MANUAL DA CCIH
POP nº 01
Data da revisão:

Agosto/11

COORDENADORIA DO CONTROLE
DE INFECÇÃO HOSPITALAR

Versão:

01

HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS
Objetivos:
As mãos constituem a principal via de transmissão de microrganismos durante a
assistência prestada aos pacientes, pois a pele é um reservatório natural de diversos
microrganismos (4.6 x 106 UFC/ cm2) que podem se transferir de uma superfície para
outra por meio de contato direto (pele com pele), ou indireto, através do contato com
objetos e superfícies contaminados. Após a lavagem das mãos com água sabão há uma
redução da microbiota que varia de 1,8 a 2,8 logs após 30 segundos de lavagem
(elimina-se até 99% da microbiota), por outro lado com o álcool chegamos a uma
redução de 4,0 a 5,0 logs após 30 segundos de aplicação (elimina-se até 99,99% da
microbiota). A eficácia da higienização das mãos está relacionada com a duração da
técnica, no mínimo 30 segundos.
A higienização das mãos visa:
·
·

Remoção de sujidade, suor, oleosidade, células descamativas e microbiota da
pele, interrompendo a transmissão de infecções veiculadas ao contato;
Prevenção e redução das infecções causadas pela transmissão cruzada.

Devem higienizar as mãos todos os profissionais que trabalham em serviços de saúde,
que mantêm contato direto ou indireto com os pacientes, que atuam na manipulação de
medicamentos, alimentos e material estéril ou contaminado. Ainda, recomenda-se que
os familiares, acompanhantes e visitantes higienizem as mãos antes e após contato
com o paciente.

Técnica de higienização simples das mãos/higienização
antisséptica das mãos

MANUAL DA CCIH
POP nº 01
Data da revisão:

Agosto/11

COORDENADORIA DO CONTROLE
DE INFECÇÃO HOSPITALAR

Versão:

01

MANUAL DA CCIH
POP nº 01
Data da revisão:

Agosto/11

COORDENADORIA DO CONTROLE
DE INFECÇÃO HOSPITALAR

Versão:

01

MANUAL DA CCIH
POP nº 01
Data da revisão:

Agosto/11

COORDENADORIA DO CONTROLE
DE INFECÇÃO HOSPITALAR

Versão:

Indicações
Uso de água e sabão:
Remover os microrganismos que colonizam as camadas superficiais da pele,
assim como o suor, a oleosidade e as células mortas, retirando a sujidade.
Água e sabão não possui ação residual.
Duração do procedimento: 40 a 60 segundos.
Indicação do uso de água e sabão:
1. Antes de entrar na enfermaria ou unidade fechada;
2. Quando as mãos estiverem visivelmente sujas ou contaminadas com
sangue e outros fluidos corporais;
3. Ao iniciar e terminar o turno de trabalho;
4. Antes e após ir ao banheiro;
5. Antes e depois das refeições;
6. Antes de preparo de alimentos;
7. Antes de preparo e manipulação de medicamentos;
8. Antes e o contato com a paciente;
9. Antes de calçar luvas (procedimentos, profiláticas ou estéreis);
10. Após várias aplicações consecutivas de produto alcóolico.

Uso de Antissépticos:
Promover a remoção de sujidades e de microrganismos, reduzindo a carga
microbiana das mãos, com auxilio de um antisséptico. Clorexidina tem uma
ação residual de 5 á 6 horas e o PVP-I de 1 á 2 horas.
Duração do procedimento: 40 a 60 segundos.
Indicação do uso de antisséptico:
1. Unidades fechadas (UTI, UTI cardíaca, Ucoronariana, UCIPG, Berçário,
Utransplantes, DIP). Pode ser substituído pela higienização com água e sabão
e aplicação de álcool glicerinado ou gel).
2. Nos casos de precaução de contato para pacientes portadores de
microrganismos multirresistentes.

01

MANUAL DA CCIH
POP nº 01
Data da revisão:

Agosto/11

COORDENADORIA DO CONTROLE
DE INFECÇÃO HOSPITALAR

Versão:

Fricção antisséptica das mãos (com solução alcóolica)

1

2

1. Aplique na palma da
mão quantidade suficiente
do produto para cobrir
todas as superfícies das
mãos.

2. Friccione as palmas das mãos entre si.

3

4

3. Friccione a palma da mão direita
contra o dorso da mão esquerda (e viceversa) entrelaçando os dedos.

4. Friccione a palma das mãos entre si
com os dedos entrelaçados.

01

MANUAL DA CCIH
POP nº 01
Data da revisão:

Agosto/11

COORDENADORIA DO CONTROLE
DE INFECÇÃO HOSPITALAR

Versão:
6
5

5. Friccione o dorso dos dedos de uma
mão com a palma da mão oposta (e viceversa), segurando os dedos.

6. Friccione o polegar esquerdo, com
auxílio da palma da mão direita (e viceversa), utilizando movimento circular.
8

7

7. Friccione as polpas digitais e as
unhas contra a palma da mão
esquerda (e vice-versa), fazendo um
movimento circular.

8. Friccione os punhos com movimentos
circulares.

9

9. Friccionar até secar. Não utilizar papel
toalha.

01

MANUAL DA CCIH
POP nº 01
Data da revisão:

