SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL
MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR
INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL
EDITAL Nº 1 ­ INMETRO, DE 29 DE OUTUBRO DE 2009
CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS NO CARGO DE ESPECIALISTA EM METROLOGIA E
QUALIDADE SÊNIOR
O PRESIDENTE do INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE
INDUSTRIAL (INMETRO), no uso de suas atribuições e considerando a autorização do Ministério do
Planejamento, Orçamento e Gestão, nos termos da Portaria nº 32, de 8 de fevereiro de 2007, publicada
no Diário Oficial da União de 9 de fevereiro de 2007, e da Portaria nº 314, de 24 de setembro de 2009,
publicada no Diário Oficial da União de 25 de setembro de 2009, com base na Lei nº 8.112, de 11 de
dezembro de 1990, na Lei nº 9.515, de 20 de novembro de 1997, na Lei nº 11.355, de 19 de outubro de
2006, no Decreto nº 6.275, de 28 de novembro 2007, e no Decreto nº 6.944, de 21 de agosto de 2009,
publicado no Diário Oficial da União de 24 de agosto de 2009, torna pública a realização de concurso
público para provimento de vagas no cargo de nível superior de Especialista em Metrologia e Qualidade
Sênior, mediante as condições estabelecidas neste edital.
1 DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES
1.1 O concurso público destina-se à seleção de profissionais para o exercício do cargo de Especialista em
Metrologia e Qualidade Sênior do Plano de Carreiras e Cargos do Inmetro, aprovado pela Lei nº
11.355/2006 e modificado pelas Leis nº 11.490/2007 e nº 11.907/2009.
1.2 O concurso será regido por este edital e executado pelo Centro de Seleção e de Promoção de
Eventos da Universidade de Brasília (CESPE/UnB), que terá as seguintes atribuições: planejar, organizar e
realizar todas as atividades e etapas do concurso público, inclusive elaboração e publicação de editais, e
divulgação de informações e comunicados acerca do concurso.
1.3 O concurso compreenderá as seguintes etapas:
a) Prova de avaliação de títulos e produção científica e tecnológica, consubstanciados no curriculum
vitae, de caráter classificatório;
b) Prova de defesa e arguição pública de memorial, de caráter eliminatório e classificatório; e
c) Prova de defesa e arguição pública de plano de trabalho, de caráter eliminatório e classificatório.
1.3.1 Será constituída uma Comissão Especial de Concurso de Especialista em Metrologia e Qualidade
Sênior, através de portaria do Presidente do Inmetro, com as seguintes atribuições:
a) selecionar e definir a composição de cada Banca Examinadora para o cargo de Especialista em
Metrologia e Qualidade Sênior, de profissionais de alto gabarito, conforme subitem 1.3.1.1 deste edital,
e
disponibilizar
a
composição
nos
endereços
eletrônicos:
http://www.cespe.unb.br/concursos/inmetro_senior2009 e http://www.inmetro.gov.br;
b) encaminhar ao Presidente do Inmetro o resultado final do concurso para o cargo de Especialista em
Metrologia e Qualidade Sênior para homologação pelo Inmetro, publicação no Diário Oficial da União e
divulgação
nos
endereços
eletrônicos
do
CESPE/UnB
(http://www.cespe.unb.br/concursos/inmetro_senior2009) e do Inmetro, (http://www.inmetro.gov.br);
c) comunicar aos candidatos regularmente inscritos os calendários das provas, através dos endereços
eletrônicos do CESPE/UnB e do Inmetro, assim como os locais onde serão realizadas as provas.
d) analisar e emitir parecer, deferindo ou não, a respeito dos recursos apresentados de acordo com o
item 14, e seus subitens, deste edital.
1

1.3.1.1 As Bancas Examinadoras para a seleção referente ao cargo de Especialista em Metrologia e
Qualidade Sênior serão constituídas de 3 (três) membros efetivos e 1 (um) suplente para cada Banca,
sendo que cada um deles deverá possuir, pelo menos, uma das seguintes qualificações:
a) ser Professor Titular há pelo menos 10 (dez) anos, ou Professor Associado e portador de título de
Doutor há pelo menos 10 (dez) anos, do quadro de servidores ativos ou inativos de Instituição Pública
de Ensino Superior ­ IFES; ou
b) se pertencer aos quadros de outras instituições de ensino superior brasileiras, ser Professor Titular,
há pelo menos 10 (dez) anos ou Professor Associado ou equivalente, e portador de título de Doutor há
pelo menos 10 (dez) anos; ou
c) não pertencendo aos quadros de instituições de ensino superior brasileiras,
c.1) ser portador de título de Doutor, há pelo menos 10 (dez) anos, obtido em curso credenciado pelo
MEC ou revalidado, se obtido no exterior, ou
c.2) possuir experiência e alta qualificação profissional e que tenha realizado trabalhos
reconhecidamente importantes em escala nacional e/ou internacional, com contribuição significativa
para o desenvolvimento na área do concurso, reconhecidos pelo Inmetro.
1.3.1.1.1 Pelo menos 2 (dois) dos membros efetivos da Banca Examinadora serão obrigatoriamente não
vinculados diretamente ao Inmetro, assim como o membro suplente, salvo no caso em que a Banca
titular for integralmente constituída de membros efetivos externos.
1.3.1.1.2 Cada Banca Examinadora terá um Presidente, dentre os seus membros, e um Secretário
Executivo, encarregado de secretariar, apoiar e zelar pelo bom andamento das atividades dos trabalhos
do concurso, nomeados pela Comissão Especial de Concurso.
1.4 Todas as etapas deste concurso serão realizadas no Estado do Rio de Janeiro/RJ.
1.4.1 Havendo indisponibilidade de locais suficientes ou adequados no local de realização das provas,
estas poderão ser realizadas em outra localidade.
1.5 Os candidatos aprovados no concurso serão lotados e distribuídos pelo Presidente do Inmetro.
1.6 Integram este edital os seguintes anexos: Anexo I ­ Quadros I e II de atribuição de pontos para a
avaliação de títulos e Anexo II ­ Quadros I e II de atribuição de pontos para a avaliação de títulos.
2 DO CARGO
CARGO: ESPECIALISTA EM METROLOGIA E QUALIDADE SÊNIOR (Classe única, Padrão I)
DESCRIÇÃO DAS ATRIBUIÇÕES GENÉRICAS: desenvolver atividades especializadas de pesquisa,
planejamento, tecnologia, coordenação, chefia, orientação técnica e científica e execução de projetos
em metrologia e qualidade e outras atividades relacionadas com a metrologia legal, científica e
industrial, qualidade, regulamentação, acreditação, superação de barreiras técnicas, avaliação da
conformidade e informação tecnológica.
JORNADA DE TRABALHO: a jornada de trabalho será de 40 (quarenta) horas semanais.
REMUNERAÇÃO: a remuneração do cargo de Especialista em Metrologia e Qualidade Sênior, que integra
o Plano de Carreiras e Cargos do Inmetro, constitui-se de:
I - vencimento básico;
II - Gratificação pela Qualidade do Desempenho no Inmetro (GQDI);
III ­ retribuição por titulação.
QUADRO DE REMUNERAÇÃO
2.1 De acordo com o art. 61 da Lei nº 11.355/2006, a GQDI é devida aos ocupantes dos cargos de níveis
superior, intermediário e auxiliar do Plano de Carreiras e Cargos do Inmetro, em função do alcance das
metas de desenvolvimento individual e do alcance das metas de desempenho institucional do Inmetro,
quando em exercício das atividades inerentes às suas atribuições nesse Instituto. A pontuação referente
2

à GQDI será assim distribuída: até 60 (sessenta) pontos em decorrência da avaliação de desempenho
individual e até 40 (quarenta) pontos em função dos resultados da avaliação institucional.
2.2 Conforme determina o § 2º do art. 61-C da Lei nº 11.355/2006, até que seja processada a primeira
avaliação de desempenho individual, a gratificação será correspondente a 80 (oitenta) pontos.
2.3 A remuneração total máxima indicada no Quadro de Remuneração corresponde ao somatório do
vencimento básico, da retribuição por titulação e do valor máximo da GQDI até a primeira avaliação.

Vencimento Básico
(R$)

Gratificação (R$)
(primeiro ano)

Retribuição por
Titulação (R$)
(Doutorado)

Remuneração Total
Máxima (R$)

5.441,35

6.592,00

1.904,00

13.937,35

3 DOS CANDIDATOS PORTADORES DE DEFICIÊNCIA
3.1 Não haverá reserva de vagas para provimento imediato para os candidatos portadores de
deficiência, uma vez que o quantitativo de vagas, para cada área do concurso, apresentado na tabela do
subitem 4.1 deste edital é inferior a 5 (cinco) vagas.
3.1.1 Das vagas que surgirem durante o prazo de validade do concurso para cada cargo/área, 5% serão
reservadas às pessoas portadoras de deficiência, de acordo com o previsto no artigo 37, inciso VIII, da
Constituição Federal, no artigo 5º, §2º, da Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990, e nos artigos 4º, 37
e seguintes, do Decreto nº 3.298, de 20 de dezembro de 1999, e suas alterações.
3.1.2 Caso a aplicação do percentual de que trata o subitem 3.1.1 resulte em número fracionado, este
deverá ser elevado até o primeiro número inteiro subsequente, desde que não ultrapasse 20% das vagas
oferecidas, nos termos do § 2º do artigo 5º da Lei nº 8.112/90.
3.1.3 O candidato que se declarar portador de deficiência concorrerá a todas as vagas, em igualdade de
condições com os demais candidatos, garantindo-se ao candidato com deficiência as condições de
acessibilidade aos locais de realização das provas.
3.2 Para concorrer a uma dessas vagas, o candidato portador de deficiência deverá:
a) no ato da inscrição, declarar-se portador de deficiência;
b) encaminhar cópia simples do CPF e laudo médico original ou cópia autenticada em cartório, emitido
nos últimos doze meses, atestando a espécie e o grau ou nível da deficiência, com expressa referência
ao código correspondente da Classificação Internacional de Doenças (CID-10), bem como à provável
causa da deficiência, na forma do subitem 3.2.1 deste edital;
c) o candidato com deficiência que necessitar de tempo adicional de, no máximo, uma hora para
realização das provas, deverá indicar na solicitação de inscrição e, além de enviar a documentação
indicada na letra "b" deste subitem, deverá encaminhar solicitação, por escrito, até o dia 10 de
dezembro de 2009, com justificativa acompanhada de laudo e parecer emitido por especialista da área
de sua deficiência que ateste a necessidade de tempo adicional, conforme prevê o parágrafo 2º do
artigo 40 do Decreto nº 3.298, de 20 de dezembro de 1999, e suas alterações.
3.2.1 O candidato deverá encaminhar o laudo médico (original ou cópia autenticada em cartório) e a
cópia simples do CPF a que se refere a alínea "b" do subitem 3.2, via SEDEX ou carta registrada com
aviso de recebimento, postados impreterivelmente até o dia 10 de dezembro de 2009, para a Central de
Atendimento do CESPE/UnB ­ Concurso Inmetro Especialista Sênior (laudo médico), Caixa Postal 4488,
CEP 70904-970, Brasília/DF.
3

