elétrica, hidráulico, marcenaria, pintura
e serralheria.
5.4.3. Serviço de reprografia: Efetuou 32.789 cópias, 1.952 plastificações e 1.774 encadernações.
5.4.4. Setor de Transportes: Foram atendidas 771 solicitações de transporte, consumidos 199.201
litros de combustível, totalizando R$ 546.728,76. Despesas com Manutenções dos Veículos Oficiais
­ Reitoria e Unidades Complementares de R$ 430.489,98 e despesas com Serviços de Rastreamento
dos Veículos da Reitoria e Unidades Complementares de R$ 124.612,50.
5.4.5. Seção de Administração de Materiais: no ano de 2014 realizou 1.594 atuações.
5.4.6. Setor de Patrimônio móvel: realizou 2.752 atividades de incorporações e 618 atividades de
baixas patrimoniais.
5.4.7. Setor de Patrimônio imóvel: realizou 170 codificações de Bens Permanentes, 50 Digitalizações
de Documentos, 180 Escrituras, 80 Fotografias das Unidades Universitárias, 160 matriculas de Imóveis,
20 Processos Administrativos analisados, 5 Procurações Públicas, 7 Providências - Órgão Públicos e
14 Providências - Unidades Universitárias.
5.5. Seção de Comunicações Administrativa
5.5.1. Protocolo/Expedição: Foram recebidos 7.518 e enviados 7.764 malotes e correspondências,
totalizando R$ 329.906,89.
5.5.2. Processos Abertos no Protocolo e outros: Foram protocolados 5.985 documentos diversos.
5.5.3. Postagens: Foram postadas 5.373 correspondências, no valor de R$ 91.583,04.
5.5.4. Setor de Telecomunicações: atendeu a 7.320 atividades de rotina, 1.105 serviços de manutenção
preventiva e corretiva de equipamentos de telecomunicação e rede, 455 reuniões/eventos. Gerenciou
e deu suporte a telefonia móvel de 170 aparelhos celulares, efetuando 136 atendimentos.
5.5.5. Setor de Zeladoria: Gerenciou 9 processos de terceirização, perfazendo um total de R$
244.405,98 e 12 processos de adiantamento, no total de R$ 17.626,18.
5.6. Serviço de Pessoal
O Serviço de Pessoal é composto pela Seção de Administração de Recursos Humanos - SARH e pela
Seção de Desenvolvimento de Recursos Humanos - SDRH.
As Seções de Administração e Desenvolvimento de Recursos Humanos realizaram 3.261 análises de
assuntos relativos à área de Recursos Humanos.
O Serviço de Pessoal, SARH e SDRH emitiram, ao longo de 2014, o total de 2.268 documentos.
No que se refere às atividades da Folha de Pagamento, a SARH gerencia cerca de 1.200 servidores,
ativos e inativos.
5.7. Seção Técnica de Saúde ­ STS
As atividades desenvolvidas no ano de 2014 pela STS da Reitoria estão apresentadas na Tabela 10,
com o número de atendimentos efetuados.
Tabela 10: Atividades da Seção Técnica de Saúde em 2014.
ATIVIDADES REALIZADAS - 2014

TOTAL

Auxílio em Campanha de Vacinação

392

Atendimento Ambulatorial (CONSULTA)

573

Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO) - NR 07 (exames periódicos)

305

Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO) - NR 07 (exames admissionais e
demissionais)

137

Assistência de Enfermagem (atendimentos)

310

Agendamento junto ao IAMSPE (consulta e exames)

31

Recadastramento - Declaração de prova de vida

20

Acolhimento Psicológico realizado, na Seção Técnica de Saúde - STS da Reitoria, por psicólogo
da COSTSA

34

Relatório Anual de Gestão 2014 | 81

6. DIVISÃO DE CONTABILIDADE E FINANÇAS ­ DCF
Para a execução das despesas de custeio (serviços e manutenção geral) desta Reitoria, foram
alocados recursos orçamentarios de R$ 122.604.186,00 durante o exercício. Estes recursos foram
distribuidos nos custeios dos contratos, utilidade pública, adiantamentos, materiais de consumo,
serviços e outros, como também as despesas de PDI, das Pró-Reitorias e Assessorias.
Foram realizados pagamentos dos precatórios da Justiça Comum e da Justiça do Trabalho, dos
exercícios 2004 a 2011, no montante de R$ 9.823.291,28. Foram pagos R$ 1.985.594,43, para as
Ações de Pequeno Valor.
As liquidações das Despesas e as Notas de Empenho foram integradas ao Sistema Contábil dando
maior agilidade aos trabalhos contábeis.
No presente exercício foram iniciados os lançamentos de Depreciação de Bens adquiridos a partir de
Janeiro de 2014, conforme preconizam as Novas Normas Aplicadas à Contabilidade do Setor Público.

82 | Relatório Anual de Gestão 2014

7

Assessoria de
Planejamento e Orçamento
APLO

1. ATIVIDADES REALIZADAS EM 2014
1.1. Gerenciamento de Convênios Estaduais
A AT/APLO gerenciou recursos orçamentários e financeiros provenientes de convênios celebrados
com as Secretarias Estaduais da Educação e da antiga Secretaria de Ensino Superior, a saber:
1.1.1. SES 003/2009 ­ UNIVESP ­ Universidade Virtual do Estado de São Paulo. Convênio
assinado em 26/08/2009 vigente até 26/08/2014. Recursos recebidos em setembro de 2009, no
valor total de R$ 24,2 milhões para execução em 5 anos. Valor gerenciado em 2014, incluindo
rendimentos: R$ 4,7 milhões. (saldo devolvido à SDECTI em 25/09/2014).
1.1.2. SES 005/2009 ­ BIOEN - Realização de obras de Infraestrutura do Novo Centro Paulista
de Pesquisa em Bioenergia. Convênio assinado em 31/12/2009 vigente até 31/12/2014. Solicitada
prorrogação até 31/12/2015, aditamento em curso. Recursos recebidos em 2010 e 2012, no valor
total de R$ 5,5 milhões. Valor gerenciado em 2014, incluindo rendimentos: R$ 4,6 milhões.
1.1.3. Convênio Secretaria da Educação (Processo nº 056/0400/2010) ­ Programa Rede São Paulo
de Formação Docente ­ REDEFOR. Convênio assinado em 20/04/2010 vigente até 31/12/2013.
Valor total recebido no período de 2010 a 2012: R$ 22,9 milhões. Valor gerenciado em 2014,
incluindo rendimentos: R$ 7,0 milhões (saldo devolvido à SEESP em 27/01/2014).
1.1.4. Convênio Secretaria da Educação (Processo nº: 9365/0000/2012) - Programa Rede São
Paulo de Formação Docente - Cursos de Especialização em Educação Especial e Inclusiva REDEFOR EE. Convênio assinado em 24/09/2013 vigente até 25/08/2015. Valor total: R$ 8,9
milhões. Recebido até 2014: R$ 6,4 milhões. Valor gerenciado em 2014, incluindo rendimentos:
R$ 5,4 milhões
Total dos recursos de convênios estaduais gerenciados em 2014: R$ 21,7 milhões.

1.2. Gerenciamento de Convênios Federais
A AT/APLO gerenciou recursos orçamentários e financeiros provenientes de convênios celebrados
com órgãos da União, a saber:
1.2.1. MEC/SESu nº 172/2007 ­ Fortalecimento do ensino de graduação envolvendo execução
de obras em várias Unidades da UNESP e aquisição de equipamentos no valor total de R$
22,3 milhões, incluindo contrapartida da UNESP. Convênio assinado em 31/12/2007 vigente até
31/12/2012 e prestação de contas em março de 2013. Na prestação de contas ficou retido o saldo
da contrapartida da UNESP no valor de R$ 3,3 para execução de duas obras previstas no convênio.
Valor gerenciado em 2014, incluindo rendimentos: R$ 3,7 milhões.
1.2.2. MEC/SESu 743314/2010-PROEXT 2009 ­ Convênio assinado em 30/09/2010 destinado
ao apoio a sete projetos de extensão universitária. Valor total: R$ 377 mil, recebidos em 2011.
Convênio vigente até 30/06/2015. Valor gerenciado em 2014, incluindo rendimentos: R$ 300 mil.
1.2.3. MEC/SESu 756126/2010-PROEXT 2010 ­ Convênio assinado em 07/11/2011 destinado
ao apoio a dois projetos de extensão universitária. Valor total: R$ 169 mil, recebidos em 2011.
Convênio vigente até 20/12/2013. Valor gerenciado em 2014: R$ 62 mil (devolução de saldo).
1.2.4. MEC/SESu 769370/2012-PROEXT 2011 ­ Convênio assinado em 07/07/2012 destinado
a apoiar três projetos e um programa de extensão universitária nas áreas temáticas: educação,
tecnologia para o desenvolvimento social, promoção da saúde e pesca artesanal e aquicultura
familiar. Valor total: R$ 231 mil, recebidos em nov/2012. Valor gerenciado em 2014, incluindo
rendimentos: R$ 177 mil. Convênio vigente até 04/11/2015.
1.2.5. MEC/SESu 782647/2013-PROEXT 2013 ­ Convênio assinado em 20/09/2013 destinado
a apoiar cinco projetos e dois programas de extensão universitária das áreas temáticas: meio
ambiente, comunicação, saúde, educação e direitos humanos e justiça. Valor total: R$ 509 mil,
recebidos em out/2013. Valor gerenciado em 2014, incluindo rendimentos: R$ 546 mi. Convênio
vigente até 24/10/2015.
1.2.6. FINEP/PROINFRA 2008 ­ Projeto intitulado "Integração e Fortalecimento da Infraestrutura
de Pesquisa na UNESP" - UNESPFORTE. Execução de obras e aquisição de equipamentos
para pesquisa. Valor total: R$ 9,2 milhões. Valor gerenciado em 2014, incluindo rendimentos e
contrapartida: R$ 1,9 milhões. Assinado em 10/08/2009 vigente até 10/08/2015, sujeito a nova
prorrogação. Parcela a receber: R$ 3,1 milhões.
1.2.7. FINEP/PROINFRA 2009 - Projeto intitulado: "Ampliação da Pesquisa Multidisciplinar na

Relatório Anual de Gestão 2014 | 85

UNESP" destinado à execução de obras e aquisição de equipamentos para pesquisa. Valor total:
R$ 8,4 milhões. Valor gerenciado em 2014, incluindo rendimentos: R$ 5,2 milhões. Assinado em
23/11/2010 vigente até 23/11/2016. Parcelas a receber: R$ 2,8 milhões.
1.2.8. FINEP/INFRA CAMPI 03/2009 ­ Projeto intitulado: "Consolidação da Infraestrutura de
pesquisa de grupos emergentes da UNESP: Áreas Biotecnológica e Engenharias. Convênio
assinado em 30/12/2010 destinado à aquisição de equipamentos para pesquisa. Valor total: 900 mil.
Valor gerenciado em 2014, incluindo rendimentos: R$ 484 mil. Convênio vigente até 30/12/2014.
1.2.9. FINEP/PROINFRA 2010 - Projeto intitulado: "Ampliação da Pesquisa Multidisciplinar na
UNESP - Fase II" destinado à execução de obras e aquisição de equipamentos para pesquisa.
Valor total: R$ 7,7 milhões. Valor gerenciado em 2014, incluindo rendimentos: R$ 100 mil. Assinado
em 29/03/2012 vigente até 29/03/2016. Parcelas a receber: R$ 7,6 milhões.
1.2.10. FINEP/PROINFRA 2011 - Projeto intitulado: "Ampliação da Pesquisa Multidisciplinar na
UNESP - Fase III" destinado à execução de obras e aquisição de equipamentos para pesquisa.
Valor total: R$ 8,2 milhões. Valor gerenciado em 2014, incluindo rendimentos: R$ 2,4 milhões.
Assinado em 27/12/2012 vigente até 27/12/2015. Parcelas a receber: R$ 6 milhões.
1.2.11. CAPES PARFOR 087/2010 - Convênio assinado em 29/06/2010 destinado à formação
inicial modalidade presencial de profissionais do ensino público de educação básica. Vigente até
31/12/2014. Valor total: 718 mil. Valor gerenciado em 2014, incluindo rendimentos: R$ 530 mil.
1.2.12. CAPES PIBID 124/2010 ­ Convênio assinado em 13/12/2010 destinado ao projeto: O
processo de formação de licenciandos: ações conjuntas da Universidade Pública e da Escola de
Educação Básica. Convênio vigente até 31/12/2013. Valor total: R$ 527 mil. Valor gerenciado em
2014: R$ 88 mil (devolução de saldo).
1.2.13. CAPES PRÓ-EQUIPAMENTOS 042/2010 e respectivo aditivo ­ Convênio assinado em
15/12/2010 destinado à aquisição de equipamentos para fortalecimento da infraestrutura de pósgraduação. Convênio vigente até 30/12/2013. Valor total: 6 milhões. Valor gerenciado em 2014: R$
144 mil (devolução de saldo).
1.2.14. CAPES PRO EQUIP 775202/2012 ­ Aquisição de equipamentos para pós-graduação
e destinados a várias Unidades. Valor total: R$ 3 milhões, recebidos em abril de 2013. Valor
gerenciado em 2014, incluindo rendimentos: R$ 2,2 milhões. Convênio assinado em 12/03/2013
vigente até 31/12/2015.
1.2.15. CAPES PRO EQUIP 787027/2013 ­ Aquisição de equipamentos para pós-graduação
e destinados a várias Unidades. Valor total: R$ 3,6 milhões, recebidos em dezembro de 2013.
Convênio assinado em 26/11/2013 vigente até 31/12/2015. Valor gerenciado em 2014, incluindo
rendimentos: R$ 4 milhões.
1.2.16. CAPES PROAP 806138/2014 - Convênio assinado em 02/07/2014 destinado ao custeio
dos programas de pós-graduação. Valor total: R$ 9,3 milhões recebidos em agosto/2014. Valor
gerenciado em 2014, incluindo rendimentos: R$ 9,6 milhões. Convênio vigente até 30/06/2015.
1.2.17. MCT 734466/2010 ­ Convênio assinado em 25/06/2010 destinado à aquisição de
equipamentos para implantação do NEAM ­ Núcleo de Estudos Avançados do Mar em São Vicente
- SP. Valor total: R$ 28,6 milhões, incluindo contrapartida da UNESP. Valor gerenciado em 2014,
incluindo rendimentos: R$ 18,9 milhões. Convênio vigente até 25/04/2016.
1.2.18. MCT 734474/2010 - Convênio assinado em 31/12/2010 destinado à execução de obras
para implantação do Núcleo de Estudos Avançados do Mar. Valor total: R$ 6,4 milhões, dos quais
R$ 1 milhão por parte do Ministério e R$ 5,4 milhões contrapartida da UNESP, dos quais R$ 5,2
contrapartida financeira e R$ 200 mil em bens e serviços. Valor de R$ 1 milhão liberado pelo MCTI
em julho de 2013. Contrapartida da UNESP depositada em agosto de 2014. Total gerenciado em
2014, incluindo rendimentos: R$ 6,5 milhões. Convênio vigente até 23/05/2017.
1.2.19. MCTI 790232/2013 - Convênio assinado em 31/12/2013 destinado à implantação de rede
articulada de atores vinculados a instituições de ensino superior da América Latina em segurança
alimentar e nutricional entre o Brasil e os países da UNASUL. Valor total: R$ 784 mil. Valor
gerenciado em 2014, incluindo rendimentos: R$ 816 mil. Convênio vigente até 31/12/2015.
1.2.20. MTE/SENAES 108/2010 ­ Convênio assinado em 01/07/2010 destinado ao funcionamento
da incubadora INCOP UNESP. Valor total: R$ 358 mil. Valor gerenciado em 2014, incluindo
rendimentos: R$ 86 mil. Convênio vigente até 29/07/2015.
1.2.21. FNDE 400010/2011 - Convênio assinado em 26/12/2011 destinado à Formação continuada

86 | Relatório Anual de Gestão 2014

de professores da Rede Pública de Ensino da Educação Especial, no âmbito da Universidade
Aberta do Brasil - UAB. Valor total: R$ 689 mil, recebidos em maio de 2011. Valor gerenciado em
2014, incluindo rendimentos: R$ 142 mil. Convênio vigente até 31/12/2014.
1.2.22. FNDE 400166/2010 - Convênio assinado em 29/12/2010 destinado à formação e capacitação
de professores e profissionais, na modalidade à distância, no âmbito do Sistema Universidade
Aberta do Brasil-UAB. Valor total: R$ 477 mil recebidos em abr/2013. Valor gerenciado em 2014,
incluindo rendimentos: R$ 555 mil. Convênio vigente até 31/12/2015.
1.2.23. FNDE 775909/2012 - Convênio assinado em 26/12/2012 destinado à contratação de
serviços especializados de arquivologia e de digitalização dos documentos pertencentes ao
acervo documental de valor histórico recolhidos no CEDEM. Valor total: R$ 152 mil, recebidos em
ago/2013. Valor gerenciado em 2014, incluindo rendimentos: R$ 163 mil. Convênio vigente até
25/12/2014.
1.2.24. FNDE 780445/2012 - Convênio assinado em 28/12/2012 e alterado em 04/04/2014
destinado à construção do Departamento de Matemática no Câmpus de São José do Rio Preto.
Valor total: R$ 4.3 milhões. Recebido em abril/2014: R$ 2,2 milhões. Valor gerenciado em 2014,
incluindo rendimentos: R$ 2,3 milhões. Convênio vigente até 26/12/2016.
1.2.25. FNDE - PAR 8391/2013 - Termo de compromisso assinado em 04/03/2013. Parceria com a
Secretaria Estadual de Educação para implementação e desenvolvimento das atividades do Pacto
Nacional pela Alfabetização na Idade Certa - PNAIC. Valor total: R$ 800 mil recebidos em mar/13.
Valor gerenciado em 2014, incluindo rendimentos: R$ 844 mil.
1.2.26. Ministério da Saúde 726888/2009 ­ Convênio assinado em 31/12/2009 destinado a projeto
da FO/Araraquara para o desenvolvimento local de comunidades quilombolas. Valor total: R$ 172
mil, recebidos em 2011. Valor gerenciado em 2014, incluindo rendimentos: R$ 198 mil. Convênio
vigente até 30/01/2015.
Total dos recursos de convênios federais gerenciados em 2014: R$ 61,9 milhões.

2. GERENCIAMENTO dos contratos referentes 06 obras do Convênio BIOEN, indicado no subitem
1.1.2. Valor total contratado: R$ 4,8 milhões. Valor gerenciado em 2014, correspondente às etapas das
obras em andamento e concluídas em 2014: R$ 2,7 milhões.

3. GERENCIAMENTO de 02 (dois) contratos de obras com recursos da contrapartida do convênio
MEC/SESu 172/2007, indicado no subitem 1.2.1. Valor total contratado: R$ 3,9 milhões. Obras
paralisadas em outubro/2013, contratos rescindidos unilateralmente em novembro/2013 e em
janeiro/2014. Contratado o remanescente das obras em outubro/2014 e dezembro/2014, pelo valor de
R$ 3,3 milhões.
4. PRESTAÇÃO de contas final à Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico, Ciência,
Tecnologia e Inovação do convênio SES 003/2009, subitem 1.1.1.

5. PRESTAÇÃO de contas final à Secretaria Estadual de Educação do convênio REDEFOR, subitem
1.1.3.

6. PRESTAÇÃO de contas final ao MEC/SESu do convênio 756126/2010-PROEXT 2010, subitem
1.2.3.

7. PRESTAÇÃO de contas final à CAPES dos convênios PIBID 124/2010 (subitem 1.2.12) e PROEQUIPAMENTOS 042/2010 (subitem 1.2.13).
8. ACOMPANHAMENTO orçamentário e financeiro dos contratos celebrados com a FUNDUNESP
para as atividades administrativas dos convênios indicados nos subitens 1.1.1 e 1.1.4.

9. PRESTAÇÕES de contas trimestrais à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência,
Tecnologia e Inovação dos convênios indicados nos subitens 1.1.1 e 1.1.2, incluindo análise das
prestações de contas encaminhadas pela FUNDUNESP no tocante ao convênio UNIVESP (subitem
1.1.1).

Relatório Anual de Gestão 2014 | 87

10. PRESTAÇÕES de contas trimestrais à Secretaria Estadual de Educação do convênio indicado no
subitem 1.1.4, incluindo análise das prestações de contas encaminhadas pela FUNDUNESP.
11. CONTROLE dos vencimentos mensais de amortização e encargos do contrato de operação de
crédito junto ao BNDES e execução orçamentária e financeira. Valor pago em 2014: R$ 2,6 milhões.

12. OPERAÇÃO de procedimentos no SICONV-Sistema de Gestão de Convênios e Contratos de
Repasse do Governo Federal, envolvendo o credenciamento de usuários, elaboração, orientação
de propostas e ajustes de planos de trabalho relacionados aos Programas disponibilizados pelos
órgãos federais. Tais propostas se concretizarão em convênios e contratos de repasse cujos recursos
ingressarão em 2015.

13. OPERAÇÕES no SICONV de liquidação e pagamento das despesas dos convênios CAPES
775202/2012 e 787027/2013 indicados nos subitens 1.2.14 e 1.2.15.

14. OPERAÇÃO no SICONV de autorização das despesas do convênio CAPES PROAP 806138/2014
indicado no subitem 1.2.16. Total de operações no período de 12/08/2014 a 15/12/2014: 1707
autorizações.

15. GERENCIAMENTO de dotações orçamentárias de recursos do Tesouro destinadas à
FUNDUNESP (jan a mar/2014) e FEU (jan a dez/14), no valor total de R$ 11,6 milhões.
16. ELABORAÇÃO de 1836 ofícios, 504 informações, 360 memorandos e 524 mensagens.
17. ASSESSORAMENTO a outras áreas da Reitoria e Unidades em assuntos de orçamento, finanças
e convênios.

88 | Relatório Anual de Gestão 2014

8

Grupo de Obras
e Equipamentos
GOE

1. RELATÓRIO DE ATIVIDADES GOE - 2014
1.1. Gerenciamento dos serviços para as Áreas de Projetos, Orçamento e Fiscalização; executando
levantamentos quantitativos de materiais, serviços e custos unitários dos Projetos enviados às
Unidades para fins de licitação; acompanhamento de montagem das respectivas pastas técnicas;
elaboração dos Memoriais Descritivos de Arquitetura, Estrutura, Hidráulica e Elétrica; acompanhamento
das obras através das medições efetuadas pela Fiscalização; cálculo dos reajustes das medições
dando assistência às Unidades; análise das solicitações das Unidades sobre serviços de engenharia;
assessoria nos processos de obras conveniadas; participação em comissões de licitação e elaboração
de planilhas específicas para acompanhamento das obras relacionadas em anexo e informações de
obras para o Governo do Estado de São Paulo.
OBS.: Nas tabelas apresentadas abaixo, a coluna Área (m2), os valores igual a "0" correspondem a
serviços com outra unidades de medidas como por exemplo KVA, metros lineares, litros e etc.
Contratos Concluídas em 2014 (Recursos do Tesouro)
Campus/Unidade

Obra

Área (m2)

Valor (R$)

ARAÇATUBA / FMVA

PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA E INFRAESTRUTURA

8.060

833.352,31

ARAÇATUBA / FO

CONSTRUÇÃO E REFORMA DO COMPLÉXO DE
CLÍNICAS ODONTOLÓGICAS

3.621

6.904.792,00

ARARAQUARA/FCL

REFORMA DOS ANFITEATROS

1.120

848.836,96

BAURU/ADM

REFORMA E ADEQUAÇÃO DA COBERTURA DA
CENTRAL DE SALAS DE AULA

1971

186.811,14

BOTUCATU/ADM

MURO DE ARRIMO, BASE E ABRIGO DA ESTAÇÃO DE
TRATAMENTO DE EFLUENTES DO INCINERADOR

0

204.578,16

BOTUCATU/ADM

RECUPERAÇÃO PARCIAL DO MURO DE ARRIMO DE
CONTRONO DO CÂMPUS

0

430.729,20

BOTUCATU/FM

CONSTRUÇÃO DO PRÉDIO DE ARQUIVO PATOLOGIA

305

460.288,42

BOTUCATU/FMVZ

REFORMA E READEQUAÇÃO DO LABORATÓRIO DO
SOAP

647

491.963,04

BOTUCATU/IB

AMPLIAÇÃO E ADEQUAÇÃO DO PRÉDIO PARA
ADMINISTRAÇÃO E LABORATÓRIO

1.461

1.751.481,87

DRACENA

CONSTRUÇÃO DOS PRÉDIOS DA ADMINISTRAÇÃO E
DOS GABINETES DE DOCENTES

800

1.949.420,41

DRACENA

INFRAESTRUTURA DE MÉDIA TENSÃO DO PRÉDIO
DA ADMINISTRAÇÃO

0

84.967,22

FRANCA/FHDSS

REFORMA DA CAPELA NOSSA SENHORA DE
LOURDES

340

292.114,39

GUARATINGUETÁ/FE

CONSTRUÇÃO DA CENTRAL DE EDUCAÇÃO EM
MATEMÁTICA

1.500

2.953.262,00

GUARATINGUETÁ/FE

REFORMA NO PRÉDIO DO DEPARTAMENTO DE
MATERIAIS

913

153.594,82

GUARATINGUETÁ/FE

SISTEMA DE AR CONDICIONADO NO PRÉDIO DA
EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

0

317.836,20

ILHA SOLTEIRA/FE

CONSTRUÇÃO DA CENTRAL DE LABORATÓRIO DE
FÍSICA E QUÍMICA - 1ª ETAPA

1.180

979.529,62

ILHA SOLTEIRA/FE

CONSTRUÇÃO DO CENTRO DE CONVIVÊNCIA
INFANTIL ­ CCI

771

1.299.011,04

ILHA SOLTEIRA/FE

IMPLANTAÇÃO ELÉTRICA DE MÉDIA E BAIXA
TENSÃO E DADOS ­ CÂMPUS I

0

666.606,27

JABOTICABAL/FCAV

AMPLIAÇÃO E REFORMA DO LABORATÓRIO DE
ICTIOPATOLOGIA

104

51.397,50

JABOTICABAL/FCAV

CONSTRUÇÃO DO CENTRO DE MEDICINA
ESPORTIVA EQUINA

280

371.062,08

JABOTICABAL/FCAV

REFORMA E AMPLIAÇÃO DA SALA DE NECRÓPSIA
DO DEPARTAMENTO PATOLOGIA VETERINÁRIA

194

446.569,53

OURINHOS

CONSTRUÇÃO DE PRÉDIO PARA ADMINISTRAÇÃO E
S. DE DOCENTES

1.001

1.742.500,00

Relatório Anual de Gestão 2014 | 91

OURINHOS

IMPLANTAÇÃO DE MÉDIA TENSÃO, ILUMINAÇÃO
EXTERNA E INFRAESTRUTURA DE DADOS E VOZ

0

594.704,82

OURINHOS

PORTARIA COM GUARITA, ARRUAMENTO E
ESTACIONAMENTO DO PRÉDIO DA ADMINSTRAÇÃO
E SALA DOCENTE

0

1.090.408,57

PRESIDENTE PRUDENTE/
FCT

ACESSIBILIDADE DA 1ª ÁREA DE INTERVENÇÃO ­ 1ª
ETAPA

0

818.877,35

PRESIDENTE PRUDENTE/
FCT

REFORMA DO PRÉDIO DO DISCENTE I

848

1.146.600,48

RIO CLARO/IB

INFRA DE ELÉTRICA E POSTO DE TRANSFORMADOR
DO PRÉDIO DO DEPARTAMENTO DE BOTÂNICA

0

253.087,12

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO/
IBILCE

IMPLANTAÇÃO DE MÉDIA E BAIXA TENSÃO NA
CENTRAL DE INOVAÇÃO BIOMOLECULAR

0

159.974,16

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO/
IBILCE

INSTALAÇÃO DO ELEVADOR PANORÂMICO

0

162.390,50

SÃO JOSÉ DOS CAMPOS/
ICT

INSTALAÇÃO DE GRUPO GERADOR

0

72.621,94

S. PAULO/REITORIA

REFORMA E ADEQUAÇÕES INTERNAS NO PRÉDIO
DA PRAÇA DA SÉ

1.306

2.164.093,03

TUPÃ

CONSTRUÇÃO DA CENTRAL DE SALAS DE AULA,
LABORATÓRIOS E DALAS DE DOCENTES ­ 1ª ETAPA

1.180

992.691,95

TUPÃ

REFORMA E ADEQ. DE PRÉDIO DO CCI PARA
ABRIGAR A ADMINISTRAÇÃO

300

1.122.397,10

TOTAL

31.998.551,20

Contratos Rescindidos em 2014
Campus/Unidade

Obra

Fonte de
Recursos

Empresa

ARARAQUARA/FCL

REFORMA E AMPLIAÇÃO DO RESTAURANTE
UNIVERSITÁRIO

TESOURO

MIL & SETE

ARARAQUARA/FCF

CONSTR. DO PRÉDIO DE BIOPROCESSOS E
BIOTECNOLOGIA E ENGª QUÍMICA ­ 1ª ETAPA

TESOURO

HP

BAURU/FC

CONSTR. DO PRÉDIO DO DEPTO DE EDUCAÇÃO E
LAB. DE PEDAGOGIA

TESOURO

MIL & SETE

% Realiz.

