EDITAL Nº 01 ­ SSPDS/AESP, SOLDADO BMCE, DE 18 DE NOVEMBRO DE 2013
CONCURSO
PÚBLICO
PARA
INGRESSO NO CARGO DE SOLDADO
DA CARREIRA DE PRAÇAS DO
CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO
ESTADO DO CEARÁ (CBMCE).
A SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA E DEFESA SOCIAL, POR INTERMÉDIO DA ACADEMIA
ESTADUAL DE SEGURANÇA PÚBLICA DO CEARÁ ­ AESP/CE, E A SECRETARIA DO PLANEJAMENTO E GESTÃO
DO ESTADO DO CEARÁ, torna pública a realização de concurso público para provimento de vagas e
formação de cadastro de reserva no cargo de Soldado da carreira de Praças do Corpo de Bombeiros Militar,
mediante as condições estabelecidas neste edital, de acordo com as normas estabelecidas na Constituição
Estadual, na Lei nº 13.729, de 11 de janeiro de 2006 e suas alterações, na Lei nº 14.629, de 26 de fevereiro
de 2010 e na Lei nº 15.191, de 19 de julho de 2012.
1 DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES
1.1 O concurso público será regido por este edital e executado pelo Centro de Seleção e de Promoção de
Eventos da Universidade de Brasília (CESPE/UnB) e SSPDS/CE e pela SEPLAG, conforme subitem 1.2 deste
edital.
1.2 A seleção para o cargo de que trata este edital compreenderá as seguintes etapas:
1.2.1 Provas objetivas, de caráter eliminatório e classificatório, de responsabilidade do CESPE/UnB.
1.2.2 Exames médico-odontológico, biométrico e toxicológico, de caráter eliminatório, de responsabilidade
do CESPE/UnB.
1.2.3 Curso de Formação Profissional, de caráter eliminatório e classificatório, durante o qual serão
realizadas as seguintes fases:
a) avaliação psicológica, de caráter eliminatório, de responsabilidade do CESPE/UnB;
b) avaliação de capacidade física, de caráter eliminatório, de responsabilidade do CESPE/UnB;
c) investigação social, de caráter eliminatório, de responsabilidade da Secretaria de Segurança Pública e
Defesa Social (SSPDS);
d) provas finais, de caráter eliminatório e classificatório, compostas por:
d.1) prova objetiva de avaliação das disciplinas teóricas, de responsabilidade do CESPE/UnB;
d.2) avaliação das disciplinas práticas, de responsabilidade da AESP/CE;
d.3) nota de avaliação de conduta, de responsabilidade da AESP/CE.
1.3 Todas as etapas do certame serão realizadas na cidade de Fortaleza/CE.
1.3.1 Havendo indisponibilidade de locais suficientes ou adequados nas localidades de realização das
provas, essas poderão ser realizadas em outras localidades.
2 DO CARGO
2.1 SOLDADO DA CARREIRA DE PRAÇAS DO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR
REQUISITO: certificado, devidamente registrado, de conclusão de curso de ensino médio (antigo segundo
grau), expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC).
1

DESCRIÇÃO SUMÁRIA DAS ATIVIDADES: atuar conforme as missões institucionais previstas nas
Constituições Federal e Estadual, no Estatuto dos Militares Estaduais do Ceará (Lei nº 13.729/2006) e nas
demais normas legais e regulamentares aplicáveis aos bombeiros militares do Ceará.
REMUNERAÇÃO: R$ 2.638,61.
JORNADA DE TRABALHO: dedicação exclusiva.
3 DOS REQUISITOS BÁSICOS PARA A INVESTIDURA NO CARGO
3.1 Ser aprovado no concurso público.
3.2 Ter a nacionalidade brasileira ou portuguesa e, no caso de nacionalidade portuguesa, estar amparado
pelo estatuto de igualdade entre brasileiros e portugueses, com reconhecimento do gozo dos direitos
políticos, nos termos do § 1º do artigo 12 da Constituição Federal.
3.3 Estar quite com as obrigações eleitorais.
3.4 Estar quite com as obrigações militares, em caso de candidato do sexo masculino.
3.5 Possuir os requisitos exigidos para o exercício do cargo, conforme item 2 deste edital.
3.6 Ter, na data de matrícula do Curso de Formação Profissional, idade igual ou superior a 18 anos e inferior
a 30 anos.
3.7 Ter aptidão física e mental para o exercício das atribuições do cargo.
3.8 Não ter sido isentado do serviço militar por incapacidade definitiva.
3.9 Possuir honorabilidade compatível com a situação de futuro militar estadual, tendo, para tanto, boa
reputação social e não estando respondendo a processo criminal, nem indiciado em inquérito policial.
3.10 Não ser, nem ter sido, condenado judicialmente por prática criminosa.
3.11 Ter concluído, na data da matrícula No Curso de Formação Profissional, o ensino médio, reconhecido
pelo Ministério da Educação (MEC).
3.12 Ser portador de Carteira Nacional de Habilitação classificada, no mínimo, na categoria "AB", na data da
matrícula no Curso de Formação Profissional.
3.13 Não ser, nem ter sido, condenado judicialmente por prática criminosa.
3.14 Não ter sido licenciado de Corporação Militar ou das Forças Armadas no comportamento inferior ao
"bom".
3.15 Não ter sido demitido, excluído ou licenciado ex officio "a bem da disciplina", "a bem do serviço
público" ou por decisão judicial de qualquer órgão público, da Administração direta ou indireta, de
Corporação Militar ou das Forças Armadas.
3.16 Ter, no mínimo 1m e 62 cm de altura, se candidato do sexo masculino, e 1m e 57 cm, se candidata do
sexo feminino.
3.17 Se do sexo feminino, não estar grávida por ocasião do Curso de Formação Profissional devido à
incompatibilidade desse estado com os exercícios exigidos.
3.18 Ter conhecimento do Estatuto dos Militares Estaduais do Ceará (Lei nº 13.729, de 11 de janeiro de
2006) e do Código Disciplinar da Polícia Militar do Ceará e do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do
Ceará (Lei nº 13.407, de 21 de novembro de 2003) e da Lei Complementar Estadual nº 98, de 20 de junho
de 2011.
3.19 A investidura no cargo público fica condicionada à inspeção médica a ser realizada por junta da perícia
médica do estado.
3.20 Cumprir as determinações deste edital.
4 DAS VAGAS
2

4.1 O presente concurso público destina-se a selecionar candidatos visando o preenchimento de 270 vagas
no cargo de Soldado do CBM/CE, sendo 256 vagas para candidatos do sexo masculino e 14 vagas para
candidatas do sexo feminino.
4.2 DA LOTAÇÃO: Após a nomeação, os candidatos aprovados serão lotados nas unidades da capital ou do
interior do estado, conforme conveniência da Administração Pública.
5 DAS INSCRIÇÕES NO CONCURSO PÚBLICO
5.1 TAXA: R$ 80,00.
5.2 Será
admitida
a
inscrição
somente
via
internet,
no
endereço
eletrônico
http://www.cespe.unb.br/concursos/cbm_ce_13_soldado, solicitada no período entre 10 horas do dia 5 de
dezembro de 2013 e 23 horas e 59 minutos do dia 20 de dezembro de 2013, observado o horário oficial de
Brasília/DF.
5.2.1 O CESPE/UnB não se responsabilizará por solicitação de inscrição não recebida por motivos de ordem
técnica dos computadores, de falhas de comunicação, de congestionamento das linhas de comunicação,
por erro ou atraso dos bancos ou entidades conveniadas no que se refere ao processamento do pagamento
da taxa de inscrição, bem como por outros fatores que impossibilitem a transferência de dados.
5.2.2 O candidato poderá efetuar o pagamento da taxa de inscrição por meio da Guia de Recolhimento da
União (GRU Cobrança).
5.2.3
A
GRU
Cobrança
estará
disponível
no
endereço
eletrônico
http://www.cespe.unb.br/concursos/cbm_ce_13_soldado e deverá ser, imediatamente, impressa, para o
pagamento da taxa de inscrição após a conclusão do preenchimento da ficha de solicitação de inscrição
online.
5.2.3.1 O candidato poderá reimprimir a GRU Cobrança pela página de acompanhamento do concurso.
5.2.4 A GRU Cobrança pode ser paga em qualquer banco, bem como nas casas lotéricas e nos Correios,
obedecendo aos critérios estabelecidos nesses correspondentes bancários.
5.2.5 O pagamento da taxa de inscrição deverá ser efetuado até o dia 20 de janeiro de 2014.
5.2.6 As inscrições efetuadas somente serão efetivadas após a comprovação de pagamento ou do
deferimento da solicitação de isenção da taxa de inscrição.
5.2.7 O comprovante de inscrição do candidato estará disponível no endereço eletrônico
http://www.cespe.unb.br/concursos/cbm_ce_13_soldado, por meio da página de acompanhamento, após
a aceitação da inscrição, sendo de responsabilidade exclusiva do candidato a obtenção desse documento.
5.3 Para os candidatos que não dispuserem de acesso à internet, o CESPE/UnB disponibilizará locais com
acesso à internet, no(s) endereço(s) abaixo, no período entre 10 horas do dia 5 de dezembro de 2013 e 23
horas e 59 minutos do dia 20 de dezembro de 2013 (horário local), observados o dia e o horário de
atendimento de cada estabelecimento.
LOCAL
Institutomix, Avenida Barão de Studart, nº 2.515, Aldeota ­ Fortaleza/CE.
Institutomix, Messejana, Rua Joaquim Bezerra, nº 105, Altos ­ Fortaleza/CE.
5.3.1 Nos locais listados no subitem anterior, não serão fornecidas informações nem serão prestados
esclarecimentos a respeito do concurso público. Para tanto, o candidato deverá observar o disposto no
subitem 14.3 deste edital.
5.4 DAS DISPOSIÇÕES GERAIS SOBRE A INSCRIÇÃO NO CONCURSO PÚBLICO
5.4.1 Antes de efetuar a inscrição, o candidato deverá conhecer o edital e certificar-se de que preenche
3

todos os requisitos exigidos. Uma vez efetuada a inscrição, não será permitida, em hipótese alguma, a sua
alteração.
5.4.1.1 Para o candidato, isento ou não, que efetivar mais de uma inscrição, será considerada válida
somente a última inscrição efetivada, sendo entendida como efetivada a inscrição paga ou isenta. Caso
haja mais de uma inscrição paga em um mesmo dia, será considerada a última inscrição efetuada no
sistema do CESPE/UnB.
5.4.2 É vedada a inscrição condicional, a extemporânea, bem como a realizada via postal, via fax ou via
correio eletrônico.
5.4.3 É vedada a transferência do valor pago a título de taxa para terceiros, para outros concursos.
5.4.4 Para efetuar a inscrição, é imprescindível o número do Cadastro de Pessoa Física (CPF) do candidato.
5.4.5 As informações prestadas na solicitação de inscrição serão de inteira responsabilidade do candidato,
dispondo o CESPE/UnB do direito de excluir do concurso público aquele que não preencher a solicitação de
forma completa e correta.
5.4.6 O valor referente ao pagamento da taxa de inscrição não será devolvido em hipótese alguma, salvo
em caso de cancelamento do certame por conveniência da Administração Pública.
5.4.7 O comprovante de inscrição ou o comprovante de pagamento da taxa de inscrição deverá ser mantido
em poder do candidato e apresentado nos locais de realização das provas.
5.4.8 DOS PROCEDIMENTOS PARA O PEDIDO DE ISENÇÃO DE TAXA DE INSCRIÇÃO
5.4.8.1 Não haverá isenção total ou parcial do valor da taxa de inscrição, exceto para o candidato que se
enquadrar em uma das seguintes categorias:
a) servidor público estadual, nos termos da Lei Estadual nº 11.551/1989, não sendo beneficiárias desta
isenção pessoas contratadas por órgão do estado do Ceará por tempo determinado;
b) doador de sangue, nos termos da Lei Estadual nº 12.559/1995;
c) ser egresso da escola pública ou ser candidato cuja família tenha renda de até dois salários mínimos, nos
termos da Lei Estadual nº 13.844/2006;
d) ser hipossuficiente, nos termos da Lei Estadual nº 14.859/2010.
5.4.8.2 O candidato amparado por uma das situações previstas o subitem 5.4.8.1 deste edital e que desejar
isenção de pagamento da taxa de inscrição deverá entregar, pessoalmente ou por terceiro, no endereço
Instituto Municipal de Pesquisas, Administração e Recursos Humanos (IMPARH) ­ Avenida João Pessoa, nº
5.609, Damas ­ Fortaleza/CE, no período de 5 de dezembro a 20 de dezembro de 2013 (inclusive sábados,
domingos e feriados), das 8 horas às 12 horas e das 14 horas às 17 horas (horário local), exceto no primeiro
dia, quando a documentação só poderá ser entregue a partir das 10 horas, o requerimento de isenção,
devidamente conferido e assinado, disponibilizado na internet, no endereço eletrônico
http://www.cespe.unb.br/concursos/cbm_ce_13_soldado, por meio da página de inscrição, instruindo-o
com cópia autenticada em cartório ou cópia acompanhada do original os documentos relacionados a seguir:
5.4.8.2.1 Para servidor público estadual:
a) declaração original do órgão de origem indicando sua condição de servidor público do estado do Ceará;
b) cópia simples do extrato de pagamento, referente ao primeiro ou segundo mês imediatamente anterior
ao mês em que será solicitada a isenção;
c) cópia simples do documento de identidade.
5.4.8.2.2 Para doador de sangue:
4

