ESTADO-TRAÇO DE ANSIEDADE E VIVÊNCIAS ACADÉMICAS EM ESTUDANTES DO
1º ANO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE PORTALEGRE
RAUL ALBERTO CORDEIRO
VERA FREIRE

Resumo
O presente estudo teve como objectivo geral compreender a adaptação dos estudantes do 1º ano do
Instituto Politécnico de Portalegre através do conhecimento dos seus Estados e Traços de Ansiedade, bem como
das suas Vivências Académicas.
Foram estudados N=185 estudantes do Instituto Politécnico de Portalegre (IPP) que, no ano lectivo de
2007/2008, se encontravam matriculados no 1º ano nas Escolas do IPP: Escola Superior de Saúde de Portalegre
(ESSP), Escola Superior Agrária de Elvas (ESAE), Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Portalegre
(ESTGP), e Escola Superior de Educação de Portalegre (ESEP).
Predominando o sexo feminino (68.6%), solteiros (96.8%), e idade entre os 18 e os 55 anos,
maioritariamente revelaram adaptação em todas as Dimensões do QVA-r, à excepção da Dimensão Pessoal,
facto que ocorre em 75,1% dos estudantes. Verificou-se ainda que é no Grupo Etário "Entre 18 e 22 anos" e no
sexo Feminino que existe média mais elevada para as Escalas de Ansiedade-Estado e Ansiedade-Traço.
Introdução
Podemos distinguir Estado e Traço relativamente à Ansiedade. A Ansiedade como estado refere-se às
reacções emocionais desagradáveis, caracterizadas por sentimentos subjectivos de apreensão, nervosismo e
preocupação, intensificando a actividade do sistema nervoso autónomo, causado por uma tensão específica.
Por sua vez, Traço de Ansiedade é definido nos termos das diferenças individuais relativamente estáveis quanto
à propensão para a ansiedade, isto é, diferenças interindividuais na tendência para percepcionar situações
stressantes como perigosas ou ameaçadoras e na inclinação para reagir a tais situações com elevações mais
frequentes e intensas do estado de ansiedade.
Importa referir aqui que os jovens que ingressam no Ensino Superior muitas vezes revelam Estados e
Traços de Ansiedade, o que lhes traz dificuldades ao nível da adaptação a este Sistema de Ensino.
É neste sentido que, muitas vezes, se tornam necessários os Serviços de Aconselhamento Psicológico
existentes em várias Instituições de Ensino Superior.
Além dos Psicólogos, também os Enfermeiros, principalmente os de Cuidados de Saúde Primários,
podem ajudar no processo de adaptação dos estudantes, avaliando se revelam Estados e Traços de Ansiedade.
Neste sentido, podem ser ensinadas Técnicas de Relaxamento, aconselhar relativamente à prática de
Desporto e outras actividades de Lazer que proporcionem bem-estar e distracção no sentido de prevenir e
minimizar Estados de Ansiedade.
Metodologia
O estudo é transversal descritivo, tendo sido delineada a seguinte problemática: "Perspectivar Estados e
Traços de Ansiedade e Vivências Académicas em Estudantes do primeiro ano do Instituto Politécnico de
Portalegre".
Foram delineados os objectivos de estudo:
- Verificar a influência dos Estados e Traços de Ansiedade em Estudantes do IPP no processo de
adaptação ao Ensino Superior;
- Avaliar o modo com os estudantes do IPP percepcionam as suas Vivências Académicas;



Professor Adjunto da Escola Superior de Saúde de Portalegre ­ Centro de Estudos de Saúde Mental
Licenciada em Enfermagem