Valor (R$)

Contrato Suspenso em 2014
Campus/Unidade
ASSIS/FCL

Obra
READEQUAÇÃO DE CABINES DE MEDIÇÃO,
TRANSFORMADOR E REDE AÉREA

97,4

241.678,12

Contratos Iniciados - Ano 2014 (Recursos do Tesouro)
Campus/Unidade

Obra

Área
(m2)

ARARAQUARA/FCF

CONSTRUÇÃO DO PRÉDIO DE ENGENHARIA
DE BIOCESSOS E BIOTECNOLOGIA

3.099

ARARAQUARA/FCF

INFRAESTRUTURA ELÉTRICA PARA PRÉDIO
DO DEPTO DE ANÁLISES CLÍNICAS

BAURU/ADM

Valor (R$)

T. Previsto

6.971.493,72

20/05/2016

0

387.101,13

17/02/2015

REFORMA E ADEQUAÇÃO DA COBERTURA DA
CENTRAL DE SALAS DE AULA

1971

186.811,14

31/07/2014

BAURU/FAAC

CONSTRUÇÃO DO PRÉDIO DO DEPTO DE
CIÊNCIAS HUMANAS

722

1.797.422,58

06/10/2015

BAURU/FC

AMPLIAÇÃO DO LABORATÓRIO DE
CROMATOGRAFIA GASOSA

103

207.297,12

13/07/2014

BOTUCATU/FCA

CONSTRUÇÃO DA CENTRAL DE
LABORATÓRIOS MULTIUSUÁRIOS

1548

2.828.448,45

30/06/2015

BOTUCATU/FMVZ

REFORMA E READEQUAÇÃO DO
LABORATÓRIO DO SOAP

647

491.963,04

01/09/2014

92 | Relatório Anual de Gestão 2014

DRACENA

CONSTRUÇÃO DO CENTRO DE VIVÊNCIA ­ 1ª
ETAPA

308

432.721,16

17/02/2015

DRACENA

INFRAESTRUTURA DE MÉDIA TENSÃO PRÉDIO
ADMINISTRAÇÃO

0

84.967,22

10/10/2014

ILHA SOLTEIRA/FE

CONSTRUÇÃO DO LABORATÓRIO DE
BIOENERGIA

455

1.209.990

20/07/2015

666.606,27

22/11/2014

1.140.187,69

18/05/2015

816.443,69

03/02/2015

1.800

2.810.418,90

05/03/2016

ILHA SOLTEIRA/FE

IMPLANTAÇÃO ELÉTRICA DE MÉDIA E BAIXA
TENSÃO E DADOS CAMPUS I

0

ITAPEVA

CONSTRUÇÃO DE CENTRAL DE
LABORATÓRIOS E SALAS DE DOCENTES ­ 1ª
ETAPA

1.180

ITAPEVA

REFORMA E COMPLEMENTAÇÃO DO 1º E 2º
PAVIMENTO DO BLOCO LARANJA

791

JABOTICABAL/FCAV

COMPLEMENTAÇÃO DA CENTRAL DE
LABORATÓRIOS E SALAS DE AULA DO
DEPTO DE SOLOS

JABOTICABAL/FCAV

REFORMA E READEQUAÇÃO DO PRÉDIO DO
ALMOXARIFADO E STI

858

1.214.822,68

11/06/2015

MARÍLIA/FFC

REFORMA DO PRÉDIO E CONSTRUÇÃO DO
MURO DE ARRIMO E DIVISA DO CCI

416

215.429,51

29/01/2015

OURINHOS

CONSTRUÇÃO DA CENTRAL DE SALAS DE
AULA, LABO E CANTINA

2.633

4.812.622,07

06/01/2016

P. PRUDENTE/FCT

REFORMA E ADEQUAÇÃO DA PSICINA

66

616.693,48

30/04/2015

P. PRUDENTE/FCT

REFORMA E ADEQUAÇÃO DA QUADRA

1.431

1.291.600,00

30/04/2015

REGISTRO

CONSTRUÇÃO DE GUARITA, ALAMBRADO E
CABINE DE FORÇA

0

806.502,44

29/06/2015

RIO CLARO/IB

COMPLEMENTAÇÃO DA BIBLIOTECA
PADRÃO ­ ANEXO 2

529

521.084,27

21/05/2015

ROSANA

CONSTRUÇÃO DE CENTRAL DE
LABORATÓRIOS ­ 1ª ETAPA

1.243.500,74

03/02/2015

ROSANA

CONSTRUÇÃO DE CENTRO DE VIVÊNCIA

308

549.540,28

22/03/2015

S. J. DA BOA VISTA

INFRAESTRUTURA, ARRUAMENTO,
ESTACIONAMENTO, CENTRO DE VIVÊNCIA E
DEPÓSITO

312

3.096.308,00

16/08/2015

SÃO PAULO/IA

REVISÃO DO SISTEMA DE PREVENÇÃO E
COMBATE A INCÊNDIO

0

319.198,73

17/05/2015

S. VICENTE/IEAMar

EXECUÇÃO DA INFRAESTRUTURA DO
GALPÃO I

0

317.139,05

16/02/2015

S. VICENTE/IEAMar

MURO DE DIVISA E PLANTIO DE GRAMA

0

339.669,87

15/05/2015

S. VICENTE/IEAMar

REFORMA E ADEQUAÇÃO DO GALPÃO

750

581.269,73

08/04/2015

TUPÃ

CONSTR. DA CENTRAL DE SALAS DE AULA,
LAB. E SALA DE DOCENTES ­ 1ª ETAPA

1.180

992.691,88

20/06/2014

TUPÃ

CONSTRUÇÃO DO CENTRO DE VIVÊNCIA

249

463.400,43

20/02/2015

TUPÃ

REFORMA E ADEQUAÇÃO DO PRÉDIO DO
PAVIMENTO TÉRREO

615

440.583,93

22/06/2015

1.180

TOTAL

37.853.929,20

Obras Com Outras Fontes de Recursos em 2014
Campus/Unidade

Obra

Área (m2)

Valor (R$)

Recurso

ARARAQUARA/IQ

CONSTRUÇÃO DO LABORAT. DO
BIOEN

658

ARARAQUARA/IQ

CONSTR. PARCIAL DO LABORAT.
DE PESQUISA QUÍMICA

373

534.095,56

ASSIS/FCL

CONSTRUÇÃO DO LABORAT. DE
BIOENERGIA

230

528.724,00 CONVÊNIO SES

1.251.459,39 CONVÊNIO SES
FUNDUNESP

Situação
concluída
andamento
concluída

Relatório Anual de Gestão 2014 | 93

BOTUCATU/FM

LAB. EM EXPERIMENTAÇÃO
ANIMAL ­ UPEA

BOTUCATU/IB

AMPLIAÇÃO DO LABORAT. DE
GENÉTICA DE PEIXES

GUARATINGUETÁ

1.994.017,40

FINEP

concluída

108

199.043,59

FINEP

andamento

CONSTRUÇÃO DO LAB. DE BIOENERGIA

469

929.244,60 CONVÊNIO SES

JABOT/CAUNESP

CONSTR. DO LAB. DE
MICROBIOLOGIA E PATOLOGIA
DE ORGANISMOS AQUÁTICOS

187

450.495,92

JABOTICABAL

CONSTRUÇÃO DO LAB. DE
ENSAIO DE TRATORES

149

506.116,08 CONVÊNIO SES

concluída

JABOTICABAL

CONSTRUÇÃO DO LAB. DE
BIOLOGIA MOLECULAR

448

1.066.992,90 CONVÊNIO SES

concluída

RIO CLARO/IB

CONSTRUÇÃO DO LABORAT. DO
BIOEN

260

681.807,25 CONVÊNIO SES

concluída

S. JOSÉ DO RIO
PRETO/IBILCE

CONSTRUÇÃO DO DEPTO DE
MATEMÁTICA

2.054

S. JOSÉ DO RIO
PRETO/IBILCE

REFORMA E ADEQUAÇÃO DO
LABORATÓRIO DE BIOLOGIA
ANIMAL

235

SÃO VICENTE/CLP

CONSTR. DO LABORATÓRIO DE
AQUICULTURA SUSTENTÁVEL

222

TOTAL

1.168,00

3.455.395,65

FINEP

concluída
andamento

MEC/FNDE

andamento

343.017,50

FAPESP

andamento

880.455,82

FINEP

andamento

12.820.865,66

9

Assessoria de
Planejamento Estratégico
APE

1. ATRIBUIÇÕES
Conforme fixado pela Resolução Unesp nº 5, de 15/01/09, publicada no D.O.E. de 16/01/2009, a
Assessoria Especial de Planejamento Estratégico da UNESP tem as seguintes atribuições:
a) Supervisionar e coordenar as atividades pertinentes à implantação do Plano de Desenvolvimento
Institucional (PDI) da UNESP;
b) Assessorar a Administração Central na elaboração de programas e projetos estratégicos;
c) Implantar e gerenciar o Sistema Integrado de Informações Estratégicas sobre Ensino Superior
(SINEST) com a finalidade de instrumentalizar a tomada de decisão.

2. ESTRUTURA ORGANIZACIONAL
ASSESSORIA ESPECIAL DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO - APE
Assessor Chefe:
Rogério Luiz Buccelli
Equipe:
Ecila Alves de Oliveira

Analista de Informática II

Helber Holland

Assistente Técnico Administrativo

Luiz Eduardo Domingos da Roz

Web Master

Maria Elisabete Lima Rosani

Web Designer

Sérgio Lopes

Assistente Técnico Administrativo

3. ATIVIDADES ATUAIS DA APE
3.1. Orçamento
3.1.1. Elaboração da Proposta Orçamentária e sua impressão;
3.1.2. Acompanhamento das despesas com benefícios aos servidores: alimentação, refeição e
transporte;
3.1.3. Elaboração da Programação de Desembolso (PD) ­ suplementações do Tesouro/Secretaria
da Fazenda a serem viabilizados no Siafem e repassados ao Banco Oficial;
3.1.4. Distribuição Anual do Orçamento por meio das distribuições de cota no Siafem, utilizando
o Decreto publicado no D.O.E. no início de cada ano;
3.1.5. Análise do impacto orçamentário de solicitações de antecipações e/ou suplementações
orçamentárias efetuadas pelas Unidades;
3.1.6. Gestão e alimentação de dados mensais no Siafem ­ Sistema de Administração Financeira
de Estados e Municípios ­ remanejamentos etc.;
3.1.7. Gerenciamento de saldos de convênios ­ criar processo para os empenhos no Siafem;
3.1.8. Gestão e alimentação de dados para manutenção dos saldos de investimentos/obras no
SAI ­ Sistema de Administração de Investimentos/paralelo ao Siafem;
3.1.9. Gestão e alimentação de dados no SAO ­ Sistema de Alterações Orçamentários / paralelo
ao Siafem ­ Crédito Suplementar ­ Crédito Especial ­ Crédito Extraordinário ­ Crédito Automático
­ Reprogramação entre Elementos etc;
3.1.10. Acompanhamento da evolução da arrecadação do ICMS;
3.1.11. Elaboração do índice de qualificação do custeio em conjunto com comissão do Fórum dos
Diretores;
3.1.12. Acompanhamento e análise da execução orçamentária, sobretudo as despesas de custeio.
3.2. Planejamento
3.2.1. Elaboração do Plano de Gestão ­ Programas e Projetos;
3.2.2. Elaboração e Gestão do Programa Gestão de Informações Estratégicas;
3.2.3. Elaboração do Plano Plurianual - PPA/Unesp (Governo do Estado de São Paulo).
3.3. Assessoria
3.3.1. Assessoria às Unidades em assuntos de planejamento e afins;
3.3.2. Prestar assessoria aos demais grupos da APLO e outras áreas da Reitoria;

Relatório Anual de Gestão 2014 | 97

3.3.3. Assessoria aos Docentes, inclusive o pesquisador, criando um mecanismo para dar apoio
em suas pesquisas no tocante às informações externas ou internas da Universidade;
3.3.4. Manutenção de senhas no site do CAU ­ Centro de Apoio aos Usuários do Siafem e Siafísico
(senhas para BEC, em parceria com a Seção de Compras da Reitoria da UNESP);
3.3.5. Suporte aos usuários do Sistema de Publicação de Licitação ­ SPL; entenda-se estes
usuários como sendo todas as seções de compras de cada Unidade. Suporte às empresas com
interesses em participar das licitações publicadas;
3.3.6. Acompanhamento de processos relativos às licitações com o intuito de efetuar contratação
de serviços e aquisição de equipamentos para desenvolvimento do Programa Memória Social;
3.3.7. Atividades referentes ao Sistema PDI para o acompanhamento da Fase de Execução do
PDI: orientação aos usuários na operação do sistema, primando pela qualidade da informação e
alimentação dos dados provenientes da APLO em relação ao realizado referente ao Sistema PDI;
3.3.8. Suporte aos gestores dos Programas do PDI para o uso correto da Plataforma Web;
3.3.9. Fale com a APE/Atendimento on-line.
3.4. Coleta de dados e elaboração de relatórios e publicações
3.4.1. Elaboração da Publicação do Anuário Estatístico da UNESP (anual) ­ solicitando os
respectivos dados e informações das diversas áreas da Reitoria, bem como das Unidades
Universitárias da UNESP e sua disponibilização na Home Page da UNESP;
3.4.2. Elaboração do "Perfil da UNESP" na Home Page da UNESP;
3.4.3. Elaboração de relatórios diversos, como por exemplo: Relatório de Atividades do Magnífico
Reitor da UNESP, encaminhado a Assessoria Técnica Legislativa, no início de cada ano;
3.4.4. Implantação do Sistema Integrado de Informações Estratégicas sobre Ensino Superior, com
a finalidade de instrumentalizar a tomada de decisão;
3.4.5. Acompanhamento e comparação dos vários sistemas de classificação de universidades;
apoio na coleta de informações por meio do contato com os diversos detentores destas informações;
apoio na inclusão dos dados para envio às instituições que elaboram as classificações. (parceria
com a AREX).
3.5. Participação em comissões e eventos
3.5.1. Participação na Equipe Técnica do CRUESP;
3.5.2. Participação na Comissão de Orçamento do CADE;
3.5.3. Participação na Comissão do PDI;
3.5.4. Participação na Comissão de Finanças do Conselho Universitário;
3.5.5. Participação no Conselho de Administração da Fundação SEADE;
3.5.6. Participação no Comitê Gestor do Plano de Benefícios PREVCOM-RP.
3.6. PDI
3.6.1. Supervisionar e coordenar as atividades pertinentes à implantação e manutenção do Plano
de Desenvolvimento Institucional (PDI) da UNESP.
3.7. Sistemas
3.7.1. Projeto Perfil Unesp: conversão das informações estatísticas das Unidades Universitárias
para formato digital; desenvolvimento e implantação do layout do sistema para o Perfil Unesp;
3.7.2. Desenvolvimento de procedimentos automatizados para agilizar a atualização dos dados
referente ao Anuário Estatístico e o Perfil 2015 para que sejam publicados no site da APE;
3.7.3. Projeto Anuário Estatístico: apresentação on-line dos gráficos dos principais indicadores;
desenvolvimento e implantação do layout do sistema para o Anuário Estatístico; Média de visitas
= 558/mês (Fonte: Google Analytics)
3.7.4. Projeto PDI - Plano de Desenvolvimento Institucional: análise de requisitos, modelagem de
dados, elaboração de projeto lógico e físico, codificação das soluções em linguagem de computador
para ambiente web, criação e manutenção contínua de base de dados necessária ao projeto.
Readequações diversas ao longo do tempo conforme necessidades encontradas após processo
de implantação. Aplicação de correções e atualizações necessárias na plataforma administrativa e
em site dinâmico para consulta pública; desenvolvimento da plataforma administrativa (elaboração
das telas dos processos) do PDI, manutenção do conteúdo (informações e notícias) relativo à
Execução Orçamentária e eventos relacionados ao PDI; Média de visitas = 3.800/mês (Fonte:
Google Analytics)

98 | Relatório Anual de Gestão 2014

3.7.5. Plataforma web do Programa Pedagogia Cidadã (PROGRAD): suporte esporádico referente
à base de dados de ex-alunos e históricos escolares emitidos pela área administrativa;
3.7.6. Site de Licitações da Unesp (PRAD): atividades referentes à administração de novos
usuários na Reitoria e Unidades Unesp para gerenciamento de editais e afins publicados em
área administrativa web para este fim. Suporte direto junto aos fornecedores que necessitam
realizar atualizações cadastrais nos e-mails de contato e problemas diversos referente ao acesso
a licitações da Unesp;
3.7.7. Plataforma web para consulta on-line de dados de convênios (AREX): suporte esporádico
referente à plataforma administrativa para os administradores dos dados;
3.7.8. Sistema RH On-line (CRH): análise de requisitos, modelagem de dados, elaboração de
projeto lógico e físico, codificação das soluções em linguagem de computador para ambiente web,
criação e manutenção contínua de base de dados necessária ao projeto. Readequações diversas
ao longo do tempo conforme necessidades encontradas após processo de implantação junto
ao CRH. Aplicação de correções e atualizações necessárias no Sistema conforme necessidades
vindas diretamente do CRH. Suporte aos usuários para o uso correto do Sistema em todas as suas
funcionalidades disponíveis;
3.7.9. Projeto SAnU ­ Sistema do Anuário Unesp: análise de requisitos, modelagem de dados,
elaboração de projeto lógico e físico, codificação das soluções em linguagem de computador
para ambiente web, criação e manutenção contínua de base de dados necessária ao projeto.
Readequações diversas ao longo do tempo conforme necessidades encontradas após processo
de implantação. Aplicação de correções e atualizações necessárias na plataforma administrativa
e em site dinâmico para uso em área restrita. Suporte aos usuários para o uso correto do Sistema
em todas as suas funcionalidades disponíveis;
3.7.10. Sistema para Coordenadoria de Permanência Estudantil (SisCOPE): reuniões preliminares
com os solicitantes do Projeto;
3.7.11. Site para Evento - Colóquio Internacional (Gabinete do Reitor): atividades referentes à
layout de site, publicação de conteúdo e desenvolvimento de plataforma web para administração
e publicação de conteúdo dinâmico.
3.8. Serviço de Informação ao Cidadão (SIC.SP)
A Unesp desenvolveu este espaço para facilitar o acesso a todas as informações e dados de
interesse público. A Lei de Acesso à Informação, instituída pela Lei Federal nº 12.527, de 18 de
novembro de 2011, e o decreto estadual que a regulamenta, nº 58.052, de 16 de maio de 2012,
cria o Serviço de Informações ao Cidadão ­ SIC, no qual é possível solicitar documentos e dados
relativos aos órgãos e entidades da Administração Pública Paulista.
3.9. Ranking Universitário
Atividade realizada em conjunto com a AREX. A APE compartilha a responsabilidade de submeter
os dados da UNESP para os institutos de rankings universitários internacionais como QS
World University/Thomson Reuters, Times Higher Education ­ THE, Academic Ranking of World
Universities ­ ARWU/Shanghai e Webometrics Ranking.

Relatório Anual de Gestão 2014 | 99

10

Assessoria de
Relações Externas
AREX

1. ACORDOS, ANEXOS E CONVENÇÕES DE CO-TUTELA
A UNESP apresentava, em dezembro de 2014, 549 instrumentos internacionais vigentes com os 51
países listados a seguir:
África do Sul, Alemanha, Angola, Argentina, Austrália, Áustria, Barbados, Bélgica, Cabo Verde,
Camarões, Canadá, Chile, China, Colômbia, Coréia do Sul, Costa Rica, Cuba, Dinamarca, Equador,
Escócia, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, EUA, Finlândia, França, Gabão, Grécia, Guiné Bissau, Haiti,
Holanda, Índia, Inglaterra, Irlanda, Itália, Japão, Líbano, Lituânia, México, Moçambique, Paraguai,
Peru, Portugal, Porto Rico, Reino Unido, Rússia, Suécia, Suíça, Timor-Leste, Uruguai e Venezuela.

2. VISITAS DE DELEGAÇÕES DO EXTERIOR
Em 2014 a AREX organizou na UNESP, a recepção de 112 missões, sendo elas de 104 instituições
estrangeiras. Essas instituições são apresentadas a seguir.
Agency for Science, Technology and Research

Technische Universität München (TUM)

Australian Catholic University

The Australian National University

Beijing Normal University

The University of Nottingham

Birkbeck, University of London

Universidade Tor Vergata

Brigham Young University (BYU)

Trent University of Canada

Britisch Council

Trinity College Dublin

British Columbia Council for International Education
BCCIE

UNIMINUTO

CALDO

Univeristy of Bristol

Cardiff Univeristy

Univeristy of Edinburgh

Central Michigan University

Univeristy of Torino

Centros Alemães de Ciência e Inovação (DWIH)

Universidad de Antofagasta

Cork Institute of Technology

Universidad de San Buenaventura Cali

Corporación Universitaria Empresarial Alexander von
Humboldt

Universidad Nacional de Cuyo

Ecole Nationale Supérieure des Mines de St-Etienne

Universidad Nacional de Lanús

Economic Development Board (EDB)

Universidad Nacional de San Juan

ENTPE Lyon

Universidad Nacional del Centro de la Provincia de
Buenos Aires

Fundación Centro Colombiano de Estudios
Profesionales

Universidad Santo Tomás Seccional Tunja

Griffith University

Universidade da Califórnia

Grupo Compostela

Universidade da Pennsylvania

HEBEI University

Universidade de Havana

Higher School of Economics

Universidade de Hohenheim

Hochschule Ruhr West HRW

Universidade de Tenri

Icesi University

Universidade de Winnipeg

IMC University of Applied Sciences Krems

Universidade Duisburg-Essen

Imperial College London

Universidade Jean Piaget

Indiana State University

Universitat de Barcelona

INSA Lyon

Université de Montréal

JICA

Université PARIS 1

Limerick Institute of Technology

University Extended Education (California State
University)

Loughborough University

University of Birmingham

Macquarie University

University of Cape Town

Missouri University

University of Colima

Relatório Anual de Gestão 2014 | 103

MIT

University of Glasgow

MITACS

University of Montreal

Monash University

University of New South Wales

Nanyang Technological University (NTU)

University of North Carolina at Greensboro

National University of Singapore (NUS)

University of Pennsylvania

New York University

University of Southern California

Oslo and Akershus University College of Applied
Sciences

University of Stirling

Politecnico di Torino

University of Sydney

Pontificia Universidad Católica de Chile

University of Technology Sydney

Queensland University of Technology International
College

University of Western Australia

Research Brazil Ireland

University of Windsor

Robinson College of Business

University of Wisconsin

Salford University

USevilla

Santa Fé College

UTP - Universidade Tecnológica de Pereira

Sapienza University of Rome

Valparaiso University

Singapore University of Technology and Design
(SUTD)

Victoria University of Wellington

Stetson University

Wageningen University and Research centre

Sun Yat-sen University

West Chester State

Sungkyunkwan University (SKKU)

Wuhan University

Swinburne University of Technology

A Tabela a seguir apresenta uma classificação por país, das universidades que visitaram a UNESP.
Conta-se instituições de 23 países diferentes e conforme se pode observar estão representadas
universidades do mundo todo.
País

Instituições

País

Instituições

EUA

19

Chile

2

Reino Unido

12

Japão

2

Austrália

11

África do Sul

1

Canadá

8

Áustria

1

Alemanha

6

Cabo Verde

1

Colômbia

6

Coreia do Sul

1

Cingapura

5

Cuba

1

Argentina

4

Holanda

1

China

4

México

1

França

4

Noruega

1

Irlanda

4

Nova Zelândia

1

Itália

4

Rússia

1

Espanha

3

A Figura a seguir indica a distribuição de visitas de delegações estrangeiras na UNESP, nos meses de
janeiro a dezembro de 2014. Pode-se observar que houve uma concentração de visitas no segundo
semestre mas delegações foram recebidas todos os meses do ano.

104 | Relatório Anual de Gestão 2014

Número de visitas por mês em 2014 (total = 112)

Visitas a UNESP ao longo do ano de 2014.

3. ORGANIZAÇÃO DE MISSÕES NO EXTERIOR E PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS
INTERNACIONAIS
Em 2014, representantes da AREX participaram de 4 missões acadêmicas/institucionais ao exterior,
sendo elas:
a) Missão Acadêmica à Universidades Australianas: organizada pela Latino Austrália, esta missão
ocorreu de 30/05 a 18/06 tendo sido visitadas as seguintes instituições:
·
University of Sidney
·
Macquarie University
·
University of New South Wales
·
Universidade of Queensland
·
Technology University of Queensland
·
Australian National University
·
Monash University
·
University of Melbourne
·
University of Adelaide
·
University of Western Australia
·
Curtin University
b) Missão Acadêmica à Universidades Neozelandesas: organizada pela Embaixada da Nova
Zelândia, esta missão ocorreu de 24/08 a 31/08 tendo sido visitadas as seguintes instituições:
·
Universidade de Waikato
·
Auckland University of Technology
·
University of Auckland
·
University of Canterbury
·
Lincoln University
·
Embaixada Brasileira em Wellington
·
Massey University em Wellington
·
Education New Zealand
·
Victoria University of Wellington
·
University of Victoria
c) Missão Acadêmica à Universidades do Reno Unido: organizada pelo British Council, esta
missão ocorreu de 21/09 a 30/09 tendo sido visitadas as seguintes instituições:
·
British Council Wales: reunião com Cardiff University, Swansea University, University of South
Wales, Aberystwyth University, Bangor University, University of Wales Trinity St David, Swansea
University, Swansea University e Cardiff University
·
British Council: reunião com University of Exeter, Institute of Education, University of Portsmouth,
Regent's University London, University of Sheffield, University of the Arts, Southampton
University, University of Warwick, University of Bath, Cambridge University, University of
Surrey, Queen Mary, Bristol University, Birmingham University, Univeristy of Manchester,

Relatório Anual de Gestão 2014 | 105

·

Liverpool University, York University, Newcastle University, Open University, Salford University,
Nottingham University, Leeds University, University College London, Kings College London,
University of Ulster e Queens University Belfast
Universities Scotland: reunião com University of West of Scotland, Glasgow School of Arts,
Edinburgh Napier University, Heriot Watt University, University of Edinburgh, University of
Dundee, University of St Andrews, University of Stirling, Heriot-Watt University, University of
Stirling, University of Strathclyde, Abertay University e University of Aberdeen.

d) Missão Acadêmica à Universidades da Rússia: organizada pela FAUBAI, esta missão ocorreu
de 28/11 a 10/12 tendo sido visitadas as seguintes instituições:
·
National Research Nuclear University ­ MEPhi
·
National Research University Higher School of Economics ­ HSE
·
Ministry of Education and Science of the Russian Federation
·
Embaixada Brasileira em Moscou
·
National University of Science and Technology ­ MISIS
·
Moscow Institute of Physics and Technology ­ MIPT
·
Saint Petersburg National Research University of Information Technologies, Mechanics and
Optics ­ ITMO
·
Saint-Petersburg State Polytechnic University - SPbPU
·
European University at St. Petersburg ­ EUSP
·
Saint-Petersburg Electrotechnical University ­ LETI
A cooperação internacional é construída a partir de relacionamentos pessoais. Além das missões
institucionais, para fortalecer esses relacionamentos e aumentar a inserção internacional da UNESP,
membros da AREX participaram de 17 reuniões no exterior relacionadas à internacionalização do
ensino superior. Essas reuniões foram:
·
07/02 a 15/02 - Reuniões do Grupo RELARIES - Universidad 2014 - Cuba
·
16/02 a 19/02 - Conferência AIEA - Washington/EUA
·
23/04 a 28/04 - Visita a Kansas State University - Kansas/EUA
·
29/04 a 01/05 - Evento anual Going Global 2014 - Conferencia de Líderes de Educação Internacional
- Miami/EUA
·
10/05 a 13/05 - Reuniões da AUF-Agência Universitária da Francofonia - Montreal/Canadá
·
20/05 a 24/05 - Reuniões em universidades francesas sobre o Projeto BRAFITEC - Bordeaux/
França
·
30/05 a 18/ 06 - Fórum BRAFAGRI - Rennes/França
·
25/06 a 30/06 - Conferência Anual NAFSA - Association of International Educators - San Diego/EUA
20/08 a 23/08 ­ IEASA - Evento International Education Association of South Africa - Johannesburg/
África do Sul
·
12/09 a 16/09 - Fórum Franco Brasileiro de Educação Superior - no Ministério de Educação e
Ensino Superior da França - Paris/França
·
17/09 a 20/09 - 26th Conference of the European Association for Internacional Education-EAIE Prague/Czech Republic
·
01/10 a 04/10 - Reuniões de Lançamento dos Projetos Erasmus - Comissão Européia - Bruxelas/
Bélgica
·
11/10 a 18/10 - Evento FAPESP ­ MUNIQUE WEEK - Munique/Alemanha
·
29/10 a 31/10 - Reunião Anual da AMPEI, Asociación Mexicana para la Educación Internacional México
·
15/11 a 17/11 - Reunião da Rede Magalhães - Consórcio de Universidades da Europa, da América
Latina e do Caribe- intercâmbio de estudantes de graduação - Peru
·
18/11 a 22/11 - Reunião da Reunião da BCIE-Bureau Canadense de Educação Internacional Canadá
·
26/11 a 28/11 - Encontro dos Escritórios de Relações Internacionais do Projeto BECY, coordenado
pela Universidade de Hohenheim, Sttutgart - Alemanha

4. MOBILIDADE DE ESTUDANTES
No ano de 2014, 1.078 alunos de graduação da UNESP realizaram parte dos seus estudos em

106 | Relatório Anual de Gestão 2014

universidades estrangeiras. Para tanto foram importantes os acordos de cooperação existentes
com instituições de 38 países. A figura abaixo apresenta a evolução da mobilidade ao exterior dos
estudantes de graduação da UNESP. Conforme se pode observar, existe uma constante evolução no
número de estudantes da UNESP que usufrui de oportunidades de intercâmbio no exterior.
Estudantes Enviados
1200

900

600

300

0

2010

2011

2012

2013

2014

Estudantes da UNESP no exterior.

A figura abaixo apresenta os recursos dispendidos com o desenvolvimento dos programas de
mobilidade na UNESP. Conforme se pode observar, do total de recursos dispendidos para assegurar
esta mobilidade, somente uma pequena parte é de recursos próprios. O restante é assegurado pela
participação dos estudantes da UNESP no programa Ciência sem Fronteiras mas também em projetos
coordenados e submetidos pela AREX, como o BRAFITEC, BRAFAGRI, UNIBRAL, PLI, etc.
Investimentos - Estudantes Enviados (R$)
30.000.000,00

Externo
PDI

22.500.000,00

15.000.000,00

7.500.000,00

2010

2011

2012

2013

2014

Recursos dispendidos no envio de estudantes da UNESP ao exterior.

Da mesma forma, mais de 405 estudantes do exterior realizaram parte dos seus estudos na UNESP,
por meio de intercâmbio. A evolução desses números pode ser observado na figura abaixo.
Estudantes Recebidos
500

375

250

125

0
2010

2011

2012

2013

2014

Estudantes do exterior recebidos na UNESP.

De modo inverso a mobilidade para o exterior, a recepção de estudantes do exterior na UNESP é
basicamente apoiada por recursos da instituição através de programas do PDI. A utilização desses

Relatório Anual de Gestão 2014 | 107

recursos se justifica pois é a contrapartida da UNESP às bolsas oferecidas a seus estudantes no
exterior. A figura abaixo apresenta a utilização dos recursos para a recepção dos estudantes na UNESP.
Recursos - Estudantes Recebidos
800.000,00

PDI
CAPES
MRE

600.000,00

400.000,00

200.000,00

2010

2011

2012

2013

2014

Ano

Recursos dispendidos no recebimento de estudantes do exterior na UNESP.

5. PARTICIPAÇÃO EM PROJETOS COM COLABORAÇÃO INTERNACIONAL
A AREX coordena e submete diversos projetos internacionais. Esta seção apresenta os diversos
projetos.
5.1. Cátedras Francesas
Projeto desenvolvido em parceria com o Consulado Geral da França em São Paulo, oferecendo à
professores ou pesquisadores de instituições francesas de pesquisa e ensino superior, oportunidades
de desenvolvimento de atividades de ensino e pesquisa no estado de São Paulo. Este projeto tem
como objetivo, apoiar novas colaborações e projetos sobre temas emergentes, bem como fortalecer
o desenvolvimento de cooperações de excelência pré-existentes. A figura a seguir indica a evolução
do numero de cátedras selecionadas no período de 2011-2014, comparando-se as 3 universidades
estaduais paulistas.
16

USP
UNESP
UNICAMP

14
12
10
8
6
4
2
0
2011

2012

2013

2014

Evolução do programa de Cátedras Francesas no estado de São Paulo.

5.2. Projetos financiados pela CAPES
A equipe da AREX participou da elaboração de diversos projetos submetidos a diversos editais abertos
pela CAPES para a implementação de projetos de cooperação bilateral com instituições de diversos
projetos. Todos esses projetos, listados a seguir, contam em sua implementação com a atuação da
AREX.
·
01 projeto submetido ao edital de Programa de Licenciaturas Internacionais CAPES/PLI
(Portugal)
·
04 projetos aprovados ao edital de Projetos de cooperação bilateral com a França na área das
engenharias, visando parcerias universitárias na área de Engenharia CAPES/BRAFITEC
·
04 projetos aprovados ao edital de Projetos de cooperação bilateral com a França nas áreas de

108 | Relatório Anual de Gestão 2014

·
·

ciências agronômicas, agro-alimentares e veterinária CAPES/BRAFAGRI
01 projeto aprovado ao edital de Projetos da CAPES em cooperação com o Serviço Alemão de
Intercâmbio Acadêmico - DAAD ­ UNIBRAL.
02 projetos aprovados ao edital do Programa Erasmus Mundus, financiado pela Comissão
Europeia. Os projetos elaborados e em implementação pela AREX são:

5.3. Projetos com financiamento externo
Projeto EUROINKA: aprovação de nova parceria com duração de 4 anos e participação de 9
Universidades na Europa e 11 Universidades na América Latina (coordenação conjunta UNESP) com
oferecimento a UNESP de 20 bolsas para estudantes e professores, correspondendo a cerca de 100
mil euros em financiamento externo.
Projetos IBRASIL, SUD UE e BEMUNDUS: participação nesses programas com implementação de
cerca de 50 mobilidades para estudantes e professores, correspondendo a cerca de 300 mil euros em
bolsas.
A figura a seguir indica o número de projetos de colaboração internacionais vigentes na UNESP em
2014. A AREX coordenou e fomentou a submissão de todos os projetos apresentados na figura.
Projetos de colaboração internacionais
12

No de projetos

10
8
6
4
2
0

BR

S/

E
AP

RI

I

C
TE

PL

AP

R

US

CA

S
PE

C
TE

E
AN

/
ES

M

R

AP

SM

A

ER

AD

DA

UN

/B

C

C

S

DU

AG
AF

/
ES

I
AF

C
L/

A

BR

UI

/B

S
PE

CA

Projetos internacionais coordenados pela AREX com captação de recursos.

A figura a seguir indica a captação de recursos externos provenientes dos projetos de colaboração
internacionais coordenados pela AREX.
Captação externa de recursos (R$ 9.965.062,8)
3500000

3000000

R$

2500000

2000000

1500000

1000000

500000

0
PLI

Brafitec

PLI
França

BE
MUNDUS

I BRASIL

SUD EU

BRAFAGRI

UNIBRAL

MARCA

Captação de recursos externos através de projetos coordenados pela AREX.