a) certidão original expedida pelo Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará (HEMOCE) que
comprove, no mínimo, duas doações no período de um ano, tendo sido a última realizada no prazo máximo
de 12 meses anteriores à data do último dia do período de isenção;
b) cópia simples do documento de identidade.
5.4.8.2.3 Para egresso da escola pública ou candidato cuja família tenha renda de até 2 salários mínimos:
5.4.8.2.3.1 Para egresso da escola pública:
a) cópia autenticada em cartório do certificado de conclusão, ou cópia autenticada em cartório do histórico
escolar acompanhada de declaração original informando da conclusão;
b) cópia simples do documento de identidade.
5.4.8.2.3.2 Para candidato com renda familiar mensal de até 2 salários mínimos:
a) carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS) dos membros da família, cópia autenticada em cartório
das páginas que contém a fotografia, a identificação do portador, a anotação do último contrato de trabalho
e das atualizações salariais, quando a data de contratação for superior a um ano, e da primeira página
subsequente, destinada para anotação de contrato de trabalho que esteja em branco;
b) cópia simples do documento de identidade do candidato e dos membros da família;
c) cópia simples do contracheque do candidato e dos membros da família, referente ao primeiro ou segundo
mês imediatamente anterior ao mês em que será solicitada a isenção;
d) declaração de próprio punho dos rendimentos correspondentes a contratos de prestação de serviços
e(ou) contrato de prestação de serviço e recibo de pagamento autônomo (RPA), no caso de o(s) membro(s)
da família ser(em) autônomo(s).
5.4.8.2.4 Para candidatos hipossuficientes, são documentos idôneos à comprovação do estado de pobreza:
a) cópia da fatura de energia elétrica que demonstre o consumo mensal de até 80 kWh;
b) cópia da fatura de água que demonstre o consumo de até 10 metros cúbicos mensais;
c) cópia simples do comprovante de inscrição em programas de benefícios assistenciais do Governo Federal;
d) comprovante de obtenção de rendimento mensal inferior a ½ salário mínimo por membro do núcleo
familiar;
5.4.8.2.4.1 Não será aceita declaração de próprio punho ou qualquer documento produzido unilateralmente
pela parte interessada.
5.4.8.2.4.1 Para fins de comprovação da alínea "c" do subitem 5.4.8.2.4 deste edital, o candidato deverá:
a) estar inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), de que trata o
Decreto nº 6.135/2007; e
b) se membro de família de baixa renda, nos termos do Decreto nº 6.135/2007.
5.4.8.2.4.2 A isenção deverá ser solicitada mediante requerimento do candidato, disponível por meio do
aplicativo para a solicitação de inscrição, no período entre 10 horas do dia 5 de dezembro de 2013 e 23
horas e 59 minutos do dia 20 de dezembro de 2013, no endereço eletrônico
http://www.cespe.unb.br/concursos/cbm_ce_13_soldado, contendo:
a) indicação do Número de Identificação Social (NIS), atribuído pelo CadÚnico; e
b) declaração eletrônica de que atende à condição estabelecida na alínea "b" do subitem 5.4.8.2.4.1 deste
edital.
5.4.8.2.4.3 O CESPE/UnB consultará o órgão gestor do CadÚnico para verificar a veracidade das informações
prestadas pelo candidato relativas à alínea "c" do subitem 5.4.8.2.4 deste edital.
5

5.4.8.2.5 O candidato poderá, ainda, enviar o requerimento instruído dos documentos listados no subitem
5.4.8.2 deste edital, exceto na situação a que se refere a alínea "c" do subitem 5.4.8.2.4 deste edital, via
SEDEX ou carta registrada com aviso de recebimento, postado impreterivelmente até o dia 20 de dezembro
de 2013, para a Central de Atendimento do CESPE/UnB ­ Concurso CBMCE Soldado 2013 (isenção de taxa)
­ Caixa Postal 4488, CEP 70904-970, Brasília/DF.
5.4.8.2.6 Para efeito deste edital, no que concerne ao somatório dos rendimentos dos membros da família
para composição da renda familiar, serão considerados os rendimentos do pai, da mãe, do próprio
candidato, do cônjuge do candidato, de irmão(s) ou de pessoas que compartilhem da receita familiar.
5.4.8.2.7 Os documentos para a solicitação de isenção de pagamento de valor da inscrição, exceto aqueles a
que se refere à alínea "c" do subitem 5.4.8.2.4 deste edital, poderão ser entregues pessoalmente, pelo
candidato ou por terceiro, legalmente constituído, no endereço Instituto Municipal de Pesquisas,
Administração e Recursos Humanos (IMPARH) ­ Avenida João Pessoa, nº 5.609, Damas ­ Fortaleza/CE.
5.4.8.3 A veracidade das informações prestadas no requerimento de isenção e da documentação
apresentada é de inteira responsabilidade do candidato, podendo este responder, a qualquer momento, no
caso de serem prestadas informações inverídicas ou utilizados documentos falsos, por crime contra a fé
pública, o que acarreta eliminação do concurso, aplicando-se, ainda, o disposto no parágrafo único do artigo
10 do Decreto nº 83.936/1979.
5.4.8.4 Não será concedida isenção de pagamento de taxa de inscrição ao candidato que:
a) omitir informações e(ou) torná-las inverídicas;
b) fraudar e(ou) falsificar documentação;
c) pleitear a isenção, sem apresentar cópia dos documentos previstos nos subitens 5.4.8.2.1 (servidor
público estadual), 5.4.8.2.2 (doador de sangue), 5.4.8.2.3 (egresso de escola pública, renda familiar mensal
de até 2 salários mínimos) e 5.4.8.2.4 (hipossuficientes), ou sem obedecer ao estabelecido no subitem
5.4.8.2.4.2 deste edital;
d) não observar o local, o prazo e os horários estabelecidos nos subitens 5.4.8.2 e 5.4.8.4.7 deste edital.
5.4.8.5 Não será permitida, após a entrega do requerimento de isenção, acompanhado dos documentos
comprobatórios, a complementação da documentação.
5.4.8.6 Não será aceita solicitação de isenção de pagamento de valor de inscrição via fax, via correio
eletrônico ou, ainda, fora do prazo.
5.4.8.7 Cada pedido de isenção será analisado e julgado pelo CESPE/UnB, com exceção daquele a que se
refere a alínea "c" do subitem 5.4.8.2.4 deste edital.
5.4.8.7.1 Os pedidos de isenção a que se refere a alínea "c" do subitem 5.4.8.2.4 deste edital serão
analisados e julgados pelo órgão gestor do Cadúnico.
5.4.8.8 A relação provisória dos candidatos que tiveram o seu pedido de isenção deferido será divulgada, até
a
data
provável
de
7
de
janeiro
de
2014,
no
endereço
eletrônico
http://www.cespe.unb.br/concursos/cbm_ce_13_soldado.
5.4.8.8.1 O candidato disporá de dois dias para contestar o indeferimento do seu pedido de isenção de taxa
de inscrição, no endereço eletrônico http://www.cespe.unb.br/concursos/cbm_ce_13_soldado. Após esse
período, não serão aceitos pedidos de revisão.
5.4.8.9 Os candidatos cujo pedido de isenção for indeferido deverão, para efetivar a sua inscrição no
concurso, acessar o endereço eletrônico http://www.cespe.unb.br/concursos/cbm_ce_13_soldado e
6

imprimir a GRU Cobrança, por meio da página de acompanhamento, para pagamento até o dia 20 de
janeiro de 2014, conforme procedimentos descritos neste edital.
5.4.8.10 O candidato cujo pedido de isenção for indeferido e que não efetuar o pagamento da taxa de
inscrição na forma e no prazo estabelecidos no subitem anterior estará automaticamente excluído do
concurso público.
5.4.9 DOS PROCEDIMENTOS PARA A SOLICITAÇÃO DE ATENDIMENTO ESPECIAL
5.4.9.1 O candidato que necessitar de atendimento especial para a realização das provas deverá indicar, na
solicitação
de
inscrição
disponibilizada
no
endereço
eletrônico
http://www.cespe.unb.br/concursos/cbm_ce_13_soldado, os recursos especiais necessários a tal
atendimento.
5.4.9.1.1 O candidato que solicitar atendimento especial na forma estabelecida no subitem anterior deverá
enviar cópia simples do CPF e laudo médico (original ou cópia autenticada em cartório), emitido nos últimos
12 meses, que justifique o atendimento especial solicitado.
5.4.9.1.2 A documentação citada no subitem anterior poderá ser entregue até o dia 20 de dezembro de
2013, das 8 horas às 19 horas, observado o horário oficial de Brasília/DF, (exceto sábado, domingo e
feriado), pessoalmente ou por terceiro, na Central de Atendimento do CESPE/UnB, localizada na
Universidade de Brasília (UnB) ­ Campus Universitário Darcy Ribeiro, Sede do CESPE/UnB ­ Asa Norte,
Brasília/DF, ou enviada via SEDEX ou carta registrada com aviso de recebimento, para a Central de
Atendimento do CESPE/UnB ­ CBM/CE Soldado (atendimento especial) ­ Caixa Postal 4488, CEP 70904-970,
Brasília/DF, até a data prevista acima. Após esse período, a solicitação será indeferida, salvo nos casos de
força maior e nos que forem de interesse da Administração Pública.
5.4.9.2 O fornecimento da cópia simples do CPF e do laudo médico (original ou cópia autenticada em
cartório), por qualquer via, é de responsabilidade exclusiva do candidato. O CESPE/UnB não se
responsabiliza por qualquer tipo de extravio que impeça a chegada dessa documentação a seu destino.
5.4.9.3 O laudo médico (original ou cópia autenticada em cartório) e a cópia simples do CPF valerão
somente para este concurso e não serão devolvidos, assim como não serão fornecidas cópias dessa
documentação.
5.4.9.4 A candidata que tiver necessidade de amamentar durante a realização das provas, além de solicitar
atendimento especial para tal fim, deverá encaminhar, para a Central de Atendimento do CESPE/UnB, cópia
autenticada em cartório da certidão de nascimento da criança, até o dia 20 de dezembro de 2013, e levar,
no dia das provas, um acompanhante adulto que ficará em sala reservada e será o responsável pela guarda
da criança. A candidata que não levar acompanhante adulto não poderá permanecer com a criança no local
de realização das provas.
5.4.9.4.1 Caso a criança ainda não tenha nascido até a data estabelecida no subitem 5.4.9.4, a cópia da
certidão de nascimento poderá ser substituída por documento emitido pelo médico obstetra que ateste a
data provável do nascimento.
5.4.9.4.2 O CESPE/UnB não disponibilizará acompanhante para guarda de criança.
5.4.9.5 A relação dos candidatos que tiveram o seu atendimento especial deferido será divulgada no
endereço eletrônico http://www.cespe.unb.br/concursos/cbm_ce_13_tenente, na ocasião da divulgação do
edital que informará a disponibilização dos locais e do horário de realização das provas.
5.4.9.5.1 O candidato disporá de dois dias para contestar o indeferimento, a contar do dia subsequente ao
da divulgação do deferimento indeferimento da solicitação de atendimento especial, na Central de
7

Atendimento do CESPE/UnB ­ Universidade de Brasília (UnB) ­ Campus Universitário Darcy Ribeiro, Sede do
CESPE/UnB ­ Asa Norte, Brasília/DF; pessoalmente ou por terceiro, ou pelo e-mail
[email protected] Após esse período, não serão aceitos pedidos de revisão.
5.4.9.6 A solicitação de atendimento especial, em qualquer caso, será atendida segundo os critérios de
viabilidade e de razoabilidade.
5.4.9.7 O candidato deverá declarar, na solicitação de inscrição, que tem ciência e aceita que, caso
aprovado, deverá entregar os documentos comprobatórios dos requisitos exigidos para o cargo, por
ocasião de sua inclusão no CBM/CE, observado o disposto no item 3 deste edital.
6 DAS ETAPAS DO CONCURSO
6.1 As etapas do concurso estão descritas no quadro a seguir.
ÁREA DE
NÚMERO DE
ETAPA
PROVA/TIPO
CARÁTER
CONHECIMENTO/FASES
ITENS
(P1) Objetiva
Conhecimentos básicos
50
Eliminatório

(P2) Objetiva
Conhecimentos
70
e classificatório
específicos
Exames médicoEliminatório

odontológico, biométrico e
­
­
toxicológico
Avaliação psicológica
­

Avaliação de capacidade
Eliminatório
­
Curso de Formação
física
Profissional
Investigação social
­
Eliminatório e
Provas finais
­
classificatório
6.2 As provas objetivas terão a duração de 3 horas e 30 minutos e serão aplicadas na data provável de 16
de fevereiro de 2014, no turno da manhã.
6.3 Na data provável de 7 de fevereiro de 2014, será publicado no Diário Oficial do Estado do Ceará edital
que informará a disponibilização da consulta aos locais e ao horário de realização das provas.
6.3.1
O
candidato
deverá,
obrigatoriamente,
acessar
o
endereço
eletrônico
http://www.cespe.unb.br/concursos/cbm_ce_13_soldado para verificar seu local de realização das provas,
por meio de busca individual, devendo, para tanto, informar os dados solicitados.
6.3.2 O candidato somente poderá realizar as provas no local designado pelo CESPE/UnB.
6.3.3 Serão de responsabilidade exclusiva do candidato a identificação correta de seu local de realização
das provas e o comparecimento ao seu local de realização das provas no horário determinado.
6.3.4 O CESPE/UnB poderá enviar, como complemento às informações citadas no subitem anterior,
comunicação pessoal dirigida ao candidato, por e-mail, sendo de sua exclusiva responsabilidade a
manutenção/atualização de seu correio eletrônico, o que não o desobriga do dever de observar o disposto
nos subitens 6.2 e 6.3 deste edital.
6.4 O resultado final nas provas objetivas e a convocação para os exames médicos-odontológicos,
biométrico e toxicológico serão publicados no Diário Oficial do Estado do Ceará e divulgados na internet, no
8

endereço eletrônico http://www.cespe.unb.br/concursos/cbm_ce_13_tenente, na data provável de 11 de
março de 2014.
6.5 As informações referentes a notas poderão ser acessadas por meio dos editais de resultados. Não serão
fornecidas informações fora do prazo previsto ou que já constem dos editais.

