SESI-PE ­ SERVIÇO SOCIAL DA INDÚSTRIA EM PERNAMBUCO.
SENAI-PE ­ SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL EM PERNAMBUCO.
Departamento Regional de Pernambuco

PROCESSO DE SELEÇÃO EBEP - 2014
CURSOS TÉCNICOS GRATUITOS ­ ENSINO MÉDIO ­ Modalidade Concomitante
Nome:
Nº do RG:

Nº de Inscrição:

Nº da Sala:

Assinatura:

DOMINGO, 12 de janeiro de 2014

INSTRUÇÕES
1.
2.
3.

4.
5.
6.
7.
8.

9.
10.
11.
12.
13.
14.
15.
16.
17.

18.

Preencha os dados solicitados acima e assine.
Antes de iniciar a prova, leia as instruções.
Ao ser autorizado o início da prova, verifique se este caderno de prova contém 40 (quarenta)
questões de múltipla escolha, assim numeradas:
Língua Portuguesa - 01 a 20.
Matemática - 21 a 40.
Se o caderno de prova não estiver completo, solicite do fiscal da sala outro exemplar.
Ao receber a folha-resposta, confira o seu nome e o número de inscrição. Qualquer irregularidade
comunique imediatamente ao fiscal da sala.
Para marcar a folha-resposta, utilize caneta esferográfica com tinta na cor preta ou azul, preenchendo
totalmente a quadrícula, desta maneira:
Marque apenas uma resposta para cada questão, pois só há uma única resposta correta. A questão
que for marcada com mais de uma resposta, ou rasurada, será contabilizada como errada.
Se a Comissão Organizadora do Processo de Seleção EBEP 2014 verificar que a resposta de uma
questão é dúbia ou inexistente, a questão será posteriormente anulada e os pontos a ela
correspondentes serão distribuídos entre as demais.
Não risque nem amasse, não dobre e nem suje a folha-resposta.
Nenhum fiscal está autorizado a emitir opinião, nem prestar esclarecimentos sobre o conteúdo das
provas.
Ao terminar a prova, o caderno de prova e a folha-resposta deverão ser devolvidos ao fiscal da sala.
A prova será iniciada às 13h e concluída até as16h. Priorizando a segurança do concurso, o
candidato só poderá deixar o local da aplicação da prova 1 (uma) hora após o seu início.
Apenas e, exclusivamente, o COORDENADOR DE PRÉDIO, pessoalmente, é quem poderá
comunicar alguma retificação que se faça necessária.
O SENAI e o SESI não se responsabilizarão por objetos ou valores portados, esquecidos, danificados
ou extraviados nas dependências dos locais de aplicação das provas.
Tanto o caderno de provas como a folha-resposta devem ser devolvidos ao fiscal.
O gabarito preliminar será divulgado no site www.pe.senai.br e/ou www.mrvc.net/senai 2(duas)
horas após o término da aplicação da prova.
Será facultado ao candidato apresentar um único recurso, devidamente fundamentado, relativo ao
gabarito preliminar e/ou ao conteúdo das questões da prova. O recurso deverá ser encaminhado à
Comissão do Processo de Seleção EBEP 2014 e entregue no dia 13/01/2014 na secretaria da Escola
SESI para a qual o candidato concorre à vaga, das 9h às 12h e das 14h às 17h. Não será aceito
recurso via postal, via fax ou correio eletrônico ou interposto por procurador.
A divulgação dos aprovados ocorrerá a partir do dia 24/01/2014 no site www.pe.senai.br
e/ou www.mrvc.net/senai.

LÍNGUA PORTUGUESA

TEXTO 1
Antes de ler o texto abaixo registrado, observe as acepções da palavra "padeiro" no Minidicionário
Houaiss da Língua Portuguesa (2012): "padeiro: s.m. 1 quem produz e/ou vende pão; 2 proprietário de
padaria; 3 entregador de pães".

