EDITAL DE CONVOCAÇÃO
PROCESSO SELETIVO 2016
EDITAL PARA O PROCESSO SELETIVO DA RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL DO HOSPITAL DAS
CLÍNICAS DA UFMG E DO HOSPITAL RISOLETA TOLENTINO NEVES

O Hospital das Clinicas da Universidade Federal de Minas filial EBSERH (HC-UFMG), o Hospital
Risoleta Tolentino Neves (HRTN) / Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) / Fundação
de Desenvolvimento da Pesquisa (FUNDEP) tornam público, por meio deste Edital, as normas
do processo seletivo para o preenchimento das vagas de profissionais da Saúde Residentes
que ingressarão no programa de Residência Integrada Multiprofissional em Saúde do Idoso e
Saúde Cardiovascular do HC/UFMG e Residência Multiprofissional em Saúde do Idoso e na
Residência da Área Profissional de Enfermagem para Intensivismo, Urgência e Trauma do
HRTN/UFMG para 2016.

A Residência Integrada Multiprofissional do HC/UFMG foi autorizada pelo MEC em 30 de
outubro de 2009.
A Residência Multiprofissional em Saúde do Idoso e a Residência da Área Profissional de
Enfermagem para Intensivismo, Urgência e Trauma do HRTN/UFMG/FUNDEP foram
autorizadas pelo MEC em 25 de novembro de 2013.
A Residência Multiprofissional são modalidades de formação pós-graduada, especialização lato
sensu, caracterizada pelo treinamento em serviço e foram regulamentadas pela Lei no 11.129,
de 30 de junho de 2005 e pela Portaria Interministerial nº 2.117, de 03 de novembro de 2005,
que definem diretrizes e estratégias para a implementação da Comissão Nacional de
Residência Multiprofissional em Saúde (CNRMS).
1. CRONOGRAMA DO PROCESSO SELETIVO
ETAPAS
Período de inscrições
Período de isenção
Resultado dos pedidos de isenção
Solicitação de condições especiais para realização da prova por
candidato com necessidade especial
Resultado das inscrições deferidas e solicitação de condições especiais
para realização da prova
Período de recursos contra indeferimento de inscrições e condições
especiais
Divulgação do Comprovante Definitivo de Inscrição (CDI) com
informações sobre o local de prova no site do HC e HRTN
Data da prova

DATAS
02/10 a 06/11/2015
02 e 03/10/2015
09/10/2015
01/10 a 06/11
11/11/2015
12 e 13/11/2015
24/11/2015
29/11/2015

1

Divulgação do gabarito no site do HC e HRTN

30/11/2015

Período de recursos contra questões da prova

01 e 02/12/2015

Divulgação do resultado da 1ª Etapa
Período de recursos contra o resultado da 1ª Etapa
Divulgação do resultado definitivo da 1ª Etapa
Período de entrega dos currículos dos candidatos aprovados na 1ª
Etapa
Resultado da 2ª Etapa
Prazo para recursos contra o resultado da 2ª Etapa
Resultado final

11/12/2015
14 e 15/12/2015
15/01
18 e 19/01/2016
29/01/2016
01 e 02/02/2016
15/02/2016

Matrículas ­ 1ª Chamada

16 e 17/02/2016

Matrículas ­ 2ª Chamada

19/02/2016

Entrega do registro profissional pelos aprovados

22/02/2016

Início dos Programas

01/03/2016

Prazo final de convocação de excedentes

02/05/2016

Devolução dos documentos e currículos dos candidatos não
selecionados

14/03/2016

2. DOS PROGRAMAS OFERTADOS:
2.1. PROGRAMA DE RESIDÊNCIA INTEGRADA MULTIPROFISSIONAL DO HC
Áreas de Concentração: Saúde do Idoso e Saúde Cardiovascular
Áreas Profissionais: Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Psicologia e Terapia
Ocupacional.
Duração do Programa: 02 (dois) anos
Carga horária semanal: 60 (sessenta) horas
Carga horária total do programa: 5.760 (cinco mil, setecentos e sessenta) horas sendo 4.605
(quatro mil, seiscentos e cinco) horas práticas

2

Modalidade do Curso: Tempo integral e dedicação exclusiva (lei nº 11.129/2005 artigo 13,
parágrafo segundo).
Certificação: A obtenção do Certificado de Conclusão dos Programas de Residência está
condicionada à aprovação do Profissional da Saúde Residente em todos os semestres e à
apresentação individual de um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), com comprovação de
protocolo de envio à publicação.
Remuneração: O Profissional da Saúde Residente receberá mensalmente, durante todo o
Programa de Residência, uma bolsa trabalho de R$ 2.976,26 (dois mil, novecentos e setenta e
seis reais e vinte e seis centavos), de acordo com o estabelecido pelo Ministério da Educação,
e que estará sujeita aos descontos e retenções tributárias e previdenciárias nos termos da lei.
Cenários de prática dos residentes:
Hospital das Clínicas da UFMG
Hospital Risoleta Tolentino Neves
Distrito Sanitário Nordeste
Além desses cenários, durante o desenvolvimento do Programa de Residência
Multiprofissional em Saúde pode ser incluído ou excluído de algum cenário de prática,
conforme avaliação da Comissão de Residência Integrada Multiprofissional em Saúde
(COREMULT/HC UFMG).
2.2. PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE DO HRTN
Área de Concentração: Saúde do Idoso e Intensivismo, Urgência e Trauma
Áreas Profissionais: Enfermagem, Farmácia, Fonoaudiologia, Nutrição e Terapia Ocupacional.
Duração do Programa: 02 (dois) anos
Carga horária semanal: 60 (sessenta) horas
Carga horária total do programa: 5.760 (cinco mil, setecentos e sessenta) horas sendo 4.605
(quatro mil, seiscentos e cinco) horas práticas
Modalidade do Curso: Tempo integral e dedicação exclusiva (lei nº 11.129/2005 artigo 13,
parágrafo segundo).
Certificação: A obtenção do Certificado de Conclusão dos Programas de Residência está
condicionada à aprovação do Profissional da Saúde Residente em todos os semestres e à
apresentação individual de um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), com comprovação de
protocolo de envio à publicação.
Remuneração: O Profissional da Saúde Residente receberá mensalmente, durante todo o
Programa de Residência, uma bolsa trabalho de R$ 2.976,26 (dois mil, novecentos e setenta e
seis reais e vinte e seis centavos), de acordo com o estabelecido pelo Ministério da Educação,
e que estará sujeita aos descontos e retenções tributárias e previdenciárias nos termos da lei.
O ingresso na Residência Multiprofissional em Saúde de forma alguma configurará vínculo
empregatício entre o Hospital Risoleta Tolentino Neves / FUNDEP e o residente. O residente
assumirá suas atribuições junto a esta instituição por meio do respectivo Termo de
Compromisso, ficando, desta feita, caso ainda não seja cadastrado, obrigado a se filiar ao INSS
(www.previdencia.gov.br/) na qualidade de autônomo, como previsto na Lei 6.932 de
07/07/1981.
Cenários de prática dos residentes:
Hospital Risoleta Tolentino Neves

3

Distrito Sanitário de Venda Nova
Unidade Básica de Saúde
Unidade de Pronto Atendimento
Unidades de Atenção ambulatorial Especializada
Núcleo Assistencial Caminhos para Jesus
Além desses cenários, durante o desenvolvimento do Programa de Residência
Multiprofissional em Saúde do Idoso e da Residência da Área Profissional de Enfermagem para
Intensivismo, Urgência e Trauma pode ser incluído ou excluído de algum cenário de prática,
conforme avaliação da Comissão de Residência Multiprofissional do Hospital Risoleta Tolentino
Neves (COREMULTI/HRTN).
2.3. ­ VAGAS SEGUNDO A ÁREA DE CONCENTRAÇÃO:
HOSPITAL DAS CLÍNICAS
CÓDIGO

ÁREA DE CONCENTRAÇÃO

ÁREA PROFISSIONAL

VAGAS

201.01

Enfermagem

04

202.01

Farmácia

03

203.01

Fisioterapia

04

204.01

Fonoaudiologia

04

205.01

Terapia Ocupacional

03

206.01

Psicologia

01

Saúde do Idoso

TOTAL

CÓDIGO

ÁREA DE CONCENTRAÇÃO

201.02
203.02
206.02

Saúde Cardiovascular

ÁREA PROFISSIONAL

19

VAGAS

Enfermagem

04

Fisioterapia

04

Psicologia

01
TOTAL

09

4

HOSPITAL RISOLETA TOLENTINO NEVES (HRTN)
CÓDIGO

ÁREA DE CONCENTRAÇÃO

ÁREA PROFISSIONAL

VAGAS

201.03

Enfermagem

02

202.02

Farmácia

02

Fonoaudiologia

02

Nutrição

02

Terapia Ocupacional

02

204.02

Saúde do Idoso

207
205.02

TOTAL

CÓDIGO

ÁREA DE CONCENTRAÇÃO

201.04

Intensivismo, Urgência e Trauma

ÁREA PROFISSIONAL
Enfermagem

10

VAGAS
02

TOTAL

02

3. DAS INSCRIÇÕES:
Serão disponibilizados, às pessoas que não tiverem acesso à internet, um computador e uma
impressora com tinta e papel para que possam apresentar inscrições, requerimentos,
solicitações e/ou recursos para qualquer etapa deste concurso, sendo de exclusiva
responsabilidade do candidato realizar o respectivo procedimento nos termos deste Edital,
a) Na Gerência de Concursos da FUNDEP, situada Av. Presidente Antônio Carlos, nº 6.627,
Unidade Administrativa II, 3º andar, Campus Pampulha da UFMG em Belo Horizonte (acesso
pela Av. Antônio Abrahão Caram, portão 2), no horário das 9h00min às 11h30min ou das
13h30min às 16h30min (horário de Brasília), exceto sábados, domingos e feriados.
b) No Núcleo de Pesquisa do HRTN, situado a R. Gabirobas, nº 01, bairro Vila Clóris em Belo
Horizonte, no horário de 08h00min as 15h00min, exceto sábados, domingos e feriados.
3.1 Disposições Gerais
3.1.1As inscrições serão efetuadas exclusivamente nas formas descritas neste Edital.
3.1.2 Antes de efetuar a inscrição e/ou o pagamento do valor referente à Inscrição, o
candidato deverá tomar conhecimento do disposto neste Edital e em seus anexos e certificarse de que preenche todos os requisitos exigidos.
3.1.3 A inscrição do candidato implicará no conhecimento e na tácita aceitação das normas e
condições estabelecidas neste Edital, em relação às quais não poderá alegar desconhecimento.
3.1.4 Não haverá, sob qualquer pretexto, inscrição provisória, condicional ou extemporânea.
3.1.5 Não será admitida, sob qualquer pretexto, inscrição feita por fax, via postal, correio
eletrônico ou outro meio que não os estabelecidos neste Edital.

