Campus de Azurém
4800-058 Guimarães ­ P

Escola de Engenharia
Conselho de Escola



Ata da Reunião do
CONSELHO DE ESCOLA
(02/2015)
3 de Junho de 2015


No dia 3 de Junho de 2015 reuniu, às 14:40, na sala de reuniões da Escola de Engenharia, no
Campus de Azurém, o Conselho de Escola da Escola de Engenharia, com a agenda que consta
da convocatória em anexo (Anexo 1).

Conselheiros presentes: Luís Alfredo Martins Amaral (Presidente), Pedro Manuel Rangel Santos
Henriques, José António Colaço Gomes Covas, Maria Sameiro Faria Brandão Soares Carvalho,
Maria Madalena Santos Alves, José Higino Gomes Correia, José Manuel Pereira Vieira, Paulo
Alexandre da Costa Araújo Sampaio (Secretário), Pedro Miguel Pereira Vieira; André Filipe
Teixeira Pereira; Domingos Manuel Ferreira Martins, Miguel Augusto Freitas Abreu.
Conselheiros ausentes com justificação: José Mendes Machado, Rui Carlos Mendes Oliveira.
Guilherme Augusto Borges Pereira, na qualidade de VicePresidente da EEUM, participou como
convidado, em representação do Presidente da EEUM.


O Presidente do Conselho de Escola deu as boas vindas aos Conselheiros representantes do
corpo discente.


1. Informações

Informações prestadas pelo VicePresidente da EEUM:

1.1 Ensino: a A3ES aprovou o mestrado integrado em engenharia informática. O mestrado em
bioengenharia e o mestrado integrado em engenharia têxtil tiveram aprovação condicional,
tendo os restantes cursos da EEUM sido acreditados por períodos de cinco e seis anos.
Relativamente às vagas para o ano letivo 2015/16 é de salientar o seguinte: o MIEGSI transitou
25 vagas do regime póslaboral para o regime diurno, o MIETex transitou 10 vagas do regime
póslaboral para o regime diurno e o MIECiv reduziu o número de vagas de 50 para 40. Neste
ponto foi ainda apresentado um estudo sobre a empregabilidade dos cursos da EEUM.

1.2 Investigação: foi criado no Gabinete de Apoio a Projetos EEUM, com vista à coordenação
financeira e de pedidos de pagamento e interface com os serviços centrais (suportado pela
Reitoria) ­ em articulação com os Centros de Investigação e a Reitoria. A colaboração com a
Innovayt tem sido intensificada, com vista a aumentar a taxa de sucesso de candidaturas a
projetos europeus por parte da EEUM.

1


1.3 Sociedade / Internacionalização: à semelhança do projecto com a Bosch, é estratégia da
EEUM potenciar projetos semelhantes com outras empresas, nomeadamente com a BiSilque,
AMI, CEIIA, NANIUM, Leica, Continental, AMF, Herdmar, Giliana, SonaeMC, Siemens, CTAG,
entre outras. Estão planeadas colaborações com outras universidades, nomeadamente
projetos cotutela, duplos graus (2º e 3º ciclos) com as universidades de Gent, de Trento, de
Jilin e de Macau. No âmbito de projetos de investigação estão planeados projetos com as
universidades de Trento e de Jilin a nível de candidatura Erasmus+. Ainda neste ponto, a
Presidência da EEUM realizou missões a Oslo e Reiquejavique, no âmbito do Mecanismo
Financeiro do Espaço Económico Europeu ­ EEA Grants, e a Tirana, no âmbito da eficiência
energética/construção sustentável ­ joint Masters, joint PhDs ­ projectos H2020.

1.4 Gerais: Gestão de verbas ­ antecipação do plafond para o 3ª trimestre, permitindo uma
maior flexibilidade. Progressão na carreira ­ em 2016 está prevista a abertura de três
concursos de professor catedrático e cinco de professor associado; a nível dos funcionários
não docentes e não investigadores está a decorrer o levantamento das necessidades nas
diferentes UO. Docentes convidados 2015/16 ­ existe a expetativa do número de docentes
convidados ser o mesmo do 1º semestre do ano letivo 2014/15. Investimentos na EEUM até
2020 ­ IBS, Biblioteca (Azurém); Arranjos exteriores; Reabilitação e modernização dos espaços
pedagógicos; Estudo para a eficiência energética; Edifício para o CEB (AvePark); Complexo
multidisciplinar (Azurém); Edifício MatPlus (Azurém); Edifício Additive Manufacturing
(Azurém); Restaurante universitário (Azurém); Complexo multidisciplinar (AvePark). Plano de
intervenção no Campus Azurém ­ foi já reformulado o acesso exterior (pela rotunda) ao
campus ­ via pedonal; foi reforçada a intervenção da Câmara Municipal de Guimarães nos
arranjos exteriores, jardins, árvores, etc.; foram substituídas as plantas que existiam na EEUM;
vai ser completamente reformulada a entrada do Campus de Azurém; vai ser criada uma zona
pedonal desde a entrada do campus até à extremidade oposta; com a construção, até
Dezembro, do Centro de Estudos e da Biblioteca, vai ser reformulada a zona que fica entre a
Escola de Ciências e as Residências Universitárias ­ arranjos exteriores.

