g o v e r n o d o e s ta d o d e s ã o pa u l o

Manicure e Pedicure

2

Pr o g ra m a d e

Qualificação
Arco Ocupacional
Profissional
image m e be leza

M a ni cu re e Pe d i cu r e

2

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

Geraldo Alckmin
Governador
SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO,
CIÊNCIA E TECNOLOGIA

Paulo Alexandre Barbosa
Secretário
Luiz Carlos Quadrelli
Secretário Adjunto
Antonio Carlos Santa Izabel
Chefe de Gabinete
Juan Carlos Dans Sanchez
Coordenador de Ensino Técnico, Tecnológico e Profissionalizante
SECRETARIA DO EMPREGO E RELAÇÕES DO TRABALHO

Davi Zaia
Secretário
Rogério Barreto
Secretário Adjunto
Ulrich Hoffmann
Chefe de Gabinete
José Roberto Fukumaru
Coordenador de Políticas de Emprego e Renda
Antônio Sebastião Teixeira Mendonça
Coordenador de Políticas de Empreendedorismo
Carlos Roberto Achilles
Coordenador de Operações

Secretaria de Desenvolvimento
Econômico, Ciência e Tecnologia

Coordenação do Projeto
CETTPro/SDECT
Juan Carlos Dans Sanchez
Fundação Padre Anchieta
Monica Gardelli Franco
Fundação do Desenvolvimento
Administrativo ­ Fundap
José Lucas Cordeiro
Apoio Técnico à Coordenação
Fundação do Desenvolvimento
Administrativo ­ Fundap
Fernando Moraes Fonseca Jr., Laís Schalch,
Maria Helena de Castro Lima, Selma Venco
Apoio à Produção
Fundação do Desenvolvimento
Administrativo ­ Fundap
Ana Paula Alves de Lavos, Bianca Briguglio,
Emily Hozokawa Dias, Isabel da Costa Manso
Nabuco de Araújo, José Lucas Cordeiro,
Karina Satomi, Laís Schalch,
Maria Helena de Castro Lima,
Selma Venco
CETTPro/SDECT
Cibele Rodrigues Silva,
João Batista de Arruda Mota Jr.
Textos de Referência
Maria Helena de Castro Lima
Selma Venco

FUNDAÇÃO PADRE ANCHIETA
Presidente
João Sayad
Vice-Presidentes
Ronaldo Bianchi
Fernando Vieira de Mello
Diretoria de Projetos Educacionais
Diretor
Fernando José de Almeida
Gerentes
Monica Gardelli Franco
Júlio Moreno
Coordenação técnica
Maria Helena Soares de Souza
Equipe Editorial
Gerência editorial
Rogério Eduardo Alves
Produção editorial
Janaina Chervezan da Costa Cardoso
Edição de texto
Fernanda Bottallo
Marcelo Alencar
Preparação
Luciana Soares
Revisão
Beatriz Chaves
Helô Beraldo
Karlo Gabriel
Identidade visual
João Baptista da Costa Aguiar
Arte e diagramação
Fernando Makita
Pesquisa iconográfica
Elisa Rojas
Monica Souza
Ilustrações
Osnei
Tom B
Consultoria
Titta Aguiar

Agradecemos aos seguintes profissionais e instituições que colaboraram na produção deste material:
Ayde Rangel, Bruna Castanho, Claudia Miranda, Daniela Araújo, Empório das Unhas,
Fatto a Mano, José Julio Junior, King 55, Leo's Cabeleireiros, Lia Bissornia, Perfumaria 2000,
Salão Bardot Body and Soul, Salão Diva, Salão Doll, Salão Dona Dondoca e Salão Pérola Negra

Caro(a) Trabalhador(a)
Estamos bastante felizes com a sua participação em um dos nossos cursos do Programa Via
Rápida Emprego. Sabemos o quanto é importante a capacitação profissional para quem
busca uma oportunidade de trabalho ou pretende abrir o seu próprio negócio.
Hoje, a falta de qualificação é uma das maiores dificuldades enfrentadas pelo desempregado. Até os que estão trabalhando precisam de capacitação para se manter atualizados ou
quem sabe exercer novas profissões com salários mais atraentes.
Foi pensando em você que o Governo do Estado criou o Via Rápida Emprego.
O Programa é coordenado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e
Tecnologia, em parceria com instituições conceituadas na área da educação profissional.
Os nossos cursos contam com um material didático especialmente criado para facilitar o
aprendizado de forma rápida e eficiente. Com a ajuda de educadores experientes, pretendemos formar bons profissionais para o mercado de trabalho e excelentes cidadãos para a
sociedade.
Temos a certeza de que iremos lhe proporcionar muito mais que uma formação profissional
de qualidade. O curso, sem dúvida, será o seu passaporte para a realização de sonhos ainda
maiores.
Boa sorte e um ótimo curso!

Paulo Alexandre Barbosa
Secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico,
Ciência e Tecnologia

Caro(a) Trabalhador(a)
Você está iniciando neste momento o curso de manicure e pedicure, ocupações que
oferecem boas chances de obter uma vaga no mercado de trabalho, pois fazem
parte dos cuidados pessoais que tanto mulheres como homens valorizam nos dias
de hoje.
É possível que você já saiba algumas coisas sobre o assunto, por ter experimentado
"fazer suas unhas" ou a de seus conhecidos. Talvez até já tenha trabalhado como
manicure ou pedicure.
Nossa proposta é que, com este curso, você possa aprender as técnicas desta atividade ou aprimorar seus conhecimentos sobre elas, passando a ter uma visão organizada daquilo que um bom profissional da área precisa.
Vamos também aproveitar nossos encontros para tratar de temas que irão ajudá-lo
no momento de buscar uma inserção no mercado. Falaremos de história, cidadania,
língua portuguesa e outros assuntos que contribuem para sua formação geral, a fim
de que você conheça melhor o mundo em que vive.
Assim, aproveite o curso para refletir, escrever, criar, discutir, relacionar-se com os
colegas. Tudo isso fará diferença quando você estiver trabalhando.
Vamos às aulas!

Sumário
Unidade 6
9
como

"fazer mãos"

Unidade 7
35
como

"fazer pés"

Unidade 8
61
arte nas unhas

Unidade 9
79
a ética da profissão

Unidade 10
91
revendo meus conhecimentos

dados internacionais de catalogação na publicação (cip)
(bibliotecária silvia marques crb 8/7377)
P964
Programa de qualificação profissional: Imagem e beleza /
manicure e pedicure. -. -- São Paulo: Fundação Padre Anchieta,
2010. v.2, il. (série: Arco Ocupacional)
Vários autores
Programa de qualificação profissional da Secretaria do
Emprego e Relações do Trabalho - SERT
ISBN 978-85-61143-91-6
1. Ensino profissionalizante 2. Manicure 3. Pedicure
I. Título II. Série
CDD 371.30281

Unidade 6

Como "fazer mãos"
Os instrumentos e materiais de trabalho estão ao seu alcance?
Então vamos ver, passo a passo, como cuidar das mãos de seu
cliente e embelezá-las.

Humberto Bassanelli Jr.

Nossa proposta é que você conheça cada um dos procedimentos
adotados para "fazer mãos" e também os pratique, de modo que
conclua este programa de qualificação sentindo-se capaz de
começar a atuar na área ou continuar, com maior segurança, o
trabalho que já faz.

Cuidado e embelezamento das mãos: tirar cutículas, pintar unhas e muito mais

Cuidar das mãos não é apenas tirar as cutículas e pintar as unhas
dos clientes. Entretanto, muitas pessoas procuram manicures
somente para esses serviços. E ainda têm pressa, querem que
tudo seja feito bem rápido.
Buscaremos, aqui, tratar de cada etapa do trabalho do manicure,
abordando tudo o que você poderá oferecer em relação ao cuidado e ao embelezamento das mãos durante seu atendimento.
Mas, independentemente do que você sabe fazer, é essencial, antes
de iniciar uma sessão, receber o cliente de forma adequada e identificar exatamente o que ele espera de você e do seu trabalho.


M a nic u r e e Pe d i cu re

2

A rco O c u pac i on a l I m a g e m

e

Beleza

9

Atividade 1

R ecebendo

o cliente

1. Trabalhe em dupla. Imaginem que um de vocês é manicure e que o outro é um
cliente que chegou para fazer as unhas pela primeira vez.
Antes de iniciar, quem faz o papel de manicure deve pensar: "Como vou receber
este cliente? O que devo perguntar? Qual a melhor forma de oferecer meus serviços?"
Já quem interpreta o cliente deve pensar: "Como quero ser recebido? O que espero
do serviço? Como vou saber se a pessoa que vai me atender fará um bom trabalho?"
2. Depois dessas reflexões, simulem um diálogo, anotando perguntas e respostas.
3. Agora invertam os papéis e repitam o exercício. Assim os dois podem acertar o
que acharam estranho na primeira conversa.
4. A que conclusões vocês chegaram? Como deve ser a recepção de um cliente novo?
Que cuidados são necessários? Quais perguntas o manicure deve fazer? Que
dúvidas do cliente ele deve estar preparado para esclarecer?
5. Apresentem seus resultados para a classe e ouçam as conclusões das outras duplas.
Essa troca de informações vai ajudá-los mais tarde, na hora de receber seus clientes de verdade.
Alguns aspectos dessa prática não podem ser esquecidos. Se eles não surgirem na
classe, inclua-os em sua lista depois.

Não deixe de perguntar ao cliente antes de iniciar o trabalho
· Ele tem algum problema nas mãos, nos pés ou nas unhas que exija cuidados especiais?
· Ele faz restrições ao uso de acetona ou algum outro produto?
· O cliente trouxe material próprio ou vai usar o que você tem disponível?
· O cliente gosta das unhas curtas ou compridas? Quadradas, redondas ou ovaladas?
· Ele costuma tirar as cutículas ou apenas empurrá-las?
· Quanto tempo ele tem para o atendimento?

10

A rco O cupacio nal I m a g e m

e

B e l e z a M a n i cu re e P ed i cu re

2

Esteja preparado para responder
· Quanto tempo a sessão leva em média?
· Quanto você cobra pelo serviço?
· Como os instrumentos são esterilizados?
· Que materiais são descartados após o uso?
· Você usa produtos de quais marcas?
· Os produtos que você utiliza são autorizados pela Anvisa?
Antes de iniciar as perguntas ao cliente, procure deixá-lo
à vontade. Convide-o para sentar e ofereça-lhe café e água.
Se houver necessidade de ele aguardar para ser atendido,
disponibilize também algumas revistas para que o tempo
de espera "passe mais rápido".
Na hora de iniciar o atendimento, acomode o cliente no
local adequado, coloque luvas descartáveis e tenha em
mente que seu trabalho deverá seguir sete etapas:
a) remoção do esmalte antigo;
b)definição e acerto de tamanho e formato das unhas:
corte, lixamento e polimento;
c) remoção das cutículas;
d)hidratação das mãos e retoque das unhas;
e) aplicação de base e esmalte;
f) limpeza do excesso de esmalte;
g)acabamento.

DICA
Antes de iniciar o procedimento
é bom lembrar: trabalhe sempre
no sentido da sua direita para
a esquerda. Em outras palavras,
comece pelo dedo mínimo
da mão esquerda do cliente
e termine no dedo mínimo
da mão direita dele.
Esse procedimento facilita o
trabalho e tende a evitar "raspões"
e pequenas batidas enquanto você
vai pintando as unhas.



M a nic u r e e Pe d ic u re

2

A rco O c u pac i on a l I m a g e m

e

Beleza

11

Primeira etapa
Remoção do esmalte antigo
Para não enfraquecerem, as unhas devem permanecer
alguns dias sem esmalte. Dessa forma suas células poderão "respirar". Mas, na prática, muitos clientes procuram
o manicure com as unhas ainda pintadas (ao menos em
parte), e cabe ao profissional retirar o esmalte.
Para isso, você vai precisar de:
· algodão;
· removedor de esmalte, com ou sem acetona (ou lenços
removedores);

IMP

· pau de laranjeira, que deve ser desembalado na frente
do cliente e ser de uso exclusivo dele.

Você voltará a usar o pau de
laranjeira em mais uma etapa de
seu trabalho e, por isso, poderá
guardá-lo até finalizar o processo
com o mesmo cliente. Depois
disso, descarte o material (quebre-o
e jogue-o fora na frente do cliente).
Se esse cliente for assíduo ­ caso
você o atenda toda semana ­,
considere a possibilidade de limpar
o palito com álcool e guardá-lo
numa embalagem própria com o
nome da pessoa, a fim de reusá-lo
no próximo atendimento. Antes de
fazer isso, pergunte se o cliente
concorda com o procedimento.

Se você não perguntou antes, agora é hora de saber se a
pessoa tem algo contra o uso de removedor de esmalte com
acetona. Caso ela recuse a acetona, opte por um removedor
que não contenha esse produto ­ o qual deve estar disponível em seu kit de materiais. Você também poderá usar
lenços removedores de esmalte, pois eles não contêm acetona. Lembre-se de que, com o uso desses produtos, o
processo será apenas um pouco mais demorado.

12

A rco O cupacio nal I m a g e m

e

B e l e z a M a n i cu re e P ed i cu re

2

Cleones Ribeiro

Como fazer?
1

2

1. Passe nas unhas, uma por vez, um chumaço de algodão umedecido com removedor

de esmalte ou acetona ou um lenço removedor, sempre no sentido da matriz para
a ponta dos dedos (de dentro para fora). Repita o procedimento em cada unha,
usando também o lado oposto do algodão, antes de passar para a unha seguinte.

2. Molhe a ponta do pau de laranjeira com um pouco de removedor de esmalte e

enrole um tufo de algodão na parte úmida. Mergulhe-o no removedor e passe-o
nos cantos das unhas, contornando as cutículas. Assim você removerá os restos
de esmalte que ficam mais próximos da pele. Tenha cuidado para não machucar
o cliente, pois essa é uma área delicada e os palitos têm pontas finas.

Segunda etapa
Definição e acerto de tamanho e formato das unhas
Nesta etapa, você vai fazer uso dos seguintes materiais:
· alicate de corte de unhas;
· lixas de unha com diferentes graus de abrasividade;
· lixa fina ou "polidor".
Tenha o cuidado de mostrar a seu cliente que o alicate está esterilizado. Se o esterilizador que você utiliza é uma autoclave, abra a embalagem e retire o material dela
somente na frente do cliente. Além disso, as lixas deverão ser novas.
O primeiro passo desta etapa do trabalho é a observação das mãos e do formato das
unhas de seu cliente.
Já tratamos do assunto na Unidade 4, mas vamos retomar o que foi abordado.
· Mãos pequenas e gordinhas ficam mais harmoniosas com unhas arredondadas
nas laterais e retas nas pontas.