5

3.1.6 A Ficha Eletrônica de Isenção, o Requerimento Eletrônico de Inscrição e o valor pago
referente à Inscrição são pessoais e intransferíveis.
3.1.7 O pagamento do valor referente à Inscrição, por si só, não confere ao candidato o direito
de submeter-se às etapas deste processo seletivo.
3.1.8 O candidato poderá efetuar mais de uma inscrição, ainda que para hospitais e áreas de
concentração diferentes, mas desde que para uma mesma área profissional.
3.1.8.1 O candidato que realizar mais de uma inscrição deverá indicar, no momento em que a
realizar, a sua ordem de preferência. Esta será definitiva e não poderá ser alterada após a
conclusão da inscrição. Essa ordem de preferência não terá influência na classificação, sendo
utilizada apenas para a formação da lista de aprovados, excedentes e habilitados em cada um
dos programas, de acordo com o manifesto desejo do candidato no que se refere à sua ordem
de preferência.
3.1.8.2 O candidato com nota suficiente para convocação em mais de um programa será
convocado apenas para aquele que definiu como o de maior prioridade, sendo excluído da
listagem de convocados, excedentes ou habilitados dos outros programas escolhidos. Assim,
exemplificando, um candidato com quatro inscrições na área profissional de Enfermagem, ao
ser convocado para um programa em que indicou preferência 2, (se sua classificação não
permitir que assuma uma vaga do programa escolhido em primeiro lugar) será excluído da
listagem de convocados, excedentes ou habilitados de suas preferências 3 e 4, mesmo que
tenha conseguido desempenho suficiente para os outros programas.
3.1.8.3 Caso o candidato não tenha interesse pela vaga para a qual foi convocado, poderá
desistir da mesma, podendo se manter na condição de excedente e/ou habilitado nas vagas de
sua maior preferência, desde que esteja nessa condição.
3.1.9 Depois de confirmados e transmitidos os dados cadastrados pelo candidato na Ficha
Eletrônica de Isenção ou no Requerimento Eletrônico de Inscrição, não serão aceitos:
3.1.9.1 Alteração na vaga indicada pelo candidato na Ficha Eletrônica de Isenção ou no
Requerimento Eletrônico de Inscrição.
3.1.9.2 Transferências de inscrições ou da isenção do valor referente à inscrição entre pessoas.
3.1.9.3 Transferências de pagamentos de inscrição entre pessoas.
3.1.10 A não comprovação do pagamento do valor de inscrição ou o pagamento efetuado a
menor ensejará o cancelamento automático da inscrição.
3.1.11 As informações constantes na Ficha Eletrônica de Isenção ou no Requerimento
Eletrônico de Inscrição são de inteira responsabilidade do candidato, eximindo-se o
HC/HRTN/UFMG/FUNDEP de quaisquer atos ou fatos decorrentes de informações incorretas,
endereço inexato ou incompleto ou código incorreto referente ao cargo pretendido fornecidos
pelo candidato.
3.1.11.1 Declarações falsas ou inexatas constantes do Formulário Eletrônico de Inscrição
determinarão o cancelamento da inscrição e a anulação de todos os atos dela decorrentes, em
qualquer época, sem prejuízo das sanções penais, assegurado o contraditório e a ampla
defesa.
3.1.12 Não se exigirá do candidato cópia de nenhum documento, no ato do preenchimento do
Requerimento Eletrônico de Inscrição ou da Ficha Eletrônica de Isenção, sendo de sua
exclusiva responsabilidade a veracidade dos dados informados.

6

3.2 Procedimentos para inscrição e formas de pagamento
3.2.1 O valor a ser pago a título de uma inscrição é de R$ 190,00 (cento e noventa reais).
3.2.1.1 Caso o candidato opte por realizar mais de uma inscrição, os valores serão:
QUANTIDADE DE INSCRIÇÕES

VALOR (R$)

2

340,00

3

450,00

4

520,00

3.2.2 Período e Procedimentos para Inscrição: via internet das 09 horas do dia 02 de outubro
de 2015 às 23 horas 59 minutos do dia 06 de novembro de 2015, do horário de Brasília.
3.2.2.1 Para inscrever-se, o candidato deverá acessar o endereço eletrônico
www.gestaodeconcursos.com.br, por meio do link correspondente às inscrições da Residência
Multiprofissional Unificada do HC e HRTN - Edital 001/2016, efetuar sua inscrição conforme os
procedimentos estabelecidos a seguir:
a)
Ler
atentamente
o
www.gestaodeconcursos.com.br.

edital

disponível

no

endereço

eletrônico

b) Preencher o Requerimento Eletrônico de Inscrição, indicando a opção da vaga, confirmar os
dados cadastrados e transmiti-los pela Internet.
c) Gerar e imprimir o boleto bancário para pagamento do valor de inscrição correspondente.
d) Efetuar o pagamento em qualquer estabelecimento bancário ou instituição que preste
serviços bancários, da importância referente à inscrição expressa no item 3.2.1 para o cargo
que irá concorrer, até o último dia útil de inscrição.
3.2.3 O boleto bancário a que se refere o item 3.2.2.1, alínea "c", será emitido em nome do
requerente e deverá ser impresso em impressora a laser ou jato de tinta para possibilitar a
correta impressão e leitura dos dados e do código de barras e ser pago, até o último dia de
inscrição.
3.2.4 O candidato, para efetivar sua inscrição, deverá, obrigatoriamente, efetuar o pagamento,
em dinheiro, do valor da inscrição impresso no boleto bancário, na rede bancária, observados
os horários de atendimento e das transações financeiras de cada instituição bancária, , até o
último dia de inscrição.
3.2.5 Em caso de feriado ou evento que acarrete o fechamento de agências bancárias na
localidade em que se encontra, o candidato deverá efetuar o pagamento no primeiro dia útil
posterior ao feriado, desde que a inscrição tenha sido realizada no período da inscrição.
3.2.6 A segunda via do boleto bancário somente estará disponível na internet para impressão
durante o período de inscrição determinado no item 3.2.2 deste Edital, ficando indisponível a
partir das 23 horas e 59 minutos do último dia de inscrição.
3.2.7 A impressão do boleto bancário ou da segunda via do mesmo em outro tipo de
impressora é de exclusiva responsabilidade do candidato, eximindo-se o HC, o HRTN e a
FUNDEP de eventuais dificuldades na leitura do código de barras e consequente
impossibilidade de efetivação da inscrição.

7

3.2.8 A inscrição somente será processada e validada após a confirmação à FUNDEP, pela
instituição bancária, do pagamento do valor de inscrição concernente ao candidato, sendo
automaticamente cancelado o Requerimento Eletrônico de Inscrição em que o pagamento não
for comprovado ou que for pago a menor.
3.2.9 Serão tornadas sem efeito as solicitações de inscrição cujos pagamentos forem efetuados
após a data estabelecida no item 3.2.4 deste Edital.
3.2.10 Não será aceito pagamento do valor referente à inscrição por depósito em caixa
eletrônico, transferência ou depósito em conta corrente, DOC, cheque, cartão de crédito,
ordens de pagamento ou qualquer outra forma diferente daquela prevista neste Edital.
3.2.11 O comprovante provisório de inscrição do candidato será o boleto original em seu
nome, devidamente quitado, sem rasuras, emendas e outros em que conste a data da
efetivação do pagamento feito até o último dia de inscrição.
3.2.12 Havendo mais de uma inscrição paga ou isenta, prevalecerá à última inscrição ou
isenção cadastrada, ou seja, a de data e horário mais recentes. As demais isenções ou
inscrições realizadas não serão consideradas.
3.2.13 O boleto bancário quitado será o comprovante de requerimento de inscrição do
candidato neste processo seletivo. Para esse fim, o boleto deverá estar autenticado ou
acompanhado do respectivo comprovante do pagamento realizado até a data limite do
vencimento, não sendo considerado para tal o simples agendamento de pagamento, uma vez
que este pode não ser processado ante a eventual insuficiência de fundos ou outras situações
que não permitam o pagamento efetivo do valor da inscrição.
3.2.14 As inscrições deferidas serão disponibilizadas por meio do site oficial do HC/UFMG,
www.hc.ufmg.br HRTN/UFMG/FUNDEP, www.hrtn.fundep.ufmg.br e divulgadas no endereço
eletrônico www.gestaodeconcursos.com.br até a data de 11 de novembro de 2015.
3.2.15 Nos casos em que o candidato tiver sua inscrição indeferida por inconsistência no
pagamento do valor de inscrição, poderá se manifestar formalmente por meio de recurso
previsto no item 8.1, alínea "c" deste Edital.
3.3 Da devolução do valor referente à inscrição
3.3.1 O valor de inscrição será devolvido ao candidato, nos casos de cancelamento, suspensão
do processo seletivo, ou alteração da data da prova.
3.3.1.1 A devolução do valor referente à inscrição prevista no item 3.3.1 deverá ser requerida
por meio de formulário de solicitação disponibilizada no endereço eletrônico
www.gestaodeconcursos.com.br, em até 05 (cinco) dias úteis após a data de publicação do ato
que ensejou o cancelamento, suspensão ou a não realização do certame, na "Área do
Candidato", para ser postado no prazo de 20 (vinte) dias úteis, contados da data de
disponibilização do referido formulário.
3.3.1.2 O candidato deverá informar nome e número do banco, nome e número da agência
com dígito e número da conta corrente com dígito, bem como o nome e CPF do titular da
conta, se for conta de terceiros.
3.3.1.3 A devolução do valor referente à inscrição será processada em 20 (vinte) dias úteis,
findado o prazo previsto em 3.3.1.1, por meio de depósito bancário na conta bancária indicada
na solicitação, somente nos casos em que todos os dados encaminhados estiverem corretos.
3.3.1.4. O formulário de restituição deverá ser entregue ou enviado, pelo candidato ou por
terceiro, devidamente preenchido e assinado pelo candidato e acompanhado da cópia do

8

documento de identidade do candidato, em envelope fechado, em até 20 (vinte) dias úteis
após a disponibilização do formulário de solicitação, por uma das seguintes formas:
a) Na FUNDEP/Gerência de Concursos - Avenida Presidente Antônio Carlos, nº 6.627 - Unidade
Administrativa II - 3º andar - Campus Pampulha/UFMG - Belo Horizonte/MG (acesso pela
Avenida Antônio Abrahão Caram - Portão 2), no horário das 9h00 às 11h30 ou das 13h30 às
16h30 (horário de Brasília), exceto sábados, domingos e feriados, dentro do prazo previsto no
subitem 5.3.1.4 deste Edital;
b) Via SEDEX, postado nas Agências dos Correios, com custo por conta do candidato,
endereçado à FUNDEP/Gerência de Concursos - Edital 001/2013 da Residência
Multiprofissional do HRTN- Caixa Postal 6985 CEP: 30.120- 972 - Belo Horizonte/MG. Nesse
caso, a data da postagem deverá obedecer ao prazo estabelecido no subitem 5.3.1.4. deste
Edital.
3.3.1.5 O envelope deverá conter a referência da forma que segue abaixo:
PROCESSO SELETIVO DA RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL UNIFICADA DO HC E HRTN EDITAL 001 / 2016
REFERÊNCIA: PEDIDO DE DEVOLUÇÃO
NOME COMPLETO DO CANDIDATO
NÚMERO DE INSCRIÇÃO
VAGA A QUAL CONCORRE
3.3.1.6. É de inteira responsabilidade do candidato informação correta e completa de todos os
dados requeridos para a eventual devolução do valor referente à inscrição, não podendo
atribuir ao HC, ao HRTN, bem como à FUNDEP a responsabilidade pela impossibilidade de
devolução caso os dados sejam insuficientes ou incorretos.
3.3.1.7 O valor a ser devolvido ao candidato será corrigido monetariamente pela variação do
IGPM desde a data do pagamento da inscrição até a data da efetiva devolução.
3.3.2. Será devolvido, também, ao candidato, o valor de inscrição pago em duplicidade, desde
que requerido por escrito pelo candidato e mediante comprovação do pagamento para o
mesmo boleto.
3.3.2.1. No caso elencado no item 3.3.2, o candidato arcará com os custos bancários para o
processamento da devolução.
3.3.2.2 No caso previsto no item 3.3.2 deste Edital, o candidato deverá requerer a restituição
do valor referente à inscrição, em até 05 (cinco) dias úteis após o término das inscrições, por
meio do envio do requerimento e da documentação comprobatória da duplicidade do
pagamento, para os endereços descritos no item 3.3.1.4.
3.3.2.3 O candidato também deverá informar os seguintes dados para obter a restituição do
valor referente à inscrição paga em duplicidade ou fora do prazo:
a) Nome completo, número da identidade e da inscrição do candidato.
b) Nome e número do banco, nome e número da agência com dígito, número da conta
corrente e CPF do titular da conta, caso a conta seja de terceiro.
c) Número de telefones, com código de área e e-mail, para eventual contato.
3.3.2.4 O candidato que não requerer a restituição do valor referente à inscrição no prazo e
nas formas estabelecidas no item 3.3 e subitens deste Edital, não poderá requerê-la
posteriormente.