O padeiro

(...) Tomo meu café com pão dormido, que não é tão ruim assim. Enquanto tomo café, vou me
lembrando de um homem modesto que conheci antigamente. Quando vinha deixar o pão à porta do
apartamento, ele apertava a campainha, mas, para não incomodar os moradores, avisava gritando:
­ Não é ninguém, é o padeiro!
Interroguei-o uma vez: como tivera a ideia de gritar aquilo?
­ Então você não é ninguém?
Ele abriu um sorriso largo. Explicou que aprendera aquilo de ouvido. Muitas vezes lhe acontecera
bater a campainha de uma casa e ser atendido por uma empregada ou outra pessoa qualquer e ouvir uma
voz que vinha lá de dentro da casa perguntando quem era; e ouvir a pessoa que o atendera dizer para
dentro: "não é ninguém, não, senhora, é o padeiro". Assim ficara sabendo que não era ninguém...
Ele me contou isso sem mágoa nenhuma e se despediu ainda sorrindo. Eu não quis detê-lo para
explicar que estava falando com um colega, ainda que menos importante. Naquele tempo, eu também,
como os padeiros, fazia trabalho noturno. Era pela madrugada que deixava a redação de jornal, quase
sempre depois de uma passagem pela oficina ­ e muitas vezes saía já levando na mão um dos primeiros
exemplares rodados, o jornal ainda quentinho da máquina, como o pão saído do forno.
Ah, eu era rapaz, eu era rapaz naquele tempo! E às vezes me julgava importante porque no jornal
que levava para casa, além de reportagens ou notas que eu escrevera sem assinar, ia uma crônica ou artigo
com o meu nome. O jornal e o pão estariam bem cedinho na porta de cada lar; e dentro do meu coração eu
recebi a lição de humildade daquele homem entre todos útil e entre todos alegre; "não é ninguém, é o
padeiro!".
E assobiava pelas escadas.
Rubem Braga. Rio, maio, 1956.
Em "200 Crônicas escolhidas ­ As melhores de Rubem Braga", Record, 1984.Disponível em:

(Acesso em 15/11/2013 ­ texto com adaptações)

1. "Enquanto tomo café, vou me lembrando de um homem modesto que conheci antigamente."
O cronista julgou o padeiro um homem modesto, porque percebeu que
a) a função dele (do padeiro) era muito fácil de ser exercida.
b) ele (o padeiro) desempenhava um papel secundário na sociedade.
c) sendo ele (o padeiro) pouco "letrado", não poderia ocupar cargos como o que o cronista

ocupava.
d) ele (o padeiro) estava consciente da importância que tinha para a sociedade.
e) ele (o padeiro) se considerava menos importante do que realmente era.

2. No texto acima, percebem-se dois julgamentos sobre a importância do padeiro para a sociedade: o
do jornalista e o do próprio padeiro. É, então, correto afirmar-se que esses julgamentos
a) são semelhantes.
b) são diferentes.
c) aproximam-se bastante.
d) não estão muito claros.
e) são explicitamente falsos.

3. "Explicou que aprendera aquilo de ouvido."
A expressão destacada no enunciado acima sugere que o padeiro "aprendeu" que era "ninguém"
porque
a) lhe explicaram que a função de padeiro tem pouca importância para a sociedade.
b) sempre fora humilhado pelos seus colegas de profissão.
c) frequentemente repetia para si mesmo que não era ninguém.
d) costumava ouvir músicas cujas letras deixavam claro que os padeiros não são importantes.
e) foram muitas as vezes em que ouviu dizerem que ele não era ninguém.

4. De acordo com o cronista, na explicação do padeiro a respeito de como aprendera que não era
ninguém, havia
a) leveza, humor e ausência de ressentimentos.
b) profundas marcas de frustração.
c) um disfarçado ressentimento.
d) marcas das humilhações sofridas.
e) uma disfarçada ironia.

5. "Ah, eu era rapaz, eu era rapaz naquele tempo!"
A repetição de "eu era rapaz", associada à circunstância de tempo e à exclamação, indica que o
cronista deseja chamar a atenção do leitor para o fato de, às vezes, julgar-se importante devido à sua
(do cronista)
a) humildade característica da juventude.
b) modéstia própria de garoto.
c) imaturidade própria de um iniciante na vida.
d) simplicidade de um jovem ingênuo.
e) criatividade própria de jovem.