M a nic u r e e Pe d ic u re

2

A rco O c u pac i on a l I m a g e m

e

Beleza

13

· Mãos e dedos magros e alongados combinam com unhas quadradas.
· Mãos pequenas e delicadas pedem unhas arredondadas.
Além desses formatos, as unhas podem ser ovaladas ­ em forma de amêndoa, como
as que eram usadas na década de 1920 ­ ou ainda pontiagudas.
Assim como ocorre com as unhas arredondadas, o formato ovalado alonga as mãos
e os dedos e reduz a possibilidade de as unhas se quebrarem. Sugira esse formato se
o cliente queixar-se de unhas fracas ou quebradiças (ou se você perceber o problema).

A saúde das unhas e a alimentação
Unhas fracas e quebradiças podem estar relacionadas à falta de vitaminas (A, C e E) ou
de outros componentes de que o corpo humano necessita, como zinco, ferro e cálcio.
Uma dieta equilibrada, com frutas, verduras e legumes, ajuda a combater o problema.
Não só as unhas fracas, mas muitos outros problemas do nosso corpo podem ser
resolvidos ­ ou, pelo menos, minorados ­ com alimentação adequada. E a alimentação mais adequada é a que conhecemos como balanceada, equilibrada. Para saber
do que se trata, vamos examinar a composição da pirâmide alimentar. De acordo
com o Departamento de Nutrição da Universidade de Brasília (UnB), essa pirâmide
é formada por 8 grupos de alimentos.

14

A rco O cupacio nal I m a g e m

e

B e l e z a M a n i cu re e P ed i cu re

2

O mesmo departamento da UnB recomenda, para termos uma dieta balanceada, o consumo diário das seguintes porções:

Alimentos
Grupo 1
cereais, pães, raízes
e tubérculos

Grupo 2
hortaliças e verduras

Grupo 3
frutas e sucos
de frutas naturais

Grupo 4
leite e derivados: queijos,
bebidas lácteas etc.

Grupo 5
carnes e ovos

Grupo 6
leguminosas: feijão,
soja, ervilha etc.

Grupo 7
óleos e gorduras

Grupo 8
açúcares, balas,
chocolates, salgadinhos

Porções

Calorias

8 porções

150 kcal

3 porções

15 kcal

3 porções

70 kcal

3 porções

120 kcal

2 porções

130 kcal

1 porções

55 kcal

2 porções

120 kcal

2 porções

80 kcal

Fonte: Universidade de Brasília

Quando comemos de forma equilibrada, a pele fica mais
viçosa, o intestino funciona melhor, os cabelos ganham
força e brilho etc. E comer bem não significa pagar caro.
O importante é escolher alimentos saudáveis e ricos em
nutrientes, além de saber aproveitar suas qualidades.



M a nic u r e e Pe d ic u re

2

Você sabia?
Os talos de algumas hortaliças ­ agrião e espinafre, por exemplo ­ são
repletos de vitaminas e
muita gente os joga fora
em vez de aproveitá-los.
Além disso, apenas refogar as verduras, sem colocar água na panela, conserva melhor as vitaminas
desses alimentos.
Há muitas informações
dessa natureza ­ e muitas
receitas também ­ que
você pode descobrir buscando informação sobre
o tema na internet, e, com
isso, adotar uma alimentação mais rica e saudável
em sua casa.
Pesquisando, você também pode aprender um
pouco mais sobre os alimentos que ajudam a fortalecer as unhas e levar
esse saber para o ambiente de trabalho, oferecendo informações valiosas
a seus clientes.

A rco O c u pac i on a l I m a g e m

e

Beleza

15

Atividade 2

Trocando

receitas

1. Em conjunto com um colega pesquise, na internet, alimentos ricos em vitaminas
A, C e E, além de zinco, ferro e cálcio. Liste-os aqui.

2.Escolha um desses alimentos e procure uma receita que lhe pareça gostosa e
saudável e não exija grandes despesas. Transcreva o texto ou imprima uma cópia
dele e, em seguida, peça que o seu monitor tire cópias para toda a classe.
3.Depois de trocar receitas com os colegas, guarde suas favoritas para prepará-las
em casa e indicá-las aos amigos e clientes.
Leia a seguir um poema de Cora Coralina, uma mulher que vivia entre receitas e poesias.
CORA CORALINA, QUEM É VOCÊ?
Sou mulher como outra qualquer.
Venho do século passado
e trago comigo todas as idades.
Nasci numa rebaixa de serra
Entre serras e morros.
"Longe de todos os lugares".
Numa cidade de onde levaram
o ouro e deixaram as pedras.
Junto a estas decorreram
a minha infância e adolescência.

16

A rco O cupacio nal I m a g e m

e

B e l e z a M a n i cu re e P ed i cu re

2

luiz Novaes/folha press

Aos meus anseios respondiam
as escarpas agrestes.
E eu fechada dentro
da imensa serrania
que se azulava na distância
longínqua.
Numa ânsia de vida eu abria
O voo nas asas impossíveis
do sonho.
Venho do século passado.
Pertenço a uma geração
ponte, entre a libertação
dos escravos e o trabalhador livre.
Entre a monarquia caída e a república
que se instalava.
Todo o ranço do passado era presente.
A brutalidade, a incompreensão,

[a ignorância, o carrancismo.
Os castigos corporais.
Nas casas. Nas escolas.
Nos quartéis e nas roças.
A criança não tinha vez,
Os adultos eram sádicos
aplicavam castigos humilhantes.

A poetisa Cora Coralina (nome artístico de Ana Lins dos
Guimarães Peixoto Bretas)
nasceu em Goiás, no dia 20
de agosto de 1889. Aos 14
anos publicou o primeiro
conto, Tragédia na roça,
mas só retomou a carreira
literária depois dos 50 anos
de idade. Além de sua produção como escritora, ela
ganhou fama por ser uma
grande doceira. Durante
mais de 20 anos, cozinhou
doces maravilhosos.
Por conta de seu talento literário, recebeu a condecoração
de doutora honoris causa
pela Universidade Federal de
Goiás, doutora certificada
pela vida, pois sua educação
formal resumiu-se a poucos
anos de escola primária. Cora
fazia seus poemas com grande sensibilidade.

Tive uma velha mestra que já
havia ensinado uma geração
antes da minha.
Os métodos de ensino eram
antiquados e aprendi as letras
em livros superados de que
ninguém mais fala.



M a nic u r e e Pe d ic u re

2

A rco O c u pac i on a l I m a g e m

e

Beleza

17

Nunca os algarismos me
entraram no entendimento.
De certo pela pobreza que marcaria
Para sempre minha vida.
Precisei pouco dos números.
Sendo eu mais doméstica do
que intelectual,
não escrevo jamais de forma
consciente e racionada, e sim
impelida por um impulso incontrolável.
Sendo assim, tenho a
consciência de ser autêntica.
Nasci para escrever, mas, o meio,
o tempo, as criaturas e fatores
outros contra-marcaram minha vida.
Sou mais doceira e cozinheira
do que escritora, sendo a culinária
a mais nobre de todas as Artes:
objetiva, concreta, jamais abstrata
a que está ligada à vida e
à saúde humana.
Nunca recebi estímulos familiares para ser literata.
Sempre houve na família, senão uma
hostilidade, pelo menos uma reserva determinada
a essa minha tendência inata.
Talvez, por tudo isso e muito mais,
sinta dentro de mim, no fundo dos meus
reservatórios secretos, um vago desejo de analfabetismo.
Sobrevivi, me recompondo aos
bocados, à dura compreensão dos
rígidos preconceitos do passado.

18

A rco O cupacio nal I m a g e m

e

B e l e z a M a n i cu re e P ed i cu re

2

Preconceitos de classe.
Preconceitos de cor e de família.
Preconceitos econômicos.
Férreos preconceitos sociais.
A escola da vida me suplementou
as deficiências da escola primária
que outras o destino não me deu.
Foi assim que cheguei a este livro
Sem referências a mencionar.
Nenhum primeiro prêmio.
Nenhum segundo lugar.
Nem Menção Honrosa.
Nenhuma Láurea.
Apenas a autenticidade da minha
poesia arrancada aos pedaços
do fundo da minha sensibilidade,
e este anseio:
procuro superar todos os dias
minha própria personalidade
renovada,
despedaçando dentro de mim
tudo que é velho e morto.
Luta, a palavra vibrante
que levanta os fracos
e determina os fortes.
Quem sentirá a Vida
destas páginas...
Gerações que hão de vir
de gerações que vão nascer.
Cora Coralina. Meu livro de cordel. São Paulo: Global, 1998.



M a nic u r e e Pe d ic u re

2

A rco O c u pac i on a l I m a g e m

e

Beleza

19

DICA
Clientes mais delicadas e
românticas, costumam preferir
unhas mais arredondadas
e ovaladas, enquanto as
mais modernas preferem
unhas quadradas.
O formato quadrado de unha, que
vem se destacando em várias
estações, começa a perder lugar
para as unhas mais curtas,
atingindo somente o comprimento
do dedo, e de formato mais
arredondado ou oval.

Observando as mãos e as unhas de um cliente, você pode
propor o tamanho e o formato de unha mais aconselhável para ele. Mas não deixe de perguntar como essa pessoa gosta das próprias unhas. Caso ela não tenha uma
preferência clara, dê uma sugestão.
Faça isso sem tentar impor seu gosto. Por mais certo que
você pense estar sobre o melhor formato em cada caso,
a escolha final é do cliente.
Uma vez definido o formato, vamos ao segundo passo:
adequar o tamanho das unhas.
Atenção: dispense esse procedimento se não houver necessidade de diminuir o comprimento das unhas, ou seja, se elas
já estiverem curtas ou no tamanho desejado pelo cliente.
Se elas estiverem grandes, consulte o cliente mais uma
vez: ele prefere que você as diminua com lixa ou as corte com alicate ou tesoura?
Muitos profissionais da área não gostam de usar alicates
nem tesouras nessa hora e recorrem a uma lixa mais grossa. Alguns clientes podem ter aflição de cortar as unhas
e, por esse motivo, optam pela lixa. Outros clientes, ao
contrário, preferem o uso de alicates ou tesouras.

20

A rco O cupacio nal I m a g e m

e

B e l e z a M a n i cu re e P ed i cu re

2

Como fazer?
1

2

DICA

1. Apoiar o alicate ou a tesoura na palma de sua mão

com o corte para cima.

Para cortar as unhas com alicate
ou tesoura, é importante saber
segurar bem esses instrumentos
e manter as mãos firmes. Adquirir
firmeza na mão e acertar o corte
é uma questão de tempo.
Treine o uso do alicate e da
tesoura cortando as próprias
unhas. Peça também para cortar
as unhas de familiares e amigos,
sempre com os instrumentos
esterilizados e com muito cuidado
para não ferir ninguém.

2.Segurar a mão do cliente e posicionar o alicate ou a

tesoura com o fio voltado para o local em que a unha
será aparada e realizar o corte.

Tome cuidado para não encurtar demais as unhas. Opte
sempre por tirar um pouco menos do que o comprimento imaginado. Prefira acertar o tamanho com a lixa, afinal as unhas inevitavelmente diminuirão um pouco
quando forem lixadas.
O terceiro passo é lixar as unhas. Escolha a face da lixa
conforme a necessidade: um pouco mais abrasiva (mais
grossa) se você ainda for trabalhar o comprimento da unha
ou tiver de efetuar uma grande mudança no formato; menos abrasiva (mais fina), caso vá apenas fazer o acerto final.
Se a unha for frágil, utilize somente a lixa mais fina.
Certifique-se do formato de unha que seu cliente deseja.
Inicie o trabalho de lixar pelos cantos das unhas e faça a
curvatura em direção ao meio. Lixe com movimentos
suaves, indo e voltando, devagar para não lixar mais do
que o desejado.
Para unhas quadradas, deixe a lixa mais reta; para as
redondas ou ovaladas, ela deve estar mais inclinada.
Lembre-se: manter os cantos arredondados evita que a
unha se quebre facilmente.


M a nic u r e e Pe d ic u re

2

A rco O c u pac i on a l I m a g e m

e

Beleza

21

Antes de dar o trabalho por encerrado, verifique se todas as unhas estão com o
mesmo tamanho e formato e pergunte se o cliente está satisfeito com o resultado.
Se necessário, use a lixa novamente até acertar o formato.
No quarto e último passo desta etapa, você usará o polidor para dar um retoque
final no formato e retirar imperfeições da face superior das unhas. Antes disso,
passe óleo secante nelas. Depois use a lixa polidora com delicadeza, sem aplicar
força sobre as unhas. Evite fazer o polimento em seu cliente toda semana. Utilize o
polidor apenas uma ou duas vezes por mês.
O polimento remove resíduos deixando a superfície da unha lisa para que o esmalte
se espalhe de maneira uniforme, diminuindo o risco de descascar e, consequentemente, aumentando sua durabilidade.

1

2

3

1. Depois de cortar todas as unhas, tomando cuidado para não deixá-las muito curtas,

inicie o lixamento. Tenha sempre em mente que esse procedimento vai desgastar
um pouco mais o tamanho delas. A escolha do material depende do resultado que
você pretende obter. Para mudar o formato das unhas ou diminuir bastante o
comprimento delas, prefira o lado mais grosso e abrasivo da lixa (exceto em unhas
frágeis e quebradiças). Use o lado mais fino para fazer o acerto final.

É nesta etapa que você vai dar às unhas a forma quadrada, arredondada ou ovalada. Antes de passar ao próximo passo, pergunte a opinião do cliente.
2. Ao usar o óleo secante ­ iniciando pelo dedo mínimo da mão esquerda ­, pingue

uma gota no centro da unha.

3.Por fim, passe o polidor com delicadeza e suavidade, sem recorrer à força. Essa

lixa, que dá o retoque final no formato e elimina eventuais imperfeições da face
superior das unhas, prepara-as para receber o esmalte de maneira uniforme.

22

A rco O cupacio nal I m a g e m

e

B e l e z a M a n i cu re e P ed i cu re

2

Cleones Ribeiro

Como fazer?

Terceira etapa
Remoção das cutículas
Chegamos à parte essencial e mais delicada do trabalho de manicure.
Antes de fazer nosso passo a passo, é importante relembrar que as cutículas, embora deixem as unhas com um aspecto não muito agradável, têm a função de proteger
a matriz ungueal das impurezas (poeira, bactérias, fungos etc.) do ambiente. Portanto, não é recomendável retirá-las por completo nem de forma muito profunda,
pois você abrirá caminho para doenças.