9

3.3.2.5 A devolução do valor referente à inscrição nos casos elencados no item 3.3 e subitens
está sujeita à análise do requerimento e documentos comprobatórios e consequente
aprovação da FUNDEP e da Comissão do processo seletivo.
3.4 Da isenção do pagamento do valor de inscrição
3.4.1 O candidato que, em razão de limitações de ordem financeira, não possa arcar com o
pagamento do valor de inscrição, sob pena de comprometimento do sustento próprio e de sua
família, poderão requerer isenção do pagamento do valor de inscrição exclusivamente no
período de 02 e 03 de outubro de 2015.
3.4.2 O requerimento de isenção do pagamento do valor de inscrição estará disponível para
preenchimento no endereço eletrônico www.gestaodeconcursos.com.br no período constante
do item 3.4.1 deste Edital.
3.4.3 Para requerer a isenção do pagamento do valor de inscrição o candidato deverá
comprovar a condição de hipossuficiência econômica financeira ou de família baixa renda,
deve ser comprovada através da inscrição do candidato no Cadastro Único para Programas
Sociais do Governo Federal ­ CadÚnico, de que trata o Decreto Federal nº 6.135/2007, até a
data de inscrição no processo seletivo.
3.4.3.1 Para comprovar a situação prevista no item 5.4.3 deste Edital, o candidato deverá estar
inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal ­ CadÚnico e indicar
seu número de Identificação Social (NIS) válido, atribuído pelo CadÚnico, no requerimento de
inscrição.
3.4.3.2 A FUNDEP consultará o órgão gestor do CadÚnico do Ministério de Desenvolvimento
Social e Combate a Fome ­ MDS, que fornecerá a situação do Número de Identificação Social
(NIS) e caracterizará ou não a isenção do candidato.
3.4.4 Para requerer a isenção do pagamento do valor de inscrição, o candidato deverá
obedecer aos seguintes procedimentos:
a) Preencher a solicitação de isenção através do endereço
www.gestaodeconcursos.com.br, indicando o seu número de registro do NIS.

eletrônico

b) Salvar as informações do formulário eletrônico preenchido com o Número de Identificação
Social - NIS.
3.4.5 Não será concedida isenção do pagamento do valor de inscrição ao candidato que:
a) Deixar de efetuar o requerimento de inscrição pela Internet.
b) Omitir informações e/ou torná-las inverídicas.
c) Não informar o Número de Identificação Social (NIS) corretamente ou informá-lo nas
situações inválido, excluído, com renda fora do perfil, não cadastrado, de outra pessoa ou
ainda não informar.
3.4.6 As informações prestadas no requerimento de isenção do pagamento do valor de
inscrição serão de inteira responsabilidade do candidato.
3.4.7 A declaração falsa de dados para fins de isenção do pagamento do valor de inscrição
determinará o cancelamento da inscrição e a anulação de todos os atos dela decorrentes, em
qualquer época, sem prejuízo das sanções civis e penais cabíveis pelo teor das afirmativas,
assegurado o contraditório e a ampla defesa.
3.4.8 Não será aceita solicitação de isenção do pagamento de valor de inscrição via fac-símile
(fax), via correio eletrônico ou qualquer outra forma que não seja prevista neste Edital.

10

3.4.9 O pedido de isenção do pagamento do valor de inscrição que não atender a quaisquer
das exigências determinadas neste Edital será indeferido, assegurado ao candidato o direito de
recurso previsto no item 8.1, alínea "a" deste Edital.
3.4.10. A partir de 09 de outubro de 2015, o resultado da análise do requerimento de isenção
do pagamento do valor de inscrição será comunicado por meio dos sites www.hc.ufmg.br e
www.hrtn.ufmg.br e no endereço eletrônico www.gestaodeconcursos.com.br, onde constará
listagem dos candidatos por nome em ordem alfabética, número do documento de identidade
e apresentando a informação sobre deferimento ou indeferimento da isenção, para consulta
pessoal.
3.4.11 O candidato que tiver sua solicitação de isenção deferida terá sua inscrição efetivada
automaticamente no processo seletivo.
3.4.12 Os candidatos que tiverem seus pedidos de isenção do pagamento do valor de inscrição
indeferidos e que mantiverem interesse em participar do certame deverão efetuar sua
inscrição, observando os procedimentos previstos no item 5.2 deste Edital.
3.4.15 Constatada a irregularidade da inscrição, a inclusão do candidato será automaticamente
cancelada, considerados nulos todos os atos dela decorrentes.
4. PROCEDIMENTOS PARA SOLICITAÇÃO DE CONDIÇÕES ESPECIAIS PARA REALIZAÇÃO DE
PROVAS
4.1. Condições especiais de realização das provas poderão ser requeridas tanto para pessoas
com deficiência quanto para pessoas que, em razão de alguma limitação temporária, tenham
necessidade.
4.2. O candidato poderá requerer, no ato da inscrição ou no momento do pedido de isenção
do valor de inscrição, atendimento especial para o dia de realização das provas, indicando as
condições de que necessita para a realização destas.
4.2.1. A realização de provas nas condições especiais solicitadas pelo candidato, assim
consideradas aquelas que possibilitam a prestação do exame respectivo, será condicionada à
solicitação do candidato e à legislação específica, devendo ser observada a possibilidade
técnica examinada pela FUNDEP.
4.2.2. A FUNDEP assegurará aos candidatos com deficiência locais de fácil acesso, sem
barreiras arquitetônicas e, quando for o caso, pessoas, equipamentos e instrumentos para
auxílio durante a realização das provas.
4.2.3. O candidato com deficiência deverá requerer condições especiais (ledor, intérprete de
libras, prova ampliada, auxílio para transcrição ou sala de mais fácil acesso). Caso não o faça,
sejam quais forem os motivos alegados, fica sob sua exclusiva responsabilidade a opção de
realizar ou não a prova sem as condições especiais não solicitadas.
4.2.4. O candidato que necessitar de condições especiais para escrever deverá indicar sua
condição, informando, na solicitação, que necessita de auxílio para transcrição das respostas.
Neste caso, o candidato terá o auxílio de um fiscal, não podendo o HRTN e a FUNDEP ser
responsabilizados, sob qualquer alegação por parte do candidato, por eventuais erros de
transcrição cometidos pelo fiscal.
4.3. O candidato que solicitar condições especiais para realização de prova deverá assinalar, na
Ficha Eletrônica de Isenção ou no Requerimento Eletrônico de Inscrição, nos respectivos
prazos, a condição especial de que necessitar para a realização da prova, quando houver.
4.3.1 Para solicitar condições especiais, o candidato também deverá encaminhar até o último
dia de inscrição, via Sedex ou correspondência com registro de Aviso de Recebimento (AR), o

11

Laudo Médico original ou cópia autenticada expedido no prazo máximo de até 12 (doze) meses
da data do término das inscrições, que comprove a necessidade especial ora requisitada,
atestando a espécie e o grau ou nível da doença, deficiência ou situação, com expressa
referência ao código correspondente da Classificação Internacional de Doença ­ CID.
4.3.2 O Laudo Médico deverá ser entregue em envelope fechado, preferencialmente em
tamanho ofício, contendo na parte externa e frontal do envelope os seguintes dados:
PROCESSO SELETIVO DA RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL UNIFICADA DO HC E DO HRTN
- EDITAL 001 / 2016
REFERÊNCIA: CONDIÇÃO ESPECIAL PARA REALIZAÇÃO DA PROVA
NOME COMPLETO DO CANDIDATO
NÚMERO DE INSCRIÇÃO
VAGA A QUAL CONCORRE
4.3.3 O Laudo Médico deverá ser entregue, diretamente pelo candidato ou por terceiro das
seguintes formas:
a) Na Gerência de Concursos da FUNDEP, situada na Av. Presidente Antônio Carlos, n° 6.627,
Unidade Administrativa II, 3º andar, Campus Pampulha da UFMG, em Belo Horizonte/MG
(acesso pela Av. Antônio Abraão Caram, Portão 2), no horário das 9h às 11h30min ou das
13h30min às 16h30min (exceto sábados, domingos e feriados).
b) Via SEDEX ou AR, postado nas Agências dos Correios, com custo por conta do candidato,
endereçado à Gerência de Concursos da FUNDEP, Av. Presidente Antônio Carlos, n° 6.627,
Unidade Administrativa II, 3º andar, Campus Pampulha da UFMG, em Belo Horizonte/MG
Caixa Postal 6985 CEP: 30.120- 972. Nesse caso, para a validade do pedido, a data da postagem
deverá obedecer ao prazo estabelecido no item 6.9, deste Edital.
4.3.4 O HC, o HRTN e a FUNDEP não se responsabilizam pelo extravio ou atraso dos
documentos encaminhados via Sedex ou AR.
4.4. O candidato que eventualmente não proceder conforme disposto no item 4.3 deste Edital,
não indicando nos formulários a condição especial de que necessita, poderá fazê-lo por meio
de requerimento de próprio punho, datado e assinado, devendo este ser enviado à FUNDEP
até o término das inscrições, nas formas previstas no item 4.9, deste Edital.
4.5. O candidato que necessitar de tempo adicional para a realização das provas deverá
encaminhar requerimento por escrito, datado e assinado, acompanhado de parecer emitido
por especialista da área de sua deficiência, que justificará a necessidade do tempo adicional
solicitado pelo candidato, nos termos do § 2º do art. 40, do Decreto Federal n° 3.298/1999 e
alterações, até o término do período das inscrições.
4.6. Às pessoas com deficiência visual que solicitarem prova especial em Braile serão
oferecidas provas nesse sistema.
4.7. Às pessoas com deficiência visual que solicitarem prova especial ampliada serão
oferecidas provas com tamanho de letra correspondente a corpo 24.
4.8. Às pessoas com deficiência auditiva que solicitarem condições especiais serão oferecidos
intérpretes de libras para tradução das informações e/ou orientações para realização da prova.
4.9. A critério médico devidamente comprovado, através de laudo médico, o candidato que
não estiver concorrendo às vagas reservadas as pessoas com deficiência e que por alguma
razão necessitar de atendimento especial para a realização das provas deverá apresentar à
FUNDEP, em até 07 (sete) dias úteis anteriores à data da Prova, requerimento de próprio
punho, datado e assinado, indicando as condições de que necessita para a realização das
provas e as razões de sua solicitação, e enviá-lo à FUNDEP, acompanhado do respectivo laudo

12

médico. A concessão do atendimento especial fica condicionada à possibilidade técnica
examinada pela FUNDEP.
4.10. A candidata lactante que necessitar amamentar durante a realização da prova poderá
fazê-lo, desde que assim o requeira conforme o disposto no item 4.10.1 deste Edital.
4.10.1. A solicitação deverá ser feita em até 07 (sete) dias úteis antes da data de realização da
prova, por meio de requerimento, datado e assinado, entregue pessoalmente ou por terceiro,
ou enviado, via FAX (31) 3409-6826 ou e-mail [email protected] à Gerência de
Concursos da FUNDEP, situada na Avenida Presidente Antônio Carlos, n° 6.627 ­ Unidade
Administrativa II, 3º andar, Campus Pampulha/UFMG, Belo Horizonte/MG, (acesso pela
Avenida Antônio Abrahão Caram ­ Portão 2) das 9h às 11h30min ou das 13h30min às
16h30min (horário de Brasília), exceto sábados, domingos e feriados.
4.10.2. A candidata que não apresentar a solicitação no prazo estabelecido no item 4.10.1
deste Edital, seja qual for o motivo alegado, poderá não ter a solicitação atendida por questões
de não adequação das instalações físicas do local de realização das provas.
4.10.3. Na hipótese de não cumprimento do prazo estipulado no item 4.10.1 deste Edital, o
atendimento às condições solicitadas ficará sujeito à análise de viabilidade e razoabilidade do
pedido pela FUNDEP.
4.10.4. Não haverá compensação do tempo de amamentação em favor da candidata lactante.
4.10.5. Para amamentação, a criança deverá permanecer no ambiente a ser determinado pela
coordenação local deste processo seletivo.
4.10.6. A criança deverá estar acompanhada somente de um adulto responsável por sua
guarda (familiar ou terceiro indicado pela candidata), e a permanência temporária desse
adulto, em local apropriado, será autorizada pela Coordenação deste processo seletivo.
4.10.7. A candidata lactante, durante o período de amamentação, será acompanhada de um
Fiscal, do sexo feminino, da FUNDEP que garantirá que sua conduta esteja de acordo com os
termos e condições deste Edital.
4.10.8. Nos momentos necessários a amamentação, a candidata lactante poderá ausentar-se
temporariamente da sala de prova, acompanhada de uma fiscal.
4.10.9. A amamentação dar-se-á nos momentos em que se fizerem necessários e na sala
reservada para amamentação ficarão somente a candidata lactante, a criança e uma fiscal,
sendo vedada a permanência de babás ou quaisquer outras pessoas que tenham grau de
parentesco ou de amizade com a candidata.
4.10.10. A FUNDEP não disponibilizará acompanhante para guarda de criança, devendo a
candidata lactante levar acompanhante para tanto, sob pena de não poder realizar as provas.
5. DA COMPROVAÇÃO DE INSCRIÇÃO
5.1. A FUNDEP divulgará no endereço eletrônico www.gestaodeconcursos.com.br, para
consulta e impressão pelo próprio candidato, até 5 (cinco) dias antes da data de realização das
provas, o Comprovante Definitivo de Inscrição (CDI), que conterá a data, o horário e local de
realização das provas.
5.2. É de inteira responsabilidade do candidato consultar no endereço eletrônico
www.gestaodeconcursos.com.br as informações relativas ao horário e local da prova.
5.3. No Comprovante Definitivo de Inscrição ­ CDI, constarão expressamente o nome
completo do candidato, o número de inscrição, a vaga para o qual concorre, número do
documento de identidade, data de nascimento, a data, o horário, o local de realização das
provas (escola/prédio/sala) e outras orientações úteis ao candidato.
13