6. Lendo-se atentamente o texto, percebe-se que o cronista, ao comparar o próprio trabalho com o do
padeiro,
a) revelou preconceito em relação às funções exercidas pelos que possuem pouca escolaridade.
b) estaria apenas querendo ser gentil para não humilhar aquele simpático trabalhador.
c) disfarçou bem a vaidade dos que escrevem textos para serem publicados em jornais.
d) julgou que o trabalho dele (do cronista) é menos importante que o do padeiro.
e) colocou-se como trabalhador, afirmando que ele (o cronista) e o padeiro tinham a mesma

importância para a sociedade.

7. Segundo o texto acima, assim podem ser sintetizadas as qualidades do padeiro:
a) humilde, simplório e ingênuo.
b) alienado, simples e ingênuo.
c) humilde, útil e alegre.
d) tolo, simplório e feliz.
e) útil, tolo e alienado.

8. "Enquanto tomo café, vou me lembrando de um homem modesto...".
A oração acima grifada associa à segunda oração a ideia de
a) causa.
b) consequência.
c) proporcionalidade.
d) conformidade.
e) tempo.

TEXTO 2
O tema abordado por Rubem Braga, autor da crônica O padeiro, foi estudado por Fernando Braga
da Costa, hoje doutor pela Universidade de São Paulo ­ USP. Para melhor compreender a vida dos
trabalhadores que exercem profissões pouco valorizadas pela sociedade, esse estudioso vestiu-se de gari e
foi trabalhar na própria universidade em que, na época, estava estudando. Vejamos um depoimento dele
sobre essa experiência:
"Comprovei que, em geral, quem não está bem posicionado na sociedade vira mera
sombra. Descobri que um simples `bom-dia', que nunca recebi como gari, pode
significar um sopro de vida, um sinal da própria existência. Professores que me
abraçavam nos corredores da USP passavam por mim, mas não me reconheciam por
causa do uniforme. Às vezes, esbarravam no meu ombro e, sem ao menos pedirem
desculpas, seguiam me ignorando, como se tivessem encostado em um poste ou em
um orelhão."
Disponível em:

Acesso em 13/11/2013 (texto com adaptações)

9. De acordo com o depoimento acima registrado, "quem não está bem posicionado na sociedade vira
mera sombra."
A expressão acima grifada sugere que aqueles que exercem funções consideradas inferiores
a) ficam invisíveis, ou seja, transformam-se em ninguém.
b) ficam sempre dependendo de alguém.
c) não conseguem exercer bem a função e, por isso, não brilham.
d) escoram-se em outras pessoas, ficam na sombra delas.
e) perdem a capacidade de criar e ficam dependentes.

10. "Descobri que um simples `bom-dia', que nunca recebi como gari, pode significar um sopro de
vida, um sinal da própria existência."
A expressão acima destacada pode ser substituída, sem comprometer o sentido do enunciado, por
a) um indício de que a pessoa cumprimentada existe e, por isso, é notada.
b) um consolo para suportar o trabalho duro, que é a coleta de lixo.
c) uma advertência para ficar-se mais atento ao que se faz.
d) uma razão para viver, apesar do trabalho duro de recolher o lixo.
e) um simples aceno, que expressa a educação de quem cumprimenta.

11. "Professores que me abraçavam nos corredores da USP passavam por mim, mas não me
reconheciam por causa do uniforme."
Conforme esse depoimento, os professores não reconheciam Fernando Braga porque o uniforme de
gari
a) faz a pessoa ficar muito diferente, pois é muito folgado.
b) é usado por trabalhadores considerados inferiores que, por isso, nem são notados.
c) ofusca a visão das pessoas devido à cor, que é muito forte.
d) é muito parecido com outros uniformes e, por isso, deixa todo mundo igual, ou seja, semelhante.
e) é impróprio aos locais públicos, uma vez que é muito deselegante, o que faz as pessoas nem
quererem olhar quem o veste.