3.2.1.1 O candidato portador de deficiência poderá, ainda, entregar, até o dia 10 de dezembro de 2009,
das 8 horas às 19 horas (exceto sábado, domingo e feriado), pessoalmente ou por terceiro, o laudo
médico (original ou cópia autenticada em cartório) e a cópia simples do CPF a que se refere a alínea "b"
do subitem 3.2, na Central de Atendimento do CESPE/UnB, localizada no Campus Universitário Darcy
Ribeiro, Sede do CESPE/UnB ­ Asa Norte, Brasília/DF.
3.2.2 O fornecimento da cópia simples do CPF e do laudo médico (original ou cópia autenticada em
cartório), por qualquer via, é de responsabilidade exclusiva do candidato. O CESPE/UnB não se
responsabiliza por qualquer tipo de extravio que impeça a chegada da cópia simples do CPF e do laudo a
seu destino.
3.3 O candidato portador de deficiência poderá requerer, na forma do subitem 6.4.9 deste edital,
atendimento especial, no ato da inscrição, para o dia de realização das provas, indicando as condições
de que necessita para a realização destas, conforme previsto no artigo 40, parágrafos 1º e 2º, do
Decreto nº 3.298/99 e suas alterações.
3.3.1 A equipe multiprofissional, designada pelo CESPE/UnB, opinará pelo deferimento ou não das
condições especiais solicitadas pelo candidato para realização das provas, sendo os candidatos
informados sobre tais decisões, na forma do subitem 3.4.1 deste edital.
3.4 O laudo médico (original ou cópia autenticada em cartório) e a cópia simples do CPF valerão
somente para este concurso, não serão devolvidos nem serão fornecidas cópias desses documentos.
3.4.1 A relação dos candidatos que tiveram a inscrição deferida para concorrer na condição de
portadores de deficiência será divulgada na Internet, no endereço eletrônico
http://www.cespe.unb.br/concursos/inmetro_senior2009, e publicada no Diário Oficial da União na
ocasião da divulgação do edital de locais e horário de realização das provas.
3.4.1.1 O candidato disporá de um dia a partir da divulgação da relação citada no subitem anterior para
contestar o indeferimento, pessoalmente ou por meio de fax, e-mail ou via SEDEX, para o Campus
Universitário Darcy Ribeiro, Sede do CESPE/UnB ­ Asa Norte, Brasília/DF, Caixa Postal 4488, CEP 70904970. Após esse período, não serão aceitos pedidos de revisão.
3.5 A inobservância do disposto no subitem 3.2 acarretará a perda do direito ao pleito das vagas
reservadas aos candidatos em tal condição e o não atendimento às condições especiais necessárias.
3.6 Os candidatos que se declararem portadores de deficiência, se não eliminados no concurso, serão
convocados para se submeter à perícia médica promovida por equipe multiprofissional sob
responsabilidade do CESPE/UnB, formada por seis profissionais, que verificará sobre a sua qualificação
como deficiente ou não, bem como, no estágio probatório, sobre a incompatibilidade entre as
atribuições do cargo/área e a deficiência apresentada, nos termos do artigo 43 do Decreto nº 3.298/99 e
suas alterações.
3.7 Os candidatos deverão comparecer à perícia médica, munidos de laudo médico (original ou cópia
autenticada
em
cartório),
conforme
modelo
constante
do
endereço
eletrônico
http://www.cespe.unb.br/concursos/inmetro_senior2009, que ateste a espécie e o grau ou nível de
deficiência, com expressa referência ao código correspondente da Classificação Internacional de
Doenças (CID-10), conforme especificado no Decreto nº 3.298/99 e suas alterações, bem como à
provável causa da deficiência.
3.8 A não observância do disposto no subitem 3.7, a reprovação na perícia médica ou o não
comparecimento à perícia acarretará a perda do direito às vagas reservadas aos candidatos em tais
condições.
3.9 O candidato reprovado na perícia médica por não ter sido considerado portador de deficiência, caso
seja aprovado no concurso, figurará na lista de classificação geral por cargo/área.
4

3.9.1 Caberá recurso, no prazo de dois dias, a contar do dia subsequente da divulgação do respectivo
resultado provisório, sobre a qualificação do candidato como portador de deficiência ou não pela perícia
médica.
3.10 O candidato portador de deficiência reprovado na perícia médica no decorrer do estágio probatório
em virtude de incompatibilidade da deficiência com as atribuições do cargo será considerado inapto e,
consequentemente, exonerado do cargo.
3.11 Os candidatos que, no ato da inscrição, se declararem portadores de deficiência, se não eliminados
no concurso e considerados portadores de deficiência, terão seus nomes publicados em lista especial à
parte e figurarão também na lista de classificação geral por cargo/área.
3.12 O critério de nomeação de todos os candidatos dar-se-á de forma alternada e proporcional, entre
os candidatos da listagem geral por cargo/área e os candidatos da lista especial.
3.13 Caso o concurso, numa primeira convocação seja destinado a apenas uma vaga, esta será
preenchida pelo candidato que consta em primeiro lugar na lista geral por cargo/área/localidade, mas a
próxima convocação será destinada a candidato da lista especial.
4 DAS VAGAS
4.1 As vagas de que trata este edital destinam-se ao exercício nas Unidades do Inmetro situadas no
Estado do Rio de Janeiro, e são as seguintes:
Área
Áreas de Atuação
Requisitos
Vagas
Coordenação de atividades de apoio do
Inmetro e de suas diretorias relativas a
planejamento,
modernização
institucional,
orçamento,
custos,
monitoramento de resultados, práticas
de gestão para a qualidade, gestão de
pessoas, gerenciamento e elaboração
de projetos, elaboração de relatórios
gerenciais, implantação de ferramentas
para aperfeiçoar o gerenciamento de
Gestão Pública projetos e processos. Deslocamentos
terrestres e aéreos para execução de
atividades em missões nacionais e
internacionais serão necessários.

Planejamento de projetos de pesquisa
na área de cultura de células e tecidos
em
diferentes
condições
experimentais; realização de estudos

(a)
Diploma,
devidamente
registrado,
de
conclusão
de
Doutorado
em
Administração,
Ciências Econômicas ou Engenharia
de Produção, obtido, pelo menos, há
dez anos, a contar da data de
publicação deste edital, fornecido
por instituição de ensino superior
reconhecida pelo Ministério da
Educação, ou revalidado por
instituição nacional credenciada
para esse fim, obtido em curso de
relevância acadêmica, segundo
padrões
estabelecidos
pela
Coordenação de Pessoal de Nível
Superior ­ CAPES; (b) Documentação
devidamente comprovada de ter
exercido atividades durante, pelo
menos, dez anos, a contar da data
de obtenção do título de Doutor, na
área de atuação especificada no
programa.
(a)
Diploma,
devidamente
registrado,
de
conclusão
de
Doutorado, obtido pelo menos há
dez anos, a contar da data de

02

5

Bioengenharia
Celular

Engenharia de
Produção

de interação célula-célula, entre células
e a matriz celular, bem como
substratos
diversos
(biológico,
metálico, etc.); Atividades de pesquisa
voltadas para o estudo da organização
celular, da diferenciação celular e de
processos de interação celular, com o
emprego de técnicas que envolvam (a)
o cultivo de células, (b) o uso das
diferentes modalidades de microscopia
óptica (convencional, contraste de fase,
imunofluorescência,
confocal),
microscopia eletrônica de varredura e
de transmissão, e (c) o emprego de
técnicas
citoquímicas
e
imunocitoquímicas no estudo da
organização celular; Atividades de
orientação de estudantes na área da
interação
celular.
Deslocamentos
terrestres e aéreos para execução de
atividades em missões nacionais e
internacionais serão necessários.
Ter domínio em atividades relacionadas
a gestão e planejamento, negociação,
coordenação, acompanhamento e
análise relativa a projetos, gestão da
qualidade, regulamentação, relações
de consumo, engenharia de processos,
preparação de relatórios, análise de
cronogramas, condução de reuniões.
Deslocamentos terrestres e aéreos
para execução de atividades em
missões nacionais e internacionais
serão necessários.

publicação deste edital, fornecido
por instituição de ensino superior
reconhecida pelo Ministério da
Educação, ou revalidado por
instituição nacional credenciada
para esse fim, obtido em curso de
relevância acadêmica, segundo
padrões
estabelecidos
pela
Coordenação de Aperfeiçoamento
de Pessoal de Nível Superior ­
CAPES;
(b)
Documentação
devidamente comprovada de ter
exercido atividades durante, pelo
menos dez anos, a contar da data de
obtenção do título de Doutor, na
área de atuação especificada no
programa, mediante apresentação
de contribuição científica dada ao
tema.

(a)
Diploma,
devidamente
registrado,
de
conclusão
de
Doutorado, obtido pelo menos há
dez anos, a contar da data de
publicação deste edital, fornecido
por instituição de ensino superior
reconhecida pelo Ministério da
Educação, ou revalidado por
instituição nacional credenciada
para esse fim, obtido em curso de
relevância acadêmica, segundo
padrões
estabelecidos
pela
Coordenação de Aperfeiçoamento
de pessoal de Nível Superior ­
CAPES;
(b)
Documentação
devidamente comprovada de ter
exercido atividades durante, pelo
menos dez anos, a contar da data de
obtenção do título de Doutor, na

01

02

6

área de Engenharia de Produção.

Ciências
Econômicas

Organização
Celular

Auxiliar as atividades da instituição, em
particular o seu Núcleo de Inovação e
Tecnologia, auxiliar na elaboração de
instrumentos contratuais, contratos de
transferência de tecnologia, licença de
exploração de patentes, formalização
de parcerias e gerenciamento dos
instrumentos contratuais e técnicas de
negociação, juntamente com a equipe
técnica;
desenvolver
atividades
especializadas
de
pesquisa,
planejamento, assistência técnica e
execução de projetos de estudos
estratégicos e demais assuntos afetos à
profissão; deslocamentos terrestres e
aéreos para execução de atividades em
missões nacionais e internacionais
relacionados
às
atividades
desenvolvidas no âmbito da instituição.
Deslocamentos terrestres e aéreos
para execução de atividades em
missões nacionais e internacionais
serão necessários.
Planejamento de projetos de pesquisa
na área de estudo da organização
ultraestrutural de diferentes tipos
celulares em diferentes condições
experimentais; Atividades de pesquisa
voltadas para o estudo da organização
celular, com o emprego de técnicas que
envolvam o uso da (a) microscopia de
fluorescência,
(b)
microscopia
eletrônica
de
varredura,
(c)
microscopia eletrônica de transmissão,
(d) citoquímica para localização de
lipídeos, carboidratos e proteínas a
nível
ultraestrutural,
(e)
imunocitoquímica, (f) hibridização in
situ, e (g) criofratura voltadas para o
estudo
da
organização
celular.
Atividades de orientação de estudantes
na área da ultraestrutura celular;
deslocamentos terrestres e aéreos para

(a) Diploma, devidamente registrado
de conclusão de Doutorado, obtido
pelo menos há dez anos, a contar da
data de publicação deste edital, em
Ciências Econômicas, fornecido por
instituição de ensino superior
reconhecida pelo Ministério da
Educação, ou revalidado por
instituição nacional credenciada
para esse fim, obtido em curso de
relevância acadêmica, segundo
padrões
estabelecidos
pela
Coordenação de Aperfeiçoamento
de Pessoal de Nível Superior ­
CAPES;
(b)
Documentação
devidamente comprovada de ter
exercido atividades durante, pelo
menos, dez anos, a contar da data
de publicação deste edital, após a
obtenção do título de Doutor, na
área de Ciências Econômicas.

