AVALIAÇÃO DE TÉCNICAS DE BIOENGENHARIA DE SOLOS PARA
CONTROLE

DA

EROSÃO

MARGINAL NO

BAIXO

SÃO

FRANCISCO

SERGIPANO.
Renisson Neponuceno de Araújo Filho
[email protected] ­ Acadêmico de Engenharia Florestal - UFS
Francisco Sandro Rodrigues Holanda
[email protected] - Professor do Departamento de Engenharia Agronômica
Karen Viviane Santana de Andrade
[email protected] - Acadêmica de Engenharia Florestal - UFS
Helber Gualberto da Silva
[email protected] ­ Acadêmico de Engenharia Agronômica - UFS
Thiago Roberto Soares Vieira
[email protected] ­ Acadêmico de Engenharia Florestal - UFS
Igor Pinheiro Rocha
[email protected] - Mestrando em Agroecossistemas - NEREN/UFS.
Simone Andrade Santana
[email protected] ­ Mestre em Agroecossitemas - NEREN/UFS
Os taludes marginais no baixo curso do Rio São Francisco, dominados por
solos de baixa coesão vem sendo impactados pelo avanço do processo erosivo. O
objetivo deste trabalho foi avaliar técnicas de bioengenharia de solos visando o controle
da erosão por meio da estabilização dos taludes marginais, para posterior recuperação
da vegetação ciliar.
O sítio experimental foi instalado na margem sergipana do Baixo São
Francisco. As técnicas de bioengenharia de solos utilizadas foram caracterizadas pela
associação do Geotêxtil Fibrax® 400BF, com Vetiver (Chryssopagon zizanioides),mix
de leguminosas (Crotalaria juncea) e (Canavalia ensiformis) como cobertura vegetal e
Colchão Reno® como proteção da base. O experimento foi delineado em parcelas
subdivididas com quatro repetições. Na 1a parcela foi testado o revestimento do talude
com Geotêxtil conforme os tratamentos: Geotêxtil + Vetiver + Colchão Reno®;
Geotêxtil + Leguminosas + Colchão Reno®; Geotêxtil + Vetiver sem proteção de base;
Geotêxtil + leguminosas sem proteção de base. Na 2ª parcela foram utilizados os
mesmos tratamentos, desta vez sem a proteção do talude com o Gêotextil.

Para avaliação do comportamento geotécnico do talude e da eficiência das
técnicas

foram

realizados

levantamentos

topográficos

planialtimétricos

com

periodicidade de 7, 15, 30, 45, 60, 75, 90 dias após a implantação. Nos tratamentos com
Geotêxtil e Colchão Reno® o volume de solo erodido foi menor, e entre as espécies
com função de cobertura vegetal, o Vetiver foi o que apresentou melhor resultado
(118,9 m³ de solo erodido) em comparação ao mix de leguminosas (130,8 m³ de solo
erodido).
Palavras chave: Geotêxtil, Estabilização de taludes, Rio São Francisco