Universidade Federal de Minas Gerais

CARGO: ENGENHEIRO FLORESTAL
PROGRAMA DA PROVA ESPECÍFICA
ECOLOGIA FLORESTAL: biogeografia aplicada às florestas tropicais; fragmentação de ecossistemas;
fluxo de matéria e energia em florestas tropicais; dinâmica de comunidades e populações em
florestas tropicais; relações bióticas em florestas tropicais.
MANEJO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO: conceitos e classificações de unidades de
conservação; Sistema Nacional de Áreas Protegidas; Sistema Nacional de Unidades de Conservação
da Natureza; planejamento de unidades de conservação; manejo de unidades de conservação.
ARBORIZAÇÃO URBANA E RODOVIÁRIA: importância da arborização urbana e rodoviária;
planejamento de arborização urbana e rodoviária; implantação de arborização urbana e rodoviária;
avaliação e monitoramento de arborização urbana e rodoviária.
SEMENTES FLORESTAIS: formação e estrutura; tolerância e sensibilidade à dessecação;
germinação e dormência; métodos de colheita e beneficiamento; armazenamento; análise.
VIVEIROS FLORESTAIS: escolha do local de implantação; dimensionamento; infra-estrutura;
processo de produção de mudas; avaliação da qualidade de mudas; propagação vegetativa;
aclimatação de mudas.
PRINCÍPIOS E MÉTODOS SILVICULTURAIS: efeitos ambientais no crescimento das árvores e da
floresta; qualidade e métodos de avaliação dos sítios florestais; poda em plantações florestais;
desbastes; sistemas silviculturais.
IMPLANTAÇÃO E CONDUÇÃO DE FLORESTAS DE PRODUÇÃO E FLORESTAS DE PROTEÇÃO:
bases para uso da regeneração natural para implantação de floretas; seleção de espécies; métodos e
técnicas de plantio; espaçamento de plantio; condução de povoamento por talhadia.
RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS: conceitos e definições; diagnóstico das condições da
área; métodos de recuperação (métodos físicos, bióticos e de bioengenharia de solos); modelos de
recuperação de ecossistema florestal (composição, arranjo e distribuição de espécies); métodos de
enriquecimento e de regeneração natural.
PROTEÇÃO FLORESTAL: incêndios florestais; pragas florestais; doenças florestais.
MENSURAÇÃO FLORESTAL: medição de diâmetro, altura e copa; georreferenciamento com uso de
GPS; estimativa volumétrica; métodos e procedimentos de amostragem.
BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

(*)

AGUIAR, I.B.; PIÑA-RODRIGUES, F.C.M.; FIGLIOLA, M.B. Sementes florestais tropicais. Brasília:
Abrates, 1993. 350p.
ARAÚJO, D. Planejamento e Gestão de APAs. Série Meio-Ambiente em Debate Documento 15 IBAMA. Brasília 1997.
BRASIL. Lei Federal n 9.985/2000. Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza.
Brasília, 2000.
BOTELHO, S. A.; FARIA, J. M. R.; FURTINI NETO, A. E.; RESENDE, A. V. Implantação de florestas de
proteção. UFLA/FAEPE, Lavras. 81p. (Textos acadêmicos). 2001.
CANIZO, P.J.; GONZALES, A.L.R. Jardnes, Diseno, Proyeto e Plantación. Madri: Prensa Mundi,
1994.
CARNEIRO, J.G. de A. Produção e controle de qualidade de mudas florestais. Curitiba:
UFPR/UENF/FUPEF, 1995. 451p.