7 DA PRIMEIRA ETAPA ­ DAS PROVAS OBJETIVAS
7.1 As provas objetivas, de caráter eliminatório e classificatório, valerão 120,00 pontos e abrangerão os
objetos de avaliação constantes do item 15 deste edital.
7.2 Cada prova objetiva será constituída de itens para julgamento, agrupados por comandos que deverão
ser respeitados. O julgamento de cada item será CERTO ou ERRADO, de acordo com o(s) comando(s) a que
se refere o item. Haverá, na folha de respostas, para cada item, dois campos de marcação: o campo
designado com o código C, que deverá ser preenchido pelo candidato caso julgue o item CERTO, e o campo
designado com o código E, que deverá ser preenchido pelo candidato caso julgue o item ERRADO.
7.3 Para obter pontuação no item, o candidato deverá marcar um, e somente um, dos dois campos da folha
de respostas.
7.4 O candidato deverá transcrever as respostas das provas objetivas para a folha de respostas, que será o
único documento válido para a correção das provas. O preenchimento da folha de respostas será de inteira
responsabilidade do candidato, que deverá proceder em conformidade com as instruções específicas
contidas neste edital e na folha de respostas. Em hipótese alguma haverá substituição da folha de respostas
por motivo de erro do candidato.
7.5 Serão de inteira responsabilidade do candidato os prejuízos advindos do preenchimento indevido da
folha de respostas. Serão consideradas marcações indevidas as que estiverem em desacordo com este
edital ou com as instruções contidas na folha de respostas, tais como marcação rasurada ou emendada ou
campo de marcação não preenchido integralmente.
7.6 O candidato não deverá amassar, molhar, dobrar, rasgar, manchar ou, de qualquer modo, danificar a
sua folha de respostas, sob pena de arcar com os prejuízos advindos da impossibilidade de realização do
processamento eletrônico desta.
7.7 O candidato é responsável pela conferência de seus dados pessoais, em especial seu nome, seu número
de inscrição e o número de seu documento de identidade.
7.8 Não será permitido que as marcações na folha de respostas sejam feitas por outras pessoas, salvo em
caso de candidato a quem tenha sido deferido atendimento especial específico para auxílio no
preenchimento. Nesse caso, o candidato será acompanhado por fiscal do CESPE/UnB devidamente treinado
e as respostas fornecidas serão gravadas em áudio.
7.9 Serão anuladas as provas objetivas do candidato que não devolver a sua folha de respostas.
7.10 O CESPE/UnB divulgará a imagem da folha de respostas dos candidatos que realizaram as provas
objetivas, exceto a dos candidatos eliminados na forma do subitem 14.24 deste edital, no endereço
eletrônico http://www.cespe.unb.br/concursos/cbm_ce_13_soldado, em data a ser informada no edital de
resultado final nas provas objetivas. A referida imagem ficará disponível até 15 dias corridos da data de
publicação do resultado final no concurso público.
7.10.1 Após o prazo determinado no subitem anterior, não serão aceitos pedidos de disponibilização da
imagem da folha de respostas.
9

7.11 DOS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DAS PROVAS OBJETIVAS
7.11.1 Todas as folhas de respostas das provas objetivas serão corrigidas por meio de processamento
eletrônico.
7.11.2 A nota em cada item das provas objetivas, feita com base nas marcações da folha de respostas, será
igual a: 1,00 ponto, caso a resposta do candidato esteja em concordância com o gabarito oficial definitivo
das provas; 1,00 ponto negativo, caso a resposta do candidato esteja em discordância com o gabarito
oficial definitivo das provas; 0,00, caso não haja marcação ou haja marcação dupla (C e E).
7.11.3 A nota em cada prova objetiva será igual à soma das notas obtidas em todos os itens que a
compõem.
7.11.4 Será reprovado nas provas objetivas e eliminado do concurso público o candidato que se enquadrar
em pelo menos uma das alíneas a seguir:
a) obtiver nota inferior a 10,00 pontos na prova objetiva de conhecimentos básicos P1;
b) obtiver nota inferior a 21,00 pontos na prova objetiva de conhecimentos específicos P2;
c) obtiver nota inferior a 36,00 pontos no conjunto das provas objetivas.
7.11.4.1 O candidato eliminado na forma do subitem 7.11.4 deste edital não terá classificação alguma no
concurso público.
7.11.5 Os candidatos não eliminados na forma do subitem 7.11.4 deste edital serão ordenados por sexo de
acordo com os valores decrescentes da nota final nas provas objetivas, que será a soma das notas obtidas
nas provas objetivas P1 e P2.
7.11.6 As informações a respeito de notas poderão ser acessadas por meio dos editais de resultados. Não
serão fornecidas informações que já constem dos editais ou fora dos prazos previstos nesses editais.
7.12 DOS RECURSOS CONTRA OS GABARITOS OFICIAIS PRELIMINARES DAS PROVAS OBJETIVAS
7.12.1 Os gabaritos oficiais preliminares das provas objetivas serão divulgados na internet, no endereço
eletrônico http://www.cespe.unb.br/concursos/cbm_ce_13_soldado, a partir das 19 horas da data
provável de 18 de fevereiro de 2014, observado o horário oficial de Brasília/DF.
7.12.2 O candidato que desejar interpor recursos contra os gabaritos oficiais preliminares das provas
objetivas disporá de dois dias para fazê-lo, a contar do dia subsequente ao da divulgação desses gabaritos,
no horário das 9 horas do primeiro dia às 18 horas do último dia, ininterruptamente.
7.12.3 Para recorrer contra os gabaritos oficiais preliminares das provas objetivas, o candidato deverá
utilizar o Sistema Eletrônico de Interposição de Recurso, disponível no endereço eletrônico
http://www.cespe.unb.br/concursos/cbm_ce_13_soldado, e seguir as instruções ali contidas.
7.12.4 Todos os recursos serão analisados e as justificativas das alterações/anulações de gabarito serão
divulgadas no endereço eletrônico http://www.cespe.unb.br/concursos/cbm_ce_13_soldado quando da
divulgação dos gabaritos oficiais definitivos. Não serão encaminhadas respostas individuais aos candidatos.
7.12.5 O candidato deverá ser claro, consistente e objetivo em seu pleito. Recurso inconsistente ou
intempestivo será preliminarmente indeferido.
7.12.6 O recurso não poderá conter, em outro local que não o apropriado, qualquer palavra ou marca que o
identifique, sob pena de ser preliminarmente indeferido.
7.12.7 Se do exame de recursos resultar anulação de item integrante de prova, a pontuação
correspondente a esse item será atribuída a todos os candidatos, independentemente de terem recorrido.
7.12.8 Se houver alteração, por força de impugnações, de gabarito oficial preliminar de item integrante de
prova, essa alteração valerá para todos os candidatos, independentemente de terem recorrido.
10

7.12.9 Não será aceito recurso via postal, via fax, via correio eletrônico ou, ainda, fora do prazo.
7.12.10 Em nenhuma hipótese serão aceitos pedidos de revisão de recursos ou recurso contra o gabarito
oficial definitivo.
7.12.11 Recursos cujo teor desrespeite a banca serão preliminarmente indeferidos.
8 DO RESULTADO FINAL NA PRIMEIRA ETAPA DO CONCURSO
8.1 A nota final na primeira etapa do concurso público (NFPE) será a nota final obtida na prova objetiva.
8.2 Os candidatos serão ordenados em listas, por sexo, de acordo com os valores decrescentes das notas
finais na primeira etapa do concurso público.
8.3 Todos os cálculos citados neste edital serão considerados até a segunda casa decimal, arredondando-se
o número para cima, se o algarismo da terceira casa decimal for igual ou superior a cinco ou mantendo-o
até a segunda casa decimal, se o algarismo da terceira casa decimal for inferior a cinco.
9 DOS CRITÉRIOS DE DESEMPATE DA NOTA FINAL NA PRIMEIRA ETAPA DO CONCURSO
9.1 Em caso de empate na nota final na primeira etapa do concurso terá preferência o candidato que, na
seguinte ordem:
a) obtiver a maior nota na prova objetiva de conhecimentos específicos (P2);
b) obtiver o maior número de acertos na prova de conhecimentos específicos (P2);
c) obtiver a maior nota na prova objetiva de conhecimentos básicos (P1);
d) obtiver o maior número de acertos na prova de conhecimentos básicos (P1);
9.1.1 Persistindo o empate, terá preferência o candidato com maior idade.
10 DA SEGUNDA ETAPA ­ EXAMES MÉDICO-ODONTOLÓGICOS, BIOMÉTRICOS E TOXICOLÓGICOS
10.1 Com base nas listas organizadas na forma do subitem 8.2 deste edital e observados os critérios de
desempate citados no item 9 deste edital, serão convocados para a segunda etapa do concurso público ­
exames médico-odontológico, biométrico e toxicológico, os candidatos aprovados na primeira etapa do
concurso e classificados até a 512ª posição, para os candidatos do sexo masculino, e até a 28ª posição para
as candidatas do sexo feminino, respeitados os empates da última posição.
10.2 A segunda etapa constará de exames médico-odontológico, biométrico e toxicológico, todos se caráter
eliminatório, nos termos da Lei 13.729/2006 e alterações.
10.3 Os candidatos convocados para essa etapa deverão, na data determinada para a realização dos
exames, apresentar à banca examinadora os exames relacionados no subitem 10.10 deste edital, os quais
deverão ser providenciados e custeados pelo próprio candidato.
10.4 Os exames exigidos no subitem anterior deverão conter o número do documento de identidade do
candidato e ter sido realizados nos últimos 60 dias antes da data de realização e apresentação dos exames à
banca examinadora.
10.5 O candidato será considerado apto ou inapto na segunda etapa, de acordo com a conclusão do laudo
médico. O candidato considerado inapto será eliminado do concurso e não terá classificação alguma.
10.6 O candidato será considerado inapto na segunda etapa quando incidir em qualquer um dos aspectos a
serem observados pela banca examinadora, bem como apresentar teste toxicológico positivo para o uso de
drogas ilícitas, conforme subitem 10.10.2 deste edital.
10.7 Será automaticamente eliminado do concurso o candidato que, na data e no horário determinados
para a realização dos exames, não estiver em condição de saúde compatível com o cargo ao qual está
concorrendo ou deixar de apresentar qualquer um dos exames laboratoriais previstos nesta etapa.
11

10.8 No dia de realização dos exames, os candidatos deverão trazer consigo calção de banho, no caso de
candidatos do sexo masculino, e maiô ou biquíni (discretos), para as candidatas do sexo feminino.
10.9 Não serão recebidos exames médicos fora do prazo e do horário estabelecidos em edital.
10.10 DAS CONDIÇÕES INCAPACITANTES
10.10.1 A seguir estão listadas as condições incapacitantes para ingresso no Quadro de Praças Bombeiros
Militares, bem como os índices mínimos e as causas de inabilitação nos exames médico-odontológico,
biométrico e toxicológico.
10.10.1.1 Tumores malignos na área de cabeça e pescoço: deformidade congênita na área da cabeça e do
pescoço: alterações estruturais da glândula tireoide associadas ou não a sinais clínicos de hipertireoidismo.
10.10.1.2 Ouvidos, nariz e faringe: deformidades congênitas que comprometam o bom desempenho da
função Soldado Bombeiro Militar; tartamudez que comprometa a comunicação oral básica.
10.10.1.2.1 Na prova com audiômetro de tom puro: o candidato não deve ter deficiência de percepção
auditiva em cada ouvido, separadamente, maior que 35dB em nenhuma das três frequências 500, 1000,
2000Hz, nem maior que 50dB nas frequências acima de 3000Hz.
10.10.1.3 Cavidade oral ­ será considerado inapto o candidato que apresentar:
a) alterações patológicas císticas e(ou) tumorais orais, que comprometam a função do sistema
estomatognático);
b) periodontopatias com mobilidade de grau III em pelo menos um segmento dentário;
c) alterações anátomo-patológicas severas da articulação temporo-mandibular;
d) portadores de alterações faciais resultantes de trauma e(ou) tumores, que comprometam a estética
e(ou) função.
e) lesão de cárie ou cavidade extensa detectável clínica e radiograficamente;
f) raiz residual;
g) alteração inflamatória periapical associada a dentes tratados endodonticamente ou não.
10.10.1.3.1 Será considerado não recomendado o candidato que não possuir 20 elementos dentários,
tolerando-se dentes artificiais (coroas, pontes fixas e móveis), sendo, no mínimo, 16 dentes hígidos e(ou)
restaurados.
10.10.1.4 Olhos e visão: opacificações corneanas, ceratocone e ceratopatias; glaucomas; doenças
congênitas ou adquiridas; estrabismo (superior a 10 D prismática); doenças e lesões de retina; doenças
neurológicas que afetam os olhos; discromatopsia completa; pacientes com catarata ou operados de
cataratas com ou sem Lio; AV s/c inferior a 20/100 em cada olho ou até 20/200 em um olho, desde que o
outro seja superior ou igual a 20/60, a AV c/c em todos os casos deve ser 20/20 em pelo menos um olho e
superior ou igual a 20/40 no outro olho.
10.10.1.5 Pele e tecido celular subcutâneo: infecções bacterianas micóticas crônicas ou recidivantes,
micoses extensas; parasitoses cutâneas extensas, eczemas alérgicos cronificados ou infectados, expressões
cutâneas das doenças autoimunes; manifestações de doenças alérgicas de difícil resolução; ulcerações e
edemas; cicatrizes deformantes que comprometam a estética ou função; hanseníase; tatuagem definitiva
desde que visível com o uso do uniforme de serviço de mangas curtas; cicatrizes inestéticas decorrentes de
excisão de tatuagens e nevus vasculares.
10.10.1.6 Pulmões e paredes torácicas: deformidade relevante congênita ou adquirida, função respiratória
prejudicada, doenças imunoalérgicas do trato respiratório inferior; fístulas e fibroses pulmonares difusas;
tumores malignos e benignos dos pulmões e pleura.
12