1

- Verificar a influência de variáveis sócio-demográficas sobre os Estados e Traços de Ansiedade e
Vivências Académicas dos Estudantes do IPP no seu processo de adaptação ao Ensino Superior.
Participantes
A população-alvo foi constituída por Estudantes do 1º ano pertencentes às quatro escolas do IPP. Como
critérios de inclusão no estudo, definiram-se:
- Estudantes do ensino superior matriculados no Instituto Superior Politécnico de Portalegre e que no
ano lectivo de 2007/2008 frequentavam o 1º ano;
- Apenas os estudantes pertencentes aos Cursos de Enfermagem (ESSP); Enfermagem Veterinária e
Engenharia Agronómica (ESAE); Serviço Social e Jornalismo e Comunicação (ESEP); Bioengenharia,
Administração de Publicidade e Marketing e Design de Comunicação (ESTGP);
- Apenas estudantes presentes nas Escolas nos dias em que foram aplicados os questionários;
- Apenas os estudantes que aceitassem participar no estudo.
Escalas de Medida
Foi aplicado um questionário constituído por três partes, sendo a segunda e terceira partes constituídas
por instrumentos de avaliação apresentados segundo a forma de escalas Likert.
·
"I ­ Caracterização da População", constituída pelos itens: Sexo; Idade; Distrito da Residência
Habitual; Curso; Nº de Opção de par Curso/Escola; Residência em Tempo de Aulas; Estado civil; Situação
Escolar
·
"II ­ Questionário de Vivências Académicas ­ versão reduzida (QVA-r)", constituído por 60
itens distribuídos por cinco dimensões: Pessoal, Interpessoal, Estudo -Curso, Carreira, e Institucional.
Perante cada item pontuou-se a resposta numa escala de 1 a 5 pontos conforme indicado:
1 - Nada em consonância comigo, totalmente em desacordo, nunca se verifica;
2 - Pouco em consonância comigo, bastante em desacordo, poucas vezes se verifica;
3 - Algumas vezes de acordo e outras em desacordo, algumas vezes verifica-se outras não;
4 - Bastante em consonância comigo, bastante em acordo, verifica-se bastantes vezes;
5 - Sempre em consonância comigo, totalmente de acordo, verifica-se sempre.
·
"III ­ STAI ­ O Inventário de Estado-Traço de Ansiedade, forma adaptada por Danilo R. Silva
e Sofia Correia, (1997)" através das formas Y-1 e Y-2, para avaliar Estados e Traços de Ansiedade.
Aos itens formulados numa escala Likert de quatro pontos, tratava-se de responder como se sentem
"agora, neste preciso momento", forma Y-1 e, no caso da forma Y-2, como se sentem "geralmente".
Ainda relativamente à escala de Likert o valor "1" corresponde a "nada"; "2" a "um pouco"; "3" a
"moderadamente" e "4" a "muito".
Variáveis do Estudo
Estas subdividem-se em dois grandes grupos: Variáveis de Caracterização e de Natureza Psicológica.
·
"I ­ Caracterização da População": Sexo; Idade; Distrito da Residência Habitual; Curso; Nº
de Opção de par Curso/Escola; Residência em Tempo de Aulas; Estado civil; e Situação Escolar.
·
As Variáveis de Natureza Psicológica são avaliadas através da segunda parte do questionário.
"II ­ Questionário de Vivências Académicas ­ versão reduzida (QVA-r)", definido nas dimensões já
referidas.
Estados e Traços de Ansiedade são outras das variáveis que são alvo deste estudo, avaliadas através do
"STAI".
Resultados
Verificou-se que a idade dos inquiridos variava entre 18 e 55 anos, sendo a média M20,36 anos e o
Desvio Padrão s4,95.

1

2

Dos n=185 questionários válidos, o sexo feminino apresentou-se em maioria, com 68,6% (n=127) dos
estudantes. Relativamente à Opção de Par Curso/Escola verificou-se que 51,4% dos inquiridos se encontram a
frequentar o Curso a que se candidataram como 1ª Opção, aquando do ingresso ao Ensino Superior.
O QUADRO I apresenta os Valores Mínimo, Máximo, Média e Desvio Padrão para cada uma das
Dimensões do QVA-r obtidas neste estudo.