Universidade Federal de Minas Gerais

DIAS, L. E; MELO, W. V. Recuperação de áreas degradadas. UFV, Viçosa. 251 p. 1998.
DURYEA, M.L.; DOUGHERTY, P.M. ed. Forest regeneration manual. Dordrecht, Kluwer Academic
Publisher. 1991. 433 p.
FERREIRA, A.G.; BORGHETTI, F. (eds.). Germinação: do básico ao aplicado. Porto Alegre: ARTMED,
2004. 324 p.
GALANTE, M.L.V.; BESERRA, M.M.L.; MENEZEZ, E.O. Roteiro metodológico de planejamento:
Parque Nacional, Reserva Biológica, Estação Ecológica. Brasília: IBAMA, 2002. 136p.
GUARIGUATA, M.R.; KATTAN, G.H. (Org.). Ecología y conservación de Bosques Neotropicales.
Cartago: Libro Universitario Regional, 2002. 692p.
GONÇALVES, J. L. M.; BENEDETTI, V. Ed. Nutrição e fertilização florestal. Piracicaba, IPEF, 2000.
427 p.
GONÇALVES, J. L. M.; STAPE, J. L. Conservação e cultivo de solos para plantações florestais.
IPEF: Piracicaba, SP. 2002. 498p.
KENT, M.; COKER, P. Vegetation Description and Analysis: A Practical Approach. London:
Belhaven Press, 1992. 363p.
LORENZI, H. Árvores Brasileira. Nova Odessa: Editora Plantarum, 1998, V 1 e 2.
LORENZI, H. As Plantas Tropicais de Burle Marx. Nova Odessa: Editora Plantarum, 2001.
LORENZI, H.; SOUZA, H. Plantas Ornamentais no Brasil. Nova Odessa: Editora Plantarum, 2003.
LORENZI, H.; SOUZA, H.M.; MEDEIROS-COSTA, J.T.; CERQUEIRA, L.S.C.; VON BEHR, N. Palmeiras no
Brasil. Nova Odessa: Editora Plantarum, 1996.
MACEDO, S.S. Quadro do Paisagismo no Brasil. São Paulo: Quapá, 1999. 144p.
MATTHEWS, J.D. Silvicultural systems. Oxford, Oxford Academic Press. 1994. 284p.
MILANO, M. S. Unidades de Conservação: conceitos e princípios de planejamento e gestão.
Curitiba, FUPEF. 65p. 1989.
MILANO, M.S., BERNARDES. A.T. & FERREIRA, L.M. Possibilidades alternativas para o Manejo e o
Gerenciamento das Unidades de Conservação. IBAMA. Brasília. 123p. 1993.
PAIVA, H.N.; GONÇALVES, W. Florestas Urbanas: Planejamento para melhoria da qualidade de
vida. Viçosa, MG: Aprenda fácil, 2002. 177p
PÉLLICO NETO, S.; BRENA, D. A. Inventário Florestal. Curitiba, 1997. 316 p.
RODRIGUES, R. R.; LEITÃO FILHO, H. F. ed. Matas ciliares: conservação e recuperação. Edusp,
São Paulo. 320 p. 2000
SEITZ, R.A. Manual da poda de espécies arbóreas florestais. Curitiba, FUPEF. 1995. 88p.
SMITH, D.M.; LARSON, B.C.; KELTY, M.J.; ASHTON, P.M.S. The practice of silviculture: applied
forest ecology. 9th. Ed., New York, Wiley & Sons, 1997. 537 p.
TERBORGH, J. Diversity and the tropical rain forest. New York: Scientific American Library, 1992.
242p.
TERBORG, J.; SCHAIK, C.; DAVENPORT, L.; RAO, M. (organizadores). Tornando os parques
eficientes: estratégias para a conservação da natureza nos trópicos. Curitiba: UFPR/O
Boticário, 2002.518p.
TONHASCA JR., A. Ecologia e história natural da Mata Atlântica. Rio de Janeiro: Interciência,
2005. 197p.
VELOSO, H.P.; RANGEL FILHO, A.L.R.; LIMA, J.C.A. Classificação da vegetação brasileira,
adaptada a um sistema universal. Rio de Janeiro: Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e
Estatística (IBGE), 1991.123p.

Universidade Federal de Minas Gerais

WARING, R.H.; SCHLESINGER, W.H. Forest Ecosystems: Concepts and Management. San Diego:
Academic Press, 1985. 340p.
WHITMORE, T.C. An Introduction to Tropical Rain Forests. Oxford: Clarendon Press, 1990. 226p.

(*) A sugestão bibliográfica destina-se a orientar os candidatos.
bibliografias, dentro do programa, também poderão ser utilizadas.

Outras