A
N
A
EM

0
0
8
0

S

canal estúdio aulas

Técnico e Analista Judiciário

de 7 a 11 de dezembro das 19 às 21 horas

Direito Administrativo

Direito Constitucional

Paulo Machado

Marcos Pacco

Léo Matos

Informática

Lei de Organização Judiciária

Segunda

Terça

Quarta

Quinta

Sexta

Vinícius Soares

Gramática

www.estudioaulas.com.br

Adriane Souza

Direito Constitucional | Paulo Machado

QUESTÕES COMPLEMENTARES
1. (CESPE ­ TELEBRÁS ­ ADVOGADO ­ ANALISTA)
Julgue o item subsequente, relativo ao Sistema
Tributário Nacional, ao Conselho Nacional de Jus
tiça, à interpretação e aplicabilidade das normas
constitucionais, ao poder constituinte originário e
aos direitos individuais.
No entendimento do STF, o preâmbulo da Constitui
ção Federal não se situa no âmbito do direito, mas
no domínio da política, pois reflete posição ideo
lógica do constituinte, de caráter principiológico.
2. (CESPE ­ CÂMARA ­ ANALISTA ­ 2014) À luz dos
princípios fundamentais de direito constitucional
positivo brasileiro, julgue o item a seguir.
Quando um estado da Federação deixa de invocar a
proteção de Deus no preâmbulo de sua constituição,
contraria a CF, pois tal invocação é norma central
do direito constitucional positivo brasileiro.
3. (CESPE ­ STF ­ ANALISTA ­ 2013) Acerca do Estado
federal brasileiro, tendo como referência a Consti
tuição Federal de 1988 (CF), julgue os itens a seguir.
Dada a subordinação dos entes federados à força
normativa da CF, seu preâmbulo deve ser obrigato
riamente reproduzido nas constituições estaduais
PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS
Julgue o item a seguir, a respeito da Constituição Federal
de 1988 (CF) e dos fundamentos da República Federativa
do Brasil.
1. (CESPE ­ FUB ­ ASSISTENTE ADÇÃO ­ 2015) A livre
iniciativa, fundamento da República Federativa do
Brasil, possui valor social que transcende o interesse
do empreendedor, merecendo proteção constitucio
nal apenas quando respeitar e ajudar a desenvolver
o trabalho humano. Por isso, não se coaduna com a
CF empreitada que deixe de assegurar os direitos
sociais dos trabalhadores.
Julgue o item a seguir, a respeito da Constituição Federal
de 1988 (CF) e dos fundamentos da República Federativa
do Brasil.
2. (CESPE ­ FUB ­ ASSISTENTE ADÇÃO ­ 2015 ­ O
pluralismo político, fundamento da República
Federativa do Brasil, é pautado pela tolerância a
ideologias diversas, o que exclui discursos de ódio,
não amparados pela liberdade de manifestação do
pensamento.
3. (CESPE ­ TC/DF ­ TÉCNICO ­ 2014 ­ 68 Ao imple
mentar ações que visem reduzir as desigualdades
sociais e regionais e garantir o desenvolvimento
nacional, os governos põem em prática objetivos
fundamentais da República Federativa do Brasil.
4. (CESPE ­ TJ/SE ­ DIREITO ­ 2014 ­ O pluralismo
político traduz a liberdade de convicção filosófica e
política, assegurando aos indivíduos, além do enga
jamento pluripartidário, o direito de manifestação
de forma apartidária.
É proibido reproduzir ou comercializar

