A BIOENGENHARIA DE SOLOS NA
PROTEÇÃO E RECUPERAÇÃO AMBIENTAL

Aloisio Rodrigues Pereira, PhD
PhD..
Eng.°° Ambiental; Eng.°
Eng.
Eng. ° Civil e Eng.°
Eng.° Florestal

INTRODUÇÃO
· Bioengenharia ­ Conceito
· Bioengenharia no Brasil x Mundo
· Como, onde e porque usar as Técnicas de Bioengenharia:
erosões, taludes, áreas degradadas, cursos d'água, canais, etc.
· Engenharia Tradicional x Bioengenharia
· Materiais flexíveis x materiais rígidos

Belo Horizonte, 04 de março de 2005.

© Deflor, 2005

EROSÃO
· Conceito
· Porque controlar erosões
· Como calcular a perda de solo
· Causas e efeitos
· Soluções (como escolhê-las): segurança, efeito estético, sempre
verde, manutenções, longevidade, etc.

Belo Horizonte, 04 de março de 2005.

© Deflor, 2005

Efeitos da Vegetação na Estabilidade de taludes

Belo Horizonte, 04 de março de 2005.

© Deflor, 2005

Efeitos da Vegetação na Estabilidade de taludes

Belo Horizonte, 04 de março de 2005.

© Deflor, 2005

Efeitos da Vegetação na Estabilidade de taludes

Belo Horizonte, 04 de março de 2005.

© Deflor, 2005

Efeitos da Vegetação na Estabilidade de taludes

Belo Horizonte, 04 de março de 2005.

© Deflor, 2005

Efeitos da Vegetação na Estabilidade de taludes

Belo Horizonte, 04 de março de 2005.

© Deflor, 2005

Proteção de taludes (grama em placas, biomantas)
GRAMA EM PLACAS
Ø

Protege imediatamente o solo;
Ø Tem alto custo de implantaç
implanta ção;
Ø Requer manutenç
manutenção perió
periódica;
Ø As raí
raízes não fixam em solos esté
estéreis;
Ø Não pode ser implantada na estiagem;
Ø Deve ser aplicada em áreas planas e
semi--planas;
semi
Ø Não é recomend
recomendá
ável para taludes
inclinados;
Ø As raí
raízes são superficiais;
Ø Saturam rapidamente o solo;
Ø Peso das placas saturadas de grama
provocam deslizamentos;
Ø Baixa longevidade.

Belo Horizonte, 04 de março de 2005.

BIOMANTA ANTIEROSIVA
Ø

Protege imediatamente o solo;
Ø Podem ser aplicadas sementes de
gramííneas e leguminosas (mix
gram
( mix);
);
Ø Não requer manutenç
manutenção perió
periódica;
Ø É de rá
rápida aplicaç
aplicação;
Ø Pode ser aplicada em taludes de
qualquer inclinaç
inclina ção;
Ø Conserva umidade por longo tempo;
Ø As raí
raízes são profundas, pivotantes e
entrelaççadas;
entrela
Ø É aplicada hidrossemeadura sob a
biomanta antierosiva;
Ø Tem baixo custo de implantaç
implanta ção;
Ø Pode ser aplicada em perí
períodos de
estiagem;
Ø Incorpora maté
matéria
ria--orgânica no solo.
© Deflor, 2005

Fatores que influenciam a erosão

· Erodibilidade do solo
· Recobrimento da vegetação
· Topografia
· Clima
· Uso do solo

Belo Horizonte, 04 de março de 2005.

© Deflor, 2005

Como selecionar plantas para proteção ambiental

· Aspectos climáticos: déficit hídrico; tolerância à seca
· Aspectos edaficos: textura, pH, salinidade
· Aspectos ambientais: longevidade, biomassa, desenvolvimento,
fixação N2, palatabilidade para fauna.

Belo Horizonte, 04 de março de 2005.

© Deflor, 2005

Cálculo da perda de solo
EQUAÇÃO DA PERDA DE SOLO

A = R.K.LS.C.P
ØA

= Perda anual de solo, dado em t.ha-1.ano-1

ØR

= fator de precipitação e run -off, é afetada pela energia potencial, intensidade,
quantidade de chuva e run-off.
ØK

= fator de erodibilidade do solo, é afetada pela textura do solo; mat éria
orgânica; estrutura e permeabilidade.
ØLS

= fator topográfico, é afetado pela inclinação, comprimento e forma do talude
(côncavo ou convexo).
ØC

= fator de manejo de culturas é afetado pela superfície de recobrimento,
dossel, biomassa, uso de solo, tipo de cobertura vegetal.
ØP

= fator de práticas de manejo do solo, é afetado pela rotação de culturas, tipo
de proteção do solo, barreiras, mulch para recobrir o solo, biomantas, terraços e
técnicas de proteção do solo.
Belo Horizonte, 04 de março de 2005.

© Deflor, 2005

Cálculo da perda de solo
Figura 1 ­ Tipo de recobrimento do solo x perda de solo

Belo Horizonte, 04 de março de 2005.

© Deflor, 2005

Cálculo da perda de solo
Fator K: pode ser determinado através de gráficos e calculado
através de fórmulas empíricas. Através de uma série histórica de
dados, determina-se a equação de regressão:
100K = 10-4 x 2,71M1,14(12-a) + 4,20(b-2) + 3,23(c-3)
Onde:
K = fator de erodibilidade;
M = textura do solo, e determinado pela formula:
M = (100 - % argila).(% silte + areia fina)
a = percentual de matéria orgânica no solo
b = estrutura do solo, adotar:
1 = grãos muito finos (Ø