Relatório Anual de Gestão 2014 | 109

5.4. Outros Projetos internacionais
Além dos projetos apresentados acima, a equipe da AREX desenvolveu outros projetos específicos,
através de parcerias e utilizando recursos do PDI, voltados ao desenvolvimento do processo de
internacionalização da UNESP. Esses projetos são apresentados a seguir.
5.4.1. Projetos em parceria com entidades externas a UNESP
Para a capacitação em línguas estrangeiras, foram desenvolvidos diferentes projetos, os quais foram
elaborados e executados pela AREX em algumas unidades (FEG, FEB, FCLAR, FCL Assis e FEIS).
Trata-se dos seguintes projetos:
a) Projeto de capacitação em Língua Inglesa: projeto desenvolvido em parceria com o Conselho
Britânico para o oferecimento de uma serie de atividades de ensino de língua inglesa à comunidade
acadêmica voltada para as ações de cooperação com Reino Unido. A atividade central do projeto
consiste em trazer estudantes de pós-graduação de universidades inglesas para dar aulas de
inglês para a comunidade da UNESP e preparar estudantes para provas de proficiência (IELTS)
necessárias aos programas de mobilidade. Em 2014 , foram recebidos professores que deram
cursos para 180 membros da comunidade acadêmica na FEG, FCL Assis e FEIS. O projeto
ofereceu cursos de capacitação para o ensino em inglês (Train the Trainers) para 80 pessoas
(estudantes de pós e docentes) das unidades de Letras. Foram também oferecidos em 8 unidades
e para 160 membros da comunidade acadêmica cursos intensivos de preparação para a prova
do IELTS (Crash Course). Na totalidade, em 2014, o projeto atendeu 420 pessoas, entre docentes,
estudantes e técnicos.
b) Projeto de capacitação em Língua Francesa: trata-se de projeto para o ensino de francês na
UNESP, sendo desenvolvido através de uma parceria da AREX com o Consulado da França em
São Paulo. Através deste projeto, estudantes franceses de Mestrado em Ensino de Francês para
Estrangeiros foram trazidos a UNESP com o objetivo de preparar nossos estudantes para provas
de francês necessárias a participação desses estudantes nos Programas Ciências sem Fronteiras,
Brafitec, Brafagri e Duplo Diploma INSA Lyon. Em 2014, foram recebidos 3 estudantes franceses
na FEG, FEIS e FEB e foram atendidos 180 estudantes de graduação da UNESP.
5.4.2. Projetos em parceria com entidades externas o MEC/SESU
Ainda relacionado a capacitação em línguas estrangeiras, foram desenvolvidos outros projetos em
parceria com o MEC/SESU. Trata-se dos seguintes projetos:
a) Programa Inglês sem Fronteiras (IsF): iniciativa do Ministério da Educação que tem como objetivo
principal incentivar o aprendizado de inglês, bem como propiciar uma mudança abrangente e
estruturante no ensino de idiomas estrangeiros nas universidades do País. O IsF visa também a
oferecer aos candidatos a bolsa de estudo do Programa Ciência sem Fronteiras a possibilidade de
aperfeiçoamento na língua inglesa de maneira mais rápida e eficiente, de modo que esses candidatos
tenham melhores condições de participar dos intercâmbios. Dentre as ações do programa, está a
aplicação do teste TOEFL/ITP, além de cursos a distância e presenciais, estes últimos, em estudo
para viabilização na UNESP. Em 2014, foram aplicados na UNESP, em 18 unidades, 4.000 mil testes
para alunos de graduação e pós-graduação. Os dados deste processo, indicam que 50% dos
aprovados no Ciências sem Fronteiras em 2014 realizaram os testes na UNESP.
b) Francês sem Fronteiras: parceria entre a Embaixada da França e Aliança francesa para viabilizar
cursos a distância e intensivos para estudantes credenciados e inscritos nos programas de
intercâmbio. A AREX viabilizou 45 bolsas deste programa para estudantes de graduação e pósgraduação da UNESP.
5.4.3. Projetos em parceria com a Universidade de Birmingham
A UNESP e a Universidade de Birmingham oferecem conjuntamente bolsas de mobilidade para
docentes das duas universidades com o objetivo de incentivar o desenvolvimento de colaborações
entre as duas instituições. Em 2014, a AREX e a PROPG coordenaram edital para seleção de 3
professores da UNESP que estão realizando seus estágios este ano. Através do projeto, 3 docentes
de Birmingham serão também recebidos na UNESP.
5.4.4. Projetos em parceria com o Grupo Compostela de Universidades ­ Programa Stella Senior
Este programa oferece bolsas de mobilidade para o pessoal técnico administrativo, viabilizando a
participação de 2 técnicos da UNESP por ano. Em 2014, a AREX abriu edital e selecionou 2 técnicos,
ERAPI do IBB e DTA do IGCE, para realizar respectivamente uma mobilidade de 2 semanas na
Universidade de Postnam na Polônia e na Universidade Politécnica de Madrid na Espanha. No âmbito
do programa, foram também recebidos técnicos da Universidade de Cadiz da Espanha e da Pan
European University, da Slovakia. As mobilidades são realizadas na área de Relações Internacionais
das instituições membro do Grupo Compostela.

110 | Relatório Anual de Gestão 2014

11

Assessoria de
Informática
AI

A Assessoria de Informática (AI) é responsável pela coordenação executiva das atividades de Tecnologia da Informação e Comunicação da Universidade e pela execução do Programa "Tecnologia da
Informação" do Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) da UNESP.
Este relatório apresenta as principais atividades realizadas pela AI em 2013, divididas em 4 grandes áreas: Desenvolvimento de Sistemas, Administração de Redes, Suporte ao Usuário e Projetos Especiais.
A Assessoria de Informática (AI) é responsável pela coordenação executiva das atividades de Tecnologia
da Informação e Comunicação (TIC) da Universidade, em conformidade com as normas e diretrizes
gerais estabelecidas pelo Comitê Superior de Tecnologia da Informação (CSTI), e pela execução do
Programa "Tecnologia da Informação" do Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) da UNESP.
Este relatório apresenta, sucintamente, as principais atividades realizadas pela AI em 2014 nas áreas
de Desenvolvimento de Sistemas Institucionais, Administração de Redes e Suporte ao Usuário.

1. DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS INSTITUCIONAIS
O desenvolvimento de sistemas institucionais visa padronizar procedimentos em toda a Universidade e
criar uma base confiável de informações institucionais, a Base de Dados Corporativa (BDC). Pretendese que os sistemas institucionais facilitem o trabalho no dia-a-dia das pessoas e ajudem a melhorar a
qualidade dos serviços e das informações produzidas pelas diversas áreas da UNESP. Com a criação
da BDC, pretende-se que os sistemas institucionais auxiliem nos processos de tomada de decisões e
nos diversos níveis de gestão da Universidade.
Desde a criação do CSTI, em 2009, o desenvolvimento de sistemas institucionais tem sido um trabalho
coletivo envolvendo o corpo técnico da Assessoria de Informática, em especial, o Grupo de Análise
de Sistemas, o Grupo de Desenvolvimento de Sistemas e o Grupo de Bancos de Dados, e técnicos das
Unidades Universitárias, organizados no Núcleo de Desenvolvimento de Sistemas Institucionais (NDSI).
Cada sistema institucional dispõe de um Comitê Gestor, que analisa e define as funcionalidades do sistema,
de uma Equipe de Desenvolvimento e Manutenção (EDM), responsável por todo o ciclo de vida do sistema,
e de uma Equipe de Suporte ao Usuário (ESU), responsável por orientar os usuários do sistema.
A Tabela 1 apresenta os sistemas institucionais já implantados até 2014 e a Tabela 2 apresenta os
sistemas institucionais que encontram-se em desenvolvimento.
Tabela 1: Sistemas Institucionais Implantados.
Sistema Institucional

Implantação

SISMA - Sistema de Manutenção de Equipamentos de Informática

1997

SISPG - Sistema Acadêmico de Pós-Graduação

2003

Inscrição Online Pós-Graduação

2005

ADP - Sistema de Acompanhamento de Desenvolvimento Profissional

2006

SGCD - Sistema Gerenciador de Conteúdo Dinâmico

2007

BDP Online

2007

Matrícula Online Pós-Graduação (Aluno e Orientador)

2007

EVOTO - Sistema de Votação Eletrônica

2009

CADUNI - Cadastro Unificado de Fornecedores

2009

SISGRAD - Sistema Acadêmico de Graduação

2010

SISOFC - Sistema Orçamentário, Financeiro e Contábil

2010

Sistema de Patrimônio - Bens Móveis

2011

SISCCI - Sistema dos Centros de Convivência Infantil

2011

SISDIP - Sistema de Registro e Emissão de Diplomas

2011

Sistema de Transportes

2011

SISADM - Sistema Administrativo - Compras e Almoxarifado

2012

SISOFC - Módulo Contábil

2012

AREX - Módulo de Internacionalização

2012

Relatório Anual de Gestão 2014 | 113

PROEX - Sistema de Projetos de Extensão

2012

SISWFU - Sistema de Gerenciamento da Rede sem Fio

2012

Hollerith Online

2012

Bolsas - Sistema de Bolsas de Extensão

2013

SISRDT - Sistema de Ressarcimento de Diárias e Transporte

2013

SIGAD - Sistema de Gestão Arquivística de Documentos

2014

SISRH - Sistema de Recursos Humanos

2014

SISEG - Sistema de Egressos "Sempre Unesp"

2014

Tabela 2: Sistemas Institucionais em Desenvolvimento.
Sistema Institucional
SISPG - Sistema Acadêmico de Pós-Graduação
SISADM - Administrativo - Compras e Almoxarifado
SISCPA - Sistema da Comissão Permanente de Avaliação
SISPROPE - Sistema da Pró-Reitoria de Pesquisa

Requisitante
PROPG
PRAD
CPA
PROPE

CONTRATOS - Sistema de Gestão de Contratos

PRAD

SISAPI - Sistema de Importação

PRAD

Sistema de Contratação de Servidores e Docentes

CRH

Sistema de Patrimônio - Bens Imóveis

PRAD

SISGO - Sistema de Gestão Ocupacional

COSTSA

Sistema de Gestão de Acervos Permanentes

CEDEM

SISLIC - Sistema de Licitação

PRAD

SISCAS - Central de Acessos aos Sistemas da Unesp

AI

Sistema de Controle de Mandatos

SG

Sistema de Informações Documentárias

SG

Sistema de Avaliação Institucional

CPA

2. ADMINISTRAÇÃO DE REDES
A atividade de administração de redes na Assessoria de Informática congrega os trabalhos do
Grupo de Redes de Computadores (GRC), que tem como objetivos principais administrar a rede de
computadores da Universidade (unespNET), administrar o domínio unesp.br, oferecer suporte técnico
no uso da VPN e videoconferência, colaborar com grupos de segurança da Internet, auxiliar os DTIs
das Unidades na administração das redes locais, recomendar as melhores práticas para a instalação
de equipamentos de rede e implantação de serviços de rede.
Nesta área, as ações da AI em 2014 foram executadas em três grandes eixos:
·
Redes Locais das Unidades;
·
Backbone da unespNET;
·
Datacenter Central.
2.1. Redes Locais das Unidades
As principais atividades do GRC em 2014 em relação às redes locais das Unidades foram as seguintes:
·
Registro de Preços para projeto unificado de cabeamento estruturado. Este modelo tornou a
execução dos projetos de cabeamento mais homogênea, de melhor qualidade e de menor custo.
Em 2014, foram atendidos 94 projetos de 21 Unidades.
·
Registro de Preços para os Datacenters das Unidades.
·
Ampliação da área de cobertura da Rede sem Fio, com 1320 antenas instaladas, 180 antenas em
processo de instalação e aquisição de mais 230 novas antenas.
·
Ampliação do número de switches da rede: a unespNET conta atualmente com cerca de 2300
switches gerenciáveis.

114 | Relatório Anual de Gestão 2014

·

Ampliação do projeto de videoconferência: a Unesp conta atualmente com cerca de 150 dispositivos
(CODECs e videofones) e 70 salas de videoconferência com ampla utilização.
Ampliação da telefonia IP: todas as Unidades da Unesp se comunicam por meio de telefonia IP,
com mais de 10500 telefones instalados.

·

Tabela 3: Execução de Projetos do PDI/Tecnologia da Informação.
Projeto

2012

2013

2014

Ativos de Redes () instalados

1329

1476

1578

Ramais de Telefonia IP instalados

8170

9350

9780

Redes sem fio (antenas WFU instaladas)

308

1093

1460

Videoconferência (salas implantadas)

36

38

73

Cabeamentos Ópticos e Metálicos (projetos)

24

43

96

Adequação de Datacenters (Unidades atendidas)

5

5

5

A Figura 1 mostra a evolução do número de equipamentos instalados, no período 2012-2014, referentes
a switches, telefones IP e antenas de rede sem fio.

Switches

Telefone IP

1600

10000

1500

8000

Antenas WFU
1500

1000

6000
1400
4000

500

1300

2000

1200

0
2012

2013

2014

0
2012

2013

2014

2012

2013

2014

Figura 1: Evolução do número de equipamentos instalados.

2.2. Backbone da unespNET
As principais atividades do GRC em 2014 em relação ao backbone da unespNET foram as seguintes:
· Implantação de novas rotas de acesso à Internet, de modo a não depender exclusivamente
da rede Metrosampa. Atualmente, a Unesp dispõe de fibras ópticas próprias conectando
Reitoria-NCC/Barra Funda e NCC/Barra Funda-NAP/Barueri.
· Acordos de troca de tráfego com grandes provedores de conteúdo de Internet, como Telefonica,
Oi, Amazon, Facebook, para permitir o acesso mais rápido a esses conteúdos.
· Implantação da priorização do tráfego interno da Unesp para garantir a qualidade da
comunicação por videoconferência e telefonia IP e a troca de informações para os sistemas
institucionais.
2.3. Datacenter Central
As principais atividades do GRC em 2014 em relação ao central da Unesp foram as seguintes:
· Implantação de servidores com a tecnologia blade, que permitem alta densidade de
processamento e gerenciamento unificado.
· Ampliação da capacidade de armazenamento de dados (storages).
· Projeto de reestruturação do Datacenter Central da Universidade.
·
Início da implantação da Nuvem Computacional da Unesp (CloudUNESP), com alta capacidade
de processamento, alta capacidade de armazenamento de dados, alta disponibilidade e alta
capacidade para futuras expansões.
· Preparação do espelhamento do Datacenter Central no datacenter do Núcleo de Computação
Científica-NCC/Barra Funda, com o propósito de fazer frente a contingências e manter alta a
disponibilidade do Datacenter Central.
· Monitoramento dos servidores no Datacenter Central.

Relatório Anual de Gestão 2014 | 115

Além das principais ações executadas nestes três grandes eixos, a AI em 2014 também alguns projetos
especiais, conforme mostra a Tabela 4.
Tabela 4: Execução de Projetos Especiais.
Projeto

Atividade executada

FAPESP 2012 (Rede ANSP)

Aquisição de equipamentos, elaboração de relatórios científico e de
prestação de contas parciais.

FAPESP 2013 (Rede ANSP)

Aquisição de equipamentos.

FAPESP 2014 (Rede ANSP)

Elaboração do projeto.

Autenticação Centralizada

Integração com as bases de dados dos sistemas intitucionais.

Protocolo IPv6

Apoio para a implantação do novo protocolo de rede nas Unidades.

Storage

Em implantação no IFT/Barra Funda.

Cloud Computing

Estudos de soluções possíveis para criação de um sistema de nuvem
privada para a Unesp. Primeiros investimentos.

E-mail centralizado

Implantação do projeto piloto.

Suporte técnico em redes

Atendimento a 4151 chamados registrados no OTRS ().

3. SUPORTE AO USUÁRIO
A atividade de suporte ao usuário na AI congrega os trabalhos do Grupo de Suporte e Serviços (GSS),
que tem como objetivos principais a prestação de serviços de Informática para os usuários da Reitoria,
CEDEM, CRUESP e NEAD, controle do contrato de de impressão, gerenciamento de licenças de
software e financiamento da manutenção de equipamentos de Informática da Universidade.
A Tabela 5 mostra a quantidade de chamados de suporte técnico abertos pelos diversos usuários
atendidas pelo GSS em 2014.
Tabela 5: Número de chamados de suporte técnico.
Unidade

Qtd

%

Reitoria

1344

98,8%

Praça da Sé

7

0,5%

Cruesp

6

0,4%

Ipiranga

4

0,3%

TOTAL

1361

100%

A Figura 2 mostra os tempos de resposta e os tempos de solução para os chamados de suporte
técnico atendidos em 2014.
5,4%

1,3%

6,7%
1,0%
Tempo de resposta

Tempo de solução

Até 30 min
Até 60 min
Mais de 60 min

Até 4 horas
Até 6 horas
Mais de 6 horas

92,3%

93,2%

Figura 2: Tempos de resposta e de solução dos chamados atendidos.

A Tabela 6 mostra a quantidade de microcomputadores fornecidos em 2014 para os setores da Reitoria
(equipamentos formatados e com instalação de Sistema Operacional, Suíte de Escritório, Antivírus e
OCS).

116 | Relatório Anual de Gestão 2014

Tabela 6: Microcomputadores para a Reitoria.
Unidade

Qtd

PROGRAD

16

PROPE

4

CPA

1

AREX

1

AI

1

Reserva Técnica (AI)

22

TOTAL

45

A Tabela 7 mostra os pedidos de manutenção de equipamentos de informática de cada Unidade,
atendidos pelo SISMA.
Tabela 7: Pedidos de manutenção atendidos pelo SISMA.
Campus

Unidade

Qtd

Valor (R$)

%

Botucatu

IB

45

26.424,00

15,4%

Araraquara

FCL

50

16.779,75

9,8%

Assis

FCL

29

15.510,50

9,1%

Botucatu

FMVZ

30

12.616,00

7,4%

Franca

FCHS

52

12.191,00

7,1%

Marília

FFC

18

11.182,44

6,5%

São José do Rio Preto

IBILCE

24

9.304,00

5,4%

São Paulo

IA

18

8.499,00

5,0%

Araraquara

FO

44

8.172,83

4,8%

Bauru

FC

26

7.741,00

4,5%

Araraquara

FCF

16

5.971,20

3,5%

São José dos Campos

ICT

12

5.515,10

3,2%

Bauru

FE

4

4.556,00

2,7%

São Paulo

Reitoria

2

4.287,05

2,5%

Botucatu

AG

10

3.815,00

2,2%

Sao Vicente

CLP

7

3.666,70

2,1%

Botucatu

FM

13

3.317,45

1,9%

Jaboticabal

FCAV

7

2.666,00

1,6%

Bauru

FAAC

8

2.297,00

1,3%

Sorocaba

CE

6

2.287,00

1,3%

Ourinhos

CE

15

1.775,00

1,0%

Botucatu

FCA

4

1.524,00

0,9%

Aracatuba

FMV

2

957,00

0,6%

TOTAL

442

171.055,02

100,0%

Relatório Anual de Gestão 2014 | 117

12

Assessoria de
Comunicação e Imprensa
ACI

INSERÇÕES NA MÍDIA EXTERNA
Em 2014, a ACI obteve um total geral de 33.302 inserções da Unesp na Mídia Externa à Universidade,
sendo 22.640 na internet, 5.530 em jornais; 1.935 em televisão; 1.756 em rádio e 1.341 em revistas.
Mais detalhes nas páginas 287 a 289 do Anuário Estatístico da unesp 2015 (dados 2014), disponível
em https://ape.unesp.br/anuario/pdf/Anuario2015_NOVO.pdf
A Assessoria de Comunicação e Imprensa conta com os seguintes veículos:

UNESP AGÊNCIA DE NOTÍCIAS - UnAN
Difunde as principais atividades e pesquisas publicadas nos diversos veículos de comunicação da
universidade e da grande imprensa, além de servir como uma base de sugestão de pautas e fontes. A
Agência reúne os destaques do dia nos seguintes canais: Notícias do Portal Unesp, Podcast Unesp,
Releases, Destaques na Mídia, Minuto Unesp, Notas e comunicados, Vestibular, Ações, Link direto
para a Rádio Unesp e TV Unesp.
http://www.unesp.br/agenciadenoticias

PORTAL UNESP
O Portal Unesp contém o acervo institucional da Universidade, na medida em que hospeda páginas
das pró-reitorias e assessorias, das unidades universitárias, institutos, unidades auxiliares, unidades
complementares e centros, as quais informam sobre as atividades acadêmicas, de pesquisa, extensão
e gestão realizadas na Unesp. A página de abertura do Portal é um espaço dedicado às notícias
pautadas por essas atividades, entre outros temas. São publicadas semanalmente 100 notícias,
preparadas pela equipe da Reitoria ou produzidas pelas 34 unidades da instituição.
http://www.unesp.br

MÍDIAS SOCIAIS
A ACI/Reitoria mudou o a identificação da Unesp, no facebook (https://www.facebook.com/
UnespReitoria), de Educação para Universidade. Essa alteração, associada á mudança da foto do
perfil, onde constava a palavra Reitoria, contribuiu para um crescimento de compartilhamento, em
2014, em relação ao ano anterior, de 49%. Detectou-se que o público é 60% de homens e 40%
de mulheres, um pouco diferente do padrão do facebook como um todo, que conta com 46% de
mulheres e 54% de homens. Entre os fãs, as dez primeiras cidades são São Paulo, Bauru, Araraquara,
Presidente Prudente, Botucatu, São José do Rio Preto, Franca, Marília, Rio Claro e Ribeirão Preto.
Foram criadas categorias de posts, como Você Sabia?, Na Unesp, Memórias Unesp, Laboratórios
Unesp e Nosso câmpus. No twitter (https://twitter.com/Unesp_oficial), de 2014 em relação ao ano
anterior, o crescimento foi de 27%. No mesmo período, o Instagram (https://instagram.com/unesp_
oficial/ da Unesp atingiu um aumento de 82% de seguidores. Ações desenvolvidas de planejamento,
estratégia e investimento permitirão ainda melhores resultados nos próximos anos. Também foi criado
o google+ (https://plus.google.com/u/0/+UnespOficialsp/posts).

PODCAST UNESP
Lançado em outubro de 2011, o Podcast Unesp é um serviço que disponibiliza arquivos de áudio
com pesquisas e opiniões de especialistas da Universidade sobre os mais diversos assuntos em
todas as grandes áreas do conhecimento. Podcast Unesp oferece quatro serviços: Rádio Release;
Perfil Literário; Mídia e Cotidiano e Vunesp Informa. Além de ouvir os áudios em http://podcast.
unesp.br/, os arquivos podem ser transferidos gratuitamente para computadores, celulares e outros
aparelhos portáteis, como iPod e mp3 players. São produzidos semanalmente 35 podcasts pela
equipe da Reitoria. Os produtos disponíveis, com respectivos parceiros, são Rádio Release, Perfil,
Mídia e Cotidiano, Vunesp Informa, Pod Esporte, Pod MPB, Pod Extensão, Pod Inovar (Agência Unesp
de Inovação), Pod Irrigar (Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira), Pod Mundo e Política (Instituto
de Políticas Públicas e Relações Internacionais), Pod Robótica (Câmpus de Sorocaba), Pod Tempo
(IPMet/Bauru), Pod Territorial (Cátedra Unesco de Educação do Campo e Desenvolvimento Territorial)
, Pod Acqua, Pod Viver Bem (Faculdade de Medicina de Botucatu), Pod Vestibular Unesp, Pod Fala
Professor e Guia de Profissões. Há parcerias ainda de compartilhamento de conteúdo com Rádio
Unesp FM, Le Monde Diplomatique Brasil, Lance Net, WebTV Rádio Água, Agência Rádioweb, China
Rádio Internacional e NET Educação.
http://podcast.unesp.br

Relatório Anual de Gestão 2014 | 121

MINUTO UNESP
Informativo diário em áudio e vídeo sobre atividades da Universidade. São produzidos semanalmente
cinco programas pela equipe da Reitoria.
http://unesp.br/agenciadenoticias/minutounesp

REVISTA UNESP CIÊNCIA
Unesp Ciência é a revista de divulgação científica da Unesp. Seu principal objetivo é dar destaque para
as pesquisas que são feitas na instituição, ao mesmo tempo em que traz reportagens aprofundadas
sobre os grandes temas da ciência nacional e mundial. Lançada em setembro de 2009, a publicação
tem 48 páginas e circula de fevereiro a dezembro. São 11 edições anuais com tiragem total de 156.780
exemplares. Em parceria com a TV Unesp existe o programa de televisão homônimo (http://www.
tv.unesp.br/unespciencia)
http://www.unespciencia.com.br/

JORNAL UNESP
O foco principal do Jornal Unesp é a divulgação de atividades de ensino e extensão da universidade,
além da publicação de livros de docentes, seja pela Editora Unesp ou por outras casas editoriais.
Voltado para a comunidade interna e externa, a publicação mensal tem 16 páginas e tiragem de 25 mil
exemplares. Inclui o Caderno Fórum, com quatro páginas, contendo uma entrevista e três artigos de
profissionais de reconhecida competência sobre um determinado tema em evidência. São 11 edições
anuais com tiragem total de 116.500 exemplares.
http://www.unesp.br/jornal

UNESP INFORMA
O Unesp Informa é um boletim voltado aos funcionários da Universidade. Publicado mensalmente
e com tiragem de 15 mil exemplares, o veículo divulga o que acontece no âmbito interno da Unesp,
como iniciativas de ensino, pesquisa, extensão, políticas de gestão e administração, entre outras
ações. São 12 edições anuais com tiragem total de 156.780 exemplares.
http://www.unesp.br/unespinforma

GUIA DE PROFISSÕES
Destinado a orientar o estudante do Ensino Médio e o vestibulando sobre os cursos oferecidos pela
Unesp, o Guia de Profissões é uma publicação anual, com 350 mil exemplares, editado em parceria
com a Fundação Vunesp. O Guia traz informações sobre o Vestibular da Unesp, traça o perfil de cada
uma das carreiras oferecidas, aborda o mercado de trabalho e a vida na Universidade. Totalmente
ilustrado, a publicação tem 162 páginas e é distribuído gratuitamente. A tiragem anual é de 200 mil
exemplares.
http://www.unesp.br/guiadeprofissoes

BLOG ACI
O Blog da Assessoria de Comunicação e Imprensa realiza cobertura online de importantes eventos
nacionais ou internacionais, dentro e fora do âmbito da Unesp, pela visão de um dos integrantes de
nossa equipe.
http://blogaci.unesp.br

DEBATE ACADÊMICO
Publica artigos sobre temas de interesse geral ou que digam respeito a questões vinculadas à
universidade.
http://www.unesp.br/portal#!/debate-academico/

122 | Relatório Anual de Gestão 2014

PROJETO SEM DIPLOMACIA
http://www.unesp.br/semdiplomacia
O espaço Sem Diplomacia, parceria entre o Instituto de Estudos Econômicos e Internacionais
e a Assessoria de Comunicação e Imprensa da Unesp, tem como finalidade divulgar análises e
comentários de natureza polêmica sobre eventos internacionais. As fontes de referência são jornais,
revistas, blogs, sites de think tanks, ONG´s e demais meios em que o posicionamento afirmativo
dispensa preocupações discursivas e de conteúdo com a moderação e a busca de consensos na
opinião pública. O objetivo é contribuir para a informação e o debate sobre a conjuntura internacional
a partir do registro de visões que por seu teor ideologizado e partidarizado tendem a ficar à margem
da divulgação dos grandes meios jornalísticos, justamente porque vão direto ao ponto, sem rodeios,
Sem Diplomacia. Os artigos postados levam o mesmo título da fonte de origem, acompanhado de uma
síntese explicativa sobre seu conteúdo e o link para acesso à versão completa. As análises oriundas
da equipe do Sem Diplomacia ou de colaboradores externos são publicadas nas seções Opinião e
Podcast. Os programas em vídeo está disponíveis em http://www.unesp.br/semdiplomacia/debates

INFORMATIVO ECONÔMICO DA UNESP
http://www.unesp.br/infonomico
O Boletim Informativo da Unesp tem como objetivo acompanhar as condições econômicas do
interior paulista e da região metropolitana de São Paulo. Procura oferecer um indicador de atividade
econômica para as instituições públicas e privadas. Trata-se de um serviço proporcionado pela
Extensão Universitária realizado pelo Núcleo de Conjuntura e Estudos Econômicos do Departamento
de Economia da Faculdade de Ciências e Letras da Unesp, Câmpus de Araraquara em parceria com
a Assessoria de Comunicação e Imprensa da Reitoria.

PROJETO MEMÓRIA PLÁSTICA
http://unesp.br/portal#!/proex/artes-e-cultura/projetos/projeto-memoria-plastica/
Dentro da parceria entre o Comitê de Artes e Cultura da Unesp, ligado à Pró-reitoria de Extensão
Universitária, e a Associação Profissional de Artistas Plásticos de São Paulo, a ACI realizou entrevistas
em áudio e vídeo com os artistas plásticos: Alcindo Moreira Filho,
Ana Alice Francisquetti, Astrid Salles, Caciporé Torres, Cesar Romero, Cecília Macedo, Cirton Genaro,
Diana Martire, Fátima Lourenço, Francisco Baratti, Guilherme de Faria,
Hannelore Jacobowitz, Heloize Rosa, Joedy Marins, Luis Bayón, Marilzes Petroni, Marli Takeda, Nelson
Bavaresco, Nicolas Vlavianos, Nino Millán, Norha Beltrán, Norberto Stori,
Paulo Cheida Sans, Ronaldo Gifalli, San Bertini, Sara Goldman- Belz, Valdir Rocha, Yone Di Alerigi,
Walter Miranda e Walter Tommasi.

RÁDIO UNIVERSITÁRIA UNESP
http://www.radio.unesp.br/
Ocorreu a finalização do texto de proposta do novo Regimento Interno do CRTVCE - Centro de
Rádio e Televisão Cultural e Educativa, aprovado pelo Conselho Superior e pelo Comitê Superior de
Comunicação Social (CSCS) e em trâmite na Reitoria. Houve ainda a criação da Comissão Especial
para alterações na grade de programação da Rádio Universitária Unesp e o encaminhamento de
requerimentos ao Ministério das Comunicações para acesso aos processos em trâmite.
O jornalismo foi incrementado com notas informativas a cada 15 minutos (pílulas rápidas) e boletins
em horas cheias com duas ou três notícias. Ocorreu a participação de cobertura do carnaval com as
emissoras da rede de rádios públicas, com matérias especiais sobre a programação, e história do
carnaval na cidade, além de cobertura da Copa do Mundo 2014, com transmissão de jogos e préjogos, em rede com a Empresa Brasil de Comunicação. - EBC
Outras ações incluem o envio de matérias especiais para a EBC, com aproveitamento no jornal diário ao
vivo da emissora e na Rádio Agência Nacional, com distribuição em todo o país. Foi realizada cobertura
das eleições 2014, com boletins informativos ao vivo durante a votação, e programação ao vivo em
estúdio com convidados durante a apuração. Também foram realizadas entrevistas de 30 minutos
durante o jornal Unesp Notícias com informações sobre projetos e pesquisas desenvolvidos na Unesp.
A emissora passou a operar com programação ao vivo das 7 às 21 h. Destaca-se o programa musical

Relatório Anual de Gestão 2014 | 123

Happy Hour, ao vivo, todas primeiras sexta-feiras do mês. As redes sociais foram revitalizadas ­ Site e
Facebook ­ visando maior interatividade com os ouvintes.
A emissora desenvolve atividades relevantes no triângulo ensino-pesquisa-extensão, através
de projetos envolvendo alunos e docentes dos cursos de graduação em Comunicação Social, da
Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação, com abertura de estágios supervisionados, a
divulgação científica; produção e veiculação de programas didático-culturais; divulgação de eventos
culturais e científicos da Universidade e de outras instituições; coberturas jornalísticas, com prestação
de serviços à comunidade; desenvolvimento de campanhas sociais; inserção de programas e
programetes produzidos através de projetos de extensão universitária.
Através de Acordo de Cooperação e Termo de Compromisso de Estágio Não Obrigatório entre o
Centro de Rádio e Televisão Cultural e Educativo da Unesp e a Faculdade de Arquitetura, Artes e
Comunicação, do campus de Bauru, com recursos financeiros da Pró-Reitoria de Administração ­
PRAD ­ do Programa de Bolsas de Estágio Curricular, mantemos, anualmente, no Departamento de
Jornalismo da Rádio Unesp FM alunos bolsistas, do curso de graduação em Comunicação Social ­
Habilitação em Jornalismo.
Esses alunos desenvolvem atividades de prática em Jornalismo Radiofônico. A supervisão do estágio
é de responsabilidade do Editor-Chefe.
Graças a estabelecimento de parceria com o Núcleo de Opinião, do Departamento de Comunicação
Social, da Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação, foi possível a realização de duas pesquisas
qualitativas de audiência da Rádio. A realização da referida pesquisa permitiu aos alunos do curso
de graduação em Comunicação Social, habilitação em Relações Públicas, da FAAC, o contato com
a prática de trabalho em desenvolvimento de pesquisa de opinião pública, em todas as suas etapas.
A primeira pesquisa foi Coordenada pela Profa Dra Célia Retz, do Departamento de Comunicação Social,
da FAAC/Bauru, e realizada por grupos de alunos do curso de Relações Públicas, a pesquisa apontou,
principalmente, o perfil dos ouvintes da emissora. A partir desse resultado, será realizado um projeto
para a melhoria e ampliação da imagem da emissora junto ao público interno e externo à Universidade.
O projeto PET/RTV da Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação da Unesp (FAAC) foi
selecionado pela Prograd - Unesp em 19 de maio e instalado em 23 de maio de 2011, com tutoria
do professor de Jornalismo, Dr. Antônio Francisco Magnoni. Trata-se de um projeto interdisciplinar
de ensino, pesquisa e extensão ligado aos cursos de Radialismo, Jornalismo e Relações Públicas,
coordenados pelo Departamento de Comunicação Social (DCSO). Seu principal objetivo é
criar um ambiente que torne possível o desenvolvimento de métodos de ensino, pesquisa e
extensão, para que os alunos participantes possam criar produtos e projetos comunicativos.
O projeto Observatório do Esporte busca articular extensão e profissionalização e produziu desde 14
de maio 2010 MAIS DE 100 programas que foram veiculados semanalmente na Unesp FM, sempre
às sextas-feiras à meia-noite com reprises aos sábados às 11 h da manhã. Além da exibição via
Rádio Unesp FM os programas também estão disponibilizados em formato de podcast no site http://
observatoriodoesporteunesp.blogspot.com/ , onde podem ser ouvidos e "baixados". O projeto está
vinculado ao GECEF - Grupo de Estudos em Comunicação Esportiva e Futebol ( http://gecef.blogspot.
com.br/) cadastrado no Diretório de Grupos de Pesquisas do CNPq.
O Projeto Agência Propagação, uma agência experimental de propaganda, produz campanhas de
propagandas sociais, em parceria com a Rádio Unesp FM, assinadas `Minuto Consciente . A Unesp
em sintonia com a comunidade' . Essas propagandas têm como base o conhecimento e as ações
produzidos na Unesp de Bauru, visando a informação, conscientização e consequente educação da
sociedade, além da propagação de ações sociais de projetos externos à Unesp. As propagandas do
Minuto Consciente - veiculadas cinco vezes ao dia pela emissora - pretendem levar a sociedade à
reflexão, revisão de conceitos e valores sociais, informações sobre os serviços prestados pela Unesp à
população, visando benefícios para a própria sociedade. Participam do projeto alunos de Jornalismo,
Radialismo. Relações Públicas, Design e Ciência da Computação.
O Projeto Transformação - Coordenação: Prof. Dr Clodoaldo Meneguello Cardoso, do Departamento
de Ciências Humanas/FAAC ­ coordenador do Observatório de Educação em Direitos Humanos da
Unesp, é o primeiro curso em áudio sobre os Direitos Humanos produzido e veiculado na mídia rádio.

