Plano de Metas e Integração Social, Étnica e Racial da UnB
O Plano de Metas é um conjunto de medidas que pretendem gerar na UnB uma
composição social, étnica e racial capaz de refletir minimamente a situação do
Distrito Federal e a diversidade da sociedade brasileira como um todo. O
fundamento supremo do Plano de Metas é o propósito de promover a inclusão
social de negros e indígenas por meio do acesso ao ensino superior, em um
contexto de Políticas de Ação Afirmativa. Esse princípio baseia-se em pesquisas,
como a Síntese dos Indicadores Sociais (IBGE/2002) que comprovam que apenas
4,4% dos estudantes universitários brasileiros são negros e 3,2% pardos. Os três
pontos básicos do plano são:
­ o acesso de negros e indígenas, via política de ação afirmativa
­ a permanência do estudante que ingressa, via política de ação afirmativa
­ programa de apoio ao ensino público do Distrito Federal
Os candidatos tem a opção de se identificarem como negros e, aqueles que o
fizerem, disputarão vagas dentro do sistema de cotas. Quem escolher esse
dispositivo, será fotografado no local da inscrição. Por isso, inscrições pela
Internet ou por procuração não entrarão no sistema de cotas. Devido à nova
política, inscrições pelos Correios também não serão aceitas.
Segundo a professora Dione Moura, relatora da Comissão de Implantação do
Plano de Metas de Integração Social, Étnica e Racial da UnB, as fotos serão feitas
simplesmente para homologar a inscrição: "Sabemos que haverá casos de irmãos
em que um terá a inscrição homologada e outro não. A avaliação será feita pelo
fenótipo, cor da pele e características gerais da raça negra, porque esses são os
fatores que levam ao preconceito".
Outro esclarecimento importante diz respeito à nota de corte do vestibular, o
diretor acadêmico do Centro de Seleção e de Promoção de Eventos (Cespe) da
UnB, Mauro Rabelo, afirma que só entrará pela política de cotas quem já tiver
pontuação suficiente para estar dentro da nota de corte. Isso demonstra que não
serão aprovados alunos sem condições acadêmicas. A entrada, para todos, é por
mérito. O sistema de cotas ficará vigente na UnB por 10 anos e está sendo
implantado pela primeira vez no vestibular da instituição.
CONHEÇA O SISTEMA DE COTAS DA UnB
· No segundo vestibular de 2004, os candidatos poderão
concorrer pelo sistema universal ou pelo sistema de cotas,
que oferecem 80% e 20% das vagas respectivamente de cada
curso;
· Para concorrer às vagas reservadas por meio do sistema de
cotas para negros, o candidato deverá ser de cor preta ou
parda, declarar-se negro e optar pelo sistema de cotas;
· No momento da inscrição, o candidato deverá assinar uma
declaração específica relativa aos requisitos exigidos para

·

·

·

·
·

concorrer pelo sistema de cotas;
O pedido de inscrição e uma foto, que será tirada no momento
da inscrição, serão analisados por uma comissão que decidirá
pela homologação ou não pelo sistema de cotas. Essa
comissão terá representantes de movimentos sociais ligados
à questão, especialistas no tema e membros do grupo que
operacionalizou a implantação do sistema;
Antes da aplicação das provas, o Centro de Seleção e de
Promoção de Eventos (Cespe) ­ órgão da UnB responsável
pelo vestibular ­ divulgará no Diário Oficial da União, na
Internet e em seus quadros de avisos uma lista com a
homologação das inscrições pelo sistema de cotas;
Os candidatos que se inscreverem pelo sistema de cotas, mas
não tiverem suas inscrições homologadas não perderão a
inscrição. Além de poderem entrar com recurso, estarão
automaticamente inscritos pelo sistema universal;
O edital permite que a comissão convoque os candidatos para
esclarecer qualquer dúvida sobre o pedido da inscrição ou o
recurso;
As inscrições pelo sistema de cotas para negros serão aceitas
somente pessoalmente em cinco postos no Distrito Federal e
outros sete espalhados por cidades de Goiás e Minas Gerais.
Não poderão ser realizadas pela Internet, por terceiros com
procuração, via fax ou via postal.

ORIENTAÇÃO ­ O Plano de Metas para Integração Racial, Social e Étnica da
UnB prevê acompanhamento acadêmico e psicossocial para os alunos cotistas e
para os índios.