AGE FOTOSTOCK / KEYSTOCK

Além do mais, você já reparou em pessoas que têm a pele dos dedos (próxima às
unhas) desfiada?

Dedos com pele desfiada perto das unhas: efeito da extração excessiva das cutículas

O problema é resultado da extração exagerada das cutículas, repicada em vários
pedaços. O ideal é tirá-las por inteiro, sem quebrá-las. Como já dissemos, não exagere ao retirar as cutículas de seus clientes. Prefira empurrá-las com uma espátula e
cortar apenas o excesso.
O que você vai utilizar:
· luvas plásticas com removedor de cutícula ou creme removedor e algodão;
· espátula;
· alicate de cutícula;
· toalha;
· água.


M a nic u r e e Pe d ic u re

2

A rco O c u pac i on a l I m a g e m

e

Beleza

23

Esta etapa tem início antes mesmo da conclusão da anterior, pois, assim que lixar e
polir a mão esquerda do cliente, você deverá pedir que ele vista a luva com creme
removedor de cutículas.

Cleones Ribeiro

Caso você não tenha luvas desse tipo, espalhe um pouco de creme removedor de
cutículas nas unhas já lixadas e polidas e cubra-as com um pequeno tufo de algodão.
A seguir, borrife água sobre ele.

Algodão: para cobrir o removedor de cutículas aplicado nas unhas lixadas e polidas

Ao acabar de lixar e polir as unhas da mão direita, você já poderá trabalhar a mão
esquerda, que ficou com creme. Enquanto você remove as cutículas da primeira mão,
as da segunda passam pelo mesmo processo de amolecimento.
Se a mão estiver com luva de plástico, você não precisa retirá-la. Basta cortar as
pontas e deixar os dedos para fora. Nesse caso, a maior vantagem ­ conforme já
apontado ­ é que a hidratação das mãos (próxima etapa) continua enquanto as
cutículas são removidas.
Independentemente do uso de luvas, o primeiro passo dessa etapa é a retirada do
creme dos dedos para que você tenha uma boa visão das cutículas. Faça isso com o
canto de uma toalha e depois enxugue as pontas de cada dedo.
24

A rco O cupacio nal I m a g e m

e

B e l e z a M a n i cu re e P ed i cu re

2

Se você perceber que as cutículas continuam duras, deixe um algodão umedecido
com água sobre os dedos em que não estiver trabalhando.

Cleones Ribeiro

Segundo passo: com o lado arredondado da espátula curvado para baixo, empurre
a cutícula de cada um dos dedos em direção à matriz, com delicadeza, sem apertar
demais as unhas (para não danificá-las) nem empurrar a cutícula para baixo ou com
muita força (o que pode machucar a base das unhas, fazendo com que elas cresçam
com ondulações).

Espátula: para empurrar delicadamente a cutícula em direção à matriz da unha

Evite usar o lado pontiagudo da espátula. Utilize-o somente em casos extremos e de
maneira delicada, se a cutícula estiver muito grudada na unha.
O terceiro passo é a retirada da cutícula com o alicate. Segure o instrumento com
firmeza, do mesmo modo que você manuseia o alicate de corte, apoiando a parte de
baixo no dedo indicador e firmando-o em cima com o polegar.
A lâmina de corte deve ficar virada de maneira a atingir a cutícula.
Imagine a unha dividida em duas metades e faça o movimento de corte dos cantos
para o centro, sempre da mesma forma: do lado esquerdo até o centro e, em seguida,
do lado direito até o centro, tentando tirar a cutícula inteira, sem repicar. Repita o
procedimento em todos os dedos.


M a nic u r e e Pe d ic u re

2

A rco O c u pac i on a l I m a g e m

e

Beleza

25

1

2

3

1. Sempre usando luvas, segure o alicate com firmeza, apoiando a parte de baixo no

dedo indicador e firmando-o em cima com o polegar. A face cortante do instrumento deve ficar virada de modo a encontrar a cutícula.

2.Faça o movimento de corte contornando as unhas a partir da extremidade do

lado esquerdo, dirigindo-se até o centro.

3.Em seguida, trabalhe desde o lado direito até o centro. Procure tirar a cutícula

por inteiro, sem repicar. Repita a operação em todos os dedos.

Alguns cuidados são importantes.
· O alicate deve cortar a cutícula e não puxá-la, pois isso pode machucar.
· O alicate precisa estar bem afiado e você deve fazer seu trabalho com atenção para
não cortar nada além das cutículas.

Atividade 3

"M achuquei

sua mão !"

1. Imagine a seguinte situação: você está trabalhando nas mãos de um cliente e de
repente percebe que tirou algo mais do que a cutícula. O dedo do cliente começou
a sangrar. Pense em como você agiria e registre suas atitudes.

26

A rco O cupacio nal I m a g e m

e

B e l e z a M a n i cu re e P ed i cu re

2

Cleones Ribeiro

Como fazer?

2. Discuta com a classe suas respostas e as de seus colegas para em seguida refletirem
juntos sobre as atitudes mais adequadas ao caso.
Um aspecto que você deve considerar é que as pessoas podem ter reações muito
diferentes diante de uma mesma situação: alguns clientes não vão se importar com
o incidente; outros podem se irritar bastante; há quem não suporte ver sangue; e
existem pessoas muito sensíveis à dor.
A primeira coisa a fazer é manter a calma e desculpar-se com tranquilidade e educação. É comum cometer pequenos erros no trabalho, isso acontece com todo mundo, principalmente quando se está começando.
Em seguida, faça a limpeza e desinfecção do local com um pouco de água oxigenada
(10 volumes). Pressione o lugar ferido até parar de sangrar. Aplique pó hemostático,
específico para estancar o sangue.
Após retirar as cutículas de toda a mão esquerda, olhe novamente, com calma, cada
um dos dedos a fim de garantir que não ficaram restos de cutículas ou cantos para
acertar. Somente depois desse acabamento, passe para a mão direita, começando
pelo polegar.
É importante que o alicate esteja sempre afiado, limpo e sem ferrugem. Mas atenção:
isso não substitui a esterilização.



M a nic u r e e Pe d ic u re

2

A rco O c u pac i on a l I m a g e m

e

Beleza

27

Quarta etapa
Hidratação das mãos e retoque das unhas
Agora você vai se preocupar com o embelezamento das mãos e a preparação das
unhas para receber o esmalte.

1

2

3

Cleones Ribeiro

Comece pelas mãos

1. Aplique um pouco de creme hidratante no dorso da mão do cliente ou aproveite

o creme que ficou depois de retirada a luva.

2. Espalhe o creme por toda a mão (dorso, palma e dedos). Puxe levemente cada um

dos dedos até as pontas.

3. Faça uma leve massagem na palma da mão. Em seguida, repita todo o proce-

dimento na outra mão.

4

5

6

4. Inicie limpando-as com uma toalha: retire o excesso de creme e seque-as bem.
5. Faça o contorno das unhas, no local onde as cutículas foram removidas, com o pau

de laranjeira e um algodão embebido em um pouco de removedor de esmalte.

6.Passe o palito na parte de trás das unhas para uma limpeza final.

28

A rco O cupacio nal I m a g e m

e

B e l e z a M a n i cu re e P ed i cu re

2

Cleones Ribeiro

Chegou a vez das unhas

Quinta etapa
Aplicação de base e esmalte
Nesta etapa, você vai utilizar:

DICA

· base;

Em unhas com problemas ­ como
a presença de fungos ­ não se
deve usar base nem esmalte.
Esses produtos abafam as unhas,
que não conseguem "respirar";
isso poderá agravar o problema.

· esmalte;
· pau de laranjeira;
· algodão;
· removedor de esmalte (com ou sem acetona).
O primeiro passo é aplicar a base. Existem bases com
substâncias que fortalecem e tonificam as unhas e podem
ser usadas eventualmente. Mas tome cuidado para não
usar esse tipo de base de forma excessiva, pois elas podem
ressecar as unhas, formando arranhaduras na superfície.

Cleones Ribeiro

Como fazer
1

2

3

1. Comece, como em todas as etapas, pelo dedo mínimo da mão esquerda. Ao abrir

a base, encoste o pincel levemente na borda lateral do vidro para retirar o excesso, dosando melhor a quantidade a ser aplicada na unha.

2.Espalhe uma camada fina de base em cada unha. Comece pelo meio (parte

central), movimentando o pincel da parte de trás da unha para a frente. Depois
aplique a base nas laterais. Evite que a camada fique muito grossa, para não
atrapalhar o momento de esmaltar as unhas. A base serve para melhorar a fixação
do esmalte na unha, mas passar uma grande quantidade desse produto não fará
a fixação ser maior.

3. Caso seu cliente não queira pintar as unhas com esmalte, limpe os restos de base

dos cantos com o pau de laranjeira. O movimento deve ser no sentido do centro
para fora ­ primeiro de um lado, depois do outro.



M a nic u r e e Pe d ic u re

2

A rco O c u pac i on a l I m a g e m

e

Beleza

29

Vamos ao segundo passo: esmaltar.

Você sabia?
As cores da moda em 2010
As unhas coloridas, como
rosa e azul, continuam
predominando. Verde, laranja, pink e azul são tons
usados pelas mais ousadas, os dourados, pelas
mais sensuais e os cinzas
e prateados, pelas mais
modernas. A unha "francesinha" continua em alta,
mas com uma releitura: na
ponta das unhas, em vez
da cor branca, esmaltes
coloridos, ou na versão
"inglesinha", em que se
usam dois tons fortes.

Peça que o cliente indique a cor de esmalte preferida por
ele. Como já comentamos, você deve ter uma gama de
cores para oferecer. Se ele ficar em dúvida, mostre o que
está na moda ­ as cores que "saem mais". Pergunte se ele
irá a alguma festa ou evento especial. Nesse caso, cores
mais escuras e ousadas podem ser adequadas, mesmo para
os que costumam usar tons mais discretos no dia a dia.
Se ele quiser experimentar cores, ofereça suas unhas
como modelo. Isso evitará que você refaça a limpeza das
unhas do cliente.
Uma vez escolhido o esmalte, prepare-se para pintar as
unhas. O processo é semelhante ao de aplicação da base.
Porém, pelo fato de envolver cores, o procedimento apresenta maior dificuldade e requer mais cuidado e capricho.
Tenha claro que somente o tempo ­ e muito treino ­ lhe
dará plena segurança para esmaltar as unhas dos clientes.
Exercite, fazendo as próprias unhas e as de amigos, vizinhos e familiares.

1

2

DICA
Certifique-se de que não haja
ventiladores ou secadores de
cabelos ligados ou, ainda, janelas
abertas perto de você, pois o vento
pode criar bolhinhas de ar sob a
camada de esmalte.

1. Antes de começar a pintar, role o vidro entre as mãos

para uniformizar a consistência do esmalte.

2. Retire o pincel, deixando o excesso de esmalte na bor-

da do vidro. O ideal é que o pincel tenha esmalte
suficiente para cobrir toda a unha, com uma fina camada, sem a necessidade de fazer retoques. Isso evita
manchas e facilita o acabamento.

30

A rco O cupacio nal I m a g e m

e

B e l e z a M a n i cu re e P ed i cu re

2

Cleones Ribeiro

Como fazer?

Cleones Ribeiro

3

4

DICA

3. Passe o esmalte nas unhas começando pelo dedo mí-

nimo da mão esquerda. Mantenha sempre o mesmo
padrão de movimento: da base da unha para as pontas.

4.A cada unha pintada, limpe os cantos com pau de

Cleones Ribeiro

laranjeira (sem algodão), movendo-o do centro para
fora: primeiro um lado, depois o outro. Faça isso delicadamente, pois os cantos podem estar sensíveis por
causa da retirada das cutículas. Não aplique força sobre a unha e preste atenção na hora de passar o palito
na base (matriz) para que ele não escorregue.

5

Se ocorrer algum problema
durante a pintura de uma das
unhas ­ batida, borrão, manchas,
bolhinhas de ar etc. ­, remova
completamente o esmalte e
recomece o trabalho, aplicando
novamente a base e, depois, o
esmalte, com intervalo entre cada
um para dar tempo de ocorrer a
secagem. Passar um pouco de
acetona ou tentar acertar esses
problemas com esmalte são ações
que não costumam dar bons
resultados, pois deixam o
"remendo" aparente. Você vai
demorar um pouco mais para
refazer a unha, no entanto, obterá
um resultado mais satisfatório.

6

Você sabia?

esmalte. Apesar de ser suficiente, há quem peça uma
terceira, principalmente no caso de mistura de cores.
Lembre esses clientes que o esmalte mais grosso demora mais para secar e dura menos. Limpe novamente cada um dos cantos com o pau de laranjeira.

Cleones Ribeiro

5.Reinicie o trabalho passando a segunda camada de

Unha com ponta carioca
é um tipo de "francesinha" bem estreita, que,
em vez da aplicação da
cor branca, tem a retirada
de uma pequena faixa de
esmalte da ponta.

6. Terminadas todas as unhas, limpe também a ponta de

cada uma com seu dedo polegar. Caso o cliente prefira
a unha com ponta carioca ou deseje tirar levemente o
excesso de esmalte das pontas, use o pau de laranjeira
envolvido no algodão e um pouco de removedor.



M a nic u r e e Pe d ic u re

2

A rco O c u pac i on a l I m a g e m

e

Beleza

31

Sexta etapa
Limpeza do excesso de esmalte
Após esmaltar as unhas, é hora de fazer uma nova limpeza. Para isso, você usará mais
uma vez pau de laranjeira, algodão e removedor de esmalte.

1

Cleones Ribeiro

Como fazer?
2

1. Enrole um pequeno tufo de algodão na ponta do pau de laranjeira e molhe-o no

removedor de esmalte. Em seguida, passe-o nas laterais da unha, seguindo o
mesmo movimento de limpeza feito anteriormente, do meio da unha para fora;
primeiro em uma metade, depois na outra.

2. Por fim, passe o pau de laranjeira na parte de trás da unha e contorne levemente

a borda livre, com muito cuidado para não machucar a pintura. Troque o algodão
quantas vezes forem necessárias ­ afinal, se o esmalte for de cor escura, o tufo
logo estará sujo.

32

A rco O cupacio nal I m a g e m

e

B e l e z a M a n i cu re e P ed i cu re

2

Cleones Ribeiro

Sétima etapa
Acabamento

Humberto Bassanelli Jr.

· Para finalizar o processo, aplique óleo secante. Passe-o com pincel apenas na base
da unha. O produto vai se espalhar sozinho, sem sua ajuda. Veja a seguir outras
opções de acabamento.

· Spray secante ­ Borrife-o a uma distância de cerca de 20 cm dos dedos (a secagem
é bem mais rápida).