5. (CESPE ­ IR BRANCO ­ DIPLOMATA P2 ­ 2014 ­
Cláusula pétrea da CF, o princípio da separação
dos Poderes veda qualquer emenda que tenda a
suprimilo ou que institua a dominação de um dos
Poderes por outro.
Considerando os princípios, direitos e garantias funda
mentais previstos na CF e a responsabilidade civil do
Estado, julgue (C ou E) os itens subsequentes.
6. (CESPE ­ IR BRANCO ­ DIPLOMATA P2 ­ 2014 ­ O
repúdio ao terrorismo e ao racismo é princípio
regente das relações internacionais da República
Federativa do Brasil, sendo a prática do racismo
crime inafiançável e imprescritível, sujeito a pena
de reclusão, e o terrorismo, crime inafiançável e
insuscetível de graça ou anistia.
DIREITO FUNDAMENTAIS
Direitos e Deveres Individuais e Coletivos
Os direitos fundamentais arrolados pela CF balizam o
trabalho do servidor público. Considerando as disposi
ções constitucionais insculpidas nos artigos que vão do
5.º ao 15, julgue os itens subsecutivos.
7. (CESPE ­ MPU ­ TECN. SEG&TRANSP ­ 2015 ­ É
assegurado o acesso às informações de interesse
particular retidas pelos órgãos públicos.
Os direitos fundamentais arrolados pela CF balizam o
trabalho do servidor público. Considerando as disposi
ções constitucionais insculpidas nos artigos que vão do
5.º ao 15, julgue os itens subsecutivos.
8. (CESPE ­ MPU ­ TECN. SEG&TRANSP ­ 2015 ­ O
fornecimento de certidão para a defesa de direitos
ou para o esclarecimento de situações pessoais
pelos órgãos públicos encontra respaldo constitu
cional.
Os direitos fundamentais arrolados pela CF balizam o
trabalho do servidor público. Considerando as disposi
ções constitucionais insculpidas nos artigos que vão do
5.º ao 15, julgue os itens subsecutivos.
9. (CESPE ­ MPU ­ TECN. SEG&TRANSP ­ 2015 ­ É
incondicional o direito à reunião com fins pacíficos
em local aberto ao público.
Os direitos fundamentais arrolados pela CF balizam o
trabalho do servidor público. Considerando as disposi
ções constitucionais insculpidas nos artigos que vão do
5.º ao 15, julgue os itens subsecutivos.
10. (CESPE ­ MPU ­ TECN. SEG&TRANSP ­ 2015 ­ A
prática de racismo constitui crime inafiançável e
imprescritível.
Os direitos fundamentais arrolados pela CF balizam o
trabalho do servidor público. Considerando as disposi
ções constitucionais insculpidas nos artigos que vão do
5.º ao 15, julgue os itens subsecutivos.
11. (CESPE ­ MPU ­ TECN. SEG&TRANSP ­ 2015 ­ As
cartas dirigidas a servidor podem ser livremente
abertas pelos órgãos de segurança institucional.
3www.estudioaulas.com.br

Direito Constitucional | Paulo Machado

Os direitos fundamentais arrolados pela CF balizam o
trabalho do servidor público. Considerando as disposi
ções constitucionais insculpidas nos artigos que vão do
5.º ao 15, julgue os itens subsecutivos.
12. (CESPE ­ MPU ­ TECN. SEG&TRANSP ­ 2015 ­ O
direito de petição só se aplica ao judiciário.

21. (CESPE ­ CD ­ POLÍCIA LEG. ­ 2014 ­ Prescinde de
previsão legal a exigência de aprovação em exame
psicotécnico para habilitação de candidato a cargo
público.

No tocante aos direitos e garantias fundamentais, julgue
o próximo item.
13. (CESPE ­ DPU ­ DEFENSOR PUB. ­ 2015 ­ O direito
à liberdade de expressão representa um dos fun
damentos do Estado democrático de direito e não
pode ser restringido por meio de censura estatal,
salvo a praticada em sede jurisdicional.

22. (CESPE ­ FUB ­ CB ­ 2015 ­ Os direitos sociais im
põem deveres ao Estado que assegurem ao cidadão
condições mínimas para uma vida digna, indepen
dentemente da existência de recursos públicos
para custeio; assim, autorizase a livre invasão da
atividade administrativa pelo Poder Judiciário para
efetivação daqueles direitos, fenômeno conhecido
como judicialização de políticas públicas.