12. "Às vezes, esbarravam no meu ombro e, sem ao menos pedirem desculpas, seguiam me ignorando,
como se tivessem encostado em um poste ou em um orelhão."
Ao seguirem o trajeto, ignorando o estudante vestido com o uniforme de gari, os professores
revelavam
a) quão a pressa faz as pessoas ficarem indiferentes umas às outras.
b) como são distraídos e pouco atentos aos estudantes.
c) como são indiferentes às relações nas universidades.
d) a pouca importância que dão ao trabalhador braçal.
e) a falta de compromisso com os estudantes.

13. "Professores que me abraçavam nos corredores da USP passavam por mim, mas não me
reconheciam por causa do uniforme."
A palavra acima destacada pode ser corretamente substituída por
a) logo.
b) assim.
c) entretanto.
d) porque.
e) pois.

TEXTO 3

Disponível em: Acesso em 16/11/2013
14. Sobre o texto acima, foram feitas as seguintes proposições. Leia-as atentamente e a seguir marque a
alternativa correta.
I.

Trata-se do mesmo tema abordado por Rubem Braga em O padeiro e por Fernando Braga em
seu estudo na USP.

II.

Trata-se de uma charge cujo tema é o questionamento sobre a beleza.

III.

O autor teve a intenção de promover uma reflexão sobre o valor dado à aparência na
sociedade atual.

IV.

O autor retomou uma conhecida história infantil, em que um dos personagens faz perguntas
semelhantes às colocadas neste texto.

V.

Sendo uma charge, trata de um tema da atualidade e possui um caráter humorístico e crítico.
É verdadeiro o que se afirma em
a) I, IV e V.
b) I, III e IV.
c) II e IV.
d) III e V.
e) II e III.

15. Em relação aos três textos acima, é correto afirmar-se que
a) todos expressam a mesma revolta do trabalhador braçal, visto pela sociedade como inferior.
b) o texto 1 (O padeiro) e o texto 3 (a charge) tratam do mesmo tema, fazendo uso de recursos
semelhantes: a linguagem verbal e a linguagem não verbal.
c) o texto 2 (o depoimento) e o texto 3 (a charge) fazem uso do humor para denunciar um
problema atual.
d) tanto o texto 1 (O padeiro) como o texto 2 (o depoimento) fazem referência à alegria e à
humildade do trabalhador que se sente invisível.

e) somente o texto 3 (a charge) associa a linguagem verbal à não verbal, característica própria

desse gênero textual.
16. "Espelho, espelho meu, existe...". Nesse fragmento, a expressão em destaque
a) indica o autor da ação verbal.
b) refere-se à pessoa que fala (a 1ª pessoa do discurso).
c) refere-se à 2ª pessoa (o interlocutor), já que é um chamamento.
d) refere-se à terceira pessoa do discurso (aquela de quem se fala).
e) realça a ação verbal, devido à repetição da palavra "espelho".

TEXTO 4
Gari do Rio ensina motivação para executivos
(...) O gari carioca Renato Lourenço, conhecido como Sorriso, virou exemplo de motivação no
trabalho. De segunda a sábado, das seis da manhã até uma da tarde, varre as ruas da Tijuca. Depois de sete
horas de trabalho, tem agenda tumultuada. Dá palestras sobre os cuidados com o lixo nas ruas, o segredo da
alegria e o sucesso na profissão. Já atuou como figurante em comerciais de TV. Recebe cachês irrisórios,
mas diz não se importar, até porque as aparições lhe têm valido inúmeras conquistas.
A fama começou com uma pequena transgressão. Ele varria a Praça da Apoteose no Sambódromo
do Rio, no carnaval de 1997. Era intervalo de apresentação de escolas. Desafiado pelos colegas a mostrar
que era bom de samba e corajoso, agarrou-se à vassoura. Sambou, pulou, imitou passos de mestre sala. Foi
repreendido. "Meu chefe me deu bronca e mandou parar. A plateia inteira vaiou", lembra. "Quando ele viu
aquele monte de gente a meu favor, então aprovou a minha dança". Sorriso sambou e saltou ainda mais. Os
fotógrafos clicaram as piruetas do gari, aos pulos, com pés bem longe do chão. Dias depois, lá estava ele,
foto estampada em vários jornais. (...)
Ele foi um dos "anônimos notáveis" convidados pelos organizadores da 29.ª edição do Congresso
Nacional sobre Gestão de Pessoas (Conarh). Fez questão de usar sua roupa de gari. "O segredo para se dar
bem na carreira é o respeito ao próximo," disse, no palco. À vontade com o microfone, recebeu aplausos da
plateia. (...)
Ele gosta de frases de efeito. "Sou gari e levanto a mão para o céu. A fama é como uma vela em
frente ao ventilador. Se você ligar o ventilador, ela pode se apagar".
Uma dica para os executivos: "Esquecer o preconceito e a discriminação. Você tem de ir trabalhar
todos os dias pensando que, não importa o cargo, todos somos iguais. Veja só, eu já desfilei na passarela do
São Paulo Fashion Week no mesmo dia do Paulo Zulu", lembra. E completa: "Será que dá para mandar um
abraço para os meus colegas de trabalho?"
Estadão ­ Sexta-feira, 15 de Agosto de 2003