M a nic u r e e Pe d ic u re

2

A rco O c u pac i on a l I m a g e m

e

Beleza

33

Alexander Podshivalov/ Dreamstime.com
Qtrix/Dreamstime.com

· Top coat ou extrabrilho ­ Passe-o sobre a unha como se fosse uma base. O produto é transparente e você só precisará fazer uma nova limpeza com pau de laranjeira se aplicá-lo em excesso.

· Existem minicabines munidas de luzes ultravioleta e ventilador nas quais você
posiciona as pontas dos dedos e o esmalte seca rapidamente.
34

A rco O cupacio nal I m a g e m

e

B e l e z a M a n i cu re e P ed i cu re

2

Unidade 7

Como "fazer pés"
Na unidade anterior, vimos como receber o cliente no local de
atendimento. Os procedimentos, nesse caso, são os mesmos.
Parte do trabalho de embelezamento dos pés é semelhante àquele realizado nas mãos. A principal diferença está no momento
de lixar os pés, remover calosidades e hidratá-los. Incluímos
ainda neste trabalho algumas técnicas de massagem que podem
deixar o cliente mais relaxado e ser um diferencial (algo que o
destaca dos demais pedicures) em seu atendimento.

Tornozelo
Peito do pé

Calcanhar

Planta (ou sola)



M a nic u r e e Pe d i cu re

2

A rco O c u pac i on a l I m a g e m

e

Beleza

35

O embelezamento dos pés ­ tal como o das mãos ­ pode
ser descrito em sete etapas:
a) remoção do esmalte antigo;

Você sabia?
Hoje o mercado de luxo
oferece um verdadeiro spa
para os pés. São poltronas
com descanso de braços
deslizantes e sistemas de
hidromassagem exclusivo
para os pés.

b)definição e acerto de tamanho e do formato das unhas:
corte, lixamento e polimento;
c) remoção das cutículas;
d)remoção de calosidades, hidratação e massagem;
e) aplicação de base e esmalte;
f) limpeza do excesso de esmalte;
g)acabamento.
Vamos ver cada etapa detalhadamente.
Lembre-se de que o processo de embelezamento dos pés
é mais demorado que o das mãos. Mais um motivo para
que o cliente esteja confortavelmente acomodado. As
costas da pessoa devem ficar bem apoiadas, e os braços,
livres para que ela possa ler uma revista ou um livro, usar
o telefone, tomar um cafezinho etc.

IMP
Você já parou para pensar em
como a desigualdade social está
refletida nos serviços oferecidos
à população? É possível
percebê-la nos salões de beleza:
existem os que atendem pessoas
com renda mais alta e outros
que recebem aqueles com
menor poder aquisitivo.
E isso se repete em relação a
outros serviços aos quais toda
a população deveria ter acesso
e com igual qualidade,
como no caso da educação
e da saúde, por exemplo.

36

Você também deve ter liberdade para movimentar sua
"cirandinha" ou cadeira quando necessário. Caso divida
o espaço com outros profissionais (cabeleireiros, maquiadores etc.), certifique-se de que não vai esbarrar neles ou
atrapalhá-los, e vice-versa.
Inicie o atendimento pedindo que o cliente tire os sapatos
e acomode os pés sobre eles ou numa almofada coberta
com toalhas de papel.
Se você trabalhar num salão de grande porte, que atende
clientes de renda elevada, pode ser que tenha disponíveis
chinelos descartáveis. Nesse caso, ofereça um par ao cliente.

A rco O cupacio nal I m a g e m

e

B e l e z a M a n i cu re e P ed i cu re

2

Atividade 1

P ensando

sobre igualdade

Boaventura de Souza Santos, sociólogo português, estudioso dos fatos que acontecem
na sociedade, é autor da seguinte frase:
"Temos o direito de ser iguais sempre que as diferenças nos inferiorizem e temos o direito de ser diferentes sempre que a igualdade nos descaracterize".
Boaventura de Souza Santos, Por uma concepção multicultural de direitos
humanos. Lua Nova, 39. São Paulo: Cedec, 1997, p. 105-124.

1. Reflita sobre o que a frase em destaque quer dizer. Pense se você concorda ou não
com ela e por quê.
2. Forme dupla com um colega. Vocês devem procurar pelo menos dois exemplos
de cada uma dessas situações ­ de fatos que tenham ocorrido na vida de vocês
ou de pessoas que vocês conhecem.
a) Quando ser diferente dos outros tornou você inferior?

b) Quanto ser igual aos outros o descaracterizou, tirou de você algo que você considera parte sua?

3. Troque ideias com a classe e veja mais exemplos de situações desse tipo.
Uma vez que você e o cliente estejam bem acomodados, coloque suas luvas e
mãos à obra.
Antes de começar a trabalhar, verifique as condições das unhas do cliente. Se houver
algum problema aparente ­ unha encravada, sinais da presença de micoses ou fungos etc. ­, converse com ele a respeito.



M a nic u r e e Pe d ic u re

2

A rco O c u pac i on a l I m a g e m

e

Beleza

37

Não deixe de obedecer a algumas regras básicas listadas a seguir.
· Unhas encravadas ocorrem quando um pedaço de unha
penetra na pele. Elas são doloridas e devem ser tratadas
por profissionais especializados. Tentar desencravá-las sem
os saberes e equipamentos necessários pode agravar a dor
e causar inflamações no local.
· O tratamento adequado para unhas "doentes" deve ser
proposto por um clínico ou um dermatologista. Mesmo
que você pense conhecer o problema, não dê palpites sobre
medicações ou qualquer tipo de tratamento. Limite sua
intervenção ao corte e à limpeza da unha e sugira que o
cliente não use base ou esmalte a fim de não abafar o local.
· Inicie o trabalho sempre pelo dedo mínimo, tanto no
pé esquerdo como no direito.

Primeira etapa
Remoção do esmalte antigo
Esta etapa é idêntica para as mãos e os pés.

Humberto Bassanelli Jr.

Caso um cliente chegue com as unhas esmaltadas, siga
os passos descritos abaixo.

DICA
Antes de iniciar esses
procedimentos, pergunte se o
cliente prefere removedor com ou
sem acetona.

1. Acomode os pés do cliente sobre uma toalha limpa em

seu colo.

38

A rco O cupacio nal I m a g e m

e

B e l e z a M a n i cu re e P ed i cu re

2

Humberto Bassanelli Jr.

2. Molhe um tufo de algodão no removedor de esmalte e passe-o na primeira unha. Vire

Humberto Bassanelli Jr.

o algodão e passe-o novamente na mesma unha para retirar o restante do esmalte.
Repita o procedimento em cada uma das unhas dos dois pés. Nesta etapa, você
também pode usar lenços.

3. Envolva a ponta de um pau de laranjeira com algodão e molhe-o no removedor de

esmaltes. Passe o produto nos cantos das unhas, retirando o restante do esmalte.



M a nic u r e e Pe d ic u re

2

A rco O c u pac i on a l I m a g e m

e

Beleza

39

Segunda etapa
Definição e acerto de tamanho e do formato das unhas:
corte, lixamento e polimento
Separe um alicate para o corte das unhas ­ devidamente esterilizado ­ e as lixas de
unha que irá usar.
Segure o alicate com a ponta afiada virada para cima. Comece o processo de corte
pela unha do dedo mínimo, seguindo uma a uma até a unha do "dedão".

Valua Vitaly/iStockphoto.com

Corte apenas a parte superior da unha, de forma reta. Os cantos não devem ser
cortados, pois isso aumenta a chance de que as unhas encravem.

Para evitar o risco de unhas encravadas: os cantos não devem ser cortados

Também não corte as unhas muito curtas, próximo da carne, pois, no momento de
lixar, o comprimento delas irá diminuir mais um pouco e você pode acabar ferindo
a pele do cliente. Lembre-se: é melhor deixar a unha um pouco mais comprida e
diminuí-la com a lixa do que cortar demais e depois não conseguir lixá-la. Ao terminar, o ideal é haver uma faixa branca de unha na borda.
Ao lixar, tenha o mesmo cuidado com os cantos. As unhas dos pés sempre devem
ser lixadas em formato quadrado, evitando que pedaços delas entrem embaixo da
pele, o que pode provocar muita dor.
Lixe unha por unha, primeiro com uma lixa mais abrasiva, depois com a mais fina,
deixando bem lisa a parte em que você mexeu.
40

A rco O cupacio nal I m a g e m

e

B e l e z a M a n i cu re e P ed i cu re

2

Se você perceber que as unhas do cliente são muito frágeis, dispense o uso da lixa
mais abrasiva. Use somente a mais fina.
Em seguida, utilize o polidor. Lembre-se de que é necessário passar óleo secante nas
unhas antes de poli-las. Passe o polidor sobre o leito, garantindo que ele também
fique bastante liso e corrigindo ondulações e outras imperfeições.
Mas, como já mencionamos, não abuse desse instrumento nem o aplique com força,
pois ele desgasta a queratina das unhas e pode fragilizá-las.

Humberto Bassanelli Jr.

Como fazer?

Humberto Bassanelli Jr.

1. Use o alicate para cortar as unhas, lembrando-se de não deixá-las curtas demais.

2. Lixe as unhas, dando a elas o formato e o comprimento desejados pelo cliente.



M a nic u r e e Pe d ic u re

2

A rco O c u pac i on a l I m a g e m

e

Beleza

41

Humberto Bassanelli Jr.

3.Passe o óleo secante em todas as unhas, espalhando-o com os dedos. Retire o

Humberto Bassanelli Jr.

excesso com uma toalha.

4. Com movimentos suaves, passe a lixa polidora em cada uma das unhas.
42

A rco O cupacio nal I m a g e m

e

B e l e z a M a n i cu re e P ed i cu re

2

Terceira etapa
Remoção das cutículas
Quando acabar de cortar, lixar e polir as unhas do pé esquerdo, prepare-as para esta
etapa, como fizemos com as mãos, ou seja, antes de começar a trabalhar no pé direito,
calce o esquerdo com uma bota plástica com creme ­ ou aplique creme removedor de
cutícula em cada dedo do pé esquerdo e cubra-os com algodão umedecido. Isso fará com
que as cutículas amoleçam enquanto você trabalha na segunda etapa com o pé direito.

Humberto Bassanelli Jr.

Como fazer?

1. Separe em seu kit descartável o par de botas plásticas com creme hidratante. Em-

Humberto Bassanelli Jr.

purre o creme na direção da ponta de cada bota, onde ficarão os dedos do cliente.

2. Acomode os pés do cliente nas botas.



M a nic u r e e Pe d ic u re

2

A rco O c u pac i on a l I m a g e m

e

Beleza

43

Algum tempo atrás, os pedicures costumavam pedir que os clientes mergulhassem os
pés numa bacia plástica com água quente para facilitar o amolecimento das cutículas
e calosidades dos calcanhares, preparando-os para a próxima etapa do trabalho.
Há quem ainda faça isso. Mas o procedimento não é aconselhável porque, como já
alertamos, propicia a transmissão de micoses e outros problemas de pele, uma vez
que a bacia é usada diversas vezes ao dia por vários clientes. Se não houver outra
opção, cubra a bacia com plástico descartável antes de usá-la.
Porém, o ideal é usar esse tipo de recurso somente se você fizer unhas em domicílio
e todo o material pertencer ao cliente (e for de uso exclusivo dele).
O processo de retirar as cutículas dos pés é idêntico ao das mãos.

Humberto Bassanelli Jr.

Além do creme para remoção de cutículas, do algodão e da água, você vai usar espátula e alicate de cutícula ­ que precisam estar esterilizados e devem ser abertos na
frente do cliente.

3. Inicie utilizando a espátula: com a parte curva virada para baixo, empurre as cutí-

culas de cada unha em direção à base ou matriz. Lembre-se de não pressioná-la para
baixo a fim de não causar ondulações na unha. Segure os dedos com a mão que
não está com a espátula e faça movimentos suaves evitando machucar a região.

44

A rco O cupacio nal I m a g e m

e

B e l e z a M a n i cu re e P ed i cu re

2

Cleones Ribeiro

4.Se a cutícula ainda estiver muito grudada na unha, deixe o algodão umedecido

Humberto Bassanelli Jr.

com água agir um pouco mais. Caso o problema persista, utilize o outro lado da
espátula. Como esse lado tem ponta afiada e pode ferir a pele ou até mesmo furar
a unha, o cuidado deve ser redobrado. Uma vez encerrado este passo, use o alicate. Segure-o com firmeza e vire para cima a ponta afiada.

5.Inicie o corte das cutículas pelo dedo mínimo, seguindo o mesmo movimento

indicado para a remoção das cutículas das mãos. Comece pelo canto direito até
a metade da unha. Depois repita o procedimento a partir do canto esquerdo.



M a nic u r e e Pe d ic u re

2

A rco O c u pac i on a l I m a g e m

e

Beleza

45

Humberto Bassanelli Jr.

6.A pele mais grossa, que fica ao lado das unhas, também pode ser removida. Mas

Humberto Bassanelli Jr.

faça isso com muita cautela, evitando o corte excessivo. De tempos em tempos,
lembre-se de limpar os restos de pele que ficarem no alicate. Para isso, use um
pequeno tufo de algodão embebido em álcool ou água. Tenha sempre por perto
um cestinho de lixo para o descarte da sujeira.

7. Antes de iniciar a etapa seguinte, verifique se ainda há restos de cutícula que

precisam de algum retoque. Se for o caso, aproveite também para acertar o formato das unhas com a lixa fina. Depois limpe os dedos com uma toalha umedecida e seque-os.

46

A rco O cupacio nal I m a g e m

e

B e l e z a M a n i cu re e P ed i cu re

2

Quarta etapa
Remoção de calosidades, hidratação e massagem
De todas as etapas do embelezamento dos pés, esta é a que mais se diferencia dos
procedimentos descritos na unidade anterior.
Como sustentam o peso do corpo, os pés têm a pele mais grossa e apresentam mais
calosidade do que as mãos. Por isso mesmo, pedem um tratamento mais profundo.
Além disso, a planta (ou sola) dos pés possui pontos que se ligam diretamente a
várias partes e órgãos do corpo. Então, saber massageá-los ­ além de ser muito bom
para relaxar ­ pode ajudar a melhorar a saúde do cliente.