(a)
Diploma,
devidamente
registrado,
de
conclusão
de
Doutorado, obtido pelo menos há
dez anos, a contar da data de
publicação deste edital, fornecido
por instituição de ensino superior
reconhecida pelo Ministério da
Educação, ou revalidado por
instituição nacional credenciada
para esse fim, obtido em curso de
relevância acadêmica, segundo
padrões
estabelecidos
pela
Coordenação de Aperfeiçoamento
de Pessoal de Nível Superior ­
CAPES;
(b)
Documentação
devidamente comprovada de ter
exercido atividades durante, pelo
menos dez anos, a contar da data de
obtenção do título de Doutor, na
área de atuação especificada no

01

01

7

Química

Gestão da
Tecnologia
da
Informação

execução de atividades em missões
nacionais e internacionais.
Planejamento de projetos de pesquisa
e/ou industriais na área de metrologia
e análise química em combustíveis e
biocombustíveis; e na elaboração e
avaliação de normas e especificações
de sua análise e padronização.
Atividades de gerenciamento e
pesquisa na produção, controle de
qualidade
e
padronização
de
biocombustíveis, com o emprego de
técnicas de análise química, e técnicas
cromato-gráficas, espectroscópicas e
espectrométricas, com foco em
aplicações em metrologia química.
Atividades de gerenciamento e
coordenação de grupos de trabalho e
pesquisa nesta área; deslocamentos
terrestres e aéreos para execução de
atividades em missões nacionais e
internacionais.
Planejar, dirigir e controlar os sistemas
de informação (e telecomunicações
associadas à transmissão de dados), de
acordo
com
o
plano
de
desenvolvimento,
diretrizes,
orçamentos e políticas. Formular e
dirigir a estratégia da tecnologia de
informação e os planos de sistemas
corporativos,
garantindo
o
desenvolvimento
consistente
e
coerente da tecnologia da informação.
Planejar e dirigir o desenho e a entrega
das soluções de tecnologia e sistemas
de informação (e telecomunicações
associadas à transmissão de dados)
adequadas para a Organização, que
garantam o apoio tecnológico e os
níveis de serviço que otimizem o
desenvolvimento e a execução dos
processos e crescimento do Inmetro.
Determinar, materializar e controlar as
estratégias e a operação com terceiros
(Outsourcing) para focar e otimizar os

programa mediante apresentação de
contribuição científica dada ao tema.
(a)
Diploma,
devidamente
registrado,
de
conclusão
de
Doutorado, obtido pelo menos há
dez anos, a contar da data de
publicação deste edital, em Química,
fornecido por instituição de ensino
superior reconhecida pelo Ministério
da Educação, ou revalidado por
instituição nacional credenciada
para esse fim, obtido em curso de
relevância acadêmica, segundo
padrões
estabelecidos
pela
Coordenação de Aperfeiçoamento
de Pessoal de Nível Superior ­
CAPES;
(b)
documentação
devidamente comprovada de ter
exercido atividades durante pelo
menos dez anos, a contar da data de
obtenção do título de Doutor, na
área de Química.
(a)
Diploma,
devidamente
registrado,
de
conclusão
de
Doutorado, obtido pelo menos há
dez anos, a contar da data de
publicação deste edital no DOU,
fornecido por instituição de ensino
superior reconhecida pelo Ministério
da Educação, ou revalidado por
instituição nacional credenciada
para esse fim, obtido em curso de
relevância acadêmica, segundo
padrões
estabelecidos
pela
Coordenação de Aperfeiçoamento
de Pessoal de Nível Superior ­
CAPES;
(b)
Documentação
devidamente comprovada de ter
exercido atividades durante pelo
menos dez anos após a obtenção do
título de Doutor em Tecnologia da
Informação ou áreas afins.

01

02

8

recursos.
Definir
esquemas
de
segurança da informação, formular e
garantir o cumprimento da política de
informação e guias informáticas, para
velar pelo uso adequado dos recursos
de informática e a proteção da
informação como um ativo de valor
estratégico. Determinar planos de
contingência. Deslocamentos terrestres
e aéreos para execução de atividades
em missões nacionais e internacionais
serão necessários.
5 DOS REQUISITOS BÁSICOS PARA A INVESTIDURA NO CARGO
5.1 O candidato deverá atender, cumulativamente, no ato da assinatura do termo de posse, aos
seguintes requisitos:
a) ter sido aprovado no concurso público;
b) ter nacionalidade brasileira ou estrangeira, na forma da legislação em vigor;
b.1) se estrangeiro, ter visto de permanência em território nacional, que permita o exercício de
atividade laborativa no Brasil;
c) apresentar a documentação dos requisitos exigidos no subitem 4.1, para a respectiva área de
inscrição.
d) estar em dia com as obrigações eleitorais, no caso de nacionalidade brasileira;
e) estar em dia com as obrigações do serviço militar, no caso de candidatos de nacionalidade brasileira e
do sexo masculino;
f) não estar incompatibilizado para nova investidura em cargo público, nos termos do artigo 137,
parágrafo único, da Lei nº 8.112/1990;
g) ter idade mínima de 18 anos completos na data da posse;
h) ter aptidão física e mental para o exercício das atribuições do cargo, comprovada por Junta Médica
Oficial;
i) apresentar documentação original que comprove os requisitos exigidos para o exercício do cargo;
j) apresentar os documentos que se fizerem necessários por ocasião da posse;
k) estar em pleno gozo de seus direitos políticos, no caso de nacionalidade brasileira;
l) cumprir as determinações do edital do concurso público.
5.2 No ato da posse, todos os requisitos especificados no subitem 5.1 deste edital e aqueles que vierem
a ser estabelecidos em função da alínea "j" do mesmo subitem deverão ser comprovados mediante a
apresentação de seu original juntamente com fotocópia, sendo excluído do concurso público aquele que
não os apresentar.
6 DAS INSCRIÇÕES NO CONCURSO
6.1 A inscrição deverá ser efetuada somente via Internet, conforme procedimentos especificados a
seguir.
6.1.1 TAXA: R$ 120,00.
6.1.2 Será admitida a inscrição exclusivamente via Internet, no endereço eletrônico
http://www.cespe.unb.br/concursos/inmetro_especialista2009, solicitada no período entre das 10
horas do dia 11 de novembro de 2009 às 23 horas e 59 minutos do dia 1º de dezembro de 2009,
observado o horário oficial de Brasília/DF.
9

6.1.2.1 O candidato poderá obter o edital do concurso no endereço eletrônico do CESPE/UnB
(http://www.cespe.unb.br/concursos/inmetro_especialista2009).
6.1.3 O CESPE/UnB não se responsabilizará por solicitação de inscrição não recebida por motivos de
ordem técnica dos computadores, falhas de comunicação, congestionamento das linhas de
comunicação, bem como outros fatores que impossibilitem a transferência de dados.
6.1.4 O candidato poderá efetuar o pagamento da taxa de inscrição por meio da Guia de Recolhimento
da União (GRU Cobrança).
6.1.4.1 O candidato poderá reimprimir a GRU Cobrança pela página de acompanhamento do concurso.
6.1.4.2 A Guia de Recolhimento da União (GRU Cobrança) estará disponível no endereço eletrônico
http://www.cespe.unb.br/concursos/inmetro_especialista2009 e deverá ser impressa para o
pagamento da taxa de inscrição imediatamente após a conclusão do preenchimento da ficha de
solicitação de inscrição online.
6.1.4.3 A GRU Cobrança pode ser paga em qualquer banco, bem como nas lotéricas e nos Correios,
obedecendo aos critérios estabelecidos nesses correspondentes bancários.
6.1.4.4 O pagamento da taxa de inscrição deverá ser efetuado até o dia 10 de dezembro de 2009.
6.1.4.5 As inscrições efetuadas somente serão acatadas após a comprovação de pagamento da taxa de
inscrição ou do deferimento da solicitação de isenção de taxa.
6.2 O comprovante de inscrição do candidato estará disponível no endereço eletrônico
http://www.cespe.unb.br/concursos/inmetro_especialista2009,
por
meio
da
página
de
acompanhamento, após a comprovação do pagamento da inscrição, sendo de responsabilidade
exclusiva do candidato a obtenção desse documento.
6.3 Para os candidatos que não dispuserem de acesso à Internet, o CESPE/UnB disponibilizará locais com
acesso à Internet, nos endereços listados a seguir, no período das 10 horas do dia 11 de novembro de
2009 às 23 horas e 59 minutos do dia 1º de dezembro de 2009, observado o horário e o dia de
funcionamento de cada estabelecimento.
UF
Cidade
Local
Endereço
RJ
Rio de Janeiro
Microlins Freguesia Estrada dos Três Rios, nº 74, Sobreloja ­ Jacarepaguá
RJ
Rio de Janeio
Microlins Tijuca
Rua Santo Afonso, nº 36, Loja B ­ Tijuca
RJ
Rio de Janeio
Microlins Abolição Avenida Dom Helder Camara, nº 7.278 ­ Abolição
6.4 DAS DISPOSIÇÕES GERAIS SOBRE A INSCRIÇÃO NO CONCURSO PÚBLICO
6.4.1 Antes de efetuar a inscrição, o candidato deverá conhecer o edital e certificar-se de que preenche
todos os requisitos exigidos para o cargo/área. No momento da inscrição o candidato deverá optar pelo
cargo/área; uma vez efetivada a inscrição, não será permitida a sua alteração e, em nenhuma hipótese,
serão aceitos pedidos de alteração.
6.4.2 É vedada a inscrição condicional, a extemporânea, a via postal, a via fax ou a via correio eletrônico.
6.4.3 É vedada a transferência do valor pago a título de taxa para terceiros ou para outros concursos.
6.4.4 Para efetuar a inscrição, é imprescindível o número de Cadastro de Pessoa Física (CPF) do
candidato.
6.4.5 As informações prestadas na solicitação de inscrição serão de inteira responsabilidade do
candidato, dispondo o CESPE/UnB do direito de excluir do concurso público aquele que não preencher o
formulário de forma completa e correta.
6.4.6 O valor referente ao pagamento da taxa de inscrição não será devolvido em hipótese alguma,
salvo em caso de cancelamento do certame por conveniência da Administração Pública.

