Governo do Estado do Rio Grande do Norte
Secretaria de Estado da Educação e da Cultura - SEEC
UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE - UERN

Pró-Reitoria de Ensino de Graduação ­ PROEG
Home Page: http://www.uern.br
E-mail: [email protected]

UNIDADE: FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS-FACEM
CURSO: GESTÃO AMBIENTAL

PROGRAMA GERAL DO COMPONENTE CURRICULAR- PGCC1
I IDENTIFICAÇÃO DO COMPONENTE CURRICULAR
1.1 Natureza do componente: ( X )Disciplina ( )Atividades da prática2 ( )Estágio Supervisionado
Obrigatório ( )Trabalho de Conclusão de Curso ­ TCC
1.2 Nome do componente: RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS
CÓDIGO: 0104028-1
CRÉDITOS: 4
CARGA HORÁRIA: 60h/a
Pré-Requisito: Avaliação de Impactos Ambientais
Código: 0104024-1
Curso: Gestão Ambiental
Período: 7º
Turno: Manhã
Ano/Semestre: 2011.1
Professora: Mayra Fernandes Nobre

II EMENTA
Conceitos básicos relativos à degradação e recuperação ambiental. Aspectos legais e institucionais
da recuperação de áreas degradadas. Métodos e técnicas de recuperação de áreas degradadas em
ciências ambientais. Planos de recuperação de áreas degradadas.
III OBJETIVOS

Geral: Explanar sobre conhecimentos científicos, técnicos e práticos na temática de áreas
degradadas e os mecanismos de gestão ambiental que proporcionam a "recuperação" ou
reutilização dessas áreas impactadas.
Específicos:
- Identificar e definir os principais processos causadores da degradação de áreas.
- Abordar a discussão sobre os conceitos de: recuperação, reutilização e reabilitação de áreas.
- Abordar os principais processos de reabilitação, reutilização e "recuperação" de áreas degradadas
bem como a legislação vigente sobre o tema.
- Prover ao discente o aprendizado sobre a execução de Planos de Recuperação de Àreas
Degradadas.
IV CONTEÚDO

UNIDADE I
1. DEGRADAÇÃO AMBIENTAL:
-Conceitos; tipologia; extensão e impacto da degradação; causas da degradação do solo.
2. CONTRIBUIÇÃO DA GEOMORFOLOGIA NO ESTUDO DE ÁREAS
DEGRADADAS:
-A importância do estudo das encostas e do estudo de bacias hidrográficas.
3. A URBANIZAÇÃO E SEUS IMPACTOS.
4. EROSÃO SUPERFICIAL E MOVIMENTOS DE MASSA:
-Definições; natureza da erosão superficial; principais determinantes da erosão; tipos de
1

Art. 53. O PGCC é o documento que explicita o papel de cada componente curricular no contexto geral da formação proposta
no projeto pedagógico de curso, e define a ação pedagógica do professor e do discente. (RCG (Resolução nº 05/2010 ­ CONSEPE ­
10/02/2010).
Art. 54. Parágrafo único ­ É obrigatória a entrega até o término do semestre precedente, do PGCC pelo professor, para
aprovação pela Comissão de Projeto Pedagógico de Curso, bem como para a apresentação, discussão e disponibilização aos alunos no
primeiro dia de aula do semestre letivo.
2

Art. 28. Parágrafo único ­ Essas atividades são específicas dos cursos de licenciatura no atendimento às DCN de Formação de
Professores.

erosão hídrica; prognósticos da perda de solo; princípios do controle da erosão; natureza
dos movimentos de massa; prognósticos da estabilidade de encostas.
UNIDADE II
1. RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS:
- Recuperação, reutilização e readequação de uso ­ conceitos e aplicabilidade de termos;
aspectos legais e institucionais da recuperação de áreas degradadas no mundo, no Brasil e
no Rio Grande do Norte; recuperação de áreas degradadas e o Sistema de Gestão
Ambiental (SGA).
2. MÉTODOS E TÉCNICAS DE RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS EM
CIÊNCIAS AMBIENTAIS:
- A importância da vegetação na recuperação de áreas degradadas; introdução à
bioengenharia; princípios da estabilização biotécnica; técnicas e métodos de bioengenharia.
UNIDADE III
1. PASSIVOS AMBIENTAIS:
- Remediação de passivos decorrentes da desativação de empreendimentos industriais.
2. PLANOS DE RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS-PRAD:
- Estudos de caso de recuperação/reabilitação de áreas; Principais componentes de um
Plano de Recuperação de Áreas Degradadas; a mineração e a evolução e aplicabilidade dos
PRADS; a gestão ambiental de áreas degradadas.