Reflexologia
Existem profissionais que estudam e praticam uma técnica de aplicação de pressão
na sola dos pés, buscando gerar efeitos positivos nos órgãos aos quais cada ponto está
relacionado. Essa área do conhecimento é chamada de reflexologia porque trabalha
com pontos reflexos do corpo, ou seja, aqueles que transmitem energia aos órgãos.
Esse conhecimento veio da China e progressivamente ganha espaço no mundo
ocidental. Veja esses pontos nas figuras abaixo.
Sinus

Olhos Sinus
Traqueia
Região
occipital
Ouvido
direito
Pulmão
direito
Ombro
Plexo solar
Fígado
Vesícula
Cólon
transverso
Cólon
ascendente
Coxa
Joelho

Olhos

Pituitária
Pescoço
Garganta
Estômago
Pâncreas
Tireoide
Suprarrenal
Rim
Rim
direito
esquerdo
Coluna
Intestino delgado
Bexiga

Traqueia
Região
occipital
Ouvido
esquerdo
Pulmão
esquerdo
Ombro
Plexo solar
Coração
Baço
Cólon transverso
Cólon
descendente
Coxa
Joelho

Cóccix
Nervo
ciático

Principais pontos da reflexologia: conhecimento chinês vem ganhando espaço no Ocidente



M a nic u r e e Pe d ic u re

2

A rco O c u pac i on a l I m a g e m

e

Beleza

47

C onheça

Atividade 2
as partes do corpo

1. Observando o desenho da planta dos pés, procure, em parceria com um colega,
localizar os diferentes órgãos nas figuras abaixo.

Região
occipital

Pituitária

Sinus

Coluna

Tireoide
Traqueia
Pulmão

Coração

Pâncreas
Suprarrenal

Estômago
Baço
Rim
Intestino
delgado
Cólon
transverso

Fígado
Vesícula
Plexo
solar

Nervo
ciático
Cóccix

Bexiga

48

A rco O cupacio nal I m a g e m

e

B e l e z a M a n i cu re e P ed i cu re

2

2. Das partes do corpo mencionadas na página anterior, existe alguma que você e
seu colega desconhecem? Façam uma pesquisa para saber quais as funções rea
lizadas por ela. Registre abaixo os resultados obtidos.

3. Procure também saber um pouco mais sobre reflexologia, um conhecimento que
irá ajudá-lo quando você estiver praticando a profissão.
Para iniciar esta etapa, tenha em mãos:
· creme esfoliante;
· lixa de pé;
· creme hidratante para os pés.


M a nic u r e e Pe d ic u re

2

A rco O c u pac i on a l I m a g e m

e

Beleza

49

Humberto Bassanelli Jr.

Como fazer?

1. Inicie o trabalho umedecendo os pés e passando neles creme esfoliante. Espalhe

Humberto Bassanelli Jr.

o creme por toda a superfície de um dos pés e esfregue-o suavemente com as mãos
durante cerca de 3 minutos. Repita o processo no outro pé. A lixa que você vai
passar na planta do pé é descartável e faz parte do seu kit de pedicure. Retire a
etiqueta do verso da lixa e cole-a na base.

2. Em seguida, passe a lixa na planta do pé ­ primeiro na parte logo abaixo dos dedos,

depois nos cantos e, por último, sob o calcanhar, sem exageros, pois quanto mais
se lixa os pés, mais se estimula a formação de pele. Proponha que seu cliente hidrate diariamente os pés e faça sessões semanais de esfoliação. Como nessa região geralmente há mais resistência e calosidade, use a lixa mais grossa.

50

A rco O cupacio nal I m a g e m

e

B e l e z a M a n i cu re e P ed i cu re

2

Atenção: se você observar calosidade excessiva ou calos
em lugares incomuns, sugira que o cliente procure
ajuda de um especialista. Nunca passe a lixa com muita força sobre uma calosidade. Além de não remover
o calo, isso pode causar desconforto para o cliente,
deixando dolorida a região lixada.
Ao terminar de lixar a planta de cada pé, limpe-o com
uma toalha umedecida e seque-o bem. Não se esqueça
de descartar a lixa diante do cliente. Em seguida, aplique
uma boa quantidade de creme hidratante, espalhando-o
pelo dorso e pela planta dos pés até os dedos.

IMP
Como já falamos na Unidade 4,
não tente, em hipótese
nenhuma, retirar calos com
aparelhos de barbear ou
qualquer outro produto. Existem
profissionais especializados e
instrumentos adequados para
fazer esse trabalho.

Chegou o momento da massagem.
Antes de começar, pergunte se o cliente quer ter os pés massageados. Há quem
não goste de massagem nos pés, e algumas pessoas, se estiverem com pressa, podem
não querer o serviço no momento. Nesses casos, respeite o desejo da pessoa e pule
para a etapa seguinte.

Humberto Bassanelli Jr.

Como fazer?

1. Peça que a pessoa apoie a perna no tripé, numa posição relaxada, com o pé livre

e a sola virada para você.

2. Segure o calcanhar do cliente com uma das mãos e, com a outra, faça uma leve

pressão no corpo do pé, deslizando a mão até os dedos e de volta até o calcanhar.
Faça isso algumas vezes, revezando a mão que segura o pé, para que as laterais
do pé sejam tocadas.



M a nic u r e e Pe d ic u re

2

A rco O c u pac i on a l I m a g e m

e

Beleza

51

Humberto Bassanelli Jr.

3. Com os polegares na sola do pé e os demais dedos na parte da frente, faça movi-

mentos circulares, pressionando cada pequena região com os polegares. Inicie
pela área que fica logo abaixo dos dedos.

4. Repita o movimento um pouco mais abaixo e nas laterais do pé, pressionando os

Humberto Bassanelli Jr.

pontos correspondentes ao pâncreas, ao estômago, ao intestino e à coluna vertebral.
Se tiver dúvidas, reveja a figura da página 47. Depois siga até a região do calcanhar.

5. Sem mudar a posição das mãos, faça o mesmo tipo de pressão na parte da frente

do pé, avançando da região abaixo dos dedos em direção às pernas.

52

A rco O cupacio nal I m a g e m

e

B e l e z a M a n i cu re e P ed i cu re

2

6. É hora de mexer nos dedos. Volte a segurar o calcanhar

com uma das mãos e, com a outra, posicione seus dedos
em forma de pinça para pressionar cada dedo do pé do
cliente. Massageie-os em todos os sentidos, torcendo-os
levemente para frente e para trás. Depois, puxe-os para
cima, alongando-os. Você também pode girar cada dedo
na direção horária. Faça isso com todos eles, iniciando
pelo "dedão".

7. Por último massageie o calcanhar com a mão que o

está segurando, fazendo, algumas vezes, um movimento de vaivém.



M a nic u r e e Pe d ic u re

2

DICA
Às vezes, pressionar a sola e as
laterais do pé e os dedos pode
causar um pouco de dor e
desconforto. Se isso ocorrer,
reduza um pouco a pressão.

A rco O c u pac i on a l I m a g e m

e

Beleza

53

Quinta etapa
Aplicação de base e esmalte
Ainda usando o tripé, peça que o cliente apoie os pés de
modo que as unhas fiquem viradas para você.

Susy56/Dreamstime.com

Como os dedos dos pés são mais juntos do que os das
mãos, você deve separá-los antes de iniciar a pintura. Faça
isso usando uma folha de papel descartável retorcida,
como se fosse uma corda, entre os dedos, ou utilize um
separador de dedos feito de espuma descartável.

IMP

54

A rco O cupacio nal I m a g e m

Kirill Zdorov/Dreamstime.com

Nunca é demais lembrar:
esqueça os separadores de
dedos que eram usados
antigamente, de borracha ou
espuma. Eles são o meio ideal
para a proliferação de fungos,
bactérias e vírus. Use esse
material somente se o cliente
o trouxer ­ e se for de uso
exclusivo dele. Há, também
no mercado, separadores
descartáveis de pés; no entanto,
você pode usar papel toalha
retorcido, colocado de forma a
costurar os dedos, separando-os.

e

B e l e z a M a n i cu re e P ed i cu re

2

Humberto Bassanelli Jr.

Como fazer?

Humberto Bassanelli Jr.

1. Tire o excesso de base do pincel encostando-o levemente na borda do vidro.

2. Assim como nas mãos, aplique a base nas unhas, uma a uma, iniciando pelo dedo

mínimo do pé esquerdo. Siga o movimento da matriz da unha para as pontas.
Certifique-se de que toda a unha foi coberta com uma camada fina de base. Se
houver necessidade, utilize bases fortalecedoras de unha. Mas, como já vimos na
Unidade 5, lembre-se de que o uso desse produto deve ser moderado para não
enrijecer demais as unhas, causando, com isso, arranhaduras.



M a nic u r e e Pe d ic u re

2

A rco O c u pac i on a l I m a g e m

e

Beleza

55

Humberto Bassanelli Jr.

3. Se o cliente não for pintar as unhas, limpe o excesso de

base usando o pau de laranjeira. Circunde a área da matriz desde o centro até o canto direito e, depois, do centro
até o canto esquerdo. Caso o cliente queira pintar as unhas,
não há necessidade de limpá-las nesse momento.

Uma vez terminado o processo no pé esquerdo, repita-o
no direito, iniciando, novamente, pelo dedo mínimo.
Lembre-se de disponibilizar chinelos descartáveis ou,
então, um tapete ou uma almofada cobertos com toalhas
de papel para o cliente apoiar o pé já pronto.

DICA
Se você optou por uma cor mais
neutra e transparente nas mãos,
coloque cor nos pés, ou vice-versa.
Usar a mesma cor nos pés e nas
mãos também é válido. O que não
fica harmônico é pintar pés ou
mãos com cores contrastantes ou
com tons diferentes de um mesmo
matiz, como vinho e vermelho
vivo. Caso os pés não sejam muito
bonitos, evite cores fortes e dê
preferência a esmaltes
transparentes e claros.

56

Depois que o cliente escolher a cor do esmalte, misture
o conteúdo do vidro rolando-o entre as mãos. Então,
passe o esmalte nas unhas seguindo o mesmo procedimento usado na aplicação da base.

A rco O cupacio nal I m a g e m

e

B e l e z a M a n i cu re e P ed i cu re

2

Humberto Bassanelli Jr.

4.Inicie a pintura pelo dedo mínimo do pé esquerdo. Espalhe o esmalte de modo

Humberto Bassanelli Jr.

uniforme por toda a unha com uma leve camada, trazendo o pincel da matriz
para a ponta livre.

5. Limpe o contorno com o pau de laranjeira antes de passar a segunda camada de

esmalte. Você só vai iniciar os trabalhos no pé direito depois de aplicar as duas
camadas em todas as unhas do pé esquerdo.



M a nic u r e e Pe d ic u re

2

A rco O c u pac i on a l I m a g e m

e

Beleza

57

Sexta etapa
Limpeza do excesso de esmalte
Para limpar o excesso de esmalte você também vai usar o pau de laranjeira, agora com
a ponta coberta com um tufo de algodão embebido em removedor de esmalte.

Humberto Bassanelli Jr.

Como fazer?

1. Contorne cada unha com o palito, movimentando-o de dentro para fora. A regra

é sempre a mesma: uma metade, depois a outra.

2.Sempre que necessário, troque o algodão, evitando que o esmalte retirado suje

outros pontos dos dedos ou do pé.

58

A rco O cupacio nal I m a g e m

e

B e l e z a M a n i cu re e P ed i cu re

2

Sétima etapa
Acabamento
A última etapa é também a mais simples: usar top coat
(extrabrilho), óleo ou spray secante.
Você já sabe como usar esses produtos. O óleo deve ser
aplicado com pincel somente na base da unha, deixando
que ele se espalhe por ela. O spray secante deve ser vaporizado a cerca de 20 cm dos dedos.
Como já vimos na Unidade 6, caso você utilize o top coat,
passe-o sobre a unha como se fosse uma base e faça uma
nova limpeza com pau de laranjeira se aplicá-lo em excesso.

Humberto Bassanelli Jr.

Só depois de concluída esta etapa é que você pode retirar
o papel torcido, utilizado entre os dedos para evitar que
eles raspem uns nos outros ­ o que estragaria o esmalte.



M a nic u r e e Pe d ic u re

2

IMP
Embora seja um produto
relativamente novo no mercado, o
top coat ou extrabrilho é cada vez
mais utilizado por manicures e
pedicures, pois, além de dar um
brilho a mais às unhas, fazem
com que o esmalte seque bem
mais rápido.

A rco O c u pac i on a l I m a g e m

e

Beleza

59

P ratique

Atividade 3
seus conhecimentos

Vamos transformar a sala de aula num pequeno salão de beleza. Afinal, não há como
aprender, de fato, a ser manicure ou pedicure sem colocar a "mão na massa".
Separe um kit de material para você no laboratório da escola e prepare-se para praticar.
Você vai cuidar do embelezamento das mãos e dos pés de pessoas voluntárias (amigos, colegas, familiares etc.), praticando as etapas apresentadas aqui.
Não se preocupe: todo o material não descartável que vocês irão usar estará corretamente esterilizado, e o monitor do curso acompanhará tudo de perto para orientar seu
trabalho e o de seus colegas.

60

A rco O cupacio nal I m a g e m

e

B e l e z a M a n i cu re e P ed i cu re

2

Unidade 8

Arte nas unhas
Como já vimos no início deste curso, o hábito de cuidar das
unhas vem de muito tempo atrás.
Ao longo dos séculos, mais e mais modismos foram inventados
no intuito de deixar as mãos e os pés mais bonitos ­ e impulsionar a indústria de cosméticos e artigos voltados para beleza.

Zojakostina/Dreamstime.com

Assim surgiram diferentes formas de lixar, pintar e decorar as
unhas, além de produtos para isso.



M a nic u r e e Pe d i cu re

2

A rco O c u pac i on a l I m a g e m

e

Beleza

61

Nas décadas de 1990 e 2000, já eram muitos os tipos e as cores de esmaltes. Mas as
novidades não pararam de surgir.

Sintez/Dreamstime.com

Durante esse período foram criados, além de esmaltes com efeitos especiais (foscos,
com glitter, perolados, metálicos e cremosos, entre outros), diversos acessórios para
incrementar as unhas: adesivos, decalques, carimbos, brilhos e até pedras preciosas
passaram a fazer parte da decoração de mãos e pés. Somadas a isso, novas cores de
esmalte ganham espaço (azul, verde, preto e violeta, por exemplo), e as mulheres
começam a "abusar" das unhas decoradas com desenhos, texturas e cores combinadas etc. Hoje tudo é possível.

Cores e decorações modernas: esmaltes com efeitos especiais, adesivos, decalques, carimbos, pedras e brilhos

62

A rco O cupacio nal I m a g e m

e

B e l e z a M a n i cu re e P ed i cu re

2

Outra tendência recente é a chegada dos homens aos salões
de beleza para cuidar das mãos e dos pés. Primeiro, eles
incorporaram hábitos como hidratação, esfoliação e remoção de cutículas. Mais tarde, aderiram às bases. Então, no
mundo da moda, da TV e dos esportes, esmaltes (principalmente na cor preta) também entraram em cena.