10

6.4.7 Não haverá isenção total ou parcial do valor da taxa de inscrição, exceto para os candidatos que se
enquadrem no disposto no Decreto nº 6.593, de 2 de outubro de 2008, publicado no Diário Oficial da
União de 3 de outubro de 2008.
6.4.7.1 Estará isento do pagamento da taxa de inscrição o candidato que:
a) estiver inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), de que
trata o Decreto nº 6.135, de 26 de junho de 2007; e
b) for membro de família de baixa renda, nos termos do Decreto nº 6.135, de 2007.
6.4.7.2 A isenção deverá ser solicitada mediante requerimento do candidato, disponível por meio do
aplicativo para a solicitação de inscrição, das 10 horas do dia 11 de novembro de 2009 às 23 horas e 59
minutos do dia 1º de dezembro de 2009 (horário oficial de Brasília/DF), no endereço eletrônico
http://www.cespe.unb.br/concursos/inmetro_especialista2009, contendo:
a) indicação do Número de Identificação Social (NIS), atribuído pelo CadÚnico; e
b) declaração de que atende à condição estabelecida no subitem 6.4.7.1.
6.4.7.2.1 Os candidatos que não dispuserem de acesso à Internet poderão utilizar-se dos postos
relacionados no subitem 6.3 deste edital para efetuar a solicitação de inscrição com isenção de taxa.
6.4.7.3 O CESPE/UnB consultará o órgão gestor do CadÚnico para verificar a veracidade das informações
prestadas pelo candidato.
6.4.7.4 As informações prestadas no requerimento de isenção serão de inteira responsabilidade do
candidato, podendo responder este, a qualquer momento, por crime contra a fé pública, o que acarreta
sua eliminação do concurso, aplicando-se, ainda, o disposto no parágrafo único do artigo 10 do Decreto
n.o 83.936, de 6 de setembro de 1979.
6.4.7.5 Não será concedida isenção de pagamento de taxa de inscrição ao candidato que:
a) omitir informações e/ou torná-las inverídicas;
b) fraudar e/ou falsificar documentação;
c) não observar a forma, o prazo e os horários estabelecidos no subitem 6.4.7.2 deste edital.
6.4.7.6 Não será aceita solicitação de isenção de pagamento de valor de inscrição via postal, via fax ou
via correio eletrônico.
6.4.7.7 Cada pedido de isenção será analisado e julgado pelo CESPE/UnB.
6.4.7.8 A relação dos pedidos de isenção deferidos será divulgada até o dia 4 de dezembro de 2009, no
endereço eletrônico http://www.cespe.unb.br/concursos/inmetro_especialista2009.
6.4.7.8.1 O candidato disporá de um dia a partir da data de divulgação da relação citada no subitem
anterior
para
contestar
o
indeferimento,
no
endereço
eletrônico
http://www.cespe.unb.br/concursos/inmetro_especialista2009. Após esse período, não serão aceitos
pedidos de revisão.
6.4.7.9 Os candidatos que tiverem seus pedidos de isenção indeferidos deverão acessar o endereço
eletrônico http://www.cespe.unb.br/concursos/inmetro_especialista2009 e imprimir a GRU Cobrança,
por meio da página de acompanhamento, para pagamento até o dia 10 de dezembro de 2009,
conforme procedimentos descritos neste edital, sob pena de ter a sua solicitação de inscrição cancelada.
6.4.7.10 O interessado que não tiver seu pedido de isenção deferido e que não efetuar o pagamento da
taxa de inscrição na forma e no prazo estabelecidos no subitem anterior estará automaticamente
excluído do concurso público.
6.4.8 O comprovante de inscrição deverá ser mantido em poder do candidato e apresentado nos locais
de realização das provas.
6.4.9 O candidato, portador de deficiência ou não, que necessitar de atendimento especial para a
realização das provas deverá indicar, na solicitação de inscrição, os recursos especiais necessários e,
11

ainda, enviar, até o dia 10 de dezembro de 2009, impreterivelmente, via SEDEX ou carta registrada com
aviso de recebimento, para a Central de Atendimento do CESPE/UnB ­ Concurso Inmetro Especialista
(laudo médico), Caixa Postal 4488, CEP 70904-970, Brasília/DF, cópia simples do CPF e laudo médico
(original ou cópia autenticada em cartório) que justifique o atendimento especial solicitado. Após esse
período, a solicitação será indeferida, salvo nos casos de força maior e nos que forem de interesse da
Administração Pública. A solicitação de condições especiais será atendida segundo os critérios de
viabilidade e de razoabilidade.
6.4.9.1 O laudo médico e a cópia simples do CPF referidos no subitem 6.4.9 deste edital poderão, ainda,
ser entregues, até o dia 10 de dezembro de 2009, das 8 horas às 18 horas (exceto sábado, domingo e
feriado), pessoalmente ou por terceiro, na Central de Atendimento do CESPE/UnB, localizada Campus
Universitário Darcy Ribeiro, Sede do CESPE/UnB ­ Asa Norte, Brasília/DF.
6.4.9.1.1 O fornecimento da cópia simples do CPF e do laudo médico (original ou cópia autenticada em
cartório), por qualquer via, é de responsabilidade exclusiva do candidato. O CESPE/UnB não se
responsabiliza por qualquer tipo de extravio que impeça a chegada da cópia simples do CPF e do laudo a
seu destino.
6.4.9.2 A candidata que tiver necessidade de amamentar durante a realização das provas, além de
solicitar atendimento especial para tal fim, deverá encaminhar cópia da certidão de nascimento da
criança até o dia 10 de dezembro de 2009, e deverá levar um acompanhante, que ficará em sala
reservada para essa finalidade e que será responsável pela guarda da criança. A candidata que não levar
acompanhante não realizará as provas.
6.4.9.2.1 O CESPE/UnB não disponibilizará acompanhante para guarda de criança.
6.4.9.3 A cópia simples do CPF e o laudo médico (original ou cópia autenticada em cartório) valerão
somente para este concurso, não serão devolvidos e não serão fornecidas cópias desses documentos.
6.4.9.4 A relação dos candidatos que tiveram o seu atendimento especial deferido será divulgada na
Internet, no endereço eletrônico http://www.cespe.unb.br/concursos/inmetro_especialista2009, por
ocasião da publicação do edital de locais e horário de realização das provas.
6.4.9.4.1 O candidato disporá de um dia a partir da divulgação da relação citada no subitem anterior
para contestar o indeferimento pessoalmente ou por meio de fax, e-mail ou via SEDEX, para o Campus
Universitário Darcy Ribeiro, Sede do CESPE/UnB ­ Asa Norte, Brasília/DF, Caixa Postal 4488, CEP 70904970. Após esse período, não serão aceitos pedidos de revisão.
6.4.10 O candidato deverá declarar, no formulário de inscrição ou na solicitação de inscrição via
Internet, que tem ciência e aceita que, caso aprovado, deverá entregar os documentos comprobatórios
dos requisitos exigidos para o cargo/área por ocasião da posse.
7 DAS ETAPAS DO CONCURSO PÚBLICO
7.1 Serão realizadas avaliação de títulos e produção científica e tecnológica, defesa e arguição pública de
memorial e prova didática para provimento de vagas no cargo de Especialista em Metrologia e
Qualidade Sênior, conforme quadro a seguir:
PROVA/TIPO
PONTUAÇÃO MÁXIMA
CARÁTER
(P1) Defesa Pública de Memorial
25
10
Eliminatório
e
classificatório
(P2) Defesa Pública de Plano de Trabalho
15
10
Eliminatório
e
classificatório
(P3) Avaliação de Títulos e Produção

Anexo I

Anexo II

Classificatório
12

Científica e Tecnológica

36

30

7.2 O candidato deverá apresentar, previamente, em local e o horário a serem oportunamente
publicados no Diário Oficial da União e divulgados na Internet, nos endereços eletrônicos do CESPE/UnB
e do Inmetro, o curriculum vitae, o memorial, o texto escrito do plano de trabalho e a documentação
referente à avaliação de títulos e produção científica, conforme abaixo:
a) o curriculum vitae, preferencialmente o Currículo Lattes, em 5 (cinco) vias;
b) cópias autenticadas em cartório dos títulos e cópias dos trabalhos referidos no curriculum vitae;
c) memorial, assinado, identificado pelo nome e número de inscrição do candidato, com no máximo 20
(vinte) páginas, em 5 (cinco) vias, acompanhado de comentário que permita ajuizar a significação dos
títulos e trabalhos a eles atribuída pelo próprio candidato;
d) plano de trabalho, assinado, identificado pelo nome e número de inscrição do candidato, com no
máximo 10 (dez) páginas, em 5 (cinco) vias;
e) cópia autenticada em cartório da cédula de identidade e do CPF.
7.2 Os locais e os horários para as provas descritas no item 7.1 serão oportunamente publicados no
Diário Oficial da União e divulgados na Internet, nos endereços eletrônicos do CESPE/UnB e do Inmetro.
7.2.1 A prova de Avaliação de Títulos será realizada em etapa posterior às demais provas e os
candidatos eliminados nas provas anteriores não terão seus títulos avaliados.
8 DA PROVA DE DEFESA E ARGUIÇÃO PÚBLICA DE MEMORIAL
8.1 A Prova de defesa e arguição pública do memorial visa demonstrar a capacidade do candidato de
expor seus conhecimentos de maneira clara e organizada.
8.2 A Prova de defesa e arguição pública de memorial tem caráter eliminatório e classificatório, e
constará de uma apresentação oral, em formato de conferência, pelo candidato à Banca Examinadora,
em sessão pública, vedada a sua assistência pelos demais candidatos, sem consulta a qualquer material,
com exceção de material de apresentação em PowerPoint, sendo reservados até 35 (trinta e cinco)
minutos para a apresentação, com tolerância de 5 (cinco) minutos.
8.3 Na apreciação da defesa e arguição pública de memorial, além do conteúdo, serão considerados
pelos membros da Banca Examinadora os seguintes aspectos: experiência do candidato, demonstrada
por meio do exercício de funções; capacidade para trabalho em equipe, demonstrada por meio de
publicações em conjunto, participação em equipes de projetos ou outros meios, domínio sobre o tema,
atualização com a produção técnico-científica, atualização teórica, coesão e coerência, uso adequado da
terminologia técnica, expressividade, adequação e controle emocional, a adequação do memorial às
atividades do Inmetro, e outros aspectos considerados relevantes pela Banca.
8.4 Após o encerramento da apresentação, caberá aos membros da Banca Examinadora proceder à
arguição do candidato sobre o conteúdo apresentado, em até 30 (trinta) minutos, com tolerância de 5
(cinco) minutos. A Banca Examinadora poderá abordar criticamente a apresentação e a obra do
candidato, a quem caberá, no ato, o direito de defesa. Para efeitos de comprovação dos tópicos
avaliados, serão consideradas as informações constantes no curriculum vitae.
8.5 Na avaliação da defesa e arguição pública de memorial, para as áreas de Gestão Pública, Ciências
Econômicas, Engenharia de Produção e Gestão da Tecnologia da Informação, cada examinador atribuirá
ao candidato nota na escala de 0 (ZERO) a 25 (vinte e cinco), com até uma casa decimal. A nota da
defesa e arguição pública de memorial será a média aritmética das notas atribuídas ao candidato por
cada um dos examinadores.

