INTERFERÊNCIA DA TÉCNICA DE BIOENGENHARIA DE SOLOS NA
ESTABILIDADE DE UM TALUDE FLUVIAL NO BAIXO SÃO FRANCISCO/SE.
Renisson Neponuceno De Araújo Filho; Francisco Sandro Rodrigues Holanda; Simone
Andrade de Santana

RESUMO
O volume de solo erodido nos taludes da margem do rio São Francisco no seu baixo
curso alcança valores preocupantes e vem aumentando o passivo ambiental da bacia.
Esse trabalho objetiva desenvolver a bioestabilização do talude com técnicas de
bioengenharia de solos visando a diminuir o custo e o impacto paisagístico. As espécies
vegetais Vetiver, Crotalária e Feijão de Porco foram associados com os elementos
inertes (malha metálica e pedras) e a manta de fibra de coco; delineados
estatisticamente como parcelas subdivididas. Essas técnicas foram instaladas e
monitoradas nas margens do rio São Francisco, através de levantamentos topográficos,
cujos volumes de solo erodidos foram tratados na ANAVA. A variação da cota do nível
d'agua, num intervalo maior que a faixa de proteção da base com os colchões, aliada ao
solo arenoso fez com que o processo erosivo atuasse na margem, mesmo com a
implantação da faixa deproteção de enrocamento.

PALAVRA-CHAVE: Bioestabilização; Margem de cursos d'água; Rio São Francisco