10.10.1.7 Sistema cardiovascular: anormalidades congênitas ou adquiridas; infecções e inflamações;
doenças do pericárdio; endocárdio e da circulação intrínseca do coração; doenças orovalvulares; doenças
venosas arteriais e linfáticas; hipertensão arterial de acordo com a definição da OMS; miocardiopatias;
alterações eletrocardigráficas, tais como: parassístoles; dissociação AV; extrassístoles; alterações
isquêmicas; taquicardias paroxísticas; bloqueios sinoatriais; ritmos de substituição; doenças do nódulo
sinusal; bloqueio do ramo esquerdo; bloqueio de ramo direito; bloqueio atrioventricular; flutter e fibrilação
atrial; síndromes de pré-excitação; sobrecarga ventricular direita e esquerda; crescimentos atriais: átrio
esquerdo, átrio direito e biatrial.
10.10.1.8 Abdome e trato intestinal: anormalidade aparente (ex.: hérnia, fístulas) à inspeção ou palpação
visceromegalias; micose profunda; história de cirurgia significativa ou ressecções importantes; doenças
hepáticas e pancreáticas; distúrbios funcionais desde que significativos; tumores benignos e malignos.
10.10.1.9 Aparelho gênito-urinário: anormalidades congênitas ou adquiridas da genitália; rins e vias
urinárias; tumores; infecções e outras lesões demonstráveis em exame de urina; criptorquidia; varicocele
volumosa e(ou) dolorosa; doença sexualmente transmissível em atividade.
10.10.1.10 Aparelho osteomioarticular: doenças e anormalidades dos ossos e articulações; congênitas ou
adquiridas; inflamatórias; infecciosas; neoplásicas; traumáticas e degenerativas; desvio ou curvaturas
anormais e significativas da coluna vertebral; deformidades ou qualquer alteração da estrutura normal das
mãos e pés; próteses cirúrgicas e sequelas de cirurgia; pé plano espástico desde que comprometa a
locomoção, lesões ligamentares, condromalácia de patela e outras doenças incapacitantes para o serviço
dos bombeiros militares.
10.10.1.11 Doenças metabólicas e endócrinas: diabetes melito; tumores hipotalâmicos e hipofisários;
disfunção hipofisária; disfunção tireoidiana sintomática; tumores da tireoide, exceto cistos insignificantes e
desprovidos de potencialidade mórbida; tumor de suprarrenal e sua disfunção congênita ou adquirida;
hipogonadismo primário ou secundário; distúrbio do metabolismo do cálcio e fósforo; de origem endócrina;
erros inatos do metabolismo; crescimento e desenvolvimento anormais, em desacordo com a idade
cronológica.
10.10.1.12 Sangue e órgãos hematopoiéticos: alterações significativas do sangue; órgãos hematopoiéticos;
doenças hemorrágicas.
10.10.1.13 Doenças neuropsiquiátricas: distúrbios neuromusculares; afecções neurológicas; anormalidades
congênitas ou adquiridas; ataxias; incoordenações; tremores; paresias e paralisias; atrofias e fraquezas
musculares; histórias de síndrome convulsiva; distúrbio da consciência; comportamentais e da
personalidade.
10.10.1.14 Tumores e neoplasias:
a) qualquer tumor maligno;
b)tumores benignos; dependendo da localização; repercussão funcional, potencial evolutivo ou
comprometimento estético importante;
c) se o perito julgar insignificante a existência de pequenos tumores benignos (ex.: cistos sebáceos, lipoma),
deverá justificar sua conclusão.
10.10.1.15 Condições ginecológicas: neoplasias malignas; cistos ovarianos não funcionais; lesões uterinas e
todas as patologias ginecológicas adquiridas, exceto se insignificantes e desprovidas de potencial mórbido;
anormalidades congênitas com repercussão funcional ou com potencial para morbidade; mastites
específicas; tumor maligno da mama; endometriose comprovada.
13

10.10.1.16 Aparelho locomotor ­ será considerado inapto o candidato que apresentar:
a) deformidades e(ou) desvios em quaisquer planos do eixo normal da coluna vertebral, repercussão
funcional (escoliose, cifose, hiperlordose, inversão da lordose);
b) deformidades ou sequelas de fraturas com comprometimento do alinhamento, simetria e função do
segmento afetado;
c) alterações acentuadas do alinhamento dos membros superiores e(ou) inferiores (genuvalgo, genuvaro,
genurecurvatum, cúbito-valgo, cúbito-varo);
d) comprometimento funcional articular (bloqueio da flexão, extensão, pronação, supinação); rotação
lateral e medial traumática ou congênita, restrição de função em decorrência de luxação recidivante, em
qualquer segmento, operada ou não;
e) deformidades congênitas ou adquiridas dos pés, por exemplo: pé cavo, halux-vago, halux-varo, haluxrigidus, sequelas de pé torto congênito, dedos em garra com calosidade ou não, calosidade aquileia, dedo
extranumerário;
f) ausência parcial ou total, congênita ou traumática de qualquer segmento das extremidades;
g) sequelas de patologias congênitas, com repercussão funcional;
h) deformidades esqueléticas acentuadas (tumorações; hipertrofias; ossos supranumerários).
10.10.1.17 Será considerado inapto o candidato que apresentar, em seus exames radiológicos de coluna,
lombosacra, escoliose tóraco-lombar, cifose dorsal, inversão das curvaturas fisiológicas da coluna vertebral,
má formação congênita isolada ou associada (tais como: spina bífica, vértebra de transição mega apósfise
neo-articulada ou não ao sacro), tumoração óssea; doença inflamatória, doença infecciosa; presença de
prótese cirúrgica ou sequelas de cirurgia e de fratura.
10.11 Serão requeridos os seguintes exames, os quais deverão obrigatoriamente vir acompanhados dos
respectivos laudos:
a) hemograma, tipo sanguínea (ABO e fator RH);
b) glicemia em jejum;
c) ureia e creatinina;
d) colesterol total e frações;
e) triglicerídeos;
f) sorologia para Doença de Chagas;
g) VDRL;
h) HBSAg;
i) TGO e TGP;
j) EAS;
k) eletrocardiograma;
l) raio X do tórax;
m) eletroencefalograma;
n) audiometria tonal;
o) laudo oftalmológico completo (acuidade visual com e sem correção, pressão intraocular, motricidade, e
fundo de olho, e avaliação cromática);
p) ultrassonografia pélvica (para candidatas do sexo feminino).
10.11.1 A critério da banca examinadora, o candidato deverá, às suas expensas, providenciar de imediato,
qualquer outro exame complementar não mencionado neste edital, que se torne necessário para firmar um
14

diagnóstico, com o objetivo de dirimir eventuais dúvidas, podendo, ainda, a critério da banca, ser
convocado para novo exame clínico.
10.11.2 Os candidatos deverão se submeter a testes toxicológicos de caráter confidencial, que serão
realizados pelos candidato, observadas as orientações a seguir descritas:
a) deverão ser do tipo de "larga janela de detecção", que acusam uso de substâncias entorpecentes ilícitas
causadoras de dependência química ou psíquica de qualquer natureza e deverão apresentar resultados
negativos para um período mínimo de 60 dias;
b) deverão ser realizados em laboratório especializado, a partir de amostra de materiais biológicos (cabelos,
pelos ou unhas) doados pelo candidato, conforme procedimentos padronizados de coleta,
encaminhamento do material, recebimento dos resultados e estabelecimento de contraprova;
c) em caso de resultado positivo para uma ou mais substâncias entorpecentes ilícitas, o candidato será
considerado inapto;
d) o resultado do exame para detecção do uso de drogas ilícitas ficará restrito à banca examinadora do
CESPE/UnB, que obedecerá o que prescreve a norma referente à salvaguarda de documentos classificados,
sob pena de responsabilidades, conforme legislação vigente.
10.12 DO EXAME BIOMÉTRICO
10.12.1 No exame biométrico será considerado inapto o candidato que possuir altura inferior a 1m e 62 cm,
se do sexo masculino, e 1m e 57 cm, se do sexo feminino.
10.12.2 São causas de inabilitação:
a) face posterior do corpo: rotação lateral cervical, inclinação lateral cervical, dismetria de membros
inferiores; escápula alada, escoliose acentuada, pé varo acentuado, genuvaro acentuado; pé valgo
acentuado; pé abduto acentuado, sequela de trauma;
b) face anterior do corpo: deformidade torácica importante; cicatriz de cirurgia abdominal ou torácica
extensa, sequela de traumas; lesões do globo ocular significativas;
c) perfil do corpo: pé plano espástico desde que comprometa a locomoção; pé cavo acentuado;
d) acromegalia, varizes de membros inferiores de grau moderado a acentuado, lesões vasculares a
ectoscopia significativas; sequelas neurológicas; amputações nos membros superiores; amputações nos
membros inferiores; deformidade e rigidez articular, calosidade importante em pés; cicatrizes cirúrgicas
ortopédicas recentes em membros.
10.12.3 Demais informações a respeito dos exames médico-odontológico, biométrico e toxicológico
constarão de edital específico de convocação para essa etapa.
10.13 DOS RECURSOS CONTRA O RESULTADO PROVISÓRIO NOS EXAMES MÉDICO-ODONTOLÓGICOS,
BIOMÉTRICOS E TOXICOLÓGICOS
10.13.1 O candidato que desejar interpor recursos contra o resultado provisório nos exames médicoodontológicos, biométricos e toxicológicos disporá de dois dias para fazê-lo, conforme procedimentos
disciplinados no respectivo edital de resultado provisório.
11 DA TERCEIRA ETAPA ­ CURSO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL
11.1 DA MATRÍCULA
11.1.1 Os candidatos não eliminados nos exames médico-odontológicos, biométricos e toxicológicos serão
reordenados por sexo de acordo com os valores decrescentes da nota final nas provas objetivas, que será a
soma das notas obtidas nas provas objetivas P1 e P2, aplicando-se o mesmo critério de desempate constante
do item 9 deste edital.
15

11.1.1.1 Os candidatos aprovados na primeira etapa, não eliminados na segunda etapa do concurso público
e classificados dentro do número de vagas para cada sexo previsto no item 4 deste edital, serão convocados
à matrícula para o Curso de Formação Profissional.
11.1.1.2 Se, ao término do período de matrícula, algum candidato não tiver efetivado a matrícula no Curso
de Formação Profissional, será convocado outro candidato para efetivação de matrícula, observando-se
rigorosamente a ordem de classificação da respectiva listagem dos candidatos por sexo e o número de
matrículas não efetivadas.
11.1.1.2.1 No caso de não haver candidatos aprovados em número suficiente em algum dos sexos, serão
convocados para efetuarem a matrícula candidatos de outro sexo, observada a ordem geral de
classificação.
11.1.1.3 Os candidatos aprovados na primeira etapa, não eliminados na segunda etapa do concurso público
e não classificados dentro do número de vagas para cada sexo, previsto no item 4 deste edital, a critério da
Administração, poderão ser convocados para a matrícula para o Curso de Formação Profissional, durante a
validade do certame.
11.1.2 O Curso de Formação Profissional poderá ser realizado em mais de uma turma e serão desprezadas a
nota e a classificação obtidas pelo candidato nas provas objetivas, devendo ser considerada como nota final
no certame a nota obtida no referido curso.
11.2 DO CURSO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL
11.2.1 O Curso de Formação Profissional, de caráter classificatório e eliminatório, será realizado em turmas
e regido pelas normas inerentes à categoria funcional vigentes à época, por este edital e pelo edital de
convocação para a matrícula.
11.2.1.1 No início do Curso de Formação Profissional, o candidato deverá entregar atestado médico
original, emitido no prazo máximo de 30 dias, constando, expressamente, que o candidato está apto a
realizar atividades físicas. Não será aceita a entrega de atestado médico em outro momento.
11.2.1.2 O candidato que deixar de apresentar o atestado médico original não poderá frequentar o curso e
será automaticamente eliminado.
11.2.2 O Curso de Formação Profissional terá a carga horária de 1.020 horas/aula, será dirigido à
capacitação funcional do candidato, sendo ministrado na modalidade de estudo presencial, em tempo
integral, com o mínimo de 8 horas por dia, podendo ser desenvolvido em dias não úteis.
11.2.2.1 O CFP será realizado em turmas, distribuídas na Academia Estadual de Segurança Pública (AESP) e
nas demais Unidades do Sistema de Segurança, em período e locais a serem divulgados nos e ditais de
convocação para essa etapa, sendo que a avaliação de capacidade física e a avaliação psicológica serão
realizadas na cidade de Fortaleza/CE. Poderão ser realizadas atividades/aulas curriculares teóricas e
práticas fora da AESP.
11.2.2.2 O CFP será constituído de parte teórica e prática além de avaliação de capacidade física, de
avaliação psicológica e de investigação social.
11.2.2.2.1 A avaliação de capacidade física, a avaliação psicológica e a investigação social terão caráter
eliminatório.
11.2.3 Será considerado reprovado e eliminado do certame o candidato que:
a) deixar de efetuar a matrícula no Curso de Formação Profissional, dele se afastar por qualquer motivo,
não frequentar no mínimo 85% das horas de atividades previstas em cada disciplina e(ou) não satisfizer os
demais requisitos legais, regulamentares e(ou) regimentais;
16

b) for considerado inapto na prova de capacidade física ou não recomendado na avaliação psicológica, ou,
ainda, contraindicado na investigação social;
c) obtiver conceito desfavorável por sua conduta durante a realização do Curso de Formação Profissional a
ser apurada nos termos do Regulamento do CFP;
d) obtiver nota final na prova objetiva do Curso de Formação Profissional inferior a 70% dos pontos
possíveis;
e) obtiver nota final nas provas práticas do Curso de Formação Profissional inferior a 70% dos pontos
possíveis;
11.2.4 Durante o Curso de Formação, o candidato fará jus a auxílio financeiro, na forma da legislação
vigente, à época de sua realização, sobre o qual incidirão os descontos legais.
11.2.5 O Curso de Formação será realizado em turmas, em período e em locais a serem divulgados nos
editais de convocação para esta etapa, sendo que a prova de capacidade física, a avaliação psicológica, a
prova final e as provas práticas serão realizadas na cidade de Fortaleza/CE.
11.2.6 O Curso de Formação Profissional será constituído ­ além dos módulos de ensino fundamental,
ensino profissional e ensino complementar ­ de avaliação psicológica, de avaliação de capacidade física, de
investigação social, todas de caráter eliminatório, e de provas finais, de caráter eliminatório e
classificatório.
11.3 DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA
11.3.1 A avaliação psicológica, de presença obrigatória e de caráter eliminatório, será realizada pelo
CESPE/UnB, em dias e em horários a serem divulgados oportunamente.
11.3.2 A avaliação psicológica ocorrerá dentro dos parâmetros estabelecidos nas Resoluções do Conselho
Federal de Psicologia (CFP) nº 002/1987, nº 001/2002 e nº 002/2003.
11.3.3 Considera-se avaliação psicológica o processo realizado mediante o emprego de um conjunto de
procedimentos científicos, que permite identificar requisitos psicológicos do candidato exigidos ao exercício
no cargo.
11.3.4 A avaliação psicológica consistirá na aplicação e na avaliação de instrumentos e de técnicas
psicológicas, que permitam identificar a compatibilidade de aspectos psicológicos do candidato com as
atribuições do cargo, tais como:
a) capacidade de atenção;
b) capacidade de memória;
c) inteligência adequada;
d) características de personalidade como: controle emocional, agressividade adequada, iniciativa,
persistência, disciplina e responsabilidade.
11.3.5 A avaliação psicológica poderá compreender a aplicação coletiva e(ou) individual de testes para
aferir os requisitos psicológicos do candidato para o desempenho das atribuições inerentes ao cargo.
11.3.6 Na avaliação psicológica, o candidato será considerado recomendado ou não recomendado.
11.3.6.1 Será considerado recomendado o candidato que apresentar características de personalidade,
capacidade intelectual e habilidades específicas de acordo com requisitos psicológicos necessários para o
exercício do cargo.
11.3.6.2 Será considerado não recomendado o candidato que não apresentar características de
personalidade, capacidade intelectual e(ou) habilidades específicas de acordo com requisitos psicológicos
necessários para o exercício do cargo.
17