5.4. É obrigação do candidato conferir no CDI seu nome, o número do documento utilizado na
inscrição, a sigla do órgão expedidor, bem como a data de nascimento.
5.5. Eventuais erros de digitação ocorridos no nome do candidato, no número do documento
de identidade utilizado na inscrição, na sigla do órgão expedidor ou na data de nascimento
deverão, obrigatoriamente, ser comunicados pelo candidato à Gerência de Concursos da
FUNDEP por meio de atendimento presencial n balcão da Gerência de Concursos ou do Chefe
de Prédio, no dia, no horário e no local de realização das provas, apresentando a Carteira de
Identidade, o que será anotado em formulário específico, em duas vias: uma para o candidato
e outra para FUNDEP.
5.6. O candidato que não solicitar a correção da data de nascimento, até o dia da realização
das provas, não poderá alegar posteriormente essa condição para reivindicar a prerrogativa
legal.
6 DA SELEÇÃO
O processo seletivo será realizado em duas etapas, sendo a primeira etapa composta por
prova de conhecimentos gerais em saúde pública e específica por área profissional escolhida
pelo candidato, com valor de 70 (setenta) pontos; e a segunda etapa por análise curricular com
valor de 30 (trinta) pontos.
6.1. Primeira Etapa: Valor 70 (setenta) pontos
Composta por prova de conhecimentos gerais em saúde pública com 10 (dez) questões
objetivas (múltipla escolha) que deverão ser respondidas por todos os candidatos e 40
(quarenta) questões objetivas envolvendo a área profissional escolhida pelo candidato.
6.1.1 Cada questão de conhecimento geral em saúde pública e cada questão da área
profissional do candidato valerão 1,4 (um vírgula quatro pontos).
6.1.2 As provas das áreas profissionais serão iguais independente da área de concentração ou
hospital ao qual concorre.
6.1.3 Somente os candidatos que obtiverem pelo menos 50% (cinquenta por cento) dos pontos
em cada conteúdo da prova em relação ao candidato com a maior nota no processo seletivo,
serão considerados aprovados na primeira etapa, sendo a classificação para a segunda etapa
baseada na nota obtida pelo candidato e nos critérios de seleção abaixo elencados:
6.1.3.1 Para cada 01 (uma) vaga de cada segundo a área profissional conforme apresentado no
item 2.2 serão selecionados até 04 (quatro) candidatos por vaga para próxima etapa.
6.1.4. Em caso de empate entre as notas dos últimos candidatos devidamente classificados e
selecionados para a segunda etapa serão também selecionados os demais candidatos
aprovados que obtiveram notas iguais às daqueles empatados, respeitados, para tanto, todos
os critérios de classificação e seleção dispostos neste Edital.
6.1.5. Ocorrendo desistência por parte de candidatos classificados sem que haja excedentes,
em caso de vagas remanescentes, poderão ser convocados os demais candidatos aprovados e
que não foram classificados na Primeira Etapa, para fins de realização da Segunda Etapa do
processo seletivo, conforme orientação do item 7.2. As convocações serão em grupos de até
10 (dez) candidatos na ordem decrescente das notas, passando os candidatos aprovados a
compor nova lista de classificados excedentes daquele programa.
6.1.6. A convocação será realizada via e-mail e a data para essa apresentação do candidato
será divulgada no site www.gestaodeconcursos.com.br.

14

6.2. Segunda Etapa: Valor 30 (trinta) pontos
6.2.1. Da entrega do Curriculum Vitae.
6.2.1.1. Os candidatos convocados para a Segunda Etapa (análise de currículo) deverão
entregar na Gestão de Concursos da FUNDEP, situada na Avenida Presidente Antônio Carlos, n°
6.627 ­ Unidade Administrativa II, 3º andar, Campus Pampulha/UFMG, Belo Horizonte/MG,
(acesso pela Avenida Antônio Abrahão Caram ­ Portão 2) das 9h às 11h30min ou das
13h30min às 16h30min, cópias legíveis dos seguintes documentos:
Identidade;
CPF e,
Curriculum Vitae, com os devidos comprovantes.
6.2.1.2. Caso o candidato não apresente os documentos acima relacionados será excluído do
processo seletivo.
6.2.1.3. No caso de graduado no exterior, deverá enviar junto com os documentos
mencionados acima, documentação que comprove revalidação, sob pena de exclusão para a
segunda etapa do processo seletivo.
6.2.1.4. O candidato deverá apresentar cópia dos comprovantes dos itens declarados no
currículo, cujos respectivos originais devem estar em papel timbrado da instituição de origem
e assinados pela autoridade competente, quando assim o for exigido para sua validade. Os
comprovantes deverão ser ordenados na sequência de sua citação no texto do Currículo. As
cópias dos comprovantes deverão ser entregues grampeadas ou encadernadas, não sendo
aceitas de outra forma.
6.2.1.5. Os comprovantes serão apresentados para conferência em folhas numeradas e
rubricadas pelo candidato ou seu procurador, devendo tais documentos ser entregues ao
funcionário responsável sob recibo.
6.2.1.6. Os currículos poderão ser enviados por SEDEX, obedecendo ao item 6.2.1.1, com data
de postagem até o dia 19/01/2016 à Gerência de Concursos da FUNDEP, situada na Avenida
Presidente Antônio Carlos, n° 6.627 ­ Unidade Administrativa II, 3º andar, Campus
Pampulha/UFMG, Belo Horizonte/MG, (acesso pela Avenida Antônio Abrahão Caram ­ Portão
2) das 9h às 11h30min ou das 13h30min às 16h30min.
6.2.1.7. Só será analisado o Curriculum Vitae do candidato aprovado na primeira etapa e
classificado para a Segunda Etapa do processo seletivo, ressalvados, entretanto, o disposto nos
itens 6.1.4. e 6.1.5. desse Edital.
6.2.1.8. A análise de Curriculum Vitae terá valor máximo de 30 (trinta) pontos.
6.2.1.9. Em nenhuma hipótese poderá ser acrescido qualquer documento ao Currículo após o
dia 19/01/2016, prazo final para entrega do mesmo.
6.2.1.10. O candidato que não entregar o currículo até o dia 19/01/2016, ou o fizer em
desacordo com os itens 6.2.1.1, 6.2.1.3, 6.2.1.4 e 6.2.1.5 ou apresentar qualquer comprovante
falso, estará automaticamente eliminado do processo seletivo sendo atribuída nota zero ao
mesmo.
6.2.2. Da análise e pontuação do Curriculum Vitae.
6.2.2.1. Na análise de Currículo serão computados:
6.2.2.1.1. Atividades Curriculares nos últimos 5 anos:
a) Estágios de formação profissional complementar ou curriculares não obrigatórios em
instituições de saúde pública e/ou privada realizados durante a graduação;

15

b) Participação em projetos de extensão universitária, projetos de iniciação científica,
programa de educação tutorial e programa de monitoria;
c) Produção científica, incluindo artigos científicos publicados, trabalhos apresentados em
eventos científicos e publicações em anais;
d) Formação acadêmica;
e) Titulação.
6.2.2.1.2 A pontuação máxima do item "Estágios" será de 20 pontos, obtida através de
declarações de estágio de formação profissional complementar ou curricular não obrigatório
durante a graduação, em instituições públicas e/ou privadas de saúde, emitidas em
documento em papel timbrado da instituição sediadora do estágio, assinado pelo responsável
pelo estágio ou pela gestão acadêmica, onde conste a carga horária do estágio ou a carga
horária semanal e período de duração do estágio, de acordo com a tabela abaixo:

TIPO DE ESTÁGIO
Estágio de formação profissional
complementar ou curricular não
obrigatório em instituições de saúde
pública e/ou privada

CARGA HORÁRIA

PONTOS

90 a 120 horas

5 cada estágio

120 a 250 horas

10 cada estágio

Acima de 250 horas

20 cada estágio

a) Estágio de formação profissional complementar ou curricular não obrigatório com carga
horária total inferior a 90 horas não será pontuado.
b) Estágios curriculares obrigatórios não serão pontuados.
c) Só serão considerados para fins de pontuação estágios relacionados com a área profissional
(Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Nutrição, Psicologia, Terapia
Ocupacional) do candidato, seja para Residência Multiprofissional em Saúde do Idoso ou
Residência Multiprofissional em Saúde Cardiovascular ou da área profissional da Enfermagem
para a Residência em Intensivismo, Urgência e Trauma..
d) Caso a pontuação do candidato nesse item ultrapasse os 20 pontos, o excedente não será
computado.
6.2.2.1.3 A pontuação máxima do item "Participação em Projetos de Extensão Universitária,
Projetos de Iniciação Científica e Monitorias", será de 20 pontos, comprovada através de
declarações de Instituições de Ensino Superior, reconhecidas pelo MEC, emitidas em
documento em papel timbrado da instituição, assinado pelo responsável devidamente
identificado, onde conste o período de participação do candidato no projeto.
A pontuação segue a tabela abaixo:
TIPO DE PARTICIPAÇÃO EM
PROJETOS ACADÊMICOS
Projetos de Extensão
Universitária, Iniciação científica,
e/ou Monitoria com o mínimo de
12 horas semanais.