13

8.6 O candidato para as áreas de Gestão Pública, Ciências Econômicas, Engenharia de Produção e
Tecnologia da Informação que obtiver média inferior a 17,5 (dezessete vírgula cinco) estará
automaticamente eliminado do concurso.
8.7 Na avaliação da defesa e arguição pública de memorial, para as áreas de Bioengenharia Celular,
Organização Celular e Química, cada examinador atribuirá ao candidato nota na escala de 0 (ZERO) a 10
(dez), com até uma casa decimal. A nota da defesa e arguição pública de memorial será a média
aritmética das notas atribuídas ao candidato por cada um dos examinadores.
8.8 O candidato para as áreas de Bioengenharia Celular, Organização Celular e Química que obtiver
média inferior a 7,0 (sete) estará automaticamente eliminado do concurso.
8.9 O candidato ao cargo de Especialista em Metrologia e Qualidade Sênior que não entregar o
Memorial e/ou o curriculum vitae será eliminado do concurso público.
8.10 A prova de defesa e arguição pública de memorial será gravada para efeito de registro e avaliação.
9 DA PROVA DE DEFESA E ARGUIÇÃO PÚBLICA DO PLANO DE TRABALHO
9.1 O plano de trabalho visa demonstrar a erudição, competência e qualificação na área de opção do
candidato.
9.2 A Prova de defesa e arguição pública do plano de trabalho tem caráter eliminatório e classificatório,
e constará de uma exposição oral pelo candidato à Banca Examinadora, em sessão pública, vedada a sua
assistência pelos demais candidatos, sem consulta a qualquer material, com exceção de material de
apresentação em Powerpoint e do texto escrito do plano previamente entregue conforme o subitem
7.1, sendo reservados até 30 (trinta) minutos para a exposição, com tolerância de 5 (cinco) minutos.
9.3 Na avaliação do plano de trabalho, a Banca Examinadora levará em conta a excelência e exequidade
do plano, bem como sua importância e capacidade de contribuir com o desenvolvimento institucional
do Inmetro, para cada setor de lotação, na área de concentração do concurso na qual o candidato está
inscrito. Nessa avaliação será considerada a vinculação do plano de trabalho aos conhecimentos
específicos da área, segundo o item 17.
9.4 Após o encerramento da exposição oral do plano de trabalho, caberá aos membros da Banca
Examinadora proceder à arguição do candidato, em até 30 (trinta) minutos, com tolerância de 5 (cinco)
minutos, cabendo ao candidato, no ato, o direito de defesa. A Banca Examinadora poderá abordar
criticamente a apresentação do candidato, sobre o conteúdo apresentado no plano do trabalho. Para
efeito de comprovação dos tópicos avaliados, serão consideradas as informações constantes no texto
apresentado, caso necessário.
9.5 Na avaliação do plano de trabalho, para as áreas de Gestão Pública, Ciências Econômicas,
Engenharia de Produção e Gestão da Tecnologia da Informação, cada examinador atribuirá ao candidato
nota na escala de 0 (zero) a 15 (quinze). A nota da avaliação será a média aritmética das notas atribuídas
ao candidato por cada um dos examinadores.
9.6 O candidato para as áreas de Gestão Pública, Ciências Econômicas, Engenharia de Produção e
Gestão da Tecnologia da Informação que obtiver média inferior a 10,5 (dez vírgula cinco) estará
automaticamente eliminado do concurso.
9.7 Na avaliação do plano de trabalho, para as áreas de Bioengenharia Celular, Organização Celular e
Química, cada examinador atribuirá ao candidato nota na escala de 0 (ZERO) a 10 (dez). A nota da
avaliação será a média aritmética das notas atribuídas ao candidato por cada um dos examinadores.
9.8 O candidato para as áreas de Bioengenharia Celular, Organização Celular e Química que obtiver
média inferior a 7,0 (sete) estará automaticamente eliminado do concurso.
9.9 O candidato que não apresentar o título e o texto do plano de trabalho, previamente, conforme o
subitem 7.1, será automaticamente eliminado do concurso.
14

9.10 A Prova de defesa e arguição do plano de trabalho será gravada para efeito de registro e avaliação.
10 DA PROVA DE AVALIAÇÃO DE TÍTULOS E PRODUÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA
10.1 Na apreciação de Títulos e Produção Científica e Tecnológica para o cargo de Especialista em
Metrologia e Qualidade Sênior, consubstanciados no curriculum vitae, serão considerados dois grupos: o
GRUPO 1, denominado Atividades Científicas, Tecnológicas e Administrativas, considera a experiência
profissional, os prêmios e condecorações profissionais e o GRUPO 2, denominado Produções e
Atividades em Pesquisa e Tecnologia, considera as publicações científicas do candidato.
10.2 O curriculum vitae deverá, além de apresentar os dados pessoais, ser escrito na forma desses dois
GRUPOS e discriminados conforme a especificação das alíneas dos quadros apresentados nos Anexos
deste edital.
10.3 Será atribuída nota 0 (ZERO) ao candidato que apresentar curriculum vitae, e a respectiva
documentação, em desacordo com este edital.
10.4 A nota dos Títulos e Produção Científica e Tecnológica referente ao cargo de Especialista em
Metrologia e Qualidade Sênior para as áreas de Administração, Ciências Econômicas, Engenharia de
Produção e Gestão da Tecnologia da Informação é a soma dos pontos obtidos no GRUPO I e no GRUPO
2, conforme os quadros de pontuação relacionados no Anexo I deste edital, multiplicada por 1,5 (um
vírgula cinco).
10.5 A nota dos Títulos e Produção Científica e Tecnológica referente ao cargo de Especialista em
Metrologia e Qualidade Sênior para as áreas de Bioengenharia Celular, Organização Celular e Química é
a soma dos pontos obtidos no GRUPO I e no GRUPO 2, conforme os quadros de pontuação relacionados
no Anexo II deste edital.
10.6 Diploma ou certificado expedido por instituições estrangeiras será aceito desde que revalidado por
instituição de ensino superior no Brasil.
10.7 Cada título será considerado uma única vez.
10.8 Os pontos que excederem o valor máximo em cada alínea dos quadros de atribuição de pontos
para a avaliação de Títulos e Produção Científica e Tecnológica, relacionados nos Anexos I e II deste
edital, bem como os que excederem o limite máximo de pontos estipulados serão desconsiderados.
10.9 Receberá nota 0 (ZERO) o candidato que não entregar os títulos na forma, no prazo e no local
estipulados no edital de convocação para a avaliação de títulos.
10.10 Não serão aceitos títulos encaminhados via postal, via fax ou via correio eletrônico.
10.11 No ato de entrega de títulos, o candidato deverá preencher e assinar relação, na qual indicará a
quantidade de títulos apresentados. Juntamente com essa relação deverá ser apresentada uma cópia,
autenticada em cartório, de cada título declarado. As cópias apresentadas não serão devolvidas em
hipótese alguma;
10.11.1 Não serão recebidos os documentos originais, ressalvado o disposto no subitem 10.15.3 deste
edital.
10.11.2 Não serão aceitos documentos ilegíveis, como também, os emitidos via fax.
10.12 Não serão consideradas, para efeito de pontuação, as cópias não autenticadas em cartório, bem
como documentos gerados por via eletrônica que não estejam acompanhados com o respectivo
mecanismo de autenticação, ressalvadas as comprovações referentes à alínea E (quadro de títulos do
Anexo I), respectivamente alínea F (quadro de títulos do Anexo II deste edital), conforme subitem
10.15.3 deste edital.
10.13 Na impossibilidade de comparecimento do candidato, serão aceitos os títulos entregues por
terceiros, mediante apresentação de documento de identidade original do procurador e de procuração
simples do interessado, acompanhada de cópia legível do documento de identidade do candidato.
15

10.14 Serão de inteira responsabilidade do candidato as informações prestadas por seu procurador no
ato de entrega dos títulos, bem como a entrega dos títulos na data prevista no edital de convocação
para essa fase, arcando o candidato com as consequências de eventuais erros de seu representante.
10.15 DOS DOCUMENTOS NECESSÁRIOS À COMPROVAÇÃO DOS TÍTULOS
10.15.1 Para receber a pontuação relativa aos títulos relacionados na alínea A (quadros de títulos dos
Anexos I e II deste edital) e na alínea B (quadros de títulos dos Anexos I e II deste edital), o candidato
deverá atender a uma das seguintes opções:
a) para exercício de atividade em empresa/instituição privada: será necessária a entrega de 3 (três)
documentos: 1 ­ diploma do curso de graduação; 2 ­ cópia da carteira de trabalho e previdência Social
(CTPS) contendo as páginas: identificação do trabalhador; registro do empregador que informe o
período (com início e fim, se for o caso) e qualquer outra página que ajude na avaliação, por exemplo,
quando há mudança na razão social da empresa; 3 ­ declaração do empregador com a espécie do
serviço realizado e a descrição das atividades desenvolvidas para o cargo/emprego;
b) para exercício de atividade em instituição pública: será necessária a entrega de 2 (dois) documentos:
1 ­ diploma do curso de graduação; 2 ­ declaração/certidão de tempo de serviço, emitida pelo setor de
recursos humanos da instituição, que informe o período (com início e fim, se for o caso), a espécie do
serviço realizado e a descrição das atividades desenvolvidas;
c) para exercício de atividade/serviço prestado como autônomo: será necessária a entrega de 3 (três)
documentos: 1 ­ diploma do curso de graduação; 2 ­ contrato de prestação de serviços entre as partes,
ou seja, o candidato e o contratante, que informe o período de vigência do contrato, ou recibos de
pagamentos como autônomo (RPAs) pelo menos o primeiro e o último do período trabalhado; 3 ­
declaração do contratante que informe o período (com início e fim se for o caso), a espécie do serviço
realizado e a descrição das atividades.
10.15.1.1 A declaração/certidão mencionada na letra "b" do subitem anterior deverá ser emitida por
órgão de pessoal ou de recursos humanos. Não havendo órgão de pessoal ou de recursos humanos, a
autoridade responsável pela emissão do documento deverá declarar/certificar também essa
inexistência.
10.15.1.1.1 Quando o órgão de pessoal possuir outro nome correspondente, por exemplo, Controle de
Divisão de Pessoas (CPD), a declaração deverá conter o nome do órgão por extenso ­ não serão aceitas
abreviaturas.
10.15.1.2 Não será computado, como experiência profissional, o tempo de estágio, de monitoria, de
bolsa de estudo, de pós-doutoramento ou de recém-doutor.
10.15.2 Para receber a pontuação referente às alíneas C, D, F, G, H e I (quadro de títulos do Anexo I
deste edital), respectivamente, C, D, E, G, H, I e J (quadro de títulos do Anexos II deste edital), o
candidato deverá apresentar documentos comprobatórios do título, como declaração do respectivo
órgão/entidade, associação, etc, publicação em diário oficial, diploma e/ou certificado.
10.15.3 Para receber a pontuação relativa ao título relacionado na alínea E (quadro de títulos do Anexo
I), respectivamente alínea F (quadro de títulos do Anexo II deste edital), o candidato deverá entregar
original ou cópia legível da publicação, que deverá conter o nome do candidato.
10.16 Todo documento expedido em língua estrangeira que não seja em inglês, francês, espanhol e
italiano somente será considerado se traduzido para a Língua Portuguesa por tradutor juramentado.
10.17 Será atribuída nota 0 (ZERO) ao candidato que apresentar documentação em desacordo com o
item 10.15 deste edital.