TV UNESP
http://www.tv.unesp.br/
Nas atividades de ensino, 25 estudantes dos cursos de graduação da FAAC atuaram na TV

124 | Relatório Anual de Gestão 2014

Unesp em 2014, em períodos de 4 a 6 meses, na produção de 13 programas que compõem a
grade de programação da emissora. Os estudantes distribuídos em diversas áreas dentro da TV
Unesp desenvolveram atividades nos seguintes setores de Produção (apoiam os produtores nos
programas: Apolônio e Azulão, Som e Prosa, Artefato, Saúde em Prática, Ecoideias, Ciência Sem
Limites, Tradições do Interior, e haverá o Projeto Especial Guerra das Décadas que é um programa
produzido pelos alunos em sala de aula na FAAC que está sendo trazido para a TV Unesp);
Jornalismo (colaboram na realização do jornal diário "Unesp Notícias" e na produção do programa
Bauru S/A); Artes Videografismo (os estudantes montam as vinhetas e chamadas dos programas);
Projetos Institucionais (todos são bolsistas da Rede SSAN Unasul - Soberania e Segurança
Alimentar e Nutricional da Unasul, programa de entrevista); e Conteúdo Multimídia (os estudantes
realizam postagens nas mídias sociais, monitoram o site e dão apoio na divulgação dos programas).

PROJETO GINGA BR. LABS
A TV Unesp foi uma das dez emissoras contempladas pelo Ministério das Comunicações através de
uma chamada pública para receber laboratórios de testes de conteúdo e aplicações interativas. O
projeto trouxe de retorno para a TV Unesp um laboratório para aplicações interativas no valor total
de R$69.587,40. Estes equipamentos foram doados pela RNP- Rede Nacional de Pesquisa para a
TV Unesp no final do projeto. Com esse laboratório pudemos desenvolver programa infantil interativo
Apolônio e Azulão.

PROJETO GLOBAL ITV
Este projeto foi contemplado na 2ª Chamada Brasil-EU nº 13/2012 do Conselho Nacional de
Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), que integra o Programa de Cooperação BrasilUnião Europeia em parceria com o Seventh Framework Programme (FP7). O projeto tem o objetivo
de desenvolver uma plataforma de TV que propicie aos usuários novas funcionalidades e serviços
multimídia e que explore as potencialidades dos modelos de radiodifusão terrestre e de Internet de
forma conjunta e interoperável. O projeto busca também conciliar o legado regional dos sistemas de
TV Digital do Brasil e da União Europeia, bem como desenvolver modelos de negócio para mercados
mundiais a partir das tendências das Smart TV, além de serviços de utilidade pública. A participação
da TV Unesp neste programa resultou na captação de R$ 540.959,24 sendo:
Bolsas IC, DTI A, DTI B, DTI C no valor de R$ 422.400,00.
Custeio e Capital no valor de R$ 118.559,24

REDE SSAN UNASUL
A Rede SSAN Unasul realiza o trabalho Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional e mantém
parceria com a TV Unesp. Durante a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, ocorrida em 2014 em
Brasília, foi realizada a série de programas de TV sobre Ciência e Tecnologia com a participação de
representantes do governo e pesquisadores na área alimentar. A Rede Ssan faz parte de um convênio
entre o Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e a Unesp. Em 2014, bolsistas do projeto
atuaram na TV Unesp, na realização de materiais audiovisuais para a Rede SSAN Unasul.

PROJETO T-COMMERCE - APLICATIVO EDITORA UNESP
A aplicação de T-Commerce "Editora Unesp" é o desenvolvimento de aplicativo interativo
para comercialização de livros da editora Unesp, resultante de dissertação de mestrado do
PPGTVD (Programa de Pós Graduação em Televisão Digital). Neste aplicativo realizado pela
TV Unesp o telespectador de programas na TV Digital pode adquirir livros pela própria televisão,
através do canal de retorno disponível no middleware Ginga, usando um cartão de crédito
ou conta em serviço de pagamentos online. A aplicação interativa pode ser exibida sobre
qualquer programa, permitindo, por exemplo, que um livro citado em um episódio do programa
"Ciências Sem Limites" seja adquirido pelo telespectador no momento de exibição do programa.

PROJETOS DE EXTENSÃO ­ PROEX
Acervo Audiovisual - Coordenação Profª. Drª. Ana Silvia Lopes Davi Médola

Relatório Anual de Gestão 2014 | 125

Extensão na TV Unesp - Coordenação Profª. Drª. Ana Silvia Lopes Davi Médola
Telejornalismo na TV Digital Aberta - Coordenação Prof. Dr. Francisco Machado Filho
Pau a Pixel ­ Coordenação Profª. Drª. Letícia Passos Affini
Núcleo de Relações Públicas TV Unesp - Coordenação Profª. Drª. Maria Eugênia Porém

PROJETOS INSTITUCIONAIS
Instituto Confúcio: foi realizada parceria entre o Instituto Confúcio e a TV Unesp para a realização de
documentário sobre o Instituto Confúcio na Unesp.
Campus TV ­ Marília: O projeto de extensão "Campus TV" da Unesp de Marília iniciou de forma experimental a exibição de programas produzidos pela TV Unesp no canal universitário da TV a cabo da
mesma cidade.

126 | Relatório Anual de Gestão 2014

13

Comissão de
Contratação Docente
CCD

1. ATRIBUIÇÕES
Compete à CCD analisar o mérito das contratações docentes solicitadas pelas Unidades Universitárias,
fundamentado em critérios aprovados pelo CEPE (20/10/98 - Despacho nº 621/98-CEPE/SG), em
consonância com a LDB-96.

2. EQUIPE TÉCNICA
Assessoria Técnica:
Mirian Maschio Nanes
Assistência Técnica:
Sonia Fumiko Hashimoto Thomaz
Aurélio M. do Nascimento

3. COMPOSIÇÃO DA CCD
Prof. Dr. Marcelo Andrés Fossey (Presidente) ­ IBILCE/São José do Rio Preto ­ Deptº de Física
Prof. Dr. Antonio Roberto Esteves ­ FCL/Assis ­ Deptº de Letras Modernas
Profa. Dra. Ana Julia Fernandes Cardoso de Oliveira - CLP/São Vicente - Curso de Ciências Biológicas
Prof. Dr. Dib Gebara - FE/IS - Deptº de Engenharia Civil
Prof. Dr. Carlos Alberto Anaruma ­ IB/Rio Claro ­ Deptº de Educação Física
Profa. Dra. Carolina Lotufo Bueno Bartholomei - FCT/Presidente Prudente - Deptº de Planejamento,
Urbanismo e Ambiente
Profa. Dra. Iraíde Marques de Freitas Barreiro - FCL/Assis - Deptº de Educação
Profa. Dra. Rebeca di Nicoló - ICT/São José dos Campos - Deptº Odontologia Social e Clínica Infantil
Profa. Dra. Lídia Almeida Barros - IBILCE/São José do Rio Preto - Deptº de Letras Modernas

4. ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELA CCD NO ANO DE 2014
4.1. Análise de Mérito das Solicitações de Professores Permanentes
4.2. Acompanhamento da Evolução do Quadro Docente
4.3. Mapeamento permanente da Carga Horária Docente dos Departamentos nas Unidades
Universitárias e nos Cursos de Graduação nas Unidades Experimentais
4.4. Análise das Solicitações de Professores Emergenciais (Substitutos, Bolsistas e Conferencistas)
para o 1º e 2º semestre de 2014
4.5. Acompanhamento do Cronograma de Contratações para os Cursos Novos
4.6. Elaboração de Pareceres e Despachos CCD

Relatório Anual de Gestão 2014 | 129

5. QUADRO DAS SOLICITAÇÕES DE VAGAS DE PROFESSORES PERMANENTES
ANALISADAS PELA CCD NO ANO DE 2014
Unidade

Cursos Novos

Reposição

Ampliação

Total
Solicitados

Total
Aprovados
CCD

S

L

S

L

S

L

FO-Aç

-

-

5

5

-

-

5

5

FMV-Aç

-

-

1

1

-

-

1

1

FCF-Ar

-

-

-

-

-

-

-

-

FCL-Ar

-

-

4

4

-

-

4

4

FO-Ar

-

-

2

2

-

-

2

2

IQ-Ar

-

-

-

-

-

-

-

-

FCL-As

-

-

6

6

-

-

6

6

FAAC-Ba

-

-

-

-

-

-

-

-

FC-Ba

3

3

2

2

-

-

5

5

FE-Ba

-

-

4

4

-

-

4

4

FCA-B

12

12

2

2

-

-

14

14

FM-B

2

2

13

12

-

-

15

14

FMVZ-B

2

2

2

2

-

-

4

4

IB-B

2

2

3

3

-

-

5

5

FCHS-F

-

-

1

1

-

-

1

1

FE-G

-

-

5

5

-

-

5

5

FE-IS

-

-

7

5

-

-

7

5

FCAV-J

-

-

2

2

-

-

2

2

FFC-M

-

-

7

7

-

-

7

7

FCT-PP

-

-

3

3

-

-

3

3

IB-RC

-

-

2

2

-

-

2

2

IGCE-RC

-

-

8

8

-

-

8

8

ICT-SJC

-

-

2

2

-

-

2

2

IBILCESJRP

-

-

2

2

-

-

2

2

IA-SP

6

4

3

3

1

-

10

7

CLP-SV

-

-

2

2

-

-

2

2

DRACENA

-

-

1

1

-

-

1

1

20

20

-

-

-

-

20

20

OURINHOS

-

-

-

-

-

-

-

-

REGISTRO

-

-

-

-

-

-

-

-

ROSANA

6

6

1

1

-

-

7

7

S.J.B.V.

-

-

-

-

-

-

-

-

SOROCABA

-

-

3

3

-

-

3

3

TUPÃ

-

-

-

-

-

-

-

-

TOTAL

53

51

93

90

1

-

147

141

ITAPEVA

130 | Relatório Anual de Gestão 2014

6. EVOLUÇÃO DO QUADRO DOCENTE
6.1. Evolução do Quadro Docente/Distribuição por Titulação (2009 a 2014)
Número de docentes

Total: 3279
Total: 3184

Total: 3509

Total: 3500

Total: 3417

Total: 3421
346

342

787

802

2174

2177

330

311

822

825

2269

2305

239
243
873
823

2030

1952

MS-6
MS-5
MS-3
MS-2
MS-1

142
24
2009

117
20
2010

95
19
2011

2012

52
16

62
17

78
18
2013

2014

6.2. Distribuição Docente por Regime de Trabalho (2009 a 2014)

Ano

RTP

RTC

RDIDP

Total

2009

44

182

2.958

3.184

2010

49

155

3.075

3.279

2011

52

139

3.230

3.421

2012

48

118

3.251

3.417

2013

46

109

3.345

3.500

2014

45

109

3.355

3.509

Relatório Anual de Gestão 2014 | 131

6.3. Movimentação do Quadro Docente: Contratações x Desligamentos por Unidade (2009 a 2014)

29

FOAç
FMVAç

25
0
1
24

FCFAr

13
58
57

FCLAr
23

FOAr

12
21

IQAr

7
52

FCLAs

40
38

FAACBa

31
60

FCBa

30
26
26

FEBa
18

FCAB

20
64

FMB

68
20

FMVZB

10
46

IBB

38
38

FCHSF

29
48

FEG

40
49

FEIS

36
58

FCAVJ

46
67

FFCM

34
63

FCTPP

39
31

IBRC

44

IGCERC

36
32

ICTSIC

19
69

IBILCESJRP

34
16
17

IASP
6

CLP

7
15

DRACENA

2
12

ITAPEVA

3
2
21

REGISTRO

4
15

ROSANA
SIBV

10
9
0
17

SOROCABA
TUPÃ

Contratações
Desligamentos

12

OURINHOS

6
2

132 | Relatório Anual de Gestão 2014

17

7. QUADROS DAS SOLICITAÇÕES E LIBERAÇÕES DE PROFESSORES EMERGENCIAIS
(SUBSTITUTOS, BOLSISTAS E CONFERENCISTAS) ANALISADAS/LIBERADAS PELA
CCD NO ANO DE 2014 POR SEMESTRE
7.1. 1º Semestre/2014

Quadro Geral das Solicitações de Professores Emergenciais - 1º semestre/2014
S

L

Substitutos
12 hrs
24 hrs
S
L
S
L

FO-Aç

5

1

10

9

0

0

0

0

0

0

0

0

15

10

FMV-Aç

0

0

2

4

2

0

0

0

1

1

0

0

5

5

FCF-Ar

0

0

7

6

0

0

0

0

0

0

0

0

7

6

FCL-Ar

4

4

8

9

2

0

2

2

0

0

0

0

16

15

FO-Ar

0

0

2

6

5

1

2

2

3

3

0

0

12

12

IQ-Ar

5

5

2

2

0

0

0

0

0

0

0

0

7

7

FCL-As

0

0

14

13

1

0

0

0

0

0

2

2

17

15

FAAC-Ba

3

3

13

15

3

0

0

0

0

0

0

0

19

18

FC-Ba

12

8

11

10

1

0

2

2

1

1

0

0

27

21

FE-Ba

0

0

8

10

3

1

0

0

0

0

4

4

15

15

FCA-B

6

6

0

3

8

5

0

0

0

0

0

0

14

14

FM-B

5

5

3

19

27

1

0

0

12

12

0

0

47

37

FMVZ-B

0

0

0

3

5

2

0

0

0

0

0

0

5

5

IB-B

8

7

7

7

1

1

1

1

1

1

0

0

18

17

FCHS-F

0

0

8

10

2

0

2

2

1

1

2

2

15

15

FE-G

15

12

14

12

0

0

4

4

0

0

0

0

33

28

FE-IS

5

5

15

21

8

0

6

4

5

5

0

0

39

35

FCAV-J

5

3

2

7

6

0

0

0

2

2

0

0

15

12

FFC-M

2

2

16

22

9

2

1

1

0

0

0

0

28

27

FCT-PP

3

3

14

34

22

0

0

0

0

0

0

0

39

37

IB-RC

2

2

15

10

1

0

0

0

0

0

0

0

18

12

IGCE-RC

3

2

16

14

0

0

0

0

0

0

3

3

22

19

ICT-SJC

0

0

6

7

2

0

0

0

1

1

0

0

9

8

IBILCE-SJRP

7

6

8

11

4

0

1

1

0

0

0

0

20

18

IA-SP

0

0

0

13

13

0

0

0

2

2

0

0

15

15

CLP-SV

0

0

6

8

2

0

0

0

0

0

0

0

8

8

DRACENA

0

0

3

1

2

0

0

0

0

0

1

1

6

2

ITAPEVA

0

0

1

2

2

1

0

0

0

0

0

0

3

3

OURINHOS

0

0

1

1

2

2

0

0

0

0

0

0

3

3

REGISTRO

0

0

0

1

3

2

0

0

0

0

1

1

4

4

ROSANA

3

3

3

2

0

0

0

0

0

0

0

0

6

5

SOROCABA

0

0

8

11

3

0

1

1

1

1

0

0

13

13

TUPÃ

0

0

5

8

6

1

0

0

0

0

0

0

11

9

Total Geral

93

77

19

22

20

30

30

13

13

531

470

Unidade

Bolsistas

228 311 145

Prorrogações
12 hrs
24 hrs
S
L
S
L

Conferencistas
S
L

Total
Total
Solicitado Liberado

Relatório Anual de Gestão 2014 | 133

7.2. 2º Semestre/2014

Quadro Geral das Solicitações de Professores Emergenciais - 2º semestre/2014
S

L

Substitutos
12 hrs
24 hrs
S
L
S
L

FO-Aç

2

2

4

4

0

0

3

3

0

0

0

0

9

9

FMV-Aç

0

0

0

1

1

0

1

1

0

0

0

0

2

2

FCF-Ar

1

1

0

0

0

0

2

2

0

0

0

0

3

3

FCL-Ar

6

5

17

17

0

0

5

5

0

0

0

0

28

27

FO-Ar

1

1

3

7

4

0

3

3

0

0

0

0

11

11

IQ-Ar

7

7

0

0

0

0

0

0

0

0

0

0

7

7

FCL-As

0

0

13

13

0

0

4

4

0

0

1

1

18

18

FAAC-Ba

1

1

17

16

0

0

1

0

0

0

0

0

19

17

FC-Ba

11

9

9

10

2

1

3

3

0

0

0

0

25

23

FE-Ba

0

0

15

14

1

1

2

2

0

0

7

6

25

23

FCA-B

5

5

7

3

0

0

3

3

0

0

0

0

15

11

FM-B

1

1

13

28

21

2

2

1

0

0

1

1

38

33

FMVZ-B

0

0

0

3

4

1

0

0

1

1

0

0

5

5

IB-B

5

4

4

8

4

0

1

1

1

1

0

0

15

14

FCHS-F

2

2

10

10

0

0

3

3

1

0

0

0

16

15

FE-G

12

11

5

4

0

0

11

11

0

0

0

0

28

26

FE-IS

11

11

21

28

8

0

1

0

0

0

0

0

41

39

FCAV-J

2

2

6

7

2

0

1

1

0

0

0

0

11

10

FFC-M

6

6

14

17

6

2

2

2

2

2

0

0

30

29

FCT-PP

5

5

10

11

2

0

22

21

0

0

0

0

39

37

IB-RC

6

6

20

16

0

0

0

0

0

0

0

0

26

22

IGCE-RC

4

2

7

6

0

0

5

5

0

0

3

3

19

16

Unidade

Bolsistas

Prorrogações
12 hrs
24 hrs
S
L
S
L

ConferenTotal
cistas
Solicitado
S
L

Total
Liberado

ICT-SJC

1

0

5

8

3

0

1

0

0

0

0

0

10

8

IBILCE-SJRP

5

6

12

17

6

0

1

0

0

0

0

0

24

23

IA-SP

0

0

0

4

4

0

13

13

0

0

0

0

17

17

CLP-SV

0

0

5

4

2

1

0

0

0

0

0

0

7

5

DRACENA

0

0

1

1

0

0

1

1

0

0

0

0

2

2

ITAPEVA

0

0

3

3

0

0

2

2

1

1

0

0

6

6

OURINHOS

0

0

2

2

0

0

0

0

0

0

0

0

2

2

REGISTRO

0

0

0

0

1

1

0

0

1

1

0

0

2

2

ROSANA

0

0

3

2

1

1

0

0

0

0

0

0

4

3

SOROCABA

0

0

7

7

0

0

6

6

1

1

0

0

14

14

TUPÃ

0

0

2

2

0

0

1

0

0

0

0

0

3

2

Total Geral

94

87

72

10

100

93

8

7

12

11

521

481

235 273

134 | Relatório Anual de Gestão 2014

7.3. Evolução da Movimentação de Professores Emergenciais por Semestre (2009-2014)
Número de Professores Emergenciais
Solicitados 1o S
Liberados 1o S
Solicitados 2o S
Liberados 2o S

735
655 663

626

598

583
549

576
526

524

521

492

475

519
474

531
488
441
378

2009

2010

2011

2012

521
470

481

387

2013

2014

8. CRONOGRAMA DE CONTRATAÇÕES PARA OS CURSOS NOVOS DE ENGENHARIA E
METEOROLOGIA
Unidade
FCF/Ar

Curso

Total de
Vagas

2012
L

2013
C

IQ/Ar

Bioprocessos e
Biotecnologia

12
3

3

-

IQ/Ar

Engenharia Química

15

4

-

FC/Ba

Meteorologia

FCA/B
IB/B
FM/B

Bioprocessos e
Biotecnologia

FMVZ/B

5

-

L
5

2014
C
5

L
2

2015
C

L

2016
C

3

11

5

-

18

6

-

2

4

4

2

-

5

3

-

3

-

6

6

3

-

3

-

2

1

-

1

-

1

-

3

-

5

-

2
22

Dracena

Engenharia
Agronômica

Itapeva

4

3

6

5

6

7

-

19

5

-

6

5

8

-

Engenharia de
Produção

20

5

-

5

4

4

-

Registro

Engenharia de
Pesca

15

7

7

3

-

5

-

Rosana

Engenharia de
Energia

18

5

-

6

3

7

-

S.J.B.V.

Eng. de
Telecomunicações

20

5

4

6

5

4

-

1

-

Tupã

Engenharia de
Biossistemas

23

8

-

5

8

6

-

4

-

59

28

50

51

50

-

21

-

4

20

-

-

-

L

C

5

2

Engenharia
Ambiental

2017
C

3
5

ICT/SJC

L

1

-

1

2

-

9. QUANTITATIVO DOS PARECERES E DESPACHOS DA CCD ELABORADOS EM 2014
Nº de Pareceres

Nº de Despachos

105

166

Relatório Anual de Gestão 2014 | 135

10. CONCLUSÃO
As principais atividades-fim desenvolvidas pela Universidade são realizadas pelo corpo docente,
portanto, a sua manutenção, renovação e ampliação exigem da administração central um planejamento
rigoroso, dado o impacto orçamentário que provoca.
Tal planejamento transparece na política de contratação docente e visa atingir as metas estabelecidas
no PDI.
A política de contratação docente é fundamentada em múltiplos indicadores de inegável relevância
acadêmica, tais como: necessidade, mérito, relação custo/benefício, impacto nas atividades-fim,
entre outros.
O aprimoramento constante da política de contratação docente é um dos grandes desafios da UNESP,
que vem sendo realizado por meio de políticas claras, definidas com ponderação e resultado de amplo
debate.
Por estas razões, o dimensionamento do corpo docente requer a participação ativa dos órgãos
colegiados centrais na definição de um programa de diretrizes orçamentárias, a fim de se alcançar a
meta desejada. Portanto, é preciso permanentemente definir as prioridades no contexto do PDI, bem
como manter um rigoroso planejamento a curto e médio prazo, o qual coloca a qualidade acadêmica
no centro das nossas preocupações.

136 | Relatório Anual de Gestão 2014

14

Comissão Permanente de
Avaliação
CPA

A Comissão Permanente de Avaliação (CPA) é um órgão assessor do Reitor e é a ele diretamente
subordinada. A CPA o assessora em assuntos referentes à avaliação acadêmica e institucional
da Universidade e à definição e aplicação dos regimes especiais de trabalho conforme diretrizes
estabelecidas pelo Conselho Universitário. Sua atuação é regulamentada pela Resolução UNESP nº
84, de 04/11/1999.
Para desempenhar suas atividades, a CPA está subdividida em dois grupos, o Grupo de Avaliação
Institucional (GRAI), cuja principal função é conduzir o processo de auto-avaliação da UNESP,
assessorado por uma Comissão de Especialistas e pelos Grupos de Avaliação Local (GRALs) e o
Grupo de Avaliação Docente (GRAD), que a ele compete o acompanhamento das atividades dos
docentes na Universidade, no que tange à aplicação e mudança de regime de trabalho, à análise dos
relatórios finais de estágio probatório e relatórios de atividades trienais de docentes confirmados no
regime, mas ainda não possuidores do título mínimo de Doutor, bem como a análise das solicitações
de afastamentos, integral ou parcial, dentro ou fora do País, dentre outras atividades.
No ano de 2014, compunham a CPA os Professores: o Prof. Dr. Carlos Roberto Grandini, Presidente;
Prof. Dr. João Carlos Silos Moraes, Vice-Presidente, FE/Ilha Solteira, Prof. Dr. Antônio Carlos
Maringoni, FCA/Botucatu; Profª Drª Gladis Massini-Cagliari, FCL/Araraquara; Prof. Dr. João
Andrade de Carvalho Júnior, FE/Guaratinguetá; Prof. Dr. José Jurandir Fagliari, FCAV/Jaboticabal;
Profª Drª Lia Vera Tomás, IA/São Paulo, Prof. Dr. Carlos Alberto de Souza Costa, FO/Araraquara;
Prof ª. Drª Maria Encarnação Beltrão Spósito, FCT/Presidente Prudente; Prof. Dr. Wagner Vilegas,
Câmpus Experimental do Litoral Paulista e Profª. Drª. Yara Marcondes Machado Castiglia, FM/
Botucatu.

GRUPO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL
Em 2014, o GRAI era composto pelos membros da CPA João Carlos Silos Moraes, Lia Vera Tomás,
Maria Encarnação Beltrão Spósito e Wagner Vilegas. Além disso, participavam ainda integrantes da
Comissão de Especialistas (CE), as professoras Ana Clara Bortoleto Nery, da FFC/Marília, Silvana
Aparecida Borsetti Gregório Vidotti, FFC/Marília e o professor Luis Carlos Spolidório, FO/Araraquara.
Foram realizadas oito reuniões ao longo do ano, nas quais o assunto principal foi a estrutura, organização
de dados e elaboração do texto do relatório da avaliação institucional. Vale observar que a elaboração
do texto se deu baseado em dados incompletos, uma vez que o qüinqüênio fechou em 2014.
Em março de 2014, o sistema de avaliação externa foi disponibilizado e, em 27 de março, uma
videoconferência com todos os presidentes de Grals e DTAs foi realizada, iniciando, desta forma,
o processo de avaliação externa dos cursos de graduação, tendo com prazo máximo dezembro de
2014. A primeira avaliação foi realizada em maio de 2014. Contudo, a greve prejudicou o planejamento
inicial estabelecido e, como conseqüência, foi necessário alterar o prazo máximo para junho de 2015.
Em 2014, 26 cursos de graduação foram avaliados de um total de 122 cursos.
O mesmo ocorreu com a alimentação de dados no sistema de Avaliação Institucional (AVINST), que
contem informações importantes para o relatório final ora em elaboração.
Em 2014, foram iniciadas também discussões, junto com a Assessoria de Informática (AI), visando
o desenvolvimento de uma nova plataforma, em substituição ao AVINST, integrada aos sistemas
existentes na UNESP (Sistema RH, SISGrad, base de dados FAPESP, etc). Decidiu-se separar em
duas plataformas, uma com base contendo todos os dados que permitem avaliar as atividades fins da
Universidade e outra de pesquisa de opinião junto à comunidade Universitária.
Foi também elaborado pelo GRAI/CE um instrumento de indução de avaliação dos departamentos.
Para tanto, foram realizadas ao todo quatro reuniões com a Vice-Reitora e, em uma delas, com a
participação dos Pró-Reitores.

GRUPO DE AVALIAÇÃO DOCENTE
Deram entrada na CPA, no ano de 2014, 687 processos, cujas manifestações da Comissão são
mostradas na Tabela 1.

Relatório Anual de Gestão 2014 | 139

Tabela 1: Detalhamento das manifestações da CPA referentes ao ano de 2014.
FAVORÁVEL

FAVORÁVEL
EXCEPCIONAL

Afastamento

134

81

Aplicação/Alteração de
Regime de Trabalho

166

Relatório Trienal/Anual

54

Relatório Final de Estágio
Probatório*

Agrupamento

CONTRÁRIO

CONTRÁRIO
Passagem RTP

2
1

168
8

216

2

1

Dispensa de Estágio

3

1

Projeto de pesquisa

1

Supressão de
Regime de Trabalho Reconsideração

4
570

Total

215

1

Total geral

Estágio
Prorrogado

64
8

227
4
1

4
82

5

9

8
8

687

* Analisados também os Planos Globais de Atividade ou Planos de Atividade Docente do triênio seguinte

Destes processos, 168 corresponderam à aplicação do Regime Especial de Trabalho. Somente 2
(1,2%) não tiveram manifestação favorável porque o candidato não atendia ao perfil mínimo para um
docente no regime a ser aplicado.
Aplicação de Regime de Trabalho
Contrário: 2

Favorável: 166

Foram analisados, no mesmo período, 227 processos contendo o Relatório Final de Estágio Probatório.
Deles, 216 (95%) tiveram manifestação favorável da Comissão, com a conseqüente confirmação no
Regime Especial de Trabalho. Em 8 casos (3,5%) a Comissão propôs a prorrogação do estágio para
um período de até 3 anos, em função das justificativas apresentadas pelo interessado. Somente 3
casos (1,3%) tiveram manifestação contrária da Comissão, pois os argumentos apresentados não
foram suficientes para justificar a permanência no regime de trabalho, em função da baixa produção
acadêmica.
Relatório Final de Estágio Probatório
Contrário: 2
Contrário: 1

Estágio Prorrogado: 8

Favorável: 216

140 | Relatório Anual de Gestão 2014

A Comissão recebeu ainda 64 Relatórios de Atividade Docente (Anuais ou Trienais). Em 43 processos,
os docentes não cumpriram o mínimo estabelecido pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão
(CEPE) como critérios mínimos para o desempenho docente. Levando em conta a folha de pagamento
de dezembro de 2014, isso corresponde a 1,22% dos docentes ativos na UNESP (3516).
Dos 64 relatórios analisados, nove não tiveram manifestação favorável da Comissão. Nestes casos,
para garantir o direito ao contraditório e à ampla defesa, o processo foi devolvido à Unidade para
que o Departamento e a Congregação se manifestassem em relação à conveniência de manter no
regime especial de trabalho (RDIDP ou RTC) um docente que não atendia ao mínimo estabelecido pela
Universidade para o Regime Especial.
Relatório Trienal/Anual
Contrário Passagem RTP: 8

Contrário: 1
Favorável excepcional: 1

Favorável: 54

Esgotadas todas as etapas, a CPA não aprovou o Relatório Trienal de Atividades de oito docentes, o
Relatório Final de Estágio de um e não opinou favoravelmente na solicitação de reconsideração de
supressão de quatro docentes. No total, houve indicação de 13 adequações de regime de trabalho
(0,37% dos docentes ativos da UNESP), às atividades desenvolvidas. Em muitos casos, os docentes
não possuíam qualquer tipo de publicação em toda a carreira e/ou também nunca orientaram um
estudante de iniciação científica com bolsa.

Relatório de Supressão
de Regime: 4

Relatório Final
de Estágio: 1

Relatório Trienal: 8

Houve ainda análise pela CPA de 142 solicitações de afastamento para o exterior e 73 para o país
(inclusive Autorização / Afastamento para exercer Atividade Concomitante Remunerada). Não houve
manifestação contrária a nenhum pedido, pois a CPA entendeu que todas eram convenientes para a
Universidade. Vale lembrar que 64 solicitações para o exterior e oito para o país foram concedidas em
caráter excepcional, pois os interessados não estavam confirmados no regime de trabalho.
Com relação à Carreira Docente, a CPA analisou solicitações da Progressão da Carreira Docente, de
Professor Assistente Doutor e Professor Adjunto, conforme Tabela 2. A Tabela 3 mostra esta análise
distribuída nas três categorias, MS3-2; MS5-2 e MS5-3.
Tabela 2: Detalhamento das manifestações da CPA
referentes à Progressão na Carreira Docente, no ano de 2014.
TOTAL
SOLICITADOS

APROVADOS

NÃO APROVADOS

610

578

32

Relatório Anual de Gestão 2014 | 141

Progressão na Carreira Docente 2014
Não aprovados: 32

Aprovados: 578

Tabela 3: Detalhamento das manifestações da CPA
referentes à Progressão na Carreira Docente, no ano de 2014, por categoria.
MS3-2

MS5-2

APROVADOS

NÃO
APROVADOS

315

13

MS5-3

APROVADOS

NÃO
APROVADOS

APROVADOS

NÃO
APROVADOS

25

3

238

16

350
300
250
200
150
100
50
0
APROVADOS

NÃO
APROVADOS

MS3-2

APROVADOS

NÃO
APROVADOS

MS5-2

APROVADOS

NÃO
APROVADOS

MS5-3

A CPA, conjuntamente com o Gabinete do Reitor, realizou um evento envolvendo docentes recém
ingressantes em regime especial de trabalho, no dia 22/05. Foram convocados 95 docentes e 73 deles
compareceram. Neste evento, foram dadas boas vindas aos novos docentes pela Vice-Reitora em
exercício da Reitoria, além da apresentação dos programas associados ao Plano de Desenvolvimento
Institucional (PDI) pelas Pró-Reitorias e Assessorias, finalizando com a CPA apresentando a legislação
associada ao trabalho docente.

142 | Relatório Anual de Gestão 2014

15

Coordenadoria Geral
de Bibliotecas
CGB

AÇÃO 1 - ESTABELECER POLÍTICAS DE DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES E DE
OBRAS RARAS PARA A REDE DE BIBLIOTECAS DA UNESP.
Meta 1. Estabelecer políticas de desenvolvimento e aquisição de coleções.
Por meio desta meta foi possível renovar as assinaturas de 23 bases de dados, 5 bases de e-books, 1
ferramenta de apoio ao Ensino, 602 títulos de periódicos nacionais e estrangeiros, Coleção de Normas
ABNT, 1 ferramenta de apoio para classificação de material bibliográfico e distribuição de verba para
a aquisição de livro didático para as 33 bibliotecas da Rede.
1.1. Programas de Seleção, Aquisição, Desenvolvimento e Avaliação de Acervo.
A Coordenadoria Geral de Bibliotecas no ano de 2014, por meio do Programa de Seleção, Aquisição,
Desenvolvimento e Avaliação de Acervo procurou atender as assinaturas de periódicos estrangeiros
e nacionais, bases de dados e distribuição de verba para aquisição do livro didático disponibilizando
o conteúdo que contemple os cursos, tanto de graduação como de pós-graduação existentes na
Universidade.
No intuito de apresentarmos um panorama quantitativo dos títulos de periódicos estrangeiros e
nacionais assinados e/ou suspensos entre outras informações significativas, demonstradas nos
gráficos a seguir:
a. Assinatura de Periódicos Estrangeiros executadas em 2014.
O gráfico 1.1.1 apresenta a quantidade de títulos de periódicos estrangeiros assinados via licitação e
dispensa de licitação.
Assinatura de Periódicos Estrangeiros
348

117

Licitação (pregão)
Antecipações
de assinaturas para 2015

Dispensa de licitação
(exclusividade)

Gráfico 1.1.1: Quantidade de títulos de periódicos estrangeiros assinados via licitação e dispensa de licitação.

b. Periódicos Estrangeiros cessados e suspensos em 2014.
Informamos que alguns títulos de periódicos estrangeiros não foram assinados por estarem cessados
ou suspensos, conforme apresentado no gráfico abaixo:
Periódicos estrangeiros cessados ou suspensos
22

Gráfico 1.1.2: Quantidade de títulos periódicos cessados ou suspensos.

c. Periódicos Estrangeiros de Acesso Livre (FREE).
No ano de 2014, 25 títulos deixaram de ser assinados, por estarem disponíveis em acesso aberto.

