A Biotecnologia moderna, uma aplicação prática do
conhecimento da ação gênica
As pesquisas sobre a ação dos genes levaram ao desenvolvimento de técnicas e de
tecnologia que propiciam aos seres humanos resultados que permitem maior
longevidade,como a insulina e a vacina contra o vírus causador da hepatite tipo B, foram
obtidos a partir do cultivo de linhagens de bactérias geneticamente modificadas.
O princípio dessas técnicas é o da clonagem, que, como vimos nas aulas anteriores, pode
ser assim resumido: selecionamse organismos ­ vegetais, animais ou bactérias; isolase
e cortase o DNA de interesse, usando a enzima de restrição; transferese esse DNA para
bactérias, no caso os plasmídeos; os plasmídeos se reproduzem nas bactérias receptoras
do DNA.

Os transgênicos
O termo transgênicos referese ao organismo que possui gene(s) de outra(s) espécie(s),
manipulado através da biotecnologia e da engenharia genética. Hoje são conhecidas
espécies transgênicas vegetais e animais. Por exemplo, bactérias, camundongos e
ovelhas que recebem genes humanos.

A técnica
Em linhas bem gerais, inicialmente identificamse e selecionamse os genes de interesse
e, a seguir, empregase uma técnica para a sua multiplicação ­ primeiro os genes devem
ser "cortados", utilizandose uma enzima chamada de restrição, que reage com
seqüência de bases nitrogenadas específicas; depois os genes que se quer transferir são
ligados a moléculas do DNA bacteriano, chamadas de plasmídeos, que atuam como
vetores para transportálos até os núcleos das células, cultivadas em solução especial.
Os genes em atividade induzem a fabricação de proteínas. Observe o esquema a seguir.

Central de Atendimento: (11) 21457654

www.cursinhodapoli.org.br

Algumas das aplicações

· Aumento da produtividade de vegetais de importância alimentar, tornandoos
resistentes ao ataque de parasitas e predadores;

· Produção de substancia úteis para os seres humanos, a partir de bactérias,
fungos, vegetais ou animais geneticamente modificados. É o caso da insulina
humana, produzida por bactérias;

· Possibilidade do uso de órgãos de animais transgênicos para transplantes nos seres
humanos, assim diminuindo os riscos de rejeição.

As controvérsias
A manipulação e a transferência de genes de um organismo para outro são recentes, mas
as pesquisar sobre os efeitos dos transgênicos na saúde humana e, principalmente, no
ambiente não ocorrem na mesma velocidade. Apesar disso, segundo dados da
Organização das Nações Unidas (ONU), a área cultivada com sementes modificadas
geneticamente aumentou, em todo o mundo desde 1996.
No Brasil, as leis pertinentes à biotecnologia e à engenharia genética, que também
envolve os transgênicos, regulamentam normas de biossegurança e foram criadas em
1995. A justiça Federal entendeu que ainda não estão muito claras as conseqüências do

Central de Atendimento: (11) 21457654

www.cursinhodapoli.org.br

uso dos alimentos geneticamente modificados; por isso, como medida de prevenção,
decidiu suspender a comercialização dos grãos transgênicos, até que se obtenham mais
resultados. É certo que outros fatores também colaboraram para tal decisão: por
exemplo, a definição da competência sobre os Estudos de Impacto Ambiental (EIA) e
Relatórios de Impacto Ambiental (RIMA) ou a Comissão Técnica Nacional de
Biossegurança (CTNBio) ou o Instituto Brasileiro de Recursos Naturais e da Amazônia
Legal (IBAMA), ou ainda, possivelmente, organização da sociedade civil. Contudo, em
2003, pressionado principalmente por agricultores e alguns políticos do Rio Grande do
Sul, o governo federal liberou o plantio e a colheita de uma safra da soja transgênica,
através de medida provisória.

Edson Futema, professor e autor do material didático do Cursinho da Poli; mestre em Oceanografia
Biológica e autor do livro O Ecossistema Marinho (Ática, 1998).

Texto publicado no material didático do Cursinho da Poli.

Central de Atendimento: (11) 21457654

www.cursinhodapoli.org.br