Vol.4,n.1,pp.75-78 (Set - Nov 2013)

Brazilian Journal of Surgery and Clinical Research - BJSCR

UMA LIÇÃO DE CLÍNICA MÉDICA ATRAVÉS DAS UNHAS:
LESÕES UNGUEAIS RELACIONADAS
À DOENÇAS SISTÊMICAS
A LESSON IN MEDICINE THROUGH THE NAIL:
NAIL LESIONS RELATED TO SYSTEMIC DISEASES
Mirlena Lopes BARBOSA1, Eusmar Dias BRITO2, Ivanilton Alves TEIXEIRA2, Priscila Wolf NASSIF3*
1. Acadêmica do curso de graduação de Medicina da Faculdade Ingá; 2. Acadêmico do curso de graduação de Medicina da Faculdade
Ingá; 3. Médica Especialista em Dermatologia e Professora da disciplina de dermatologia do curso de medicina da Faculdade Ingá
* Av. Rio Branco 852, Zona 5, Maringá, Paraná, Brasil. CEP:87015-380. [email protected]
Recebido em 15/07/2013. Aceito para publicação em 27/07/2013

RESUMO

1. INTRODUÇÃO

As unhas podem evidenciar vários distúrbios que vão desde
alterações simples, como infecções fúngicas, até doenças
graves, como as pulmonares ou renais, as quais são irreversíveis. As afecções que acometem o tecido conjuntivo são as
que mais se correlacionam com as alterações nos leitos ungueais. Entre estas, as mais comuns são os distúrbios do
sistema pulmonar, cardiovascular e intestinal. O objetivo
deste trabalho é o de revisar a literatura sobre os sinais
ungueais mais comuns relacionados às doenças sistêmicas,
facilitando o diagnóstico e tratamento precoces. Com base
nos referenciais consultados, sugerimos que o exame clínico
das unhas seja realizado para obtermos importantes sinais
para o diagnóstico de doenças sistêmicas.

As unhas podem auxiliar no diagnóstico clínico de
diversas doenças sistêmicas. Unhas possuem grande
importância na proteção das falanges distais, bem como
função estética, principalmente para as mulheres. Além
disto, as unhas contribuem para apreensão de objetos,
conferindo maior firmeza e melhor sensação tátil, além de
compor a estabilidade dos dedos, permitindo uma deambulação adequada1.
O crescimento normal da unha é, em média, da ordem
de 1,8 a 4,5 mm/mês para os dedos das mãos e, de 1/3 da
metade desta velocidade para as unhas dos pés. Seu
crescimento é contínuo e recebe estímulos hormonais e
nutricionais variados. Assim, a deficiência de alguns
nutrientes na unha pode interferir em sua homeostasia,
tornando-a enfraquecida e opaca1.
As unhas são afetadas por doenças dermatológicas e
sistêmicas. Podem sofrer influências exógenas ou autoinduzidas, as quais são restritas ao aparelho ungueal, ou
fazem parte de doenças sistêmicas2.
O objetivo deste trabalho é o de revisar a literatura de
forma a demonstrar a relação entre distúrbios sistêmicos
e suas formas de acometimento ungueal. Por meio da
observação das unhas, podem-se detectar mais precocemente algumas doenças, facilitando o diagnóstico e permitindo seu tratamento adequado.

PALAVRAS-CHAVE: Unha, sinais ungueais, doenças sistêmi-

cas.

ABSTRACT
The nails may show various disorders ranging from simple
changes such as fungal infections, to serious diseases such as
lung or kidney, which are irreversible. The diseases that affect
the connective tissue are the most correlated with changes in the
nail beds. Among these, the most common disorders are those of
the pulmonary system, cardiovascular and intestinal. The objective of this paper is to review the literature on the most
common nail signs related to systemic diseases, facilitating
early diagnosis and treatment. Based on the references consulted, we suggest that clinical examination of the nails is carried out to obtain important signs for the diagnosis of systemic
diseases.
KEYWORDS: nail, nail signs, systemic disorder.

BJSCR

2. MATERIAL E MÉTODOS
Para o desenvolvimento desta revisão integrativa optamos pela proposta de Ganong (1987)3, obedecendo-se
às seguintes etapas: 1) identificação da questão norteaOpenly accessible at http://www.mastereditora.com.br/bjscr

Barbosa et al. / Braz. J. Surg. Clin. Res.