Relatório Anual de Gestão 2014 | 145

d. Assinatura de Periódicos Nacionais
Durante o período de 2014 foram renovadas as assinaturas de periódicos nacionais para Rede de
Bibliotecas da UNESP e para o Grupo de Informações Documentárias (GID) - Reitoria, conforme
quantitativo demonstrado no gráfico abaixo:
Assinatura de periódicos nacionais 2014
103

34

Repasse GID

Rede de Bibliotecas

Gráfico 1.1.3: Quantidade de renovações de assinaturas de periódicos nacionais para a rede de bibliotecas e para o Grupo de
Informações Documentárias (GID).

e. Verba para Aquisição de Livro Didático
Durante o período de 2014 foi distribuído, tendo como base os critérios de distribuição aprovados
em Reunião de Diretores de Biblioteca e Presidentes de Comissão, o valor de R$ 1.500.000,00 para
aquisição de livros didáticos para a Graduação. As Unidades Universitárias conseguiram utilizar R$
1.490.722,26 do total destinado para esta demanda.
Os dados relativos a quantidade de exemplares adquiridos do ano de 2014 ainda não foram totalmente
fornecidos pelas bibliotecas, visto que muitas ainda estão recebendo os livros adquiridos.
f. Assinatura de Bases de Dados
Durante o período de 2014 por meio do Programa de Seleção, Aquisição, Desenvolvimento e
Avaliação de Acervo foi possível assinar diversas bases de dados, conforme gráfico abaixo:
Percentual de bases de dados assinadas no ano de 2014
9%

22%

43%

Ciências Biológicas
Ciências Humanas
Ciências Sociais Aplicadas
Ciências Exatas e da Terra
Ciências da Saúde
Multidisciplinar

4%
13%

9%

Gráfico 1.1.4: Distribuição percentual das bases de dados assinadas por área de conhecimento.

g. Assinaturas de Ferramentas de Apoio à Comunidade:
- Renovação da assinatura da ferramenta de detecção de plágio Turnitin;
- Renovação de contrato de serviço de assistência técnica e uso de licença de software da empresa
EFA Marília Informática utilizado na atividade de intercâmbio de periódicos publicados pela UNESP.
h. Assinatura da Coleção de normas ABNT:
- Renovação de assinatura da Coleção de Normas Técnicas da Associação Brasileira de Normas
Técnicas (ABNT).
i. Assinatura da Ferramenta de apoio para classificação de material bibliográfico:
- Renovação da assinatura eletrônica do Webdewey, código de Classificação Decimal Dewey (CDD)
para a Rede de Bibliotecas da UNESP.

146 | Relatório Anual de Gestão 2014

1.2. Outros programas.
a. Programa de divulgação.
a.1. Cartazes para Semana do Livro e da Biblioteca: confecção de 249 cartazes impressos, sendo 16
artes de unidades e 16 cópias de cada. Os cartazes são confeccionados antes do evento com temáticas
comuns a todas as unidades e são expostos antes e durante a semana para divulgação. Para o ano
de 2014, o tema dos cartazes foi "Pesquisadores que apoiam o Acesso Aberto à Produção Científica".
A comemoração se dá pela Semana Nacional do Livro e da Biblioteca, instituída nacionalmente por
decreto nos dias 23 a 29 de outubro de cada ano. O evento tem temáticas específicas, oficinas,
cursos, palestras e feiras de troca de livros, onde busca aproximar a comunidade das bibliotecas.
b. Programa de Valorização da Informação Eletrônica.
b.1. Quantidade de títulos de periódicos científicos estrangeiros pertencentes ao Núcleo de Periódicos
disponíveis em formato "online" e "impresso e online", conforme gráfico abaixo:
Periódicos eletrônicos
1934

Gráfico 1.2.1: Quantidade de periódicos eletrônicos pertencente ao Núcleo de Periódicos.

b.2. Títulos de periódicos científicos estrangeiros do núcleo básico, não assinados porque estão
disponíveis no Portal de Periódicos Capes e bases de dados de texto completo assinadas pela UNESP,
conforme gráfico abaixo:
Títulos no Portal de Periódicos Capes e bases de dados de
texto completo assinadas pela UNESP
1640
78

CAPES

Bases de dados assinadas

Gráfico 1.2.2: Quantidades de periódicos no Portal CAPES e de base de dados de texto completo assinadas pela Unesp.

b.3. Acesso a livros eletrônicos (e-books) por assinatura e compra perpétua:
Por meio do Programa de Valorização da Informação Eletrônica no ano de 2014 foi disponibilizada
a quantidade de bases de e-books por área do conhecimento, conforme tabela abaixo:
Bases de dados de e-books por área de conhecimento
Engenharias: 1

Multidisciplinar: 4

Gráfico 1.2.3: Quantidade de base de dados de e-books por área de conhecimento.

Relatório Anual de Gestão 2014 | 147

c. Programa de Capacitação dos Bibliotecários das Strauds e CGB.
Realizou se treinamentos a distância e gratuitos, direcionados especialmente para novas tecnologias
(plataformas e bases de dados) com o objetivo de ensinar e divulgar o uso desses novos produtos,
para profissionais da Rede:
- Treinamento de Base de dados VLex Global Academic (21/02/2014)
- Centro de Recursos de Aprendizagem e Investigação - CRAI como modelo de Biblioteca Universitária
na Europa (28/03/2014)
- Apresentação Zotero - Gerenciador de referências (03/04/2014)
- Apresentação Mendeley - Gerenciador de referências (09/04/2014)
Os treinamentos propiciam aos participantes um maior conhecimento dos conteúdos oferecidos pelas
editoras, de maneira que esse conhecimento possa ser repassado para a comunidade acadêmica da
Unesp.
d. Serviço de Empréstimo entre Bibliotecas (Extra-Unesp) ­ Solicitante.
Período: Janeiro à Novembro.
Títulos solicitados à UNICAMP, por unidade
13
19

17

15
9
5

4

3

AR
TE

ET

E

PR
D

IO
O

TO

R

S
O

S

O

S
AM
C

IT

U

D
J.

IN

S.

ST

C
D
S.

G

J.

IL

U

PO

O
LA

ÍL
IO

H

A

R

SO

AR

LT
E

U
N

R

IA

A

1

IR

Á
ET

A
C
AR

AT
I

BO

FR

G

C
TU

AN

AT
U

R
BA

U

SI
AS

U

S

L
C

AQ
AR

3

1

AR

AR

AR

AQ

U

U

AR

AR

A/

A/

FF

FC

F

1

M

1

Gráfico 1.2.4: Quantidade de títulos solicitados, pelo serviço de empréstimo entre bibliotecas, à Unicamp por unidade.

Títulos solicitados à USP, por unidade
72

44

41
28
10

3

1

8

10
4

24
8

1

10
4

AR

AR


A
AR TUB
A/
AQ
AR
FO
AR UA
AQ RA
/F
U
C
AR
F
AR
A
AR
/F
FC
AQ
L
U
AR
A/
IQ
AS
SI
S
BA
U
R
BO
U
TU
BO
C
TU
AT
C
U
AT
U
/F
C
A
G
FR
U
AN
AR
AT
C
A
IN
G
U
ET
Á
IL
H
A
SO IFT
LT
EI
R
A
IT
PR
A
ES
PE
ID
VA
M
EN
AR
TE
ÍL
PR
IA
U
D
EN
R
TE
S.
IO
J.
C
LA
D
O
R
S
S.
O
C
J.
AM
D
O
PO
IN
R
S
ST
IO
IT
PR
U
TO
ET
O
D
E
AR
TE
S

1

24

20

20

Gráfico 1.2.5: Quantidade de títulos solicitados, pelo serviço de empréstimo entre bibliotecas, à USP por unidade.

148 | Relatório Anual de Gestão 2014

e. Serviço de Empréstimo entre Bibliotecas (Extra-Unesp) ­ Fornecedora.
Período: Janeiro à Novembro.
Títulos fornecidos à UNICAMP, por unidade
12

4
2

2
1

S

S

PO
AM
C

E

S

D
ST

S.

IT

J.

U

D

O

TO

R
O
D
J.

IN

S.

1

AR
TE

ET
PR
IO

C
IO
R

AR
G
U

AQ
AR

AR

O

O
R
LA

ÍL
AR
M

AT
I

N

FR

1

IA

Á

C

A

1

ET

C
TU
BO

U

1

AN

AT
U

U
R
U
BA

AR

A/

AS

FF

SI

C

S

L

1

G
U

2

Gráfico 1.2.6: Quantidade de títulos fornecidos, pelo serviço de empréstimo entre bibliotecas, à Unicamp por unidade.

Títulos fornecidos à USP, por unidade
21
15

14
8

8
6

1

1

1

2

1

U
R
BO
U
BO
TU
C
TU
AT
C
U
AT
U
/F
C
A
FR
G
U
AN
AR
C
AT
A
I
IL NG
H
A UE
SO TÁ
LT
EI
JA
R
BO
A
T
PR
IC
AB
ES
ID
AL
M
EN
AR
TE
ÍL
PR
IA
U
D
EN
TE
R
IO
C
LA
R
R
O
S.
IO
J.
C
LA
D
O
IN
R
R
O
ST
IO
IT
PR
U
TO
ET
D
O
E
AR
TE
S

1

BA

S
SI
AS

FC
L
A/

AR
AQ
U

AR
AR

AR

AR

AQ
U

AR

A/

FC
L

1



4
2

TU

7

T

9

IF

15

Gráfico 1.2.7: Quantidade de títulos fornecidos, pelo serviço de empréstimo entre bibliotecas, à Unicamp por unidade.

f. Atuação da UNESP no Empréstimo entre Bibliotecas (Extra-Unesp).
Atuação da Unesp no EBB com a UNICAMP
22% - Fornecedor UNESP

78% - Solicitante UNESP

Gráfico 1.2.8: Relação percentual Unesp-Unicamp na atuação pelo serviço de empréstimo entre bibliotecas.

Relatório Anual de Gestão 2014 | 149

Atuação da Unesp no EBB com a USP
26% - Fornecedor UNESP

74% - Solicitante UNESP

Gráfico 1.2.9: Relação percentual Unesp-USP na atuação pelo serviço de empréstimo entre bibliotecas.

g. Serviço de Intercâmbio de Publicações.
Serviço de Intercâmbio de Publicações em 2014
3923

1204

Fascículos de periódicos
recebidos em
permuta ou doação

Fascículos de periódicos
UNESP enviados em
permuta ou doação

Gráfico 1.2.10: Quantidade de fascículos de periódicos recebidos e enviados em permuta ou doação.

Meta 1 ­ Valor investido: R$ 3.825.563,03. Sendo o valor de R$ 3.125.563,03 do Programa PDI e
R$ 700.000,00 do recurso PROAP ­ PROPG.
h. Programa de Modernização da Infraestrutura Tecnológica e de Segurança das Bibliotecas
Programa voltado para a modernização na prestação de serviços de qualidade aos usuários da Rede
de Bibliotecas, mais especificamente no processo de informatização de serviços e rotinas, com a
aquisição e renovação de manutenção de softwares/hardwares que possibilitem o armazenamento de
dados, a pesquisa, o acesso e a disseminação de recursos de informação (livros, periódicos, bases
de dados) em distintos suportes (impresso, eletrônico e digital) para a comunidade acadêmica, bem
como, aquisição de equipamentos que possibilitem a segurança nos empréstimos realizados pelo
sistema Aleph.
Dentre estes serviços e produtos, com manutenção paga em 2014, estão: Aleph, Digitool, Metalib/
SFX, SIP2, RFID (para as bibliotecas de Bauru e Rio Claro), OCLC, Primo e Primo Central, Biometria e
scanner planetário.
i. Programa de Acesso ao Conteúdo Digital
Programa inserido para promover o acesso de toda comunidade unespiana ao acervo de teses,
dissertações, TCC's, de livros digitais e de coleções especiais, aumentar o tempo de estudo e de
pesquisa, aprimorar o rendimento na obtenção e uso da informação científica visando à produção
do conhecimento, desenvolvimento do ensino e de extensão de forma ética e potencializar o uso
dos recursos informacionais científicos e tecnológicos disponíveis para a comunidade acadêmica.
Destaca-se processamento desenvolvido com as coleções de: - parte da coleção do Lívio Xavier
(livros); - o periódico A Cigarra da coleção Periódicos Paulistas; - os itens do Atlas de sensibilidade
ambiental ao óleo, da coleção Mapas-São Paulo. Total de dados: - 34 correções de metadados; 663 flippinbooks; - 914 renomeações de arquivos (PDFs e .jpg); - 585 inserções de tumbnails; - 655
inserção e testes de links; - 1.247 verificações de arquivos; - 351 envio de arquivos (rar, PDFs e .p2bp)
a Central; - 12.129 paginas de PDFs analisadas e organizadas; - 189 pastas pesquisadas no storage.
j. Programa de Educação Continuada aos Servidores e Participação em Eventos
O programa de educação continuada aos servidores por meio de capacitações, cursos, reuniões e

150 | Relatório Anual de Gestão 2014

participação em eventos foi instituído para elevar o nível dos profissionais alocados nas bibliotecas
promovendo a capacitação contínua a fim de habilitar os recursos humanos da rede para a realização
de atividades que permitam atingir padrões de excelência para os serviços e produtos da rede de
bibliotecas, fundamentais na produção do conhecimento, desenvolvimento de ensino e de extensão.
Neste ano destacamos a participação de: - bibliotecários da rede de bibliotecas no Seminário Nacional
de Bibliotecas Universitárias, em Belo Horizonte, com a apresentação de 16 trabalhos científicos; - 6
bibliotecários, membros do Grupo de Normalização da rede de bibliotecas, no curso de "Padronização
de livros e periódicos", promovido pela ABNT; - 1 bibliotecário no curso online "Virando a página:
mudanças no negócio editorial e transformações na publicação de conteúdos - formação à distância";
- Contratação do curso de Estratégias de Busca Cochrane e Saúde Baseada em Evidências para
Profissionais da UNESP para 40 bibliotecários a ser realizado em 2015; - Colaboração para a realização
da I Jornada sobre Gestão e Desenvolvimento de Coleções Especiais da Unesp, realizada no período
de 22 e 23 de Abril de 2014, em Araraquara FCL.
k. Programa de Acessibilidade Visual e Auditiva ao Acervo Bibliográfico das Bibliotecas da Rede Unesp
Programa desenvolvido para implementar ações voltadas à acessibilidade para a comunidade
acadêmico-científica da Unesp e ao cidadão com necessidades especiais visuais, permitindo o acesso
aos recursos bibliográficos e informacionais e a utilização dos serviços oferecidos pelas bibliotecas da
rede Unesp com a disponibilização de tecnologias assistivas e capacitação de usuários e servidores.
Etapas desenvolvidas neste ano: - Capacitação dos bibliotecários e Asa's das bibliotecas dos Campus
de Assis e Presidente Prudente, para o atendimento aos usuários portadores de necessidades especiais
para o atendimento ao usuário com Deficiência no Ensino Superior", pelo Prof. Dr. Eduardo José
Manzini, docente do Departamento de Educação Especial da FFC ­ Campus de Marília; - Participação
no VIII Seminário Nacional de Bibliotecas Braille - SENABRAILLE, ocorrido em São Paulo, de 28 a 30
de abril de 2014.
l. Programa de Avaliação e Divulgação de Serviços e Produtos nas Bibliotecas da Rede
Programa proposto para avaliar, por meio da aplicação de indicadores de qualidade, os serviços e
produtos prestados pela biblioteca permitindo revisar os objetivos do serviço, o modo de atuar e o
modelo de gestão, impulsionando o processo evolutivo de autocrítica e promovendo, através de seus
resultados, a solução dos problemas identificados na instituição e para divulgar, junto à comunidade
acadêmica, os novos recursos informacionais por meio de cartazes, folders, quick-cards, entre outros.
Destacam-se: a confecção de folders para divulgação do Repositório Institucional e aplicação de
questionário integral de avaliação de serviços e produtos disponíveis aos usuários da Biblioteca
de Assis ­ enviados 6.725 e-mails e recebidas 228 respostas completas e também aplicação um
questionário contemplando 3 perguntas de avaliação de serviços das bibliotecas da rede.
m. Programa de Conservação e Preservação do Acervo Bibliográfico
O Programa de Conservação e Preservação do Acervo Bibliográfico neste ano contemplou a sanitização
de 34 bibliotecas da rede Unesp, em virtude da quantidade do acervo bibliográfico nas bibliotecas e a
qualidade do ar de interiores climatizados, com o objetivo de preservar e controlar a deterioração de
móveis e livros; proteger funcionários, docentes e alunos contra bactérias, ácaros e fungos e impedir
a proliferação de microrganismos nocivos aos acervos.
n. Programa de Implementação do Banco de Dados Bibliográficos Athena
Programa proposto com a finalidade de maximizar e otimizar o acesso às coleções que representem,
de fato, o acervo global da Universidade com a formação de um banco de dados bibliográficos
consistentes e compartilhado, disponibilizando o mais rápido possível a localização e o acesso à
informação para toda comunidade acadêmico-científica, contribuindo assim para o desenvolvimento
do ensino, pesquisa e extensão. Para isso, neste ano continuou as atividades para cumprir com a
Contratação da empresa especializada "Espaço & Conhecimento e Cultura Ltda. pela Ata de Registro
de preços nº11/2013 ­ Runesp para processar 60.543 registros bibliográficos do acervo ainda não
catalogado, priorizado por cada unidade, visando diminuir o déficit existente nas bibliotecas e voltado
também em manter um grupo especializado em catalogação, composto por bibliotecários da rede para
promover uma mediação entre os bibliotecários catalogadores da rede de Bibliotecas da Unesp com
finalidade viabilizar o processo contínuo de catalogação possibilitando o acesso e recuperação do
acervo informacional da rede de bibliotecas da Unesp e o gerenciamento do Banco Athena e Reuniões
do Grupo de Catalogação para estabelecimento de fluxos e diretrizes de trabalho para a rede de

Relatório Anual de Gestão 2014 | 151

bibliotecas da Unesp. Atividades desenvolvidas neste ano: - Reuniões do Grupo por videoconferência
e skype; - Atendimento aos bibliotecários da rede de bibliotecas nas questões relativas à catalogação
de registros bibliográficos; - Atualização dos padrões de catalogação dos diversos materiais a ser
divulgado no ano de 2015; - Elaboração de FAQs.
o. Programa de Implementação do Repositório Institucional
O Repositório Institucional da UNESP tem como proposito armazenar, preservar, divulgar e dar
acesso à produção científica, acadêmica e administrativa da universidade. Neste ano, em 29/10, para
comemorar 1 ano da implantação do repositório Institucional UNESP, foram realizadas atividades na
sala do CO ­ Reitoria e Auditório da Biblioteca Mario de Andrade, com a participação de profissionais
ligados á área. Entre as atividades realizadas, pela equipe do Repositório Institucional, neste ano para
implementação e desenvolvimento do RI, ressaltamos: 1 - Inclusão de: - aproximadamente 15 mil
registros provenientes da base de dados Web Science referentes à produção científica institucional
de 1976 a 2007 e 2013 a 2014 (parcial); - aproximadamente 15 mil registros provenientes da base de
dados Scopus referentes à produção científica institucional de 1976 a 2013; - 880 artigos publicados
em 2013 e no início de 2014 por autores da UNESP em periódicos da SciELO; - aproximadamente
21 mil dissertações de mestrado e teses de doutorado defendidas nos programas de pós-graduação
da UNESP e que já estão disponíveis em formato digital; - 143 patentes de autoria de pesquisadores
da UNESP, em parceria com a Agência Unesp de Inovação (AUIN); - aproximadamente 300 e-books
das coleções PROPG Digital e Fundação Editora UNESP em parceria com a Fundação Editora
UNESP. 2 - Melhoria de dados com: - Coleta e armazenamento dos arquivos PDF que não podem ser
disponibilizados no Repositório por questões de direitos autorais, mas que devem ser mantidos para
propósitos de preservação e memória (em andamento); - Revisão e padronização dos dados (atividade
constante). 3 - Configuração e aprimoramento do ambiente digital (software DSpace): - Migração
do Repositório para uma instalação exclusiva do software DSpace: - Configuração, realização de
testes e customização da interface do software; - Atualização do Dspace; - Inclusão do novo logotipo
do Repositório; - Elaboração de estatísticas de acesso e de download; - Inclusão de links para a
Web of Science, Scopus, estatísticas do artigo na SciELO, fator de impacto do periódico (ISI Web of
Knowledge), Sherpa/RoMEO e Biblioteca Virtual da Fapesp; - Inclusão de links para compartilhamento
na web (Facebook, Twitter, Google+, LinkedIn e email); - Desenvolvimento de aplicativos para auxiliar
nas tarefas de gestão dos dados/metadados. 4 - Planejamento e implantação de serviços: - Elaboração
de uma proposta para o autoarquivamento de dissertações e de teses no Repositório; - Configuração
do software utilizado no Repositório (DSpace) para o autoarquivamento; - Elaboração de folder e
materiais de divulgação; - Elaboração de tutoriais para o preenchimento dos formulários de submissão
(autoarquivamento de dissertações e teses e patentes); - Elaboração de tutoriais para a revisão das
submissões de dissertações e teses; - Reunião com a Rede de Bibliotecas para apresentação e
discussão sobre o autoarquivamento; - Elaboração do texto da resolução que define a implantação do
autoarquivamento de dissertações e teses na Unesp.
- Elaboração de um manual de procedimentos das atividades permanentes do Repositório (em
andamento). 5 - Divulgação/promoção interna e externa do Repositório: - Reunião com a Rede de
Bibliotecas e com os Grupos de Trabalho com a participação de convidados externos; - Participação
da conferência internacional Biredial - ISTEC 2014 (Porto Alegre) para conhecimento e discussão
acerca dos temas atuais relacionados aos repositórios e ao acesso aberto; - Participação na 4ª
CONFOA (Coimbra, Portugal) e o no 18º SNBU (Belo Horizonte) com apresentação de trabalho
sobre o Repositório; - Participação na Semana da Biblioteca no Campus de Marília e de Bauru com
palestra sobre o Repositório; - Realização de evento na Reitoria e na Biblioteca Mário de Andrade
em comemoração ao 1º ano do Repositório. 6 - Aquisição da ferramenta Metada Quality e Handley.
7-Contratação de 3 estagiários para apoio as atividades do RI
p. Implantar a Política de Indexação para as 33 Bibliotecas da Rede Unesp.
Grupo de Política
Durante o ano de 2014, o grupo finalizou a análise de avaliação da consistência da linguagem,
consolidou a proposta de politica e finalizou a redação do Manual de Política de Indexação da Rede
de Bibliotecas da UNESP que resultará na publicação de um livro sobre a politica de indexação na
Unesp no ano de 2015. Houve a apresentação do Manual de Política de Indexação para as diretoras de
bibliotecas, por meio de videoconferência, e para os bibliotecários presentes na capacitação Indexação
de textos narrativos de ficção. Capacitação presencial, para 20 bibliotecários de cada unidade, nos

152 | Relatório Anual de Gestão 2014

dias 04 e 05/09, do curso "Indexação de textos narrativos de ficção", ministrado pela professora Deise
Maria Antônio e reproduzido por videoconferência no dia 07/11 para 14 unidades que não puderam
comparecer presencialmente.
q. Grupo de Linguagem
O Grupo de Linguagem foi formado com o objetivo de estudar a sistematização de rotinas com a
finalidade de acompanhar a construção, manutenção e a forma de disponibilização da linguagem para
a estratégia de busca do catalogador e do usuário propiciando a mediação dos documentos indexados
pelos catalogadores. Atualmente conta com os seguintes membros: Profa. Dra. Mariângela Spotti
Lopes Fujita, Prof. Walter Moreira, Janaina Celoto Guerreiro, Laura Inafuko, Lucia Parra, Minervina
Lopes, Rosane Ribas, Silvana Fagundes, Maria Marlene Zaniboni, Claudio Matsumoto, Sulamita
Colnago, Telma Silveira.
Ações desenvolvidas neste ano: Capacitação da formação inicial em Terminografia, realizada em
São Paulo, no dia 28/04/2014; Elaboração de formulário para inclusão de termos novos na base de
registros de autoridades assunto e Colaboração na elaboração do Manual de Política de Indexação.
r. Promover a competência informacional de 100% dos bibliotecários e usuários da UNESP para uso
de recursos de informação.
Este programa tem como finalidade preparar a comunidade acadêmica para as atividades de ensino,
produção e disseminação do conhecimento no contexto da sociedade da informação, tendo em vista
os desafios da Universidade, em particular aqueles relacionados à internacionalização, fluência digital
e inclusão social, bem como, tornar a biblioteca mais participativa do processo de aprendizagem,
produção e disseminação do conhecimento relacionado às atividades de pesquisa e extensão de
qualidade na Universidade, de forma a contribuir para o alcance dos objetivos e metas da universidade.
No corrente ano destacamos: participação dos membros do Grupo de estudo de Competência
Informacional no III Seminário de Competência Informacional: cenários e tendências, ocorrido NA
FFC ­ Unesp Marilia, no período de 2 e 3 de setembro de 2014; participação dos membros do Grupo
de estudo de Competência Informacional, por videoconferência, na palestra intitulada "Programa de
integração de CI do currículo da Universidade de Porto Rico", proferida pela Profa. Dra. Snejanka
Penkova, da Universidade de Porto Rico; elaboração e aplicação do questionário sobre busca e uso
de informações cientificas, como projeto piloto na biblioteca de SJRP e estudo sistematizado sobre CI
pelos membros do Grupo.
s. Grupo de Estudo de Normalização
Este Grupo tem como finalidade estudar e avaliar as normas técnicas de documentação, com o
objetivo de elaborar produtos e serviços informacionais que auxiliem a comunidade acadêmicocientífica da Unesp na produção de documentos. Atividades desenvolvidas neste ano: - Atendimento
aos bibliotecários da rede de bibliotecas nas questões relativas às normas de documentação;
- Participação dos membros do grupo no curso "Padronização de Livros e Periódicos" da ABNT;
- Apresentação do trabalho "Uso de ferramentas colaborativas em trabalho coletivo" no Seminário
Nacional de Bibliotecas Universitárias (SNBU), ocorrido no período 16 a 21 de novembro de 2014.
- Participação de um membro do Grupo na Comissão de Estudo de Identificação e Descrição - CE14:000.03 e Comissão de Estudo de Documentação - CE-14:000.01 da ABNT, único foro nacional de
normalização, para discutir e estabelecer por consenso, regras, diretrizes ou características para suas
atividades. - 19 Reuniões do Grupo (1 presencial, 15 por skype e 4 por videoconferência)

Relatório Anual de Gestão 2014 | 153

16
Agência Unesp
de Inovação
AUIN

1. BREVE CONTEXTUALIZAÇÃO DA AUIN-UNESP
Agência de Inovação AIUN-UNESP foi criada em 20/07/2007, como um Núcleo de Inovação
Tecnológica na Unesp (Resolução UNESP nº 44 de 20/07/2007). Em 2009, o núcleo passou a condição
de Agência de Inovação, seguindo o modelo da USP e UNICAMP, que já tinham seus escritórios de
forma consolidada. Em 08/10, o Conselho Universitário (CO) delibera a integração da AUIN ao Estatuto
e ao Regimento Geral da Unesp em atendimento à Lei Federal 10.973/2004.
Em 2014 a AUIN comemorou cinco anos de criação, estando na fase atual tentando se consolidar como
uma agência de excelência nas atividades fins dentro da UNESP (Prospecção, identificação, elaboração
de documentos e depósitos de patentes de pesquisas realizadas em todas as áreas de pesquisa;
identificação das pesquisas protegidas para prospectar empresas e órgãos/institutos públicos e de
natureza mista para a transferência de tecnologia). Com orçamento anual pequeno e decrescente
desde sua origem, quando comparado ao tamanho da UNESP e das coirmãs INOVA-UNICAMP e
Agência USP, a AUIN vem apresentando resultados bastante significativos, indicando crescimento
crescente. A sua importância para a UNESP foi evidenciada no último ranking RUF, publicado pela
Folha de São Paulo, em 2014, sobre o desempenho das universidades nacionais e dos indicadores
de qualidade atribuídos para graduação, pós-graduação, pesquisa e inovação. A UNESP contabilizou
posição destacada entre as melhores universidades brasileiras, posição destacada pelo número de
instituições brasileiras avaliadas, tendo o quesito inovação obtido a sétima posição (7), demonstrando
a contribuição da AUIN para a classificação geral da UNESP, nestes 5 anos de existência e com um
orçamento anual médio de R$ 218.000,00 e um PDI médio de R$ 169.200,00.
A AUIN construiu nestes poucos anos de existência um plano de atuação em completa sintonia
com o Plano de Gestão Institucional "Excelência Institucional" (Reitor Julio Cezar Durigan 20112015), cuja meta é colocar a Unesp nos rankings das chamadas universidades de classe mundial. As
universidades de classe mundial têm, além da excelência acadêmica em todos os níveis, Núcleos de
Inovação Tecnológicas robustos medidos pela relação produção de pesquisa de impacto/patentes/
transferências de tecnologias equilibrados, orçamentos substanciais e importância institucional
comparada aos demais setores.
O presente relatório apresenta os indicadores de produção da propriedade intelectual, prospecção de
transferência de tecnologia da UNESP e várias ações que foram realizadas objetivando a criação da
cultura da inovação tecnológica no âmbito da UNESP, no ano de 2014.

2. INDICADORES DA PRODUÇÃO INTELECTUAL E TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA
EM 2014
2.1. Indicadores da produção intelectual em 2014
Na Unesp a relação artigos publicados e proteção de propriedade intelectual é ainda muito discrepante
como pode ser avaliado pela Tabela 1. Ao longo dos últimos 5 anos da AUIN, a nossa universidade
registrou 102 documentos de patentes, dos quais 31 depósitos foram feitos pela AUIN em 2014,
demonstrando o papel catalisador da Agencia para a proteção intelectual da UNESP, visando a
transferência de conhecimento, como instrumento de desenvolvimento econômico e social do país.
Analisando ainda os dados da produção acadêmica da UNESP no mesmo período, observa-se que
o número de patentes gerados na UNESP são muito incipientes e que carecem de reflexão dentro do
atual contexto da UNESP e também das universidades paulistas e de algumas federais, que após a
criação da Lei de Inovação deram um salto qualitativo e quantitativo no índice patentes e transferências
de tecnologia, um exemplo é a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).
Portanto, uma das missões da AUIN é criar mecanismos que possibilitem um maior aumento o número
de patentes da UNESP, dentro do padrões de qualidade das universidades incluídas nos melhores
rankings nacionais e internacionais. Neste sentido, a AUIN necessita de grande apoio institucional para
consolidação, criação e propagação da cultura da proteção intelectual das pesquisas realizadas pelos
docentes, pesquisadores e alunos. Resultados de pesquisa inovadora produzidos pelos inúmeros
laboratórios de pesquisa podem resultar em patentes, aumentando o portfólio de transferência de
tecnologia da UNESP para empresas e/ou governo.
Um aumento de mais de 105% no número de patentes da UNESP após a criação da AUIN demonstra
uma atuação destacada da Agência, contribuindo para o processo nacional de ciência, tecnologia e

Relatório Anual de Gestão 2014 | 157

inovação, destacado nos últimos Fórum e Worshops ocorridos na FIESP, nos Workshops organizados
pela FAPESP, ABC e FINEP ocorridos entre 2013-2014.
Os índices apresentados na Tabela 1 são melhores entendidos a partir do gráfico 1 onde encontramse os dados de todas as comunicações de invenção (CI) que entraram na AUIN para análise, e dos
documentos de patentes depositados entre 2010 e 2014, e que podem ser melhor vislumbrado a partir
dos dados expostos no gráfico 2. O índice de patentes depositadas é ainda muito baixo, indicando
que as comunicações de invenção apresentadas são de pesquisas em estágio muito inicial ou que
demandam estudos adicionais de prova de conceito, essenciais a um documento de patente robusto
e competitivo. Um desafio da AUIN para 2014 é minimizar este problema.
Tabela 1. Relação de artigos científicos/patentes publicados pela UNESP nos últimos 4 anos.
Ano

2010

2011

2012

2013

2014

Depósitos de
Patentes

13

18

18*

22*

44***

Produção de
Artigos#

3336

3480

3519

3519

3686

Patente / Artigo
(%)

0,39

0,42

0,51

0,51

1,19

# Artigos em períódicos internacionais; * 2PCT; **6 PCT; ***12 PCT; PAPI-FAPESP

Nos gráficos 1 e 2 o número de patentes atuais que foram submetidas a um minucioso critério de
priorização, demonstram um aumento bastante significativo em 2014. O número de depósitos de
invenções em 2014 totalizaram 44, destaque especial para os 12 depósitos internacionais ­ PCT, que
aumentaram substancialmente devido ao apoio financeiro FAPESP, com o projeto PAPI Institucional
"AS MELHORES PRATICAS INTERNACIONAIS EM PROSPECCAO, GERENCIAMENTO DE PESQUISA
E TRANSFERENCIA E TECNOLOGIA PARA CONSOLIDACAO DAS ATIVIDADES DE UM NUCLEO
DE INOVACAO TECNOLOGICA" aprovado pela FAPESP, processo 2012/50243-4 que permitiram o
registro de patentes internacionais da UNESP pela primeira vez em seus 39 anos de existência.
A tabela 2 mostra os principais indicadores e índices de produção de desempenho da UNESP,
ressaltando, assim os índices de produtividade da AUIN, nos últimos 5 consecutivos, incluindo
2014. A leitura dos dados constantes mostram que a AUIN vem desempenhando seu papel de
forma satisfatória, independente do orçamento restritivo, e mostrando que é fundamental para o
desenvolvimento da excelência da UNESP, no contexto das sociedades do conhecimento. Como uma
universidade pública de excelência deve também contribuir para o desenvolvimento tecnológico e
social do estado e do país. Entendemos que os problemas econômicos estão afetando o orçamento
das universidades paulistas, no entanto, o apoio institucional da gestão atual e das que irão suceder
nos anos seguintes são essenciais para consolidação da AUIN, e do sistema de P&D da UNESP que
passa obrigatoriamente pela gestão e eficiência da AUIN.