Você sabia?

Flávio Florido/Folhapress

Ana Ottoni/Folhapress

Muito antes que o cuidado com as unhas das
mãos virasse um hábito
masculino, o cineasta brasileiro José Mojica Marins
criou e tornou famoso um
personagem de filmes de
terror com unhas enormes e ameaçadoras ­ o
Zé do Caixão.

Mas as unhas supercompridas, marca registrada
desse personagem, causaram um sério problema de
saúde para seu criador: a
atrofia dos músculos das
mãos. Em consequência
do tamanho das unhas, o
ator e diretor não conseguia mais fechar as mãos
em forma de punho.

Marcos Mion: apresentador é um dos que aderiram à tendência do esmalte preto



M a nic u r e e Pe d ic u re

2

A atrofia ocorre quando
passamos muito tempo
sem usar um músculo ou
um conjunto deles. Mojica
ficou quase 35 anos sem
cortar as unhas da mão
esquerda. Ou seja, mais
de três décadas sem abrir
e fechar essa mão.

A rco O c u pac i on a l I m a g e m

e

Beleza

63

Assim como acontece nas artes, as possibilidades de criação nas unhas são enormes. Atualmente, existe até um
nome para os profissionais que se especializam na decoração artística das unhas: designer de unhas.
Design: Palavra de origem
inglesa. Há quem a use, de
forma traduzida, como desenho ou projeto. Já o termo
designer refere-se a pessoas
que desenvolvem atividades
criativas, produzindo formas
ou desenhos de materiais diversos ­ como móveis, veículos, roupas, embalagens etc.

Neste curso, vamos abordar apenas algumas possibilidades de pintar as unhas. Usando os saberes que está adquirindo aqui e os instrumentos que indicamos como
necessários para cuidar das mãos, você estará pronto a
oferecer essas opções aos clientes.
Mas, se quiser se especializar nessa área, será necessário
ir além do que o curso oferece. Nesse caso, você poderá:
· recorrer a revistas, livros e sites que mostram novas técnicas e ensinam o passo a passo de cada uma delas; e
· buscar novos cursos de qualificação profissional específicos sobre o assunto.

DICA

Surgida nos anos 1990, a moda das unhas francesinhas
vem e volta. Por isso, sempre há alguém pedindo para
deixar as pontas das unhas com uma cor diferente da
parte central. Na francesinha original, o corpo da unha
era pintado com esmalte transparente ou bem clarinho e
a ponta com esmalte de cor branca. Veja o resultado:
Dmitri Mihhailov/Dreamstime.com

Independentemente de querer
especializar-se ou não, confira as
cores que estão na moda, observe
as unhas das atrizes na TV e
troque ideias com os colegas de
trabalho sobre o que deve ser
usado. São maneiras de você não
ser pego de surpresa quando um
cliente quiser experimentar
alguma novidade.

Francesinha

64

A rco O cupacio nal I m a g e m

e

B e l e z a M a n i cu re e P ed i cu re

2

Cleones Ribeiro

Hoje, o esmalte do corpo não precisa mais ser claro e há
clientes que querem usar duas cores fortes na mesma unha,
ou cada unha com a ponta pintada de uma cor. Essa nova
tendência é conhecida como "inglesinha".

DICA
Se você fizer a francesinha
tradicional, com esmalte claro
e pontas brancas, inicie o
processo pelas pontas.

Vamos ver a seguir as técnicas para fazê-las.
Terminadas as etapas iniciais, após passar a base, pegue
o esmalte da cor que será usada na ponta das unhas.
Se a francesinha envolver cores fortes, inicie o procedimento pelo corpo da unha.
Veja algumas dicas que irão facilitar seu trabalho e trazer
resultados ainda melhores.


M a nic u r e e Pe d ic u re

2

A rco O c u pac i on a l I m a g e m

e

Beleza

65

Humberto Bassanelli Jr.

Francesinha tradicional

1. Mantendo as mãos bem firmes e o pincel levemente inclinado (essas são as prin-

Humberto Bassanelli Jr.

cipais dificuldades para fazer a unha francesinha), pinte uma faixa estreita na
ponta de cada unha, trazendo o pincel da esquerda para a direita, de uma única
vez. Lembre-se de que a faixa deve ser bastante fina, como se você estivesse pintando apenas a parte livre da unha.

2.Você também pode passar o esmalte da cor da ponta em seu próprio dedo e,

então, pressionar a ponta da unha da cliente aí, formando uma faixa fina. Caso
prefira, passe cintilante antes de aplicar a faixa. Não se esqueça de limpar os
cantos com um pau de laranjeira.

66

A rco O cupacio nal I m a g e m

e

B e l e z a M a n i cu re e P ed i cu re

2

Humberto Bassanelli Jr.

3. Quando as pontas estiverem secas, inicie a pintura do corpo da unha. Como o

esmalte é quase transparente, aplique-o por cima do esmalte branco. Em seguida, refaça a limpeza dos cantos e a retirada do excesso de esmalte. Depois,
parta para o acabamento.

Cleones Ribeiro

Francesinha com cores fortes ou inglesinha

1. Inicie o processo pintando cada unha por inteiro, como se fosse usar uma única

cor. Espere o esmalte secar e, somente depois disso, faça as pontas.



M a nic u r e e Pe d ic u re

2

A rco O c u pac i on a l I m a g e m

e

Beleza

67

Cleones Ribeiro

2.A técnica é a mesma mostrada anteriormente: mãos firmes e pincel levemente

Cleones Ribeiro

inclinado. Pinte a faixa de uma vez só.

3.Realize a limpeza dos cantos como já aprendida; por fim, execute os outros

procedimentos de acabamento.

68

A rco O cupacio nal I m a g e m

e

B e l e z a M a n i cu re e P ed i cu re

2

Graça Victoria/Dreamstime.com

· Se você acha que suas mãos ainda não são suficientemente firmes para fazer a
lista das pontas, saiba que existem adesivos próprios para auxiliar esse tipo de
pintura. Você pode comprá-los em lojas de produtos de beleza.

· A aplicação de uma camada de esmalte incolor sobre o esmalte ajuda a aumentar
a durabilidade do produto.

Meia-lua
Criada nos anos 1920, a meia-lua aparente ou de outra cor (também chamada de francesinha ao contrário) voltou a ser moda em 2010, quase um século depois. Trata-se de
deixar sem esmalte, ou com esmalte de cor diferente, a área inferior das unhas, próximo
à matriz. Os passos são um pouco diferentes, dependendo do que você vai fazer.



Meia-lua bicolor
Humberto Bassanelli Jr.

Humberto Bassanelli Jr.

Meia-lua

M a nic u r e e Pe d ic u re

2

A rco O c u pac i on a l I m a g e m

e

Beleza

69

1

Humberto Bassanelli Jr.

Meia-lua
2

1. Passe a base e o esmalte da cor escolhida, deixando sem pintura a parte cen-

tral inferior da unha. Você também pode fazer isso com a ajuda de adesivos,
como na foto.

2. Com um pau de laranjeira, coberto com algodão molhado em removedor, faça

um giro sobre a parte inferior da unha, buscando deixar a área sem esmalte com
aparência de meia-lua. Se você usou adesivos, retire-os após o esmalte secar.
Limpe progressivamente a área até deixar a parte não esmaltada com o tamanho
que achar conveniente.

1

2

3

1. Se a proposta é fazer uma meia-lua bicolor, inicie a pintura com o esmalte de cor

mais clara, cobrindo toda a unha. Use spray secante após concluir a pintura.

2.Depois, pinte a unha com a segunda cor, com cuidado para não invadir a

meia-lua. Nesse procedimento, que envolve ainda mais atenção, você pode
usar as máscaras adesivas, desde que o esmalte usado na primeira demão já
esteja seco o bastante.

3. A limpeza das laterais e a retirada do excesso devem ser realizadas somente após

a pintura das duas partes.

70

A rco O cupacio nal I m a g e m

e

B e l e z a M a n i cu re e P ed i cu re

2

Humberto Bassanelli Jr.

Meia-lua bicolor

Unhas comemorativas

ChinaFotoPress/Getty Images

As unhas comemorativas surgiram no Brasil durante a Copa do Mundo de 2002,
com o uso de esmaltes com as cores do país ou o desenho da Bandeira Nacional.

Unhas comemorativas: moda surgiu durante a Copa do Mundo de 2002

Nas Copas seguintes, a moda voltou: unhas pintadas de verde, amarelo e azul ou
com as três cores juntas foram muito vistas nas ruas.
Também há desenhos de unhas que comemoram datas especiais e são buscados,
principalmente, pelas mulheres: Natal, Dia dos Namorados, aniversários etc. Isso
sem falar nas unhas decoradas com os mais diversos motivos: flores, animais, frutas,
formas geométricas, entre outros.

Zheng Bin/Dreamstime.com

Maximvlasenko/Dreamstime.com

Hxdbzxy/Dreamstime.com

Veja a seguir alguns exemplos.



M a nic u r e e Pe d ic u re

2

A rco O c u pac i on a l I m a g e m

e

Beleza

71

Ilya Glovatskiy/Dreamstime.com

Mas como fazê-las?

· Manuseie o pincel
com precisão e leveza.
· Monte um mostruário com unhas
postiças para mostrar seu trabalho
ao cliente, dando-lhe opções.
· Caso a decoração tenha aplicação
de pedras ou minienfeites, para
retirar, umedeça o algodão na
acetona e deixe sobre a unha por
cerca de 3 minutos.
· O líquido monomer tem cheiro
bastante forte. Por isso, procure
trabalhar em local arejado e não o
aplique em crianças e gestantes.

· líquido acrílico;
· diversos modelos de decalque;
· moldes 3D variados;
· pincéis para decoração ­ números 00, 0, 1 e 2;
· cola para unha;
· palito;
· brocal;
· top coat (extrabrilho);
· minienfeites como strass, estrelas,
pedras, flores, pérolas, frutas etc.;

Gabriela Insuratelu/ Dreamstime.com

DICA

· cores variadas de pó acrílico;

Artur Bogacki/Dreamstime.com

Lista de materiais necessários:

· líquido monomer (cola especial para porcelana);

Yury Shirokov/Dreamstime.com

Picstudio/Dreamstime.com

Hung Meng Tan/Dreamstime.com

· cores variadas de esmalte.

72

A rco O cupacio nal I m a g e m

e

B e l e z a M a n i cu re e P ed i cu re

2

Raja Rc/Dreamstime.com

Como usar a cola

1. Pegue uma gota de cola com a ponta do palito.
2. Encoste a ponta com a cola no local da unha onde quer aplicar os enfeites.
3. Encoste o palito sobre o enfeite desejado e posicione-o sobre a unha; para obter

melhor fixação, pressione com cuidado.

Tatjana Strelkova/Dreamstime.com

Como passar o extrabrilho

1. Caso esteja usando enfeites na unha, comece passando o extrabrilho sobre eles.
2. Cuidado para não formar bolhas de ar.
3. Passe o extrabrilho no restante da unha.



M a nic u r e e Pe d ic u re

2

A rco O c u pac i on a l I m a g e m

e

Beleza

73

Você pode utilizar moldes ou máscaras adesivas e pintar cada unha parte por parte,
tomando sempre o cuidado de esperar um tempo até que uma cor seque antes de
iniciar a pintura da próxima.
Ou pode ­ quando você tiver bastante prática e suas mãos estiverem bem firmes ­
fazer as linhas ou desenhos diretamente com o pincel.
O uso de palitos para fazer desenhos (pode ser a ponta de um pau de laranjeira ou
de palitos de dente, que são mais firmes) também é um recurso bastante usado.
O segredo? Muito treino. Comece com desenhos simples, uma florzinha, por exemplo, e aos poucos sofistique as técnicas e as imagens.

Atividade 1

P ratique

no papel

Uma das formas de deixar as mãos mais firmes e aptas a decorar as unhas é praticar,
desenhando.
1. Selecione alguns modelos na internet ­ cinco para começar. Mostre-os aos colegas
e troque opiniões com eles sobre o que vocês escolheram.
2. Agora, procure reproduzi-los. Primeiro, desenhe-os em papel, usando lápis preto comum. Depois que fizer todos e gostar do resultado, passe para a próxima etapa.

74

A rco O cupacio nal I m a g e m

e

B e l e z a M a n i cu re e P ed i cu re

2

3. Tente reproduzir as imagens com esmalte num vidro ou numa embalagem plástica. Refaça várias vezes o mesmo desenho, já no tamanho adequado para caber
numa unha. Para isso, use pincel de esmalte ou um com cerdas mais finas e
macias, ou ainda pontas de palitos.
4. Depois comece a treinar com parentes, vizinhos e amigos até adquirir prática.
Isso vale para todas as técnicas citadas aqui.
Aproveite também para testar os efeitos das cores e observar quais combinam umas
com as outras, de modo que suas pinturas não fiquem exageradas. Para isso, volte
ao tema "Arte e cotidiano" do Caderno do Trabalhador 7 ­ Conteúdos Gerais, que
mostra o círculo cromático, e estude as cores novamente.

AGE FOTOSTOCK/KEYSTOCK

Unhas postiças

Unhas postiças: colocação é um serviço bem pago e muito procurado

Além das unhas decoradas, especializar-se na colocação de unhas postiças pode ser
uma boa opção para quem trabalha nessa área.
É um serviço bem pago e muito procurado por quem rói unhas ou tem unhas que
não crescem por serem fracas e quebrarem com frequência.
Mas não se trata de algo que se aprende de uma hora para outra.
Existem vários tipos de unhas postiças (porcelana, acrílica, silicone, fibra de vidro,
gel cristal, Nova York, entre outras) e de técnicas para colocá-las. Além disso, o
aprendizado envolve a aquisição de materiais especiais.


M a nic u r e e Pe d ic u re

2

A rco O c u pac i on a l I m a g e m

e

Beleza

75

Atividade 2

P esquisando

técnicas

1. Você e seus colegas vão se organizar em grupos de cinco pessoas. Cada equipe
deve pesquisar, na internet, uma técnica diferente de colocação de unhas postiças.
A pesquisa precisa indicar, entre outros aspectos:
· como é essa técnica;
· que materiais utiliza;
· quanto tempo é necessário para aprendê-la e praticá-la profissionalmente;
· se existem cursos para a aprendizagem e quanto custam em média.
2. Ainda com o mesmo grupo, procurem identificar e entrevistar um profissional
que saiba aplicar unhas postiças por meio da técnica que vocês pesquisaram ­ a
fim de conhecerem mais profundamente essa especialização.
3. Uma vez concluídas as pesquisas, cada equipe vai elaborar um cartaz com as principais
informações levantadas para, então, apresentá-lo à classe. De posse desses dados, todos
discutirão as mais importantes vantagens e desvantagens de cada técnica estudada.