11.3.7 A avaliação psicológica será realizada em até duas oportunidades, durante período de realização do
Curso de Formação e Treinamento Profissional promovido pela Academia Estadual de Segurança Pública
(AESP), devendo transcorrer, entre cada oportunidade, no mínimo, 15 dias, na forma do subitem 11.3.7.1
deste edital.
11.3.7.1 A segunda oportunidade para a realização da avaliação psicológica será destinada apenas aos
candidatos ausentes ou considerados não recomendados na primeira oportunidade.
11.3.8 Caso o candidato seja considerado não recomendado, haverá sessão de conhecimento das razões da
não recomendação da avaliação realizada, na qual o candidato, juntamente com um psicólogo por ele
contratado, se assim desejar, terá acesso aos aspectos concernentes à sua não recomendação.
11.3.9 A não recomendação na avaliação psicológica não significa, necessariamente, incapacidade
intelectual e(ou) existência de transtornos de personalidade, indicando apenas que o candidato não
atendeu aos requisitos exigidos para o exercício do cargo.
11.3.10 A avaliação psicológica será realizada por banca examinadora constituída por membros
regularmente inscritos no Conselho Regional de Psicologia.
11.3.11 A banca examinadora deverá utilizar-se de testes psicológicos validados no país e aprovados pelo
Conselho Federal de Psicologia, em conformidade com a Resolução nº 002/2003, de 6 de novembro de
2003.
11.3.12 Será eliminado e não terá classificação alguma no concurso o candidato considerado não
recomendado na segunda oportunidade da avaliação psicológica ou que não comparecer à avaliação no
local, na data e no(s) horário(s) previsto para a sua realização, no edital específico de convocação.
11.3.13 A publicação do resultado da avaliação psicológica listará apenas os candidatos recomendados, em
obediência ao que preceitua o art. 6.º da Resolução nº 001/2002 do Conselho Federal de Psicologia, de 19
de abril de 2002.
11.3.14 Demais informações a respeito da avaliação psicológica constarão de edital específico de
convocação para essa fase.
11.3.15 DOS RECURSOS CONTRA O RESULTADO PROVISÓRIO NA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA
11.3.15.1 O candidato que desejar interpor recursos contra o resultado provisório na avaliação psicológica
disporá de dois dias para fazê-lo, conforme procedimentos disciplinados no respectivo edital de resultado
provisório.
11.4 DA AVALIAÇÃO DE CAPACIDADE FÍSICA
11.4.1 Serão convocados para a avaliação de capacidade física todos os candidatos considerados
recomendados na avaliação psicológica.
11.4.1.1 A avaliação de capacidade física, de caráter eliminatório, visa aferir a capacidade física do candidato
para realizar o Curso de Formação Profissional de Soldado Bombeiro Militar.
11.4.1.2 A avaliação de capacidade física é composta pelos seguintes testes, que serão realizados na
seguinte ordem:
a) flexão abdominal;
b) natação;
c) corrida de 50 metros rasos;
d) flexão de braço na barra fixa;
e) corrida de 12 minutos.
11.4.2 O candidato será considerado apto ou inapto na avaliação de capacidade física. O candidato que
18

deixar de realizar qualquer um dos testes no prazo determinado ou conforme previsto neste edital, será
considerado inapto e, portanto, eliminado do concurso e não terá classificação alguma, ressalvado o
disposto no subitem 11.4.4.1 deste edital.
11.4.3 A avaliação de capacidade física consistirá em submeter o candidato aos testes a que se refere o
subitem 11.4.1.1, seguido a forma de execução descrita no subitem 11.4.7 deste edital.
11.4.4 Os testes previstos acontecerão em dois dias seguidos: os testes a que se referem as alíneas "a" e "b"
do subitem 11.4.1.1 deste edital serão realizados no primeiro dia e os testes a que referem as alíneas "c", "d"
e "e", no segundo dia.
11.4.4.1 Haverá duas oportunidades, em dias distintos, para a realização da avaliação de capacidade física.
Os candidatos considerados inaptos na primeira oportunidade da avaliação de capacidade física terão uma
segunda oportunidade para realizá-la, após um período mínimo de 15 dias contados da data de realização
da primeira oportunidade.
11.4.4.1.1 Os candidatos que, na primeira oportunidade, não obtiverem êxito em qualquer um dos testes,
não poderão realizar os testes seguintes e serão considerados inaptos nesta primeira oportunidade da
avaliação de capacidade física.
11.4.4.1.2 Os candidatos que não alcançarem o índice mínimo exigido em qualquer um dos testes na
segunda oportunidade serão considerados inaptos e, consequentemente, eliminados do certame.
11.4.5 A contagem oficial de tempo, da distância percorrida e do número de repetições dos candidatos em
cada teste será, exclusivamente, a realizada pela banca.
11.4.6 O candidato deverá comparecer em data, em local e em horário a serem oportunamente divulgados
em edital específico, com roupa apropriada para a prática de atividade física.
11.4.6.1 No momento da identificação, o candidato receberá um número, que deverá ser afixado em sua
camiseta e não poderá ser retirado até o final da avaliação de capacidade física.
11.4.7 DA FORMA DE EXECUÇÃO DOS TESTES
11.4.7.1 TESTE DE FLEXÃO ABDOMINAL
11.4.7.1.1 Os índices mínimos a serem alcançados pelos candidatos estão descritos no quadro a seguir:
MASCULINO
TEMPO EM SEGUNDOS
NÚMERO DE REPETIÇÕES
1 minuto
42 repetições
FEMININO
TEMPO EM SEGUNDOS
NÚMERO DE REPETIÇÕES
1 minuto
36 repetições

11.4.7.1.2 O teste terá a duração de 1 minuto e será iniciado e terminado com um silvo de apito. A
metodologia para a preparação e a execução do teste de flexão abdominal para os candidatos dos sexos
masculino e feminino obedecerá aos seguintes critérios:
a) a posição inicial será tomada com o candidato deitado de costas, na posição completamente horizontal
de todo o corpo em relação ao solo, com as costas e a cabeça em contato pleno com o solo, joelhos
estendidos, os braços atrás da cabeça, cotovelos estendidos e dorso das mãos tocando o solo;
19

b) após o silvo de apito, o candidato começará a primeira fase do movimento, realizando um movimento
simultâneo, em que os joelhos deverão ser flexionados, os pés deverão tocar o solo, o quadril deverá ser
flexionado (posição sentado) e os cotovelos deverão alcançar ou ultrapassar os joelhos pelo lado de fora do
corpo. Em seguida, e sem interrupção, o candidato deverá voltar à posição inicial realizando o movimento
inverso. Esse movimento completo, finalizado com o retorno à posição inicial, corresponderá a uma
unidade de execução.
11.4.7.1.3 A contagem das execuções corretas levará em consideração as seguintes observações:
a) o teste terá a duração de 1 minuto e será iniciado e terminado com um silvo de apito;
b) o auxiliar de banca irá contar em voz alta o número de repetições realizadas; quando o exercício não
atender ao previsto neste edital, o auxiliar de banca repetirá o número da última repetição realizado de
maneira correta;
c) cada execução começa e termina sempre na posição inicial; somente aí será contada uma execução
completa;
d) na primeira fase do movimento, os joelhos devem ser flexionados, os pés devem tocar o solo, o tronco
deve ser flexionado e os cotovelos devem alcançar ou ultrapassar os joelhos pelo lado de fora;
e) ao final de cada repetição, a cabeça, o dorso das mãos e os calcanhares (com os joelhos completamente
estendidos) também devem encostar-se ao solo;
f) só será contada a repetição realizada completa e corretamente, começando e terminando sempre na
posição inicial;
g) se, ao soar o apito para o término do teste, o candidato estiver em meio à execução, essa repetição não
será computada.
11.4.7.1.4 No dia de realização do teste, caso o candidato não alcance o índice mínimo na primeira
tentativa, poderá realizar a segunda tentativa, após o tempo mínimo de 5 minutos de intervalo da primeira
realização.
11.4.7.1.4.1 O candidato que não obtiver êxito na segunda tentativa do teste não poderá realizar o teste
seguinte e será considerado inapto na primeira oportunidade da avaliação de capacidade física.
11.4.7.2 TESTE DE NATAÇÃO
11.4.7.2.1 Os índices mínimos a serem alcançados pelos candidatos estão descritos no quadro a seguir:
MASCULINO
DISTÂNCIA EM METROS
TEMPO EM SEGUNDOS
50 metros
50 segundos
FEMININO
DISTÂNCIA EM METROS
TEMPO EM SEGUNDOS
50 metros
60 segundos
11.4.7.2.2 A metodologia para a preparação e a execução do teste de natação para o candidato dos sexos
masculino e do feminino será constituída de:
a) ao comando "em posição", o candidato deverá posicionar-se em pé, fora da piscina;

20

b) ao comando da banca examinadora, emitido por sinal sonoro, o candidato deverá saltar na piscina e
nadar 50 metros em nado livre, no tempo máximo estipulado no quadro constante do subitem 11.4.7.2.1
deste edital;
c) na virada, será permitido ao candidato tocar a borda e impulsionar-se na parede (borda) ­ isso ocorrerá
somente quando o comprimento da piscina for menor que 50 metros;
d) a chegada dar-se-á quando o candidato tocar, com qualquer parte do corpo, a borda de chegada.
11.4.7.2.3 Será proibido ao candidato, quando da realização do teste de natação:
a) apoiar-se ou impulsionar-se na borda lateral, na parede lateral ou na raia;
b) parar de nadar durante o teste, exceto quando houver necessidade de tocar a borda para continuar a
nadar;
c) dar ou receber qualquer ajuda física;
d) utilizar qualquer acessório que facilite o ato de nadar, exceto touca e óculos de natação.
11.4.7.2.4 O teste de natação de 50 metros será realizado em piscina.
11.4.7.2.5 No dia de realização do teste, caso o candidato não alcance o índice mínimo na primeira
tentativa, poderá realizar a segunda tentativa, após o tempo mínimo de 5 minutos de intervalo da primeira
realização.
11.4.7.2.5.1 O candidato que não obtiver êxito na segunda tentativa do teste não poderá realizar o teste
seguinte e será considerado inapto na primeira oportunidade da avaliação de capacidade física.
11.4.7.3 DA CORRIDA DE 50 METROS RASOS
11.4.7.3.1 O teste de corrida de 50 metros será realizado em local plano sem obstáculo e que possua, além
dos 50 metros, um espaço de pelo menos um metro antes da linha de saída e um outro espaço, de 15 a 20
metros, após a linha de chegada.
11.4.7.3.2 Os índices mínimos a serem alcançados pelos candidatos estão descritos no quadro a seguir:
SEXO
Masculino
Feminino

TEMPO (EM SEGUNDOS)
10 segundos
12 segundos

11.4.7.3.3 A metodologia para a preparação e a execução do teste de corrida de 50 metros para os
candidatos dos sexos masculino e feminino será constituída de:
a) ao comando "em posição", o candidato se posiciona em afastamento anteroposterior das pernas e com o
pé da frente o mais próximo possível da linha de partida e sem tocá-la;
b) no momento em que o examinador emitir o comando "atenção", o candidato deverá se preparar;
c) após o examinador emitir o comando "já", o candidato deverá iniciar a corrida e o cronômetro será
acionado;
d) na linha de chegada, haverá um fiscal segurando uma bandeira com o braço na vertical. Quando o
candidato ultrapassar a linha de chegada, o fiscal abaixará a bandeira, momento em que o examinador
travará o cronômetro.
11.4.7.3.4 Não será permitido ao candidato, quando da realização do teste de corrida de 50 metros rasos:
a) iniciar a corrida antes do comando "já" emitido pelo examinador;
b) dar ou receber qualquer ajuda física;
c) utilizar qualquer acessório que facilite o ato de correr.
21

11.4.7.3.5 Durante o teste de corrida de 50 metros, os candidatos do sexo feminino e masculino deverão
percorrer a distância de 50 metros.
11.4.7.3.6 Será concedida uma segunda tentativa ao candidato que não obtiver o desempenho mínimo na
primeira, após um tempo não menor do que 5 minutos da realização da tentativa inicial.
11.4.7.3.7 Será considerado inapto em quaisquer das duas oportunidades de realização da avaliação de
capacidade física:
a) o candidato do sexo masculino que não correr 50 metros em até 10 segundos;
b) a candidata do sexo feminino que não correr 50 metros em até 12 segundos.
11.4.7.3.8 No dia de realização do teste, caso o candidato não alcance o índice mínimo na primeira
tentativa, poderá realizar a segunda tentativa, após o tempo mínimo de 5 minutos de intervalo da primeira
realização.
11.4.7.3.8.1 O candidato que não obtiver êxito na segunda tentativa do teste não poderá realizar o teste
seguinte e será considerado inapto na primeira oportunidade da avaliação de capacidade física.
11.4.7.4 TESTE DE FLEXÃO DE BARRA FIXA
11.4.7.4.1 Teste dinâmico de flexão de barra fixa, somente para os candidatos do sexo masculino:
a) posição inicial: o candidato posiciona-se sob a barra, à frente do examinador. Ao comando de "em
posição", o candidato empunhará a barra com as palmas das mãos voltadas para fora (empunhadura em
pronação), mantendo os braços completamente estendidos, com o corpo na posição vertical, pernas
estendidas e pés sem contato com o solo.
b) execução: ao comando de "iniciar", o candidato flexionará simultaneamente os cotovelos até ultrapassar
com o queixo a parte superior da barra. Em seguida, voltará à posição inicial pela extensão completa dos
braços. O corpo deve permanecer na posição vertical durante o exercício.
11.4.7.4.1.1 O exercício deverá ser executado em, no mínimo, 5 repetições corretas. A contagem das
execuções corretas levará em consideração as seguintes observações:
a) um componente da banca irá contar em voz alta o número de repetições realizadas;
b) quando o exercício não atender ao previsto neste edital, o auxiliar de banca repetirá o número do último
realizado de maneira correta e quando se tratar movimento inicial, o auxiliar de banca dirá "zero";
c) a contagem oficial será somente a realizada pela banca examinadora;
d) cada execução começa e termina com os cotovelos totalmente estendidos ­ somente aí será contada
como uma execução completa;
e) o teste somente será iniciado com o candidato na posição completamente vertical de todo o corpo e
após o comando dado pelo auxiliar de banca;
f) excepcionalmente e para evitar que os candidatos mais altos toquem os pés no solo estando na posição
inicial, será permitida, neste caso, a flexão dos joelhos;
g) cada execução começa e termina com os cotovelos totalmente estendidos ­ somente aí será contada
como uma execução completa e correta. A não extensão total dos cotovelos, antes do início de uma nova
execução, será considerada um movimento incorreto, o qual não será computado no desempenho do
candidato;
h) o movimento deve ser dinâmico, ou seja, o candidato não pode parar para "descansar";
i) o movimento a ser realizado deve ser unicamente de flexão e extensão de cotovelos.
11.4.7.4.1.2 Será proibido ao candidato, quando da realização do teste dinâmico de barra:
a) tocar com o(s) pé(s) no solo ou em qualquer parte de sustentação da barra após o início das execuções,
22