Julgue o item que se segue, no que concerne aos direitos
e garantias fundamentais e à aplicabilidade das normas
constitucionais.
14. (CESPE ­ TC/DF ­ TÉCNICO ­ 2014 ­ É livre o exer
cício das profissões, podendo a lei exigir inscrição
em conselho de fiscalização profissional apenas
quando houver potencial lesivo na atividade, o que
não ocorre com a profissão de músico, por exemplo.
15. (CESPE ­ TC/DF ­ TÉCNICO ­ 2014 ­ 79 Embora a
casa seja asilo inviolável do indivíduo, em caso de
flagrante delito, é permitido nela entrar, durante o
dia ou à noite, ainda que não haja consentimento
do morador ou determinação judicial para tanto.
No que se refere a direitos e garantias fundamentais,
julgue os itens subsecutivos.
16. (CESPE ­ TC/DF ­ CONSULTOR ­ 2014 ­ No en
tendimento do STF, a garantia do devido processo
legal não torna obrigatória a defesa técnica por
advogado no âmbito dos processos administrativos
disciplinares que envolvam servidores públicos.
17. (CESPE ­ TC/DF ­ CONSULTOR ­ 2014 ­ O TCDF, no
exercício do controle externo, não pode determinar
a suspensão de benefícios garantidos por decisão
judicial transitada em julgado, ainda que o direito
reconhecido pelo judiciário esteja em desconformi
dade com jurisprudência dominante do STF.
18. (CESPE ­ TC/DF ­ CONSULTOR ­ 2014 ­ O TCDF
possui competência constitucional para determinar
diretamente a quebra dos sigilos bancário e fiscal,
desde que tal medida esteja relacionada ao controle
externo.
19. (CESPE ­ DPF ­ AGENTE ADM. ­ 2014 ­ O ter
rorismo, o racismo, a tortura e o tráfico ilícito de
entorpecentes são crimes hediondos, inafiançáveis
e insuscetíveis de graça e anistia.
20. (CESPE ­ SUFRAMA ­ AGENTE ADM. ­ 2014 ­ A CF
admite que tratados internacionais de direitos hu
manos, desde que aprovados por quórum especial
no Congresso Nacional, sejam incorporados com
a mesma hierarquia das emendas constitucionais,
o que se coaduna com o princípio da prevalência dos
direitos humanos que rege a República Federativa
do Brasil em suas relações internacionais.
É proibido reproduzir ou comercializar

Direitos Sociais

No que diz respeito a direitos sociais relacionados ao
trabalho, julgue o item a seguir.
23. (CESPE ­ FUB ­ ENFERMEIRO TRAB. ­ 2015 ­ Cabe
ao sindicato a defesa dos direitos e interesses cole
tivos ou individuais da categoria a que representa,
inclusive no que diz respeito a questões adminis
trativas.
No que diz respeito a direitos sociais relacionados ao
trabalho, julgue o item a seguir.
NACIONALIDADE, CIDADANIA
Acerca das disposições referentes à administração públi
ca, às competências constitucionais dos entes federados
e ao Poder Judiciário, julgue o item a seguir.
24. (CESPE ­ CGE/PI ­ AUDITOR GOV. ­ 2015 ­ Os
cargos, empregos e funções públicas são acessíveis
apenas a brasileiros natos e naturalizados que pre
encham os requisitos estabelecidos em lei.
Quanto ao conceito de Constituição e aos direitos in
dividuais e de nacionalidade, julgue o seguinte item.
25. (CESPE ­ T.RE/GO ­ TÉC. ADM. ­ 2015 ­ São bra
sileiros natos os nascidos no estrangeiro, de pai
brasileiro ou mãe brasileira que esteja no exterior
a serviço do Brasil ou de organização internacional.
Quanto ao conceito de Constituição e aos direitos in
dividuais e de nacionalidade, julgue o seguinte item.
26. (CESPE ­ TC/DF ­ TÉCNICO ­ 2014 ­ Cidadão por
tuguês que legalmente adquira a nacionalidade
brasileira não poderá exercer cargo da carreira
diplomática, mas não estará impedido de exercer o
cargo de ministro de Estado das Relações Exteriores.
27. (CESPE ­ CD ­ POLÍCIA LEG. ­ 2014 ­ Se um casal
formado por um cidadão argentino e uma cidadã
canadense for contratado pela República do Uruguai
para prestar serviços em representação consular
desse país no Brasil e, durante a prestação desses
serviços, tiver um filho em território brasileiro, tal
filho, conforme o disposto na CF, será brasileiro nato.
4www.estudioaulas.com.br