16

10.18 Os pontos que excederem o valor máximo em cada alínea do Quadro de Atribuição de Pontos
para a Avaliação de Títulos, bem como os que excederem o limite máximo de pontos estipulados serão
desconsiderados.
11 DOS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO E DE CLASSIFICAÇÃO
11.1 A Banca Examinadora para o provimento de vagas no cargo de Especialista em Metrologia e
Qualidade Sênior encaminhará os resultados do concurso à Comissão Especial de Concurso, para
examinar e ratificar o resultado das provas e proceder em conformidade com a alínea c do subitem 1.3.1
deste edital, através de uma ata que deverá conter:
a) a lista de candidatos aprovados e a lista de candidatos reprovados; ambas as listas apresentadas em
ordem alfabética;
b) um quadro com as ordens de classificação dos candidatos aprovados, em cada área de conhecimento
do concurso.
11.2 O Presidente do Inmetro homologará o resultado do concurso, que será publicado no Diário Oficial
da União, considerado o limite de vagas estabelecido no subitem 4.1 deste edital.
11.3 Todos os cálculos citados neste edital serão considerados até a segunda casa decimal,
arredondando-se o número para cima, se o algarismo da terceira casa decimal for igual ou superior a
cinco.
12 DA NOTA FINAL NO CONCURSO
12.1 O candidato ao cargo de Especialista em Metrologia e Qualidade Sênior terá a nota final no
concurso obtida a partir da soma das notas obtidas na avaliação de títulos e produção científica e
tecnológica, na defesa e arguição pública de memorial e na prova de defesa e argüição pública do plano
de trabalho.
13 DOS CRITÉRIOS DE DESEMPATE
13.1 Em caso de igualdade na nota final, para fins de classificação, terá preferência o candidato ao cargo
de Especialista em Metrologia e Qualidade Sênior que, na seguinte ordem:
a) tiver idade igual ou superior a sessenta anos, até o último dia de inscrição neste concurso, conforme
artigo 27, parágrafo único, da Lei nº 10.741, de 1º de outubro de 2003 (Estatuto do Idoso);
b) obtiver a maior nota na avaliação de títulos e produção científica e tecnológica;
c) obtiver a maior nota na defesa e arguição pública de memorial;
d) obtiver a maior nota na prova de defesa e argüição pública do plano de trabalho.
13.2 Em caso de empate, cada examinador decidirá sobre as médias atribuídas por ele mesmo a dois ou
mais candidatos.
13.2.1 Em caso de empate entre examinadores, serão utilizados sucessivamente os seguintes critérios
para a indicação do provimento das vagas:
a) a maior média aritmética das notas dos examinadores atribuídas à prova de apreciação de títulos e
produção científica e tecnológica;
b) a maior média aritmética das notas dos examinadores atribuídas à defesa e arguição pública de
memorial;
c) a maior média aritmética das notas dos examinadores atribuídas à prova de defesa e argüição pública
do plano de trabalho;
d) a antiguidade no exercício de funções de pesquisa, desenvolvimento e inovação.
14 DOS RECURSOS
14.1 Caberá recurso, no prazo de dois dias, a contar da divulgação do respectivo resultado provisório no
Diário Oficial da União, à Comissão Especial de Concurso para o cargo de Especialista em Metrologia e
Qualidade Sênior, conforme formulário a ser divulgado no respectivo edital de resultado provisório.
17

14.2 O candidato deverá ser claro, consistente e objetivo em seu pleito. Recurso inconsistente ou
intempestivo será preliminarmente indeferido.
14.3 O recurso não poderá conter, em outro local que não o apropriado, qualquer palavra ou marca que
o identifique, sob pena de ser preliminarmente indeferido.
14.4 O candidato deverá identificar-se no ato da entrega do recurso, mediante a apresentação do
documento de identidade original.
14.5 Na impossibilidade de comparecimento do candidato, serão aceitos recursos entregues por
procurador, mediante procuração específica para esse fim, por instrumento público ou particular, este
com firma reconhecida do outorgante, acompanhada de cópia autenticada em cartório das cédulas de
identidade do candidato e de seu procurador, assumindo o candidato total responsabilidade pelas
informações prestadas por seu procurador e arcando com as consequências de eventuais erros de seu
representante.
14.6 Não será aceito recurso via postal, via fax, via correio eletrônico ou, ainda, fora do prazo.
14.7 Recursos cujo teor desrespeite a banca serão preliminarmente indeferidos.
14.8 Todos os recursos serão analisados e somente os recursos deferidos com as alterações de nota
serão divulgados no endereço eletrônico do CESPE/UnB ou do Inmetro quando da divulgação do
resultado definitivo no Diário Oficial da União. Não serão encaminhadas respostas individuais aos
candidatos.
14.9 Em nenhuma hipótese serão aceitos pedidos de revisão de recursos já analisados, bem como de
resultados definitivos.
14.10 Os locais para a interposição de recursos contra os resultados provisórios serão disciplinados no
respectivo edital de resultado provisório.
15 DA HOMOLOGAÇÃO E NOMEAÇÃO
15.1 O resultado final dos concursos será homologado pelo Presidente do Inmetro, publicado no Diário
Oficial da União e divulgado no endereço eletrônico http://www.inmetro.gov.br/.
15.2 O candidato classificado para as vagas existentes de acordo com este edital, obedecendo à estrita
ordem de classificação, será convocado para nomeação por correspondência direta, por meio de carta
com Aviso de Recebimento (AR) ou telegrama, a ser enviada pelo Inmetro, obrigando-se a declarar, por
escrito, se aceita ou não o cargo/área para a qual está sendo convocado.
15.3 O não-pronunciamento do candidato, em um prazo de sete dias úteis, a partir da data de
recebimento da correspondência, nos termos do subitem 15.2, permitirá ao Inmetro excluí-lo do
concurso público.
15.4 O candidato aprovado no concurso público poderá desistir definitiva ou temporariamente.
15.4.1 A desistência deverá ser efetuada mediante requerimento endereçado ao Presidente do Inmetro,
até o último dia útil anterior à data da posse.
15.4.2 No caso de desistência temporária, o candidato renunciará à sua classificação e será posicionado
em último lugar na lista dos aprovados.
15.5 A nomeação fica condicionada à aprovação em inspeção médica promovida por Junta Médica
Oficial e ao atendimento às condições constitucionais e legais, visando a sua aptidão física e mental para
o exercício das atribuições específicas para o cargo.
15.6 Os candidatos que vierem a ser nomeados estarão sujeitos ao Regime Jurídico dos Servidores
Públicos Civis da União, instituído pela Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990, e demais alterações
subsequentes, e pelas normas em vigor no Inmetro.
15.7 Os candidatos, classificados, excedentes às vagas atualmente existentes, serão mantidos em
cadastro durante o prazo de validade do concurso público e poderão ser convocados para
18

aproveitamento, a critério exclusivo do Inmetro, em função da disponibilidade ou criação de vagas
futuras.
15.7.1 Os limites de aprovação são os definidos no Anexo II do Decreto nº 6.944/2009 e, conforme
subitem 11.2, o resultado final no concurso será homologado no limite de vagas.
15.8 A aprovação e indicação para provimento da vaga assegurará apenas a expectativa de direito à
nomeação, ficando a concretização desse ato condicionada à observância das disposições legais
pertinentes, do exclusivo interesse e conveniência da Administração do Inmetro, respeitado o prazo de
validade do concurso.
15.9 O candidato não será empossado se:
a) for considerado inapto na inspeção médica;
b) deixar de atender as exigências, os prazos e as datas estabelecidas neste edital;
c) não apresentar os documentos comprobatórios dos requisitos estabelecidos para a
investidura no cargo no item 5 deste edital.
15.10 O prazo de validade do concurso é de 90 dias, contado a partir da data de publicação da
homologação do resultado final de cada área, podendo ser prorrogado, uma única vez, por igual
período, por ato do Presidente do Inmetro.
16 DAS DISPOSIÇÕES FINAIS
16.1 A inscrição do candidato implicará a aceitação das normas para o concurso público contidas nos
comunicados, neste edital e em outros a serem publicados.
16.2 É de inteira responsabilidade do candidato acompanhar a publicação de todos os atos, editais e
comunicados referentes a este concurso público no Diário Oficial da União e divulgados na internet, nos
endereços eletrônicos do CESPE/UnB e/ou do Inmetro.
16.3 O candidato poderá obter informações referentes ao concurso público nos endereços eletrônicos
do CESPE/UnB e do Inmetro ressalvado o disposto no subitem 16.3.1 deste edital.
16.3.1 Não serão dadas, por telefone, informações a respeito de datas, locais e horários de realização
das provas. O candidato deverá observar rigorosamente os editais e os comunicados a serem divulgados
na forma do subitem 16.2.
16.4 O candidato deverá comparecer ao local designado para a realização das provas com antecedência
mínima de uma hora do horário fixado para o seu início, munido do comprovante de inscrição e do
documento de identidade original.
16.5 Serão considerados documentos de identidade: carteiras expedidas pelos Comandos Militares,
pelas Secretarias de Segurança Pública, pelos Institutos de Identificação e pelos Corpos de Bombeiros
Militares; carteiras expedidas pelos órgãos fiscalizadores de exercício profissional (ordens, conselhos
etc.); passaporte brasileiro; certificado de reservista; carteiras funcionais do Ministério Público; carteiras
funcionais expedidas por órgão público que, por lei federal, valham como identidade; carteira de
trabalho; carteira nacional de habilitação (somente o modelo aprovado pelo artigo 159 da Lei nº 9.503,
de 23 de setembro de 1997).
16.5.1 Não serão aceitos como documentos de identidade: certidões de nascimento, CPF, títulos
eleitorais, carteiras de motorista (modelo antigo), carteiras de estudante, carteiras funcionais sem valor
de identidade, nem documentos ilegíveis, não-identificáveis e/ou danificados.
16.5.2 Não será aceita cópia do documento de identidade, ainda que autenticada em cartório, nem
protocolo do documento.
16.6 Por ocasião da realização das provas, o candidato que não apresentar documento de identidade
original, na forma definida no subitem 16.5 deste edital, não poderá fazer as provas e será
automaticamente eliminado do concurso público.
19