DURAÇÃO

PONTOS

3 a 6 meses

5 cada projeto

6 a 12 meses

10 cada projeto

13 a 18 meses

15 cada projeto

19 a 24 meses

20 cada projeto

16

a) Participação em Projetos de Extensão Universitária, Iniciação Científica, e/ou Monitoria
com duração inferior a 3 meses ou com menos que o mínimo de 12 horas semanais não será
pontuada.
b) Só serão considerados para fins de pontuação projetos acadêmicos relacionados com a
área profissional do candidato.
c) Caso o candidato obtenha pontuação neste item maior que 20 pontos, o excedente não
será computado.
6.2.2.1.4 A pontuação máxima do item "Produção Científica" será de 20 pontos, obtida por
cópia dos artigos científicos publicados, com identificação legível da revista e dos autores ou
declaração de aceite, dos certificados de apresentação de trabalhos em eventos científicos, ou
ainda, cópia dos resumos dos trabalhos científicos apresentados em eventos científicos
publicados em anais.
6.2.2.1.5 Os trabalhos apresentados em congressos ou em jornadas científicas, em autoria ou
co-autoria, terão a seguinte pontuação:
TIPO DE PRODUÇÃO CIENTÍFICA

PONTOS

Artigos publicados em revistas científicas indexadas na área

10 cada

Trabalhos completos publicados em anais de eventos
científicos ou em revistas científicas e/ou livro ou capítulo de
livro em livro com ISBN

8,0 cada

Trabalhos técnicos em saúde ou manuais em saúde

6,0 cada

Resumos publicados em anais de eventos científicos ou em
revistas científicas

4,0 cada

a) Um mesmo trabalho será pontuado uma única vez, considerando a maior pontuação.
b) Só será considerada para fins de pontuação a produção científica relacionada com a área do
candidato.
c) Caso o candidato obtenha pontuação neste item maior que 20 pontos, o excedente não
será computado.
6.2.2.1.6 A pontuação máxima do item "Formação Acadêmica" será de 20 pontos, obtida por
cópia de certificados, e terá a seguinte pontuação:
TIPO DE PARTICIPAÇÃO EM
ATIVIDADES ACADÊMICAS
COMPLEMENTARES
Curso de curta duração (mínimo de 4
horas)
Curso de Atualização (mínimo de 30
horas)

PONTUAÇÃO

MÁXIMO DE PONTOS

0,5 ponto por curso

10

2 pontos por curso

10

Curso de Aperfeiçoamento (mínimo
de 180 horas)

5 pontos por curso

10

Participação em evento científico
(congressos, simpósios e seminários)

1,0 pontos por
evento

10

17

a) Só serão considerados para fins de pontuação de formação acadêmica, cursos relacionados
com a área profissional do candidato.
b) Caso o candidato obtenha pontuação neste item maior que 20 pontos, o excedente não
será computado.
6.2.2.1.7 A pontuação máxima do item "Titulação" será de 20 pontos, obtida por cópia de
certificados, e terá a seguinte pontuação:

TITULAÇÃO

PONTOS

Graduação
Graduado até 2 anos
Graduado a mais de 2 anos

20
5

Especialização Lato Sensu Modalidade Tradicional

1

Especialização Lato Sensu Modalidade Residência

0,2

Mestrado

2

Doutorado

3

a) Só será considerada para fins de pontuação a titulação relacionada com a área profissional
do candidato.
6.2.2.1.8 A pontuação parcial da análise dos Currículos será obtida através da soma aritmética
da pontuação nos itens avaliados em uma escala de 0 a 100 pontos. A pontuação final do
Curriculum vitae será proporcionalmente calculada relativa ao valor de 30 (trinta) pontos.
6.3 Das condições de realização das Provas:
6.3.1. As provas serão aplicadas na cidade de Belo Horizonte, no dia 29 de novembro de 2015.
6.3.2. Não haverá segunda chamada para as provas, sendo eliminado deste processo seletivo o
candidato ausente por qualquer motivo.
6.3.3. A duração de realização da Prova Objetiva será de 4 (quatro) horas.
6.3.4. Não haverá prorrogação do tempo de duração das provas, salvo nas hipóteses previstas
no item 4.5.
6.3.5. Durante o período de sigilo não será permitido ao candidato se ausentar em definitivo
da sala de provas antes de decorridas 1 (uma) hora do início das provas.
6.3.6. O candidato não poderá levar o caderno de provas. Ele estará disponível no site
www.gestaodeconcursos.com.br no período de recursos contra as questões da Prova Objetiva
e Gabarito.
6.3.7. O candidato não poderá fazer anotação de questões ou informações relativas às suas
respostas no Comprovante Definitivo de Inscrição (CDI) ou em quaisquer outros meios, que
não os permitidos nesse Edital e especificados na capa da prova.
6.3.8. O tempo de duração das provas abrange a distribuição das provas, assinatura da Folha
de Respostas, a transcrição das respostas do Caderno de Questões da Prova Objetiva para a
Folha de Respostas, suas assinaturas e respectivas conferências, devendo o candidato conferilo imediatamente após o a autorização para iniciar a prova. Caso não seja questionado
nenhum equívoco na sua Folha de Respostas e Caderno de Provas, durante os 15 minutos

18

iniciais do período de realização das provas, o candidato arcará com todos os prejuízos
advindos dele.
6.3.9. Não será permitido ao candidato prestar provas fora da data, do horário estabelecido ou
do espaço físico determinado pela FUNDEP.
6.3.10. O ingresso do candidato na sala para a realização das provas somente será permitido
dentro do horário estabelecido pela FUNDEP, informado no CDI e divulgado na forma prevista
no Edital.
6.3.11. É de exclusiva responsabilidade do candidato, tomar ciência do trajeto até o local de
realização das provas, a fim de evitar eventuais atrasos, sendo aconselhável ao candidato
visitar o local de realização da prova com antecedência.
6.3.12. Recomenda-se aos candidatos comparecerem aos locais de prova 60 (sessenta)
minutos antes do horário previsto para o início da realização das provas, munidos
obrigatoriamente do original de documento de identidade oficial com foto, caneta
esferográfica azul ou preta, fabricada em material transparente, lápis preto e
preferencialmente do Comprovante Definitivo de Inscrição ­ CDI, ou do boleto original quitado
com comprovante de pagamento.
6.3.12.1. Os candidatos não poderão utilizar-se, em hipótese alguma de lapiseira, corretivos ou
outro material distinto do constante no item 6.3.11.
6.3.12.2. No caso de perda, roubo ou na falta do documento de identificação com o qual se
inscreveu neste processo seletivo, o candidato poderá apresentar outro documento de
identificação equivalente, conforme disposto no item 6.3.13 deste Edital.
6.3.13. Serão considerados documentos de identidade oficial: Cédula Oficial de Identidade
(RG), Carteira expedida por Órgão ou Conselho de Classe (COREN, CREFITO, CRP, etc.), Carteira
de Trabalho e Previdência Social, Certificado de Reservista com foto, Carteira de Motorista com
foto e Passaporte, válidos.
6.3.14. O documento de identificação deverá estar em perfeita condição a fim de permitir, com
clareza, a identificação do candidato e deverá conter, obrigatoriamente, filiação, fotografia,
data de nascimento e assinatura.
6.3.15. Não será realizada a identificação digital do candidato que não estiver portando
documentos de identidade ou documento com prazo de validade vencido, ilegíveis, não
identificáveis e/ou danificados.
6.3.16. O candidato que não apresentar documento de identidade oficial conforme descrito no
item 9.5.13 deste edital não poderá fazer a prova.
6.3.17. O candidato deverá apor sua assinatura na lista de presença de acordo com aquela
constante no seu documento de identidade apresentado.
6.3.18. Depois de identificado e instalado, o candidato somente poderá deixar a sala mediante
consentimento prévio, acompanhado de um fiscal ou sob a fiscalização da equipe de aplicação
de provas.
6.3.18.1. Após identificação para entrada e acomodação na sala, será permitido ao candidato
ausentar-se da sala exclusivamente nos casos de alteração psicológica e/ou fisiológica
temporária de necessidade extrema antes do início da prova, desde que acompanhado de um
Fiscal. O candidato que, por qualquer motivo, não retornar a sala será automaticamente
eliminado do certame.
6.3.18.2. Por medida de segurança os candidatos deverão deixar as orelhas totalmente
descobertas, à observação dos fiscais de sala, durante todo o período de realização das provas.

19

6.3.19. Não será permitida, nos locais de realização das provas, a entrada e/ou permanência de
pessoas não autorizadas pela FUNDEP, salvo o previsto no item 5.10.6 deste Edital.
6.3.20. A inviolabilidade dos malotes das provas será comprovada no momento do rompimento
de seus lacres, mediante termo formal, na presença de, no mínimo, dois candidatos convidados
aleatoriamente nos locais de realização das provas.
6.3.21. Será proibido, durante a realização das provas, fazer uso ou portar, mesmo que
desligados, telefone celular, relógios, pagers, beep, agenda eletrônica, calculadora, walkman,
notebook, palmtop, tablet, gravador, transmissor/receptor de mensagens de qualquer tipo ou
qualquer outro equipamento eletrônico, podendo a organização deste processo seletivo vetar
o ingresso do candidato com outros aparelhos além dos anteriormente citados.
6.3.22. O candidato deverá levar somente os objetos citados no item 6.3.11 deste Edital. Caso
assim não proceda, os pertences pessoais serão deixados em local indicado pelos aplicadores
durante todo o período de permanência dos candidatos no local da prova, não se
responsabilizando o HC, o HRTN e a FUNDEP por perdas, extravios ou danos que
eventualmente ocorrerem.
6.3.23. Os objetos ou documentos perdidos durante a realização das provas, que porventura
venham a ser entregues à FUNDEP, serão guardados pelo prazo de 90 (noventa) dias e
encaminhados posteriormente à:
a) Seção de achados e perdidos dos Correios, se tratando de documentos.
b) Instituições assistencialistas, se tratando de objetos.
6.3.24. Durante o período de realização das provas, não será permitida qualquer espécie de
consulta ou comunicação entre os candidatos ou entre estes e pessoas estranhas, oralmente ou
por escrito, assim como não será permitido o uso de livros, códigos, manuais, impressos,
anotações ou quaisquer outros meios.
6.3.25. Durante o período de realização das provas, não será permitido também o uso de
óculos escuros, boné, chapéu, gorro, lenço ou similares.
6.3.26. Será vedado ao candidato o porte de arma no local de realização das provas, ainda que
de posse de documento oficial de licença para o respectivo porte.
6.3.27. As instruções constantes nos Caderno de Questões e na Folha de Resposta da Prova,
bem como as orientações e instruções expedidas pela FUNDEP durante a realização das provas,
complementam este Edital e deverão ser rigorosamente observadas e seguidas pelo candidato.
6.3.28. Findo o horário limite para a realização das provas, o candidato deverá entregar as
folhas de resposta da prova, devidamente preenchidas e assinadas, ao Aplicador de Sala.
6.3.29. O candidato poderá ser submetido a detector de metais durante a realização das
provas.
6.3.30. Será eliminado deste processo seletivo, o candidato que se apresentar após o
fechamento dos portões.
6.3.31. Poderá, ainda, ser eliminado o candidato que:
a) Tratar com falta de urbanidade os examinadores, auxiliares, aplicadores ou autoridades
presentes.
b) Estabelecer comunicação com outros candidatos ou com pessoas estranhas a este processo
seletivo, por qualquer meio.
c) Usar de meios ilícitos para obter vantagem para si ou para outros.
d) Portar arma no local de realização das provas, ainda que de posse de documento oficial de
licença para o respectivo porte.
20

e) Portar, mesmo que desligados ou fizer uso, durante o período de realização das provas,
quaisquer equipamentos eletrônicos como relógios, calculadora, walkman, notebook, palmtop, tablet, agenda eletrônica, gravador ou outros similares, ou instrumentos de comunicação
interna ou externa, tais como telefone celular, beep, pager entre outros.
f) Fizer uso de livros, manuais, impressos e anotações.
g) Deixar de atender as normas contidas no Caderno de Questões e na Folha de Respostas da
Prova e demais orientações e instruções expedidas pela FUNDEP, durante a realização das
provas.
h) Se recusar a submeter-se a detector de metais e não apresentar documento de
identificação, conforme especificado no item 6.3.13 e ainda se estes estiverem com prazos de
validade vencidos, ilegíveis, não identificáveis e/ou danificados.
i) Deixar de entregar a Folha de Resposta da Prova Objetiva ou entregá-la com marcação
diferente das instruções contidas no Caderno de Questões ou sem assinatura no local
reservado para assinatura.
6.3.32. Caso ocorra alguma situação prevista no item 6.3.31 deste Edital, a FUNDEP lavrará
ocorrência e, em seguida, encaminhará o referido documento à Comissão do processo seletivo
do HC e HRTN, a fim de que sejam tomadas as providências cabíveis, ouvida a FUNDEP no que
lhe couber.
6.3.33. Ao término do prazo estabelecido para a prova, os três últimos candidatos deverão
permanecer na sala até que o último candidato termine sua prova, devendo todos assinar a Ata
de Sala atestando a idoneidade da fiscalização das provas, retirando-se da sala de realização
das provas todos de uma só vez.
6.3.34. O candidato não poderá amassar, molhar, dobrar, rasgar ou, de qualquer modo,
danificar sua Folha de Respostas da Prova Objetiva, sob pena de arcar com os prejuízos
advindos da impossibilidade de sua correção.
6.3.35. Não haverá substituição da Folha de Respostas da Prova Objetiva por erro do candidato.
6.3.36. Na correção da Folha de Respostas, serão computadas como erros as questões não
assinaladas, as que contiverem mais de uma resposta e as rasuradas.
6.3.37. Será considerada nula a Folha de Respostas da Prova Objetiva que estiver marcada ou
escrita, respectivamente, a lápis, bem como contendo qualquer forma de identificação ou sinal
distintivo (nome, pseudônimo, símbolo, data, local, desenhos ou formas) produzido pelo
candidato fora do lugar especificamente indicado para tal finalidade.
6.3.38. As questões da Prova e os Gabaritos das Provas Objetivas serão divulgados nos sites
www.hc.ufmg.br e www.hrtn.ufmg.br, e ainda divulgados no endereço eletrônico
www.gestaodeconcursos.com.br, no dia 30 de novembro de 2015.
6.3.39. Quando, após as provas, for constatado, por meio eletrônico, estatístico, visual ou
grafológico ou por investigação policial, ter o candidato utilizado meios ilícitos, sua prova será
anulada e ele será automaticamente eliminado deste processo seletivo.
7. DO RESULTADO FINAL
7.1 O resultado final do processo seletivo será divulgado no dia 15/02/2016 no site
www.hc.ufmg.br, www.hrtn.ufmg.br e www.gestaodeconcursos.com.br.
7.2 Em caso de empate na classificação final, os critérios de desempate serão: 1) maior nota na
primeira Etapa 2) maior nota nas questões específicas 3) menor tempo de conclusão da
graduação.