sendo que, para evitar que os candidatos mais altos toquem os pés no solo, será permitido, neste caso, a
flexão dos joelhos;
b) após a tomada de posição inicial, receber qualquer tipo de ajuda física;
c) apoiar o queixo na barra;
d) após ultrapassar o queixo em relação à barra, simplesmente soltar as mãos, em vez de completar o
movimento com os cotovelos totalmente estendidos.
11.4.7.4.1.3 No dia de realização do teste, caso o candidato não alcance o índice mínimo na primeira
tentativa, poderá realizar a segunda tentativa, após o tempo mínimo de 5 minutos de intervalo da primeira
realização.
11.4.7.4.1.3.1 O candidato que não obtiver êxito na segunda tentativa do teste não poderá realizar o teste
seguinte e será considerado inapto na primeira oportunidade da avaliação de capacidade física.
11.4.7.4.2 Teste estático de flexão de barra fixa, somente para as candidatas do sexo feminino:
a) posição inicial: a candidata posiciona-se sob a barra, à frente do examinador, pisando sobre um ponto de
apoio. Ao comando de "em posição", a candidata empunhará a barra com as palmas das mãos voltadas
para fora (empunhadura em pronação), mantendo os braços completamente flexionados, com o corpo na
posição vertical, pernas estendidas e pés em contato com o ponto de apoio.
b) execução: ao comando de iniciar, o ponto de apoio é retirado, devendo a candidata permanecer com os
dois braços completamente flexionados e com o queixo acima da barra horizontal, porém sem apoiar com o
queixo sobre a barra. A partir dessa posição o examinador, com o auxílio de um cronômetro, registrará o
tempo (estático) de permanência da candidata na posição. O tempo mínimo de permanência é de 8
segundos.
11.4.7.4.2.1 A contagem do tempo levará em consideração as seguintes observações:
a) a largura da pegada deve ser aproximadamente a dos ombros;
b) o auxiliar de banca informará à candidata quando esta atingir o tempo mínimo exigido pelo edital;
c) quando o exercício não atender ao previsto neste edital, o auxiliar de banca travará de imediato o seu
cronômetro e registrará o tempo obtido até o momento em que o exercício estava sendo realizado de
maneira prevista no edital;
d) o tempo de realização do exercício que será considerado oficialmente será somente o realizado pelo
integrante da banca examinadora;
e) para evitar que as candidatas mais altas toquem os pés no solo, será permitido, neste caso, a flexão dos
joelhos.
11.4.7.4.3 No dia de realização do teste, caso o candidato não alcance o índice mínimo na primeira
tentativa, poderá realizar a segunda tentativa, após o tempo mínimo de 5 minutos de intervalo da primeira
realização.
11.4.7.4.3.1 O candidato que não obtiver êxito na segunda tentativa do teste não poderá realizar o teste
seguinte e será considerado inapto na primeira oportunidade da avaliação de capacidade física.
11.4.7.5 DO TESTE DE CORRIDA DE 12 MINUTOS
11.4.7.5.1 O teste de corrida de 12 minutos será realizado em local previamente demarcado, com
identificação de metragem ao longo do trajeto, com os seguintes índices mínimos para os candidatos do
sexo masculino e para as candidatas do sexo feminino:

23

MASCULINO
DISTÂNCIA EM METROS
2.400 metros

TEMPO EM MINUTOS
12 minutos
FEMININO

DISTÂNCIA EM METROS
2.000 metros

TEMPO EM MINUTOS
12 minutos

11.4.7.5.2 Para a realização do teste de corrida, o candidato poderá, durante os 12 minutos, deslocar-se em
qualquer ritmo, correndo ou caminhando, e podendo, inclusive, parar e depois prosseguir.
11.4.7.5.3 Durante a realização do teste, o candidato não poderá abandonar a pista antes da liberação do
fiscal, dar ou receber qualquer tipo de ajuda física (como puxar, empurrar, carregar, segurar na mão etc.),
bem como deslocar-se, finalizados os 12 minutos, no sentido progressivo ou regressivo da marcação da
pista sem a respectiva liberação do fiscal, sob pena de ser considerado inapto e, consequentemente,
eliminado do concurso.
11.4.7.5.4 A execução deste teste levará em consideração as seguintes observações:
a) será considerada distância oficial percorrida pelo candidato somente aquela observada pela banca
examinadora;
b) o candidato poderá caminhar, parar e, se quiser, recomeçar a correr;
c) o candidato não poderá abandonar o local de corrida;
d) os comandos para iniciar e terminar o teste serão dados por um silvo de apito;
e) o relógio do examinador controlará o tempo oficial, sendo o único que servirá de referência para o início
e término da prova;
f) ao passar pelo local de início do teste, cada candidato deverá dizer em voz alta o número afixado em sua
camiseta para o auxiliar de banca que estiver marcando o seu percurso e será informado de quantas voltas
completou naquele momento;
g) orienta-se que, após o apito que indica o término da prova, o candidato não pare bruscamente a corrida,
evitando ter um mal súbito e que continue a correr ou caminhar no sentido transversal da pista
(lateralmente), no ponto em que se encontrava quando soou o apito de término da prova;
h) ao soar o apito encerrando a prova, o candidato deve permanecer no ponto onde estava naquele
momento, sendo permitido o seu deslocamento para a parte lateral da pista, conforme disposto na alínea
"g", e aguardar a presença do fiscal que irá aferir mais precisamente a metragem percorrida.
11.4.7.5.5 Não será concedida segunda tentativa para realização do teste de corrida de 12 minutos.
11.4.8 DAS DISPOSIÇÕES GERAIS SOBRE A AVALIAÇÃO DE CAPACIDADE FÍSICA
11.4.8.1 O candidato que não realizar a avaliação de capacidade física ou não atingir a performance mínima
em qualquer um dos testes de capacidade física estabelecidos no subitem 11.4.1.1 ou que não comparecer
para a sua realização nas datas previstas no edital de convocação para essa fase será considerado inapto e,
consequentemente, eliminado do concurso público, não tendo classificação alguma.
11.4.8.2 Os casos de alteração psicológica e(ou) fisiológica temporários (estados menstruais, gravidez,
indisposições, cãibras, contusões, luxações, fraturas etc.) que impossibilitem a realização da avaliação de
24

capacidade física ou diminuam a capacidade física dos candidatos não serão levados em consideração, não
sendo concedido qualquer tratamento privilegiado.
11.4.8.3 Será considerado apto na prova de capacidade física o candidato que atingir a performance mínima
em todos os testes estabelecida no subitem 11.4.1.1 deste edital, na mesma oportunidade de realização
desses testes.
11.4.8.4 A critério da Administração, a realização da avaliação de capacidade física poderá ser remarcada,
desde que a necessidade seja devidamente justificada.
11.4.8.5 Demais informações a respeito da avaliação de capacidade física constarão de edital específico de
convocação para essa fase.
11.4.9 DOS RECURSOS CONTRA O RESULTADO PROVISÓRIO NA AVALIAÇÃO DE CAPACIDADE FÍSICA
11.4.9.1 O candidato que desejar interpor recursos contra o resultado provisório na avaliação de
capacidade física disporá de dois dias para fazê-lo, conforme procedimentos disciplinados no respectivo
edital de resultado provisório.
11.5 DA INVESTIGAÇÃO SOCIAL
11.5.1 Será de responsabilidade da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social a realização da
investigação social, que consiste na coleta e análise de informações sobre a vida pregressa e atual e a
conduta individual e social do candidato, conforme dispõe a Instrução Normativa nº 01/2011, de 18 de
outubro de 2011, publicada no Diário Oficial do Estado do Ceará de 9 de novembro de 2011 e demais
normas vigentes a partir do início do Curso de Formação Profissional.
11.5.2 A investigação social tem caráter eliminatório e visa apurar se o candidato ao cargo apresenta
procedimento social e tem idoneidade moral compatíveis com a dignidade da função de militar estadual,
conforme as informações coletadas e processadas pelos órgãos competentes, verificando se os padrões
ético-morais são consentâneos com a vida do Soldado Bombeiro Militar.
11.5.3 A investigação social obedecerá aos critérios constantes em normatização própria, vigente do início
de sua realização.
11.6 DAS PROVAS FINAIS DO CURSO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL
11.6.1 DA PROVA OBJETIVA DO CURSO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL
11.6.1.1 Será aplicada, ao final do Curso de Formação Profissional, uma prova objetiva, de caráter
eliminatório e classificatório, que valerá 10,00 pontos e será composta de 100 itens que versarão sobre
todos os conteúdos abordados no Curso.
11.6.3.1.1 A nota em cada item da prova objetiva, feita com base nas marcações da folha de respostas, será
igual a: 0,10 ponto, caso a resposta do candidato esteja em concordância com o gabarito oficial definitivo
das provas e 0,00, caso esteja em discordância com o gabarito oficial definitivo das provas, caso não haja
marcação ou haja marcação dupla (C e E).
caso não haja marcação ou haja marcação dupla (C e E).
11.6.1.2 A prova objetiva será do tipo certo/errado.
11.6.1.3 A prova objetiva será constituída de itens para julgamento, agrupados por comandos que deverão
ser respeitados. O julgamento de cada item será CERTO ou ERRADO, de acordo com o(s) comando(s) a que
se refere o item. Haverá, na folha de respostas, para cada item, dois campos de marcação: o campo
designado com o código C, que deverá ser preenchido pelo candidato caso julgue o item CERTO e o campo
designado com o código E, que deverá ser preenchido pelo candidato caso julgue o item ERRADO.
11.6.1.4 O candidato que, por qualquer motivo, não se submeter à avaliação prevista, receberá nota zero.
25

11.6.1.5 Será considerado reprovado e eliminado do certame o candidato que obtiver nota final na prova
objetiva do Curso de Formação Profissional inferior a 70% dos pontos possíveis.
11.6.1.6 O candidato que utilizar e(ou) tentar utilizar meios fraudulentos para a realização da prova, em
favor próprio ou de terceiros, será eliminado do certame.
11.6.1.7 Demais informações a respeito da prova objetiva do Curso de Formação Profissional serão
divulgadas no edital de convocação para essa etapa.
11.6.2 DOS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DA PROVA OBJETIVA DO CURSO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL
11.6.2.1 Todas as folhas de respostas da prova objetiva do Curso de Formação Profissional serão corrigidas
por meio de processamento eletrônico.
11.6.2.2 A nota na prova objetiva do Curso de Formação Profissional será igual à soma das notas obtidas em
todos os itens que a compõem.
11.6.2.3 Será reprovado na prova objetiva do Curso de Formação Profissional e eliminado do concurso
público o candidato que obtiver nota inferior a 7,00 pontos.
11.6.2.4 O candidato eliminado na forma do subitem anterior deste edital não terá classificação alguma no
concurso público.
11.6.2.5 Os candidatos não eliminados na forma do subitem 11.6.2.3 deste edital serão ordenados de
acordo com os valores decrescentes da nota final na prova objetiva do Curso de Formação Profissional.
11.6.2.6 As informações a respeito de notas poderão ser acessadas por meio dos editais de resultados. Não
serão fornecidas informações que já constem dos editais ou fora dos prazos previstos nesses editais.
11.6.3 DAS PROVAS PRÁTICAS
11.6.3.1 Será aplicada, ao final das disciplinas Educação Física Militar, Prevenção e Combate a Incêndio e
Tiro Defensivo, uma prova prática por disciplina, de caráter eliminatório e classificatório, a ser realizada sob
a responsabilidade da AESP/CE.
11.6.3.2 As provas práticas têm por finalidade avaliar o desempenho operacional no aprendizado dos
conhecimentos de natureza prática relativos à disciplina citadas no subitem 11.6.3.1 deste edital.
11.6.3.3 As provas práticas valerão, cada uma, 10,00 pontos.
11.6.3.3.1 Será reprovado nas provas práticas do Curso de Formação Profissional e eliminado do concurso
público o candidato que obtiver nota inferior a 7,00 pontos, em qualquer uma das provas práticas.
11.6.3.4 Os parâmetros para avaliação nas provas práticas serão definidos no Plano de Ação Educacional
(PAE) da AESP.
11.6.4 DOS RECURSOS
11.6.4.1 O candidato que desejar interpor recursos contra os gabaritos oficiais preliminares da prova
objetiva ou contra o resultado provisório nas provas práticas do Curso de Formação Profissional disporá de
dois dias para fazê-lo, conforme procedimentos disciplinados no respectivo edital de resultado provisório.
11.6.5 DA NOTA DE AVALIAÇÃO DE CONDUTA
11.6.5.1 A nota de avaliação de conduta (NAC) integra a nota final no Curso de Formação Profissional,
conforme descriminado no art. 58 do Regime Acadêmico da AESP/CE, publicado no Diário Oficial do Estado
do Ceará, de 16 de julho de 2013, e tem por objetivo mensurar a conduta disciplinar do aluno.
11.6.5.2 O aluno iniciará o Curso de Formação Profissional com NAC igual a 10,00 pontos e, caso atinja nota
inferior a 5,00 pontos, será automaticamente desligado do referido curso, a qualquer momento do
semestre.
26