Ainda neste ponto, José Vieira referiu o seguinte: a Universidade do Minho deve capitalizar a
sua posição na engenharia civil, em virtude da posição do curso nos últimos rankings
divulgados. Em termos de condicionantes dos cursos, José Vieira destacou o seguinte: nos
cursos de bioengenharia faltam componentes importantes de engenharia; na engenharia
têxtil existe o problema da atratividade/empregabilidade, devendo ser efetuado algo no
sentido de melhorar o equilíbrio entre tópicos fundamentais e não fundamentais em
engenharia têxtil. Adicionalmente devem ser renovados os equipamentos dos laboratórios.
Para finalizar, José Vieira salientou a sua preocupação relativamente à solução encontrada e
realizada para a entrada no Campus de Gualtar.


2. Aprovação da agenda

A agenda da reunião foi aprovada por unanimidade.


3. Aprovação da ata da reunião de 11 de Fevereiro de 2015

A ata da reunião foi aprovada por unanimidade.




2

4. Resultados da Reunião de 13 de Abril de 2015 do Conselho Consultivo da Escola

Principais aspectos a destacar:

A EEUM tem como marca identitária a colaboração próxima com o tecido industrial e com a
sociedade que tem vindo a instituir ao longo dos anos. A EEUM deverá, no entanto, avaliar a
relação com a indústria, procurando compreender os seguintes aspetos:

- Aferir se a relação com a indústria é ainda pouco profícua, em termos de retorno de
investimento (em particular, no que se refere a prestações de serviços e patentes);
- Analisar a criação de patentes versus sua aplicação e retorno, assim como as receitas
geradas e o investimento necessário para manter as patentes;
- Potenciar a ligação com o tecido empresarial nos principais clusters existentes na região,
tais como TICE, têxtil, construção, polímeros. A EEUM poderá ainda potenciar uma
articulação estratégica com o INL;
- Potenciar a ligação às autarquias.

Em relação à oferta educativa, a EEUM deve procurar uma otimização de recursos ­ embora a
estrutura matricial adotada permitir já, em grande parte, esta otimização. A EEUM deve ainda:

- Repensar a estruturação da sua oferta educativa, tornandoa mais atrativa para os alunos;
- Focar a sua atividade em áreas estratégicas, de elevada empregabilidade, e criar uma
oferta altamente especializada em determinadas áreas, que capte os melhores alunos, não
relevando, primordialmente, a evolução em termos de dimensão;
- Promover a empregabilidade, um fator de atração de novos alunos;
- Oferecer oportunidades de formação em soft skills (gestão, liderança, empreendedorismo,
marketing e promoção pessoal), nomeadamente através da promoção de cursos e estágios
de verão.

Em termos gerais, a EEUM deverá ainda:

- Rever o Plano Estratégico e a Análise SWOT realizada em 2011, assim como a sua
comunicação à comunidade académica e sociedade civil;
- Melhorar a comunicação e estratégia de marketing (identificando as vantagens
competitivas);
- Criar um plano de promoção: promoção da UMinho/EEUM a todos os níveis, não só das
valências de ensino e investigação, mas também das valências culturais;
- Potenciar da rede de antigos alunos (em articulação com o projeto Alumni UMinho);
- Potenciar a ligação à comunidade e aumentar a visibilidade da EEUM para os diferentes
públicosalvo (potenciais alunos, parceiros do tecido empresarial e da rede científica e
tecnológica nacional e internacional, sociedade civil).

O Conselho de Escola propôs que em futuras reuniões sejam reportadas as ações concretas
implementadas como resultado dos contributos do Conselho Consultivo.


5. Lançamento do processo eleitoral para o Conselho de Escola

O Conselho de Escola propôs Luís Almeida para Presidente da Comissão Eleitoral. Foi ainda
decidido que será efetuada a auscultação do Conselho sobre o calendário eleitoral via email.



3



6. Outros assuntos

Não foram abordados outros assuntos.


O Presidente do Conselho de Escola deu a reunião por terminada às 16:00.






O Presidente do Conselho de Escola,
O Secretário do Conselho de Escola,













Luís Alfredo Martins Amaral

Paulo Alexandre da Costa Araújo Sampaio

4

Anexo 1
Convocatória





Campus de Azurém
4800-058 Guimarães ­ P

Escola de Engenharia
Conselho de Escola


CONSELHO DE ESCOLA
ESCOLA DE ENGENHARIA
(EEUMCE 02/2015)


Data: 3 de Junho de 2015
Hora: 14h30m
Local: Sala de reuniões da Escola de Engenharia em Azurém


Ordem de trabalhos:

1. Informações
2. Aprovação da agenda
3. Aprovação da ata da reunião de 11 de Fevereiro de 2015
4. Resultados da Reunião de 13 de Abril de 2015 do Conselho Consultivo da Escola
5. Lançamento do processo eleitoral para o Conselho de Escola
6. Outros assuntos


O Presidente do Conselho de Escola,



Luís Amaral