21

7.3 Será reservada vaga para o candidato APROVADO no Processo Seletivo da Residência
Multiprofissional convocado a prestar Serviço Militar em período coincidente com o da
respectiva Residência.
7.4 As vagas reservadas serão, no máximo, o número de vagas oferecidas pelo Programa. Para
o ano de 2015, o candidato com vaga reservada em 2014 deverá matricular-se no período
previsto pelo Edital do processo seletivo para 2015, implicando, a sua não realização no
período estipulado, em perda da vaga.
8. DOS RECURSOS
8.1. Caberá interposição de Recurso fundamentado à FUNDEP, no prazo de 02 (dois) dias úteis,
no horário das 09h00 min do primeiro dia até às 23h59min (horário de Brasília) do último dia,
ininterruptamente, contados do primeiro dia subsequente à data de publicação/divulgação do
ato, objeto do recurso, em todas as decisões proferidas e que tenham repercussão na esfera de
direitos dos candidatos, tais como nas seguintes situações:
a) Contra indeferimento do Pedido de Isenção do valor de Inscrição.
b) Contra indeferimento do pedido de condição especial para realização das provas.
c) Contra indeferimento da inscrição.
d) Contra o gabarito preliminar e o conteúdo das questões da prova objetiva.
e) Contra a nota (totalização de pontos) na Prova Objetiva.
f) Contra a nota da prova de Títulos e classificação processo seletivo.
8.1.1. No caso de indeferimento da inscrição, item 8.1 alínea "c", além de proceder conforme
disposto no item 8.2, o candidato deverá, obrigatoriamente, enviar por meio do fax (31) 34096826, e-mail [email protected] ou pessoalmente na FUNDEP, no endereço citado no
item 8.11.a, cópia legível do comprovante de pagamento do valor da inscrição, com
autenticação bancária, bem como de toda a documentação e das informações que o candidato
julgar necessárias à comprovação da regularidade de sua inscrição.
8.1.2. Para interposição de recurso mencionado na alínea "f", o candidato terá vista ao
Formulário de Avaliação de Títulos através de arquivo digitalizado, no período recursal,
disponibilizado exclusivamente para esta finalidade no endereço eletrônico
www.gestaodeconcursos.com.br, na Área do Candidato.
8.2. Os recursos mencionados no item 8.1 deste Edital deverão ser encaminhados via internet
pelo endereço eletrônico www.gestaodeconcursos.com.br, por meio do link correspondente a
cada fase recursal, conforme discriminado no item 8.1, que estará disponível das 09h00min do
primeiro dia recursal às 23h59min do segundo dia recursal (horário de Brasília).
8.3. Os recursos devem seguir as determinações constantes no endereço eletrônico
www.gestaodeconcursos.com.br e:
a) Não conter qualquer identificação do candidato no corpo do recurso.
b) Serem elaborados com argumentação lógica, consistente e acrescidos de indicação da
bibliografia pesquisada pelo candidato para fundamentar seus questionamentos.
c) Apresentar a fundamentação referente apenas à questão previamente selecionada para
recurso.
d) Indicar corretamente o número da questão e as alternativas a que se refere o recurso.
8.4. Para situação mencionada no item 8.1, alínea "d" deste Edital, será admitido um único
recurso por questão para cada candidato, devidamente fundamentado.

22

8.5. Não serão aceitos recursos coletivos.
8.6. Serão indeferidos os recursos que:
a) Não estiverem devidamente fundamentados.
b) Não apresentarem argumentações lógicas e consistentes.
c) Forem encaminhados via fax, telegrama, ou via internet fora do endereço eletrônico/ link
definido no item 8.2, com exceção a situação prevista no item 8.1.1.
d) Forem interpostos em desacordo com o prazo conforme estabelecido no item 8.1.
e) Apresentarem no corpo da fundamentação outras questões que não a selecionada para
recurso.
8.7. Após a submissão do recurso, não será permitido editá-lo ou excluí-lo.
8.8. Não serão deferidos os recursos a que se refere o item 8.1 que não atenderem às formas e
aos prazos determinados neste Edital.
8.8.1. Não serão considerados requerimentos, reclamações, notificações extrajudiciais ou
quaisquer outros instrumentos similares cujo teor seja objeto de recurso apontado no item 8.1
deste Edital.
8.9. A decisão relativa ao deferimento ou indeferimento dos recursos será comunicada por
meio do site www.hc.ufmg.br, www.hrtn.ufmg.br, e ainda no endereço eletrônico
www.gestaodeconcursos.com.br.
8.10. Após a divulgação oficial de que trata o item 8.9 deste Edital, a fundamentação objetiva
da decisão da banca examinadora sobre o recurso ficará disponível para consulta
individualizada do candidato no endereço eletrônico www.gestaodeconcursos.com.br, na "Área
do Candidato", no item "Meus Recursos", até o encerramento deste processo seletivo.
8.11. A decisão de que trata o item 8.9 deste Edital terá caráter terminativo e não será objeto
de reexame.
8.12. Os pontos relativos a questões eventualmente anuladas serão atribuídos a todos os
candidatos que fizeram a prova e não obtiveram pontuação nas referidas questões conforme o
primeiro gabarito oficial, independentemente de interposição de recursos. Os candidatos que
haviam recebido pontos nas questões anuladas, após os recursos, terão esses pontos mantidos
sem receber pontuação a mais.
8.13. Alterado o gabarito oficial, de ofício ou por força de provimento de recurso, as provas
serão corrigidas de acordo com o novo gabarito.
8.14. Na ocorrência do disposto nos itens 8.12 e 8.13 deste Edital poderá haver alteração da
classificação inicial obtida para uma classificação superior ou inferior, ou, ainda, poderá ocorrer
à desclassificação do candidato que não obtiver a nota mínima exigida.
8.15. Não haverá reapreciação de recursos.
8.16. Não serão permitidas ao candidato a inclusão, a complementação, a suplementação e/ou
a substituição de documentos durante ou após os períodos recursais previstos neste Edital.
8.17. A banca examinadora constitui última instância para recurso, sendo soberana em suas
decisões, razão pela qual não caberão recursos adicionais.
8.18. Após análise dos recursos, será publicada a decisão no site www.hc.ufmg.br,
www.hrtn.ufmg.br, e no endereço eletrônico www.gestaodeconcursos.com.br.
8.18.1. Em caso de alteração do resultado, após análise dos recursos, será publicada a
reclassificação dos candidatos e a divulgação da nova lista de aprovados.

23

8.19. O resultado final deste processo seletivo será divulgado no site www.hc.ufmg.br,
www.hrtn.ufmg.br, e no endereço eletrônico www.gestaodeconcursos.com.br.
8.20. O HRTN e a FUNDEP não se responsabilizam, quando os motivos de ordem técnica não
lhe forem imputáveis, quando os recursos não forem recebidos por falhas de comunicação;
congestionamento das linhas de comunicação; problemas de ordem técnica nos computadores
utilizados pelos candidatos, bem como por outros fatores alheios que impossibilitem a
transferência dos dados.
9. MATRÍCULA
1ª CHAMADA PARA OS CANDIDATOS APROVADOS NAS VAGAS DO HOSPITAL DAS CLÍNICAS
Os candidatos aprovados deverão comparecer no Hospital das Clínicas da UFMG na Av. Alfredo
Balena, 110 (Secretaria da Comissão de Residência Integrada Multiprofissional em saúde COREMULT) Santa Efigênia, Belo Horizonte ­ MG nos dias 16 ou 17/02/2016, para realização
da matrícula e tomarem ciência das providências necessárias para inserção nos Programas de
Residência.
1ª CHAMADA PARA OS CANDIDATOS APROVADOS NAS VAGAS DO HRTN
Os candidatos aprovados deverão comparecer no HRTN da UFMG na Rua das Gabirobas, 01
(Centro de Estudos) Bairro Vila Clóris, Belo Horizonte ­ MG nos dias 16 ou 17/02/2016, para
realização da matrícula e tomarem ciência das providências necessárias para inserção nos
Programas de Residência.
9.1. Não é permitida ao candidato aprovado a realização de matrícula em mais de um
Programa de Residência.
9.2. Candidatos aprovados em mais de um Programa de Residência de instituições diferentes
das relacionadas neste edital deverão fazer a opção por apenas um deles até a data de
primeira chamada da matrícula nos dias 16 ou 17/02/2016. Ao efetivar sua matrícula no
Programa de Residência Multiprofissional, o candidato estará, automaticamente e em caráter
irrevogável, renunciando ao direito de integrar outro Programa de Residência nem que
eventualmente tenha sido aprovado e classificado.
9.3 Caso o candidato seja convocado pelo Programa de Residência Multiprofissional e esteja
matriculado em outro, deverá cancelar a matrícula no Programa que está cursando antes de se
matricular naquele para o qual foi convocado, sob pena de perder ambas as vagas.
9.4 Em caso de desistência serão divulgadas listas de convocação de excedentes via internet no
site www.hc.ufmg.br, www.hrtn.fundep.ufmg.br, seguindo a ordem decrescente de
classificação de cada programa, conforme o seguinte cronograma:
CHAMADA

Data da divulgação

Data da Matrícula

2ª CHAMADA

18/02/2016

19/02/2016

9.4.1 Após 19/02/2016, em caso de desistência, as convocações serão feitas, por e-mail e
telefone, sempre com prazo de um dia útil para os candidatos se apresentarem, após o qual
aqueles que não se manifestarem ou não forem localizados serão considerados desistentes. Os
contatos serão dirigidos ao endereço e telefones constantes na ficha de inscrição, sendo de
responsabilidade exclusiva do candidato a exatidão desses dados, assim como a atualização
dos mesmos junto à Secretaria da COREMULT do respectivo Hospital após as inscrições.

24

9.5. Caso haja desistência de algum candidato, mesmo que já tenha se iniciado o Programa,
poderá ser convocado o próximo candidato obedecendo à ordem de classificação, no período
máximo de 30 (trinta) dias após o início do programa, de acordo com o item 5.1.5.
9.5.1. Os residentes iniciarão suas atividades em 01/03/2016.
9.5.2. Para os candidatos não aprovados no processo seletivo os documentos utilizados na
inscrição e Curriculum Vitae estarão disponíveis para devolução no período de 14 a
18/03/2016, na secretaria da COREMULT do respectivo hospital. Ao final deste período, a
documentação será inutilizada, salvo se o candidato providenciar envelope endereçado e
pagamento das taxas postais para sua devolução via correio.
9.5.3. Para candidatos aprovados no processo seletivo para 2015 e com vaga reservada para
prestar serviço militar obrigatório, o prazo para confirmação de sua matrícula será até o dia
19/02/2016. Caso não seja realizada matrícula até essa data, o candidato perde o direito a
vaga sendo convocado, de acordo com a ordem de classificação do processo seletivo atual,
candidato excedente para preenchimento de sua vaga.
9.5.3.1. Será aceita matrícula por procuração desde que o documento tenha o reconhecimento
de firma em cartório.
9.5.4. Os profissionais matriculados no programa de Residência Multiprofissional terão o dia
19/02/2016, impreterivelmente, para apresentar junto à COREMULT HRTN/UFMG o registro
profissional do Conselho Regional de Minas Gerais de sua respectiva área profissional. Do
contrário, sua matrícula será cancelada e o candidato subseqüente convocado para a vaga,
respeitando-se a ordem de classificação do processo seletivo. Caso não esteja de posse do
mesmo nesta data, e não seja autorizado pelo Conselho para o exercício profissional, será
considerada nula a classificação do aprovado e será convocado o candidato subseqüente para
a vaga de acordo com a ordem de classificação.
9.6.