Colocação de unhas postiças
Vamos aprender agora uma técnica básica de colocação de unhas postiças.
Materiais necessários:
· pincel grande com cerdas macias (Kolinsky);
· lixa para modelar;
· lixa polidora;
· gel;
· primer (cola especial para fixar);
· adesivos para modelagem (utilizados como base para o alongamento e para auxiliar o desenho do formato da unha);
· caixa de tips (moldes de unhas) com no mínimo 10 unidades;
· cortador de tips.
76

A rco O cupacio nal I m a g e m

e

B e l e z a M a n i cu re e P ed i cu re

2

Vantagens
· Não precisa ir à manicure toda semana.
· Não estraga a unha natural.
· Parece muito com a verdadeira.
· Dispensa o uso do alicate de cutícula.
· Não quebra nem descola facilmente.
· O esmalte não sai com tanta facilidade.
· A duração de uma unha postiça é de cerca de 40 dias e a manutenção é feita de
acordo com o crescimento das unhas, aproximadamente de 2 a 3 semanas.
O valor cobrado pela colocação de unhas postiças era, em 2010, de cerca de 1/3 do
salário mínimo.

Konstantin Tavrov/Dreamstime.com

Como fazer?
1

2

3

1. Limpe bem a unha removendo todo o esmalte.
2. Com a lixa polidora, retire a camada de queratina.
3. Aplique o primer para fixar.



M a nic u r e e Pe d ic u re

2

A rco O c u pac i on a l I m a g e m

e

Beleza

77

5

Christoph Hähnel/Dreamstime.com

Christoph Hähnel/Dreamstime.com

Misolaso/Dreamstime.com

4

6

4.Coloque e ajuste o molde adesivo, que servirá como base para o alongamento e

irá auxiliar o desenho do formato da unha.

5. Pingue uma gota de cola na base do verso do tip (molde de unha).
6.Aplique o tip no meio da unha, tomando cuidado para que ele não saia do lugar.

7

8

Ludmil Ivanov/Dreamstime.com

Christopher Elwell/ Dreamstime.com

Christoph Hähnel/Dreamstime.com

Espere uns instantes até a cola secar.

9

7. Com a ajuda do cortador, deixe o tip no tamanho desejado, previamente ajustado

no molde adesivo.

8.Ajuste o desenho da unha com a lixa de modelar.
9.Finalize como se estivesse trabalhando com a unha natural: aplique base, esmalte

e top coat ou spray secante.

78

A rco O cupacio nal I m a g e m

e

B e l e z a M a n i cu re e P ed i cu re

2

Unidade 9

A ética da profissão
Você se lembra dos conhecimentos necessários para exercer as
ocupações de manicure e pedicure, listados na Unidade 2?

Viki2win/Dreamstime.com

Até agora tratamos diretamente dos chamados saberes específicos
dessas profissões. Eles incluem o preparo do local e do material
para iniciar o trabalho; a observação e o diagnóstico da situação
das mãos e dos pés dos clientes; e os procedimentos de embelezamento ­ hidratação, remoção de esmaltes, corte, lixamento, polimento, aplicação de bases e esmaltes e decoração das unhas etc.

Atendimento à clientela: atitudes pessoais e profissionais são importantes

Mas há outros saberes importantes, relacionados com o jeito de
ser e de agir das pessoas no cotidiano ­ suas atitudes pessoais ­ e
no trabalho ­ suas atitudes profissionais.
Nesta unidade, vamos falar de alguns desses aspectos, ajudando
você a refletir sobre a melhor maneira de agir no local de trabalho e no momento de atender a clientela.
Alguns desses pontos já foram discutidos em outras unidades
deste curso. No entanto, vale a pena retomá-los.
Vamos começar pelas regras mais básicas.


M a nic u r e e Pe d i cu re

2

A rco O c u pac i on a l I m a g e m

e

Beleza

79

Gostar de conhecer pessoas e conviver com elas é fundamental para um profissional que
vai atender o público diariamente.
Todo mundo sabe que existem pessoas com as quais é mais fácil conviver e outras,
digamos, menos sociáveis. Mas quantas vezes, em seu dia a dia, você já teve de lidar
com indivíduos estressados, impacientes, cansados ou, até mesmo, furiosos com
alguma situação?
No cotidiano profissional não será diferente. Você encontrará pessoas tranquilas e
outras nem tanto; algumas compreensivas e outras menos dispostas a ouvir seus
argumentos; pessoas contentes com o momento que estão vivendo e outras passando por situações difíceis.
E, diante de todas elas, será preciso demonstrar equilíbrio e paciência.
Isso não significa que você precisa concordar com tudo, sem expor suas opiniões.
Também não quer dizer que você deve aguentar desaforos ou deixar que o explorem.
Apenas considere que lidar com pessoas requer tranquilidade e cuidado para não
tornar situações difíceis mais complicadas do que realmente são.

80

A rco O cupacio nal I m a g e m

e

B e l e z a M a n i cu re e P ed i cu re

2

O

Atividade 1
primeiro dia

Chegou a hora de começar.
1. Imagine seu primeiro dia de trabalho. Como será que você vai se sentir? Tente se
lembrar de ocasiões semelhantes ­ como o primeiro dia de aula ou o primeiro dia
em outro trabalho ­ e reflita sobre o que o ajudou naqueles momentos.
2. Agora escreva uma carta para um colega da classe a fim de orientá-lo sobre como:
a) se manter tranquilo;
b) se vestir confortavelmente;
c) se portar.



M a nic u r e e Pe d ic u re

2

A rco O c u pac i on a l I m a g e m

e

Beleza

81

3. Troque a carta com o colega do lado. Ele deve ler a sua e você, a dele.
4. Depois, a classe fará uma lista com as melhores sugestões mencionadas nas cartas
e todos poderão anotá-las em seus cadernos.
Sentir-se um pouco tenso e nervoso nesse dia é natural. Mas não deixe que essas
sensações tomem conta de você.
Em relação ao vestuário e aos cabelos, não existe uma regra única.

Mirco Vacca/Dreamstime.com

Raja Rc/Dreamstime.com

Há locais onde as pessoas vestem uniformes, mas não são todos. Se tiver de escolher,
prefira roupas confortáveis, com as quais você se sinta bem. O importante é que elas
sejam discretas, estejam sempre limpas e condizentes com o local de trabalho.

Profissional da área vestida adequadamente para o trabalho: não existe uma única regra

82

A rco O cupacio nal I m a g e m

e

B e l e z a M a n i cu re e P ed i cu re

2

Unhas curtas e bem tratadas, pintadas com base, além de cabelo preso e maquiagem
leve ajudam a compor a imagem de quem se propõe a cuidar da beleza dos outros.
Tome cuidado com os acessórios grandes ­ como brincos, pulseiras, anéis ou cachecóis ­, pois eles podem atrapalhar seu desempenho profissional.
Tudo isso é importante, mas a principal regra a ser seguida nesse momento ­ e ao
longo de sua carreira ­ é recepcionar bem a clientela.

Recepção de clientes: principal aspecto a ser observado ao longo da carreira de manicures e pedicures



M a nic u r e e Pe d ic u re

2

A rco O c u pac i on a l I m a g e m

e

Beleza

83

Se você realizar o atendimento num salão de beleza ou numa clínica de estética,
ofereça café, água e revistas assim que o cliente chegar. Então acomode-o, pergunte
se está tudo bem com ele e que serviços veio fazer.
Se o atendimento for em domicílio, peça licença para entrar e pergunte onde deverá acomodar suas coisas para iniciar o trabalho.
Outra regra básica é manter os horários combinados. Manicure e pedicure são, em
geral, serviços feitos com hora marcada. O máximo de atraso tolerável é de 15 minutos.
Passar disso representa desrespeito ao cliente e soa como falta de profissionalismo.
Por isso, organize sua agenda com atenção, cuidando sempre de deixar tempo de descanso para que você possa fazer suas refeições, alongar-se (lembre-se da ginástica laboral que abordamos na Unidade 5) e recompor-se a fim de dar segmento ao trabalho.

84

A rco O cupacio nal I m a g e m

e

B e l e z a M a n i cu re e P ed i cu re

2

A

Atividade 2
agenda de um dia de trabalho

Imagine-se organizando um dia de trabalho. Ao longo desse período, você tem os
seguintes clientes para atender:
· Duas jovens que querem fazer apenas as mãos, sendo que uma delas adora
unhas decoradas.
· Duas senhoras que querem serviço de manicure e pedicure. A primeira não pretende esmaltar as unhas dos pés. Ela, porém, tem o hábito de calçar sapatos fechados e com saltos altos e, por isso, seus pés exigem cuidados especiais. A outra
gostaria de fazer serviço completo nas mãos e nos pés.
· Um jovem trabalhador que pretende cuidar apenas das unhas das mãos e que não
usa pintura, nem mesmo base.
1. Organize os horários do seu dia para dar conta de todos os atendimentos num
único local, sem se descuidar.

2. Troque as respostas com as de um colega e verifique se vocês programaram tempos semelhantes.
3. Em seguida, a mesma discussão se estenderá para toda a classe.
É bastante comum os profissionais dessa área ­ seja trabalhando em salões, seja em
domicílio ­ queixarem-se de não ter tempo para si. Por isso, é importante ter uma
agenda organizada e o tempo de cada atendimento planejado de modo que seja
possível cumpri-los.
Considere também a necessidade de ser flexível em relação aos próprios horários. A ideia,
claro, é não deixar de lado as necessidades pessoais ­ como o tempo para se dedicar a
refeições, lazer, família, amigos, descanso ­ nem os compromissos particulares.


M a nic u r e e Pe d ic u re

2

A rco O c u pac i on a l I m a g e m

e

Beleza

85

Você sabia?
Os nutricionistas ­ profissionais que estudam e
orientam os hábitos de
alimentação ­ recomendam que se faça um pequeno lanche a cada três horas. Essa prática ajuda no
bom funcionamento de
seu corpo e evita algumas
doenças, entre elas gastrite e úlcera.
Verifique a possibilidade
de incluir em sua rotina
paradinhas rápidas para
comer uma fruta ou tomar
um iogurte. Além de ajudar
a manter seu organismo
funcionando bem, isso vai
saciar sua fome.

Tenha em mente que muitas pessoas que possuem trabalho fixo buscam os horários de almoço e os fins de tarde
para cuidar da beleza. Portanto, procure organizar seu
agenda nesse sentido ­ por exemplo, almoçando mais
tarde ou mais cedo do que de costume. Assim, você não
sentirá vontade de deixar um serviço pela metade ou
fazê-lo "de qualquer jeito", descuidadamente, porque está
com muita fome.
Recepção adequada e agenda organizada sinalizam profissionalismo e seriedade aos olhos dos clientes.
Também é importante mostrar profissionalismo e seriedade no que se refere à organização do material e à limpeza.
Mantenha esmaltes, bases, cremes e demais produtos guardados em maletas próprias ou nas gavetas da cirandinha.

IMP
Descartar, sim. Mas onde?
Existem lixeiras especiais
(e regras específicas) para
descartar objetos que podem
estar contaminados. Elas servem,
por exemplo, para receber
materiais usados em curativos,
remédios, algodão etc. em
hospitais e postos de saúde.
No caso dos materiais
descartáveis usados por
manicures e pedicures ­ lixas,
algodão etc. ­, o ideal é depositá-los num recipiente em separado
e avisar o coletor que aquele
conteúdo não pode ser reciclado.

86

Os materiais descartáveis e os instrumentos esterilizados
devem ser embalados e abertos diante do cliente que você
irá atender. Esse tipo de atitude ­ além de ser correto ­ gera
credibilidade: os clientes não terão dúvida de que seus materiais e instrumentos estão livres de contaminação.

A rco O cupacio nal I m a g e m

e

B e l e z a M a n i cu re e P ed i cu re

2

Aliás, informar ao cliente sobre a importância da esterilização e do descarte de materiais
e instrumentos e de como você faz isso é uma boa opção de conversa. Demonstra que
você tem consciência de assuntos relevantes, além de provar sua seriedade como profissional, preocupando-se em prevenir a transmissão de hepatite e outras doenças.
Além dos itens medicinais descartáveis, que trazem risco de contaminação, há outros
cujo descarte requer cuidados especiais, pois podem causar problemas.
Vejamos alguns deles:
· Baterias e pilhas ­ Esses produtos contêm metais como o chumbo e o cádmio,
que podem contaminar a água e provocar doenças graves quando deixados na
natureza. Existem locais específicos que coletam baterias e pilhas, as quais devem
ser devolvidas aos fabricantes para que eles se encarreguem de reciclá-las.
· Lâmpadas ­ Também devem ser encaminhadas aos fabricantes para reciclagem,
pois há certas lâmpadas que, quando quebradas, liberam gases nocivos à saúde.

Omar Algenii/Dreamstime.com

· Óleo de cozinha usado ­ Não deve ser jogado no lixo comum nem nos ralos da pia
ou da casa. Ao ser despejado na pia, o óleo torna-se um dos maiores fatores de poluição
das águas. Quando jogado no solo, o óleo de cozinha pode contaminar a água que
fica armazenada ali; lançado na rede de esgotos, ele pode causar o entupimento das
tubulações. O correto é colocar o óleo num recipiente de vidro e entregá-lo num
posto especial de reciclagem.

Recipiente especial para a colocação de óleo:
substância não deve ser jogada em lixo comum



M a nic u r e e Pe d ic u re

2

A rco O c u pac i on a l I m a g e m

e

Beleza

87

Voltando à conversa com os clientes, mostrar envolvimento com o trabalho e com a sua profissão é sempre desejável.
Essa característica pode se tornar evidente de acordo com
os assuntos que você abordar durante o atendimento.

DICA
Com o tempo, alguns clientes
tornam-se habituais. Nesses casos,
você até poderá abordar questões
relacionadas à cidadania, como a
busca de soluções para problemas
de seu bairro ou de sua cidade.
Essa atitude contribuirá para
a melhoria das condições
de vida de todos nós.