Disponível em:
(Acesso em 13/11/2013 ­ texto com adaptações)

17. "A fama começou com uma pequena transgressão."
De acordo com esse enunciado, é correto dizer-se que a fama de Renato Lourenço teve início com
uma
a) rápida entrevista.
b) desobediência pouco grave.
c) breve coincidência.
d) rara oportunidade.
e) chance inusitada.

18. "À vontade com o microfone, recebeu aplausos da plateia."
Nesse enunciado, a expressão grifada sugere
a) desleixo e desconhecimento.
b) timidez e medo.
c) arrogância e falta de educação.
d) intimidade e segurança.
e) vaidade e desrespeito.

19. "Sou gari e levanto a mão para o céu. A fama é como uma vela em frente ao ventilador. Se você
ligar o ventilador, ela pode se apagar."
A opinião de Renato Lourenço sobre a fama indica que ele continua
a) vaidoso.
b) ambicioso.
c) com "os pés no chão".
d) cheio de ilusões.
e) arrogante.

20. Ao lembrar aos executivos que "somos todos iguais", Renato Lourenço
a) reafirma a forma de pensar do padeiro (texto 1) que se considerava ninguém.
b) demonstra pouca humildade, pois não percebe que falta muito para ser igual aos executivos.
c) revela-se arrogante, pois, em pouco tempo, acha que já alcançou o nível de quem está há muito
tempo na profissão.
d) sugere que tanto ele como os executivos sabem conduzir grandes empresas.
e) chama atenção para o fato de todos os trabalhadores terem a mesma importância na sociedade.

MATEMÁTICA
21 ­ No mapa abaixo se encontram representadas as ruas do bairro onde Pedro mora. Sua amiga Maria

está no Shopping Center e deseja encontrar-se com ele. Para ir ao local onde Pedro se encontra, ela terá
que, ao sair do Shopping, virar à direita e no final da rua virar novamente à direita. Em seguida deverá
virar à esquerda e entrar na primeira rua à esquerda, virar na primeira rua à direita e no seu final virar à
esquerda. Ao entrar nessa rua ela verá o amigo que a estará esperando em frente
a) a Igreja.
b) ao Banco.
c) ao Teatro.
d) ao Hospital.
e) a Praça

22 ­ Assinale a alternativa que representa o esboço da vista superior da figura abaixo.

a)

b)

c)

d)

e)

23 ­ Na Festa da Vitória Régia, realizada no bairro de Casa Forte, Marina montou uma barraca de sucos e
salgados. No primeiro dia ela levou para a sua barraca 18 litros de suco para serem comercializados e
vendeu 85 copos de 200ml. Nessas condições é correto afirmar que, nesse dia, sobraram

a) 5 litros.
b) 4 litros.
c) 3 litros.
d) 2 litros.
e) 1 litro.