Só o RESULTADO FINAL divulgado confere direito ao candidato a efetuar a matrícula.

9.7.
Serão exigidos para a matrícula os seguintes documentos em cópia autenticada, exceto
as fotos:
a) 2 (duas) foto 3 x 4 recente;
b) Cédula de Identidade;
c) Certidão de Nascimento ou Casamento;
d) Comprovante de estar em dia com o Serviço Militar (candidatos masculinos, cópia
autenticada);
e) Carteira profissional no Conselho Regional de Minas Gerais, respectivo a sua área
profissional;
e.1) Será aceito provisoriamente o comprovante de inscrição no Conselho Regional de Minas
Gerais, devendo o candidato apresentar a carteira profissional no prazo máximo de 30
dias após a inscrição.
f)

Diploma de conclusão do Curso Superior, comprovando graduação em Enfermagem,
Farmácia, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Nutrição, Psicologia ou Terapia Ocupacional ou
declaração da Instituição de Ensino de que o candidato concluiu o curso de graduação;

g) CPF;
h) Número do PIS/PASEP e Número de Inscrição no INSS;
i)

Título de eleitor e comprovante de votação na última eleição; e

j)

Visto de permanência no Brasil para candidatos estrangeiros.

25

k) Comprovante de residência.
l)

Comprovante dos dados bancários em uma das instituições: Banco do Brasil, BANCOOB,
Caixa Econômica Federal, Itaú ou Santander.

10. DO INÍCIO DO PROGRAMA
O programa terá início no dia 01/03/2016.
11. DOS CASOS OMISSOS:
Os casos omissos serão resolvidos pela COREMULT HC/HRTN/UFMG/FUNDEP.
12. DAS DISPOSIÇÕES FINAIS
12.1. Os direitos dos candidatos assegurados pelo presente Edital prescrevem após 60 dias da
data de início do Programa de Residência Multiprofissional.
12.2. Incorporar-se-ão a este Edital, para todos os efeitos, quaisquer retificações, adendos
referentes ao processo seletivo para ingresso na Residência Multiprofissional em 2015 que
vierem a ser publicados tempestivamente pela COREMULT do HC/HRTN/UFMG/FUNDEP.
Belo Horizonte, 01 de outubro de 2015.

Profa. Luciana de Gouvêa Viana
Superintendente do HC/UFMG
Prof. Alexandre Rodrigues Ferreira
Gerente de Ensino e Pesquisa do HC/UFMG
Prof. Adriano Max M Reis
Coordenador da COREMULT HC/UFMG

Prof. Alfredo Gontijo de Oliveira
Presidente da FUNDEP
Prof. Henrique Oswaldo da Gama Torres
Diretor Geral do HRTN/UFMG
Prof. Ricardo Castanheira Pimenta Figueiredo
Coordenador do Núcleo de Ensino, Pesquisa e Extensão HRTN/UFMG
Profa. Gilberto Simeone
Coordenador da COREMULT HRTN/UFMG
26

27

ANEXO I ­ BIBLIOGRAFIA

SAÚDE PÚBLICA
1. BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção
Básica. Envelhecimento e saúde da pessoa idosa. Cadernos da Atenção Básica n. 19.
Ministério da Saúde: Brasília, 2007.
2. BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de
Vigilância Epidemiológica. Guia de Vigilância Epidemiológica. 7ª ed. Brasília: Ministério da
Saúde; 2007.
3. BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Análise
de Situação de Saúde. Uma análise da desigualdade em saúde. Brasília: Ministério da
Saúde, 2006. 605 p.
4. BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Análise
de Situação de Saúde. Saúde Brasil 2009: uma análise da situação de saúde e da agenda
nacional e internacional de prioridades em saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2010. 370
p.
5. BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Secretaria de Atenção à
Saúde. Política Nacional de Promoção da Saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2010. 60 p.
6. BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Vigilância em Saúde no
SUS: fortalecendo a capacidade de resposta aos velhos e novos desafios. Brasília:
Ministério da Saúde, 2006. 228 p.
7. BRASIL. Acolhimento e classificação de risco nos serviços de urgência / Ministério da saúde,
secretaria de atenção à saúde, Política nacional de Humanização da atenção e Gestão do
SUS. ­ Brasília: Ministério da saúde, 2009. 56 p.: il. color. ­ (série B. textos Básicos de
saúde).
8. BRASIL. Humaniza SUS: Documento base para gestores e trabalhadores do SUS / Ministério
da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Núcleo Técnico da Política Nacional de
Humanização. 4ª ed. ­ Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2008. 72 p.: il. color. (Série
B. Textos Básicos de Saúde).
9. BRASIL. Caderno de Textos: Cartilhas da Política Nacional de Humanização / Brasil.
Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Núcleo Técnico da Política Nacional
de Humanização. 2ª ed. 5ª reimp. ­ Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2010. 44 p.: il.
color. ­ (Série B. Textos Básicos de Saúde).
10. GIOVANELLA, L. S. et al (Org.). Políticas e Sistema de Saúde no Brasil. 1ª ed. Rio de Janeiro:
Editora Fiocruz; Centro Brasileiro de Estudos em Saúde, 2008. 1.112p.

28

ENFERMAGEM
1. AEHLERT, Bárbara. ACLS - Suporte Avançado de Vida em Cardiologia ­ Emergências em
Cardiologia. Rio de Janeiro: Elsevier, 2013.
2. BORGES, Eline Lima. Feridas: úlceras dos membros inferiores. Rio de Janeiro: Guanabara
Koogan, 2011.
3. BRAUNWALD. Tratado de Doenças Cardiovasculares ­ vol. 1. 9ª ed. Elsevier, 2010.
4. BRUNNER, Lilian Sholtis; SMELTZER, Suzzanne C.; SUDDARTH, Doris Smith; BARE, Brenda G.
Brunner & Suddarth: Tratado de enfermagem médico-cirúrgica. 12ª ed. Rio de Janeiro:
Guanabara Koogan, 2011. 2 v.
5. BARROS, Alba Lucia Bottura Leite de. Anamnese e exame físico: avaliação diagnóstica de
enfermagem no adulto. 2ª ed. Porto Alegre: Artmed, 2010. 440 p.
6. FALCÃO, C. A. et al. Condutas em Cardiologia. 1ª ed. Rio de Janeiro: Medbook, 2008.
7. GONÇALVES, L. H. T.; TOURINHO, F. S. Enfermagem no cuidado ao idoso hospitalizado. 1ª
ed. São Paulo: Manole, 2012. 407 p
8. GONZALEZ, M. M. et al. I Diretriz de Ressuscitação Cardiopulmonar e Cuidados
Cardiovasculares de Emergência da Sociedade Brasileira de Cardiologia. Arquivos
Brasileiros de Cardiologia. v. 101, n. 2, supl. 3, p. 1-221. 2013.
9. MORTON, P. G.; FONTAINE, D. K. Cuidados Críticos de Enfermagem: uma abordagem
holística. 9ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011.
10. MORTON, P. G.; FONTAINE, D. K. Fundamentos dos Cuidados Críticos em Enfermagem ­
Uma abordagem Holística. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2014.
11. QUILICI, Ana Paula; TIMERMAN, Sérgio. Suporte Básico de Vida: primeiro atendimento na
emergência para profissionais da saúde. Barueri/SP: Manole, 2011.
12. SOCIEDADE BRASILEIRA DE GERIATRIA E GERONTOLOGIA. Geriatria: Guia de Vacinação,
2014/15. Disponível em: .
13. SOCIEDADE BRASILEIRA DE GERIATRIA E GERONTOLOGIA. Vamos falar de cuidados
paliativos; 2015. Disponível em: .
14. TANNURE, Meire Chucre; GONÇALVES, Ana Maria Pinheiro. SAE: Sistematização da
Assistência de Enfermagem: guia prático. 2ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan: Ed.
LAB, 2010. 298 p.
15. VI Diretriz de Hipertensão Arterial, 2010. Disponível em:
. Acesso em: 10 mar. 2011.
16. WOLD, Gloria Hoffmann. Enfermagem gerontológica. 5ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2013.
396 p.

29

FARMÁCIA
1. ACÚRCIO, F. A. Medicamentos: políticas, assistência farmacêutica, farmacoepidemiologia e
farmacoeconomia. Belo Horizonte: Coopmed, 2013. 319 p.
2. ALLEN Jr ,LV.; POPOVICH, N G; ANSEL, H. C. Formas farmacêuticas e sistemas de liberação
de fármacos. 8ª ed. Porto Alegre: Artmed, 2007. 775 p.
3.

AMERICAN GERIATRICS SOCIETY 2012 BEERS CRITERIA UPDATE EXPERT PANEL. American
Geriatrics Society updated Beers Criteria for potentially inappropriate medication use in
older adults. J. Am. Geriatr. Soc. 2012, Apr;60(4):616-31.

4. BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção
Básica. Diretrizes do NASF ­ Núcleo de Apoio a Saúde da Família / (Cadernos de Atenção
Básica;
n.
27).
Disponível
em:
. Acesso em: 22 ago. 2011.
5. FUCHS, F. D., WANNMACHER, L.; FERREIRA, M. B. C. Farmacologia clínica ­ fundamentos
da terapêutica racional. 4 ª ed., Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2010. 1.261 p.
6. GREENE, R. J.; HARRIS, N. D. Patologia e terapêuticas para farmacêuticos: bases para a
prática da farmácia clínica. 3ª ed. Porto Alegre: Artmed, 2012. 968 p.
7. STORPIRTIS, S.; GAI, N. M.; CAMPOS, D. R.; GONÇALVES, J. E. Farmacocinética: básica e
aplicada. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011. 222 p.
8. STORPIRTIS, S.; MORI, A. L. P. M.; YOCHIY, A.; RIBEIRO, E.; PORTA, V. Ciências
Farmacêuticas. Farmácia clínica e atenção farmacêutica. Rio de Janeiro: Guanabara
Koogan, 2008. 489 p.
9. VIEIRA, F. S. Assistência farmacêutica no sistema público de saúde no Brasil. Rev. Panam.
Salud Publica. 2010; 27(2): 149-156.
10. ANSEL, H. C.; STOKLOSA, M. J. Cálculos farmacêuticos. 12ª ed. Porto Alegre: Artmed, 2008.
451 p.
11. TOZER, T. N.; ROWLAND, M.A.; COSTA, T.C.T.D.; PALMA, E.C.; PEDRONI, H. Introdução à
farmacocinética e à farmacodinâmica: as bases quantitativas da terapia farmacológica.
Porto Alegre: Artmed, 2009. 336 p.
12. GOODMAN, L. S.; GILMAN, A.; BRUNTON, L. L. As bases farmacológicas da terapêutica de
Goodman & Gilman. 12ª ed. Porto Alegre: AMGH, 2012. 2.079 p.