Não se trata de definir ou restringir os temas de suas
conversas. Mas, se você tem dúvida se deve ou não abordar um determinado tema, espere até conhecer melhor o
cliente. Enquanto isso, restringir seus diálogos a questões
profissionais pode ser uma opção acertada.
Assim, esteja sempre por dentro de temas ligados à sua
área de atuação: novos produtos, cores da moda, técnicas
variadas de pintura das unhas, técnicas de hidratação etc.
Se possível, reserve um pouco de seu tempo para pesquisar esses itens na internet ou em bibliotecas especializadas
­ existentes, por exemplo, nas escolas que oferecem cursos de qualificação profissional, como o Centro Paula
Souza ou o Senac. E, mesmo que seja de vez em quando,
compre revistas que tragam matérias sobre os assuntos
referentes à sua profissão.
Para ficar mais fácil (e mais em conta), você pode trocar
com os colegas de trabalho informações sobre as novidades na área de embelezamento de mãos e pés. Finalmente, considere a possibilidade de se aprimorar com novos
cursos de qualificação profissional.
Fazendo tudo isso, você estará mais bem preparado para
exercer a sua profissão e também mais apto a mostrar aos
clientes sua motivação e seu envolvimento.
Lembre-se de que as pessoas também querem relaxar,
ficar tranquilas quando vão cuidar do corpo ou fazer
tratamentos estéticos. Por isso, evite conversas pesadas,
estressantes ou muito polêmicas. Preferências políticas e
opções religiosas, por exemplo, não precisam ser discutidas, a menos que a conversa seja proposta pelo cliente.
Outra regra importante sobre conversas diz respeito à
discrição. Não comente com clientes temas internos do
ambiente profissional: não fale sobre pessoas com quem

88

A rco O cupacio nal I m a g e m

e

B e l e z a M a n i cu re e P ed i cu re

2

você trabalha, nem com o cliente, nem com nenhum colega. Isso pode deixá-lo
desconfortável e com uma impressão negativa, tanto de você quanto do local.
Evite ainda falar a respeito de questões pessoais, a não ser com aqueles com quem você
tenha grande intimidade. Tampouco comente assuntos particulares de seus clientes
com outras pessoas, nem volte a falar sobre isso em um próximo atendimento.
Há situações em que cabeleireiros, depiladores e manicures tornam-se confidentes
de seus clientes, os quais podem se sentir à vontade para falar de certo tema ou desabafar. Mas essa aparente amizade pode ser momentânea. Não significa que a
conversa, qualquer que seja, terá continuidade quando vocês se encontrarem no
futuro. Talvez o cliente prefira até esquecer o tema.
Mais do que esperar discrição ­ característica comum à maioria das pessoas ­, você
vai encontrar clientes que não gostam de conversar e terá de lidar com isso. Nessa
situação, procure manter-se mais reservado. Não há necessidade de romper situações
de silêncio de forma forçada ou puxar assunto a qualquer custo.
E, se estiver em um local com várias pessoas ­ como acontece nos salões de beleza ­, evite conversar excessivamente com colegas de trabalho ou outros clientes.
Do contrário, você pode passar a impressão de que está desatento ao trabalho.
Uma última dica: ao iniciar o tratamento das mãos ou dos pés, alie delicadeza, assertividade e segurança. Você deve demonstrar firmeza ao segurar as mãos ou os pés de seus clientes, mas é preciso fazer isso sem perder a delicadeza nos gestos.



M a nic u r e e Pe d ic u re

2

A rco O c u pac i on a l I m a g e m

e

Beleza

89

Atividade 3

que endurecerse ,
pero sin perder la ternura jamás "

"H ay

A frase acima, destacada por aspas, foi dita por Ernesto Che
Guevara, um militante argentino que ajudou a construir a
Revolução Cubana ­ ocorrida em 1959, quando aquele país
do Caribe passou a orientar-se pelo regime socialista.
1. Em sua opinião qual é o sentido dessa frase? O que
Che Guevara quis dizer com ela?
2.Uma pessoa pode ser dura e, ao mesmo tempo, manter a ternura? De que forma? Reflita sobre isso e justifique sua opinião.
3.Vamos aproveitar para entender um pouco sobre a
história de Che Guevara e da Revolução Cubana?

Filme

Forme um grupo de cinco pessoas. Vocês devem fazer
uma pesquisa e redigir um pequeno texto sobre o assunto. Depois, troquem informações com o restante da classe sobre o que pesquisaram.

Se tiver oportunidade,
assista aos filmes:
· Diários de motocicleta,
do brasileiro Walter Salles,
que, inspirado em anotações
de Guevara, conta a viagem
feita por ele, ainda jovem,
pela América Latina.
· Che, do norte-americano
Steven Soderbergh, que conta a
história da Revolução Cubana
pela ótica de Guevara.

Che Guevara: um dos pivôs da Revolução Cubana

90

A rco O cupacio nal I m a g e m

e

B e l e z a M a n i cu re e P ed i cu re

2

U n i d a d e 10

Revendo meus
conhecimentos
Estamos encerrando a primeira etapa de sua jornada em direção
a uma nova profissão.
É importante, agora, que você reveja o que aprendeu neste curso
e consiga identificar o que já sabe em relação às ocupações de
manicure e pedicure, para se preparar para atuar no mercado de
trabalho: como empregado assalariado em algum lugar que ofereça esses serviços, como profissional autônomo (por exemplo,
atendendo em domicílio) ou como dono de seu próprio negócio.

Atividade 1

C hecando

saberes

Vamos começar retomando os saberes que a Classificação Brasileira das Ocupações (CBO) relaciona como necessários para
uma pessoa tornar-se manicure e pedicure.
Preencha novamente o quadro que já fez na Unidade 2. Agora,
no entanto, você deve considerar o que aprendeu durante este
período de qualificação profissional.


M a nic u r e e Pe d i cu re

2

A rco O c u pac i on a l I m a g e m

e

Beleza

91

O que diz a CBO

Saberes que
eu já tenho

O que eu
preciso saber

(inclua aqui tanto os saberes
que você domina ­ cursos
e atividades que já fez ­, quanto
os que você está adquirindo)

(inclua aqui tanto os saberes
que você precisa aprimorar,
como os que você precisa
aprender ­ aqueles que você
"tem que começar do zero")

OK

Em
processo

Preciso
aprimorar

Preciso
aprender

Escolaridade
Ensino Fundamental
incompleto

Capacitação profissional
Curso de qualificação
Participação em
eventos e palestras
Estágios em salão de beleza
ou clínica de estética
Consultas em revistas e
publicações especializadas

Saberes relacionados ao seu jeito de agir: atitudes pessoais
Demonstrar bom-senso
Manter-se paciente
Manter o bom humor
Cuidar da aparência
pessoal
Ouvir atentamente/
saber ouvir
Não falar excessivamente/
saber calar

92

A rco O cupacio nal I m a g e m

e

B e l e z a M a n i cu re e P ed i cu re

2

O que diz a CBO

Saberes que
eu já tenho

O que eu
preciso saber

(inclua aqui tanto os saberes
que você domina ­ cursos
e atividades que já fez ­, quanto
os que você está adquirindo)

(inclua aqui tanto os saberes
que você precisa aprimorar,
como os que você precisa
aprender ­ aqueles que você
"tem que começar do zero")

OK

Em
processo

Preciso
aprimorar

Preciso
aprender

Saberes relacionados à ocupação: atitudes profissionais
Abordar o cliente
de maneira correta
Demonstrar noções
de etiqueta social
Administrar
situações adversas
Demonstrar ética
profissional
Trabalhar em equipe
Demonstrar
postura profissional
Operar aparelhos e
equipamentos para uso
na manicure e pedicure
Trabalhar com segurança
Inspirar credibilidade
e confiança
Cultivar a sensibilidade
Demonstrar senso estético
Reconhecer a composição
dos produtos
Escolher instrumentos
e materiais adequados
Adequar características
do cliente ao produto



M a nic u r e e Pe d ic u re

2

A rco O c u pac i on a l I m a g e m

e

Beleza

93

O que diz a CBO

Saberes que
eu já tenho

O que eu
preciso saber

(inclua aqui tanto os saberes
que você domina ­ cursos
e atividades que já fez ­, quanto
os que você está adquirindo)

(inclua aqui tanto os saberes
que você precisa aprimorar,
como os que você precisa
aprender ­ aqueles que você
"tem que começar do zero")

OK

Em
processo

Preciso
aprimorar

Preciso
aprender

Saberes relacionados à ocupação
Retirar cutículas
Polir unhas
Esmaltar unhas
Decorar unhas
Aplicar unhas postiças
Lixar os pés
Desencravar unhas
Hidratar mãos e pés
Realizar procedimentos de
finalização do trabalho

Além de perceber o que você sabe fazer agora, após o curso, este quadro o ajudará a
identificar o que ainda é necessário aprender e planejar novas etapas de estudo ou
qualificação.
E também irá auxiliá-lo a organizar essas informações e montar seu currículo.
94

A rco O cupacio nal I m a g e m

e

B e l e z a M a n i cu re e P ed i cu re

2

Atividade 2

Fazendo

um currículo

Vamos iniciar a elaboração de um currículo, pois ele é o instrumento fundamental
para quem procura trabalho.
Os currículos devem ser curtos e objetivos e, de preferência, ressaltar os saberes e as
práticas relacionados à função ou à vaga que você pretende ocupar.
1. Primeiro, organize as informações que você vai colocar.
a) Nome.
b) Dados pessoais: endereço completo, telefone e endereço de e-mail.
c) Objetivo ­ ou seja, a vaga que você pretende ocupar.
d) Seus saberes e práticas mais adequados ao trabalho pretendido.
e) Histórico profissional, isto é, os trabalhos que já executou. Se você não teve emprego formal, escreva: "Principais experiências". Siga a ordem cronológica inversa: comece pelo mais atual e siga em ordem até o mais antigo.
f) Escolaridade e cursos, lembrando que, nesse item, vale qualquer curso que você
tenha frequentado ­ de idiomas, computação, oficinas de qualificação profissional
relacionadas às suas áreas de interesse etc.
g) Trabalhos voluntários, passatempos e áreas de interesse.
h) Data (o dia da elaboração do currículo).
2. Com essas informações em mãos, dirija-se à sala de informática, digite e formate
seu currículo no computador, deixando-o bem apresentável para que seja enviado
a possíveis empregadores. As aulas de informática devem ensiná-lo a formatar um
documento de texto ­ assim, você estará apto a deixar o texto entre duas margens,
escolher a fonte (tipo de letra), ressaltar alguns itens etc.
Lembre-se de que, no momento de procurar emprego, você deve comprovar tudo o
que declarou já ter feito.
Cópias do currículo e de seus documentos pessoais devem ser colocados, de forma
organizada, em uma pasta. Ela servirá para auxiliar sua apresentação nos locais em
que você for procurar emprego.



M a nic u r e e Pe d ic u re

2

A rco O c u pac i on a l I m a g e m

e

Beleza

95

Esse tipo de pasta é conhecido como portfólio e deve conter:
· comprovação da sua escolaridade formal (diplomas);
· certificados de cursos que você fez ­ incluindo o deste curso;
· comprovação de suas experiências de trabalho, que podem incluir registros informais, declarações, fotos etc.;
· cartas de recomendação;
· documentos pessoais.
Você também pode fotografar seus trabalhos ­ como unhas decoradas que ficaram
bonitas ­ a fim de mostrá-los a um possível empregador, atestando sua habilidade
no trabalho.
Com o portfólio e o currículo em mãos, planeje seus próximos passos.
Você pode programar novos estudos e projetos no intuito de se aprimorar mais na
profissão, além de planejar sua busca de trabalho (como empregado ou autônomo)
ou, se for o caso, a montagem do próprio negócio.
Vamos explorar essas duas dimensões.
Para planejar seu aprimoramento, você tem várias opções: procurar novos cursos,
ler revistas e/ou livros especializados, buscar mais informações sobre a profissão na
internet etc.
Também há muitas possibilidades para você programar sua busca de trabalho.
Por exemplo: visitar salões de beleza a fim de entregar seu currículo, buscar
auxílio de amigos, parentes e vizinhos com o objetivo de conhecer clientes em
potencial, detalhar seu plano de negócios e ver se é possível montar um negócio
próprio, entre outros.
Lembre-se de todas as dicas dos temas "Como se preparar para o mercado de trabalho" e "Trabalhando por conta própria", publicados no Caderno do Trabalhador 1
­ Conteúdos Gerais.
Tanto num caso como no outro, caberá a você escolher o que fazer. Não há uma
regra específica sobre o que é certo ou errado nessa hora. O importante é não deixar
o tempo passar para não desanimar.

96

A rco O cupacio nal I m a g e m

e

B e l e z a M a n i cu re e P ed i cu re

2

Atividade 3

P lanejando

os próximos passos

Para que seu planejamento ocorra de forma organizada, procure listar o que vai
fazer, identificando cada passo na tabela abaixo.

O que fazer?

Por que
fazer?

Como?

Quando?

E boa sorte!



M a nic u r e e Pe d ic u re

2

A rco O c u pac i on a l I m a g e m

e

Beleza

97

Referências bibliográficas
SENAC. Unhas: Técnicas de embelezamento e cuidados básicos com mãos e pés. São
Paulo: Senac, 2009.
Boaventura de Sousa Santos (sociólogo) - www.boaventuradesousasantos.pt
Clínica dos pés (problemas nos pés e nas unhas) - www.clinicadospes.com/
problemascomuns.asp
Clip mulher (banho de parafina) - www.clipmulher.com.br/clip/clipmulher_maisde50_4.
htm
Enciclopédia ilustrada de saúde (problemas nas unhas) - http://adam.sertaoggi.com.br/
encyclopedia/ency/article/001444.htm
História do cuidado com as unhas (em inglês) www.nailtechnician.co.nz/html/history_
of_nail_care.html
Manual Merck (problemas nas mãos) - www.manualmerck.net/?id=220&cn=1772
Podólogo Orlando Madella jr. (problemas nas unhas) - www.podologiabr.com/detalhes.
asp
Rede Globo (reportagem sobre hepatite em salões de beleza) - www.g1.globo.com
Revista Superinteressante (como surgiu o costume de pintar as unhas) http://super.abril.
com.br/superarquivo/2003/conteudo_124174.shtml
Vila Mulher (hidratação) - http://vilamulher.terra.com.br/tata109813/hidratacao-caseirapara-os-pes-e-rachaduras-9-3044013-1361-pf.php

Sites

cles/3264/1/HISTORIA-DA-

Classificação Brasileira de Ocupações
www.mtecbo.gov.br

QUIMICA/Paacutegina1.html

Fundação Sistema Estadual de Análise
de Dados (Seade)
www.seade.gov.br

Portal do empreendedor
www.portaldoempreendedor.gov.br

História da química
www.mundovestibular.com.br/arti-

98

A rco O cupacio nal I m a g e m

e

B e l e z a M a n i cu re e P ed i cu re

2

via rápida emprego

Como "fazer mãos"
Como "fazer pés"
Arte nas unhas
A ética da profissão
Revendo meus conhecimentos

www.viarapida.sp.gov.br