QUADRO I
Valores Médios e Desvios-padrão das Dimensões do QVA-r
Dimensões QVA-r

Valor
Mínimo

N

Dimensão
Interpessoal
Dimensão Carreira
Dimensão
Institucional
Dimensão Pessoal
Dimensão
Estudo/Curso

Valor
Máximo

Valor
Médio

Desvio-padrão

185

27,0

58,0

43,7

5,7

185

22,0

57,0

44,1

7,1

185

12,0

36,0

25,6

3,9

185

17,0

61,0

34,4

8,5

185

22,0

52,0

40,5

5,0

Verificou-se ainda que a maioria dos estudantes (75,1%) não revela adaptação à Dimensão Pessoal,
embora revelando-se, na sua maioria, adaptados às outras Dimensões.
Procede-se de seguida à análise do STAI, encontrando-se os Valores Médios e Desvio-padrão das
Dimensões do STAI no Quadro II.

QUADRO II
Valores Médios e Desvios-padrão das Dimensões do STAI
Dimensões STAI

Valor
Mínimo

N

Valor
Máximo

Valor
Médio

Desvio-padrão

Ansiedade ­ Estado

185

20,0

77,0

40,2

11,7

Ansiedade ­ Traço

185

25,0

71,0

40,6

8,8

A maior parte dos estudantes não revelou Estado de Ansiedade, ou seja 54,6% (n=101). Por outro lado,
pode-se verificar que a maior parte dos estudantes, ou seja, 53,5% (n=99) "Não revela Traço".
No Grupo Etário "Entre 18 e 22 anos" e sexo Feminino foi onde se apresentou maior média para as
Escalas de Ansiedade-Estado e Ansiedade-Traço.
Por escola, são os estudantes da ESEP os que apresentaram maior valor de Média para as Escalas
Ansiedade-Estado e Ansiedade-Traço, respectivamente, sendo na ESAE que os estudantes apresentaram médias
mais baixas também para estas Escalas.
Por curso, os estudantes de Bioengenharia apresentaram média mais elevada para a Escala AnsiedadeEstado, ao contrário dos de Enfermagem que obtiveram a média mais baixa.
Quanto à Escala de Ansiedade-Traço esta assume a média mais elevada também nos Estudantes do Curso
de Bioengenharia, sendo que a média mais baixa surge nos Estudantes do Curso de Engenharia Agronómica.
2

3

QUADRO III
Distribuição dos estudantes relativamente à Dimensão Pessoal e Escala Ansiedade-Estado
ANSIEDADE-ESTADO
Não revela
Estado
DIMENSÃO
PESSOAL

Não revela
Revela
Total

Revela
Estado

Total

95

44

139

6

40

46

101

84

185

No que respeita à Dimensão Pessoal, verifica-se, através do Quadro III, que a maior parte dos estudantes
não revela adaptação, não revelando também Estado de Ansiedade (n=95). Nos estudantes que revelam
adaptação a esta dimensão, constatou-se, contudo, que revelaram Estado de Ansiedade aquando da aplicação dos
questionários (n=40).
Sendo que a maioria dos estudantes não revela adaptação no que respeita à Dimensão Pessoal, é na
ESAE (n=26), ESSP (n=27) e ESTGP (n=26) que o facto mais ocorre, o mesmo não acontecendo com os
estudantes da ESEP que revelaram Estado de Ansiedade (n=17).
Relativamente ao Curso, a maioria dos Estudantes que se encontram adaptados à Dimensão
Interpessoal, não revela Estado de Ansiedade, à excepção dos Estudantes dos cursos de Bioengenharia (n=9),
Jornalismo e Comunicação (n=10), e Serviço Social (n=14) em que os estudantes revelam Estado de
Ansiedade. De referir ainda que o Curso de Serviço Social é onde existem mais estudantes em que sucede este
facto.
Calculados os Coeficientes de correlação de Spearman entre as Variáveis de Caracterização e as
diversas Dimensões do QVA-r, foram encontradas correlações:
- Entre a Dimensão Estudo-Curso e Sexo, r = 0,186; p