V METODOLOGIA

Na execução do plano de ensino serão desenvolvidas atividades teóricas e prática, com a utilização
das seguintes técnicas:
- Demonstração didática dialogada;
- Aula de campo
- Seminário
Para tanto, os recursos mínimos necessários serão os seguintes:
- Multimeios: data-show e quadro branco.
-Veículo para condução dos alunos à aula de campo;
- Materiais dos alunos: livros, textos, teses/dissertações e estudos de caso.
VI PROCEDIMENTOS DE AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM

O sistema de avaliações seguirá o disposto nas normas da UERN, para tanto serão realizadas 03
(três) avaliações parciais. As mesmas serão compostas pelos seguintes instrumentos de avaliação
do aprendizado:
- Prova escrita individual: serão realizadas 02 provas: a 1ª e a 2ª provas corresponderão a 100%
da 1ª e 2ª avaliação.
- Elaboração e apresentação de trabalho escrito sobre um dos temas tratados, que será elaborado
em grupos de no máximo 05 alunos, devendo estar o mesmo de acordo com as normas da
Associação Brasileira de Normas Técnicas-ABNT (NBR 10520; NBR 6023 e NBR 14724) que
corresponderá a 100% da 3ª avaliação.
Para os alunos não aprovados por média será realizado um exame final, que constará de uma
prova escrita individual sobre todo o conteúdo da disciplina.
1

Art. 53. O PGCC é o documento que explicita o papel de cada componente curricular no contexto geral da formação proposta
no projeto pedagógico de curso, e define a ação pedagógica do professor e do discente. (RCG (Resolução nº 05/2010 ­ CONSEPE ­
10/02/2010).
Art. 54. Parágrafo único ­ É obrigatória a entrega até o término do semestre precedente, do PGCC pelo professor, para
aprovação pela Comissão de Projeto Pedagógico de Curso, bem como para a apresentação, discussão e disponibilização aos alunos no
primeiro dia de aula do semestre letivo.
2

Art. 28. Parágrafo único ­ Essas atividades são específicas dos cursos de licenciatura no atendimento às DCN de Formação de
Professores.

VII REFERÊNCIAS

Bibliografia básica:
ARAÚJO, G. H. S.; ALMEIDA, J. R.; GUERRA, A. J. T. Gestão Ambiental de Áreas
Degradadas. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005.
MARTINS, S. V. Recuperação de áreas degradadas: ações em áreas de preservação
permanente, voçorocas, taludes rodoviário e de mineração. Viçosa,MG: Aprenda Fácil, 2009.
MOERI, E.; COELHO, R.; MARKER, A. Remediação e revitalização de áreas contaminadas:
aspectos técnicos, legais e financeiros. São Paulo: Signus, 2004.
Bibliografia complementar:
COMISIÓN NACIONAL FORESTAL ­ CONAFOR. Protección, restauración y conservación
de suelos forestales: manual de obras y prácticas. México: SEMANART, 2004.
GUERRA, A. J. T.; SILVA, A. S.; BOTELHO, A. S. S. (Org.). Erosão e conservação dos solos.
Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005.
RODRIGUES, R. R.; LEITÃO FILHO, H. F. (Eds.). Mata Ciliar, conservação e recuperação.
São Paulo: EdUSP: Fapesp, 2000.
SANCHEZ, L. E. Desengenharia: o passivo ambiental na desativação de empreendimentos
industriais. São Paulo: EdUSP, 2001.
VIII OUTRAS OBSERVAÇÕES

Aprovado pela Comissão do PPC em _________/_________/________

_______________________________________
Professor(a)

_______________________________________
Presidente da Comissão do PPC

1

Art. 53. O PGCC é o documento que explicita o papel de cada componente curricular no contexto geral da formação proposta
no projeto pedagógico de curso, e define a ação pedagógica do professor e do discente. (RCG (Resolução nº 05/2010 ­ CONSEPE ­
10/02/2010).
Art. 54. Parágrafo único ­ É obrigatória a entrega até o término do semestre precedente, do PGCC pelo professor, para
aprovação pela Comissão de Projeto Pedagógico de Curso, bem como para a apresentação, discussão e disponibilização aos alunos no
primeiro dia de aula do semestre letivo.
2

Art. 28. Parágrafo único ­ Essas atividades são específicas dos cursos de licenciatura no atendimento às DCN de Formação de
Professores.