11.6.5.3 O cometimento de transgressão disciplinar acadêmica implicará a redução de pontos na NAC, de
acordo com a classificação da respectiva transgressão, nos parâmetros a seguir discriminados:
a) leve: redução de 0,2 (dois) décimos, a cada transgressão;
b) média: redução de 0,5 (cinco) décimos, a cada transgressão;
c) grave: redução de 1,0 (um) ponto, a cada transgressão.
11.6.5.4 No caso de reincidência no cometimento de transgressão leve e média a pontuação acima será
descontada em dobro.
11.6.5.5 Dependendo da natureza da transgressão disciplinar, de acordo com o Inciso IV do Art. 101 do
Regime Acadêmico da AESP/CE, o candidato poderá ser desligado independentemente da NAC ser inferior a
5,00 pontos.
11.7 DA NOTA FINAL NO CURSO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL
11.7.1 A nota da prova final objetiva do Curso de Formação Profissional (NPFO) equivalerá a 70% da nota
final do candidato no referido curso, a média das notas das provas práticas (MNPP) equivalerá a 20% e a
nota de avaliação de conduta (NAC) equivalerá a 10% da nota final do candidato no referido curso.
11.7.2 A fórmula para cálculo da média das notas das provas práticas será:
MNPP= (NPP1+NPP2+NPP3)/3 em que: NPP1 é a nota da prova prática da disciplina de Educação Física
Militar, NPP2 é a nota na prova prática da disciplina de Prevenção e Combate a Incêndio e NPP3 é a nota na
prova prática da disciplina de Tiro Defensivo.
11.7.3 A fórmula para cálculo da nota final do candidato (NFC) no Curso de Formação Profissional será:
NFC= (NPFO × 0,70) + (MNPP × 0,20) + (NAC × 0,10)
11.7.4 A nota mínima para obter aprovação no Curso de Formação Profissional será NFC 7,00 pontos,
conforme disposto no Regime Acadêmico da AESP/CE, publicado no Diário Oficial do Estado do Ceará nº
130, de 16 de julho de 2013.
11.10.5 Os candidatos reprovados no Curso de Formação Profissional serão eliminados do certame, não
obtendo classificação alguma.
12 DA NOTA FINAL NO CONCURSO
12.1 A nota final no concurso será a nota final no Curso de Formação Profissional (NFC).
12.2 Os candidatos serão ordenados por turma, de acordo com os valores decrescentes das notas finais no
concurso, conforme subitem 12.1 deste edital, observados os critérios de desempate deste edital.
12.3 Todos os cálculos citados neste edital serão considerados até a segunda casa decimal, arredondandose para o número imediatamente superior se o algarismo da terceira casa decimal for igual ou superior a
cinco.
13 DOS CRITÉRIOS DE DESEMPATE NA CLASSIFICAÇÃO FINAL NO CONCURSO
13.1 Em caso de empate na nota final no concurso, terá preferência o candidato que, na seguinte ordem:
a) obtiver a maior nota na avaliação de conduta do Curso de Formação Profissional;
b) obtiver a maior nota nas provas práticas do Curso de Formação Profissional;
c) obtiver a maior nota na prova objetiva do Curso de Formação Profissional;
d) tiver exercido a função de jurado (conforme artigo 440 do Código de Processo Penal).
13.1.1 Os candidatos a que se refere a alínea "d" deste edital serão convocados, antes do resultado final do
concurso, para a entrega da documentação que comprovará o exercício da função de jurado.
13.1.2 Para fins de comprovação da função citada no subitem anterior, serão aceitas certidões, declarações,
atestados ou outros documentos públicos (original ou cópia autenticada em cartório) emitidos pelos
27

Tribunais de Justiça Estaduais e Regionais Federais do País, relativos ao exercício da função de jurado, nos
termos do art. 440 do CPP, a partir de 10 de agosto de 2008, data da entrada em vigor da Lei nº
11.689/2008.
13.2 Persistindo o empate, terá preferência do candidato de maior idade.
14 DAS DISPOSIÇÕES FINAIS
14.1 A inscrição do candidato implicará a aceitação das normas para o concurso público contidas nos
comunicados, neste edital e em outros a serem publicados.
14.2 É de inteira responsabilidade do candidato acompanhar a publicação de todos os atos, editais e
comunicados referentes a este concurso público publicados no Diário Oficial do Estado do Ceará e(ou)
divulgados na internet, no endereço eletrônico http://www.cespe.unb.br/concursos/cbm_ce_13_soldado.
14.3 O candidato poderá obter informações referentes ao concurso público na Central de Atendimento do
CESPE/UnB, localizada na Universidade de Brasília (UnB) ­ Campus Universitário Darcy Ribeiro, Sede do
CESPE/UnB ­ Asa Norte, Brasília/DF, por meio do telefone (61) 3448-0100, ou via internet, no endereço
eletrônico http://www.cespe.unb.br/concursos/cbm_ce_13_soldado, ressalvado o disposto no subitem 14.5
deste edital e por meio do endereço eletrônico [email protected]
14.4 O candidato que desejar relatar ao CESPE/UnB fatos ocorridos durante a realização do concurso
deverá fazê-lo junto à Central de Atendimento do CESPE/UnB, postando correspondência para a Caixa
Postal 4488, CEP 70904-970, Brasília/DF, encaminhando mensagem pelo fax de número (61) 3448-0110 ou
enviando e-mail para o endereço eletrônico [email protected]
14.5 Não serão dadas por telefone informações a respeito de datas, locais e horários de realização das
provas. O candidato deverá observar rigorosamente os editais e os comunicados a serem divulgados na
forma do subitem 14.2 deste edital.
14.5.1 Não serão fornecidas informações e documentos pessoais de candidatos a terceiros, em atenção ao
disposto no artigo 31 da Lei nº 12.527, de 18 de novembro de 2011.
14.6 O candidato poderá protocolar requerimento, instruído com cópia do documento de identidade e do
CPF, relativo ao concurso. O requerimento poderá ser feito pessoalmente mediante preenchimento de
formulário próprio, à disposição do candidato na Central de Atendimento do CESPE/UnB, no horário das 8
horas às 19 horas, ininterruptamente, exceto sábado, domingo e feriado.
14.6.1 O candidato poderá ainda enviar requerimento por meio de correspondência, fax ou e-mail,
observado o subitem 14.4 deste edital.
14.7 O candidato que desejar corrigir o nome fornecido durante o processo de inscrição deverá encaminhar
requerimento de solicitação de alteração de dados cadastrais, via SEDEX ou carta registrada com aviso de
recebimento, para a Central de Atendimento do CESPE/UnB ­ CBM/CE Soldado 2013­ Caixa Postal 4488,
CEP 70904-970, Brasília/DF, contendo cópia autenticada em cartório dos documentos que contenham os
dados corretos ou cópia autenticada em cartório da sentença homologatória de retificação do registro civil,
que contenham os dados corretos.
14.7.1 O candidato poderá, ainda, entregar das 8 horas às 19 horas (exceto sábado, domingo e feriado),
pessoalmente ou por terceiro, o requerimento de solicitação de alteração de dados cadastrais, na forma
estabelecida no subitem 14.7 deste edital, na Central de Atendimento do CESPE/UnB, localizada na
Universidade de Brasília (UnB) ­ Campus Universitário Darcy Ribeiro, Sede do CESPE/UnB ­ Asa Norte,
Brasília/DF.
28

14.8 O candidato deverá comparecer ao local designado para a realização das provas com antecedência
mínima de uma hora do horário fixado para seu início, munido somente de caneta esferográfica de tinta
preta, fabricada em material transparente, do comprovante de inscrição ou do comprovante de
pagamento da taxa de inscrição e do documento de identidade original. Não será permitido o uso de lápis,
lapiseira/grafite, marca-texto e(ou) borracha durante a realização das provas.
14.9 Serão considerados documentos de identidade: carteiras expedidas pelos Comandos Militares, pelas
Secretarias de Segurança Pública, pelos Institutos de Identificação e pelos Corpos de Bombeiros Militares;
carteiras expedidas pelos órgãos fiscalizadores de exercício profissional (ordens, conselhos etc.); passaporte
brasileiro; certificado de reservista; carteiras funcionais expedidas por órgão público que, por lei federal,
valham como identidade; carteira de trabalho; carteira de identidade do trabalhador; carteira nacional de
habilitação (somente o modelo com foto).
14.9.1 Não serão aceitos como documentos de identidade: certidões de nascimento, CPF, títulos eleitorais,
carteiras de motorista (modelo sem foto), carteiras de estudante, carteiras funcionais sem valor de
identidade ou documentos ilegíveis, não identificáveis e(ou) danificados.
14.9.2 Não será aceita cópia do documento de identidade, ainda que autenticada, nem protocolo do
documento.
14.10 Por ocasião da realização das provas, o candidato que não apresentar documento de identidade
original, na forma definida no subitem 14.9 deste edital, não poderá fazer as provas e será eliminado do
concurso público.
14.11 Caso o candidato esteja impossibilitado de apresentar, no dia de realização das provas, documento
de identidade original, por motivo de perda, roubo ou furto, deverá ser apresentado documento que ateste
o registro da ocorrência em órgão policial expedido há, no máximo, 90 dias, ocasião em que será submetido
à identificação especial, compreendendo coleta de dados e de assinaturas em formulário próprio.
14.11.1 A identificação especial será exigida, também, ao candidato cujo documento de identificação
apresente dúvidas relativas à fisionomia ou à assinatura do portador.
14.12 Não serão aplicadas provas em local, data ou horário diferentes dos predeterminados em edital ou
em comunicado.
14.13 Não será admitido ingresso de candidato no local de realização das provas após o horário fixado para
seu início.
14.14 O candidato deverá permanecer obrigatoriamente no local de realização das provas por, no mínimo,
uma hora após o início das provas.
14.14.1 A inobservância do subitem anterior acarretará a não correção das provas e, consequentemente, a
eliminação do candidato do concurso público.
14.15 O CESPE/UnB manterá um marcador de tempo em cada sala de provas para fins de acompanhamento
pelos candidatos.
14.16 O candidato que se retirar do ambiente de provas sem a devida autorização não poderá retornar em
hipótese alguma.
14.17 O candidato somente poderá retirar-se do local de realização das provas levando o caderno de provas
no decurso dos últimos quinze minutos anteriores ao horário determinado para o término das provas.
14.18 Não haverá, por qualquer motivo, prorrogação do tempo previsto para a aplicação das provas em
razão do afastamento de candidato da sala de provas.
29

14.19 Não haverá segunda chamada para a realização das provas. O não comparecimento ao local de
realização das provas nos dias e horários determinados implicará a eliminação automática do candidato.
14.20 Não serão permitidas, durante a realização das provas, a comunicação entre os candidatos e a
utilização de máquinas calculadoras ou similares, livros, anotações, réguas de cálculo, impressos ou
qualquer outro material de consulta, inclusive códigos e(ou) legislação.
14.21 Será eliminado do concurso o candidato que, durante a realização das provas, for surpreendido
portando aparelhos eletrônicos, tais como: máquinas calculadoras, agendas eletrônicas ou similares,
telefones celulares, smartphones, tablets, iPod®, gravadores, pendrive, mp3 player ou similar, qualquer
receptor ou transmissor de dados e mensagens, bipe, notebook, palmtop, walkman®, máquina fotográfica,
controle de alarme de carro etc., bem como relógio de qualquer espécie, garrafas que não sejam fabricadas
com material transparente, óculos escuros, protetor auricular ou quaisquer acessórios de chapelaria, tais
como chapéu, boné, gorro etc. e, ainda, lápis, lapiseira/grafite, marca-texto e(ou) borracha.
14.21.1 No ambiente de provas, ou seja, nas dependências físicas em que serão realizadas as provas, não
será permitido o uso pelo candidato de quaisquer dispositivos eletrônicos relacionados no subitem 14.21
deste edital.
14.21.2 Antes de entrar na sala de provas, o candidato deverá guardar, em embalagem porta-objetos
fornecida pela equipe de aplicação, telefone celular desligado ou quaisquer outros equipamentos
eletrônicos desligados relacionados no subitem 14.21 deste edital, sob pena de ser eliminado do concurso.
14.21.2.1 A embalagem porta-objetos devidamente lacrada e identificada pelo candidato deverá ser
mantida embaixo da carteira até o término das suas provas. A embalagem porta-objetos somente poderá
ser deslacrada fora do ambiente de provas.
14.21.2 O CESPE/UnB recomenda que o candidato não leve nenhum dos objetos citados no subitem
anterior no dia de realização das provas.
14.21.3 O CESPE/UnB não ficará responsável pela guarda de quaisquer dos objetos supracitados.
14.21.4 O CESPE/UnB não se responsabilizará por perdas ou extravios de objetos ou de equipamentos
eletrônicos ocorridos durante a realização das provas nem por danos neles causados.
14.22 Não será permitida a entrada de candidatos no ambiente de provas portando armas. O candidato que
estiver armado deverá se encaminhar à Coordenação antes do início das provas para o acautelamento da
arma.
14.23 No dia de realização das provas, o CESPE/UnB poderá submeter os candidatos ao sistema de
detecção de metal nas salas, corredores e banheiros, a fim de impedir a prática de fraude e de verificar se o
candidato está portando material não permitido.
14.24 Terá suas provas anuladas e será automaticamente eliminado do concurso público o candidato que
durante a realização das provas:
a) for surpreendido dando ou recebendo auxílio para a execução das provas;
b) utilizar-se de livros, máquinas de calcular ou equipamento similar, dicionário, notas ou impressos que
não forem expressamente permitidos ou que se comunicar com outro candidato;
c) for surpreendido portando aparelhos eletrônicos ou outros objetos, tais como os listados no subitem
14.21 deste edital;
d) faltar com o devido respeito para com qualquer membro da equipe de aplicação das provas, com as
autoridades presentes ou com os demais candidatos;
30

e) fizer anotação de informações relativas às suas respostas no comprovante de inscrição ou em qualquer
outro meio que não os permitidos;
f) não entregar o material das provas ao término do tempo destinado para a sua realização;
g) afastar-se da sala, a qualquer tempo, sem o acompanhamento de fiscal;
h) ausentar-se da sala, a qualquer tempo, portando a folha de respostas;
i) descumprir as instruções contidas no caderno de provas, na folha de respostas;
j) perturbar, de qualquer modo, a ordem dos trabalhos, causando comportamento indevido;
k) utilizar ou tentar utilizar meios fraudulentos ou ilegais para obter aprovação própria ou de terceiros em
qualquer etapa do concurso público;
l) não permitir a coleta de sua assinatura;
m) for surpreendido portando caneta fabricada em material não transparente;
n) for surpreendido portando anotações em papéis que não os permitidos;
o) recusar-se a ser submetido ao detector de metal;
p) recusar-se a transcrever a frase contida nas instruções da capa da prova para posterior exame
grafológico.
14.25 Nos casos de eventual falta de prova/material personalizado de aplicação de provas, em razão de
falha de impressão ou de equívoco na distribuição de prova/material, o CESPE/UnB tem a prerrogativa para
entregar ao candidato prova/material reserva não personalizado eletronicamente, o que será registrado em
atas de sala e de coordenação.
14.26 No dia de realização da prova, não serão fornecidas, por qualquer membro da equipe de aplicação
dessas ou pelas autoridades presentes, informações referentes ao conteúdo da prova ou aos critérios de
avaliação e de classificação.
14.27 Se, a qualquer tempo, for constatado, por meio eletrônico, estatístico, visual, grafológico ou por
investigação policial, ter o candidato se utilizado de processo ilícito, sua prova será anulada e ele será
automaticamente eliminado do concurso público.
14.28 O descumprimento de quaisquer das instruções supracitadas constituirá tentativa de fraude e
implicará a eliminação do candidato.
14.29 O prazo de validade do concurso esgotar-se-á após dois anos, contados a partir da data de publicação
da homologação do resultado final na primeira turma do Curso de Formação Profissional, podendo ser
prorrogado, uma única vez, por igual período.
14.30 O candidato deverá manter atualizados seus dados pessoais e seu endereço perante o CESPE/UnB
enquanto estiver participando do concurso público, por meio de requerimento a ser enviado à Central de
Atendimento do CESPE/UnB, na forma dos subitens 14.6 ou 14.7 deste edital, conforme o caso, e perante a
AESP/CE, após a homologação do resultado final, desde que aprovado. Serão de exclusiva responsabilidade
do candidato os prejuízos advindos da não atualização de seus dados pessoais e de seu endereço.
14.31 Os casos omissos serão resolvidos pelo CESPE/UnB e pela Comissão Coordenadora do concurso
público, designada pelo Governador do estado do Ceará conforme publicação contida no Diário Oficial do
Estado do Ceará nº 205 de 26 de outubro de 2012.
14.32 As alterações de legislação com entrada em vigor antes da data de publicação deste edital serão
objeto de avaliação, ainda que não mencionadas nos objetos de avaliação constantes do item 15 deste
edital.
31