V.4,n.1,pp.75-78 (Set - Nov 2013)

dora, seguida pela busca dos descritores ou palavras-chaves; 2) determinação dos critérios de inclusão
ou exclusão da pesquisa em bases de dados online; 3)
categorização dos estudos, sumarizando e organizando
as informações relevantes; 4) avaliação dos estudos pela
análise crítica dos dados extraídos; 5) discussão e interpretação dos resultados examinados, contextualizando o
conhecimento teórico e avaliando quanto sua aplicabilidade; 6) apresentação da revisão integrativa e síntese do
conhecimento de cada artigo revisado de maneira sucinta
e sistematizada.
No presente estudo a questão norteadora da revisão
integrativa foi: é possível detectar algumas doenças pela
análise visual das unhas dos paciente?
Foram consultadas as bases de dados LILACS (Literatura Latino Americana e do Caribe em Ciências da
Saúde), a biblioteca SciELO (Scientific Electronic Library on Line) e PubMed (National Center for Biotechnology Information - NCBI, U.S. National Library of
Medicine), incluindo-se os estudos que abordaram a temática dos stents liberadores de drogas, publicados desde 1992 até 2012, independente do idiomas de publicação. Foram utilizados os seguintes descritores controlados para a busca e também utilizados como palavras-chave: unha (n
nail), sinais ungueais (nail signs), doenças sistêmicas (ssystemic disorde).

paralelo em diversos níveis de profundidade.
O leito termina no hiponíquio, que dá origem à polpa
digital. As dobras ungueais laterais delimitam e protegem
lateralmente a unha5.

3. DESENVOLVIMENTO

3.2.1 Alterações ungueais nas doenças pulmonares

3.1 Anatomia do aparelho ungueal
O aparelho ungueal é formado pela dobra ungueal
proximal, matriz, leito, hiponíquio, dobras ungueais laterais e lâmina ungueal. A pele da falange distal dobra-se
sobre si mesma constituindo a dobra ungueal proximal,
que se adere à lâmina ungueal pela cutícula. Em seguida,
encontramos a matriz ungueal, que é responsável pela
produção da lâmina ungueal, constituída por células
córneas anucleadas organizadas em um extrato compacto
e duro. A matriz divide-se em duas porções: a proximal e
a distal. A matriz proximal é responsável pela produção
das camadas superiores da lâmina ungueal, enquanto a
distal produz as inferiores1.
A unha é uma estrutura de células escamosas queratinizadas que agem como uma placa protetora e de suporte. A lâmina ungueal é produzida pelos queratinócitos
da matriz ungueal, na porção proximal do leito ungueal.
Caracteriza-se por ser composta de queratina, apresentar
consistência dura e estar acima do leito ungueal e sobre a
face dorsal da falange dista (Figura 1).
A lúnula tem o formato de meia-lua com convexidade
voltada para a extremidade distal, sendo a porção visível
da matriz. O leito ungueal encontra-se firmemente aderido à lâmina ungueal e também participa, embora pouco,
para a formação da mesma. Tem coloração rosada pela
presença dos capilares que nutrem o dedo e correm em
BJSCR

Figura 1. Anatomia da unha. Fonte: Yarak & Araujo (2004) 4.

3.2 Unhas e Doenças Sistêmicas
As unhas podem evidenciar vários distúrbios ou alterações sistêmicas que vão desde alterações simples
como uma infecção fúngica tratável com medicamentos
corriqueiros, até doenças graves como as pulmonares,
que são irreversíveis4.

Doenças pulmonares obstrutivas crônicas (DPOC),
tais como enfisema pulmonar e fibrose cística, provocam
abaulamento das unhas, semelhante a "um vidro de relógio", além de produzir coloração azulada (cianose) devido à baixa oxigenação do tecido conectivo6.
Já Mark (2012), refere-se a uma manifestação denominada "síndrome da unha amarela", que, em sua referência, é relacionada à doença pulmonar devido a uma
anomalia linfática, que se manifesta como uma bronquite
recorrente.
3.2.2 Alterações ungueais nas doenças gastrointestinais
As alterações na cor das unhas podem indicar patologias ligadas à distúrbios gastrointestinais, como doença
de Crohn e outras doenças disabsortivas. Esta afirmativa
é descrita desde 1992, quando FATTORUSSO e RITTER6 mencionam que a colite de Crohn, tratava-se de
uma moléstia ligada ao tecido conjuntivo intestinal que
poderia levar, em casos críticos, a alterações vasculares
do leito ungueal, com edema do mesmo.
3.2.3 Alterações ungueais nas doenças cardiovasculares
Segundo o Caderno de atenção básica a saúde, do
Openly accessible at http://www.mastereditora.com.br/bjscr

Barbosa et al. / Braz. J. Surg. Clin. Res.

V.4,n.1,pp.75-78 (Set - Nov 2013)

tervalo de tempo em que a doença iniciou, ao medirmos
a distância entre a prega ungueal proximal e a linha de
Beau. A causa mais comum é o trauma local. As linhas
de Beau também podem refletir estado nutricional pobre,
hipersensibilidade à drogas, doenças febris e exposição à
temperatura frias nos pacientes com fenômeno de
Raynaud4.
3.3.2 Linhas de Muehrcke

Figura 2. Unha meio a meio de paciente em hemodiálise. Fonte: Martinez et al. (2010)8.

Ministério da Saúde7, o baqueteamento digital está relacionado com doenças cardiovasculares, pulmonares e
intestinais, devido ao aumento no tecido conjuntivo
vascularizado e edema intersticial, na região subungueal.