Direito Constitucional | Paulo Machado

DIREITOS POLÍTICOS, PARTIDOS POLÍTICOS
28. (CESPE ­ FUB ­ CB ­ 2015 -) O analfabeto, embora
inelegível, possui a faculdade de alistarse e de
votar.
29. (CESPE ­ T.RE/GO ­ ANAL. ADM. ­ 2015 ­ A nor
ma constitucional que consagra o princípio da
anterioridade eleitoral não pode ser abolida por
tratarse de uma garantia individual fundamental
do cidadãoeleitor.
Julgue o item que se segue, no que concerne aos direitos
e garantias fundamentais e à aplicabilidade das normas
constitucionais.
30. (CESPE ­ T.RE/GO ­ ANAL. ADM. ­ 2015 ­ O direi
to de antena, previsto pela Constituição Federal
(CF), assegura aos partidos políticos a propaganda
partidária mediante o acesso gratuito ao rádio e à
televisão, na forma da lei.
Julgue o item que se segue, no que concerne aos direitos
e garantias fundamentais e à aplicabilidade das normas
constitucionais.
31. (CESPE ­ T.RE/GO ­ ANAL. JUD. ­ 2015 ­ Caso seja
publicada e passe a viger em fevereiro de 2018, lei
que altere o processo eleitoral poderá ser aplicada
a pleito eletivo que ocorra em outubro desse mes
mo ano.
32. (CESPE ­ ANTAQ ­ TÉC. ADM. ­ 2014 ­ Os partidos
políticos adquirem personalidade jurídica mediante
o registro de seus estatutos no Tribunal Superior
Eleitoral.
Acerca dos direitos políticos, julgue os itens a seguir.
33. (CESPE ­ PGE/BA ­ PROCURADOR DE ESTADO ­
2014 ­ Não são alistáveis como eleitores nem os
estrangeiros nem os militares.
PODER JUDICIÁRIO
Em relação ao Poder Judiciário e ao Ministério Público,
julgue o item subsequente.
34. (CESPE ­ T.RE/GO ­ ANAL. ADM. ­ 2015 ­ A incons
titucionalidade de uma lei pode ser declarada por
um tribunal reunido em maioria simples ou por
comissão criada nesse tribunal para julgar o caso.
35. (CESPE ­ ANTAQ ­ TÉC. ADM. ­ 2014 ­ O estatuto
da magistratura deve ser regulado por lei comple
mentar, cuja proposição é de iniciativa do Supremo
Tribunal Federal.
Acerca das disposições referentes à administração públi
ca, às competências constitucionais dos entes federados
e ao Poder Judiciário, julgue o item a seguir.
36. (CESPE ­ CGE/PI ­ AUDITOR GOV. ­ 2015 ­ O
Supremo Tribunal Federal poderá, após reiteradas
decisões sobre matéria constitucional, aprovar sú
mula que, a partir de sua publicação na imprensa
É proibido reproduzir ou comercializar