30

FISIOTERAPIA
1. BRASIL. Constituição Federal. Promulgada em 5 de outubro de 1988. Brasília, DF.
2. BRASIL. Lei 8.142, dezembro de 1990. Brasília, DF.
3. BRITTO, R. R.; Brant, T. C. S. B.; Parreira, V. F. Recursos Manuais e Instrumentais em
Fisioterapia Respiratória. São Paulo: Manole, 2009.
4. DIAS, R. C.; DIAS, J. M. D.; GOMES, G. C.; PEREIRA, L. S. M.; SITTA, M. I. Fisioterapia em
Gerontologia. In: FREITAS, E. V.; PY, L.; CANÇADO, F. X.; DOLL, J.; GORZONI, M. L. Tratado
de Geriatria e Gerontologia. 2ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006. p. 1.198-1.208
(ISBN- 85 -277-1199-0).
5. PERRACINI, M. R.; FLÓ, M. C. Funcionalidade e Envelhecimento. Rio de Janeiro: Guanabara
Koogan, 2009. 557 p. (ISBN- 978-85-277-1540-9).
6. GUCCIONE, A. A. Fisioterapia Geriátrica. 2ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2002.
7. REGENGA, M. M. Fisioterapia em Cardiologia: da unidade de terapia intensiva à
reabilitação. São Paulo: Roca, 2000.
8. PRYOR, J. A.; WEBBER, B. A. Fisioterapia para problemas respiratórios e cardíacos. 2ª ed.
Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2002. Capítulos 1, 2, 4, 7,12,15, 16 e 18.
9. POWERS, S. K.; HOWLEY, E. T. Fisiologia do exercício: teoria e aplicação ao
condicionamento e ao desempenho. 3ª ed. São Paulo: Manole, 2000. Capítulos: 6 a 12, 15,
16 e 17.
10. SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA. Sociedade Brasileira de Hipertensão. Sociedade
Brasileira de Nefrologia. VI Diretrizes Brasileiras de Hipertensão. Arq. Bras. Cardiol., 2010,
95(1Supl.1):1-51.

31

FONOAUDIOLOGIA
1.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de
Atenção Básica. Diretrizes do NASF. Núcleo de apoio à saúde da Família. Caderno de
atenção básica nº 27. Brasília: Ministério da Saúde, 2009.

2.

CAMPOS, G. W. S.; MINAYO, M. C. S.; AKERMAN Marco; DRUMOND JUNIOR, M.;
CARVALHO, Y. M. (Org.) Tratado de Saúde Coletiva. São Paulo: Hucitec; Rio de Janeiro:
Fiocruz, 2012.

3.

JOTZ e col. Tratado de deglutição e disfagia ­ no adulto e na criança. Rio de Janeiro:
Revinter, 2009.

4.

FERNANDES, F. D. M.; MENDES, B. C. A.; NAVAS, A. L. P. G. P. Tratado de
Fonoaudiologia. 2ª ed. São Paulo: Roca; 2010.

5.

BEHLAU, Mara Suzana. Voz ­ O Livro do Especialista, vol. I e II. Rio de Janeiro: Revinter,
2002.

6.

TEIXEIRA, A. L.; CARAMELLI, P. Neuropsicologia das Demências. In: Neuropsicologia:
Teoria e Prática. Porto Alegre: Artmed, 2008.

7.

ORTIZ, Karin Zazo. Distúrbios Neurológicos Adquiridos - Linguagem e Cognição. São
Paulo: Manole, 2006.

8.

ORTIZ, Karin Zazo. Distúrbios Neurológicos Adquiridos ­ Fala e Deglutição. São Paulo:
Manole, 2004.

9.

SILVA, Gananza; MUNHOZ, Caovilla. Quadros Clínicos Otoneurológicos mais Comuns,
vol. 3. São Paulo: Atheneu, 2000. Série Otoneurológica.

10.

BEVILACQUA, M. C.; MARTINEZ, M. A. N.; BALEN, S. A.; PUPO, A. C.; REIS, A. C. M.;
FROTA, S. (Org.) Tratado de Audiologia. São Paulo: Santos, 2012.

32

NUTRIÇÃO
1. AGUIAR, O. B. Gestão de Pessoas em unidades de alimentação e nutrição. 1ª ed. São
Paulo: Rubio, 2013.
2. ANVISA - Agência Nacional de Vigilância Sanitária. RDC 52- Resolução da Diretoria
Colegiada Nº 52 de 29 de setembro de 2014. - Altera a Resolução RDC Nº 216, de 15 de
setembro de 2004, que dispõe sobre o Regulamento Técnico de Boas Práticas para os
Serviços de Alimentação. Brasília, 2014.
3. BORGO, L. A.; MONTEBELLO, N. P.; BOTELHO, R. B. A.; ARAÚJO, W. M. C. Alquimia dos
alimentos ­ nova edição revista e ampliada. 2ª ed. Distrito Federal: Editora SENAC;
2011.
4. COZZOLINO, S. M. F. Biodisponibilidade de Nutrientes. 4ª ed. São Paulo: Manole, 2012.
5. COZZOLINO, S. M. F.; COMINETTI, C. Bases bioquímicas e fisiológicas da nutrição ­ nas
diferentes fases da vida, na saúde e na doença. 1ª ed. Barueri: Manole, 2013. 1.257 p.
6. DOMENE, S. M. A. Técnica dietética ­ teoria e aplicações. 1ª ed. Rio de Janeiro:
Guanabara Koogan, 2011.
7. GODOY-MATOS, A. F. Síndrome Metabólica. São Paulo: Atheneu, 2005.
8. SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA. I Diretriz sobre o consumo de gorduras e
saúde cardiovascular. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. v. 100, n. 1, suplemento 3,
Janeiro, 2013.
9. JANSEN, A. K.; SOUZA, A. L. Avaliação clínica do estado nutricional. In: SILVA, R. M. F. L.
Tratado de Semiologia Médica. 1ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2014. Cap. 6.
10. JAPUR, C. C. Dietética aplicada na produção de refeições. 1ª ed. Rio de Janeiro:
Guanabara Koogan, 2012.
11. LAMEU, E. Clínica Nutricional. Rio de Janeiro: Revinter, 2005.
12. MEZOMO, I. B. Os serviços de alimentação ­ planejamento e alimentação. 5ª ed.
Barueri: Manole, 2010.
13. MOREIRA, E. A. M.; CHIARELLO, P. G. Atenção Nutricional: Abordagem dietoterápica
em adultos. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2008.
14. PHILLIPPI, S. T. Nutrição e técnica dietética. 2ª ed. Barueri: Manole, 2006.
15. ASSOCIAÇÃO MÉDICA BRASILEIRA. Projeto Diretrizes de Terapia Nutricional da
Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina. Disponível em:
.
16. SHILS, M. E.; OLSON, J. A.; SHIKE, M.; ROSS, A. C. Tratado de Nutrição Moderna na
Saúde e na Doença. 9ª ed. São Paulo: Manole, 2003. 2 V.
17. SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA. V Diretriz Brasileira de Dislipidemias e
Prevenção da Aterosclerose. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. v. 101, n. 4,
Suplemento 1, 2013.
18. SOCIEDADE BRASILEIRA DE DIABETES. Diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes:
2014-2015. São Paulo: AC Farmacêutica, 2015.
19. SPINELLI, M. G. N.; PINTO, A. M. S.; ABREU, E. S. Gestão de unidades de alimentação e
nutrição ­ um modo de fazer. 2ª ed. São Paulo: Metha, 2007.

33

20. WAITZBERG, D. Dieta, Nutrição e Câncer. 2ª ed. São Paulo: Atheneu; 2004.

34

PSICOLOGIA
1.

ANGERAMI-CAMON, V. A. (Org.) O Doente, a Psicologia e o Hospital. São Paulo:
Cenaengage Learning, 2009.

2.

DALGALARRONDO, P. Psicopatologia e Semiologia dos Transtornos Mentais. Porto
alegre: Artmed, 2008.

3.

FILGUEIRAS, M. S. T.; RODRIGUES, F. D.; BENFICA, T. M. (Org.). Psicologia hospitalar e
da Saúde ­ consolidando práticas e saberes na Residência. Petrópolis/RJ: Vozes, 2010.

4.

FOUCAULT, M. Doença Mental e Psicologia. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro,1994.

5.

FREUD, S. Perda da realidade na neurose e na psicose. In: Edição Standard brasileira
das obras psicológicas completas de Sigmund Freud, Vol. XIX. Rio de Janeiro: Imago.
p.227-234.

6.

Moraes E. M. (Org.). Princípios básicos de geriatria e gerontologia. Belo Horizonte:
Coopmed, 2008.

7.

MELLO FILHO, J.; BURD, M. (Org.). Doença e Família. São Paulo: Casa do Psicólogo,
2010.

8.

MACEDO, P. C. M. Desafios atuais do trabalho multiprofissional em saúde. Rev. SBPH,
v. 10 n. 2. Rio de Janeiro. Dez, 2007. p. 33-41.

9.

SIMONETTI, A. Manual de Psicologia Hospitalar: o mapa da doença. São Paulo: Casa do
Psicólogo, 2004.

11. VIGANÓ, C. A construção do caso clínico em Saúde Mental. In: Curinga ­ Psicanálise e
Saúde Mental. Belo Horizonte: EBP ­ MG, n. 13, 1999. p. 50-59.

35

TERAPIA OCUPACIONAL

1- CAVALCANTI, A.; GALVÃO, C. Terapia Ocupacional - Fundamentação e Prática. Rio de
Janeiro: Guanabara Koogan, 2007. Capítulos 2, 5, 6, 7, 8, 9, 10, 11, 12, 14, 20, 22, 24,
25, 26, 27, 39, 40, 41, 42, 43, 44, 45, 46, 47, 48, 52, 54 e 55.
2- CAVALCANTI, Alessandra; DUTRA, Fabiana C. M. S.; ELUI, Valéria M. C. Estrutura da
prática da Terapia Ocupacional: domínio & processo. 3ª ed. Traduzida. Revista de
Terapia Ocupacional da Universidade de São Paulo; jan./abr., 26 (Ed Esp.):1-49. 2015.
3- CREPEAU, E. B.; COHN, E. S.; SCHELL, B. A. B. Willard e Spackman ­ Terapia
Ocupacional. 11ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011. UNIDADE I (capítulo 2),
UNIDADE V (capítulo 29 e 30), UNIDADE VI (capítulo 32, 33, 34, 35, 36 e 37), UNIDADE
VII (capítulo 41), UNIDADE VIII (capítulo 42, 43, 44 e 45), UNIDADE IX (capítulo 46 e
47), UNIDADE X (capítulo 48), UNIDADE XI (capítulos 53, 54, 55, 56, 57, 58 e 59) e
UNIDADE XII (capítulos 60 e 61).
4- DE CARLO, M. M. R. P.; LUZO, M. C. M. Terapia Ocupacional, Reabilitação Física e
Contextos Hospitalares. São Paulo: Roca, 2004. 323 p. Capítulos 1, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10,
12 e 13.
5- DE CARLO, M. M. R. P.; QUEIROZ, M. E. G. de. Dor e Cuidados Paliativos - Terapia
Ocupacional e Interdisciplinaridade. São Paulo: Roca, 2008. Capítulos 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8 e
12.
6- DRUMMOND, A. F.; REZENDE, M. B. Intervenções da Terapia Ocupacional. Belo
Horizonte: Editora UFMG, 2008. Capítulos 1, 5 e 7.
7- FREITAS, E. V. et al. Tratado de Geriatria e Gerontologia. Rio de Janeiro: Guanabara
Koogan, 2011. Capítulos 2, 3, 5, 7, 11, 14, 15, 24, 25, 114, 115, 116, 117, 118, 127, 131,
133, 140 e 141.
8- KATZ, Noomi. Neurociência, Reabilitação Cognitiva e Modelos de Intervenção em
Terapia Ocupacional. São Paulo: Santos, 2014. 415 p. Capítulos: Parte I ­ 1, 2, 3, 4, 5, 6,
7 e 8; Parte II ­ 9, 13, 15, 16, 17 e 18.
9- MALLOY-DINIZ, L. F.; FLUENTES, D.; COSENZA, R. M. Neuropsicologia do
Envelhecimento: uma abordagem multidimensional. Porto Alegre: Artmed, 2013.
Capítulos 4, 5, 11, 13, 19, 20, 21 e 25).
10- ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE / ORGANIZAÇÃO PANAMERICANA DE SAÚDE. CIF
­ Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde. São Paulo:
Editora EDUSP, 2003. 325 p.
11- RADOMSKI, M. V.; LATHAM, C. A. T. Terapia Ocupacional para Disfunções Físicas. 6ª
ed. São Paulo: Santos, 2013. Capítulos: Seção II ­ 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10 e 11; Seção III ­ 12,
13, 14 e 15; Seção IV - 16, 17, 18, 19 e 20; Seção V ­ 21, 22, 23, 24, 25, 26, 27, 28, 29,
30, 31, 35, 36 e 37; Seção VI - 38, 39, 40, 41, 42, 43, 44, 45, 46, 47, 48 e 50.

36