24 ­ João estuda numa unidade do SESI ­ PE que fica a uma distância de 920m de sua residência. Se,
diariamente, ele faz esse percurso, caminhando, tanto para ir quanto para voltar do SESI, é correto
afirmar que ele, em um dia, para ir e voltar da unidade onde estuda caminha
a) 1,72 km.
b) 1,84 km.
c) 1,90 km.
d) 2,00 km.
e) 2,14 km.
25 ­ As dimensões oficiais do campo gramado da Arena Pernambuco, cujo desenho está representado
abaixo, são 106m X 68m e cada uma das duas pequenas áreas mede 18,32m por 5,5m. O Consórcio
que administra o seu uso resolveu trocar toda a grama do campo, com exceção dos espaços
correspondentes as duas pequenas áreas, que deverão permanecer como estão. Assim, esse Consórcio
deverá cobrir, de grama, uma área de, no mínimo
a)
b)
c)
d)
e)

6432,65 m2.
6442,64 m2.
6856,25 m2.
7006,48 m2.
7012,40 m2.

26 ­ A tabela abaixo representa a distribuição das idades dos atletas convocados para formarem o time de
basquetebol de certo colégio.
IDADE

TOTAL DE
ATLETAS

14 anos
15 anos
16 anos
17 anos

1
2
3
4

Nessas condições é correto afirmar que a média de idades desses atletas é
a) 13 anos.
b) 14 anos.
c) 15 anos.
d) 16 anos.
e) 17 anos

27 ­ Uma distribuidora de lubrificantes fornece para uma indústria, mensalmente, 30 galões contendo 50
litros de óleo, cada. Essa quantidade é suficiente para a manutenção de suas máquinas, entretanto, por
razões operacionais, a fornecedora passou a comercializar, somente, galões com 30 litros de óleo. Com
essa mudança, mantido o volume de óleo mensalmente entregue, ela passará a fornecer a indústria um
total de
a)
b)
c)
d)
e)

60 galões.
50 galões.
45 galões.
40 galões.
35 galões.

28 ­Indicadores Industriais mostram que o emprego, o rendimento dos trabalhadores e a utilização da
capacidade instalada no Estado de Pernambuco, tiveram desempenho positivo (crescimento) no primeiro
semestre de 2013 em relação ao mesmo período de 2012, conforme pode ser observado no quadro
abaixo.

(Disponível em: morozcomunicacao.com.br/ 8/8/2013. Acessado em 25/11/2013.)

Com base nesses dados podemos corretamente afirmar que, para cada 2000 pessoas empregadas na
indústria em Pernambuco no primeiro semestre de 2012 tivemos, no mesmo período de 2013, um
crescimento de
a)
b)
c)
d)
e)

20 trabalhadores.
18 trabalhadores.
15 trabalhadores.
12 trabalhadores.
10 trabalhadores.

29 ­ A distribuição das idades dos alunos que compõem a delegação de Atletismo de certa Faculdade está
descrita no gráfico de barras abaixo.

Nesse gráfico, por distração do digitador, não ficou representada a quantidade de alunos com 20 anos de
idade. Sabe-se, no entanto, que essa quantidade é igual à quinta parte do total de alunos com 22 anos de
idade. Nessas condições é correto afirmar que o total de atletas que compõe essa delegação é igual a
a)
b)
c)
d)
e)

26.
27.
28.
29.
30.

30 ­ Num teatro com capacidade máxima para 200 espectadores foram vendidos todos os 200 ingressos
para a apresentação da peça teatral "O Santo Milagreiro". O valor da entrada inteira custava R$ 30,00,
enquanto a meia-entrada custava à metade do preço da inteira. Sabendo-se que o faturamento desse
espetáculo foi de R$ 5100,00, é correto afirmar que o total de espectadores que pagaram meia- entrada
foi igual a
a)
b)
c)
d)
e)

60.
70.
80.
90.
95.

31 ­ Maria foi a uma Pizzaria e pediu uma pizza grande, em formato circular, dividida, igualmente, em
quatro fatias de sabores diferentes. Um quarto da pizza era de mussarela, outro de calabresa, outro de
ervas finas e outro de tomate, conforme mostra a figura abaixo.

Como estava com muita fome, comeu toda a parte de mussarela e de calabresa e metade da parte de
tomate. A sobra ela levou para seu irmão que ficou em casa. Nessas condições é correto afirmar que a
fração da pizza que Maria levou para seu irmão equivale a
a)
b)
c)
d)
e)

1/4.
3/4.
1/2.
5/8.
3/8.