Agosto/11

COORDENADORIA DO CONTROLE
DE INFECÇÃO HOSPITALAR

Versão:

Indicações
Uso de Álcool Gel ou Álcool Glicerinado 70%:
Reduzir a carga microbiana das mãos (não há remoção de sujidades). A
utilização de gel ou solução alcóolica á 70% pode substituir a higienização
com água e sabão quando as mãos não estiverem visivelmente sujas.
Ao contrário da clorexidine ou PVP-I, o álcool não possui ação residual.
Duração do procedimento: 20 a 30 segundos.
Indicação do uso de preparações alcóolicas
1. Antes e após contato com o paciente;
2. Antes de realizar procedimentos assistenciais e manipular dispositivos
invasivos;
3. Antes de calçar luvas para inserção de dispositivos invasivos que não
requeiram preparo cirúrgico;
4. Ao mudar de um sítio corporal contaminado para outro, limpo, durante o
cuidado ao paciente;
5. Após contato com objetos inanimados e superfícies imediatamente.
próximas ao paciente.
6. Recomenda-se, após a quinta higienização das mãos com álcool á 70%,
lava-las com água e sabão.

01

MANUAL DA CCIH
POP nº 01
Data da revisão:

Agosto/11

COORDENADORIA DO CONTROLE
DE INFECÇÃO HOSPITALAR

Versão:

Assepsia cirúrgica ou preparo pré-operatório das mãos e
antebraços
2
1

1. Abrir a torneira, molhar as mãos,
antebraços e cotovelos.

2. Recolher, com as mãos em concha, o
antisséptico e espalhar nas mãos, antebraço e
cotovelo. No caso de escova impregnada com
antisséptico, pressione a parte de esponja
contra a pele e espalhe.

3

3. Limpar sob as unhas com
as cerdas da escova.

4

4. Friccionar as mãos, observando dedos, espaços interdigitais e antebraços por no
mínimo 3 a 5 minutos, mantendo ás mão acima do cotovelo.

01

MANUAL DA CCIH
POP nº 01
Data da revisão:

Agosto/11

COORDENADORIA DO CONTROLE
DE INFECÇÃO HOSPITALAR

Versão:

5

6

5. Enxaguar as mãos em água
corrente, no sentido das mãos
para cotovelos, retirando todo
resíduo do produto. Fechar a
torneira com cotovelo.

6. Enxugar as mãos em toalhas ou compressas
estéreis, com movimentos compressivos, iniciando
pelas mãos e seguindo pelo antebraço e cotovelo.

Indicação
Degermação da Pele das Mãos:
Constitui uma medida importante dentre outras, para a prevenção da infecção
de sítio cirúrgico. Elimina a microbiota transitória da pele e reduz a microbiota
residente, além de proporcionar efeito residual na pele do profissional. As
escovas utilizadas no preparo cirúrgico das mãos devem ser de cerdas macias
e descartáveis, impregnadas ou não com antisséptico e de uso exclusivo em
leito ungueal e subungueal.
Duração do procedimento: de 3 a 5 minutos para a primeira cirurgia e de 2 a 3
minutos para as cirurgias subsequentes.
Indicação da degermação:
1. No pré-operatório, antes de qualquer procedimento cirúrgico (indicado para
toda equipe cirúrgica);
2.Antes da realização de procedimentos invasivos (e.g., inserção de cateter
intravascular central, punções, drenagens de cavidades, instalação de dialise,
pequenas suturas, endoscopias e outros).

01

MANUAL DA CCIH
POP nº 01
Data da revisão:

Agosto/11

COORDENADORIA DO CONTROLE
DE INFECÇÃO HOSPITALAR

Versão:

01

Observações
· Mantenha as unhas naturais, limpas e curtas;
· Não use unhas postiças quando entrar em contato direto com os
pacientes;
· Evite o uso de esmaltes nas unhas;
· Evite utilizar anéis, pulseiras e outros adornos quando assistir ao
paciente;
· Aplique creme hidratante nas mãos (uso individual), diariamente, para
evitar ressecamento na pele;
· Os lavatórios/pias devem estar sempre limpos e livres de objetos que
possam dificultar o ato de lavar as mãos;
· No caso dos recipientes de sabão liquido e antisséptico não serem
descartáveis, deve-se proceder á limpeza destes com água e sabão,
desprezando o produto residual e secagem, seguida de desinfecção
com álcool etílico á 70%, no mínimo uma vez por semana. O conteúdo
do recipiente não deve ser completado antes do termino do produto,
devido ao risco de contaminação;
· O papel toalha deve estar localizado de tal forma que ele não receba
respingos de água e sabão;
· Junto aos lavatórios e as pias, deve sempre existir recipiente para o
acondicionamento do material utilizado na secagem das mãos. Este
recipiente deve ser de fácil limpeza, não sendo necessária a existência
de tampa. No caso de se optar por mantê-lo tampado, o recipiente
deverá ter tampa articulada com acionamento de abertura sem
utilização das mãos.

Validação
Elaboração
Nome

Elisabeth Rodrigues de Azevedo

Aprovação
Nome

Nancy Soares Peixoto

Prof. Adj. Paulo Viera Damasco

(RI) Carollyne Gomes de França Valle

Cargo

Enfermeiro

Cargo

Coordenador CCIH