14.33 A legislação com entrada em vigor após a data de publicação deste edital, bem como as alterações
em dispositivos legais e normativos a ele posteriores não serão objeto de avaliação, salvo se listadas nos
objetos de avaliação constantes do item 15 deste edital.
14.34 Quaisquer alterações nas regras fixadas neste edital só poderão ser feitas por meio de outro edital.
15 DOS OBJETOS DE AVALIAÇÃO (HABILIDADES E CONHECIMENTOS)
15.1 HABILIDADES
15.1.1 Os itens das provas poderão avaliar habilidades que vão além do mero conhecimento memorizado,
abrangendo compreensão, aplicação, análise, síntese e avaliação, com o intuito de valorizar a capacidade
de raciocínio.
15.1.2 Cada item das provas poderá contemplar mais de um objeto de avaliação.
15.2 CONHECIMENTOS
15.2.1 Nas provas, serão avaliados, além de habilidades, conhecimentos conforme descritos a seguir.
15.2.1.1 CONHECIMENTOS BÁSICOS
LÍNGUA PORTUGUESA: 1 Compreensão e interpretação de textos. 2 Tipologia textual. 3 Ortografia oficial. 4
Acentuação gráfica. 5 Emprego das classes de palavras. 6 Emprego/correlação de tempos e modos verbais 7
Emprego do sinal indicativo de crase. 8 Sintaxe da oração e do período. 9 Pontuação. 10 Concordância
nominal e verbal. 11 Regência nominal e verbal. 12 Significação das palavras. 13 Redação de
Correspondências oficiais (Manual de Redação da Presidência da República). 13.1 Adequação da linguagem
ao tipo de documento. 13.2 Adequação do formato do texto ao gênero.
INFORMÁTICA: 1 Sistema operacional (ambiente Windows). 2 Edição de textos, planilhas e apresentações
(ambientes Microsoft Office). 3 Redes de computadores. 3.1 Conceitos básicos, ferramentas, aplicativos e
procedimentos de Internet e intranet. 3.2 Programas de navegação (Microsoft Internet Explorer, Mozilla
Firefox e Google Chrome). 3.3 Programas de correio eletrônico (Outlook Express e Mozilla Thunderbird). 3.4
Sítios de busca e pesquisa na Internet. 3.5 Grupos de discussão. 3.6 Redes sociais. 4 Conceitos de
organização e de gerenciamento de informações, arquivos, pastas e programas. 5 Segurança da informação.
5.1 Procedimentos de segurança. 5.2 Aplicativos para segurança (antivírus, firewall, anti-spyware etc.). 5.3
procedimentos de backup.
MATEMÁTICA: 1 Números inteiros, racionais e reais. 1.1 Problemas de contagem. 2 Sistema legal de
medidas. 3 Razões e proporções; divisão proporcional. 3.1 Regras de três simples e composta. 3.2
Porcentagens. 4 Equações e inequações de 1º e 2º graus. 4.1 Sistemas lineares. 5 Funções. 5.1 Gráficos. 6
Sequências numéricas. 7 Progressão aritmética e geométrica. 8 Noções de probabilidade e estatística. 9
Raciocínio lógico: problemas aritméticos.
ATUALIDADES: 1 Domínio de tópicos atuais e relevantes de diversas áreas, tais como política, economia,
sociedade, educação, tecnologia, energia, relações internacionais, desenvolvimento sustentável, segurança,
artes, literatura, referentes ao Estado do Ceará.
15.2.1.2 CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS
LEGISLAÇÃO PERTINENTE AO CBMCE: 1 Código Disciplinar da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros
Militar do Estado do Ceará (Lei Estadual nº 13.407/2003). 2 Estatuto dos Militares Estaduais do Ceará (Lei
Estadual nº 13.729/2006, alterada pelas Leis nº 13.768/2006, nº 14.113/2008, nº 14.930/2011, nº
32

14.931/2011, nº 14.933/2011 e Lei Complementar nº 93/2011). 3 Lei de Organização Básica do CBMCE (Lei
nº 14.438/2004 ­ DOE 09/01/2004).
HISTÓRIA DO BRASIL: 1 A sociedade colonial: economia, cultura, trabalho escravo, os bandeirantes e os
jesuítas. 2 A independência e o nascimento do Estado brasileiro. 3 A organização do Estado monárquico. 4 A
vida intelectual, política e artística no século XIX. 5 A organização política e econômica do Estado
republicano. 6 A Primeira Guerra Mundial e seus efeitos no Brasil. 7 A revolução de 1930. 8 O Período
Vargas. 9 A Segunda Guerra Mundial e os seus efeitos no Brasil. 10 Os governos democráticos, os governos
militares e a Nova República. 11 A cultura do Brasil Republicano: arte e literatura. 12 História do Ceará. 12.1
A ocupação do espaço cearense: catequese, aldeamento, escravismo e os primeiros núcleos urbanos. 12.2
A pecuária, as charqueadas e o algodão. 12.3 Histórico da industrialização. 12.4 Política, sociedade e
urbanização: coronelismo, Revolução de 1930 e os "Governos das Mudanças". 12.5 Abolição do escravismo
no Ceará. 12.6 Modernização de Fortaleza no século XIX e no Pós-guerra.
GEOGRAFIA GERAL E DO BRASIL: 1 Geografia Política do mundo atual. 1.1 A Nova Ordem Mundial e a
regionalização do espaço mundial. 1.2 O Subdesenvolvimento. 1.3 Primeiro Mundo ou Norte desenvolvido.
1.4 Subdesenvolvimento, Terceiro Mundo e Sul. 1.5 Socialismo real e Socialismo real. 2 Um mundo cada
vez mais globalizado. 2.1 A Velha e a Nova Divisão do Trabalho. 2.2 A formação dos grandes mercados
mundiais. 2.3 A globalização e seus problemas. 2.4 O papel da tecnologia. 3 As fontes de energia. 3.1 O
petróleo. 3.2 A energia hidrelétrica. 3.3 A energia nuclear. 3.4 Fontes alternativas de energia. 4 Aspectos da
população mundial, raças e racismo. 4.1 O crescimento da população mundial. 4.2 O que são raças? 4.3
Migrações, desemprego e o novo racismo. 4.4 A estrutura etária e sexual da população. 4.5 Os setores de
atividades. 5 A degradação do meio ambiente. 5.1 O que é poluição? 5.2 Os problemas ambientais dos
grandes centros urbanos. 5.3 Política e meio ambiente. 5.4 Os perigos para o meio ambiente global. 6 O
Brasil no contexto internacional. 6.1 Como o Brasil se formou? 6.2 O território brasileiro atual. 6.3 Os
problemas sociais urbanos no Brasil. 6.4 A estrutura fundiária brasileira. 6.5 A qualidade de vida e alguns
indicadores.
FÍSICA: 1 Vetores. 1.1 Sistema de forças. 1.2 Composição de forças: forças de mesma direção e sentido,
forças de mesma direção e sentidos diferentes. 1.3 Duas forças concorrentes. 1.4 representação gráfica. 1.5
Binário. 2 Mecânica. 2.1 Noções de Movimento. 2.2 Movimento retilíneo: velocidade, movimento
uniformemente variado, aceleração. 2.3 Movimento em duas dimensões: movimento de projéteis e
movimento circular uniforme. 2.4 Leis de Newton. 2.5 Leis da Gravitação Universal. 2.6 Leis de Kepler. 2.7
Rotação da terra. 2.8 Trabalho, potência, rendimento, energia: mecânica, cinética, energia potencial e
energia mecânica. 2.9 Conservação de energia mecânica. 3 Densidade e pressão. 3.1 Principio de Pascal, Lei
de Stevin, Princípio de Arquimedes. 4 Termodinâmica: 4.1 Temperatura e equilíbrio térmico. 4.2 Energia
térmica e calor; calor sensível e calor latente. 4.3 Trocas de calor. 4.4 Dilatação térmica dos sólidos. 4.5
Dilatação anômala da água. 4.6 Processos de propagação do calor. 5 Óptica geométrica. 5.1 Mecanismos
físicos da visão e defeitos visuais. 6 Som. 6.1 Qualidades fisiológicas do som. 6.2 Natureza e propagação do
som. 7 Eletricidade e Magnetismo. 7.1 Lei de Coulomb. 7.2 Corrente elétrica. 7.3 Circuitos elétricos. 7.4
Efeito Joule. 7.5 Efeitos fisiológicos das correntes elétricas. 7.6 Campo magnético. 7.7 Imãs. 8 Aplicações.
8.1 Efeito fotoelétrico. 8.2 Efeito estufa. 8.3 Brisas litorâneas. 8.4. Relâmpagos e trovões. 9. Princípios
básicos da emissão de radioatividade, radiações ionizantes e decaimento radioativo.
QUÍMICA: I ESTRUTURA DO ÁTOMO: 1 Estrutura atômica. 1.1 Partícula fundamentais do átomo. 1.2
Número atômico e massa atômica. 1.3 Massa molecular. 1.4 Número de avogado, mol, massa molecular,
33

volume molecular. II CLASSIFICAÇÃO PERIÓDICA DOS ELEMENTOS QUÍMICOS: 1 Elemento químico. 1.1
Configuração eletrônica. 1.2 Tabela periódica atual e sua estrutura. 1.3 Lei periódica. 1.4 Principais
subgrupos de elementos físicos. III LIGAÇÃO QUÍMICA: 1 Ligação iônica. 2 Ligação covalente. 3 Fórmula
eletrônica (estrutural de Lewis), iônica, molecular e estrutural das substâncias. 4 Número de oxidação. IV
FUNÇÕES DE QUÍMICA INORGÂNICA: 1 Reações de neutralização, dupla troca, simples troca, redução,
oxidação. 2 Ácidos, bases, sais, óxidos, conceitos, classificação, nomenclatura e propriedades gerais. V
REAÇÃO QUÍMICA: 1 Conceito de reação, equação química, reagente e produto. 2 Balanceamento de
equação química. 3 Soluções, concentração das soluções (grama/litro e mol/litro). VI QUÍMICA DO
CARBONO: 1 Introdução a química orgânica. 1.1 Propriedades do átomo do carbono. 1.2 Estrutura de
compostos orgânicos, cadeias carbônicas. 1.3 Classificação do átomo de carbono na cadeia carbônica. 1.4
Classificação de cadeia carbônica. 2 Funções orgânicas. 2.1 Notação, nomenclatura e propriedades físicas e
químicas de hidrocarboneto, álcool, éter, cenol, cetonas, aldeídos, ácido carboxílicos, amina e amida
(contendo de 1 a 8 carbonos). 3 Reações orgânicas. 3.1 Reatividade dos compostos orgânicos. 3.2 Reações
de redução, oxidação e combustão. 4. Identificação e nomenclatura IUPAC das funções orgânicas.
BIOLOGIA: 1 Célula. 1.2 Célula procariota e eucariota. 1.3 Componentes morfológicos das células. 1.4
Funções das estruturas celulares. 2 Tecidos animais. 2.1 Características estruturais e funcionais. 3
Morfologia e fisiologia humanas. 3.1 Morfologia, externa e interna. 3.2 Fisiologia, nutrição, digestão,
respiração, circulação e excreção. 3.3 Sistemas de proteção, sustentação e locomoção. 3.4 Sistemas
nervoso e endócrino. 4 Ecologia. 4.1 Relações tróficas entre os seres vivos. 4.2 Biomas. 4.3 Ciclos
biogeoquímicos. 4.4 Conservação e preservação da natureza, impacto humano, poluição ebiocidas,
ecossistemas e espécies ameaçadas de extinção, principalmente no Brasil. 5 Saúde, higiene e saneamento
básico. 5.1 Princípios básicos da saúde. 5.2 Doenças adquiridas transmissíveis: viroses, aids, dengue,
poliomielite, raiva e sarampo (transmissão e profilaxia), infecções bacterianas, tuberculose, sifilis, meningite
meningocócica, cólera, tétano, eleptospirose (transmissão e profilaxia), protozooses, amebíase, malária e
doença de Chagas (transmissão e profilaxia), verminoses, ascaridíase, teníase, cisticercose,
esquistossomose e ancilostomose (ciclo de vida e profilaxia). 5.3 As defesas do organismo, imunidade
passiva e imunidade ativa.

SERVILHO SILVA DE PAIVA
Secretário da Segurança Pública e Defesa Social

ANTONIO EDUARDO DIOGO DE SIQUEIRA FILHO
Secretário do Planejamento e Gestão

34