158 | Relatório Anual de Gestão 2014

Comunicações de invenção
Depósitos Pedidos Patentes (prioridades)
Extensões internacionais (PCT)
Contratos Conjuntos P&D
Licenciamentos

2012

2011

2014

2013

Gráfico 1. Programa incentivo à proteção do conhecimento e inovação, nos últimos 4 anos.

Pedidos
de Patente
(pioridades)

PCT

Fases
Nacionais

Desenhos
Industriais

Programas de
Computador

Cultivares

Marcas

227

35

48

8

78

0

144

Pedidos de Patentes
35

Prioridades
PCT

30
25
20
15
10

2014

2013

2012

2011

2010

2009

2008

2007

2006

2005

2004

2003

2002

2001

2000

1999

1997

1995

1993

1992

1991

1990

1986

0

1980

5

Gráfico 2. Panorama da propriedade industrial da Unesp, mostrando um crescimento mais planejado e dentro do esperado
sobre os pedidos de patentes e dos registros no INPI a partir de 2010.

Relatório Anual de Gestão 2014 | 159

Tabela 2. Principais indicadores de desempenho da UNESP, destacando-se os índices de
produtividade obtidos para a AUIN, em 5 anos.
Ano

2011

2012

2013 (metas)

2013 (real)

2014
(metas) *

Número Docentes RDIDP

3060

3060

3060

3090

3090

Número Docentes PQ/CNPq

670

728

728

747

747

Número Comunicações de Invenção

42

65

72

73

80

1. Índice de CI

0,01373

0,02124

0,02353

0,02362

0,02589

Número de Patentes Depositados

18

19

21

26

28

2. Índice de PI

0,00588

0,00621

0,00686

0,00841

0,00906

Número de projetos em parceria
firmados

6

4

5

3

4

0,00131

0,00163

0,00097

0,00129

3. Índice de projetos inovadores em
parceria
Número de contratos de licenciamento

3

1

2

2

3

4. Índice de licenciamento

0,17

0,05

0,10

0,08

0,11

1. índice de comunicações de invenção (IC) número de comunicações de invenção dividido pelo número de docentes RDIDP);
2. índice de pedidos de patentes depositados junto ao INPI (IP) número de pedidos de patentes dividido pelo número de docentes
RDIDP);
3. índice de projetos de inovação em parceria (número de projetos em parceria dividido pelo número de docentes ativos em
RDIDP);
4. índice de licenciamentos (número de licenciamentos dividido pelo número de pedidos de patentes depositados).
* crescimento de 10%

Figura 1. Um panorama de pedidos de patente em cotitularidade internacional, evidenciando a internacionalização de
tecnologias geradas na UNESP.

160 | Relatório Anual de Gestão 2014

2.2. PCT submetidos em 2014 - Projeto PAPI institucional e capacitação FAPESP
Com verba do projeto Internacionalização da Propriedade Intelectual Desenvolvida Pela Universidade
Estadual Paulista ­ Unesp, aprovado no programa PAPI-FAPESP (valor R$ 63.717,00), durante
o ano de 2013 foram possíveis a submissão de mais 5 PCT e em 2014 5 protocolos de patentes
internacionais sobre pesquisas relevantes da UNESP foram depositadas. Convém destacar que fazer
o registro internacional de patentes na Patent Cooperation Treaty (PCT) é crucial no estágio atual de
globalização, além de dar visibilidade mundial aos inventos criados na UNESP. É um processo caro
e devido ao financiamento obtido da FAPESP, a UNESP depositou suas primeiras patentes PCT, na
World Intelectual Properties (WIPO). Os projetos selecionados e protocolados para PCT são:

Identificação interna
AUIN

Identificação interna
AUIN (mnemônica)

Projeto Fapesp

Depósito pedido patente*

12AUIN019

AvaViab Embrião

2006/06491-2

BR 10 2012 031953-5

12AUIN013

Nylon Sílica

2011/07334-6

BR 10 2012 028119-8

11AUIN050

Nanocompósitos

2009/00523-8

BR 10 2012 005278-4

11AUIN049

Biofungicida

2010/13942-6

BR 10 2012 023859-4

09AUIN035

Destilação

2007/53001-3

BR 10 2012 012855-1

12AUIN002

Cond-pressao

2007/04742-0

BR 10 2013 018188-9

12AUIN006

Dosímetro

2005/00157-0

BR 10 2013 015708-2

12AUIN022

Porta-ferramenta

2011/23600-8

BR 10 2013 018189-7

12AUIN027

Melanina

2011/11182-7

BR 10 2013 001441-9

14AUIN039

NMR Barcode

2011/21623-0

PCT BR2015/000075

* prioridades

A Fapesp abriu nova chamada de projetos PAPI Institucional e a AUIN submeteu um projeto nesta
chamada de 2014 objetivando com a aprovação do projeto ampliar os depósitos de patentes
internacionais. A captação de recursos externos é essencial para que a UNESP aumente o numero
de patentes internacionais que é importante e para a consolidação do sistema de pesquisa e
inovação da UNESP. O projeto foi denegado, com um parecer que julgamos incompatível com o que
a UNESP significa no cenário estadual, nacional e internacional. Recorremos da decisão da FAPESP e
aguardamos o resultado do recurso que ainda tramita na FAPESP.
2.3. Indicadores da produção de Transferência de Tecnologia em 2014
Agência consolidou o ano de 2014 com um total de 96 contratos, sendo 32 contratos de desenvolvimento
em conjunto e 13 contratos de licenciamentos firmados com empresas interessadas nas tecnologias

Relatório Anual de Gestão 2014 | 161

oriundas de pesquisas realizadas na UNESP (Gráfico 3). Os licenciamentos foram distribuídos nas
categorias saúde humana, saúde animal e tecnologia de informação.(Gráfico 4).
No ano de 2014 foram realizados 22 contratos , sendo 09 acordos de confidencialidade, 06 acordos de
gestão compartilhada de PI, 05 acordos de transferência de material e 02 acordos de desenvolvimento
em conjundo com empresas (Gráfico 5) Convém ressaltar que no primeiro semestre de 2014, a AUIN
ficou sem técnico qualificado para atuar nas atividades de transferência de tecnologia, devido a
demissão do Dr. Paulo de Carvalho que deixou a AUIN para assumir cargo de gerente de pesquisa na
Biolab Farmacêutica.

Contratos de Transferência de Tecnologia
32
24
22

13
5

2013

2012

2011

2010

2014

Gráfico 3. Dados de contratos de transferência de tecnologia firmados em 2014 e a evolução destas ações nos últimos 4 anos.

1
4

Saúde Humana
Saúde Animal
Tecnologia de Informação

8

Gráfico 4. Contratos de desenvolvimento em conjunto com empresas por area do conhecimento nos últimos 4 anos.

Contratos realizados em 2014
ACF2

ATM5
DCP9

API6

Gráfico 5. Contratos firmados em 2014.

3. AÇÕES ADICIONAIS REALIZADAS PELA AUIN EM 2014
3.1. Treinamento Internacional do Corpo de Técnicos da AUIN ­ Projeto FAPESP, PAPI Capacitação
Profissional
Outra ação realizada em 2014 e que foi bastante importante para AUIN e UNESP, referem-se aos
treinamentos do pessoal de apoio da AUIN, Dra Fabiola Spiandorello (Propriedade Intelectual), Leopoldo
Zuanetti (Assessoria Jurídica) e Renan Padron (Técnico de apoio a patentes, não mais participante do
quadro UNESP por ter pedido demissão para devido ter sido contratado por multinacional), financiado
com verba FAPESP, num projeto aprovado visando maior especialização dos técnicos dos NITs das
universidades paulistas e por consequência maior impacto na internacionalização das Agências de
Inovação do Estado de São Paulo. Fabiola Spiandorello teve oportunidade de tomar conhecimento
do sistema dos escritórios de inovação da Universidade de Queensland, e do ambiente de startups
de Queensland. Alem de ter ficado na Queensland University, estendeu visitas a alguns TTOs do
Japão e Singapura. Leopoldo esteve no Canadá, numa série de visitas a vários sistemas inovativo
do Canadá, que nos interessa particularmente dado algumas similaridades com o nosso sistema.
De 23 a 28 de Novembro de 2014 Leopoldo visitou: Invest Ottawa & ZDG International Incubation
Centre; National Research Council (NRC); L-Spark; Ontario Investment and Trade Centre (OITC); MaRS
Discovery District; Ryerson DMZ; Institute of Competitiveness & Prosperity; e Ontario College of Arts
and Design University.
3.2. Curso de empreendedorismo para estudantes de pós-graduação
Em parceria com a Faculdade de Ciências Agronômicas de Botucatu e com a Faculdade de Arquitetura,
Artes e Comunicação de Bauru, a AUIN mais uma vez promoveu disciplina voltada para a capacitação
de estudantes de pós-graduação em empreendedorismo. Tal disciplina foi ministrada como tópico
especial junto aos programas de pós-graduação em Agronomia ­ Agricultura (FCA) e Design (FAAC).
Foram realizados outros cursos presenciais e a distância sobre empreendedorismo, junto com a PróReitoria de Pós-Graduação. Alguns destes cursos já tinham sido implementados nos anos anteriores.
3.3. Divulgação da AUIN em vários Campi e apoio técnico e logístico para o registro de patentes
em nível nacional e internacional
Divulgar as ações da AUIN e a importância da agência para o sistema de Pesquisa, Inovação e
Desenvolvimento Tecnológico (PI&DT) para prospectar pesquisas patenteáveis em toda a UNESP
é uma tarefa fundamental para mudarmos o índice de produtividade artigos publicados versus
patentes depositadas (Tabela 1). As viagens do corpo técnico (Gerente de Propriedade Intelectual,
Transferência de Tecnologia e Jurídico) em varias unidades de ensino e pesquisa continuaram em
2014, em ritmo menos acelerado, dado as restrições de ordem econômica e com isto, pela opção de
vídeo conferencias, que vêm tendo uma razoável aceitação. Mesmo que a comunicação por vídeo
conferencia vem sendo um instrumento importante para divulgar a AUIN na UNESP, significando um
avanço da logística de comunicação de uma universidade multicampos, reuniões presenciais são
ainda essenciais e espera-se intensifica-las em 2016.
A prospecção de tecnologias junto aos pesquisadores visando aumentar o número de patentes da
UNESP foi uma das metas do PDI realizada com sucesso absoluto. Dados do gráfico 1 demonstram
que a atuação da Agência neste sentido foi bastante positiva.
3.4. Chamada AUIN-Acelerador Tecnológico (prova de conceito para valorar pesquisa básica
com vista ao desenvolvimento tecnológico)
A ação criada pela AUIN para incrementar o potencial tecnológico das pesquisas da UNESP
(denominado Acelerador Tecnológico) foi editado novamente dado ao sucesso desta ação. Realizado
em conjunto com a FUNDUNESP em 2013 o acelerados tecnológico foi um sucesso absoluto. De um
total de 15 propostas submetidas para avaliação de viabilidade tecnológica, que foram analisadas
por um comitê de especialistas, sendo que 3 foram financiados, dado a restrição de verba da AUIN.
Esta ação é inovadora e tem como objetivo adicionar valor as pesquisas de qualidade da UNESP
com potencial para desenvolvimento. A meta final é valorar pesquisas da UNESP para apresentar as
empresas almejando contratos e investimentos nos projetos de pesquisa da UNESP.

Relatório Anual de Gestão 2014 | 163

Tabela 3. Valores do Fundo AUIN para prova de conceito ou acelerador tecnológico
disponibilizados entre 2012-2014.
Ano

2012

2013

2014

Propostas Aprovadas

4

3

3

Orçamento

Até R$ 20.000,00

Até R$ 20.000,00

Até R$ 20.000,00

Área do Conhecimento

Todas as áreas

Todas as áreas

Todas as áreas

Duração do projeto

6 meses

6 meses

6 meses

70

2012
2013
2014

Áreas de Propostas
Submetidas / %

60
50
40
30
20
10
0
o

ia

ár

cu

e
op
gr

ria

ha

e

In

m

ru

st

A

an

e

úd

Sa

m
Hu
Te

ia

log

o
cn

l

s
de
er
V
s

a

çã

ta

en



ov

In

gia
er

al

cia

ão

im

So

e

úd

An

En

Sa

n
ge

En

Gráfico 5. Áreas do conhecimento das provas de conceito avaliadas e aprovadas nos anos de 2012-2014, enfatizando um
aumento substancial para as áreas das engenharias.

3.5. Participação da AUIN em eventos tecnológicos
A AUIN vem se destacando entre os demais NITs brasileiros no que se refere a participação em eventos
de P&D nas IES, Institutos de Pesquisa, setores públicos e empresariais. Nos vários eventos realizados
em 3014, foram apresentadas conferencias sobre dados da AUIN-UNESP, sobre políticas de P&D,
participação em organização tanto da diretora quanto do corpo técnico (gerentes de Propriedade
intelectual e de transferência de tecnologia)
Durante o ano de 2014, a AUIN participou dos seguintes eventos:
·

Primeiro Simpósio de Inovação e sustentabilidade Ambiental, como palestrante Rita Costoya (2627/11/2014);

·

BioLatino América, como palestrante Rita Costoya (09-11/09/2014

·

EU-Brazil Tecnology and Innovation Forum & Tour of Brazil, B.BICE, como palestrante, Fabiola
Spiandorello (22-25/09/2014)

·

2nd Brazilian Bioenergy Science and Technology Conference ­ Fapesp, como palestrante, Fabiola
Spiandorello (20-24/10/2014)

·

Várias conferências internas para divulgação da AUIN foram ministradas em 2014; conferências
nacionais e internacionais, destaque para plenárias nos EUA, durante congresso da ACS de

164 | Relatório Anual de Gestão 2014

tecnologia e inovação; na L'Oréal de Paris e Queensland University, ministradas pela profa.
Vanderlan da S. Bolzani
3.6. Ações da AUIN para formalização de Projetos tecnológicos PITE-FAPESP
Ainda, com o intuito de incentivar parcerias com a iniciativa privada, dentro de chamadas de projetos
PITE/Fapesp, a AUIN promoveu várias ações e workshops junto com a Prope, promovendo discussões
entre empresas e pesquisadores de diversas unidades da Unesp para estimular a submissão de
projetos de parcerias empresa/NUESP/FAPESP. Foram realizadas oficinas com as várias empresas do
ramo de fármacos, energia, materiais e com pesquisadores das áreas de engenharias, novos materiais,
instrumentação, medicamentos, cosméticos.
Projetos Aprovados
4
3
2

2014

2013

2012

2011

2010

2009

2008

2007

2006

2005

2004

2003

2002

2001

2000

1999

1998

1997

0

1996

1

Gráfico 6. Panorama de projetos PITEs FAPESP desde a criação deste programa FAPESP de estimulo a inovação tecnológica
parcerias empresa/universidades, com ênfase aos contratados em 2014 (4 projetos).

3.7. Rodadas de Negócios
Durante o mês de agosto de 2014 a Agência Unesp de Inovação (AUIN) promoveu Rodadas de
Negócios, que reuniu pesquisadores da UNESP e representantes de empresas das áreas de fármacos,
cosméticos, saúde animal e biopolimeros, com intuito de aproximar a comunidade acadêmica de
setores industriais envolvidos com a inovação tecnológica e o desenvolvimento de novos produtos.
Entre as empresas participantes estavam Hypermarcas, Prati-Donaduzzi, Chemyunion, Grupo Ouro
Fino e Vencofarma.
3.8. Mala Direta
O sistema de mala direta foi criado em pela AUIN para aproximar as empresas dos pesquisadores
da UNESP. Em 2014 tivemos um aumento susbstancial de novas empresas que foram cadastradas
alcançando um número de 457 empresas de pequeno, médio e grande porte. Todas tiveram acesso as
informações sobre as principais pesquisas realizadas na AUIN. Espera-se com esta ação aumentar o
número de contratos de parcerias UNESP/empresas.

Relatório Anual de Gestão 2014 | 165

Empresas
457
310

2014

SP

28

27

26

18

PR

RJ

MG

RS

48

Outros

Gráfico 7. Panorama da comunicação externa da AUIN, visando maior interação universidade empresa.

3.9. AUIN-Sorocaba
Desde a inauguração de um Posto AUIN de atendimento no Parque Tecnológico de Sorocaba, ocorrido
em 06/12/2013, a Agência vem procurando estabelecer um vinculo com os setores locais, que teve
inicio com a contratação de um bolsista de IC, aluno da Campus de Sorocaba, cujas atividades
iniciadas 2014 tem como base ser de ponto de apoio para atividades de estímulo à interação com
as diversas empresas residentes no Parque, bem como outras da região, auxiliando na integração
da Unesp no ecossistema inovativo que vem sendo construído no município de Sorocaba. O Bolsista
contratado tem como função adicional a confecção de fichas sobre tecnologias oriundas de pesquisas
relevantes da UNESP, dados essenciais para o portfolio de tecnologias da UNESP para apresentação
aos diversos setores industriais e de governo (políticas públicas)
3.10. Serviço Integrado de Respostas Técnicas ­ SIRT
Coordenado pelo Prof. Dr. Sérgio Augusto Fonseca, lotado junto à Faculdade de Ciências e Letras
do câmpus de Araraquara, o projeto do Sistema Integrado de Respostas Técnicas (SIRT) teve origem
na nossa universidade devido a importância dentro do Programa Serviço Brasileiro de Respostas
Técnicas (SBRT), editado nacionalmente (USP, REDETEC, SENAI-AM, SENAI-RS, CETEC, UNB,
RETEC e TECPAR) com objetivo de colaborar com notas técnicas a micro e pequenas empresas
brasileiras.
O SIRT foi regulamentado na UNESP pela portaria UNESP-374 de 12/08/2012 propicia uma boa interface
com o setor empresarial, no que se refere a respostas técnicas de baixa complexidade. O público
alvo primordial são os pequenos empreendimentos econômicos informais e o das micro e pequenas
empresas (MPEs). A motivação maior deste lindo programa é a motivação e incentivo aos alunos da
UNESP, que são treinados a participarem do processo de desenvolvimento nacional, colaborando com
este setor ou montando suas pequenas empresas. O parque tecnológico de Araraquara é um bom
exemplo, onde há algumas empresas sendo incubadas por ex-alunos do IQ-UNESP e da FCF-UNESP.
3.11. Competição I2P ­ Idea to Product, Global Competition (Fundação Getúlio Vargas e
Universidade Austin, Texas-USA
A Auin lançou em 2014 uma competição interna para estimular a inovação entre estudantes, professores
e pesquisadores. A Competição Idea to Product (I2P) é uma ferramenta elaborada nos Estados
Unidos, em 2001, que visa aprofundar o debate sobre inovação e comercialização de tecnologia e
promover o espírito empreendedor entre jovens talentos da universidade. A Competição envolveu
um procedimento anual de reuniões entre os tutores e os jovens envolvidos na competição. Tivemos
vários concorrentes e o projeto de um durômetro automatizado portátil desenvolvido por uma equipe
de pós-graduandos da Faculdade de Ciências Agronômicas (FCA), em Botucatu - Albert Augusto de
Assis e Rogério Pinto Alexandre, sob orientação do professor Adriano Wagner Ballarin foi a vencedora
da competição I2P (Idea to Product). O time vencedor da competição Unesp Inovação 2014 também
participou da competição internacional I2P Idea to Product ­ Global e obteve a terceiro lugar na final,
realizada de 24 a 27 de novembro em Juiz de Fora/MG.

4. CONSIDERAÇÕES FINAIS
Uma avaliação mais detalhada das ações realizadas pela AUIN-UNESP em 2014 e nestes 5

166 | Relatório Anual de Gestão 2014

anos enfatizam a importância da agencia para as atividades da UNESP, como universidade
de classe mundial. Pelo exposto, fica explícito a importância da AUIN para UNESP continuar
galgando posições destacadas nos indicadores de excelência universitária.
Todas a ações destacadas no presente relatório demonstram que as metas apresentadas
para o PDI AUIN 2013 foram cumpridas com sucesso, indicando que mesmo com o
orçamento limitado e cada vez menor, a AUIN vem cumprindo as metas traçadas. A questão
que se coloca em 2014 é ­ Qual o futuro da AUIN perante o crescente corte de verbas?
Até o presente foi possível concretizar etapas importantes do processo de consolidação da
Agência UNESP de Inovação.
É importante ressaltar que a AUIN conseguiu captar recursos externos pelos projetos
aprovados na FAPESP, CNPq e FINEP o que permitiu muitas ações como relacionadas neste
relatório. O trabalho de consolidação da AUIN vem sendo uma tarefa difícil mas também
muito rica e gratificante. A continuidade do trabalho realizado em 2014 e o de por em prática
as metas traçadas para 2015 dependerá fortemente do continuo apoio da gestão central da
UNESP.

Relatório Anual de Gestão 2014 | 167

17

Núcleo de Ensino à
Distância
NEaD

1. APRESENTAÇÃO
O relatório Horizon Report - 20141, um dos mais respeitados documentos internacionais sobre
tendências na Educação superior, indica as transformações no setor pelas quais passaremos nos
próximos anos. Destaca-se entre elas a integração entre aprendizagem online, colaborativa e híbrida;
desenvolvimento de tecnologia educacional para o ensino superior, com metodologias ativas e modelos
híbridos de educação; o uso das tecnologias de maneira intensa como meio de construção de ambientes
de aprendizagem contextualizados e significativos. Diante de uma sociedade cada vez mais conectada e
tecnológica, não será possível conceber ambientes de aprendizagem sem explorar as potencialidades das
tecnologias. Para tanto, a Universidade precisa avançar na direção de repensar suas práticas, com o risco
de se tornar rapidamente uma instituição de desinteresse por parte do estudante e da própria sociedade,
pois não será capaz de formar os profissionais que atendem as demandas do mundo do trabalho.
Com esse panorama, a Educação a Distância da Unesp representa, desde 2009 ­ ano em que o
Núcleo de Educação a Distância (NEaD) foi instituído ­ braço importante da universidade no que diz
respeito ao desenvolvimento e promoção de inovações nas áreas de Educação e Tecnologia, que
tornaram-na uma referência nacional no assunto. Tem desempenhado, ao longo desses últimos cinco
anos, importante papel na formação de educadores em nosso país e atuado no estabelecimento de
parcerias com instituições e órgãos públicos e privados que possibilitaram a captação de recursos para
investimento em infraestrutura e pesquisa. Todo esse investimento tem, além de atender as demandas
dos cursos a distância, trazido benefícios significativos para a melhoria das condições dos nossos
cursos presenciais, com ampliação do acervo bibliográfico, melhoria da infraestrutura, oferecimento
de materiais didáticos digitais, entre tantos outros.
Em números, a EaD da Unesp nos últimos 2 anos já ofereceu mais de 50 cursos a distância e
semipresenciais, que beneficiaram mais 150 mil pessoas que participaram ou cursam neste momento
uma das edições das nossas iniciativas. Isso significa levar formação profissional para cerca de 12 vezes
o número de estudantes que ingressam anualmente em nossos cursos presenciais, ou seja, no modelo
atual presencial, a Unesp levaria 12 anos para beneficiar este mesmo número de pessoas da sociedade
que a sustenta com seus impostos. Esse dado por si só, aliada a qualidade dos nossos cursos, justifica
as iniciativas inovadoras da nossa Universidade em EaD e, portanto, motivo de orgulho para a academia.
Além dos números acima, destaca-se a qualidade do que é oferecido, cujas pesquisas com
nossos estudantes apresentam avaliações superiores a 90% de satisfação, ressaltando-se o que
a Unesp desenvolve em termos de metodologias inovadoras, excelência nos materiais didáticos,
acompanhamento dos estudantes por meio dos professores e tutores qualificados, avaliação da
aprendizagem coerente com a proposta pedagógica, entre outros aspectos que elevam o valor da
EaD na Universidade, conforme infográfico da Figura 1.

Figura 1: Ações em EaD da Unesp.
1

Disponível em http://www.nmc.org/publications/2014-horizon-report-higher-ed

Relatório Anual de Gestão 2014 | 171

Ainda, destaca-se que o NEaD/Unesp beneficia milhares de pesquisadores, professores, estudantes e
cidadãos comuns, brasileiros e estrangeiros, com o repositório de objetos digitais da Unesp, que hoje
abriga aproximadamente 120 mil objetos entre materiais didático-pedagógicos, teses e dissertações,
artigos científicos da Unesp, documentos raros de nossas bibliotecas físicas, entre outros, e hoje é
um dos três maiores repositórios brasileiros em número de objetos. Com a experiência adquirida, em
2014 o NEaD/Unesp foi indicado para desenvolver o repositório digital da CAPES ­ o EduCapes, que
reunirá todo o conhecimento produzido no âmbito do Sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB) em
nosso país e que é composto hoje por 104 universidades públicas brasileiras.
Há ainda que se ressaltar a preocupação de nossa Educação a Distância de trabalhar em conformidade
com os avanços da modalidade no mundo ao ser a primeira universidade do Brasil a ofertar cursos
abertos e livres, popularmente conhecidos pela sigla MOOC (Massive Open Online Course), que
ganharam visibilidade internacional após uma parceria entre o MIT e a Harvard, que por meio dela
disponibilizam gratuitamente pela internet os conteúdos de suas aulas. Somente com esse projeto,
instituído há dois anos e intitulado Unesp Aberta, a universidade oportunizou livre acesso ao
conhecimento acadêmico produzido a cerca de 128 mil pessoas de nosso país e do mundo por meio
de 70 cursos livres e totalmente gratuitos no final de 2014.
Outra grande preocupação da EaD da Unesp é oportunizar o acesso a um ensino de qualidade para
pessoas com deficiência que, na maioria do país, vivem às margens dessa realidade. O censo IBGE de
2010 indica que aproximadamente 24% da população brasileira tem algum tipo de deficiência. A Unesp
não poderia deixar de atender a esse público e a partir de 2014, oferece seus cursos na modalidade
a distância com todos os recursos de acessibilidade, tornando-se a primeira universidade brasileira a
oportunizar acesso total e independente a pessoas com deficiência visual, auditiva e motora com os
recursos de audiodescrição, Libras e legendas em todos os materiais. Para isso, firmou parceria com
a Secretaria do Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo para a implementação
na Faculdade de Ciência e Tecnologia de Presidente Prudente do Centro de Promoção de Inclusão
Digital, Educacional e Social - o CPIDES - que promove o atendimento a essas pessoas, e com isso
o desenvolvimento de pesquisas e cursos voltados à formação do Educador para o trabalho com o
público alvo da Educação Especial e a criação de modelos de conteúdos educacionais acessíveis ­
trabalho pioneiro no Brasil. Em 2013 e 2014 passou a oferecer o curso de Libras a distância para as
licenciaturas e que obtiveram os melhores resultados avaliativos.
Dentro da mesma perspectiva, desenvolve atualmente cursos de pós-graduação em Educação
Especial e Inclusiva para professores e gestores de nosso estado, iniciados em fevereiro de 2014, e
aguarda a aprovação de um mestrado profissional em Educação Inclusiva, submetido a Capes, sendo
a Unesp a âncora do projeto. Esta iniciativa utilizará os recursos de EaD para a formação profissional
de professores em todo o Brasil, uma vez que a referida proposta conta com a parceria de outras
Universidades Públicas de todas as regiões, incluindo a ampliação da política de acessibilidade,
ação das mais inovadoras na Educação Brasileira com o uso das tecnologias para a construção de
ambientes de aprendizagem significativos, contextualizados e inclusivos.
A EaD da Unesp trabalha em consonância com os referenciais de qualidade e diretrizes nacionais e
internacionais, em parceria com os mais importantes órgãos educacionais e de pesquisa de nosso
país e representa, atualmente, enorme volume de atividades de nossa Universidade, atendendo aos
nossos objetivos de qualidade e desempenhando, com autonomia, nosso papel na sociedade na
democratização do conhecimento para todos.

2. CENÁRIO ATUAL DO NEaD
O NEaD atende e apoia projetos e programas vinculados as Pró-Reitorias da Unesp e reúne iniciativas
educacionais da Instituição ligadas ao uso de TDIC em ambientes de aprendizagem presenciais e
a distância. Além disso, assessora a Comissão Permanente de Educação a Distância (CPEaD) na
definição de políticas para a modalidade EaD, em conjunto com a comunidade acadêmica.
Dentre as funções vinculadas ao NEaD estão as de organizar administrar, implementar e avaliar os
projetos e programas que envolvem a EaD e o uso de TDIC na educação sejam eles na forma de
cursos de extensão, graduação ou pós-graduação.
Atualmente o NEaD se constitui como um órgão determinante para o desenvolvimento de ações ligadas
ao desenvolvimento de Políticas Públicas e Institucionais, referente à Educação Inicial e Continuada a
Distância, bem como aos recursos digitais tecnológicos de comunicação e informação (escrita, áudio,
televisão e informática) no ensino superior.
Para atender a necessidade de procedimentos metodológicos e práticas docentes específicas para o

172 | Relatório Anual de Gestão 2014

modelo EaD, diferente daquelas utilizadas em atividades presenciais, o NEaD por meio de suas equipes,
oferece uma estrutura acadêmica, administrativa e tecnológica de apoio aos cursos vinculados às PróReitorias e objetiva contribuir para manter e atender o desenvolvimento da qualidade da EaD e das
TDIC fomentados pela e/ou em parceria com a Unesp.
A estruturação de recursos humanos e tecnológicos também é decorrente de projetos, principalmente no
tocante aos equipamentos de usuários, servidores Web, Data Center, Estúdio de TV/Internet, Anfiteatro,
sala de videoconferência, salas para reuniões (todos contando com tecnologias de última geração).
Os recursos humanos, materiais e equipamentos são utilizados para o desenvolvimento dos projetos,
com vista a proverem os cursos e que serão descritos mais adiante, bem como atender demandas
internas das Pró-Reitorias e demais áreas da Unesp, como o Acervo Digital da Unesp, Repositório
Institucional da Unesp, Sala Virtual e Unesp Aberta, cujas principais ações serão descritas a seguir.
2.1. Acervo Digital da Unesp
Em 2008, no âmbito do NEaD, o Acervo Digital da Unesp foi desenvolvido pelo Grupo de Tecnologia
e Infraestrutura do NEaD, por meio da customização do DSpace ­ uma solução de código aberto que
permite o armazenamento, compartilhamento e preservação de conteúdo digital. Em 2011, o Acervo
Digital passou por um processo de modernização de e estrutura de dados, com o propósito de tornálo mais didático e acessível.
O Acervo Digital consiste em um repositório digital de conteúdos gerados pela Unesp ou cedidos para
a mesma, que são vinculados aos cursos e disciplinas da Instituição, abrangendo diversas áreas do
conhecimento. O objetivo desse ambiente é disponibilizar ao público em geral, livremente por meio da
os arquivos armazenados em seu sistema. Dessa forma, o acesso e são disponibilizados gratuitamente,
e contribuem como suporte educacional e divulgação da produção científica da Universidade.
Por meio desse repositório, os professores e funcionários da instituição contam com um canal
exclusivo para o envio de materiais educacionais, que são arquivados gratuitamente e disponibilizados
publicamente. Assim, pelo endereço www.acervodigital.unesp.br, o professor da Unesp e demais
usuários (internautas em geral) têm a possibilidade de submeter produções relacionadas aos cursos de
graduação e pós-graduação, nos formatos de textos, vídeos, imagens, apresentação de e documentos
em geral. As informações são catalogadas e organizadas em quatro comunidades:
- Acervo Histórico-Cultural;
- Documentação Permanente;
- Objetos Científicos e
- Objetos Educacionais.
Vale destacar que o Acervo Digital possui diferentes formatos de recursos digitais, tais como e-book,
periódicos, DVDs e CD-ROMs. Além do acervo específico dos cursos ministrados pela Instituição,
por meio desse ambiente, estão disponibilizadas outras obras à população, tais como enciclopédias,
dicionários, entre outros, conforme indica a Figura 2.
Acervo Histórico-Cultural
Documentação Permanente
Objetos Científicos
a) Banco Digital de TCC
b) Banco Digital de Teses e Dissertações
c) Repositório Institucional
TOTAL
Objetos Educacionais
Animações/Simulações
Áudios
E-books
Imagens
Eventos
Banco de Objetos Educacionais (BIOE/MEC)
Softwares Educacionais
Textos
Vídeos
Universidade do Livro
Cursos NEaD
TOTAL

500
231
3.114
20.937
85.081
109.132
14
112
14
6
1
20.442
6
521
794
49
61
22.020

Figura 2: Total de objetos no Acervo Digital da Unesp: 131.883 - Fonte: Acervo Digital da Unesp (2015).