São linhas brancas transversas paralelas a lúnula.
Estas linhas horizontais surgem aos pares, atravessando
por toda a unha e desaparecem quando se comprime às
unhas. Essas linhas representam anormalidade vascular
do leito ungueal e, assim, não se movimentam com o
crescimento da unha. Surgem nos pacientes com hipoalbuminemia (albumina < que 2 g/dL) e desaparecem
quando as proteínas se normalizam. Também podem
estar presentes em pacientes com síndrome nefrótica,
doenças hepáticas, má nutrição, uso de drogas quimioterápicas, síndrome de Peutz-Jeghers, bem como nos
transplantados renais4.

3.2.4. Alterações ungueais nas doenças renais
O sistema renal também pode determinar alterações
ungueais. Pacientes em hemodiálise apresentam "unhas
meio a meio", ausência de lúnula e hemorragia em estrias,
em que as unhas ficam de cor metade branca e metade
vermelha (Figura 2).

Figura 4. Linhas de Muehrcke. Fonte: Yarak & Araujo (2004) 4

3.3.3 Pittings
São pequenas depressões disseminadas na unha
normal. A causa desses pittings é devido a focos de paraceratose na matriz ungueal.

Figura 3. Linhas de Beau. Fonte: Yarak & Araujo (2004)4

3.3 Depressões, lesões lineares transversas,
pitting e leuconíquia
3.3.1 Linhas de Beau
Essa lesão é uma depressão linear transversa na lâmina ungueal e significa alteração temporária no crescimento ungueal. Sabe-se que as unhas crescem em torno de 0,10-0,15 mm/dia. Assim, podemos estimar o inBJSCR

Figura 5. Pitting ungueal. Fonte: Yarak & Araujo (2004) 4

Openly accessible at http://www.mastereditora.com.br/bjscr

Barbosa et al. / Braz. J. Surg. Clin. Res.

Em geral, pitting está associado à psoríase. Podem
ocorrer na dermatite atópica, líquen plano, sarcoidose,
pênfigo vulgar, alopecia areata, incontinência pigmentar,
síndrome de Reiter (Figura 5).
3.3.4. Leuconíquias
Crianças e adultos apresentam máculas ou linhas esbranquiçadas na lâmina ungueal em uma ou mais unhas.
A leuconíquia pode ser estriada, puntata, parcial e total.
A leuconíquia puntata é o padrão mais comum e ocorre
devido a pequenos traumas locais (Figura 6). A leuconíquia estriada pode ter caráter hereditário, secundariamente a trauma local ou por doença sistêmica quando
múltiplas unhas estão envolvidas. A leuconíquia parcial
foi encontrada na tuberculose, nefrite, doença de Hodgkin, metástases de carcinomas, hanseníase, perniose e
por causas idiopáticas. A leuconíquia total pode ser hereditária ou por doenças sistêmicas, como a febre tifoide,
colite ulcerativa, cirrose e hanseníase4.

V.4,n.1,pp.75-78 (Set - Nov 2013)

REFERÊNCIAS
[1] Lebwohn M. Manifestações cutâneas das doenças sistêmi-

[2]

[3]
[4]

[5]

[6]
[7]

[8]

cas, 2012. Disponível em:
Acesso em: 26 de julho de
2012.
Nakamura R. As unhas e suas alterações, 2011. Disponível em:
Acesso em: 30 de julho de 2012.
Ganong LH. Integrative reviews of nursing research. Res
Nurs Health, 1987; 10(1):1-11.
Yarak S, Araujo TMA. Afecções ungueais nas doenças
sistêmicas: o que as unhas podem mostrar, 2009. Disponível em:
Acesso em: 25 de julho de 2012.
Loureiro WR. Doenças das unhas, 2008. Disponível em:
Acesso em: 27 de julho de
2012
Fattorusso V, Ritter O. Vademecum clínico do diagnóstico
ao tratamento. Editora Medsi, Rio de Janeiro, 1992.
Saúde, Ministério da. Caderno de atenção básica, doenças
respiratórias crônicas, caderno numero 25, ministério de
saúde, Brasil, 2010. Disponível em:
Acesso
em: 25 de julho de 2012.
Martinez MAR, Santos VP, Filho CDSM, Gregório CL,
Bérgamo RR. Alterações ungueais em pacientes portadores
de insuficiência renal crônica em hemodiálise, 2010. Disponível em:
Aces
so em: 23 de julho de 2012.

Figura 6. Leuconíquia puntada. Fonte: Yarak & Araujo (2004) 4

4. CONCLUSÕES
O aparelho ungueal pode ser tomado como um espelho do que acontece local e sistemicamente no organismo.
Reconhecer as alterações das unhas é de fundamental
importância para o diagnóstico das doenças dermatológicas e pode ser um referencial preditivo para o diagnóstico de sistêmicas, pois muitas vezes o exame das unhas é
o único exame "complementar" necessário5.
As afecções que acometem o tecido conjuntivo são
as que mais se correlacionam a alterações nos leitos ungueais. Entre estas, as mais comuns são os distúrbios do
sistema pulmonar, cardiovascular e intestinal.
Portanto, sugerimos que o exame clínico das unhas
seja realizado o para obtermos importantes sinais para o
diagnóstico de doenças sistêmicas.

BJSCR

Openly accessible at http://www.mastereditora.com.br/bjscr