16.7 Caso o candidato esteja impossibilitado de apresentar, no dia de realização das provas, documento
de identidade original, por motivo de perda, roubo ou furto, deverá ser apresentado documento que
ateste o registro da ocorrência em órgão policial, expedido há, no máximo, noventa dias, ocasião em
que será submetido à identificação especial, compreendendo coleta de dados, de assinaturas e de
impressão digital em formulário próprio.
16.7.1 A identificação especial será exigida, também, ao candidato cujo documento de
identificação apresente dúvidas relativas à fisionomia ou à assinatura do portador.
16.8 Não será admitido ingresso de candidato no local de realização das provas após o horário fixado
para o seu início.
16.9 O candidato que se retirar do ambiente de provas não poderá retornar em hipótese alguma.
16.10 Não haverá, por qualquer motivo, prorrogação do tempo previsto para a aplicação das provas em
razão do afastamento de candidato da sala de provas.
16.11 Não haverá segunda chamada para a realização das provas. O não comparecimento a estas
implicará a eliminação automática do candidato.
16.12 Será automaticamente eliminado do concurso público o candidato que, durante a sua realização:
a) utilizar-se de livros, máquinas de calcular ou equipamento similar, dicionário, notas ou impressos que
não forem expressamente permitidos ou que se comunicar com outro candidato;
b) for surpreendido portando aparelhos eletrônicos, tais como bip, telefone celular, walkman, agenda
eletrônica, notebook, palmtop, receptor, gravador, máquina de calcular, máquina fotográfica, controle
de alarme de carro etc. que não forem expressamente permitidos;
c) faltar com o devido respeito para com qualquer membro da equipe de aplicação das provas, com as
autoridades presentes ou com os demais candidatos;
d) faltar com o devido respeito para com qualquer membro da banca de exame, com as autoridades
presentes ou com os demais candidatos;
e) afastar-se da sala durante as provas;
d) perturbar, de qualquer modo, a ordem dos trabalhos, incorrendo em comportamento indevido;
f) utilizar ou tentar utilizar meios fraudulentos ou ilegais para obter aprovação própria ou de terceiros,
em qualquer etapa do concurso público;
g) não permitir a coleta de sua assinatura.
16.16 No dia de realização das provas, não serão fornecidas, por qualquer membro da equipe de
aplicação destas e/ou pelas autoridades presentes, informações referentes ao seu conteúdo e/ou aos
critérios de avaliação e de classificação.
16.17 O descumprimento de quaisquer das instruções supracitadas implicará a eliminação do candidato,
constituindo tentativa de fraude.
16.18 O candidato deverá manter atualizado seu endereço perante a Coordenação Geral de
Desenvolvimento de Recursos Humanos do Inmetro e o Cespe, enquanto estiver participando do
concurso público, por meio de requerimento a ser apresentado ao secretário executivo da Comissão
Especial de Concurso. São de exclusiva responsabilidade do candidato os prejuízos advindos da nãoatualização de seu endereço.
16.19 Não será fornecido ao candidato qualquer documento comprobatório de classificação ou de
notas, valendo para tal fim a homologação do resultado final do concurso publicada no Diário Oficial da
União.
16.20 O Inmetro não arcará com quaisquer despesas de deslocamento de candidatos para a realização
das provas e/ou mudança de candidato para a investidura no cargo.
20

16.21 Quaisquer alterações nas regras fixadas neste edital só poderão ser feitas por meio de outro
edital.
16.22 Os casos omissos serão resolvidos pelo Presidente do Inmetro, após manifestação da Comissão
Especial de Concurso de que trata o subitem 1.3.1.
17 CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS
ÁREA DE GESTÃO PÚBLICA: 1 Planejamento estratégico. 1.1 Conceitos, métodos e técnicas. 1.2 Modelos
de gestão e estruturas organizacionais. 1.3 Avaliação de desempenho institucional. 1.4 Planejamento
organizacional. 1.5 As escolas de planejamento estratégico. 1.6 Modelo SWOT. 1.7 Modelo Porter. 1.8
Planejamento baseado em cenários. 1.9 Princípios da Administração Estratégica: metodologia de
elaboração do pensamento estratégico. 1.10 Modelos de gestão estratégica. 1.11 Estratégias
competitivas. 1.12 Sistema de medição de desempenho organizacional. 1.13 Indicadores de
desempenho. 1.14 Balanced Scorecard. 2 Gestão de projetos. 2.1 Elaboração, análise e avaliação de
projetos. 2.2 Ajuste dos demonstrativos financeiros. 2.3 Projetos e suas etapas. 3 Gestão de qualidade.
3.1 Conceitos básicos do modelo de gestão baseado na qualidade total (GQT). 3.2 Análise, padronização
e melhoria de processos. 3.3 Ciclo PDCA. 3.4 Benchmarking. 3.5 Ferramentas clássicas para o
gerenciamento de processos. 3.6 Prêmio Nacional da Qualidade como estratégia competitiva 3.7
Critérios de excelência do Prêmio Nacional de Gestão Pública. 4 Gestão governamental. 4.1 4.1
Conceitos de Eficácia e Efetividade aplicados à Administração Pública: avaliação e mensuração do
desempenho governamental. 4.2 Instrumentos gerenciais contemporâneos: avaliação de desempenho e
resultados; sistemas de incentivo e responsabilização; flexibilidade organizacional; trabalho em equipe;
mecanismos de rede. 4.3 Novas formas de gestão de serviços públicos: formas de supervisão e
contratualização de resultados. 4.4 Modelos contemporâneos de gestão de pessoas: gestão de pessoas
por competências; liderança e desempenho institucional. 4.5 Sistema de Planejamento e Orçamento do
Governo Federal: fundamentos legais; conceitos básicos do sistema de planejamento, orçamento e
financeiro; gestão por programas; integração planejamento e orçamento; eficiência do gasto público;
custos. 4.6 Gestão de suprimentos e logística na administração pública. 4.7 A modernização do processo
de compras. 4.8 Gestão de contratos e convênios no setor público.
ÁREA: BIOENGENHARIA CELULAR. Estudo da organização estrutural e bioquímica da Membrana
Plasmática e do Glicocálice; Carga e Hidrofobicidade da superfície celular; Matriz Extracelular e seu
papel nos processos de interação celular; Diferenciação Celular; Estudo do processo de interação célulacélula, célula-matriz e célula-biomateriais com o emprego de técnicas que envolvam (a) o cultivo de
células, (b) o uso das diferentes modalidades de microscopia óptica (convencional, contraste de fase,
imunofluorescência,), microscopia eletrônica de varredura e de transmissão, e (c) o emprego de técnicas
citoquímicas e imunocito-químicas .
ÁREA: CIÊNCIAS ECONÔMICAS. 1. Microeconomia: Análise das estruturas de mercado em seus aspectos
estáticos e dinâmicos: determinação do preço e margem de lucro, a oferta da firma, concorrência extra
preço, economia de escala, de escopo e aprendizado, concentração e crescimento da firma, barreiras à
entrada e mobilidade, mudança técnica e transformação das estruturas de mercado, progresso técnico e
emprego. 2. Economia Industrial: Empresa, indústria e mercados. Desenvolvimento industrial brasileiro.
A Dinâmica Industrial: mudança técnica, padrão industrial e concorrência, assimetrias tecnológicas,
processo inovativo e difusão tecnológica. Competitividade e Política Industrial: determinantes da
competitividade, padrão de concorrência e estratégias empresariais, tendências internacionais, novas
formas de organização da produção, instrumentos de Política Industrial e relações com a Política
Macroeconômica. Política Industrial e estratégia de desenvolvimento econômico. Barreiras à entrada e a
saída. Mercados contestáveis. Inovação e diferenciação de produção e produtos. Novos modelos de
21

organização da produção. Capacitação tecnológica das empresas. Política industrial e seu impacto sobre
a capacitação tecnológica e as estratégias industriais. 3. Inovação Tecnológica: Inovação tecnológica na
indústria: produtos, processos e organização. Inovação, produtividade e concentração econômica. O
processo de inovação e difusão tecnológica. Inovação e difusão. Estrutura industrial e inovação
tecnológica na PME (Pequenas e Médias Empresas). Inovação tecnológica e mudança social. Inovação e
desenvolvimento econômico. Sistema Nacional de Inovação (SNI). Gestão de Sistemas de Inovação;
Transferência de tecnologia para países em desenvolvimento. Política de ciência e tecnologia. Fontes de
inovação tecnológica e indicadores de Ciência e Tecnologia. Cadeias Produtivas e Complexos Industriais;
Barreiras técnicas e comércio exterior; 4. Políticas industriais e tecnológicas: Política de
Desenvolvimento Produtivo; Plano de Ação, Ciência, Tecnologia e Inovação (PACTI 2007-2010. Sistemas
locais de inovação, distritos industriais, clusters. Arranjos e sistemas produtivos e inovativos locais.
Movimento de incubação de empresas e de parques tecnológicos. Fundos Setoriais: Histórico,
Atualidade e Impactos. Metodologias de Análise Estratégica e de Oportunidades. 5. Propriedade
Intelectual: Conceitos de Propriedade Intelectual, Licenciamento e Transferência de Tecnologia. 6.
Prospecção Tecnológica: Conceitos e Metodologias. Infra-estrutura Tecnológica: o papel da Tecnologia
Industrial Básica. Impactos econômicos, sociais e ambientais da Tecnologia Industrial Básica (TIB).
Avaliação e Monitoramento Tecnológico: Impactos econômicos da Infra-estrutura tecnológica. Impactos
econômicos e organizacionais das tecnologias da informação e da comunicação (TIC). Impactos
econômicos, sociais e ambientais da regulamentação.
ÁREA: ENGENHARIA DE PRODUÇÃO. 1 Gestão da Produção. 1.1 Gestão de Sistemas de Produção. 1.2
Planejamento e Controle da Produção. 1.3 Gestão de Processos Produtivo. 1.3.1 Análise, padronização e
melhoria de processos. 1.3.2 Gestão de Processos Produtivos Discretos 1.3.3 Gestão de Processos
Produtivos Contínuos. 1.3.4 Gestão da Automatização de Equipamentos e Processos 1.3.5 Planejamento
de Processos Produtivos. 1.4 Gerência de Projetos. 2 Gestão da Qualidade. 2.1 Conceitos básicos do
modelo de gestão baseado na qualidade total (GQT). 2.2 Controle Estatístico da Qualidade. 2.3
Normalização e Certificação da Conformidade. 2.4 Organização Metrológica para a Qualidade. 2.5
Qualidade de Serviços. 3 Gestão Econômica. 3.1 Engenharia Econômica. 3.2 Gestão de Custos. 3.3
Gestão Financeira de Projetos. 3.4 Gestão de Investimentos. 4 Gestão e Engenharia do produto. 5
Gestão estratégica e organizacional. 5.1 Avaliação de Mercado. 5.2 Planejamento Estratégico. 5.2.1
Análise estrutural de indústrias. 5.2.2 Estratégias genéricas. 5.2.3 Cadeia de valor. 5.2.4 Competências
centrais. 5.2.5 Visão baseada em recursos. 5.3 Estratégias de produção. 5.4 Empreendedorismo. 5.5
Organização Industrial. 5.6 Estratégia de Marketing. 5.7 Redes de Empresas e Gestão da Cadeia
Produtiva. 5.8 Engenharia de processos de negócio. 5.9 Sistemas integrados de gestão (ERP). 5.10
Gestão de Resultados (incluindo Balanced Scorecard). 6 Gestão do conhecimento organizacional. 6.1
Gestão da Inovação. 6.2 Gestão da Tecnologia. 6.3 Gestão da Informação de Produção. 6.3.1 Sistemas
de Informações de Gestão. 6.3.2 Sistemas de Apoio à Decisão. 6.3.3 Benchmarking. 7 Gestão Ambiental.
7.1 Gestão de Recursos Naturais. 7.2 Gestão Energética.
ÁREA: GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. 1. Estratégia e Planejamento da Tecnologia da
Informação: TI como instrumento de apoio estratégico e a gestão das empresas, Modelos de
governança e suas implementações, BSC (Balanced Scorecard) como apoio ao planejamento da TI,
Gestão Financeira, A TI, o desenvolvimento tecnológico e a Inovação, Análise e a avaliação dos sistemas
ERP (Enterprise Resource Planning), de SCM (Supply Chain Management), CRM (Consumer Management
Relationship) e de Inteligência Competitiva (Business Intelligence). 2. Cultura e Desenvolvimento
Organizacional: Gestão de Pessoas & Desenvolvimento Organizacional, 3. Gestão da Informação:
22