Relatório Anual de Gestão 2014 | 173

2.2 Sala Virtual da Unesp
A Sala Virtual da Unesp é um ambiente fomentado pela equipe de Tecnologia de Informação do NEaD.
Por meio desse ambiente são realizadas reuniões, encontros, formação, conferências e treinamentos
a distância entre professores, funcionários e alunos da instituição. Assim, diversas salas virtuais estão
à disposição da instituição para o desenvolvimento de atividades acadêmicas.
O utilizado para viabilização desse espaço é o Adobe Acrobat Connect Pro, que possui amigável,
flexível e de fácil manuseio pelo usuário. Possui também, ferramentas de como: , videoconferência,
audioconferência, compartilhamento da tela do computador e de arquivos (fotos, , documentos),
quadro-branco e enquetes.
Nos cursos da modalidade à distância, oferecidos pela Unesp, as salas virtuais são utilizadas para
promover encontros entre discentes, orientadores de disciplinas e formadores, bem como se constitui
em um espaço para revisão de conteúdos, orientações e resoluções de dúvidas dos estudantes.
2.3. Unesp Aberta
Mediante uma parceria entre as Pró-Reitorias: Prograd, Propg, Proex, Prad e o NEaD a Unesp
disponibiliza 70 cursos livres na mais de 300 recursos pedagógicos digitais (desenvolvidos para os
cursos da Universidade) por meio da Unesp Aberta. Porém são cursos sem certificação e sem
acompanhamento pedagógico (tutoria).
Para operacionalizar esse processo, a Unesp Aberta, conta com um Ambiente Virtual de Aprendizagem
(AVA) personalizado na plataforma Moodle. Todo material vinculado a esses cursos encontra-se
disponível em formato digital e oferece a oportunidade para o aprimoramento do conhecimento em
diversas áreas do conhecimento para pessoas com acesso a internet no mundo inteiro.
Atualmente a Unesp Aberta possui aproximadamente 130 mil usuários cadastrados e acessando os
cursos e que constantemente solicitam-nos a possibilidade de serem certificados, dada a qualidade
do conhecimento oferecido pela iniciativa.
Além da Unesp Aberta, outros projetos e programas administrados pelo NEaD estão vinculados a cada
Pró-Reitoria e serão apresentados a seguir.
2.4. Ações na Pró-Reitoria de Graduação
2.4.1. Curso de Pedagogia semipresencial ­ Programa UNESP/UAB
O primeiro curso de graduação à distância em Pedagogia oferecido pela Universidade em parceria
com a Univesp, formou 992 discentes.
Em fase de continuidade há a previsão de oferecimento de mais 900 vagas para a rede municipal de
São Paulo cuja proposta já encontra-se aprovada no sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB) da
CAPES, por meio de edital de articulação em 2013/2014 e com recursos liberados no início de 2015.
2.4.2. Programas de Fomento ao uso das TDIC na Graduação
O ano de 2104 para a Unesp foi considerado o ano da graduação inovadora. Para tanto, a PROGRAD
está a frente de diversas ações de inovação e o NEaD participa com um projeto cuja finalidade é a
operacionalização, gestão acadêmica e técnico-administrativa das atividades e serviços destinados
à implantação e desenvolvimento de Cursos no formato cMOOCs1 na área de Docência no Ensino
Superior com as Tecnologias Educacionais, modalidade a distância, com vistas a implantação de comunidades de prática na UNESP.
A meta é oferecer 4 cursos relacionados a Docência no Ensino Superior com as Tecnologias Educacionais para professores da Unesp com a finalidade de formar comunidades de prática, com duração de
100 horas cada um (Aproximadamente 4 meses de duração). Os cursos são na modalidade a distância
com a característica principal de organização de comunidades de prática nas áreas de conhecimento
de cada curso, que beneficiarão, em um primeiro momento, 400 professores do corpo docente da
Unesp.
O Plano de Trabalho compreende a gestão acadêmica e técnico-administrativa necessária ao oferecimento de 4 cursos de aperfeiçoamento com 100 horas, mediante a prestação de assessoria técnico
-administrativa, a aquisição de materiais de consumo, informática e equipamentos, o oferecimento de
infraestrutura, a contratação (por tempo determinado) de Tutores online, especialistas para as atividades a distância, coordenadores, professores autores, bem como de serviços de terceiros, com vistas
a possibilitar:
a)
o planejamento e a produção de conteúdos, textos, atividades, imagens, entre outros materiais digitais;

1
174 | Relatório Anual de Gestão 2014

b)
c)
d)

a disponibilização desse material didático no ambiente virtual de aprendizagem;
a assistência adequada aos cursistas;
e a implementação de pertinentes processos de avaliação.

Os cursos propostos são:
C1: Construção de Materiais didático-pedagógicos para e-Learning, m-Learning e b-Learning
C2: Práticas pedagógicas inovadoras no Ensino Superior com Tecnologias Educacionais: Estratégia
de Desenvolvimento de Projetos, PBL e outras Metodologias Ativas
C3: Ambientes Virtuais de Aprendizagem e Práticas Pedagógicas Inovadoras
C4: A Avaliação da Aprendizagem no Ensino Superior e as Tecnologias Educacionais
2.4.3 Curso de Libras para as Unidades Unesp
Tendo em vista a necessidade da inclusão da Língua Brasileira de Sinais (Libras) como disciplina
curricular dos cursos de Educação Superior, por meio do Decreto nº 5.626 de 2005, que estabelece
a obrigatoriedade de que todos os cursos de licenciatura, nas diferentes áreas do conhecimento,
insiram-na como disciplina curricular, a Pró-Reitoria de Graduação (Prograd) em parceria com o NEaD,
passou a viabilizar uma disciplina de Libras na modalidade a distância a partir do 1º semestre de 2013.
A disciplina intitulada "Conteúdos e Didática de Libras", tem origem na matriz curricular do
Departamento de Estatística (DEst) da Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT), e é composta por 60
horas de atividades teóricas e práticas e coordenada por duas professoras da unidade, Profª Drª Elisa
Tomoe Moriya Schlünzen e Profª Ms. Denise Ivana de Paula Albuquerque.
A disciplina está organizada e implementada no Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) Moodle
do Portal Edutec e os conteúdos e atividades foram organizados por uma equipe multidisciplinar,
composta por especialistas da área, especialistas em EaD e intérprete de Libras.
Os objetivos da disciplina são:
- Estudar a Libras e suas características básicas;
- Analisar a importância da Inclusão da pessoa surda na rede regular de ensino;
- Estudar o Decreto Presidencial No 5626/05 que regulamenta a Lei No 10.436/02 que dispõem sobre
- Libras como disciplina curricular obrigatória em todos os cursos de licenciatura;
- Identificar a diversidade linguística e cultural dos estudantes e estudar a proposta bilíngue;
- Analisar o contexto de inclusão de pessoas surdas visando construir uma proposta prática (Projeto);
- Praticar a Libras.
Os dados quantitativos das turmas atendidas em 2014, dispostas em 10 campi da Unesp, em 11
turmas, tem um total de 159 alunos aprovados. O acompanhamento das atividades no AVA foi realizado
por um tutor a distância em cada turma e coordenado por um coordenador de tutores.
2.5. Ações na Pró-Reitoria de Extensão
O sistema UAB foi criado para fomentar a modalidade de educação à distância nas instituições públicas
de ensino superior, bem como apoiar pesquisas em metodologias inovadoras de ensino superior
respaldadas no uso das TDIC. É um sistema integrado por universidades públicas que oferece cursos
de nível superior para camadas da população que têm dificuldade de acesso à formação universitária.
Em 2014 tivemos o oferecimento de mais dois cursos em produção de material didático e de
mediadores de leitura. O público preferencial são os educadores que atuam na educação básica,
seguidos dos dirigentes, gestores e trabalhadores em educação básica dos estados, municípios e do
Distrito Federal.
2.6. Universidade do Livro
A Universidade do livro, braço formador da Fundação Editora da Unesp, existe desde 1999. Por meio
de cursos presenciais e a distância, tem por objetivo oferecer aos profissionais e futuros profissionais
das áreas editorial, livreira e de bibliotecas, oportunidades de aperfeiçoar-se, introduzir-se ou progredir
em seu campo de trabalho.
Nesses cursos, procura-se oferecer uma formação da mais alta qualidade, em consonância com a
tradição consolidada junto às editoras e aos profissionais do mercado editorial brasileiro. Iniciou-se
em setembro de 2012 um curso de Produção Editorial com 03 (três) meses de duração e apoiado
pela TV Unesp e NEaD. Esta iniciativa objetiva o acompanhamento de todos os passos da produção
Editorial e a aquisição de uma visão abrangente da edição de um livro. O público-alvo corresponde a
profissionais interessados pelo mercado editorial (iniciantes), ou em busca de atualização (Editores,
Assistentes Editoriais, Preparadores, Revisores; estudantes de Comunicação, Editoração, Jornalismo,

Relatório Anual de Gestão 2014 | 175

Letras, etc.).
Para esta iniciativa inscreveram-se 349 profissionais, que finalizaram o curso em janeiro de 2013. Para
2104 a parceria entre o NEaD e a Editora Unesp ofereceu os seguintes cursos e cursistas:
Projeto Editorial - Como transformar uma ideia em livro
Cursistas: 106
Virando a página: compreendendo o livro eletrônico e as mudanças no negócio editorial
Cursistas: 176
A Confecção do Livro: Produção Gráfica Editorial
Cursistas: 144
Curso: Produção Editorial
Cursistas: 211
2.7. Ações na Pró-Reitoria de Pós-Graduação
2.7.1. Rede São Paulo de Formação Docente (Redefor)
O programa Redefor é um convênio celebrado entre a Secretaria Estadual da Educação de São Paulo
(SEESP) e as três universidades estaduais: Unesp, USP e Unicamp. O objetivo é a formação continuada
de professores em cursos de especialização, nível de pós-graduação, na modalidade à distância, com
encontros presenciais.
Em 2014 demos andamento ao convênio com a SEESP para oferta de sete (7) cursos de especialização
em Educação Especial e Educação Inclusiva, sendo:
Um (1) voltado para professores de sala comum, com duração de 12 meses e carga horária total de
360 horas.
Seis (6) voltados para professores do Serviço de Apoio Pedagógico Especializado (SAPE), com
duração de 18 meses e carga horária total de 600 horas. As áreas envolvidas são: Deficiência
Intelectual; Deficiência Física; Deficiência Auditiva; Deficiência Visual; TGD ­ Transtorno Global de
Desenvolvimento; Altas Habilidades/superdotação. Os cursos iniciaram em fevereiro de 2014 e com
término previsto para meados de 2016.
2.7.2. Curso de especialização em gestão de saúde pública
O Curso tem como objetivos formar os participantes na apropriação e aplicação de conceitos teóricos
e práticos associados ao desempenho da gestão nos cenários do Sistema Único de Saúde (SUS),
a partir informações básicas, conhecimentos, métodos, técnicas e instrumentos que possibilitem a
introdução de inovações gerenciais, organizativas e operacionais no sistema estadual e nos sistemas
municipais de saúde. Em 2013 teve início a 2a. edição do curso com 130 profissionais formados no
final de 2014.
2.7.3. Mestrado Profissional em Educação Inclusiva
O Mestrado Profissional em Educação Inclusiva, numa proposta em rede e elaborada por um grupo
de professores da Unesp envolvidos diretamente com os cursos da Rede São Paulo de Formação
Docente (Redefor), possui como objetivo principal oferecer primordialmente formação continuada e
em serviço para professores de classe comum do ensino fundamental, médio e superior e, também,
aos gestores para que aprimorem seu repertório de conhecimentos e saberes, podendo promover o
desenvolvimento do EPAEE, garantindo uma educação inclusiva. Entre os objetivos específicos, estão:
- difundir os princípios e fundamentos da educação inclusiva, o qual garante o direito de educação
para todos;
- conhecer a analisar os principais documentos legais e diretrizes que garantem o atendimento e a
inclusão dos estudantes público-alvo da educação especial;
- compreender o Projeto Pedagógico como elemento norteador das ações político-pedagógicas da
escola inclusiva que se pretende;
- Elaborar e desenvolver ações colaborativas na unidade escolar com o apoio do professor
especializado, tendo como foco um Projeto Pedagógico inclusivo.
O público-alvo do curso são Supervisores de Educação Especial, Professores Coordenadores de Núcleo
Pedagógico (PCNP) de Educação Especial, Diretores, Vice-diretores, Professores Coordenadores (PC),
Professores Ciclo I, Ciclo II, Ensino Médio, Educação de Jovens e Adultos e demais profissionais com
vínculo na educação básica e superior.
O curso será ofertado na modalidade semipresencial para turmas de até 35 mestrandos por polo que
tenham vínculo com instituições públicas de ensino. A princípio serão oferecidas 300 vagas. Ressalta-

176 | Relatório Anual de Gestão 2014

se que será feito convite a outras IES das diversas regiões do país. Assim, pretende-se ampliar o
número de vagas anualmente.
O programa envolverá a participação de instituições associadas, sob a coordenação geral da Unesp e
com o apoio da Universidade Aberta do Brasil que, com sua experiência em gestão de cursos em EaD,
possibilitará o intercâmbio entre as diversas instituições.
Entre as instituições associadas, estão a Universidade Estadual Paulista (Unesp), a Universidade do
Estado de Santa Catarina (Udesc), a Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), a Universidade
Federal de Alagoas (UFAL) e a Universidade do Estado do Mato Grosso (Unemat).
Além destas, participarão ministrando disciplinas professores de outras instituições colaboradoras,
como a Universidade Sagrado Coração (USC) e Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUCSP).
Destaca-se que esta ação é a primeira em nível de pós-graduação stricto sensu que conta com o
NEaD como principal mentor e organizador.
2.8. Escola Unesp de Liderança e Gestão - EULG
Em 2013 foi criada a Escola Unesp de Liderança e Gestão (EULG), em substituição a Unesp Corporativa,
com o objetivo de formar e capacitar os gestores da UNESP, compartilhar melhores práticas de gestão,
analisar as práticas visando aprimorar os processos e melhorar a efetividade da gestão institucional.
Durante o ano de 2014 o NEaD participou das atividades da EULG e atuou como núcleo de apoio para
as ações desenvolvidas, produzindo vídeos dos módulos de formação, transmitindo as atividades via
internet, divulgando as ações da EULG, entre outras. Atualmente, a EULG já se encontra instalada
fisicamente no prédio do Ipiranga da Unesp, trabalhando muito próximo das atividades do NEaD.

3. A EAD DA UNESP EM NÚMEROS
A Tabela da sintetiza o número de estudantes em cada uma das ações de EaD da Unesp. Os dados
são referentes a Dezembro/2014.
Programas

Situação

Univesp

Cursistas

Formados

992

Formados

4.664

Cursando

1.569

Tecnologia Assistiva

Formados

4.744

Atendimento Educacional Especializado

Formados

900

Práticas Educacionais Inclusivas

Formados

4.823

Libras

Formados

878

Educação para a Diversidade e Cidadania

Formados

643

Gênero e Diversidade na Escola

Formados

879

Gestão em Saúde ­ PNAP

Formados

293

Mediadores de Leitura

Formados

292

Produção de Material Didático para Diversidade

Formados

76

Redefor
Universidade Aberta do Brasil

Unesp Corporativa

Formados

205

Unesp Aberta

Formados

128.173

Universidade do Livro

Formados

761

Disciplina Libras

Formados
Total

366
150.258

Figura 3: Relação de Cursos e Estudantes em EaD
Mês de referência ­ Dezembro/2014

Relatório Anual de Gestão 2014 | 177

18

Fundação para o
Vestibular da UNESP
VUNESP

INTRODUÇÃO
A VUNESP, criada pela Universidade Estadual Paulista em 1979, é uma instituição de direito privado,
de utilidade pública, que ocupa posição de destaque entre as instituições envolvidas na seleção e
certificação de pessoal.
Com sede na cidade de São Paulo, possui abrangência nacional, realizando certames para órgãos das
esferas federal, estadual e municipal, empresas públicas e privadas, entidades diversas da sociedade
civil, universidades, escolas e organismos internacionais.
Desde sua criação, a Fundação VUNESP realizou concursos, vestibulares e avaliações, abrangendo
um contigente superior a 36 milhões de inscrições.
Por ser uma entidade sem fins lucrativos, a Fundação VUNESP pode ser contratada para realização
de vestibulares, concursos, avaliações e outras atividades correlatas, sem a necessidade de licitação.
As atividades centrais da VUNESP são o planejamento, a organização, a execução e a supervisão de
vestibulares, de concursos públicos e de avaliações educacionais para a UNESP e outras instituições
públicas e privadas.
A atuação da Fundação inclui o suporte na categorização de cargos ou vagas, na concepção dos
instrumentos de avaliação, na confecção dos respectivos programas e na redação de editais; a
elaboração do material de divulgação, de manuais e de boletins informativos; a elaboração, revisão e
impressão de provas e de material de aplicação; e a aplicação dos exames, bem como a sua correção
e processamento.

1. EXECUÇÃO DE CONCURSOS, VESTIBULARES E AVALIAÇÕES
A Área de Planejamento é instância primária para a contratação dos serviços da Fundação Vunesp.
São empreendidas ações para a elaboração da proposta segundo o projeto básico ou mesmo com
base nas atribuições dos cargos e, ainda, pautada nas características dos certames ou processos
seletivos. Por vezes, para o estabelecimento desses paradigmas são realizadas reuniões externas
ou na Sede da Vunesp envolvendo os Técnicos da Área de Planejamento e da Área Acadêmica e os
respectivos membros das Comissões de Concursos ou Representantes das Instituições interessadas.
Entre as várias ações desenvolvidas pela VUNESP destacamos as relacionadas à organização para
a aplicação de diferentes modalidades de provas objetivas, discursivas, práticas, de habilidades, de
aptidão física e psicológica.
A área de Tecnologia da Informação (TI) possui corpo técnico altamente capacitado e tem participação
direta e de suma importância nas inúmeras ações das Superintendências da Fundação Vunesp. Tornase desnecessário frisar a dependência extrema desse avanço tecnológico no nosso cotidiano. Assim,
uma vez que os editais são finalizados e publicados incontáveis ações terão dependência sistêmica
do bom gerenciamento.
A área de Tecnologia da Informação coordena a elaboração de lista de candidatos com necessidades
especiais, e também coordena e elabora sistemas para a aplicação de Projetos com Avaliação que
empregam Testes online em conjunto com a Secretaria Acadêmica.
No ano de 2014, foram executados concursos, vestibulares e avaliações, totalizando 4.555.223
participantes nos diferentes processos de avaliação psicométrica.
Os concursos realizados pela VUNESP são demandados por instituições dos Poderes Executivo,
Legislativo e Judiciário, dos governos federal, estaduais e municipais, por empresas públicas e por
entidades da sociedade civil.
Dentre os vestibulares organizados pela VUNESP, destaca-se o da UNESP, que conta com 34 Unidades
de Ensino localizadas em 24 cidades, com oferta de mais de 7.600 vagas por ano, em 184 cursos de
graduação. O número de candidatos inscritos em 2014, ultrapassou os 115.000 vestibulandos, com
aplicação de provas inclusive em outros estados.
A Fundação VUNESP aplica provas de vestibular para outras instituições desde a década de 1980,
tendo realizado processos seletivos, em 2014, para quase quatro dezenas de instituições, muitas das
quais oferecem ingresso principalmente para curso de medicina.
Em 2014, a VUNESP contabilizou a participação de 303 mil candidatos em 38 vestibulares realizados.
Os desafios de aplicar provas em outros estados foram vencidos em instituições na Bahia, em Alagoas,
Pará, em Santa Catarina, no Mato Grosso e em Minas Gerais, entre outros, além da aplicação de

Relatório Anual de Gestão 2014 | 181

provas em Brasília, DF. Atualmente, a VUNESP tem aplicado as provas para ingresso na Universidade
do Estado do Amazonas, com exames envolvendo 80 mil vestibulandos, distribuídos nas 62 cidades
amazonenses.
Na área de avaliação educacional em larga escala, destacam-se em 2014 as avaliações realizadas pela
Fundação VUNESP para a Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, com a organização do
Sistema de Avaliação do Rendimento Escolar do Estado de São Paulo (SARESP) e para a Secretaria
de Estado de Educação do Estado do Pará, com a organização do Sistema Paraense de Avaliação
Educacional ­ SisPAE.
Em 2014, a VUNESP aplicou o SARESP pelo quinto ano consecutivo, para mais de 2,1 milhões de alunos
em todas as 645 cidades paulistas, abrangendo cerca de 8.900 escolas, sendo aproximadamente
5.000 estaduais e 3.500 municipais, além de 400 escolas distribuidas entre particulares, rede SESI e
Centro Paula Souza.
O Projeto SARESP 2014 avaliou o desempenho escolar, mediante aplicação de provas aos alunos dos
2º, 3º, 5º, 7º e 9º anos do Ensino Fundamental e da 3ª série do Ensino Médio.
Pelo primeiro ano a Vunesp corrigiu e avaliou 1.560.968 provas em Língua Portuguesa e Matemática
dos 2º e 3º anos do Ensino Fundamental.
Em 2014, a Fundação VUNESP elaborou e revisou 50.124 questões e pré-testou 4.000 itens, parte dos
quais utilizados no SARESP.
A execução da avaliação do SisPAE, tem como diferencial o fato de ser um projeto definido para
3 anos, isto é, a avaliação se realizou em 2014, e terá continuidade em 2015 e 2016, sempre sob
a responsabilidade executiva da Fundação VUNESP. Em 2014, foram aplicadas provas de Língua
Portuguesa e de Matemática para alunos dos 4º e 5º anos e da 7ª e 8ª séries do Ensino Fundamental,
e do 1º, 2º e 3º anos do Ensino Médio da rede pública estadual. A aplicação foi também executada
para os alunos dos 4º e 5º anos e da 7ª e 8ª séries do Ensino Fundamental das redes municipais
que aderiram ao SisPAE. Além das provas, a Fundação VUNESP aplicou aos alunos, professores e
gestores das escolas, quatro questionários para a coleta de informações sobre o perfil e as percepções
dos participantes da avaliação. Em 2014, a Vunesp preparou avaliação para 807.393 alunos, em 926
escolas estaduais e em 3.367 escolas municipais, em 144 municípios do Estado do Pará.
Assim como para o SARESP, os resultados do SisPaE serão úteis para orientar a reflexão sobre o
currículo do estado e sobretudo, deverão oferecer subsídios para a definição de ações para a melhoria
do processo de ensino e aprendizagem nas escolas e o monitoramento das políticas públicas de
educação e do plano de metas das escolas, diretamente vinculados à gestão escolar.

2. INFORMATIZAÇÃO DE SISTEMAS DE APLICAÇÃO E CORREÇÃO DE PROVAS
A qualidade na correção de redações e de questões dissertativas em avaliações depende,
essencialmente, da qualificação da equipe de corretores e do controle de suas atividades. Para tanto,
a VUNESP mantém um banco de especialistas qualificados e segue uma série de procedimentos,
destacando-se a utilização dos SCROL (Sistema de Correção de Redação) e SCQDOL (Sistema de
Correção de Questões Dissertativas), desenvolvidos pela própria Fundação.
O SCROL torna possível controlar a tendência e a distribuição de notas dadas pelos corretores nas
diferentes competências e a identificação da responsabilidade de um determinado corretor pela
discrepância com outros corretores, além de permitir o rastreamento das redações, possibilitando
identificar o de cada uma delas ao longo do processo de correção. Em 2014, foram corrigidas cerca
de 800.000 redações utilizando esse sistema.

3. ASPECTOS ORGANIZACIONAIS E ADMINISTRATIVOS
De acordo com seu Estatuto, a VUNESP é administrada por um Conselho Curador, por um Conselho
Fiscal e uma Diretoria Executiva. O Conselho Curador é o órgão máximo da Fundação, com caráter
normativo, deliberativo e de controle da administração. É constituído de nove membros indicados
pelo Reitor da UNESP, com mandato de quatro anos, renováveis por igual período. O Conselho Fiscal
é o órgão fiscalizador da administração econômico-financeira, sendo composto por três membros
nomeados pelo Conselho Curador com mandato de dois anos. Finalmente, a Diretoria Executiva é o
órgão da administração executiva da VUNESP, constituído de quatro membros: Diretor-Presidente,

182 | Relatório Anual de Gestão 2014

Superintendente Acadêmico, Superintendente Administrativo e Superintendente de Planejamento,
servidores da UNESP, nomeados pelo Reitor, com mandato de quatro anos, permitindo-se reconduções.
Para desenvolver as atividades apresentadas neste Relatório, que se encontram em sintonia com
os princípios e diretrizes da Universidade que a criou em 1979, a Fundação contava em seu quadro
funcional, ao final de 2014, com 198 funcionários contratados pela CLT, pelo Plano de Carreira e
Sistema de Remuneração ­ PCSR, além dos colaboradores externos que pertencem aos quadros da
Universidade e de outras instituições.
A Fundação mantém um programa permanente de auxílio-educação para funcionários que cursam
ensino superior, visando estimular o aperfeiçoamento profissional. Em 2014 beneficiou 34 funcionários.
Com a mesma finalidade, instituiu, em 2005, o Programa de Capacitação, para o qual são destinados
anualmente até 0,2% da receita da Fundação para despesas com cursos, treinamentos ou outras
atividades que possam contribuir com a qualificação de integrantes do seu quadro, que em 2014
beneficiaram 92 funcionários.

4. APOIO À UNESP
Como Fundação instituída pelo Conselho Universitário da UNESP, a VUNESP atua sempre em
conformidade com os objetivos da Universidade, desenvolvendo, direta ou indiretamente, atividades
relacionadas ao ensino, à pesquisa e à extensão. Assim, além de planejar, organizar, executar e
supervisionar o Concurso Vestibular da UNESP, participou de diversas iniciativas que resultaram em
benefícios acadêmicos para a Universidade.
4.1. Convênio UNESP-VUNESP
O Convênio UNESP-VUNESP, firmado em 1981 e renovado em 1992, 1997, 2002, 2007 e 2012, com
validade de 05 anos, tem por finalidade, no que concerne à UNESP, propiciar melhores condições
para o desenvolvimento do ensino, da pesquisa e da extensão de serviços à comunidade e, no que
concerne à Fundação VUNESP, realizar exames vestibulares, concursos e pesquisas.
4.2. Vestibulares, Concursos e avaliações para a UNESP
O Vestibular UNESP 2014 foi realizado pela VUNESP, em duas fases, de acordo com deliberação do
Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPE), em 19 de março de 2009.
A primeira fase (um dia) foi destinada a todos os candidatos. Constou de uma prova de Conhecimentos
Gerais, com 90 questões de múltipla escolha, sendo 30 de cada área especificada nos PCNs
(Parâmetros Curriculares Nacionais) ­ Linguagens, Códigos e suas Tecnologias (elementos de língua
portuguesa e literatura, língua inglesa, educação física e arte); Ciências Humanas e suas Tecnologias
(elementos de história, geografia e filosofia); e Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias
(elementos de biologia, física, química e matemática).
A segunda fase (dois dias) foi destinada a um total de 45.584 candidatos. No primeiro dia, foram
aplicadas 24 questões discursivas, sendo 12 de Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias
e 12 de Ciências Humanas e suas Tecnologias. No segundo dia, a prova foi composta de 12 questões
discursivas de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias e uma prova de redação em língua portuguesa,
de gênero dissertativo.
Além do Vestibular UNESP, a VUNESP realizou para a Universidade 33 exames, entre concursos
públicos para a contratação de servidores e avaliações diversas, como residência médica e proficiência
em língua estrangeira. Trata-se de atividade própria da Fundação e que tem permitido à Universidade,
além de maior transparência e difusão desses exames, estabelecer uma padronização das exigências
para os diversos cargos de seu quadro de pessoal.
4.3. Convênio unesp, vunesp e Secretaria da Educação
O programa para divulgação do Vestibular UNESP e inclusão dos melhores alunos da escola pública na
Universidade, firmado junto à Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, propõe um conjunto de
ações executadas pela Universidade Estadual Paulista, UNESP, através da Pró-Reitoria de Graduação
e da Fundação VUNESP, e que visam levar ao aluno de ensino médio das escolas da rede pública de
ensino do Estado de São Paulo informações sobre a universidade e formação profissional, favorecer

Relatório Anual de Gestão 2014 | 183

o acesso ao vestibular mediante inscrição diferenciada e subsidiada e contribuir com os programas
de permanência estudantil da universidade, mediante concessão de bolsas aos alunos de melhor
classificação no processo seletivo para ingresso nos cursos de graduação. Pretende ainda favorecer a
interação entre a UNESP e a Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, constituindo uma rede
de relacionamento da Universidade com as escolas da rede pública de ensino para o desenvolvimento
de projetos de cooperação.
4.4. Relatórios do Vestibular UNESP
Para subsidiar a própria Fundação, a Reitoria, as Pró-Reitorias, os Colegiados e as Unidades da UNESP
nas atividades de avaliação do Vestibular 2014, foi organizado, elaborado, editorado, impresso e
distribuído o Relatório do Vestibular UNESP 2014. Com tiragem de 500 exemplares, o Relatório consiste
num volume de 200 páginas e contém informações e análise dos dados do vestibular, discriminados
conforme a modalidade de inscrição, ou seja, a paga e a isenta de taxa. Contém, também, a análise
do desempenho dos candidatos, com índices de dificuldade e de discriminação para as respostas
discursivas. Finalmente, para preservar a memória do vestibular, incluiu-se no relatório a resolução
do Reitor que estabelece as bases técnicas e legais para início operacional do processo e na qual se
encontram as diretrizes para todas as provas, gerais e de habilidades. Ao final, apresenta os dados
essenciais referentes ao Vestibular Meio de Ano 2014.
O relatório é remetido para órgãos públicos e instituições diversas de todo o Brasil, que têm interesse
no vestibular e em dados e análises do acesso ao ensino superior. Ele pode também ser acessado no
site da VUNESP, que contém um setor exclusivo para o Vestibular UNESP.
4.5. Produção de textos e estudos sobre a inclusão social na UNESP
Para instrumentalizar estudos da Diretoria Acadêmica, da Câmara Central de Graduação (CCG) e do
Conselho de Ensino e Pesquisa (CEPE) sobre "inclusão social" na UNESP, assim como do Gabinete
do Reitor, a VUNESP organizou, compôs e analisou os seguintes documentos:
a) desempenho das modalidades de inscrição (2009-2014);
b) comparecimento às provas, por modalidade de inscrição (2009-2014);
c) inscritos e ingressantes na UNESP que cursaram o ensino médio integralmente ou a maior parte em
escola pública (1981-2014);
d) inscritos e ingressantes na UNESP que cursaram o ensino médio integralmente em escola pública
(1990-2014);
e) cursos e vagas nos vestibulares UNESP (1979-2014);
f) vagas, inscritos e matriculados nos vestibulares UNESP (1979-2014);
g) evolução de alguns indicadores socioeconômicos (2002-2014);
h) Estudos do desempenho e aproveitamento das vagas pelos candidatos inscritos no Sistema de
Reserva de Vagas para a Educação Básica Publica no Processo Seletivo 2014 e Vestibular Meio de
Ano (apresentação na CCG e CEPE).
i) Estudo da Evolução Histórica de Origem e Escala e Renda Percapta de 2010 a 2014, dos candidatos
matriculados nos cursos de graduação da UNESP ­ Subsídio para comissão de permanência
estudantil da UNESP junto ao CEPE.

5. PESQUISAS E DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL DA VUNESP
As pesquisas apoiadas ou desenvolvidas pela VUNESP destinam-se a fundamentar o principal
empreendimento estatutário da Fundação, que é a realização do Vestibular da UNESP, contribuindo
para o aprimoramento do acesso ao ensino superior.
Encontram-se em fase de desenvolvimento ou conclusão os seguintes projetos de pesquisa:
1. "Exames vestibulares: do realismo à utopia". Análise e discussão das propostas de reformulação
ou extinção dos exames vestibulares da universidade pública brasileira. Coordenado pelo Prof. Dr.
Rogério Chociay.
2. "Análise da evolução das provas dos processos seletivos aos cursos de graduação" Autores: Profs.
Guaracy Tadeu Rocha, Isabel Cristina Alvarenga e Marisa Andreata Whitaker.

184 | Relatório Anual de Gestão 2014

3. "A modernização dos conteúdos no Vestibular da Unesp". Autores: Tania Cristina Arantes Macedo
de Azevedo, Marisa Andrade Whitaker, Elis Cristina Fiamengue, Dulce Consuelo Andreatta Whitaker,
Isabel Cristina Castro Monteiro, Carlos José Pereira e Marco Aurélio Alvarenga Monteiro.
Os docentes responsáveis e colaboradores (professores e estagiários de graduação e pós­
graduação da UNESP) têm participado dessas atividades de pesquisa, parcialmente patrocinadas
pela Fundação VUNESP.