3

32 ­ Um Técnico em Refrigeração e Climatização foi solicitado a calcular a quantidade de aparelhos de
ar- condicionado a serem instalados num salão circular de raio igual a 10 m. Os aparelhos escolhidos
seriam todos de 18000 BTU's, pois esse aparelho é suficiente para deixar a temperatura ideal numa área
de 30m2. Após realizar corretamente seus cálculos o técnico informou que a quantidade ideal de
aparelhos a serem instalados no salão era de
( Considere o valor de )
a) 5.
b) 7.
c) 9.
d) 10.
e) 12.

33 ­ O quadrado da idade de Lia acrescida do triplo da idade dela dá 10 anos. Nessas condições podemos
corretamente afirmar que a idade de Lia é um número
a)
b)
c)
d)
e)

ímpar.
que está entre 3 e 6 anos.
maior que 6.
menor que 3.
Menor que 2.

34 ­ Sara investiu na Bolsa a importância de R$ 450,00 num sistema de juros simples a uma taxa de 2% ao
mês, durante 8 meses. Ao término desse período ela resgatou todo o dinheiro investido acrescido dos
juros correspondentes. Com base nessas informações podemos corretamente concluir que Sara resgatou
a importância de
a)
b)
c)
d)
e)

R$ 498,00.
R$ 522,00.
R$ 580,00.
R$ 612,00.
R$ 645,00.

35 ­ Uma transportadora cobra R$ 20,00 por cada quilograma(kg) de mercadoria transportada. Lucas
contratou essa transportadora para transportar 3 caixas pesando 3,756 kg cada uma, 12 caixas pesando
cada uma 760g e uma caixa pesando 2 kg. Assim, podemos corretamente concluir que Lucas pagou pelo
transporte de suas mercadorias a importância de
a)
b)
c)
d)
e)

R$ 650,00.
R$ 546,75.
R$ 456,56.
R$ 325,60.
R$ 297,52.

36 ­ O valor de x que satisfaz a equação
a)
b)
c)
d)
e)

é um número real

par.
irracional.
decimal inexato.
primo.
ímpar maior que 5.

37 ­ O setor de logística de uma grande madeireira recomendou que todo toro de árvores medindo 8,16
metros, adquirido para fabricação de móveis, fosse dividido em 12 partes iguais, a fim de que seu
armazenamento e manuseio ficassem mais práticos. Cumprida essa recomendação é correto afirmar que
cada um dos doze pedaços do toro medirá
a)
b)
c)
d)
e)

68 centímetros.
78 centímetros.
86 centímetros.
97 centímetros.
98 centímetros.

38 ­ Um técnico em Administração de uma empresa foi solicitado a calcular o preço de venda de certo
produto. Para tal ele terá que acrescentar, ao seu preço de custo, 15% de lucro e 8% de carga tributária,

ambos calculados sobre o preço de custo. Sabe-se que o produto custou R$ 125,00 é correto afirmar que
ele será vendido por
a)
b)
c)
d)
e)

R$ 178,50.
R$ 175,80.
R$ 153,75.
R$ 154,25.
R$ 158,00.

39 ­ A soma das médias finais obtidas em Matemática por André e Marta foi 14. Sabe-se que o triplo da
média de Marta menos o dobro da média de André é igual a 2. Nessas condições é correto afirmar que
a)
b)
c)
d)
e)

a média de Marta foi maior que a de André.
a média de André foi maior que 8,5.
a média de André ficou dois pontos acima da média de Marta.
a média de Marta ficou um ponto abaixo da média de André.
as médias de Marta e André foram iguais.

40 ­ Um proprietário deseja cercar totalmente sua fazenda e para isso precisa saber quantos metros de
cerca terá que comprar. O desenho abaixo representa um esboço gráfico dessa fazenda e suas dimensões
estão em quilômetros (km).

35
30

12

.
Com base nesses dados podemos corretamente concluir que a metragem de cerca que o proprietário terá
que comprar será, no mínimo, igual a
a)
b)
c)
d)
e)

70 mil metros.
80 mil metros.
90 mil metros.
95 mil metros.
98 mil metros.