oficial, terá efeito vinculante em relação aos de
mais órgãos do Poder Judiciário e à administração
pública direta e indireta nas esferas federal, esta
dual e municipal.
37. (CESPE ­ ANTAQ ­ CB RSTA ­ 2014 ­ Cabe exclu
sivamente ao presidente do STF, no âmbito da
União, encaminhar as propostas orçamentárias dos
tribunais superiores ao Poder Executivo.
38. (CESPE ­ TC/DF ­ TÉCNICO ­ 2014 ­ Além dos
juízes oriundos dos tribunais regionais federais e
dos desembargadores advindos dos tribunais de
justiça, comporão o STJ, na proporção de um quinto
de suas vagas, advogados e membros do Ministério
Público com mais de dez anos de atividade efetiva
e mais de dez anos de carreira, respectivamente.
No que se refere ao Poder Judiciário, julgue os itens
seguintes, considerando que STJ se refere ao Superior
Tribunal de Justiça.
39. (CESPE ­ PGE/BA ­ PROCURADOR DE ESTADO ­
2014 ­ Os tribunais regionais federais não podem
funcionar de forma descentralizada, ressalvada a
justiça itinerante.
No que se refere ao Poder Judiciário, julgue os itens
seguintes, considerando que STJ se refere ao Superior
Tribunal de Justiça.
40. (CESPE ­ PGE/BA ­ PROCURADOR DE ESTADO ­
2014 ­ Compete ao STJ processar e julgar, origi
nariamente, o conflito de competência instaurado
entre juiz federal e juiz do trabalho.
Acerca dos direitos e garantias fundamentais, da apli
cabilidade das normas constitucionais e da organização
do poder judiciário, julgue os itens seguintes.
41. (CESPE ­ DPF ­ ADMINISTRADOR ­ 2014 ­ 44 Em
caso de grave violação dos direitos internacionais,
o procuradorgeral da República, com a finalidade
de assegurar o cumprimento de obrigações de
correntes de tratados de direitos internacionais
dos quais o Brasil seja signatário, poderá suscitar,
perante o SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, em
qualquer fase do inquérito ou processo, incidente
de deslocamento de competência para a justiça
federal.
CNJ
42. (CESPE ­ PGE/BA ­ PROCURADOR DE ESTADO ­
2014 ­ A função de ministrocorregedor do Con
selho Nacional de Justiça deve ser exercida por
ministro do STJ.
43. (CESPE ­ MDIC ­ AGENTE ADM. ­ 2014 ­ A criação
do Conselho Nacional de Justiça, que instituiu uma
nova instância de recurso judicial, pode ser consi
derada uma aplicação do princípio do contraditório
e da ampla defesa.
5www.estudioaulas.com.br

Direito Constitucional | Paulo Machado

FUNÇÕES ESSENCIAIS À JUSTIÇA
Em relação ao Poder Judiciário e às funções essenciais
à justiça, julgue o seguinte item.
44. (CESPE ­ T.RE/GO ­ ANAL. ADM. ­ 2015 ­ O Mi
nistério Público Eleitoral é parte integrante do
Ministério Público da União, tem estrutura própria e
é composto por procuradores investidos no serviço
público mediante aprovação em concurso próprio
para a respectiva carreira.
No que se refere ao tratamento conferido pela CF à DP,
julgue o seguinte item.
45. (CESPE ­ DPE/P ­ DEFENSOR PUB. ­ 2015 ­ A au
tonomia funcional e administrativa conferida à DP
não impede sua vinculação à secretaria de justiça
do estado ao qual pertença, caso exista tal previsão
na respectiva lei complementar estadual.
No que se refere ao tratamento conferido pela CF à DP,
julgue o seguinte item.
46. (CESPE ­ MDIC ­ ANAL. TÉC. ADM. ­ 2014 ­ São
princípios institucionais do Ministério Público a
unidade, a indivisibilidade e a independência fun
cional.
ORGANIZAÇÃO DO ESTADO
47. (CESPE ­ T.RE/GO ­ ANAL. JUD. ­ 2015 ­ Considere
que, prevista competência concorrente para legislar
sobre determinada matéria de interesse público e
inexistindo lei federal que o fizesse, o estado de Goi
ás tenha editado lei contendo normas gerais sobre
tal matéria. Nessa situação, lei federal superveniente
sobre a matéria não revogará a lei estadual, cuja
eficácia será suspensa apenas no que contrariar a
lei federal.
Julgue o item subsecutivo, referentes aos direitos polí
ticos e à organização políticoadministrativa do Estado
brasileiro.
48. (CESPE ­ T.RE/GO ­ TÉC. ADM. ­ 2015 ­ É compe
tência privativa da União legislar acerca do direito
eleitoral.
Julgue o item a seguir, relativos à organização políti
coadministrativa do Estado brasileiro, às disposições
gerais dos servidores públicos e ao processo legislativo.
49. (CESPE ­ T.RE/GO ­ ANAL. ADM. ­ 2015 ­ Compete
à União, aos estados e ao Distrito Federal legislar
concorrentemente sobre direito eleitoral e, no âm
bito dessa legislação concorrente, a competência da
União está limitada ao estabelecimento de normas
gerais.
É proibido reproduzir ou comercializar