Sistemas de Gestão Integrada, Inteligência Competitiva e Sistemas de Suporte às Decisões, Estratégias
de Negócios Eletrônicos. 4. Aspectos Estratégicos da Gestão da Informação e do Conhecimento:
Alinhamento Estratégico da Tecnologia da Informação e da Gestão do Conhecimento, Aplicações de TI e
Gestão do Conhecimento no âmbito das organizações. 5. Implementação de Planejamento e Construção
de Segurança da Informação: Gestão de Riscos em Tecnologia da Informação, Planejamento da
Segurança da Informação, Suporte a Serviços e Segurança em Redes de Computadores, Segurança em TI
com ênfase em ISO 27001 e 27002, COBIT, Políticas de Segurança da Informação - ISO 27001 (aspectos
de ética e compliance), Conceitos e Práticas de Governança de TI (Cobit, ITIL, CMM, BS e frameworks de
boas práticas), Arquitetura Segura de Redes e Dispositivos. 6. Gerenciamento de Redes de
Computadores: Recuperação de Desastres e Segurança em Redes de Computadores, Tendências e
Novas tecnologias em Redes de Computadores. Infra-estrutura, Cabeamento Estruturado e
Equipamentos de Rede, Protocolos, Comunicação de Dados e Serviços de Rede, Servidores, Periféricos,
Sistemas e Aplicações em Redes de Computadores.
ÁREA DE ORGANIZAÇÃO CELULAR. 1. Microscopia óptica: princípios gerais; contraste de fase; contraste
interferencial; 2. Microscopia de Fluorescência: princípios gerais e aplicações às ciências biológicas; 3.
Microscopia eletrônica de varredura: princípios gerais e aplicações às ciências biológicas; 4. Métodos de
preparo de amostras biológicas para microscopia eletrônica de varredura; 5. Microscopia eletrônica de
transmissão: princípios gerais e aplicações às ciências biológicas; 6. Métodos de rotina de preparo de
amostras biológicas para microscopia eletrônica de transmissão; 7. Técnicas de congelamento de
amostras biológica para estudos ultra-estruturais; 8. Criofratura; princípios gerais e aplicações às
ciências biológicas; 9. Citoquímica enzimática ultra-estrutural: princípios e aplicações; 10.
Imunocitoquímica ultra-estrutural: princípios e aplicações às ciências biológicas; 11. Organização geral
da célula procarionte; 12. Organização geral de protistas. 13. Organização geral da célula animal e
vegetal: Núcleo, Citoesqueleto; Mitocôndria; Cloroplasto; Via Biosintética; Via Endocítica; Membrana
Plasmática; Parede Celular.
ÁREA DE QUÍMICA. 1. Principais metodologias em análise química aplicadas à metrologia química tais
como: pH,condutividade, densidade, viscosidade, metais, composição química, origem geográfica,
corrosividade, estabilidade e performance; 2. Técnicas cromatográficas, espectroscópicas e
espectrométricas, com foco em aplicações em metrologia química; 3. Conceitos em metrologia tais
como: avaliação da conformidade, acreditação, comparabilidade, rastreabilidade, materiais de
referência certificados; 4. Normas e especificações internacionais de análise e padronização em
metrologia química com foco em (bio-)combustíveis.

23

ANEXO I
QUADRO I DE ATRIBUIÇÃO DE PONTOS PARA A AVALIAÇÃO DE TÍTULOS
Áreas de Gestão Pública, Ciências Econômicas, Engenharia de Produção e
Gestão da Tecnologia da Informação
GRUPO 1: Atividades Científicas, Tecnológicas e Administrativas
VALOR
MÁXIMO DE
PONTOS

6,00

ALÍNEA

ESPECIFICAÇÃO

VALOR DE CADA
TÍTULO

A

Exercício de cargo de Direção, Coordenação, Assessoria,
Chefia de Departamentos, Divisões, Setores, etc, em
empregos/cargos, na área específica a que concorre ou na
área de sua graduação, independentes ou vinculados à
administração pública ou privada.

3,00

B

Exercício de atividade profissional de nível superior na
administração pública ou privada, em empregos/cargos,
na área específica a que concorre ou na área de sua
graduação, exceto o tempo de serviço já contemplado na
alínea A.

C

Coordenação e/ou participação em Projetos vinculados à
administração pública ou privada, apoiados por órgãos de
fomento, empresas, e órgãos governamentais na área
específica a que concorre.

0,40

1,20

D

Distinções, Condecorações e Prêmios concedidos por
entidade nacional e/ou internacional na área específica a
que concorre.

0, 40

0,40

0,70
(a cada seis meses
completos, sem
sobreposição de
tempo)

TOTAL MÁXIMO DE PONTOS

10,40

18,00

GRUPO 2: Produções e Atividades em Pesquisa e Tecnologia

ALÍNEA

ESPECIFICAÇÃO

VALOR
VALOR
DE CADA MÁXIMO
TÍTULO DE PONTOS
24

E

Publicação de livros ou de trabalhos de conteúdo científico e/ou
tecnológico, em revistas indexadas de circulação nacional ou
internacional, de impacto na área, bem como relatórios técnicos,
trabalhos completos publicados em congressos, simpósios, e
conferências internacionais, e pareceres técnicos detalhados de
temas relacionados com a área do concurso.

0,30

3,00

F

Palestras e/ou Conferências realizadas, em Institutos de Pesquisas,
Empresas, Congressos, Conferências e Encontros, para exposição de
resultados de autoria do candidato sobre a área do concurso

0,30

1,50

G

Participação em corpo editorial de periódico nacional ou internacional
indexado, parecerista em periódicos indexados e de circulação
nacional e/ou internacional e parecerista de projetos de agências de
financiamento.

0,30

0,30

H

Participação em Comitê Científico e/ou Comitê Organizador de Evento
Científico,
Empresarial,
Tecnológico,
Congressos,
Conferências,Workshops, Nacional e/ou Internacional nos últimos
dez anos.

0,20

0,60

I

Participação no desenvolvimento de processo e/ou produto com
patente.

0,30

0,60

TOTAL MÁXIMO DE PONTOS

6,00

25

ANEXO II
QUADRO II DE ATRIBUIÇÃO DE PONTOS PARA A AVALIAÇÃO DE TÍTULOS
Áreas de Bioengenharia Celular, Organização Celular e Química
GRUPO 1: Atividades Científicas, Tecnológicas e Administrativas
ALÍNEA

ESPECIFICAÇÃO

VALOR DE
CADA TÍTULO

VALOR MÁXIMO DE
PONTOS

A

Exercício de cargo de Direção, Coordenação,
Assessoria, Chefia de Departamentos, Divisões,
Setores, etc, em empregos/cargos, na área
específica a que concorre ou na área de sua
graduação, independentes ou vinculados à
administração pública ou privada.

2,40

2,40

B

Exercício de atividade profissional de nível
superior na administração pública ou privada, em
empregos/cargos, na área específica a que
concorre ou na área de sua graduação, exceto o
tempo de serviço já contemplado na alínea A.

1,00

1,00

C

Coordenação e/ou participação em Projetos de
Pesquisa apoiados por órgãos de fomento,
empresas, etc.

0,80

2,40

D

Distinções, Condecorações e Prêmios concedidos
por entidade nacional e/ou internacional.

0, 60

1,20

E

Orientações concluídas de tese de Mestrado 0,5 Mestrado
respectivamente, Doutorado.
1,0
Doutorado

10,00

TOTAL MÁXIMO DE PONTOS

17,00

GRUPO 2: Produções e Atividades em Pesquisa e Tecnologia
ALÍNEA

ESPECIFICAÇÃO

VALOR DE
VALOR
CADA
MÁXIMO DE
26

TÍTULO

PONTOS

F

Publicação de livros ou de trabalhos de conteúdo científico e/ou
tecnológico, em revistas indexadas de circulação nacional ou
internacional, de impacto na área, bem como relatórios técnicos,
trabalhos completos publicados em congressos, simpósios, e
conferências internacionais, e pareceres técnicos detalhados de
temas relacionados com a área do concurso.

0,30

8,10

G

Palestras e/ou Conferências realizadas, em Institutos de Pesquisas,
Empresas, Congressos e Encontros, para exposição de resultados de
autoria do candidato sobre a área do concurso

0,30

3,00

H

Participação em corpo editorial de periódico nacional ou
internacional indexado, parecerista em periódicos indexados e de
circulação internacional e parecerista de projetos de agências de
financiamento.

0,30

0,90

I

Participação em Comitê Científico de Evento Científico Nacional e/ou
Internacional nos últimos dez anos.

0,20

0,40

J

Participação no desenvolvimento de processo e/ou produto com
patente.

0,30

0,60

TOTAL MÁXIMO DE PONTOS

13,00

27