6. RELATÓRIOS SARESP 2013
Com a realização da 16.ª Edição do SARESP, ocorrida em 2013 foram publicados os seguintes
relatórios:
- Sumário Executivo 2013 SARESP: (ISSN 2236-854X)
- Relatório Pedagógico 2013 SARESP: Matemática (ISSN 2236-8566)
- Relatório Pedagógico 2013 SARESP: Língua Portuguesa (ISSN 2236-8574)
- Relatório Pedagógico 2013 SARESP: História e Geografia (ISSN 2316-1507)
- Relatório Pedagógico 2012 SARESP: 2.º e 3.º anos EF: Língua Portuguesa e Matemática (ISSN 22369742)
- Relatório dos Estudos 2013 SARESP: (ISSN 2237-8626)
- Relatórios Técnico Descritivo das Análises de Dados

7. ATIVIDADE DE EXTENSÃO
7.1. Política de isenções para candidatos socioeconomicamente carentes
Com o objetivo de proporcionar maiores oportunidades de acesso à Universidade para candidatos
socioeconomicamente carentes que tivessem concluído o ensino médio há mais tempo, a VUNESP
ofereceu, em 2014,.617 isenções destinadas exclusivamente aos candidatos ao Vestibular UNESP 2014
que preencheram requisitos socioeconômicos e escolares preestabelecidos, sendo 6.094 isenções
para candidatos residentes na região metropolitana de São Paulo e 1.523 isenções para candidatos
residentes no interior e litoral do estado de São Paulo, respeitando a distribuição demográfica da
população. Essa modalidade de isenção foi a que apresentou melhor aproveitamento das isenções
efetuadas.
7.2. Política de isenções para cursos preparatórios associados à UNESP
Visando ao fortalecimento dos cursos pré-vestibulares comunitários associados à UNESP foram
oferecidas, em 2014, 4920 isenções para o Vestibular UNESP 2014, distribuídas por 26 Unidades da
UNESP. Ofereceram-se, ainda, 3.771 isenções a esses cursinhos, por ocasião do Vestibular UNESP
Meio de Ano 2014.
7.3. Quadro-resumo da oferta de inscrições subsidiadas
Considerando as sete modalidades de inscrições subsidiadas (Redução de taxa ­ Lei n.º 12.782/07,
convênio com a SEE/SP, convênio com o Centro Paula Souza, convênio Embraer, candidatos
socioeconomicamente carentes, cursos pré-vestibulares e colégios técnicos e agrícolas da UNESP),
a VUNESP ofereceu 31.713 gratuidades de taxa para o Vestibular UNESP 2014, mais 4.191 isenções
para o Vestibular UNESP Meio de Ano 2014. O quadro apresentado a seguir ilustra a evolução da
oferta de subsídios para os Vestibulares da UNESP.

8. PROGRAMA DE DIVULGAÇÃO DO VESTIBULAR UNESP E INCLUSÃO DOS MELHORES
ALUNOS DA ESCOLA PÚBLICA NA UNIVERSIDADE.
8.1. Metodologia, atividades e resultados
Há mais de 15 anos, a Fundação Vunesp financia e executa o Programa de Divulgação do Vestibular
junto às escolas públicas estaduais: professores da UNESP vão às escolas públicas conversar com os

Relatório Anual de Gestão 2014 | 185

alunos sobre a universidade e seu vestibular. Mais que um programa de divulgação, trata-se de uma
atividade extensionista, uma proposta de ação afirmativa que visa levar para os estudantes do ensino
médio das escolas públicas informações sobre a universidade, seus cursos, programas de apoio ao
aluno ingressante e esclarecer quanto às oportunidades de virem a cursar uma universidade pública de
qualidade. Durante as visitas, percebe-se que muitos alunos, antes desestimulados, passam a cogitar
a continuidade dos estudos na universidade. Desde 2006, os professores são acompanhados por
alunos da UNESP egressos da rede pública, o que contribui para que os alunos da rede reconheçam
seu perfil socioeconômico nos alunos da UNESP. O Guia de Profissões, entregue por ocasião das
visitas, esclarece e ajuda a consolidar vocações. Desde a implantação do Programa, mais de 3,5
milhões de alunos receberam um professor da UNESP em suas escolas. Para chegar a esses números,
a cada ano o programa conta com a participação de dezenas de professores e alunos da universidade.
Em 2014, participaram do projeto, como divulgadores, 114 professores da Unesp que, acompanhados
de 129 alunos da Unesp, egressos de escolas públicas, visitaram 2.087 escolas de todas as Diretorias
de Ensino do interior do Estado de São Paulo, ministrando palestras e esclarecendo dúvidas de
215.015 alunos presentes aos encontros.
Os dirigentes escolares foram esclarecidos sobre o projeto mediante videoconferência interativa, com
participação das Diretorias de Ensino e escolas ligadas em . A videoconferência permanece disponível
para acesso na Videoteca da Rede do Saber-SEE/SP.
Foram feitos investimentos na logística de visitas às escolas e ajuda-de-custo, aos quais se somam
as despesas com a produção e impressão de material relativo ao vestibular, dentre eles o Guia de
Profissões, com cerca de 150 mil exemplares entregues pelos professores-divulgadores nas escolas
visitadas. Além do aporte financeiro da Fundação Vunesp para a execução do projeto, a renovação
de Convênio com a Secretaria Estadual de Educação garantiu aos alunos matriculados em escolas
da rede estadual desconto de 75% na taxa de inscrição para o vestibular, além da concessão de 18
bolsas de estudo para os melhores classificados, válidas para o período regular de duração do curso
no qual os candidatos ingressaram. Estas bolsas sobrepõem-se às já concedidas em anos anteriores.
O projeto de extensão contribuiu para com o aumento de alunos das escolas públicas interessados no
Vestibular Unesp 2015, o qual em 2015 ultrapassou pela primeira vez a casa dos cem mil candidatos,
no vestibular para ingresso no início do ano. Dentre os inscritos, 45,3% deles são egressos de escolas
públicas. Em relação ao Vestibular 2014, o número de candidatos egressos de escolas públicas
cresceu cerca de 5%.
Mais importante que o aumento no número de inscritos para o vestibular, é o aumento no número e
na proporção de matriculados egressos da rede pública de ensino. Nos últimos anos, é significativo
o número de alunos da rede pública que, beneficiados pelo Convênio Vunesp/SEE-SP, têm bom
desempenho nas provas e se matriculam nos cursos da UNESP. Quando consideramos o total de
matriculados vindos da escola pública, incluindo aqueles que concluíram o ensino médio em anos
anteriores ao do vestibular, tem havido um aumento no número de matrículas. No Vestibular 2014, das
7.253 matrículas, cerca de 43% delas são de alunos egressos de escolas públicas.
Desde 2014, a Unesp implantou o Sistema de Reserva de Vagas para a Educação Básica Pública. O
Programa de Divulgação do Vestibular Unesp junto às escolas contribuiu para levar aos estudantes
das escolas públicas informações e esclarecimentos sobre esse programa de reserva de vagas.
O Programa de Divulgação do Vestibular Unesp não apenas traz visibilidade à universidade como
também contribui para a inclusão social. Esclarece o aluno da rede pública de ensino médio quanto às
características da universidade e do vestibular, quanto aos cursos e carreiras universitárias e quanto
ao apoio institucional aos ingressantes nos cursos da Unesp. Permite que professores e alunos
universitários compartilhem com alunos do ensino médio público a experiência da universidade e,
deste modo, estimula a continuidade de estudos e o ingresso de alunos da rede pública no ensino
superior público e gratuito.
8.2. Ações de divulgação VUNESP-UNESP e demais projetos
Anúncios feitos nos jornais impressos de maior circulação no País: Folha de S. Paulo e O Estado de S.
Paulo. A Assessoria de Comunicação também intermediou a publicação de banners eletrônicos nos
sites da Folha de S. Paulo, do UOL e de O Estado de S. Paulo.
- Intermediação e preparação de material para entrevistas em emissoras de rádio e televisão,
principalmente as afiliadas da TV Globo no Estado de São Paulo: EPTV, TV Vanguarda, TV TEM e TV

Fronteira. A maior parte das entrevistas tratava do Vestibular UNESP e foi atendida pela equipe de
coordenadores de cidades do Vestibular UNESP.
- Manutenção da página Vestibular UNESP no Facebook com inclusão de todas as notícias e
publicações dos dois vestibulares anuais, o que rende em torno de 600 curtidas por mês.
- Publicação e acompanhamento de notícias no Twitter da VUNESP, atualmente com 1.180 seguidores.
As notícias também são retransmitidas no site da VUNESP.
- Publicação de conteúdo no Blog UNESP, com textos de orientação sobre o Vestibular UNESP.
- Elaboração de podcast, material radiofônico veiculado no portal da UNESP e enviado para reprodução
em toda a mídia de rádio do País. Em 2013, foram elaborados mais de 30 matérias sobre o Vestibular
UNESP e mais de 120 sobre os outros projetos realizados pela VUNESP.
- Veiculação de material na TV UNESP, por meio do VUNESP Informa, material produzido pela emissora
a partir de conteúdo fornecido pela VUNESP: concursos, vestibulares e avaliações.
- Elaboração de releases enviados regularmente para toda a imprensa (rádios, TVs, sites e jornais
impressos). Os releases tratam de todos os momentos dos vestibulares e concurso que estão sendo
realizados pela VUNESP.
- Elaboração de clippings: recortes de conteúdo publicado na imprensa e capturado por meio de
busca na internet. O clipping fica disponível para consulta na Intranet. Em 2014, foram publicados
mais de 110 clippings com aproximadamente 1.300 matérias relacionadas aos projetos realizados
pela VUNESP.
- Publicação de notícias e acompanhamento do acesso ao site da VUNESP. As 380 notícias veiculadas
na página principal do site da Fundação em 2014 registraram 3.492.399 acessos, uma média de
9.190 acessos por notícia. A página da VUNESP registrou mais de 47 milhões de visualizações em
2014, sendo 16 milhões o total de visitantes no ano. As páginas dos vestibulares da UNESP no site
da VUNESP registraram mais de 2 milhões de visualizações de 1º de janeiro a 31 de dezembro de
2014, sendo 727 mil no Vestibular Meio de Ano e 1,35 milhão no Vestibular 2015.
- Suporte logístico e material na organização das Feiras de Profissões Unesp 2014, nas cidades
de: Araçatuba, Araraquara, Assis, Botucatu, Dracena, Franca, Guaratinguetá, Ilha Solteira, Itapeva,
Jaboticabal, Marília, Presidente Prudente, Rio Claro, Registro, Rosana, São José do Rio Preto, São
José dos Campos, São João da Boa Vista.

9. PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS E PUBLICAÇÕES:
Foram proferidas cinco palestras, um trabalho apresentado em evento internacional e um em evento
nacional, dois trabalhos completos publicados em anais de eventos, uma publicação em periódico
científico, quatro publicações técnicas, um produto audiovisual. Foram realizados uma oficina de
capacitação e dois mini-cursos e participação em duas bancas de defesa de tese. Além disso, houve
participação de vários profissionais da VUNESP em três cursos de atualização profissional.

10. ATIVIDADES ADMINISTRATIVAS
10.1. Área de Logística
No ano de 2014 foi notável a consolidação da área de Logística na estrutura interna da empresa. Essa
área forneceu o suporte eficiente e adequado ao desenvolvimento de atividades das demais áreas por
meio de uma organização apropriada aos propósitos da empresa, visto que, atua integrando as etapas
de cada projeto proporcionando uma sincronia harmoniosa com todos os processos.
Durante o ano, a área de Logística atendeu 13.892 solicitações para transporte de pessoas e materiais,
devido à numerosa demanda de atividades e projetos realizados pela VUNESP.
Com relação à atividade de armazenagem, movimentação, controle e expedição de materiais no
Centro de Distribuição da VUNESP (CDV), o sistema informatizado foi aprimorado, possibilitando
um controle mais preciso e adequado de caixas unitizadas em paletes que são armazenados nas
estruturas porta-paletes do CDV (armazenagem vertical), com materiais referentes aos mais diversos
projetos realizados por esta Fundação. Os materiais armazenados nesse local estão em 52.477 caixas
unitizadas em 962 paletes.
Nesse ano, a frota própria de veículos percorreu um total de 495.000 km, dado que demonstra a

Relatório Anual de Gestão 2014 | 187

capacidade de atendimento e utilização dos veículos próprios, que executam regularmente o
transporte rodoviário dentro do estado de São Paulo e, também, em outros estados. Portanto, com
o objetivo de manter o nível de eficiência da frota de veículos para realizar a entrega e a retirada
de materiais de aplicação, materiais diversos e provas dentro do prazo determinado e seguindo as
metodologias de qualidade e segurança, a frota de veículos foi parcialmente renovada e o sistema
informatizado destinado à gestão da frota continuou a ser aprimorado, o que facilita o controle regular
de manutenções (preventiva e corretiva), de abastecimentos, de pagamento de impostos, entre outras
atividades.
Além da distribuição e do recolhimento de materiais em pontos espalhados por todo o território do
estado de São Paulo, a frota de veículos percorreu outros estados, sendo eles: Espírito Santo, Mato
Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e Rio de Janeiro, transportando provas e os materiais
necessários para compor a infraestrutura das aplicações.
O marco logístico de 2014 foi o transporte de materiais do projeto SisPAE/2014 (Sistema Paraense de
Avaliação Educacional), pois foram distribuídos e depois recolhidos questionários, provas e materiais
de aplicação em 161 polos localizados em 143 municípios do Pará. Cabe ressaltar que o estado do
Pará é o segundo maior em extensão territorial no Brasil e os modais de transporte predominantes
são o rodoviário e o fluvial. As rodovias não apresentam um bom estado de conservação e nas rotas
fluviais as dificuldades encontradas estavam diretamente relacionadas à necessidade de garantir
a segurança e a integridade do material transportado. As dificuldades relacionadas à infraestrutura
logística daquele estado foram superadas com um planejamento efetivo, dedicado e adequado aos
critérios de segurança da empresa, sendo muito elogiado pelo cliente.
Os instrumentos avaliativos foram impressos no estado de São Paulo, então, primeiramente, foi realizado
o transporte dos materiais de São Paulo (SP) para Belém (PA), totalizando 17.103 caixas e 91.117 kg.
Para isso foram contratados três voos cargueiros fretados que contaram com o acompanhamento de
funcionários da VUNESP. Dessa maneira, em dois dias todos os volumes já estavam em Belém (PA)
para depois serem enviados aos demais municípios.
As 17.103 caixas foram distribuídas em 161 polos por meio dos modais rodoviário e fluvial, com um
total de 26 veículos, 26 motoristas, 29 embarcações e 59 ajudantes. Em todo processo envolvendo
a distribuição, os veículos de transporte contratados percorreram 44.698 quilômetros. Mesmo com
as dificuldades encontradas, toda a atividade de distribuição foi realizada em 13 dias, devido a um
planejamento minucioso e adequado a esse tipo de operação, além de uma execução eficaz que nos
garantiu a distribuição dentro do prazo estipulado.
Após a aplicação, os materiais foram recolhidos nos polos e 14.364 caixas descarregadas em galpão
em Belém (PA). Para essa operação foram utilizados 35 veículos, 35 motoristas, 27 embarcações e 69
ajudantes que percorreram 60.330 quilômetros. Assim como na entrega, foram realizadas rotas pelo
modal fluvial para retirar os materiais em alguns polos, principalmente, na região da Ilha do Marajó e
cidades adjacentes a Santarém (PA).
Conforme a chegada dos materiais no Galpão, as caixas foram conferidas novamente, separadas e
paletizadas por polo. Depois, os materiais foram expedidos e carregados em 7 veículos de grande
porte que realizaram o transporte de Belém (PA) para São Paulo (SP) em 6 dias.
Ao todo, nessa operação, foram necessários 232 colaboradores (motoristas, ajudantes e equipe do
Galpão), 61 veículos e 56 embarcações. A quilometragem total percorrida foi de 105.028 quilômetros
e foram movimentadas 31.224 caixas que totalizam aproximadamente 170 toneladas de materiais. Os
dados apresentados demonstram a complexidade e a grandiosidade da atividade desenvolvida pela
Fundação VUNESP, para atender os requisitos do projeto com os critérios de segurança e excelência
inerentes a VUNESP.
Não menos importante, cabe evidenciar, também, o planejamento logístico para atendimento do
transporte de materiais do projeto SARESP/2014. A logística desse projeto se constituiu da seguinte
forma: na distribuição de material de treinamento, e na distribuição e no recolhimento de instrumentos
de controle e provas, em Diretorias de Ensino e Secretarias Municipais de Ensino do estado de São
Paulo; no controle e gerenciamento do recebimento, da conferência, da armazenagem, da expedição
e da distribuição dos materiais no Centro de Distribuição da VUNESP; no controle e gerenciamento
do transporte de materiais para correção; no controle e gerenciamento do transporte de funcionários
e colaboradores das áreas de Logística, Serviços Gerais, Informática e Produção para o Centro de
Distribuição. E em 2015, será realizada a distribuição de relatórios com os resultados do SARESP/2014.
Todos os processos foram avaliados e otimizados a cada etapa da logística de distribuição e igualmente

188 | Relatório Anual de Gestão 2014

aplicados na logística reversa que é uma operação tão importante e complexa quanto à distribuição,
uma vez que, nessa fase, os materiais retornaram ao ciclo produtivo da empresa para que fossem
processados.
Ao todo no projeto SARESP/2014, foram entregues e recolhidas 71.946 caixas, parte delas unitizadas
em 1.650 paletes totalizando um peso estimado de 395.000 kg. Os materiais foram transportados
para 91 Diretorias de Ensino e 20 Secretarias Municipais de Ensino do Estado de São Paulo (111
polos), em vários momentos, por meio de fornecedores de transporte credenciados de acordo com
os procedimentos de qualidade, para depois serem aplicados em 645 municípios. Nesse processo
foram utilizados 359 veículos terceirizados, sendo esses integrados por 783 colaboradores (motoristas
e ajudantes) treinados e instruídos para a execução dessa fase que, juntos, percorreram um total de
149.876 quilômetros.
Como pode ser observado, a área de Logística consolidou sua estrutura de maneira a possibilitar um
nível eficiente de atendimento às demandas da empresa com objetividade e excelência, seguindo os
critérios de qualidade e segurança de forma satisfatória.

11. SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE
As atividades realizadas pela Coordenação da Qualidade durante o ano incluem a manutenção do
sistema de controle de documentos e ocorrências, controle do painel de indicadores, controle da
calibração dos equipamentos e reuniões com os gestores dos processos para tratativa de nãoconformidades e melhorias.
Em Dezembro de 2013, foi realizada uma auditoria de supervisão pela Fundação Vanzolini com o
objetivo de verificar se o Sistema de Gestão da Qualidade estava aderente à norma ISO 9001:2008. De
posse do relatório da auditoria foi elaborado um cronograma para a correção das não-conformidades
registradas, e foram iniciadas as atividades do processo de gestão da qualidade para o ano de 2014.
Com os resultados alcançados, em agosto foi realizada a auditoria interna por uma consultoria
especializada. Foram oito dias de auditoria em todos os processos da empresa.
Durante todo o ano, as atividades foram desenvolvidas com supervisão adequada e criteriosa, e com
dedicação e colaboração dos funcionários da empresa.
A informatização do controle de documentos, não-conformidades e melhorias trouxe ganhos ao
Sistema de Gestão da Qualidade devido a agilidade de acesso e controle das informações, redução
da possibilidade de erros e diminuição do uso de papel.
Finalizando o Programa Anual de Auditorias da Qualidade 2014, em dezembro foi realizada em três dias
a auditoria de supervisão pela Fundação Vanzolini e recebemos a recomendação para manutenção do
certificado.
O resultado foi positivo e o auditor destacou como pontos fortes:
- organização e limpeza da área de produção, controle de rastreabilidade, planejamento do setor de
Logística;
- informatização da correção de redações, competência técnica na área de Estatística, sistemática
operacional do Planejamento;
- comprometimento por parte dos auditados;
- rapidez de recuperação de registros e de procedimentos;
- qualidade dos procedimentos do Sistema de Gestão da Qualidade, do Relatório de Auditoria Interna
e da Ata de Análise Crítica pela Direção.
Cabe destacar, que a realização de investimentos em recursos humanos e tecnológicos.
Portanto, a manutenção da certificação continua qualificando a VUNESP para desenvolver métodos
de melhoria contínua com o objetivo de aprimorar os processos e superar os seus concorrentes, uma
vez que o certificado ISO 9001:2008 é um diferencial competitivo no segmento educacional, atesta
a capacidade para atender aos requisitos dos clientes de forma consistente e confere credibilidade
frente ao mercado.

Relatório Anual de Gestão 2014 | 189

19

Fundação para o
Desenvolvimento da UNESP
FUNDUNESP

1. FUNDUNESP
A FUNDUNESP ­ Fundação para o Desenvolvimento da UNESP é entidade civil, com personalidade
jurídica de direito privado, de fins não lucrativos, com autonomia administrativa, financeira e patrimonial,
e rege-se pelo seu Estatuto, por seu Regimento Interno e pela legislação aplicável.
Foi instituída pela UNESP, conforme escritura pública em 13/04/1987. Em 2005 foi aprovado o novo
Estatuto, também pela Curadoria de Fundações com registro no Cartório do 1º Ofício de Registro de
Títulos e Documentos e Civil de Pessoa Jurídica de São Paulo.
Reconhecida de Utilidade Pública Federal, Estadual e Municipal.

2. MISSÃO
- Atuar como parceira no desenvolvimento institucional da Universidade Estatual Paulista "Júlio de
Mesquita Filho" ­ UNESP e cooperar em suas atividades de ensino, pesquisa, extensão, inovação
tecnológica e inovação social.
- Colaborar e cooperar para que as competências e recursos de instituições de ensino, pesquisa
e extensão e dos governos municipal, estadual e federal sejam utilizados em ações de utilidade
pública, na solução de problemas e no atendimento de demandas da sociedade.
- Ser altamente efetiva em gerir e articular o emprego de competências e recursos dos setores público
e/ou privado para desenvolver estes setores e o atender demandas da sociedade.
A missão da Fundunesp foi atualizada para enfatizar o seu caráter de fundação de apoio da UNESP e
abrir a possibilidade de desenvolver o mesmo papel junto a outras Instituições de Ciência e Tecnologia
(ICTs) brasileiras. Deve ser destacado que a ação cooperativa é mais complexa e profunda que a ação
de auxílio. Cooperar representa operar conjuntamente entendendo os potenciais e limitações de cada
parceiro ou cooperador.
A missão da Fundunesp contempla três diretrizes que se sobrepõem e se complementam. Estas
diretrizes estabelecem para a instituição, um papel não apenas reativo, dando suporte às ações
da UNESP e outras ICTs, mas proativo, desenvolvendo ações a partir das competências destas
instituições.

3. OBJETIVOS
- Apoiar e fomentar programas da UNESP, visando qualidade da investigação científica e tecnológica,
do ensino e da extensão universitária;
- Viabilizar o atendimento de demandas dos setores público e privado por conhecimentos científicos e
tecnológicos e por serviços laboratoriais, incrementando a interação com a sociedade;
- Apoiar a realização de cursos, seminários, conferências, reuniões científicas e estudos que visam ao
aprimoramento do ensino, da pesquisa e da formação e desenvolvimento profissional;
- Fomentar a capacitação e formação de pesquisadores, implementando sistema de bolsa para
docentes e alunos da graduação e pós-graduação da UNESP;
- Dar suporte operacional e administrativo a docentes e pesquisadores da UNESP, nas relações com
instituições financiadoras de projetos e pesquisas, bem como em projetos com os setores público e
privado;
- Apoiar projetos de pesquisa de docentes da UNESP, bem como sua participação em eventos
científicos no país e no exterior;
- Apoiar o intercâmbio cultural e científico da UNESP com outras universidades, inclusive com a vinda
de docentes e pesquisadores do país e do exterior para programas da UNESP.

4. AÇÕES
A captação e movimentação financeira referente a projetos, convênios, cursos e demais parcerias,
efetivadas pelos docentes da UNESP, totalizaram R$ 60.349.956,96 de reais.
Cumprindo sua missão de promover a interação da Universidade com o Estado, os Municípios, as
Empresas e a Sociedade, viabilizou convênios e contratos propiciando transferência de recursos à
UNESP no valor de R$ 5.290.847,14 de reais, principalmente, por meio de equipamentos adquiridos

Relatório Anual de Gestão 2014 | 193

Em 2014, com o resultado da sua captação, a FUNDUNESP através de iniciativas, atividades, projetos,
programas e ações da UNESP e de suas Unidades Universitárias disponibilizou apoio financeiro no
valor de R$ 174.429,00, destacando-se o apoio à UNATI ­ Universidade Aberta da Terceira Idade, com
grandes benefícios à sociedade.
A Fundunesp, por meio da Coordenadoria Didático Científica - CDC, colaborou com os editais do PDI
cumprindo sua missão de auxiliar a Unesp no seu desenvolvimento. Os recursos gerenciados pela
Fundunesp tiveram sua origem no PDI da UNESP. Neste novo modelo, a Fundunesp desempenhou o
papel de ser a executora de políticas acadêmicas propostas pelas Pró-reitorias da UNESP, contribuindo
para a maior efetividade dos recursos públicos.
Neste contexto foram apoiados 1.057 projetos no valor de R$ 3.855.955,70 de reais, distribuídos nos
seguintes editais:
Editais

Recursos

Nº Projetos

Primeiros Projetos

593.156,29

64

Apoio à Pesquisa em Unidades Complementares

275.440,00

10

Renove

168.790,09

20

Incentivo à Captação de Recursos

892.000,00

471

Biotérios

290.000,00

14

Mobilidade de alunos integrados a grupos envolvendo convênios de
cooperação internacional firmados pela UNESP

15.000,00

03

Apoio às Publicações Científica Periódicas da PROPe/UNESP

162.000,00

53

Internacionalização da Pesquisa da UNESP - PROINTER

309.093,75

218

Vinda de Professores/Pesquisadores Visitantes do Exterior

334.456,65

49

Programa de Apoio para a realização de Estágio no Exterior

590.340,09

56

Programa de Apoio a Participação de Docentes / Discentes em Programas
de Pós-Graduação

225.678,83

99

Observação:
Edital 025/006/13-R$. 3.500,00-Apoio às Unidades Complementares
Edital 078/014/13-R$. 3.000,00-Revistas Científicas

194 | Relatório Anual de Gestão 2014

20

Fundação
Editora UNESP
FEU

1. UMA CONSISTENTE TRAJETÓRIA DE SUCESSO
Muito já se discutiu sobre o que são os objetivos e características essenciais de editoras universitárias e
esse é um debate que ainda não esmoreceu. Embora ainda hoje algumas dessas definições permaneçam
polêmicas, creio que ao menos alguns desses traços estejam atualmente bem estabelecidos e sejam
visíveis na trajetória histórica e pela prática editorial concreta dessas instituições. O primeiro ponto a
salientar é que a universidade contemporânea pressupõe, talvez mais ainda do que sua contrapartida
medieval, o intercâmbio constante com a sociedade e precisa preservar canais eficientes de captação
e difusão de produção científica de qualidade, difusão que não se circunscreva ao âmbito acadêmico
endógeno. Muito significativamente, a criação da Universidade de Chicago, reconhecida pelo seu
posto paradigmático entre as novas e influentes universidades contemporâneas, foi antecedida em um
ano pela abertura de sua editora. Universidades, entendidas como pólos de pesquisa e disseminação
do conhecimento não podem se furtar à tarefa de editar e distribuir o texto escrito.
Um outro traço extensivamente admitido como primário para as editoras universitárias é de que
buscam um rigor editorial de que circunstancialmente podem prescindir editoras "de mercado" (trade).
Tanto para a constituição do trabalho editorial propriamente dito, do qual fazem parte as tradicionais
atividades de copidesque e revisão, quanto para a seleção dos originais, presume-se que essas editoras
procurem um alto padrão de rigor. No caso específico da seleção de originais, editoras universitárias
maduras obrigatoriamente se baseiam em constantes peer reviews, processos que assegurem (ou ao
menos aumentem) a independência de julgamento e a seleção dos melhores textos. Nesse sentido,
temos aqui, talvez sob a crítica de alguns, uma metodologia desavergonhadamente "elitista".
Esses são traços amplos de uma editora universitária. Entretanto, mesmo que se admita que tais empresas
sejam parte integrante da universidade moderna e que obedeçam a altos padrões de qualidade - algo
que poderia ser chamado de "tropismo pela qualidade" - existem algumas qualificações necessárias à
obediência editorial desse princípio, especialmente no que se refere à dinâmica da seleção.
A seleção de qualidade deve considerar obrigatoriamente a relevância editorial do material sob exame
e aqui devemos distinguir claramente entre duas espécies de produtos intelectuais, muitas vezes
entrelaçados, mas distintos. De um lado, temos os trabalhos acadêmicos propriamente ditos, teses
em particular. De outro lado, encontramos livros de divulgação ou ensaios, sem vínculo obrigatório
com a carreira ou pesquisa acadêmica. As teses, ou trabalhos acadêmicos em sentido estrito,
são tipicamente avaliados por bancas de especialistas, com funcionamentos estabelecidos pelas
autoridades acadêmicas e pela tradição universitária. Presumivelmente, esses colegiados são capazes
de chancelar, ou recusar, os méritos dos trabalhos apresentados, chancela que normalmente implica
a outorga de um título associado ­ mestrado, doutorado, livre-docência etc. Entretanto, mesmo que a
mecânica acadêmica seja bem-sucedida na aprovação de determinado conteúdo, isso não significa
que se esteja paralelamente selecionando um conteúdo editorialmente sustentável. Sob o risco de
ser extremamente cândido e expressar uma obviedade, é necessário lembrar que boas teses não
necessariamente são bons livros. E o inverso também é verdadeiro.
Muitos editores, entre aterrorizados e enfastiados, lançam o alerta de que estamos enfrentando
um desafio sem precedentes imposto justamente pela enorme proliferação de produção associada
à exigência semi-universal de que os pesquisadores publiquem seus trabalhos acadêmicos ­ no
decantado padrão do publish or perish. Lindsay Waters, o internacionalmente respeitado editor de
Humanidades da Harvard University Press, em seu livro Os inimigos da esperança, salienta o perigo
em questão: as editoras tendem a deixar seu papel tradicional de difusores de livros de qualidade para
se transformar em veículos auxiliares de seleção de trabalhos acadêmicos, contribuindo, em última
instância, para a implantação de uma Babel de textos de difícil vendagem. Desse modo, esboça-se
um panorama perigoso em que nem os ideais acadêmicos são atingidos, nem a sustentabilidade,
gerencial e financeira, das editoras é preservada.
É justamente o apropriado gerenciamento do delicado ajuste entre o comercial e o acadêmico que
tem sido um dos marcos distintivos da Fundação Editora da Unesp desde sua criação. A solidez de
seu catálogo, alicerçada em política editorial independente, e uma distribuição comercial sem paralelo
entre nossas congêneres, notabilizou a FEU como a editora universitária brasileira mais respeitada
tanto pelo mercado quanto pela academia. O projeto trilhado desde a primeira metade da década
de noventa, sistematicamente chancelado por sucessivos reitores e órgãos colegiados maiores da
Unesp, alcançou sucesso retrospectivamente notável e nos aparelha a sustentar no futuro imediato
desempenho que honrará as melhores tradições da edição acadêmica nacional e internacional.
A Editora Unesp é conquista duradoura e prestigiosa não apenas de sua equipe, mas de toda a
universidade que a abriga.

Relatório Anual de Gestão 2014 | 197

1.1. Premiações
20 Prêmios Jabuti (1990 - 2012), destaque para a obra premiada com o Jabuti de Ouro de livro do ano
em 2009, Monteiro Lobato livro a livro; obra infantil, Ceccantini, João Luís e Lajolo, Marisa.
Prêmio ANPOCS de Obras Científicas e Teses Universitárias 2007 Melhor Obra Científica em Ciências
Sociais: Economia selvagem, Gordon, Cesar.
Prêmio Senador José Ermírio de Morais da ABL (Academia Brasileira de letras) 2006: Gilberto Freyre:
Um vitoriano dos trópicos, Pallares-Burke, Maria Lúcia.
Prêmio Almanaque 2005 da Revista da Cinema-SP: Humberto Mauro e as imagens do Brasil,
Schvarzman, Sheila.
Prêmio Érico Vannuci Mendes do CNPq (Conselho Nacional do Desenvolvimento Científico e
Tecnológico) 2005: Errantes no fim do século e Luta pela terra, A ; Experiência e memória, Silva,
Maria Aparecida de Moraes.
Prêmio Cecília Meireles da FNLIJ (Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil) 2004: Trança de
histórias: A criação literária, Antunes, Benedito e Pereira, Maria Teresa Gonçalves.
Prêmio Intelectual do Ano (Troféu Juca Pato) 2004: Ensaios sobre o capitalismo no século XX,
Belluzzo, Luiz Gonzaga.
Prêmio da ABCA (Associação Brasileira de Críticos de Artes) 2003: Igrejas paulistas Barroco e
Rococó, Tirapeli, Percival.

2. RESUMO DAS ATIVIDADES
Itens

2010

2011

2012

2013

2014
139

Livros em 1ª edição

88

70

149

152

Livros em coedição

14

10

18

5

3

Livros em reimpressão

78

61

59

67

74

Revistas Publicadas
Total

2

2

2

3

2

182

144

228

227

218

Resumo da produção de títulos
Obras estrangeiras

71

62

60

67

76

Obras nacionais

111

81

168

160

141

Direitos Autorais Adquiridos
Obras estrangeiras/tradução

37

33

42

57

22

Obras nacionais

210

207

137

116

98

Total
Exemplares Vendidos

247

240

179

173

120

147.700

178.070

172.820

174.633

203.500

66

98

96

E-Books
E-books publicados

-

Downloads no Site Scielo

-

Downloads de E-books
Universidade do Livro ­ UNIL
Número de Cursos
Número de Alunos

198 | Relatório Anual de Gestão 2014

23
1.079

179
-

154.174

3.435.563

4.309.690

85.000

151.497

109.275

101.084

32
1.120

26
1.170

40
1.588

39
1574

Relatório
de Gestão

2014

Relatório de Gestão 2014

JULIO CEZAR DURIGAN - REITOR
MARILZA VIEIRA CUNHA RUDGE - VICE-REITORA