50. (CESPE ­ TC/DF ­ CONSULTOR ­ 2014 ­ 42 A edição
de normas gerais sobre licitações e contratos admi
nistrativos, em todas as modalidades, é competência
privativa da União.
51. (CESPE ­ CD ­ POLÍCIA LEG. ­ 2014 ­ Será constitu
cional lei estadual que obrigue a instalação de cinto
de segurança em veículos de transporte coletivo.
52. (CESPE ­ DPF ­ ADMINISTRADOR ­ 2014 ­ Compete
à União, aos estados, ao DF e aos municípios legis
lar concorrentemente sobre direito penitenciário,
cabendo à União apenas o estabelecimento de
normas gerais
53. (CESPE ­ PGE/BA ­ PROCURADOR DE ESTADO ­
2014 ­ Compete exclusivamente à União legislar
sobre direito financeiro.
54. (CESPE ­ CD ­ POLÍCIA LEG. ­ 2014 ­ Lei distrital
que submeta as desapropriações, no âmbito do
Distrito Federal, à aprovação prévia da Câmara Le
gislativa será inconstitucional, pois, além de violar
o princípio da separação dos poderes, invadirá a
competência legislativa da União.
55. (CESPE ­ TC/DF ­ ANALISTA ­ 2014 ­ É vedado
à LODF definir os crimes de responsabilidade do
governador.
EXECUTIVO
A respeito dos Poderes Executivo e Legislativo, julgue
os itens a seguir.
56. (CESPE ­ TC/DF ­ ANALISTA ­ 2014 ­ Dispor sobre
a organização da administração federal é atribuição
privativa do presidente da República, que somente
poderá ser exercida pelo próprio ou, durante seus
impedimentos, por quem o substituir na presidência,
vedada a delegação.
57. (CESPE ­ TC/DF ­ ANALISTA ­ 2014 ­ O presidente
da República pode dispor, mediante decreto autô
nomo, acerca da organização e do funcionamento
da administração federal, vedados o aumento de
despesa e a criação ou extinção de órgãos públicos.
Acerca da organização dos poderes da República, julgue
os próximos itens.
58. (CESPE ­ CD ­ POLÍCIA LEG. ­ 2014 ­ O presidente
da República pode delegar a ministro de Estado a
competência para aplicar pena de demissão a ser
vidores públicos federais.
59. (CESPE ­ CD ­ POLÍCIA LEG. ­ 2014 ­ A CF autoriza
o presidente da República a criar cargos e extinguir
órgãos públicos por meio de decreto.
60. (CESPE ­ SUFRAMA ­ NS3&4 ­ 2014 ­ Uma vez
que o Brasil adotou o sistema presidencialista,
as funções de chefe de Estado e de chefe de governo
acumulamse na figura do presidente da República,
competindolhe, privativamente, expedir decretos e
regulamentos para fiel execução da lei.
6www.estudioaulas.com.br

anotações

...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................

...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................
...................................................................................

SCRN 708/709 Bloco B lote 09, Entrada 30, Sobreloja, Asa Norte
(61) 3033 8475 | 3447 3633

www.estudioaulas.com.br

Taguatinga: (61) 3024-3060
QSA 25 ­ Pistão Sul ­ Taguatinga ­ Ao lado do Posto ALE
Ceilândia: (61) 2194-8032
QNN 02 ­ Lote 04 ­ Ceilândia Sul ­ Ao lado do Subway
Asa Norte: (61) 4103-2526
SCRN 708/709 Bloco B Entrada 30 ­ 1° e 2° Andar ­ Asa Norte
Águas Claras: (61) 3597-8003
Avenida Pau Brasil, Lote 06, Loja 09, Edifício E Business
Guará: (61) 3381-0204
QE 04 ­ Conj. E Lote 174 Guará 01 DIB (Entrada do Colégio JK entre a QE 04 e QI 08)

www.espacocampus.com.br